UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS DA TERRA E DO MAR CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS DA TERRA E DO MAR CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS DA TERRA E DO MAR CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO FERRAMENTA DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS EM LOGÍSTICA Área de Sistemas de Informação por Rodrigo Victorino Luis Carlos Martins, Esp. Orientador Fábio Beylouni Lavratti, Mestre. Co-orientador Itajaí (SC), dezembro de 2005

2 UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS DA TERRA E DO MAR CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO FERRAMENTE DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS EM LOGÍSTICA Área de Sistemas de Informação por Rodrigo Victorino Relatório apresentado à Banca Examinadora do Trabalho de Conclusão do Curso de Ciência da Computação para análise e aprovação. Orientador: Luis Carlos Martins, Esp. Itajaí (SC), dezembro de 2005 i

3 SUMÁRIO LISTA DE ABREVIATURAS...iv LISTA DE FIGURAS...v LISTA DE TABELAS...vi RESUMO... vii ABSTRACT... viii 1. INTRODUÇÃO OBJETIVOS Objetivo Geral Objetivos Específicos METODOLOGIA ESTRUTURA DO TRABALHO FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA LOGÍSTICA Evolução da Logística GERENCIAMENTO DE PROJETOS A Evolução do Gerenciamento de Projetos Características do Gerenciamento de Projetos O Ciclo de Vida do Projeto A KOBATECH Histórico Mercado Estrutura dos Projetos SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Groupware FERRAMENTAS PHP Firebird SOLUÇÕES SIMILARES Análise Comparativa DESENVOLVIMENTO ANÁLISE DE REQUISITOS Requisitos funcionais Requisitos não funcionais DIAGRAMA USE CASE DIAGRAMA ENTIDADE-RELACIONAMENTO Dicionário de Dados IMPLEMENTAÇÃO...61

4 Firebird Sistema VALIDAÇÃO E PLANEJAMENTO PARA IMPLANTAÇÃO CONSIDERAÇÕES FINAIS...84 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS...86 APÊNDICE a modelagem use case...89 APÊNDICE B Artigo iii

5 LISTA DE ABREVIATURAS ANSI CPM DER GTK HTML MDS PERT/CPM PHP PMBOK PMI PMP POO SCM SGBD SQL URL WMS American National Standards Institute Critical Path Method Diagrama Entidade-Relacionamento Gimp ToolKit HyperText Markup Language Metodologias de Desenvolvimento de Sistemas Program Evaluation and Review Tecnique / Critical Path Method Hypertext Preprocessor Project Management Body of Knowledge Project Management Institute Project Management Professional Programação Orientada à Objetos Supply Chain Management Sistema Gerenciador de Banco de Dados Structured Query Language Universal Resource Locator Warehouse Management System

6 LISTA DE FIGURAS Figura 1. Níveis da cadeia de suprimentos Figura 2. Processo genérico de benchmarking Figura 3. Primeira Fase da Logística Figura 4. Modelo Use Case Figura 5. Modelo ER Figura 6. Script de criação da trigger T_Projeto Figura 7. Script de criação da trigger T_Atividade Figura 8. Tela de cadastro de empresa Figura 9. Tela de cadastro de projeto Figura 10. Tela de preenchimento do diagnóstico inicial Figura 11. Tela de exibição do gráfico de Gantt Figura 12. Tela de exibição de indicadores do planejamento Figura 13. Tela de indicadores do diagnóstico final Figura 14. Tela de indicadores do diagnóstico geral Figura 15. Tela de realização da auditoria Figura 16. Tela de acompanhamento das atividades do usuário Figura 17. Tela de acesso ao fórum dos projetos Figura 18. Tela das mensagens do fórum Figura 19. Tela de cadastro de diagnóstico Figura 20. Tela de cadastro de nível de acesso Figura 21. Tela de cadastro de usuário Figura 22. Tela de filtro para o relatório de atividades Figura 23. Tela de exibição do relatório de atividade Figura 24. Tela de filtro para o relatório de diagnóstico Figura 25. Tela de impressão do diagnóstico Figura 26. Gráfico de Respostas do Formulário de Validação... 83

7 LISTA DE TABELAS Tabela 1. Habilidades do Gerente de Projeto Tabela 2. Análise Comparativa das Soluções Similares Tabela 3. Atributos da Tabela Empresa Tabela 4. Atributos da Tabela Segmento_padrao Tabela 5. Atributos da Tabela Segmento Tabela 6. Atributos da Tabela Sistema_padrao Tabela 7. Atributos da Tabela Sistema Tabela 8. Atributos da Tabela Setor_padrao Tabela 9. Atributos da Tabela Setor Tabela 10. Atributos da Tabela Projeto Tabela 11. Atributos da Tabela Auditoria Tabela 12. Atributos da Tabela Fase Tabela 13. Atributos da Tabela Atividade Tabela 14. Atributos da Tabela Predecessor Tabela 15. Atributos da Tabela Anexo Tabela 16. Atributos da Tabela Recurso Tabela 17. Atributos da Tabela Atividade_recurso Tabela 18. Atributos da Tabela Plano_acao Tabela 19. Atributos da Tabela Relatorio_acompanhamento Tabela 20. Atributos da Tabela Diagnostico Tabela 21. Atributos da Tabela Diagnostico_padrao Tabela 22. Atributos da Tabela Resp_diagnostico Tabela 23. Atributos da Tabela Atividade_rel_desp Tabela 24. Atributos da Tabela Relatorio_despesa Tabela 25. Atributos da Tabela Pessoa Tabela 26. Atributos da Tabela Atividade_pessoa Tabela 27. Atributos da Tabela Acesso Tabela 28. Atributos da Tabela Forum Tabela 29. Atributos da Tabela Tipo Tabela 30. Atributos da Tabela Estado Tabela 31. Formulário de Validação Tabela 32. Análise Comparativa da Ferramenta Desenvolvida... 83

8 RESUMO VICTORINO, Rodrigo. Ferramenta de Gerenciamento de Projetos em Logística. Itajaí, f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciência da Computação) Centro de Ciências Tecnológicas da Terra e do Mar, Universidade do Vale do Itajaí, Itajaí, As empresas, independentemente do ramo de atuação, necessitam de um processo logístico bem estruturado e eficiente para dar suporte aos seus negócios e otimizar os recursos. É nesse contexto que surgiram empresas especializadas na prestação de serviços, atuando na estruturação logística empresarial. Empresas desse gênero, quando contratadas, analisam os processos atuais do cliente e modelam um projeto de logística. Cada projeto possui uma peculiaridade e, normalmente, são feitos e executados por várias pessoas, denominados consultores. Muitas vezes, o mesmo consultor gerencia ou executa diversos projetos, dificultando assim o acompanhamento de todos paralelamente. Geralmente, os clientes estão geograficamente distantes, necessitando que o consultor se desloque constantemente. Levando em consideração as dificuldades dos consultores, o processo decisório é prejudicado pela falta de acompanhamento e comunicação das pessoas envolvidas no projeto, assim como pela insuficiência de dados estatísticos e indicadores. Sendo assim, este projeto desenvolveu uma ferramenta, com características de sistemas de informação, para o mapeamento, controle e gerência desses projetos, possibilitando a tomada de decisão gerencial através dos dados oriundos de cada projeto. Assim, a gerência pode ser realizada de maneira mais efetiva, pois, a ferramenta propicia um melhor acompanhamento do cronograma do projeto e dos documentos produzidos. Essa ferramenta foi desenvolvida para o ambiente Web, utilizando a linguagem de programação PHP e o Sistema Gerenciador de Banco de Dados Firebird. A metodologia utilizada neste projeto compreendeu cinco etapas. Na primeira etapa, Estudo, buscou-se adquirir o conhecimento necessário sobre as soluções e tecnologias existentes, com o objetivo de poder propor uma melhor solução, mais adequada às necessidades identificadas. Na segunda etapa, Modelagem, foi especificado o funcionamento da solução proposta, criando-se um modelo conceitual do sistema. A terceira etapa, Desenvolvimento, visou transformar o modelo conceitual da etapa de modelagem em um sistema real, que foi posteriormente testado e validado. Essa etapa compreendeu principalmente a codificação dos processos descritos no projeto do sistema. Na quarta etapa, Validação, foram realizados experimentos e testes sobre a solução proposta, visando identificar e corrigir eventuais erros existentes no projeto ou na implementação. Na quinta etapa, Documentação, foi feita a elaboração da monografia do Trabalho de Conclusão de Curso. Palavras-chave: Sistemas de Informação. Gerência de Projetos. Logística.

