Incovil BAG LOG. MultiColor ECOBRASIL FLE MIX. Prefeitura Municipal Olímpia. Target Brasil soluções em fertilização Cartuchos e Tonners ZÉ DAS PEDRAS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Incovil BAG LOG. MultiColor ECOBRASIL FLE MIX. Prefeitura Municipal Olímpia. Target Brasil soluções em fertilização Cartuchos e Tonners ZÉ DAS PEDRAS"

Transcrição

1 FLE MIX CONCRETO E ARGAMASSA Bon tur Incovil MADEIRAS BAG LOG MultiColor Target Brasil soluções em fertilização Cartuchos e Tonners Prefeitura Municipal Olímpia ECOBRASIL MÁRMORES E GRANITOS Gestão Ambiental ZÉ DAS PEDRAS Expediente: Diagramação: Rodolfo Rodrigo Ruedel Fotos e Arte: Eco Brasil Gestão Ambiental Publicação: Eco Brasil Gestão Ambiental Rua: 8 de Dezembro, Nº 616, JD Vera Cruz Dracena/SP CEP Fone: (18)

2 AMIGO LEItOr O objetivo desta cartilha é informar comprometimento da administração atual com mostrando ações que possam garantir um mundo gerações, bem como orientar a população sobre ecologicamente corretas. Dicas Ecológicas aos munícipes o o Meio Ambiente, melhor para futuras práticas ambientais Antes de cozinhar, retire todos os ingredientes da geladeira: Evite abrir e fechar a geladeira constantemente. Essa atitude desperdiça muito mais energia. Use somente pilhas e baterias recarregável: Elas duram anos e podem ser recarregadas em torno de vezes. Desejamos a todos uma boa leitura. MEIO AMBIEntE Meio Ambiente não é apenas as paisagens naturais, mas um conjunto de vários elementos e recursos naturais, artificiais e culturais em constante interação, sobretudo oferecendo o desenvolvimento equilibrado para todas as formas de vida. A sustentabilidade ambiental e ecológica é a manutenção do meio ambiente do Planeta Terra. É manter a qualidade de vida e o meio ambiente em harmonia com as pessoas. É cuidar para não poluir a água, separar o lixo, evitar desastres ecológicos, como queimadas, desmatamentos. O próprio conceito de sustentabilidade é para longo prazo, o que significa cuidar de todo o sistema, para que as gerações futuras possam aproveitar. Realização Use lâmpadas Fluorescente ao invés de incandescentes: Lâmpadas fluorescentes gastam 60% menos energia que uma incandescente. Assim, você economizará 136 quilo de gás carbônico anualmente. Evitar deixar aparelhos em standby: A função de standby de uma aparelho usa cerca de 15% a 40% da energia consumida quando ele está em uso. Mude sua geladeira ou freezer de lugar: Ao colocá-lo próximos ao fogão eles utilizam muito mais energia para compensar o ganho de temperatura. Mantenha-os afastados pelo menos 15cm das paredes, evitando o superaquecimento. Jamais coloque roupas e tênis para secar atrás deles. Prefeito Municipal: Eugênio José Zuliani Superintendente Geral da DAEMO Ambiental: Antonio Jorge Motta Secretario Municipal de Planejamento, Habitação e Gestão Ambiental: Fernando Barbosa Velho Use papel reciclado: Produzir papel reciclado consome de 70 a 90% menos de energia do que o papel comum. E poupa nossas florestas. Proteja as florestas: Em tempos de aquecimento global, as árvores precisam de mais defensores do que nunca. O papel delas no aquecimento global é essencial, pois mantém a quantidade de gás carbônico controlado na atmosfera. Regue as plantas à noite: Ao regar as plantas à noite ou de manhãzinha, você impede que a água se perca na evaporação e também evita choques térmicos que podem agredir suas plantas. Evite imprimir desnecessariamente: Para cada 50kg de papel, uma árvore é cortada. Reduza o uso de embalagens: Embalagens menor é sinônimo de desperdício de água, combustível e recursos naturais. Prefira embalagens maiores de preferência com refil. Evite ao máximo comprar água em garrafinhas, Leve a sua sempre com você. Secretária Municipal de Educação: Eliana Antonia Duarte Bertoncello Monteiro

3 POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS - PNRS Aterro sanitário é um depósito onde são descartados resíduos sólidos não recicláveis, corretamente identificados como rejeitos produtos que não servem mais para nada. Deve ter um controle da quantidade e tipo de lixo, sistemas de proteção ao A Política Nacional de Resíduos Sólidos, Lei /10, foi recentemente aprovada, após mais de 20 anos de discussão no Congresso. Ela tem como objetivo evitar e prevenir a geração de resíduos sólidos. O projeto basicamente promove uma cultura sustentável aumentando a reciclagem, reutilização e fins adequados aos meio ambiente e monitoramento ambiental. Até agosto de 2014, todos os municípios brasileiros precisam destinar resíduos sólidos onde a responsabilidade deste processo é atribuída como sendo desde o governo aos fabricantes, comerciantes e consumidores. É a chamada adequadamente os rejeitos. A Política Nacional de Resíduos Sólidos prevê a participação dos catadores de materiais recicláveis na gestão de resíduos como forma de inclusão social e econômica. Essa lei mostra a importância das cooperativas de reciclagem e dos responsabilidade compartilhada, isso significa que não podemos ficar de braços cruzados esperando uma solução. Devemos cobrar das empresas e do governo as medidas previstas na lei, além de fazer a nossa parte. Dentre as exigências previstas na lei, podemos destacar a extinção dos lixões catadores na coleta seletiva e na logística reversa. A lei obriga as empresas a fazerem a coleta e a destinação final adequada do resíduo que ela produz para serem reaproveitados futuramente. É o caso das lâmpadas fluorescentes, pilhas, baterias, produtos eletroeletrônicos, pneus, óleo no Brasil até 2014, a disposição final ambientalmente adequada somente dos rejeitos (resíduos que não podem ser reutilizados, reciclados, etc.) em aterros; a proibição da catação, criação de animais e instalação de moradia nos aterros. Os princípios da PNRS são: lubrificante e suas embalagens e agrotóxicos e suas embalagens. - A prevenção e a precaução Chamamos essa atividade de logística - O principio do poluidor-pagador e do protetor-recebedor reversa. Fabricantes, importadores, - O desenvolvimento Sustentável distribuidores e comerciantes são obrigados a - A eco eficiência montar uma estrutura para recolher seus - A responsabilidade compartilhada pelo ciclo de vida dos produtos produtos e dar uma destinação final ambientalmente adequada

4 Invista em pesquisa e desenvolvimento Um processo produtivo verde contempla o uso dos próprios resíduos produzidos para derivar em novos produtos. Cria-se valor de mercado para o resíduo, pois este Os resíduos sólidos são todos os restos sólidos ou semissólidos das atividades humanas ou não-humanas, que resultam de atividades de origem industrial, doméstica, hospitalar, comercial, agrícola, de serviços e de varrição. Até algum tempo atrás (e em alguns lugares você ainda irá encontrar essa definição), os resíduos eram definidos como algo que não apresenta utilidade e nem valor comercial. No entanto, este conceito mudou. Atualmente a maior parte desses materiais pode ser aproveitada para algum outro fim, seja de forma direta, como, por exemplo, as aparas de embalagens laminadas descartadas pelas indústrias e utilizadas para confecção de placas e compensados, ou de forma indireta, por exemplo, como combustível para geração de energia que é usada em diversos processos. Para os processos industriais os resíduos são definidos como matériaprima e insumos não convertidos em produto, logo sua geração significa perda de lucro para a indústria e, por isso, tecnologias e processos que visem à diminuição dessas perdas ou reaproveitamento dos resíduos são cada vez mais visados. se torna matéria-prima. Isso só é possível por meio de desenvolvimento tecnológico e muita pesquisa. Há muitas linhas de financiamento no mercado específicas para esta modalidade. Fique atento ao que está acontecendo em outros países Já ouviu falar em Design para Desmontagem ou Design for Disassembly? É o nome usado para dar condições necessárias à viabilidade econômica da reciclagem. Isso significa que algumas empresas já pensam em suas embalagens desde a concepção, focando na simplificação da desmontagem do mesmo para facilitar a reciclagem. Um dos consensos desta metodologia é a diminuição da diversidade de materiais na composição da embalagem. Quanto menor a quantidade de materiais, mais fácil e viável será a reciclagem. Conservação da limpeza A limpeza do passeio em frente ao seu imóvel é de sua responsabilidade, mas não deixe a sujeira nas sarjetas ou no leito das ruas. Não use o passeio para depositar materiais de construção ou misturar cimento, estes materiais podem entupir bueiros. Solicite a autorização necessária à Secretaria de Obras e Engenharia para realizar as construções. É proibido depositar materiais em canteiros centrais de avenidas e praças públicas. Separe os materiais na obra e armazene os resíduos no lugar certo (alvenaria, ferro, sacos e madeira). Mantenha sua área limpa e remova todo o material remanescente assim que a obra terminar. Não jogue lixo nas vias públicas. Além de ser falta de educação, a cidade fica feia e mal cheirosa. O lixo atrai ratos e baratas e entope a rede de esgoto, causando doenças e enchentes. Mantenha a calçada limpa e arrumada. Calçadas mal cuidadas oferecem riscos para pedestres

