Súmula da Reunião Ordinária n 1077, da Câmara Especializada de Engenharia Civil

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Súmula da Reunião Ordinária n 1077, da Câmara Especializada de Engenharia Civil"

Transcrição

1 Súmula da Reunião Ordinária n 1077, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Data: 11 de Abril de 2014 Local: PORTO ALEGRE - RS PARTICIPANTES: Coordenador Coordenadora Adjunta Representante do Plenário Assessor da Presidencia Analista de Processos Oficial Administrativo Assistente Administrativo Assistente Administrativo Estagiária Estagiária Eng. Civ. João Luis De Oliveira Collares Machado Eng. Civ., Eng. Seg. Trab. Alice Helena Coelho Scholl Eng. Civ., Eng. Ind. Mec. Alberto Stochero Eng. Civ., Tec. Edif., Eng. Seg. Trab. André Horak Eng. Civ. Antonio Alcindo Medeiros Piekala Eng. Civ., Eng. Seg. Trab. Astor Jose Gruner Eng. Civ. Bruno Susin Eng. Civ., Eng. Seg. Trab. Claudio Akila Otani Eng. Civ., Eng. Seg. Trab. Daniel Lena Souto Eng. Civ., Eng. Seg. Trab. Gabriel Cabeda Maciel Eng. Civ. Fernando Alberto Gehrke Eng. Civ. Roberto Militão Ortiz Pereira Eng. Civ. Hilário Pires Eng. Civ. José Ubirajara Martins Flores Eng. Civ. Lia Maria Herzer Quintana Eng. Civ. Luiz Antonio Braganca Da Cunda Eng. Civ., Tec. Agropec. Marcelo Suarez Saldanha Eng. Civ., Eng. Seg. Trab. Marcio Marun Gomes Eng. Civ., Eng. Seg. Trab. Marcos Wetzel Da Rosa Eng. Civ. Marcus Vinicius Do Prado Eng. Civ. Mario Cezar Macedo Munró Eng. Civ., Eng. Seg. Trab. Odilon Carpes Moraes Eng. Civ. Ricardo Giacomello Cobalchini Eng. Civ. Sergio Luiz Brum Eng. Civ., Eng. Seg. Trab. Sheila Cristina Kehl Pieper Eng. Civ. Suzel Magali Vanzellotti Leite Eng. Civ. Volnei Pereira Da Silva Eng. Civ., Eng. Seg. Trab. Carlos Wengrover Rosa Eng. Civ. Alcimar Da Rocha Lopes Manoela Schumacher Triches Dos Santos Luciana Guimaraes Barbieri Vera Regina Pereira Mendonca Elaine Lourdes A. Viegas Adriane Chaves Borba Rodrigo Pacheco Fialho OBSERVAÇÕES.: Justificaram ausência os s: Fernando Martins Pereira da Silva, Carlos André Bulhões Mendes e seu suplente João Leal Vivian, Carlos Germano Weinmann, não possui suplente, Carlos Giovani Fontana, Emidio Marques Ferreira e seu suplente Gerson Sonaglio, Felipe Nascimento Abib, Johni Suarez Acosta e sua suplente Adriana Menezes Furtado. 1

2 Não Justificaram a ausência os s: Daniel Duarte das Neves e Maria Izabel Brener da Rosa, não sendo convocado seus respectivos suplentes, os s: Rodrigo Wienskoski Araújo e Julio Cesar da Rosa Malfatti Bianchi 1. VERIFICAÇÃO DO QUÓRUM CONCLUSÃO : Quórum foi verificado APROVAÇÃO DA(S) SÚMULA(S) ANÁLISE DO EXPEDIENTE ANÁLISE DO EXPEDIENTE - PARA CONHECIMENTO REFERÊNCIA : Planilhas de excepcionalidades de todas a Câmaras CONCLUSÃO : Ciente REFERÊNCIA : Memorando n 25/2014-CEEF, datado de 28/03/2014, da Câmara Especializada de Engenharia Florestal. ASSUNTO : Referente a Norma de Fiscalização 002/2013-CEEC, informa que tomou conhecimento e que não se opõem. CONCLUSÃO : Ciente REFERÊNCIA : da Assessoria Parlamentar, do Confea, datado de 21/03/2014 ASSUNTO : Informa a posição atual de matérias legislativas em tramitação no Senado e na Câmara dos Deputados, de interesse do Sistema Confea/Creas/Mutua. CONCLUSÃO : Ciente ANÁLISE DO EXPEDIENTE - PARA MANIFESTAÇÃO REFERÊNCIA : enviado pelo Cons. Astor José Gruner datado 01/04/2014. ASSUNTO : Processo que tramita no Tribunal Regional Federal 1º região sobre a Decisão Normativa nº 70/2001, que trata do SPDA. OBS : Foi informado sobre as decisões judiciais referentes ao SPDA - Sistemas de Proteção contra Descargas Atmosféricas (pára raios), onde o juiz diz: ""Entendo que a instalação de pára-raios é obra complementar à construção de edifícios, podendo, portanto, ser executada por engenheiro civil". Os engenheiros civis filiados a ABENC já possuem essa atribuição por decisão judicial e agora todos os engenheiro civis podem projetar e executar SPDA. As consultas e processos que forem encaminhados à Câmara de Engenharia Civil já serão respondidas conforme a decisão judicial acima referida. RELATOR : Cons. Astor José Gruner CONCLUSÃO : Ficou decidido encaminhar um Memorando à Gerência de Informática solicitando a abertura do Cód. W SIST. PROT. CONT. DESCARGAS ATMOSFÉRICAS - SPDA nas ARTs para todos os engenheiros civis. Aprovado por unanimidade dos presentes REFERÊNCIA : Banco de artigos da CEEC ASSUNTO : Solicita aos conselheiros que enviem seus artigos para o nosso banco de artigos. OBS : Solicitou aos conselheiros que enviem seus artigos para o nosso banco de artigos pois estamos sem nenhum artigo para a próxima revista do Crea-RS. RELATOR : Cons. João Luis de Oliveira Collares Machado CONCLUSÃO : Ciente. 2

3 3.2.3 REFERÊNCIA : enviado pelo Cons. Astor José Gruner datado 04/04/2014. ASSUNTO : Atribuição de Engenheiros Agrônomos e Agrícolas para emissão de ART's referentes a PONTES OBS : Foi encaminhado a Assessoria Jurídica a minuta sobre o assunto acima e a Assessoria retornou informando que cabe uma análise técnica e não jurídica. O Cons. Astor José Gruner informou que não cabe aos Engenheiros Agrônomos projetar e executar pontes. Informou também que a ART WEB do Crea-RS abre para os profissionais da área agronômica e agrícola a atividade específica com o código W PONTES PARA ESTRADAS VICINAIS-RURAIS. Vários conselheiros se manifestaram. RELATOR : Cons. Astor José Gruner CONCLUSÃO : Ficou decidido encaminhar um Memorando marcando uma reunião com a Câmara de Agronomia para debater o assunto e os dois conselheiros da CEEC que foram escolhidos são: Cons. Astor José Grüner e Cons. Marcus Vinicius do Prado. Encaminhou-se para a próxima reunião REFERÊNCIA : Registro de Engenheiros Ambientais no Conselho Regional de Química - CRQ. OBS : Informou que cada vez mais os engenheiros ambientais estão se registrando no CRQ - Conselho Regional de Química pois lá eles "teriam" mais atribuições. Foi solicitado a Assessoria Jurídica do Crea-RS um parecer sobre o assunto e não foi encontrado nenhuma fundamentação legal sobre a ilegalidade dos engenheiros ambientais se registrarem no CRQ. Vários conselheiros se manifestaram sobre o assunto. Foi informado sobre a Resolução Normativa nº 198/04 do CRQ, onde cita no art. 2º os profissionais que devem se registrar no CRQ, dentre eles, os engenheiros ambientais. RELATOR : Cons. Astor José Gruner CONCLUSÃO : Ficou decidido encaminhar um memorando à Camara de Engenharia Química, com cópia da Resolução Normativa nº 198/04 do CRQ para conhecimento e manifestação. Solicitar também um novo parecer jurídico com o embasamento da Resolução Normativa nº 198/04 do CRQ REFERÊNCIA : da professora Cláudia da Silva Gonçalves do Centro Universitário Metodista, do IPA. (Protocolo ). ASSUNTO : Realização de uma palestra para alunos do Curso de Engenharia Civil, com enfoque sobre a profissão, atribuições, mercado de trabalho e o Sistema CONFEA/CREA. Datas Possíveis: 22/04, 29/04 e 06/05 Horário: 20h30min Local: Unidade DC Shopping, na Rua Frederico Mentz, Bairro Navegantes - PoA. CONCLUSÃO : Ficou decidido que o Cons. João Luis de Oliveira Collares Machado irá realizar a palestra REFERÊNCIA : Memorando nº 20/2014, datado de 01/04/2014, da Câmara Especializada de Engenharia Elétrica - Crea-RS. ASSUNTO : Encaminha Norma de Fiscalização nº 001/2014, de 28/03/2014, que dispõe sobre a anotação de responsabilidade técnica de profissionais da modalidade eletricista por pessoa jurídica e dá outras providências. CONCLUSÃO : Encaminhou-se para a próxima reunião. 3

4 COMUNICADOS Comunicados das Comissões REFERÊNCIA : Comissão de Orçamento e Tomada de Contas OBS : Comunicou que foram aprovadas as contas de 2013 do CREA-RS. Foi aprovada a 1º Reformulação Orçamentária do Crea-RS de Aprovadas a prestação de contas de processo de mútua cooperação. O Cons. Sérgio Luiz Brum questionou o Cons. Astor José Gruner sobre alguns gastos do Crea-RS e o mesmo respondeu todos os questionamentos que foram discutidos na referida comissão. O Cons. Marcus Vinicius do Prado solicitou alteração na suplência dessa comissão pois o mesmo é o 2º Diretor Adminstrativo do CREA-RS. RELATOR : Titular: Cons. Astor José Grüner - Suplente: Cons. Marcus Vinicius do Prado CONCLUSÃO : Foi indicado o Cons. Sérgio Luiz Brum como conselheiro suplente na Comissão de Orçamento e Tomada de Contas REFERÊNCIA : Comissão de Renovação do Terço RELATOR : Titular: Cons. Sérgio Luiz Brum - Suplente: Cons. Fernando Martins Pereira da Silva CONCLUSÃO : Não houve reunião REFERÊNCIA : Comissão de Ética Profissional OBS : Comunicou que durante os dias 07, 08 e 09 de abril de 2014 participou da 2º Reunião Ordinária da Coordenadoria Nacional de Comissões de Ética dos Creas - CNCE no Confea - Brasília - DF, como coordenador adjunto na impossibilidade do Coordenador, Eng. Eddo Bojunga participar. RELATOR : Titular: Cons. Antônio Alcindo Medeiros Piekala - Suplente: Cons. Marcos Wetze da Rosa CONCLUSÃO : Ciente REFERÊNCIA : Comissão de Meio Ambiente RELATOR : Titular: Cons. Suzel Magali Vanzellotti Leite - Suplente: Cons. Sérgio Luiz Brum CONCLUSÃO : Não houve reunião REFERÊNCIA : Comissão Editorial RELATOR : Titular: Cons. Carlos André Bulhões Mendes - Suplente: Cons. Carlos Giovani Fontana CONCLUSÃO : Os conselheiros dessa Comissão não estavam presentes nesta reunião REFERÊNCIA : Comissão de Convênios OBS : Comunicou que houve reunião na data de hoje e foram analisados diversos processos. RELATOR : Titular: Cons. Odilon Carpes Moraes - Suplente: Cons. Marcelo Suarez Saldanha CONCLUSÃO : Ciente REFERÊNCIA : Comissão de Educação e Atribuição Profissional - CEAP RELATOR : Titular: Cons. Carlos André Bulhões Mendes - Suplente: Cons. Suzel Magali Vanzellotti Leite 4

