Impacto da infecção pelo HIV nas ações de controle de TB grandes centros urbanos. Tuberculose e HIV/Aids no Brasil

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Impacto da infecção pelo HIV nas ações de controle de TB grandes centros urbanos. Tuberculose e HIV/Aids no Brasil"

Transcrição

1 Impacto da infecção pelo HIV nas ações de controle de TB grandes centros urbanos III Encontro Nacional de Tuberculose Salvador - Bahia 21 de junho/28 Leda Fátima Jamal Centro de Referência e Treinamento DST/AIDS Programa Estadual DST/Aids São Paulo Tuberculose e HIV/Aids no Brasil TB: 85. casos novos notificados/ano 111. estimados/ano 8 dos portadores de TB são HIV+ AIDS: 25. casos novos por ano Estimativa de 6 mil infectados pelo HIV 13 dos casos com TB na notificação 11/1/28 Tuberculose e HIV/Aids em grandes centros urbanos no Brasil, em 26 Estado de São Paulo: TB: casos novos notificados/26 11,9 (1897) são HIV+ Aids: 5.87 casos/ 26 Estado do Rio de Janeiro: TB: 12.6 casos novos notificados/26 7,4 (897) são HIV+ Aids: casos/ 26 11/1/28 1

2 Tuberculose e HIV/Aids em grandes centros urbanos no Brasil, em 26 Município de São Paulo: TB: casos novos notificados/26 14 (775) são HIV+ Município do Rio de Janeiro: TB: casos novos notificados/26 1 (657) são HIV+ Aids: casos novos / 26 Aids: 2375 casos novos / 26 11/1/28 Metas mundiais para o controle da tuberculose De resultado: Detectar 7 dos casos estimados Curar 85* dos casos detectados Diminuir abandono para 5 (meta nacional) *(rationale para 85 de cura: não mais que 15 dos casos com resultado de tratamento desfavorável, ou seja, em risco de transmitir a doença). Metas para o controle da tuberculose De impacto: Até 215, diminuir pela metade a prevalência e a mortalidade por TB, em relação a

3 Controle da TB Objetivo das atividades de controle: -Interrupção da cadeia de transmissão da TB, com consequente diminuição na incidência, prevalência e mortalidade por TB Atividades de Controle da TB -Detecção de casos através de diagnóstico precoce: - diagnóstico rápido, laboratorial e, em seguida, -conhecimento do mesmo pelo profissional de saúde, com instauração imediata do tratamento - garantir a cura, através de tratamento supervisionado (melhora adesão) -Controle de contatos -Prevenção TB em HIV positivo - maior probabilidade de se infectar - maior probabilidade de desenvolver tuberculose-doença taxa de progressão para doença: estimado em 8 ao ano risco de desenvolver TB durante a vida: 5 Infecção oportunista mais frequente Uma das principais causas de morte 3

4 Impacto do HIV no controle da TB Positivo: -Melhora no arsenal e na qualidade do diagnóstico de TB (HIV+ são frequentemente paucibacilares, o que impulsionou o desenvolvimento de novas ferramentas). -Pesquisas de novos fármacos --Melhora da posologia (novas apresentações) -Relativização do estigma da TB - retorno do ativismo social Impacto do HIV no controle da TB -Negativo: -Dificuldade na detecção de casos (paucibacilifero, imagens radiologicas atipicas, sintomas não específicos) -Dificuldade na aplicação de medidas de vigilância epidemiológica (visitas domiciliares, controle de contatos) sigilo HIV -Dificuldade na adesão (menores taxas de cura) - Aumento da mortalidade Impacto do HIV no controle da TB - Negativo: -Dificuldade na adesão: - menor adesão ao serviço e ao tratamento supervisionado (populações em maior risco para HIV são também as de mais difícil controle da TB albergues, presídios, usuários de drogas) -- dificuldade de implantação do tratamento supervisionado para todos (dificuldade de locomoção do paciente, sigilo para o HIV, -- dificil manejo de drogas ARV/anti-TB (numero cps, eventos adversos) 4

5 Impacto do HIV sobre a tuberculose - excesso de diagnóstico de casos com baciloscopia negativa - baixas taxas de cura - elevação importante das taxas de: abandono óbito durante tratamento recidiva - aumento de casos de tuberculose resistente Distribuição dos casos de TB, por resultado de tratamento e resultado de HIV, estado de São Paulo, HIV+ (n=2481) HIV- (n=1798) TB geral (n=18718) cura abandon o obito s/ encerr HIV+ (n=2481) 46,2 16,4 25,1 7,9 HIV- (n=1798) 81,8 8,3 3,8 2,74 TB geral (n=18718) 7,2 1,9 9,6 5,36 Obs: HIV em andamento: 1261; Não realizado: 32; sem informação: 1176 (total ignorado= ) Fonte: Divisão de Tuberculose CVE/ SES-São Paulo Distribuição dos casos novos de TB, por resultado de tratamento e resultado de HIV, estado de São Paulo, HIV+ (n=1897) HIV- (n=9293) TB geral (n=15916) cura abandono obito s/ encerr HIV+ (n=1897) 46,9 13,2 27 8,1 HIV- (n=9293) 83,9 7,1 3,7 2,4 TB geral (n=15916) 72,2 9,3 9,6 5,1 Obs: HIV em andamento: 181; Não realizado: 2629; sem informação: 626 (total ignorado= ,2) Fonte: Divisão de Tuberculose CVE/ SES-São Paulo 5

6 Distribuição dos casos novos de TB, por resultado de tratamento e resultado de HIV, estado do Rio de Janeiro, HIV+(n=897) HIV- (n=2729) TB total (n=126) cura abandono obito s/ encerr HIV+(n=897) 39,6 9 15,4 24,8 HIV- (n=2729) 71,5 6,1 3,9 9,7 TB total (n=126) 62,3 1,9 4,9 14,4 Obs: HIV em andamento: 3969; Não realizado: 4465; (total ignorado= ,9) Fonte: Programa Estadual Tuberculose Rio de Janeiro Distribuição dos casos de TB, por resultado de tratamento e resultado de HIV, município de São Paulo, HIV+ (n=775) HIV- (n=3117) TB geral (n=5561) cura abandono obito s/ encerr HIV+ (n=775) 44,8 16,9 27,9 1,2 HIV- (n=3117) 82,1 9,3 3,7 3,5 TB geral (n=5561) 7,6 12,5 9,2 6,5 Fonte: Programa Municipal de Tuberculose SMS/São Paulo Distribuição dos casos de TB, por resultado de tratamento e resultado de HIV, município do Rio de Janeiro, cura abandono obito HIV+ (n=657) HIV- (n=1749) TB geral (n=6473) HIV+ (n=657) 34 8,2 15,1 HIV- (n=1749) 68,1 5,5 2,8 TB geral (n=6473) 54 9,8 4,9 S/ informaçao HIV: 467 (62,8) Fonte: Programa Municipal TB - RJ 6

