Programação Na Web. Linguagem Java Parte II. break com o nome do bloco. Sintaxe. Nome do bloco. Termina o bloco. António Gonçalves ...

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Programação Na Web. Linguagem Java Parte II. break com o nome do bloco. Sintaxe. Nome do bloco. Termina o bloco. António Gonçalves ..."

Transcrição

1 Programação Na Web Linguagem Java Parte II Sintaxe António Gonçalves break com o nome do bloco Nome do bloco Termina o bloco class class Matrix Matrix { private private int[][] int[][] mat; mat; public public boolean boolean search( search( int int val val ) { boolean boolean found found = false; false; find: find: for( for( int int y=0 y=0 ; y < mat.length mat.length ; ++y ++y ) for( for( int int x=0 x=0 ; x < mat[y].length mat[y].length ; ++x ++x ) if if ( mat[x][y] mat[x][y] == == val val ) { found found = true; true; System.out.println("x="+x +" +" y="+y); y="+y); break break find; find; return return found; found;

2 Referências & tempo de vida dos objectos Button a; é apenas uma referência para objectos da classe Button, ou derivadas de Button, que começa com null; Um objecto em java é sempre instanciado dinamicamente. a = new Button( Ok ); Podem existir várias referências para o mesmo objecto Object o = a; O objecto é destruído automaticamente pelo Garbage Collector quando já não existirem mais referências para ele. Criar e destruir objectos public public void void xpto() xpto() { Button Button a, a, b; b; // // referência referência com com null null a = new new java.awt.button( Yes ); // // Botão Botão Yes Yes criado criado a = new new java.awt.button( No ); // // No No criado criado // // mas mas o Yes Yes foi foi destruído destruído b = a; a; // // b b referencia referencia o No No a = new new java.awt.button( Cancel ); // // Cancel Cancel criado criado // // a a e b b terminaram terminaram // // No No e Cancel Cancel destruídos destruídos a b null 1. a 2. a 3. Yes Yes Yes Yes b b No No b null No a 4. Cancel

3 Cópia e comparação Os tipos primitivos são sempre manipulados por valor. Os objectos são sempre manipulados por referência. Os tipos primitivos têm cópia e comparação directas através dos operadores = e ==. Os objectos são copiados e comparados através de métodos específicos. Button a = new Button( Okay ); Button b = a; // Copia a referência. b.setlabel( Ok ); // Altera a label dos dois. if ( a == b ) // comparação de referências. System.out.println( Iguais ); b = a.clone(); // copia o objecto. b.setlabel( Cancel ); // Altera apenas o copiado. if ( a.equals(b) ) // comparação de objectos. System.out.println( Iguais ); Declaração de classes A forma geral da declaração de classe é: <classe> [<modificador>] class <name>[extends <supername>] [implements <interfacename> {, <interfacename> { { <atributo> <método> * O modificadores podem ser: public Visível fora do package abstract Não pode haver objectos desta classe. final Não permite ser estendida

4 Declaração de atributos A forma mais simples de declarar um atributo é indicando o seu tipo e nome, mas a forma geral é: <atributo> [<visibilidade>] [static] [final] [transient] [volatile] <tipo> <nome> [ = <expressão> ] ; <visibilidade> indica o controlo de acesso a este atributo = <expressão> expressão de inicialização static é partilhado por todos os objectos da classe final atributo constante transient não faz parte do seu estado volatile pode ser alterado assincronamente Declaração de métodos A forma mais simples de declarar um método é indicando o retorno, nome, parâmetros e código, mas o caso geral é: <método> [<visibilidade>] [static] [abstract] [final] [native] [synchronized] <tipo-retorno> <nome> ( [parametros] ) [throws <excepções>] { ; { <código> static só pode aceder a atributos estáticos abstract não tem código associado (classe abstracta) final não pode ser redefinido nas sub-classes native o código está em C, C++, etc. synchronized com exclusão mútua ao objecto ou classe

5 Visibilidade dos membros Apesar de já estar definida a visibilidade da classe, os seus membros (atributos e métodos) definem também a sua visibilidade. Obviamente que, os métodos da própria classe têm sempre acesso aos seus membros. Visibilidade private Própria Classe Classe do mesmo Package Classe derivada Qualquer classe protected public Interfaces public interface Runnable { // abstract implícito void run(); // public e abstract implícito public interface Colors { int RED=1, GREEN=2, BLUE=3; // public static final Uma interface é uma classe apenas com atributos constantes e métodos abstractos (sem código). Uma classe pode implementar zero ou muitas interfaces, mas deve implementar todos os métodos das interfaces que implementa, ou então deve ser abstracta. Apesar do JAVA não ter herança múltipla como o C++, este mecanismo permite polimorfismo múltiplo.

6 Construtores Os construtores são invocados na instanciação dos objectos. Sintacticamente podem ser encarados como métodos sem retorno com o nome da própria classe. class X { X( ){ Podem existir vários construtores numa classe, desde que tenham número e/ou tipo de parâmetros diferentes. No corpo do construtor (como primeira instrução) podemos chamar um dos construtores da super-classe super(). Se tal não acontecer o construtor sem parâmetros é chamado implicitamente. finalize() e inicializadores estáticos O método finalize é invocado automaticamente quando o objecto for destruído pelo colector de lixo. protected void finalize() throws Throwable { Podem existir blocos de código que são executados quando a classe for carregada no sistema. Normalmente estes blocos inicializam atributos estáticos complexos. class StaticExample { static int i; static int j = 4; static { i = j + 2;

7 Tempo de vida dos objectos Uma variável de uma determinada Classe apenas é uma referência, inicialmente com null, para objectos dessa Classe. Um objecto é criado (instanciado) quando for evocado o operador new e chamado o seu construtor O resultado do new tem que ser armazenado numa referência, ou o objecto nunca poderá ser utilizado Um objecto pode ser destruído quando não existir mais nenhuma referência a ele. O Garbage collection só destruirá o objecto quando for necessária a memória ocupada por ele. Métodos especiais O método finalize é invocado automaticamente quando o objecto for destruído pelo colector de lixo. protected void finalize() throws Throwable { Podem existir blocos de código que são executados quando a classe for carregada no sistema. Normalmente estes blocos inicializam atributos estáticos complexos. class StaticExample { static int i; static int j = 4; static { i = j + 2;

