artigos sérios sobre tradução

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "artigos sérios sobre tradução"

Transcrição

1 1 Introdução A principal motivação para este trabalho foi a redescoberta da seção Versão Brasileira, publicada mensalmente na revista Língua Portuguesa, após ter entrado em contato, durante o meu mestrado, com a área dos Estudos da Tradução. Em 1972, em sua famosa conferência intitulada The name and nature of Translation Studies, James Holmes descreveu quais seriam as ramificações desse campo de estudo, e dentre elas incluiu uma que trataria da crítica de tradução (translation criticism), a qual, segundo ele, muitas vezes apresentava um nível muito baixo, além de, em muitos países, aparentemente não sofrer qualquer influência dos desenvolvimentos obtidos pelos estudiosos da tradução (Holmes, 1988, p.78). Inicialmente descobri que, especialmente no Brasil, a crítica de traduções é ainda um tema pouco explorado, o que demonstra que a constatação de Holmes feita há mais de trinta anos pode ainda ser considerada pertinente. Em minha pesquisa encontrei poucos estudos brasileiros que tratassem centralmente da crítica de traduções, apenas alguns trabalhos de pós-graduação (Battisti, 2000; Silva, 2001; Cardozo, 2004), alguns artigos publicados em revistas acadêmicas, e algumas considerações acerca desse tema espalhadas em estudos da tradução como os de Rosemary Arrojo e José Paulo Paes. A crítica de traduções discute a qualidade dos textos traduzidos, tópico que sempre foi preocupação dos teóricos da tradução, como, por exemplo, Friedrich Schleiermacher e Lawrence Venuti. Esse interesse pela crítica de traduções gerou a elaboração de diferentes modos de abordá-la, sejam eles mais simples ou mais sofisticados do ponto de vista teórico. Vários estudiosos discutem o que seria uma boa tradução, mas em minhas pesquisas só encontrei três que de fato formulam em minúcia princípios e modelos a serem adotados na crítica de traduções, razão pela qual foram escolhidos para compor o referencial teórico desta dissertação: as

2 11 alemãs Katharina Reiss (2000) e Juliane House (1981; 1997) e o francês Antoine Berman (1995). Além disso, acredito que esses três estudos possam dar um panorama abrangente da crítica de traduções por terem sido elaborados em três momentos históricos distintos e por não constituírem necessariamente uma tradição de referência teórica direta entre si. Quanto à prática, a crítica de traduções praticamente inexiste no Brasil, ainda que o país conte com um vasto número de obras traduzidas disponíveis no mercado. E mais, segundo Silva, nos textos dos poucos críticos que analisam, comparam e avaliam traduções, quase nenhum espaço é dedicado à reflexão sobre os critérios que determinam tais avaliações e à discussão do modo como efetuá-las (2001, p.16). Ainda assim, a prática propriamente dita de crítica de traduções, em especial das literárias, tem uma importante referência no trabalho que foi desenvolvido por Agenor Soares de Moura no suplemento literário de O Diário de Notícias. Assinados por este tradutor, foram publicados de setembro de 1944 a junho de 1946 vários artigos de crítica de tradução em uma seção intitulada À Margem das Traduções (Barroso, 2003). Dentre as várias manifestações de reconhecimento da importância desse trabalho de crítica na história da tradução literária brasileira, José Paulo Paes questiona por que essa iniciativa pioneira não teve continuadores, principalmente em nossos dias, onde o enorme incremento do número de títulos traduzidos e o nível tantas vezes insatisfatório das traduções está a exigir, mais que nunca, fiscais capazes de ajudar os leitores a distinguir o joio do trigo em meio à nossa copiosa produção editorial (1990, p ). Affonso Romano de Sant Anna também se manifestou, considerando que a cultura brasileira teria muito a ganhar se, de novo, abrissem espaço para a crítica e análise de traduções (2003, p.2). Os leitores ganhariam porque poderiam contar com um espaço de avaliação da qualidade das traduções que lhes são oferecidas pelo mercado editorial. Os tradutores, porque seções de crítica de tradução trariam maior respeitabilidade a essa atividade. E finalmente, porque tais críticas exerceriam uma pressão benéfica na qualidade das traduções realizadas, constituindo um espaço útil não só para os leitores, autores e editores, mas até mesmo para centenas de alunos que espalhados por uma meia dúzia de faculdades no país, estão-se formando como tradutores (Sant Anna, 1986, s.p.).

3 12 Segundo o tradutor Mauro T. B. Sobhie 1, uma crítica de traduções séria, que não se limite a mostrar problemas pontuais de escolha lexical, e sim promova um debate de idéias, um segundo olhar de um outro estudioso sobre a tradução, poderia sempre ter resultados positivos no aprimoramento dos profissionais envolvidos, dos estudantes e dos leitores em geral (2003, p.180). Esses depoimentos mostram que, embora seja reconhecida como uma atividade muito importante para a discussão da qualidade das traduções, a crítica de traduções ainda é feita apenas esporadicamente na mídia. Assim sendo, a revista Língua Portuguesa, por meio da seção Versão Brasileira, traz uma contribuição relevante ao permitir que novamente os leitores em geral tenham acesso a críticas de traduções publicadas no Brasil. Desde seu lançamento em agosto de 2005, todos os números da revista com exceção do oitavo, de julho de 2006 apresentam essa coluna, que, desde o segundo número, vem sendo assinada pelo professor e escritor Gabriel Perissé. Dentre os textos publicados até a edição de janeiro de 2009, apenas um não trata da avaliação das traduções de uma obra específica: o intitulado Garimpeiro de idiomas, do sétimo número, em que são tratadas as contribuições do tradutor e poeta José Paulo Paes para a tradução no Brasil. Todos os outros textos publicados na seção tratam das traduções brasileiras de uma obra da literatura mundial. Esses textos fazem normalmente uma apresentação do original e seu autor; algumas considerações sobre as traduções disponíveis (ou já esgotadas) no mercado brasileiro e até mesmo português, seus tradutores e editoras; e finalmente, fazem o cotejo de um trecho do original com suas respectivas traduções. O crítico, com a coluna em seu terceiro ano de publicação, já recebeu algumas manifestações de reconhecimento publicadas na seção Cartas da revista. Dentre estas, destaco a da tradutora e estudiosa Ivone C. Benedetti que teve sua opinião publicada em novembro de 2007: É confortador saber que um estudioso de seu quilate tem publicado artigos sérios sobre tradução, assunto pelo qual poucos se interessam fora de um âmbito acadêmico restrito ou do círculo dos profissionais diretamente ligados à atividade (2007, p.6, grifo meu). 1 Tradutor técnico nas áreas de eletrônica e telecomunicações; foi nomeado Tradutor Público e Intérprete Comercial do Estado de São Paulo em 2000 (Benedetti & Sobral [orgs.], 2003).

