Meio Ambiente e a Indústria de Embalagem. Índice

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Meio Ambiente e a Indústria de Embalagem. Índice"

Transcrição

1 1

2 Meio Ambiente e a Indústria de Embalagem Índice A embalagem é verde Coleta seletiva Meio Ambiente e a Indústria de Embalagem Plástico PET Plásticos Rígidos e Flexíveis Vidro Metal Alumínio Aço Papel Papelão Ondulado Multicamadas Gerenciamento Integrado dos Resíduos Sólidos Urbanos Colaboradores A embalagem é verde A embalagem reflete a cultura e estágio de desenvolvimento de uma nação e seu aprimoramento vem acompanhando a evolução da sociedade desde os tempos primórdios, se adequando à sua nova organização, padrões, necessidades. A utilização da embalagem está diretamente atrelada ao nosso estilo de vida, tendo uma função tão fundamental que passa a ser confundida como o próprio produto em si. Alimentos, produtos de higiene e limpeza, cosméticos, medicamentos, bebidas e bens de consumo em geral, só sobrevivem no mundo atual porque contam com uma embalagem adequada que lhes garante proteção durante as etapas de transporte, estocagem, manuseio e consumo, mantendo as propriedades físicas e naturais do produto bem como higiene e segurança para o consumidor. A embalagem existe para preservar e proteger um produto cuja importância, utilidade e valor é maior do que ela mesma. E para aumentar a sua contribuição ambiental, a indústria de embalagem vem trabalhando intensamente em algumas frentes, como: adoção de técnicas de produção limpa redução do consumo de recursos naturais aprimoramento dos materiais de embalagens redução na fonte da espessura / volume das embalagens reutilização de embalagens reciclagem dos materiais Este é um segmento que converge seus esforços visando alcançar um único objetivo: melhoria constante da qualidade de vida da população, no que tange individualmente cada cidadão assim como o nosso país e o mundo em que vivemos. Acreditamos ainda que a nossa evolução deva ser constante e por isso estamos buscando sempre melhores soluções. Por meio deste documento apresentamos nosso esforços e nos colocamos à disposição para novos desafios. 2 3

3 Meio Ambiente e a Indústria de Embalagem 4 Coleta Seletiva Após consumir um produto é importante descartar a sua embalagem separadamente dos resíduos orgânicos - alimentos, ou de outros produtos não recicláveis, contribuindo assim para a sua reutilização, reaproveitamento ou reciclagem. O material reciclável separado deve ser entregue ao programa de coleta seletiva do condomínio, bairro, supermercado, escola, ONGs, entre outros existentes, ou diretamente nos centros de triagem ou cooperativas de catadores. Confira abaixo sites na internet que indicam os principais postos de entrega de materiais recicláveis: ABRE Associação Brasileira de Embalagem CEMPRE Compromisso Empresarial para Reciclagem Contribua para a Coleta Seletiva! É muito fácil e com a sua ajuda a reciclagem vai crescer! O que separar: Papel: Metal: caixas de cartão e papelão e embalagens longa vida. latas de alumínio e aço de sucos, cervejas, refrigerante, produtos alimentícios entre outros e tampas metálicas. Plástico: embalagens de produtos de limpeza, cosméticos, alimentos e bebidas, inclusive as de refrigerante. Vidro: Dica: garrafas em geral, potes e frascos de alimentos e cosméticos, entre outros. Os materiais recicláveis devem ser enxaguados ao serem separados. Meio Ambiente e a Indústria de Embalagem A indústria de embalagem destacase por suas preocupações de cunho ambiental: sistemas rígidos de produção limpa e proteção ao meio ambiente, destacando-se as empresas que já foram certificadas pela ISO Além disto, este setor também é responsável pela preservação do meio ambiente por meio do acondicionamento adequado de alimentos e produtos que consomem matéria-prima e recursos naturais ao serem processados, mas que são essenciais para garantir a qualidade de vida da população. O envolvimento deste segmento com o meio ambiente vai ainda mais adiante. Os diferentes tipos de materiais de embalagem que foram desenvolvidos de acordo com as necessidades de novas barreiras e formas de acondicionamento, contam com um constante investimento tecnológico, que tem proporcionado avanços na redução da espessura das embalagens, consumindo menos matéria-prima e energia no seu processamento. A reciclagem já é uma realidade deste segmento. Os altos índices alcançados são resultado do trabalho de catadores e de parcerias entre a iniciativa privada e o poder público. E esta iniciativa ainda pode crescer por meio da coleta municipal abrangente e seletiva dos resíduos urbanos, do maior envolvimento da população, do combate ao desfavorecimento do material reciclado frente à matéria-prima virgem e do desenvolvimento de tecnologias de valorização deste material. 5

4 PET n Introdução ao produto O que é PET? PET é uma sigla e significa Poli(Tereftalato de Etileno). É um tipo de plástico, um poliéster. Simplificando, as embalagens de PET, por sua qualidade e resistência, são ideais para acondicionar refrigerantes, águas, sucos, óleos comestíveis, medicamentos, cosméticos, produtos de higiene e limpeza, destilados, isotônicos, cervejas, entre vários outros. Embalagens termoformadas, chapas e cabos para escova de dente são outros exemplos para a utilização da resina. O PET apresenta uma estrutura bastante leve e proporciona alta resistência mecânica (impacto) e química, além de ter excelente barreira para gases e odores, mostrando-se ser ideal para o envase e acondicionamento de diversos produtos, reduzindo custos de transporte e produção. Por tudo isso, oferece ao consumidor um produto substancialmente barato, seguro e moderno, além de ecologicamente correto: as embalagens recicláveis de PET. 3 - Reciclagem mecânica. Quase todo o PET reciclado no Brasil passa pelo processo mecânico, que pode ser dividido em: a) Recuperação: Nesta fase evitamos que as embalagens PET acabem no lixo comum. O PET recuperado será separado por cor e prensado. A separação por cor é necessária para que os produtos que resultarão do processo tenham uniformidade, facilitando sua aplicação no mercado. A prensagem, por outro lado, é importante para que o transporte das embalagens seja viabilizado. Como já sabemos, o PET é muito leve. Esta etapa requer muita mão-de-obra e uma prensa. 6 A reciclagem de PET O PET pode ser reciclado de três maneiras diferentes: 1 - Reciclagem química Utilizada também para outros plásticos, separa os componentes do PET, fornecendo matériaprima para solventes e resinas, tintas, adesivos e outros produtos. 2 - Reciclagem energética O PET tem alto poder calorífico e não contém substâncias tóxicas, fazendo de sua queima um procedimento seguro. O calor gerado com a queima do produto pode ser aproveitado na geração de energia elétrica (usinas termelétricas), alimentação de caldeiras e altosfornos. Por outro lado, o alto valor obtido pela sucata de PET e as aplicações mais nobres para o material tornam a incineração uma opção praticamente descartada pelo mercado. b) Revalorização: As garrafas são moídas, ganhando valor no mercado. O produto que resulta desta fase é o floco da garrafa. Pode ser produzido de maneiras diferentes e, os flocos mais refinados, podem ser utilizados diretamente como matériaprima para a fabricação dos diversos produtos que o PET reciclado dá origem na etapa de transformação. No entanto, há possibilidade de valorizar ainda mais o produto, produzindo os grãos de PET reciclado. Desta forma o produto fica muito mais condensado, otimizando o transporte e o desempenho na transformação. Para a revalorização, é preciso uma linha completa de máquinas. Veja o diagrama abaixo: c) Transformação: Fase em que os flocos, ou o granulado será transformado num novo produto, fechando o ciclo. Os transformadores utilizam PET reciclado para fabricação de diversos produtos, inclusive novas garrafas para produtos não alimentícios. 7

5 PET 8 n Material reciclado O mercado para produtos reciclados de PET vem crescendo de forma significativa e já é um setor muito importante dentro da indústria nacional. Por exemplo, a maior parte dos veículos nacionais produzidos atualmente sai de fábrica com seu interior revestido com materiais feitos de PET reciclado. É possível também comprar roupas e tecidos em cujas composições há poliéster oriundo da reciclagem de PET. Algumas roupas são produzidas com 100% de poliéster, como as modernas peças de microfibra. Dê uma conferida na etiqueta de sua roupa: se há poliéster, você pode estar vestindo garrafas sem saber! Isso tudo significa que os produtos feitos com PET reciclado fazem parte do nosso dia-a-dia: são roupas e tecidos, cordas, vassouras, novas embalagens, tintas, fitas de arquear, peças injetadas e muitos outros! Veja no quadro abaixo a distribuição dos mercados para o PET reciclado: Números da reciclagem Ano Demanda para embalagens Reciclagem pós-consumo/índice ktons 13 ktons= 19% ktons 18 ktons= 25% ktons 22 ktons= 21% ,7 ktons 30 ktons= 16% ,6 ktons 40 ktons= 18% ,8 ktons 50 ktons= 20% ,1 ktons 67 ktons= 26% ,0 ktons 89 ktons = 33% ,0 ktons 105 ktons = 35% n Aspectos sociais, econômicos e ambientais Os benefícios da embalagem de PET A proteção ao meio ambiente sempre foi a principal motivação à reciclagem dos materiais. Com o desenvolvimento tecnológico e econômico da atividade, os benefícios podem ser ainda mais abrangentes. Benefícios Sociais: no Brasil, uma quantidade enorme de pessoas vive diretamente da atividade de coleta, triagem e mesmo reciclagem do PET. Muitos progridem e passam a pequenos empreendedores - donos de depósitos que prensam e vendem para os recicladores os fardos de embalagens de PET. Essa atividade permite o resgate da cidadania e rendimentos a pessoas que normalmente estariam fora do mercado formal de trabalho. Benefícios Econômicos: a indústria de reciclagem criou um novo setor industrial, movimentando a economia, direta e indiretamente. Para dar apenas um exemplo, somente o transporte da sucata das 105 mil toneladas de embalagens PET recicladas em 2002 necessitou de aproximadamente 35 viagens por dia, durante todos os dias do ano, mantendo ativos os motoristas e seus ajudantes. n Mais informações: Benefícios Ecológicos: As embalagens de PET são ecologicamente corretas e seus benefícios vão além da reciclagem: durante a fabricação de um refrigerante os sistemas que usam as garrafas recicláveis de PET consomem menos de dois litros de água para 1 litro de refrigerante. Ao sair da fábrica, 98% da carga será composta da bebida e apenas 2% serão referentes à embalagem. Após seu consumo, enviar as embalagens para reciclagem é prático e seguro por serem leves e inquebráveis. Já no processo de reciclagem, a resina que resulta desse trabalho terá consumido cerca de 3% da energia que seria necessária para a produção de resina virgem. As embalagens de PET são 100% recicláveis. Mais que isso, são de fato recicladas, por uma indústria eficiente de apenas 10 anos de idade. Em 2002, 105 mil toneladas do material foram efetivamente coletadas e recicladas e o crescimento desta prática tem sido de 18% ao ano. Na medida que são promovidos sistemas eficientes de coleta e separação, este índice e os benefícios atrelados também aumentarão. O consumidor pode facilmente colaborar com tudo isso: basta amassar a embalagem após o consumo, tampa-la novamente e descarta-la em contêineres de coleta seletiva, ou entregá-la a catadores, cooperativas ou entidades que as aceitem para posterior venda. Isso facilita a reciclagem do material e evita seu uso indevido. ABIPET a entidade que congrega toda a cadeia produtiva das embalagens PET no Brasil. Inclusive os recicladores. Tel/Fax: Site: 9