8 Arrays O Array não é um tipo fundamental da linguagem. int[] a; ou int a[]; é uma referência para um array de inteiros. Um array é instanciado: a = new int[50]; mas a refere um array com qualquer dimensão. Depois de instanciado podemos saber a sua dimensão consultando o atributo length. Ao indexar aos elementos com a[i], caso se exceda a dimensão é gerada uma excepção. Um array pode ser instanciado atribuindo valores para cada um dos elementos: int[] a = { 10, 20, 30 ; int[] a = new int[10]; a[0] = 1; for( int i=1 ; i < a.length ; ++ i ) a[i] = a[i-1] + i;... a = new int[50];... que é equivalente a: int[] a = new int[3]; a[0] = 10; a[1] = 20; a[2] = 30; Strings Uma String não é um array de caracteres. É uma classe vulgar que internamente usa uma array de caracteres. Esta classe tem muitos métodos. Os mais usados são: int length() - o número de caracteres. char charat(int) - o carácter na posição indicada. int compareto(string) - comparação lexicográfica. int [last]indexof(char) - o índice da 1a [última] ocorrência. int [last]indexof(char,int)- o índice da próxima [anterior]. String valueof(tipoprimitivo)- tipo Primitivo para String. O conteúdo de um objecto String não pode ser alterado, para tal existe a classe StringBuffer.

9 Mais sobre Strings A linguagem JAVA tem algumas características especificas para facilitar o uso de objectos desta classe: String s = CCISEL ; é equivalente a: char[] ccisel = { C, C, I, S, E, L ; String s = new String(ccisel); Existe conversão implícita de qualquer classe ou tipo primitivo para String, para tal é evocado tostring() da classe ou valueof() para o tipo primitivo. O operador + entre duas Strings faz a concatenação. PentiumII +333 é convertido em PentiumII que dará PentiumII 333. Método main() Um programa pode conter várias classes Cada classe pública dá origem a um ficheiro *.class Uma delas terá que ter o método main() Tem que ser estático (método da classe) e público Retorna void e tem um array de Strings como parâmetro public class Echo { public static void main( String[] argv ) { for( int i=0 ; i < argv.length ; ++i ) System.out.print( argv[i] + ' ' ); System.out.println(); System.exit(0); C:>java Echo a xpto 2 a xpto 2 C:>_

10 classe System A classe System faz interface com o sistema onde o programa está a ser executado. Todos os atributos e métodos são estáticos. Não se pode instanciar objectos desta classe. in - standard input stream (bytes) out - standard output stream (bytes) gc() - invocar explicitamente o colector de lixo runfinalization() - invocar finalize dos objectos por destruir getproperty(string) - consultar uma variável de ambiente exit(int) - termina a execução do programa Console Input & Output import java.io.*; public class DemoIo { public static void main( String[] args ) throws Exception { BufferedReader in = new BufferedReader( new InputStreamReader( System.in )); String[] lines = new String[ Integer.parseInt(args[0])+1 ]; int i; for( i= 0 ; i < lines.length ; ++i ) { lines[i] = in.readline(); if ( lines[i]!= null && lines[i].length() == 0 ) break; for( --i ; i >= 0 ; --i ) System.out.println(lines[i]);

11 Classe Object Todas as classes derivam directa ou indirectamente da classe Object, que define a funcionalidade que qualquer objecto deve ter: Object clone() - Cria um novo objecto exactamente igual. void finalize() - Invocado na destruição do objecto. int hashcode() - Índice deste objecto na tabela de hash. String tostring() - Transforma o objecto numa String. Class getclass() - Devolve a classe do objecto. boolean equals(object)- Testa se dois objectos são iguais. Esta classe é a raiz da árvore hierarquia de todas as classes, desta forma podemos escrever código em JAVA que use qualquer objecto usando referencias para esta classe. Excepções Em Java, a ocorrência de erros(excepções) durante a execução de um programa não necessariamente significa que o programa termina. A linguagem possui um mecanismo para indicar trechos críticos num programa e recuperar eventuais exceções ocorridas nestes trechos, sem parar a execução do programa.

12 Sintaxe para tratamento de excepções try{ // Trecho crítico do programa catch(excepção e){ // Tratamento da excepção finally{ // Eliminação de precedência Exemplo de trecho crítico class conta{ public static void main(string args[]){ int den=0; int num=30; int res=num/den; // Trecho crítico A execução do.class correspondente a esta classe provocaria a seguinte mensagem de erro: > java.lang.arithmeticexception: / by zero at conta

13 Tratamento do trecho crítico class conta{ public static void main(string args[]){ int den=0; int num=30; try{ // Indicador do trecho crítico int res=num/den; catch(arithmeticexception e) { // Recuperação da excepção System.out.println( Dividiu por zero! ); den=1; // Continuação do programa Trechos críticos com vários tratamentos de excepções class conta{ public static void main(string args[]){ int den,num; int c[]={1; try{ // Indicador do trecho crítico int res=num/den; c[999]=res; catch(arithmeticexception e) { // Recuperação da excepção aritmética System.out.println( Dividiu por zero! ); den=1; catch(arrayindexoutofboundsexception e){ // Recuperação da excepção System.out.println( Estourou o índice ); // de índice do vector // Continuação do programa

14 Tratamento com finally Todo comando try exige, pelo menos, uma cláusula catch ou finally. Finally é executado antes que o método retorne do erro, garantindo o tratamento antes de qualquer catch. Assim, finally tem precedência máxima sobre todos os outros tratamentos. Exemplo com finally class conta{ public static void main(string args[]){ int den,num; int c[]={1; try{ // Indicador do trecho crítico int res=num/den; c[999]=res; catch(arithmeticexception e) { // Recuperação da excepção aritmética System.out.println( Dividiu por zero! ); catch(arrayindexoutofboundsexception e){ // Recuperação da excepção System.out.println( Estourou o índice ); // de índice do vector finally{ den=1;

15 Lançamento de excepções Independente de outras excepções que possam ocorrer na execução, uma classe pode forçar o lançamento de excepções ou relançar uma determinada excepção, para que possa ser tratada em diferentes níveis. Isto é feito através da palavra throw. throw new <construtor da classe de exceção >(parâmetros ); throw <exceção>; Exemplo com throw class exemplo{ static void proced_exemplo(){ try{ // Tenta lançar instância de uma excepção aritmética throw new ArithmeticException( Divide por zero ); catch(arithmeticexception e){ System.out.println( Erro no método +e); throw e; // Relança a excepção para ser tratada em outro escopo public static void main(string args[]){ try{ exemplo.proc_exemplo(); catch(arithmeticexception e){ System.out.println( Retratamento da excepção );