4 13 Em vista disso tudo se delineou a proposta desta dissertação de fazer um estudo a fim de melhor entender a crítica de traduções, tanto em seus desenvolvimentos teóricos quanto em sua prática. No que se refere a esta, será feita a análise dos trinta e oito artigos publicados na coluna Versão Brasileira até janeiro de Como esse objetivo também se apóia nas visões de que tanto a execução quanto a avaliação de um texto não poderão realizar-se fora de um ponto de vista, ou de uma perspectiva, ou sem a mediação de uma interpretação (Arrojo, 1993, p.24); e de que a avaliação da qualidade de uma tradução pressupõe uma teoria da tradução 2 (House, 2000, p.197), a análise visa verificar se a Versão Brasileira, publicada mais de 35 anos após a conferência de Holmes, apresenta princípios teóricos desenvolvidos na área dos Estudos da Tradução. Para isso, procurarei perceber se a crítica realizada na Versão Brasileira se distancia ou se aproxima de orientações teóricas desenvolvidas nessa área. A fim de atingir seu objetivo, este estudo se organiza da seguinte forma: O próximo capítulo, Sobre a conceituação de crítica de tradução (literária), apresentará uma breve reflexão sobre os conceitos e classificações envolvidos na discussão sobre a crítica de traduções. No terceiro capítulo, intitulado A boa tradução: entre o nacional e o estrangeiro, serão apresentados os posicionamentos teóricos de Schleiermacher (2001), Venuti (1995b) e Berman (2002; 2007) sobre o que consideram uma boa tradução, além de algumas abordagens que discutem os princípios que garantiriam a qualidade de uma tradução. No capítulo A busca de um modelo para a crítica de traduções, serão apresentados os modelos de avaliação de tradução propostos por Reiss (2000), House (1981;1997) e novamente Berman (1995), estudiosos de destaque na área da crítica de tradução. Cada um desses modelos será descrito de modo a que o referencial da análise possa ser estabelecido. O trabalho de alguns importantes nomes da tradução brasileira, especialmente o que foi desenvolvido por Agenor Soares de Moura na década de 1940, ocupará um espaço central no quinto capítulo, Um panorama da crítica de 2 Foram por mim traduzidas todas as citações de textos estrangeiros que ainda não foram publicados em português.

5 14 traduções literárias no Brasil. Esse capítulo tem como objetivo secundário revelar as dificuldades enfrentadas pela crítica de tradução na imprensa brasileira. O capítulo seis, As críticas de tradução literárias na Versão Brasileira, apresentará maiores informações sobre a revista e sobre o crítico Gabriel Perissé, discutindo a sua contribuição para a prática da crítica de traduções literárias no Brasil. Também nesse capítulo será feita a análise do corpus os 38 artigos publicados na coluna até janeiro de 2009 em que procurarei identificar suas principais características e princípios. Nesse momento, verificarei se é possível determinar uma filiação do crítico com quaisquer dos modelos de crítica aqui estudados, destacando as questões da interpretação, da fidelidade e da visibilidade do tradutor. Além disso, também será feita uma análise de qual concepção de significado parece reger cada uma das críticas de Perissé, todas elas apoiadas no cotejo de trechos dos originais com as respectivas traduções realizadas por diferentes tradutores 3. Por fim, apresentarei os resultados alcançados, indicando possibilidades para futuras contribuições, seja no campo mais geral da crítica de traduções literárias em periódicos, seja no quadro mais restrito da análise das críticas publicadas na seção Versão Brasileira da revista Língua Portuguesa. 3 Embora eu não vá me deter nesse fato, não posso deixar de chamar atenção para a surpreendente frequência com que são publicadas inúmeras traduções de um mesmo original, em um curto espaço de tempo.

2 Sobre a conceituação de crítica de tradução (literária)

2 Sobre a conceituação de crítica de tradução (literária) 2 Sobre a conceituação de crítica de tradução (literária) Quem se propõe a estudar a crítica de tradução se depara com conceitos e classificações complexas. Complexidade da qual nenhum dos termos do sintagma

Leia mais

4 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO

4 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO 4 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO Este capítulo visa a orientar a elaboração de artigos científicos para os cursos de graduação e de pós-graduação da FSG. Conforme a NBR 6022 (2003, p. 2),

Leia mais

A INSTITUCIONALIZAÇÃO DA AD NOS PROGRAMAS DE PÓS- GRADUAÇÃO DA PUC/RS E DA UFRGS

A INSTITUCIONALIZAÇÃO DA AD NOS PROGRAMAS DE PÓS- GRADUAÇÃO DA PUC/RS E DA UFRGS A INSTITUCIONALIZAÇÃO DA AD NOS PROGRAMAS DE PÓS- GRADUAÇÃO DA PUC/RS E DA UFRGS Taís da Silva MARTINS Universidade Federal de Santa Maria taissmartins@superig.com.br Em nossa pesquisa, buscamos entender

Leia mais

É necessário (re)ler Ferdinand de Saussure nos manuscritos originais. Entrevista de Laurent Wolf com Simon BOUQUET

É necessário (re)ler Ferdinand de Saussure nos manuscritos originais. Entrevista de Laurent Wolf com Simon BOUQUET É necessário (re)ler Ferdinand de Saussure nos manuscritos originais Entrevista de Laurent Wolf com Simon BOUQUET Nessa entrevista Simon Bouquet fala da importância de se retornar aos escritos originais

Leia mais

O PIPE I LÍNGUAS ESTRANGEIRAS

O PIPE I LÍNGUAS ESTRANGEIRAS O PIPE I LÍNGUAS ESTRANGEIRAS O PIPE I Línguas Estrangeiras foi desenvolvido juntamente com as Disciplinas de Aprendizagem Crítico-Reflexiva das Línguas Inglesa, Francesa e Espanhola. O objetivo desse

Leia mais

UM ESTUDO SOBRE A CONSTITUIÇÃO DA IDENTIDADE DO PROFESSOR DE INGLÊS DA CIDADE DE FAGUNDES - PB

UM ESTUDO SOBRE A CONSTITUIÇÃO DA IDENTIDADE DO PROFESSOR DE INGLÊS DA CIDADE DE FAGUNDES - PB UM ESTUDO SOBRE A CONSTITUIÇÃO DA IDENTIDADE DO PROFESSOR DE INGLÊS DA CIDADE DE FAGUNDES - PB 01. RESUMO Karla Rodrigues de Almeida Graduada em Letras pela UFCG e-mail: karlaalmeida.1@hotmail.com Izanete

Leia mais

Rede Brasileira de História da Geografia e Geografia Histórica

Rede Brasileira de História da Geografia e Geografia Histórica Terra Brasilis (Nova Série) Revista da Rede Brasileira de História da Geografia e Geografia Histórica Chamada de artigos: Número 4: História da Cartografia, Cartografia Histórica e Cartografia Digital

Leia mais

O consumo de conteúdos noticiosos dos estudantes de Ciências da Comunicação da Faculdade de Letras da Universidade do Porto

O consumo de conteúdos noticiosos dos estudantes de Ciências da Comunicação da Faculdade de Letras da Universidade do Porto Ciências da Comunicação: Jornalismo, Assessoria e Multimédia O consumo de conteúdos noticiosos dos estudantes de Ciências da Comunicação da Faculdade de Letras da Universidade do Porto Metodologia da Investigaça

Leia mais

Dedico esta obra ao meu esposo Milton Jr. pelo apoio, por estar ao meu lado em todos os momentos difíceis e por me dar segurança em todos os

Dedico esta obra ao meu esposo Milton Jr. pelo apoio, por estar ao meu lado em todos os momentos difíceis e por me dar segurança em todos os Dedico esta obra ao meu esposo Milton Jr. pelo apoio, por estar ao meu lado em todos os momentos difíceis e por me dar segurança em todos os aspectos, e à Bruna, minha amada filha que fez nascer em mim