5 CONCLUSÃO : Não houve reunião REFERÊNCIA : Comissão de Análise de Processos de Recursos ao Plenário CAPR RELATOR : Titulares: Cons. Marcos Wetzel da Rosa, Luiz Antonio Bragança da Cunda e Fernando Martins Pereira da Silva CONCLUSÃO : Não houve reunião REFERÊNCIA : Representante na Coordenadoria das Inspetorias OBS : Foi informado que a reunião acontecerá semana que vem. RELATOR : Titular: Cons. Claúdio Akila Otani - Suplente: Cons. Márcio Marun Gomes CONCLUSÃO : Ciente Comunicados Gerais REFERÊNCIA : Comunicados das Comissões ASSUNTO : A partir da próxima reunião (dia 11/04/2014) a coordenação vai receber os Comunicados das Comissões por escrito, quando os s tiverem algo a manifestar. OBS : Foi informado aos conselheiros desse novo procedimento que será adotado pela CEEC. RELATOR : Cons. João Luis de Oliveira Collares Machado CONCLUSÃO : Ciente REFERÊNCIA : Aniversariantes do mês de ABRIL/2014. OBS : Parabenizou os aniversariantes do mês de abril. RELATOR : Cons. João Luis de Oliveira Collares Machado CONCLUSÃO : Ciente REFERÊNCIA : Comissão dos processos de Registro de ART (Res. 1050/13) e Visto em Atestado ASSUNTO : Informa que foi a aprovada a Comissão referida com os três conselheiros que já faziam parte, acrescentando os conselheiros: Carlos Giovane Fontana, Hilário Pires, Marcio Marun Gomes, Marcos Wetzel da Rosa e Alice Helena Coelho Scholl. OBS : Aprovado pelo período de 90 dias. RELATOR : Cons. João Luis de Oliveira Collares Machado CONCLUSÃO : Ciente REFERÊNCIA : Convite para Inauguração da nova unidade da Cooperativa de Crédito dos Profissionais da área tecnológica do Rio Grande do Sul - CREACRED. OBS : Dia 15 de abril de 2014, às 19h30min. Na Rua D. Pedro II, n. 868, 2º andar (Prédio Mútua - RS), Porto Alegre. RELATOR : Cons. João Luis de Oliveira Collares Machado CONCLUSÃO : Ciente REFERÊNCIA : Presença do Vice-Presidente do Crea-RS - Eng. Agron. Juarez Morbini Lopes OBS : O Coordenador informou sobre a presença do Vice-Presidente. O Eng. Agron. Juarez Morbini Lopes relatou que tem tido problemas relativos a Reunião das Comissões, principalmente a CEAP - Comissão de Educação e Atribuição Profissional, onde a comissão não têm conseguido se reunir. Informou que os titulares não confirmam as suas presenças e os suplentes acabam não sendo convocados. O Eng. Agron. Juarez Morbini Lopes solicitou que os conselheiros 5

6 RELATOR CONCLUSÃO titulares das comissões, quando impedidos de virem, justifiquem suas ausências para que o conselheiro suplente seja convocado. : Cons. João Luis de Oliveira Collares Machado : Ciente REFERÊNCIA : Presença do Vice-Presidente do Crea-RS - Eng. Agron. Juarez Morbini Lopes OBS : O Coordenador aproveitou a visita do Vice-Presidente do Crea-RS - Eng. Agron. Juarez Morbini Lopes na CEEC e perguntou ao mesmo sobre a Deliberação nº 830/ CEAP do Confea onde o assunto é um Projeto de Resolução que altera a Resolução nº 1010/05, perguntou se o Crea-RS irá fazer alguma manifestação. O Eng. Agron. Juarez Morbini Lopes disse que não participa das Reuniões do Colégio de Presidentes e que esse assunto teria que primeiro passar na CEAP do Crea-RS para depois ser discutido em Sessão Plenária. Disse também que o projeto precisa de um estudo bem aprofundado e irá solicitar ao Presidente do Crea-RS que paute esse assunto no Colégio de Presidentes. RELATOR : Cons. João Luis de Oliveira Collares Machado CONCLUSÃO : Ficou decidido que os s: Astor José Gruner, Luiz Antonio Bragança da Cunda e Volnei Pereira da Silva irão fazer uma rápida análise sobre o referido documento. Ficou decidido encaminhar um com a cópia do documento para todos os conselheiros REFERÊNCIA : Espaço para a Sessão Plenária do CREA-RS OBS : Questionou o 2º Vice Presidente do Crea-RS Alberto Stochero se vai ser resolvido o problema da falta de espaço para as Sessões Plenárias. O Cons. Alberto Stochero informou que o Presidente do Crea-RS vai fazer o possível para resolver este ano e que na próxima reunião terá uma resposta mais precisa. CONCLUSÃO : Ciente REFERÊNCIA : Presença do Representante do Plenário Eng. Civil e Seg. Trab. Carlos Wengrover Rosa OBS : O Cons. Alberto Stochero falou sobre os processos que envolvem engenheiros civis com especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho que antes devem passar pela CEEC. O Representante do Plenário Eng. Civil e Seg. Trab. Carlos Wengrover Rosa falou sobre o PPCI - Plano de Prevenção contra Incêndios e sugeriu uma reunião com os coordenadores da CEEC e CEEST para se chegar num consenso sobre as atribuições conflitantes. O Cons. José Ubirajara Martins Flores se manifestou contrário a fazer um acordo pois na legislação está bem claro sobre as atribuições do referido assunto. Alguns conselheiros se manifestaram. RELATOR : Cons. João Luis de Oliveira Collares Machado CONCLUSÃO : Ficou decidido reunir os dois coordenadores para tentar chegar num consenso sobre as atribuições profissionais para PPCI APRESENTAÇÃO DA PAUTA DISCUSSÃO DOS ASSUNTOS PERTINENTES À CÂMARA ESPECIALIZADA REFERÊNCIA : Memorando nº 010/2014, datado de 17/03/2014, da Câmara Especializada de Engenharia Industrial, do Crea-RS 6

7 ASSUNTO RELATOR CONCLUSÃO : Informa que concorda que o Estudo de Impacto de Vizinhança - EIV é multidisciplinar e que o engenheiro mecânico também possui competência para exercer a coordenação do Estudo/Relatório de Impacto de Vizinhança - EIV/RIV. : Cons. Astor José Grüner : 1- Conforme análise da fundamentação legal acima entendemos ser atribuição típica e privativa de Engenheiro Civil a elaboração de Estudo de Impacto de Vizinhança (EIV) e do Relatório de Impacto de Vizinhança (RIV), sendo de sua competência a coordenação destes estudos e relatórios. 2- Quando necessário, tendo em vista algum assunto específico que seja atribuição de outro profissional ou para enriquecer o trabalho, poderá ser formada equipe multidisciplinar envolvendo outros profissionais de áreas afins, inclusive registrados em outros conselhos profissionais, sempre sob a coordenação do Engenheiro Civil. 3- Enviar cópia deste relato para o Gestor Operacional e para todas as Câmaras Especializadas deste Crea-RS. 4- Solicitar parecer jurídico deste assunto enviando cópia deste relato. Aprovado com vinte e seis votos favoráveis, nenhum contrário e nenhuma abstenção. D REFERÊNCIA : Memorando nº 014/2014, datado de 17/03/2014, da Câmara Especializada de Engenharia Industrial, do Crea-RS. ASSUNTO : Informa que decidiu enviar memorando as outras Especializada comunicando que concorda com o Memorando nº 018/2014-CEEST, da Câmara Especializada de Engenharia de Segurança do Trabalho, do Crea-RS RELATOR : Cons. Astor José Gruner CONCLUSÃO : 1- Manter a planilha como aprovada, sendo o ENGENHEIRO CIVIL como o profissional com atribuições para ser o responsável para projeto, laudo e parecer para PPCI em edificações comerciais e residenciais. 2- Enviar cópia deste relato para todas as Câmaras Especializadas deste Crea e para o Gestor Operacional. Aprovado com vinte e seis votos favoráveis, nenhum contrário e nenhuma abstenção. D REFERÊNCIA : do Cons. João Luis de Oliveira Collares Machado, datado: 20/03/2014. ASSUNTO : Encaminha informativo do Curso de Técnico em Edificação gratuito realizado pela Universidade FEEVALE através do PRONATEC - Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico. O curso não possui registro no CREA-RS e o Mercado de Trabalho que está sendo oferecido não fazem parte das atribuições dos técnicos em edificações. RELATOR : Cons. João Luis de Oliveira Collares Machado CONCLUSÃO : Encaminhou-se para a próxima reunião. 6.4 REFERÊNCIA : Memorando n 030/2014-CEEST, datado de 24/03/2014, da Câmara Especializada de Engenharia de Segurança do Trabalho, do Crea-RS. ASSUNTO : Manifestação sobre o Memorando 013/2014, que encaminha parecer da CEEC acerca do estudo de impacto de vizinhança. RELATOR : Cons. Astor José Grüner CONCLUSÃO : 1- Conforme análise da fundamentação legal acima entendemos ser atribuição típica e privativa de Engenheiro Civil a elaboração de Estudo de Impacto de Vizinhança (EIV) e do Relatório de Impacto de Vizinhança (RIV), sendo de sua 7

8 competência a coordenação destes estudos e relatórios. 2- Quando necessário, tendo em vista algum assunto específico que seja atribuição de outro profissional ou para enriquecer o trabalho, poderá ser formada equipe multidisciplinar envolvendo outros profissionais de áreas afins, inclusive registrados em outros conselhos profissionais, sempre sob a coordenação do Engenheiro Civil. 3- Enviar cópia deste relato para o Gestor Operacional e para todas as Câmaras Especializadas deste Crea-RS. 4- Solicitar parecer jurídico deste assunto enviando cópia deste relato. Aprovado com vinte e seis votos favoráveis, nenhum contrário e nenhuma abstenção. D REFERÊNCIA : Ato Normativo 03/90. ASSUNTO : Estabelece as condições de participação dos intervenientes em serviços e obras de engenharia, arquitetura e agronomia, e revoga o Ato n 03/78. OBS : Foi encaminhado Ofício n. 581/ PRES/CCEC, em 18/10/2013 pelo Gabinete da Presidência. RELATOR : Cons. Sheila C. K. Pieper, João L. de O. Collares Machado CONCLUSÃO : Encaminhou-se para a próxima reunião. 6.6 REFERÊNCIA : Elaboração de parecer padrão sobre Projeto de Loteamentos RELATOR : Cons. João Luis de Oliveira Collares CONCLUSÃO : Encaminhou-se para a próxima reunião. 6.7 REFERÊNCIA : Memorando Interno n. 116/2013, de 09/12/2013, da Câmara Especializada de Agronomia. ASSUNTO : Encaminha Norma de Fiscalização n. 002/2013 que dispõe sobre os procedimentos da Fiscalização da Pessoa Jurídica que desenvolve atividade no setor da agropecuária e dá outras providências. Prazo até 20/12/2013 para enviar considerações. RELATOR : Cons. Marcelo Suarez Saldanha CONCLUSÃO : Encaminhou-se para a próxima reunião. 6.8 REFERÊNCIA : Ofício Circular nº 0086, datado de 09/01/2014, do Confea. ASSUNTO : Encaminha para manifestação anteprojeto de Resolução nº 001/2014, que dispõe sobre o registro de pessoas jurídicas nos Conselhos Regionais de Engenharia e Agronomia e dá outras providências. RELATOR : Cons. José Ubirajara Martins Flores e Cons. Fernando Martins Pereira da Silva CONCLUSÃO : Encaminhou-se para a próxima reunião. 6.9 REFERÊNCIA : Curso de Tecnologia em Construção de Edifícios 2014 na FTSG - Faculdade de Tecnologia da Serra Gaúcha OBS : Reiterado o Memorando nº 104/2013-CEEC, que solicita à CEAP informações acerca do referido curso. CONCLUSÃO : Encaminhou-se para a próxima reunião RELATO DE PROCESSOS Processos de Denúncia e Ética Profissional 8

9 7.1.1 PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : E.P.P. RELATOR : Cons. Felipe Nascimento Abib CONCLUSÃO : Encaminhou-se para a próxima reunião PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : J.L.M.R.C. RELATOR : Cons. Hilário Pires CONCLUSÃO : Encaminhou-se para a próxima reunião PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : L.S.B. CONCLUSÃO : Encaminhou-se para a próxima reunião PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : P.C.S.J. RELATOR : Cons. Claudio Akila Otani CONCLUSÃO : Encaminhou-se para a próxima reunião PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : G.E.S. RELATOR : Cons. Claudio Akila Otani CONCLUSÃO : Encaminhou-se para a próxima reunião PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : H.J.G.B. RELATOR : Cons. Maria Izabel Brener da Rosa CONCLUSÃO : Encaminhou-se para a próxima reunião PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : J.A.F.L. CONCLUSÃO : Encaminhou-se para a próxima reunião Processos de Auto de Infração PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : FAST SHOP BOURBON WALLIG CONCLUSÃO : Da análise do presente processo, constata-se que a obra/serviço objeto da autuação estava regular na data da autuação, não subsistindo o Auto de Infração. Sendo o Auto de Infração improcedente, arquive-se o presente processo, com a extinção da multa imposta. e nenhuma abstenção. D PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : ANTONIO LUIZ FLORENCIO SOARES 9

