REUNIÕES APIMEC 2011

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "REUNIÕES APIMEC 2011"

Transcrição

1 REUNIÕES APIMEC 2011

2 Í n d i c e RS no Brasil Nossa Empresa Governança Corporativa Nossos Números Concorrentes Sustentabilidade Projeções e Estimativas 1

3 RS no Brasil Visão Geral do Estado do Rio Grande do Sul DADOS DEMOGRÁFICOS RS BRASIL População (2010) 10,7 190,8 5,6% da população - em milhões de habitantes Área 281 8,514 3,3% do território brasileiro - em milhões de Km2 Nº de Municípios ,9% dos municípios Densidade Demográfica (2009) habitantes por Km2 DADOS ECONÔMICOS PIB per capita (2009) 21, ,21% acima do PIB - em r$ mil do Brasil PIB 2009 (R$) ,2% bilhões bilhões Exportações 2009 (US$) 15, ,0% bilhões bilhões 4º maior Estado exportador do Brasil INDICATIVOS SOCIAIS IDH (2009) 0,832 0,718 5º maior do Brasil Expectativa de Vida 75,5 72,8 Entre as mais altas do Brasil Coeficiente de Mortalidade 12,8/ 15/ um dos menores do país - em nascidos vivos um dos mais Taxa de Alfabetização (2009) 95,4 90,3% escolarizados do Brasil FONTE: IBGE,FEE - R.S. FIERGS 2

4 RS no Brasil 7,7 5,4 6,8 4,4 7,6 5,9 7,0 4,7 6,2 4,1 Taxa de Desemprego (em %) 6,4 6,5 6,4 6,4 6,1 5,3 5,0 5,1 4,6 4,2 4,4 6,2 4,8 6,0 4,7 6,0 5,2 6,0 4,8 Balança Comercial e 2010 (US$ 1.000) Jan a Set/ ,38% ,95% 6,92% 7,89% 3,0 Set09 Mar10 Set10 Jan11 Mar11 Mai11 Jul11 Set Brasil Porto Alegre (Região Metropolitana) Brasil Rio Grande do Sul Rio Grande do Sul/Brasil (%) Distribuição da População empregada por Setor de Atividade (%) - Set/11 Ocupação - População Economicamente Ativa (%) Set/11 57,6 51,8 57,91 21,4 16,4 18,3 19,2 7,7 7,6 57,44 Indústria Construção Civil Comércio Serviços Porto Alegre (Região Metropolitana) Brasil Brasil FONTE: IBGE,FEE - R.S. FIERGS Porto Alegre (Região Metropolitana) 3

5 6,53% Taxa de Crescimento Anual 7,84% 7,64% 6,09% Rio Grande do Sul 4,67% 5,14% Brasil 6,62% 3,96% 6,64% 3,92% 6,58% 6,51% 6,47% Participação R$ no PIB do Brasil (em %) -0,81% -0,64% (preliminar) 2010 (preliminar) 65,2% Composição do VAB (VAB=PIB - Impostos) 67,4% 26,8% 24,6% 10,2% 5,8% Índice Trimestral de Atividade Produtiva Variação Anual da Taxa de Crescimento Trimestral 1T11 2T11 RS Brasil RS Brasil Agropecuário Indústria Serviços 28,9 2,4 6,2 3,1 3,5 4,0 7,8 4,6 6,3 0,0 1,7 3,4 Serviços Indústria Agropecuária Total 7,8 4,2 5,8 3,1 FONTE: IBGE,FEE - R.S. FIERGS RS (2009) Brasil (2010) 4

6 Í n d i c e RS no Brasil Nossa Empresa Governança Corporativa Nossos Números Concorrentes Sustentabilidade Projeções e Estimativas 5

7 N o s s a E m p r e s a Banco focado nos Estados do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina O Banco é controlado pelo Governo do Estado do Rio Grande do Sul com float de 42,8% de ações negociadas na Bovespa Banrisul é o agente de pagamento dos funcionários públicos estaduais Colombia Venezuela Guiana Suriname Guiana Francesa Ativo total de R$ ,1 milhões Carteira de crédito de R$ ,7 milhões Equador Peru 440 agências Bolívia Brasil Fundado em 12 de setembro de 1928 Oferta pública de ações em 2007 Chile Paraguai RS Nível 1 de Governança Corporativa na Bovespa desde julho de 2007 Uruguai Tag Along de 100% para todas as classes de ações Argentina Tickers BRSR3, BRSR5 e BRSR empregados em setembro de 2011 Banrisul é instituição líder no sul do Brasil com histórico comprovado 6

8 N o s s a E m p r e s a Fundos de Investimento Câmbio, Consórcios Banricompras Depósitos: à Vista, a Prazo, de Poupança Financiamentos: Agronegócios, Veículos, Máquinas e Equipamentos Contas a Pagar, Débito em Conta Portfólio de Produtos Crédito: Pessoal, Consignado, CDC, Imobiliário Capital de Giro, Vendor, Compror, Leasing Cartões de Crédito Agência Virtual Desconto de Recebíveis, Cobrança de Títulos Folhas de Pagamento, Carta Fiança 7

9 G r u p o B a n r i s u l Segmentos de Negócios Estrutura Corporativa Capital Votante Fundação Banrisul Free float Instituto de Previdência do Estado do Rio Grande do Sul Estado do Rio Grande do Sul 99,59% 0,22% 0,17% 0,02% 99,5% 98,7% 99,6% 99,8% Capital Total? - ON 50,1%? - PNA 1,0%? - PNB 48,9% 57,0% Free float Estado do Rio Grande do Sul Fundação Banrisul 0,2% 0,1% Instituto de Previdência do Estado do Rio Grande do Sul 42,8% 8

10 R a n k i n g Banrisul Rede de Serviço Market Share Agências 440 Brasil Rio Grande do Sul Demand Postos de Deposits Serviço 279 Depósito à Vista Jun/11 1,8532% Set/11 1,7982% Mar/11 27,0793% Jun/11 26,6920% Pontos de Venda 539 Depósito de Poupança 1,3272% 1,2415% 17,8149% 16,4062% Número Total de Pontos de Serviços do Banrisul Depósito a Prazo 1,7712% 1,8868% 29,4502% 30,4961% Estado do Rio Grande do Sul - Cobetura da População 97,95% Carteira de Crédito 1,0250% 1,0187% 21,5458% 22,4270% Estado do Rio Grande do Sul - Cobertura do PIB 98,31% Nº de Agências 2,2071% 2,2024% 25,7605% 25,7088% Posição no Ranking Dez/06 Dez/07 Dez/08 Dez/09 Dez/10 Mar/11 Total de Ativos 14º 14º 12º 10º 11º 11º Patrimônio Líquido 18º 14º 13º 11º 12º 12º Total de Depósitos 12º 11º 10º 8º 8º 8º Nº de Agências 10º 10º 8º 7º 7º 7º Fonte: Banco Central do Brasil - Ranking dos 50 maiores bancos 9

11 Nível 1 - Exige que as empresas adotem práticas de transparência e o acesso dos investidores às informações As empresas devem publicar relatórios financeiros com informações sobre as transações de funcionários, executivos, acionistas controladores e partes relacionadas Empresas listadas neste segmento devem manter free-float de 25% no mínimo Os objetivos do Índice de Ações com Governança Corporativa Diferenciada é o de medir o desempenho de carteira composta por ações de empresas que tem bons Níveis de Governança Corporativa Todas as ações emitidas por empresas negociadas no Novo Mercado ou Níveis 1 ou 2 da BM&FBOVESPA são elegíveis para inclusão na carteira teórica do índice O objetivo do Tag Along é melhorar o Índice de Ações (ITAG), medindo o desempenho de carteira composta por ações de empresas que oferecem melhores condições aos acionistas minoritários em caso de venda do controle Todas as ações de empresas que concedem condições superiores de tag-along do que o nível legalmente obrigatório (80% do preço obtido pelo controlador, no caso de alienação do controle) são elegíveis para inclusão na carteira teórica do índice O Índice Brasil IBRX mede o retorno da Carteira composta das 100 ações mais negociadas na Bovespa O Índice IBRX é composto por 100 ações escolhidas a partir de lista classificada por ordem decrescente de liquidez O objetivo do Índice do BM&FBovespa Financeiro é oferecer visão segmentada do mercado acionário, medindo o desempenho das ações de empresas do setor de serviços financeiros O índice é formado pelas empresas mais representativas listadas na BM&FBovespa nos setores de intermediação financeira, outros serviços financeiros, e os planos de pensão e de seguros O Índice MidLarge Cap MLCX mede o retorno da carteira composta pelas empresas de maior valor de mercado Empresas que coletivamente representam 85% da capitalização total do mercado de ações são elegíveis para participar do índice O Índice de Governança Corporativa Trade IGCT é composto por ações de empresas do IGC que atendem aos critérios de alta liquidez Participação em termos de presença no pregão igual ou superior a 95% no período de 12 meses O Índice Brasil Amplo BM&FBOVESPA é oferecer visão ampla do mercado de ações As respectivas ações são selecionadas de acordo com sua liquidez e ponderadas nas carteiras pelo valor de mercado das ações disponíveis para negociação Participação em termos de presença no pregão igual ou superior a 95% no período de 12 -meses 10