Leia mais

2.2.5. Questionário a ser Respondido Pelos Estudantes em EaD.

2.2.5. Questionário a ser Respondido Pelos Estudantes em EaD. 2.2.5. Questionário a ser Respondido Pelos Estudantes em EaD. Este questionário é um instrumento de coleta de informações para a realização da auto avaliação da UFG que tem como objetivo conhecer a opinião

Leia mais

Palavras- Chaves: Letras Libras; Escrita da Língua de Sinais (SignWriting)

Palavras- Chaves: Letras Libras; Escrita da Língua de Sinais (SignWriting) TRADUÇÃO DE ESCRITA DE SINAIS PARA PORTUGUÊS: RECRIAÇÃO DO TEXTO? João Paulo Ampessan 1 Marcos Luchi 2 Marianne Rossi Stumpf 3 Resumo: O curso Letras Libras teve sua primeira edição no ano de 2006 atingindo

Leia mais

2.2.4. Questionário a ser Respondido Pelos Estudantes de Pós Graduação

2.2.4. Questionário a ser Respondido Pelos Estudantes de Pós Graduação 2.2.4. Questionário a ser Respondido Pelos Estudantes de Pós Graduação Este questionário é um instrumento de coleta de informações para a realização da auto avaliação da UFG que tem como objetivo conhecer

Leia mais

produtos que antes só circulavam na Grande Florianópolis, agora são vistos em todo o Estado e em alguns municípios do Paraná.

produtos que antes só circulavam na Grande Florianópolis, agora são vistos em todo o Estado e em alguns municípios do Paraná. SABOR, TRADIÇÃO E PUREZA Uma marca conhecida por sua tradicionalidade, reconhecimento no mercado e sabor irresistível, a empresa Bebidas Leonardo Sell, completa 106 anos em 2011 sendo a primeira empresa

Leia mais

Pesquisa com Professores de Escolas e com Alunos da Graduação em Matemática

Pesquisa com Professores de Escolas e com Alunos da Graduação em Matemática Pesquisa com Professores de Escolas e com Alunos da Graduação em Matemática Rene Baltazar Introdução Serão abordados, neste trabalho, significados e características de Professor Pesquisador e as conseqüências,

Leia mais

4 Metodologia. 4.1. Primeira parte

4 Metodologia. 4.1. Primeira parte 4 Metodologia [...] a metodologia inclui as concepções teóricas de abordagem, o conjunto de técnicas que possibilitam a apreensão da realidade e também o potencial criativo do pesquisador. (Minayo, 1993,

Leia mais

Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 17 a 20 de outubro, 2011 944 RESUMOS SIMPLES...945 RESUMOS DE PROJETOS...

Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 17 a 20 de outubro, 2011 944 RESUMOS SIMPLES...945 RESUMOS DE PROJETOS... Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 17 a 20 de outubro, 2011 944 RESUMOS SIMPLES...945 RESUMOS DE PROJETOS...947 Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente,

Leia mais

COMO ESCREVER UM ENSAIO FILOSÓFICO 1. Artur Polónio CENTRO PARA O ENSINO DA FILOSOFIA SOCIEDADE PORTUGUESA DE FILOSOFIA

COMO ESCREVER UM ENSAIO FILOSÓFICO 1. Artur Polónio CENTRO PARA O ENSINO DA FILOSOFIA SOCIEDADE PORTUGUESA DE FILOSOFIA 1 Artur Polónio Índice 1. O que é um ensaio filosófico? 2. O que se espera que um estudante mostre ao escrever um ensaio? 3. Como escolher o título do ensaio? 4. Como se prepara um ensaio? 5. Como se deve

Leia mais

UMA ANÁLISE DISCURSIVA DE DICIONÁRIOS* Joelma Aparecida Bressanin joelmaab@hotmail.com Doutoranda Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT)

UMA ANÁLISE DISCURSIVA DE DICIONÁRIOS* Joelma Aparecida Bressanin joelmaab@hotmail.com Doutoranda Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT) Introdução UMA ANÁLISE DISCURSIVA DE DICIONÁRIOS* Joelma Aparecida Bressanin joelmaab@hotmail.com Doutoranda Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT) O projeto História das Ideias Linguísticas 1

Leia mais

RESOLUÇÃO CRCRJ Nº 441/2014

RESOLUÇÃO CRCRJ Nº 441/2014 RESOLUÇÃO CRCRJ Nº 441/2014 APROVA NOVO REGULAMENTO DO PRÊMIO CONTADOR AMÉRICO MATHEUS FLORENTINO O Plenário do CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO (CRCRJ), no uso de suas atribuições

Leia mais

Normas para apresentação de trabalhos

Normas para apresentação de trabalhos Normas para apresentação de trabalhos Missão da revista A revista Horizonte é uma publicação semestral da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas) e tem por objetivo veicular trabalhos

Leia mais

Pesquisa Semesp 2009. Índice de Imagem e Reputação

Pesquisa Semesp 2009. Índice de Imagem e Reputação Pesquisa Semesp 2009 Índice de Imagem e Reputação Uma ferramenta estratégica para a qualidade de mercado Desvendar qual é a real percepção de seus públicos estratégicos com relação à atuação das instituições

Leia mais

Tradução e mercado de trabalho

Tradução e mercado de trabalho Tradução e mercado de trabalho Entrevista com Maria Franca Zucarello, presidente do Sindicato Nacional de Tradutores Angélica Karim Garcia Simão 1 Para o número sobre tradução da revista abehache, julgamos

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA PRODUÇÃO DE TEXTOS DO JORNAL REPORTAGEM RESENHA CRÍTICA TEXTO DE OPINIÃO CARTA DE LEITOR EDITORIAL

ORIENTAÇÕES PARA PRODUÇÃO DE TEXTOS DO JORNAL REPORTAGEM RESENHA CRÍTICA TEXTO DE OPINIÃO CARTA DE LEITOR EDITORIAL ORIENTAÇÕES PARA PRODUÇÃO DE TEXTOS DO JORNAL REPORTAGEM RESENHA CRÍTICA TEXTO DE OPINIÃO CARTA DE LEITOR EDITORIAL ORIENTAÇÕES PARA OS GRUPOS QUE ESTÃO PRODUZINDO UMA: REPORTAGEM Tipos de Textos Características

Leia mais

EDITAL PARA PUBLICAÇÃO REVISTA PESQUISA E DEBATE EM EDUCAÇÃO

EDITAL PARA PUBLICAÇÃO REVISTA PESQUISA E DEBATE EM EDUCAÇÃO EDITAL PARA PUBLICAÇÃO REVISTA PESQUISA E DEBATE EM EDUCAÇÃO O Conselho Editorial da Revista Pesquisa e Debate em Educação (RPDE) torna público o presente Edital e convida os interessados a remeter artigos

Leia mais

GESTÃO DO CRÉDITO: AVALIAÇÃO DO RISCO, E ANÁLISE PARA TOMADA DE DECISÃO DE CRÉDITO

GESTÃO DO CRÉDITO: AVALIAÇÃO DO RISCO, E ANÁLISE PARA TOMADA DE DECISÃO DE CRÉDITO Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 109 GESTÃO DO CRÉDITO: AVALIAÇÃO DO RISCO, E ANÁLISE PARA TOMADA DE DECISÃO DE CRÉDITO Claudinei Higino da Silva,

Leia mais

Utilize o roteiro abaixo como mapa para elaboração do projeto. Organizado o conjunto, amplie as partes que requerem detalhamento.