10 RELATOR CONCLUSÃO : Cons. Marcos Wetzel da Rosa : Da análise do presente processo, contata-se que a autuada não se enquadra na necessidade de possuir registro junto ao Crea-RS. Sendo o Auto de Infração improcedente, arquive-se o presente processo, com a extinção da multa imposta. e nenhuma abstenção. D PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : CONSTRUTORA CEZAR & ROSA LTDA CONCLUSÃO : Da análise do presente processo não se constatam elementos capazes para desconstituir o Auto de Infração, haja vista que a autuada possui objetivo social voltado à área de fiscalização do Crea e exerceu atividades abrangidas por esta, sem, no entanto possuir registro, contrariando o que dispõe o art. 59, caput, da Lei nº 5.194, de 1966, antes citada. Sendo o Auto de Infração procedente, mantenha-se a multa, cujo valor está previsto no art. 73, alínea c, da Lei nº 5.194/66. O Autuado deverá providenciar a regularização do ilícito junto a este Conselho, através do registro. e nenhuma abstenção. D PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : J.E. QUOOS CONCLUSÃO : O autuado, regularmente notificado, não produziu defesa, ensejando assim o JULGAMENTO À REVELIA do Auto de Infração, presumindo-se verdadeiro o fato da autuada ter exercido atividades abrangidas pela área de fiscalização do Crea sem, no entanto, possuir registro, contrariando o que dispõe o art. 59, caput, da Lei nº 5.194, de 1966, antes citada. Sendo o Auto de Infração procedente, mantenha-se a multa, cujo valor está previsto no art. 73, alínea "c", da citada Lei, devendo o processo ter seu prosseguimento até o pagamento da dívida, atualizada. O autuado deverá providenciar a regularização do ilícito junto a este Conselho. e nenhuma abstenção. D PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : JOSÉ JAIR MACHADO DUARTE - ME CONCLUSÃO : O autuado, regularmente notificado, não produziu defesa, ensejando assim o JULGAMENTO À REVELIA do Auto de Infração, presumindo-se verdadeiro o fato da autuada ter exercido atividades abrangidas pela área de fiscalização do Crea sem, no entanto, possuir registro, contrariando o que dispõe o art. 59, caput, da Lei nº 5.194, de 1966, antes citada. Sendo o Auto de Infração procedente, mantenha-se a multa, cujo valor está previsto no art. 73, alínea "c", da citada Lei, devendo o processo ter seu prosseguimento até o pagamento da dívida, atualizada. 10

11 O autuado deverá providenciar a regularização do ilícito junto a este Conselho. e nenhuma abstenção. D PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : DI NAPOLI CONSTRUTORA LTDA CONCLUSÃO : Da análise do presente processo não se constatam elementos capazes para desconstituir o Auto de Infração, haja vista que a autuada possui objetivo social voltado à área de fiscalização do Crea e exerceu atividades abrangidas por esta, sem, no entanto possuir registro, contrariando o que dispõe o art. 59, caput, da Lei nº 5.194, de 1966, antes citada. Sendo o Auto de Infração procedente, mantenha-se a multa, cujo valor está previsto no art. 73, alínea c, da Lei nº 5.194/66. O Autuado deverá providenciar a regularização do ilícito junto a este Conselho, através do registro. e nenhuma abstenção. D PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : SS CONSTRUTORA E PAVIMENTADORA LTDA CONCLUSÃO : Somos pelo arquivamento do presente processo, com a extinção da multa imposta. e nenhuma abstenção. D PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : MATHEUS LEAL FIGUEIREDO CONCLUSÃO : Da análise do presente processo, constata-se que a obra/serviço objeto da autuação estava regular na data da autuação, não subsistindo o Auto de Infração. Sendo o Auto de Infração improcedente, arquive-se o presente processo, com a extinção da multa imposta. e nenhuma abstenção. D PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : GOBE E MARTINS LTDA CONCLUSÃO : Da análise do presente processo não se constatam elementos capazes para desconstituir o Auto de Infração, haja vista que a autuada possui objetivo social voltado à área de fiscalização do Crea e exerceu atividades abrangidas por esta, sem, no entanto possuir registro, contrariando o que dispõe o art. 59, caput, da Lei nº 5.194, de 1966, antes citada. Sendo o Auto de Infração procedente, mantenha-se a multa, cujo valor está previsto no art. 73, alínea c, da Lei nº 5.194/66. O Autuado deverá providenciar a regularização do ilícito junto a este Conselho, através do registro. 11

12 e nenhuma abstenção. D PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : TECNINCORP CONSTRUTORA E INCORPORADORA LTDA CONCLUSÃO : Da análise do presente processo, constata-se que a obra/serviço objeto da autuação estava regular na data da autuação, não subsistindo o Auto de Infração. Sendo o Auto de Infração improcedente, arquive-se o presente processo, com a extinção da multa imposta. e nenhuma abstenção. D PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : ERINTON LUIS GONÇALVES DA ROSA CONCLUSÃO : Conceda-se o prazo suplementar de 30 (trinta) dias, a contar do recebimento da comunicação desta decisão, para a sua regularização através do registro da competente ART, recolhida por profissional habilitado. Havendo a regularização nos termos acima, hipótese em que a multa será mantida, contudo, aplicando-se o benefício da redução de 20% (vinte por cento) do valor previsto na Resolução do Confea vigente à época da autuação, cujos valores deverão ser atualizados até a data do efetivo pagamento. Em caso de ausência de regularização, sou pela procedência do Auto de Infração, com a manutenção da multa imposta no seu valor integral, cujos valores deverão ser atualizados até a data do efetivo pagamento. e nenhuma abstenção. D PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : SCHNEIDER REPRESENTAÇÕES E ADMINISTRAÇÃO LTDA. CONCLUSÃO : Da análise do presente processo, constata-se que a obra/serviço objeto da autuação estava regular na data da autuação, não subsistindo o Auto de Infração. Sendo o Auto de Infração improcedente, arquive-se o presente processo, com a extinção da multa imposta. e nenhuma abstenção. D PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : SÉRGIO MOACIR CHIES CONCLUSÃO : Somos pelo arquivamento do presente processo, com a extinção da multa imposta e nenhuma abstenção. D PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : MELLO CONSTRUÇOES LTDA 12

13 RELATOR CONCLUSÃO : Cons. Marcos Wetzel da Rosa : Somos pelo arquivamento do presente processo, com a extinção da multa imposta. e nenhuma abstenção. D PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : RENAN BERTIN MELLOR - FULL SERVICE CONCLUSÃO : O autuado, regularmente notificado, não produziu defesa, ensejando assim o JULGAMENTO À REVELIA do Auto de Infração, presumindo-se verdadeiro o fato da autuada ter exercido atividades abrangidas pela área de fiscalização do Crea sem, no entanto, possuir registro, contrariando o que dispõe o art. 59, caput, da Lei nº 5.194, de 1966, antes citada. Sendo o Auto de Infração procedente, mantenha-se a multa, cujo valor está previsto no art. 73, alínea "c", da citada Lei, devendo o processo ter seu prosseguimento até o pagamento da dívida, atualizada. O autuado deverá providenciar a regularização do ilícito junto a este Conselho. e nenhuma abstenção. D PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : MULTIPLEN LOCAÇÕES E SERVIÇOS LTDA. CONCLUSÃO : Somos pelo arquivamento do presente processo, com a extinção da multa imposta. e nenhuma abstenção. D PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : RAFAEL LAUFER CONCLUSÃO : Sou pela procedência do Auto de Infração, contudo, aplicando-se o beneficio da redução de 20% (vinte por cento) do valor da multa prevista na Resolução do Confea vigente à época da autuação, cujos valores deverão ser atualizados até a data do efetivo pagamento. e nenhuma abstenção. D PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : MUNICÍPIO DE SANTANA DO LIVRAMENTO RELATOR : CONCLUSÃO : Item não analisado na Reunião PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : CLÁUDIO DALLA COSTA CONCLUSÃO : Da análise do presente processo, constata-se que a obra/serviço objeto da autuação estava regular na data da autuação, não subsistindo o Auto de Infração. Sendo o Auto de Infração improcedente, arquive-se o presente processo, com a 13

14 extinção da multa imposta. e nenhuma abstenção. D PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : MARCIANO GROMOWSKI CONCLUSÃO : Da análise do presente processo, constata-se que a obra/serviço objeto da autuação estava regular na data da autuação, não subsistindo o Auto de Infração. Sendo o Auto de Infração improcedente, arquive-se o presente processo, com a extinção da multa imposta. e nenhuma abstenção. D PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : SAMUEL N. DE MEDINA LIMBERGER-ME - CONSTRU-LIMBER CONCLUSÃO : Da análise do presente processo, constata-se que a obra/serviço objeto da autuação estava regular na data da autuação, não subsistindo o Auto de Infração. Sendo o Auto de Infração improcedente, arquive-se o presente processo, com a extinção da multa imposta. e nenhuma abstenção. D PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : EMPRESA GAUCHA COMERCIO E CONSTRUÇÃO CIVIL LTDA RELATOR : CONCLUSÃO : Item não analisado na reunião PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : CONDOMINIO EDIFICIO JARDIM LAS PALMAS CONCLUSÃO : Da análise do presente processo, constata-se que a obra/serviço objeto da autuação estava regular na data da autuação, não subsistindo o Auto de Infração. Sendo o Auto de Infração improcedente, arquive-se o presente processo, com a extinção da multa imposta. e nenhuma abstenção. D PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : DISQUE TERRA LTDA - ME CONCLUSÃO : O autuado, regularmente notificado, não produziu defesa, ensejando assim o JULGAMENTO À REVELIA do Auto de Infração, presumindo-se verdadeiro o fato da autuada ter exercido atividades abrangidas pela área de fiscalização do Crea sem, no entanto, possuir registro, contrariando o que dispõe o art. 59, caput, da Lei nº 5.194, de 1966, antes citada. Sendo o Auto de Infração procedente, mantenha-se a multa, cujo valor está previsto no art. 73, alínea 14

15 "c", da citada Lei, devendo o processo ter seu prosseguimento até o pagamento da dívida, atualizada. O autuado deverá providenciar a regularização do ilícito junto a este Conselho, através do registro. e nenhuma abstenção. D PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : TANGIVEL EMPREENDIMENTOS LTDA CONCLUSÃO : O Auto de Infração é procedente e a penalidade deverá ser mantida. Contudo, considerando que após a lavratura do Auto de Infração o autuado regularizou o ilícito, perante o Conselho, aplique-se o benefício da redução 20% (VINTE POR CENTO), do valor da multa imposta prevista na Resolução do Confea vigente à época da autuação, cujos valores deverão ser atualizados até a data do efetivo pagamento. e nenhuma abstenção. D PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : CLAIR AFILHADO CONCLUSÃO : O autuado, regularmente notificado, não produziu defesa, ensejando assim o JULGAMENTO À REVELIA do Auto de Infração, presumindo-se verdadeiro o fato da autuada ter exercido atividades abrangidas pela área de fiscalização do Crea sem, no entanto, possuir registro, contrariando o que dispõe o art. 59, caput, da Lei nº 5.194, de 1966, antes citada. Sendo o Auto de Infração procedente, mantenha-se a multa, cujo valor está previsto no art. 73, alínea "c", da citada Lei, devendo o processo ter seu prosseguimento até o pagamento da dívida, atualizada. O autuado deverá providenciar a regularização do ilícito junto a este Conselho. e nenhuma abstenção. D PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : LEVY F. SAMPAIO CONCLUSÃO : Da análise do presente processo não se constatam elementos capazes para desconstituir o Auto de Infração, haja vista que a autuada possui objetivo social voltado à área de fiscalização do Crea e exerceu atividades abrangidas por esta, sem, no entanto possuir registro, contrariando o que dispõe o art. 59, caput, da Lei nº 5.194, de 1966, antes citada. Sendo o Auto de Infração procedente, mantenha-se a multa, cujo valor está previsto no art. 73, alínea c, da Lei nº 5.194/66. O Autuado deverá providenciar a regularização do ilícito junto a este Conselho. e nenhuma abstenção. D PROTOCOLO Nº:

16 INTERESSADO : DELMOLD PREMOLDADOS LTDA - ME CONCLUSÃO : Da análise do presente processo não se constatam elementos capazes para desconstituir o Auto de Infração, haja vista que a autuada possui objetivo social voltado à área de fiscalização do Crea e exerceu atividades abrangidas por esta, sem, no entanto possuir registro, contrariando o que dispõe o art. 59, caput, da Lei nº 5.194, de 1966, antes citada. Sendo o Auto de Infração procedente, mantenha-se a multa, cujo valor está previsto no art. 73, alínea c, da Lei nº 5.194/66. O Autuado deverá providenciar a regularização do ilícito junto a este Conselho, através do registro. e nenhuma abstenção. D PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : SIDNEI CORREA MACHADO CONCLUSÃO : Da análise do presente processo, constata-se que a obra/serviço objeto da autuação estava concluida na data da autuação, não subsistindo o Auto de Infração. Sendo o Auto de Infração improcedente, arquive-se o presente processo, com a extinção da multa imposta. e nenhuma abstenção. D PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : MAGNUS DE MEDEIROS CARDOSO CONCLUSÃO : O autuado, regularmente notificado, não produziu defesa, ensejando assim o JULGAMENTO À REVELIA do Auto de Infração, presumindo-se verdadeiros os fatos constatados que configuram o exercício ilegal da profissão, capitulado no art. 6, alínea "a", da Lei 5.194, de Sendo o Auto de Infração procedente, mantenha-se a multa, cujo valor está previsto no art. 73, alínea "d", da citada Lei, devendo o processo ter seu prosseguimento até o pagamento da dívida, atualizada. O autuado deverá providenciar a regularização do ilícito junto a este Conselho. e nenhuma abstenção. D PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : VFR CONSTRUTORA E INCORPORADORA LTDA. CONCLUSÃO : O autuado, regularmente notificado, não produziu defesa, ensejando assim o JULGAMENTO À REVELIA do Auto de Infração, presumindo-se verdadeiro o fato da autuada ter exercido atividades abrangidas pela área de fiscalização do Crea sem, no entanto, possuir registro, contrariando o que dispõe o art. 59, caput, da Lei nº 5.194, de 1966, antes citada. Sendo o Auto de Infração procedente, mantenha-se a multa, cujo valor está previsto no art. 73, alínea "c", da citada Lei, devendo o processo ter seu prosseguimento até o pagamento da dívida, atualizada. 16

17 O autuado deverá providenciar a regularização do ilícito junto a este Conselho, através do registro. e nenhuma abstenção. D PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : RENATO LINTENER CONCLUSÃO : Da análise do presente processo, constata-se que a obra/serviço objeto da autuação estava concluida na data da autuação, não subsistindo o Auto de Infração. Sendo o Auto de Infração improcedente, arquive-se o presente processo, com a extinção da multa imposta. e nenhuma abstenção. D PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : VANESSA RODRIGUES GONÇALVES CONCLUSÃO : A autuada, regularmente notificado, não produziu defesa, ensejando assim o JULGAMENTO À REVELIA do Auto de Infração, presumindo-se verdadeiros os fatos constatados que configuram o exercício ilegal da profissão, capitulado no art. 6, alínea "a", da Lei 5.194, de Sendo o Auto de Infração procedente, mantenha-se a multa, cujo valor está previsto no art. 73, alínea "d", da citada Lei, devendo o processo ter seu prosseguimento até o pagamento da dívida, atualizada. A autuada deverá providenciar a regularização do ilícito junto a este Conselho. e nenhuma abstenção. D PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : JOCI VEDOY DOS SANTOS CONCLUSÃO : Da análise do presente processo, constata-se que a obra/serviço objeto da autuação estava concluida na data da autuação, não subsistindo o Auto de Infração. Sendo o Auto de Infração improcedente, arquive-se o presente processo, com a extinção da multa imposta. e nenhuma abstenção. D PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : LUCIANA CORREA DE CASTRO RELATOR : CONCLUSÃO : Item não analisado na reunião PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : ALEXANDRE OLIVEIRA DE JESUS CONCLUSÃO : O autuado, regularmente notificado, não produziu defesa, ensejando assim o 17

18 JULGAMENTO À REVELIA do Auto de Infração, presumindo-se verdadeiros os fatos constatados que configuram o exercício ilegal da profissão, capitulado no art. 6, alínea "a", da Lei 5.194, de Sendo o Auto de Infração procedente, mantenha-se a multa, cujo valor está previsto no art. 73, alínea "d", da citada Lei, devendo o processo ter seu prosseguimento até o pagamento da dívida, atualizada. O autuado deverá providenciar a regularização do ilícito junto a este Conselho. e nenhuma abstenção. D PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : PAULO RICARDO ROSINA RELATOR : CONCLUSÃO : Item não analisado na reunião Processos de registro profissional e suas alterações cadastrais PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : MAICON LINCK DA ROSA CONCLUSÃO : Somos pelo deferimento do registro do profissional MAICON LINCK DA ROSA como Técnico em Edificações com as atribuições constantes nos artigos 3º, 4º e 5º do decreto / PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : CLAUDIOMIR KURTZ DIAS CONCLUSÃO : Conforme os itens V, VI e VII da Decisão Plenária PL 2087/2004, somos pela concessão das atribuições à profissional, para executar as atividades de georreferenciamento de imóveis rurais, devendo ser anotadas no seu registro junto ao Crea/RS. Somos pelo deferimento da anotação do Curso em Fotogrametria e Sensioramento Remoto PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : MÁRCIO PARISOTTO RELATOR : Cons. Alice Helena Coelho Scholl CONCLUSÃO : Considerando os itens I, V, VI e VII da Decisão PL 2087/2004 do Plenário do Confea, concordamos com o parecer da Câmara Especializada de Geologia e Engenharia de Minas pela concessão das atribuições para executar as atividades de georreferenciamento de imóveis rurais ao referido profissional, devendo ser anotadas no seu registro junto ao Crea/RS Processos de Registro Pessoa Jurídica e suas alterações cadastrais PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : ELVI COZINHAS INDUSTRIAIS LTDA CONCLUSÃO : Oficiar à empresa informando que, para exercer as atividades de serviços de reformas civis em geral, deverá anotar engenheiro civil como responsável técnico no prazo de (10)dez dias. 18

19 7.4.2 PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : VIADUPLA CONSTRUÇÕES LTDA CONCLUSÃO : Oficiar à empresa informando que, para exercer as atividades de construção civil de edificações residenciais, industriais e comerciais, instalações sanitárias, deverá anotar engenheiro civil como responsável técnico no prazo de (10) dez dias PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : SILMAR CALABRESI DIAS - ME RELATOR : Cons. Suzel Magali Vanzellotti Leite CONCLUSÃO : Somos pelo INDEFERIMENTO do Registro de Firma Individual de Leigo SILMAR CALABRESI DIAS - ME. O indeferimento é pelo não atendimento da Decisão PL 1230/07 do Confea, item 1). DEPTO DE REGISTRO: Favor corrigir a capa do processo, considerando que trata-se de Registro de Firma Individual de Leigo e não cadastro, conforme fls. 01 e 14. Oficiar ao profissional e à empresa dando-lhes ciência desta decisão PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : CAROLDO PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS LTDA - ME CONCLUSÃO : Deferir a anotação do ENG. CIVIL MATTEUS DE SOUZA MACIEL, como Responsável Técnico pela empresa requerente. Oficiar ao profissional e à Pessoa Jurídica dando-lhes ciência da decisão PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : TEREZINHA LOCKS PALMA ME CONCLUSÃO : Deferir o registro de firma individual de profissional, da empresa TEREZINHA LOCKS PALMA ME, sob a responsabilidade técnica da ENG. CIVIL TEREZINHA LOCKS PALMA, sendo registrada na área da Engenharia Civil para: PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE AVALIAÇÃO, PERÍCIA E INSPEÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL. Oficiar a empresa dando ciência desta decisão PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : PREVINC CONSULTORIA & ASSESSORIA LTDA ME CONCLUSÃO : Deferir o registro da pessoa jurídica PREVINC CONSULTORIA & ASSESSORIA LTDA-ME, sob a responsabilidade técnica do ENG. CIVIL WILLIANS LEAL DO AMARAL, sendo registrada na área da Engenharia Civil para: INSTALAÇÃO DE SISTEMAS DE PREVENÇÃO CONTRA INCÊNDIO; TREINAMENTO EM DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL E GERENCIAL; SERVIÇOS DE DESENHOS TÉCNICOS. Oficiar à pessoa jurídica dando-lhe ciência da decisão PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : CONSTRUDELTA EMPREITEIRA LTDA - EPP CONCLUSÃO : Deferir a baixa de responsabilidade técnica da ENG. CIVIL VALDIRENE DA SILVA, pela Pessoa Jurídica requerente. E somos pela homologação do parecer de fl. 19

20 205. Oficiar ao profissional e à Pessoa Jurídica dando-lhes ciência da decisão PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : MVC - COMPONENTES PLÁSTICOS LTDA CONCLUSÃO : Deferir a anotação da ENG. CIVIL FRANCIELE RODRIGUES DE OLIVEIRA como Responsável Técnica pela pessoa jurídica requerente. Oficiar ao profissional e à pessoa jurídica dando-lhes ciência da decisão PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : S.L.E. CONSTRUÇÕES LTDA CONCLUSÃO : Deferir a baixa de responsabilidade técnica da ENG. CIVIL SIMONE BREUNIG, pela Pessoa Jurídica requerente. Oficiar ao profissional e à Pessoa Jurídica dando-lhes ciência da decisão. Informar à Pessoa Jurídica que, no prazo de 10 (dez) dias, deverá anotar profissional habilitado como responsável técnico PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : COMERCIAL E CONSTRUTORA SÃO GABRIEL EIRELI CONCLUSÃO : Deferir o registro de firma individual de responsabilidade limitada, da empresa COMERCIAL E CONSTRUTORA SÃO GABRIEL EIRELI - ME, sob a responsabilidade técnica do ENG. CIVIL LUÍS HENRIQUE STRASSBURGER, sendo registrada na área da Engenharia Civil para: CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS; OBRAS DE REFORMA DE PRÉDIOS HISTÓRICOS; CONSTRUÇÃO DE OBRAS DE ARTE ESPECIAIS; INSTALAÇÃO DE SISTEMA DE PREVENÇÃO CONTRA INCÊNDIO; LIMPEZA EM PRÉDIOS E EM DOMICÍLIOS; INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO ELÉTRICA(restrito a baixa tensão em edificações); INSTALAÇÃO HIDRÁULICA, SANITÁRIA E DE GÁS(predial); OBRAS DE TERRAPLANAGEM; ATIVIDADES DE LIMPEZA NÃO ESPECIFICADAS ANTERIORMENTE; OBRAS DE URBANIZAÇÃO - RUAS E CALÇADAS; MONTAGEM E INSTALAÇÃO DE SISTEMAS DE ILUMINAÇÃO E SINALIZAÇÃO EM VIAS PÚBLICAS, PORTOS E AEROPORTOS; ALUGUEL DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS PARA CONSTRUÇÃO SEM OPERADOR, EXCETO ANDAIMES; SERVIÇOS DE PINTURA DE EDIFÍCIOS EM GERAL; DEMOLIÇÃO DE EDIFÍCIOS E OUTRAS ESTRUTURAS. Oficiar a empresa dando ciência desta decisão. Após, encaminhar às Cãmaras Especializadas de Agronomia e Engenharia Industrial para análise do objeto social de fls. 04 e PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : ARCI JOSE KUHN & CIA LTDA. CONCLUSÃO : Deferir a baixa de responsabilidade técnica do ENG. CIVIL FREDERICO GUILHERME GERHARDT, pela Pessoa Jurídica requerente. Oficiar ao profissional e à Pessoa Jurídica dando-lhes ciência da decisão.informar à Pessoa Jurídica que, no prazo de 10 (dez) dias, deverá anotar profissional habilitado como responsável técnico PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : NAGEL & STEIN LTDA. 20