9 ABSTRACT The companies, whatever the work field is, need an efficient and well done logistics process to give support to their business and improve resources. It's in this context that companies specialized in service rendering were founded, working within commercial logistics structure. Companies of these kind, when hired, analyze the current problems of the customers and set a logistics project. Each project has a peculiarity and, normally, are done and executed by several people, called advisers. Many times, the same adviser runs or executes several projects, making the projects accompaniment at the same time even more difficult. Generally, the customers are geographically distant to each other, having the need of a constant adviser's displacement. Considering the advisers difficulties, the decisive process is harmed by the lack of accompaniment and communication of the people involved in the project, as well as by the statistical and indicative data insufficiency. Therefore, this project intends to develop a tool, with data system characteristics, for the indication, control and administration of these projects, making possible management decisions using data from each project. So, the administration will be done in a more effective way, having the idea that the tool will supply a better accompaniment of the project and the produced documentation's chronogram. This tool will be developed for the Web environment, using the PHP programming language and the Firebird Database Management System. The methodology used in this project will include five stages. In the first stage, Studies, the necessary knowledge about the existent solutions and technologies will be obtained with the purpose of being able to propose a better solution, more adequate to the identified needs. In the second stage, Modeling, the working process of the solution proposed will be specified, creating a conceptual model of the system. The third stage, Development, intends to transform the conceptual model of the Modeling stage into a real system, which after will be tested and validated. This stage mainly includes the codification of the processes described in the project system. In the fourth stage, Validation, experiences and tests about the proposed solution will be made, aiming the identification and correction of eventual mistakes existent in the project or in the introduction. In the fifth stage, Documentation, the development of the Course Conclusion Work monograph will be done. Keywords: Information Systems. Project Management. Logistics.

10 1. INTRODUÇÃO O setor logístico é uma área que está em franco crescimento no Brasil, conforme descrito por Figueiredo et al (2003, p.48) "A logística no Brasil vem constituindo-se em um negócio de grandes proporções que evoluiu rapidamente nos últimos anos". As empresas, independentemente do ramo, sempre sentiram a necessidade de um processo logístico melhor estruturado, porém, foi na década passada, com o fortalecimento da informática, a globalização e o aumento da concorrência, que este se tornou imprescindível para o sucesso, sendo assim, evidenciado como fator de sobrevivência para uma empresa, principalmente se esta pertencer a um ramo onde é de extrema importância um processo logístico bem definido, como por exemplo, o ramo atacadista ou varejista. Normalmente, empresas recentemente criadas, ou mesmo, empresas com um certo tempo de mercado, não possuem uma boa estruturação logística, causado principalmente, pelo crescimento repentino, ou mesmo pela falta de organização interna da mesma. Assim, surge a necessidade urgente de uma estruturação para possibilitar a continuação do seu crescimento. Muitas procuram elas mesmas resolver seu problema, porém, geralmente, falta experiência, uma vez que não possuem bons profissionais, ou mesmo, esbarram na dificuldade da mudança de paradigma, pois toda mudança gera resistência por parte das pessoas envolvidas no processo. Analisando esse mercado, surgiram empresas, como a Kobatech - Assessoria Consultoria Industrial e Empresarial LTDA., especializadas na prestação de serviços atuando na estruturação logística empresarial. Essas empresas possuem como principal tarefa a reestruturação logística, tendo como conseqüência o aumento no lucro do cliente. Empresas desse gênero, quando contratadas, analisam os processos atuais do cliente e modelam um projeto de logística, o qual será implementado no mesmo. Cada projeto possui uma peculiaridade, dependendo do tipo e da necessidade do cliente. Normalmente, podem ser diferenciados por tipo de empresa, de acordo com a cadeia de suprimentos

11 como, por exemplo, atacado e distribuidor, indústria, varejo e serviços. Sendo assim, as atividades realizadas no projeto variam para cada tipo de empresa e de acordo com a necessidade do cliente. Esses projetos, normalmente, são feitos e executados por várias pessoas que possuem um conhecimento especializado de logística, denominados consultores, e muitas vezes, o mesmo consultor gerencia ou executa vários outros projetos, dificultando a gestão de todos paralelamente. Outro fator agravante é que, normalmente, os clientes não se localizam no mesmo município, e nem no mesmo estado, necessitando que o consultor desloque-se constantemente. Além dos consultores necessitarem de um processo gerencial mais aprimorado, permitindo realizar os planejamentos de cada projeto, é de extrema importância o controle do andamento de cada atividade, pois só assim, será possível garantir que o mesmo não irá ultrapassar os limites de tempo e custos alocados no planejamento. Esta tarefa é uma das principais dificuldades, uma vez que os consultores da Kobatech não possuem tempo disponível para realizarem reuniões periódicas, ou mesmo, porque participam efetivamente de vários projetos concomitantes. Um fator essencial para a permanência de uma empresa no mercado é o gerenciamento de seu negócio. Levando em consideração as dificuldades dos consultores, o processo decisório é prejudicado pela falta de acompanhamento, comunicação das pessoas envolvidas no projeto, insuficiência de dados estatísticos e indicadores. Esses entraves acabam prejudicando o controle eficiente e a execução desses projetos. Visando minimizar os problemas/dificuldades apresentados, desenvolveu-se uma ferramenta, com características de sistemas de informação, para o mapeamento, controle e gerência desses projetos, possibilitando a tomada de decisão gerencial através dos dados oriundos de cada projeto. Assim, a gerência poderá ser realizada de maneira mais efetiva, pois com a ferramenta é possível efetuar todo o cronograma do projeto até a sua conclusão, definindo as atividades e como as mesmas serão realizadas, permitindo assim, acompanhar o andamento do projeto, facilitando o gerenciamento dos mesmos. 2

12 A tomada de decisão é facilitada pelos dados provenientes da execução e conclusão de cada projeto, sendo possível gerar parâmetros para o planejamento de futuros trabalhos, uma vez que todos os projetos realizados estarão disponíveis para recuperação de dados e análise dos mesmos. Dessa forma, permitindo a comparação desses projetos através dos cronogramas, atividades, problemas e resultados alcançados, formando assim uma base de conhecimento, sendo de extrema importância para uma empresa que realiza projetos. Outra característica importante, além da base de conhecimento, foi a implementação na ferramenta de um módulo de Groupware para a colaboração e a comunicação entre as pessoas envolvidas no projeto, de forma que as mesmas, através de fóruns de discussão, possam interagir no processo. O Groupware tem como finalidade, facilitar a interação entre as pessoas envolvidas em uma atividade, vindo assim a atender uma das necessidades dos consultores. Existem vários softwares para gerência de projetos no mercado, um bom exemplo é o Microsoft Project, muito utilizado pelo fato de possuir vários recursos, porém ele abrange a gerência de projetos de uma forma geral, não atendendo especificamente as necessidades da Kobatech. Assim, o desenvolvimento de uma ferramenta de gerenciamento de projetos em logística, permitiu não somente o controle de cronograma, atividades e recursos, mas também, abrangeu módulos específicos para as outras etapas de um projeto logístico, permitindo a comparação e análise futura de projetos realizados. Levando em consideração as necessidades identificadas, a ferramenta, com características de sistema de informação, foi desenvolvida para o ambiente Web, pois assim facilitou a gerência dos projetos, uma vez que o sistema se torna acessível em qualquer lugar e a qualquer hora, possibilitando que todas as pessoas envolvidas possam acompanhar o andamento do projeto OBJETIVOS Objetivo Geral O objetivo geral deste trabalho de conclusão de curso foi desenvolver uma ferramenta, com características de sistema de informação, para o gerenciamento de projetos na área de logística, 3

13 possibilitando um controle mais efetivo das atividades dos projetos, bem como auxiliando a tomada de decisão gerencial com base em informações provenientes de cada projeto Objetivos Específicos Os objetivos específicos deste trabalho de conclusão de curso foram: Pesquisar e analisar soluções similares; Determinar os requisitos necessários para o sistema; Pesquisar os conceitos e tecnologias necessárias à implementação do sistema; Realizar a modelagem do sistema; Implementar o sistema; Testar e validar a utilidade/funcionalidade do sistema; e Documentar o desenvolvimento e os resultados do sistema METODOLOGIA Foram necessárias cinco etapas a fim de executar este projeto de pesquisa e cumprir os objetivos específicos apresentados anteriormente. São elas: estudo, modelagem, desenvolvimento, validação e documentação. As etapas de estudo e de modelagem foram efetivadas no TCC I, sendo que as etapas de desenvolvimento e validação foram efetivadas no TCC II. A etapa de documentação foi executada no TCC I e também no TCC II Etapa 1: Estudo. Essa etapa visou definir exatamente o tema/problema deste projeto e adquirir o conhecimento necessário sobre as soluções e tecnologias existentes com o objetivo de poder propor uma melhor solução, mais adequada e eficiente que as atuais. Levantamento dos requisitos exigidos pelo sistema: Inicialmente fez-se um estudo sobre logística, possibilitando um embasamento teórico necessário para o entendimento do desenvolvimento de projetos logísticos. Posteriormente foram realizadas entrevistas com 4

