CURSOS PRESENCIAIS (Também podem ser ministrados in company)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CURSOS PRESENCIAIS (Também podem ser ministrados in company)"

Transcrição

1 1 CURSOS PRESENCIAIS (Também podem ser ministrados in company) BOAS PRÁTICAS DE MANIPULAÇÃO BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO BOAS PRÁTICAS DE LABORATÓRIO BOAS PRÁTICAS DE ARMAZENAMENTO, LOGÍSTICA E DISTRIBUIÇÃO BOAS PRÁTICAS DE AUDITORIA FORMAÇÃO DE AUDITORES (AUDITORIA INTERNA E EXTERNA) SISTEMA DE GARANTIA DA QUALIDADE CONTROLE DE QUALIDADE PARA FARMÁCIAS DE MANIPULAÇÃO VALIDAÇÃO DE LIMPEZA VALIDAÇÃO DE PROCESSOS VALIDAÇÃO DE SISTEMA DE ÁGUA VALIDAÇÃO/QUALIFICAÇÃO DO SISTEMA DE AR 5S E HOUSE KEEPING ADEQUAÇÃO DE LEGISLAÇÃO DOCUMENTAÇÃO DE VALIDAÇÃO QUALIFICAÇÃO DE UTILIDADES E EQUIPAMENTOS VALIDAÇÃO DE MÉTODOS ANALÍTICOS GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS

2 2 PROGRAMAÇÃO PARA MAIO DE 2012: Curso presencial ou incompany RDC 59 AS BOAS PRÁTICAS DE PRODUTOS MÉDICOS E FORMAÇÃO DE AUDITORES INTERNOS OBJETIVOS: Proporcionar ao participante uma visão sobre como trabalhar seguindo as Boas Práticas de Produtos Médicos (correlatos), visando o cumprimento da Norma Anvisa RDC 59 e preparando a empresa para a Certificação de Boas Práticas. Capacitar o participante para conduzir Auditorias internas. Fundamentos da Qualidade Princípios de Sistema de Gestão da Qualidade Assuntos regulatórios ANVISA Solicitação e protocolo de BPF Adequação e necessidades das instalações físicas Política, Objetivos e Indicadores da Qualidade Coordenação de Ações Corretivas, Preventivas e de Melhorias Comparação com normas ISO e 21 CFR 820 (FDA) Parte A - Análise da resolução Parte B Requisitos do sistema da qualidade: responsabilidade gerencial, auditoria de qualidade, pessoal. Parte C Controle de projeto Parte D - Controles de documentos e registros Parte E Controle de compras Parte F Identificação e rastreabilidade Produtos de elevado risco (classe III e IV) rastreabilidade. Parte G Controle de processos de produção - processos especiais (esterilização) Parte H Inspeção e Testes Inspeção, medição e equipamentos de testes, resultados de inspeções e testes. Parte I Componentes e produtos não-conformes Parte J - Ação Corretiva Parte K Manuseio, armazenamento, distribuição e instalação.

3 3 Parte L Controle de embalagem e rotulagem. Parte M Registros Requisito geral, RMP-(registro Mestre do produto), Registro Histórico do produto e arquivo de reclamações. Parte N Assistência técnica Parte O - Técnicas estatísticas Auditorias: Planejamento, Execução e Relatórios Reunião de Abertura e de Encerramento Como descrever e classificar uma não conformidade Como estabelecer Ações corretivas e Preventivas eficazes; Estudo de caso/exercícios: "simulação de uma auditoria". PÚBLICO-ALVO: Profissionais que atuam em empresas de produtos e dispositivos para a saúde (Fabricantes, Distribuidores e importadores) e profissionais de instituições de saúde que necessitam qualificar e auditar seus fornecedores. Empresas e profissionais que buscam capacitação em Auditoria interna pela Norma RDC 59 - ANVISA. VÍDEOS E EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO: Exposição de vídeos explicativos e realização de exercícios no decorrer no curso. INVESTIMENTO: R$ 500,00 à vista ou parcelado em duas vezes CARGA HORÁRIA: 16 horas RECEBA: CD com a apresentação do curso e modelos de documentos para a Gestão da Qualidade conforme a RDC 59. PAGAMENTO: Depósito ou boleto bancário FORMA DE PAGAMENTO: à vista (ato da inscrição) ou em 2x (50% - ato da inscrição e 50% - 15 dias do curso) POLÍTICA DE DESCONTO (NÃO CUMULATIVOS): Clientes Fórmula Farmacêutica: 5% de desconto. Inscrições realizadas até 15 dias antes do evento: 5% de desconto. Estudantes: 10% de desconto. (comprovar status)

4 4 Acima de dois participantes da mesma empresa: 10% de desconto. Pagamento à vista: 5% de desconto. DATA E LOCAL DE REALIZAÇÃO: 25 e 26 de MAIO das 9:00 as 18:00 hs LOCAL: Rua Abílio Soares, São Paulo - SP (Próximo à estação de metrô Paraíso). CURSOS ONLINE Os cursos online da F2 são ministrados por mestres, doutores e especialistas qualificados e dedicados ao aprendizado dos alunos. Os alunos recebem por todo o conteúdo do curso: apostilas, exercícios, artigos e documentos associados. Cada curso online da F2 possui uma carga horária específica e compatível ao conteúdo programático, garantindo o aprendizado. Cada curso possui prazo de 30 dias para término, sempre contanto com a ajuda e orientação dos professores online para esclarecimento das dúvidas. Vantagens: Professores online durante todo o período do curso, flexibilidade de horário, local e ritmo, Acompanhamento personalizado e individual, Chats e Fóruns de Discussão, Certificado no final no curso. Os cursos online da F2 são promovidos em todo Território Nacional. INSTRUÇÕES GERAIS REQUISITOS: Acesso a internet e conta de (para contato); Impressora - para imprimir o boleto de pagamento do(s) curso(s) - Caso escolha a opção de pagamento por boleto. Ela é optativa caso deseje imprimir ou não os módulos do(s) curso(s). PROCEDIMENTOS PARA INSCRIÇÃO:

