Curso de Iniciação ao Access Basic (I) CONTEÚDOS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Curso de Iniciação ao Access Basic (I) CONTEÚDOS"

Transcrição

1 Curso de Iniciação ao Access Basic (I) CONTEÚDOS 1. A Linguagem Access Basic. 2. Módulos e Procedimentos. 3. Usar o Access: 3.1. Criar uma Base de Dados: Criar uma nova Base de Dados Criar a interface para a programação Programar no Access Basic Criar um módulo Carregar/gravar um módulo como texto: Carregar um módulo de um ficheiro de texto Gavar um módulo como um ficheiro de texto. 4. Os componentes do Access Basic: 4.1. Variáveis Estruturas de Decisão: Estrutura If Then Estrutura If Then Else Estrutura Select Case Estruturas de loop: Estrutura Do Loop Sair do controlo da estrutura.

2 1. A Linguagem Access Basic Apesar das facilidades de apresentação e visualização, o Microsoft Access inclui, além das macros, uma linguagem de programação denominada Access Basic, desenvolvida para aplicações complexas que exigem comandos específicos para a gestão de bases de dados. O Access Basic é portanto uma linguagem estruturada derivada do Microsoft Visual Basic. Assim, os utilizadores que já trabalham com uma linguagem de programação, como o C, o Pascal ou o próprio Visual Basic, irão sentir uma grande semelhança entre estas linguagens e portanto uma maior facilidade de aprendizagem. Esta linguagem em particular, está preparada para manipulação de objectos (formulários, consultas, etc. ) ou seja tudo aquilo que manipulamos de modo interactivo através do próprio Access. Portanto, ao contrário de outras linguagens que simplesmente recorrem a bancos de dados já desenvolvidos, o Access Basic necessita que o programador tenha conhecimento de como utilizar e manipular tais objectos dentro do Access. Neste curso de iniciação ao Access Basic iremos fazer a programação sobre uma Base de Dados, no Access. 2. Módulos e Procedimentos Os códigos do Access Basic são escritos em unidades os Procedimentos que por sua vez são armazenados em objectos do Access denominados Módulos. Um procedimento é composto por uma série de comandos do Access Basic com o objectivo de realizar algum tipo de cálculo ou operação. Existem dois tipos de procedimentos: Função: Trata-se de um procedimento que retorna um valor, o qual pode ser utilizado numa expressão. Sub: Trata-se de um procedimento, programado de forma semelhante à função, mas que não pode ser utilizado numa expressão. Um Módulo é um objecto capaz de organizar os procedimentos. Em princípio, todos os procedimentos escritos poderiam ser armazenados num único módulo, entretanto, por uma questão de organização e conveniência, devemos dividir os procedimentos em grupos lógicos 2

3 e armazenar grupos diferentes em módulos diferentes. Deste modo, todos os procedimentos associados a um relatório de uma base de dados, por exemplo, podem ficar armazenados num único módulo. Cada módulo tem uma única secção de declarações e pode conter vários procedimentos, como se mostra em seguida: O primeiro bloco da figu ra anterior representa a secção de Declarações dentro da estrutura do módulo, e por pré-definição esta secção contém a instrução Option Compare Database, entretanto outras instruções podem ser aí acrescentadas. Os blocos abaixo da secção de declarações representam os diversos procedimentos que podem ser armazenados num determinado módulo. 3. Usar o Access 3.1. Criar uma Base de Dados Abra o programa Microsoft Access. Para isso execute, por exemplo, o comando Iniciar/Programas/Microsoft Access: 3

4 Criar uma nova Base de Dados Após abrir o Access, terá de criar uma base de dados vazia. Para isso: 1. Faça clique na opção Base de Dados Access vazia: 2. Dê um nome à base de dados (seja, por exemplo, Fernando Ferreira): 3. Faça clique no botão Criar: Após ter criado a base de dados Fernando Ferreira, crie um formulário, o qual será utilizado para a programação em Access Basic. 4

5 Para isso, deverá seguir os seguintes passos: 1. Faça clique no botão Formulários (lado esquerdo do ecrã): 2. Dê duplo clique em Criar um formulário na vista de estrutura. Em alternativa, poderia usar o botão Criar formulário utilizando o assistente: Tem agora uma área de trabalho onde irá realizar os vários exercícios, bastando para isso criar um botão de comando para cada um: Criar a interface para a programação Usando a caixa de ferramentas, crie um botão de comando no formulário. Faça clique em Cancelar para não usar o Assistente: 5

6 Basta depois fazer clique no formulário e arrastar para definir o tamanho do botão de comando: Dê ao botão o nome Exercício 1. Pode alterar o tipo de letra, tamanho, cor, etc. recorrendo às várias ferramentas da barra de opções: Se desejar recorrer ao assistente, faça clique no botão Assistentes de controlo: 6

7 Programar no Access Basic Faça a programação dos exercícios apresentados neste curso, criando um botão para cada um. A programação é feita da seguinte forma (uma forma alternativa será apresentada mais à frente): 1. Dê duplo clique sobre o botão criado, de forma a obter a caixa de propriedades: 2. Faça clique no separador Acontecimentos: 3. Faça clique na linha Ao fazer clique (isto indica que o código que irá criar para esse botão será activo quando o utilizador fizer clique sobre o botão: 7

8 4. Escolha a opção Construtor de código: 5. Faça clique em OK para obter a interface de programação. É aí que irá fazer o seu programa, que ficará ligado ao botão atrás criado, ou seja, o programa criado e disponível nesse botão será executado quando fizer clique nesse mesmo botão: Segue-se um exemplo de um programa, o qual permite escrever no ecrã Olá!, sou o Fernando : 6. Feche essa janela fazendo clique no X o botão Fechar situado no canto superior direito da janela: 8

9 7. Voltará ao formulário, à vista de estrutura. Feche o formulário e grave-o com o seguinte nome: Mais tarde, para executar o programa associado ao botão recentemente criado, deverá seguir os seguintes passos: 1. Faça clique sobre o formulário Programas: 2. Faça clique sobre o botão, para executar o programa: 3.2. Criar um módulo Para criar um novo módulo utilize o seguinte procedimento: 1. A partir da janela Base de Dados, accionar o botão Módulos, na secção Objectos: 9

10 2. Accionar o botão Novo: 3. O Access exibirá a janela Modulo 1: Esta janela é um editor de textos específico para os códigos Access Basic. Além da própria edição dos códigos, esta janela verifica a sintaxe e organiza as instruções: Sempre que abrimos um novo Módulo, a janela exibe a secção Declaração (General/Declarations) respectiva, com a instrução padrão Option Compare Database Carregar/gravar um módulo como texto È habitual os programadores elegerem um editor de texto específico, para editar todos os seus programas exclusivamente nesse editor, independentemente da linguagem. Isto é justificado para aqueles que trabalham em diversas linguagens e portanto não querem decorar todos os comandos de edição dos editores dedicados a cada linguagem. O Access permite tal possibilidade tanto para quem edita o programa num editor diferente, quanto para quem quer transferir o programa editado na janela Módulo para o seu editor de textos pessoal. 10