5 Classificação e Tipos de Resíduos Sólidos Os resíduos sólidos podem ser classificados de acordo com a origem, tipo de resíduo, composição química e periculosidade conforme abaixo: De acordo com a ORIGEM: Reduza seus resíduos, recicle e ainda contribua com o meio ambiente! Uma iniciativa bastante simples para lidar com os resíduos gerados é reduzi-los. Compre o necessário para o bem-estar, sem exageros. Informe-se sobre a origem dos produtos e seus impactos. Evite empacotamentos desnecessários, levando sua própria sacola de compras. Prefira produtos com embalagens retornáveis ou recicláveis. Evite produtos descartáveis. Compre sempre produtos duráveis e resistentes. Estimule a educação sobre o consumo consciente para filhos e/ou outras crianças da família. Reutilize! Restaure e conserve, antes de jogar fora. Promova a troca solidária ou doe o que já não se usa mais. Separe sacolas, sacos de papel, vidros, caixas de ovos, caixas de papelão e papel de embrulho que podem ser reutilizados. Não jogue no lixo aparelhos quebrados: eles podem ser vendidos ao ferro velho ou desmontados, reaproveitando-se as peças. Recicle ou destine para a reciclagem. O objetivo principal é fazer com que os resíduos transformem-se novamente em matéria-prima, poupando recursos naturais. No caso do papel, esse processo pode ser repetido por até 10 vezes. Você sabia que 50 kg de papel usado e posteriormente reciclado poupa o corte de uma árvore? 15 - Resíduo Hospitalar ou de Serviços de Saúde : qualquer resto proveniente de hospitais e serviços de saúde como pronto-socorro, enfermarias, laboratórios de análises clínicas, farmácias, etc.. Geralmente é constituído de seringas, agulhas, curativos e outros materiais que podem apresentar algum tipo de contaminação por agentes patogênicos (causadores de doenças); - Resíduos Domiciliares : são aqueles gerados nas residências e sua composição é bastante variável sendo influenciada por fatores como localização geográfica e renda familiar. Porém, nesse tipo de resíduo podem ser encontrados restos de alimentos, resíduos sanitários (papel higiênico, por exemplo), papel, plástico, vidro, etc. Atenção: alguns produtos que utilizamos e descartamos em casa são considerados perigosos e devem ter uma destinação diferente dos demais, preferencialmente para locais destinados a resíduos perigosos. Por exemplo: pilhas e baterias, cloro, água sanitária, desentupidor de pia, limpadores de vidro, fogão e removedor de manchas, aerossóis, medicamentos vencidos, querosene, solventes, etc. - Resíduos Agrícolas : são aqueles gerados pelas atividades agropecuárias (cultivos, criações de animais, beneficiamento, processamento, etc.). Podem ser compostos por embalagens de defensivos agrícolas, restos orgânicos (palhas, cascas, estrume, animais mortos, bagaços, etc.), produtos veterinários e etc.. 04

6 - Resíduos Comercias : são aqueles produzidos pelo comércio em geral. A maior parte é constituída por materiais recicláveis como papel e papelão, principalmente de embalagens, e plásticos, mas também podem conter restos sanitários e orgânicos. Queima de lixo - Resíduo Industrial : são originados dos processos industriais. Possuem composição Nunca queime lixo de qualquer espécie, bastante diversificada e uma grande quantidade desses rejeitos é considerada perigosa. Podem ser constituídos por escórias (impurezas resultantes da fundição do ferro), inclusive matos, galhos ou folhas caídas, resultantes de limpeza de terrenos, varrição de cinzas, lodos, óleos, plásticos, papel, borrachas, etc. passeios ou vias públicas, pois a fumaça - Resíduo da Construção Civil ou Entulho : resultante da construção civil e emitida por essa queima, além de contribuir reformas. Quase 100% destes resíduos podem ser reaproveitados embora isso não para a elevação da temperatura no planeta, ocorra na maioria das situações por falta de informação. Os entulhos são compostos por: polui o ar com a emissão das cinzas que, com o restos de demolição(madeiras, tijolos, cimento, rebocos, metais, etc.), de obras e solos vento, acabam sujando a casa de vizinhos. A de escavações diversas. queimada na área rural somente é permitida - Resíduo Público ou de Varrição : é aquele recolhido com autorização dos órgãos estaduais. A nas vias públicas, galerias, áreas de realização de feiras e queimada na área urbana é proibida. Essa outros locais públicos. Sua composição é muito variada prática acarreta em multa. dependendo do local e da situação onde é recolhido, mas Lotes vagos e edificações abandonadas podem conter: folhas de árvores, galhos e grama, animais Mantenha o seu terreno ou edificação sempre limpos e mortos, papel, plástico, restos de alimentos, etc.. evite que ele seja usado como depósito de lixo ou entulho. Com o - Resíduos Sólidos Urbanos : é o nome usado para denominar o conjunto de todos os tipos de resíduos gerados nas cidades e coletados pelo serviço municipal (domiciliar, de varrição, comercial e, em alguns casos, entulhos). mato alto ou sujeiras podem surgir ratos, insetos, cobras e esses podem invadir as residências ao redor provocando até doenças na população. Terreno sujo está sujeito à multa. Para evitar transtornos, mantenha seu lote sempre limpo, murado e com calçamento. - Resíduos de Portos, Aeroportos e Terminais Rodoviários e Ferroviários : o lixo coletado nesses locais é tratado como resíduo séptico, pois pode conter agentes causadores de doenças trazidas de outros países. Os resíduos que não apresentam esse risco de contaminação podem ser tratados como lixo domiciliar

7 De acordo com o TIPO: Tempo de Decomposição dos Matériais - Resíduo Reciclável : papel, plástico, metal, alumínio, vidro, etc. - Resíduo Não Reciclável ou Rejeito : resíduos que não são recicláveis, ou resíduos recicláveis contaminados; De acordo com a COMPOSICÃO QUÍMICA: - Orgânicos: restos de alimentos, folhas, grama, animais mortos, esterco, papel, madeira, etc.. Muita gente não sabe, mas alguns compostos orgânicos podem ser tóxicos. São os chamados Poluentes Orgânicos Persistentes (POP) e Poluentes Orgânicos Não Persistentes. Poluentes Orgânicos Persistentes (POP): hidrocarbonetos de elevado peso molecular, clorados e aromáticos, alguns pesticidas (Ex.: DDT, DDE, Lindane, Hexaclorobenzeno e PCB`s). Estes compostos orgânicos são tão perigosos que foi criada uma norma internacional para seu controle denominada Convenção de Estocolmo. Poluentes Orgânicos Não Persistentes : óleos e óleos usados, solventes de baixo peso molecular, alguns pesticidas biodegradáveis e a maioria dos detergentes (Ex.: organosfosforados e carbamatos). - Inorgânicos: vidros, plásticos, borrachas, etc. Agora, resta você fazer a sua parte nessa história e não atirar lixo nos rios. nem arroios. Seja um defensor da natureza e da vida no planeta