5 5 Selecione o(s) curso(s) de seu interesse. Após isto preencha corretamente seus dados para a matrícula (nome, endereço, , etc.). Escolha as opções de pagamento: Boleto bancário ou depósito em conta. No caso de boleto, nossos sistemas darão "baixa" automaticamente em seus dados quando o pagamento for efetuado. Não será necessário o envio do comprovante. No caso de depósito bancário, será necessário o envio por ou por fax, dos dados do comprovante da transação. Em hipótese alguma, será devolvido dinheiro em caso de desistência, após o curso ter se iniciado. Nos pagamentos por boleto bancário, aconselhamos que faça o pagamento nos prazos estipulados para evitar multas e juros. Informamos também que por estes cursos serem uma parceria entre vários órgãos, os mesmos não fornecerão certificados para os aprovados que não estão quites com os boletos. Isto é feito uma vez que todos terão gastos com manutenção e funcionários. Por isso pedimos que somente faça inscrição se realmente estiver interessado nos cursos. Você receberá os módulos dos cursos por e poderá tirar suas dúvidas através dos chats (Msn e Skype) e fóruns de discussão, bem como por meio de perguntas enviadas por diretamente ao professor responsável pelo curso. Ao final do curso, você receberá o certificado de participação. INFORMAÇÕES E INSCRIÇÕES: ou FONE: MSN: SKYPE: formula.farmaceutica Curso online. BOAS PRÁTICAS E A GESTÃO DA QUALIDADE. OBJETIVOS: Proporcionar ao participante uma visão sobre os conceitos, fundamentos e princípios das Boas Práticas e da Gestão da Qualidade; Permitir aos participantes a

6 6 compreensão da importância da Gestão da Qualidade, além de fornecer dicas e idéias para a implantação da mesma. Conceitos e a evolução da Qualidade Planejamento e manutenção da Qualidade Princípios de organização e 5S A melhoria continua dos processos - Kaisen BPF Histórico: panorama no passado e atual Conceitos de BPF / GMP Legislações Pertinentes Fiscalizações e Certificações BPF Pontos Fundamentais: Instalações e edificações Pessoal Higiene e conduta de trabalho Controle de Contaminação Cruzada Equipamentos manutenção, calibração e qualificação. Matérias-Primas e Materiais de Embalagem Processos de Fabricação e Controles de processos. Controle de Qualidade Garantia de Qualidade X Unidade da Qualidade Armazenamento, Distribuição e Transporte. Auditorias de Qualidade Postura de auditor e auditado Documentação Técnica da gestão de qualidade - pops, Manuais, PMV, Especificação e Registros A importância dos documentos da gestão da qualidade Padronização e controle de da gestão da qualidade Documentos Ciclo PDCA e as principais ferramentas da qualidade Gestão e Controle de mudanças Sistemas de Gestão o que são e para que servem Gestão de analises de riscos através da abordagem por processos Gestão de pessoas e motivação A importância do Treinamento

7 7 PÚBLICO-ALVO: Empresas e Profissionais que desejam implantar as Boas Práticas e a Gestão da qualidade nas suas organizações; Profissionais e Estudantes que desejam adquirir ou melhorar seus conhecimentos sobre as Boas Práticas e a Gestão da Qualidade. CERTIFICADO: Emissão de certificado após a participação EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO: Realização de exercícios no decorrer no curso. INVESTIMENTO: R$ 400,00 (Depósito bancário ou boleto bancário) CARGA HORÁRIA/ORIENTAÇÃO ONLINE: 16 horas FORMA DE PAGAMENTO: à vista (ato da inscrição) ou em 2x ( 50% - ato da inscrição e 50% - 30 dias) Curso online. DOCUMENTOS E FERRAMENTAS DA QUALIDADE. OBJETIVOS: Proporcionar ao participante uma visão sobre como trabalhar seguindo as Boas Práticas de Documentos Técnicos da Gestão da Qualidade; Permitir aos participantes o conhecimento e aplicação das Ferramentas da Qualidade Princípios de Documentos Técnicos e do SGQ A Gestão Técnica dos Documentos Estrutura da Documentação Técnica Distribuindo e Controlando Documentos Técnicos Como elaborar Manuais de Boas Práticas e de Qualidade Princípios da Elaboração de Procedimentos de Operação Padrão Princípios da Elaboração de Instruções de Trabalho e Registros da Qualidade Dossiês de Produção (I.Ts e O.Ps) Documentos do Controle de Qualidade As principais Ferramentas da Qualidade:

8 8 O Ciclo PDCA e o Planejamento da Qualidade Coleta de Dados e Estratificação Fluxograma de Processos e operação Diagrama de Pareto Diagrama de Causa e Efeito Histograma e Gráficos de Controle Sistema Kaisen e a Melhoria continua Sistema Kanban e o JIT Poka-Yoke 5W 3H O Sistema 6 Sigma Implantado e treinando os Documentos Técnicos e do SGQ PÚBLICO-ALVO: Empresas e Profissionais que desejam implantar um sistema documental de modo a seguir as Boas Práticas e a Gestão da Qualidade nas suas organizações; Profissionais e Estudantes que desejam adquirir ou melhorar seus conhecimentos sobre Documentos Técnicos e Ferramentas da Qualidade (aplicação e usos). CERTIFICADO: Emissão de certificado após a participação EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO: Realização de exercícios no decorrer no curso. INVESTIMENTO: R$ 250,00 (Depósito bancário ou boleto bancário) CARGA HORÁRIA/ORIENTAÇÃO ONLINE: 8 horas FORMA DE PAGAMENTO: à vista (ato da inscrição) ou em 2x ( 50% - ato da inscrição e 50% - 30 dias)

9 9 Curso online. RDC 59 AS BOAS PRÁTICAS DE PRODUTOS MÉDICOS. OBJETIVOS: Proporcionar ao participante uma visão sobre como trabalhar seguindo as Boas Práticas de Produtos Médicos (correlatos), visando o cumprimento da Norma Anvisa RDC 59. Fundamentos da Qualidade Princípios de Sistema de Gestão da Qualidade Assuntos regulatórios ANVISA Solicitação e protocolo de BPF Adequação e necessidades das instalações físicas Política, Objetivos e Indicadores da Qualidade Coordenação de Ações Corretivas, Preventivas e de Melhorias Comparação com normas ISO e 21 CFR 820 (FDA) Parte A - Análise da resolução Parte B Requisitos do sistema da qualidade: responsabilidade gerencial, auditoria de qualidade, pessoal. Parte C Controle de projeto Parte D - Controles de documentos e registros Parte E Controle de compras Parte F Identificação e rastreabilidade Produtos d elevado risco (classe III e IV) rastreabilidade. Parte G Controle de processos de produção - processos especiais (esterilização) Parte H Inspeção e Testes Inspeção, medição e equipamentos de testes, resultados de inspeções e testes. Parte I Componentes e produtos não-conformes Parte J - Ação Corretiva Parte K Manuseio, armazenamento, distribuição e instalação. Parte L Controle de embalagem e rotulagem. Parte M Registros Requisito geral, RMP-(registro Mestre do produto), Registro Histórico do produto e arquivo de reclamações. Parte N Assistência técnica