12 M o d e l o d e G e s t ã o Planejamento Gerenciamento dos Investimentos 1 Plano estratégico orientado por objetivos em longo prazo Diretrizes estratégicas em consonância com orçamento global Objetivos estratégicos relacionados a projetos e metas Monitoramento dos objetivos e projetos Desenvolvimento de rotinas e processos com foco em sustentabilidade Decisões de Investimento baseadas em análise de VPL Modelo para gestão das despesas com foco na eficiência do gasto Investimentos em Infra-Estrutura alinhados com a continuidade dos negócios e racionalização de custos Gestão voltada a decisões coletivas 2 Gestão de Vendas Controle e Risco 3 Modelo de resultado Estabelecimento de metas Remuneração variável vinculada ao desempenho das vendas Implementação de ferramentas para monitorar crédito e política de depósitos Equipes especializadas em gestão de produtos Marketing focado em negócios e relacionamentos Modelos de monitoramento de riscos corporativos Políticas de conformidade Mecanismos de mitigação de risco e controles internos Modelagem de risco Processo Decisório Processo de Aprovação de Crédito 5 Equipe especializada: Comitê de Gestão Bancária Comitê de Gestão Econômica Comitê de Gestão Comercial Comitê de Gestão de Canais Comitê de Gestão Administrativa Comitê de Gestão de Controles Internos Comitê de Gestão de Tecnologia da Informação Comitê de Gestão de Crédito Comitê de Gestão de Pessoas Modelo de pontuação de crédito com base no risco do cliente Política de escalonamento por alçadas Comitê de Agência Comitê de Crédito I Comitê de Crédito II Conselho de Administração 611

13 E v e n t o s d e G e s t ã o Gestão baseada em resultados Modelo de metas com base em volume e quantidade de negócios Baseada em resultados no modelo de gestão Novo modelo de resultados baseados em objetivos e remuneração variável Modelo não corporativo de avaliação de risco do cliente e distribuição automática de crédito Substituição de pessoal na Direção Geral e eliminação do cargo de Diretor de Desenvolvimento Assume nova Diretoria, CFO, Diretor de Crédito e o CEO permanecem no cargo Oferta Pública de Ações Reformulação da equipe de gestão Acordo com a Federação de Municípios do Estado do Rio Grande do Sul (Famurs), para exclusividade no processamento da folha de pagamento dos funcionários municipais e crédito consignado Expansão na Região Sul com a criação da Sureg - Santa Catarina Implementação de processos e ferramentas de monitoramento do crédito e das carteiras de depósito Implementação da gestão matricial da despesa Substituição do CEO e Diretores Financeiro, Comercial e de Crédito Reestruturação dos processos de marketing Criação do Comitê de Marketing Modelo de avaliação de risco de clientes corporativos e alocação de crédito automático Assunção de nova Diretoria Criação da Unidade de Controle de Riscos Corporativos Criação da Diretoria de TI Reestruturação Administrativa e criação de Unidades de Produtos Especializados Implementação de nova metodologia para planejamento estratégico Decisão sobre o Programa de Expansão no RS e SC

14 O b j e t i v o s e E s t r a t é g i a s Garantir crescimento sustentável no longo prazo; melhorar estrutura de captação de depósitos e fontes de financiamento; ampliar receitas de depósitos, empréstimos, prestação de servíços e novos negócios Eficiência no controle de gastos e de processos administrativos Introduzir e aperfeiçoar mecanismos de gestão de risco corporativo e controles internos em todos os níveis da organização Expandir rede de atendimento na Região Sul e revitalizar e padronizar as unidades de negócios Ampliar e diversificar base de clientes corporativos e não corporativos, fortalecendo relações com os clientes no setor público Modernizar processos operacional e de gestão, canais de comunicação com público interno e clientes, ampliando a distribuição de produtos e serviços Modernizar processo de gestão de pessoas, introduzindo novas políticas para o plano de cargos e salários; sucessão e retenção de talentos; avaliação de desempenho e programas que suportem boas relações no trabalho 13

15 Í n d i c e RS no Brasil Nossa Empresa Governança Corporativa Nossos Números Concorrentes Sustentabilidade Projeções e Estimativas 14

16 C o m p o s i ç ã o A c i o n á r i a Total Ações Ações ON Ações PNA Ações PNB Acionistas PF PJ FREE FLOAT 42,8% Valor de Mercado R$ 7,3 Bilhões US$ 4,2 Bilhões 15

17 B a n r i s u l P N B ( B R S R 6 ) 16

18 B a n r i s u l P N B ( B R S R 6 ) 17

19 B a n r i s u l P N B ( B R S R 6 ) 18

20 M e r c a d o d e C a p i t a i s 19

21 M e r c a d o d e C a p i t a i s 20

22 D i s t r i b u i ç ã o G e o g r á f i c a p o r C o n t i n e n t e e P a í s Ações Banrisul Base: Outubro/

23 Í n d i c e RS no Brasil Nossa Empresa Governança Corporativa Nossos Números Concorrentes Sustentabilidade Projeções e Estimativas 22

24 V e l o c i d a d e d e C r e s c i m e n t o Em % 23

25 A t i v o s To t a i s Variação % 3M 9M 12M 5,2% 13,8% 13,0% Em R$ Milhões 24

26 R e c u r s o s C a p t a d o s e A d m i n i s t r a d o s Variação % 3M 9M 12M 5,4% 9,6% 14,2% Em R$ Milhões 25

27 C A P T A Ç Ã O Custo de Captação Em % da Taxa Selic C a p t a ç ã o Em R$ Milhões Funding Set/11 Jun/11 % Set11/Jun11 %Set11/Set10 Depósitos a Prazo 48,3% 45,8% 11,2% 39,2% Depósitos de Poupança 18,4% 19,8% -1,7% -19,4% Depósitos à Vista 9,3% 10,3% -5,2% 21,2% Recursos de Terceiros 24,0% 24,1% 4,8% 7,4% TOTAL 100,0% 100,0% 5,4% 14,2% 26

28 C a r t e i r a d e C r é d i t o e P r o v i s ã o e m R e l a ç ã o à C a r t e i r a Variação % - Operações de Crédito 3M 9M 12M 4,5% 15,4% 21,0% Variação % - Provisão 3M 9M 12M 5,8% 16,6% 14,4% Em R$ Milhões Provisão em Relação à Carteira 27

29 A b e r t u r a d a C a r t e i r a d e C r é d i t o Em R$ Milhões Rural 1.583,9 8,1% Imobiliário 1.611,0 8,2% Outras 1.552,9 7,9% Pessoa Jurídica 6.580,2 44,1% Outros Créditos-PJ 1.745,1 26,5% Capital de Giro 4.835,1 73,5% Comercial ,9 75,8% Pessoa Física 8.326,7 55,9% Outros Créditos-PF 2.228,8 26,8% Consignado 6.097,9 73,2% Próprio 3.716,8 Adquirido 2.381,1 61,0% 39,0% 28

30 C a r t e i r a d e C r é d i t o C o m e r c i a l Em R$ Milhões Variação % - Pessoa Física 3M 9M 12M 1,4% 12,5% 15,4% Variação % - Pessoa Jurídica 3M 9M 12M 3,4% 14,8% 24,2% 29