11 Carregar um módulo de um ficheiro de texto Para carregar um módulo de um ficheiro texto deverá: 1. Abrir o módulo. 2. Seleccionar a opção Load Text, a partir do menu File. 3. Seleccionar o ficheiro a ser carregado. 4. Accionar um dos botões: Botão Replace, se desejar substituir o conteúdo do módulo. Botão Merge, se desejar que o texto seja adicionado ao conteúdo actual do módulo. Botão New, se desejar carregar um novo módulo Gavar um módulo como um ficheiro de texto Os passos a seguir para gravar um módulo como um ficheiro de texto são os seguintes: 1. A partir do menu File, seleccionar a opção Save Text. 2. Na caixa de diálogo, inserir a rota e o nome do ficheiro que será gravado. 3. Pressionar o botão OK. 4. Os componentes do Access Basic Como toda a linguagem de programação estruturada, o Access Basic tem uma série de componentes de suporte à programação, como estruturas de decisão e loop, variáveis, procedimentos, etc Variáveis O Access Basic utiliza variáveis para o armazenamento de valores. Tais variáveis são definidas através de um nome e do tipo de dado correspondente. As regras para os nomes de variável são iguais às regras descritas para os nomes de função, que se resumem em seguida: Deve começar com uma letra. Deve conter apenas letras, números e caracteres especiais. Caracteres de pontuação e espaços não são permitidos. Deve ter um comprimento de no máximo 40 caracteres. Não pode ser uma palavra reservada, como por exemplo DIM. 11

12 Sempre que usamos uma variável em Access Basic, devemos declará-la através da instrução adequada. Tal declaração não é obrigatória, porque o Access Basic ao detectar um nome de variável sem declaração, cria automaticamente uma declaração com o nome detectado. O comando adequado para a declaração de uma variável é Dim: Dim nomevariavel Deste modo, podemos criar, por exemplo, uma variável X através da seguinte instrução: Dim X As variáveis declaradas através do comando Dim dentro de um procedimento, existem apenas enquanto o procedimento for executado, ou seja, quando o procedimento for concluído, o valor armazenado na variável desaparece. Tal situação favorece o programador, que se deve preocupar com os nomes de variáveis apenas dentro de um procedimento, não sendo necessário verificar se existem outras variáveis com o mesmo nome ao longo do módulo. Deste modo, no exemplo a seguir, as variáveis procedimento da função Datapgto: qqano e qqmes terão validade apenas no Function Datapgto (qqdata) Dim qqano, qqmes qqano = Year (qqdata) qqmes = Month (qqdata) + 1 Dataptgo = DataSerial (qqano, qqmes, 1) End Function Ainda em relação ao comando Dim, não é necessário escrever a mesma instrução para cada variável declarada, pois basta apenas uma instrução Dim e logo em seguida descrever os nomes das variáveis, separados por vírgulas: Dim qqano, qqmes 4.2. Estruturas de Decisão O Access Basic possui uma série de ferramentas que podem testar uma determinada condição e, dependendo do resultado, executar diferentes operações. 12

13 As estruturas de decisão do Access Basic são as seguintes: If Then If Then Else Select Case Estrutura If Then A estrutura If Then é utilizada para executar uma ou várias instruções condicionalmente. O Access Basic permite que utilizemos tanto uma estrutura de linha única, como de múltiplas linhas: If condição Then instrução Ou If condição Then bloco de instruções End if O argumento descrito como condição é normalmente uma comparação ou uma expressão que testa um valor numérico. Neste caso, o Access Basic interpreta o valor como verdadeiro ou falso (um valor numérico igual a zero é considerado como falso; qualquer outro valor diferente de zero é considerado verdadeiro). Se o argumento condição é considerado verdadeiro, o Access Basic executará todas as instruções seguintes à instrução de estrutura Then, tanto na estrutura de linha única, como na de linhas múltiplas. Por exemplo: If a<b then c=x Ou If a<b then c=x y = numw + creg End If Se desejar utilizar mais do que uma linha de código quando a condição é verdadeira, deve utilizar a estrutura If Then EndIf, ou então, inserir todas as instruções numa única linha após o comando Then, separadas pelo operador(:) dois pontos (o que não deixa o programa muito claro). Por outro lado, se for necessária apenas uma linha de código, a estrutura a ser utilizada é irrelevante sob o ponto de vista da lógica de programação. 13

14 Estrutura If Then Else A estrutura If Then Else pode ser utilizada para definir vários blocos de instrução, onde apenas um destes será executado, em função da satisfação das condições programadas. A condição de execução das instruções descritas é a seguinte: - O Access Basic testa inicialmente a condição -1. Se esta condição for falsa, o bloco de instruções -1 não é executado e o programa prossegue fazendo o teste da condição -2 até a condição (n-1), saltando os respectivos blocos de instrução, até que seja encontrada uma condição verdadeira. Neste caso o bloco de instrução correspondente à condição verdadeira é executado. Tal procedimento ocorre até que o Access Basic execute a instrução final End If. Imagine que numa variável chamada num existe um algarismo qualquer cujo valor pode estar entre 2 e 5, e que a sua tarefa como programador é, a partir deste valor, escrever literalmente o valor do número e armazená-lo numa outra variável chamada liter: Exemplos: Se num= 4, então liter= quatro. Se num=3, então liter= três. O programa, para executar esta tarefa, deve ter um código similar a: Function NumLiteral (num) Dim liter If (num) =2 Then liter = dois ElseIf (num) = 3 Then liter = três Elself (num) =4 Then liter = quatro Elself (num) =5 Then liter = cinco End If NumLiteral = liter End Function Neste caso, conseguiu-se encadear até 3 comandos Elself à estrutura completa de If Then. Em princípio, pode incluir tantos códigos Elself quantos desejar na estrutura Estrutura Select Case No exemplo anterior, teve que escrever basicamente a mesma linha de instruções para cada código Elself. Na variável num daquele exemplo, existia um algarismo cujo valor estava entre 14

15 2 e 5. Deste modo, para saber qual era o número armazenado na variável, teria de encadear 3 estruturas de decisão. E o que deveria fazer se nesta mesma variável o algarismo armazenado tivesse um valor entre 0 e 9? Teria que encadear tantos códigos Elself quantos necessários, até cobrir todas as possibilidades de valores existentes na variável num (neste caso, pelo menos 8 encadeamentos seriam necessários). Escrever tantos encadeamentos seria muito cansativo e sujeito a erros! Para facilitar a programação, o Access Basic dispõe da estrutura Select Case, que pode ser utilizada como alternativa da estrutura If Then. A estrutura Select Case trabalha a partir de uma única expressão de teste definida no topo da estrutura. O Access Basic compara o resultado da expressão definida com os valores definidos em Case. Onde existir a coincidência, o bloco de instruções associado a este Case, é executado. A sintaxe da estrutura é a seguinte: Select Case expressão de teste [ Case valor ou expressão 1 [ bloco de instruções 1 ] ] [ Case valor ou expressão 2 [ bloco de instruções 2 ] ] [ Case Else [ bloco de instruções n ] ] End Select As regras para esta estrutura são as seguintes: Quando uma expressão coincidir com a expressão de teste, o bloco de instruções associado ao Case será executado. Se mais do que um Case coincidir com a expressão de teste, apenas o bloco de instruções do primeiro Case coincidente será executado. Opcionalmente, pode incluir a cláusula Case Else, para os casos onde nenhum Case coincidir com a expressão de teste. 15

