stituto-educacional-bmfbovespa-fazendo-adiferenca/

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "www.convexity.net.br http://www.convexity.net.br/treinamentos/in stituto-educacional-bmfbovespa-fazendo-adiferenca/"

Transcrição

1

2 A Convexity possui uma parceria com o Instituto Educacional BM&FBOVESPA. A parceria abrange os seguintes aspectos: - Os treinamentos Convexity são certificados pelo Instituto Educacional. - Os treinamentos Convexity são realizados nas salas do Instituto Educacional. - A matrícula é feita junto ao Instituto Educacional. stituto-educacional-bmfbovespa-fazendo-adiferenca/ - Os treinamentos são acompanhados do uso de simuladores de risco, desenvolvidos pela Convexity. Acesse nosso site e saiba mais Instituto 2009 Convexity Educacional Trading Systems BM&FBOVESPA 2 & Risk Management Training. Todos os direitos reservados.

3 O INSTITUTO EDUCACIONAL O Instituto Educacional BM&FBOVESPA, atua desde 1987 no desenvolvimento do mercado financeiro utilizando a educação como ferramenta para capacitação. Da formação de investidores à profissionalização de gestores de finanças, os cursos do Instituto Educacional abrangem desde conceitos introdutórios até soluções mais complexas de formação de profissionais. O Instituto desenvolve soluções educacionais customizadas, adequadas ao perfil e necessidade de cada empresa. Pessoas atendidas pelo Instituto Educacional Mais de 4 milhões Pessoas Físicas 60 mil Profissionais Instituto 2009 Convexity Educacional Trading Systems BM&FBOVESPA 3 & Risk Management Training. Todos os direitos reservados.

4 SOLUÇÕES EDUCACIONAIS Objetivos: Desenvolver e capacitar pessoas e empresas para atuar no mercado financeiro e de capitais. Certificar profissionais para os mercados em que a Bolsa atua. Níveis de conhecimento Formação Capacitação Funcional Especialização Serviços Conteúdo Personalizado Consultoria Educacional Cursos abertos ao público Áreas de atuação Finanças pessoais Ações Renda Fixa Derivativos Risco Sistemas da BM&FBOVESPA Soluções customizadas: os programas são formatados de forma a adequar às necessidades dos clientes em conteúdo, carga-horária e metodologia presencial, on-line e semipresencial. Instituto 2009 Convexity Educacional Trading Systems BM&FBOVESPA 4 & Risk Management Training. Todos os direitos reservados.

5 A CONVEXITY 2010 Fundação da Convexity Fundada por profissionais de Mercado Missão de passar o conhecimento adiante Conhecimento e Experiência Prática Nossos maiores ativos e nossa matéria prima Formas de materializar conhecimento Treinamentos com foco na prática Sistemas e Ferramentas de Gestão de Riscos Instituto 2009 Convexity Educacional Trading Systems BM&FBOVESPA 5 & Risk Management Training. Todos os direitos reservados.

6 DIFERENCIAL CONVEXITY Conhecimento De Mercado Domínio Dos Cálculos Diferencial Convexity Experiência Prática Em Trading Tecnologia Instituto 2009 Convexity Educacional Trading Systems BM&FBOVESPA 6 & Risk Management Training. Todos os direitos reservados.

7 NOVO MÉTODO TEORIA, PRÁTICA & USO DE SISTEMAS Novo Método Realidade Para Sala De Aula Treinamentos Convexity Foco Na Prática Uso De Sistemas Instituto 2009 Convexity Educacional Trading Systems BM&FBOVESPA 7 & Risk Management Training. Todos os direitos reservados.

8 PADRÃO CONVEXITY DE TREINAMENTOS Professores profissionais de mercado e aprovados pelo Instituto Educacional BM&FBOVESPA Carga horária mínima de 20 horas Utilização de ferramenta de risco 9

9 PARCERIA IE-BMFBOVESPA & CONVEXITY Tradição de Ensino do IE-BM&FBOVESPA Expertise de Mercado dos Profissionais da CONVEXITY Foco Prático nas soluções dos problemas da empresa, com embasamento teórico Uso de Sistemas Facilitam o aprendizado Treinamentos Diferenciados para Investidor Pessoal 10

10 TREINAMENTOS COM APOIO DE SISTEMAS - DIFERENCIAL Tecnologia para o Treinamento Fácil de usar Realidade dos Números Aluno Aprende na Prática 11

11 PARCERIA IE-BMFBOVESPA & CONVEXITY Praticar Com Sistemas Aprender A Teoria Consolidar Aluno Pronto 12

12 CINCO PASSOS OPERACIONAIS 13

13 I DEFINIR TENDÊNCIA ALTA TENDÊNCIA MERCADO LATERAL BAIXA

14 II DEFINIR PRAZO Precisamos agora definir a nossa TERCEIRA variável: PRAZO. Para qualquer previsão deve existir um prazo objetivo ou de validade. Não adianta muito operar uma opção com vencimento em um mês, caso nosso preço objetivo se concretize dentro de dois meses. Nesse caso, nossa opção vai expirar ou vencer com valor zero e quando o evento ocorrer, não teremos direito a nada, posto que nossa opção já venceu. Precisamos saber dos analistas QUANDO a previsão para o preço objetivo da ação irá ocorrer. 15

15 III DEFINIR PREÇO Baseados na análises gráfica e fundamentalista, definimos nossa SEGUNDA variável: Preço do Ativo Objeto. Definido o preço objetivo, podemos escolher a melhor estrutura para otimizar nossos lucros e diminuir nossas perdas, caso estivermos errados. A melhor maneira para definir isso é via simulação. Mais adiante, iremos aplicar todos esses passos teóricos a nossa realidade do diaa-dia. 16

16 IV DEFINIR INSTRUMENTO OPERACIONAL INSTRUMENTO OPÇÃO AÇÃO FUTURO Definida a tendência de mercado, precisamos definir qual o instrumento iremos usar. Podemos investir via: - ação - opção - futuro de índice (Ibov). Cada instrumento tem sua utilização mais apropriada em relação ao: - Custo vs. Benefício - Prazo - Alavancagem

17 V SIMULAR O RISCO S I M U L A R PREVER RISCOS ESCOLHER INSTRUMENTO MAXIMIZAR LUCROS A simulação de riscos é parte integrante da gestão de todos os investidores profissionais Muitas vezes, apenas uma simulação pode nos mostrar perdas potenciais que não estávamos esperando. Ferramenta para definirmos qual instrumento usar: Ações, Opções ou Futuros. Enxergue seus Riscos ANTES deles ocorrerem

18 V SIMULAR O RISCO Simule SEMPRE suas operações ANTES de executá-las. Dessa forma, você nunca será surpreendido e pode calibrar o lote de opções ou ações operacionalizados, baseados na sua perda potencial admissível. 19

19 V SIMULAR O RISCO Utilize simulações que incluam variações de: Preço, Volatilidade e Prazo. Saiba seus riscos ANTES deles ocorrerem. Utilize os sistemas C-Options ou C-Options PRO! 20

20 V SIMULAR O RISCO 21

21 COMPRAR CALL SELEÇÃO DE MELHOR STRIKE 22

22 DEFINIR A TENDÊNCIA DA AÇÃO Em ambos os tipos de análises, fundamentalista e gráfica, podemos definir nossa PRIMEIRA variável, a Tendência! Exemplo de situação : 1 - Ação está em 26, Análise Fundamentalista manda Comprar com Preço Objetivo em 32, Análise Gráfica manda Comprar com forte resistência ao redor de 30, Notícias nos meios de comunicação positivas para o Brasil e para a ação. Nesse caso, temos as duas escolas e o embasamento macroeconomico apontando para a mesma tendência. Portanto, nesse exemplo definimos nossa Tendência como de ALTA! 23