7 Distribuição dos casos de TB, por tipo de administração de tratamento e resultado de HIV, município de São Paulo, HIV+ (n=775) HIV- (n=3117) TB geral (n=5561) 2 supervisionado auto-administrado HIV+ (n=775) 2 8 HIV- (n=3117) 47,4 52,6 TB geral (n=5561) 38,4 61,6 Fonte: Programa Municipal de Tuberculose SMS/São Paulo Principais causas associadas a óbitos por Aids. Estado de São Paulo, 1997 e Pneum onia TB Sepsis Toxop * lasm Cripto Neopl PCP CMV MAC c asia ,8 18,7 16,5 12,6 8,3 3,9 2,6 1,8 1, ,6 11, ,6 1,5,6 fonte: Santo et al., Rev Saude Publ, 22 Distribuição dos casos de TBMR, por resultado de tratamento e resultado de HIV, cura abandono obito em trat favoravel s/inform HIV+ (n=58) HIV- (n=699) TBMR geral (n=788) HIV+ (n=58) 36,2 15, ,1 1,7 HIV- (n=699) 51,4 7,7 7,5 11,7 3,7 TBMR geral (n=788) 49,1 8,8 8,8 11,7 3,9 Fonte: Sistema de Informação - Centro de Referência Prof. Helio Fraga - RJ 7

8 Teste de sensibilidade para medicamentos anti-tb, de pacientes HIV+, no primeiro e segundo* diagnósticos no Serviço. Centro de Referência e Treinamento DST/Aids, Nº: TS1=596 TS2=88 5 TB1 TB2* sensível 86,1 72,7 resistente** 13,9 27,3 MDR*** 5,7 19,3 episódio de TB sensível resistente** MDR*** N: TS1=526 TS2=78 *independentemente de ter ou não um teste de sensibilidade no primeiro diagnóstico de TB **resistência ao menos a uma droga testada. ***resistência ao menos à rifampicina e isoniazida Fonte: Vigilância Epidemiológica CRT-DST/Aids (dados preliminares até agosto/25). Estratégias para Controle de TB 1) Prevenção: -do HIV: --acesso ao serviço, à informação --preservativos - Da TB em HIV+: quimioprofilaxia, TARV 2) Detecção precoce da TB: - Baciloscopia, cultura e identificação para todos os pacientes HIV+ com suspeita de TB. - Cultura automatizada como forma de agilizar o diagnóstico. 3) DOTS tratamento supervisionado Estratégias para melhora da sobrevida em Aids 1) Prevenção da TB: -TARV -Quimioprofilaxia da TB 2) Detecção precoce da TB: - Baciloscopia, cultura e identificação para todos os pacientes HIV+ com suspeita de TB. - Cultura automatizada como forma de agilizar o diagnóstico. 3) DOTS para TB 8

9 Integração das atividades de controle da Tb e da Aids Diminuir o peso do HIV nos pacientes com tuberculose: Terapia ARV Procura de casos de tuberculose (com implementação do diagnóstico de certeza da TB) Diagnóstico de TB latente em pacientes HIV+ e tratamento preventivo com INH Melhora da adesão ao tratamento ARV e anti-tb (diminuição do abandono e do tratamento irregular) Integração das atividades de controle da TB e da Aids Diminuir o peso do HIV nos pacientes com tuberculose: prevenção da transmissão do HIV Aconselhamento e teste anti-hiv Terapia ARV Acesso a serviços com boa qualidade de atendimento e de suporte diagnóstico Metas mundiais para o controle da tuberculose De resultado: Detectar 7 dos casos estimados Curar 85* dos casos detectados Diminuir abandono para 5 (meta nacional) *(rationale para 85 de cura: não mais que 15 dos casos com resultado de tratamento desfavorável, ou seja, em risco de transmitir a doença). 9

10 Agradecimentos: Gisele Oliveira - PNCT Mariza Tancredi V.E. CRT-DST/Aids-SP Dr. Miguel Hijjar CRPHF RJ Dra. Naomi Komatsu e técnicos do Programa Municipal TB - SP Dra. Rossana Brito Programa Estadual de TB - RJ Dra. Solange Cavalcanti Programa Municipal de TB RJ Dra. Vera Galesi e técnicos da Divisão de Tuberculose- SES/SP 1

Mortalidade por Aids no Brasil

Mortalidade por Aids no Brasil Mortalidade por Aids no Brasil 2º Seminário de Estudos e Pesquisas em DST/HIV/Aids Dezembro, 2009 Denize Lotufo Estevam Programa Estadual de DST/Aids SP Mudanças nas causas de óbito em HIV entre 2000 e

Leia mais

Definição. Fatores de Risco e Conduta na Tuberculose Multirresistente. Tuberculose Multirresistente

Definição. Fatores de Risco e Conduta na Tuberculose Multirresistente. Tuberculose Multirresistente Fatores de Risco e Conduta na Tuberculose Multirresistente Eliana Dias Matos Tuberculose Multirresistente Definição Resistência simultânea à Rifampicina e Isoniazida, associada ou não à resistência a outros

Leia mais

Programa Estadual de Controle da Tuberculose. Coordenadora: Nardele Maria Juncks Equipe: Márcia Aparecida Silva Sônia Maura Coelho Mariana Hoffelder

Programa Estadual de Controle da Tuberculose. Coordenadora: Nardele Maria Juncks Equipe: Márcia Aparecida Silva Sônia Maura Coelho Mariana Hoffelder SANTA CATARINA Programa Estadual de Controle da Tuberculose Coordenadora: Nardele Maria Juncks Equipe: Márcia Aparecida Silva Sônia Maura Coelho Mariana Hoffelder tuberculose@saude.sc.gov.br SECRETARIA

Leia mais

Avanços no Controle da Tuberculose no Brasil

Avanços no Controle da Tuberculose no Brasil Avanços no Controle da Tuberculose no Brasil CGPNCT / DEVEP Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde tuberculose@saude.gov.br Março/2015 Tuberculose no Mundo Um terço da população está infectada

Leia mais

Coinfecção TB HIV Recomendações. Marli Marques Gerente Técnica do PCT/PCH/SES/MS

Coinfecção TB HIV Recomendações. Marli Marques Gerente Técnica do PCT/PCH/SES/MS Coinfecção TB HIV Recomendações Marli Marques Gerente Técnica do PCT/PCH/SES/MS Tuberculose no Brasil 70 mil casos novos de TB notificados em 2011 4,6 mil mortes em 2010 17º país em número de casos entre

Leia mais

HIV/TB Desafios. MD Teresinha Joana Dossin Infectologista HNSC / Hospital Sanatório Partenon