8 Óleo de Cozinha De acordo com a PERICULOSIDADE: Não jogue óleo usado na pia. Óleo usado é reciclável. Vira Essa classificação foi definida pela ABNT na norma NBR10004:2004 da seguinte forma: - Resíduos Perigosos (Classe I): são aqueles que por suas características podem apresentar riscos para a sociedade ou para o meio ambiente. São considerados perigosos também os que apresentem uma das seguintes características: inflamabilidade, corrosividade, reatividade, toxicidade e/ou patogenicidade. Na norma estão definidos os critérios que devem ser observados em ensaios de laboratório para a determinação destes itens. Os resíduos que recebem esta classificação requerem cuidados especiais de destinação. Resíduos Não Perigosos (Classe II): emprego e renda em entidades que vendem ou produzem sabão com ele. Uma única lata de 1 litro de óleo usado, despejada na pia, além de entupir o encanamento, pode contaminar até 18 mil litros d'água, quase dois caminhões pipa. Entregue seu óleo usado na Santa Casa de Misericórdia de Olímpia, o dinheiro arrecadado é convertido em materiais de higiene e limpeza para o hospital. Pilhas e Baterias Lojas de celular recebem baterias velhas para reciclagem. Quase 180 milhões de baterias de não apresentam nenhuma das características acima, podem ainda ser celular são descartadas todos os anos no Brasil. São 11 mil toneladas de lixo tóxico que deveria ser classificados em dois subtipos: reciclado. Portanto entregue a bateria velha na loja. Baterias piratas para celular duram menos e podem Classe II A não inertes: são aqueles que não se enquadram no item conter dez vezes mais mercúrio que as baterias vendidas legalmente no Brasil. anterior, Classe I, nem no próximo item, Classe II B. Geralmente O mercúrio é um dos metais mais tóxicos que existem e ataca apresenta alguma dessas características: biodegradabilidade, gravemente o sistema nervoso. Evitar as piratas é bom para o seu bolso combustibilidade e solubilidade em água. Classe II B inertes: quando submetidos ao contato com água destilada ou deionizada, à e mais ainda para sua saúde e a do planeta, já que 60% do lixo temperatura ambiente, não tiverem nenhum de seus constituintes solubilizados a concentrações brasileiro vai para lixões. Onde o mercúrio destas pilhas vai poluir o solo e o lençol de água, Recicle suas pilhas. superiores aos padrões de potabilidade da água, com exceção da cor, turbidez, dureza e sabor, O Brasil joga fora 1 bilhão de pilhas usadas anualmente. Se fossem recicladas, seriam recuperadas mil conforme anexo G da norma NBR10004:2004. toneladas de zinco e toneladas de manganês, minerais usados na correção de solos para agricultura. Responsabilidade Entregue suas pilhas e baterias em lojas onde foram compradas ou devolva-as ao fabricante. A responsabilidade pela coleta e destinação do lixo gerado pode variar de Estado para Estado e de município para município de acordo com a legislação local, mas geralmente se distribui da seguinte forma: Caçambas As caçambas devem ser usadas para resíduos da construção civil, como terra, tijolos, telhas. Nunca descarte lixo doméstico ou Municípios: são responsáveis pela coleta e destinação dos resíduos domiciliares, animais mortos. Efetue a separação antes do depósito dos resíduos na caçamba. Estacione as caçambas obedecendo à legislação. Não comerciais e públicos; Gerador: os resíduos de serviços de saúde, industrial, de portos, aeroportos e terminais ferroviários e rodoviários, agrícolas e entulhos, são de responsabilidade de quem os gerou, sabendo-se que é preciso o desenvolvimento de planos de gerenciamento desses resíduos para cada gerador. 07 deposite entulho na rua. Os carroceiros e caçambeiros devem se atentar em cobrir com lona os resíduos transportados para não sujar a via pública deixando cair entulhos por onde passam, devem também depositar estes resíduos em local autorizado pela Prefeitura. 12

9 Tenha um cadastro do lixo eletrônico COLETA DE ÓLEO USADO Com intuito de contribuir com o retorno do resíduo eletrônico ao comércio, as empresas podem oferecer serviços de georeferenciamento, indicando pontos de coleta destes materiais por localidade, tal como o É importante que empresas de pequeno porte façam parcerias com outras empresas ou, até mesmo, com associações como a ABINEE (Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica) para não comprometer seu orçamento. Propicie um segundo uso a resíduos que podem ser reaproveitados Quando se trata de lixo eletrônico, a rápida obsolescência das mercadorias faz com que o descarte aconteça antes mesmo do fim da vida útil dos equipamentos. Estes equipamentos podem contribuir com programas de inclusão digital, sendo possível, inclusive, contar com o auxílio dos consumidores na indicação de instituições que têm este tipo de demanda. De qualquer forma, é importante também orientar os destinatários destes produtos para que o descarte, após uso, seja feito de forma correta. Confira os Pontos de troca de sua Cidade Sacolas Plásticas Leve sacola retornável ao fazer compras. Saco plástico chega a 40% das embalagens jogadas no lixo e leva mais de 100 anos para se decompor. Embalagens Prefira produtos não embalados e sem isopor. Embalagens tipo caixinha-dentro-desaquinho-dentro-da-sacola-e-do-sacolão geram muito lixo. Pneus Usados O descarte incorreto de pneus é um dos principais problemas ambientais modernos. Assim a Prefeitura Municipal possui um convênio com a Associação RECICLANIP para recolher esses pneus. Se você possui pneus velhos entre em contato com a Prefeitura Municipal para saber onde devem ser levados esses pneus. 11 Você sabe o que são os? Vamos conhecer algumas atitudes que devemos tomar para ajudar o planeta? É tão importante preservar a natureza, que foram estabelecidas 5 atitudes que devemos tomar para ajudar na conservação do planeta e, assim, melhorar nossa qualidade de vida. Essas atitudes estão resumidas em 5 palavras que começam com a letra R, por isso Repensar - Antes de comprar qualquer produto você deve se perguntar se realmente existe a necessidade de comprar, pois quanto mais compramos mais lixo produzimos. Havendo realmente a necessidade desse produto, pense o quanto ele pode agredir o meio ambiente, vendo se ele é feito de uma material que pode ser reciclado ou reutilizado. Recusar - Nem sempre os produtos que vamos comprar são bons para o meio ambiente e para a nossa saúde, por isso recuse aqueles que podem prejudicar a natureza de alguma forma, desde a fabricação até o momento em que fazemos o descarte no lixo. por exemplo: recuse os produtos que utilizem mais de uma embalagem; se o produto derivado de madeira, como papel, lápis, escolha aquele em que o fabricante faça reflorestamento para não acabar com as nossas florestas. Reduzir - Essa atitude também é bastante importante. O tempo todo estamos realizando o consumo, seja se alimentando, tomando água ou utilizando a energia elétrica para ligar algum aparelho. Também realizamos consumo desnecessário quando compramos algum produto que não sabemos se realmente vamos utilizar. Por isso devemos reduzir a compra não só de produtos de pouca importância, Mas como todos os outros produtos, assim 08

10 Reutilizar - Para que possamos reduzir o consumo, uma das principais formas é reutilizar produtos e embalagens que já foram comprados. Essa reutilização pode ser através de criação de artesanato com materiais que seriam descartados, como garrafas PET e latinhas de alumínio. Reutilizando mais as pessoas vão comprar menos, fazendo com que menos produtos sejam fabricados e, assim menos lixo irá parar na natureza. Reciclar - O processo de reciclagem ajuda não só na redução da retirada da matéria prima da natureza, como ajuda, também com a geração de empregos na usinas de reciclagens. Após você utilizar os 4Rs acima (repensar, recusar, reduzir e reutilizar), alguns materiais que sobraram do seu consumo e viraram lixo devem ser reciclados, papéis, metais, vidros, pilhas, e produtos eletrônicos da matéria orgânica (resto de alimentos e madeira). Separação de Resíduos Sólidos Resíduos da Construção Civil: Separar os resíduos da Construção Civil (alvenaria, ferro, saco vazio, madeira) dos resíduos orgânicos, recicláveis ou de poda. Para os resíduos volumosos solicitar informação junto à Prefeitura para a correta disposição desses resíduos. Resíduos Domésticos Lixo orgânico deve ir pra ao aterro sanitário. Lixo orgânico são os restos de comida, cascas de fruta, papel higiênico, fraldas descartáveis, chiclete, ponta de lápis, pó de café, giz... Lixo inorgânico deve ser reciclado: papeis, papelão, latas, metais, vidros, plásticos, caixas de leite longa vida e outros. O que não pode ser reciclado: Portas de vidro, espelho, BOXE TEMPERADOS, louças, cerâmicas, óculos; pirex; porcelanas; vidros especiais (tampa de forno microondas); tubo de TV; para-brisas; etiquetas adesivas; papel carbono; papel celofane; fita crepe; papel metálico; papel de fax; papéis plastificados; guardanapos; bitucas de cigarro; fotografias; tomadas; cabos de panelas; adesivos; embalagens metalizadas (biscoito e salgadinhos); clipes; esponja de aço; aerossóis; latas de verniz; solventes químicos; inseticidas. Pilhas e Baterias As pilhas e baterias devem ser devolvidas aos estabelecimentos que os comercializam ou à rede de assistência técnica autorizada pelos respectivos fabricantes e importadores dos seguintes materiais: baterias de celular; baterias automotivas; baterias industriais. Alguns supermercados e estabelecimentos comerciais possuem Pontos de Entrega Voluntária desse tipo de material, procure se informar

Os resíduos sólidos podem ser classificados de acordo com a origem, tipo de resíduo, composição química e periculosidade conforme abaixo:

Os resíduos sólidos podem ser classificados de acordo com a origem, tipo de resíduo, composição química e periculosidade conforme abaixo: TIPOS DE RESIDUOS Os resíduos sólidos podem ser classificados de acordo com a origem, tipo de resíduo, composição química e periculosidade conforme abaixo: Resíduo Hospitalar ou de Serviços de Saúde :

Leia mais

CENÁRIO BRASILEIRO. Latas de alumínio e plásticos vão para a indústria de reciclagem.