6 PLÁSTICOS Rígidos e Flexíveis n Introdução ao produto Os plásticos para embalagens Os plásticos sintéticos utilizados nas embalagens são produzidos a partir da nafta, um derivado do petróleo. São basicamente de dois tipos: 1) Os Termoplásticos, que não sofrem alterações na sua estrutura química durante o aquecimento e que após o resfriamento podem ser novamente fundidos. Exemplos: 1 Polietileno Tereftalato - PET 2 Polietileno de Alta densidade - PEAD 3 Policloreto de Vinila - PVC 4 Polietileno de baixa densidade - PEBD 5 Polipropileno - PP 6 Poliestireno - PS Há três processos de reciclagem de plásticos: 1) Reciclagem mecânica É a mais utilizada no Brasil. Consiste na conversão dos descartes plásticos pósindustriais ou pós-consumo em grânulos que podem ser reutilizados na fabricação de outros produtos. Essa reciclagem possibilita a obtenção de produtos a partir de misturas de diferentes plásticos em determinadas proporções, ou produtos compostos por um único tipo de plástico. Estima-se que no Brasil sejam reciclados mecanicamente 17,5% dos resíduos plásticos pós-consumo. 2) Os Termofixos, que não fundem com o aquecimento. Exemplos: resinas fenólicas epóxi poliuretanos n Material reciclado Produtos feitos com plástico reciclado Há uma grande gama de produtos que podem ser fabricados a partir de plástico reciclado. 10 Entre eles, estão sacos de lixo, solados, pisos, conduítes, mangueiras, componentes de automóveis, fibras, embalagens não-alimentícias, carpetes, roupas, enchimentos, baldes, regadores, cabides, caixas de CD. A reciclagem proporciona uma série de produtos úteis ao nosso dia-a-dia. 11

7 PLÁSTICOS Rígidos e Flexíveis 2) Reciclagem energética É a recuperação da energia contida nos plásticos através de processos térmicos. Ainda pouco utilizada no Brasil, a reciclagem energética distingue-se da incineração por utilizar os resíduos plásticos como combustível na geração de energia elétrica. Já a simples incineração não reaproveita a energia dos materiais. A energia contida em 1 kg de plásticos é equivalente à contida em 1 kg de óleo combustível. Cerca de 15% da reciclagem de plásticos da Europa Ocidental é energética. 3) Reciclagem química Reprocessa plásticos transformando-os em petroquímicos básicos: monômeros ou misturas de hidrocarbonetos que servem como matéria-prima em refinarias ou centrais petroquímicas, para a obtenção de produtos nobres de elevada qualidade. O objetivo é a recuperação dos componentes químicos individuais para reutilizá-los como produtos químicos ou para a produção de novos plásticos. Por ser muito dispendiosa, ainda não é utilizada no Brasil. n Aspectos sociais, econômicos e ambientais O plástico é um material reciclável que, por ser inócuo, não é poluente. Precisamente por esta característica de atoxicidade, o plástico tem aplicações relevantes para a vida moderna: acondiciona água e bebidas, sangue e soro fisiológico, medicamentos e alimentos, em embalagens como garrafas, bolsas, frascos e potes. O plástico é 100% reciclável. O nível de reciclagem atingido é diretamente proporcional à eficácia dos sistemas de coleta seletiva nas cidades, cuja implantação é bastante simples. Basta separar os resíduos domésticos em apenas dois sacos plásticos de cores diferentes, um para o lixo seco - plásticos, alumínio, papéis, vidro e outros materiais recicláveis - e outro para o lixo úmido - restos de alimentos. n Mais informações: Linha de separação de plásticos na Unidade Recicladora da APAE de Mauá. O poder público deveria organizar a coleta de tal forma que, enquanto o lixo úmido segue para compostagem ou aterros sanitários, o seco destina-se a cooperativas, entidades ou indústrias, para a devida separação, prensagem, enfardamento e posterior reciclagem. As pesquisas realizadas pela Plastivida demonstram claramente que os municípios que cuidaram destes aspectos nos últimos anos alcançaram expressivos índices de reciclagem. Seus cidadãos separam corretamente o material reciclável. A coleta e a reindustrialização desses materiais geram milhares de postos de trabalho, em especial para a população de baixa renda. Nunca é demais relembrar o valor econômico do lixo. 12 A Plastivida, comissão da Abiquim - Associação Brasileira da Indústria Química - representa um grupo de empresas do setor que atuam em favor do uso responsável do plástico. Rua Santo Antonio 184, 18ºandar - Site: Fone: ramais 260 e Fax:

8 VIDRO n Introdução ao produto Características do vidro: Vidro - A embalagem 100% reciclável 14 l Higiênico Protege e conserva os alimentos por muito tempo, sendo uma embalagem que atende a todos os requisitos exigidos para o acondicionamento de líquidos e alimentos para consumo humano. l Transparente Permite que o consumidor veja o conteúdo da embalagem e saiba exatamente o que está comprando. l Impermeável Não possui poros, garantindo que os alimentos embalados se mantenham rigorosamente vedados, mesmo depois da embalagem ter sido aberta. l Prático Após o uso, o produto pode ser retampado caso não seja consumido em sua totalidade. l Inerte Os produtos embalados em vidro não sofrem qualquer tipo de alteração de sabor, odor, cor ou qualidade. l Estéril O vidro suporta altas temperaturas, o que permite a sua total esterilização, garantindo de forma total e rigorosa a integridade do conteúdo envasado. l Retornável Embalagens de vidro podem ser reaproveitadas diversas vezes, como é o caso, por exemplo, das garrafas. l Reutilizável Embalagens vazias de vidro podem ser utilizadas para armazenar qualquer outro alimento ou mesmo objetos. l Reciclável O vidro pode ser reciclado infinitamente, sem perda de qualidade ou pureza do produto. Uma garrafa de vidro gera outra exatamente igual, independente do número de vezes que o caco de vidro vai ao forno para ser reciclado. l Natural O vidro é fabricado exclusivamente com matérias-primas naturais como areia, barrilha e calcário. l Nobre Sugere qualidade premium ao produto envasado. l Versátil" talvez seja a palavra que melhor defina o vidro. l Coloração do Vidro: Vido Âmbar É utilizado para envazar bebidas fermentadas com o objetivo de impedir a passagem dos raios ultravioletas. A fabricação de vidro desta cor permite a utilização de um caco de vidro misto. Vidro Flint (Incolor) É utilizado para envazar alimento, refrigerantes e destilados. Em seu processo de fabricação, a utilização deverá ser sempre de caco incolor, não sendo possível utilizar caco misto. Seu valor de mercado é mais alto devido a dificuldade de captação da embalagem e pelo seu maior grau de pureza. Vidro Verde Possui também como característica principal a redução da passagem dos raios ultravioletas e seu processo de fabricação permite a utilização de caco de vidro misto em sua composição. 15

9 VIDRO 16 Captação Para abastecer uma operação de beneficiamento será necessário captar a matéria-prima, o vidro, o que pode ser feito das seguintes maneiras: PEV: Ponto de Entrega Voluntária, motivado por um aspecto legal, ambiental ou social Porta a Porta: a captação ocorre na residência das pessoas em dias e horários Exemplo de coletor determinados Postos de Troca: a captação da embalagem de vidro é estimulada através da troca por produtos específicos, prêmios ou cupons. Ferro-Velho: são deixados tambores para acondicionar o vidro, que é coletado ou comprado. Tipos de Coleta A indústria do vidro trabalha com o caco colocado em suas instalações, ou seja, a responsabilidade pelo transporte é do beneficiador. A retirada do material pode ser feita das seguintes maneiras: Coleta por caminhão munck O coletor é esvaziado dentro de uma caçamba de acondicionamento de vidro (utilizado para PEVs), via utilização de um braço hidráulico, fixo no chassis do caminhão. Coleta por caminhão compactador Realiza a coleta dos resíduos orgânicos e inorgânicos, esvaziando o lixo em um compactador que pode possuir até 3 compartimentos distintos, permitindo assim a prévia separação dos materiais. Em geral é usado na coleta porta-a-porta e possui a grande vantagem de reduzir o volume coletado através da compactação. Coleta por caminhão poliguindaste É utilizado principalmente nas envasadoras por causa da grande geração de vidro descartável desta atividade. A caçamba permanece no local da captação até completar sua capacidade quando, então, é trocada por outra vazia. A capacidade da caçamba pode variar de 5 a 17m3. Catador/carroceiro Utiliza a carrocinha puxada manualmente. Normalmente o catador percorre as ruas da cidade buscando materiais Catador/ recicláveis que carroceiro serão comercializados principalmente nos ferros-velhos. Coleta por van Normalmente utilizada em zonas urbanas onde a circulação de caminhões é proibida e/ou o volume coletado não é suficiente para justificar a coleta com caminhões especializados. Beneficiamento Até 200T/mês - Beneficiamento manual: As embalagens são separadas por cores e retiradas as tampas, rótulos e todas as impurezas são feitas e maneira artesanal. Acima de 200T/mês - Beneficiamento semi-automatizado: São utilizadas pácarregadeira, funil de alimentação, moinho para triturar, tambor ou tanque de lavagem, imã e esteira de triagem manual. Acima de 4T/hora - Instalação de uma mini-usina, possuindo uma infra-estrutura, mão de obra e equipamentos de maior densidade. n Aspectos sociais, econômicos e ambientais Preservação do meio ambiente Embalagens de vidro podem ser totalmente reaproveitadas no ciclo produtivo, sem nenhuma perda de material. Por isso, a reciclagem preserva a natureza ao reduzir a necessidade de captação de novas matériasprimas. A produção a partir do próprio vidro também consome menor quantidade de energia e emite menos resíduos particulados e CO2, o que também contribui significativamente para a preservação do meio-ambiente. Outro aspecto é o menor descarte de lixo, reduzindo os custos de coleta urbana e aumentando a vida útil de aterros sanitários. Se toda a população se conscientizasse dos benefícios da reciclagem, seria possível reaproveitar integralmente as embalagens, com enormes benefícios ecológicos, econômicos e sociais. Lucratividade A reciclagem de vidro, bem administrada, é uma atividade econômica lucrativa. No Brasil a reciclagem ainda é um nicho de mercado virtualmente inexplorado, com grande mercado e potencial de lucratividade, que carece de uma mentalidade empreendedora, n Mais informações: que molde o negócio em termos empresariais em todos os seus aspectos. Geração de empregos A instalação de uma mini-usina de reciclagem de vidro gera empregos que não demandam, em sua maioria, qualquer especialização, beneficiando camadas geralmente mais carentes da população. Assim, além de ser uma atividade lucrativa, a reciclagem empresarial também tem forte caráter social. Economia de Energia Vantagens do Vidro l Ser 100% Reciclável l Preservação de recursos minerais e energéticos / Vantagens ambientais 10% de "cacos > 4% de ganho energético 1 ton de "cacos" > economia de 1,2 ton de matérias-primas 10% de "cacos" > redução de 9,5% no consumo de água ABIVIDRO - Associação Técnica Brasileira das Indústrias Automáticas de Vidro R. General Jardim, º andar - Cep Vila Buarque - São Paulo - SP - Tel Fax Site:

10 ALUMÍNIO n Introdução ao produto Alumínio: soluções inovadoras de embalagens As embalagens de alumínio são ideais para acondicionar alimentos, bebidas, produtos de higiene, beleza, medicamentos e para os mais variados tipos de consumo. São bonitas, leves, resistentes, de uso rápido e prático, econômicas e seguras. Além disso, o alumínio é material que pode ser reciclado infinitas vezes, sem perder suas qualidades, o que significa menor consumo de recursos naturais e uma maior conservação da natureza. Tais atributos, aliados às inovações tecnológicas, têm garantido uma forte expansão das aplicações desse metal no setor de embalagens nos últimos anos. Alumínio: infinitamente reciclável A reciclabilidade é um dos atributos mais importantes do alumínio. Qualquer produto produzido com esse metal pode ser reciclado infinitas vezes, sem perder suas qualidades no processo de reaproveitamento, ao contrário de outros materiais. Quanto mais curto for o ciclo de vida de um produto de alumínio, mais rápido será o seu retorno à reciclagem. Fluxo de sucata de alumínio n Material reciclado Latas de alumínio: Brasil é tricampeão na reciclagem O Brasil reciclou 89% de todas as latas de alumínio para bebidas consumidas durante o ano de Com este índice, o País destaca-se como líder mundial nessa atividade, pelo terceiro ano consecutivo

11 ALUMÍNIO Lata de alumínio: um bom exemplo de reciclagem O exemplo mais comum de reciclagem de produtos de alumínio é o da lata para bebidas, cuja sucata transforma-se novamente em lata após a coleta e refusão, sem que haja limites para o seu retorno ao ciclo de produção. Como se recicla a lata de alumínio n Aspectos sociais, econômicos e ambientais Alumínio: benefícios da reciclagem Aspectos econômicos e sociais l Injeta recursos nas economias locais, por meio da criação de empregos, recolhimento de impostos e desenvolvimento do mercado. l Assegura renda a milhares de pessoas, constituindo fonte permanente de ocupação e remuneração. l Estimula a criação de novos negócios, como o de máquinas e equipamentos. l Beneficia entidades assistenciais, igrejas e escolas. Aspectos ambientais l Favorece o desenvolvimento da consciência ambiental, promovendo um comportamento responsável em relação ao meio ambiente, por parte das empresas e dos cidadãos. l Incentiva a reciclagem de outros materiais, multiplicando ações em virtude do interesse que desperta por seu maior valor agregado. l Reduz o volume de lixo gerado, contribuindo para a solução da questão do tratamento de resíduos resultantes do consumo. l Economiza energia, otimizando o uso dos recursos ambientais: w reciclar economiza até 95% da energia utilizada para produzir alumínio a partir da bauxita. w cada tonelada reciclada poupa a extração de 5 toneladas de minério. n Mais informações: 20 Rua Humberto I, nº 220, 4º andar Vila Mariana - São Paulo - SP Fone: (11) Fax: (11) Site: 21

12 AÇO n Introdução ao produto Saúde na lata. Por dispensar a adição de conservantes e preservar os nutrientes dos alimentos, a lata de aço é uma embalagem extremamente saudável. Ela oferece resistência contra a luz, oxigênio, contaminações e predadores. O cozimento em autoclaves faz dos alimentos enlatados produtos seguros e naturais. Nas tintas e produtos químicos, é o meio mais seguro de transporte e acondicionamento. A lata é um excelente veículo de comunicação, além de ser prática e versátil. O aço é formado a partir do minério de ferro, abundante na natureza. É infinitamente reciclável e degradável. A embalagem de aço é produzida a partir de um laminado coberto por uma fina camada de estanho virgem (folha de flandres) com baixo teor de carbono. A indústria de embalagem de aço produz, atualmente, 25 bilhões de latas e componentes por ano, que correspondem a 1 milhão de toneladas de lata. n Material reciclado No Brasil, o índice de reciclagem de aço cresceu de 17% em 1992 para 47% em No segmento de latas de duas peças para bebidas este índice é ainda maior, cresceu de 27% em 2001 para 78% em A separação do lixo pode ser manual (feita por catadores ou pelos próprios consumidores) ou magnética (feita através de imãs em grandes volumes de lixo). O brasileiro gera cerca de 1 quilo de lixo por dia. A coleta seletiva e a reciclagem são formas inteligentes de reduzir os resíduos e melhorar a qualidade de vida no planeta. Consumir com responsabilidade é optar por produtos saudáveis, saborosos, seguros, com preço justo e que não agridam o meio ambiente

13 AÇO n Aspectos sociais, econômicos e ambientais Desenvolver projetos de responsabilidade social é uma das atividades da Abeaço. As características que fazem da embalagem de aço uma ótima alternativa para quem preocupa-se em preservar o meio ambiente também não podem ser esquecidas. Essa embalagem é 100% reciclável, ou seja, depois de usada é aproveitada novamente, um processo que se repete infinitas vezes. Além disso, é degradável num período médio de 5 anos; isso significa que se uma embalagem de aço for deixada no ambiente, em contato com o solo e à intempéries, ela se decompõe totalmente, voltando para a natureza como óxido ferro - matéria prima do aço. n Aspectos sociais, econômicos e ambientais A ABEAÇO - Associação Brasileira de Embalagem de Aço, integrada pelos principais fabricantes de latas de aço do país, tem como objetivos: l Comunicação das vantagens das embalagens de aço; l Apoio a programas de coleta seletiva e reciclagem; l Criação de novas embalagens segundo critérios de ecodesign; l Pesquisa e desenvolvimento de aplicações para a indústria de alimentos, bebidas, tintas, produtos químicos, etc. Desta forma, o aço continua conquistando e fortalecendo suas posições no mercado de consumo, em diversos segmentos como os de, atomatados, óleo vegetal, alimentos, produtos lácteos, tintas e vernizes, pet food embalagens promocionais, perfumes e cosméticos. O consumo interno de embalagem de aço no Brasil é de quatro quilos por habitante/ano, enquanto o consumo per capita nos EUA é de 10 quilos e no Japão, 40 quilos. Esses números demonstram o enorme potencial de crescimento no consumo que essa embalagem possui. n Mais informações: 24 ABEAÇO Associação Brasileira de Embalagens de Aço tel: (11) site: 25

14 PAPELÃO ONDULADO n Introdução ao produto Papelão ondulado: Caixas de papelão ondulado Tem mais de 100 anos de existência e no Brasil é utilizado desde É a embalagem de transporte utilizada em todo o mundo. 100% biodegradável e reciclável. Basicamente o papelão ondulado é uma estrutura formada por um ou mais elementos ondulados (miolos) fixados a um ou mais elementos planos (capas) por meio de adesivo aplicado no topo das ondas. Após esta formação básica as chapas são processadas dando origem a milhares de diferentes tipos de embalagens de papelão ondulado. Chapa de papelão ondulado O papelão ondulado é uma embalagem de transporte por excelência. Atualmente o papelão ondulado está abrindo o seu leque de utilização como embalagem primária, aquela que chega até o ponto de venda. A função básica da embalagem de papelão ondulado é a de conter um produto. Outras funções igualmente importantes são as de proteger, movimentar, transportar, identificar, estocar e distribuir o produto, sem alterar suas características originais. Os papéis mais usados na fabricação do papelão ondulado são as capas recicladas e de fibras virgens e o miolo, normalmente reciclado. O papelão ondulado é feito na onduladeira que, além do papel, trabalha com dois elementos básicos: o vapor e a cola. Vantagens competitivas: 26 Resistência: Choque; Variações de Temperatura; Compressão. Versatilidade: Ilimitada gama de tipos e soluções de embalagens; Desenvolvidas especialmente para cada tipo de produto. Logística: Sempre paletizável; Excelente grau de utilização; Otimização no carregamento de cargas: Menor consumo de combustíveis - Menos veículos nas estradas - Menor poluição atmosférica. Índice de reciclagem: 77,3% No Brasil, o papelão ondulado, confirmando sua condição de amigo fiel e eterno não agressor da natureza, atingiu a taxa de reciclagem de 77,3%. O ciclo de vida do papelão ondulado constitui uma cadeia fechada na qual a embalagem usada é reciclada e novamente utilizada na fabricação de novas embalagens. Esta é uma forte contribuição da indústria de papelão ondulado ao meio ambiente. 27