10 10 Parte O - Técnicas estatísticas PÚBLICO-ALVO: Profissionais que atuam em empresas de produtos e dispositivos para a saúde e profissionais de instituições de saúde que necessitam qualificar e auditar seus fornecedores. CERTIFICADO: Emissão de certificado após a participação EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO: Realização de exercícios no decorrer no curso. INVESTIMENTO: R$ 250,00 (Depósito bancário ou boleto bancário) CARGA HORÁRIA/ORIENTAÇÃO ONLINE: 8 horas FORMA DE PAGAMENTO: à vista (ato da inscrição) ou em 2x ( 50% - ato da inscrição e 50% - 30 dias) Curso online. BOAS PRÁTICAS DE ARMAZENAMENTO, LOGÍSTICA E DISTRIBUIÇÃO. OBJETIVOS: Proporcionar ao participante uma visão sobre como trabalhar seguindo as Boas Práticas de Armazenamento, logística e distribuição, de modo a cumprir as legislações vigentes. Gerenciamento da Qualidade Boas Práticas Histórico: panorama no passado e atual Conceitos de Boas Práticas Instruções e requisitos legais de armazenagem e transporte Fiscalizações e Certificações Pontos Fundamentais das Boas Práticas de Armazenamento Instalações e edificações Gestão de Pessoas Higiene e conduta de trabalho

11 11 Materiais de Embalagem Princípios de Kanban e Controles de processos. Garantia de Qualidade nos processos de armazenagem e transporte Boas Práticas de Auditorias de Qualidade Controles e procedimentos das atividades operacionais e administrativas da empresa de transporte Operação e Gestão de Armazéns Princípios de logística e supply chain Controle, segurança e conservação dos produtos. Fluxo dos Processos de Armazenagem, transporte e distribuição. Pontos Críticos na Armazenagem, transporte e distribuição. Gerenciamento de Resíduos Perspectivas do setor Recomendações Gerais PÚBLICO-ALVO: Profissionais que atuam em empresas de armazenamento, logística e distribuição e demais áreas que necessitam qualificar e auditar seus fornecedores. CERTIFICADO: Emissão de certificado após a participação EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO: Realização de exercícios no decorrer no curso. INVESTIMENTO: R$ 250,00 (Depósito bancário ou boleto bancário) CARGA HORÁRIA/ORIENTAÇÃO ONLINE: 8 horas FORMA DE PAGAMENTO: à vista (ato da inscrição) ou em 2x ( 50% - ato da inscrição e 50% - 30 dias)

12 12 Curso online. FORMAÇÃO DE AUDITORES (AUDITORIA INTERNA E EXTERNA). OBJETIVOS: Proporcionar ao participante uma visão sobre como Auditar empresas seguindo as Boas Práticas de Fabricação e Auditoria de modo a cumprir as legislações vigentes. Evolução de Conceitos e Práticas em Sistemas de Gestão; Norma ISO 9001:2000 -Requisitos; Normas de Boas Práticas ANVISA Auditoria de Sistema de Gestão em fornecedores e prestadores de serviços Terminologia; Classificação de Auditorias; Planejamento de Auditorias; Metodologia da Auditoria; Preparação da Auditoria; Execução da Auditoria; Realização da auditoria (estudo de casos) Elaboração das não conformidades e observações Elaboração do relatório da auditoria Perfil e Qualificação do Auditor; Comunicação Durante a Auditoria; Comportamento do Auditor; Boas Práticas de Auditoria PÚBLICO-ALVO: Profissionais envolvidos com o Sistema de Gestão da qualidade, em empresas públicas ou privadas; Gestores da qualidade de empresas certificadas e em processo de certificação; Profissionais com funções voltadas à elaboração e revisão de documentos do sistema da qualidade; Profissionais que já sejam Auditores Internos, porém com queiram se reciclar. CERTIFICADO: Emissão de certificado após a participação EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO: Realização de exercícios no decorrer no curso.

13 13 INVESTIMENTO: R$ 250,00 (Depósito bancário ou boleto bancário) CARGA HORÁRIA/ORIENTAÇÃO ONLINE: 8 horas FORMA DE PAGAMENTO: à vista (ato da inscrição) ou em 2x ( 50% - ato da inscrição e 50% - 30 dias) Curso online. CONTROLE DE QUALIDADE PARA FARMÁCIAS DE MANIPULAÇÃO. OBJETIVOS: Proporcionar ao participante uma visão sobre como Atuar no controle de qualidade de Farmácia de Manipulação seguindo as Boas Práticas de manipulação de modo a cumprir as legislações vigentes. Definições e Conceitos Sistemas de Qualidade Legislações aplicáveis Infra-estrutura do Laboratório de controle de Qualidade Princípios de BPL Limpeza e Organização Manuseio de reagentes Conduzindo analises Controle de Qualidade de Matérias primas Controle de Qualidade de Material de embalagens Controle de Qualidade de Produtos acabados Documentos do Controle de Qualidade CERTIFICADO: Emissão de certificado após a participação EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO: Realização de exercícios no decorrer no curso. INVESTIMENTO: R$ 250,00 (Depósito bancário ou boleto bancário)

14 14 CARGA HORÁRIA/ORIENTAÇÃO ONLINE: 8 horas FORMA DE PAGAMENTO: à vista (ato da inscrição) ou em 2x ( 50% - ato da inscrição e 50% - 30 dias) Curso online. RECEBENDO AUDITORIAS DE BOAS PRÁTICAS E ISO OBJETIVOS: Curso dirigido a profissionais da qualidade que gerenciam e recebem auditorias internas (1ª parte), em fornecedores (2ª parte) e de órgãos certificadores ANVISA (3ª parte). Conceitos de BPF / GMP Legislações Pertinentes Fiscalizações e Certificações Sistemas de Qualidade e a norma ISO 9000:2000 Sistemas de Qualidade e as Boas Práticas ANVISA O ciclo da auditoria Atividades de pré-auditoria - Preparar para receber auditores Condução da auditoria - postura durante auditoria Respondendo perguntas dos auditores Atividades de pós-auditoria e acompanhamento (;follow-up) Como verificar a eficácia e adequação das ações corretivas e preventivas PÚBLICO-ALVO: Gestores de Sistemas da Qualidade de empresas certificadas e/ou em processo de certificação; Funcionários envolvidos na elaboração e revisão de documentos do sistema da qualidade, Auditores Internos que desejam se requalificar. CERTIFICADO: Emissão de certificado após a participação EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO: Realização de exercícios no decorrer no curso. INVESTIMENTO: R$ 250,00 (Depósito bancário ou boleto bancário)