23 DEFINIR PREÇO OBJETIVO O preço objetivo da ação para a data do exercício é de extrema importância. Para definirmos se vamos comprar uma Call ou Put, precisamos saber a tendência da ação. ALTA Compramos CALL (caso do exemplo). BAIXA Compramos PUT. O passo seguinte será a definição do Strike da opção. Para melhor definição do Strike da opção, é fundamental termos uma boa idéia de quanto a ação poderá valer no vencimento. Vamos utilizar o exemplo das previsões dos analistas e exemplificar como devemos escolher nosso Strike. 24

24 DEFINIR PREÇO OBJETIVO Exemplo : 1 - Ação está em 26, Fundamentalista - Preço Objetivo em 32, Gráfica - Preço Objetivo em 30,00 Preço Objetivo da ação no vencimento será algo perto de 31,00. (Nosso palpite.) O que é melhor? Comprar uma Call Strike 26,00 ; 28,00 ; 30,00 ou 35,00? Se o preço objetivo da ação, segundo nossas estimativas, é de 31,00 DESCARTAMOS a Call Strike 35,00. Apesar de ser a mais barata de todas, ela NÃO será exercida segundo nossas expectativas. 25

25 DEFINIR PRAZO DA OPERAÇÃO Precisamos agora definir a nossa TERCEIRA variável: PRAZO. Para qualquer previsão deve existir um prazo objetivo ou de validade. Não adianta muito operar uma opção com vencimento em um mês, caso nosso preço objetivo se concretize dentro de um ano. Nesse caso, nossa opção vai expirar ou vencer com valor zero e quando o evento ocorrer, não teremos direito a nada, posto que nossa opção já venceu. Prazo: Um Mês VENCTO: 16 SET 13 26

26 SIMULAÇÃO: CALL SET13 HOJE: 07 AGO 13 VENCTO: 16 SET 13

27 SIMULAÇÃO: CALL SET13 Nossa primeira SIMULAÇÃO será uma compra de Call. CALL ALTA COM POTENCIAL MUITO FORTE Utilizamos uma estrutura que contém a compra de Call, quando temos um cenário de alta muito forte e não temos um preço objetivo muito claro. Entretanto, como o fato gerador dessa alta é incerto, o mercado será muito volátil e não queremos ter que executar nosso STOP LOSS. Portanto um dos motivos de optarmos pela Call, é o de não sermos colocados para fora do mercado, caso antes de subir o mercado tenha uma possível queda. Isso pode ocorrer se optarmos por comprar uma ação. Além disso, queremos limitar as perdas se estivermos errados. 28

28 SIMULAÇÃO: CALL SET13 Tendência; Preço Objetivo da Ação; Prazo do vencimento das opções caminham juntos. Definir Tendência: Análise Gráfica + Consulta aos analistas à cerca de nossa ação ou empresa. Opere como um profissional, use TODOS os instrumentos que você pode. Conversamos com os analistas e eles a mesma opinião que nós temos... Análise Gráfica + análise Fundamentalista CONVERGEM em nosso exemplo... 29

29 SIMULAÇÃO: CALL SET13 Ação vale agora 28,82 e acreditamos que boa parte das notícias ruins já são de conhecimento público e foram devidamente precificadas na cotação da ação. Acreditamos em 30,00 ou 31,00. 30

30 SIMULAÇÃO: CALL SET13 Pelo que podemos observar no gráfico, a ação valia uns 32,00 por um bom tempo e caiu em apenas 2 meses mais de 10%. Acreditamos que caso nossa análise fundamentalista esteja certa, a ação pode ter uma alta de preços até os 32,00. Além disso, como o mercado está VENDIDO, ou seja, apostando na baixa, podemos ter um efeito mola e a ação subir mais do que o esperado. Dado o nível de errática do mercado, acreditamos que o prazo de 2 meses seja suficiente para que essa correção ocorra. Caso a correção não ocorrer em dois meses, as previsões mais negativas foram as dominantes e provavelmente teremos um stop loss automático da posição. 31

31 SIMULAÇÃO: CALL SET13 COMPRAR USAR CALL STRIKE? SETEMBRO PREÇO OBJETIVO 31,00 32

32 SIMULAÇÃO: CALL SET13 COTAÇÃO DA AÇÃO COM REZA BRAVA 32,00 ESPERADO 31,00 PREÇO ATUAL 28,67 STRIKES 31,24 30,24 29,24 28,00 27,00 Agora vamos fazer simulações com strikes diferentes,aonde vamos gastar R$ 500,00 em prêmio. Prazo de aproximadamente dois meses. Portanto, o número de contratos gastos com cada opção será diferente, mas respeitará o limite de R$ 500,00. O Strike escolhido será o de melhor performance na data de vencimento. 33

33 SIMULAÇÃO: CALL SET13 DEFINIMOS QUE PODEMOS PERDER R$ 500,00 EM 2 MESES. Antes de continuarmos nossa odisséia, precisamos delimitar quanto podemos gastar nessa estratégia. R$ 500,00 para gastar em dois meses de estratégia. Acreditamos que essa é uma quantia que não vai causar danos ao nosso operador, caso ele queira realizar seus testes. Vale lembrar que no pior dos mundos perdemos R$ 500,00 no período de dois meses. 34

34 SIMULAÇÃO: CALL SET13 Chegou a hora de simular! Insira sua operação no C-Options em Controle de Posições. 35

35 SIMULAÇÃO: CALL SET13 Strike 29,24 Devemos simular também o que aconteceria conosco HOJE caso tivéssemos operado... Acima temos 25 cenários para responder essa pergunta... 36

36 SIMULAÇÃO: CALL SET13 Vencimento Teremos o fluxo de caixa ao lado. Respeitamos nossa perda máxima de R$ 500,00 e podemos obter ganhos que variam de R$ 472,00 até R$ 1 582,00, caso o preço da ação estiver entre 31,00 e 33,00 na data de vencimento. Proporcionando uma boa e crescente alavancagem de ganhos, acima dos 32,00. 37

37 SIMULAÇÃO: COMPRA CALL ST 30,24 Agora vamos inserir o Strike 30,24. Perceba como o número de contratos já é bem maior do que o anterior. No caso de uma alta muito forte, esses contratos a mais vão falar alto! 38

38 SIMULAÇÃO: COMPRA CALL ST 30,24 Strike 30,24 Em caso de alta forte em um curto espaço de tempo essa opção já apresenta uma performance superior ao da call de 29,24. Sendo assim, se a alta forte vier hoje ou amanhã, teremos bons ganhos. 39

39 SIMULAÇÃO: COMPRA CALL ST 30,24 Respeitamos nossa perda máxima de R$ 500,00. Teremos ganhos modestos de R$ 235,00 se o mercado subir até 31,00 apenas na data de vencimento. Entretanto, se a alta for muito forte estaremos bem na fita, com ganhos de até R$ 2,150 ou mais... Caso a ação atinja 33,00 ou mais na data do exercício. 40