16 Métodos que podem devolver excepções Pode-se indicar os tipos de excepção que um método pode devolver utilizando-se a palavra reservada throws. método(parâmetros) throws Excepção1,,ExcepçãoN{ Isto força os trechos de programa, que utilizarem este método, a tratarem as excepções com catch ou finally. Exemplo com throws class erros{ static void contas() throws ArithmeticException,ArrayIndexOutOfBoundsException{ if (den==0){ throw new ArithmeticException( Denominador inválido ); res=num/den; if (indice>0){ throw new ArrayIndexOutOfBoundsException( Indice >0 ); c[indice]=res; public static void main(string args[]){ try{ erros.contas(); catch(arithmeticexception e){ catch(arrayindexoutofboundsexception e){

17 Criação de classes de excepções Novas classes de exceções podem ser construídas extendo-se a classe Exception. Para isto, basta fazer: class <NovaClasse> extends Exception{ atributos construtores public String tostring(){ // O que imprimir quando a classe precisar ser impressa Outros métodos Exemplo de criação de nova classe de excepção classproprioerro extends Exception{ private int aux; ProprioErro(int a){ //Construtor aux=a; public String tostring(){ // Retorna nome da classe e estado interno return( ProprioErro[ +aux+ ] );

18 Utilização da nova classe class calculo{ static void calcula(int a) throws Proprioerro{ if(a>10) throw new ProprioErro(a); // Lança instância da nova classe public static void main(string args[]){ try{ calculo.calcula(1); // Não gera excepção calculo.calcula(300); // Gera excepção catch(proprioerro e){ // Tratamento da nova excepção System.out.println( Capturada +e);

Programação por Objectos. Java

Programação por Objectos. Java Programação por Objectos Java Parte 2: Classes e objectos LEEC@IST Java 1/24 Classes (1) Sintaxe Qualif* class Ident [ extends IdentC] [ implements IdentI [,IdentI]* ] { [ Atributos Métodos ]* Qualif:

Leia mais

Curso Adonai QUESTÕES Disciplina Linguagem JAVA

Curso Adonai QUESTÕES Disciplina Linguagem JAVA 1) Qual será o valor da string c, caso o programa rode com a seguinte linha de comando? > java Teste um dois tres public class Teste { public static void main(string[] args) { String a = args[0]; String

Leia mais

Especialização em desenvolvimento para web com interfaces ricas. Tratamento de exceções em Java Prof. Fabrízzio A. A. M. N. Soares

Especialização em desenvolvimento para web com interfaces ricas. Tratamento de exceções em Java Prof. Fabrízzio A. A. M. N. Soares Especialização em desenvolvimento para web com interfaces ricas Tratamento de exceções em Java Prof. Fabrízzio A. A. M. N. Soares Objetivos Conceito de exceções Tratar exceções pelo uso de try, catch e

Leia mais

A Linguagem Java. Alberto Costa Neto DComp - UFS

A Linguagem Java. Alberto Costa Neto DComp - UFS A Linguagem Java Alberto Costa Neto DComp - UFS 1 Roteiro Comentários Variáveis Tipos Primitivos de Dados Casting Comandos de Entrada e Saída Operadores Constantes 2 Comentários /** Classe para impressão

Leia mais

Programação de Computadores - I. Profª Beatriz Profº Israel

Programação de Computadores - I. Profª Beatriz Profº Israel Programação de Computadores - I Profª Beatriz Profº Israel As 52 Palavras Reservadas O que são palavras reservadas São palavras que já existem na linguagem Java, e tem sua função já definida. NÃO podem

Leia mais

insfcanceof new public switch transient while byte continue extends for int null

insfcanceof new public switch transient while byte continue extends for int null Palavras -chave de JAV A abstract catch do final implements long private static throw void boolean char double finally import native protected super throws volatile break class float insfcanceof new public

Leia mais

Sintaxe Geral Tipos de Dados. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc.

Sintaxe Geral Tipos de Dados. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. Sintaxe Geral Tipos de Dados Comentários Comentários: De linha: // comentário 1 // comentário 2 De bloco: /* linha 1 linha 2 linha n */ De documentação: /** linha1 * linha2 */ Programa Exemplo: ExemploComentario.java

Leia mais

Linguagem de Programação JAVA. Técnico em Informática Professora Michelle Nery

Linguagem de Programação JAVA. Técnico em Informática Professora Michelle Nery Linguagem de Programação JAVA Técnico em Informática Professora Michelle Nery Agenda Regras paravariáveis Identificadores Válidos Convenção de Nomenclatura Palavras-chaves em Java Tipos de Variáveis em

Leia mais

Java 2 Standard Edition Como criar classes e objetos

Java 2 Standard Edition Como criar classes e objetos Java 2 Standard Edition Como criar classes e objetos Helder da Rocha www.argonavis.com.br 1 Assuntos abordados Este módulo explora detalhes da construção de classes e objetos Construtores Implicações da

Leia mais

Módulo 06 Desenho de Classes

Módulo 06 Desenho de Classes Módulo 06 Desenho de Classes Última Atualização: 13/06/2010 1 Objetivos Definir os conceitos de herança, polimorfismo, sobrecarga (overloading), sobreescrita(overriding) e invocação virtual de métodos.

Leia mais

3 Classes e instanciação de objectos (em Java)

3 Classes e instanciação de objectos (em Java) 3 Classes e instanciação de objectos (em Java) Suponhamos que queremos criar uma classe que especifique a estrutura e o comportamento de objectos do tipo Contador. As instâncias da classe Contador devem

Leia mais

Java Básico. Classes Abstratas, Exceções e Interfaces Prof. Fernando Vanini Ic-Unicamp

Java Básico. Classes Abstratas, Exceções e Interfaces Prof. Fernando Vanini Ic-Unicamp Java Básico Classes Abstratas, Exceções e Interfaces Prof. Fernando Vanini Ic-Unicamp Classes Abstratas construção de uma classe abstrata construção de classes derivadas Classes e Herança Uma classe define

Leia mais

Aula 2. Objetivos. Encapsulamento na linguagem Java; Utilizando a referência this.

Aula 2. Objetivos. Encapsulamento na linguagem Java; Utilizando a referência this. Aula 2 Objetivos Encapsulamento na linguagem Java; Utilizando a referência this. Encapsulamento, data hiding é um conceito bastante importante em orientação a objetos. É utilizado para restringir o acesso

Leia mais

PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETOS -TRATAMENTO DE EXCEÇÕES. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. frozza@ifc-camboriu.edu.br

PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETOS -TRATAMENTO DE EXCEÇÕES. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. frozza@ifc-camboriu.edu.br PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETOS -TRATAMENTO DE EXCEÇÕES Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. frozza@ifc-camboriu.edu.br ROTEIRO 5. Tratamento de Exceções Introdução e conceitos Capturando exceção usando

Leia mais

Construção de novas Classes em Java. Classes Atributos Métodos Herança...