15 15 CARGA HORÁRIA/ORIENTAÇÃO ONLINE: 8 horas FORMA DE PAGAMENTO: à vista (ato da inscrição) ou em 2x ( 50% - ato da inscrição e 50% - 30 dias) Curso online. VALIDAÇÃO DE PROCESSOS. OBJETIVOS: Proporcionar ao participante uma visão sobre os conceitos, fundamentos e princípios dos Processos de Validação; Permitir aos participantes a compreensão da importância da Validação de processos. Definindo Validação de Processos Objetivos da Validação de Processos. Propósitos e Benefícios da validação Legislações aplicáveis Planejamento, priorização e organização da Validação dos Processos Tipos de Validação e sua importância. Premissas do Processo de Validação O que deve ser validado? Análise de risco de processos e pessoas Qualificação de equipamentos e instalações. (QD,QI,QO,QP) Calibração e tipos de manutenção. Treinamento e Qualificação de pessoal. Estrutura da Documentação de Validação Elaborando Plano Mestre de Validação Elaborando Protocolos de Validação Elaborando Protocolos de Qualificação Validação de Métodos Analíticos. Validação de Processos Produtivos Validação de Métodos de Limpeza Elaborado Relatório conclusivo de Validação

16 16 PÚBLICO-ALVO: Curso dirigido a estudantes e profissionais da produção e qualidade que participam, conduzem e gerenciam processos de Validação. CERTIFICADO: Emissão de certificado após a participação EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO: Realização de exercícios no decorrer no curso. INVESTIMENTO: R$ 400,00 (Depósito bancário ou boleto bancário) CARGA HORÁRIA/ORIENTAÇÃO ONLINE: 16 horas FORMA DE PAGAMENTO: à vista (ato da inscrição) ou em 2x ( 50% - ato da inscrição e 50% - 30 dias)

CHECKLIST DA RDC 16/2013

CHECKLIST DA RDC 16/2013 CHECKLIST DA RDC 16/2013 Checklist para a RDC 16 de 2013 Página 2 de 10 Checklist 1. 2.1 Disposições gerais Existe um manual da qualidade na empresa? 2. Existe uma política da qualidade na empresa? 3.

Leia mais

Curso Intensivo. Logística Farmacêutica

Curso Intensivo. Logística Farmacêutica Curso Intensivo Logística Farmacêutica O EaDPLUS é um dos melhores portais de cursos à distância do Brasil e conta com um ambiente virtual de aprendizagem que visa a capacitação profissional objetivando

Leia mais

Curso Intensivo. Logística Farmacêutica

Curso Intensivo. Logística Farmacêutica Curso Intensivo Logística Farmacêutica O EaDPLUS é um dos melhores portais de cursos à distância do Brasil e conta com um ambiente virtual de aprendizagem que visa a capacitação profissional objetivando

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA

AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA Boas Práticas de Fabricação de Saneantes e Produtos de Higiene Pessoal, Cosméticos e Perfumes Coordenação de Insumos Farmacêuticos, Saneantes e Cosméticos Gerência

Leia mais

RDC Nº 48, DE 25 DE OUTUBRO DE 2013

RDC Nº 48, DE 25 DE OUTUBRO DE 2013 RDC Nº 48, DE 25 DE OUTUBRO DE 2013 ITEM 10 DOCUMENTAÇÕES E REGISTROS Palestrante: Carlos Cezar Martins RDC Nº 48, DE 25 DE OUTUBRO Carlos Cezar Martins DE 2013 Farmacêutico com especialização em Qualidade

Leia mais

O FOCO DA QUALIDADE NOS PROCESSOS DE TERCEIRIZAÇÃO

O FOCO DA QUALIDADE NOS PROCESSOS DE TERCEIRIZAÇÃO O FOCO DA QUALIDADE NOS PROCESSOS DE TERCEIRIZAÇÃO Grande parte das indústrias farmacêuticas, cosméticos e de veterinários, utilizam processos de terceirização, para otimizar suas produções, para casos

Leia mais

ATIVIDADES DESENVOLVIDAS PRODUTOS PARA SAÚDE. Coordenação de Inspeção de Produtos CPROD

ATIVIDADES DESENVOLVIDAS PRODUTOS PARA SAÚDE. Coordenação de Inspeção de Produtos CPROD ATIVIDADES DESENVOLVIDAS PRODUTOS PARA SAÚDE Coordenação de Inspeção de Produtos CPROD CONTEÚDO 1. Organograma 2. Quadro de pessoal 3. Atividades de rotina 4. Atividades no âmbito nacional 5. Atividades

Leia mais

TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção, o Protocolo de Ouro Preto e as Resoluções Nº 31/97 e 09/01 do Grupo Mercado Comum.

TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção, o Protocolo de Ouro Preto e as Resoluções Nº 31/97 e 09/01 do Grupo Mercado Comum. MERCOSUL/XXXVI SGT Nº11/P. RES. N /11 PROCEDIMENTOS COMUNS PARA AS INSPEÇÕES NOS FABRICANTES DE PRODUTOS MÉDICOS E PRODUTOS PARA DIAGNÓSTICO DE USO IN VITRO NOS ESTADOS PARTES (REVOGAÇÃO DAS RES. GMC Nº

Leia mais

SISTEMA DA QUALIDADE. Garantia da Qualidade Controle de Qualidade Rastreabilidade Não conformidade

SISTEMA DA QUALIDADE. Garantia da Qualidade Controle de Qualidade Rastreabilidade Não conformidade SISTEMA DA QUALIDADE Garantia da Qualidade Controle de Qualidade Rastreabilidade Não conformidade GARANTIA DA QUALIDADE Definição: Portaria 348/1997 RDC 48/2013 Todas as ações sistemáticas necessárias