40 COMPARE OS RESULTADOS 41

41 DICAS DE GESTÃO DE RISCO 42

42 GESTÃO DE RISCO Para cada tipo de cenário existe um tipo de estratégia. O mapeamento adequado do cenário e das variáveis envolvidas são fundamentais para um gerenciamento de risco adequado. A seguir iremos explorar alguns aspectos operacionais e de mercado que devemos ficar atentos e analisar, antes de executarmos qualquer posição em opções. Como já foi dito anteriormente, todo modelo matemático tem suas limitações. O modelo de Black & Scholes não é diferente. Possui algumas limitações que são conhecidas e administradas pelos seus usuários. 43

43 GESTÃO DE RISCO O maior problema via de regra, não são as limitações dos modelos mas sim a falta de consciência do usuário a respeito disso ou até mesmo a negação de tais limitações. Não existe modelo perfeito, pois não inventaram ainda uma bola de cristal que funcione de verdade. Portanto, a arte está em conhecer e administrar as limitações, geradas por aspectos de mercado ou operacionais. O objetivo sempre é perder pouco para ganhar muito e não o inverso. 44

44 GESTÃO DE RISCO: LIMITE DE PERDAS Algumas posições assumidas quando se opera opções e futuros, podem apresentar matematicamente riscos de perdas muito altas. Se isso é uma preocupação da bolsa, é razoável de se supor que também seja do investidor. As únicas operações que exibem um perfil de perdas 100% delimitado são as operações aonde: - Compramos Calls ou Puts - Compra de Borb., Condor e afins. - Compra de Spreads de Alta ou Baixa. Fora disso, a Bolsa irá nos exigir depósito de colaterais para garantir a nossa solvência perante o sistema. 45

45 GESTÃO DE RISCO: LIMITE DE PERDAS Análise: Todas as outras estruturas aonde vendemos opções são passíveis de grandes perdas. Tome cuidado também com grandes posições comporadas em opções, pois você corre o risco de perder todo o prêmio. Apesar de não serem tão dramáticas, perdas resultantes de um pagamento excessivo de prêmio devem ser evitadas, ou seja, opere o que você pode perder. Antes de se executar uma estrutura com opções, faça algumas simulações de possíveis cenários de mercado e analise SEMPRE o PIOR cenário para sua posição. Utilize seu aplicativo Convexity e simule seus possíveis resultados ANTES de fazer a estrutura. 46

46 47 Investindo no Mercado de Opções II - Black&Scholes, Gregas e Hedge OBJETIVO Apresentar como utilizar o modelo de Black & Scholes e suas gregas para otimizar e selecionar as melhores estruturas direcionais com Opções, incluindo estratégias de hedge, além de abordar o conceito Delta Neutro.

Material complementar à série de videoaulas de Opções.

Material complementar à série de videoaulas de Opções. Apostila de Opções Contatos Bradesco Corretora E-mail: faq@bradescobbi.com.br Cliente Varejo: 11 2178-5757 Cliente Prime: 11 2178-5722 www.bradescocorretora.com.br APOSTILA DE OPÇÕES Material complementar

Leia mais

CURSO DE EXTENSÃO FORMAÇÃO NO MERCADO FINANCEIRO

CURSO DE EXTENSÃO FORMAÇÃO NO MERCADO FINANCEIRO 1 Formação no mercado financeiro Instituto Educacional BM&FBOVESPA Veduca 60h Sobre o curso Nesse curso serão discutidos o modelo institucional e organizacional da BM&FBOVESPA e a estrutura do mercado

Leia mais

Perfil do Investidor Brasileiro Experiências e Atuação Educacional da Bolsa

Perfil do Investidor Brasileiro Experiências e Atuação Educacional da Bolsa Perfil do Investidor Brasileiro Experiências e Atuação Educacional da Bolsa Daniel Pfannemüller Superintendente do Instituto Educacional BM&FBOVESPA Mar/2015 Confidencial Restrita Confidencial Uso Interno

Leia mais

COMO DETERMINAR O PREÇO DE UMA

COMO DETERMINAR O PREÇO DE UMA COMO DETERMINAR O PREÇO DE UMA O que são opções? Precificação de opções Exemplo de árvore recombinante Autores: Francisco Cavalcante(f_c_a@uol.com.br) Administrador de Empresas graduado pela EAESP/FGV.

Leia mais

Formação em Mercado Financeiro

Formação em Mercado Financeiro Curso de extensão Curso de extensão Formação em Mercado Financeiro Instituto Educacional BM&FBOVESPA Veduca 27 aulas - 60h Sobre o curso Neste curso serão discutidos o modelo institucional e organizacional

Leia mais

MERCADO DE OPÇÕES - O QUE É E COMO FUNCIONA

MERCADO DE OPÇÕES - O QUE É E COMO FUNCIONA MERCADO DE OPÇÕES - O QUE É E Mercados Derivativos Conceitos básicos Termos de mercado As opções de compra Autores: Francisco Cavalcante (f_c_a@uol.com.br) Administrador de Empresas graduado pela EAESP/FGV.

Leia mais

COMO INVESTIR NA BOLSA DE VALORES

COMO INVESTIR NA BOLSA DE VALORES COMO INVESTIR NA BOLSA DE VALORES Enio Caldas & Associados Consultoria e Treinamento em Bolsa de Valores Olá, eu sou o ENIO CALDAS Professor, pesquisador, estudioso e o mais importante... Um entusiasta

Leia mais

Escola do Investidor BM&FBOVESPA. Uma formação sólida para a conquista dos seus objetivos.

Escola do Investidor BM&FBOVESPA. Uma formação sólida para a conquista dos seus objetivos. Escola do Investidor BM&FBOVESPA. Uma formação sólida para a conquista dos seus objetivos. Escola do Investidor BM&FBOVESPA experiência modernas platafo credibilidade referência co lataformas experiência

Leia mais

Mercado de Opções Opções de Compra Aquisição

Mercado de Opções Opções de Compra Aquisição Mercado de Opções Opções de Compra Aquisição Ao comprar uma opção, o aplicador espera uma elevação do preço da ação, com a valorização do prêmio da opção. Veja o que você, como aplicador, pode fazer: Utilizar

Leia mais

Líder em consultoria no agronegócio

Líder em consultoria no agronegócio MPRADO COOPERATIVAS mprado.com.br COOPERATIVAS 15 ANOS 70 Consultores 25 Estados 300 cidade s 500 clientes Líder em consultoria no agronegócio 1. Comercial e Marketing 1.1 Neurovendas Objetivo: Entender

Leia mais

Prezado(a) Sr.(a.) Atenciosamente, Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas. comercial@trecsson.com.br APRESENTAÇÃO TRECSSON BUSINESS

Prezado(a) Sr.(a.) Atenciosamente, Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas. comercial@trecsson.com.br APRESENTAÇÃO TRECSSON BUSINESS Prezado(a) Sr.(a.) Agradecemos seu interesse em nossos programas de ensino e lhe cumprimentamos pela iniciativa de buscar o seu aperfeiçoamento profissional em uma instituição que há 15 anos trabalha com

Leia mais

4 VÍDEOS ENSINAM MAIS SOBRE TRADER ESPORTIVO, CONFIRA EM: HTTP://WWW.VIVERDEFUTEBOL.COM/

4 VÍDEOS ENSINAM MAIS SOBRE TRADER ESPORTIVO, CONFIRA EM: HTTP://WWW.VIVERDEFUTEBOL.COM/ 1 2 ÍNDICE 1- NOTA LEGAL... 3 2- SOBRE AUTOR... 3 3- SEMELHANÇA COM O MERCADO FINANCEIRO... 4 4- EXEMPLO DO MERCADO DE AUTOMÓVEIS USADOS... 4 5- CONHECENDO O BÁSICO DAS APOSTAS... 7 6- O QUE É UMA ODD?...