Construção de novas Classes em Java. Classes Atributos Métodos Herança... Construção de novas Classes em Java Classes Atributos Métodos Herança... 1 Exemplo Representação em UML Java (Unified Modeling Language) Stack items : Vector Stack( ) push( ) pop( ) isempty( ) finalize(

Leia mais

Escola Superior de Gestão e Tecnologia. Tratamento de Exceções

Escola Superior de Gestão e Tecnologia. Tratamento de Exceções Escola Superior de Gestão e Tecnologia Tratamento de Exceções Objetivos Compreender como o tratamento de exceção e de erro funciona. Como u4lizar try, throw e catch para detectar, indicar e tratar exceções,

Leia mais

Programação por Objectos. Java

Programação por Objectos. Java Programação por Objectos Java Parte 6: Herança e Polimorfismo LEEC@IST Java 1/52 Herança revisão A herança é um mecanismo em que a subclasse constitui uma especialização da superclasse. A superclasse pode

Leia mais

Programação Orientada a Objetos em java. Polimorfismo

Programação Orientada a Objetos em java. Polimorfismo Programação Orientada a Objetos em java Polimorfismo Polimorfismo Uma característica muito importante em sistemas orientados a objetos Termo proveniente do grego, e significa muitas formas Em POO, significa

Leia mais

Java. Marcio de Carvalho Victorino www.dominandoti.eng.br

Java. Marcio de Carvalho Victorino www.dominandoti.eng.br Java Marcio de Carvalho Victorino www.dominandoti.eng.br 3. Considere as instruções Java abaixo: int cont1 = 3; int cont2 = 2; int cont3 = 1; cont1 += cont3++; cont1 -= --cont2; cont3 = cont2++; Após a

Leia mais

Comandos de repetição For (inicialização; condição de execução; incremento/decremento) { //Código }

Comandos de repetição For (inicialização; condição de execução; incremento/decremento) { //Código } Este documento tem o objetivo de demonstrar os comandos e sintaxes básicas da linguagem Java. 1. Alguns passos para criar programas em Java As primeiras coisas que devem ser abordadas para começar a desenvolver

Leia mais

Reuso com Herança a e Composiçã

Reuso com Herança a e Composiçã Java 2 Standard Edition Reuso com Herança a e Composiçã ção Helder da Rocha www.argonavis.com.br 1 Como aumentar as chances de reuso Separar as partes que podem mudar das partes que não mudam. Exemplo:

Leia mais

Capítulo 5 Reuso de Classes

Capítulo 5 Reuso de Classes Java and all Java-based marks are trademarks or registered trademarks of Sun Microsystems, Inc. in the U.S. and other countries. Desenvolvimento Orientado a Objetos com Java Capítulo 5 Reuso de Classes

Leia mais

Capítulo 3. Programação por objectos em Java

Capítulo 3. Programação por objectos em Java Capítulo 3. Programação por objectos em Java 1/46 Índice Indice 3.1 - Qualificadores de visualização 3.2 - Classe 3.3 - Objecto 3.4 - Métodos 3.5 - Herança 3.6 - Reescrita de métodos 3.7 - Classes abstractas

Leia mais

A ) O cliente terá que implementar uma interface remota. . Definir a interface remota com os métodos que poderão ser acedidos remotamente

A ) O cliente terá que implementar uma interface remota. . Definir a interface remota com os métodos que poderão ser acedidos remotamente Java RMI - Remote Method Invocation Callbacks Folha 9-1 Vimos, na folha prática anterior, um exemplo muito simples de uma aplicação cliente/ servidor em que o cliente acede à referência remota de um objecto

Leia mais

JavaScript 2.0X 1.0 3.0X 1.1 4.0 4.05 1.2 4.06 4.61 1.3 5.0 1.4 6.0 1.5

JavaScript 2.0X 1.0 3.0X 1.1 4.0 4.05 1.2 4.06 4.61 1.3 5.0 1.4 6.0 1.5 JavaScript Diego R. Frank, Leonardo Seibt FIT Faculdades de Informática de Taquara Fundação Educacional Encosta Inferior do Nordeste Av. Oscar Martins Rangel, 4500 Taquara RS Brasil difrank@terra.com.br,

Leia mais

Guia de Fatores de Qualidade de OO e Java

Guia de Fatores de Qualidade de OO e Java Qualiti Software Processes Guia de Fatores de Qualidade de OO e Java Versã o 1.0 Este documento só pode ser utilizado para fins educacionais, no Centro de Informática da Universidade Federal de Pernambuco.

Leia mais

BSI UFRPE Prof. Gustavo Callou gcallou@gmail.com

BSI UFRPE Prof. Gustavo Callou gcallou@gmail.com BSI UFRPE Prof. Gustavo Callou gcallou@gmail.com HelloWorld.java: public class HelloWorld { public static void main (String[] args) { System.out.println( Hello, World ); } } Identificadores são usados

Leia mais

Universidade da Beira Interior Cursos: Matemática /Informática e Ensino da Informática

Universidade da Beira Interior Cursos: Matemática /Informática e Ensino da Informática Folha 1-1 Introdução à Linguagem de Programação JAVA 1 Usando o editor do ambiente de desenvolvimento JBUILDER pretende-se construir e executar o programa abaixo. class Primeiro { public static void main(string[]

Leia mais

AULA DE JAVA 1 - CONCEITOS BÁSICOS

AULA DE JAVA 1 - CONCEITOS BÁSICOS AULA DE JAVA 1 - CONCEITOS BÁSICOS DAS 5316 Integração de Sistemas Corporativos Roque Oliveira Bezerra, M. Eng roque@das.ufsc.br Prof. Ricardo J. Rabelo ROTEIRO Introdução Fases de um programa Java Strings

Leia mais

Modulo IIa Extra: Object

Modulo IIa Extra: Object Modulo IIa Extra: Object Professor Ismael H F Santos ismael@tecgraf.puc-rio.br April 05 Prof. Ismael H. F. Santos - ismael@tecgraf.puc-rio.br 1 Bibliografia Linguagem de Programação JAVA Ismael H. F. Santos,

Leia mais

Capítulo 6. Java IO - Ficheiros

Capítulo 6. Java IO - Ficheiros Capítulo 6. Java IO - Ficheiros 1/26 Índice Indice 6.1 - Entrada e saída de dados 6.2 - Ficheiros de texto 6.3 - Ficheiros com formato proprietário 6.4 - A classe File 2/26 Índice 6.1 Entrada e saída de

