MACS Matemática Aplicada às Ciências às Sociais Sociais

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MACS Matemática Aplicada às Ciências às Sociais Sociais"

Transcrição

1 MACS Matmática Aplicada às Ciências às Sociais Sociais.º.º ano ano Manual Cadrno d d Fichas Máximo do do Aluno (ofrta ao ao aluno) aluno) Máximo do do Profssor Máximo na na Tcnologia -Manual Prmium Exprimnt m m spacoprofssor.pt Oo

2 -Manual Prmium Simpls. Complto. Smpr disponívl. Exprimnt m spacoprofssor.pt Contúdos ricos divrsificados, com indxação m cada página, para uso xclusivo dos profssors. Para dinamizar as suas aulas, pod navgar a partir d: -Manual Rcursos do Projto

3 mática Toriadas matmática liçõs das liçõs os mmbros votados, ou votados, ou s,. s ounão votm, caso não votm caso o, Esmralda daaganhou comganhou com btivram mais ais d, dosd, dos litoral, s acrscntarmos crscntarmos didatos não é altrada. é altrada. Manual Manual nd votaram pssoas. pssoas. Cadrno d Fichas Cadrno d Fichas Máximo do Aluno Máximo do Aluno Manual Manual Para é ssncial um studo autónomo, comparadigma, bas nssoparadigma, o novo Para Matmática ssncial um studo autónomo sistmático,sistmático com bas nss novo r com númro d aprndr ématmática mro doaprndr manual Máximo, Matmática AplicadaSociais, às Ciências ano, para foi pnsado para proporcionar manual Máximo, Matmática Aplicada às Ciências.º Sociais, ano, foi.º pnsado proporcionar ao profssor ao profssor sussólido alunos um sólido auxiliar d trabalho. sus alunosum auxiliar d trabalho. O dsnvolvimnto manual no alicrçou-s dno MACS foi, no qu rspita ao domínio O dsnvolvimnto dst manualdst alicrçou-s programano dprograma MACS foi, qu rspita ao domínio Estatística,datualizado d os acordo comdocumntos os últimos documntos oficiais. da Estatística,daatualizado acordo com últimos oficiais. anoéltivo. um manual funcional, qu possibilita trabalho autónomo facilita, todos osamomntos, a aprndizagm um manualéfuncional, qu possibilita um trabalho um autónomo facilita, mtodos os m momntos, aprndizagm do aluno, conduzindo-o através dos vários intgram o projto. do aluno, conduzindo-o através dos vários rcursos qurcursos intgramqu o projto. o aluno, o Máximo Tndo comotndo foco o como aluno,foco o Máximo MACS : MACS : aprsnta-lh assuntos atuais aprsnta-lh assuntos atuais orinta-o no su studo, sugr-lh numrosas sugr-lhnumrosas orinta-o no su studo, ilustraçõs com um toqu ilustraçõscom um toqu indicando-lh como pod rforçar variadas qustõs indicando-lh como pod rforçar variadas qustõs para o ajudarpara o ajudar d humor. d humor. a atingir o su máximo, através consolidar osconsolidar contúdosos contúdos a atingir o su máximo, através aprsntados dascomplmntars, atividads complmntars, aprsntados das atividads da avaliação das síntss das dasíntss avaliação global no final d cada global no final d cada subdomíniosubdomínio Estatística.. Toria matmática das liçõs.. Toria matmática das liçõs.. Estatística Prcntis. Mdiana.Quartis. Prcntis. Mdiana. Quartis... Diagrama d xtrmos quartisdiagrama d xtrmos quartis númro total d d aprovaçõs é igual àvotados, soma das.. O númro total d aprovaçõs é igual à.. somaodas aprovaçõs todos os mmbros ou aprovaçõs d todos os mmbros votados, ou sja,. sja,... O mmbro scolhido foi a Esmralda,.. O mmbro scolhido foi a Esmralda, pois obtv a maioria das aprovaçõs,. pois obtv a maioria das aprovaçõs,. ou podm..aprovar Sim. Uma os mmbros aprovar d a mmbros ou, caso não votm.. Sim. Uma vz qu todos os mmbros podm d vz a qu todos mmbros, caso não votm ntão vários tr mais d, dos votos. Nst caso, a Esmralda ganhou com nls próprios, ntão vários podm tr mais dnls,próprios, dos votos. Nst caso,podm a Esmralda ganhou com, votos, mas tantoobtivram a Paula, como Ivon oudos o Cristiano também obtivram mais d, dos, dos votos, mas tanto a Paula, como a Ivon ou dos o Cristiano também maisad,,,,, dos votos, rsptiva aproximadamnt. votos:,,,, dos votos, rsptivavotos: aproximadamnt. cidiram mndar,procdcidiram proc-.. Prcntis. Prcntis. Mdiana. Quartis. Diagrama d xtrmos quartis Mdiana. Quartis. Diagrama d xtrmos quartis....são Não, os rsultados dos outros mmbros não são altrados. Nst sistma litoral, s acrscntarmos.. Não, os rsultados dos outros mmbros não altrados. Nst sistma litoral, s acrscntarmos ou rtirarmos ou rtirarmos candidatos/altrnativas, a pontuação total doscandidatos/altrnativas, rstants candidatos nãoaépontuação altrada. total dos rstants candidatos não é altrada. Sínts Sínts Prcntil dados simpls No diagrama d caul--fono diagrama dpara caul--fo lhas ao lado aprsnta-s lhas ao lado aprsnta-s a O prcntil d ordm ak da amostra altura,x =m altura, m cntímtros, d x,cntímtros, x, p, xn é:d plantas. plantas. o valor máximo da amostra s k = * * = P =? = P =? a média dos lmntos d ordm rprsnta cm rprsnta cm + na amostra ord x + x + x + x + = =, P =, cm = =, P = P =, cm P = nada, s k for intiro * * d ordm c d + na =, P = x = cm P =? oplmnto = x = cm P =? P = =, P = amostra, nos rstants casos. Prcntil para dados simpls A Rnata, o Emídio olição Manulond foram os três únicos candidatos numa lição ond votaram pssoas. A Rnata, o Emídio o Manul foram os três únicos candidatos numa votaram pssoas. O prcntil d ordm k da amostra A Rnata,, dos.votos, o Emídio obtv, o Manul,. A Rnata obtv, dos votos, o Emídio obtv, obtv o Manul x = x, x, p, xn é:.. d Qual foi o vncdor nsta lição plo método d aprovação?.. Qual foi o vncdor nsta lição plo método aprovação? o valor máximo da amostra s Exrcício Exrcício Umapara turma do. ano dcidiu ncomndar Uma turma do. ano dcidiu ncomndar pizza commorar o final do ano ltivo. pizza para commorar o final do ano ltivo. k = a média dos lmntos d ordm + na amostra ord nada, s k for intiro d + na o lmnto d ordm c amostra, nos rstants casos. Massa, m gramas, Prcntil paraddados agrupados sacos laranjas m d classs Atividads complmntars Númro d sacos Atividads complmntars As opiniõs rcolhidas foram as sguints: As opiniõs rcolhidas foram as sguints: Cadrno d Fichas Cadrno d Fichas FP FP alunos votaram Pizza Camponsa MMACS Porto Editora alunos votaram Pizza Bolonhsa Pizza Calzon alunos votaram Pizza Bolonhsa Pizza Calzon O. Atividads Quartil Q = P. Atividads complmntars MMACSEP P P.indd MMACSEP P P.indd. Quartil Q = P. Q = Ofruto. O. Quartil Q = P. Cadrno FP O diagrama d xtrmos quartis constrói-s conhcndo: os xtrmos valors máximo mínimo FP Cadrno d Fichas FP Pág. A amostra rprsnta-s por x. x =,,,, A amostra rprsnta-s por x. =,da,,, x é o primiro x lmnto amostra. A amostra ordnada é a sguint:,,,, x() é o primiro lmnto amostra,,da, ordnada., x x() x x() x x() x x x() Considr a amostra x da amostra. x x x é o trciro lmnto x x é o primiro lmnto da amostra. x x é o trciro lmnto da amostra. A amostra ordnada é a sguint: x() é o primiro lmnto da amostra ordnada. x() x()da amostra x() x()ordnada. x() x() é o trciro lmnto sguint: x() é o trciro lmnto da amostra ordnada. Considr a amostra sguint: Massa (g), + ), P ), g * = Q = Q = fruto. * = Q =, frutos. Q =, * = Q = Q = frutos. indicarsa amostra obtida pod-s scrvr os dados, spara indicar a amostra obtida pod-s scrvrpara os dados, parados por vírgulas, dntro d parêntsis. parados por vírgulas, dntro d parêntsis. N. d frutos Total.. Escrva a amostra ordnada... Escrva a amostra ordnada... Indiqu.. Indiqu. Numa amostra ordnada. Numa amostra, d dimnsão, sab-s qu: ordnada, d dimnsão, sab-s qu: N. d plantas Qual é o valor d? Escrva a amostra. Qual é o valor d? Escrva a amostra. MMACSEP P P_ManualAmostra.indd MMACSEP P P_ManualAmostra.indd // : AM os quartis Q, Q Q. : AM os// quartis Q, Q Q. Cadrno d Fichas * Q - Q = amplitud intrquartis. = Q =, O diagrama Q =, frutos. d xtrmos quartis constrói-s conhcndo: * = Q = valors máximo mí- os xtrmos Total nimo Q = frutos. Q - dqfichas = amplitud intrquartis. * O=. Quartil Q = Md = P. complmntars Cadrno d Fichas // : AM Md = P. O. Pág. Quartil Pág. alunos votaram Pizza Camponsa, Pizza Estaçõs Pizza Calzon. alunos votaram Pizza Camponsa, Pizza Estaçõs Pizza Calzon. o sistma d aprovação, qual a pizza vncdora? FP Utilizando o sistma d aprovação, qual a pizzautilizando vncdora? MMACS Porto Editora MMACS Porto Editora alunos votaram Pizza Camponsa P = As rspostas foram as sguints: As rspostas foram as sguints: x() Considr o conjunto d dados ao Considr o conjunto d d dados ao Quartis. Diagrama xtrmos N. d N. d rlativos ao númro d frutos lado, rlativos quartis ao númro d frutos frutos lado, plantas d Oplantas d um Qpomar = P.jovm. d plantas d um pomar jovm.. Quartil Quartis. Diagrama d xtrmos quartis alunos votaram Pizza Estaçõs Pizza Calzon alunos votaram Pizza Estaçõs Pizza Calzon + ), P ), g P = iguais. Pág. MMACS Porto Editora Pág. Massa, m gramas, d sacos d laranjas At = * = At = * = Para dados agrupados m classs, o Pk dtrmina-s utilizando P =? P =? rsptivo histograma. * * = P = = a linha vrtical P = S dsnharmos qu do histo contém a mdiana, a ára Massa (g) * + = P P - * + = -, grama fica dividida m duas parts Para dados agrupados m classs, Pk dtrmina-s utilizando o rsptivo histograma. S dsnharmos a linha vrtical qu contém a mdiana, a ára do histograma fica dividida m duas parts Para dcidir qu o tipo d pizza,ncomndar, rlativamnt aos ingrdints Para dcidir o tipo d pizza, rlativamnt aos ingrdints dvriam dcidiram proc- qu dvriam ncomndar, dcidiram prociguais. a uma votação com a ajuda do profssor d MACS. dr a uma votação com a ajuda do profssor ddr MACS. Pág. Pág. Slcionou-s, Slcionou-s, alatoriamnt, cinco alunos do. A aos quaisalatoriamnt, cinco alunos do. A aos quais s prguntou a idad. s prguntou a idad. Pág. Pág. Prcntil para dados agrupados m classs Númro d sacos.. adtrmin o númro total d votos atribuídos.. Dtrmin o númro total d votos atribuídos cada candidato. Compar com o númro d a cada candidato. Compar com o númro d litors participants comnt. litors participants comnt. Atividad inicial Atividad inicial Exrcício Exrcício MMACS Porto Editora MMACS Porto Editora Utilizamos frquntmnt mdidas statísticas Utilizamos frquntmnt mdidas statísticas para comprndrmos o mundo à nossa volta, para comprndrmos o mundo à nossa volta, pois stas mdidas prmitm rsumir d forma pois stas mdidas prmitm rsumir d forma simpls um conjunto d dados qu, da formasimpls um conjunto d dados qu, da forma como são rcolhidos, não possum signifi- como são rcolhidos, não possum significado. Pod citar-s, como xmplo, s o co- cado. Pod citar-s, como xmplo, s o conhcimnto do pso d um bbé stá no nhcimnto do pso d um bbé stá no prcntil adquado à sua idad. prcntil adquado à sua idad. Rsolução Rsolução, Númros d frutos das plantas Pág., Númros d frutos das plantas dsafia-o rsolvr, já no.º ano, dsafia-o a rsolvr, já ano.º ano, xrcícios xam, dotando-o xrcícios tipo xam, tipo dotando-o : AM // : AM // à O Máximo MACS proporciona d rcursos variados proporciona a mobilizaçãoa mobilização d rcursos variados dos instrumntos ncssários ào Máximo MACS dos instrumntos ncssários o acompanhamnto profssor difrnts ritmos o acompanhamnto do profssordo mdiant os mdiant difrntsos ritmos su xam nacional supração dosupração su xamdonacional d aprndizagm dos sus alunos. dos sus alunos. no ltivo final do ano ltivo sguintd aprndizagm no final do ano sguint MMACSEP P P.indd MMACSEP P P.indd // : PM // : PM // : AM