21 CONCLUSÃO : Deferir a baixa de registro da Pessoa Jurídica STEIN & STEIN LTDA.ME. Cumprir a Instrução da Presidência n. 109/2009. Oficiar à Pessoa Jurídica dando-lh ciência da decisão. Encaminhar à Câmara Especializada de Engenharia Industria para análise face parecer de fl. 56 e 57 e anexação apresentada pela empresa de fls. 58 a PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : HAZTEC TECNOLOGIA E PLANEJAMENTO AMBIENTAL SA CONCLUSÃO : Deferir a anotação do Eng. Ambiental Marcus Vinicius Cordeiro Barbosa como Responsável Técnico pela pessoa jurídica requerente. A empresa deve ser registrada na área da engenharia ambiental para: a prestação de serviços na área de soluções ambientais integradas, relacionadas com a consultoria, licenciamento, coleta de dados, gerenciamento e tratamento de resíduos (resíduos sólidos urbanos e resíduos industriais não perigosos inertes), gerenciamento, tratamento e destinação final de resíduos (resíduos sólidos urbanos e industriais não perigosos inertes); tratamento de efluentes (esgoto doméstico); o atendimento a emergências ambientais (no âmbito da engenharia ambiental); a avaliação das condições ambientais, o gerenciamento de problemas ambientais, estabelecendo e executando medidas de controle e remediação (no âmbito da engenharia ambiental); o licenciamento de instalações e empresas junto a órgãos ambientais (no âmbito da engenharia ambiental); consultoria; a elaboração de estudos de viabilidade técnico-econômica; a legalização de projetos, prestação de serviços de tratamento e disposição de resíduos industriais não perigosos inertes, tratamento de efluentes (esgoto doméstico); transporte e reciclagem (limitada à triagem) de resíduos sólidos urbanos e industriais não perigosos inertes. Oficiar ao profissional e à pessoa jurídica dando-lhes ciência da decisão PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : CASSIO KNAK ENGENHARIA CONCLUSÃO : Somos pelo deferimento do restabelecimento do registro da empresa CASSIO KNAK ENGENHARIA (Prot ), tendo como responsável técnico o ENG. CIVIL CASSIO KNAN (Prot ), permanecendo inalterado seu objeto social na área da Engenharia Civil. Cumprir o parágrafo único do artigo 64 da Lei 5194/66 (pagamento de débitos) PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : GARCIA FRIAS CONSTRUTORA LTDA. ME. RELATOR : Cons. Suzel Magali Vanzellotti Leite CONCLUSÃO : Somos por conceder um prazo de 30 (trinta) dias para regularização da empresa GABRIELA BOSISIO ALEXANDRE - ME. Oficiar à empresa dando ciência desta decisão PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : FÁBIO ANTÔNIO FAGUNDES DA SILVA CONCLUSÃO : Deferir a baixa de registro da Pessoa Jurídica FÁBIO ANTÔNIO FAGUNDES DA SILVA. Cumprir a Instrução da Presidência n. 109/2009. Oficiar à Pessoa 21

22 Jurídica dando-lhe ciência da decisão PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : FPO FIRMA DE PROJETOS E OBRAS LTDA RELATOR : Cons. Antonio Alcindo Medeiros Piekala CONCLUSÃO : Deferir a baixa de responsabilidade técnica do DOMINGOS FLAVIO RODRIGUES SEVERO, pela Pessoa Jurídica requerente. Oficiar ao profissional e à Pessoa Jurídica dando-lhes ciência da decisão PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : COMÉRCIO E CONSTRUÇÕES GRS LTDA RELATOR : Cons. Antonio Alcindo Medeiros Piekala CONCLUSÃO : Deferir a baixa de responsabilidade técnica da ENG. CIVIL SIMONE BREUNIG, pela Pessoa Jurídica requerente. Oficiar ao profissional e à Pessoa Jurídica dando-lhes ciência da decisão. Informar à Pessoa Jurídica que, no prazo de 10 (dez) dias, deverá anotar profissional habilitado como responsável técnico PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : KAEFE ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS IMOBILIARIOS LTDA RELATOR : Cons. Antônio Alcindo Medeiros Piekala CONCLUSÃO : Oficiar ao ENG.º CIVIL MARCIO SILVA DE FRANCESCHI, dando ciência da solicitação de sua Baixa de Responsabilidade Técnica por parte da referida empresa. E informando que possui 16(dezesseis) ART's em andamentos, devendo serem regularizadas. Concedemos o prazo de 10 (dez) dias a contar do recebimento deste para providências PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : GHELLER CONSULTORIA DE PROJETOS LTDA RELATOR : Cons. Antonio Alcindo Medeiros Piekala CONCLUSÃO : Deferir a baixa de responsabilidade técnica do ENG. CIVIL DOUGLAS FINGER DE LEMOS, pela Pessoa Jurídica requerente. Oficiar ao profissional e à Pessoa Jurídica dando-lhes ciência da decisão. Informar à Pessoa Jurídica que, no prazo de 10 (dez) dias, deverá anotar profissional habilitado como responsável técnico PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : ENCOP ENGENHARIA LTDA CONCLUSÃO : Deferir a baixa de responsabilidade técnica do ENG. CIVIL ELANO LAMARTINE LEAO JOCA, pela Pessoa Jurídica requerente. Oficiar ao profissional e à Pessoa Jurídica dando-lhes ciência da decisão PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : BOHM DISTRIBUIDORA DE MATERIAIS PARA CONSTRUÇÃO LTDA CONCLUSÃO : Deferir a baixa de registro da Pessoa Jurídica BOHM DISTRIBUIDORA DE MATERIAIS PARA CONSTRUÇÃO LTDA. e do profissional ENG. CIVIL PAULO JOSE IMAIZUMI. Cumprir a Instrução da Presidência n. 109/2009. Oficiar à Pessoa Jurídica dando-lhe ciência da decisão. 22

Súmula da Reunião Ordinária n 1076, da Câmara Especializada de Engenharia Civil

Súmula da Reunião Ordinária n 1076, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Súmula da Reunião Ordinária n 1076, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Data: 28 de Março de 2014 Local: PORTO ALEGRE - RS PARTICIPANTES: Coordenador Coordenadora Adjunta Conselheiro Conselheiro

Leia mais

Súmula da Reunião Ordinária n 1079, da Câmara Especializada de Engenharia Civil

Súmula da Reunião Ordinária n 1079, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Súmula da Reunião Ordinária n 1079, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Data: 9 de Maio de 2014 Local: PORTO ALEGRE - RS PARTICIPANTES: Coordenador Coordenadora Adjunta Conselheiro Conselheiro

Leia mais

Súmula da Reunião Ordinária n 1093, da Câmara Especializada de Engenharia Civil

Súmula da Reunião Ordinária n 1093, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Súmula da Reunião Ordinária n 1093, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Data: 5 de Dezembro de 2014 Local: PORTO ALEGRE - RS PARTICIPANTES: Coordenador Coordenadora Adjunta Conselheiro Conselheiro

Leia mais

SÚMULA DA 85ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO

SÚMULA DA 85ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO Data: 19 de maio de 2015 Local: Sala de GT s - Edifício "Santo Antônio de Sant'Anna Galvão" Av. Rebouças, 1028 2º andar Jardim Paulista São Paulo / SP Coordenação: Eng. Indl. Mec. e Seg. Trab. Elio Lopes

Leia mais

Pauta da Reunião Ordinária n 1072, da Câmara Especializada de Engenharia Civil

Pauta da Reunião Ordinária n 1072, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Pauta da Reunião Ordinária n 1072, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Data: 6 de Dezembro de 2013 Local: PORTO ALEGRE - RS PARTICIPANTES: Coordenador Eng. Civ. Nelson Kalil Moussalle Coordenador

Leia mais

PAUTA DA SESSÃO PLENÁRIA ORDINÁRIA Nº 644, DE 14/06/2011, 18:00 HORAS

PAUTA DA SESSÃO PLENÁRIA ORDINÁRIA Nº 644, DE 14/06/2011, 18:00 HORAS 1. VERIFICAÇÃO DE QUORUM 1.1. JUSTIFICATIVA 1.2. TITUTALIRIDADE 2. EXECUÇÃO DO HINO NACIONAL 3. DISCUSSÃO E APROVAÇÃO DA ATA DA SESSÃO PLENÁRIA ANTERIOR 3.1. ATA DA SESSÃO PLENÁRIA ORDINÁRIA Nº 643, DE

Leia mais

PAUTA DA SESSÃO PLENÁRIA ORDINÁRIA Nº 656, DE 11/06/2012, 18:00 HORAS

PAUTA DA SESSÃO PLENÁRIA ORDINÁRIA Nº 656, DE 11/06/2012, 18:00 HORAS 1. VERIFICAÇÃO DE QUORUM 1.1. JUSTIFICATIVA 1.2. TITULARIDADE 2. EXECUÇÃO DO HINO NACIONAL 3. DISCUSSÃO E APROVAÇÃO DA ATA DA SESSÃO PLENÁRIA ANTERIOR 4. LEITURA DE EXTRATO DE CORRESPONDÊNCIAS RECEBIDAS

Leia mais

SÚMULA DA 374ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA ESPECIALIZADA DE GEOLOGIA E ENGENHARIA DE MINAS

SÚMULA DA 374ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA ESPECIALIZADA DE GEOLOGIA E ENGENHARIA DE MINAS Data: 26 de novembro de 2012 Local: Auditório Rebouças - Edifício "Santo Antônio de Sant'Anna Galvão" Av. Rebouças, 1028 2º andar Jardim Paulista São Paulo / SP Coordenação: Geólogo Fábio Augusto Gomes

Leia mais

SÚMULA DA 69ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO

SÚMULA DA 69ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO Data: 17 de dezembro de 2013 Local: Sala de GT s - Edifício "Santo Antônio de Sant'Anna Galvão" Av. Rebouças, 1028 2º andar Jardim Paulista São Paulo / SP Coordenação: Eng. civil, eng. oper. mec. máq.

Leia mais

Súmula da Reunião Ordinária n 1058, da Câmara Especializada de Engenharia Civil

Súmula da Reunião Ordinária n 1058, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Súmula da Reunião Ordinária n 1058, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Data: 10 de Maio de 2013 Local: PORTO ALEGRE - RS PARTICIPANTES: Coordenador Coordenador Adjunto Conselheiro Conselheiro

Leia mais

Pauta da Reunião Ordinária n 1134, da Câmara Especializada de Engenharia Civil

Pauta da Reunião Ordinária n 1134, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Pauta da Reunião Ordinária n 1134, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Data: 25 de Novembro de 2016 Local: PORTO ALEGRE - RS PARTICIPANTES: Analista de Processos Analista de Processos 1. VERIFICAÇÃO

Leia mais

NORMA DE FISCALIZAÇÃO DA CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA ELÉTRICA Nº 002, DE 26 DE AGOSTO DE 2011.

NORMA DE FISCALIZAÇÃO DA CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA ELÉTRICA Nº 002, DE 26 DE AGOSTO DE 2011. Fl. 1 de 5 CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA ARQUITETURA E AGRONOMIA DO RIO GRANDE DO SUL NORMA DE FISCALIZAÇÃO DA CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA ELÉTRICA Nº 002, DE 26 DE AGOSTO DE 2011. Dispõe sobre

Leia mais

Súmula da Reunião Ordinária n 1072, da Câmara Especializada de Engenharia Civil

Súmula da Reunião Ordinária n 1072, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Súmula da Reunião Ordinária n 1072, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Data: 6 de Dezembro de 2013 Local: PORTO ALEGRE - RS PARTICIPANTES: Coordenador Coordenador Adjunto Conselheiro Conselheiro

Leia mais

Súmula da Reunião Ordinária n 1060, da Câmara Especializada de Engenharia Civil

Súmula da Reunião Ordinária n 1060, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Súmula da Reunião Ordinária n 1060, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Data: 7 de Junho de 2013 Local: PORTO ALEGRE - RS PARTICIPANTES: Coordenador Coordenador Adjunto Conselherio Representante

Leia mais

Súmula da Reunião Ordinária n 1075, da Câmara Especializada de Engenharia Civil

Súmula da Reunião Ordinária n 1075, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Súmula da Reunião Ordinária n 1075, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Data: 14 de Março de 2014 Local: PORTO ALEGRE - RS PARTICIPANTES: Coordenador Coordenadora Adjunta Conselheiro Conselheiro

Leia mais

CREA-RS. Integrando Profissionais e Sociedade CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA INDUSTRIAL

CREA-RS. Integrando Profissionais e Sociedade CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA INDUSTRIAL CREA-RS Integrando Profissionais e Sociedade CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA INDUSTRIAL INSPEÇÃO TÉCNICA DE SEGURANÇA VEICULAR O QUE FISCALIZAR ONDE FISCALIZAR PARÂMETRO LEGISLAÇÃO Inspeção Empresas

Leia mais

Súmula da Reunião Ordinária n 1025, da Câmara Especializada de Engenharia Civil

Súmula da Reunião Ordinária n 1025, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Súmula da Reunião Ordinária n 1025, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Data: 21 de Outubro de 2011 Local: PORTO ALEGRE - RS PARTICIPANTES: Coordenador Coordenador Adjunto Conselheiro Conselheiro

Leia mais

CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA DE AGRIMENSURA. Julgamento de Processos

CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA DE AGRIMENSURA. Julgamento de Processos 1 I - PROCESSOS DE VISTAS I. I - PROCESSOS QUE RETORNAM À CÂMARA APÓS "VISTA" CONCEDIDA 2 UGI PRESIDENTE PRUDENTE Nº de Ordem 1 Processo/Interessado PR-661/2012 Relator JOÃO BATISTA PEREIRA ANTONIO MOACIR

Leia mais

Responsabilidade Técnica na Pesquisa com Agrotóxicos. Eng. Agr. Gilberto Guarido Coordenador da Câmara Especializada de Agronomia