Leia mais

SELO ABRAIDI Programa de BPADPS

SELO ABRAIDI Programa de BPADPS SELO ABRAIDI Programa de BPADPS Reuniões: Julho a Agosto de 2010 Associação Brasileira de Importadores e Distribuidores de Implantes PAUTA * OBJETIVOS * ASPECTOS FUNDAMENTAIS * HISTÓRICO * SITUAÇÃO ATUAL

Leia mais

TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br

TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br Cursos para Gestão da Qualidade TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br Interpretação / Implantação da ISO 9001:2008 Compreender a filosofia

Leia mais

CÓPIA NÃO CONTROLADA. DOCUMENTO CONTROLADO APENAS EM FORMATO ELETRÔNICO. PSQ PROCEDIMENTO DO SISTEMA DA QUALIDADE

CÓPIA NÃO CONTROLADA. DOCUMENTO CONTROLADO APENAS EM FORMATO ELETRÔNICO. PSQ PROCEDIMENTO DO SISTEMA DA QUALIDADE PSQ PROCEDIMENTO DO SISTEMA DA QUALIDADE PSQ 290.0339 - PROCEDIMENTO DO SISTEMA DA QUALIDADE APROVAÇÃO CARLOS ROBERTO KNIPPSCHILD Gerente da Qualidade e Assuntos Regulatórios Data: / / ELABORAÇÃO REVISÃO

Leia mais

Preparando a Implantação de um Sistema de Gestão da Qualidade

Preparando a Implantação de um Sistema de Gestão da Qualidade Preparando a Implantação de um Projeto Pró-Inova - InovaGusa Ana Júlia Ramos Pesquisadora em Metrologia e Qualidade e Especialista em Sistemas de Gestão da Qualidade 1. Gestão Gestão Atividades coordenadas

Leia mais

RESOLUÇÃO - RDC No- 22, DE 23 DE ABRIL DE 2013

RESOLUÇÃO - RDC No- 22, DE 23 DE ABRIL DE 2013 RESOLUÇÃO - RDC No- 22, DE 23 DE ABRIL DE 2013 Aprova os Procedimentos Comuns para as Inspeções nos Fabricantes de Produtos Médicos e Produtos para Diagnóstico de Uso in vitro nos Estados Partes, e dá

Leia mais

ESTUDO COMPARATIVO NBR ISO 13485:2004 RDC 59:2000 PORTARIA 686:1998 ITENS DE VERIFICAÇÃO PARA AUDITORIA

ESTUDO COMPARATIVO NBR ISO 13485:2004 RDC 59:2000 PORTARIA 686:1998 ITENS DE VERIFICAÇÃO PARA AUDITORIA ESTUDOCOMPARATIVO NBRISO13485:2004 RDC59:2000 PORTARIA686:1998 ITENSDEVERIFICAÇÃOPARAAUDITORIA 1. OBJETIVO 1.2. 1. Há algum requisito da Clausula 7 da NBR ISO 13485:2004 que foi excluída do escopo de aplicação

Leia mais

Treinamento: FSSC 22000 / Versão 3 Formação de auditores internos

Treinamento: FSSC 22000 / Versão 3 Formação de auditores internos Treinamento: FSSC 22000 / Versão 3 Formação de auditores internos 1. Interpretar os requisitos das normas ISO 22000:2005; ISO TS 22002-1:2012 e requisitos adicionais da FSSC 22000. Fornecer diretrizes

Leia mais

WebSite da Vigilância Sanitária

WebSite da Vigilância Sanitária Página 1 de 5 SERVIÇOS MAIS ACESSADOS: Selecione um Serviço Página Principal Quem somos Regularize sua Empresa Roteiros Denúncias e Reclamações Vigilância e Fiscalização Sanitária em Indústrias de Alimentos

Leia mais

CAPACITAÇÕES ABIS. Requisitos do Programa de Boas Práticas de Fabricação como Pré-Requisito para a implantação da ISO 22000

CAPACITAÇÕES ABIS. Requisitos do Programa de Boas Práticas de Fabricação como Pré-Requisito para a implantação da ISO 22000 CAPACITAÇÕES ABIS Requisitos do Programa de Boas Práticas de Fabricação como Pré-Requisito para a implantação da ISO 22000 Cada funcionário de uma empresa de alimentos, ou de bebidas, deve entender e aplicar

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DETALHADO FORMAÇÃO DE ESPECIALISTA EM SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DETALHADO FORMAÇÃO DE ESPECIALISTA EM SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO PARTE 1 ESTRUTURA DO SGI Módulo SGI-1.0 - Introdução (04 horas) Apresentação da metodologia do Programa de Formação Manual do Aluno Critérios de aprovação e reposição de módulos Uso da plataforma do Ambiente

Leia mais

Workshop RDC 48 11. Pessoas & Treinamento

Workshop RDC 48 11. Pessoas & Treinamento Workshop RDC 48 Regulamento Técnico de Boas Práticas de Fabricação para 11. Pessoas & Treinamento 5. Saúde, 1. Considerações Gerais 2. Definições 3. Gestão da Qualidade 4. BPF Higiene, Vestuário e 6.

Leia mais

Plano de Aula - Sistema de Gestão da Qualidade - cód. 5325. 56 Horas/Aula

Plano de Aula - Sistema de Gestão da Qualidade - cód. 5325. 56 Horas/Aula Plano de Aula - Sistema de Gestão da - cód. 5325 Aula 1 Capítulo 1 - Conceitos e Fundamentos da Aula 2 1 - Aula 3 1 - Aula 4 1 - Aula 5 Capítulo 2 - Ferramentas da Aula 6 2 - Ferramentas da Aula 7 2 -

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ MOIRA CAROLINE COSTA ROSA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ MOIRA CAROLINE COSTA ROSA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ MOIRA CAROLINE COSTA ROSA COMPARATIVO ENTRE OS REQUISITOS DAS BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO E AS NORMAS ISO :2008 E ISO :2004, APLICADO À INDÚSTRIA DE PRODUTOS PARA A SAÚDE

Leia mais

Correspondência entre OHSAS 18001, ISO 14001:1996, ISO 9001:1994 e ISO 9001:2000

Correspondência entre OHSAS 18001, ISO 14001:1996, ISO 9001:1994 e ISO 9001:2000 Anexo A (informativo) Correspondência entre, ISO 14001:1996, ISO 9001:1994 e ISO 9001:2000 Tabela A.1 - Correspondência entre, ISO 14001:1996 e ISO 9001:1994 Seção Seção ISO 14001:1996 Seção ISO 9001:1994