16 Para exemplo na função NumLiteral, a sequência de instruções seria a seguinte: Function NumLiteral (num) Dim Liter Select case (num) Case 1: liter = um Case 2: liter = dois Case 3: liter = três Case 4: liter = quatro Case 5: liter = cinco Case 6: liter = seis Case 7: liter = sete Case 8: liter = oito Case 9: liter = nove Case Else liter = zero End Select NumLiteral = Liter End Function Observe-se que a estrutura Select Case deixa o programa muito mais claro. Esta estrutura só pode ser utilizada quando existe apenas uma única expressão a ser comparada, pois caso contrário, terá de utilizar a estrutura If Then ElseIf Estruturas de loop Uma estrutura de loop permite executar várias linhas de instrução repetidamente, pelo número de vezes que a lógica do programa determinar Estrutura Do Loop A estrutura Do Loop é utilizada para executar um bloco de instruções por um número indefinido de vezes. Existem diversos tipos de instrução Do Loop, entretanto esta estrutura é sempre condicionada a algum tipo de valor ou expressão que determina a continuidade ou não do loop. Tal como a estrutura If Then, a condição deve ser um valor ou expressão que indique falso (zero) ou verdadeiro (não zero). A sintaxe básica desta estrutura é a seguinte: Do Until condição bloco de instruções Loop Antes de executar o bloco de instruções, o Access Basic testa a condição definida. Se a condição é verdadeira, o bloco de instruções não é executado, se for falsa, o bloco de 16

17 instruções é executado e depois volta à instrução Do Until e testa a condição definida novamente. Deste modo, o loop será executado tantas vezes quantas a condição for falsa. Se a condição inicial for verdadeira, o bloco de instruções dentro do loop nunca será executado. No exemplo a seguir, testa se a variável num, e enquanto a variável não tiver um valor igual a 3, incrementa se uma variável que contará o número de vezes que a variável num foi diferente de 3. Para simplificar, imagine daqui para frente que os exemplos descritos são apenas fragmentos de uma função completa. Deste modo, não se irá definir variáveis, nem iniciar ou finalizar as funções, pois isso já foi anteriormente explicado:... ValorDeComparacao = 3 num = num + 1 Do Until num = ValorDeComparacao cont = cont + 1 Loop... Outra variação da estrutura Do Loop é a seguinte: Do bloco de instruções Loop Until condição Neste caso, o Access Basic primeiro irá executar o bloco de instruções e testar a condição somente após o loop. A diferença entre esta variação e a descrita anteriormente é que nesta, o bloco de instruções é executado pelo menos uma vez, ao contrário da variação anterior, em que se a condição fosse inicialmente verdadeira as instruções nunca seriam executadas. Existem duas outras variações descritas a seguir: Do While condição bloco de instruções Loop e Do bloco de instruções Loop While condição 17

18 A diferença entre Do Until (faça até) e Do While (faça enquanto) é que a primeira executa o bloco de instruções até que a condição seja verdadeira. Por outro lado, a segunda opção executa o bloco de instruções enquanto a condição é verdadeira. Por outras palavras, a estrutura Do Until executa o bloco de instruções enquanto a condição for falsa, e a estrutura Do While executa o bloco de instruções enquanto a condição for verdadeira: Estrutura For Next A estrutura Do Loop é muito interessante quando tem que executar instruções em loop até que uma condição seja satisfeita. Neste caso, não é possível saber quantas vezes o loop será executado, pois não tem o controlo desta variável de comando. Para os casos onde deseje executar um número conhecido de loops de instruções, deve utilizar da estrutura For Next, pois ao contrário da estrutura Do Loop, a primeira usa um contador que controla o número de loops que serão executados. A sintaxe desta estrutura é a seguinte: For contador = inicio To fim [ Step incremento ] bloco de instruções Next [ contador ] Os argumentos contador, início, fim e incremento são todos variáveis numéricas. Se voltarmos ao programa que incrementava um contador enquanto a variável num fosse diferente de 3, e supondo que se pretende em 10 vezes o número de tentativas, teria:... For contador = 1 to 10 num = num + 1 if num = 3 then Exit For Next... Neste exemplo, a variável contador é incrementada desde o valor inicial 1 até o valor final 10, sempre que a variável num for diferente de 3. O comando Next faz o incremento da variável contador e retorna o fluxo do programa para a próxima instrução após o comando For. 18

19 O comando Exit For interrompe o loop For Next quando a variável num ciclo for igual a Sair do controlo da estrutura É possível cancelar e sair de uma estrutura de loop antes que ela seja concluída através do seu próprio controlo. Para a saída de uma estrutura existe um comando adequado para cada tipo de comando. A sintaxe destes comandos é a segunte: Exit For: Sai da estrutura de loop For Next Exit Do: Sai da estrutura de loop Do Loop Os comandos Exit For e Exit Do são importantes para a saída de um loop sem que os contadores e controlo do loop fiquem perdidos sem se saber porquê. Se sair de um loop sem o comando adequado, as pilhas de controlo do programa não serão esvaziadas, causando possíveis erros em pontos distintos do programa, e por vezes difíceis de encontrar. -- * -- Brevemente será publicada a II parte deste curso, incluindo: Chamadas de acções e macros; Subprocedimentos e procedimentos Privados; Funções do Access Basic (cálculos, compilação, argumentos); Tabelas de Funções e Instruções Access Basic; Ferramentas; Funções Especificas do Access Basic; Exercícios resolvidos em Access Basic. F. T. Ferreira 19

Migrar para o Access 2010

Migrar para o Access 2010 Neste Guia Microsoft O aspecto do Microsoft Access 2010 é muito diferente do Access 2003, pelo que este guia foi criado para ajudar a minimizar a curva de aprendizagem. Continue a ler para conhecer as

Leia mais

Nesta aula serão apresentados alguns comandos de condição, repetição e gráficos.

Nesta aula serão apresentados alguns comandos de condição, repetição e gráficos. 3 COMANDOS CONDICIONAIS E DE LAÇO Nesta aula serão apresentados alguns comandos de condição, repetição e gráficos. 3.1 COMANDOS CONDICIONAIS 3.1.1 Comando IF Como o próprio nome já indica, estes comandos

Leia mais

4 Criação de macros e introdução à linguagem VBA

4 Criação de macros e introdução à linguagem VBA 4 Criação de macros e introdução à linguagem VBA Vinicius A. de Souza va.vinicius@gmail.com São José dos Campos, 2011. 1 Sumário Tópicos em Microsoft Excel 2007 Introdução à criação de macros...3 Gravação

Leia mais

A1;A7 é o mesmo que A1 e A7 A1:A7 é o mesmo que A1 até A7 (abrange A1, A2, A3, A4, A5, A6, A7).

A1;A7 é o mesmo que A1 e A7 A1:A7 é o mesmo que A1 até A7 (abrange A1, A2, A3, A4, A5, A6, A7). Excel Avançado Atenção! 1. Nunca referenciamos valores, mas sim o nome da célula que contém o valor, como A1, sendo A a coluna e 1 a linha. 2. As fórmulas sempre iniciam com sinal de =. 3. Lembre-se de:

Leia mais

A.2. Usando Tarski World

A.2. Usando Tarski World Tarski World é um programa que acompanha o livro Language, Proof and Logic 1 (LPL) e baseia-se numa premissa muito simples: as linguagens aprendem-se melhor quando as utilizamos. O programa aplica esta

Leia mais

No final desta sessão o formando deverá ser capaz de aceder ao Word e iniciar um novo documento.

No final desta sessão o formando deverá ser capaz de aceder ao Word e iniciar um novo documento. Sessão nº 2 Iniciar um novo documento Objectivos: No final desta sessão o formando deverá ser capaz de aceder ao Word e iniciar um novo documento. Iniciar um novo documento Ao iniciar-se o Word, este apresenta

Leia mais

Avançado. Visão geral do ambiente do VBA Retornar à planilha Excel

Avançado. Visão geral do ambiente do VBA Retornar à planilha Excel Avançado Trabalhando com VBA Descubra a linguagem de programação do Microsoft Office e torne-se um expert no desenvolvimento de funções, macros e planilhas eletrônicas Nas edições anteriores da revista

Leia mais

Guião de Introdução ao Eclipse IDE Índice

Guião de Introdução ao Eclipse IDE Índice Índice 1. Introdução... 2 1.1. O que é um ambiente de desenvolvimento (IDE)?... 2 1.2. Visão geral sobre o Eclipse IDE... 2 2. Iniciar o Eclipse... 3 2.1. Instalação... 3 2.2. Utilizar o Eclipse... 3 3.