HIV/TB Desafios. MD Teresinha Joana Dossin Infectologista HNSC / Hospital Sanatório Partenon HIV/TB Desafios MD Teresinha Joana Dossin Infectologista HNSC / Hospital Sanatório Partenon AIDS no Brasil De 1980 até junho de 2011, o Brasil tem 608.230 casos de AIDS registrados Em 2010, taxa de incidência

Leia mais

SEMINÁRIO VIGILÂNCIA E CONTROLE DA TUBERCULOSE E DOENÇAS DIARREICAS AGUDAS NA POPULAÇÃO INDÍGENA. Salvador, 23 e 24 de julho de 2013

SEMINÁRIO VIGILÂNCIA E CONTROLE DA TUBERCULOSE E DOENÇAS DIARREICAS AGUDAS NA POPULAÇÃO INDÍGENA. Salvador, 23 e 24 de julho de 2013 SEMINÁRIO VIGILÂNCIA E CONTROLE DA TUBERCULOSE E DOENÇAS DIARREICAS AGUDAS NA POPULAÇÃO INDÍGENA Salvador, 23 e 24 de julho de 2013 O QUE É A TUBERCULOSE: RELEMBRANDO... Doença infecto-contagiosa causada

Leia mais

Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina

Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Universidade de São Paulo Faculdade de Medicina Alba Fumiko Simakawa Importância das Ações Contra a Tuberculose na Prevenção da Infecção pelo HIV Monografia apresentada no curso de Especialização em Prevenção

Leia mais

Situação da Tuberculose no Brasil

Situação da Tuberculose no Brasil Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de Vigilância Epidemiológica Programa Nacional de Controle da Tuberculose Situação da Tuberculose no Brasil Draurio Barreira Coordenador

Leia mais

Desafios para o controle da

Desafios para o controle da Desafios para o controle da Tuberculose como problema de saúde pública e doença determinada Tuberculose e perpetuadora no Brasil da miséria Draurio Barreira Coordenador do PNCT Draurio Barreira Coordenador

Leia mais

TUBERCULOSE E AS POLÍTICAS DE CONTROLE DA DOENÇA NO BRASIL: UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA

TUBERCULOSE E AS POLÍTICAS DE CONTROLE DA DOENÇA NO BRASIL: UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA TUBERCULOSE E AS POLÍTICAS DE CONTROLE DA DOENÇA NO BRASIL: UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA Gabriele Balbinot 1 Alessandra Vidal da Silva 2 Claudia Ross 3 INTRODUÇÃO: A tuberculose é uma das enfermidades mais

Leia mais

Hélio Vasconcellos Lopes

Hélio Vasconcellos Lopes HIV/AIDS no Município de Santos e dados brasileiros Hélio Vasconcellos Lopes Coordenador do Programa Municipal DST/AIDS/Hepatites da Secretaria Municipal de Saúde Professor titular da Faculdade de Medicina

Leia mais

Seminário estratégico de enfrentamento da. Janeiro PACTUAÇÃO COM GESTORES MUNICIPAIS. Maio, 2013

Seminário estratégico de enfrentamento da. Janeiro PACTUAÇÃO COM GESTORES MUNICIPAIS. Maio, 2013 Seminário estratégico de enfrentamento da Tuberculose e Aids no Estado do Rio de Janeiro PACTUAÇÃO COM GESTORES MUNICIPAIS Maio, 2013 1.Detecção de casos e tratamento da tuberculose 1.1. Descentralizar

Leia mais

SITUAÇÃO DA TUBERCULOSE NAS FAA

SITUAÇÃO DA TUBERCULOSE NAS FAA Forças Armadas Angolanas Estado Maior General Direcção dos Serviços de Saúde SITUAÇÃO DA TUBERCULOSE NAS FAA Capitão de M. Guerra/ Médico Isaac Francisco Outubro/2014 Caracterização de Angola Capital:

Leia mais

Economia Política da Prevenção e Tratamento das DST e Aids

Economia Política da Prevenção e Tratamento das DST e Aids IV Congresso Brasileiro de Prevenção das DST e AIDS Economia Política da Prevenção e Tratamento das DST e Aids Sérgio Francisco Piola Belo Horizonte, 7 de novembro de 2006. O Programa Brasileiro tem tido

Leia mais

Aspectos Epidemiológicos da Tuberculose em Santa Catarina

Aspectos Epidemiológicos da Tuberculose em Santa Catarina HOSPITAL NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO Aspectos Epidemiológicos da Tuberculose em Santa Catarina Péricles B. Spártalis Jr. Tubarão, 17/11/2011 Conceitos Tuberculose Multirresistente = M. tuberculosis resistente

Leia mais

Lílian Maria Lapa Montenegro Departamento de Imunologia Laboratório rio de Imunoepidemiologia

Lílian Maria Lapa Montenegro Departamento de Imunologia Laboratório rio de Imunoepidemiologia XVIII Congresso Mundial de Epidemiologia e VII Congresso Brasileiro de Epidemiologia Avaliação do desempenho da técnica de nested- PCR em amostras de sangue coletadas de pacientes pediátricos com suspeita

Leia mais

CASOS CLÍNICOS. Referentes às mudanças no tratamento da tuberculose no Brasil. Programa Nacional de Controle da Tuberculose DEVEP/SVS/MS

CASOS CLÍNICOS. Referentes às mudanças no tratamento da tuberculose no Brasil. Programa Nacional de Controle da Tuberculose DEVEP/SVS/MS CASOS CLÍNICOS Referentes às mudanças no tratamento da tuberculose no Brasil Programa Nacional de Controle da Tuberculose DEVEP/SVS/MS Departamento de Vigilância Epidemiológica Caso 1 Caso novo de TB pulmonar

Leia mais

Transmissão Vertical do HIV e da Sífilis: Os Avanços no Controle do HIV e. O Descompasso no Controle da. Sífilis Congênita

Transmissão Vertical do HIV e da Sífilis: Os Avanços no Controle do HIV e. O Descompasso no Controle da. Sífilis Congênita Transmissão Vertical do HIV e da Sífilis: Os Avanços no Controle do HIV e O Descompasso no Controle da Sífilis Congênita Porquê é um Desafio para a Saúde Pública? Agente etiológico conhecido História natural

Leia mais

O que mudou? Para fins de busca de caso de TB pulmonar deve ser considerado sintomático respiratório o indivíduos que apresente:

O que mudou? Para fins de busca de caso de TB pulmonar deve ser considerado sintomático respiratório o indivíduos que apresente: O que mudou? Marcus B. Conde Comissão de Tuberculose/SBPT Instituto de Doenças de Tórax/UFRJ marcusconde@hucff.ufrj.br Para fins de busca de caso de TB pulmonar deve ser considerado sintomático respiratório

Leia mais

ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL

ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL Das Atribuições dos Profissionais dos Recursos Humanos Atribuições comuns a todos os profissionais que integram a equipe: Conhecer a realidade das famílias pelas