14 profissionais da área de logística, especializados no desenvolvimento de projetos, assim, possibilitou a definição dos requisitos desejáveis para o sistema. Pesquisa e análise das soluções similares: Os requisitos obtidos nas entrevistas foram confrontados com as características das soluções existentes identificadas. A pesquisa se deu através da Internet, utilizando sites de procura como o Google e Yahoo. A pesquisa iniciou-se com a busca de artigos científicos que referenciassem o desenvolvimento de produtos semelhantes. Posteriormente se estendeu a quaisquer sites, em português e inglês, que tratassem do assunto. A análise das informações encontradas considerou a procedência das mesmas, sua quantidade, relevância, características desejáveis e limitações relacionadas à aplicação desejada. A partir da análise de soluções similares, foram definidas algumas funcionalidades do projeto. Pesquisa dos conceitos e tecnologias necessários à implementação do sistema: A pesquisa compreendeu sistemas de informação, gerência de projetos, Logística, banco de dados e linguagem de programação para o ambiente Web. A pesquisa se realizou principalmente através de livros, artigos científicos e sites especializados. Estudo e aprendizagem das ferramentas computacionais necessárias à implementação do sistema: O estudo das ferramentas realizou-se na seguinte ordem: PHP, PSPad e FireBird, que correspondem, respectivamente, à linguagem de programação para Web, ferramenta de desenvolvimento de código e sistema gerenciador de banco de dados. O estudo enfocou a utilização das ferramentas e seus recursos. Etapa 2: Modelagem. Esta etapa visou especificar o funcionamento da solução proposta, sendo desenvolvido um modelo conceitual da mesma, compreendendo a Análise e o Projeto do sistema. Realização da Análise do sistema: A análise compreendeu o levantamento de requisitos e a especificação do sistema. Realização do Projeto do sistema: O Projeto seguiu a notação UML. Foi desenvolvido o Diagrama Use Case e o Diagrama Entidade-Relacionamento. Os Use Cases foram extraídos dos requisitos levantados. O projeto foi especificado de forma que atendesse completamente as especificações e análise. 5

15 Etapa 3: Desenvolvimento. Esta etapa visou transformar o modelo conceitual da etapa de modelagem em um sistema real, compreendendo principalmente a codificação dos processos descritos no Projeto do sistema. Implementar os componentes de software do sistema: A implementação dos componentes de software (processos) foi realizada utilizando a linguagem de programação PHP, e deve seguiu rigorosamente a Análise e Projeto realizados. Etapa 4: Validação. Nesta etapa estão sendo realizados experimentações e testes com a solução desenvolvida, com o objetivo de eliminar possíveis erros existentes em sua modelagem ou desenvolvimento. Os testes incluem a modelagem, o sistema desenvolvido, e a real utilidade dessa solução como meio eficiente para a gerência dos projetos. Realizar testes simulados de funcionamento do sistema: Os testes simulados foram realizados sendo feito a verificação isolada do funcionamento dos processos (procedimentos) implementados, analisando se os mesmos produziram os resultados esperados. Dessa forma, esses testes simularam todas as atividades de um profissional de logística utilizando o sistema. Realizar testes com o sistema em laboratório: Os testes deverão iniciar a partir da utilização efetiva do sistema com dados reais e simulados, de tal forma que seja possível avaliar a funcionalidade do sistema e corrigir eventuais falhas. Etapa 5: Documentação. Esta etapa visou deixar registrado todo o processo pertinente à pesquisa científica, desde a descrição do problema, a proposta de uma nova solução (modelagem), o desenvolvimento dessa solução, os testes e validação da nova solução e os resultados finais. A documentação deve permitir a outros pesquisadores reproduzir a nova solução e realizar os mesmos experimentos e testes feitos para sua validação. Redigir o texto do TCC I: A redação do TCC I foi realizada ao longo de todo o primeiro semestre de O objetivo do TCC I foi definir bem o tema/problema de pesquisa, justificar sua importância e abrangência, fornecer o referencial teórico, apresentar as soluções já existentes para o problema exposto e apresentar a solução proposta, no caso, a modelagem do sistema. 6

16 Redigir o texto do TCC II: A redação do TCC II foi realizada ao longo de todo o segundo semestre de O objetivo do TCC II foi documentar o desenvolvimento da solução desenvolvida, de forma que pudesse ser reproduzida por outros pesquisadores, apresentando assim a verificação e validação do projeto, e finalmente os resultados alcançados e as conclusões tiradas ESTRUTURA DO TRABALHO A fundamentação teórica deste TCC está dividida em seis seções principais, as quais são: Logística; Gerenciamento de Projetos; A Kobatech; Sistema de Informação; Ferramentas e Soluções Similares. A seção de Logística contextualiza a área de Logística atual, abordando inclusive o seu histórico. No Gerenciamento de Projetos é feita uma introdução através da sua evolução, abordando também suas características, bem como o ciclo de vida de um projeto. Na seção sobre a Kobatech é apresentada a empresa que serviu como base para estudo e modelagem da ferramenta, mostrando seu histórico, mercado e a estrutura de seus projetos. Na seção Sistemas de Informação é conceituado o tema e demonstrado sua divisão principal, explanando inclusive as definições de Groupware. Em Ferramentas, são explanados os conceitos das ferramentas a serem utilizadas para o desenvolvimento da ferramenta proposta no TCC I, no caso, a linguagem de programação PHP e o Sistema Gerenciador de Banco de Dados FireBird. Na seção Soluções Similares foram pesquisadas e analisadas as soluções computacionais similares disponíveis no mercado, com o objetivo de contextualizar a ferramenta desenvolvida e identificar funcionalidades que poderiam ser agregadas no projeto. O Desenvolvimento deste TCC está divido em quatro seções, sendo: Análise de Requisitos; Diagrama Use Case; Diagrama Entidade-Relacionamento; Implementação e Validação e Planejamento para a Implantação. A seção Análise de Requisitos engloba os requisitos funcionais e não funcionais que a ferramenta exigiu. A seção Diagrama Use Case demonstra quais as funcionalidades existentes no sistema, tomando como base a análise de requisitos realizada. A seção Diagrama Entidade- Relacionamento tem por finalidade realizar o modelo conceitual do banco de dados da ferramenta. 7

17 O capítulo de Implementação descreve o processo de desenvolvimento da ferramenta. A seção Validação e Planejamento para a Implantação descreve os procedimentos a serem realizados para a validação e implantação da ferramenta desenvolvida. 8

18 2. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA 2.1. LOGÍSTICA O surgimento da globalização ocasionou uma maior interação entre os vários setores da economia, afetando diretamente algumas atividades, consideradas prioritárias para o fortalecimento desses setores e o aumento da concorrência. Atividades essas pertencentes aos processos logísticos realizados entre os vários integrantes da cadeia de suprimentos, dessa forma, desenvolvendo a Logística. Partindo dessa tendência que se consolida a cada dia, é possível observar que o setor logístico é uma área que está em franco crescimento no Brasil, conforme descrito por Figueiredo, Fleury e Wanke (2003, p.48): "A Logística no Brasil vem constituindo-se em um negócio de grandes proporções que evoluiu rapidamente nos últimos anos". No ano de 2004, o ramo de atacadista distribuidor, que é um dos integrantes da cadeia de suprimentos, conforme pesquisa realizada pela revista Distribuição em abril de 2005, apresentou um crescimento real de 11,9%, sendo um índice superior à inflação do período. Para um melhor entendimento do conceito de Logística, pode-se observar definição do Council of Logistics Management norte-americano, descrito por Novaes (2004, p.35): Logística é o processo de planejar, implementar e controlar de maneira eficiente o fluxo e a armazenagem de produtos, bem como os serviços e informações associados, cobrindo desde o ponto de origem até o ponto de consumo, com o objetivo de atender aos requisitos do consumidor. Além do conceito, a missão da Logística é definida, segundo Bowersox et al. (1996 apud FIGUEIREDO, FLEURY E WANKE, 2003, p.74): A Logística tem como missão principal a minimização do custo total da operação para um determinado nível de serviço e é um importante processo ao gerenciamento da cadeia de suprimentos, pois viabiliza a consecução destes fluxos no tempo e no espaço