CENÁRIO BRASILEIRO. Latas de alumínio e plásticos vão para a indústria de reciclagem. CENÁRIO BRASILEIRO O Brasil gera aproximadamente 250 mil toneladas de lixo por dia. Assim, imagine duas filas de caminhões de 5 toneladas de capacidade, ocupando uma distância equivalente a 10 pontes Rio-Niterói.

Leia mais

REDUZIR REUTILIZAR RECICLAR. O caminho para um futuro melhor.

REDUZIR REUTILIZAR RECICLAR. O caminho para um futuro melhor. R R R REDUZIR REUTILIZAR RECICLAR O caminho para um futuro melhor. A FGR se preocupa com o planeta. v Reduza o quanto puder; Reutilize tudo que puder; Recicle o máximo que puder. 2 A qualidade de vida

Leia mais

BR 448 RODOVIA DO PARQUE GESTÃO E SUPERVISÃO AMBIENTAL MÓDULO II EDUCADORES

BR 448 RODOVIA DO PARQUE GESTÃO E SUPERVISÃO AMBIENTAL MÓDULO II EDUCADORES BR 448 RODOVIA DO PARQUE GESTÃO E SUPERVISÃO AMBIENTAL MÓDULO II EDUCADORES 3 Definições de lixo: No dicionário: sujeira, imundice, coisa(s) inúteis, velhas, sem valor. Na linguagem técnica: sinônimo

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA A COLETA SELETIVA DO LIXO E DICAS DE CONSUMO CONSCIENTE

INSTRUÇÕES PARA A COLETA SELETIVA DO LIXO E DICAS DE CONSUMO CONSCIENTE 12:43 Page 1 INSTRUÇÕES PARA A COLETA SELETIVA DO LIXO E DICAS DE CONSUMO CONSCIENTE Jardins é Page 2 LIXO UM PROBLEMA DE TODOS Reduzir a quantidade de lixo é um compromisso de todos. Uma pessoa é capaz

Leia mais

Programa de Gestão. Ambiental. Cartilha. Ambiental

Programa de Gestão. Ambiental. Cartilha. Ambiental Programa de Gestão Ambiental Cartilha Ambiental Índice Responsabilidade Ambiental 1. Responsabilidade Ambiental 2. Organograma 4. Política Ambiental 6. Coleta Seletiva Interna 12. Dicas Importantes A preocupação

Leia mais

COLETA SELETIVA PRATIQUE ESTA IDEIA

COLETA SELETIVA PRATIQUE ESTA IDEIA COLETA SELETIVA PRATIQUE ESTA IDEIA O QUE É? Coleta seletiva é o processo de separação dos materiais recicláveis do restante dos resíduos sólidos. Como definição de resíduos sólidos, pelo Wikipédia, entende-se

Leia mais

Mensagem do Ministério Público do Estado de Goiás

Mensagem do Ministério Público do Estado de Goiás PRATIQUE COLETA SELETIVA Mensagem do Ministério Público do Estado de Goiás O Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO) tem a missão de defender a ordem jurídica, o regime democrático e os interesses

Leia mais

Como embalar o lixo. Apresentação

Como embalar o lixo. Apresentação Apresentação Como embalar o lixo Uberaba agora tem uma nova lei que regulamenta o sistema de limpeza urbana. Essa lei abrange desde a contratação da empresa responsável pela coleta do lixo até a maneira

Leia mais

Reciclagem de Materiais COLETA SELETIVA

Reciclagem de Materiais COLETA SELETIVA Reciclagem de Materiais COLETA SELETIVA COLETA SELETIVA Conheça algumas medidas importantes para não poluir o meio ambiente na hora de jogar fora o seu lixo Já é inquestionável hoje a importância da reciclagem

Leia mais

É o termo geralmente utilizado para designar o reaproveitamento de materiais beneficiados como matéria-prima para um novo produto.

É o termo geralmente utilizado para designar o reaproveitamento de materiais beneficiados como matéria-prima para um novo produto. É o termo geralmente utilizado para designar o reaproveitamento de materiais beneficiados como matéria-prima para um novo produto. REDUZIR REUTILIZAR RECUPERAR RECICLAR A redução deve ser adaptada por

Leia mais

Vamos Cuidar do. nosso Planeta! Elaboração: Núcleo de Responsabilidade Social

Vamos Cuidar do. nosso Planeta! Elaboração: Núcleo de Responsabilidade Social Vamos Cuidar do Elaboração: Núcleo de Responsabilidade Social Unimed Londrina Rua Senador Souza Naves, 1333 Fone 43 3375-6161 - Fax 43 3375-6100 Cep 86010-160 - Londrina - PR nosso Planeta! responsabilidadesocial@unimedlondrina.com.br

Leia mais

Política Nacional de Resíduos Sólidos - PNRS LEI 12.305 / 08/ 2010 DECRETO 7.404/ 12/ 2010

Política Nacional de Resíduos Sólidos - PNRS LEI 12.305 / 08/ 2010 DECRETO 7.404/ 12/ 2010 Política Nacional de Resíduos Sólidos - PNRS LEI 12.305 / 08/ 2010 DECRETO 7.404/ 12/ 2010 Cenário brasileiro de resíduos sólidos Aumento da: População nas cidades 50% mundial 85% Brasil (IBGE, 2010).

Leia mais

ULTRAVIOLETA DESINFECÇÃO DE ÁGUA E EFLUENTES COM RAIOS. Sistema de decantação. Fenasan 2013. tratamento de água e efluentes

ULTRAVIOLETA DESINFECÇÃO DE ÁGUA E EFLUENTES COM RAIOS. Sistema de decantação. Fenasan 2013. tratamento de água e efluentes revista especializada em tratamento de DESINFECÇÃO DE ÁGUA E EFLUENTES COM RAIOS ULTRAVIOLETA Sistema de decantação Ação dos decantadores em tratamento de água Fenasan 2013 9 772236 261064 junho/julho-2013

Leia mais

dicas sustentáveis Como crescer com práticas responsáveis

dicas sustentáveis Como crescer com práticas responsáveis dicas sustentáveis Como crescer com práticas responsáveis Um desafio que envolve você! Compartilhamos os mesmos espaços e problemas, mas também as soluções. É fundamental ter atitudes responsáveis, suprindo

Leia mais

Preservação do meio ambiente

Preservação do meio ambiente Preservação do meio ambiente Introdução: Este texto, visando a preservação do ambiente em que vivemos, traz atitudes fáceis e práticas que você mesmo pode tomar para tornar o mundo um lugar mais agradável

Leia mais

Página 1 de 8-01/04/2014-5:59

Página 1 de 8-01/04/2014-5:59 PROFESSOR: EQUIPE DE PORTUGUÊS BANCO DE QUESTÕES - LÍNGUA PORTUGUESA - 4 ANO - ENSINO FUNDAMENTAL ========================================================================== Texto 1 LIXO NO LIXO Dá para

Leia mais

Reciclar, são ações que. Reduzir É o inicio da conservação do meio. Reutilizar Significa reutilizar um produto de

Reciclar, são ações que. Reduzir É o inicio da conservação do meio. Reutilizar Significa reutilizar um produto de Especialistas em meio ambiente alertam para a necessidade da utilização racional dos recursos naturais. Reduzir, Reutilizar e Reciclar, são ações que contribuem para o consumo responsável reduzindo o impacto

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE GERENCIAMENTO INTEGRADO DE RESÍDUOS SÓLIDOS

PLANO MUNICIPAL DE GERENCIAMENTO INTEGRADO DE RESÍDUOS SÓLIDOS PLANO MUNICIPAL DE GERENCIAMENTO INTEGRADO DE RESÍDUOS SÓLIDOS AUDIÊNCIA PÚBLICA Fabiano de Souza Eng. Ambiental Tecnólogo em Gestão Pública OBJETIVOS DO PLANO É um instrumento da Política Nacional de

Leia mais

TÉCNICAS DE GESTÃO DE RESÍDUOS EM EMPRESAS DE REPARAÇÃO VEÍCULAR

TÉCNICAS DE GESTÃO DE RESÍDUOS EM EMPRESAS DE REPARAÇÃO VEÍCULAR 1 o SIMPÓSIO SINDIREPA-RS TÉCNICAS DE GESTÃO DE RESÍDUOS EM EMPRESAS DE REPARAÇÃO VEÍCULAR Felipe Saviczki - cntl.att@senairs.org.br Engenheiro Ambiental Técnico de Desenvolvimento - Área de Consultoria

Leia mais

Logística Ambiental: Adequação das organizações a Política Nacional de Resíduos Sólidos. Msc. Renata Quemel Pires

Logística Ambiental: Adequação das organizações a Política Nacional de Resíduos Sólidos. Msc. Renata Quemel Pires Logística Ambiental: Adequação das organizações a Política Nacional de Resíduos Sólidos. Msc. Renata Quemel Pires Desenvolvimento Sustentável É obter o crescimento econômico contínuo através de um manejo

Leia mais

Apresenta: PAPEL METAL LIXO ORGÂNICO VIDRO PLÁSTICO. no luga

Apresenta: PAPEL METAL LIXO ORGÂNICO VIDRO PLÁSTICO. no luga Apresenta: Coloqu e o lixo no luga r, na hor a e no d certo. ia ORGÂNICO CAPItao VAREJO em: coleta seletiva Enquanto isso, na sala secreta de reuniões... Olá, Capitão Varejo! Grande Gênio, bom dia! Espero

Leia mais

Perguntas frequentes Resíduos Sólidos. 1) Quais são os tipos de resíduos frequentemente gerados em plantas industriais?