Responsabilidade Técnica na Pesquisa com Agrotóxicos. Eng. Agr. Gilberto Guarido Coordenador da Câmara Especializada de Agronomia Responsabilidade Técnica na Pesquisa com Agrotóxicos Eng. Agr. Gilberto Guarido Coordenador da Câmara Especializada de Agronomia CONFEA CONSELHO FEDERAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA CREA CONSELHO REGIONAL

Leia mais

Súmula da Reunião Ordinária n 1023, da Câmara Especializada de Engenharia Civil

Súmula da Reunião Ordinária n 1023, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Súmula da Reunião Ordinária n 1023, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Data: 23 de Setembro de 2011 Local: PORTO ALEGRE - RS PARTICIPANTES: Coordenador Eng. Civ. Jefferson Luiz De Freitas Lopes

Leia mais

CARTILHA CAU/RS 2014 INSTRUÇÕES PARA ARQUITETURA DE INTERIORES SHOPPING CENTER

CARTILHA CAU/RS 2014 INSTRUÇÕES PARA ARQUITETURA DE INTERIORES SHOPPING CENTER CARTILHA CAU/RS 2014 INSTRUÇÕES PARA ARQUITETURA DE INTERIORES SHOPPING CENTER APRESENTAÇÃO O CAU/RS Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Rio Grande do Sul, na qualidade de Autarquia Federal deve na

Leia mais

CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO REGIMENTO INTERNO

CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO REGIMENTO INTERNO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DO CONSELHO, ATRIBUIÇÕES E SUA COMPOSIÇÃO Art. 1.º- O Conselho Municipal de Educação de Carlos Barbosa, criado pela Lei Municipal nº1.176 de

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO ESTADO DE SÃO PAULO - CREA-SP

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO ESTADO DE SÃO PAULO - CREA-SP INSTRUÇÃO Nº 2560 Dispõe sobre procedimentos para a interrupção de registro profissional. O PRESIDENTE DO CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA, no uso das atribuições que lhe confere o art. 34,

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho ASSESSORIA DA FISCALIZAÇÃO IT. 42 01 1 / 5 1. OBJETIVO Assessorar o Departamento de nas ações fiscalizatórias de verificação do exercício das profissões pertencentes ao sistema Confea/Crea, junto às empresas,

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho APOIO AO DIREITO DO CONSUMIDOR IT. 12 08 1 / 6 1. OBJETIVO Estabelecer diretrizes para procedimentos visando à solução de litígios motivados por problemas técnicos, no que se refere à participação de Profissionais/Empresas

Leia mais

CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO. Julgamento de Processos

CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO. Julgamento de Processos 1 I - PROCESSOS DE ORDEM SF I. I - A.N.I. - MANUTENÇÃO UGI NORTE 1 SF-659/2012 SANDRA REGINA TEIXEIRA SANTIAGO CARLOS ALBERTO GUIMARÃES GARCEZ Processo: SF- 659/2012 Interessado: SANDRA REGINA TEIXEIRA

Leia mais

GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO DISTRITO FEDERAL DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO DIRETORIA DE VISTORIAS

GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO DISTRITO FEDERAL DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO DIRETORIA DE VISTORIAS GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO DISTRITO FEDERAL DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO DIRETORIA DE VISTORIAS INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 003/2015 - DIVIS/DESEG APLICAÇÃO DE PENALIDADES

Leia mais

Súmula da Reunião Ordinária n 1047, da Câmara Especializada de Engenharia Civil

Súmula da Reunião Ordinária n 1047, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Súmula da Reunião Ordinária n 1047, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Data: 5 de Outubro de 2012 Local: PORTO ALEGRE - RS PARTICIPANTES: Coordenador Coordenador Adjunto Analista de Processos

Leia mais

Súmula da Reunião Ordinária n 1008, da Câmara Especializada de Engenharia Civil

Súmula da Reunião Ordinária n 1008, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Súmula da Reunião Ordinária n 1008, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Data: 17 de Dezembro de 2010 Local: PORTO ALEGRE - RS PARTICIPANTES: Coordenador Eng. Civ. Volnei Pereira Da Silva Coordenador-Adjunto

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho FISCALIZAÇÃO EXTERNA IT. 06 08 1 / 9 1. OBJETIVO Coordenar, programar e acompanhar a execução do trabalho de fiscalização executado pelos agentes/analistas de fiscalização, com o objetivo de fiscalizar

Leia mais

ATO NORMATIVO Nº 57 / 2005

ATO NORMATIVO Nº 57 / 2005 ATO NORMATIVO Nº 57 / 2005 Dispõe sobre os valores das taxas de registro de ART devidas ao Crea-ES, para o exercício de 2006 e dá outras providências. O CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E AGRONOMIA

Leia mais

SÚMULA DA 68ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO

SÚMULA DA 68ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO Data: 26 de novembro de 2013 Local: Sala de GT s - Edifício "Santo Antônio de Sant'Anna Galvão" Av. Rebouças, 1028 2º andar Jardim Paulista São Paulo / SP Coordenação: Eng. civil, eng. oper. mec. máq.

Leia mais

LEGISLAÇÃO PROFISSIONAL ENGENHARIA ELÉTRICA

LEGISLAÇÃO PROFISSIONAL ENGENHARIA ELÉTRICA LEGISLAÇÃO PROFISSIONAL ENGENHARIA ELÉTRICA TÓPICOS INSTRUMENTOS LEGAIS APLICÁVEIS LEGISLAÇÃO: CONSTITUIÇÃO FEDERAL, LEIS, DECRETOS e RESOLUÇÕES FORMAÇÃO E ATRIBUIÇÃO PROFISSIONAL DELIBERAÇÕES NORMATIVAS

Leia mais

O bom síndico deixa seu condominio sempre em ordem. Manual do Síndico

O bom síndico deixa seu condominio sempre em ordem. Manual do Síndico O bom síndico deixa seu condominio sempre em ordem Manual do Síndico O que é o CREA-RO? O C o n s e l h o R e g i o n a l d e E n g e n h a r i a e Agronomia do Estado de Rondônia - CREA- RO é uma autarquia

Leia mais

Súmula da Reunião Ordinária n 1052, da Câmara Especializada de Engenharia Civil

Súmula da Reunião Ordinária n 1052, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Súmula da Reunião Ordinária n 1052, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Data: 14 de Dezembro de 2012 Local: PORTO ALEGRE - RS PARTICIPANTES: Coordenador Coord. Adjunto Analista de Processos Analista

Leia mais

Brasília, 16 de julho de 2015. Boletim de Serviço da FUNAI Ano 28 Número 07. SUMÁRIO Presidência... 01 Coordenações Regionais...

Brasília, 16 de julho de 2015. Boletim de Serviço da FUNAI Ano 28 Número 07. SUMÁRIO Presidência... 01 Coordenações Regionais... p. 1 SUMÁRIO Presidência... 01 Coordenações Regionais...05 PORTARIA Nº 659/PRES, de 15 de julho de 2015. PRESIDÊNCIA Dispõe sobre a regulamentação quanto à concessão de licença por motivo de doença em

Leia mais

LEI Nº 2.998/2007 CAPÍTULO I DA COMPOSIÇÃO

LEI Nº 2.998/2007 CAPÍTULO I DA COMPOSIÇÃO LEI Nº 2.998/2007 REGULAMENTA O CONSELHO MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO URBANO - COPLAN, CRIADO NO ARTIGO 2º, DA LEI COMPLEMENTAR N.º 037/2006, DE 15 DE DEZEMBRO, QUE DISPOE SOBRE NORMAS DE

Leia mais

SISTEMAS PROFISSIONAIS

SISTEMAS PROFISSIONAIS SISTEMAS PROFISSIONAIS Prof. Dr. Eng. Mec. Amarildo Tabone Paschoalini Docente Departamento de Engenharia Mecânica UNESP Ilha Solteira Coordenador da Câmara Especializada de Eng. Mecânica e Metalúrgica

Leia mais

1º Para aplicação da Tabela I, será considerado o valor da obra, no caso de atividade de execução e o valor dos serviços para as demais atividades.

1º Para aplicação da Tabela I, será considerado o valor da obra, no caso de atividade de execução e o valor dos serviços para as demais atividades. ATO NORMATIVO Nº 55/03 Dispõe sobre os valores das taxas de registro de ART devidas ao Crea ES, para o exercício de 2004 e dá outras providências. O CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E AGRONOMIA

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Distrito Federal

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Distrito Federal SESSÃO PLENÁRIA ORDINÁRIA N.º 531/2015 (quingentésima trigésima primeira) DIVISÃO DE APOIO AO COLEGIADO - DAC ASSUNTO: Pauta da Sessão Ordinária n.º 531/2015, do Plenário do Crea-DF. 11/FEV/2015 HORÁRIO:

Leia mais

PAUTA DA SESSÃO PLENÁRIA ORDINÁRIA Nº 659, DE 10/09/2012-18:00 HORAS

PAUTA DA SESSÃO PLENÁRIA ORDINÁRIA Nº 659, DE 10/09/2012-18:00 HORAS 1. VERIFICAÇÃO DE QUORUM 1.1. JUSTIFICATIVA 1.2. TITULARIDADE 2. EXECUÇÃO DO HINO NACIONAL 3. DISCUSSÃO E APROVAÇÃO DA ATA DA SESSÃO PLENÁRIA ANTERIOR: SESSÃO PLENÁRIA ORDINÁRIA Nº 658, DE 13/08/2012,

Leia mais

REGIMENTO INTERNO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO CONSEPE

REGIMENTO INTERNO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO CONSEPE REGIMENTO INTERNO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO CONSEPE TÍTULO I DA COMPOSIÇÃO E DAS COMPETÊNCIAS CAPÍTULO I - DA COMPOSIÇÃO Art. 1º O CONSEPE é o órgão colegiado superior que supervisiona e

Leia mais

SECRETARIA DA FAZENDA CONSELHO DE RECURSOS TRIBUTÁRIOS

SECRETARIA DA FAZENDA CONSELHO DE RECURSOS TRIBUTÁRIOS ESTADO" DO CEARÁ RESOLUÇÃO N. 4VIS /2007 1a CÂMARA DE JULGAMENTO 76 a SESSÃO DE: 18.04.2007 PROCESSO N. 1/002917/2002 AUTO DE JNFRAÇÃO N 1/200210491 RECORRENTE: DISTRIBUIDORA DE BEBIDAS FREIRE RECORRIDO:

Leia mais

INGRESSO DE PROFISSIONAIS ESTRANGEIROS NO BRASIL

INGRESSO DE PROFISSIONAIS ESTRANGEIROS NO BRASIL INGRESSO DE PROFISSIONAIS ESTRANGEIROS NO BRASIL REGISTRO PROFISSIONAL E ACERVO TÉCNICO A EXPERIÊNCIA DO CREA-PR Eng. Civ. Joel Krüger Presidente CREA-PR Sistema CONFEA/CREAs 977.750 Profissionais 306

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PETRÓPOLIS CENTRO DE ENGENHARIA E COMPUTAÇÃO ENGENHARIA CIVIL RESUMO DA LEI NÚMERO 5.194 DE 24 DE DEZEMBRO DE 1966

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PETRÓPOLIS CENTRO DE ENGENHARIA E COMPUTAÇÃO ENGENHARIA CIVIL RESUMO DA LEI NÚMERO 5.194 DE 24 DE DEZEMBRO DE 1966 UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PETRÓPOLIS CENTRO DE ENGENHARIA E COMPUTAÇÃO ENGENHARIA CIVIL RESUMO DA LEI NÚMERO 5.194 DE 24 DE DEZEMBRO DE 1966 Petrópolis 2013 1 INTRODUÇÃO O presente trabalho é um resumo

Leia mais

446, 23/01/2014, 24/01/2014 PARECER CEE/PE Nº 143/2013-CES APROVADO PELO PLENÁRIO EM

446, 23/01/2014, 24/01/2014 PARECER CEE/PE Nº 143/2013-CES APROVADO PELO PLENÁRIO EM INTERESSADA: UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO UPE FACULDADE DE CIÊNCIAS DA ADMINISTRAÇÃO - FCAP ASSUNTO: RENOVAÇÃO DO RECONHECIMENTO DO CURSO SUPERIOR SEQUENCIAL DE FORMAÇÃO ESPECÍFICA EM GESTÃO IMOBILIÁRIA

Leia mais

ATA DE REUNIÃO. Ata da Sessão Plenária nº 3409 Data: 19/02/2013 Folha: 01/02

ATA DE REUNIÃO. Ata da Sessão Plenária nº 3409 Data: 19/02/2013 Folha: 01/02 Ata da Sessão Plenária nº 3409 Data: 19/02/2013 Folha: 01/02 1. PRESENÇAS: 1.1. Conselheiros Titulares: Adm. Wagner Siqueira Presidente Adm. Jorge Humberto Moreira Sampaio V.P. de Planej. e Desenvolv.