Leia mais

Teste Rápido Molecular (TRM-TB): uma nova tecnologia para o diagnóstico da tuberculose

Teste Rápido Molecular (TRM-TB): uma nova tecnologia para o diagnóstico da tuberculose Teste Rápido Molecular (TRM-TB): uma nova tecnologia para o diagnóstico da tuberculose Programa Nacional de Controle da Tuberculose Departamento de Vigilância Epidemiológica Secretaria de Vigilância em

Leia mais

HIV/aids no Brasil - 2012

HIV/aids no Brasil - 2012 HIV/aids no Brasil - 2012 Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde Novembro de 2012 HIV Dados gerais Prevalência do HIV maior entre homens (15

Leia mais

REDUÇÃO DE DANOS EM SERVIÇOS DE SAÚDE

REDUÇÃO DE DANOS EM SERVIÇOS DE SAÚDE REDUÇÃO DE DANOS EM SERVIÇOS DE SAÚDE Prevalência do HIV nas Populações mais Vulneráveis População em geral 0,65% Profissionais do sexo 6,6% Presidiários - 20% Usuários de drogas injetáveis 36,5% REDUÇÃO

Leia mais

Aplicação de Programa de Controle de Tuberculose Nosocomial no Instituto de Infectologia Emílio Ribas

Aplicação de Programa de Controle de Tuberculose Nosocomial no Instituto de Infectologia Emílio Ribas Aplicação de Programa de Controle de Tuberculose Nosocomial no Instituto de Infectologia Emílio Ribas Instituto de Infectologia Emílio Ribas Referência em doenças infecciosas, com 230 leitos (60% para

Leia mais

Tuberculose O controle pode ser atingido? Erradicação. Eliminação 03/07/2012

Tuberculose O controle pode ser atingido? Erradicação. Eliminação 03/07/2012 Tuberculose O controle pode ser atingido? Sidney Bombarda Comissão de Tuberculose - SBPT Divisão de Tuberculose - SES SP Disciplina de Pneumologia - FMUSP Erradicação Forma radical de controle Extinção,

Leia mais

TB - TUBERCULOSE TBMR - TIME BOMB? Alexandre Milagres Mycobacterium tuberculosis 1882 Bacilo de Koch - BK Robert Koch _ 1843 1910 Prêmio Nobel de Medicina em 1905 2010 1882 = 128 anos da descoberta FATORES

Leia mais

Plano Estratégico para o Controle da Tuberculose, Brasil 2007-2015.

Plano Estratégico para o Controle da Tuberculose, Brasil 2007-2015. MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE DEPARTAMENTO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA COORDENAÇÃO GERAL DE DOENÇAS ENDÊMICAS PROGRAMA NACIONAL DE CONTROLE DA TUBERCULOSE Plano Estratégico para

Leia mais

Programa Estadual de Controle da Tuberculose

Programa Estadual de Controle da Tuberculose Programa Estadual de Controle da Tuberculose Programa Estadual de Apoio aos Consórcios Intermunicipais de Saúde COMSUS Curitiba, 10 e 11 de abril de 2014. Estimativa da incidência da tuberculose, 2012.

Leia mais

AVALIAÇÃO DA EPIDEMIA DE AIDS NO RIO GRANDE DO SUL dezembro de 2007

AVALIAÇÃO DA EPIDEMIA DE AIDS NO RIO GRANDE DO SUL dezembro de 2007 AVALIAÇÃO DA EPIDEMIA DE AIDS NO RIO GRANDE DO SUL dezembro de 2007 Notas importantes: O Banco de dados (BD) do Sistema de Informação Nacional de Agravos de Notificação (SINAN) vem sofrendo nos últimos

Leia mais

Boletim Epidemiológico

Boletim Epidemiológico Secretaria Municipal de Saúde de Janaúba - MG Edição Julho/ 2015 Volume 04 Sistema Único de Saúde TUBERCULOSE VIGILÂNCIA Notifica-se, apenas o caso confirmado de tuberculose (critério clinico-epidemiológico

Leia mais

AVALIAÇÃO DA EPIDEMIA DE AIDS NO RIO GRANDE DO SUL dezembro de 2007

AVALIAÇÃO DA EPIDEMIA DE AIDS NO RIO GRANDE DO SUL dezembro de 2007 AVALIAÇÃO DA EPIDEMIA DE AIDS NO RIO GRANDE DO SUL dezembro de 2007 Notas importantes: O Banco de dados (BD) do Sistema de Informação Nacional de Agravos de Notificação (SINAN) vem sofrendo nos últimos

Leia mais

Programa de controle da Tuberculose na Estratégia de Saúde da Família

Programa de controle da Tuberculose na Estratégia de Saúde da Família Programa de controle da Tuberculose na Estratégia de Saúde da Família Dairton da Silva Vieira Aluno do Curso de Graduação em Enfermagem. Hogla Cardozo Murai Docente do Curso de Graduação em Enfermagem.

Leia mais

ÁREA TÉCNICA DA TUBERCULOSE

ÁREA TÉCNICA DA TUBERCULOSE SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE COORDENADORIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA GERÊNCIA DE VIGILÂNCIA DE DOENÇAS E AGRAVOS ENDÊMICOS ÁREA TÉCNICA DA TUBERCULOSE MATO GROSSO NOVEMBRO/2009 TUBERCULOSE

Leia mais

TB - TUBERCULOSE. Prof. Eduardo Vicente

TB - TUBERCULOSE. Prof. Eduardo Vicente TB - TUBERCULOSE Prof. Eduardo Vicente A História do TB A tuberculose foi chamada antigamente de "peste cinzenta", e conhecida também em português como tísica pulmonar ou "doença do peito" - é uma das

Leia mais

Secretaria da Saúde do Estado da Bahia Ministério da Saúde. Tuberculose. Informações para Agentes Comunitários de Saúde

Secretaria da Saúde do Estado da Bahia Ministério da Saúde. Tuberculose. Informações para Agentes Comunitários de Saúde Secretaria da Saúde do Estado da Bahia Ministério da Saúde Tuberculose Informações para Agentes Comunitários de Saúde 2011. Secretaria da Saúde do Estado da Bahia É permitida a reprodução parcial desta

Leia mais

Atraso na introdução da terapia anti-retroviral em pacientes infectados pelo HIV. Brasil, 2003-2006

Atraso na introdução da terapia anti-retroviral em pacientes infectados pelo HIV. Brasil, 2003-2006 Atraso na introdução da terapia anti-retroviral em pacientes infectados pelo HIV. Brasil, 2003-2006 Paulo Roberto Borges de Souza-Jr Célia Landmann Szwarcwald Euclides Ayres de Castilho A Terapia ARV no

Leia mais

Epidemiologia da tuberculose: importância no mundo, no Brasil e no Rio de Janeiro.