19 Para enfatizar os conceitos de Logística, pode ser citado como o seu objetivo fundamental, definido, segundo Jacobsen (2003, p.21): Atender adequadamente o consumidor final, administrando globalmente a empresa e seus agentes logísticos externos, através de um processo de gestão integrado, cooperativo e harmonioso de negócios, que de forma sistêmica e simbiótica envolve toda a cadeia de demanda e suprimento. É comum haver a confusão entre a definição de Logística e gerenciamento da cadeia de suprimentos, porém são coisas distintas. De acordo com Figueiredo, Fleury e Wanke (2003, p.28), a definição de gerenciamento de cadeias de suprimento é, conforme Global Supply Chain Forum 1998: o gerenciamento da cadeia de suprimentos consiste na integração dos principais processos de negócio a partir do consumidor final para o fornecedor inicial de produtos, serviços e informações que adicionam valor. Dessa forma, fica evidente que o gerenciamento da cadeia de suprimentos é uma tarefa mais complexa, comparando com a Logística em si, pois a mesma está focada no planejamento, implementação e controle do fluxo e armazenagem de produtos, enquanto que a cadeia de suprimentos engloba todos os processos do início ao fim do sistema como um todo. A existência da cadeia de suprimentos pode ser explicada pelo fato de que nenhuma empresa está isolada no mercado, havendo, dessa forma, uma interligação que engloba desde os fornecedores até os clientes. Pode-se classificar a cadeia de suprimentos em três níveis, conforme Slack (1993 apud FIGUEIREDO, FLEURY E WANKE, 2003, p.110): Total: envolve todas as relações cliente-fornecedor, desde a extração da matéria-prima até a compra do produto pelo consumidor final; Imediata: onde estão os fornecedores e consumidores com os quais a empresa faz negócio diretamente; e Local: localiza-se dentro da empresa, onde estão os fluxos internos de materiais e informações entre departamentos, células ou setores da operação. 10

20 A Figura 1 ilustra os três níveis da cadeia de suprimentos. Cadeia de suprimentos total Cadeia de suprimentos imediata Cadeia de suprimentos local Figura 1. Níveis da cadeia de suprimentos. Fonte: Adaptado de Slack (1993 apud FIGUEIREDO, FLEURY E WANKE, 2003, p.111) As empresas, independentemente do ramo, sempre sentiram a necessidade de um processo logístico melhor estruturado, de forma que a permitisse se estabelecer no mercado e tornar-se competitiva. No entanto, foi nos últimos tempos, com o fortalecimento da informática, a globalização e o aumento da concorrência, que este processo se tornou imprescindível para o sucesso, sendo assim, evidenciado como fator de sobrevivência para uma empresa. Este ambiente competitivo faz com que as empresas voltem sua atenção para os seus processos logísticos afim de apurá-los e torná-los cada vez mais eficiente, diminuindo assim os custos e melhorando o nível de serviço. Dessa forma, as empresas devem buscar um aperfeiçoamento contínuo de suas operações para sobreviverem, possibilitando corrigir ou evitando que seus processos ou atividades apresentem problemas e entrem em decadência. Como cita Figueiredo, Fleury e Wanke (2003, p.164), (...) melhorar o sistema logístico passou a ser fator imperativo para ganho de competitividade das indústrias e varejistas (...), é 11

Curso de Engenharia de Produção. Noções de Engenharia de Produção

Curso de Engenharia de Produção. Noções de Engenharia de Produção Curso de Engenharia de Produção Noções de Engenharia de Produção Logística: - II Guerra Mundial; - Por muito tempo as indústrias consideraram o setor de logística de forma reativa e não proativa (considera

Leia mais

Ementários. Disciplina: Gestão Estratégica

Ementários. Disciplina: Gestão Estratégica Ementários Disciplina: Gestão Estratégica Ementa: Os níveis e tipos de estratégias e sua formulação. O planejamento estratégico e a competitividade empresarial. Métodos de análise estratégica do ambiente

Leia mais

Logística empresarial

Logística empresarial 1 Logística empresarial 2 Logística é um conceito relativamente novo, apesar de que todas as empresas sempre desenvolveram atividades de suprimento, transporte, estocagem e distribuição de produtos. melhor

Leia mais

MRP / MRP II / ERP (capítulos 11 e 12)

MRP / MRP II / ERP (capítulos 11 e 12) MRP / MRP II / ERP (capítulos 11 e 12) As siglas MRP, MRP II e ERP são bastante difundidas e significam: MRP Materials Requirements Planning Planejamento das Necessidades de Materiais; MRP II Resource

Leia mais

Vamos nos conhecer. Avaliações 23/08/2015. Módulo I Introdução à Logistica Empresarial Danillo Tourinho S. da Silva, M.Sc.

Vamos nos conhecer. Avaliações 23/08/2015. Módulo I Introdução à Logistica Empresarial Danillo Tourinho S. da Silva, M.Sc. Módulo I Introdução à Logistica Empresarial Danillo Tourinho S. da Silva, M.Sc. Vamos nos conhecer Danillo Tourinho Sancho da Silva, M.Sc Bacharel em Administração, UNEB Especialista em Gestão da Produção

Leia mais

Gerenciamento de Projetos

Gerenciamento de Projetos Gerenciamento de Projetos PMI, PMP e PMBOK PMI (Project Management Institute) Estabelecido em 1969 e sediado na Filadélfia, Pensilvânia EUA, o PMI é a principal associação mundial, sem fins lucrativos,

Leia mais

O termo logística tem sua origem no meio militar, estando relacionado a atividade de abastecimento de tropas.

O termo logística tem sua origem no meio militar, estando relacionado a atividade de abastecimento de tropas. Logística e Distribuição Professor: Leandro Zvirtes UDESC/CCT Histórico O termo logística tem sua origem no meio militar, estando relacionado a atividade de abastecimento de tropas. A história mostra que

Leia mais

Teoria e Prática. Totalmente de acordo com a 4 a Edição/2009. Rosaldo de Jesus Nocêra, PMP, PMI-SP, MCTS. do PMBOK do PMI. Acompanha o livro:

Teoria e Prática. Totalmente de acordo com a 4 a Edição/2009. Rosaldo de Jesus Nocêra, PMP, PMI-SP, MCTS. do PMBOK do PMI. Acompanha o livro: Gerenciamento de Projetos Teoria e Prática Totalmente de acordo com a 4 a Edição/2009 do PMBOK do PMI Acompanha o livro: l CD com mais de 70 formulários exemplos indicados pelo PMI e outros desenvolvidos

Leia mais

Artigo publicado. na edição 17. www.revistamundologistica.com.br. Assine a revista através do nosso site. julho e agosto de 2010

Artigo publicado. na edição 17. www.revistamundologistica.com.br. Assine a revista através do nosso site. julho e agosto de 2010 Artigo publicado na edição 17 Assine a revista através do nosso site julho e agosto de 2010 www.revistamundologistica.com.br :: artigo 2010 Práticas Logísticas Um olhar sobre as principais práticas logísticas

Leia mais

Capítulo 2. Logística e Cadeia de Suprimentos

Capítulo 2. Logística e Cadeia de Suprimentos Capítulo 2 Logística e Cadeia de Suprimentos Prof. Glauber Santos glauber@justocantins.com.br 1 Capítulo 2 - Logística e Cadeia de Suprimentos Papel primordial da Logística na organização Gestão da Produção

Leia mais

Fatores Críticos de Sucesso em GP

Fatores Críticos de Sucesso em GP Fatores Críticos de Sucesso em GP Paulo Ferrucio, PMP pferrucio@hotmail.com A necessidade das organizações de maior eficiência e velocidade para atender as necessidades do mercado faz com que os projetos

Leia mais

Corporativo. Transformar dados em informações claras e objetivas que. Star Soft. www.starsoft.com.br

Corporativo. Transformar dados em informações claras e objetivas que. Star Soft. www.starsoft.com.br Corporativo Transformar dados em informações claras e objetivas que possibilitem às empresas tomarem decisões em direção ao sucesso. Com essa filosofia a Star Soft Indústria de Software e Soluções vem

Leia mais

Gerenciamento de Projetos Project Management Institute. Prof. Miguel Torres miguel.torres@terra.com.br

Gerenciamento de Projetos Project Management Institute. Prof. Miguel Torres miguel.torres@terra.com.br Gerenciamento de Projetos Project Management Institute Prof. Miguel Torres miguel.torres@terra.com.br Objetivo do Curso Criar condições e proporcionar métodos para o desenvolvimento da capacidade gestora,

Leia mais

Gerenciamento de Projetos. Faculdade Unisaber 2º Sem 2009

Gerenciamento de Projetos. Faculdade Unisaber 2º Sem 2009 Semana de Tecnologia Gerenciamento de Projetos Faculdade Unisaber 2º Sem 2009 ferreiradasilva.celio@gmail.com O que é um Projeto? Projeto é um "esforço temporário empreendido para criar um produto, serviço

Leia mais

Gerenciamento de Projetos Web. Professor: Guilherme Luiz Frufrek Email: frufrek@utfpr.edu.br http://paginapessoal.utfpr.edu.