Leia mais

Os objetivos indicados aplicam-se a duas linguagens de programação: C e PHP

Os objetivos indicados aplicam-se a duas linguagens de programação: C e PHP AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SANTA COMBA DÃO CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE GESTÃO E PROGRAMAÇÃO DE SISTEMAS INFORMÁTICOS 2012-2015 PROGRAMAÇÃO E SISTEMAS DE INFORMAÇÃO MÓDULO 2 Mecanismos de Controlo de

Leia mais

Os elementos básicos do Word

Os elementos básicos do Word Os elementos básicos do Word 1 Barra de Menus: Permite aceder aos diferentes menus. Barra de ferramentas-padrão As ferramentas de acesso a Ficheiros: Ficheiro novo, Abertura de um documento existente e

Leia mais

Procalc v1.0. Versão Programador

Procalc v1.0. Versão Programador Procalc v1.0 Versão Programador Conteúdo Procalc... 4 Primeiros botões... 5 Funções Básicas... 6 Como funciona... 7 Funções avançadas... 8 Logaritmo... 8 Logaritmo Natural... 9 Expoente... 10 Factorial...

Leia mais

COMPETÊNCIAS BÁSICAS EM TIC NAS EB1

COMPETÊNCIAS BÁSICAS EM TIC NAS EB1 COMPETÊNCIAS BÁSICAS EM TIC NAS EB1 Oficina do Correio Para saber mais sobre Correio electrónico 1. Dicas para melhor gerir e organizar o Correio Electrónico utilizando o Outlook Express Criar Pastas Escrever

Leia mais

1 Code::Blocks Criação de projetos

1 Code::Blocks Criação de projetos Programação MEEC Índice 1Code::Blocks Criação de projetos...1 2Code::Blocks Localização do projeto...5 3Code::Blocks Abertura de projetos já existentes...7 4Code::Blocks Funcionamento...8 5Code::Blocks

Leia mais

Microsoft Office FrontPage 2003

Microsoft Office FrontPage 2003 Instituto Politécnico de Tomar Escola Superior de Gestão Área Interdepartamental de Tecnologias de Informação e Comunicação Microsoft Office FrontPage 2003 1 Microsoft Office FrontPage 2003 O Microsoft

Leia mais

Folha de cálculo. Excel. Agrupamento de Escolas de Amares

Folha de cálculo. Excel. Agrupamento de Escolas de Amares Folha de cálculo Excel Agrupamento de Escolas de Amares Índice 1. Funcionalidades básicas... 3 1.1. Iniciar o Excel... 3 1.2. Criar um livro novo... 3 1.3. Abrir um livro existente... 3 1.4. Inserir uma

Leia mais

Excel Avançado 2007 Excel Avançado 2007 1

Excel Avançado 2007 Excel Avançado 2007 1 1 Sumário: 1. Introdução...3 2. Funções...3 2.1 Função SE...4 2.2 Botão Inserir...7 2.3 Novas Funções Condicionais...8 2.4 Aninhando Funções...8 3. Análise de Dados Alternativos...9 3.1 Cenários...9 3.2

Leia mais

Banco de Dados Microsoft Access: Criar tabelas. Vitor Valerio de Souza Campos

Banco de Dados Microsoft Access: Criar tabelas. Vitor Valerio de Souza Campos Banco de Dados Microsoft Access: Criar tabelas Vitor Valerio de Souza Campos Objetivos do curso 1. Criar uma tabela no modo de exibição Folha de Dados. 2. Definir tipos de dados para os campos na tabela.

Leia mais

5 - Se o documento estiver completo, com os campos totalmente inseridos e com o aspecto que pretende, poderá guardá-lo.

5 - Se o documento estiver completo, com os campos totalmente inseridos e com o aspecto que pretende, poderá guardá-lo. Impressão em série de cartas de formulário e mailings em grande número Intercalação de correio Base de Dados em Excel Comece por planear o aspecto da sua página final - é uma carta, uma página de etiquetas

Leia mais

Primeiramente lemos a seguinte citação, copiada de Excel-Ajuda:

Primeiramente lemos a seguinte citação, copiada de Excel-Ajuda: 33 Capítulo 3 Procedimentos (macros) Primeiramente lemos a seguinte citação, copiada de Excel-Ajuda: O objetivo de uma macro é automatizar as tarefas usadas com mais freqüência. Embora algumas macros sejam

Leia mais

MICROSOFT ACCESS MICROSOFT ACCESS. Professor Rafael Vieira Professor Rafael Vieira

MICROSOFT ACCESS MICROSOFT ACCESS. Professor Rafael Vieira Professor Rafael Vieira MICROSOFT ACCESS MICROSOFT ACCESS Professor Rafael Vieira Professor Rafael Vieira - Access - Programa de base de dados relacional funciona em Windows Elementos de uma Base de Dados: Tabelas Consultas Formulários

Leia mais

Manipulando Strings no VBA (Replace, Mid e InStr)

Manipulando Strings no VBA (Replace, Mid e InStr) Manipulando Strings no VBA (Replace, Mid e InStr) por Eduardo Vieira Machado (Good Guy) Hoje gostaria de tratar de um assunto bastante atraente no Access e que é muito trabalhado nas empresas - a manipulação

Leia mais

OBJECTIVO Primeiros passos no processamento de texto

OBJECTIVO Primeiros passos no processamento de texto FICHA 0 OBJECTIVO Primeiros passos no processamento de texto Antes de começar a elaborar documentos com o Word é necessário que saiba o essencial sobre o funcionamento deste processador de texto. Não menos

Leia mais

Reconhecer alguns dos objectos VBA Automatizar bases de dados recorrendo à programação VBA e scripts SQL

Reconhecer alguns dos objectos VBA Automatizar bases de dados recorrendo à programação VBA e scripts SQL OBJECTIVOS Reconhecer alguns dos objectos VBA Automatizar bases de dados recorrendo à programação VBA e scripts SQL O objecto DOCMD Este objecto permite o acesso a todas as operações sobre todos os objectos

Leia mais

Banco de Dados Microsoft Access: Criar tabelas

Banco de Dados Microsoft Access: Criar tabelas Banco de Dados Microsoft Access: Criar s Vitor Valerio de Souza Campos Objetivos do curso 1. Criar uma no modo de exibição Folha de Dados. 2. Definir tipos de dados para os campos na. 3. Criar uma no modo

Leia mais

TUTORIAL DO ACCESS PASSO A PASSO. I. Criar um Novo Banco de Dados. Passos: 1. Abrir o Access 2. Clicar em Criar um novo arquivo

TUTORIAL DO ACCESS PASSO A PASSO. I. Criar um Novo Banco de Dados. Passos: 1. Abrir o Access 2. Clicar em Criar um novo arquivo TUTORIAL DO ACCESS PASSO A PASSO I. Criar um Novo Banco de Dados Passos: 1. Abrir o Access 2. Clicar em Criar um novo arquivo 3. Clicar em Banco de Dados em Branco 4. Escrever um nome na caixa de diálogo

Leia mais

Faculdade Boa Viagem Sistemas de Informação Gerenciais EXERCÍCIO PASSO-A-PASSO PEDIDOS E CONTROLE DE ESTOQUE. Microsoft Access.