Epidemiologia da tuberculose: importância no mundo, no Brasil e no Rio de Janeiro. Curso de tuberculose - aula 1 Epidemiologia da tuberculose: importância no mundo, no Brasil e no Rio de Janeiro. Epidemiology of tuberculosis in the world, Brasil and Rio de Janeiro. Miguel Aiub Hijjar

Leia mais

Informe Técnico de Tuberculose Edição nº 5 Julho 2010

Informe Técnico de Tuberculose Edição nº 5 Julho 2010 Edição nº 5 Julho 010 Novo sistema de tratamento da tuberculose para adultos e adolescentes no Brasil A tuberculose continua sendo um importante problema de saúde pública mundial, exigindo o desenvolvimento

Leia mais

FATORES ASSOCIADOS À ADESÃO E ABANDONO DO TRATAMENTO DA TUBERCULOSE

FATORES ASSOCIADOS À ADESÃO E ABANDONO DO TRATAMENTO DA TUBERCULOSE FATORES ASSOCIADOS À ADESÃO E ABANDONO DO TRATAMENTO DA TUBERCULOSE Arieli Rodrigues Nóbrega Videres¹- arieli.nobrega@hotmail.com Layz Dantas de Alencar²- layzalencar@gmail.com ¹ Professora mestre do curso

Leia mais

BAHIA MANUAL PRÁTICO TABNET TUBERCULOSE

BAHIA MANUAL PRÁTICO TABNET TUBERCULOSE BAHIA MANUAL PRÁTICO TABNET TUBERCULOSE Salvador-BA Agosto/2012 DIRETORIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA DO ESTADO DA BAHIA PROGRAMA ESTADUAL DE CONTROLE DA TUBERCULOSE - BAHIA MANUAL PRÁTICO TABNET TUBERCULOSE

Leia mais

ROTINA PARA ATENDIMENTO DOS CASOS DE TUBERCULOSE RESISTENTE ÀS DROGAS

ROTINA PARA ATENDIMENTO DOS CASOS DE TUBERCULOSE RESISTENTE ÀS DROGAS ROTINA PARA ATENDIMENTO DOS CASOS DE TUBERCULOSE RESISTENTE ÀS DROGAS (Referência Terciária) I- Introdução A rotina para atendimento aos pacientes com tuberculose resistente às drogas está sendo redesenhada

Leia mais

Nota Técnica 003/2011/SMS/VS/GVE

Nota Técnica 003/2011/SMS/VS/GVE Nota Técnica 003/2011/SMS/VS/GVE Assunto: Orienta os profissionais sobre as Novas Recomendações para Controle da Tuberculose no Brasil e em Florianópolis. Esta nota técnica divulga as modificações no sistema

Leia mais

Efeito da estratégia DOTS e fatores associados ao óbito e ao abandono de tratamento em casos de TB residentes em Recife, PE

Efeito da estratégia DOTS e fatores associados ao óbito e ao abandono de tratamento em casos de TB residentes em Recife, PE XVIII Congresso Mundial de Epidemiologia VII Congresso Brasileiro de Epidemiologia Efeito da estratégia DOTS e fatores associados ao óbito e ao abandono de tratamento em casos de TB residentes em Recife,

Leia mais

PRIORIDADES PARA A REDE DE LABORATÓRIOS E O DE REFERÊNCIA NACIONAL

PRIORIDADES PARA A REDE DE LABORATÓRIOS E O DE REFERÊNCIA NACIONAL PRIORIDADES PARA A REDE DE LABORATÓRIOS E O DE REFERÊNCIA NACIONAL O SISTEMA NACIONAL DE LABORATÓRIOS DE SAÚDE PÚBLICA (SNLSP) FOI INSTITUIDO ATRAVÉS DA PORTARIA MINISTERIAL Nº 280/BSB DE 21/07/77 E FOI

Leia mais

PREVENÇÃO DE DST/AIDS APÓS VIOLÊNCIA SEXUAL AVALIAÇÃO DOS CASOS NOTIFICADOS À SES/RS.

PREVENÇÃO DE DST/AIDS APÓS VIOLÊNCIA SEXUAL AVALIAÇÃO DOS CASOS NOTIFICADOS À SES/RS. PREVENÇÃO DE DST/AIDS APÓS VIOLÊNCIA SEXUAL AVALIAÇÃO DOS CASOS NOTIFICADOS À SES/RS. Introdução e método: A violência física em especial a violência sexual é, sem dúvida, um problema de saúde pública.

Leia mais

POLÍTICA BRASILEIRA DE AIDS PRINCIPAIS RESULTADOS E AVANÇOS 1994 2002

POLÍTICA BRASILEIRA DE AIDS PRINCIPAIS RESULTADOS E AVANÇOS 1994 2002 POLÍTICA BRASILEIRA DE AIDS PRINCIPAIS RESULTADOS E AVANÇOS 1994 2002 PREVENÇÃO ASSISTÊNCIA E TRATAMENTO DIREITOS HUMANOS COOPERAÇÃO INTERNACIONAL DESAFIOS PREVENÇÃO Mais de 30 campanhas de massa para

Leia mais

Construção de um sistema de monitoramento da epidemia de aids: Desafios e Lições Aprendidas

Construção de um sistema de monitoramento da epidemia de aids: Desafios e Lições Aprendidas Construção de um sistema de monitoramento da epidemia de aids: Desafios e Lições Aprendidas XVIII Congresso Mundial de Epidemiologia Porto Alegre, 21-24 de outubro 2008 Célia Landmann Szwarcwald celials@cict.fiocruz.br

Leia mais

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA SAÚDE

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA SAÚDE REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA SAÚDE ACTIVIDADES COLABORATIVAS TB/HIV EXPERIÊNCIA DE MOÇAMBIQUE 18ª Reunião do Núcleo do Grupo de Trabalho Global sobre TB/HIV e Seminário para intensificar a implementação

Leia mais

a) Situação-problema e/ou demanda inicial que motivou e/ou requereu o desenvolvimento desta iniciativa;

a) Situação-problema e/ou demanda inicial que motivou e/ou requereu o desenvolvimento desta iniciativa; TÍTULO DA PRÁTICA: PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DOS CASOS DE TUBERCULOSE DO DISTRITO SANITÁRIO CENTRO 2011: apresentação regular dos dados de tuberculose as unidades do Distrito Sanitário Centro CÓDIGO DA PRÁTICA:

Leia mais

SAúDE e PReVENÇãO NaS ESCoLAS Atitude pra curtir a vida

SAúDE e PReVENÇãO NaS ESCoLAS Atitude pra curtir a vida SAúDE e PReVENÇãO NaS ESCoLAS Atitude pra curtir a vida UNAIDS/ONUSIDA Relatório para o Dia Mundial de Luta contra AIDS/SIDA 2011 Principais Dados Epidemiológicos Pedro Chequer, Diretor do UNAIDS no Brasil

Leia mais

CONHECENDO A TUBERCULOSE

CONHECENDO A TUBERCULOSE CONHECENDO A TUBERCULOSE Œ Tuberculose Œ Transmissão Œ Sintomas Iniciais Œ Diagnóstico Œ Contatos Œ Tratamento Œ Convívio Social Œ Vacinação Œ TB, AIDS Œ Alcoolismo Œ Prevenção Œ Cura O QUE É TUBERCULOSE?