Gerenciamento de Projetos Web. Professor: Guilherme Luiz Frufrek Email: frufrek@utfpr.edu.br http://paginapessoal.utfpr.edu. Gerenciamento de Projetos Web Professor: Guilherme Luiz Frufrek Email: frufrek@utfpr.edu.br http://paginapessoal.utfpr.edu.br/frufrek Possui Especialização em Engenharia de Software e Banco de Dados pela

Leia mais

Gerência de Projetos CMMI & PMBOK

Gerência de Projetos CMMI & PMBOK Gerência de Projetos CMMI & PMBOK Uma abordagem voltada para a qualidade de processos e produtos Prof. Paulo Ricardo B. Betencourt pbetencourt@urisan.tche.br Adaptação do Original de: José Ignácio Jaeger

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão da Produção Integrada e Logística

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão da Produção Integrada e Logística Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão da Produção Integrada e Logística Apresentação O programa de Pós-graduação Lato Sensu em Gestão da Produção e Logística tem por objetivo fornecer

Leia mais

CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS

CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS METODOLOGIA DE AUDITORIA PARA AVALIAÇÃO DE CONTROLES E CUMPRIMENTO DE PROCESSOS DE TI NARDON, NASI AUDITORES E CONSULTORES CobiT

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE TECNOLOGIA EM ANALISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE TECNOLOGIA EM ANALISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE TECNOLOGIA EM ANALISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS Professor: Adriel Ziesemer Disciplina: Engenharia de Software TRABALHO ACADÊMICO Cristian Santos - nº 45671 Guilherme

Leia mais

Gerenciamento de Projetos. Prof. Dr. Rodolfo Miranda de Barros rodolfomdebarros@gmail.com

Gerenciamento de Projetos. Prof. Dr. Rodolfo Miranda de Barros rodolfomdebarros@gmail.com Gerenciamento de Projetos Prof. Dr. Rodolfo Miranda de Barros rodolfomdebarros@gmail.com MODELO DE GERENCIAMENTO PMI PMI (Project Management Institute); O modelo PMI é divido em áreas de conhecimento da

Leia mais

CONTROLADORIA NO SUPORTE A GESTÃO EMPRESARIAL

CONTROLADORIA NO SUPORTE A GESTÃO EMPRESARIAL CONTROLADORIA NO SUPORTE A GESTÃO EMPRESARIAL Cristiane de Oliveira 1 Letícia Santos Lima 2 Resumo O objetivo desse estudo consiste em apresentar uma base conceitual em que se fundamenta a Controladoria.

Leia mais

FINANÇAS EM PROJETOS DE TI

FINANÇAS EM PROJETOS DE TI FINANÇAS EM PROJETOS DE TI 2012 Material 1 Prof. Luiz Carlos Valeretto Jr. 1 E-mail valeretto@yahoo.com.br Objetivo Objetivos desta disciplina são: reconhecer as bases da administração financeira das empresas,

Leia mais

Estratégia Competitiva 16/08/2015. Módulo II Cadeia de Valor e a Logistica. CADEIA DE VALOR E A LOGISTICA A Logistica para as Empresas Cadeia de Valor

Estratégia Competitiva 16/08/2015. Módulo II Cadeia de Valor e a Logistica. CADEIA DE VALOR E A LOGISTICA A Logistica para as Empresas Cadeia de Valor Módulo II Cadeia de Valor e a Logistica Danillo Tourinho S. da Silva, M.Sc. CADEIA DE VALOR E A LOGISTICA A Logistica para as Empresas Cadeia de Valor Estratégia Competitiva é o conjunto de planos, políticas,

Leia mais

Objetivos da aula. Planejamento, Execução e Controle de Projetos de Software. O que é um plano de projeto? O que é um projeto?

Objetivos da aula. Planejamento, Execução e Controle de Projetos de Software. O que é um plano de projeto? O que é um projeto? Planejamento, Execução e Controle de Projetos de Software. Objetivos da aula 1) Dizer o que é gerenciamento de projetos e a sua importância; 2) Identificar os grupos de processos do gerenciamento de projetos

Leia mais

Portaria Inep nº 249, de 02 de junho de 2014. Publicada no Diário Oficial da União em 04 de junho de 2014.

Portaria Inep nº 249, de 02 de junho de 2014. Publicada no Diário Oficial da União em 04 de junho de 2014. Portaria Inep nº 249, de 02 de junho de 2014. Publicada no Diário Oficial da União em 04 de junho de 2014. O Presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep),

Leia mais

3 Gerenciamento de Projetos

3 Gerenciamento de Projetos 34 3 Gerenciamento de Projetos Neste capítulo, será abordado o tema de gerenciamento de projetos, iniciando na seção 3.1 um estudo de bibliografia sobre a definição do tema e a origem deste estudo. Na

Leia mais

1. Evolução da técnicas de gerenciamento

1. Evolução da técnicas de gerenciamento Gestão de Projetos Evolução das técnicas de gerenciamento; A história do gerenciamento de projetos; Características dos projetos; Causas de fracasso em projetos; Ciclo de vida de um projeto e suas fases;

Leia mais

METODOLOGIA DE GERENCIAMENTO DE PROJETO DE SOFTWARE ORIENTADO A OBJETO COM PMBOK

METODOLOGIA DE GERENCIAMENTO DE PROJETO DE SOFTWARE ORIENTADO A OBJETO COM PMBOK V EPCC Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 23 a 26 de outubro de 2007 METODOLOGIA DE GERENCIAMENTO DE PROJETO DE SOFTWARE ORIENTADO A OBJETO COM PMBOK Cleber Lecheta Franchini 1 Resumo:

Leia mais

METODOLOGIA HSM Centrada nos participantes com professores com experiência executiva, materiais especialmente desenvolvidos e infraestrutura tecnológica privilegiada. O conteúdo exclusivo dos especialistas

Leia mais

5 Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos

5 Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos 5 Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos 5.1 Conceitos e definições do supply chain management O conceito ou definição do SCM é algo recente na literatura especializada, datado mais precisamente da metade

Leia mais

04/02/2009. Curso Superior de Tecnologia: Redes de Computadores. Disciplina: Gestão de Projetos de TI. Prof.: Fernando Hadad Zaidan. Unidade 1.

04/02/2009. Curso Superior de Tecnologia: Redes de Computadores. Disciplina: Gestão de Projetos de TI. Prof.: Fernando Hadad Zaidan. Unidade 1. Faculdade INED Curso Superior de Tecnologia: Redes de Computadores Disciplina: Gestão de Projetos de TI Prof.: Fernando Hadad Zaidan 1 Unidade 1.1 2 Introdução ao Gerenciamento de Projetos 3 1 Leitura

Leia mais

O IMPACTO DA UTILIZAÇÃO DE UM SOFTWARE DE GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE PROJETOS NAS EMPRESAS

O IMPACTO DA UTILIZAÇÃO DE UM SOFTWARE DE GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE PROJETOS NAS EMPRESAS O IMPACTO DA UTILIZAÇÃO DE UM SOFTWARE DE GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE PROJETOS NAS EMPRESAS Nadia Al-Bdywoui (nadia_alb@hotmail.com) Cássia Ribeiro Sola (cassiaribs@yahoo.com.br) Resumo: Com a constante

Leia mais

Gerenciamento de Processos de Negócio

Gerenciamento de Processos de Negócio Gestão por Processos By Alan Lopes +55 22-99202-0433 alopes.campos@mail.com http://prof-alan-lopes.weebly.com Gerenciamento de Processos de Negócio - Conceitos e fundamentos - Modelagem de processo - Análise

Leia mais

Desenvolvimento de um software de gerenciamento de projetos para utilização na Web

Desenvolvimento de um software de gerenciamento de projetos para utilização na Web Resumo. Desenvolvimento de um software de gerenciamento de projetos para utilização na Web Autor: Danilo Humberto Dias Santos Orientador: Walteno Martins Parreira Júnior Bacharelado em Engenharia da Computação

Leia mais

Conceituar projetos e a gerência de projetos. Conhecer a importância e os benefícios do gerenciamento de projetos Conhecer o PMI, o PMBOK, os grupos

Conceituar projetos e a gerência de projetos. Conhecer a importância e os benefícios do gerenciamento de projetos Conhecer o PMI, o PMBOK, os grupos Gestão de Projetos Empresariais Objetivos: Conceituar projetos e a gerência de projetos. Conhecer a importância e os benefícios do gerenciamento de projetos Conhecer o PMI, o PMBOK, os grupos de processos

Leia mais

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Justificativa: As transformações ocorridas nos últimos anos têm obrigado as organizações a se modificarem constantemente e de forma

Leia mais

- Project Management Institute. Disciplina de Engenharia de Software. PMP- Project Management Professional PMBOK

- Project Management Institute. Disciplina de Engenharia de Software. PMP- Project Management Professional PMBOK Disciplina de Engenharia de Software Material elaborado por Windson Viana de Carvalho e Rute Nogueira Pinto em 19/07/2004 Material alterado por Rossana Andrade em 22/04/2009 - Project Management Institute

Leia mais

Redução no custo e prazo de desenvolvimento de novos produtos; Aumento no tempo de vida dos novos produtos; Aumento de vendas e receita; Aumento do

Redução no custo e prazo de desenvolvimento de novos produtos; Aumento no tempo de vida dos novos produtos; Aumento de vendas e receita; Aumento do Revisão 1 Redução no custo e prazo de desenvolvimento de novos produtos; Aumento no tempo de vida dos novos produtos; Aumento de vendas e receita; Aumento do número de clientes e de sua satisfação; Aumento

Leia mais

Gerência de projetos: arte ou disciplina? By André Barcaui, MsC, PMP is a consultant and management coach, Brazil. bbbrothers@bbbrothers.com.