15 PAPELÃO ONDULADO n Aspectos sociais, econômicos e ambientais n Material reciclado Embalagem ecologicamente inteligente A contribuição das Embalagens de Papelão Ondulado à proteção ambiental em seu ciclo de vida pode ser resumida como segue: Na produção Otimiza o uso de materiais descartados. As embalagens celulósicas recicladas constituem a fonte principal de matéria prima para a fabricação das caixas. Os materiais auxilliares utilizados também não são agressivos ao meio ambiente - tintas atóxicas, colas e insumos neutros. A fibra virgem é proveniente de florestas plantadas, ou seja, de recursos renováveis. Na distribuição Reduz a emissão de poluentes no transporte. O número de caminhões nas estradas é drasticamente reduzido ao se utilizar embalagens de papelão ondulado one way recicláveis, reduzindo a emissão de CO 2, de consumo de combustível e de poluição sonora. As embalagens de papelão ondulado (tanto cheias como vazias) otimizam a utlização do espaço em todos os pontos da cadeia logística e facilitam o manuseio, o que resulta na redução de custos. No uso Não apresenta qualquer risco conhecido à saúde humana ou ao meio ambiente. As embalagens de papelão ondulado evitam danos aos produtos e por serem descartáveis evitam também sua contaminação. No descarte n Mais informações: 28 Alivia os aterros pela geração cada vez menor de resíduos sólidos, pois as embalagens de papelão ondulado são recicláveis e 100% biodegradáveis e sua taxa de reciclagem está em contínuo crescimento. Fone: (11) Site: 29

16 MULTICAMADAS n Introdução ao produto A embalagem cartonada da Tetra Pak é composta por papel (cartão), plástico (polietileno de baixa densidade) e alumínio, que criam uma barreira que impede a entrada de luz, ar, água, microorganismos e odores externos e, ao mesmo tempo, preserva o aroma dos alimentos dentro da embalagem. Um dos objetivos das embalagens é proteger o seu conteúdo, e nesse sentido, as embalagens cartonadas são muito eficientes, pois mantêm bactérias e outros microorganismos longe de alimentos como leite, preparados de tomate e sucos de frutas, preservando-os por muitos meses, sem a necessidade de adição de conservantes. Além disso, os alimentos envasados nesse tipo de embalagem podem ser mantidos sem refrigeração, economizando energia da geladeira e de caminhões frigoríficos. O peso da embalagem é outro fator importante, pois, para embalar um litro de alimento, são necessários somente 28 gramas de material, economizando recursos naturais e gasto de combustível durante o transporte. n Material reciclado Após a coleta seletiva, existem várias tecnologias disponíveis para reciclar a embalagem cartonada da Tetra Pak. A principal é a reciclagem do papel e a utilização das camadas de plástico e alumínio em indústrias de plásticos. Existem também tecnologias mais modernas que recuperam o polietileno na forma de parafina e obtém o alumínio metálico, que podem ser utilizados para a produção de uma nova embalagem longa vida. A reciclagem das fibras e do alumínio/polietileno A reciclagem das fibras e do alumínio/polietileno que compõem a embalagem começa nas fábricas de papel, em um equipamento chamado "hidrapulper", semelhante a um liquidificador gigante. Embalagens cartonadas no hidrapulper Embalagens Cartonadas da Tetra Pak Plástico/alumínio separados das fibras de papel no hidrapulper 30 31

17 MULTICAMADAS n Material reciclado A reciclagem das fibras e do alumínio/polietileno Durante a agitação do material com água e sem produtos químicos, as fibras são hidratadas, separando-se do alumínio/ polietileno. Em seguida, essas fibras são lavadas e purificadas e podem ser usadas para a produção de papel utilizado na confeccção de caixas de papelão. Peças de plástico/alumínio Bobina de papel reciclado de embalagens da Tetra Pak O material restante, composto de alumínio/polietileno, é destinado às fábricas de processamento de plástico, onde são recicladas por meio de um processo de secagem, trituração, extrusão e injeção. Ao final do processo, esse material pode ser usado para produzir peças plásticas, como cabos de pá, ventoinhas de motores, canetas, réguas, coletores, vassouras e outros. n Aspectos sociais, econômicos e ambientais Após o uso da embalagem da Tetra Pak, a coleta seletiva e, em seguida, a reciclagem são a alternativa adequada para o descarte, pois permitem a inserção em um novo ciclo de produção. Esse mercado está em constante crescimento, com várias cooperativas se organizando para a separação, prensagem e destino de materiais aos recicladores. Todo esse processo evita o acúmulo de material em aterros sanitários, permite o aproveitamento de recursos naturais como as fibras de papel e o plástico e contribui para a geração de empregos e renda. 32 Outra alternativa de reciclagem é a produção de placas e telhas, que começa com a trituração do plástico/alumínio, que são depois prensados com aquecimento. Essas placas podem ser utilizadas também para produção de móveis. Telhas recicladas e cadeira n Mais informações: Site: Tel: (19)

18 Meio Ambiente e a Indústria de Embalagem O gerenciamento integrado dos resíduos sólidos urbanos O gerenciamento dos resíduos sólidos urbanos deve ser feito integralmente, ou seja, abrangendo toda a população e buscando o maior aproveitamento dos resíduos coletados, levando-se em conta as seguintes formas de tratamento: Colaboradores Compostagem: como no Brasil a maior parte dos resíduos sólidos urbanos constituem-se de matéria orgânica, ou seja, restos de alimentos, deve-se fazer a compostagem destes, visando reduzir o volume a ser disposto nos aterros e evitar a contaminação do solo e dos lençóis freáticos por meio do chorume. O composto, por sua vez, pode ser utilizado em grande escala pelas regiões agrícolas que abrangem todo o país. Reciclagem e reutilização: deve-se reaproveitar aqueles resíduos descartados que se constituem de matéria-prima para outras atividades. Além de substituirem a matéria-prima virgem, estes materiais proporcionam economia de energia e outros recursos naturais ao serem reprocessados. Incineração: a incineração com recuperação de energia é indicada para os casos onde a reciclagem não é viável, seja técnica ou economicamente e para resíduos hospitalares ou industriais. Esta prática reduz o volume do lixo, elimina riscos de contaminação e proporciona uma nova fonte de energia. Aterros sanitários ou controlados: são indicados para a disposição final adequada daqueles resíduos que não podem ser reaproveitados. Não existe um modelo único de gerenciamento de resíduos que atenda todo o país. Cada região deve considerar suas particularidades sociais, econômicas, geográficas e de infra-estrutura, e individualmente ou por meio de parcerias com municipalidades próximas, contando com o apoio da indústria e da sociedade, estabelecer as diretrizes para o gerenciamento dos seus resíduos sólidos urbanos. Coordenação: Bárbara Castro Coordenadora de Meio Ambiente Luciana Pellegrino Diretora Executiva ABRE Associação Brasileira de Embalagem Projeto Gráfico e Editoração: Formato Editoração e Design, (11) Expediente Impressão: Indusplan Gráfica e Editora, tel. (11) , fax (11) Tiragem: exemplares Impresso em papel reciclado aparas brancas e embalagens da Tetra Pak Esta Cartilha é uma iniciativa da Associação Brasileira de Embalagem para ser distribuída junto aos seus associados, fabricantes e usuários de embalagem, órgãos governamentais e não governamentais e instituições de ensino

19 ABRE Associação Brasileira de Embalagem Rua Oscar Freire, º andar conj. 152 CEP São Paulo SP Tel: (11) Fax: (11) Site: 36

Embalagem Cartonada Longa Vida

Embalagem Cartonada Longa Vida Embalagem Cartonada Longa Vida 1) Objetivo Geral Saber mais sobre a embalagem cartonada e a conservação de alimentos. 2) Objetivo Específico Adquirir conhecimentos sobre a reciclagem da embalagem e seus

Leia mais

"PANORAMA DA COLETA SELETIVA E RECICLAGEM NO BRASIL"

PANORAMA DA COLETA SELETIVA E RECICLAGEM NO BRASIL "PANORAMA DA COLETA SELETIVA E RECICLAGEM NO BRASIL" Associação sem fins lucrativos, fundado em 1992, o CEMPRE se dedica à promoção da reciclagem dentro do conceito de gerenciamento integrado do lixo.

Leia mais

Textos de apoio. Ciências. Ensino Fundamental I

Textos de apoio. Ciências. Ensino Fundamental I Textos de apoio Ciências Ensino Fundamental I 1 Latas de aço O mercado para reciclagem No Brasil, assim como no resto do mundo, o mercado de sucata de aço é bastante sólido, pois as indústrias siderúrgicas

Leia mais

CARTILHA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DIVIRTA-SE E APRENDA SOBRE A RECICLAGEM E AS VANTAGENS DAS EMBALAGENS LONGA VIDA U M P RO J E TO

CARTILHA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DIVIRTA-SE E APRENDA SOBRE A RECICLAGEM E AS VANTAGENS DAS EMBALAGENS LONGA VIDA U M P RO J E TO CARTILHA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DIVIRTA-SE E APRENDA SOBRE A RECICLAGEM E AS VANTAGENS DAS EMBALAGENS LONGA VIDA U M P RO J E TO O PRIMEIRO PASSO PARA APRENDER A RECICLAR É CONHECER QUAIS MATERIAIS SÃO

Leia mais

Meio Ambiente: uma questão de sobreviência

Meio Ambiente: uma questão de sobreviência Meio Ambiente: uma questão de sobreviência Sociedade e as empresas despertam para a necessidade de preservação Fernando Neves e Rodrigo Gomes - 2000 Desenvolvimento Ambiental Editorial Não é de hoje que

Leia mais

PROGRAMA DE COLETA SELETIVA

PROGRAMA DE COLETA SELETIVA PROGRAMA DE COLETA SELETIVA PROGRAMA DE COLETA SELETIVA Usando Bem Ninguém Fica Sem. PROGRAMA DE COLETA SELETIVA 1. O QUE É COLETA SELETIVA 2. DESTINO FINAL DO LIXO DE SÃO PAULO 3. COMPOSIÇÃO DO LIXO SELETIVO

Leia mais

Questões ENADE. 2011 QUESTÃO 11 (Componente específico comum)

Questões ENADE. 2011 QUESTÃO 11 (Componente específico comum) OPQ0001 Questões ENADE 2011 QUESTÃO 11 (Componente específico comum) Materiais metálicos, cerâmicos e poliméricos são amplamente utilizados nos dias de hoje. Suas aplicações estão diretamente relacionadas