Leia mais

Linhas de Cuidado da Transmissão Vertical do HIV e Sífilis. 18 de junho de 2012

Linhas de Cuidado da Transmissão Vertical do HIV e Sífilis. 18 de junho de 2012 Linhas de Cuidado da Transmissão Vertical do HIV e Sífilis 18 de junho de 2012 LINHA DE CUIDADO TV DO HIV Unidade Básica de Saúde (diagnóstico e encaminhamento) Serviço de Atenção Especializada (Pré-natal,

Leia mais

FACULDADE CATÓLICA SALESIANA GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM TUBERCULOSE. Profª Ma. Júlia Arêas Garbois VITÓRIA 2015

FACULDADE CATÓLICA SALESIANA GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM TUBERCULOSE. Profª Ma. Júlia Arêas Garbois VITÓRIA 2015 FACULDADE CATÓLICA SALESIANA GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM TUBERCULOSE Profª Ma. Júlia Arêas Garbois VITÓRIA 2015 TUBERCULOSE Doença infecciosa, atinge, principalmente, o pulmão. Éuma doença grave, transmitida

Leia mais

Plano de Qualificação das Linhas de Cuidados da Transmissão Vertical do HIV e da Sífilis nos Estados do Semiárido e Amazônia Legal

Plano de Qualificação das Linhas de Cuidados da Transmissão Vertical do HIV e da Sífilis nos Estados do Semiárido e Amazônia Legal Plano de Qualificação das Linhas de Cuidados da Transmissão Vertical do HIV e da Sífilis nos Estados do Semiárido e Amazônia Legal O que é Transmissão Vertical HIV e Sífilis? A transmissão vertical do

Leia mais

QUANTO ANTES VOCÊ TRATAR, MAIS FÁCIL CURAR.

QUANTO ANTES VOCÊ TRATAR, MAIS FÁCIL CURAR. QUANTO ANTES VOCÊ TRATAR, MAIS FÁCIL CURAR. E você, profissional de saúde, precisa estar bem informado para contribuir no controle da tuberculose. ACOLHIMENTO O acolhimento na assistência à saúde diz respeito

Leia mais

acesso GraTUITO ao TraTaMENTO aumenta a SOBrEVIDa DOS PaCIENTES COM HIV/aIDS

acesso GraTUITO ao TraTaMENTO aumenta a SOBrEVIDa DOS PaCIENTES COM HIV/aIDS acesso GraTUITO ao TraTaMENTO aumenta a SOBrEVIDa DOS PaCIENTES COM HIV/aIDS GRÁFICO 1 35 3 25 2 15 1 5 Estima-se que 63 mil pessoas vivam com HIV/AIDS no País [1]. A taxa de prevalência da infecção na

Leia mais

Resumo do Perfil epidemiológico por regiões. HIV e Aids no Município de São Paulo 2014 SAÚDE 1

Resumo do Perfil epidemiológico por regiões. HIV e Aids no Município de São Paulo 2014 SAÚDE 1 Resumo do Perfil epidemiológico por regiões HIV e Aids no Município de São Paulo 2014 Resumo do perfil epidemiológico por regiões SAÚDE 1 HIV e Aids no Município de São Paulo 2014 APRESENTAçÃO Hoje, no

Leia mais

Tuberculose, o que é?

Tuberculose, o que é? Tuberculose, o que é? P Á T R I A E D U C A D O R A O que é tuberculose? A tuberculose é uma doença infecciosa causada por um micróbio visível apenas ao microscópio chamado bacilo de Koch. Uma doença causada

Leia mais

O Sr. CELSO RUSSOMANNO (PP-SP) pronuncia o. seguinte discurso: Senhor Presidente, Senhoras e Senhores

O Sr. CELSO RUSSOMANNO (PP-SP) pronuncia o. seguinte discurso: Senhor Presidente, Senhoras e Senhores O Sr. CELSO RUSSOMANNO (PP-SP) pronuncia o seguinte discurso: Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados, transcorreram já mais de duas décadas desde que a Síndrome da Imunodeficiência Adquirida

Leia mais

CRT DST/Aids Coordenação Estadual DST/Aids SP

CRT DST/Aids Coordenação Estadual DST/Aids SP CRT DST/Aids Coordenação Estadual DST/Aids SP 2012 6º Objetivo de Desenvolvimento do Milênio COMBATER O HIV/AIDS, A MALÁRIA E OUTRAS DOENÇAS A inclusão do combate ao HIV/Aids nas Metas do Milênio, foi

Leia mais

Mudanças no sistema de tratamento da tuberculose do Brasil Perguntas e respostas freqüentes TRATAMENTO

Mudanças no sistema de tratamento da tuberculose do Brasil Perguntas e respostas freqüentes TRATAMENTO Mudanças no sistema de tratamento da tuberculose do Brasil Perguntas e respostas freqüentes TRATAMENTO 1- O que mudou no tratamento da tuberculose (TB) padronizado no Brasil? A principal mudança consiste

Leia mais

Diminui a mortalidade por Aids no Estado de São Paulo

Diminui a mortalidade por Aids no Estado de São Paulo Diminui a mortalidade por Aids no Estado de São Paulo Em 2012, ocorreram 2.767 óbitos por Aids no Estado de São Paulo, o que representa importante queda em relação ao pico observado em 1995 (7.739). A

Leia mais

PROGRAMA ESTADUAL DE CONTROLE DA TUBERCULOSE

PROGRAMA ESTADUAL DE CONTROLE DA TUBERCULOSE PROGRAMA ESTADUAL DE CONTROLE DA TUBERCULOSE Área geográfica = 95,4 mil Km² equivalente a 1,12 do território rio nacional População = 6.049.234 habitantes Nº de municípios do Estado = 293 Nº de municípios

Leia mais

Combater o HIV/Aids, a malária e outras doenças

Combater o HIV/Aids, a malária e outras doenças Combater o HIV/Aids, a malária e outras doenças META Até 2015, ter detido a propagação do HIV/Aids e começado a inverter a tendência atual. 6a META Alcançar, até, o acesso universal ao tratamento para