Perguntas frequentes Resíduos Sólidos. 1) Quais são os tipos de resíduos frequentemente gerados em plantas industriais? Perguntas frequentes Resíduos Sólidos 1) Quais são os tipos de resíduos frequentemente gerados em plantas industriais? Resíduos industriais: gerados nos processos produtivos e instalações industriais.

Leia mais

Amanda Aroucha de Carvalho. Reduzindo o seu resíduo

Amanda Aroucha de Carvalho. Reduzindo o seu resíduo Amanda Aroucha de Carvalho Reduzindo o seu resíduo 1 Índice 1. Apresentação 2. Você sabe o que é Educação Ambiental? 3. Problemas Ambientais 4. Para onde vai o seu resíduo? 5. Soluções para diminuir a

Leia mais

o ojet Pr a Consciênci 1 Resíduos

o ojet Pr a Consciênci 1 Resíduos Projeto Consciência Resíduos 1 Qual é a diferença entre resíduo e lixo? 2 Qual é a diferença entre resíduo e lixo? Resíduo pode ser considerado qualquer material que sobra após uma ação ou processo produtivo.

Leia mais

Esta cartilha tem o objetivo de orientar o processo de implantação do Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos PGRS nas Empresas.

Esta cartilha tem o objetivo de orientar o processo de implantação do Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos PGRS nas Empresas. MANUAL DE GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS Gerência de Desenvolvimento Sustentável Núcleo de Saúde, Segurança e Meio Ambiente (NSSMA/SGI) Apresentação Esta cartilha tem o objetivo de orientar o processo de implantação

Leia mais

Gestão dos resíduos sólidos, reciclagem e sustentabilidade ambiental

Gestão dos resíduos sólidos, reciclagem e sustentabilidade ambiental Gestão dos resíduos sólidos, reciclagem e sustentabilidade ambiental Grupo: Fabiana Augusta César Irene Benevides Vinícius Tôrres Pires Samira Chantre Gestão de Resíduos Sólidos Gestão/gerir:Administrar,dirigir,

Leia mais

Os TRÊS Rs ADMINISTRADOR E GEÓGRAFO SEBASTIÃO CELSO FERREIRA DA SILVA

Os TRÊS Rs ADMINISTRADOR E GEÓGRAFO SEBASTIÃO CELSO FERREIRA DA SILVA Os TRÊS Rs ADMINISTRADOR E GEÓGRAFO SEBASTIÃO CELSO FERREIRA DA SILVA Há pouco mais de 100 anos, éramos 1,6 bilhões e em 2020, seremos 8 bilhões. Onde iremos viver? Com quem (animais)? Quais habitats serão

Leia mais

Prática Pedagógica: Coleta de Lixo nas Escolas

Prática Pedagógica: Coleta de Lixo nas Escolas Prática Pedagógica: Coleta de Lixo nas Escolas Introdução O objetivo desse trabalho é ajudar as Escolas e demais instituições na implantação do programa da coleta seletiva do lixo e do lixo eletrônico.

Leia mais

1 Simpósio ECP de Meio Ambiente. Resíduos Sólidos. Novembro - 2009

1 Simpósio ECP de Meio Ambiente. Resíduos Sólidos. Novembro - 2009 1 Simpósio ECP de Meio Ambiente Resíduos Sólidos Novembro - 2009 Antes de mais nada, o que é LIXO? Segundo a NBR-10.004 (Resíduos Sólidos, Classificação de 1987) da ABNT (Associação Brasileira de Normas

Leia mais

Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo (FEC) Revitalização dos Programas de Coleta Seletiva e de Minimização de Resíduo Sólido na FEC

Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo (FEC) Revitalização dos Programas de Coleta Seletiva e de Minimização de Resíduo Sólido na FEC Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo (FEC) Revitalização dos Programas de Coleta Seletiva e de Minimização de Resíduo Sólido na FEC mar. 2013 Programa de Coleta seletiva na FEC Iniciado

Leia mais

Sustentabilidade do Planeta. Todo mundo deve colaborar!

Sustentabilidade do Planeta. Todo mundo deve colaborar! Sustentabilidade do Planeta Todo mundo deve colaborar! Situação no mundo atual O Planeta pede socorro!!!! A atividade humana tem impactado negativamente o meio ambiente. Os padrões atuais de consumo exploram

Leia mais

CARTILHA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DIVIRTA-SE E APRENDA SOBRE A RECICLAGEM E AS VANTAGENS DAS EMBALAGENS LONGA VIDA U M P RO J E TO

CARTILHA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DIVIRTA-SE E APRENDA SOBRE A RECICLAGEM E AS VANTAGENS DAS EMBALAGENS LONGA VIDA U M P RO J E TO CARTILHA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DIVIRTA-SE E APRENDA SOBRE A RECICLAGEM E AS VANTAGENS DAS EMBALAGENS LONGA VIDA U M P RO J E TO O PRIMEIRO PASSO PARA APRENDER A RECICLAR É CONHECER QUAIS MATERIAIS SÃO

Leia mais

Guia Ambiental de Materiais de Mídia. Reciclando objetos, renovando conceitos.

Guia Ambiental de Materiais de Mídia. Reciclando objetos, renovando conceitos. Guia Ambiental de Materiais de Mídia. Reciclando objetos, renovando conceitos. Conscientização A questão do lixo é de vital importância para a sobrevivência do planeta e da qualidade de vida da população.

Leia mais

Prof. Paulo Medeiros

Prof. Paulo Medeiros Prof. Paulo Medeiros Em 2010 entrou em vigor no Brasil a lei dos Resíduos Sólidos. Seu objetivo principal é diminuir a destinação incorreta de resíduos ao meio ambiente. Ela define que todas as indústrias,

Leia mais

O MEIO AMBIENTE E A IMPORTÂNCIA DA RECICLAGEM. 1 01/11/06

O MEIO AMBIENTE E A IMPORTÂNCIA DA RECICLAGEM. 1 01/11/06 O MEIO AMBIENTE E A IMPORTÂNCIA DA RECICLAGEM. 1 POR QUE A COLETA COLETIVA? Efeito estufa pela destruição da camada de ozônio, queimadas e derrubadas de florestas de forma desordenada, chuva ácida, produção

Leia mais

Consumo Consciente. Faz bem para você, para a sociedade e para o planeta

Consumo Consciente. Faz bem para você, para a sociedade e para o planeta Consumo Consciente Faz bem para você, para a sociedade e para o planeta Uma mudança do bem Para nós da Rossi, o consumo consciente é algo vital para a sustentabilidade da sociedade e para o futuro do nosso

Leia mais

Ambiental. Cartilha. Aquecimento Global. Saiba como reduzir ou até neutralizar suas emissões de Co2. Vamos deixar um futuro melhor para nossos filhos?