Leia mais

Pesquisa Thomas: Tendências em Gestão de Pessoas 2012

Pesquisa Thomas: Tendências em Gestão de Pessoas 2012 Pesquisa Thomas: Tendências em Gestão de Pessoas 2012 O estudo foi realizado no mês de novembro de 2012, e contou com a participação de 224 empresas de diferentes portes e segmentos de negócio. Podemos

Leia mais

Escolha o seu e comece a construir o futuro que você quer ter

Escolha o seu e comece a construir o futuro que você quer ter Escolha o seu e comece a construir o futuro que você quer ter Valia Fix, Valia Mix 20, Valia Mix 35 e Valia Ativo Mix 40 Quatro perfis de investimento. Um futuro cheio de escolhas. Para que seu plano de

Leia mais

OTIMIZAÇÃO DE CARTEIRAS DE OPÇÕES COBERTAS UTILIZANDO A TEORIA DE MARKOWITZ

OTIMIZAÇÃO DE CARTEIRAS DE OPÇÕES COBERTAS UTILIZANDO A TEORIA DE MARKOWITZ OTIMIZAÇÃO DE CARTEIRAS DE OPÇÕES COBERTAS UTILIZANDO A TEORIA DE MARKOWITZ LUIZ FERNANDO DE ALMEIDA PEREIRA - FATEC BP REGINALDO DIAS GRUNWALD NETO - FATEC BP GUILHERME CAMARGO DE ANDRADE - FATEC BP RESUMO

Leia mais

Educação Financeira Responsável. Escola de Operadores

Educação Financeira Responsável. Escola de Operadores Escola de Operadores Escola de Operadores Treinamentos e Ltda. São Paulo, SP, Brasil Telefone: (5511) 3022-4528 (5511) 99103-9827 www.escoladeoperadores.com.br Contato@escoladeoperadores.com.br http://twitter.com/operadoresbr

Leia mais

2 Opções e Carteiras não lineares

2 Opções e Carteiras não lineares 22 2 Opções e Carteiras não lineares 2.1 Distinção entre derivativos lineares e não-lineares No capítulo 1 foram apresentados os principais derivativos utilizados no mercado de petróleo e derivados. Neste

Leia mais

GUIA SOBRE RISCOS DE RENDA VARIÁVEL V1. 04_2012

GUIA SOBRE RISCOS DE RENDA VARIÁVEL V1. 04_2012 AO FINAL DESTE GUIA TEREMOS VISTO: GUIA SOBRE RISCOS DE RENDA VARIÁVEL V1. 04_2012 O objetivo deste material é prestar ao investidor uma formação básica de conceitos e informações que possam auxiliá-lo

Leia mais

Conceitos Básicos Tipos de Warrants e Exemplos. N.º 808 10 20 20 ApoioCliente@GoBulling.com www.bancocarregosa.com/gobulling

Conceitos Básicos Tipos de Warrants e Exemplos. N.º 808 10 20 20 ApoioCliente@GoBulling.com www.bancocarregosa.com/gobulling Conceitos Básicos Tipos de Warrants e Exemplos N.º 808 10 20 20 ApoioCliente@GoBulling.com www.bancocarregosa.com/gobulling Produto Financeiro Complexo Um investimento responsável exige que conheça as

Leia mais

Correlação e Regressão Linear

Correlação e Regressão Linear Correlação e Regressão Linear A medida de correlação é o tipo de medida que se usa quando se quer saber se duas variáveis possuem algum tipo de relação, de maneira que quando uma varia a outra varia também.

Leia mais

www.leandrostormer.com.br

www.leandrostormer.com.br 1 OPERANDO OPÇÕES: CONCEITOS E ESTRATÉGIAS I. Introdução: Em primeiro lugar gostaria de deixar claro que este é apenas um resumo, uma pequena introdução a uma forma diferente de operar no mercado financeiro,

Leia mais

SUMÁRIO CAPÍTULO 1 INTRODUÇÃO...1 CAPÍTULO 2 CONCEITOS BÁSICOS DE MERCADOS FUTUROS..5 CAPÍTULO 3 MERCADO FUTURO DE DÓLAR COMERCIAL...

SUMÁRIO CAPÍTULO 1 INTRODUÇÃO...1 CAPÍTULO 2 CONCEITOS BÁSICOS DE MERCADOS FUTUROS..5 CAPÍTULO 3 MERCADO FUTURO DE DÓLAR COMERCIAL... SUMÁRIO CAPÍTULO 1 INTRODUÇÃO..................................1 CAPÍTULO 2 CONCEITOS BÁSICOS DE MERCADOS FUTUROS..5 2.1 Introdução...........................................5 2.2 Posições.............................................6

Leia mais

FILOSOFIA DE INVESTIMENTO. Retorno esperado de um lançamento 80% 100% + 20% 100% ( ) = 60% ( 1 20% ) 20 =1,15%

FILOSOFIA DE INVESTIMENTO. Retorno esperado de um lançamento 80% 100% + 20% 100% ( ) = 60% ( 1 20% ) 20 =1,15% Através da CARTA TRIMESTRAL ATMOS esperamos ter uma comunicação simples e transparente com o objetivo de explicar, ao longo do tempo, como tomamos decisões de investimento. Nesta primeira carta vamos abordar

Leia mais

Opportunity. Resultado. Agosto de 2012

Opportunity. Resultado. Agosto de 2012 Opportunity Equity Hedge FIC FIM Agosto de 2012 Resultado Ao longo do segundo trimestre de 2012, o Opportunity Equity Hedge alcançou uma rentabilidade de 5% depois de taxas, o que representa 239,6% do

Leia mais

Por que utilizar o modelo ITIL

Por que utilizar o modelo ITIL Por que utilizar o modelo ITIL... O que não é definido não pode ser controlado... O que não é controlado não pode ser medido... O que não é medido não pode ser melhorado Empregado para definir, controlar,

Leia mais

MDIC, Endeavor e McKinsey lançaram em 2013 o programa InovAtiva para apoiar o empreendedorismo de alto impacto no Brasil

MDIC, Endeavor e McKinsey lançaram em 2013 o programa InovAtiva para apoiar o empreendedorismo de alto impacto no Brasil 0 MDIC, Endeavor e McKinsey lançaram em 2013 o programa InovAtiva para apoiar o empreendedorismo de alto impacto no Brasil Capacitação Preparação para investidores Cursos e atividades para apoiar o desenvolvimento

Leia mais

Míni de Ibovespa WEBTRADING. É acessível. É descomplicado. É para você.

Míni de Ibovespa WEBTRADING. É acessível. É descomplicado. É para você. Míni de Ibovespa WEBTRADING É acessível. É descomplicado. É para você. WEBTRADING O futuro em um clique Com apenas um clique, você pode negociar minicontratos. O acesso ao WTr é simples, rápido e seguro.