Utilize o roteiro abaixo como mapa para elaboração do projeto. Organizado o conjunto, amplie as partes que requerem detalhamento. Utilize o roteiro abaixo como mapa para elaboração do projeto. Organizado o conjunto, amplie as partes que requerem detalhamento. ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA Título provisório (uma expressão

Leia mais

MODELAGEM COM EQUAÇÕES DIFERENCIAIS DE PRIMEIRA ORDEM E APLICAÇÕES À ECONOMIA

MODELAGEM COM EQUAÇÕES DIFERENCIAIS DE PRIMEIRA ORDEM E APLICAÇÕES À ECONOMIA MODELAGEM COM EQUAÇÕES DIFERENCIAIS DE PRIMEIRA ORDEM E APLICAÇÕES À ECONOMIA PAULO, João Pedro Antunes de Universidade Estadual de Goiás UnU de Iporá jpadepaula@hotmail.com RESUMO Esta pesquisa foi feita

Leia mais

1. Escolha do Tema. 2. Formulação do Problema. 1 Escolha do Tema II. PLANEJAMENTO DA PESQUISA

1. Escolha do Tema. 2. Formulação do Problema. 1 Escolha do Tema II. PLANEJAMENTO DA PESQUISA II. PLANEJAMENTO DA PESQUISA 1. Escolha do tema 2. Formulação do problema 3. Justificativa 4. Determinação dos objetivos 5. Referencial teórico 6. Referências 1 Escolha do Tema 1. Escolha do Tema Nesta

Leia mais

5 Conclusão e Considerações Finais

5 Conclusão e Considerações Finais 5 Conclusão e Considerações Finais Neste capítulo são apresentadas a conclusão e as considerações finais do estudo, bem como, um breve resumo do que foi apresentado e discutido nos capítulos anteriores,

Leia mais

TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC REGULAMENTO

TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC REGULAMENTO 1 TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC REGULAMENTO São Paulo 2015 1 2 Diretor da Faculdade de Administração Prof. Silvio Passarelli Coordenação Prof. Ms. Fernando Limongeli Gurgueira Prof Luiz Eduardo de

Leia mais

Resenha. Interesses Cruzados: A produção da cultura no jornalismo brasileiro (GADINI, Sérgio Luiz. São Paulo: Paulus, 2009 Coleção Comunicação)

Resenha. Interesses Cruzados: A produção da cultura no jornalismo brasileiro (GADINI, Sérgio Luiz. São Paulo: Paulus, 2009 Coleção Comunicação) Resenha Interesses Cruzados: A produção da cultura no jornalismo brasileiro (GADINI, Sérgio Luiz. São Paulo: Paulus, 2009 Coleção Comunicação) Renata Escarião PARENTE 1 Parte do resultado da tese de doutoramento

Leia mais

REGULAMENTO. Projetos de tese de doutoramento. Elaborado por: Aprovado por: Versão. Reitor 1.3. Gabinete Apoio Reitoria.

REGULAMENTO. Projetos de tese de doutoramento. Elaborado por: Aprovado por: Versão. Reitor 1.3. Gabinete Apoio Reitoria. REGULAMENTO Projetos de tese de doutoramento Elaborado por: Aprovado por: Versão Reitor 1.3 (Professor Doutor Rui oliveira) Revisto e confirmado por: Data de Aprovação Inicial (José João Amoreira) 31 de

Leia mais

CORPO, JOVENS E PRÁTICA DE MUSCULAÇÃO

CORPO, JOVENS E PRÁTICA DE MUSCULAÇÃO UNIVERSIDADE DO PORTO FACULDADE DE DESPORTO CORPO, JOVENS E PRÁTICA DE MUSCULAÇÃO Um estudo em freqüentadores de academia na região do Grande Porto Dissertação apresentada com vista à obtenção do grau

Leia mais

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA RELATÓRIO FINAL DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DA CPA DA FACULDADE ARAGUAIA 2014/01 a 2014/02 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 3 1. Análise dos resultados

Leia mais

PENSAMENTO E LINGUAGEM: ESTUDO DA INOVAÇÃO E REFLEXÃO DOS ANAIS E DO ENSINO/APRENDIZAGEM DO INGLÊS EM SALA DE AULA

PENSAMENTO E LINGUAGEM: ESTUDO DA INOVAÇÃO E REFLEXÃO DOS ANAIS E DO ENSINO/APRENDIZAGEM DO INGLÊS EM SALA DE AULA PENSAMENTO E LINGUAGEM: ESTUDO DA INOVAÇÃO E REFLEXÃO DOS ANAIS E DO ENSINO/APRENDIZAGEM DO INGLÊS EM SALA DE AULA Adriana Zanela Nunes (UFRJ) zannelli@bol.com.br, zannelli@ig.com.br zannelli@ibest.com.br

Leia mais

Bianca Pasqualini LEITURA, TRADUÇÃO E MEDIDAS DE COMPLEXIDADE TEXTUAL EM CONTOS DA LITERATURA PARA LEITORES COM LETRAMENTO BÁSICO

Bianca Pasqualini LEITURA, TRADUÇÃO E MEDIDAS DE COMPLEXIDADE TEXTUAL EM CONTOS DA LITERATURA PARA LEITORES COM LETRAMENTO BÁSICO LEITURA, TRADUÇÃO E MEDIDAS DE COMPLEXIDADE TEXTUAL EM CONTOS DA LITERATURA PARA LEITORES COM LETRAMENTO BÁSICO Dissertação de Mestrado PPGLet/UFRGS (2013) Bianca Pasqualini Doutoranda PPGLet/UFRGS Orientadora:

Leia mais

CONSIDERAÇÕES SOBRE O PROCESSO DE ENSINO APRENDIZAGEM DO ESPORTE NA ESCOLA POR MEIO DE UM ESTUDO DE CASO

CONSIDERAÇÕES SOBRE O PROCESSO DE ENSINO APRENDIZAGEM DO ESPORTE NA ESCOLA POR MEIO DE UM ESTUDO DE CASO CONSIDERAÇÕES SOBRE O PROCESSO DE ENSINO APRENDIZAGEM DO ESPORTE NA ESCOLA POR MEIO DE UM ESTUDO DE CASO FINCK, Silvia Christina Madrid (UEPG) 1 TAQUES, Marcelo José (UEPG) 2 Considerações iniciais Sabemos

Leia mais

REGRAS PARA SUBMISSÃO DE TRABALHOS

REGRAS PARA SUBMISSÃO DE TRABALHOS REGRAS PARA SUBMISSÃO DE TRABALHOS A Revista Ius Gentium é uma publicação anual do Curso de Direito (graduação e pós-graduação) da Faculdade Internacional de Curitiba, que visa: propiciar à comunidade

Leia mais

CONGRESSO CARIOCA DE EDUCAÇÃO FÍSICA 2º FEP RJ ABERTURA DO FÓRUM: CONTEXTO GERAL DA EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR

CONGRESSO CARIOCA DE EDUCAÇÃO FÍSICA 2º FEP RJ ABERTURA DO FÓRUM: CONTEXTO GERAL DA EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR CONGRESSO CARIOCA DE EDUCAÇÃO FÍSICA 2º FEP RJ ABERTURA DO FÓRUM: CONTEXTO GERAL DA EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR Acreditamos ser relevante abordar de forma rápida o contexto atual da Educação Física Escolar

Leia mais

COMUNICADO n o 002/2012 ÁREA DE LETRAS E LINGUÍSTICA ORIENTAÇÕES PARA NOVOS APCNS 2012 Brasília, 22 de Maio de 2012

COMUNICADO n o 002/2012 ÁREA DE LETRAS E LINGUÍSTICA ORIENTAÇÕES PARA NOVOS APCNS 2012 Brasília, 22 de Maio de 2012 COMUNICADO n o 002/2012 ÁREA DE LETRAS E LINGUÍSTICA ORIENTAÇÕES PARA NOVOS APCNS 2012 Brasília, 22 de Maio de 2012 IDENTIFICAÇÃO ÁREA DE AVALIAÇÃO: Letras e Linguística PERÍODO DE AVALIAÇÃO: 2012 ANO

Leia mais

ALTERNATIVAS APRESENTADAS PELOS PROFESSORES PARA O TRABALHO COM A LEITURA EM SALA DE AULA

ALTERNATIVAS APRESENTADAS PELOS PROFESSORES PARA O TRABALHO COM A LEITURA EM SALA DE AULA ALTERNATIVAS APRESENTADAS PELOS PROFESSORES PARA O TRABALHO COM A LEITURA EM SALA DE AULA RAQUEL MONTEIRO DA SILVA FREITAS (UFPB). Resumo Essa comunicação objetiva apresentar dados relacionados ao plano

Leia mais

1 Introdução. 1.1. A motivação e o problema da pesquisa

1 Introdução. 1.1. A motivação e o problema da pesquisa 1 Introdução O objetivo desse capítulo é propiciar uma visão abrangente do estudo aqui desenvolvido. Dessa forma, ele foi estruturado com as seguintes seções: A motivação e o problema da pesquisa: baseada

Leia mais

CONTRATO DE ACESSO AO IEPREV ON LINE

CONTRATO DE ACESSO AO IEPREV ON LINE CONTRATO DE ACESSO AO IEPREV ON LINE Pelo presente instrumento particular entre as partes, de um lado o Instituto de Estudos Previdenciários IEPREV, com endereço na Rua Timbiras, 1940, salas 510, 511 e

Leia mais

REVISTA PARA RELATOS DE EXPERIÊNCIA E ARTIGOS DAS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS E EXTENSIONISTAS

REVISTA PARA RELATOS DE EXPERIÊNCIA E ARTIGOS DAS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS E EXTENSIONISTAS REVISTA PARA RELATOS DE EXPERIÊNCIA E ARTIGOS DAS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS E EXTENSIONISTAS INSTRUÇÕES AOS AUTORES 1 GERAIS: Originais: Os artigos e os relatos de experiência devem ser enviados exclusivamente

Leia mais

Como Publicar seu Livro sem custo. O caminho mais fácil para se tonar escritor(a).

Como Publicar seu Livro sem custo. O caminho mais fácil para se tonar escritor(a). Como Publicar seu Livro sem custo O caminho mais fácil para se tonar escritor(a). Introdução A principal dor de cabeça do escritor(a) ocorre na hora de publicar sua obra. As várias dúvidas que surgem,

Leia mais

T&E Tendências & Estratégia

T&E Tendências & Estratégia FUTURE TRENDS T&E Tendências & Estratégia Newsletter número 1 Março 2003 TEMA deste número: Desenvolvimento e Gestão de Competências EDITORIAL A newsletter Tendências & Estratégia pretende ser um veículo

Leia mais

TÍTULO DA FUTURA MONOGRAFIA: SUBTÍTULO, SE HOUVER.

TÍTULO DA FUTURA MONOGRAFIA: SUBTÍTULO, SE HOUVER. 1 UNIVERSIDADE METODISTA DE SÃO PAULO FACULDADE DE HUMANIDADES E DIREITO CURSO DE DIREITO NOME DO AUTOR TÍTULO DA FUTURA MONOGRAFIA: SUBTÍTULO, SE HOUVER. SÃO BERNARDO DO CAMPO 2014 2 NOME DO AUTOR TÍTULO

Leia mais

Planejamento didático para o ensino de Surdos na perspectiva bilíngue. Vinicius Martins Flores Universidade Luterana do Brasil ULBRA

Planejamento didático para o ensino de Surdos na perspectiva bilíngue. Vinicius Martins Flores Universidade Luterana do Brasil ULBRA Planejamento didático para o ensino de Surdos na perspectiva bilíngue. Vinicius Martins Flores Universidade Luterana do Brasil ULBRA Resumo: O presente trabalho apresenta uma análise, que se originou a

Leia mais

Intranets, portais corporativos e gestão do conhecimento : análise das experiências de organizações brasileiras e portuguesas

Intranets, portais corporativos e gestão do conhecimento : análise das experiências de organizações brasileiras e portuguesas Resumos de Teses Intranets, portais corporativos e gestão do conhecimento : análise das experiências de organizações brasileiras e portuguesas CARVALHO, Rodrigo Baroni. Intranets, portais corporativos

Leia mais

A RELAÇÃO ENTRE A LINGUAGEM EM BLOGS EDUCATIVOS E O PROCESSO DE APRENDIZAGEM Adriana Ferreira Boeira* PPGEd/UCS

A RELAÇÃO ENTRE A LINGUAGEM EM BLOGS EDUCATIVOS E O PROCESSO DE APRENDIZAGEM Adriana Ferreira Boeira* PPGEd/UCS 1 A RELAÇÃO ENTRE A LINGUAGEM EM BLOGS EDUCATIVOS E O PROCESSO DE APRENDIZAGEM Adriana Ferreira Boeira* PPGEd/UCS RESUMO: Este trabalho apresenta a pesquisa, que está em andamento, que tem como objetivo

Leia mais

Educação Matemática. Profª. Andréa Cardoso MATEMÁTICA - LICENCIATURA 2015/2

Educação Matemática. Profª. Andréa Cardoso MATEMÁTICA - LICENCIATURA 2015/2 Educação Matemática Profª. Andréa Cardoso MATEMÁTICA - LICENCIATURA 2015/2 UNIDADE I: EDUCAÇÃO MATEMÁTICA E ENSINO Escolas da Antiguidade Geometria Aritmética Música Elementos de Euclides (300 a.c.) Geometria

Leia mais

5 Conclusões 5.1. Síntese do estudo

5 Conclusões 5.1. Síntese do estudo 5 Conclusões 5.1. Síntese do estudo Este estudo teve como objetivo contribuir para a compreensão do uso das mídias sociais, como principal ferramenta de marketing da Casar é Fácil, desde o momento da sua

Leia mais

5 Considerações finais

5 Considerações finais 5 Considerações finais 5.1. Conclusões A presente dissertação teve o objetivo principal de investigar a visão dos alunos que se formam em Administração sobre RSC e o seu ensino. Para alcançar esse objetivo,