31 C a r t e i r a d e C r é d i t o - I n d i c a d o r e s 30

32 T í t u l o s e V a l o r e s M o b i l i á r i o s Deduzidos de Operações Compromissadas Variação % 3M 9M 12M 6,1% 10,4% 5,6% Em R$ Milhões 31

33 R e c e i t a s d a I n t e r m e d i a ç ã o F i n a n c e i r a Em R$ Milhões Variação % 24,7% 32

34 D e s p e s a s d e P r o v i s ã o p a r a O p e r a ç õ e s d e C r é d i t o Em R$ Milhões Variação % 18,4% 33

35 D e s p e s a s d e C a p t a ç ã o Em R$ Milhões Variação % 30,4% 34

36 M a r g e m F i n a n c e i r a Em R$ Milhões Variação % 15,7% 35

37 D e s p e s a s A d m i n i s t r a t i v a s Em R$ Milhões Variação % Despesas Administrativas 5,3% Variação 9M11/9M10 5,5% Variação 3T11/2T11-7,6% 8,4% 6,7% 16,1% 9,5% 36

38 L u c r o L í q u i d o Em R$ Milhões Variação % 32,5% 37

39 J u r o s s o b r e C a p i t a l P r ó p r i o e D i v i d e n d o s D i s t r i b u í d o s Em R$ Milhões 38

40 P a t r i m ô n i o L í q u i d o Em R$ Milhões Variação % 3M 9M 12M 4,4% 11,5% 14,7% 39

41 I n d i c a d o r e s 40

42 B a n r i c o m p r a s Volume Financeiro (em R$ milhões) Variação % 15,66% Transações (em milhões) Variação % 9,77% 41

43 Í n d i c e RS no Brasil Nossa Empresa Governança Corporativa Nossos Números Concorrentes Sustentabilidade Projeções e Estimativas 42

44 C o n c o r r e n t e s I N D I C A D O R E S ROAA (Anualizado) Retorno sobre PL médio ROAE Custo de Captação Índice de Provisionamento Cobertura das Provisões Índice de Inadimplência > 60 Provisionamento Índice de Eficiência Custo Operacional Variação Lucro Líquido no Período 9M11 2,6% 22,8% 6,7% 6,5% 226,7% 2,9% 2,4% 44,2% 3,6% 33% 9M10 2,2% 19,5% 5,6% 6,9% 230,1% 3,0% 2,4% 48,8% 3,9% 43% 9M11 1,6% 22,3% 8,2% 6,2% 134,1% 4,6% 2,9% 47,0% 2,5% 18% 9M10 1,7% 21,9% 6,3% 6,2% 135,3% 4,6% 2,6% 46,1% 2,4% 24% 9M11 1,80% 23,2% 9,1% 6,5% 115,5% 5,6% 3,8% 41,4% 2,4% 16% 9M10 2,0% 24,0% 6.8% 7,4% 145,0% 5,1% 3,8% 41,3% 2,8% 38% 9M11 0,9% 5,5% 10,5% 6,1% 114,4% 5,3% 4,6% 48,3% 2,7% -11% 9M10 1,1% 6,2% 8,0% 5,5% 110,7% 5,0% 3,9% 47,6% 3,0% 40% 9M11 1,40% 23,5% 7,3% 4,6% 184,9% 2,5% 2,2% 46,3% 2,1% 20% 9M10 1,4% 25,07% 6,3% 5,3% 172,2% 3,1% 2,4% 46,2% 2,4% 28% 43

45 C o n c o r r e n t e s V A R I A Ç Ã O P E R C E N T U AL Operações de Crédito Captação de Depósitos Receitas de Op. Crédito e Leasing (Arrendamento Mercantil) Margem Financeira Despesas de Pessoal Média 17% 14% 19% 11% 12% 9M (799) 9M (688) 17% 14% 20% 14% 14% 9M (8.419) 9M (6.769) 17% 17% 18% 12% 20% 9M (10.049) 9M (9.136) 19% 12% 14% 8% 9% 9M (3.996) 9M (3.625) 16% 9% 29% 10% 9% 9M (10.652) 9M (9.567) 16% 17% 16% 9% 10% 44

46 Í n d i c e RS no Brasil Nossa Empresa Governança Corporativa Nossos Números Concorrentes Sustentabilidade Projeções e Estimativas 45

47 P r o c e s s o d e S u s t e n t a b i l i d a d e n o B a n r i s u l 46

48 F l u x o g r a m a 47

49 D e s t a q u e s S u s t e n t a b i l i d a d e B a n r i s u l Criação do Grupo Estratégico de Gestão Socioambiental OUT/2011 Preparação para o Relatório de Sustentabilidade Banrisul 2011, modelo GRI. Inclusão do tema Sustentabilidade nos processos de capacitação gerentes de negócios, novos empregados, etc. Destaque na relação Governo e Sociedade, na Região Sul do país, através do Programa Sementes, que desde 2008, distribuiu 35 milhões de sementes agro ecológicas e crioulas. 48

50 I n v e s t i m e n t o s A n u a i s ( e m R $ m i l ) Investimentos Sociais Internos Investimentos Sociais Externos Investimentos Socioambientais Alimentação PLR Saúde Previdência Privada Capacitação Profissional Cultura Esporte Educação Empregados: em em 2010 ( + 2,2%) em Set/2011 ( + 5,3%) Programas desenvolvidos internamente 49

51 D i s t r i b u i ç ã o d o V a l o r A d i c i o n a d o ( D V A )

52 R e c o n h e c i m e n t o s B a n r i s u l Jan/2011 Mar/2011 Abr/2011 Mai/2011 Jun/2011 Jul/2011 Ago/2011 Set/2011 Marca do Banrisul é destaque em ranking mundial. Banrisul é uma das empresas de melhor reputação no Rio Grande do Sul. Banrisul é destaque no estudo Marcas de Quem Decide. Ações do Banrisul apresentam melhor rentabilidade. Banrisul é uma das maiores empresas do mundo. Ações do Banrisul participam de novo índice da Bovespa. Banrisul é uma das marcas mais valiosas do País, segundo ranking da revista Dinheiro. Banrisul está entre as marcas mais valiosas do Brasil, conforme ranking elaborado pela consultoria Interbrand. Banrisul é a marca mais lembrada do RS na categoria banco. O Banrisul conquistou o Certificado de Sustentabilidade em Governo e Sociedade. Banrisul é uma das 100 maiores empresas do País. Projeto Pescar Banrisul é premiado como Melhor Prática Educativa. Banrisul é reconhecido como Melhor Amigo do Esporte. Banrisul é destaque em ranking nacional. Banrisul está entre as 500 melhores empresas do País. Banrisul é destaque na área socioambiental. Banrisul é premiado com o Mérito Ambiental Henrique Luiz Roessler. Banrisul é destaque em ranking de satisfação dos clientes. 51

53 P r o j e ç õ e s e E s t i m a t i v a s Perspectivas Banrisul Guidance Realizado M11/9M10 Carteira de Crédito Total 15% a 20% 21,0% Crédito Comercial Pessoa Física 12% a 17% 15,4% Crédito Comercial Pessoa Jurídica 16% a 21% 24,2% Crédito Imobiliário 18% a 23% 32,3% Despesa Provisão Crédito/Carteira Crédito 3% a 4% 3,2% Saldo de Provisão sobre a Carteira de Crédito 6% a 8% 6,5% Captação Total 15% a 20% 14,2% Depósitos a Prazo 35% a 40% 39,2% Rentabilidade sobre o Patrimônio Líquido Médio 19% a 23% 22,8% Índice de Eficiência 44% a 48% 44,4% Margem Financeira Líquida sobre Ativos Rentáveis 10% a 11% 10,7% 52