Leia mais

Manual do Usuário HOME BROKER 2.0

Manual do Usuário HOME BROKER 2.0 Manual do Usuário HOME BROKER 2.0 Introdução... 4 1. Cabeçalho... 5 2. Menu Lateral... 8 2.1 Menu Lateral Expandido... 11 3. Área de Trabalho... 13 3.1 Cotações... 15 3.2 Suas Ordens & Custódia... 18 3.2.1

Leia mais

MANUAL DE INVESTIMENTOS

MANUAL DE INVESTIMENTOS MANUAL DE INVESTIMENTOS Manual de utilização e dicas para que conheça melhor a área de Investimentos do site millenniumbcp.pt. 1 02 ÍNDICE 03 1 VANTAGENS DA ÁREA DE INVESTIMENTOS 04 2 ESTRUTURA 04 Homepage

Leia mais

SINCOR-SP 2015 JUNHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2015 JUNHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS JUNHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 Sumário Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita

Leia mais

COMO CALCULAR A PERFORMANCE DOS FUNDOS DE INVESTIMENTOS - PARTE II

COMO CALCULAR A PERFORMANCE DOS FUNDOS DE INVESTIMENTOS - PARTE II COMO CALCULAR A PERFORMANCE DOS FUNDOS DE INVESTIMENTOS - PARTE II O que é o Índice de Treynor? Índice de Treynor x Índice de Sharpe Restrições para as análises de Sharpe e Trynor A utilização do risco

Leia mais

APRESENTAÇÃO FGV APRESENTAÇÃO TRECSSON BUSINESS

APRESENTAÇÃO FGV APRESENTAÇÃO TRECSSON BUSINESS APRESENTAÇÃO FGV Criado em 1999, o FGV Management é o Programa de Educação Executiva Presencial da Fundação Getulio Vargas, desenvolvido para atender a demanda do mercado por cursos de qualidade, com tradição

Leia mais

TREINAMENTOS E CONSULTORIA

TREINAMENTOS E CONSULTORIA 2015 TREINAMENTOS E CONSULTORIA Curso: Mecanismos de comercialização FORMAÇÃO DE TRADERS Descrição: Uma rápida, porém completa, exposição dos principais assuntos que envolvem o trading de grãos. Assuntos:

Leia mais

MERCADO DE CAPITAIS E INVESTMENT BANKING EFICÁCIA COMPROVADA HOJE. PREPARADO PARA O AMANHÃ. ADAPTIV RISKBOX: CONTROLE AVANÇADO DE RISCOS

MERCADO DE CAPITAIS E INVESTMENT BANKING EFICÁCIA COMPROVADA HOJE. PREPARADO PARA O AMANHÃ. ADAPTIV RISKBOX: CONTROLE AVANÇADO DE RISCOS MERCADO DE CAPITAIS E INVESTMENT BANKING EFICÁCIA COMPROVADA HOJE. PREPARADO PARA O AMANHÃ. ADAPTIV RISKBOX: CONTROLE AVANÇADO DE RISCOS EFICÁCIA COMPROVADA HOJE. PREPARADO PARA O AMANHÃ. MELHORES PRÁTICAS

Leia mais

Potencializar futuros, subtraindo riscos

Potencializar futuros, subtraindo riscos Potencializar futuros, subtraindo riscos QUEM SOMOS O Risk Office é uma consultoria cujo objetivo é a prestação de serviços em gestão de riscos financeiros e operacionais. Criado em 1999, na cidade de

Leia mais

Administração 4ª Série Análise de Investimentos

Administração 4ª Série Análise de Investimentos Administração 4ª Série Análise de Investimentos A Atividade Prática Supervisionada (ATPS) é um procedimento metodológico de ensinoaprendizagem desenvolvido por meio de etapas, acompanhadas pelo professor,

Leia mais

www.contratofuturo.com

www.contratofuturo.com www.contratofuturo.com www.contratofuturo.com O que é o Índice Futuro Para falar de índice futuro, primeiro precisamos falar do ÍNDICE no presente, que é o Ibovespa. O famoso índice que serve para medir

Leia mais

INSPER INSTITUTO DE ENSINO E PESQUISA Certificate in Financial Management - CFM. Rafael Ribeiro Vinhal

INSPER INSTITUTO DE ENSINO E PESQUISA Certificate in Financial Management - CFM. Rafael Ribeiro Vinhal INSPER INSTITUTO DE ENSINO E PESQUISA Certificate in Financial Management - CFM Rafael Ribeiro Vinhal COFFEE EXPORT - HEDGE CAMBIAL VIA MERCADO FUTURO DE DÓLAR São Paulo 2012 Rafael Ribeiro Vinhal Coffee

Leia mais

LMA, Solução em Sistemas

LMA, Solução em Sistemas LMA, Solução em Sistemas Ao longo dos anos os sistemas para gestão empresarial se tornaram fundamentais, e por meio dessa ferramenta as empresas aperfeiçoam os processos e os integram para uma gestão mais

Leia mais

www.contratofuturo.com

www.contratofuturo.com www.contratofuturo.com www.contratofuturo.com História do Milho - Os primeiros registros do cultivo datam de 7.300 anos - Origem Americana: litoral do México - Nome, de origem indígena, significa "sustento

Leia mais

Míni de Dólar WEBTRADING. É acessível. É descomplicado. É para você.

Míni de Dólar WEBTRADING. É acessível. É descomplicado. É para você. Míni de Dólar WEBTRADING É acessível. É descomplicado. É para você. FUTURO WEBTRADING EM UM CLIQUE O futuro em um clique Com apenas um clique, você pode negociar minicontratos. O acesso ao WTr é simples,

Leia mais

CONTRATOS DERIVATIVOS. Opção sobre Futuro de Boi Gordo

CONTRATOS DERIVATIVOS. Opção sobre Futuro de Boi Gordo CONTRATOS DERIVATIVOS Opção sobre Futuro de Boi Gordo Opção sobre Futuro de Boi Gordo O Contrato de Opção sobre Futuro de Boi Gordo com Liquidação Financeira foi lançado pela BM&FBOVESPA, em 22/07/1994,

Leia mais

Transcrição da Teleconferência Resultados do 3T09 - Inpar 18 de novembro de 2009

Transcrição da Teleconferência Resultados do 3T09 - Inpar 18 de novembro de 2009 Transcrição da Teleconferência Resultados do 3T09 - Inpar 18 de novembro de 2009 Bom dia, e obrigada por aguardarem. Sejam bem-vindos à teleconferência da Inpar para discussão dos resultados referentes

Leia mais

CompuStream Plano de Negócios COMPUSTREAM CONSULTORIA LTDA.

CompuStream Plano de Negócios COMPUSTREAM CONSULTORIA LTDA. CompuStream Plano de Negócios COMPUSTREAM CONSULTORIA LTDA. A CompuStream, empresa especializada em desenvolvimento de negócios, atua em projetos de investimento em empresas brasileiras que tenham um alto

Leia mais

Itaú BBA protege operações e transações financeiras com soluções CA Service Assurance

Itaú BBA protege operações e transações financeiras com soluções CA Service Assurance CUSTOMER SUCCESS STORY Itaú BBA protege operações e transações financeiras com soluções CA Service Assurance PERFIL DO CLIENTE Indústria: Serviços Financeiros Companhia: Itaú BBA Grupo Itaú Unibanco Empregados:

Leia mais

Modalidades. Aluguel de ações; Mercado a termo; Operações estruturadas; Financiamento com opções; Long & Short; Day Trade;

Modalidades. Aluguel de ações; Mercado a termo; Operações estruturadas; Financiamento com opções; Long & Short; Day Trade; Modalidades Fora o clássico buy & hold, que é a compra e eventual construção de uma posição comprada no mercado acionário algumas outras modalidades são: Aluguel de ações; Mercado a termo; Operações estruturadas;

Leia mais

Academia de Warrants. 3. Turbo Warrants

Academia de Warrants. 3. Turbo Warrants Academia de Warrants 3. Turbo Warrants Sumário Executivo 1. Definição 2. Tipos de Warrants 3. Turbo Warrants 4. Como negociar - Direct Trade 1/281 Sumário Executivo 1. Definição 2. Tipos de Warrants 3.