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 448 DE 24 DE OUTUBRO DE 2006

RESOLUÇÃO Nº 448 DE 24 DE OUTUBRO DE 2006 RESOLUÇÃO Nº 448 DE 24 DE OUTUBRO DE 2006 1215 Ementa: Regula as atribuições do farmacêutico na indústria e importação de produtos para a saúde, respeitadas as atividades afins com outras profissões. O

Leia mais

Avaliação de Serviços de Higiene Hospitalar

Avaliação de Serviços de Higiene Hospitalar Avaliação de Serviços de Higiene Hospitalar MANUAL DO AVALIADOR Parte I 1.1 Liderança Profissional habilitado ou com capacitação compatível. Organograma formalizado, atualizado e disponível. Planejamento

Leia mais

Inserir logo da VISA Estadual ou Municipal

Inserir logo da VISA Estadual ou Municipal RELATÓRIO DE INSPEÇÃO VERIFICAÇÃO DO ATENDIMENTO ÀS DISPOSIÇÕES DA RDC n 67/07 2ª ETAPA DO CURSO DE CAPACITAÇÃO DE INSPETORES PARA INSPEÇÃO EM FARMÁCIAS 1. IDENTIFICAÇÃO DA FARMÁCIA: 1.1. Razão Social:

Leia mais

DOCUMENTOS EXIGIDOS PARA EMISSÃO DO ALVARÁ SANITÁRIO. Área de Medicamentos e Produtos de Interesse à Saúde (AMPIS)

DOCUMENTOS EXIGIDOS PARA EMISSÃO DO ALVARÁ SANITÁRIO. Área de Medicamentos e Produtos de Interesse à Saúde (AMPIS) 1 DOCUMENTOS EXIGIDOS PARA EMISSÃO DO ALVARÁ SANITÁRIO Área de Medicamentos e Produtos de Interesse à Saúde (AMPIS) DROGARIAS (CONFORME LEI FEDERAL 5991/73, RESOLUÇÃO RDC ANVISA 44/09 E OUTRAS PERTINENTES)

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DETALHADO FORMAÇÃO DE ESPECIALISTA EM TECNOLOGIA E GESTÃO AMBIENTAL

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DETALHADO FORMAÇÃO DE ESPECIALISTA EM TECNOLOGIA E GESTÃO AMBIENTAL METODOLOGIA O curso é dividido em 14 Módulos, sendo 01 módulo de introdução ao curso, 06 módulos com foco em Gestão Ambiental, 06 módulos com foco em Tecnologia Ambiental e 01 módulo correspondente ao

Leia mais

CHECK LIST DE AVALIAÇÃO DE FORNECEDORES Divisão:

CHECK LIST DE AVALIAÇÃO DE FORNECEDORES Divisão: 4.2.2 Manual da Qualidade Está estabelecido um Manual da Qualidade que inclui o escopo do SGQ, justificativas para exclusões, os procedimentos documentados e a descrição da interação entre os processos

Leia mais

PROGRAMA PARA CAPACITAÇÃO DE INSPETORES PARA A VERIFICAÇÃO DO CUMPRIMENTO DAS BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO DE PRODUTOS MÉDICOS

PROGRAMA PARA CAPACITAÇÃO DE INSPETORES PARA A VERIFICAÇÃO DO CUMPRIMENTO DAS BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO DE PRODUTOS MÉDICOS MERCOSUL/GMC/RES Nº 25/98 PROGRAMA PARA CAPACITAÇÃO DE INSPETORES PARA A VERIFICAÇÃO DO CUMPRIMENTO DAS BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO DE PRODUTOS MÉDICOS TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção, o Protocolo

Leia mais

I S O ISO? NORMA ISO 9002 NORMA ISO 9002 NORMA ISO 9002 ISO SÉRIE 9000? BUROCRACIA? GESTÃO AMBIENTAL E DA QUALIDADE

I S O ISO? NORMA ISO 9002 NORMA ISO 9002 NORMA ISO 9002 ISO SÉRIE 9000? BUROCRACIA? GESTÃO AMBIENTAL E DA QUALIDADE ISO? ITÁLIA CANADÁ ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL, NÃO GOVERNAMENTAL, QUE ELABORA NORMAS. FAZEM PARTE DA ISO ENTIDADES DE NORMALIZAÇÃO DE MAIS DE UMA CENTENA DE PAÍSES. JAPÃO EUA I S O INGLATERRA ALEMANHA BRASIL

Leia mais

I S O ISO? NORMA ISO 9002 NORMA ISO 9002 ISO SÉRIE 9000? GESTÃO AMBIENTAL E DA QUALIDADE

I S O ISO? NORMA ISO 9002 NORMA ISO 9002 ISO SÉRIE 9000? GESTÃO AMBIENTAL E DA QUALIDADE ISO? ITÁLIA CANADÁ ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL, NÃO GOVERNAMENTAL, QUE ELABORA NORMAS. FAZEM PARTE DA ISO ENTIDADES DE NORMALIZAÇÃO DE MAIS DE UMA CENTENA DE PAÍSES. JAPÃO EUA I S O INGLATERRA ALEMANHA BRASIL

Leia mais

Treinamento: FSSC 22000 / Versão 3 Interpretação

Treinamento: FSSC 22000 / Versão 3 Interpretação Treinamento: FSSC 22000 / Versão 3 Interpretação 1. Objetivos Interpretar os requisitos das normas ISO 22000:2005; ISO TS 22002-1:2012 e requisitos adicionais da FSSC 22000. Desenvolver habilidades para

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA

AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA REUNIÃO COM ASSOCIAÇÕES DE PRODUTOS PARA SAÚDE Gerência-Geral de Inspeção Sanitária GGINP Brasília, 27 de maio de 2015 TÓPICOS A SEREM ABORDADOS POP-SNVS-017 sobre

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL: ISO 14001. Material Didático: IBB 254 Gestão Ambiental / 2015 Curso: Ciências Biológicas - UFAM

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL: ISO 14001. Material Didático: IBB 254 Gestão Ambiental / 2015 Curso: Ciências Biológicas - UFAM SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL: ISO 14001 Material Didático: IBB 254 Gestão Ambiental / 2015 Conceitos Gerais A gestão ambiental abrange uma vasta gama de questões, inclusive aquelas com implicações estratégicas