Leia mais

RECICLAGEM MECÂNICA: CONCEITOS E TÉCNICAS

RECICLAGEM MECÂNICA: CONCEITOS E TÉCNICAS RECICLAGEM MECÂNICA: CONCEITOS E TÉCNICAS 2.1 - Algumas Definições A idéia de se aproveitar resíduos não é nova; ela tem, contudo, se estabelecido de forma expressiva, não só por razões econômicas, mas

Leia mais

Reciclagem de plásticos e a melhoria da qualidade de água em mananciais urbanos

Reciclagem de plásticos e a melhoria da qualidade de água em mananciais urbanos Reciclagem de plásticos e a melhoria da qualidade de água em mananciais urbanos Curso: Engenharia Ambiental Aluno: André Lenz de Freitas Disciplina: Ecologia Geral Professor: Ricardo Motta Pinto Coelho

Leia mais

"PANORAMA DA COLETA SELETIVA E RECICLAGEM NO BRASIL"

PANORAMA DA COLETA SELETIVA E RECICLAGEM NO BRASIL "PANORAMA DA COLETA SELETIVA E RECICLAGEM NO BRASIL" Quem somos: Associação sem fins lucrativos, fundado em 1992, o CEMPRE se dedica à promoção da reciclagem dentro do conceito de gerenciamento integrado

Leia mais

TRATAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS (RSU) Profa. Margarita María Dueñas Orozco margarita.unir@gmail.com

TRATAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS (RSU) Profa. Margarita María Dueñas Orozco margarita.unir@gmail.com TRATAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS (RSU) Profa. Margarita María Dueñas Orozco margarita.unir@gmail.com TRATAMENTO Série de procedimentos destinados a reduzir a quantidade ou o potencial poluidor dos

Leia mais

"PANORAMA DA COLETA SELETIVA DE LIXO NO BRASIL"

PANORAMA DA COLETA SELETIVA DE LIXO NO BRASIL Reciclagem e Valorizaçã ção o de Resíduos Sólidos S - Meio Ambiente UNIVERSIDADE DE SÃO S O PAULO "PANORAMA DA COLETA SELETIVA DE LIXO NO BRASIL" Associação sem fins lucrativos, o CEMPRE se dedica à promoção

Leia mais

RECICLAGEM: ECONOMIA X MEIO AMBIENTE

RECICLAGEM: ECONOMIA X MEIO AMBIENTE RECICLAGEM: ECONOMIA X MEIO AMBIENTE DANIELLE PATRÍCIA NASCIMENTO DE OLIVEIRA (IC) 1 ILTON SÁVIO BATISTA MARTINS (PG) 1 JACKSON DA SILVA SANTOS (PG) 1 KATIA LIDIANE DA SILVA (IC) 1 MARIA DO CÉU AZEVEDO

Leia mais

Mercado da reciclagem: a qualidade dos materiais

Mercado da reciclagem: a qualidade dos materiais Mercado da reciclagem: a qualidade dos materiais Cinthia Versiani Scott Varella Ms. Engenheira de Produção Pesquisadora do Núcleo Alternativas de Produção Consultora INSEA Objetivo Qualidade da matéria

Leia mais

É o termo geralmente utilizado para designar o reaproveitamento de materiais beneficiados como matéria-prima para um novo produto.

É o termo geralmente utilizado para designar o reaproveitamento de materiais beneficiados como matéria-prima para um novo produto. É o termo geralmente utilizado para designar o reaproveitamento de materiais beneficiados como matéria-prima para um novo produto. REDUZIR REUTILIZAR RECUPERAR RECICLAR A redução deve ser adaptada por

Leia mais

Guia de sustentabilidade para plásticos

Guia de sustentabilidade para plásticos Guia de sustentabilidade para plásticos Maio 2014 1 2 3 4 5 6 7 8 Introdução... 4 Contextualização dos plásticos... 6 Composição dos móveis e utensílios de plásticos...7 Requerimentos para materiais que

Leia mais

Preservação do meio ambiente

Preservação do meio ambiente Preservação do meio ambiente Introdução: Este texto, visando a preservação do ambiente em que vivemos, traz atitudes fáceis e práticas que você mesmo pode tomar para tornar o mundo um lugar mais agradável

Leia mais

Lixo. A vida é repleta de Química, Física, História e todas outras ciências que estudamos. Da mesma maneira, o ENEM, aborda os conteúdos que

Lixo. A vida é repleta de Química, Física, História e todas outras ciências que estudamos. Da mesma maneira, o ENEM, aborda os conteúdos que Lixo 1 A vida é repleta de Química, Física, História e todas outras ciências que estudamos. Da mesma maneira, o ENEM, aborda os conteúdos que estudamos em temáticas que rementem ao nosso cotidiano. Dessa

Leia mais

Princípio da fabricação de garrafas numa vidraria.

Princípio da fabricação de garrafas numa vidraria. Princípio da fabricação de garrafas numa vidraria. Matérias-primas Areia Calcário Barrilha Diversos Caco Silos de estocagem Misturador Forno Canal de alimentação Máquina de produção Archa de recozimento

Leia mais

Programa de Gestão. Ambiental. Cartilha. Ambiental

Programa de Gestão. Ambiental. Cartilha. Ambiental Programa de Gestão Ambiental Cartilha Ambiental Índice Responsabilidade Ambiental 1. Responsabilidade Ambiental 2. Organograma 4. Política Ambiental 6. Coleta Seletiva Interna 12. Dicas Importantes A preocupação

Leia mais

COLETA SELETIVA VIDRO

COLETA SELETIVA VIDRO PROJETO COLETA SELETIVA VIDRO Florianópolis, 29 de abril de 2013 Assessoria Técnica - ASTE Departamento Técnico DPTE 2 1. CONTEXTUALIZAÇÃO As obrigações impostas pela Política Nacional de Resíduos Sólidos

Leia mais

CONDIÇÕES DE ENTREGA/RECEPÇÃO DO SERVIÇO EXTRA URBANO

CONDIÇÕES DE ENTREGA/RECEPÇÃO DO SERVIÇO EXTRA URBANO SERVIÇO EXTRA URBANO O Serviço extra Urbano corresponde ao serviço a ser prestado aos produtores de resíduos não urbanos de embalagens, de forma a garantir a esses produtores um destino final adequado

Leia mais

Resíduos Sólidos Redução de Embalagens

Resíduos Sólidos Redução de Embalagens Resíduos Sólidos Redução de Embalagens GUILHERME SCHULZ Ecólogo e Biólogo Mestre em Engenharia Bioma Pampa Ecologia guilherme@biomapampa.com.br www.biomapampa.com.br Gestão Ambiental Considerações: Prevenção

Leia mais

LOGÍSTICA REVERSA ACITSIGOL ASREVER

LOGÍSTICA REVERSA ACITSIGOL ASREVER Conceito LOGÍSTICA REVERSA ACITSIGOL ASREVER É uma área da logística que atua de forma a gerenciar e operacionalizar o retorno de bens e materiais, após sua venda e consumo, às suas origens, agregando

Leia mais

ADESÃO DA POPULAÇÃO.

ADESÃO DA POPULAÇÃO. A Comlurb desenvolve desde 1993 um programa de coleta seletiva, inicialmente baseado na implantação de cooperativas de bairro, muitas das quais em operação até hoje. Num passo seguinte foi implantada a

Leia mais

REDUZIR REUTILIZAR RECICLAR. O caminho para um futuro melhor.

REDUZIR REUTILIZAR RECICLAR. O caminho para um futuro melhor. R R R REDUZIR REUTILIZAR RECICLAR O caminho para um futuro melhor. A FGR se preocupa com o planeta. v Reduza o quanto puder; Reutilize tudo que puder; Recicle o máximo que puder. 2 A qualidade de vida

Leia mais

3 O lixo: problemas e soluções

3 O lixo: problemas e soluções A U A UL LA O lixo: problemas e soluções Deu no jornal Numa rua do Parque Palmas do Tremembé, São Paulo, um caminhão despeja entulho e terra num terreno baldio. A sujeira é grande e ocupa um pedaço da

Leia mais

Plásticos x Meio Ambiente. Jamille Valéria Piovesan Silvane Machado

Plásticos x Meio Ambiente. Jamille Valéria Piovesan Silvane Machado Plásticos x Meio Ambiente Jamille Valéria Piovesan Silvane Machado JUSTIFICATIVA A maioria das invenções modernas estão diretamente relacionadas com nosso conforto e praticidade, porém muitas delas são

Leia mais

CENÁRIO BRASILEIRO. Latas de alumínio e plásticos vão para a indústria de reciclagem.

CENÁRIO BRASILEIRO. Latas de alumínio e plásticos vão para a indústria de reciclagem. CENÁRIO BRASILEIRO O Brasil gera aproximadamente 250 mil toneladas de lixo por dia. Assim, imagine duas filas de caminhões de 5 toneladas de capacidade, ocupando uma distância equivalente a 10 pontes Rio-Niterói.

Leia mais

REVISÃO 2º BIMESTRE LIXO E SEU DESTINO

REVISÃO 2º BIMESTRE LIXO E SEU DESTINO REVISÃO 2º BIMESTRE LIXO E SEU DESTINO 1) Analise as alternativas sobre aspectos relacionados ao lixo e marque (V) para as verdadeiras e (F) para as falsas. ( ) O lixo é caracterizado como tudo aquilo

Leia mais

Segurança, Meio Ambiente e Saúde QHSE

Segurança, Meio Ambiente e Saúde QHSE Segurança, Meio Ambiente e Saúde QHSE Preservação e Conservação A preservação é o esforço para proteger um ecossistema e evitar que ele seja modificado. Depende também da presença e ação do homem sobre

Leia mais

Título do experimento: Identificando os plásticos. Conceitos: Química Orgânica: Polímeros A química dos Plásticos.

Título do experimento: Identificando os plásticos. Conceitos: Química Orgânica: Polímeros A química dos Plásticos. Título do experimento: Identificando os plásticos Conceitos: Química Orgânica: Polímeros A química dos Plásticos. Materiais: - Plásticos diversos; - Lamparina; - Pinça; - Tesoura; - Pedaço de fio de cobre;

Leia mais

Geração de Energia a partir do lixo urbano. Uma iniciativa iluminada da Plastivida.