Leia mais

TRANSMISSÃO VERTICAL DO HIV

TRANSMISSÃO VERTICAL DO HIV TRANSMISSÃO VERTICAL DO HIV VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA PROGRAMA ESTADUAL DE DST/AIDS DE SÃO PAULO MAIO 2014 SITUAÇÃO E METAS GLOBAIS - UNAIDS ELIMINAR INFECÇÕES PELO HIV EM CRIANÇAS E REDUZIR MORTE MATERNA

Leia mais

6A Aids e a tuberculose são as principais

6A Aids e a tuberculose são as principais objetivo 6. Combater Hiv/aids, malária e outras doenças O Estado da Amazônia: Indicadores A Amazônia e os Objetivos do Milênio 2010 causas de mortes por infecção no mundo. Em 2008, 33,4 milhões de pessoas

Leia mais

O Perfil Dos Usuários Do Grupo De Apoio Às DST s E AIDS, Viçosa - MG 1

O Perfil Dos Usuários Do Grupo De Apoio Às DST s E AIDS, Viçosa - MG 1 O Perfil Dos Usuários Do Grupo De Apoio Às DST s E AIDS, Viçosa - MG 1 Talita da Conceição de Oliveira Fonseca. Economista Doméstica. Endereço: Rua João Valadares Gomes nº 210, bairro JK, Viçosa-MG. E-mail:

Leia mais

Pólos de testes anti-hiv para gestantes

Pólos de testes anti-hiv para gestantes Pólos de testes anti-hiv para gestantes Contexto Validação de testes rápidos para diagnóstico sorológico da infecção pelo HIV; Publicação, pelo Ministério da Saúde, da portaria número 34 de julho de 2005,

Leia mais

LEANDRO BONFIM DE CASTRO

LEANDRO BONFIM DE CASTRO UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ FACULDADE DE MEDICINA DEPARTAMENTO DE SAÚDE COMUNITÁRIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SAÚDE PÚBLICA MESTRADO ACADÊMICO EM SAÚDE PÚBLICA LEANDRO BONFIM DE CASTRO TUBERCULOSE

Leia mais

Terapia preventiva para tuberculose em pacientes infectados pelo HIV. Betina Durovni. Tuberculose relacionada à infecção pelo HIV

Terapia preventiva para tuberculose em pacientes infectados pelo HIV. Betina Durovni. Tuberculose relacionada à infecção pelo HIV Terapia preventiva para tuberculose em pacientes infectados pelo HIV Betina Durovni Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro Universidade Federal do Rio de Janeiro Tuberculose relacionada à infecção

Leia mais

Atenção Primária `a Saúde Ordenadora da Atenção ao Cidadão com Tuberculose no Paraná

Atenção Primária `a Saúde Ordenadora da Atenção ao Cidadão com Tuberculose no Paraná Atenção Primária `a Saúde Ordenadora da Atenção ao Cidadão com Tuberculose no Paraná Oficina do APSUS 7 Betina Mendez Alcântara Gabardo Coordenação PECT Paraná 26092013 La Carga mundial de TB -2010 Numero

Leia mais

Olavo Henrique Munhoz Leite. Hospital das Clínicas Faculdade de Medicina da USP Brasília, julho de 2004

Olavo Henrique Munhoz Leite. Hospital das Clínicas Faculdade de Medicina da USP Brasília, julho de 2004 Recomendações para a Terapia Anti- Retroviral em Adultos e Adolescentes Infectados pelo HIV II Diretrizes Brasileiras para Tuberculose 2004 I Encontro Nacional de TUBERCULOSE Olavo Henrique Munhoz Leite

Leia mais

A POLÍTICA DE DST/AIDS NA VISÃO DE UM TRABALHADOR DO SUS. SORAIA REDA GILBER Farmacêutica Bioquímica LACEN PR

A POLÍTICA DE DST/AIDS NA VISÃO DE UM TRABALHADOR DO SUS. SORAIA REDA GILBER Farmacêutica Bioquímica LACEN PR A POLÍTICA DE DST/AIDS NA VISÃO DE UM TRABALHADOR DO SUS SORAIA REDA GILBER Farmacêutica Bioquímica LACEN PR BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO DA AIDS NO BRASIL Desde o início de 1980 até junho de 2012 foram registrados

Leia mais

SEXUALIDADE E PREVENÇÃO ÀS DST E HIV/AIDS NA TERCEIRA IDADE

SEXUALIDADE E PREVENÇÃO ÀS DST E HIV/AIDS NA TERCEIRA IDADE SEXUALIDADE E PREVENÇÃO ÀS DST E HIV/AIDS NA TERCEIRA IDADE MARIA BEATRIZ DREYER PACHECO Membro do MOVIMENTO NACIONAL DAS CIDADÃS POSITHIVAS Membro do MOVIMENTO LATINO-AMERICANO E CARIBENHO DE MULHERES

Leia mais

MUDANÇAS NO TRATAMENTO DA TUBERCULOSE NO BRASIL (ADULTOS E ADOLESCENTES)

MUDANÇAS NO TRATAMENTO DA TUBERCULOSE NO BRASIL (ADULTOS E ADOLESCENTES) Programa Nacional de Controle da Tuberculose DEVEP/SVS/MS MUDANÇAS NO TRATAMENTO DA TUBERCULOSE NO BRASIL (ADULTOS E ADOLESCENTES) Departamento de Vigilância Epidemiológica Mycobacterium tuberculosis Características

Leia mais

Oficina 2 Os trabalhos foram iniciados com a discussão do relato de caso apresentado. O grupo conversou sobre quais as medidas a serem adotadas pela

Oficina 2 Os trabalhos foram iniciados com a discussão do relato de caso apresentado. O grupo conversou sobre quais as medidas a serem adotadas pela Oficina 2 Os trabalhos foram iniciados com a discussão do relato de caso apresentado. O grupo conversou sobre quais as medidas a serem adotadas pela Unidade de Saúde Para se quebrar a cadeia de sequência

Leia mais

Tuberculose. Profa. Rosângela Cipriano de Souza

Tuberculose. Profa. Rosângela Cipriano de Souza Tuberculose Profa. Rosângela Cipriano de Souza Risco para tuberculose Pessoas em contato com doentes bacilíferos, especialmente crianças Pessoas vivendo com HIV/AIDS Presidiários População vivendo nas

Leia mais

AMPLIANDO O DIAGNÓSTICO DE HIV/AIDS PARA GAYS, HSH E TRAVESTIS

AMPLIANDO O DIAGNÓSTICO DE HIV/AIDS PARA GAYS, HSH E TRAVESTIS AMPLIANDO O DIAGNÓSTICO DE HIV/AIDS PARA GAYS, HSH E TRAVESTIS 2o. Workshop Internacional - Testes de Diagnóstico Acessíveis e com Qualidade Assegurada para Programas de Saúde Pública 19 e 20 de Novembro

Leia mais

BUSCA ATIVA DE POSSÍVEIS PORTADORES DE HIV/AIDS EM PROJETO EXTENSIONISTA E SEU PERFIL

BUSCA ATIVA DE POSSÍVEIS PORTADORES DE HIV/AIDS EM PROJETO EXTENSIONISTA E SEU PERFIL 9. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( X ) SAÚDE ( ) TRABALHO (

Leia mais

Biossegurança em Unidades Primárias de Saúde. IV Encontro Nacional de Tuberculose

Biossegurança em Unidades Primárias de Saúde. IV Encontro Nacional de Tuberculose Biossegurança em Unidades Primárias de Saúde IV Encontro Nacional de Tuberculose Jorge Eduardo Pio Assistente da S/SUBPAV/CLCPE/GPS Diretor Científico da SOPTERJ 20210-2011 1 Biossegurança em Tuberculose

Leia mais

Diagnóstico Tardio do HIV em Crianças e Adolescentes Nascidas de mães Portadoras do HIV" Programa Estadual de DST/AIDS-SP www.crt.saude.sp.gov.