Leia mais

Margarida Maria Krohling Kunsch, entrevistada desta edição da Revista Comunicação & Informação, é uma das principais pesquisadoras

Margarida Maria Krohling Kunsch, entrevistada desta edição da Revista Comunicação & Informação, é uma das principais pesquisadoras Entrevista Margarida Kunsch Margarida Maria Krohling Kunsch, entrevistada desta edição da Revista Comunicação & Informação, é uma das principais pesquisadoras no campo das relações públicas e da comunicação

Leia mais

INOVAÇÃO NA ADVOCACIA A ESTRATÉGIA DO OCEANO AZUL NOS ESCRITÓRIOS JURÍDICOS

INOVAÇÃO NA ADVOCACIA A ESTRATÉGIA DO OCEANO AZUL NOS ESCRITÓRIOS JURÍDICOS INOVAÇÃO NA ADVOCACIA A ESTRATÉGIA DO OCEANO AZUL NOS ESCRITÓRIOS JURÍDICOS Ari Lima Um empreendimento comercial tem duas e só duas funções básicas: marketing e inovação. O resto são custos. Peter Drucker

Leia mais

O ofício de tradutor. María del Pilar Sacristán Martín Universidade Anhembi Morumbi 21 de outubro de 2004

O ofício de tradutor. María del Pilar Sacristán Martín Universidade Anhembi Morumbi 21 de outubro de 2004 O ofício de tradutor María del Pilar Sacristán Martín Universidade Anhembi Morumbi 21 de outubro de 2004 I - O tradutor O tradutor é um freelance que faz umas traduções de vez em quando para completar

Leia mais

O ciclo de premiação Jovem Empreendedor foi lançado em 2009 com o objetivo de incentivar os jovens líderes da próxima geração.

O ciclo de premiação Jovem Empreendedor foi lançado em 2009 com o objetivo de incentivar os jovens líderes da próxima geração. Prêmios Rolex de Empreendedorismo 2014 Apresentação do Programa Apresentação do Programa Os Prêmios Rolex de Empreendedorismo foram criados com o intuito de promover o espírito de empreendimento e ampliar

Leia mais

O DESAFIO DE AVALIAR UM CURSO SUPERIOR A DISTÂNCIA INSTITUÍDO A PARTIR DE PARCERIAS ENTRE PAÍSES. 1

O DESAFIO DE AVALIAR UM CURSO SUPERIOR A DISTÂNCIA INSTITUÍDO A PARTIR DE PARCERIAS ENTRE PAÍSES. 1 O DESAFIO DE AVALIAR UM CURSO SUPERIOR A DISTÂNCIA INSTITUÍDO A PARTIR DE PARCERIAS ENTRE PAÍSES. 1 Jane aparecida Gonçalves de Souza 2 Universidade Católica de Petrópolis cidijane@gmail.com RESUMO Pensar

Leia mais

INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE GOIÁS IESGO FACULDADES IESGO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA

INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE GOIÁS IESGO FACULDADES IESGO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE GOIÁS IESGO FACULDADES IESGO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA MANUAL DE NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS DE CONCLUSÃO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA FORMOSA/GO

Leia mais

Reflexões sobre as dificuldades na aprendizagem de Cálculo Diferencial e Integral

Reflexões sobre as dificuldades na aprendizagem de Cálculo Diferencial e Integral III Mostra de Pesquisa da Pós-Graduação PUCRS Reflexões sobre as dificuldades na aprendizagem de Cálculo Diferencial e Integral Marcelo Cavasotto, Prof.ª Dra. Ruth Portanova (orientadora) Mestrado em Educação

Leia mais

ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DO PROJETO/ARTIGO 1. O PROJETO DE PESQUISA

ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DO PROJETO/ARTIGO 1. O PROJETO DE PESQUISA ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DO PROJETO/ARTIGO 1. O PROJETO DE PESQUISA A primeira etapa para a organização do TCC nos cursos de pós-graduação lato sensu a distância consiste na elaboração do projeto de pesquisa,

Leia mais

Tipos de Resumo. Resumo Indicativo ou Descritivo. Resumo Informativo ou Analítico

Tipos de Resumo. Resumo Indicativo ou Descritivo. Resumo Informativo ou Analítico Resumir é apresentar de forma breve, concisa e seletiva um certo conteúdo. Isto significa reduzir a termos breves e precisos a parte essencial de um tema. Saber fazer um bom resumo é fundamental no percurso

Leia mais

Elaboração do Projeto de Pesquisa

Elaboração do Projeto de Pesquisa Elaboração do Projeto de Pesquisa Pesquisa Pesquisa é um conjunto de atividades, que tem como finalidade solucionar e esclarecer dúvidas e problemas; comprovar hipóteses; Utiliza procedimentos próprios,

Leia mais

SIGEF 2014. Visão Geral do

SIGEF 2014. Visão Geral do .PRESSKIT Sobre o SIGEF 2014 O Fórum de Inovação Social e Ética Global (SIGEF 2014) reuniu um público universal e diversificado, organizações internacionais (ONGs, Fundações e Associações), palestrantes

Leia mais

Na Internet Gramática: atividades

Na Internet Gramática: atividades Na Internet Gramática: atividades Dica: Antes de fazer as atividades abaixo, leia os documentos Modo subjuntivo geral e Presente do subjuntivo, no Banco de Gramática. 1. No trecho a seguir, extraído da

Leia mais

Oncologia Normas Específicas

Oncologia Normas Específicas Oncologia Normas Específicas I COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO COORDENADORA DO PROGRAMA (CCP) A CCP do Programa de Pós-graduação em ONCOLOGIA será constituída pelo Coordenador do Programa e seu Suplente; mais 1

Leia mais

ANÁLISE DOS RESULTADOS DOS PROGRAMAS DE APOIO ÀS PMEs NO BRASIL Resumo Executivo PARA BAIXAR A AVALIAÇÃO COMPLETA: WWW.IADB.

ANÁLISE DOS RESULTADOS DOS PROGRAMAS DE APOIO ÀS PMEs NO BRASIL Resumo Executivo PARA BAIXAR A AVALIAÇÃO COMPLETA: WWW.IADB. ANÁLISE DOS RESULTADOS DOS PROGRAMAS DE APOIO ÀS PMEs NO BRASIL Resumo Executivo PARA BAIXAR A AVALIAÇÃO COMPLETA: WWW.IADB.ORG/EVALUATION ANÁLISE DOS RESULTADOS DOS PROGRAMAS DE APOIO ÀS PMEs NO BRASIL

Leia mais

360º. da Construção. Visão. cobertura. Lorem ipsum dolor sit amet, cons ectetur adipiscing elit. Phasellus aliquet neque eu mi feugiat eget ante

360º. da Construção. Visão. cobertura. Lorem ipsum dolor sit amet, cons ectetur adipiscing elit. Phasellus aliquet neque eu mi feugiat eget ante Também distribuída para as maiores construtoras do Brasil Matéria de capa cobertura Lorem ipsum dolor sit amet, cons ectetur adipiscing elit. Phasellus aliquet neque eu mi feugiat eget ante Visão 360º