Leia mais

Programação Orientada a Objetos com Java. Prof. Júlio Machado julio.machado@pucrs.br

Programação Orientada a Objetos com Java. Prof. Júlio Machado julio.machado@pucrs.br Programação Orientada a Objetos com Java Prof. Júlio Machado julio.machado@pucrs.br TRATAMENTO DE EXCEÇÕES Tratamento de Exceções O tratamento de exceções de Java envolve vários conceitos importantes:

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CURSO: Ciência da Computação DATA: / / 2013 PERÍODO: 4 o. PROFESSOR: Andrey DISCIPLINA: Técnicas Alternativas de Programação AULA: 03 APRESENTAÇÃO: Hoje vamos conhecer o comando switch, o bloco try catch;

Leia mais

Unidade IV: Ponteiros, Referências e Arrays

Unidade IV: Ponteiros, Referências e Arrays Programação com OO Acesso em Java a BD Curso: Técnico em Informática Campus: Ipanguaçu José Maria Monteiro Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro PUC-Rio Departamento Clayton Maciel de Informática

Leia mais

Aula 09 Introdução à Java. Disciplina: Fundamentos de Lógica e Algoritmos Prof. Bruno Gomes http://www.profbrunogomes.com.br/

Aula 09 Introdução à Java. Disciplina: Fundamentos de Lógica e Algoritmos Prof. Bruno Gomes http://www.profbrunogomes.com.br/ Aula 09 Introdução à Java Disciplina: Fundamentos de Lógica e Algoritmos Prof. Bruno Gomes http://www.profbrunogomes.com.br/ Agenda da Aula Java: Sintaxe; Tipos de Dados; Variáveis; Impressão de Dados.

Leia mais

Bacharelado em Ciência e Tecnologia BC-0505 - Processamento da Informação Teoria Arquivos Prof. Edson Pinheiro Pimentel edson.pimentel@ufabc.edu.

Bacharelado em Ciência e Tecnologia BC-0505 - Processamento da Informação Teoria Arquivos Prof. Edson Pinheiro Pimentel edson.pimentel@ufabc.edu. Bacharelado em Ciência e Tecnologia BC-0505 - Processamento da Informação Teoria Arquivos Prof. Edson Pinheiro Pimentel edson.pimentel@ufabc.edu.br Conceitos Arquivos permitem armazenar dados de maneira

Leia mais

Programação Orientada a Objetos em Java. Herança

Programação Orientada a Objetos em Java. Herança Universidade Federal do Amazonas Departamento de Ciência da Computação IEC481 Projeto de Programas Programação Orientada a Objetos em Java Herança Professor: César Melo Slides baseados em materiais preparados

Leia mais

Algoritmia e Programação APROG. Linguagem JAVA. Básico. Nelson Freire (ISEP DEI-APROG 2012/13) 1/31

Algoritmia e Programação APROG. Linguagem JAVA. Básico. Nelson Freire (ISEP DEI-APROG 2012/13) 1/31 APROG Algoritmia e Programação Linguagem JAVA Básico Nelson Freire (ISEP DEI-APROG 2012/13) 1/31 Linguagem Java Estrutura de um Programa Geral Básica Estruturas de Dados Variáveis Constantes Tipos de Dados

Leia mais

Lista de Contas: Assinatura. Lista de Contas. Listas de Contas: Descrição. Listas de Contas: Descrição. Listas de Contas: Descrição

Lista de Contas: Assinatura. Lista de Contas. Listas de Contas: Descrição. Listas de Contas: Descrição. Listas de Contas: Descrição Lista de Contas Lista de Contas: Assinatura null Quais são os métodos necessários? class ListaDeContas { void inserir (Conta c) { void retirar (Conta c) { Conta procurar (String num) { Listas de Contas:

Leia mais

Capítulo 5. Tratamento de excepções

Capítulo 5. Tratamento de excepções Capítulo 5. Tratamento de excepções 1/20 Índice Indice 5.1 - Excepção 5.2 - Try-Catch-Finally 5.3 - Escalar excepção não tratada 5.4 - Como lançar excepções 2/20 Índice 5.1 Excepção 5.1 - Excepção 5.2

Leia mais

Aplicações, durante a execução, podem incorrer em muitas espécies de erros de vários graus de severidade Quando métodos são invocados sobre um objeto:

Aplicações, durante a execução, podem incorrer em muitas espécies de erros de vários graus de severidade Quando métodos são invocados sobre um objeto: Tratamento de Exceções Prof. Bruno Gomes bruno.gomes@ifrn.edu.br Programação Orientada a Objetos Exceções Aplicações, durante a execução, podem incorrer em muitas espécies de erros de vários graus de severidade

Leia mais

Erros, exceçõ. ções e asserçõ

Erros, exceçõ. ções e asserçõ Java 2 Standard Edition Erros, exceçõ ções e asserçõ ções Helder da Rocha www.argonavis.com.br 1 Controle de erros com Exceções Exceções são Erros de tempo de execução Objetos criados a partir de classes

Leia mais

JAVA. Fabrício de Sousa fabbricio7@yahoo.com.br

JAVA. Fabrício de Sousa fabbricio7@yahoo.com.br JAVA Fabrício de Sousa fabbricio7@yahoo.com.br Agenda 2 Características Ambientes de Desenvolvimento Sintaxe Comentários Tipos de dados primitivos Caracteres especiais Variáveis Operadores Aritméticos

Leia mais

Técnicas de Programação II

Técnicas de Programação II Técnicas de Programação II Aula 06 Orientação a Objetos e Classes Edirlei Soares de Lima Orientação a Objetos O ser humano se relaciona com o mundo através do conceito de objetos.

Leia mais

Revisão da linguagem Java

Revisão da linguagem Java Revisão da linguagem Java Laboratório de Programação Pedro Vasconcelos, DCC/FCUP Fevereiro 2015 Java TM linguagem de programação de propósito genérico desenvolvida pela Sun (e agora Oracle) suporta tipos

Leia mais

public Agenda() { compromissos = null; } public int getnumerodecompromissos() { if (compromissos==null) return 0; else return compromissos.

public Agenda() { compromissos = null; } public int getnumerodecompromissos() { if (compromissos==null) return 0; else return compromissos. import java.util.scanner; class Data... class Compromisso... public class Agenda private Compromisso[] compromissos; private Compromisso[] realoquecompromissos (Compromisso[] vetor, int tamanhodesejado)

Leia mais

Sobre o Professor Dr. Sylvio Barbon Junior

Sobre o Professor Dr. Sylvio Barbon Junior 5COP088 Laboratório de Programação Aula 1 Java Prof. Dr. Sylvio Barbon Junior Sylvio Barbon Jr barbon@uel.br 1 Sobre o Professor Dr. Sylvio Barbon Junior Formação: Ciência e Engenharia da Computação (2005

Leia mais

ARRAYS. Um array é um OBJETO que referencia (aponta) mais de um objeto ou armazena mais de um dado primitivo.