Diagnóstico Tardio do HIV em Crianças e Adolescentes Nascidas de mães Portadoras do HIV Programa Estadual de DST/AIDS-SP www.crt.saude.sp.gov. Diagnóstico Tardio do HIV em Crianças e Adolescentes Nascidas de mães Portadoras do HIV" Programa Estadual de DST/AIDS-SP www.crt.saude.sp.gov.br Casos notificados de AIDS, Brasil e São Paulo - 1980 a

Leia mais

Vigilância Epidemiológica da aids e mortalidade

Vigilância Epidemiológica da aids e mortalidade Vigilância Epidemiológica da aids e mortalidade Seminário: Estudos e Pesquisas em DST/HIV/Aids determinantes epidemiológicos e sóciocomportamentais Porto Alegre 14-16/12/09 Ângela Tayra Divisão de Vigilância

Leia mais

Briefing. Boletim Epidemiológico 2010

Briefing. Boletim Epidemiológico 2010 Briefing Boletim Epidemiológico 2010 1. HIV Estimativa de infectados pelo HIV (2006): 630.000 Prevalência da infecção (15 a 49 anos): 0,61 % Fem. 0,41% Masc. 0,82% 2. Números gerais da aids * Casos acumulados

Leia mais

MANUAL PRÁTICO TABWIN

MANUAL PRÁTICO TABWIN MANUAL PRÁTICO TABWIN TUBERCULOSE JANEIRO 2012 Salvador-BA Índice Sumário EXECUTAR TABULAÇÃO... 2 Procedimento 1 - Para tabular dados... 4 Procedimento 2 Para salvar tabela no tabwin... 4 Procedimento

Leia mais

CARACTERISTICAS DA FEMINIZAÇÃO DA AIDS EM TRÊS LAGOAS 1 ANDRESSA MARQUES FERREIRA 2 MARIA ANGELINA DA SILVA ZUQUE

CARACTERISTICAS DA FEMINIZAÇÃO DA AIDS EM TRÊS LAGOAS 1 ANDRESSA MARQUES FERREIRA 2 MARIA ANGELINA DA SILVA ZUQUE CARACTERISTICAS DA FEMINIZAÇÃO DA AIDS EM TRÊS LAGOAS 1 ANDRESSA MARQUES FERREIRA 2 MARIA ANGELINA DA SILVA ZUQUE 1 Discente de graduação do curso de Biomedicina 2 Doutoranda Docente das Faculdades Integradas

Leia mais

Estatuto da Criança e do Adolescente:

Estatuto da Criança e do Adolescente: PREVENÇÃO DA TRANSMISSÃO VERTICAL HIV e alimentação infantil Estatuto da Criança e do Adolescente: Livro I Parte Geral Título I Das disposições preliminares Art. 4º - é dever da família, da comunidade,

Leia mais

Aids e Ética Médica. Dr. Eugênio França do Rêgo

Aids e Ética Médica. Dr. Eugênio França do Rêgo Dr. Eugênio França do Rêgo Aids e discriminação: 1. Deve o médico ter presente a natureza de sua profissão e, principalmente, sua finalidade. (CEM: 1 o ; 2 o e 6 o ) 2. Deve o médico buscar a mais ampla

Leia mais

Programa Nacional de Luta Contra a Tuberculose Ponto da Situação Epidemiológica e de Desempenho (dados provisórios)

Programa Nacional de Luta Contra a Tuberculose Ponto da Situação Epidemiológica e de Desempenho (dados provisórios) Programa Nacional de Luta Contra a Tuberculose Ponto da Situação Epidemiológica e de Desempenho (dados provisórios) Dia Mundial da Tuberculose 24 de março de 2013 Índice Introdução... 3 Metodologia...

Leia mais

Epidemiológico. Boletim. Especial Tuberculose

Epidemiológico. Boletim. Especial Tuberculose Boletim Epidemiológico Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde Volume 43 março 2012 Especial Tuberculose O Boletim Epidemiológico da Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS) do Ministério

Leia mais

Diagnóstico Precoce do HIV em Populações Vulneráveis

Diagnóstico Precoce do HIV em Populações Vulneráveis Diagnóstico Precoce do HIV em Populações Vulneráveis 118ª REUNIÃO DA COMISSÃO NACIONAL DE DST, AIDS E HEPATITES VIRAIS Brasilia, 06/05/2014 Dr. Miguel Pedrola Coordenador AIDS Healthcare Foundation Argentina-Brasil

Leia mais

Profilaxia Pós-Exposição ao HIV. Alcyone Artioli Machado FMRP-USP - 2006

Profilaxia Pós-Exposição ao HIV. Alcyone Artioli Machado FMRP-USP - 2006 Profilaxia Pós-Exposição ao HIV Alcyone Artioli Machado FMRP-USP - 2006 Fatores de risco para infecção ocupacional pelo HIV O risco de infecção ocupacional pelo HIV era aumentado quando: A exposição ocupacional

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PROMOÇÃO DA SAÚDE MESTRADO EM PROMOÇÃO DA SAÚDE

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PROMOÇÃO DA SAÚDE MESTRADO EM PROMOÇÃO DA SAÚDE 1 UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PROMOÇÃO DA SAÚDE MESTRADO EM PROMOÇÃO DA SAÚDE ÁREA DE CONCENTRAÇÃO EM PROMOÇÃO DA SAÚDE Inajara Humburger AVALIAÇÃO DA TRAJETÓRIA DO PACIENTE

Leia mais

Brasil melhora posição no ranking por número de casos de tuberculose 4

Brasil melhora posição no ranking por número de casos de tuberculose 4 Publicação Científica do Curso de Bacharelado em Enfermagem do CEUT. Ano 2009. Edição 8 Adryelly Loureiro da Silva 1 Vinício de Sousa Silva 1 Selonia Patrícia Oliveira Sousa 2 Otacílio Batista de Sousa

Leia mais