Faculdade Boa Viagem Sistemas de Informação Gerenciais EXERCÍCIO PASSO-A-PASSO PEDIDOS E CONTROLE DE ESTOQUE. Microsoft Access. Faculdade Boa Viagem Sistemas de Informação Gerenciais EXERCÍCIO PASSO-A-PASSO PEDIDOS E CONTROLE DE ESTOQUE Microsoft Access Professor: M.Sc. Joel da Silva Recife-PE 2006 FBV Controle de Estoque passo-a-passo

Leia mais

Aplicações de Escritório Electrónico

Aplicações de Escritório Electrónico Universidade de Aveiro Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Águeda Curso de Especialização Tecnológica em Práticas Administrativas e Tradução Aplicações de Escritório Electrónico Folha de trabalho

Leia mais

NOÇÕES ELEMENTARES DE BASES DE DADOS

NOÇÕES ELEMENTARES DE BASES DE DADOS 1 NOÇÕES ELEMENTARES DE BASES DE DADOS Este primeiro capítulo aborda conceitos elementares relacionados com bases de dados. Os conceitos abordados neste capítulo são necessários para trabalhar adequadamente

Leia mais

Instalação e Manutenção de Microcomputadores (COI)

Instalação e Manutenção de Microcomputadores (COI) Instalação e Manutenção de Microcomputadores (COI) 4. Montagem do Computador Disco rígido limpeza; Disco rígido verificação de erros (modo gráfico); Disco rígido verificação de erros (linha de comandos;

Leia mais

Tutorial de Matlab Francesco Franco

Tutorial de Matlab Francesco Franco Tutorial de Matlab Francesco Franco Matlab é um pacote de software que facilita a inserção de matrizes e vetores, além de facilitar a manipulação deles. A interface segue uma linguagem que é projetada

Leia mais

WINDOWS. O Windows funciona como um Sistema Operativo, responsável pelo arranque do computador.

WINDOWS. O Windows funciona como um Sistema Operativo, responsável pelo arranque do computador. WINDOWS O AMBIENTE DE TRABALHO DO WINDOWS O Windows funciona como um Sistema Operativo, responsável pelo arranque do computador. Um computador que tenha o Windows instalado, quando arranca, entra directamente

Leia mais

Banco de Dados BrOffice Base

Banco de Dados BrOffice Base Banco de Dados BrOffice Base Autor: Alessandro da Silva Almeida Disponível em: www.apostilando.com 27/02/2011 CURSO TÉCNICO EM SERVIÇO PÚBLICO Apostila de Informática Aplicada - Unidade VI Índice Apresentação...

Leia mais

Findo o processo de normalização, obtemos o conjunto de tabelas indicado na tabela 1.28.

Findo o processo de normalização, obtemos o conjunto de tabelas indicado na tabela 1.28. ACCESS 2007 MACROS & VBA - CURSO COMPLETO AS-44-33 Honda Civic YY-44-32 Opel Corsa UU-44-44 Fiat Uno UU-44-44 Fiat Uno UU-44-44 Fiat Uno AA-00-01 Ford Transit TABELA ERRO! NÃO EXISTE NENHUM TEXTO COM O

Leia mais

MANUAL DO UTILIZADOR PROFESSOR(A)

MANUAL DO UTILIZADOR PROFESSOR(A) PROFESSOR(A) INTRODUÇÃO Caro(a) professor(a), Obrigado por descarregar este manual do utilizador do Ephorus. Em caso de dúvidas, por favor contacte o utilizador principal do Ephorus no seu estabelecimento

Leia mais

Seu manual do usuário EPSON LQ-630 http://pt.yourpdfguides.com/dref/1120693

Seu manual do usuário EPSON LQ-630 http://pt.yourpdfguides.com/dref/1120693 Você pode ler as recomendações contidas no guia do usuário, no guia de técnico ou no guia de instalação para. Você vai encontrar as respostas a todas suas perguntas sobre a no manual do usuário (informação,

Leia mais

Nota de Aula: Utilização da IDE Code::Blocks

Nota de Aula: Utilização da IDE Code::Blocks INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO MARANHÃO CAMPUS SÃO LUÍS MONTE CASTELO DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE INFORMÁTICA SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DISCIPLINA: LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO I PROFESSOR:

Leia mais

1.1. Clique no botão Iniciar, seleccione Todos os programas, Microsoft Office e no submenu aberto escolha o programa Microsoft FrontPage.

1.1. Clique no botão Iniciar, seleccione Todos os programas, Microsoft Office e no submenu aberto escolha o programa Microsoft FrontPage. Objectivos: Identificar os elementos do Ambiente de trabalho do Microsoft FrontPage Criar um website Fechar um website Abrir um website Modos de visualização de um website Criar, eliminar, abrir e fechar

Leia mais

Manual do Artikulate. Andreas Cord-Landwehr Ondrila Gupta Tradução: André Marcelo Alvarenga

Manual do Artikulate. Andreas Cord-Landwehr Ondrila Gupta Tradução: André Marcelo Alvarenga Andreas Cord-Landwehr Ondrila Gupta Tradução: André Marcelo Alvarenga 2 Conteúdo 1 Introdução 5 1.1 Conceito de aprendizagem................................. 5 1.2 Primeiros passos no Artikulate..............................

Leia mais

Javascript 101. Parte 2

Javascript 101. Parte 2 Javascript 101 Parte 2 Recapitulando O Javascript é uma linguagem de programação funcional Os nossos scripts são executados linha a linha à medida que são carregados. O código que está dentro de uma função

Leia mais

7.3. WINDOWS MEDIA PLAYER 12

7.3. WINDOWS MEDIA PLAYER 12 7.3. WINDOWS MEDIA PLAYER 12 Este programa permite gerir toda a sua colecção de músicas, vídeos e até mesmo imagens, estando disponível para download no site da Microsoft, o que significa que mesmo quem

Leia mais

LIÇÃO 1 - USANDO O GRAVADOR DE MACROS

LIÇÃO 1 - USANDO O GRAVADOR DE MACROS 1_15 - ADS - PRO MICRO (ILM 001) - Estudo dirigido Macros Gravadas Word 1/35 LIÇÃO 1 - USANDO O GRAVADOR DE MACROS No Microsoft Office Word 2007 é possível automatizar tarefas usadas frequentemente criando

Leia mais

Estruturando um aplicativo

Estruturando um aplicativo Com o Visual FoxPro, é possível criar facilmente aplicativos controlados por eventos e orientados a objetos em etapas. Esta abordagem modular permite que se verifique a funcionalidade de cada componente

Leia mais

Migrar para o Excel 2010

Migrar para o Excel 2010 Neste Guia Microsoft O aspecto do Microsoft Excel 2010 é muito diferente do Excel 2003, pelo que este guia foi criado para ajudar a minimizar a curva de aprendizagem. Continue a ler para conhecer as partes

Leia mais

Manual de Utilização. Site Manager. Tecnologia ao serviço do Mundo Rural

Manual de Utilização. Site Manager. Tecnologia ao serviço do Mundo Rural Manual de Utilização Site Manager Tecnologia ao serviço do Mundo Rural Índice 1. Acesso ao Site Manager...3 2. Construção/Alteração do Menu Principal...4 3. Inserção/ Alteração de Conteúdos...7 4. Upload

Leia mais

&XUVRGH,QWURGXomRDR (GLWRUGH3ODQLOKDV([FHO

&XUVRGH,QWURGXomRDR (GLWRUGH3ODQLOKDV([FHO Universidade Federal de Viçosa Departamento de Informática &XUVRGH,QWURGXomRDR (GLWRUGH3ODQLOKDV([FHO Flaviano Aguiar Liziane Santos Soares Jugurta Lisboa Filho (Orientador) PROJETO UNESC@LA Setembro de