4 Máximo do Profssor Cadrno d Fichas Máximo do Aluno Para rforçar a aprndizagm, consolidar conhcimntos prparar os tsts d avaliação, no Cadrno d Fichas ncontra duas propostas d trabalho: Fichas para praticar conjunto d qustõs qu ajudarão o aluno a dsnvolvr a dstrza na rsolução d problmas aplicação dos procdimntos dscritos no manual. FP Estatística.. FP Dados bivariados Ficha para praticar N. d lmntos por grupo: Matrial: Computador com ligação à intrnt Calculadora O Imposto Único d Circulação IUC é um imposto anual qu incid sobr a propridad, não sobr a circulação, pago até o vículo sr abatido, sndo atualizado m Janiro d cada ano civil. O IUC é d priodicidad anual dv sr pago até ao trmo do mês d anivrsário da matrícula do vículo, indpndntmnt d uso ou fruição, até qu haja canclamnto da matrícula por abat da viatura ftuado nos trmos da li. Cada grupo d trabalho dv invstigar as sguints caractrísticas d dois automóvis dos pais, irmãos, tios, tc.: tipo d vículo ligiro d passagiros, ligiros d mrcadorias, tc., tipo d combustívl, ano da matrícula, cilindrada, missõs d dióxido d carbono CO. Dica: Todas stas informaçõs ncontram-s facilmnt no DUA Documnto Único Automóvl ou crtificado d matrícula qu rsulta da fusão do antigo livrt do título d rgisto d propridad. O imposto único d circulação incid sobr os vículos matriculados ou rgistados m Portugal stão agrupados m várias catgorias. Quais são ssas catgorias qu vículos abrangm? Como as taxas associadas ao imposto são atualizadas todos os anos m função do índic d prços no consumidor, dvm m primiro lugar invstigar quais as tablas atualizadas com as taxas mais rcnts. Dvm dpois calcular o valor do IUC para os automóvis dos vossos familiars. Dica: Existm tablas para a catgoria do vículo, com taxas qu dpndm do tipo d combustívl, da cilindrada das missõs d CO. Não squcr qu ao ano da matrícula do automóvl também stá associado um coficint qu é utilizado no cálculo do IUC. Procurar um simulador do IUC dos vários xistnts na Intrnt confirmar os rsultados obtidos. Exmplos: ou A tabla sguint mostra os rsptivos rsultados obtidos. Prática Máximo do Profssor,, Part tórica Comprimnto / mm.. Indiqu a class modal dos comprimntos máximos das bolotas... Indiqu o ponto do diagrama qu corrspond ao comprimnto mdiano das bolotas... Dos diagramas sguints, indiqu aquls m qu a rta d rgrssão linar mlhor s ajusta à nuvm d pontos. Coloqu um círculo à volta dss ponto. O diagrama d disprsão mostra as massas d dstas avs, a difrnts horas do dia, durant um dia d invrno. No diagrama stá rprsntada a corrspondnt rta d rgrssão linar. Dê a rsposta colocando um círculo m torno do ponto do diagrama d disprsão xpliqu porqu scolhu ss ponto., Diagrama B,,,,, Comprimnto / mm Comprimnto / mm, Diagrama C,,,,,,,,, Diâmtro / mm Qual o strlinha-d-poupa, rprsntado no diagrama, tm mnos hipótss d sobrvivr durant a noit, s stivr frio? MMACSCFP Porto Editora Estim quantos gramas, m média, a massa d um strlinha-d-poupa aumnta numa hora... Massa / g Faça uma stimativa da massa d um strlinha-d-poupa às :. Diagrama A,,,,, Diâmtro / mm Diâmtro / mm Nos dias d invrno, sta av tm d comr o suficint para produzir calor durant a noit. Durant o dia, por ssa razão, a massa da av aumnta... // : PM,, O strlinha-d-poupa prtnc a uma spéci d avs pqunas... Bom trabalho., Mais quatro alunos fizram o msmo tst. Tórica Diâmtro / mm Um aluno obtv na part prática. Qual a classificação qu obtv na part tórica? Part prática Quando alunos obtivram a classificação d na part tórica?.. MMACSCFP P P.indd Para qu o aluno possa xrcitar sabr mais sobr os contúdos lcionados, são propostas, para além d provas globais, atividads d invstigação xprimntação m grupo, qu podrão sr útis para aprofundar alguns dos tmas. IUC Imposto Único d Circulação O diagrama d disprsão sguint aprsnta os comprimntos os diâmtros máximos d bolotas. MMACSCFP Porto Editora.. Invstiga Invstiga MMACSMA F P.indd O diagrama d disprsão ao lado aprsnta a classificação, d a, qu alunos obtivram, nas parts prática tórica d um tst... Máximo na Tcnologia MMACSMA Porto Editora Comprimnto / mm // : PM MMACSCFP P P.indd // : PM Fichas d tst conjunto d qustõs-tipo para rvr dfiniçõs concitos, bm como procssos rlvants na prparação para os tsts d avaliação. O manual rmt para a rsolução dstas fichas nos momntos adquados. Para qu o profssor possa organizar as suas aulas d acordo com a sua mtodologia, ainda proporcionar uma aprndizagm difrnciada, propõ: Planificaçõs: para facilitar a intgração do manual no vasto conjunto d rcursos disponívis, são aprsntadas propostas d planificação smanal d aula a aula qu possibilitam ao profssor organizar mais rapidamnt o su trabalho. Rcursos por subdomínio: proporcionam um apoio complmntar na prparação das aulas momntos d avaliação. Ests rcursos são todos ditávis para qu os profssors possam difrnciar adaptar as suas mtodologias stratégias pdagógicas. Para cada smana xistm qustõs-aula tsts d avaliação m momntos próprios. Propostas d rsolução: dtalhadas dos xrcícios do Manual Cadrno d Fichas prmitm uma mlhor gstão do tmpo, nomadamnt na prparação das aulas na promoção do trabalho autónomo dos alunos. Em caso d adoção, o profssor trá acsso às rstants rsoluçõs das qustõs do manual do Cadrno d Fichas.