ARRAYS. Um array é um OBJETO que referencia (aponta) mais de um objeto ou armazena mais de um dado primitivo. Cursos: Análise, Ciência da Computação e Sistemas de Informação Programação I - Prof. Aníbal Notas de aula 8 ARRAYS Introdução Até agora, utilizamos variáveis individuais. Significa que uma variável objeto

Leia mais

Sistemas Distribuídos

Sistemas Distribuídos Sistemas Distribuídos Marcelo Lobosco DCC/UFJF Comunicação em Sistemas Distribuídos Aula 06 Agenda Modelo Cliente-Servidor (cont.) Invocação Remota de Método (Remote Method Invocation RMI) Visão Geral

Leia mais

Prova de Java. 1) Copie o programa abaixo no eclipse e complete-o, utilizando os conceitos aprendidos durante o curso. (4 pontos)

Prova de Java. 1) Copie o programa abaixo no eclipse e complete-o, utilizando os conceitos aprendidos durante o curso. (4 pontos) Prova de Java 1) Copie o programa abaixo no eclipse e complete-o, utilizando os conceitos aprendidos durante o curso. (4 pontos) O programa consiste em uma aplicação que simula o comportamento de dois

Leia mais

Um objeto é uma instância de uma 'classe'. Você define uma classe utilizando o trecho de código abaixo;

Um objeto é uma instância de uma 'classe'. Você define uma classe utilizando o trecho de código abaixo; um objeto; é definido; Um objeto é uma instância de uma 'classe'. Você define uma classe utilizando o trecho de código abaixo; class ClasseBase{ é instanciado; $objetobase = new ClasseBase; Caso queira,

Leia mais

Orientação a Objetos em Java. Leonardo Gresta Paulino Murta leomurta@ic.uff.br

Orientação a Objetos em Java. Leonardo Gresta Paulino Murta leomurta@ic.uff.br Orientação a Objetos em Java Leonardo Gresta Paulino Murta leomurta@ic.uff.br Agenda Introdução; Orientação a Objetos; Orientação a Objetos em Java; Leonardo Murta Orientação a Objetos em Java 2 Agosto/2007

Leia mais

Programação Java. com Ênfase em Orientação a Objetos. Douglas Rocha Mendes. Novatec

Programação Java. com Ênfase em Orientação a Objetos. Douglas Rocha Mendes. Novatec Programação Java com Ênfase em Orientação a Objetos Douglas Rocha Mendes Novatec Sumário Agradecimentos... 13 Sobre o autor... 14 Prefácio... 15 Capítulo 1 Introdução à linguagem Java... 16 1.1 Histórico

Leia mais

Noções sobre Objetos e Classes

Noções sobre Objetos e Classes Noções sobre Objetos e Classes Prof. Marcelo Cohen 1. Elementos de programação Revisão de programação variáveis, tipos de dados expressões e operadores cadeias de caracteres escopo de variáveis Revisão

Leia mais

2 Orientação a objetos na prática

2 Orientação a objetos na prática 2 Orientação a objetos na prática Aula 04 Sumário Capítulo 1 Introdução e conceitos básicos 1.4 Orientação a Objetos 1.4.1 Classe 1.4.2 Objetos 1.4.3 Métodos e atributos 1.4.4 Encapsulamento 1.4.5 Métodos

Leia mais

Uma Introdução à Arquitetura CORBA. O Object Request Broker (ORB)

Uma Introdução à Arquitetura CORBA. O Object Request Broker (ORB) Uma Introdução à Arquitetura Francisco C. R. Reverbel 1 Copyright 1998-2006 Francisco Reverbel O Object Request Broker (ORB) Via de comunicação entre objetos (object bus), na arquitetura do OMG Definido

Leia mais

Paradigmas da Programação PPROG. Linguagem JAVA. Interfaces. (Livro Big Java, Late Objects Capítulo 9) Nelson Freire (ISEP DEI-PPROG 2013/14) 1/33

Paradigmas da Programação PPROG. Linguagem JAVA. Interfaces. (Livro Big Java, Late Objects Capítulo 9) Nelson Freire (ISEP DEI-PPROG 2013/14) 1/33 PPROG Paradigmas da Programação Linguagem JAVA Interfaces (Livro Big Java, Late Objects Capítulo 9) Nelson Freire (ISEP DEI-PPROG 2013/14) 1/33 PPROG Motivação para usar Interfaces Definição de Interface

Leia mais

CONCEITOS DE LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO CARACTERÍSTICAS. João Gabriel Ganem Barbosa

CONCEITOS DE LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO CARACTERÍSTICAS. João Gabriel Ganem Barbosa CONCEITOS DE LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO CARACTERÍSTICAS João Gabriel Ganem Barbosa Sumário Motivação História Linha do Tempo Divisão Conceitos Paradigmas Geração Tipos de Dados Operadores Estruturada vs

Leia mais

Linguagem de Programação III

Linguagem de Programação III Linguagem de Programação III Aula-3 Criando Classes em Java Prof. Esbel Tomás Valero Orellana Da Aula Anterior Classes em Java, sintaxe básica Tipos básicos de dados em Java, como escolher o tipo apropriado

Leia mais

BCC221 Programação Orientada a Objetos. Prof. Marco Antonio M. Carvalho 2014/2

BCC221 Programação Orientada a Objetos. Prof. Marco Antonio M. Carvalho 2014/2 BCC221 Programação Orientada a Objetos Prof. Marco Antonio M. Carvalho 2014/2 Site da disciplina: http://www.decom.ufop.br/marco/ Moodle: www.decom.ufop.br/moodle Lista de e- mails: bcc221- decom@googlegroups.com

Leia mais

Programação por Objectos. Java

Programação por Objectos. Java Programação por Objectos Java Parte 3: Métodos LEEC@IST Java 1/45 Métodos (1) Sintaxe Qualif Tipo Ident ( [ TipoP IdentP [, TipoP IdentP]* ] ) { [ Variável_local Instrução ]* Qualif: qualificador (visibilidade,