Geração de Energia a partir do lixo urbano. Uma iniciativa iluminada da Plastivida. Geração de Energia a partir do lixo urbano. Uma iniciativa iluminada da Plastivida. Plástico é Energia Esta cidade que você está vendo aí de cima tem uma população aproximada de 70.000 mil habitantes e

Leia mais

Workshop Embalagem & Sustentabilidade

Workshop Embalagem & Sustentabilidade Workshop Embalagem & Sustentabilidade São Paulo/2013 Eduardo Lima Agenda Alumínio e Sustentabilidade - Conceito Embalagens de alumínio Diferenciais das embalagens de alumínio PNRS Reciclagem de alumínio

Leia mais

13/09/2014. Consiste em usar os recursos do planeta de forma responsável, atendendo às necessidades atuais sem prejudicar as futuras gerações.

13/09/2014. Consiste em usar os recursos do planeta de forma responsável, atendendo às necessidades atuais sem prejudicar as futuras gerações. 6º Anos Prof. Leonardo F. Stahnke Consiste em usar os recursos do planeta de forma responsável, atendendo às necessidades atuais sem prejudicar as futuras gerações. Para se alimentar, o ser humano abate

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA A COLETA SELETIVA DO LIXO E DICAS DE CONSUMO CONSCIENTE

INSTRUÇÕES PARA A COLETA SELETIVA DO LIXO E DICAS DE CONSUMO CONSCIENTE 12:43 Page 1 INSTRUÇÕES PARA A COLETA SELETIVA DO LIXO E DICAS DE CONSUMO CONSCIENTE Jardins é Page 2 LIXO UM PROBLEMA DE TODOS Reduzir a quantidade de lixo é um compromisso de todos. Uma pessoa é capaz

Leia mais

Perguntas Frequentes 1. O que é uma embalagem da Tetra Pak ou Longa Vida? 2. O alumínio da embalagem entra em contato com o alimento?

Perguntas Frequentes 1. O que é uma embalagem da Tetra Pak ou Longa Vida?  2. O alumínio da embalagem entra em contato com o alimento? Perguntas Frequentes 1. O que é uma embalagem da Tetra Pak ou Longa Vida? R: A embalagem da Tetra Pak é composta por várias camadas de materiais. Estas criam uma barreira que impede a entrada de luz, ar,

Leia mais

COMISSÃO DE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

COMISSÃO DE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL COMISSÃO DE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL PROJETO DE LEI N o 418, DE 2011 Proíbe o envasamento e a comercialização de bebida em embalagem PET e dá providências correlatas Autor: Deputado

Leia mais

Vamos Cuidar do. nosso Planeta! Elaboração: Núcleo de Responsabilidade Social

Vamos Cuidar do. nosso Planeta! Elaboração: Núcleo de Responsabilidade Social Vamos Cuidar do Elaboração: Núcleo de Responsabilidade Social Unimed Londrina Rua Senador Souza Naves, 1333 Fone 43 3375-6161 - Fax 43 3375-6100 Cep 86010-160 - Londrina - PR nosso Planeta! responsabilidadesocial@unimedlondrina.com.br

Leia mais

O tema não é novo no setor, ele é a base de sua existência e desenvolvimento, guiando seu avanço tecnológico em busca de

O tema não é novo no setor, ele é a base de sua existência e desenvolvimento, guiando seu avanço tecnológico em busca de A EMBALAGEM CONSTRUINDO SUSTENTABILIDADE Proteção, aumento de vida útil, saúde, segurança, economia, redução do desperdício e bem estar são os principais pilares da embalagem. E em consonância a esses,

Leia mais

Revista Digital. Equipe: Giovanni Canivier - nº18; Larissa Martins - nº30; Luiza Guariza - nº 33; Paola Pupo - nº 39. 2º C Batel.

Revista Digital. Equipe: Giovanni Canivier - nº18; Larissa Martins - nº30; Luiza Guariza - nº 33; Paola Pupo - nº 39. 2º C Batel. Revista Digital Equipe: Giovanni Canivier - nº18; Larissa Martins - nº30; Luiza Guariza - nº 33; Paola Pupo - nº 39 2º C Batel. Garrafa Pet. A embalagem PET é 100% reciclável. O processos de reciclagem

Leia mais

Práticas Verdes Para Condomínios

Práticas Verdes Para Condomínios Guia de Práticas Verdes Para Condomínios A economia que faz bem para o seu bolso e para o meio ambiente Com o objetivo de incentivar e disseminar práticas sustentáveis em condomínios, o Secovi Rio criou

Leia mais

Logística Reversa: destinação dos resíduos de poliestireno expandido (isopor ) pós-consumo de uma indústria i catarinense

Logística Reversa: destinação dos resíduos de poliestireno expandido (isopor ) pós-consumo de uma indústria i catarinense Logística Reversa: destinação dos resíduos de poliestireno expandido 1. Introdução Objetivo da pesquisa: analisar a possibilidade de uma destinação dos resíduos de poliestireno expandido (EPS), utilizados

Leia mais

Reciclagem de Materiais COLETA SELETIVA

Reciclagem de Materiais COLETA SELETIVA Reciclagem de Materiais COLETA SELETIVA COLETA SELETIVA Conheça algumas medidas importantes para não poluir o meio ambiente na hora de jogar fora o seu lixo Já é inquestionável hoje a importância da reciclagem

Leia mais

é lei Agora Política Nacional de Resíduos Sólidos poder público, empresas, catadores e população Novos desafios para

é lei Agora Política Nacional de Resíduos Sólidos poder público, empresas, catadores e população Novos desafios para Política Nacional de Resíduos Sólidos Agora é lei Novos desafios para poder público, empresas, catadores e população Marco histórico da gestão ambiental no Brasil, a lei que estabelece a Política Nacional

Leia mais

ANÁLISE DO PERFIL E DAS DIFICULDADES DE ALGUMAS EMPRESAS DE RECICLAGEM DE PLÁSTICOS DA CIDADE DE PONTA GROSSA PR

ANÁLISE DO PERFIL E DAS DIFICULDADES DE ALGUMAS EMPRESAS DE RECICLAGEM DE PLÁSTICOS DA CIDADE DE PONTA GROSSA PR ANÁLISE DO PERFIL E DAS DIFICULDADES DE ALGUMAS EMPRESAS DE RECICLAGEM DE PLÁSTICOS DA CIDADE DE PONTA GROSSA PR Armando Madalosso Vieira Filho (UEPG/UTFPR) armandovieiraf@gmail.com Ivanir Luiz de Oliveira

Leia mais

A Embalagem e o Ambiente

A Embalagem e o Ambiente A Embalagem e o Ambiente Papel reciclado com embalagens da Tetra Pak Índice Meio Ambiente e Ecologia...03 Meio Ambiente e Lixo...04 Meio Ambiente e Tratamento do Lixo...05 Gerenciamento Integrado do Lixo...06

Leia mais

BR 448 RODOVIA DO PARQUE GESTÃO E SUPERVISÃO AMBIENTAL MÓDULO II EDUCADORES

BR 448 RODOVIA DO PARQUE GESTÃO E SUPERVISÃO AMBIENTAL MÓDULO II EDUCADORES BR 448 RODOVIA DO PARQUE GESTÃO E SUPERVISÃO AMBIENTAL MÓDULO II EDUCADORES 3 Definições de lixo: No dicionário: sujeira, imundice, coisa(s) inúteis, velhas, sem valor. Na linguagem técnica: sinônimo

Leia mais

10/8/2013. Para se alimentar, o ser humano abate animais, colhe frutos, sementes, etc, recursos naturais que podem ser repostos;

10/8/2013. Para se alimentar, o ser humano abate animais, colhe frutos, sementes, etc, recursos naturais que podem ser repostos; 6º Anos Prof. Leonardo F. Stahnke Consiste em assegurar uma gestão responsável dos recursos do planeta de forma a preservar os interesses das futuras gerações e ao mesmo tempo atender às necessidades das

Leia mais

RESÍDUOS SÓLIDOS. N u t r i ç ã o e D i e t é t i c a outubro, 13

RESÍDUOS SÓLIDOS. N u t r i ç ã o e D i e t é t i c a outubro, 13 RESÍDUOS SÓLIDOS N u t r i ç ã o e D i e t é t i c a outubro, 13 UNINASSAU FACULDADE MAURÍCIO DE NASSAU Centro Universitário Maurício de Nassau Fazendo Parte de Sua Vida Professor Adriano Silva RESÍDUOS

Leia mais

SEPARAÇÃO E PROCESSAMENTO DE RESÍDUOS

SEPARAÇÃO E PROCESSAMENTO DE RESÍDUOS SEPARAÇÃO E PROCESSAMENTO DE RESÍDUOS Planejamento e Gestão de Resíduos Especificações para reuso USO/APLICAÇÃO Reuso Direto Matéria prima para remanufatura reprocessamento e EXEMPLOS Tábuas, pranchas

Leia mais

Reciclagem polímeros

Reciclagem polímeros Reciclagem polímeros Reciclagem Química A reciclagem química reprocessa plásticos transformando-os em petroquímicos básicos: monômeros ou misturas de hidrocarbonetos que servem como matéria-prima, em refinarias

Leia mais

Esta cartilha tem o objetivo de orientar o processo de implantação do Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos PGRS nas Empresas.

Esta cartilha tem o objetivo de orientar o processo de implantação do Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos PGRS nas Empresas. MANUAL DE GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS Gerência de Desenvolvimento Sustentável Núcleo de Saúde, Segurança e Meio Ambiente (NSSMA/SGI) Apresentação Esta cartilha tem o objetivo de orientar o processo de implantação

Leia mais

Prof. Paulo Medeiros

Prof. Paulo Medeiros Prof. Paulo Medeiros Em 2010 entrou em vigor no Brasil a lei dos Resíduos Sólidos. Seu objetivo principal é diminuir a destinação incorreta de resíduos ao meio ambiente. Ela define que todas as indústrias,

Leia mais

INPA Instituto Nacional de Preservação Ambiental

INPA Instituto Nacional de Preservação Ambiental 352-(72³(GXFDomR$PELHQWDOH5HFLFODJHP 5HVSRQViYHOSHOD$GPLQLVWUDomR Ricardo Hilário Corrêa Ricardo@inpa.org.br INPA Instituto Nacional de Preservação Ambiental 6LQRSVHGR3URMHWR O projeto ³(GXFDomR$PELHQWDOH5HFLFODJHP

Leia mais

RÁDIO AULA DE QUÍMICA PROF. CARLOS ALBERTO 16/04/2014 às 18 HORAS

RÁDIO AULA DE QUÍMICA PROF. CARLOS ALBERTO 16/04/2014 às 18 HORAS COLÉGIO PRO CAMPUS MATERIAL COMPLEMENTAR DE QUÍMICA 3ª SÉRIE ENSINO MÉDIO ALUNO(A): Nº DATA: TURMA: PROF(A): PROF. CARLOS ALBERTO RÁDIO AULA DE QUÍMICA PROF. CARLOS ALBERTO 16/04/2014 às 18 HORAS 01. 01.Um

Leia mais

PLACAS E TELHAS PRODUZIDAS A PARTIR DA RECICLAGEM DO POLIETILENO / ALUMÍNIO PRESENTES NAS EMBALAGENS TETRA PAK.