Leia mais

Back-Test no MetaStock

Back-Test no MetaStock Back-Test no MetaStock Visão Geral Tela principal do System Tester O System Tester visa testar sistemas (trading systems) para determinar seu histórico de rentabilidade. Ele ajuda a responder a pergunta

Leia mais

GUIA DO ALUNO. Orientações para a utilização dos cursos on-line do Módulo Risk Manager. Autor: Márcio Galvão Revisor: Natasha Sauma. Versão 1.

GUIA DO ALUNO. Orientações para a utilização dos cursos on-line do Módulo Risk Manager. Autor: Márcio Galvão Revisor: Natasha Sauma. Versão 1. GUIA DO ALUNO Orientações para a utilização dos cursos on-line do Módulo Risk Manager Versão 1.3 Autor: Márcio Galvão Revisor: Natasha Sauma Última atualização em 05.05.2015 Declaração de propriedade Copyright

Leia mais

Posição de Atendimento

Posição de Atendimento Posição de Atendimento A Empresa: A Roselle Office é uma companhia com 35 anos de história especializada na venda de Mobiliário Corporativo. Nosso diferencial competitivo é a capacidade de realizar de

Leia mais

Mercado a Termo e Futuro de Dólar: Estratégias de Hedge

Mercado a Termo e Futuro de Dólar: Estratégias de Hedge Mercado a Termo e Futuro de Dólar: Estratégias de Hedge 1 Hedge no Mercado a Termo No Brasil, são muito comuns as operações a termo real/dólar. Empresas importadoras, exportadoras, com dívidas ou ativos

Leia mais

1. PRÁTICA EFICAZ DE GESTÃO EDUCACIONAL Gestão do ciclo completo de relacionamento com o aluno SRM da Universidade Feevale

1. PRÁTICA EFICAZ DE GESTÃO EDUCACIONAL Gestão do ciclo completo de relacionamento com o aluno SRM da Universidade Feevale RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO 1. PRÁTICA EFICAZ DE GESTÃO EDUCACIONAL Gestão do ciclo completo de relacionamento com o aluno SRM da Universidade Feevale 1.1 Histórico da Prática Eficaz Por meio do Departamento

Leia mais

Como cultivar leads do Comitê de TI

Como cultivar leads do Comitê de TI BRASIL Como cultivar leads do Comitê de TI O marketing está ajudando ou atrapalhando? Confiança + Credibilidade devem ser CONQUISTADAS O profissional de marketing moderno conhece a importância de cultivar

Leia mais

Nossa equipe de consultores em investimentos está a sua disposição. Agende uma reunião.

Nossa equipe de consultores em investimentos está a sua disposição. Agende uma reunião. Prezado investidor, A Futura Investimentos está de cara nova! Convidamos você a conhecer a FuturaInvest: uma nova forma de investir seu dinheiro, com muito mais alternativas, serviços especializados e

Leia mais

Guia Rápido. Como negociar Commodities Agrícolas. Leandro Benitez

Guia Rápido. Como negociar Commodities Agrícolas. Leandro Benitez Guia Rápido Como negociar Commodities Agrícolas Leandro Benitez O objetivo deste artigo é apresentar-lhe os princípios dos contratos agrícolas para que você possa iniciar suas negociações neste segmento.

Leia mais

PRAZOS E RISCOS DE INVESTIMENTO. Proibida a reprodução.

PRAZOS E RISCOS DE INVESTIMENTO. Proibida a reprodução. Proibida a reprodução. A Planner oferece uma linha completa de produtos financeiros e nossa equipe de profissionais está preparada para explicar tudo o que você precisa saber para tomar suas decisões com

Leia mais

Futuros PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

Futuros PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Futuros PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO ADVERTÊNCIA AO INVESTIDOR Risco de perda súbita total, superior ou parcial do capital investido Remuneração não garantida Existência de comissões Possibilidade de exigência

Leia mais

INTERNET. Como vender mais. Capítulo 1. pela. Aprenda a atingir o potencial máximo de sua loja online

INTERNET. Como vender mais. Capítulo 1. pela. Aprenda a atingir o potencial máximo de sua loja online Como vender mais pela INTERNET Capítulo 1 Aprenda a atingir o potencial máximo de sua loja online Índice Introdução 1/ Encontre um Nicho 2/ Crie e Otimize Seu E-Commerce 3/ Seja Encontrado 4/ Atendimento

Leia mais

PRAZOS E RISCOS DE INVESTIMENTO. Proibida a reprodução.

PRAZOS E RISCOS DE INVESTIMENTO. Proibida a reprodução. Proibida a reprodução. A Planner oferece uma linha completa de produtos financeiros e nossa equipe de profissionais está preparada para explicar tudo o que você precisa saber para tomar suas decisões com

Leia mais

Instituto Tecnológico de Aeronáutica Engenharia de Infra-Estrutura Aeronáutica. Relatório de Estágio Curricular. Sérgio Henrique Cunha de Albuquerque

Instituto Tecnológico de Aeronáutica Engenharia de Infra-Estrutura Aeronáutica. Relatório de Estágio Curricular. Sérgio Henrique Cunha de Albuquerque Instituto Tecnológico de Aeronáutica Engenharia de Infra-Estrutura Aeronáutica Relatório de Estágio Curricular Sérgio Henrique Cunha de Albuquerque São José dos Campos Novembro/2005 Relatório de estágio

Leia mais

www.contratofuturo.com

www.contratofuturo.com www.contratofuturo.com www.contratofuturo.com História Antes do dólar a moeda de referência internacional era a Libra Esterlina, pois a Inglaterra era a grande economia mundial. Somente após a segunda

Leia mais

SERVIÇOS QUALIFICADOS E OS CLIENTES? O QUE PENSAM?

SERVIÇOS QUALIFICADOS E OS CLIENTES? O QUE PENSAM? SERVIÇOS QUALIFICADOS E OS CLIENTES? O QUE PENSAM? 2.009 NOSSA 1ª. APROXIMAÇÃO MUDANÇAS PERCEBIDAS NA PRESTAÇÃO DOS SERVIÇOS Não Sim Percebeu mudanças nos últimos anos? Total 20 80 Mudanças foram Positivas

Leia mais

Demais Áreas de Conhecimento do PMBOK

Demais Áreas de Conhecimento do PMBOK Residência em Arquitetura de Software Demais Áreas de Conhecimento do PMBOK Prof. Dr. Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira srbo@ufpa.br www.ufpa.br/srbo Gerência de Desenvolvimento 2008.2 Faculdade de Computação

Leia mais

TUTORIAL DE AMBIENTAÇÃO AO SGUS

TUTORIAL DE AMBIENTAÇÃO AO SGUS TUTORIAL DE TUTORIAL DE Sumário APRESENTAÇÃO 6 OBJETIVOS 8 CAPÍTULO 1 CONHECENDO OS MENUS DE NAVEGAÇÃO 10 CAPÍTULO 2 O SGUS NA PRÁTICA DOS GESTORES 22 CONCLUSÃO 28 REFERÊNCIAS 30 TUTORIAL DE Apresentação

Leia mais

1 Fórum de Educação a Distância do Poder Judiciário. Gestão de Projetos de EAD Conceber, Desenvolver e Entregar

1 Fórum de Educação a Distância do Poder Judiciário. Gestão de Projetos de EAD Conceber, Desenvolver e Entregar 1 Fórum de Educação a Distância do Poder Judiciário Gestão de Projetos de EAD Conceber, Desenvolver e Entregar Prof. Dr. Stavros Panagiotis Xanthopoylos stavros@fgv.br Brasília, 27 de novembro de 2009