54 AVISO LEGAL Esta apresentação contém considerações futuras referentes às perspectivas do negócio, estimativas de resultados operacionais e financeiros, e às perspectivas de crescimento do BANRISUL. Estas são apenas projeções e, como tal, baseiam-se exclusivamente nas expectativas da administração do BANRISUL em relação ao futuro do negócio e seu contínuo acesso a capitais para financiar o plano de negócios da Companhia. Tais considerações futuras dependem, substancialmente, de mudanças nas condições de mercado, regras governamentais, pressões da concorrência, do desempenho do setor e da economia brasileira, entre outros fatores, além dos riscos apresentados nos documentos de divulgação arquivados pelo BANRISUL e estão, portanto, sujeitas a mudanças sem aviso prévio. 53

Índice. RS no Brasil Nossa Empresa Governança Corporativa Nossos Números Análise Comparativa Sustentabilidade Projeções e Estimativas

Índice. RS no Brasil Nossa Empresa Governança Corporativa Nossos Números Análise Comparativa Sustentabilidade Projeções e Estimativas CICLO APIMEC 2010 Índice RS no Brasil Nossa Empresa Governança Corporativa Nossos Números Análise Comparativa Sustentabilidade Projeções e Estimativas 3 RS no Brasil DADOS DEMOGRÁFICOS RS BRASIL População

Leia mais

Divulgação dos Resultados 1T15

Divulgação dos Resultados 1T15 Divulgação dos Resultados 1T15 Sumário Resultado Itens Patrimoniais Índices Financeiros e Estruturais Guidance 2 Resultado Margem Financeira (em e %) * 1T15 / 1T14 1T15 / 4T14 1T15 / 1T14 21,1% 5,4% 21,1%

Leia mais

Destaques Operacionais. Desempenho Financeiro

Destaques Operacionais. Desempenho Financeiro Press Release Destaques Operacionais O Banrisul apresentou, nos nove meses de 2011, trajetória ascendente de crescimento no crédito. Os indicadores de inadimplência e de qualidade da carteira mantiveram-se

Leia mais

Informações Financeiras Consolidadas

Informações Financeiras Consolidadas Informações Financeiras Consolidadas 3º trimestre 2007 Dados Cadastrais Denominação Comercial: Banrisul S/A Natureza Jurídica: Banco Múltiplo Público Estadual. Sociedade de Economia Mista, sob forma de

Leia mais

1T13 FACT SHEET PERFIL DA COMPANHIA PRESENÇA NO BRASIL: FOCO NA REGIÃO SUL

1T13 FACT SHEET PERFIL DA COMPANHIA PRESENÇA NO BRASIL: FOCO NA REGIÃO SUL FACT SHEET 1T13 PERFIL DA COMPANHIA Fundado em 1928, o Banrisul é um banco múltiplo: comercial, de desenvolvimento e social, controlado pelo Estado do Rio Grande do Sul. A proximidade com o setor público

Leia mais

Apresentação Bradesco

Apresentação Bradesco Apresentação Bradesco 1 Perspectivas Econômicas 2013 Bradesco 2014 * Consenso do Mercado ** 2015 * 2014 2015 PIB 2,50% 0,50% 1,50% 0,29% 1,01% Juros(SelicFinal) 10,00% 11,00% 11,00% 11,00% 11,38% Inflação(IPCA)

Leia mais

2T13 FACT SHEET PERFIL DA COMPANHIA PRESENÇA NO BRASIL: FOCO NA REGIÃO SUL

2T13 FACT SHEET PERFIL DA COMPANHIA PRESENÇA NO BRASIL: FOCO NA REGIÃO SUL FACT SHEET 2T13 PERFIL DA COMPANHIA Fundado em 1928, o Banrisul é um banco múltiplo: comercial, de desenvolvimento e social, controlado pelo Estado do Rio Grande do Sul. A proximidade com o setor público

Leia mais

BANCO DO BRASIL 1º Trimestre 2012

BANCO DO BRASIL 1º Trimestre 2012 BANCO DO BRASIL 1º Trimestre 2012 Aviso Importante Esta apresentação faz referências e declarações sobre expectativas, sinergias planejadas, estimativas de crescimento, projeções de resultados e estratégias

Leia mais

Luiz Carlos Angelotti. Diretor Executivo Gerente e Diretor de Relações com Investidores

Luiz Carlos Angelotti. Diretor Executivo Gerente e Diretor de Relações com Investidores 59 Luiz Carlos Angelotti Diretor Executivo Gerente e Diretor de Relações com Investidores Estratégia de Atuação 60 60 Balanço Patrimonial Tecnologia vs Eficiência operacional Basileia Desempenho Financeiro

Leia mais

Banco Santander (Brasil) S.A.

Banco Santander (Brasil) S.A. Banco Santander (Brasil) S.A. Resultados em BR GAAP 4T14 3 de Fevereiro de 2015 INFORMAÇÃO 2 Esta apresentação pode conter certas declarações prospectivas e informações relativas ao Banco Santander (Brasil)

Leia mais

Release de Resultado Janeiro/08

Release de Resultado Janeiro/08 PORTO SEGURO anuncia lucro líquido de R$10,0 milhões ou R$0,13 por ação em janeiro de 2008 São Paulo, 17 de Março de 2008 Porto Seguro S.A. (BOVESPA: PSSA3), anuncia os resultados de janeiro de 2008. As

Leia mais

PORTO SEGURO ANUNCIA LUCRO LÍQUIDO DE R$110,9 MILHÕES OU R$0,48

PORTO SEGURO ANUNCIA LUCRO LÍQUIDO DE R$110,9 MILHÕES OU R$0,48 PORTO SEGURO ANUNCIA LUCRO LÍQUIDO DE R$110,9 MILHÕES OU R$0,48 POR AÇÃO ATÉ MAIO DE 2008. São Paulo, 02 de julho de 2008 Porto Seguro S.A. (BOVESPA: PSSA3), anuncia os resultados dos 5M08. As informações

Leia mais

Reunião Pública Apresentação de Resultados 1º Semestre 2011

Reunião Pública Apresentação de Resultados 1º Semestre 2011 Reunião Pública Apresentação de Resultados 1º Semestre 2011 Rio de Janeiro, 09 de Agosto 2011 1 Informação importante Esta apresentação foi preparada pelo Banco Santander (Brasil) S.A., eventuais declarações

Leia mais

Resultados do 1T08. 14 de maio de 2008

Resultados do 1T08. 14 de maio de 2008 Resultados do 1T08 14 de maio de 2008 Destaques do Trimestre Desenvolvimento dos Negócios Início dos desembolsos das operações de FINAME e BNDES Automático Bim Promotora de Vendas fase piloto das operações

Leia mais

www.panamericano.com.br

www.panamericano.com.br www.panamericano.com.br Agenda Principais dados do Banco Histórico Divulgação das Demonstrações Financeiras Resultado e Balanço Providências e Perspectivas 2 Agenda Principais dados do Banco 3 Composição

Leia mais

Porto Alegre Rio de Janeiro São Paulo. Ciclo de Reuniões APIMEC 2016

Porto Alegre Rio de Janeiro São Paulo. Ciclo de Reuniões APIMEC 2016 Porto Alegre Rio de Janeiro São Paulo Ciclo de Reuniões APIMEC 2016 Agenda 1. Panorama Banrisul 2. Principais Itens de Resultado 3. Principais Itens Patrimoniais 4. Captação e Crédito 5. Principais Indicadores

Leia mais

Financiamento de veículos. Crédito Pessoa Física Principais Produtos

Financiamento de veículos. Crédito Pessoa Física Principais Produtos Financiamento de veículos Crédito Pessoa Física Principais Produtos 115 +11% Carteira de Crédito 124 +3% 127 Crédito ao Consumo Veículos R$ Bilhões Pessoa Física Crédito Consignado 1 32 Cartão de Crédito

Leia mais

PERFIL CORPORATIVO FOCO NO CLIENTE. Sustentabilidade econômica e sócioambiental. Expansão da base geográfica RELACIONAMENTO

PERFIL CORPORATIVO FOCO NO CLIENTE. Sustentabilidade econômica e sócioambiental. Expansão da base geográfica RELACIONAMENTO PERFIL CORPORATIVO P Banco múltiplo privado com 20 anos de experiência no mercado financeiro P Sólida estrutura de capital e administração conservadora P Atuação em operações: Ativas Passivas Crédito Imobiliário