Ambiental. Cartilha. Aquecimento Global. Saiba como reduzir ou até neutralizar suas emissões de Co2. Vamos deixar um futuro melhor para nossos filhos? Cartilha Ambiental Vamos deixar um futuro melhor para nossos filhos? Saiba como reduzir ou até neutralizar suas emissões de Co2 Com atitudes simples você pode contribuir para diminuir sua emissão de CO2,

Leia mais

é lei Agora Política Nacional de Resíduos Sólidos poder público, empresas, catadores e população Novos desafios para

é lei Agora Política Nacional de Resíduos Sólidos poder público, empresas, catadores e população Novos desafios para Política Nacional de Resíduos Sólidos Agora é lei Novos desafios para poder público, empresas, catadores e população Marco histórico da gestão ambiental no Brasil, a lei que estabelece a Política Nacional

Leia mais

Cartilha Coleta Seletiva

Cartilha Coleta Seletiva Cartilha Coleta Seletiva Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Acre Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Cartilha Coleta Seletiva Renata Beltrão Teixeira Vlayrton Tomé Maciel

Leia mais

REVISÃO 2º BIMESTRE LIXO E SEU DESTINO

REVISÃO 2º BIMESTRE LIXO E SEU DESTINO REVISÃO 2º BIMESTRE LIXO E SEU DESTINO 1) Analise as alternativas sobre aspectos relacionados ao lixo e marque (V) para as verdadeiras e (F) para as falsas. ( ) O lixo é caracterizado como tudo aquilo

Leia mais

DICAS PARA UM MUNDO MELHOR

DICAS PARA UM MUNDO MELHOR DICAS PARA UM MUNDO MELHOR Cartilha do Meio Ambiente Mobilização Energia Transporte Água CUIDANDO DO FUTURO Desenvolvimento sustentável define-se como aquele que atende às necessidades do presente sem

Leia mais

PROGRAMA DE COLETA SELETIVA

PROGRAMA DE COLETA SELETIVA PROGRAMA DE COLETA SELETIVA PROGRAMA DE COLETA SELETIVA Usando Bem Ninguém Fica Sem. PROGRAMA DE COLETA SELETIVA 1. O QUE É COLETA SELETIVA 2. DESTINO FINAL DO LIXO DE SÃO PAULO 3. COMPOSIÇÃO DO LIXO SELETIVO

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS

CARACTERIZAÇÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS CARACTERIZAÇÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS Planejamento e Gestão de Resíduos CLASSIFICAÇÃO Resíduos sólidos urbanos (RSU) Resíduos sólidos domésticos (RSD) Resíduos domiciliares Resíduos de serviços de saúde Resíduos

Leia mais

uma responsabilidade de todos nós

uma responsabilidade de todos nós uma responsabilidade de todos nós Governo do Estado de São Paulo Secretaria de Estado do Meio Ambiente Coordenadoria de Planejamento Ambiental Estratégico e Educação Ambiental Lixo, uma responsabilidade

Leia mais

Reciclagem Monte seu jogo e chame a turma para brincar. Corrida da. ANO 7 - Nº7 Caça-palavras Vamos colorir 7 erros e muito mais!

Reciclagem Monte seu jogo e chame a turma para brincar. Corrida da. ANO 7 - Nº7 Caça-palavras Vamos colorir 7 erros e muito mais! ANO 7 - Nº7 Caça-palavras Vamos colorir 7 erros e muito mais! Atividades infantis para resolver e colorir. Uma publicação da Corrida da Reciclagem Monte seu jogo e chame a turma para brincar Vamos colorir?

Leia mais

Programa de Consumo Consciente nas Instituições de Ensino Superior Particulares FOREXP. Fórum de Extensão das IES Particulares

Programa de Consumo Consciente nas Instituições de Ensino Superior Particulares FOREXP. Fórum de Extensão das IES Particulares Programa de Consumo Consciente nas Instituições de Ensino Superior Particulares FOREXP Fórum de Extensão das IES Particulares Consumir conscientemente significa atentar para os efeitos que este ato acarreta

Leia mais

Lixo. LIX (Latin)= CINZAS (=Lixo).

Lixo. LIX (Latin)= CINZAS (=Lixo). PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA SUBPROJETO DE GEOGRAFIA ESCOLA ESTADUAL DESEMBARGADOR FLORIANO CAVALCANTI SUPERVISORA: INÊS PACHECO BOLSISTAS: DAYAN MUNIZ E JAILZA REIS RESÍDUOS

Leia mais

CONSUMO SUSTENTÁVEL: O QUE FAZER POR NÓS E PELO PLANETA

CONSUMO SUSTENTÁVEL: O QUE FAZER POR NÓS E PELO PLANETA CONSUMO SUSTENTÁVEL: O QUE FAZER POR NÓS E PELO PLANETA CONSUMO SUSTENTÁVEL: O QUE FAZER POR NÓS E PELO PLANETA Desenvolvimento sustentável e consumo sustentável Existe uma relação direta entre o que chamamos

Leia mais

Cartilha de gestão de entulho de obra

Cartilha de gestão de entulho de obra Cartilha de gestão de entulho de obra Introdução O Sinduscon-CE anualmente investe na publicação de manuais de segurança e sustentabilidade para o setor, com forma de incentivar as boas-práticas na construção

Leia mais

Gestão dos Resíduos em Florianópolis - COMCAP. Florianópolis, 03 setembro de 2011

Gestão dos Resíduos em Florianópolis - COMCAP. Florianópolis, 03 setembro de 2011 Gestão dos Resíduos em Florianópolis - COMCAP Florianópolis, 03 setembro de 2011 Missão Prestar serviços públicos p de saneamento ambiental com eficiência, qualidade e responsabilidade social. COMCAP

Leia mais

"PANORAMA DA COLETA SELETIVA DE LIXO NO BRASIL"

PANORAMA DA COLETA SELETIVA DE LIXO NO BRASIL Reciclagem e Valorizaçã ção o de Resíduos Sólidos S - Meio Ambiente UNIVERSIDADE DE SÃO S O PAULO "PANORAMA DA COLETA SELETIVA DE LIXO NO BRASIL" Associação sem fins lucrativos, o CEMPRE se dedica à promoção

Leia mais

LOGÍSTICA REVERSA ACITSIGOL ASREVER

LOGÍSTICA REVERSA ACITSIGOL ASREVER Conceito LOGÍSTICA REVERSA ACITSIGOL ASREVER É uma área da logística que atua de forma a gerenciar e operacionalizar o retorno de bens e materiais, após sua venda e consumo, às suas origens, agregando

Leia mais

SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM: O QUE FAZER COM TANTO LIXO?

SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM: O QUE FAZER COM TANTO LIXO? SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM: O QUE FAZER COM TANTO LIXO? Eixo Temático -Ser Humano e Saúde. Tema -O que Fazer com Tanto Lixo? Subtema - Qualidade de Vida: A Saúde Individual, Coletiva e Ambiental. Ano/Série

Leia mais

Eixo: LOGISTICA REVERSA

Eixo: LOGISTICA REVERSA PREFEITURA MUNICIPAL DE ESTÂNCIA VELHA RESSANEAR PROJETO INTEGRADO DE SANEAMENTO BÁSICO E RESÍDUOS SÓLIDOS LEI 11.445/2007 Eixo: LOGISTICA REVERSA PLANO MUNICIPAL DE GERENCIAMENTO INTEGRADO DE RESÍDUOS

Leia mais

FACULDADE DE ENGENHARIA POLUIÇÃO DO SOLO URBANO - RESÍDUOS SÓLIDOS - aline.procopio@ufjf.edu.br

FACULDADE DE ENGENHARIA POLUIÇÃO DO SOLO URBANO - RESÍDUOS SÓLIDOS - aline.procopio@ufjf.edu.br FACULDADE DE ENGENHARIA POLUIÇÃO DO SOLO URBANO - RESÍDUOS SÓLIDOS - Profa. DSc. Aline Sarmento Procópio Departamento de Engenharia Sanitária e Ambiental aline.procopio@ufjf.edu.br Gestão dos Resíduos

Leia mais

13/09/2014. Consiste em usar os recursos do planeta de forma responsável, atendendo às necessidades atuais sem prejudicar as futuras gerações.

13/09/2014. Consiste em usar os recursos do planeta de forma responsável, atendendo às necessidades atuais sem prejudicar as futuras gerações. 6º Anos Prof. Leonardo F. Stahnke Consiste em usar os recursos do planeta de forma responsável, atendendo às necessidades atuais sem prejudicar as futuras gerações. Para se alimentar, o ser humano abate

Leia mais

Orientações aos geradores interessados

Orientações aos geradores interessados Grupo de Trabalho de Resíduos Sólidos - GTRS Conselho da APA Federal da Serra da Mantiqueira - CONAPAM Programa de Gestão Ecológica dos Resíduos Sólidos na Região de Visconde de Mauá, Resende, RJ Orientações

Leia mais

Coleta Seletiva PRATIQUE ESTA IDEIA

Coleta Seletiva PRATIQUE ESTA IDEIA Coleta Seletiva PRATIQUE ESTA IDEIA O QUE É? Coleta seletiva é o processo de separação dos materiais recicláveis do restante dos resíduos sólidos. Como definição de resíduos sólidos, pelo Wikipédia, entende-se

Leia mais

Cartilha de Coleta Seletiva da Embrapa Agroindústria de Alimentos

Cartilha de Coleta Seletiva da Embrapa Agroindústria de Alimentos Cartilha de Coleta Seletiva da Embrapa Agroindústria de Alimentos Meio Ambiente e Atitudes Sustentáveis O que eu tenho a ver com isso? A coleta seletiva e a reciclagem de resíduos têm um papel fundamental

Leia mais

Práticas Verdes Para Condomínios

Práticas Verdes Para Condomínios Guia de Práticas Verdes Para Condomínios A economia que faz bem para o seu bolso e para o meio ambiente Com o objetivo de incentivar e disseminar práticas sustentáveis em condomínios, o Secovi Rio criou

Leia mais

Como implantar e manter a coleta seletiva na sua escola. Coleta Seletiva

Como implantar e manter a coleta seletiva na sua escola. Coleta Seletiva Como implantar e manter a coleta seletiva na sua escola Coleta Seletiva Apresentaçao ~ Índice Esta cartilha foi elaborada pela Prefeitura de São Bernardo do Campo, em parceria com a SBC Valorização de

Leia mais

A Fundação Procon-SP preparou este material com dicas e orientações para ajudar você a construir esse novo conceito de consumo.