Gerência de projetos: arte ou disciplina? By André Barcaui, MsC, PMP is a consultant and management coach, Brazil. bbbrothers@bbbrothers.com. Gerência de projetos: arte ou disciplina? By André Barcaui, MsC, PMP is a consultant and management coach, Brazil bbbrothers@bbbrothers.com.br O equilíbrio necessário para se tornar um excelente gerente

Leia mais

Docente do Curso Superior de Tecnologia em Gestão Comercial UNOESTE. E mail: joselia@unoeste.br

Docente do Curso Superior de Tecnologia em Gestão Comercial UNOESTE. E mail: joselia@unoeste.br Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 141 A LOGÍSTICA COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO Douglas Fernandes 1, Josélia Galiciano Pedro 1 Docente do Curso Superior

Leia mais

Vantagens competitivas e estratégicas no uso de operadores logísticos. Prof. Paulo Medeiros

Vantagens competitivas e estratégicas no uso de operadores logísticos. Prof. Paulo Medeiros Vantagens competitivas e estratégicas no uso de operadores logísticos Prof. Paulo Medeiros Introdução nos EUA surgiram 100 novos operadores logísticos entre 1990 e 1995. O mercado para estas empresas que

Leia mais

DuPont Engineering University South America

DuPont Engineering University South America Treinamentos em Gestão de Projetos DuPont Engineering University South America # "$ % & "" Abordagem DuPont na Gestão de Projetos Industriais O nível de desempenho organizacional atingido pela DuPont não

Leia mais

SISTEMAS DE NEGÓCIOS. a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS

SISTEMAS DE NEGÓCIOS. a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS 1 SISTEMAS DE NEGÓCIOS a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS 1. COLABORAÇÃO NAS EMPRESAS Os sistemas colaborativos nas empresas nos oferecem ferramentas para nos ajudar a colaborar, comunicando idéias, compartilhando

Leia mais

Experiência: Sistema PIER e Gestão por Resultados (Painel de Indicadores Estratégicos)

Experiência: Sistema PIER e Gestão por Resultados (Painel de Indicadores Estratégicos) Experiência: Sistema PIER e Gestão por Resultados (Painel de Indicadores Estratégicos) SERPRO - Serviço Federal de Processamento de Dados Ministério da Fazenda Responsável: Adinilson Martins da Silva Técnico

Leia mais

Análise de Processos do PMBOK em uma Fábrica de Software Um Estudo de Caso

Análise de Processos do PMBOK em uma Fábrica de Software Um Estudo de Caso Análise de Processos do PMBOK em uma Fábrica de Software Um Estudo de Caso Carlos Alberto Rovedder, Gustavo Zanini Kantorski Curso de Sistemas de Informação Universidade Luterana do Brasil (ULBRA) Campus

Leia mais

Prof. Marcelo Mello. Unidade III DISTRIBUIÇÃO E

Prof. Marcelo Mello. Unidade III DISTRIBUIÇÃO E Prof. Marcelo Mello Unidade III DISTRIBUIÇÃO E TRADE MARKETING Canais de distribuição Canal vertical: Antigamente, os canais de distribuição eram estruturas mercadológicas verticais, em que a responsabilidade

Leia mais

O que é Balanced Scorecard?

O que é Balanced Scorecard? O que é Balanced Scorecard? A evolução do BSC de um sistema de indicadores para um modelo de gestão estratégica Fábio Fontanela Moreira Luiz Gustavo M. Sedrani Roberto de Campos Lima O que é Balanced Scorecard?

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA INSTITUTO DE MATEMÁTICA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO MATA62 - Engenharia de Software I Comparação entre Ferramentas de Gerência de Projeto Salvador 2009.1 MATA62

Leia mais

Autores/Grupo: TULIO, LUIS, FRANCISCO e JULIANO. Curso: Gestão da Tecnologia da Informação. Professor: ITAIR PEREIRA DA SILVA GESTÃO DE PESSOAS

Autores/Grupo: TULIO, LUIS, FRANCISCO e JULIANO. Curso: Gestão da Tecnologia da Informação. Professor: ITAIR PEREIRA DA SILVA GESTÃO DE PESSOAS Autores/Grupo: TULIO, LUIS, FRANCISCO e JULIANO Curso: Gestão da Tecnologia da Informação Professor: ITAIR PEREIRA DA SILVA GESTÃO DE PESSOAS ORGANOGRAMA FUNCIANOGRAMA DESENHO DE CARGO E TAREFAS DO DESENVOLVEDOR

Leia mais

Aula 15. Tópicos Especiais I Sistemas de Informação. Prof. Dr. Dilermando Piva Jr.

Aula 15. Tópicos Especiais I Sistemas de Informação. Prof. Dr. Dilermando Piva Jr. 15 Aula 15 Tópicos Especiais I Sistemas de Informação Prof. Dr. Dilermando Piva Jr. Site Disciplina: http://fundti.blogspot.com.br/ Conceitos básicos sobre Sistemas de Informação Conceitos sobre Sistemas

Leia mais

ERP & BI ENTENTENDO A BUSCA CONSTANTE DAS EMPRESAS POR UM SISTEMA QUE FORNEÇA INFORMAÇÕES CONFIÁVEIS PARA TOMADA DE DECISÃO*

ERP & BI ENTENTENDO A BUSCA CONSTANTE DAS EMPRESAS POR UM SISTEMA QUE FORNEÇA INFORMAÇÕES CONFIÁVEIS PARA TOMADA DE DECISÃO* ERP & BI ENTENTENDO A BUSCA CONSTANTE DAS EMPRESAS POR UM SISTEMA QUE FORNEÇA INFORMAÇÕES CONFIÁVEIS PARA TOMADA DE DECISÃO* RESUMO Marilia Costa Machado - UEMG - Unidade Carangola Graciano Leal dos Santos

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO GERAL GESTÃO DE PROJETOS

ADMINISTRAÇÃO GERAL GESTÃO DE PROJETOS ADMINISTRAÇÃO GERAL GESTÃO DE PROJETOS Atualizado em 31/12/2015 GESTÃO DE PROJETOS PROJETO Para o PMBOK, projeto é um esforço temporário empreendido para criar um produto, serviço ou resultado exclusivo.

Leia mais

SIMPLIFICAÇÃO DE PROCESSOS

SIMPLIFICAÇÃO DE PROCESSOS SIMPLIFICAÇÃO DE PROCESSOS 1 FINALIDADE DO PROJETO ESTRATÉGICO Simplificar e padronizar os processos internos, incrementando o atendimento ao usuário. Especificamente o projeto tem o objetivo de: Permitir

Leia mais

DIFERENTES INTERPRETAÇÕES DO CONCEITO DE SUPPLY CHAIN MANAGEMENT

DIFERENTES INTERPRETAÇÕES DO CONCEITO DE SUPPLY CHAIN MANAGEMENT Artigo para a Revista Global Fevereiro de 2007 DIFERENTES INTERPRETAÇÕES DO CONCEITO DE SUPPLY CHAIN MANAGEMENT O conceito de Supply Chain Management (SCM), denominado Administração da Cadeia de Abastecimento

Leia mais

Desafio Profissional PÓS-GRADUAÇÃO 2012. Gestão de Projetos - Módulo C Prof. Me. Valter Castelhano de Oliveira

Desafio Profissional PÓS-GRADUAÇÃO 2012. Gestão de Projetos - Módulo C Prof. Me. Valter Castelhano de Oliveira Desafio Profissional PÓS-GRADUAÇÃO 12 Gestão de Projetos - Módulo C Prof. Me. Valter Castelhano de Oliveira 1 DESAFIO PROFISSIONAL Disciplinas: Ferramentas de Software para Gestão de Projetos. Gestão de

Leia mais

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS GESTÃO POR COMPETÊNCIAS STM ANALISTA/2010 ( C ) Conforme legislação específica aplicada à administração pública federal, gestão por competência e gestão da capacitação são equivalentes. Lei 5.707/2006

Leia mais

Módulo 07 Gestão de Conhecimento

Módulo 07 Gestão de Conhecimento Módulo 07 Gestão de Conhecimento Por ser uma disciplina considerada nova dentro do campo da administração, a gestão de conhecimento ainda hoje tem várias definições e percepções, como mostro a seguir:

Leia mais

22/02/2009. Supply Chain Management. É a integração dos processos do negócio desde o usuário final até os fornecedores originais que

22/02/2009. Supply Chain Management. É a integração dos processos do negócio desde o usuário final até os fornecedores originais que Supply Chain Management SUMÁRIO Gestão da Cadeia de Suprimentos (SCM) SCM X Logística Dinâmica Sugestões Definição Cadeia de Suprimentos É a integração dos processos do negócio desde o usuário final até

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Etec ETEC PAULINO BOTELHO EXTENSÃO EE ESTERINA PLACCO Código: 091.01 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnico

Leia mais

Balanced Scorecard BSC. O que não é medido não é gerenciado. Medir é importante? Também não se pode medir o que não se descreve.