Leia mais

Apresentação de Resultados 3T05

Apresentação de Resultados 3T05 Apresentação de Resultados 3T05 Destaques Crescimento do Lucro Líquido foi de 316% no Terceiro Trimestre Crescimento da Receita no 3T05 A receita bruta foi maior em 71% (3T05x3T04) e 63% (9M05x9M04) Base

Leia mais

SOCINAL S.A- CRÉDITO FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO

SOCINAL S.A- CRÉDITO FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO SOCINAL S.A- CRÉDITO FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DE RISCO DE CAPITAL - EXERCICIO 2014 SUMÁRIO 1. Introdução; 2. Política Institucional para Gestão do Risco de Capital; 3. Estrutura,

Leia mais

Apresentação Corporativa. Novembro de 2010

Apresentação Corporativa. Novembro de 2010 Apresentação Corporativa Novembro de 2010 Estácio: Breve Histórico Crescimento orgânico Consolidação para liderança nacional IPO Companhia listada Turn around e preparação para o crescimento futuro # de

Leia mais

Agenda. A Companhia. Nossa Operação. 3 Nossa Performance Financeira

Agenda. A Companhia. Nossa Operação. 3 Nossa Performance Financeira APIMEC RIO Resultados do 1T12 Diretoria Econômico-Financeira e de Relações com Investidores Aviso Esta apresentação pode conter considerações futuras referentes às perspectivas do negócio, estimativas

Leia mais

Teleconferência de Resultados do 3T09

Teleconferência de Resultados do 3T09 Teleconferência de Resultados do 3T09 2 Destaques do trimestre O forte resultado do 3T09 demonstrou nossa confortável posição competitiva na indústria de proteínas e confirmou os resultados esperados de

Leia mais

Divulgação de Resultados 1T15

Divulgação de Resultados 1T15 São Paulo - SP, 06 de Maio de 2015. A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private equity

Leia mais

1. COMISSÃO EXECUTIVA DE RECURSOS HUMANOS

1. COMISSÃO EXECUTIVA DE RECURSOS HUMANOS Governança Corporativa se faz com Estruturas O Itaú se orgulha de ser um banco essencialmente colegiado. A Diretoria atua de forma integrada e as decisões são tomadas em conjunto, buscando sempre o consenso

Leia mais

Teleconferência Resultados 3T10

Teleconferência Resultados 3T10 Teleconferência Resultados 3T10 Sexta-feira, 5 de Novembro de 2010 Horário: 14:00 (horário de Brasília) 12:00 (horário US EDT) Tel: + 55 (11) 4688-6361 Código: LASA Replay: + 55 (11) 4688-6312 Código:

Leia mais

Resultado da Oferta Pública Voluntária de Permuta. Novembro de 2014

Resultado da Oferta Pública Voluntária de Permuta. Novembro de 2014 Resultado da Oferta Pública Voluntária de Permuta Novembro de 2014 OFERTA VOLUNTÁRIA DE PERMUTA DE AÇÕES No dia 30 de outubro realizamos o leilão da oferta voluntária. A adesão dos minoritários do Santander

Leia mais

Agência Bradesco Praça Panamericana

Agência Bradesco Praça Panamericana Agência Bradesco Praça Panamericana Presença em todos os municípios brasileiros A B C D E 03 Crescimento Orgânico dos Canais de Distribuição 4.634 4.650 3.160 3.359 3.454 3.628 2007 2008 2009 2010 2011

Leia mais

Demonstrações Financeiras

Demonstrações Financeiras Demonstrações Financeiras Junho 2015 1 SUMÁRIO ANÁLISE DE DESEMPENHO... 4 SUMÁRIO EXECUTIVO 1S15... 6 MERCADO COMPETITIVO... 8 MARGEM ANALÍTICA... 9 Desempenho da Intermediação Financeira... 9 Variações

Leia mais

Panorama do Mercado de Crédito

Panorama do Mercado de Crédito Panorama do Mercado de Crédito FEBRABAN Dezembro de 2011 Rubens Sardenberg Economista-chefe ÍNDICE I. Evolução do Crédito II. Pessoa Física III. Pessoa Jurídica IV. Inadimplência V. Spread VI. Projeções

Leia mais

Encontro de Bancos Centrais de países de língua portuguesa

Encontro de Bancos Centrais de países de língua portuguesa Encontro de Bancos Centrais de países de língua portuguesa Antônio Gustavo Matos do Vale Diretor de Liquidações e Desestatização 4 de outubro de 2010 1 Evolução recente da economia brasileira O momento

Leia mais

Portal de Informações FEBRABAN. Módulo I Crédito

Portal de Informações FEBRABAN. Módulo I Crédito Portal de Informações FEBRABAN Módulo I Crédito Módulo de dados I: Crédito Sumário Este módulo de dados abrange as operações de crédito com recursos livres e direcionados (taxas de juros administradas)

Leia mais

Sistema Financeiro e os Fundamentos para o Crescimento

Sistema Financeiro e os Fundamentos para o Crescimento Sistema Financeiro e os Fundamentos para o Crescimento Henrique de Campos Meirelles Novembro de 20 1 Fundamentos macroeconômicos sólidos e medidas anti-crise 2 % a.a. Inflação na meta 8 6 metas cumpridas

Leia mais

Teleconferência de Resultados 1T15. 8 de maio de 2015. Magazine Luiza

Teleconferência de Resultados 1T15. 8 de maio de 2015. Magazine Luiza Teleconferência de Resultados 8 de maio de 2015 Magazine Luiza Destaques do Vendas E-commerce Despesas Operacionais EBITDA Luizacred Lucro Líquido Ganhos de market share, principalmente em tecnologia Receita

Leia mais

Divulgação de Resultados 1T14

Divulgação de Resultados 1T14 Divulgação de Resultados 1T14 A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private-equity ( Fundos

Leia mais

SPREAD BANCÁRIO NO BRASIL

SPREAD BANCÁRIO NO BRASIL SPREAD BANCÁRIO NO BRASIL Comissão de Acompanhamento da Crise Financeira e da Empregabilidade 26 DE MARÇO DE 2009 Fábio Colletti Barbosa Presidente ÍNDICE 1. A Crise Financeira Mundial 2. O Brasil, a Crise

Leia mais

Earnings Release 1s14

Earnings Release 1s14 Earnings Release 1s14 1 Belo Horizonte, 26 de agosto de 2014 O Banco Bonsucesso S.A. ( Banco Bonsucesso, Bonsucesso ou Banco ), Banco múltiplo, de capital privado, com atuação em todo o território brasileiro

Leia mais

INDICADORES DE DESEMPENHO PARA AUDITORIA INTERNA EM UM CENÁRIO DE CRISE ANTONIO EDSON MACIEL DOS SANTOS IIA BRASIL

INDICADORES DE DESEMPENHO PARA AUDITORIA INTERNA EM UM CENÁRIO DE CRISE ANTONIO EDSON MACIEL DOS SANTOS IIA BRASIL INDICADORES DE DESEMPENHO PARA AUDITORIA INTERNA EM UM CENÁRIO DE CRISE ANTONIO EDSON MACIEL DOS SANTOS IIA BRASIL Diga-me como me medes que eu te digo como me comportarei Eliyahu Goldtratt Agenda Alinhamento

Leia mais

Teleconferência Resultados 1T10

Teleconferência Resultados 1T10 Teleconferência Resultados 1T10 18 de maio de 2010 Visão Geral da Administração Venda da estrutura de Varejo + Foco no segmento de crédito a Empresas Transferência das atividades de originação e crédito

Leia mais

Sexta-feira 14.05.2010 Divulgação do Resultado do Primeiro Trimestre de 2010

Sexta-feira 14.05.2010 Divulgação do Resultado do Primeiro Trimestre de 2010 Press Release 9 Bovespa: BRSR3, BRSR5, BRSR6 Este Press Release pode conter informações sobre eventos futuros. Tais informações não seriam apenas fatos históricos, mas refletiriam os desejos e as expectativas

Leia mais

Divulgação de Resultados 2014

Divulgação de Resultados 2014 São Paulo - SP, 10 de Fevereiro de 2015. A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private-equity

Leia mais

Ciclo Apimec 2014. Itaú Unibanco Holding S.A. Fernando Foz de Macedo Relações com Investidores PF Vitória 25 de setembro de 2014