5 Exprimnt m spacoprofssor.pt -Manual Prmium (xclusivo para o Profssor) -Manual do Aluno Máximo na Tcnologia a Ests rcursos podm sr utilizados para uma mlhor comprnsão d alguns concitos procdimntos, sndo muito útis para vrificar /ou simular rsultados. Est componnt do projto foi laborado com a colaboração d spcialistas na ára das tcnologias ducativas. O Máximo na Tcnologia stá dividido m duas parts. Part : Calculadoras gráficas aplicaçõs u l Nsta part, aprsnta-s um guia d utilização das calculadoras gráficas TI-Nspir, TI Plus C Casio fx-cg. -. As calculadoras na Estatística o s Calculadora Parâmtros da rta rgrssão coficint d rgrssão Dados bivariados Rsultado Insira as sguints xprssõs prima : Exmplo : tmpratura:=,,,,,, Considr a tabla sguint qu mostra os rsultados obtidos por obsrvação da tmpratura m graus Clsius ºC da prssão atmosférica m milímtros d mrcúrio mmhg, durant st dias. prssao:=,,,,,, Prima /t para acdr a Ï. Tmpratura ºC Prssão atmosférica mmhg Prima a tcla b a opção : Estatística, : Cálculos statísticos : Rgrssão linar mx + b. Dscrição Insira a variávl tmpratura, prssao f, nos campos Lista X, a Lista Y Guardar RgEqn m, rsptivamnt, prima a tcla. Exmplo : Considr a tabla sguint qu mostra os rsultados obtidos por obsrvação da tmpratura m graus Clsius C da prssão atmosférica m milímtros d mrcúrio mmhg, durant st dias. Introduzir as listas na calculadora Insira a lista d Tmpraturas m L a lista Prssão atmosférica m L. Para rgrssar à janla principal da calculadora prima `M. Parâmtros da rta rgrssão coficint d rgrssão A rta d rgrssão stá automaticamnt insrida no mnu das funçõs. Com uma aproximação às milésimas, obtmos a quação da rta d rgrssão, y =,x +, Na opção : Adicionar variávl X, slcionamos a variávl tmpratura. r =,. Prima as tclas `! para acdr ao mnu STAT PLOT. No mnu Plot, slcion a opção On o gráfico d pontos. Nuvm d pontos Rsultado Na opção Statistics do mnu principal, insira a lista d tmpraturas m List a lista d prssõs m List. Prima a tcla b slcion as opçõs : Rgrssão : Mostrar linar mx + b para adicionar a rta d rgrssão linar à nuvm d pontos. // : PM Rta d rgrssão MMACSMT P P.indd Com uma aproximação às milésimas, obtmos a quação da rta d rgrssão, y =,x +, o coficint d corrlação, r =,. Prima as tclas q u para slcionar o tipo d gráfico Scattr m StatGraph, insrir a variávl List m XList a variávl List m YList. Prima a squência d tclas q, w, q u para acdr a Calc, X, ax + b Draw, rsptivamnt, para adicionar a rta d rgrssão linar à nuvm d pontos. // : PM MMACSMT P P.indd Vrsão digital do manual com acsso a todos os rcursos do projto m contxto. NOVIDADE Podrá sr ncssário ajustar a janla d visualização ao conjunto d dados. Para isso, prima a tcla # slcion a opção ZoomStat. Pod altrnar a visibilidad da rta d rgrssão linar obtida com a função LinRgTTst guardada m Y, prmindo a tcla! altrnado a slção do caratr =. -Manual Prmium Cadrno d Fichas com xrcícios intrativos soluçõs. D sguida, prima d para rgrssar ao mnu antrior prima qq, para acdr a REG, X ax + b, rsptivamnt. D sguida, prima d para rgrssar ao mnu antrior prima q para rprsntar a nuvm d pontos. Insira L m Xlist L m Ylist. Slcion a marca, a cor dos pontos prima a tcla %. Nuvm d pontos rta d rgrssão MMACSMT P P.indd o coficint d corrlação, Na opção : Adicionar variávl Y, slcionamos a variávl prssao. Rta d rgrssão Prima as tclas w u para insrir a variávl List m Var Frq. Prima as tcla S>> slcion a opção LinRgTTst. Parâmtros da rta rgrssão coficint d rgrssão Dscrição Rsultado Prima as tclas S. Introduzir as listas na calculadora Com uma aproximação às milésimas, obtmos a quação da rta d rgrssão, y =,x +, o coficint d corrlação, r =,. Na aplicação Dados Estatística, prima a tcla b slcion a opção : Propridads do gráfico. Nuvm d pontos Dados bivariados Tmpratura ºC Prssão atmosférica mmhg Insira L, L Y, nos campos Xlist, Ylist RgEq, rsptivamnt, slcion Calculat. // : PM Part : Aplicaçõs didáticas Propõm-s guiõs d utilização xploração para abordar um vasto lqu d contúdos, qu nglobam os métodos litorais, os métodos d partilha quilibrada, a statística os modlos financiros. Mnu d rcursos para acdr dirtamnt a todos os rcursos do projto qu s ncontram m formato digital. O acsso à vrsão dfinitiva do -Manual Prmium é xclusivo do Profssor adotant stará disponívl a partir d stmbro d. Aplicaçõs didáticas primira class, a amplitud a frquência absoluta d cada class, d modo a ilustrar o histograma, o prcnatil d ordm k a rsptiva ára acumulada. -Manual do Aluno A aplicação aprsnta uma tabla rsumo com a ára total do histograma, a ára d cada barra, a ára acumulada as rsptivas áras rlativas. Guia d utilização Dvrá insrir o limit infrior da primira class, a amplitud da class as frquências absolutas das classs dfinidas. Slciona-s o concito a xplorar clicando num dos dois botõs d opção, Pk =? ou k =?. O primiro, o amarlo, prmit dtrminar o prcnatil da ordm k insrido a ordm na caixa k =. O sgundo, o azul, prmit dtrminar a qu prcnatil prtnc o dado insrido na caixa Pk =. Os dados da tabla prmitm facilmnt dtrminar a ára d cada barra da ára total do histograma. Também é calculada a ára a qu corrspond k% da ára total do histograma. Por fim, pod optar-s por aprsntar m cada barra do histograma a rsptiva ára altrnar a visibilidad do prcnatil no histograma. Exploração Sugr-s a introdução da noção d prcnatil usando xmplos d dados organizados m classs, dstacando o prcnatil d ordm k como sndo o ponto do ixo horizontal para o qual a ára acumulada à sua squrda é igual a k% da ára total do histograma. Também s sugr a dtrminação da prcntagm da ára acumulada à squrda d um dtrminado valor rlativamnt à ára total do histograma a dtrminação do prcnatil a qu prtnc. Aplicação : Diagrama d xtrmos quartis Dscrição Prmit construir um diagrama d xtrmos quartis para quatro amostras distintas. Guia d utilização Os dados são introduzidos na tabla obtndo-s os valors ncssários à construção do diagrama d xtrmos quartis. Exploração Introduzir as duas listas na aplicação As calculadoras na Estatística Dscrição // : PM TI Plus C s A aplicação pod sr xplorada na construção d diagramas d xtrmos quartis na comparação d amostras m trmos d simtria. MMACSMT P P.indd // : PM O acsso ao -Manual do Aluno é disponibilizado, gratuitamnt, na compra do manual m papl, no ano ltivo -, podrá sr adquirido autonomamnt através da Intrnt.

6 -Manual Prmium Simpls. Complto. Smpr disponívl. Exprimnt m spacoprofssor.pt Adot st projto trá acsso ao -Manual rcursos m qualqur dispositivo. OFERTA AO PROFESSOR Insira a pn no computador. Cliqu m Iniciar. com a pn driv DISPENSA LIGAÇÃO À INTERNET Navgu no -Manual Prmium utiliz todos os rcursos. Dscarrgu a app para o su tablt. Toqu na aplicação insira os sus dados d login do Espaço Profssor. no su tablt Abra o -Manual Prmium utiliz todos os sus rcursos. m spacoprofssor.pt Acda ao Espaço Profssor. Cliqu m -Manuais Prmium faça o su login. Abra o -Manual Prmium utiliz todos os sus rcursos. Acda ainda a sts outros rcursos gratuitamnt m.