Leia mais

Aula 12: Funções. Pré-requisitos: Todas as aulas anteriores deste módulo. 1. Aproveitando Códigos no Programa

Aula 12: Funções. Pré-requisitos: Todas as aulas anteriores deste módulo. 1. Aproveitando Códigos no Programa Aula 12: Funções Nesta aula explicaremos o que são e como usar funções nos seus programas em JavaScript. Você aprenderá como elas podem receber e retornar valores à estrutura que as acionou. Entenderá

Leia mais

BARRA DE PROGRESSO EM VBA

BARRA DE PROGRESSO EM VBA BARRA DE PROGRESSO EM VBA Quando elaboramos uma programação em VBA e não sabemos o tempo de execução podemos utilizar uma alternativa para a visualização do progresso da tarefa, uma barra de progressão

Leia mais

OPERADORES E ESTRUTURAS DE CONTROLE

OPERADORES E ESTRUTURAS DE CONTROLE OPERADORES E ESTRUTURAS DE CONTROLE 3.1 Operadores Os operadores indicam o tipo de operação matemática que será executada gerando novos valores a partir de um ou mais operadores. São muito utilizados em

Leia mais

Aplicações de Escritório Electrónico

Aplicações de Escritório Electrónico Universidade de Aveiro Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Águeda Curso de Especialização Tecnológica em Práticas Administrativas e Tradução Aplicações de Escritório Electrónico Folha de trabalho

Leia mais

Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos

Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos Neste capítulo nós iremos examinar as características da interface do gerenciador de arquivos Konqueror. Através dele realizaremos as principais operações com arquivos

Leia mais

Google Sites. A g r u p a m e n t o C a m p o A b e r t o 2 0 1 0 / 2 0 1 1

Google Sites. A g r u p a m e n t o C a m p o A b e r t o 2 0 1 0 / 2 0 1 1 Google Sites A g r u p a m e n t o C a m p o A b e r t o 2 0 1 0 / 2 0 1 1 1. Google Sites A Google veio anunciar que, para melhorar as funcionalidades centrais do Grupos Google, como listas de discussão

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE ESCOLA AGRÍCOLA DE JUNDIAÍ EAJ - PRONATEC / REDE etec MÓDULO III DESENVOLVIMENTO PROFESSOR ADDSON COSTA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE ESCOLA AGRÍCOLA DE JUNDIAÍ EAJ - PRONATEC / REDE etec MÓDULO III DESENVOLVIMENTO PROFESSOR ADDSON COSTA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE ESCOLA AGRÍCOLA DE JUNDIAÍ EAJ - PRONATEC / REDE etec MÓDULO III DESENVOLVIMENTO PROFESSOR ADDSON COSTA RESUMO DE AULA CRIAÇÃO E MANIPULAÇÃO DO BANCO DE DADOS

Leia mais

Tarefa Orientada 2 Criar uma base de dados

Tarefa Orientada 2 Criar uma base de dados Tarefa Orientada 2 Criar uma base de dados Objectivos: Criar uma base de dados vazia. O Sistema de Gestão de Bases de Dados MS Access Criar uma base dados vazia O Access é um Sistema de Gestão de Bases

Leia mais

Centro Federal de Educação Tecnológica da Bahia Curso Excel Avançado Índice

Centro Federal de Educação Tecnológica da Bahia Curso Excel Avançado Índice Índice Apresentação...2 Barra de Título...2 Barra de Menus...2 Barra de Ferramentas Padrão...2 Barra de Ferramentas de Formatação...3 Barra de Fórmulas e Caixa de Nomes...3 Criando um atalho de teclado

Leia mais

Fórmulas e Funções 7

Fórmulas e Funções 7 Fórmulas e Funções 7 7.9. Visualização automática do resultado Para visualizar rapidamente o resultado das funções mais simples média, soma, contar, mínimo e máximo: 1. Menu de contexto sobre a barra de

Leia mais

AutoLISP - IV Ambiente de programação Visual Lisp. João Manuel R. S. Tavares Joaquim Oliveira Fonseca

AutoLISP - IV Ambiente de programação Visual Lisp. João Manuel R. S. Tavares Joaquim Oliveira Fonseca AutoLISP - IV Ambiente de programação Visual Lisp João Manuel R. S. Tavares Joaquim Oliveira Fonseca Ambiente de programação Visual Lisp O software Visual Lisp é um ambiente de programação para a linguagem

Leia mais

EMP Multi Screen Adjustment. Guia de Funcionamento

EMP Multi Screen Adjustment. Guia de Funcionamento EMP Multi Screen Adjustment Guia de Funcionamento Simbologia Utilizada no Manual 1 IMPORTANTE Indica operações que podem provocar danos ou ferimentos se não se tiver os cuidados devidos. NOTA Indica informações

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE CONHECENDO O MICROSOFT VB.NET ÁREA DE TRABALHO. Prof. Celso Candido ADS / REDES / ENGENHARIA

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE CONHECENDO O MICROSOFT VB.NET ÁREA DE TRABALHO. Prof. Celso Candido ADS / REDES / ENGENHARIA ÁREA DE TRABALHO 1 Janela de Menus Janela do Projeto (Solution Explorer) Caixa de Ferramentas ou Toolbox Formulário (Form) para desenvolvimento Fontes de Dados Gerenciador de Banco de Dados Área de Trabalho

Leia mais

Deverá ser apresentada uma caixa de combinação para auxiliar o utilizador a escolher o distrito de residência do entrevistado.

Deverá ser apresentada uma caixa de combinação para auxiliar o utilizador a escolher o distrito de residência do entrevistado. 4.º PASSO PROGRAMAÇÃO DO CAMPO DISTRITO : PROJECTO COM ADO Deverá ser apresentada uma caixa de combinação para auxiliar o utilizador a escolher o distrito de residência do entrevistado. 1) Abra o formulário

Leia mais

Administração da disciplina

Administração da disciplina Administração da disciplina Agrupamento Vertical de Escolas de Tarouca Documento disponível em: http://avetar.no-ip.org 1.Acesso e utilização da plataforma:. Seleccione a opção Entrar, que se encontra

Leia mais

Manual de Access 2007

Manual de Access 2007 Manual de Access 2007 Índice Introdução... 4 Melhor que um conjunto de listas... 5 Amizades com relações... 6 A Estrutura de uma Base de Dados... 8 Ambiente do Microsoft Access 2007... 9 Separadores do

Leia mais

Conectando Bancos de Dados Microsoft Access no BrOffice.org Base. fornecido pelo Projeto de Documentação do BrOffice.org

Conectando Bancos de Dados Microsoft Access no BrOffice.org Base. fornecido pelo Projeto de Documentação do BrOffice.org Conectando Bancos de Dados Microsoft Access no BrOffice.org Base fornecido pelo Projeto de Documentação do BrOffice.org Índice 1 Introdução...2 1.1 Versão... 2 1.2 Licenciamento...2 1.3 Mensagem do Projeto

Leia mais

Resumo da Matéria de Linguagem de Programação. Linguagem C

Resumo da Matéria de Linguagem de Programação. Linguagem C Resumo da Matéria de Linguagem de Programação Linguagem C Vitor H. Migoto de Gouvêa 2011 Sumário Como instalar um programa para executar o C...3 Sintaxe inicial da Linguagem de Programação C...4 Variáveis

Leia mais

Tutorial: Do YouTube para o PowerPoint

Tutorial: Do YouTube para o PowerPoint Autor: João Pina aragaopina@gmail.com 01-03-2010 OBJECTIVOS No final deste tutorial será capaz de: A. Retirar vídeos do YouTube; B. Converter os vídeos num formato passível de ser integrado em PowerPoint;