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho CONVÊNIO COM ENTIDADES DE CLASSE IT. 23 05 1/5 1. OBJETIVO Estabelecer diretrizes para a celebração de convênios com Entidades de Classe para a concessão de recursos, pelo Sistema Confea/Crea, para medidas

Leia mais

RESOLUÇÃO CRM-TO Nº 91/2013, de 13 de dezembro de 2013.

RESOLUÇÃO CRM-TO Nº 91/2013, de 13 de dezembro de 2013. RESOLUÇÃO CRM-TO Nº 91/2013, de 13 de dezembro de 2013. Dispõe sobre a criação e atribuições das delegacias regionais e dos delegados e dá outras providências. O Conselho Regional de Medicina do Estado

Leia mais

Súmula da Reunião Ordinária n 1051, da Câmara Especializada de Engenharia Civil

Súmula da Reunião Ordinária n 1051, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Súmula da Reunião Ordinária n 1051, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Data: 7 de Dezembro de 2012 Local: PORTO ALEGRE - RS PARTICIPANTES: Analista de Processos Analista de Processos Assistente

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADOS: Sociedade Mantenedora de Educação Superior da Bahia UF: BA S/C Ltda. e outros ASSUNTO: Consulta sobre a vigência

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE GRAVATÁ Secretaria de Planejamento e Orçamento Secretaria Executiva de Planejamento Urbano

PREFEITURA MUNICIPAL DE GRAVATÁ Secretaria de Planejamento e Orçamento Secretaria Executiva de Planejamento Urbano PREFEITURA MUNICIPAL DE GRAVATÁ Secretaria de Planejamento e Orçamento Secretaria Executiva de Planejamento Urbano 2014 CONCEITOS GERAIS DOS SERVIÇOS E Lei nº 3401/06 ( Plano Diretor), Lei nº 3420/07 (Código

Leia mais

PAUTA DA SESSÃO PLENÁRIA ORDINÁRIA Nº 637, DE 15/10/2010, 18 HORAS

PAUTA DA SESSÃO PLENÁRIA ORDINÁRIA Nº 637, DE 15/10/2010, 18 HORAS 1. VERIFICAÇÃO DE QUORUM 1.1. JUSTIFICATIVA 1.2. TITUTALIRIDADE 2. EXECUÇÃO DO HINO NACIONAL 3. DISCUSSÃO E APROVAÇÃO DA ATA DA SESSÃO PLENÁRIA ANTERIOR 3.1. ATA DA SESSÃO PLENÁRIA ORDINÁRIA Nº 635, DE

Leia mais

SESSÃO PLENÁRIA Nº 1996 (ORDINÁRIA) DE 23 DE ABRIL DE 2015

SESSÃO PLENÁRIA Nº 1996 (ORDINÁRIA) DE 23 DE ABRIL DE 2015 SESSÃO PLENÁRIA Nº 1996 (ORDINÁRIA) DE 23 DE ABRIL DE 2015 Item III. Discussão e aprovação da Ata da Sessão Plenária nº 1995 (ORDINÁRIA). PAUTA Nº: 1 PROCESSO: Interessado: Crea-SP Assunto: Discussão e

Leia mais

http://www.fonoaudiologia.org.br//servlet/consultalegislacao?acao=pi&leiid=17

http://www.fonoaudiologia.org.br//servlet/consultalegislacao?acao=pi&leiid=17 Page 1 of 7 Número: 339 Ano: 2006 Ementa: Dispõe sobre o registro de Pessoas Jurídicas nos Conselhos de Fonoaudiologia e dá outras providências. Cidade: - UF: Conteúdo: Brasilia-DF, 25 de Fevereiro de

Leia mais

Regimento Interno da Comissão de Avaliação e Gestão de Projetos de Pesquisa e Inovação - CAGPPI

Regimento Interno da Comissão de Avaliação e Gestão de Projetos de Pesquisa e Inovação - CAGPPI Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Câmpus Farroupilha Regimento Interno da Comissão de Avaliação

Leia mais

Ato Normativo nº. 428/2006 - PGJ/CGMP, de 20 de fevereiro de 2006

Ato Normativo nº. 428/2006 - PGJ/CGMP, de 20 de fevereiro de 2006 Ato Normativo nº. 428/2006 - PGJ/CGMP, de 20 de fevereiro de 2006 Alterado por Ato Normativo nº 905/2015, de 11/06/2015 (PT nº. 20.243/06) Aprova o Plano de Classificação de Documentos e a Tabela de Temporalidade

Leia mais

,." \,J ESTADO DO CEARÁ SECRETARIA DA FAZENDA CONSELHO DE RECURSOSTRIBUTÁRIOS

,. \,J ESTADO DO CEARÁ SECRETARIA DA FAZENDA CONSELHO DE RECURSOSTRIBUTÁRIOS ,.".. PROC: 1/4305/2005 ESTADO DO CEARÁ SECRETARIA DA FAZENDA CONSELHO DE RECURSOSTRIBUTÁRIOS RESOLUÇÃON bt:t 'i /2007 la CÂMARA SESSÃODE 25/10/2007 PROCESSODE RECURSO N 1/4305/2005 AUTO DE INFRAÇÃO: 1/200516884

Leia mais

*Decreto 26.200/2012: DECRETO Nº 26.200, DE 16 DE JULHO DE 2012. DISPÕE SOBRE A REGULAMENTAÇÃO DA LEI COMPLEMENTAR Nº 489, DE 31 DE MAIO DE 2012.

*Decreto 26.200/2012: DECRETO Nº 26.200, DE 16 DE JULHO DE 2012. DISPÕE SOBRE A REGULAMENTAÇÃO DA LEI COMPLEMENTAR Nº 489, DE 31 DE MAIO DE 2012. *Decreto 26.200/2012: DECRETO Nº 26.200, DE 16 DE JULHO DE 2012. DISPÕE SOBRE A REGULAMENTAÇÃO DA LEI COMPLEMENTAR Nº 489, DE 31 DE MAIO DE 2012. O Prefeito Municipal de Chapecó, Estado de Santa Catarina,

Leia mais

RIO GRANDE DO SUL CONTROLE INTERNO

RIO GRANDE DO SUL CONTROLE INTERNO 1/9 1 - DOS OBJETIVOS 1.1 Regulamentar os procedimentos para a concessão de incentivos à empresas industriais, comerciais e de serviços no Município com base na Legislação Municipal e no artigo 174 da

Leia mais

LEGISLAÇÃO DO MUNICÍPIO DE SALVADOR QUE DETERMINA "OBRIGATÓRIA" REALIZAÇÃO DE INSPEÇÃO PREDIAL POR PROFISSIONAL HABILITADO NO CREA

LEGISLAÇÃO DO MUNICÍPIO DE SALVADOR QUE DETERMINA OBRIGATÓRIA REALIZAÇÃO DE INSPEÇÃO PREDIAL POR PROFISSIONAL HABILITADO NO CREA LEGISLAÇÃO DO MUNICÍPIO DE SALVADOR QUE DETERMINA "OBRIGATÓRIA" REALIZAÇÃO DE INSPEÇÃO PREDIAL POR PROFISSIONAL HABILITADO NO CREA Diário Oficial do Município ATOS DO PODER LEGISLATIVO LEI Nº 5.907/2001

Leia mais

RESOLUÇÃO Confea 313 - Atribuições

RESOLUÇÃO Confea 313 - Atribuições RESOLUÇÃO Confea 313 - Atribuições Dispõe sobre o exercício profissional dos Tecnólogos das áreas submetidas à regulamentação e fiscalização instituídas pela Lei nº 5.194, de 24 DEZ 1966, e dá outras providências.

Leia mais

Tribunal de Contas da União

Tribunal de Contas da União Tribunal de Contas da União Dados Materiais: Decisão 41/96 - Plenário - Ata 05/96 Processo nº TC 010.652/95-7 Interessado: Promotor de Justiça do Ministério Público do Estado do Rio Grande do Sul - Dr.

Leia mais

Autores: Deputado SAMUEL MALAFAIA, Deputado LUIZ PAULO A ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO RESOLVE:

Autores: Deputado SAMUEL MALAFAIA, Deputado LUIZ PAULO A ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO RESOLVE: PROJETO DE LEI Nº 2584/2013 EMENTA: DETERMINA QUE SEGUROS IMOBILIÁRIOS DE CONDOMÍNIOS, PRÉDIOS RESIDENCIAIS, COMERCIAIS E PÚBLICOS SOMENTE SEJAM EMITIDOS MEDIANTE O CUMPRIMENTO DA LEI Nº6400, DE 05 DE

Leia mais

A Profissão do Engenheiro Eletricista no Brasil e Seus Regulamentos

A Profissão do Engenheiro Eletricista no Brasil e Seus Regulamentos DEPEN DEPARTAMENTO DE ENSINO A Profissão do Engenheiro Eletricista no Brasil e Seus Regulamentos Acimarney Correia Silva Freitas¹, Ivan da Silva Bié 2, Marcus Vinicius Silva Ferraz 3, Mariana Cardoso Mendes

Leia mais

DISPÕE SOBRE O REGISTRO DE EMPRESAS DE MINERAÇÃO DE PEQUENO PORTE NO CREA/ES.

DISPÕE SOBRE O REGISTRO DE EMPRESAS DE MINERAÇÃO DE PEQUENO PORTE NO CREA/ES. Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia do Espírito Santo Av. César Hilal, 700 1º andar Bento Ferreira Vitória ES CEP 290 522 232 Tel.: (27) 3334 9900 FAX: (27) 3324 3644 CEEI DISPÕE SOBRE

Leia mais

EDITAL DE CONVOCAÇÃO

EDITAL DE CONVOCAÇÃO EDITAL DE CONVOCAÇÃO ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA O Secretário Executivo do SINDCONTAS, no uso das atribuições que lhe confere o Estatuto da entidade, convoca todos os filiados para comparecer a Assembléia

Leia mais

PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DELIBERAÇÃO E/CME Nº 25 DE 30 DE ABRIL DE 2013

PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DELIBERAÇÃO E/CME Nº 25 DE 30 DE ABRIL DE 2013 PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DELIBERAÇÃO E/CME Nº 5 DE 30 DE ABRIL DE 013 Dispõe sobre os Atos Autorizativos das instituições privadas

Leia mais

Reforma e Manutenção de Edificações ou Condomínios. Marcos Velletri

Reforma e Manutenção de Edificações ou Condomínios. Marcos Velletri Reforma e Manutenção de Edificações ou Condomínios Marcos Velletri Reforma e Manutenção de Edificações ou Condomínios É de extrema importância a conscientização de proprietários e síndicos quanto à responsabilidade

Leia mais

Recurso contra aplicação de multa cominatória

Recurso contra aplicação de multa cominatória PARA: GEA-2 DE: Paulo Portinho RA/CVM/SEP/GEA-2/Nº 105/2015 DATA: 22/06/2015 ASSUNTO: Recurso contra aplicação de multa cominatória CIA. INDL. SCHLOSSER S.A. Processo CVM nº 2014-14745 1. Senhor Superintendente,

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO FÓRUM ESTADUAL PERMANENTE DE APOIO À FORMAÇÃO DOCENTE DO ESTADO DO AMAPÁ TITULO I DA NATUREZA

REGIMENTO INTERNO DO FÓRUM ESTADUAL PERMANENTE DE APOIO À FORMAÇÃO DOCENTE DO ESTADO DO AMAPÁ TITULO I DA NATUREZA REGIMENTO INTERNO DO FÓRUM ESTADUAL PERMANENTE DE APOIO À FORMAÇÃO DOCENTE DO ESTADO DO AMAPÁ TITULO I DA NATUREZA Art. 1. O Fórum Estadual Permanente de Apoio à Formação Docente do Estado do Amapá é a

Leia mais

Associação Matogrossense dos Municípios

Associação Matogrossense dos Municípios PORTARIA Nº 019/2010 O Presidente da Associação Matogrossense dos Municípios AMM, no uso de suas atribuições legais que lhe são conferidas pelo Estatuto Social e Resolução 002/2010, RESOLVE: Art. 1º -

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 09/2010

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 09/2010 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 09/2010 Aprova o Regimento Interno da Comissão Interna de Supervisão da Carreira dos Cargos

Leia mais

Outros Representantes do Ministério Público: Dra. Maria Alzira Ferreira e Dr. Paulo Soares Bugarin.