Ciclo Apimec 2014. Itaú Unibanco Holding S.A. Fernando Foz de Macedo Relações com Investidores PF Vitória 25 de setembro de 2014 1 Ciclo Apimec 2014 Itaú Unibanco Holding S.A. Fernando Foz de Macedo Relações com Investidores PF Vitória 25 de setembro de 2014 Ciclo Ciclo Apimec 2014 2014 Itaú Itaú Unibanco Unibanco Holding Holding

Leia mais

HSM EXPOMANAGEMENT 2014 Mercado de Capitais e Direito Internacional PAINEL 5

HSM EXPOMANAGEMENT 2014 Mercado de Capitais e Direito Internacional PAINEL 5 HSM EXPOMANAGEMENT 2014 Mercado de Capitais e Direito Internacional PAINEL 5 ACESSO DAS EMPRESAS AO MERCADO DE CAPITAIS 04 DE NOVEMBRO DE 2014 INSTITUTO IBMEC MERCADO DE CAPITAIS CEMEC Centro de Estudos

Leia mais

DESEMPENHO SOCIOAMBIENTAL

DESEMPENHO SOCIOAMBIENTAL DESEMPENHO SOCIOAMBIENTAL 3T11 Sumário Sumário...1 Índice de Tabelas...2 Índice de Figuras...3 Desempenho Socioambiental...4 Negócios com Ênfase Socioambiental...5 Ecoeficiência...7 Relações com Funcionários...9

Leia mais

IVANI BENAZZI DE ANDRADE. Gerente Departamental de Relações com o Mercado

IVANI BENAZZI DE ANDRADE. Gerente Departamental de Relações com o Mercado Apimec Bradesco IVANI BENAZZI DE ANDRADE Gerente Departamental de Relações com o Mercado Estratégia de Sustentabilidade Para um maior alinhamento com o mercado e para facilitar a compreensão do tema, as

Leia mais

Teleconferência Resultado 2T2013 13/08/2013

Teleconferência Resultado 2T2013 13/08/2013 Teleconferência Resultado 2T2013 13/08/2013 BB Seguridade S.A. Resultado do 2º Trimestre de 2013 Aviso Importante Esta apresentação faz referências e declarações sobre expectativas, sinergias planejadas,

Leia mais

Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006.

Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006. Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006. São Paulo, 28 de fevereiro de 2007 - A Porto Seguro S.A. (Bovespa: PSSA3) anuncia seu resultado

Leia mais

DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DO 1T15

DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DO 1T15 Relações com Investidores DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DO 1T15 Apresentação: José Rubens de la Rosa CEO José Antonio Valiati CFO & Diretor de Relações com Investidores Thiago Deiro Gerente Financeiro & de

Leia mais

7 a Conferência Brasil Anual Santander Banespa. 21 e 22 de agosto de 2006

7 a Conferência Brasil Anual Santander Banespa. 21 e 22 de agosto de 2006 7 a Conferência Brasil Anual Santander Banespa 21 e 22 de agosto de 2006 1 Considerações Futuras Esta apresentação contém considerações futuras referentes às perspectivas do negócio, estimativas de resultados

Leia mais

Teleconferência de Resultados 1T14 8 de maio de 2014

Teleconferência de Resultados 1T14 8 de maio de 2014 Teleconferência de Resultados 8 de maio de 2014 Destaques do Expressivo crescimento em vendas mesmas lojas (25,4%) com rentabilidade Crescimento da receita líquida total: 28,5% versus 1T13 R$2,3 bilhões

Leia mais

Contax. Operação com Portugal Telecom e Dedic GPTI. Janeiro de 2011

Contax. Operação com Portugal Telecom e Dedic GPTI. Janeiro de 2011 Contax Operação com Portugal Telecom e Dedic GPTI Janeiro de 2011 SEÇÃO 1 Racional da Transação 2 A Líder no Mercado de Contact Center no Brasil A Contax Líder no mercado com ampla base de clientes Fundada

Leia mais

PERFIL CORPORATIVO S E R V I Ç O S C R É D I T O. Crédito Imobiliário. Conta Corrente Digital Intermedium. Crédito Pessoal. Seguros.

PERFIL CORPORATIVO S E R V I Ç O S C R É D I T O. Crédito Imobiliário. Conta Corrente Digital Intermedium. Crédito Pessoal. Seguros. 3 trimestre de 2015 PERFIL CORPORATIVO Banco múltiplo privado com 21 anos de experiência no mercado financeiro. Sólida estrutura de capital e administração conservadora. Atuação em operações de: Core Business

Leia mais

A Importância do Mercado Secundário

A Importância do Mercado Secundário A Importância do Mercado Secundário Apresentação ao Conselho Superior de Estudos Avançados CONSEA da FIESP Agosto / 2015 Agosto/2015 Confidencial Restrita Confidencial Uso Interno X Público 1 Sobre a BM&FBOVESPA

Leia mais

1 - Estrutura do Sistema Financeiro Nacional: 2 - Sistema de Seguros Privados e Previdência Complementar:

1 - Estrutura do Sistema Financeiro Nacional: 2 - Sistema de Seguros Privados e Previdência Complementar: EDITAL 2012 1 - Estrutura do Sistema Financeiro Nacional: Conselho Monetário Nacional; Banco Central do Brasil; Comissão de Valores Mobiliários; Conselho de Recursos do Sistema Financeiro Nacional; bancos

Leia mais

Política de Gerenciamento de Riscos Financeiros Endesa Brasil

Política de Gerenciamento de Riscos Financeiros Endesa Brasil Política de Gerenciamento de Riscos Financeiros Endesa Brasil Objeto Estabelecer uma política adequada de gerenciamento de riscos financeiros, de modo a resguardar as empresas do grupo Endesa Brasil de

Leia mais

Apresentação dos Resultados 3T06

Apresentação dos Resultados 3T06 Apresentação dos Resultados 3T06 Aviso Legal Esta apresentação contém considerações futuras referentes às perspectivas do negócio, estimativas de resultados operacionais e financeiros, e às perspectivas

Leia mais

Teleconferência de Resultados 2014 e 4T14. 27 de fevereiro de 2015. Magazine Luiza

Teleconferência de Resultados 2014 e 4T14. 27 de fevereiro de 2015. Magazine Luiza Teleconferência de Resultados 2014 e 4T14 27 de fevereiro de 2015 Magazine Luiza Destaques 2014 Vendas E-commerce Despesas Operacionais EBITDA Ajustado Luizacred Lucro Líquido Ajustado Crescimento da receita

Leia mais

D e m o n s t r a ç õ e s F i n a n c e i r a s F i n a n c i a l S t a t e m e n t s Dezembro 2 0 1 1 December, 2 0 1 1

D e m o n s t r a ç õ e s F i n a n c e i r a s F i n a n c i a l S t a t e m e n t s Dezembro 2 0 1 1 December, 2 0 1 1 Demonstrações Financeiras Dezembro 2 0 1 1 Mensagem do Presidente 2011 Um ano de grandes desafios! No âmbito externo, a instabilidade financeira global aprofundou-se e, ainda que as economias doméstica

Leia mais

Seminário Setorial de Construção Civil APIMEC SUL. Outubro de 2010

Seminário Setorial de Construção Civil APIMEC SUL. Outubro de 2010 Seminário Setorial de Construção Civil APIMEC SUL Outubro de 2010 Aviso Esta apresentação contém declarações prospectivas. Tais informações não são apenas fatos históricos, mas refletem as metas e as expectativas

Leia mais

TELECONFERÊNCIA DE RESULTADOS 1T15

TELECONFERÊNCIA DE RESULTADOS 1T15 TELECONFERÊNCIA DE RESULTADOS 1T15 RESULTADOS FINANCEIROS CONSOLIDADOS RECEITA LÍQUIDA 300,1 361,1 20,3% EBITDA AJUSTADO 56,5 68,7 21,6% MARGEM EBITDA AJUSTADO 1 17,9% 18,4% 0,5 p.p. LUCRO LÍQUIDO AJUSTADO

Leia mais

Boletim Econômico Edição nº 89 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico

Boletim Econômico Edição nº 89 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Boletim Econômico Edição nº 89 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Crise não afeta lucratividade dos principais bancos no Brasil 1 Lucro dos maiores bancos privados