Leia mais

Mesmo em uma construtora de menor porte, o processo de gestão pode ser bastante complexo. Este guia traz dicas de gerenciamento para atingir os

Mesmo em uma construtora de menor porte, o processo de gestão pode ser bastante complexo. Este guia traz dicas de gerenciamento para atingir os Mesmo em uma construtora de menor porte, o processo de gestão pode ser bastante complexo. Este guia traz dicas de gerenciamento para atingir os melhores resultados. 2 ÍNDICE SOBRE O SIENGE INTRODUÇÃO 01

Leia mais

03 Passos para o Seu Dinheiro da Poupança

03 Passos para o Seu Dinheiro da Poupança 03 Passos para o Seu Dinheiro da Poupança Render 5 Vezes Mais por Leandro Sierra Índice Apresentação...03 Introdução... 04 Passo 1...05 Passo 2... 08 Educação Financeira para a Segurança do seu Investimento...

Leia mais

Programa de Parcerias Ilog

Programa de Parcerias Ilog Programa de Parcerias Ilog Dados do Documento: Responsável Ilog: Renato Dutra Revisor Ilog: Renato Dutra Versão: 2.0 Data da última alteração: 1. OBJETIVO DO DOCUMENTO Apresentar o funcionamento do programa

Leia mais

RESUMO DA SOLUÇÃO Aperfeiçoando o planejamento de capacidade com o uso do gerenciamento de desempenho de aplicativos

RESUMO DA SOLUÇÃO Aperfeiçoando o planejamento de capacidade com o uso do gerenciamento de desempenho de aplicativos RESUMO DA SOLUÇÃO Aperfeiçoando o planejamento de capacidade com o uso do gerenciamento de desempenho de aplicativos como posso assegurar uma experiência excepcional para o usuário final com aplicativos

Leia mais

Painel Educação financeira com novas soluções digitais Experiências da Bolsa Brasileira

Painel Educação financeira com novas soluções digitais Experiências da Bolsa Brasileira Conferência de Educação Financeira e Comportamento do Investidor IECBrazil 2015 Painel Educação financeira com novas soluções digitais Experiências da Bolsa Brasileira Daniel Pfannemüller 08/12/2015 Confidencial

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DETALHADO - FORMAÇÃO DE PROFISSIONAIS EM MERCADOS DERIVATIVOS (MODALIDADE SEMIPRESENCIAL)

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DETALHADO - FORMAÇÃO DE PROFISSIONAIS EM MERCADOS DERIVATIVOS (MODALIDADE SEMIPRESENCIAL) CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DETALHADO - FORMAÇÃO DE PROFISSIONAIS EM MERCADOS DERIVATIVOS (MODALIDADE SEMIPRESENCIAL) 1º Encontro Presencial 01 hora - Presencial - Apresentação do Curso e Ferramentas do E-Learning

Leia mais

Índice. O que são Opções Binárias?... 3. Como operar em EmpireOption... Ativos Disponíveis... Definições que precisa saber Conclusão

Índice. O que são Opções Binárias?... 3. Como operar em EmpireOption... Ativos Disponíveis... Definições que precisa saber Conclusão Índice O que são Opções Binárias?... 3 Definições que precisa saber Conclusão Como operar em EmpireOption... 7 Opções Binárias One Touch Options Builder Ferramentas de EmpireOption Ativos Disponíveis...

Leia mais

Módulo 4 - Especulação e Cobertura de Riscos com Futuros

Módulo 4 - Especulação e Cobertura de Riscos com Futuros Sumário Módulo 4 - Especulação e Cobertura de Riscos com Futuros ISEG Universidade Técnica de Lisboa 6 de Maio de 2005 Parte I Sumário Parte I: Arbitragem com Futuros Parte II: Especulação com Futuros

Leia mais

Capítulo 1. Avaliando Empresas Uma Introdução

Capítulo 1. Avaliando Empresas Uma Introdução Capítulo 1 Avaliando Empresas Uma Introdução A expressão avaliação de empresas é a tradução para a língua portuguesa do termo valuation, sendo sinônimo de valoração de empresas. A recente onda de fusões

Leia mais

AJUSTE DE STRIKE PARA LANÇAMENTO COBERTO DE CALL (PETR4)

AJUSTE DE STRIKE PARA LANÇAMENTO COBERTO DE CALL (PETR4) ISSN 1984-9354 AJUSTE DE STRIKE PARA LANÇAMENTO COBERTO DE CALL (PETR4) Aneli Cristiana de Oliveira, Alexandre Lemes Sanches (Fatec de Bragança Paulista - Jornalista Omair Fagundes de Oliveira) Resumo:

Leia mais

Projeto IPN Integração do Pós- Negociação

Projeto IPN Integração do Pós- Negociação Projeto IPN Integração do Pós- Negociação Boletim 5ª Reunião do GT-Testes 7 de Fevereiro de 2013 A implantação do IPN depende de prévia autorização dos órgãos reguladores A implantação da integração das

Leia mais

CURSO PRÁTICO MINI CONTRATO XP Interfloat Ago/ 2014

CURSO PRÁTICO MINI CONTRATO XP Interfloat Ago/ 2014 CURSO PRÁTICO MINI CONTRATO XP Interfloat Ago/ 2014 A História da BM&F Uma história de Sucesso criada em Junho de 1985. Constituída sob a forma de sociedade por ações. Desenvolver, organizar e operacionalizar

Leia mais

SISTEMA FINANCEIRO DO MERCADO DE CAPITAIS BDMG CURSO ONLINE TEORIA E EXERCÍCIOS PROFESSOR CÉSAR FRADE

SISTEMA FINANCEIRO DO MERCADO DE CAPITAIS BDMG CURSO ONLINE TEORIA E EXERCÍCIOS PROFESSOR CÉSAR FRADE Olá pessoal! Alerto vocês para essa aula de hoje. É uma aula muito complicada e cheia de conceitos importantes e necessários para a perfeita compreensão da aula subseqüente. Estou colocando uma aula mais

Leia mais

Gestão orçamentária na Construção Civil

Gestão orçamentária na Construção Civil Um retrato dos desafios, práticas e resultados do planejamento orçamentário Maio, 2014 Agenda Metodologia e amostra Desafios e cultura da organização na gestão orçamentária Processos e riscos do planejamento

Leia mais

Diagnosticando os problemas da sua empresa

Diagnosticando os problemas da sua empresa Diagnosticando os problemas da sua empresa O artigo que você vai começar a ler agora é a continuação da matéria de capa da edição de agosto de 2014 da revista VendaMais. O acesso é restrito a assinantes

Leia mais

CONTRATOS DERIVATIVOS. Futuro de IGP-M

CONTRATOS DERIVATIVOS. Futuro de IGP-M CONTRATOS DERIVATIVOS Futuro de IGP-M Futuro de IGP-M Ferramenta de gerenciamento de risco contra a variação do nível de preços de diversos setores da economia O produto Para auxiliar o mercado a se proteger

Leia mais

Simuladores de benefícios Saiba como ficará sua projeção de aposentadoria com as taxas de juros reduzidas

Simuladores de benefícios Saiba como ficará sua projeção de aposentadoria com as taxas de juros reduzidas Simuladores de benefícios Saiba como ficará sua projeção de aposentadoria com as taxas de juros reduzidas Passo a passo Para ajudá-lo na simulação, preparamos um passo a passo do preenchimento do simulador

Leia mais

COMO ENFRENTAR A INADIMPLÊNCIA NO SEGMENTO EDUCACIONAL SEGUNDO ESPECIALISTAS DA ACERPLAN

COMO ENFRENTAR A INADIMPLÊNCIA NO SEGMENTO EDUCACIONAL SEGUNDO ESPECIALISTAS DA ACERPLAN COMO ENFRENTAR A INADIMPLÊNCIA NO SEGMENTO EDUCACIONAL SEGUNDO ESPECIALISTAS DA ACERPLAN - Treinar e capacitar os profissionais que cobram e atendem inadimplentes nas escolas; - Cadastrar os inadimplentes

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS. O QUE É?