Experimente. espacoprofessor.pt. espacoprofessor.pt. Manual. Manual. e-manual. e-manual

Experimente. espacoprofessor.pt. espacoprofessor.pt. Manual. Manual. e-manual. e-manual Química Química A A Química 0. ano Química 0. ano Manual Manual Cadrno Laboratório + Guia Cadrno dd Laboratório + Guia dodo (ofrta aluno) (ofrta ao ao aluno) À Prova Exam À Prova dd Exam Cadrno Atividads

Leia mais

INSTRUÇÕES. Os formadores deverão reunir pelo menos um dos seguintes requisitos:

INSTRUÇÕES. Os formadores deverão reunir pelo menos um dos seguintes requisitos: INSTRUÇÕES Estas instruçõs srvm d orintação para o trino das atividads planadas no projto Europu Uptak_ICT2lifcycl: digital litracy and inclusion to larnrs with disadvantagd background. Dvrão sr usadas

Leia mais

SISTEMA DE PONTO FLUTUANTE

SISTEMA DE PONTO FLUTUANTE Lógica Matmática Computacional - Sistma d Ponto Flutuant SISTEM DE PONTO FLUTUNTE s máquinas utilizam a sguint normalização para rprsntação dos númros: 1d dn * B ± 0d L ond 0 di (B 1), para i = 1,,, n,

Leia mais

Planificação :: TIC - 8.º Ano :: 15/16

Planificação :: TIC - 8.º Ano :: 15/16 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SÃO PEDRO DA COVA Escola Básica d São Pdro da Cova Planificação :: TIC - 8.º Ano :: 5/6.- Exploração d ambints computacionais Criação d um produto original d forma colaborativa

Leia mais

NOTA SOBRE INDETERMINAÇÕES

NOTA SOBRE INDETERMINAÇÕES NOTA SOBRE INDETERMINAÇÕES HÉLIO BERNARDO LOPES Rsumo. Em domínios divrsos da Matmática, como por igual nas suas aplicaçõs, surgm com alguma frquência indtrminaçõs, d tipos divrsos, no cálculo d its, sja

Leia mais

Planificação :: TIC - 7.º Ano :: 15/16

Planificação :: TIC - 7.º Ano :: 15/16 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SÃO PEDRO DA COVA Escola Básica d São Pdro da Cova Planificação :: TIC - 7.º Ano :: 15/16 1.- A Informação, o conhcimnto o mundo das tcnologias A volução das tcnologias d informação

Leia mais

O que são dados categóricos?

O que são dados categóricos? Objtivos: Dscrição d dados catgóricos por tablas gráficos Tst qui-quadrado d adrência Tst qui-quadrado d indpndência Tst qui-quadrado d homognidad O qu são dados catgóricos? São dados dcorrnts da obsrvação

Leia mais

Emerson Marcos Furtado

Emerson Marcos Furtado Emrson Marcos Furtado Mstr m Métodos Numéricos pla Univrsidad Fdral do Paraná (UFPR). Graduado m Matmática pla UFPR. Profssor do Ensino Médio nos stados do Paraná Santa Catarina dsd 1992. Profssor do Curso

Leia mais

2 Mbps (2.048 kbps) Telepac/Sapo, Clixgest/Novis e TV Cabo; 512 kbps Cabovisão e OniTelecom. 128 kbps Telepac/Sapo, TV Cabo, Cabovisão e OniTelecom.

2 Mbps (2.048 kbps) Telepac/Sapo, Clixgest/Novis e TV Cabo; 512 kbps Cabovisão e OniTelecom. 128 kbps Telepac/Sapo, TV Cabo, Cabovisão e OniTelecom. 4 CONCLUSÕES Os Indicadors d Rndimnto avaliados nst studo, têm como objctivo a mdição d parâmtros numa situação d acsso a uma qualqur ára na Intrnt. A anális dsts indicadors, nomadamnt Vlocidads d Download

Leia mais

Desse modo, podemos dizer que as forças que atuam sobre a partícula que forma o pêndulo simples são P 1, P 2 e T.

Desse modo, podemos dizer que as forças que atuam sobre a partícula que forma o pêndulo simples são P 1, P 2 e T. Pêndulo Simpls Um corpo suspnso por um fio, afastado da posição d quilíbrio sobr a linha vrtical qu passa plo ponto d suspnsão, abandonado, oscila. O corpo o fio formam o objto qu chamamos d pêndulo. Vamos

Leia mais

AUTO CENTRAGEM DA PLACA DE RETENÇÃO DE UMA MÁQUINA DE PISTÕES AXIAIS TIPO SWASHPLATE. azevedoglauco@unifei.edu.br

AUTO CENTRAGEM DA PLACA DE RETENÇÃO DE UMA MÁQUINA DE PISTÕES AXIAIS TIPO SWASHPLATE. azevedoglauco@unifei.edu.br AUTO CENTRAGEM DA PLACA DE RETENÇÃO DE UMA MÁQUINA DE PISTÕES AXIAIS TIPO SWASHPLATE Glauco José Rodrigus d Azvdo 1, João Zangrandi Filho 1 Univrsidad Fdral d Itajubá/Mcânica, Av. BPS, 1303 Itajubá-MG,

Leia mais

Dinâmica Longitudinal do Veículo

Dinâmica Longitudinal do Veículo Dinâmica Longitudinal do Vículo 1. Introdução A dinâmica longitudinal do vículo aborda a aclração frnagm do vículo, movndo-s m linha rta. Srão aqui usados os sistmas d coordnadas indicados na figura 1.

Leia mais

Em cada ciclo, o sistema retorna ao estado inicial: U = 0. Então, quantidade de energia W, cedida, por trabalho, à vizinhança, pode ser escrita:

Em cada ciclo, o sistema retorna ao estado inicial: U = 0. Então, quantidade de energia W, cedida, por trabalho, à vizinhança, pode ser escrita: Máquinas Térmicas Para qu um dado sistma raliz um procsso cíclico no qual rtira crta quantidad d nrgia, por calor, d um rsrvatório térmico cd, por trabalho, outra quantidad d nrgia à vizinhança, são ncssários

Leia mais

OFICINA 9-2ºSementre / MATEMÁTICA 3ª SÉRIE / QUESTÕES TIPENEM Professores: Edu Vicente / Gabriela / Ulício

OFICINA 9-2ºSementre / MATEMÁTICA 3ª SÉRIE / QUESTÕES TIPENEM Professores: Edu Vicente / Gabriela / Ulício OFICINA 9-2ºSmntr / MATEMÁTICA 3ª SÉRIE / QUESTÕES TIPENEM Profssors: Edu Vicnt / Gabrila / Ulício 1. (Enm 2012) As curvas d ofrta d dmanda d um produto rprsntam, rspctivamnt, as quantidads qu vnddors

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO DE PROBABILIDADE DE VALORES EXTREMOS DA PRECIPITAÇÃO MÁXIMA DE 24 HORAS DE BELÉM DO PARÁ

DISTRIBUIÇÃO DE PROBABILIDADE DE VALORES EXTREMOS DA PRECIPITAÇÃO MÁXIMA DE 24 HORAS DE BELÉM DO PARÁ DISTRIBUIÇÃO DE PROBABILIDADE DE VALORES ETREMOS DA MÁIMA DE 24 HORAS DE BELÉM DO PARÁ Mauro Mndonça da Silva Mstrando UFAL Mació - AL -mail: mmds@ccn.ufal.br Ant Rika Tshima Gonçalvs UFPA Blém-PA -mail:

Leia mais

4.1 Método das Aproximações Sucessivas ou Método de Iteração Linear (MIL)

4.1 Método das Aproximações Sucessivas ou Método de Iteração Linear (MIL) 4. Método das Aproimaçõs Sucssivas ou Método d Itração Linar MIL O método da itração linar é um procsso itrativo qu aprsnta vantagns dsvantagns m rlação ao método da bisscção. Sja uma função f contínua

Leia mais

2015-2016. CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 3º Ciclo

2015-2016. CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 3º Ciclo 2015-2016 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 3º Ciclo Stmbro 2015 Est documnto prtnd dar a conhcr a todos os intrvnints no procsso ducativo os critérios d avaliação, rsptivas prcntagns, a qu os alunos do Agrupamnto

Leia mais

FAQ DEM/ Esta é uma. Estímulo 2012? Assim, não. Fundo. R: 1. Após tenha

FAQ DEM/ Esta é uma. Estímulo 2012? Assim, não. Fundo. R: 1. Após tenha Esta é uma Mdida só para 2012, ou vai continuar? Não stá prvisto na lgislação um príodo d vigência. Uma ntidad mprgadora com mnos d cinco (5) trabalhadors pod candidatar s ao Estímulo 2012? Sim. Nst caso,

Leia mais

Plano de Estudo 5º ano - ANUAL

Plano de Estudo 5º ano - ANUAL Plano d Estudo 5º ano - ANUAL Disciplina: Ciências Naturais Unidad Tmática Contúdos 1 Importância das rochas do solo na manutnção dvida. Por qu razão xist vida na Trra? Qu ambint xistm na Trra? Ond xist

Leia mais

Experiência n 2 1. Levantamento da Curva Característica da Bomba Centrífuga Radial HERO

Experiência n 2 1. Levantamento da Curva Característica da Bomba Centrífuga Radial HERO 8 Expriência n 1 Lvantamnto da Curva Caractrística da Bomba Cntrífuga Radial HERO 1. Objtivo: A prsnt xpriência tm por objtivo a familiarização do aluno com o lvantamnto d uma CCB (Curva Caractrística

Leia mais

PSICROMETRIA 1. É a quantificação do vapor d água no ar de um ambiente, aberto ou fechado.