Balanced Scorecard BSC. O que não é medido não é gerenciado. Medir é importante? Também não se pode medir o que não se descreve. Balanced Scorecard BSC 1 2 A metodologia (Mapas Estratégicos e Balanced Scorecard BSC) foi criada por professores de Harvard no início da década de 90, e é amplamente difundida e aplicada com sucesso em

Leia mais

ü Curso - Bacharelado em Sistemas de Informação

ü Curso - Bacharelado em Sistemas de Informação Curso - Bacharelado em Sistemas de Informação Nome e titulação do Coordenador: Coordenador: Prof. Wender A. Silva - Mestrado em Engenharia Elétrica (Ênfase em Processamento da Informação). Universidade

Leia mais

Oficina de Gestão de Portifólio

Oficina de Gestão de Portifólio Oficina de Gestão de Portifólio Alinhando ESTRATÉGIAS com PROJETOS através da GESTÃO DE PORTFÓLIO Gestão de portfólio de projetos pode ser definida como a arte e a ciência de aplicar um conjunto de conhecimentos,

Leia mais

Estratégia de Manutenção em Oficinas utilizando Caminho Critico

Estratégia de Manutenção em Oficinas utilizando Caminho Critico SEGeT Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia 1 Estratégia de Manutenção em Oficinas utilizando Caminho Critico RESUMO Entre as estratégias gerenciais em empresas de médio e grande porte existe o

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão Estratégica de Negócios

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão Estratégica de Negócios Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão Estratégica de Negócios Apresentação O programa de Pós-graduação Lato Sensu em Gestão Estratégica de Negócios tem por objetivo desenvolver a

Leia mais

Fase 1: Engenharia de Produto

Fase 1: Engenharia de Produto Fase 1: Engenharia de Produto Disciplina: Análise de Requisitos DURAÇÃO: 44 h O objetivo principal da disciplina é realizar uma análise das necessidades e produzir um escopo do produto. Representará os

Leia mais

Gestão de Projetos Ferramentas e Softwares para Gerenciamento de Projetos

Gestão de Projetos Ferramentas e Softwares para Gerenciamento de Projetos Gestão de Projetos Ferramentas e Softwares para Gerenciamento de Projetos Aula 1 Prof. Rodrigo Rocha prof.rodrigorocha@yahoo.com http://www.bolinhabolinha.com Apresentação Prof. Rodrigo Rocha prof.rodrigorocha@yahoo.com

Leia mais

Objetivos. PDI - Plano Diretor de Informática. O que é? Como é feito? Quanto dura sua elaboração? Impactos da não execução do PDI

Objetivos. PDI - Plano Diretor de Informática. O que é? Como é feito? Quanto dura sua elaboração? Impactos da não execução do PDI Objetivos Assegurar que os esforços despendidos na área de informática sejam consistentes com as estratégias, políticas e objetivos da organização como um todo; Proporcionar uma estrutura de serviços na

Leia mais

ERP Enterprise Resourse Planning Sistemas de Gestão Empresarial

ERP Enterprise Resourse Planning Sistemas de Gestão Empresarial ERP Enterprise Resourse Planning Sistemas de Gestão Empresarial Prof. Pedro Luiz de O. Costa Bisneto 14/09/2003 Sumário Introdução... 2 Enterprise Resourse Planning... 2 Business Inteligence... 3 Vantagens

Leia mais

GESTÃO DE TI NAS ORGANIZAÇÕES CONTEMPORÂNEAS

GESTÃO DE TI NAS ORGANIZAÇÕES CONTEMPORÂNEAS GESTÃO DE TI NAS ORGANIZAÇÕES CONTEMPORÂNEAS WALLACE BORGES CRISTO 1 JOÃO CARLOS PEIXOTO FERREIRA 2 João Paulo Coelho Furtado 3 RESUMO A Tecnologia da Informação (TI) está presente em todas as áreas de

Leia mais

Apresentação do Professor. Ferramentas de Software para Gestão de Projetos Prof. Esp. André Luís Belini 20/11/2013

Apresentação do Professor. Ferramentas de Software para Gestão de Projetos Prof. Esp. André Luís Belini 20/11/2013 Apresentação do Professor Ferramentas de Software para Gestão de Projetos Prof. Esp. André Luís Belini Formação Acadêmica: Bacharel em Sistemas de Informação Pós graduado em Didática e Metodologia para

Leia mais

fagury.com.br. PMBoK 2004

fagury.com.br. PMBoK 2004 Este material é distribuído por Thiago Fagury através de uma licença Creative Commons 2.5. É permitido o uso e atribuição para fim nãocomercial. É vedada a criação de obras derivadas sem comunicação prévia

Leia mais

DOW BUSINESS SERVICES Diamond Value Chain Consulting

DOW BUSINESS SERVICES Diamond Value Chain Consulting DOW BUSINESS SERVICES Diamond Value Chain Consulting Soluções personalizadas para acelerar o crescimento do seu negócio Estratégia Operacional Projeto e Otimização de Redes Processos de Integração Eficácia

Leia mais

EDITAL SENAI SESI DE INOVAÇÃO. Caráter inovador projeto cujo escopo ainda não possui. Complexidade das tecnologias critério de avaliação que

EDITAL SENAI SESI DE INOVAÇÃO. Caráter inovador projeto cujo escopo ainda não possui. Complexidade das tecnologias critério de avaliação que ANEXO II Caráter inovador projeto cujo escopo ainda não possui registro em base de patentes brasileira. Também serão considerados caráter inovador para este Edital os registros de patente de domínio público

Leia mais

Gerência de Projetos Prof. Késsia Rita da Costa Marchi 3ª Série kessia@unipar.br

Gerência de Projetos Prof. Késsia Rita da Costa Marchi 3ª Série kessia@unipar.br Gerência de Projetos Prof. Késsia Rita da Costa Marchi 3ª Série kessia@unipar.br Motivações Gerenciamento de projetos, vem sendo desenvolvido como disciplina desde a década de 60; Nasceu na indústria bélica

Leia mais

1. Introdução. 1.1. A história do ERP

1. Introdução. 1.1. A história do ERP 1. Introdução Podemos definir os sistemas ERP como sistemas de informação integrados na forma de um pacote de software que tem a finalidade de dar suporte à maioria das operações de uma organização. A

Leia mais

SCRUM. Desafios e benefícios trazidos pela implementação do método ágil SCRUM. Conhecimento em Tecnologia da Informação

SCRUM. Desafios e benefícios trazidos pela implementação do método ágil SCRUM. Conhecimento em Tecnologia da Informação Conhecimento em Tecnologia da Informação SCRUM Desafios e benefícios trazidos pela implementação do método ágil SCRUM 2011 Bridge Consulting Apresentação Há muitos anos, empresas e equipes de desenvolvimento

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) nº 001/2009

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) nº 001/2009 TERMO DE REFERÊNCIA (TR) nº 001/2009 1 IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Consultor (a) para desenvolver, treinar e implantar o Sistema de Gestão de Projetos do IBAMA. 2 JUSTIFICATIVA 2.1 Contextualização: O

Leia mais

PROJETO NOVAS FRONTEIRAS. Descrição dos processos de gerenciamento da qualidade

PROJETO NOVAS FRONTEIRAS. Descrição dos processos de gerenciamento da qualidade PROJETO NOVAS FRONTEIRAS PLANO DE GERENCIAMENTO DA QUALIDADE QUALITY MANAGEMENT PLAN Preparado por Mara Lúcia Menezes Membro do Time Versão 3 Aprovado por Rodrigo Mendes Lemos Gerente do Projeto 15/11/2010

Leia mais

PROJETO NOVAS FRONTEIRAS

PROJETO NOVAS FRONTEIRAS PROJETO NOVAS FRONTEIRAS DECLARAÇÃO DE TRABALHO TREINAMENTO STATEMENT OF WORK Preparado por Nelson Azevedo Membro do Time Versão 1 Aprovado por Rodrigo Mendes Lemos Gerente do Projeto 28/11/2010 Propósito

Leia mais

GERENCIAMENTO DE ESCOPO EM PROJETOS LOGÍSTICOS: Um Estudo de Caso em um Operador Logístico Brasileiro