PLANO DE NEGÓCIOS. O QUE É? NE- CACT O Núcleo de Empreendedorismo da UNISC existe para estimular atitudes empreendedoras e promover ações de incentivo ao empreendedorismo e ao surgimento de empreendimentos de sucesso, principalmente,

Leia mais

Objectivo. Ephi-ciência Financeira Tópicos Avançados sobre Opções -III. Definição e Carcterização de Opções Tipos de Opções Princípios de Avaliação

Objectivo. Ephi-ciência Financeira Tópicos Avançados sobre Opções -III. Definição e Carcterização de Opções Tipos de Opções Princípios de Avaliação Tópicos Avançados sobre Opções -III Objectivo Definição e Carcterização de Opções Tipos de Opções Princípios de Avaliação João Cantiga Esteves Senior Partner 1 ACTIVOS FINANCEIROS DERIVADOS MODELO BLACK-SCHOLES

Leia mais

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>> COMMODITIES AGRICULTURA. Uma oferta do serviço Bloomberg Professional AIBA AIS

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>> COMMODITIES AGRICULTURA. Uma oferta do serviço Bloomberg Professional AIBA AIS >>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>> COMMODITIES AGRICULTURA Uma oferta do serviço Bloomberg Professional AIBA AIS Nos mercados agrícolas globais e voláteis de hoje, saber o que acontece

Leia mais

Compliance Porque Educação Executiva Insper Cursos de Curta e Média Duração

Compliance Porque Educação Executiva Insper Cursos de Curta e Média Duração 1 Porque Educação Executiva Insper A dinâmica do mundo corporativo atual exige profissionais multidisciplinares, capazes de interagir e formar conexões com diferentes áreas da empresa e entender e se adaptar

Leia mais

CARTILHA PERFIS DE INVESTIMENTO VALIA FAÇA A SUA ESCOLHA. VALIA FIX VALIA MIX 20 VALIA MIX 35

CARTILHA PERFIS DE INVESTIMENTO VALIA FAÇA A SUA ESCOLHA. VALIA FIX VALIA MIX 20 VALIA MIX 35 CARTILHA PERFIS DE INVESTIMENTO VALIA VALIA FIX VALIA MIX 20 VALIA MIX 35 O melhor perfi l de investimento é o que mais se parece com você. FAÇA A SUA ESCOLHA. A Valia está disponibilizando três perfis

Leia mais

Transformar adversidade em oportunidade.

Transformar adversidade em oportunidade. $ Transformar adversidade em oportunidade. Com uma metodologia 360º, juntamos diferentes expertises em um processo otimizado e eficiente de trabalho para ouvir as necessidades de nossos clientes e de seus

Leia mais

Contratos Diferenciais CFDs: Contracts For Difference

Contratos Diferenciais CFDs: Contracts For Difference Contratos Diferenciais CFDs: Contracts For Difference PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO ADVERTÊNCIA AO INVESTIDOR Risco de perda súbita total, superior ou parcial do capital investido Remuneração não garantida

Leia mais

APRESENTAÇÃO XP UNIQUE QUANT

APRESENTAÇÃO XP UNIQUE QUANT APRESENTAÇÃO XP UNIQUE QUANT SUMÁRIO 1. Histórico XP 2. Apresentação XPG 3. Organograma XPG 4. Equipe de Gestão Quant 5. XP Unique Quant. Metodologia de Análise. Conceitos Quantitativos. Estratégia. Exemplos

Leia mais

Carta Mensal Mauá Sekular

Carta Mensal Mauá Sekular Mauá Participações I e II www.mauasekular.com.br contato@mauasekular.com.br Carta Mensal Mauá Sekular Fundos Macro Maio 2015 Sumário (I) (II) (III) Cenário Internacional Cenário Doméstico Principais Estratégias

Leia mais

E-BOOK GESTÃO FINANCEIRA PARA EMPREENDEDORES. Excellence Software (19) 2512-1411 Campinas-SP

E-BOOK GESTÃO FINANCEIRA PARA EMPREENDEDORES. Excellence Software (19) 2512-1411 Campinas-SP E-BOOK GESTÃO FINANCEIRA PARA EMPREENDEDORES Excellence Software (19) 2512-1411 Campinas-SP ÍNDICE Introdução Planejamento Financeiro Gestão do Fluxo de Caixa Gestão por Centros de Custo Otimizando o seu

Leia mais

Manual do Usuário 2013

Manual do Usuário 2013 Manual do Usuário 2013 MANUAL DO USUÁRIO 2013 Introdução Um ambiente virtual de aprendizagem é um programa para computador que permite que a sala de aula migre para a Internet. Simula muitos dos recursos

Leia mais

Módulo 4. Visão geral dos controles do COBIT aplicáveis para implantação da Sarbanes, o papel de TI, a importância dos softwares e exercícios

Módulo 4. Visão geral dos controles do COBIT aplicáveis para implantação da Sarbanes, o papel de TI, a importância dos softwares e exercícios Módulo 4 Visão geral dos controles do COBIT aplicáveis para implantação da Sarbanes, o papel de TI, a importância dos softwares e exercícios Estruturas e Metodologias de controle adotadas na Sarbanes COBIT

Leia mais

Manual do Sistema de Gestão Ambiental - Instant Solutions. Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa

Manual do Sistema de Gestão Ambiental - Instant Solutions. Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa Data da Criação: 09/11/2012 Dara de revisão: 18/12/2012 1 - Sumário - 1. A Instant Solutions... 3 1.1. Perfil da empresa... 3 1.2. Responsabilidade ambiental...

Leia mais

Análise de Investimentos Variáveis e Gestão de Carteira - 16 e 17 Out 2008

Análise de Investimentos Variáveis e Gestão de Carteira - 16 e 17 Out 2008 Análise de Investimentos Variáveis e Gestão de Carteira 16 e 17 Out 2008 Ligue agora e garanta a sua participaã à o: (11) 37170756 / 0757 / 0758 / 0759 ou (19) 38865603 :: Objetivo: Oferecer conhecimento

Leia mais

Gerenciamento de Riscos

Gerenciamento de Riscos Gerenciamento de Riscos o Processo sistemático o Análise e resposta aos riscos do projeto o Minimizar as consequências dos eventos negativos o Aumento dos eventos positivos Gerenciamento de Riscos o Principais

Leia mais

Distribuidor de Mobilidade GUIA OUTSOURCING

Distribuidor de Mobilidade GUIA OUTSOURCING Distribuidor de Mobilidade GUIA OUTSOURCING 1 ÍNDICE 03 04 06 07 09 Introdução Menos custos e mais controle Operação customizada à necessidade da empresa Atendimento: o grande diferencial Conclusão Quando

Leia mais