PSICROMETRIA 1. É a quantificação do vapor d água no ar de um ambiente, aberto ou fechado. PSICROMETRIA 1 1. O QUE É? É a quantificação do vapor d água no ar d um ambint, abrto ou fchado. 2. PARA QUE SERVE? A importância da quantificação da umidad atmosférica pod sr prcbida quando s qur, dntr

Leia mais

PRINCÍPIOS E INSTRUÇÕES RELATIVOS ÀS OPERAÇÕES DE CERTIFICADOS DE OPERAÇÕES ESTRUTURADAS (COE) Versão: 27/08/2014 Atualizado em: 27/08/2014

PRINCÍPIOS E INSTRUÇÕES RELATIVOS ÀS OPERAÇÕES DE CERTIFICADOS DE OPERAÇÕES ESTRUTURADAS (COE) Versão: 27/08/2014 Atualizado em: 27/08/2014 F i n a l i d a d O r i n t a r o u s u á r i o p a r a q u s t o b t PRINCÍPIOS E INSTRUÇÕES RELATIVOS ÀS OPERAÇÕES DE CERTIFICADOS DE OPERAÇÕES ESTRUTURADAS (COE) Vrsão: 27/08/2014 Atualizado m: 27/08/2014

Leia mais

66 (5,99%) 103 (9,35%) Análise Combinatória 35 (3,18%)

66 (5,99%) 103 (9,35%) Análise Combinatória 35 (3,18%) Distribuição das 0 Qustõs do I T A 9 (8,6%) 66 (,99%) Equaçõs Irracionais 09 (0,8%) Equaçõs Exponnciais (,09%) Conjuntos 9 (,6%) Binômio d Nwton (,9%) 0 (9,%) Anális Combinatória (,8%) Go. Analítica Funçõs

Leia mais

PROJETO DE EDUCAÇÃO AFETIVO - SEXUAL E REPRODUTIVA

PROJETO DE EDUCAÇÃO AFETIVO - SEXUAL E REPRODUTIVA PROJETO DE EDUCAÇÃO AFETIVO - SEXUAL E REPRODUTIVA Tma: Sxualidad rlaçõs intrpssoais 1º Ano- EB1/JI DE VELAS Turma 2 Formas d Rcursos Atividads Objtivos Contúdos organização/ (humanos (por disciplina)

Leia mais

MÓDULO 4 4.8.1 - PROCEDIMENTOS DE TESTES DE ESTANQUEIDADE PARA LINHAS DE ÁGUA, ESGOTO E OUTROS LÍQUIDOS

MÓDULO 4 4.8.1 - PROCEDIMENTOS DE TESTES DE ESTANQUEIDADE PARA LINHAS DE ÁGUA, ESGOTO E OUTROS LÍQUIDOS MÓDULO 4 4.8.1 - PROCEDIMENTOS DE TESTES DE ESTANQUEIDADE PARA LINHAS DE ÁGUA, ESGOTO E OUTROS LÍQUIDOS Normas Aplicávis - NBR 15.950 Sistmas para Distribuição d Água Esgoto sob prssão Tubos d politilno

Leia mais

Edital de seleção de candidatos para o Doutorado em Matemática para o Período 2015.2

Edital de seleção de candidatos para o Doutorado em Matemática para o Período 2015.2 ] Univrsidad Fdral da Paraíba Cntro d Ciências Exatas da Naturza Dpartamnto d Matmática Univrsidad Fdral d Campina Grand Cntro d Ciências Tcnologia Unidad Acadêmica d Matmática Programa Associado d Pós-Graduação

Leia mais

PROVA DE MATEMÁTICA APLICADA VESTIBULAR 2013 - FGV CURSO DE ADMINISTRAÇÃO RESOLUÇÃO: Profa. Maria Antônia C. Gouveia

PROVA DE MATEMÁTICA APLICADA VESTIBULAR 2013 - FGV CURSO DE ADMINISTRAÇÃO RESOLUÇÃO: Profa. Maria Antônia C. Gouveia PROVA DE MATEMÁTICA APLICADA VESTIBULAR 013 - FGV CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Profa. Maria Antônia C. Gouvia 1. A Editora Progrsso dcidiu promovr o lançamnto do livro Dscobrindo o Pantanal m uma Fira Intrnacional

Leia mais

Resolução. Admitindo x = x. I) Ax = b

Resolução. Admitindo x = x. I) Ax = b Considr uma população d igual númro d homns mulhrs, m qu sjam daltônicos % dos homns 0,% das mulhrs. Indiqu a probabilidad d qu sja mulhr uma pssoa daltônica slcionada ao acaso nssa população. a) b) c)

Leia mais

Desta maneira um relacionamento é mostrado em forma de um diagrama vetorial na Figura 1 (b). Ou poderia ser escrito matematicamente como:

Desta maneira um relacionamento é mostrado em forma de um diagrama vetorial na Figura 1 (b). Ou poderia ser escrito matematicamente como: ASSOCIAÇÃO EDUCACIONA DOM BOSCO FACUDADE DE ENGENHAIA DE ESENDE ENGENHAIA EÉICA EEÔNICA Disciplina: aboratório d Circuitos Elétricos Circuitos m Corrnt Altrnada EXPEIMENO 9 IMPEDÂNCIA DE CICUIOS SÉIE E

Leia mais

PLANO DE ENSINO. DISCIPLINA: Topografia Básica e Planimetria CÓDIGO: AG-43 TURMA: 2013

PLANO DE ENSINO. DISCIPLINA: Topografia Básica e Planimetria CÓDIGO: AG-43 TURMA: 2013 PLANO DE ENSINO CURSO: Agronomia MODALIDADE: Prsncial DISCIPLINA: Topografia Básica Planimtria CÓDIGO: AG-43 TURMA: 2013 ANO/SEMESTRE/ANO: 2014/4º FASE/SÉRIE: 4º sm. CARGA HORÁRIA: 04 horas (smanal) /

Leia mais

AII. ANEXO II COEFICIENTE DE CONDUTIBILIDADE TÉRMICA IN-SITU

AII. ANEXO II COEFICIENTE DE CONDUTIBILIDADE TÉRMICA IN-SITU ANEXO II Coficint d Condutibilidad Térmica In-Situ AII. ANEXO II COEFICIENTE DE CONDUTIBILIDADE TÉRMICA IN-SITU AII.1. JUSTIFICAÇÃO O conhcimnto da rsistência térmica ral dos componnts da nvolvnt do difício

Leia mais

Estudo da Transmissão de Sinal em um Cabo co-axial

Estudo da Transmissão de Sinal em um Cabo co-axial Rlatório final d Instrumntação d Ensino F-809 /11/00 Wllington Akira Iwamoto Orintador: Richard Landrs Instituto d Física Glb Wataghin, Unicamp Estudo da Transmissão d Sinal m um Cabo co-axial OBJETIVO

Leia mais

OAB 1ª FASE RETA FINAL Disciplina: Direito Administrativo MATERIAL DE APOIO

OAB 1ª FASE RETA FINAL Disciplina: Direito Administrativo MATERIAL DE APOIO I. PRINCÍPIOS: 1. Suprmacia do Intrss Público sobr o Particular Em sndo a finalidad única do Estado o bm comum, m um vntual confronto ntr um intrss individual o intrss coltivo dv prvalcr o sgundo. 2. Indisponibilidad

Leia mais

CONTINUIDADE A idéia de uma Função Contínua

CONTINUIDADE A idéia de uma Função Contínua CONTINUIDADE A idéia d uma Função Contínua Grosso modo, uma função contínua é uma função qu não aprsnta intrrupção ou sja, uma função qu tm um gráfico qu pod sr dsnhado sm tirar o lápis do papl. Assim,

Leia mais

2. NOME DO CURSO ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DAS RELAÇÕES HUMANAS NA ORGANIZAÇÃO

2. NOME DO CURSO ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DAS RELAÇÕES HUMANAS NA ORGANIZAÇÃO 1. ÁREA DO CONHECIMENTO CIÊNCIAS HUMANAS: PSICOLOGIA 2. NOME DO CURSO ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DAS RELAÇÕES HUMANAS NA ORGANIZAÇÃO 3. JUSTIFICATIVA: Prspctivas no Mrcado Amazonns: A cidad d Manaus possui

Leia mais

e-manual Premium FÍSICO-QUÍMICA 9.o ANO Experimente em espacoprofessor.pt

e-manual Premium FÍSICO-QUÍMICA 9.o ANO Experimente em espacoprofessor.pt FÍSICO-QUÍMICA 9. ANO Manual Tabla Priódica (frta a alun) Fichas (frta a alun) Apis Áudi (fichirs mp para dwnlad) Cadrn d Atividads (inclui Fichas d Labratóri) Cadrn d Labratóri Matriais Manipulávis Dssir

Leia mais

FASE - ESCOLA 2º CICLO DO ENSINO BÁSICO

FASE - ESCOLA 2º CICLO DO ENSINO BÁSICO FASE - ESCOLA 2º CICLO DO ENSINO BÁSICO CRONOGRAMA ÍNDICE FASES DATAS APURAMENTOS LOCAL 4 alunos por scola 1. Introdução...2 1ª fas Escolas 2ª fas Distrital Até 11 d Janiro 1 ou 2 d Fvriro 2 do sxo fminino

Leia mais

Melhoria contínua da qualidade do ensino

Melhoria contínua da qualidade do ensino 1. OBJETIVO Est procdimnto visa normalizar as ativis snvolvis no âmbito mlhoria contínua quali do nsino dos cursos ministrados na Escola Naval (EN). 2. CAMPO DE APLICAÇÃO O prsnt procdimnto é aplicávl

Leia mais

PROCEDIMENTO DE MEDIÇÃO DE ILUMINÂNCIA DE EXTERIORES

PROCEDIMENTO DE MEDIÇÃO DE ILUMINÂNCIA DE EXTERIORES PROCEDIMENTO DE MEDIÇÃO DE ILUMINÂNCIA DE EXTERIORES Rodrigo Sousa Frrira 1, João Paulo Viira Bonifácio 1, Daian Rznd Carrijo 1, Marcos Frnando Mnzs Villa 1, Clarissa Valadars Machado 1, Sbastião Camargo

Leia mais

A prova tem como referência o Programa de PRÁTICAS DE CONTABILIDADE E GESTÃO do 12º Ano de Escolaridade.

A prova tem como referência o Programa de PRÁTICAS DE CONTABILIDADE E GESTÃO do 12º Ano de Escolaridade. Informação - Prova Equivalência à Frquência Práticas Contabilida Gstão Prova Equivalência à Frquência Práticas Contabilida Gstão Duração da prova: 120 minutos / 24.06.2013 12º Ano Escolarida Curso Tcnológico

Leia mais

Florianópolis, 09 de abril de 1998. PORTARIA Nº 0173/GR/98.