Outros Representantes do Ministério Público: Dra. Maria Alzira Ferreira e Dr. Paulo Soares Bugarin. Tribunal de Contas da União Número do documento: AC-0569-42/00-1 Identidade do documento: Acórdão 569/2000 - Primeira Câmara Ementa: Tomada de Contas Especial. Convênio. FNDE. Prefeitura Municipal de Bom

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA DIRETORIA DE CONTROLE DE LICITAÇÕES E CONTRATAÇÕES

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA DIRETORIA DE CONTROLE DE LICITAÇÕES E CONTRATAÇÕES TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA DIRETORIA DE CONTROLE DE LICITAÇÕES E CONTRATAÇÕES PROCESSO Nº: UNIDADE GESTORA: RESPONSÁVEIS: INTERESSADO: ASSUNTO: RELATÓRIO REINSTRUÇÃO: DE ELC-14/00549369

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA DIRETORIA DE CONTROLE DE ATOS DE PESSOAL Inspetoria 1 DIVISÃO 1

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA DIRETORIA DE CONTROLE DE ATOS DE PESSOAL Inspetoria 1 DIVISÃO 1 TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA DIRETORIA DE CONTROLE DE ATOS DE PESSOAL Inspetoria 1 DIVISÃO 1 PROCESSO Nº: REP 11/00278840 UNIDADE GESTORA: PREFEITURA MUNICIPAL DE TIJUCAS INTERESSADO:

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 09 /2008

RESOLUÇÃO Nº. 09 /2008 1 RESOLUÇÃO Nº. 09 /2008 Dispõe sobre o Regimento Interno da Junta Recursal do Programa Estadual de Proteção e Defesa ao Consumidor JURDECON e dá outras providências. O Colégio de Procuradores de Justiça

Leia mais

RESOLUÇÃO N 173/2009-TCE/TO PLENO

RESOLUÇÃO N 173/2009-TCE/TO PLENO RESOLUÇÃO N 173/2009-TCE/TO PLENO 1. Processo nº: 04471/2008 2. Classe de Assunto: Contrato nº 084/2008 Pregão Presencial nº 075/2008 3. Origem: Secretaria de Estado da Saúde 4. Responsável: Eugênio Pacceli

Leia mais

Serviços Relacionados à Pessoa Jurídica

Serviços Relacionados à Pessoa Jurídica Serviços Relacionados à Pessoa Jurídica Atenção: Documentos apresentados em fotocópia devem ser autenticados em Cartório ou acompanhados dos originais para receberem autenticação do CREA. Documentos obrigatórios

Leia mais

RESOLUÇÃO N ^ /2006 Ia CÂMARA SESSÃO DE 17/07/2006

RESOLUÇÃO N ^ /2006 Ia CÂMARA SESSÃO DE 17/07/2006 PROC: 1/004193/2004 \ AL: 1/200410475 ESTADO DO CEARA SECRETARIA DA FAZENDA CONSELHO DE RECURSOS TRIBUTÁRIOS RESOLUÇÃO N ^ /2006 Ia CÂMARA SESSÃO DE 17/07/2006 PROCESSO DE RECURSO N 1/004193/2004 AUTO

Leia mais

RESOLUÇÃO N. TC-0109/2015

RESOLUÇÃO N. TC-0109/2015 RESOLUÇÃO N. TC-0109/2015 Dispõe sobre o procedimento de reconstituição e restauração dos autos de processos do Tribunal de Contas do Estado de Santa Catarina e dá outras providências. O TRIBUNAL DE CONTAS

Leia mais

» o seu histórico escolar possui conteúdo curricular em conformidade com a "Portaria Reconhecida nº 550" do MEC;

» o seu histórico escolar possui conteúdo curricular em conformidade com a Portaria Reconhecida nº 550 do MEC; 11. n.; 2-3 Arq. Um. ~mizu Assistente TOOiicô GEAT!SUPTEC Reg. 3998 CREA-s? 5061452fi73 POIfaria SUPTEC NO I SERViÇO PÚBLICO FEDERAL Processo no: PR 972/08 Interessado: EDNAlDO VICENTE GONZAGA Histórico:

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 672, DE 16 DE SETEMBRO DE 2000

RESOLUÇÃO Nº 672, DE 16 DE SETEMBRO DE 2000 RESOLUÇÃO Nº 672, DE 16 DE SETEMBRO DE 2000 Fixa normas de fiscalização de procedimentos administrativos, e dá outras providências. O CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA VETERINÁRIA-CFMV, no uso das atribuições

Leia mais

REGIMENTO DO FÓRUM ESTADUAL PERMANENTE DE APOIO À FORMAÇÃO DOCENTE GOIÁS (FORPROF-GO)

REGIMENTO DO FÓRUM ESTADUAL PERMANENTE DE APOIO À FORMAÇÃO DOCENTE GOIÁS (FORPROF-GO) REGIMENTO DO FÓRUM ESTADUAL PERMANENTE DE APOIO À FORMAÇÃO DOCENTE GOIÁS (FORPROF-GO) Goiânia-2010 REGIMENTO DO FÓRUM ESTADUAL PERMANENTE DE APOIO À FORMAÇÃO DOCENTE GOIÁS (FORPROF-GO) CAPÍTULO I DOS FUNDAMENTOS

Leia mais

Súmula da Reunião Ordinária n 1004, da Câmara Especializada de Engenharia Civil

Súmula da Reunião Ordinária n 1004, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Súmula da Reunião Ordinária n 1004, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Data: 22 de Outubro de 2010 Local: PORTO ALEGRE - RS PARTICIPANTES: Coordenador Coordenador Adjunto Conselheiro Conselheiro

Leia mais

LEI Nº 5.194, DE 24 DE DEZEMBRO DE 1966

LEI Nº 5.194, DE 24 DE DEZEMBRO DE 1966 LEI Nº 5.194, DE 24 DE DEZEMBRO DE 1966 Regula o exercício das profissões de Engenharia, Arquiteto e Engenheiro-Agrônomo, e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA: Faço saber que o CONGRESSO

Leia mais

GRUPO STARSEG GRUPO STARSEG. Assessoria e Consultoria em Segurança, Saúde e Meio Ambiente

GRUPO STARSEG GRUPO STARSEG. Assessoria e Consultoria em Segurança, Saúde e Meio Ambiente GRUPO STARSEG GRUPO STARSEG Assessoria e Consultoria em Segurança, Saúde e Meio Ambiente Rua Reverendo Martin Luther King, 161 Santo André - SP C.N.P.J: 05.667.311/0001-22 Tel: (011) 3461-8013 WWW.GRUPOSTARSEG.COM.BR

Leia mais

CREA RS UM CONSELHO PARA TODOS O SISTEMA CONFEA/CREA. (Fiscalização Federal das profissões de Engenharia, Arquitetura e Agronomia)

CREA RS UM CONSELHO PARA TODOS O SISTEMA CONFEA/CREA. (Fiscalização Federal das profissões de Engenharia, Arquitetura e Agronomia) CREA RS UM CONSELHO PARA TODOS Palestra: O SISTEMA CONFEA/CREA (Fiscalização Federal das profissões de Engenharia, Arquitetura e Agronomia) Apresentação: Eng. Mec. Ary Trevisan Coordenado CEEI Eng. Mec.

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADA: Associação da Igreja Metodista UF: SP ASSUNTO: Descredenciamento voluntário da Faculdade de Ciências Humanas do

Leia mais

ORIENTAÇÕES AOS MUNICIPIOS TRANSFERÊNCIA DE ATIVOS DE I. P. APLICAÇÃO DA NOVA RESOLUÇÃO DA ANEEL

ORIENTAÇÕES AOS MUNICIPIOS TRANSFERÊNCIA DE ATIVOS DE I. P. APLICAÇÃO DA NOVA RESOLUÇÃO DA ANEEL ORIENTAÇÕES AOS MUNICIPIOS TRANSFERÊNCIA DE ATIVOS DE I. P. APLICAÇÃO DA NOVA RESOLUÇÃO DA ANEEL 17/12/2013 É preciso se atentar que a nova resolução aprovada pela ANEEL não apenas prorrogou o prazo limite

Leia mais

DOE Seção I quinta-feira, 19 de março de 2015, páginas 29/30.

DOE Seção I quinta-feira, 19 de março de 2015, páginas 29/30. DOE Seção I quinta-feira, 19 de março de 2015, páginas 29/30. Resolução SS 28, de 18-3-2015 Dispõe sobre a instrução de processos de afastamento para participar de congressos, cursos e outros eventos culturais,

Leia mais

TERMO DE COMPROMISSO DE AJUSTE DE CONDUTA Nº 0135/2007

TERMO DE COMPROMISSO DE AJUSTE DE CONDUTA Nº 0135/2007 TERMO DE COMPROMISSO DE AJUSTE DE CONDUTA Nº 0135/2007 Pelo presente instrumento, por um lado a Agência Nacional de Saúde Suplementar, pessoa jurídica de direito público, autarquia especial vinculada ao

Leia mais

LEI Nº 4.950-A, DE 22 DE ABRIL DE 1966 (Suspensa, por inconstitucionalidade, pela Resolução nº 12, de 1971, do Senado Federal)

LEI Nº 4.950-A, DE 22 DE ABRIL DE 1966 (Suspensa, por inconstitucionalidade, pela Resolução nº 12, de 1971, do Senado Federal) LEI Nº 4.950-A, DE 22 DE ABRIL DE 1966 (Suspensa, por inconstitucionalidade, pela Resolução nº 12, de 1971, do Senado Federal) Dispõe sôbre a remuneração de profissionais diplomados em Engenharia, Química,

Leia mais

COMISSÃO DE ÉTICA NO USO DE ANIMAIS - CEUA REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO DE ÉTICA NO USO DE ANIMAL DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA

COMISSÃO DE ÉTICA NO USO DE ANIMAIS - CEUA REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO DE ÉTICA NO USO DE ANIMAL DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO DE ÉTICA NO USO DE ANIMAL DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAPÍTULO I DA NATUREZA Art. 1 - A Comissão de Ética no Uso de Animal da Universidade Federal do Pampa (Unipampa/CEUA),

Leia mais

REGIMENTO DO CENTRO DE GESTÃO E TRATAMENTO DE RESÍDUOS QUÍMICOS

REGIMENTO DO CENTRO DE GESTÃO E TRATAMENTO DE RESÍDUOS QUÍMICOS REGIMENTO DO CENTRO DE GESTÃO E TRATAMENTO DE RESÍDUOS QUÍMICOS TÍTULO I DO CENTRO E SEUS FINS Artigo 1 O Centro de Gestão e Tratamento de Resíduos Químicos é um órgão auxiliar, de natureza técnica e científica,

Leia mais

Eng. Ind. Mec. e de Seg. Trab. Elio Lopes dos Santos Creasp nº 0601832438 Coordenador da Câmara Especializada de Engenharia de Segurança do Trabalho

Eng. Ind. Mec. e de Seg. Trab. Elio Lopes dos Santos Creasp nº 0601832438 Coordenador da Câmara Especializada de Engenharia de Segurança do Trabalho SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO ESTADO DE SÃO PAULO CREA-SP 93ª REUNIÃO ORDINÁRIA DE 18/02/2016 ORDEM DO DIA Data: 18/02/2016 Horário: 13h30min. Local: Centro Técnico

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DE ALAGOAS CREA-AL SÚMULA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DE ALAGOAS CREA-AL SÚMULA SÚMULA Súmula da 152ª Reunião Ordinária da Câmara Especializada de Engenharia Mecânica, Metalúrgica, Geologia e Minas do CREA/AL, em 22 de fevereiro de 2016, às 17 horas, na sala da plenária do CREA/AL.

Leia mais

REGULAMENTO DO CONSELHO DEPARTAMENTAL

REGULAMENTO DO CONSELHO DEPARTAMENTAL Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria de Graduação e Educação Profissional REGULAMENTO DO CONSELHO DEPARTAMENTAL RESOLUÇÃO Nº. 073/12-COGEP de 07/12/12 Curitiba

Leia mais

PROPOSTA REFERENTE AO CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO EM GESTÃO DE ANÁLISE SANITÁRIA

PROPOSTA REFERENTE AO CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO EM GESTÃO DE ANÁLISE SANITÁRIA PROPOSTA REFERENTE AO CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO EM GESTÃO DE ANÁLISE SANITÁRIA 1- DO CURSO O Curso de Especialização em Gestão em Análise Sanitária destina-se a profissionais com curso superior em áreas correlatas

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE CONSELHO ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE - COEMA

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE CONSELHO ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE - COEMA GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE CONSELHO ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE - COEMA RESOLUÇÃO COEMA N 116, DE 03 DE JULHO DE 2014. Dispõe sobre as atividades de impacto ambiental

Leia mais