Leia mais

ruirossi@ruirossi.pro.br

ruirossi@ruirossi.pro.br Tratamento de Exceções Rui Rossi dos Santos ruirossi@ruirossi.pro.br Mediador: Rui Rossi dos Santos Slide 1 o Exceção: condição anormal Introdução o Causas: Falhas na implementação Falhas na operação o

Leia mais

POO Programação Orientada a Objetos. Classes em Java

POO Programação Orientada a Objetos. Classes em Java + POO Programação Orientada a Objetos Classes em Java + Classes 2 Para que a JVM crie objetos: Ela precisa saber qual classe o objeto pertence Na classe estão definidos os atributos e métodos Programamos

Leia mais

Programação Concorrente em Java. Profa Andréa Schwertner Charão DLSC/CT/UFSM

Programação Concorrente em Java. Profa Andréa Schwertner Charão DLSC/CT/UFSM Programação Concorrente em Java Profa Andréa Schwertner Charão DLSC/CT/UFSM O que é programação concorrente? Um programa, múltiplos fluxos de execução Quando usar programação concorrente? Desempenho Ex.:

Leia mais

Encapsulamento de Dados

Encapsulamento de Dados Encapsulamento de Dados Universidade Católica de Pernambuco Ciência da Computação Prof. Márcio Bueno poonoite@marciobueno.com Fonte: Material da Profª Karina Oliveira Modificadores de Visibilidade Especificam

Leia mais

PADI 2015/16. Aula 1 Introdução à Plataforma.NET

PADI 2015/16. Aula 1 Introdução à Plataforma.NET PADI 2015/16 Aula 1 Introdução à Plataforma.NET 1 Sumário 1. Framework.NET Arquitectura 2. Linguagem C# 2.0 Sintaxe C# vs. Java vs. C++ 3. IDE: MS Visual Studio 2005 ou superior Ferramentas Console/Win

Leia mais

Introdução à linguagem

Introdução à linguagem A Tecnologia Java 1 Introdução à linguagem Origens do JAVA Projecto Green, programação para a electrónica de Consumo (Dezembro 1990): Pouca memória disponível Processadores fracos Arquitecturas muito diferentes

Leia mais

Tabelas (arrays) (vetores, matrizes, etc) Algoritmos de pesquisa Algoritmos de ordenação

Tabelas (arrays) (vetores, matrizes, etc) Algoritmos de pesquisa Algoritmos de ordenação Java Tabelas (arrays) (vetores, matrizes, etc) Algoritmos de pesquisa Algoritmos de ordenação 1 Tabelas para quê? As tabelas são utilizadas quando se pretende armazenar e manipular um grande número de

Leia mais

Threads e Sockets em Java. Threads em Java. Programas e Processos

Threads e Sockets em Java. Threads em Java. Programas e Processos Threads em Java Programas e Processos Um programa é um conceito estático, isto é, um programa é um arquivo em disco que contém um código executável por uma CPU. Quando este programa é executado dizemos

Leia mais

Curso Java Starter. www.t2ti.com 1

Curso Java Starter. www.t2ti.com 1 1 2 Apresentação O Curso Java Starter foi projetado com o objetivo de ajudar àquelas pessoas que têm uma base de lógica de programação e desejam entrar no mercado de trabalho sabendo Java, A estrutura

Leia mais

Universidade da Beira Interior. Sistemas Distribuídos

Universidade da Beira Interior. Sistemas Distribuídos Folha 6-1 Sincronização de Threads A sincronização de Threads em Java é baseada no conceito do Monitor (de Hoare). Cada objecto Java tem associado um monitor (ou lock ) que pode ser activado se a palavra

Leia mais

Aula 3 Objeto atual com referencia THIS e Classes com Herança

Aula 3 Objeto atual com referencia THIS e Classes com Herança Aula 3 Objeto atual com referencia THIS e Classes com Herança Profº Msc. Alexsandro M. Carneiro Engenharia de Computação Tec. Análise e Des. De Sistemas Tópicos Abordados Controlee de Acesso Herança Definição:

Leia mais

Material de Apoio 5. int getres() { return res; O que estas classes possuem em comum? 1) 2) 3)

Material de Apoio 5. int getres() { return res; O que estas classes possuem em comum? 1) 2) 3) pg. 1/6 Material de Apoio 5 Herança Observe o código das classes Fatorial e Fibonacci apresentados abaixo. class Fatorial { class Fibonacci { private int n, res; private int n, res; public Fatorial( int

Leia mais

Acesso a Banco. Conexão em Java. Conexão em Java. Programação Orientada a Objetos Profa. Cristiane e Prof. Daniel

Acesso a Banco. Conexão em Java. Conexão em Java. Programação Orientada a Objetos Profa. Cristiane e Prof. Daniel Acesso a Banco Programação Orientada a Objetos Profa. Cristiane e Prof. Daniel As conexões em Java são feitas através de uma ponte que implementa todas as funcionalidades que um banco de dados padrão deve

Leia mais

Curso de Java. Orientação a objetos e a Linguagem JAVA. TodososdireitosreservadosKlais

Curso de Java. Orientação a objetos e a Linguagem JAVA. TodososdireitosreservadosKlais Curso de Java Orientação a objetos e a Linguagem JAVA Roteiro A linguagem Java e a máquina virtual Objetos e Classes Encapsulamento, Herança e Polimorfismo Primeiro Exemplo A Linguagem JAVA Principais

Leia mais

Analisar os sistemas operacionais apresentados na figura e responder as questões abaixo: Identificar

Analisar os sistemas operacionais apresentados na figura e responder as questões abaixo: Identificar Projeto Integrador Sistemas Operacionais Prof.ª Lucilia Ribeiro GTI 3 Noturno Grupo: Anderson Alves da Mota. André Luiz Silva. Misael bezerra dos santos. Sandro de almeida silva. Analisar os sistemas operacionais

Leia mais

EXERCÍCIOS SOBRE ORIENTAÇÃO A OBJETOS

EXERCÍCIOS SOBRE ORIENTAÇÃO A OBJETOS Campus Cachoeiro de Itapemirim Curso Técnico em Informática Disciplina: Análise e Projeto de Sistemas Professor: Rafael Vargas Mesquita Este exercício deve ser manuscrito e entregue na próxima aula; Valor

Leia mais

FBV - Linguagem de Programação II. Um pouco sobre Java

FBV - Linguagem de Programação II. Um pouco sobre Java FBV - Linguagem de Programação II Um pouco sobre Java História 1992: um grupo de engenheiros da Sun Microsystems desenvolve uma linguagem para pequenos dispositivos, batizada de Oak Desenvolvida com base

Leia mais

Criar a classe Aula.java com o seguinte código: Compilar e Executar

Criar a classe Aula.java com o seguinte código: Compilar e Executar Introdução à Java Prof. Bruno Gomes bruno.gomes@ifrn.edu.br Programação Orientada a Objetos Código Exemplo da Aula Criar a classe Aula.java com o seguinte código: public class Aula { public static void

Leia mais

Lab de Programação de sistemas I

Lab de Programação de sistemas I Lab de Programação de sistemas I Apresentação Prof Daves Martins Msc Computação de Alto Desempenho Email: daves.martins@ifsudestemg.edu.br Agenda Orientação a Objetos Conceitos e Práticas Programação OO

Leia mais

Quando um programa viola as restrições semânticas da linguagem, a JVM assinala um erro ao programa, sob a forma de exceção.