PLACAS E TELHAS PRODUZIDAS A PARTIR DA RECICLAGEM DO POLIETILENO / ALUMÍNIO PRESENTES NAS EMBALAGENS TETRA PAK. PLACAS E TELHAS PRODUZIDAS A PARTIR DA RECICLAGEM DO POLIETILENO / ALUMÍNIO PRESENTES NAS EMBALAGENS TETRA PAK. Mario Henrique de Cerqueira Engenheiro de Desenvolvimento Ambiental - Tetra Pak 1. Introdução

Leia mais

Políticas Públicas Resíduos e Reciclagem. Sérgio Henrique Forini

Políticas Públicas Resíduos e Reciclagem. Sérgio Henrique Forini Políticas Públicas Resíduos e Reciclagem. Sérgio Henrique Forini O lixo é conhecido como os restos das atividades humanas considerados inúteis, indesejáveis e descartáveis. No entanto, separado nos seus

Leia mais

PROJETO CIDADANIA E SUSTENTABILIDADE

PROJETO CIDADANIA E SUSTENTABILIDADE PROJETO CIDADANIA E SUSTENTABILIDADE CONSELHEIRO LAFAIETE MG 2012 PROJETO CIDADANIA E SUSTENTABILIDADE JUSTIFICATIVA O Centro de Ensino Superior de Conselheiro Lafaiete tem como princípio desempenhar seu

Leia mais

Página 1 de 8-01/04/2014-5:59

Página 1 de 8-01/04/2014-5:59 PROFESSOR: EQUIPE DE PORTUGUÊS BANCO DE QUESTÕES - LÍNGUA PORTUGUESA - 4 ANO - ENSINO FUNDAMENTAL ========================================================================== Texto 1 LIXO NO LIXO Dá para

Leia mais

VII Recicle CEMPRE. Ricardo Rolim. Diretor de Relações Sociambientais 08/Nov/2011

VII Recicle CEMPRE. Ricardo Rolim. Diretor de Relações Sociambientais 08/Nov/2011 VII Recicle CEMPRE Ricardo Rolim Diretor de Relações Sociambientais 08/Nov/2011 Quem somos Ambev 4ª maior cervejaria no mundo 3ª marca mais consumida no mundo (Skol) Líder absoluto no segmento guaraná

Leia mais

COOPERATIVA MONÇÕES DE COLETA SELETIVA DE PORTO FELIZ Rua: Anita Garibaldi, nº694- Jd. Primavera- Tel: PROJETO RECICLANDO COM CIDADANIA

COOPERATIVA MONÇÕES DE COLETA SELETIVA DE PORTO FELIZ Rua: Anita Garibaldi, nº694- Jd. Primavera- Tel: PROJETO RECICLANDO COM CIDADANIA PROJETO RECICLANDO COM CIDADANIA LOCAL DA INSTALAÇÃO: Razão Social: Cooperativa de Reciclagem Monções Nome Fantasia: Cooperativa Monções CNPJ: 12.522.788/0001-85 Endereço: R: Anita Garibaldi, nº694- Jd.

Leia mais

AVALIAÇÃO AMBIENTAL EM UMA COOPERATIVA DE MATERIAIS RECICLÁVEIS

AVALIAÇÃO AMBIENTAL EM UMA COOPERATIVA DE MATERIAIS RECICLÁVEIS 182 AVALIAÇÃO AMBIENTAL EM UMA COOPERATIVA DE MATERIAIS RECICLÁVEIS Nagiélie Muara SILVA 1* ; Camilla Stheffani Oliveira Machado 2 ; Maria Cristina Rizk 3 1,2 Discente em Engenharia Ambiental pela Universidade

Leia mais

Guia de tendas sustentáveis

Guia de tendas sustentáveis Guia de tendas sustentáveis JUNHO 2014 1 2 3 4 5 6 Introdução... 4 Contextualização das tendas... 6 Composição da tenda... 8 3.1 Material estrutural... 8 3.1.1 Material estrutural convencional... 8 3.1.2

Leia mais

Projeto Solar - Uma Experiência de Sucesso na Gestão de Resíduos Sólidos

Projeto Solar - Uma Experiência de Sucesso na Gestão de Resíduos Sólidos Projeto Solar - Uma Experiência de Sucesso na Gestão de Resíduos Sólidos Pinheiro, R. S. 1 ; Branco, O. D. 2 ; Garcia J. B. 3 ; Barbosa, S. 4 ; Campolin A. I. 5 e Galvani F. 6. 1. rubens@cpap.embrapa.br;

Leia mais

Oficina de Forno Solar

Oficina de Forno Solar Oficina de Forno Solar Desfrutando da vida moderna, cada um de nós é responsável pela emissão de grandes quantidades de carbono e outros gases que contribuem para o aquecimento global e suas conseqüências

Leia mais

Município: São Pedro do Ivaí e-mail: nilsonmarquedeoliveira@seed.pr.gov.br Fone: (43) 3451 1241

Município: São Pedro do Ivaí e-mail: nilsonmarquedeoliveira@seed.pr.gov.br Fone: (43) 3451 1241 NRE: Ivaiporã Nome do Professor: Nilson Marques de Oliveira Município: São Pedro do Ivaí e-mail: nilsonmarquedeoliveira@seed.pr.gov.br Fone: (43) 3451 1241 Escola: Escola Estadual Vicente Machado Ensino

Leia mais

AFCAL Telefone: 21 417 5160 e-mail: info.afcal@iol.pt. Web Sites. AFCAL: www.afcal.pt. RECIPAC: www.recipac.pt

AFCAL Telefone: 21 417 5160 e-mail: info.afcal@iol.pt. Web Sites. AFCAL: www.afcal.pt. RECIPAC: www.recipac.pt AFCAL Telefone: 21 417 5160 e-mail: info.afcal@iol.pt Web Sites AFCAL: www.afcal.pt RECIPAC: www.recipac.pt SOCIEDADE PONTO VERDE: www.pontoverde.pt PROTEGE O QUE É BOM: www.protegeoqueebom.pt ACE: www.ace.be

Leia mais

O MEIO AMBIENTE E A IMPORTÂNCIA DA RECICLAGEM. 1 01/11/06

O MEIO AMBIENTE E A IMPORTÂNCIA DA RECICLAGEM. 1 01/11/06 O MEIO AMBIENTE E A IMPORTÂNCIA DA RECICLAGEM. 1 POR QUE A COLETA COLETIVA? Efeito estufa pela destruição da camada de ozônio, queimadas e derrubadas de florestas de forma desordenada, chuva ácida, produção

Leia mais

Outros materiais que merecem atenção do marceneiro. Introdução

Outros materiais que merecem atenção do marceneiro. Introdução Introdução Existem diversos materiais utilizados pela marcenaria na composição do móvel ou ambiente. Por exemplo os vidros, chapas metálicas, tecidos e etc. O mercado fornecedor da cadeia moveleira lança

Leia mais

Uso racional de Água, Papel e Copo na Administração Pública

Uso racional de Água, Papel e Copo na Administração Pública Uso racional de Água, Papel e Copo na Administração Pública Ministério do Meio Ambiente Secretaria de Articulação Institucional e Cidadania Ambiental SAIC Departamento de Cidadania e Responsabilidade Ambiental

Leia mais

QUALIDADE QUE PROTEGE SEU PRODUTO E PRESERVA A NATUREZA

QUALIDADE QUE PROTEGE SEU PRODUTO E PRESERVA A NATUREZA QUALIDADE QUE PROTEGE SEU PRODUTO E PRESERVA A NATUREZA EMPRESA 100% NACIONAL A ARTIVINCO A ARTIVINCO produz papel, chapas e embalagens de papelão. Como uma empresa que atua no mercado há mais de 40 anos

Leia mais

SOLUÇÕES SÓCIO AMBIENTAIS TRATAMENTO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS

SOLUÇÕES SÓCIO AMBIENTAIS TRATAMENTO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS SOLUÇÕES SÓCIO AMBIENTAIS TRATAMENTO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS AGENDA GESTÃO INTEGRAL DOS RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS (RSU) CARACTERÍSTICAS DA SOLUÇÃO EXPERIÊNCIA INTERNACIONAL COM SOLUÇÃO INTEGRADA BENEFÍCIOS

Leia mais

COLETA SELETIVA PRATIQUE ESTA IDEIA

COLETA SELETIVA PRATIQUE ESTA IDEIA COLETA SELETIVA PRATIQUE ESTA IDEIA O QUE É? Coleta seletiva é o processo de separação dos materiais recicláveis do restante dos resíduos sólidos. Como definição de resíduos sólidos, pelo Wikipédia, entende-se

Leia mais

Conscientização da Gestão dos Resíduos Sólidos no Município de São Paulo

Conscientização da Gestão dos Resíduos Sólidos no Município de São Paulo SECRETARIA MUNICIPAL DE SERVIÇOS Conscientização da Gestão dos Resíduos Sólidos no Município de São Paulo DEPARTAMENTO DE LIMPEZA URBANA LIMPURB ATRIBUIÇÕES DO LIMPURB LIMPURB E ATRIBUIÇÕES TÉCNICAS LEI

Leia mais

Ambiental. Cartilha. Aquecimento Global. Saiba como reduzir ou até neutralizar suas emissões de Co2. Vamos deixar um futuro melhor para nossos filhos?