Florianópolis, 09 de abril de 1998. PORTARIA Nº 0173/GR/98. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA GABINETE DO REITOR PORTARIAS Florianópolis, 09 d abril d 1998 PORTARIA Nº 0173/GR/98 O Ritor da Univrsidad Fdral d Santa Catarina, no uso d suas atribuiçõs statutárias

Leia mais

APONTAMENTOS PRÁTICOS PARA OFICIAIS DE JUSTIÇA

APONTAMENTOS PRÁTICOS PARA OFICIAIS DE JUSTIÇA ESQUEMA PRÁTICO ) Prazo Máximo Duração do Inquérito 2) Prazo Máximo Duração do Sgrdo d Justiça 3) Prazo Máximo Duração do Sgrdo d Justiça quando stivr m causa a criminalidad rfrida nas al.ªs i) a m) do

Leia mais

A ferramenta de planeamento multi

A ferramenta de planeamento multi A frramnta d planamnto multi mdia PLANVIEW TELEVISÃO Brv Aprsntação Softwar d planamnto qu s basia nas audiências d um príodo passado para prvr asaudiências d um príodo futuro Avrsatilidad afacilidad d

Leia mais

Módulo II Resistores, Capacitores e Circuitos

Módulo II Resistores, Capacitores e Circuitos Módulo laudia gina ampos d arvalho Módulo sistors, apacitors ircuitos sistência Elétrica () sistors: sistor é o condutor qu transforma nrgia létrica m calor. omo o rsistor é um condutor d létrons, xistm

Leia mais

MANUAL DE APOSENTADORIA E ABONO PERMANÊNCIA INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE GARANHUNS IPSG

MANUAL DE APOSENTADORIA E ABONO PERMANÊNCIA INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE GARANHUNS IPSG MANUAL DE APOSENTADORIA E ABONO PERMANÊNCIA INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE GARANHUNS IPSG SUMÁRIO PARTE I BENEFÍCIO DE APOSENTADORIA 1 - NOÇÕES SOBRE O BENEFÍCIO PREVIDENCIÁRIO

Leia mais

PSI-2432: Projeto e Implementação de Filtros Digitais Projeto Proposto: Conversor de taxas de amostragem

PSI-2432: Projeto e Implementação de Filtros Digitais Projeto Proposto: Conversor de taxas de amostragem PSI-2432: Projto Implmntação d Filtros Digitais Projto Proposto: Convrsor d taxas d amostragm Migul Arjona Ramírz 3 d novmbro d 2005 Est projto consist m implmntar no MATLAB um sistma para troca d taxa

Leia mais

EMPRESA BRASILEIRA DE TELECOMUNICAÇÕES S.A - EMBRATEL

EMPRESA BRASILEIRA DE TELECOMUNICAÇÕES S.A - EMBRATEL EMPRESA BRASILEIRA DE TELECOMUNICAÇÕES S.A - EMBRATEL PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO N o 001 - EMBRATEL 1. APLICAÇÃO Est Plano d Srviço ofrc ao usuário do Srviço d Tlfonia Fixa Comutada, a possibilidad d

Leia mais

Definição de Termos Técnicos

Definição de Termos Técnicos Dfinição d Trmos Técnicos Eng. Adriano Luiz pada Attack do Brasil - THD - (Total Harmonic Distortion Distorção Harmônica Total) É a rlação ntr a potência da frqüência fundamntal mdida na saída d um sistma

Leia mais

Tabela 1 - Índice de volume de vendas no comércio varejista (Número índice)

Tabela 1 - Índice de volume de vendas no comércio varejista (Número índice) PESQUISA MENSAL DO COMÉRCIO JULHO DE 2012 A psquisa mnsal do comércio, ralizada plo IBGE, rgistrou um crscimnto positivo d 1,36% no comparativo com o mês d julho d 2012 para o volum d vndas varjista. Podmos

Leia mais

As Abordagens do Lean Seis Sigma

As Abordagens do Lean Seis Sigma As Abordagns do Lan Sis Julho/2010 Por: Márcio Abraham (mabraham@stcnt..br) Dirtor Prsidnt Doutor m Engnharia d Produção pla Escola Politécnica da Univrsidad d São Paulo, ond lcionou por 10 anos. Mastr

Leia mais

EC1 - LAB - CIRCÚITOS INTEGRADORES E DIFERENCIADORES

EC1 - LAB - CIRCÚITOS INTEGRADORES E DIFERENCIADORES - - EC - LB - CIRCÚIO INEGRDORE E DIFERENCIDORE Prof: MIMO RGENO CONIDERÇÕE EÓRIC INICII: Imaginmos um circuito composto por uma séri R-C, alimntado por uma tnsão do tipo:. H(t), ainda considrmos qu no

Leia mais

QUE ESPANHOL É ESSE? Mariano Jeferson Teixeira (Grad /UEPG) Valeska Gracioso Carlos (UEPG)

QUE ESPANHOL É ESSE? Mariano Jeferson Teixeira (Grad /UEPG) Valeska Gracioso Carlos (UEPG) Congrsso Intrnacional d Profssors d Línguas Oficiais do MERCOSUL QUE ESPANHOL É ESSE? Mariano Jfrson Tixira (Grad /UEPG) Valska Gracioso Carlos (UEPG) 1. Introdução Graças á rgulamntaçõs impostas por acordos

Leia mais

Equilíbrio Térmico. é e o da liga é cuja relação com a escala Celsius está representada no gráfico.

Equilíbrio Térmico. é e o da liga é cuja relação com a escala Celsius está representada no gráfico. Equilíbrio Térmico 1. (Unsp 2014) Para tstar os conhcimntos d trmofísica d sus alunos, o profssor propõ um xrcício d calorimtria no qual são misturados 100 g d água líquida a 20 C com 200 g d uma liga

Leia mais

PARECER HOMOLOGADO(*)

PARECER HOMOLOGADO(*) PARECER HOMOLOGADO(*) (*) Dspacho do Ministro, publicado no Diário Oficial da União d 17/07/2003 (*) Portaria/MEC nº 1.883, publicada no Diário Oficial da União d 17/07/2003 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO

Leia mais

EDITAL N.º 24/2016 EDITAL PROCESSO SELETIVO ESPECÍFICO PARA INGRESSO DE FRONTEIRIÇOS 2016

EDITAL N.º 24/2016 EDITAL PROCESSO SELETIVO ESPECÍFICO PARA INGRESSO DE FRONTEIRIÇOS 2016 EDITAL N.º 24/2016 EDITAL PROCESSO SELETIVO ESPECÍFICO PARA INGRESSO DE FRONTEIRIÇOS 2016 O REITOR DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA, no uso d suas atribuiçõs lgais statutárias, torna público st Edital

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES Candidatura Electrónica

MANUAL DE INSTRUÇÕES Candidatura Electrónica Concurso Anual d Educadors d Infância d Profssors dos Ensinos Básico Scundário Dircção d Srviços d Rcrutamnto d Pssoal Docnt MANUAL DE INSTRUÇÕES Candidatura Elctrónica Concurso d Contratação LSVLD, Contratados

Leia mais

GERADOR ELETROSTÁTICO

GERADOR ELETROSTÁTICO GERADOR ELETROSTÁTICO Est artigo irá mostrar como construir um grador ltrostático, projto muito famoso m firas d Ciências. É uma máquina muito intrssant dvido às pqunas faíscas qu gra, dmonstrando claramnt

Leia mais

MATRIZ DE REFERÊNCIA PARA AVALIAÇÃO EM MATEMÁTICA AVALIA BH 1º, 2º E 3º CICLOS DO ENSINO FUNDAMENTAL

MATRIZ DE REFERÊNCIA PARA AVALIAÇÃO EM MATEMÁTICA AVALIA BH 1º, 2º E 3º CICLOS DO ENSINO FUNDAMENTAL MATRIZ DE REFERÊNCIA PARA EM MATEMÁTICA AVALIA BH 1º, 2º E 3º CICLOS DO ENSINO FUNDAMENTAL Na ralização d uma avaliação ducacional m larga scala, é ncssário qu os objtivos da avaliação as habilidads comptências

Leia mais

Edital. V Mostra LEME de Fotografia e Filme Etnográficos e II Mostra LEME de Etnografia Sonora

Edital. V Mostra LEME de Fotografia e Filme Etnográficos e II Mostra LEME de Etnografia Sonora Edital V Mostra LEME d Fotografia Film Etnográficos 5º SEMINÁRIO DO LABORATÓRIO DE ESTUDOS EM MOVIMENTOS ÉTNICOS - LEME 19 a 21 d stmbro d 2012 Univrsidad Fdral do Rcôncavo da Bahia Cachoira-BA O 5º Sminário

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO E EDUCAÇÃO PROFISSIONAL EDITAL N.º 005/2014 REVALIDAÇÃO/PROGRAD

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO E EDUCAÇÃO PROFISSIONAL EDITAL N.º 005/2014 REVALIDAÇÃO/PROGRAD 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO E EDUCAÇÃO PROFISSIONAL EDITAL N.º 005/2014 REVALIDAÇÃO/PROGRAD A Pró-Ritoria d Graduação Educação Profissional (PROGRAD)

Leia mais

Para verificar a atualização desta norma, como revogações ou alterações, acesse o Visalegis.