Leia mais

Implantação de Boas Práticas de Fabricação na Área da Saúde

Implantação de Boas Práticas de Fabricação na Área da Saúde GUIA PRÁTICO Implantação de Boas Práticas de Fabricação na Área da Saúde Autora: Martins, Fernanda APRESENTAÇÃO Este guia foi concebido com o intuito de auxiliar empresas da área da saúde a implantar de

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE DA CONSTRUTORA COPEMA

MANUAL DA QUALIDADE DA CONSTRUTORA COPEMA 1/10 INFORMAÇÕES SOBRE A EMPRESA... 2 ABRANGÊNCIA DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE... 3 1. SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE:... 4 - MANUAL DA QUALIDADE... 4 Escopo do SGQ e definição dos clientes... 4 Política

Leia mais

Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária

Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA RDC Nº 31, DE 23 DE MAIO DE 2013

Leia mais

CONSULTORIA. Sistema de Gestão ISO 9001 - Lean Esquadrias

CONSULTORIA. Sistema de Gestão ISO 9001 - Lean Esquadrias CONSULTORIA Sistema de Gestão ISO 9001 - Lean Esquadrias PADRÃO DE QUALIDADE DESCRIÇÃO ISO 9001 Esse Modelo de Produto de Consultoria tem por objetivo definir e melhorar todos os processos da empresa,

Leia mais

Faculdade de Farmácia VALIDAÇÃO DE SISTEMAS COMPUTADORIZADOS

Faculdade de Farmácia VALIDAÇÃO DE SISTEMAS COMPUTADORIZADOS Faculdade de Farmácia VALIDAÇÃO DE SISTEMAS COMPUTADORIZADOS 2012 Relevância: Impacta diretamente na saúde do paciente, na qualidade do produto e na integridade dos dados que devem provar que o sistema

Leia mais

MERCOSUL/XXXIX SGT Nº 11/COPROSAL/ P. RES. Nº /12

MERCOSUL/XXXIX SGT Nº 11/COPROSAL/ P. RES. Nº /12 MERCOSUL/XXXIX SGT Nº 11/COPROSAL/ P. RES. Nº /12 PROCEDIMENTOS COMUNS E CONTEÚDO MÍNIMO DE RELATÓRIOS DE INSPEÇÃO NOS ESTABELECIMENTOS FARMACÊUTICOS NOS ESTADOS PARTES (REVOGAÇÃO DA RES. GMC Nº 16/09)

Leia mais

Auditoria Ambiental. Auditoria Ambiental. Auditoria de SGA. Auditoria de SGA. Ciclo da Auditoria de SGA

Auditoria Ambiental. Auditoria Ambiental. Auditoria de SGA. Auditoria de SGA. Ciclo da Auditoria de SGA Auditoria Ambiental Auditoria Ambiental Universidade Federal do Espírito Santo UFES Centro Tecnológico Curso de Especialização em Gestão Ambiental Professora Flavia Nogueira Zanoni MSc em Controle de Poluição

Leia mais

1) Considerando os organismos de certificação acreditados pelo INMETRO defina:

1) Considerando os organismos de certificação acreditados pelo INMETRO defina: 1) Considerando os organismos de certificação acreditados pelo INMETRO defina: OCA OCS OCF 2- Considerando a sistemática de uma certificação de sistemas enumere de 1 à 6 a seqüência correta das etapas

Leia mais

GERENCIAMENTO DA GARANTIA DA QUALIDADE UTILIZAÇÃO PRÁTICA NA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA

GERENCIAMENTO DA GARANTIA DA QUALIDADE UTILIZAÇÃO PRÁTICA NA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA GERENCIAMENTO DA GARANTIA DA QUALIDADE UTILIZAÇÃO PRÁTICA NA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA Antecedentes que geraram a origem do conceito da Qualidade 1957 Alemanha - Deformação em bebês cujas mães tomaram o medicamento

Leia mais

CHECK - LIST - ISO 9001:2000

CHECK - LIST - ISO 9001:2000 REQUISITOS ISO 9001: 2000 SIM NÃO 1.2 APLICAÇÃO A organização identificou as exclusões de itens da norma no seu manual da qualidade? As exclusões são relacionadas somente aos requisitos da sessão 7 da

Leia mais

SÉRIE ISO 14000 SÉRIE ISO 14000

SÉRIE ISO 14000 SÉRIE ISO 14000 1993 - CRIAÇÃO DO COMITÊ TÉCNICO 207 (TC 207) DA ISO. NORMAS DA : ISO 14001 - SISTEMAS DE - ESPECIFICAÇÃO COM ORIENTAÇÃO PARA USO. ISO 14004 - SISTEMAS DE - DIRETRIZES GERAIS SOBRE PRINCÍPIOS, SISTEMAS

Leia mais

AVALIAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO DO FORNECEDOR

AVALIAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO DO FORNECEDOR Prezado Fornecedor, A Innova S/A, empresa certificada nas normas ISO 9001:2000, ISO 14001:1996, OHSAS 18001, avalia seus fornecedores no atendimento de requisitos relativos a Qualidade, Meio Ambiente,

Leia mais

PROCEDIMENTO GERENCIAL

PROCEDIMENTO GERENCIAL PÁGINA: 1/10 1. OBJETIVO Descrever o procedimento para a execução de auditorias internas a intervalos planejados para determinar se o sistema de gestão da qualidade é eficaz e está em conformidade com:

Leia mais

Palestra Informativa Sistema da Qualidade NBR ISO 9001:2000

Palestra Informativa Sistema da Qualidade NBR ISO 9001:2000 Palestra Informativa Sistema da Qualidade NBR ISO 9001:2000 ISO 9001:2000 Esta norma considera de forma inovadora: problemas de compatibilidade com outras normas dificuldades de pequenas organizações tendências

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE MQ-01

MANUAL DA QUALIDADE MQ-01 Sumário 1 Objetivo 2 Últimas Alterações 3 Termos e definições 4 Sistema de gestão de qualidade 5 Responsabilidade da direção 6 Gestão de recursos 7 Realização do produto 8 Medição, análise e melhoria.