Ambiental. Cartilha. Aquecimento Global. Saiba como reduzir ou até neutralizar suas emissões de Co2. Vamos deixar um futuro melhor para nossos filhos? Cartilha Ambiental Vamos deixar um futuro melhor para nossos filhos? Saiba como reduzir ou até neutralizar suas emissões de Co2 Com atitudes simples você pode contribuir para diminuir sua emissão de CO2,

Leia mais

Brasília,Ceilândia - DF QNM 28 Módulo B Fone: 3373-1810/7816-0019 www.recicleavida.com.br

Brasília,Ceilândia - DF QNM 28 Módulo B Fone: 3373-1810/7816-0019 www.recicleavida.com.br Brasília,Ceilândia - DF QNM 28 Módulo B Fone: 3373-1810/7816-0019 www.recicleavida.com.br O QUE É A ASSOCIAÇÃO RECICLE A VIDA A Recicle a Vida, é uma Associação de Catadores sem fins lucrativos, de direito

Leia mais

De volta TECNOLOGIA. Equipamento à base de plasma para reciclagem de alumínio garante ganhos econômicos e ambientais ENGENHARIA

De volta TECNOLOGIA. Equipamento à base de plasma para reciclagem de alumínio garante ganhos econômicos e ambientais ENGENHARIA TECNOLOGIA ENGENHARIA De volta íü Equipamento à base de plasma para reciclagem de alumínio garante ganhos econômicos e ambientais SAMUEL ANTENOR, s latinhas de cerveja e de refrigerante ganharam um novo

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br BuscaLegis.ccj.ufsc.Br Reciclar é rentável Ana Candida Echevenguá* Em 1992, na Rio-92, estabeleceu-se o compromisso de frear e reverter a deterioração ambiental e redistribuir o poder, os recursos e as

Leia mais

Sustentabilidade do Planeta. Todo mundo deve colaborar!

Sustentabilidade do Planeta. Todo mundo deve colaborar! Sustentabilidade do Planeta Todo mundo deve colaborar! Situação no mundo atual O Planeta pede socorro!!!! A atividade humana tem impactado negativamente o meio ambiente. Os padrões atuais de consumo exploram

Leia mais

Cartilha de gestão de entulho de obra

Cartilha de gestão de entulho de obra Cartilha de gestão de entulho de obra Introdução O Sinduscon-CE anualmente investe na publicação de manuais de segurança e sustentabilidade para o setor, com forma de incentivar as boas-práticas na construção

Leia mais

Reciclagem Energética. Alternativa para destinação de Resíduos Sólidos Urbanos

Reciclagem Energética. Alternativa para destinação de Resíduos Sólidos Urbanos Reciclagem Energética Alternativa para destinação de Resíduos Sólidos Urbanos Claudio Marcondes Engenheiro de Materiais com especialização em Polímeros pela Universidade Federal de São Carlos. Pós graduado

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÃO PARA PREENCHIMENTO DA PLANILHA TRIMESTRAL DE RESÍDUOS ENTREGA ANUAL DA SEMMA (JANEIRO DE CADA ANO)

MANUAL DE INSTRUÇÃO PARA PREENCHIMENTO DA PLANILHA TRIMESTRAL DE RESÍDUOS ENTREGA ANUAL DA SEMMA (JANEIRO DE CADA ANO) MANUAL DE INSTRUÇÃO PARA PREENCHIMENTO DA PLANILHA TRIMESTRAL DE RESÍDUOS ENTREGA ANUAL DA SEMMA (JANEIRO DE CADA ANO) CÓD. MAN01 ESCLARECIMENTOS INICIAIS Em nível municipal, além da necessidade de se

Leia mais

Compostagem. Usina de compostagem. Horticultura orgânica utiliza-se dos produtos da compostagem

Compostagem. Usina de compostagem. Horticultura orgânica utiliza-se dos produtos da compostagem Compostagem A compostagem é o processo biológico de decomposição e de reciclagem da matéria orgânica contida em restos de origem animal ou vegetal formando um composto. A compostagem propicia um destino

Leia mais

Apresenta: PAPEL METAL LIXO ORGÂNICO VIDRO PLÁSTICO. no luga

Apresenta: PAPEL METAL LIXO ORGÂNICO VIDRO PLÁSTICO. no luga Apresenta: Coloqu e o lixo no luga r, na hor a e no d certo. ia ORGÂNICO CAPItao VAREJO em: coleta seletiva Enquanto isso, na sala secreta de reuniões... Olá, Capitão Varejo! Grande Gênio, bom dia! Espero

Leia mais

Gestão Ambiental Resíduo Hospitalar. Gizelma de A. Simões Rodrigues

Gestão Ambiental Resíduo Hospitalar. Gizelma de A. Simões Rodrigues Gestão Ambiental Resíduo Hospitalar Gizelma de A. Simões Rodrigues SBS Hospital Sírio Libanês Instituição Filantrópica de saúde, ensino e pesquisa. Hospital de alta complexidade Matriz 172.000 m² 5.900

Leia mais

Consumo Consciente. Faz bem para você, para a sociedade e para o planeta

Consumo Consciente. Faz bem para você, para a sociedade e para o planeta Consumo Consciente Faz bem para você, para a sociedade e para o planeta Uma mudança do bem Para nós da Rossi, o consumo consciente é algo vital para a sustentabilidade da sociedade e para o futuro do nosso

Leia mais

Reciclagem do vidro e resíduos da Constrição em Geral. Bruno - Química Daniela Pereira Marques - Química Maurício De Lima Ciências Contábeis

Reciclagem do vidro e resíduos da Constrição em Geral. Bruno - Química Daniela Pereira Marques - Química Maurício De Lima Ciências Contábeis Reciclagem do vidro e resíduos da Constrição em Geral Bruno - Química Daniela Pereira Marques - Química Maurício De Lima Ciências Contábeis RECICLAGEM DO VIDRO TIPOS DE VIDRO Vidro Acidado: vidros trabalhados

Leia mais

Mensagem do Ministério Público do Estado de Goiás

Mensagem do Ministério Público do Estado de Goiás PRATIQUE COLETA SELETIVA Mensagem do Ministério Público do Estado de Goiás O Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO) tem a missão de defender a ordem jurídica, o regime democrático e os interesses

Leia mais

OFICINA DE IDENTIFICAÇÃO DE PLÁSTICOS. Grupo Pauling Escola José Gomes Filho

OFICINA DE IDENTIFICAÇÃO DE PLÁSTICOS. Grupo Pauling Escola José Gomes Filho OFICINA DE IDENTIFICAÇÃO DE PLÁSTICOS Grupo Pauling Escola José Gomes Filho O QUE SÃO PLÁSTICOS? São polímeros (grandes moléculas) sintéticos, fabricados para suprir nossas necessidades com custo mais

Leia mais

13-09-2010 MATERIAIS RECICLÁVEIS, PROCESSO DE RECICLAGEM

13-09-2010 MATERIAIS RECICLÁVEIS, PROCESSO DE RECICLAGEM MATERIAIS RECICLÁVEIS, PROCESSO DE RECICLAGEM 1 2 Introdução História da limpeza; Educação Ambiental; Campanhas de Sensibilização, Publicidade; Reciclagem antigamente; Materiais reutilizáveis; Processos

Leia mais

QUÍMICA SUSTENTÁVEL Carlos Fadigas 24/08/2011

QUÍMICA SUSTENTÁVEL Carlos Fadigas 24/08/2011 QUÍMICA SUSTENTÁVEL Carlos Fadigas 24/08/2011 AGENDA BRASKEM DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL QUÍMICA SUSTENTÁVEL PILARES BRASKEM FUTURO VISÃO E ESTRATÉGIA AGENDA BRASKEM DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL QUÍMICA

Leia mais

RECYCLING EQUIPMENT & MACHINERY COSTRUZIONI MECCANICHE IMPIANTI INDUSTRIALI

RECYCLING EQUIPMENT & MACHINERY COSTRUZIONI MECCANICHE IMPIANTI INDUSTRIALI APRESENTAÇÃO EMPRESARIAL 1 Desde 1976, ano de fundação, TECNOFER projeta e constrói equipamentos para a reciclagem de materiais plásticos como filmes de PEBD, PEBD Linear, PEAD, PP; garrafas e outros recipientes

Leia mais

APROSA Associação das Promotoras Legais Populares do Cabo de Santo Agostinho RECICLARTES RECICLANDO VIDAS!

APROSA Associação das Promotoras Legais Populares do Cabo de Santo Agostinho RECICLARTES RECICLANDO VIDAS! APROSA Associação das Promotoras Legais Populares do Cabo de Santo Agostinho RECICLARTES RECICLANDO VIDAS! Cabo de Santo Agostinho, 2010 Descrição do Projeto Segundo a comissão Mundial sobre o Meio Ambiente

Leia mais

M A N U A L COLETA SELETIVA DE LIXO

M A N U A L COLETA SELETIVA DE LIXO M A N U A L D A COLETA SELETIVA DE LIXO Coleta Seletiva de Lixo APRENDA AQUI TODOS OS PASSOS PARA IMPLANTAR UM SISTEMA DE COLETA SELETIVA DE LIXO EM SUA EMPRESA, CONDOMÍNIO, ESCOLA OU COMUNIDADE. I N T

Leia mais

CURSO DE DESIGN DE EMBALAGENS. São Paulo/2013 Assunta Camilo

CURSO DE DESIGN DE EMBALAGENS. São Paulo/2013 Assunta Camilo CURSO DE DESIGN DE EMBALAGENS São Paulo/2013 Assunta Camilo Sustentabilidade Preocupação real com o final Conceito dos R s (reduzir, reutilizar, reciclar, reaproveitar, recusar, retornar, refilar, recuperar,

Leia mais

EMBALAGENS PARA ESTERILIZAÇÃO.

EMBALAGENS PARA ESTERILIZAÇÃO. EMBALAGENS PARA ESTERILIZAÇÃO. Márcia Cristina O Pereira Enfermeira encarregada da central de material esterilizado HMSL. Especialista em CC, CME, RA USP Mestrado em saúde do adulto - USP FINALIDADE DA

Leia mais

Você sabia. As garrafas de PET são 100% recicláveis. Associação Brasileira da Indústria do PET

Você sabia. As garrafas de PET são 100% recicláveis. Associação Brasileira da Indústria do PET Você sabia? As garrafas de PET são 100% recicláveis Associação Brasileira da Indústria do PET O Brasil é um dos maiores recicladores de PET do mundo A reciclagem é uma atividade industrial que gera muitos

Leia mais