A Fundação Procon-SP preparou este material com dicas e orientações para ajudar você a construir esse novo conceito de consumo. 2012 consumo consciente i Especialistas em meio ambiente alertam para a necessidade da utilização racional dos recursos naturais. Repensar, Reduzir, Reutilizar e Reciclar, são ações que contribuem para

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001/2015

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001/2015 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001/2015 Regulamentação do descarte de resíduos comuns, recicláveis, pilhas e baterias e lâmpadas no Centro de Ciências da Saúde da UFRJ - CCS-UFRJ. 1 Objetivo e aplicação Com o

Leia mais

1. CLASSIFICAÇÃO DOS RESÍDUOS

1. CLASSIFICAÇÃO DOS RESÍDUOS Página1 1. CLASSIFICAÇÃO DOS RESÍDUOS Diversos autores vêm utilizando metodologias próprias de classificação de resíduos sólidos, tendo como referência a fonte de geração, o local de produção, os aspectos

Leia mais

UNISAL ARTIGO PARA MOSTRA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL AMERICANA 2011

UNISAL ARTIGO PARA MOSTRA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL AMERICANA 2011 UNISAL ARTIGO PARA MOSTRA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL AMERICANA 2011 Autora: Profa. Dra. Melissa Furlan Cursos: Direito e Engenharia Ambiental Área de Pesquisa: Meio Ambiente Título do artigo: O destino

Leia mais

10/8/2013. Para se alimentar, o ser humano abate animais, colhe frutos, sementes, etc, recursos naturais que podem ser repostos;

10/8/2013. Para se alimentar, o ser humano abate animais, colhe frutos, sementes, etc, recursos naturais que podem ser repostos; 6º Anos Prof. Leonardo F. Stahnke Consiste em assegurar uma gestão responsável dos recursos do planeta de forma a preservar os interesses das futuras gerações e ao mesmo tempo atender às necessidades das

Leia mais

Política Nacional de Resíduos Sólidos e Logística Reversa

Política Nacional de Resíduos Sólidos e Logística Reversa Política Nacional de Resíduos Sólidos e Logística Reversa Cristina R. Wolter Sabino de Freitas Departamento Ambiental O mundo será obrigado a se desenvolver de forma sustentável, ou seja, que preserve

Leia mais

Fique de bem. com a natureza!! Turma do Lixildo em:

Fique de bem. com a natureza!! Turma do Lixildo em: Fundado em agosto de 2003, o Instituto Kautsky é uma Associação sem fins lucrativos que tem como missão estabelecer a harmonia do homem com o meio ambiente pesquisando, promovendo e disseminando conhecimentos

Leia mais

A CORRETA SEPARAÇÃO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS: JUNHO/2014

A CORRETA SEPARAÇÃO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS: JUNHO/2014 A CORRETA SEPARAÇÃO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS: JUNHO/2014 Regeneração: Uma nova fase que inicia As soluções ambientais não estão mais relacionadas ao romantismo preservacionista, mas às medidas de sustentabilidade,

Leia mais

Elaboração Item 2 inclusão do PG-C-01 Programa Integrado de SSTMA Item 2 Codificação dos documentos de referência

Elaboração Item 2 inclusão do PG-C-01 Programa Integrado de SSTMA Item 2 Codificação dos documentos de referência Página 1 de 9 DESCRIÇÃO DAS REVISÕES REV DATA ALTERAÇÃO OBSERVAÇÃO 00 01 20/05/2009 30/09/2009 16/12/09 Elaboração Item 2 inclusão do PG-C-01 Programa Integrado de SSTMA Item 2 Codificação dos documentos

Leia mais

As fotos a seguir são tristemente verdadeiras...

As fotos a seguir são tristemente verdadeiras... As fotos a seguir são tristemente verdadeiras... Quem é responsável por enfrentar esta situação? Prefeitura? Entidades de defesa do ambiente?? Governo? Meios de comunicação? Cientistas? Organizações

Leia mais

GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS COLETA SELETIVA

GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS COLETA SELETIVA SEJAM BEM VINDOS GRUPO MULTILIXO Coopercicla FLACIPEL Reciclados Cooperativa MULTILIXO Resíduos ATT PARI Entulho MADE VILA Bio Massa MULTIPALETS Palets Reciclados MULTIGLASS Vidro 3 TIPOS DE RESÍDUOS GERADOS

Leia mais

"PANORAMA DA COLETA SELETIVA E RECICLAGEM NO BRASIL"

PANORAMA DA COLETA SELETIVA E RECICLAGEM NO BRASIL "PANORAMA DA COLETA SELETIVA E RECICLAGEM NO BRASIL" Associação sem fins lucrativos, fundado em 1992, o CEMPRE se dedica à promoção da reciclagem dentro do conceito de gerenciamento integrado do lixo.

Leia mais

SEQUÊNCIA DIDÁTICA PODCAST CIÊNCIAS HUMANAS

SEQUÊNCIA DIDÁTICA PODCAST CIÊNCIAS HUMANAS SEQUÊNCIA DIDÁTICA PODCAST CIÊNCIAS HUMANAS Título do Podcast Área Segmento Duração Consumo, consumismo e impacto humano no meio ambiente Ciências Humanas Ensino Fundamental; Ensino Médio 6min29seg Habilidades:

Leia mais

Resíduos Sólidos Redução de Embalagens

Resíduos Sólidos Redução de Embalagens Resíduos Sólidos Redução de Embalagens GUILHERME SCHULZ Ecólogo e Biólogo Mestre em Engenharia Bioma Pampa Ecologia guilherme@biomapampa.com.br www.biomapampa.com.br Gestão Ambiental Considerações: Prevenção

Leia mais

Lixo é tudo aquilo que já não tem utilidade e é jogado fora, qualquer material de origem doméstica ou industrial.

Lixo é tudo aquilo que já não tem utilidade e é jogado fora, qualquer material de origem doméstica ou industrial. Lixo reflexo da sociedade Definição Lixo é tudo aquilo que já não tem utilidade e é jogado fora, qualquer material de origem doméstica ou industrial. Todo lixo gerado pode ser classificado em dois tipos:orgânico

Leia mais

Olá meninos, vocês parecem contrariados. O que aconteceu?

Olá meninos, vocês parecem contrariados. O que aconteceu? Olá meninos, vocês parecem contrariados. O que aconteceu? Puxa, o lixo é mesmo um problema muito sério. Vocês sabiam que muitos animais silvestres estão morrendo porque confundem lixo com comida? Sério?

Leia mais

RESOLUÇÃO CONSEMA N 109, 22 de setembro de 2005.

RESOLUÇÃO CONSEMA N 109, 22 de setembro de 2005. ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE CONSELHO ESTADUAL DO MEIO AMBIENTE - CONSEMA RESOLUÇÃO CONSEMA N 109, 22 de setembro de 2005. "Estabelece diretrizes para elaboração do Plano Integrado

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO (Módulo: Resíduos Sólidos) Rio Claro SP

PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO (Módulo: Resíduos Sólidos) Rio Claro SP PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO (Módulo: Resíduos Sólidos) Rio Claro SP LEI Nº 11.445/2007 LEI Nº 12.305/2010 1. OBJETIVOS - Realizar diagnósticos; - Elaborar propostas de intervenções; - Definir

Leia mais

LEI 11.445/2007 RESSANEAR PROJETO INTEGRADO DE SANEAMENTO BÁSICO E RESÍDUOS SÓLIDOS. Eixo: LOGISTICA REVERSA

LEI 11.445/2007 RESSANEAR PROJETO INTEGRADO DE SANEAMENTO BÁSICO E RESÍDUOS SÓLIDOS. Eixo: LOGISTICA REVERSA LEI 11.445/2007 RESSANEAR PROJETO INTEGRADO DE SANEAMENTO BÁSICO E RESÍDUOS SÓLIDOS Eixo: LOGISTICA REVERSA PLANO MUNICIPAL DE GERENCIAMENTO INTEGRADO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS Instrumentos Legais: Resolução

Leia mais

Programa Municipal de Sustentabilidade e Ação Social Implantação da A3P Agenda Ambiental na Administração Pública José Bonifácio SP, 2009. 28 p. : II.