GERENCIAMENTO DE ESCOPO EM PROJETOS LOGÍSTICOS: Um Estudo de Caso em um Operador Logístico Brasileiro GERENCIAMENTO DE ESCOPO EM PROJETOS LOGÍSTICOS: Um Estudo de Caso em um Operador Logístico Brasileiro Matheus de Aguiar Sillos matheus.sillos@pmlog.com.br AGV Logística Rua Edgar Marchiori, 255, Distrito

Leia mais

INOVANDO UM PROCESSO DE SERVIÇOS DE TI COM AS BOAS PRÁTICAS DO ITIL E USO DE BPMS

INOVANDO UM PROCESSO DE SERVIÇOS DE TI COM AS BOAS PRÁTICAS DO ITIL E USO DE BPMS INOVANDO UM PROCESSO DE SERVIÇOS DE TI COM AS BOAS PRÁTICAS DO ITIL E USO DE BPMS Cilene Loisa Assmann (UNISC) cilenea@unisc.br Este estudo de caso tem como objetivo trazer a experiência de implantação

Leia mais

Fasci-Tech MAPEAMENTO DOS PROCESSOS DE NEGÓCIO PARA DESENVOLVIMENTO DE UM SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO

Fasci-Tech MAPEAMENTO DOS PROCESSOS DE NEGÓCIO PARA DESENVOLVIMENTO DE UM SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO MAPEAMENTO DOS PROCESSOS DE NEGÓCIO PARA DESENVOLVIMENTO DE UM SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO Resumo: Carlos Alberto dos Santos 1 Profa. MSc. Rosangela Kronig 2 Abstract: Num ambiente globalizado e em constante

Leia mais

Logística Empresarial

Logística Empresarial IETEC INSTITUTO DE EDUCAÇAO TECNOLÓGICA PÓS GRADUAÇAO LATU SENSU 15 a. Turma Gestão da Logística Logística Empresarial Elenilce Lopes Coelis Belo Horizonte MG Julho - 2006 2 SUMÁRIO INTRODUÇÃO À LOGÍSTICA...PÁGINA

Leia mais

Unidade II GESTÃO DE. Prof. Léo Noronha

Unidade II GESTÃO DE. Prof. Léo Noronha Unidade II GESTÃO DE SUPRIMENTOS E LOGÍSTICA Prof. Léo Noronha Após a Segunda Guerra Mundial: Estados Unidos da América passaram por um longo período de crescimento. Responsáveis pela reconstrução de muitos

Leia mais

Pesquisa realizada com os participantes do 12º Seminário Nacional de Gestão de Projetos. Apresentação

Pesquisa realizada com os participantes do 12º Seminário Nacional de Gestão de Projetos. Apresentação Pesquisa realizada com os participantes do de Apresentação O perfil do profissional de Projetos Pesquisa realizada durante o 12 Seminário Nacional de, ocorrido em 2009, traça um importante perfil do profissional

Leia mais

Logística Empresarial. Global Sourcing A Globalização e a Nova Visão da Logística Parte II. Aula 6. Conceitos Importantes.

Logística Empresarial. Global Sourcing A Globalização e a Nova Visão da Logística Parte II. Aula 6. Conceitos Importantes. Logística Empresarial Aula 6 Global Sourcing A Globalização e a Nova Visão da Logística Parte II Prof. Me. John Jackson Buettgen Contextualização Conceitos Importantes Fluxos logísticos É o movimento ou

Leia mais

Outubro 2009. Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini

Outubro 2009. Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini Outubro 2009 Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini Sustentabilidade Articulação Ampliação dos limites Sistematização Elementos do Novo Modelo Incubação

Leia mais

Gestão estratégica em finanças

Gestão estratégica em finanças Gestão estratégica em finanças Resulta Consultoria Empresarial Gestão de custos e maximização de resultados A nova realidade do mercado tem feito com que as empresas contratem serviços especializados pelo

Leia mais

FUND DE SI SISTEMAS INTEGRADOS ERP SCM CRM

FUND DE SI SISTEMAS INTEGRADOS ERP SCM CRM FUND DE SI SISTEMAS INTEGRADOS ERP SCM CRM 5/5/2013 1 ERP ENTERPRISE RESOURCE PLANNING 5/5/2013 2 1 Os SI nas organizações 5/5/2013 3 Histórico Os Softwares de SI surgiram nos anos 60 para controlar estoque

Leia mais

Gestão Estratégica de Marketing

Gestão Estratégica de Marketing Gestão Estratégica de Marketing A Evolução do seu Marketing Slide 1 O Marketing como Vantagem Competitiva Atualmente, uma das principais dificuldades das empresas é construir vantagens competitivas sustentáveis;

Leia mais

Dataprev Aumenta a Eficiência na Entrega de Projetos em 40% com CA Clarity on Premise

Dataprev Aumenta a Eficiência na Entrega de Projetos em 40% com CA Clarity on Premise CUSTOMER SUCCESS STORY Dezembro 2013 Dataprev Aumenta a Eficiência na Entrega de Projetos em 40% com CA Clarity on Premise PERFIL DO CLIENTE Indústria: Setor público Companhia: Dataprev Empregados: 3.000+

Leia mais

Atendimento aos requisitos de Projeto e Desenvolvimento da ISO9001:2008 em Empreendimentos. Nasario de S. F. Duarte Jr.

Atendimento aos requisitos de Projeto e Desenvolvimento da ISO9001:2008 em Empreendimentos. Nasario de S. F. Duarte Jr. Atendimento aos requisitos de Projeto e Desenvolvimento da ISO9001:2008 em Empreendimentos Nasario de S. F. Duarte Jr. Resumo Embora organizações projetizadas (empresas que trabalham sob projetos) existam

Leia mais

Sistemas de Informação Empresarial. Gerencial

Sistemas de Informação Empresarial. Gerencial Sistemas de Informação Empresarial SIG Sistemas de Informação Gerencial Visão Integrada do Papel dos SI s na Empresa [ Problema Organizacional ] [ Nível Organizacional ] Estratégico SAD Gerência sênior

Leia mais

04/09/2013. Sistemas de Informação. Markoni Heringer. Módulo 9. Gerenciamento de Projetos de Sistemas e Tecnologia da Informação

04/09/2013. Sistemas de Informação. Markoni Heringer. Módulo 9. Gerenciamento de Projetos de Sistemas e Tecnologia da Informação Sistemas de Informação Markoni Heringer 2013 Módulo 9 Gerenciamento de Projetos de Sistemas e Tecnologia da Informação 1 Projeto Esforço temporário, adequadamente organizado, visando a solução de um problema,

Leia mais

IF685 Gerenciamento de Dados e Informação - Prof. Robson Fidalgo 1

IF685 Gerenciamento de Dados e Informação - Prof. Robson Fidalgo 1 IF685 Gerenciamento de Dados e Informação - Prof. Robson Fidalgo 1 Banco de Dados Introdução Por: Robson do Nascimento Fidalgo rdnf@cin.ufpe.br IF685 Gerenciamento de Dados e Informação - Prof. Robson

Leia mais

GESTÃO ESTRATÉGICA NA CONSTRUÇÃO CIVIL: METODOLOGIA PARA ANÁLISE DO DESEMPENHO ORGANIZACIONAL

GESTÃO ESTRATÉGICA NA CONSTRUÇÃO CIVIL: METODOLOGIA PARA ANÁLISE DO DESEMPENHO ORGANIZACIONAL GESTÃO ESTRATÉGICA NA CONSTRUÇÃO CIVIL: METODOLOGIA PARA ANÁLISE DO DESEMPENHO ORGANIZACIONAL Renato Paraquett Fernandes Mestrando do Programa de Pós-Graduação e Engenharia Civil/Produção da Universidade

Leia mais

Engenharia de Sistemas

Engenharia de Sistemas UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Engenharia de Sistemas Prof Luís César da Silva, Dr UFES/CCA Conceitos Necessários! Engenharia! Sistema Agroindustriais! Técnicas de Modelagem! Cadeia Produtiva Supply

Leia mais

EXERCÍCIO 3 Metodologia de gestão de processos

EXERCÍCIO 3 Metodologia de gestão de processos Guia de Modelagem de Estruturas Organizacionais EXERCÍCIO 3 Metodologia de gestão de processos Exercício de mapeamento, avaliação, análise e melhoria 1 A gestão de processos permite identificar o conjunto

Leia mais

ANÁLISE CRÍTICA DO PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO ISO DA CONFIANÇA CIA. DE SEGUROS

ANÁLISE CRÍTICA DO PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO ISO DA CONFIANÇA CIA. DE SEGUROS ANÁLISE CRÍTICA DO PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO ISO DA CONFIANÇA CIA. DE SEGUROS Alessandra Lübbe 1 Paulo Roberto de Miranda Samarani 2 RESUMO Este artigo refere-se a proposta de trabalho de conclusão do curso

Leia mais