Leia mais

CADERNOS DE SOCIOMUSEOLOGIA Nº 14 1999 27

CADERNOS DE SOCIOMUSEOLOGIA Nº 14 1999 27 CADERNOS DE SOCIOMUSEOLOGIA Nº 14 1999 27 3 - MANUAL DO UTILIZADOR Diogo Mateus 3.1. REQUISITOS MÍNIMOS * Computador Pessoal com os seguintes Programas * Microsoft Windows 95 * Microsoft Access 97 A InfoMusa

Leia mais

Tutorial USERADM. Inserindo conteúdos no site

Tutorial USERADM. Inserindo conteúdos no site Tutorial USERADM Inserindo conteúdos no site Como acessar o Administrador de Conteúdos do site? 1. Primeiramente acesse o site de sua instituição, como exemplo vamos utilizar o site da Prefeitura de Aliança-TO,

Leia mais

Ferramentas de Comunicação da Internet no Ensino/Aprendizagem

Ferramentas de Comunicação da Internet no Ensino/Aprendizagem Centro de Formação da Batalha Centro de Competência Entre Mar e Serra Ferramentas de Comunicação da Internet no Ensino/Aprendizagem Batalha Novembro de 2001 1 - Como começar com o Outlook Express Com uma

Leia mais

LIÇÃO 1 - GRAVANDO MACROS

LIÇÃO 1 - GRAVANDO MACROS 1_15 - ADS - PRO MICRO (ILM 001) - Estudo dirigido Macros Gravadas Word 1/36 LIÇÃO 1 - GRAVANDO MACROS Macro Imprimir Neste exemplo será criada a macro Imprimir que, ao ser executada, deverá preparar a

Leia mais

Criando Banco de Dados, Tabelas e Campos através do HeidiSQL. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011

Criando Banco de Dados, Tabelas e Campos através do HeidiSQL. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011 Criando Banco de Dados, Tabelas e Campos através do HeidiSQL Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011 Edição 2 Pedreiros da Informação Criando Banco de Dados, Tabelas e Campos através do HeidiSQL

Leia mais

JAVA NETBEANS PGOO Prof. Daniela Pires Conteúdo

JAVA NETBEANS PGOO Prof. Daniela Pires Conteúdo Conteúdo Estruturas de repetição (loops, laços)... 2 WHILE (enquanto)... 2 DO... WHILE (faça... enquanto)... 2 FOR... 3 FOREACH... 4 EXERCICIO LOOP FOR... 4 Novo Projeto... 5 Controles SWING... 10 1 Estruturas

Leia mais

ÍNDICE. Acesso para agências...3. Organização por pastas...4. Download das facturas a partir do site...5. Pesquisa de facturas...8

ÍNDICE. Acesso para agências...3. Organização por pastas...4. Download das facturas a partir do site...5. Pesquisa de facturas...8 2 ÍNDICE Acesso para agências...3 Organização por pastas...4 Download das facturas a partir do site...5 Pesquisa de facturas...8 Configurar notificações por email...11 3 Bem-vindo ao manual de uso do novo

Leia mais

Guia passo a passo para o preenchimento do formulário de candidatura. Junho 2008

Guia passo a passo para o preenchimento do formulário de candidatura. Junho 2008 Guia passo a passo para o preenchimento do formulário de candidatura Junho 2008 ÍNDICE 1. Instruções gerais... 2 2. Parceria... 4 3. Grupos de tarefas... 8 4. Indicadores... 13 5. Preenchimento das outras

Leia mais

Para que o NSBASIC funcione corretamente em seu computador, você deve garantir que o mesmo tenha as seguintes características:

Para que o NSBASIC funcione corretamente em seu computador, você deve garantir que o mesmo tenha as seguintes características: Cerne Tecnologia www.cerne-tec.com.br Conhecendo o NSBASIC para Palm Vitor Amadeu Vitor@cerne-tec.com.br 1. Introdução Iremos neste artigo abordar a programação em BASIC para o Palm OS. Para isso, precisaremos

Leia mais

FIGURA. 2.2 ECRÃ DE TRABALHO

FIGURA. 2.2 ECRÃ DE TRABALHO Noções Básicas FIGURA. 2.2 ECRÃ DE TRABALHO 2.2.1 Painel de Tarefas (Task Pane) O painel de tarefas constitui a grande novidade do ecrã de trabalho desta nova versão do Word. Para utilizadores menos experientes,

Leia mais

Portal AEPQ Manual do utilizador

Portal AEPQ Manual do utilizador Pedro Gonçalves Luís Vieira Portal AEPQ Manual do utilizador Setembro 2008 Engenharia Informática - Portal AEPQ Manual do utilizador - ii - Conteúdo 1 Introdução... 1 1.1 Estrutura do manual... 3 1.2 Requisitos...

Leia mais

Microsoft Access. No Access, existem vários tipos de objectos: Tabelas. Consultas. Formulários Relatórios Macros Módulos

Microsoft Access. No Access, existem vários tipos de objectos: Tabelas. Consultas. Formulários Relatórios Macros Módulos É um SGBD do tipo relacional para a utilização em windows. Ao abrirmos o Access, podemos efectuar várias operações: abrir uma base de dados existente, ou então criar uma nova base de dados. Se criarmos

Leia mais

Ao conjunto total de tabelas, chamamos de Base de Dados.

Ao conjunto total de tabelas, chamamos de Base de Dados. O QUE É O ACCESS? É um sistema gestor de base de dados relacional. É um programa que permite a criação de Sistemas Gestores de Informação sofisticados sem conhecer linguagem de programação. SISTEMA DE

Leia mais

Folha de Cálculo Introdução à Folha de Cálculo

Folha de Cálculo Introdução à Folha de Cálculo Introdução à Folha de Cálculo O Excel é uma folha de cálculo capaz de guardar dados, executar cálculos e gerar gráficos. Introdução à Folha de Cálculo Uma folha de cálculo, por exemplo o Excel, permite

Leia mais

Iniciar o Data Adapter Configuration Wizard. Toolbox Data Duplo clique em OleDbDataAdapter. Botão next na caixa de diálogo

Iniciar o Data Adapter Configuration Wizard. Toolbox Data Duplo clique em OleDbDataAdapter. Botão next na caixa de diálogo Iniciar o Data Adapter Configuration Wizard Toolbox Data Duplo clique em OleDbDataAdapter Botão next na caixa de diálogo Se carregar em Cancel, o wizard é cancelado e podemos depois definir as propriedades

Leia mais

Criação de Consultas e Relatórios no Access CRIAÇÃO DE CONSULTAS E RELATÓRIOS NO ACCESS

Criação de Consultas e Relatórios no Access CRIAÇÃO DE CONSULTAS E RELATÓRIOS NO ACCESS Criação de Consultas e Relatórios no Access CRIAÇÃO DE CONSULTAS E RELATÓRIOS NO ACCESS Sumário Conceitos / Autores chave... 3 1. Introdução... 4 2. Consultas... 5 3. Relatórios... 8 4. Conclusões... 11

Leia mais

Planilha Eletrônica Excel

Planilha Eletrônica Excel COLÉGIO LA SALLE CANOAS Técnico em Informática Planilha Eletrônica Excel Excel Prof. Valter N. Silva Colégio La Salle Canoas Página 2 1. NOÇÕES BÁSICAS O Microsoft Excel 7.0 é um programa de planilha eletrônica,