Para verificar a atualização desta norma, como revogações ou alterações, acesse o Visalegis. 18/05/12 Anvisa - Lgislação - Portarias Lgislação Para vrificar a atualização dsta norma, como rvogaçõs ou altraçõs, acss o Visalgis. Portaria n º 27, d 13 d janiro d 1998 A Scrtária d Vigilância Sanitária,

Leia mais

INEC ESPECIALIZAÇÃO EM : GERÊNCIA CONTÁBIL, FINANCEIRA E AUDITORIA TURMA III. Lins - SP - 2012 2º Dia : 20 de Outubro.

INEC ESPECIALIZAÇÃO EM : GERÊNCIA CONTÁBIL, FINANCEIRA E AUDITORIA TURMA III. Lins - SP - 2012 2º Dia : 20 de Outubro. INEC AUDITRIA Prof. CLAUDECIR PATN ESPECIALIZAÇÃ EM : GERÊNCIA CNTÁBIL, FINANCEIRA E AUDITRIA TURMA III 1 Lins - SP - 2012 2º Dia : 20 utubro. CNTRLE - Concitos; - Auditoria Control Intrno; - Importância

Leia mais

Empreendedorismo e Empregabilidade PE04/V01

Empreendedorismo e Empregabilidade PE04/V01 1 APROVAÇÃO DO DOCUMENTO Rsponsávl plo Procsso Validação Função Nom Razão para a nova vrsão Coord. CTCO José Pirs dos Ris Não - vrsão inicial Pró-Prsidnt para a Qualidad João Lal Aprovação Prsidnt IPBja

Leia mais

ENGENHARIA DE MANUTENÇÃO. Marcelo Sucena

ENGENHARIA DE MANUTENÇÃO. Marcelo Sucena ENGENHARIA DE MANUTENÇÃO Marclo Sucna http://www.sucna.ng.br msucna@cntral.rj.gov.br / marclo@sucna.ng.br ABR/2008 MÓDULO 1 A VISÃO SISTÊMICA DO TRANSPORTE s A anális dos subsistmas sus componnts é tão

Leia mais

Procedimento em duas etapas para o agrupamento de dados de expressão gênica temporal

Procedimento em duas etapas para o agrupamento de dados de expressão gênica temporal Procdimnto m duas tapas para o agrupamnto d dados d xprssão gênica tmporal Moysés Nascimnto Fabyano Fonsca Silva Thlma Sáfadi Ana Carolina Campana Nascimnto Introdução Uma das abordagns mais importants

Leia mais

Uma característica importante dos núcleos é a razão N/Z. Para o núcleo de

Uma característica importante dos núcleos é a razão N/Z. Para o núcleo de Dsintgração Radioativa Os núclos, m sua grand maioria, são instávis, ou sja, as rspctivas combinaçõs d prótons nêutrons não originam configuraçõs nuclars stávis. Esss núclos, chamados radioativos, s transformam

Leia mais

Pragmática intercultural e entoação: os enunciados interrogativos (pedidos) em português e em espanhol

Pragmática intercultural e entoação: os enunciados interrogativos (pedidos) em português e em espanhol Pragmática intrcultural ntoação: os nunciados intrrogativos (pdidos) m português m spanhol Priscila C. Frrira d Sá PG/UFRJ Natalia dos Santos Figuirdo PG/UFRJ Profa. Dra. Lticia Rbollo Couto - UFRJ 1 Introdução

Leia mais

ANEXO V SISTEMA DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO

ANEXO V SISTEMA DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO AEXO V SISTEMA DE AVALIAÇÃO DE DESEMPEHO 1. ÍDICES DE AVALIAÇÃO O Sistma d Avaliação d Dsmpnho stá struturado para a avaliação das prmissionárias, d acordo com os sguints índics grais spcíficos constants

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano d Trabalho Docnt 2014 Ensino Técnico Etc Etc: PROFESSOR MASSUYUKI KAWANO Código: 0136 Município: TUPÃ Ára d conhcimnto: INFRAESTRUTURA Componnt Curricular: PLANEJAMENTO DE CONSTRUÇÃO CIVIL - PCC

Leia mais

3 Aritmética Computacional

3 Aritmética Computacional 33 3 Aritmética Computacional 3. Introdução Quando s utiliza um qualqur instrumnto d trabalho para ralizar uma tarfa dv-s tr um conhcimnto profundo do su modo d funcionamnto, das suas capacidads das suas

Leia mais

CURSO ON LINE RACIOCÍNIO LÓGICO PARA DESESPERADOS PROFESSORES: GUILHERME NEVES E VÍTOR MENEZES. Aula 1 Lógica de argumentação e diagramas lógicos

CURSO ON LINE RACIOCÍNIO LÓGICO PARA DESESPERADOS PROFESSORES: GUILHERME NEVES E VÍTOR MENEZES. Aula 1 Lógica de argumentação e diagramas lógicos 1 Aula 1 Lógica d argumntação diagramas lógicos I LÓGICA DE ARGUMENTAÇÃO (CONTINUAÇÃO).... 2 1 Rvisão..... 2 2 Técnica 1: liminando as linhas com prmissas falsas... 5 Técnica 2: tabla vrdad modificada...

Leia mais

Governo do Estado do Rio de Janeiro Secretaria de Estado de Educação CURRÍCULO MÍNIMO MATEMÁTICA

Governo do Estado do Rio de Janeiro Secretaria de Estado de Educação CURRÍCULO MÍNIMO MATEMÁTICA Govrno do Estado do Rio d Janiro Scrtaria d Estado d Educação CURRÍCULO MÍNIMO MATEMÁTICA ÁREA: CIÊNCIAS DA NATUREZA, MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS MÍNIMO MATEMÁTICA Currículo Aprsntação A Scrtaria d Estado

Leia mais

NR-35 TRABALHO EM ALTURA

NR-35 TRABALHO EM ALTURA Sgurança Saúd do Trabalho ao su alcanc! NR-35 TRABALHO EM ALTURA PREVENÇÃO Esta é a palavra do dia. TODOS OS DIAS! PRECAUÇÃO: Ato ou fito d prvnir ou d s prvnir; A ação d vitar ou diminuir os riscos através

Leia mais

Art. 1º Atualizar o Manual de Instruções Gerais (MIG) Cadastro, na forma apresentada no demonstrativo anexo.

Art. 1º Atualizar o Manual de Instruções Gerais (MIG) Cadastro, na forma apresentada no demonstrativo anexo. Atualiza o Manual d Instruçõs Grais (MIG) Cadastro. A Dirtoria Excutiva da Confdração Nacional das Cooprativas do Sicoob Ltda. Sicoob Confdração, com fulcro no art. 58 do Estatuto Social, basado na strutura

Leia mais

UMA INTRODUÇÃO A TOPOLOGIA

UMA INTRODUÇÃO A TOPOLOGIA Encontro d Ensino, Psquisa Extnsão, Prsidnt Prudnt, 0 a 3 d outubro, 014 0 UMA INTRODUÇÃO A TOPOLOGIA TÍTULO DO TRABALHO EM INGLES Mário Márcio dos Santos Palhars 1, Antonio Carlos Tamarozzi² Univrsidad

Leia mais

II Seminário NEPPAS: Caminhos e olhares da agroecologia nos sertões de Pernambuco Normas para envio de trabalho

II Seminário NEPPAS: Caminhos e olhares da agroecologia nos sertões de Pernambuco Normas para envio de trabalho II Sminário NEPPAS: Caminhos olhars da agrocologia nos srtõs d Prnambuco Normas para nvio d trabalho Srra Talhada, 26,27 28 d abril d 2012 Espaço Roda Mundo - Rodas d convrsas, rlatos trocas d xpriência

Leia mais

Atualizado em, 28/02/2012 Páginas:27, 28 e 41. Página 1 de 43

Atualizado em, 28/02/2012 Páginas:27, 28 e 41. Página 1 de 43 Atualizado m, 28/02/2012 Páginas:27, 28 41. Página 1 d 43 FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS-UFT SELEÇÃO PÚBLICA SIMPLIFICADA PARA O CARGO DE PROFESSOR TEMPORÁRIO 2012.2 EDITAL Nº 022, DE 27 DE

Leia mais

CONDIÇÕES DE OPERAÇÃO DE TUBOS DE POLIETILENO PE (NORMATIVO) CONDIÇÕES PARA USO DE MATERIAL REPROCESSADO (NORMATIVO)

CONDIÇÕES DE OPERAÇÃO DE TUBOS DE POLIETILENO PE (NORMATIVO) CONDIÇÕES PARA USO DE MATERIAL REPROCESSADO (NORMATIVO) ABR 98 Tubos d politilno PE abp/e001 Espcificação Origm: ISO 4427/96 abp - associação brasilira d tubos poliolfínicos sistmas CTPE - Comissão Técnica d Politilno abp/e001 - Polythyln (PE) pips - Spcification

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS PRÓ-REITORIA ACADÊMICA

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS PRÓ-REITORIA ACADÊMICA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS PRÓ-REITORIA ACADÊMICA EDITAL Nº 14/2011 PRAC SELEÇÃO PÚBLICA A Pró-Ritoria Acadêmica da Univrsidad Católica d Plotas torna pública a abrtura d SELEÇÃO DOCENTE, como sgu:

Leia mais

PRODUTOS GERDAU PARA PAREDES DE CONCRETO

PRODUTOS GERDAU PARA PAREDES DE CONCRETO PRODUTOS GERDAU PARA PAREDES DE CONCRETO SISTEMA CONSTRUTIVO PAREDES DE CONCRETO NBR60 PAREDES DE CONCRETO Sistma construtivo m qu as lajs as pards são moldadas m conjunto, formando um lmnto monolítico.