Leia mais

Este trabalho é um comentário sobre a proposta de estudo da teoria das

Este trabalho é um comentário sobre a proposta de estudo da teoria das A teoria das representações sociais na pesquisa interdisciplinar * Josie Agatha Parrilha da Silva 1 Universidade Estadual de Ponta Grossa Este trabalho é um comentário sobre a proposta de estudo da teoria

Leia mais

2.1. As inscrições deverão ser realizadas através do preenchimento do formulário de inscrição previsto no seguinte link:

2.1. As inscrições deverão ser realizadas através do preenchimento do formulário de inscrição previsto no seguinte link: A ESTÁCIO SANTA CATARINA E FLORIANÓPOLIS, campi Santa Catarina e Florianópolis divulgam processo seletivo para formação de cadastro de reserva para o cargo de Professor para o(s) curso(s) de graduação

Leia mais

MATERIALIDADES DA LITERATURA. Osvaldo Manuel Silvestre

MATERIALIDADES DA LITERATURA. Osvaldo Manuel Silvestre MINICURSO MATERIALIDADES DA LITERATURA Osvaldo Manuel Silvestre (Universidade de Coimbra, Portugal) Promoção Programa de Pós-Graduação em Teoria e História Literária Pró-Reitoria de Pesquisa/ FAEPEX Minicurso

Leia mais

(Prof. José de Anchieta de Oliveira Bentes) 3.

(Prof. José de Anchieta de Oliveira Bentes) 3. TRADUÇÃO E INTÉRPRETAÇÃO DE LIBRAS EM PROCESSOS SELETIVOS: O CASO DA UEPA. 1 ANDRÉ LUIZ SILVA DANTAS 2 Resumo: A proposta deste artigo é, de maneira inicial e exploratória, discutir como a tradução/interpretação

Leia mais

6D Estúdio. promessa de ir além das 3 dimensões. Eles eram seis e, hoje, são sete sócios trabalhando do design impresso

6D Estúdio. promessa de ir além das 3 dimensões. Eles eram seis e, hoje, são sete sócios trabalhando do design impresso 6D Estúdio promessa de ir além das 3 dimensões Eles eram seis e, hoje, são sete sócios trabalhando do design impresso ao design em movimento, em vídeo ou internet. Eles unem diferentes conhecimentos técnicos

Leia mais

TAMANHO DAS FOLHAS - DEMONSTRATIVOS

TAMANHO DAS FOLHAS - DEMONSTRATIVOS TAMANHO DAS FOLHAS - DEMONSTRATIVOS INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO AMAZONAS IFAM CAMPUS HUMAITÁ CURSO DE... NOME DO(A) DISCENTE TÍTULO DA PESQUISA HUMAITÁ AM ANO EM QUE O TRABALHO

Leia mais

ROTEIRO PARA CLASSIFICAÇÃO DE LIVROS Avaliação dos Programas de Pós graduação

ROTEIRO PARA CLASSIFICAÇÃO DE LIVROS Avaliação dos Programas de Pós graduação ROTEIRO PARA CLASSIFICAÇÃO DE LIVROS Avaliação dos Programas de Pós graduação Aprovada na 111ª Reunião do CTC de 24 de agosto de 2009 Considerações preliminares O propósito deste roteiro é estabelecer

Leia mais

INTRODUÇÃO. Fui o organizador desse livro, que contém 9 capítulos além de uma introdução que foi escrita por mim.

INTRODUÇÃO. Fui o organizador desse livro, que contém 9 capítulos além de uma introdução que foi escrita por mim. INTRODUÇÃO LIVRO: ECONOMIA E SOCIEDADE DIEGO FIGUEIREDO DIAS Olá, meu caro acadêmico! Bem- vindo ao livro de Economia e Sociedade. Esse livro foi organizado especialmente para você e é por isso que eu

Leia mais

José Hipólito. Consultoria e implantação de projetos de Gestão Estratégica de Pessoas

José Hipólito. Consultoria e implantação de projetos de Gestão Estratégica de Pessoas José Hipólito Consultoria e implantação de projetos de Gestão Estratégica de Pessoas perfil José Hipólito é referência na consultoria e implantação de projetos de Gestão Estratégica de Pessoas. É apontado

Leia mais

6 Considerações Finais

6 Considerações Finais 6 Considerações Finais Este capítulo apresenta as conclusões deste estudo, as recomendações gerenciais e as recomendações para futuras pesquisas, buscadas a partir da análise dos casos das empresas A e

Leia mais

A PRÁTICA DE MONITORIA PARA PROFESSORES EM FORMAÇÃO INICIAL DE LÍNGUA INGLESA DO PIBID

A PRÁTICA DE MONITORIA PARA PROFESSORES EM FORMAÇÃO INICIAL DE LÍNGUA INGLESA DO PIBID A PRÁTICA DE MONITORIA PARA PROFESSORES EM FORMAÇÃO INICIAL DE LÍNGUA INGLESA DO PIBID Victor Silva de ARAÚJO Universidade Estadual da Paraiba sr.victorsa@gmail.com INTRODUÇÃO A monitoria é uma modalidade

Leia mais

Revisão de Estatística Básica:

Revisão de Estatística Básica: Revisão de Estatística Básica: Estatística: Um número é denominado uma estatística (singular). Ex.: As vendas de uma empresa no mês constituem uma estatística. Estatísticas: Uma coleção de números ou fatos

Leia mais

Modulo II - Elementos comuns aos diversos tipos de publicações. Tópico 8 Resumo e recensão

Modulo II - Elementos comuns aos diversos tipos de publicações. Tópico 8 Resumo e recensão Modulo II - Elementos comuns aos diversos tipos de publicações Tópico 8 Resumo e recensão O que você deverá saber Ao final do Tópico 8 você deverá: - saber os requisitos para apresentação dos resumos e

Leia mais

Apesar de colocar-se no campo das Engenharias, profissional destaca-se, também, pelo aprimoramento das relações pessoais

Apesar de colocar-se no campo das Engenharias, profissional destaca-se, também, pelo aprimoramento das relações pessoais Lustre sem graxa Engenharia de Produção Apesar de colocar-se no campo das Engenharias, profissional destaca-se, também, pelo aprimoramento das relações pessoais Falo sempre com a minha família que não

Leia mais

Não é só dentro de casa que o Programa Visão Educa está fazendo sucesso... Clique aqui

Não é só dentro de casa que o Programa Visão Educa está fazendo sucesso... Clique aqui Não é só dentro de casa que o Programa Visão Educa está fazendo sucesso... A Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc) acaba de aprovar o programa desenvolvido pela Visão Prev. Essa

Leia mais

INSTITUTO LONG TAO METODOLOGIA CIENTÍFICA

INSTITUTO LONG TAO METODOLOGIA CIENTÍFICA INSTITUTO LONG TAO METODOLOGIA CIENTÍFICA Profa. Ms. Rose Romano Caveiro CONCEITO E DEFINIÇÃO É um conjunto de abordagens, técnicas e processos utilizados pela ciência para formular e resolver problemas

Leia mais

SOBRE A PRODUÇÃO DE PESQUISAS EM EDUCAÇÃO MATEMÁTICA COM VIÉS FINANCEIRO ESCOLAR.