Leia mais

A importância dos Fundos de Investimento no Financiamento de Empresas e Projetos

A importância dos Fundos de Investimento no Financiamento de Empresas e Projetos A importância dos Fundos de Investimento no Financiamento de Empresas e Projetos A Importância dos Fundos de Investimento no Financiamento de Empresas e Projetos Prof. William Eid Junior Professor Titular

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 5 Balanço Patrimonial Passivo 9 Demonstração do Resultado 12 Demonstração do Resultado

Leia mais

Especial Lucro dos Bancos

Especial Lucro dos Bancos Boletim Econômico Edição nº 90 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Especial Lucro dos Bancos 1 Tabela dos Lucros em 2014 Ano Banco Período Lucro 2 0 1 4 Itaú Unibanco

Leia mais

Indicadores do Segmento Bancário. Março 2013

Indicadores do Segmento Bancário. Março 2013 Indicadores do Segmento Bancário Março 2013 Indicadores do segmento bancário O ambiente atual que permeia a indústria bancária, caracterizado pelo acirramento da concorrência, estreitamento de margens,

Leia mais

APRESENTAÇÃO CORPORATIVA

APRESENTAÇÃO CORPORATIVA APRESENTAÇÃO CORPORATIVA Julho 2009 Apoio Corporativo Áreas de Atuação Companhias Abertas 65,5% Incorporação 5,8% Aço 28,4% Energia Geração & Distribuição 68 anos de operação; Liderança em diversos mercados;

Leia mais

Apresentação da Companhia. Setembro de 2010

Apresentação da Companhia. Setembro de 2010 Apresentação da Companhia Setembro de 2010 Comprovada capacidade de execução Visão geral da Inpar Empreendimentos por segmento (1) Modelo de negócios integrado (incorporação, construção e venda) Comercial

Leia mais

Juiz de Fora, 02 de abril de 2009

Juiz de Fora, 02 de abril de 2009 Juiz de Fora, 02 de abril de 2009 1 2 3 4 5 6 7 Cenário Econômico Principais Destaques Estrutura Foco no Acionista Desempenho Perspectivas Sustentabilidade PIB Brasileiro % 5,4 7,8 7,5 Média dos 20 anos

Leia mais

Teleconferência de Resultados 2T15. 31 de julho de 2015. Magazine Luiza

Teleconferência de Resultados 2T15. 31 de julho de 2015. Magazine Luiza Teleconferência de Resultados 2T15 31 de julho de 2015 Magazine Luiza Destaques do 2T15 Vendas E-commerce Ganho consistente de participação de mercado Redução na receita líquida de 10,1% para R$2,1 bilhões

Leia mais

SEMINÁRIO NOVA LEI GERAL DE SEGUROS

SEMINÁRIO NOVA LEI GERAL DE SEGUROS SEMINÁRIO NOVA LEI GERAL DE SEGUROS Marco Antonio Rossi Presidente da Fenaprevi Presidente da Bradesco Seguros Agenda Mercado Segurador Nacional Os direitos dos Segurados e Participantes Legislação O Brasil

Leia mais

Visão. O papel anticíclico do BNDES e sua contribuição para conter a demanda agregada. do Desenvolvimento. nº 96 29 jul 2011

Visão. O papel anticíclico do BNDES e sua contribuição para conter a demanda agregada. do Desenvolvimento. nº 96 29 jul 2011 Visão do Desenvolvimento nº 96 29 jul 2011 O papel anticíclico do BNDES e sua contribuição para conter a demanda agregada Por Fernando Puga e Gilberto Borça Jr. Economistas da APE BNDES vem auxiliando

Leia mais

2.7 Financiamento. Por que Financiamento? Comparação Internacional. Visão 2022

2.7 Financiamento. Por que Financiamento? Comparação Internacional. Visão 2022 2.7 Financiamento Por que Financiamento? O ritmo de crescimento de uma economia e a competitividade da sua indústria dependem da disponibilidade de recursos para investimento e da capacidade do sistema

Leia mais

Taking ESG into account Podemos evoluir para uma Economia Sustentável

Taking ESG into account Podemos evoluir para uma Economia Sustentável Taking ESG into account Podemos evoluir para uma Economia Sustentável Investimentos Sustentáveis - O que é material para a análise e decisão de investimentos? Dos princípios aos indicadores chaves de performance

Leia mais

Teleconferência de Resultados 4T09

Teleconferência de Resultados 4T09 Teleconferência de Resultados 4T09 Índice Comentários de Mercado Pág. 3 Qualidade da Carteira de Crédito Pág. 10 Liquidez Pág. 4 Índice de Eficiência Pág. 14 Funding e Carteira de Crédito Pág. 5 Rentabilidade

Leia mais

DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DO 3T14

DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DO 3T14 Relações com Investidores DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DO 3T14 Apresentação: José Rubens de la Rosa CEO José Antonio Valiati CFO & Diretor de Relações com Investidores Thiago A. Deiro Gerente Financeiro &

Leia mais

Resultados 2T12 FLRY 3. Agosto / 2012

Resultados 2T12 FLRY 3. Agosto / 2012 Resultados 2T12 FLRY 3 Agosto / 2012 TODOS OS DIREITOS RESERVADOS 2012 Aviso Legal Esta apresentação pode conter informações sobre eventos futuros. Tais informações não seriam apenas fatos históricos,

Leia mais

Análise de Desempenho

Análise de Desempenho Análise de Desempenho APRESENTAMOS A ANÁLISE DE DESEMPENHO DO BANCO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL S.A. RELATIVA AO QUARTO TRIMESTRE E AO EXERCÍCIO DE 2009. Sumário Análise de Desempenho... 1 Destaques

Leia mais

Painel IV: Panorama do Crédito no Banco do Brasil. Ary Joel de Abreu Lanzarin Diretor de Micro e Pequenas Empresas

Painel IV: Panorama do Crédito no Banco do Brasil. Ary Joel de Abreu Lanzarin Diretor de Micro e Pequenas Empresas Painel IV: Panorama do Crédito no Banco do Brasil Ary Joel de Abreu Lanzarin Diretor de Micro e Pequenas Empresas As diretrizes estratégicas dão foco ao negócio Perspectivas Simplificar e agilizar a utilização

Leia mais

SeminárioADI-2012. Inclusão financeira inovação para as MPE s

SeminárioADI-2012. Inclusão financeira inovação para as MPE s SeminárioADI-2012 Inclusão financeira inovação para as MPE s Guilherme Lacerda Diretor de Infraestrutura Social, Meio Ambiente, Agropecuária e Inclusão Social Barcelona Outubro 2012 1. Diagnóstico Não

Leia mais

Ministério da Fazenda. Conferência Internacional de Crédito Imobiliário Salvador - Bahia

Ministério da Fazenda. Conferência Internacional de Crédito Imobiliário Salvador - Bahia Conferência Internacional de Crédito Imobiliário Salvador - Bahia Novembro 2007 1 Política Governamental e Propostas para Combate do Déficit Habitacional Crédito Imobiliário: Desenvolvendo Mecanismos de

Leia mais

9) Política de Investimentos

9) Política de Investimentos 9) Política de Investimentos Política e Diretrizes de Investimentos 2010 Plano de Benefícios 1 Segmentos Macroalocação 2010 Renda Variável 60,2% 64,4% 28,7% 34,0% Imóveis 2,4% 3,0% Operações com Participantes

Leia mais

Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social Outubro 2009

Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social Outubro 2009 Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social Outubro 2009 BH COPA 2014 Agenda Resumo Institucional Os Projetos que Apoiamos Formas de Atuação Condições de Financiamento Fechamento Agenda Resumo

Leia mais

Grupo Citi no Brasil

Grupo Citi no Brasil Crédito Consignado Grupo Citi no Brasil Grupo Citi no Brasil Segmento voltado a pessoas físicas e pequenas empresas, com variada gama de produtos e serviços diferenciados. Atendimento exclusivo a pessoas