Quando um programa viola as restrições semânticas da linguagem, a JVM assinala um erro ao programa, sob a forma de exceção. 6 Exceções Quando um programa viola as restrições semânticas da linguagem, a JVM assinala um erro ao programa, sob a forma de exceção. Uma exceção é um erro recuperável - O controlo da execução do programa

Leia mais

PHP INTRODUÇÃO CLASSES E OBJETOS

PHP INTRODUÇÃO CLASSES E OBJETOS INTRODUÇÃO PHP AULA 8 ORIENTAÇÃO A OBJETOS Professor: Leonardo Pereira E-mail: leongamerti@gmail.com Facebook: leongamerti Material de Estudo: http://www.leonti.vv.si A orientação a objetos ou OO é o paradigma

Leia mais

Java. PUC-MG Prof.ª Kecia Aline Marques Ferreira

Java. PUC-MG Prof.ª Kecia Aline Marques Ferreira Java PUC-MG Prof.ª Kecia Aline Marques Ferreira Conceitos e Técnicas Obtendo Java Conceitos Fundamentais Pacotes Operadores e Estruturas de Controle Tipos Básicos Modificadores Semântica de Referência

Leia mais

Revisão OO Básico. Orientação a Objetos em Java

Revisão OO Básico. Orientação a Objetos em Java Revisão OO Básico Orientação a Objetos em Java Grupo de Linguagens de Programação Departamento de Informática PUC-Rio Nomenclatura A unidade básica de programação em linguagens orientadas a objetos é a

Leia mais

Análise de Programação

Análise de Programação Análise de Programação Conceitos Avançados da Linguagem de Programação Java Prof Gilberto B Oliveira Encapsulamento Proteger o dado dentro de uma classe (capsula segura) Facilita o uso da classe por outros

Leia mais

1.6. Tratamento de Exceções

1.6. Tratamento de Exceções Paradigmas de Linguagens I 1 1.6. Tratamento de Exceções Uma exceção denota um comportamento anormal, indesejado, que ocorre raramente e requer alguma ação imediata em uma parte do programa [GHE 97, DER

Leia mais

Programação Orientada a Objetos e Java - Introdução. Carlos Lopes

Programação Orientada a Objetos e Java - Introdução. Carlos Lopes Programação Orientada a Objetos e Java - Introdução Carlos Lopes POO e Java Objetivo: proporcionar uma visão dos conceitos de POO e do seu uso na estruturação dos programas em Java. Classes e objetos em

Leia mais

Java 1 visão geral. Vitor Vaz da Silva

Java 1 visão geral. Vitor Vaz da Silva Java 1 visão geral Vitor Vaz da Silva Introdução 1991 Um grupo de projectistas da Sun Green Team tenta criar uma nova geração de computadores portáteis inteligentes e com grande capacidade de comunicação.

Leia mais

Técnicas de Programação II

Técnicas de Programação II Técnicas de Programação II Apresentação da Disciplina Edirlei Soares de Lima Objetivos da Disciplina Apresentar os principais conceitos da orientação a objetos; Capacitar o

Leia mais

Capítulo 14. Herança a e Polimorfismo. Rui Rossi dos Santos Programação de Computadores em Java Editora NovaTerra

Capítulo 14. Herança a e Polimorfismo. Rui Rossi dos Santos Programação de Computadores em Java Editora NovaTerra Capítulo 14 Herança a e Polimorfismo Objetivos do Capítulo Apresentar os conceitos de herança e de polimorfismo. Explorar os diversos recursos disponíveis no Java para a aplicação da herança e do polimorfismo

Leia mais

15-09-2009. Membros de classe e de instância. PARTE III: Java e OO - detalhes. Exemplo 1: método. Exercício. Exemplo 1 corrigido

15-09-2009. Membros de classe e de instância. PARTE III: Java e OO - detalhes. Exemplo 1: método. Exercício. Exemplo 1 corrigido PARTE III: Java e OO - detalhes Membros de classe e instâncias Pacotes Visibilidade Classes aninhadas Membros de classe e de instância De classe Static Método não necessita de objeto para ser chamado.

Leia mais

5 Caso de estudo O cartão fidelidade

5 Caso de estudo O cartão fidelidade 5 Caso de estudo O cartão fidelidade Cartão de fidelização de clientes das distribuidoras de combustível. Definição em JAVA da classe CartaoFidelidade, que deverá apresentar uma funcionalidade semelhante

Leia mais

Treinar - Cursos e Treinamentos C# Módulo I. Carga horária: 32 Horas

Treinar - Cursos e Treinamentos C# Módulo I. Carga horária: 32 Horas Treinar - Cursos e Treinamentos C# Módulo I Carga horária: 32 Horas Pré-requisito: Para que os alunos possam aproveitar este treinamento ao máximo, é importante que eles tenham participado dos treinamentos

Leia mais

Módulo 07 Características Avançadas de Classes

Módulo 07 Características Avançadas de Classes Módulo 07 Características Avançadas de Classes Última Atualização: 15/06/2010 1 Objetivos Descrever variáveis, métodos e iniciadores static Descrever a semântica do modificador final em classes, métodos

Leia mais

DEFINIÇÃO DE MÉTODOS

DEFINIÇÃO DE MÉTODOS Cursos: Análise, Ciência da Computação e Sistemas de Informação Programação I - Prof. Aníbal Notas de aula 2 DEFINIÇÃO DE MÉTODOS Todo o processamento que um programa Java faz está definido dentro dos

Leia mais

Mecanismo de Threads em Java 2

Mecanismo de Threads em Java 2 Mecanismo de Threads em Java 2 Índice MULTITHREADING : Múltiplos processos. 3 Paulo Costa, n.º 1000334 Mecanismo de Threads Página 2 de 20 MULTITHREADING : Múltiplos Processos As Threads são convenientes

Leia mais