Leia mais

Residência para coletivos na Casa do Povo. Cole tivo

Residência para coletivos na Casa do Povo. Cole tivo Rsidência para coltivos na Casa do Povo Chamada abrta tativo - Rsidência para coltivos na Casa do Povo Há mais d 60 anos, a Casa do Povo atua como lugar d mmória cntro cultural m sintonia com o pnsamnto

Leia mais

Proposta de Resolução do Exame Nacional de Física e Química A 11.º ano, 2011, 1.ª fase, versão 1

Proposta de Resolução do Exame Nacional de Física e Química A 11.º ano, 2011, 1.ª fase, versão 1 Proposta d Rsolução do Exam Nacional d ísica Química A 11.º ano, 011, 1.ª fas, vrsão 1 Socidad Portugusa d ísica, Divisão d Educação, 8 d Junho d 011, http://d.spf.pt/moodl/ 1. Movimnto rctilíno uniform

Leia mais

2.5. Estrutura Diamétrica

2.5. Estrutura Diamétrica F:\MEUS-OCS\LIRO_EF_44\CAP_I_ESTRUTURA-PARTE_4.doc 5.5. Estrutura iamétrica A strutura diamétrica é tamém dnominada d distriuição diamétrica ou distriuição dos diâmtros. Concitua-s distriuição diamétrica

Leia mais

QUALIDADE DE SOFTWARE AULA N.6

QUALIDADE DE SOFTWARE AULA N.6 QUALIDADE DE SOFTWARE AULA N.6 Curso: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Discipli: Qualida Softwar Profa. : Kátia Lops Silva Slis adpatados do Prof. Ricardo Almida Falbo Tópicos Espciais Qualida Softwar 007/ Dpartamnto

Leia mais

Departamento de Engenharia Elétrica CONTROLE DIGITAL

Departamento de Engenharia Elétrica CONTROLE DIGITAL Dpartamnto d Engnharia Elétrica CONTROLE DIGITAL PROF. DR. EDVALDO ASSUNÇÃO Univrsidad Estadual Paulista UNESP Faculdad d Engnharia d Ilha Soltira FEIS Dpartamnto d Engnharia Elétrica DEE -03- Sumário

Leia mais

A FERTILIDADE E A CONCEPÇÃO Introdução ao tema

A FERTILIDADE E A CONCEPÇÃO Introdução ao tema A FERTILIDADE E A CONCEPÇÃO Introdução ao tma O ciclo mnstrual tm a missão d prparar o organismo para consguir uma gravidz com êxito. O 1º dia d mnstruação corrspond ao 1º dia do ciclo mnstrual. Habitualmnt,

Leia mais

Válvula Condicionadora de Vapor Tipo DUP. e válvula de controle de água de resfriamento

Válvula Condicionadora de Vapor Tipo DUP. e válvula de controle de água de resfriamento Válvula Condicionadora d Vapor Tipo DUP válvula d control d água d rsfriamnto Aplicação: Válvula Condicionadora d Vapor para Cntrais Elétricas Procssos Industriais combinada numa unidad com válvula d control

Leia mais

O USO DE NOVÍSSIMAS TECNOLOGIAS COMO UMA PRÁTICA DO ENSINO DE ESPANHOL NAS SÉRIES INICIAIS

O USO DE NOVÍSSIMAS TECNOLOGIAS COMO UMA PRÁTICA DO ENSINO DE ESPANHOL NAS SÉRIES INICIAIS O USO DE NOVÍSSIMAS TECNOLOGIAS COMO UMA PRÁTICA DO ENSINO DE ESPANHOL NAS SÉRIES INICIAIS Julia Cristina Grantto PG/UNIOESTE Gric da Silva Castla - UNIOESTE 1.. INTRODUÇÃO A laboração do matrial didático

Leia mais

EFA NÍVEL BÁSICO MÓDULO IV OBJECTIVO GERAL: OBJECTIVOS ESPECÍFICOS: CURSO DE FORMAÇÃO CONTINUA DE FORMADORES E MEDIADORES DE CURSOS EFA

EFA NÍVEL BÁSICO MÓDULO IV OBJECTIVO GERAL: OBJECTIVOS ESPECÍFICOS: CURSO DE FORMAÇÃO CONTINUA DE FORMADORES E MEDIADORES DE CURSOS EFA CURSO DE FORMAÇÃO CONTINUA DE FORMADORES E MEDIADORES DE CURSOS EFA MÓDULO IV CARACTERÍSTICAS DOS CURSOS EFA OBJECTIVO GERAL: Conhcr o modlo d funcionamnto dos Cursos EFA - comptências d xcução, acompanhamnto,

Leia mais

UTILIZAÇÃO DO MODELO PRESSÃO, ESTADO E RESPOSTA (PER) NO PARQUE MUNICIPAL DA AGUA VERMELHA JOÃO CÂNCIO PEREIRA SOROCABA-SP

UTILIZAÇÃO DO MODELO PRESSÃO, ESTADO E RESPOSTA (PER) NO PARQUE MUNICIPAL DA AGUA VERMELHA JOÃO CÂNCIO PEREIRA SOROCABA-SP Goiânia/GO 19 a /11/01 UTILIZAÇÃO DO MODELO PRESSÃO, ESTADO E RESPOSTA (PER) NO PARQUE MUNICIPAL DA AGUA VERMELHA JOÃO CÂNCIO PEREIRA SOROCABA-SP Admilson Irio Ribiro, Univrsidad Estadual Paulista Júlio

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: CURRÍCULO DE PEDAGOGIA, FORMAÇÃO,EDUCAÇÃO INFANTIL, IDENTIDADE PROFISSIONAL

PALAVRAS-CHAVE: CURRÍCULO DE PEDAGOGIA, FORMAÇÃO,EDUCAÇÃO INFANTIL, IDENTIDADE PROFISSIONAL Govrno do Estado do Rio Grand do Nort Scrtariado d Estado da Educação Cultura - SEEC UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE - UERN Pró-Ritoria d Psquisa Pós-Graduação PROPEG Dpartamnto d Psquisa

Leia mais

Caderno de Apoio 11.º ANO

Caderno de Apoio 11.º ANO METAS CURRICULARES PARA O ENSINO SECUNDÁRIO MATEMÁTICA A Cadrno d Apoio 11º ANO António Bivar Carlos Grosso Filip Olivira Luísa Loura Maria Clmntina Timóto INTRODUÇÃO Est Cadrno d Apoio constitui um complmnto

Leia mais

O uso dos gêneros textuais escritos no ensino/aprendizagem de espanhol como língua estrangeira. Introdução. Lis Helene Skrzypiec (UFPR)

O uso dos gêneros textuais escritos no ensino/aprendizagem de espanhol como língua estrangeira. Introdução. Lis Helene Skrzypiec (UFPR) Congrsso Intrnacional d Profssors d Línguas Oficiais do MERCOSUL O uso dos gênros txtuais scritos no nsino/aprndizagm d spanhol como língua strangira Lis Hln Skrzypic (UFPR) Introdução O prsnt studo s

Leia mais

Manual do Usuário KP1510

Manual do Usuário KP1510 Manual do Usuário KP1510 Kypass Tcnologia Ltda. www.kypass.com.br 2 ÍNDICE 1. Primiros passos... 4 1.1 Considraçõs iniciais... 4 1.2 Espcificaçõs técnicas... 5 1.3 Utilização do snsor biométrico... 6 1.4

Leia mais

Lista de Exercícios 4 Cálculo I

Lista de Exercícios 4 Cálculo I Lista d Ercícis 4 Cálcul I Ercíci 5 página : Dtrmin as assínttas vrticais hrizntais (s istirm) intrprt s rsultads ncntrads rlacinand-s cm cmprtamnt da funçã: + a) f ( ) = Ants d cmçar a calcular s its

Leia mais

UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO (UCB) 3.1.1.1. Organização Didático-Pedagógica

UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO (UCB) 3.1.1.1. Organização Didático-Pedagógica UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO (UCB) 3.1.1.1. Organização Didático-Pgógica (4) (5) Mtas Rorganizar a distribuição dos discnts. Elaborar uma Política d contratação gstão d pssoal Rvisar o Projto Pgógico. Rstruturar

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Brasília EDITAL Nº 047/RIFB, DE 03 DE SETEMBRO DE 2014

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Brasília EDITAL Nº 047/RIFB, DE 03 DE SETEMBRO DE 2014 EDITAL Nº 047/RIFB, DE 03 DE SETEMBRO DE 2014 REVALIDAÇÃO DE DIPLOMAS E CERTIFICADOS DE CURSOS TÉCNICOS E TECNOLÓGICOS ESTRANGEIROS DE ENSINO, PELO INSITUTO FEDERAL DE BRASÍLIA- IFB. 1. DA ABERTURA 1.1

Leia mais

uma estrutura convencional. Desta forma, o desempenho de um sistema estrutural está diretamente relacionado com o desempenho de suas ligações.

uma estrutura convencional. Desta forma, o desempenho de um sistema estrutural está diretamente relacionado com o desempenho de suas ligações. ISSN 1809-5860 ESTUDO DE UMA LIGAÇÃO VIGA-PILAR UTILIZADA EM GALPÕES DE CONCRETO PRÉ- MOLDADO Anamaria Malachini Miotto 1 & Mounir Khalil El Dbs 2 Rsumo Em gral, as ligaçõs ntr lmntos pré-moldados d concrto

Leia mais

Pragmática intercultural e entoação: os enunciados interrogativos (perguntas) em português e em espanhol

Pragmática intercultural e entoação: os enunciados interrogativos (perguntas) em português e em espanhol Congrsso Intrnacional d Profssors d Línguas Oficiais do MERCOSUL Pragmática intrcultural ntoação: os nunciados intrrogativos (prguntas) m português m spanhol Lticia Rbollo Couto (UFRJ) 1 Natalia dos Santos

Leia mais