Leia mais

APRESENTAÇÃO APIMEC RELAÇÕES COM INVESTIDORES

APRESENTAÇÃO APIMEC RELAÇÕES COM INVESTIDORES APRESENTAÇÃO APIMEC RELAÇÕES COM INVESTIDORES Dezembro, 2010 ESTÁCIO: BREVE HISTÓRICO Crescimento orgânico N de estudantes (mil) Crescimento anual Consolidação para a liderança nacional 2005 2007: transformação

Leia mais

I. AMBIENTE DE MERCADO II. RESULTADOS III. NOVOS PROJETOS UTVM IV. NOVOS PROJETOS UF

I. AMBIENTE DE MERCADO II. RESULTADOS III. NOVOS PROJETOS UTVM IV. NOVOS PROJETOS UF 1 I. AMBIENTE DE MERCADO II. RESULTADOS III. NOVOS PROJETOS UTVM IV. NOVOS PROJETOS UF 2 Crédito ainda em Expansão, mas Desacelerando 30,7% Crescimento do Crédito 15,1% 20,6% 18,8% 16,4% 14,7% 11,7% 2008

Leia mais

em 215% que estão Teleconferência milhões. As Terça Feira, 13 de Data: de de 27,0%

em 215% que estão Teleconferência milhões. As Terça Feira, 13 de Data: de de 27,0% Lucro Líquido Aumenta em 215% Comparado ao Mesmo Período de 2006 Portoo Alegre, 12 de novembro de O Banco do Estado do Rio Grande do Sul S. A. ( Banrisul ) (Bovespa: BRSR3; BRSR5; BRSR6), instituição financeira

Leia mais

2005 Corretora em Nova York. Diversificação do portfólio. 2007 Expansão em Investment Bank, Consignado e Cartões. Estrutura acionária 3

2005 Corretora em Nova York. Diversificação do portfólio. 2007 Expansão em Investment Bank, Consignado e Cartões. Estrutura acionária 3 VISÃO GERAL - 2T5 Histórico 99 Início das operações como banco múltiplo 2002 Agência em Nassau 2005 Corretora em Nova York 2009 Início da parceria estratégica com o Banco do Brasil 205 BV Promotora (Consignado

Leia mais

CSU CARDSYSTEM SA. investidorescsu@csu.com.br

CSU CARDSYSTEM SA. investidorescsu@csu.com.br CSU CARDSYSTEM SA investidorescsu@csu.com.br 2 Considerações Iniciais Esta apresentação pode incluir declarações que representem expectativas sobre eventos ou resultados futuros de acordo com a regulamentação

Leia mais

Gerenciamento de Capital. Maio/2013

Gerenciamento de Capital. Maio/2013 Gerenciamento de Capital Maio/2013 Perfil do BANDES FOCO DE ATUAÇÃO: Interiorização do crédito Crédito para empreendedores de micro e pequenos negócios Fortalecer o crédito ao setor urbano Fortalecer a

Leia mais

Lucro Líquido Ajustado do BB atinge R$ 2,7 bilhões no 1T13

Lucro Líquido Ajustado do BB atinge R$ 2,7 bilhões no 1T13 Sumário do Resultado Resultado Lucro Líquido Ajustado do BB atinge R$ 2,7 bilhões no O Banco do Brasil apresentou lucro líquido ajustado, sem itens extraordinários, de R$ 2,7 bilhões no trimestre, desempenho

Leia mais

Bancos financiam crescentemente a produção

Bancos financiam crescentemente a produção Operações de Crédito do Sistema Financeiro Nota do dia 25 de julho de 2007 Fontes: Bacen, IBGE e CNI Elaboração: Febraban Bancos financiam crescentemente a produção Pessoa Jurídica O crédito destinado

Leia mais

VALORES COORPORATIVOS MISSÃO VISÃO. Oferecer soluções em seguros, atendendo as necessidades das cooperativas e do mercado em geral.

VALORES COORPORATIVOS MISSÃO VISÃO. Oferecer soluções em seguros, atendendo as necessidades das cooperativas e do mercado em geral. EMPRESA MISSÃO Oferecer soluções em seguros, atendendo as necessidades das cooperativas e do mercado em geral. VISÃO Ser reconhecida como uma empresa do sistema cooperativo com excelência em seguros. VALORES

Leia mais

O BANCO QUE ACREDITA NAS PESSOAS ONDE QUER QUE ELAS ESTEJAM

O BANCO QUE ACREDITA NAS PESSOAS ONDE QUER QUE ELAS ESTEJAM O BANCO QUE ACREDITA NAS PESSOAS ONDE QUER QUE ELAS ESTEJAM 1861 1889 1934 1970 1976 1980 1997 2005 Fundada em 1861, a CAIXA ECONÔMICA FEDERAL é o principal agente de programas do governo federal e políticas

Leia mais

SINDICATO DOS BANCÁRIOS DE BRASÍLIA PÚBLICA

SINDICATO DOS BANCÁRIOS DE BRASÍLIA PÚBLICA SINDICATO DOS BANCÁRIOS DE BRASÍLIA PÚBLICA 2 Caixa, patrimônio dos brasileiros. Caixa 100% pública! O processo de abertura do capital da Caixa Econômica Federal não interessa aos trabalhadores e à população

Leia mais

EMPRESAS BRADESCO SEGUROS, PREVIDÊNCIA E CAPITALIZAÇÃO

EMPRESAS BRADESCO SEGUROS, PREVIDÊNCIA E CAPITALIZAÇÃO L2 0 0 6 R E L AT Ó R I O A N U A EMPRESAS BRADESCO SEGUROS, PREVIDÊNCIA E CAPITALIZAÇÃO Prêmio de Seguros Participação no Mercado (em %) Mercado 74,2% Fonte: Susep e ANS Base: Nov/2006 Bradesco 25,8%

Leia mais

BNDES Prosoft. Programa BNDES para o Desenvolvimento da Indústria Nacional de Software e Serviços de Tecnologia da Informação

BNDES Prosoft. Programa BNDES para o Desenvolvimento da Indústria Nacional de Software e Serviços de Tecnologia da Informação BNDES Prosoft Programa BNDES para o Desenvolvimento da Indústria Nacional de Software e Serviços de Tecnologia da Informação Objetivo - Contribuir para o desenvolvimento da indústria nacional de software

Leia mais

Planejamento e Controle do Lucro Empresas de Pequeno e Médio Porte

Planejamento e Controle do Lucro Empresas de Pequeno e Médio Porte Planejamento e Controle do Lucro Empresas de Pequeno e Médio Porte Profa. Dariane Reis Fraga Castanheira darianer@fia.com.br www.fia.com.br/proced Profa. Dariane Reis Fraga Castanheira 1 Objetivo Planejamento

Leia mais

CENTRO DE ESTUDOS DE MERCADO DE CAPITAIS CEMEC INFORMATIVO CEMEC MENSAL - POUPANÇA FINANCEIRA. Outubro

CENTRO DE ESTUDOS DE MERCADO DE CAPITAIS CEMEC INFORMATIVO CEMEC MENSAL - POUPANÇA FINANCEIRA. Outubro CENTRO DE ESTUDOS DE MERCADO DE CAPITAIS CEMEC CENTRO DE ESTUDOS DE MERCADO DE CAPITAIS INFORMATIVO CEMEC MENSAL - POUPANÇA FINANCEIRA Outubro 2011 ÍNDICE 1. Objetivo do Relatório... 3 1. Análise da Poupança

Leia mais

FUNCEF DIRETORIA DE INVESTIMENTOS

FUNCEF DIRETORIA DE INVESTIMENTOS FUNCEF DIRETORIA DE INVESTIMENTOS Brasília 26/03/2015 2 Recebimento de contribuições: R$ 1.746 milhões; Pagamento de benefícios e pensões: R$ 2.086 milhões; Participantes: 137,0 mil ativos e assistidos;

Leia mais

BUSINESS TO WORLD COMPANHIA GLOBAL DO VAREJO

BUSINESS TO WORLD COMPANHIA GLOBAL DO VAREJO BUSINESS TO WORLD COMPANHIA GLOBAL DO VAREJO Teleconferência e Webcast de Resultados Sexta-feira, 5 de novembro de 2010 Horário: 12:00 p.m. (Brasil) 10:00 a.m. (US EDT) Telefone: +55 (11) 4688.6361 Código:

Leia mais