SOBRE A PRODUÇÃO DE PESQUISAS EM EDUCAÇÃO MATEMÁTICA COM VIÉS FINANCEIRO ESCOLAR. ISSN 2316-7785 SOBRE A PRODUÇÃO DE PESQUISAS EM EDUCAÇÃO MATEMÁTICA COM VIÉS FINANCEIRO ESCOLAR. Rodrigo Martins de Almeida Instituo Estadual de Educação de Juiz de Fora (IEE/JF) rodrigomartinsdealmeida@yahoo.com.br

Leia mais

Questionário para Estudantes de Pós- Graduação na modalidade a distância

Questionário para Estudantes de Pós- Graduação na modalidade a distância Questionário para Estudantes de Pós- Graduação na modalidade a distância Este questionário é um instrumento de coleta de informações para a realização da auto-avaliação da UFG que tem como objetivo conhecer

Leia mais

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA RELATÓRIO FINAL DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE PEDAGOGIA DA CPA DA FACULDADE ARAGUAIA 2014/01 a 2014/02 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 3 1. Análise dos resultados

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA APRESENTAÇÃO DE ARTIGO EM PUBLICAÇÃO PERIÓDICA CIENTÍFICA (NBR 6022:2003)

PROCEDIMENTOS PARA APRESENTAÇÃO DE ARTIGO EM PUBLICAÇÃO PERIÓDICA CIENTÍFICA (NBR 6022:2003) PROCEDIMENTOS PARA APRESENTAÇÃO DE ARTIGO EM PUBLICAÇÃO PERIÓDICA CIENTÍFICA (NBR 6022:2003) Maio de 2012. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA. Biblioteca Universitária. Programa de capacitação. 2 NORMAS

Leia mais

PROJETO DE PESQUISA CIENTÍFICA: a escolha do tema e a construção do problema

PROJETO DE PESQUISA CIENTÍFICA: a escolha do tema e a construção do problema PROJETO DE PESQUISA CIENTÍFICA: a escolha do tema e a construção do problema de pesquisa, temos que traçar um caminho a seguir durante a investigação. Realizar um estudo mais planejado dos aspectos que

Leia mais

COMO PUBLICAR. 2 Apreciação dos trabalhos

COMO PUBLICAR. 2 Apreciação dos trabalhos 1 COMO PUBLICAR A revista Estação Científica tem como missão contribuir para o diálogo acadêmico-científico com a divulgação de trabalhos inéditos nas mais diversas áreas do conhecimento. Ela os publicará

Leia mais

PROPOSTA PARA ESTÁGIO SUPERVISIONADO II ENSINO DE CIÊNCIAS 2010

PROPOSTA PARA ESTÁGIO SUPERVISIONADO II ENSINO DE CIÊNCIAS 2010 PROPOSTA PARA ESTÁGIO SUPERVISIONADO II ENSINO DE CIÊNCIAS 2010 OBSERVAÇÃO NA ESCOLA Localização da Escola 29/03 16/04 Espaço Físico PPP e o Ensino de Ciências OBSERVAÇÃO NA SALA Relação Professor/Alunos

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DE AGUDOS - FAAG BIBLIOTECA MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS PARA O PERIÓDICO. REVISTA DiCA!

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DE AGUDOS - FAAG BIBLIOTECA MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS PARA O PERIÓDICO. REVISTA DiCA! CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DE AGUDOS - FAAG BIBLIOTECA MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS PARA O PERIÓDICO REVISTA DiCA! Biblioteca - FAAG Tel. (14) 3262-9400 Ramal: 417 Email: biblioteca@faag.com.br http://www.faag.com.br/faculdade/biblioteca.php

Leia mais

Esterofoto Geoengenharia SA. Álvaro Pombo. Administrtador. (www.estereofoto.pt)

Esterofoto Geoengenharia SA. Álvaro Pombo. Administrtador. (www.estereofoto.pt) Esterofoto Geoengenharia SA Álvaro Pombo Administrtador (www.estereofoto.pt) Q. Conte-nos um pouco da historia da empresa, que já tem mais de 30 anos. R. A Esterofoto é uma empresa de raiz, a base da empresa

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA MUDANÇA DE CULTURA DAS PESSOAS COMO UM DOS FATORES DE SUCESSO DE PROGRAMAS DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

A IMPORTÂNCIA DA MUDANÇA DE CULTURA DAS PESSOAS COMO UM DOS FATORES DE SUCESSO DE PROGRAMAS DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA A IMPORTÂNCIA DA MUDANÇA DE CULTURA DAS PESSOAS COMO UM DOS FATORES DE SUCESSO DE PROGRAMAS DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Elisa Maçãs IDÉIAS & SOLUÇÕES Educacionais e Culturais Ltda www.ideiasesolucoes.com 1

Leia mais

FORMAÇÃO CONTINUADA: MUDANÇAS NA PRÁTICA PEDAGÓGICA NA VIVÊNCIA DE UM PROGRAMA.

FORMAÇÃO CONTINUADA: MUDANÇAS NA PRÁTICA PEDAGÓGICA NA VIVÊNCIA DE UM PROGRAMA. FORMAÇÃO CONTINUADA: MUDANÇAS NA PRÁTICA PEDAGÓGICA NA VIVÊNCIA DE UM PROGRAMA. Rosângela de Fátima Cavalcante França* Universidade Federal de Mato Grosso do Sul RESUMO Este texto apresenta de forma resumida

Leia mais

5Etapas Para Conseguir Clientes de Coaching,

5Etapas Para Conseguir Clientes de Coaching, 5Etapas Para Conseguir Clientes de Coaching, Consultoria, Terapias Holísticas e Para Encher Seus Cursos e Workshops. Parte 01 Como Se Posicionar e Escolher os Clientes dos Seus Sonhos 1 Cinco Etapas Para

Leia mais

História da Probabilidade. Série Cultura. Objetivos 1. Apresentar alguns fatos históricos que levaram ao desenvolvimento da teoria da probabilidade.

História da Probabilidade. Série Cultura. Objetivos 1. Apresentar alguns fatos históricos que levaram ao desenvolvimento da teoria da probabilidade. História da Probabilidade Série Cultura Objetivos 1. Apresentar alguns fatos históricos que levaram ao desenvolvimento da teoria da probabilidade. História da Probabilidade Série Cultura Conteúdos História

Leia mais

Concentração de soluções: A dificuldade de interpretação das grandezas massa e volume

Concentração de soluções: A dificuldade de interpretação das grandezas massa e volume Concentração de soluções: A dificuldade de interpretação das grandezas massa e volume José Fabiano Serafim da Silva Professor SEDUC PE, aluno Especial EDUMATEC UFPE Brasil professorfabioestrelamat4676@hotmail.com

Leia mais

Preparação do Trabalho de Pesquisa

Preparação do Trabalho de Pesquisa Preparação do Trabalho de Pesquisa Ricardo de Almeida Falbo Metodologia de Pesquisa Departamento de Informática Universidade Federal do Espírito Santo Pesquisa Bibliográfica Etapas do Trabalho de Pesquisa

Leia mais

Instruções sobre como elaborar artigo para o Âmbito Jurídico

Instruções sobre como elaborar artigo para o Âmbito Jurídico Instruções sobre como elaborar artigo para o Âmbito Jurídico Nome do autor: principais atividades acadêmicas em no máximo 3 linhas, colocar e-mail. 1. Se estudante de direito colocar apenas: Acadêmico

Leia mais