Programa Municipal de Sustentabilidade e Ação Social Implantação da A3P Agenda Ambiental na Administração Pública José Bonifácio SP, 2009. 28 p. : II. Sumário 34 5 6 7 8 9 Apresentação... 03 Implementação da A3P... 04 Conheça a A3P...05 - O que é A3P?...05 - Objetivos da A3P...05 - Participantes...06 Impactos e Desperdícios...07 Prioridades...08 Planos

Leia mais

Segurança, Meio Ambiente e Saúde QHSE

Segurança, Meio Ambiente e Saúde QHSE Segurança, Meio Ambiente e Saúde QHSE Preservação e Conservação A preservação é o esforço para proteger um ecossistema e evitar que ele seja modificado. Depende também da presença e ação do homem sobre

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA O COMÉRCIO DÚVIDAS FREQUENTES SOBRE A LEI 15.374/2011 LEI DA SACOLINHA

ORIENTAÇÕES PARA O COMÉRCIO DÚVIDAS FREQUENTES SOBRE A LEI 15.374/2011 LEI DA SACOLINHA DÚVIDAS FREQUENTES SOBRE A LEI 15.374/2011 LEI DA SACOLINHA Muito prazer. Somos a Associação Comercial de São Paulo. A ACSP faz parte da vida de empreendedores de diversos tamanhos. Nós existimos para

Leia mais

Profa. Ana Luiza Veltri

Profa. Ana Luiza Veltri Profa. Ana Luiza Veltri EJA Educação de Jovens e Adultos Água de beber Como está distribuída a água no mundo? A Terra, assim como o corpo humano, é constituída por dois terços de água; Apenas 1% da quantidade

Leia mais

SUSTENTABILIDADE? COMO ASSIM?

SUSTENTABILIDADE? COMO ASSIM? SUSTENTABILIDADE? COMO ASSIM? 1. Matéria Bruta Representa a vontade de melhorar o 6. Reciclagem mundo e construir um futuro mais próspero. É o equilíbrio econômico, social e ambiental que garante a qualidade

Leia mais

PENSE NO MEIO AMBIENTE SIRTEC TEMA: CONSUMO CONSCIENTE DE ENERGIA DISPOSIÇÃO ADEQUADA DE RESÍDUOS

PENSE NO MEIO AMBIENTE SIRTEC TEMA: CONSUMO CONSCIENTE DE ENERGIA DISPOSIÇÃO ADEQUADA DE RESÍDUOS PENSE NO MEIO AMBIENTE SIRTEC TEMA: CONSUMO CONSCIENTE DE ENERGIA DISPOSIÇÃO ADEQUADA DE RESÍDUOS Abril/2015 Fazer obras e serviços para transmissão, distribuição e uso de energia. Contribuir para o bem

Leia mais

Sustentabilidade: A Visão do Ministério Público

Sustentabilidade: A Visão do Ministério Público WORKSHOP NOVAS DEMANDAS AMBIENTAIS E SEUS IMPACTOS ECONÔMICOS NA INDÚSTRIA DO VIDRO Sustentabilidade: A Visão do Ministério Público SÃO PAULO - MARÇO/2015 LEI DE POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS (Lei

Leia mais

"PANORAMA DA COLETA SELETIVA E RECICLAGEM NO BRASIL"

PANORAMA DA COLETA SELETIVA E RECICLAGEM NO BRASIL "PANORAMA DA COLETA SELETIVA E RECICLAGEM NO BRASIL" Quem somos: Associação sem fins lucrativos, fundado em 1992, o CEMPRE se dedica à promoção da reciclagem dentro do conceito de gerenciamento integrado

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 307, DE 5 DE JULHO DE 2002 (DOU de 17/07/2002)

RESOLUÇÃO Nº 307, DE 5 DE JULHO DE 2002 (DOU de 17/07/2002) RESOLUÇÃO Nº 307, DE 5 DE JULHO DE 2002 (DOU de 17/07/2002) Estabelece diretrizes, critérios e procedimentos para a gestão dos resíduos da construção civil. Correlações: Alterada pela Resolução nº 469/15

Leia mais

LEI FEDERAL 12305/2010 POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS

LEI FEDERAL 12305/2010 POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS LEI FEDERAL 12305/2010 POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS ARTIGO 13 -ORIGEM RSU(domiciliares e de limpeza pública) Comerciais e Prestadores de Serviços Serviços Públicos de Saneamento Básico Industriais

Leia mais

O LIXO NAS RUAS. É preciso conscientizar as pessoas sobre os riscos que a falta de cuidado com o lixo pode trazer à sociedade.

O LIXO NAS RUAS. É preciso conscientizar as pessoas sobre os riscos que a falta de cuidado com o lixo pode trazer à sociedade. O LIXO NAS RUAS É preciso conscientizar as pessoas sobre os riscos que a falta de cuidado com o lixo pode trazer à sociedade. Por Maria Alice Luna Sampaio Hoje em dia, não podemos dar um passo fora de

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE

CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE RESOLUÇÃO N. 307, DE 05 DE JULHO DE 2002 Alterações: Resolução CONAMA n. 348, de 16.08.04 Resolução CONAMA n. 431, de 24.05.11 Resolução CONAMA n. 448, de 18.01.12 Resolução

Leia mais

M A N U A L COLETA SELETIVA DE LIXO

M A N U A L COLETA SELETIVA DE LIXO M A N U A L D A COLETA SELETIVA DE LIXO Coleta Seletiva de Lixo APRENDA AQUI TODOS OS PASSOS PARA IMPLANTAR UM SISTEMA DE COLETA SELETIVA DE LIXO EM SUA EMPRESA, CONDOMÍNIO, ESCOLA OU COMUNIDADE. I N T

Leia mais

Logística Reversa: destinação dos resíduos de poliestireno expandido (isopor ) pós-consumo de uma indústria i catarinense

Logística Reversa: destinação dos resíduos de poliestireno expandido (isopor ) pós-consumo de uma indústria i catarinense Logística Reversa: destinação dos resíduos de poliestireno expandido 1. Introdução Objetivo da pesquisa: analisar a possibilidade de uma destinação dos resíduos de poliestireno expandido (EPS), utilizados

Leia mais

Gerenciamento de Resíduos

Gerenciamento de Resíduos Gerenciamento de Resíduos DECRETO Nº 5.940, 25/10/2006 Institui coleta seletiva veronica.schmidt@ufrgs.br LIXO utilizado para designar tudo aquilo que não tem mais utilidade RESÍDUO Sobra (refugo) do beneficiamento

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE-CONAMA

CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE-CONAMA CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE-CONAMA Resolução nº 307, de 5 de Julho de 2002. Estabelece diretrizes, critérios e procedimentos para a gestão dos resíduos da construção civil, disciplinando as ações

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL

MINISTÉRIO PÚBLICO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL MINISTÉRIO PÚBLICO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PROJETO INTEGRADO DE SANEAMENTO BÁSICO E RESÍDUOS SÓLIDOS PRIORIDADE INSTITUCIONAL 4 EIXOS DE ATUAÇÃO ELABORAÇÃO DOS PLANOS MUNICIPAIS DE SANEAMENTO BÁSICO

Leia mais

Resíduos Sólidos: A Classificação Nacional e a Problemática dos Resíduos de Ampla e Difusa Geração

Resíduos Sólidos: A Classificação Nacional e a Problemática dos Resíduos de Ampla e Difusa Geração Resíduos Sólidos: A Classificação Nacional e a Problemática dos Resíduos de Ampla e Difusa Geração 01/33 Apresentação do Instrutor: Eduardo Fleck *Engenheiro Químico UFRGS, 1990; **Mestre em Engenharia

Leia mais

CARTILHA DA LEI DO ENTULHO FERNANDÓPOLIS, SP ORIENTAÇÃO EM BUSCA DA CIDADANIA

CARTILHA DA LEI DO ENTULHO FERNANDÓPOLIS, SP ORIENTAÇÃO EM BUSCA DA CIDADANIA CARTILHA DA LEI DO ENTULHO FERNANDÓPOLIS, SP ORIENTAÇÃO EM BUSCA DA CIDADANIA - (17) 3463-9014 TEL. (17) 3463-1495 O CER também comercializa materiais reciclados para obra de ótima qualidade como areia,

Leia mais