Leia mais

Oficina de Construção de Páginas Web

Oficina de Construção de Páginas Web COMPETÊNCIAS BÁSICAS EM TIC NAS EB1 Oficina de Construção de Páginas Web Criação e Publicação Actividades de exploração Objectivo Explorar as funcionalidades essenciais do Programa, na perspectiva da construção/actualização

Leia mais

COMO OTIMIZAR A SUA PLANILHA ATRAVÉS DA GRAVAÇÃO DE UMA MACRO EM EXCEL

COMO OTIMIZAR A SUA PLANILHA ATRAVÉS DA GRAVAÇÃO DE UMA MACRO EM EXCEL COMO OTIMIZAR A SUA PLANILHA ATRAVÉS DA GRAVAÇÃO DE UMA MACRO EM EXCEL! Como otimizar e agilizar os procedimentos operacionais em suas planilhas?! Como gravar uma seqüência lógica de procedimentos operacionais

Leia mais

EXCEL TABELAS DINÂMICAS

EXCEL TABELAS DINÂMICAS Informática II Gestão Comercial e da Produção EXCEL TABELAS DINÂMICAS (TÓPICOS ABORDADOS NAS AULAS DE INFORMÁTICA II) Curso de Gestão Comercial e da Produção Ano Lectivo 2002/2003 Por: Cristina Wanzeller

Leia mais

INFORMÁTICA APLICADA III APOSTILA VISUAL

INFORMÁTICA APLICADA III APOSTILA VISUAL INFORMÁTICA APLICADA III APOSTILA VISUAL ACRESCENTANDO UMA NOVA COMPOSIÇÃO UNITÁRIA DE CUSTO AO BANCO GERAL DE DADOS (cunitgr.xls) Os arquivos cunitgr.xls e Bennett Profissional 04.xls são "pastas de trabalho"

Leia mais

Laboratório de Programação I

Laboratório de Programação I Laboratório de Programação I Estruturas de Controle: Parte I Fabricio Breve Objetivos Entender as técnicas básicas de solução de problemas Desenvolver algoritmos por meio do processo de refinamento top-down

Leia mais

Display de 7. PdP. Autor: Tiago Lone Nível: Básico Criação: 16/12/2005 Última versão: 18/12/2006. Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos

Display de 7. PdP. Autor: Tiago Lone Nível: Básico Criação: 16/12/2005 Última versão: 18/12/2006. Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos TUTORIAL Display de 7 Segmentos Autor: Tiago Lone Nível: Básico Criação: 16/12/2005 Última versão: 18/12/2006 PdP Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos http://www.maxwellbohr.com.br contato@maxwellbohr.com.br

Leia mais

Delphi 7 Aula 01 Área do Triângulo

Delphi 7 Aula 01 Área do Triângulo Delphi 7 Aula 01 Área do Triângulo Prof. Gilbert Azevedo da Silva I. Objetivos Conhecer o Ambiente Integrado de Desenvolvimento (IDE) do Delphi 7, Desenvolver a primeira aplicação no Delphi 7, Aprender

Leia mais

Introdução ao GeoGebra

Introdução ao GeoGebra Universidade Federal de Alfenas UNIFAL-MG Introdução ao GeoGebra Prof. Dr. José Carlos de Souza Junior AGOSTO 2010 Sumário 1 Primeiros Passos com o GeoGebra 4 1.1 Conhecendo o Programa............................

Leia mais

Informática de Gestão 1º ano / 1º semestre Ano letivo: 2014/2015. Visual Basic VBA

Informática de Gestão 1º ano / 1º semestre Ano letivo: 2014/2015. Visual Basic VBA Informática de Gestão 1º ano / 1º semestre Ano letivo: 2014/2015 Visual Basic VBA Macros Funções Conjunto de instruções que são executadas sempre que se desejar e pela ordem apresentada As funções são

Leia mais

Fluxo de trabalho do Capture Pro Software: Indexação de OCR e separação de documentos de código de correção

Fluxo de trabalho do Capture Pro Software: Indexação de OCR e separação de documentos de código de correção Este procedimento corresponde ao fluxo de trabalho de Indexação de OCR com separação de código de correção no programa de treinamento do Capture Pro Software. As etapas do procedimento encontram-se na

Leia mais

Guia rápido do utilizador

Guia rápido do utilizador Guia rápido do utilizador Índice Relatório de roubo 3 Criar um novo relatório de roubo 4 Fornecer detalhes do relatório de roubo Secção 1. Especificar o computador 5 Fornecer detalhes do relatório de roubo

Leia mais

A VISTA BACKSTAGE PRINCIPAIS OPÇÕES NO ECRÃ DE ACESSO

A VISTA BACKSTAGE PRINCIPAIS OPÇÕES NO ECRÃ DE ACESSO DOMINE A 110% ACCESS 2010 A VISTA BACKSTAGE Assim que é activado o Access, é visualizado o ecrã principal de acesso na nova vista Backstage. Após aceder ao Access 2010, no canto superior esquerdo do Friso,

Leia mais

Entendendo as janelas do Windows Uma janela é uma área retangular exibida na tela onde os programas são executados.

Entendendo as janelas do Windows Uma janela é uma área retangular exibida na tela onde os programas são executados. Windows Menu Entendendo as janelas do Windows Uma janela é uma área retangular exibida na tela onde os programas são executados. Minimizar Fechar Maximizar/restaurar Uma janela é composta de vários elementos

Leia mais

Escolhendo recursos de Ajuda

Escolhendo recursos de Ajuda Você pode dar um toque profissional ao aplicativo adicionando um arquivo de Ajuda gráfica. A Ajuda gráfica pode incluir gráficos e texto formatado; a Ajuda no estilo.dbf limita-se a uma única fonte sem

Leia mais

Noções básicas sobre macros no Access 97. Construção de algumas macros simples. Noções básicas sobre procedimentos VBA no Access 97

Noções básicas sobre macros no Access 97. Construção de algumas macros simples. Noções básicas sobre procedimentos VBA no Access 97 MS Access 97-Macros Estrutura da aula Noções básicas sobre macros no Access 97 Construção de algumas macros simples Noções básicas sobre procedimentos VBA no Access 97 Exemplo de um procedimento VBA Apresentação

Leia mais

LINGUAGEM C UMA INTRODUÇÃO

LINGUAGEM C UMA INTRODUÇÃO LINGUAGEM C UMA INTRODUÇÃO AULA 1 Conceitos muito básicos 1 Introdução O C nasceu na década de 70. Seu inventor, Dennis Ritchie, implementou-o pela primeira vez usando um DEC PDP-11 rodando o sistema operacional

Leia mais

Ave: Manual do usuário

Ave: Manual do usuário As iniciais no canto superior esquerdo indicam a atual lista de espécies em uso. Clique neste campo para abrir uma grade com todas Ave: Manual do usuário Introdução A Janela Inicial O botão Listas Sobre

Leia mais

MICROSOFT WORD 2007. George Gomes Cabral

MICROSOFT WORD 2007. George Gomes Cabral MICROSOFT WORD 2007 George Gomes Cabral AMBIENTE DE TRABALHO 1. Barra de título 2. Aba (agrupa as antigas barras de menus e barra de ferramentas) 3. Botão do Office 4. Botão salvar 5. Botão de acesso à

Leia mais

Neste tutorial irá criar uma animação simples com base num desenho do Mechanical Desktop.

Neste tutorial irá criar uma animação simples com base num desenho do Mechanical Desktop. Neste tutorial irá criar uma animação simples com base num desenho do Mechanical Desktop. Inicialize o 3D Studio VIZ. Faça duplo clique no ícone de 3D Studio VIZ Abre-se a janela da figura seguinte. Esta

Leia mais