Leia mais

RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA - RDC N 16, DE 28 DE MARÇO DE 2013

RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA - RDC N 16, DE 28 DE MARÇO DE 2013 RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA - RDC N 16, DE 28 DE MARÇO DE 2013 Aprova o Regulamento Técnico de Boas Práticas de Fabricação de Produtos Médicos e Produtos para Diagnóstico de Uso In Vitro e dá outras

Leia mais

REVISTA SAÚDE TRABALHAR COM TRABALHAR COM A POR ONDE COMEÇAR? 29/9/2010 SETEMBRO DE 2010 UFSM UFSM. PPHO na Indústria de Laticínios

REVISTA SAÚDE TRABALHAR COM TRABALHAR COM A POR ONDE COMEÇAR? 29/9/2010 SETEMBRO DE 2010 UFSM UFSM. PPHO na Indústria de Laticínios REVISTA SAÚDE SETEMBRO DE 2010 POR ONDE COMEÇAR? TRABALHAR COM ALIMENTOS É TRABALHAR COM A SAÚDE DAS PESSOAS 1 Para garantirmos a produção de alimentos seguros, precisamos traduzir a legislação e as normas

Leia mais

Módulo 6 Estudos de Caso 1 e 2

Módulo 6 Estudos de Caso 1 e 2 Módulo 6 Estudos de Caso 1 e 2 Orientação para os Estudos de Caso Para a realização de uma auditoria é necessário que o auditor tenha conhecimentos teóricos e práticos e para que você obtivesse este conhecimento

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA

AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA Boas Práticas de Fabricação de Cosméticos, Produtos de Higiene e Saneantes COORDENAÇÃO DE INSUMOS FARMACÊUTICOS, SANEANTES E COSMÉTICOS GERÊNCIA GERAL DE INSPEÇÃO

Leia mais

AVALIAÇÃO E SELEÇÃO DE FORNECEDORES

AVALIAÇÃO E SELEÇÃO DE FORNECEDORES VERIFICAÇÃO APROVAÇÃO ARQUIVO SQ SIGLA DA UO SULOG RUBRICA SIGLA DA UO G-SCQ RUBRICA 1 OBJETIVO Definir os requisitos e procedimentos mínimos para avaliação e seleção de fornecedores, assegurando fontes

Leia mais

Curso Básico de Inspeção em Serviços de Hemoterapia Goiânia Goiás 1º a 05 de setembro de 2014 Gestão de Qualidade e Boas Práticas no Ciclo do Sangue

Curso Básico de Inspeção em Serviços de Hemoterapia Goiânia Goiás 1º a 05 de setembro de 2014 Gestão de Qualidade e Boas Práticas no Ciclo do Sangue Curso Básico de Inspeção em Serviços de Hemoterapia Goiânia Goiás 1º a 05 de setembro de 2014 Gestão de Qualidade e SETEMBRO DE 2014 Assessoria da Garantia da Qualidade Fundação Hemocentro de Brasília

Leia mais

Gestão de Fornecedores

Gestão de Fornecedores Gestão de Fornecedores OTIMIZA O ATENDIMENTO ÀS NORMAS ISO, ONA, OHSAS, TS, AS, PBQP-h, ABNT, NR, ANVISA, entre outras, além de se adaptar aos requisitos internos da empresa. TREINAMENTO E SUPORTE ONLINE

Leia mais

AUDITORIA DE DIAGNÓSTICO

AUDITORIA DE DIAGNÓSTICO 1.1 POLíTICA AMBIENTAL 1.1 - Política Ambiental - Como está estabelecida e documentada a política e os objetivos e metas ambientais dentro da organização? - A política é apropriada à natureza e impactos

Leia mais

TREINAMENTO ITAIM INTERPRETAÇÃO DA NORMA NBR ABNT ISO 9001:2008. Maria das Graças Ferreira mgferreira@prefeitura.sp.gov.

TREINAMENTO ITAIM INTERPRETAÇÃO DA NORMA NBR ABNT ISO 9001:2008. Maria das Graças Ferreira mgferreira@prefeitura.sp.gov. TREINAMENTO ITAIM INTERPRETAÇÃO DA NORMA NBR ABNT ISO 9001:2008 Maria das Graças Ferreira mgferreira@prefeitura.sp.gov.br 11 3104-0988 Este treinamento tem por objetivo capacitar os participantes para

Leia mais

Atestado de Conformidade NR 12

Atestado de Conformidade NR 12 TÜV Rheinland do Brasil TÜV Rheinland é um organismo de certificação, inspeção, gerenciamento de projetos e treinamento, que foi fundada na Alemanha em 1872 com o objetivo de proteger os trabalhadores

Leia mais

Gestão de Qualidade. Prof. Adriano Alves Fernandes

Gestão de Qualidade. Prof. Adriano Alves Fernandes Gestão de Qualidade Prof. Adriano Alves Fernandes 1- Introdução Atributo, condição natural, propriedade pela qual algo ou alguém se individualiza, distinguindo-se dos demais; maneira de ser,essência, natureza;

Leia mais

Saada Chequer Fernandez

Saada Chequer Fernandez Saada Chequer Fernandez Analista de Gestão em Saúde Coordenação da Qualidade CIQ/Direh/FIOCRUZ Gerenciamento da Qualidade em Laboratório de Anatomia Patológica VI Congresso Regional de Histotecnologia

Leia mais

COMO ESCOLHER O TREINAMENTO CERTO PARA DESENVOLVER PESSOAS E EXPANDIR NEGÓCIOS? CONHECIMENTO TRANSFORMAÇÃO PROFICIÊNCIA EXCELÊNCIA DO NEGÓCIO

COMO ESCOLHER O TREINAMENTO CERTO PARA DESENVOLVER PESSOAS E EXPANDIR NEGÓCIOS? CONHECIMENTO TRANSFORMAÇÃO PROFICIÊNCIA EXCELÊNCIA DO NEGÓCIO CONHECIMENTO TRANSFORMAÇÃO PROFICIÊNCIA RETENÇÃO DE TALENTOS EXCELÊNCIA DO NEGÓCIO COMPORTAMENTO ALTA PERFORMANCE EXPERTISE HABILIDADES COMO ESCOLHER O TREINAMENTO CERTO PARA DESENVOLVER PESSOAS E EXPANDIR

Leia mais

Julho/2014 a Março/2015. Catálogo de Treinamentos. Treinamentos BSI. Transformando nossa experiência em seu conhecimento.

Julho/2014 a Março/2015. Catálogo de Treinamentos. Treinamentos BSI. Transformando nossa experiência em seu conhecimento. Julho/2014 a Março/2015 Catálogo de Treinamentos. Treinamentos BSI. Transformando nossa experiência em seu conhecimento. Conteúdo. Por que realizar nossos treinamentos? 4 Nossa abordagem 4 Nossos instrutores

Leia mais

Marcos Antonio Lima de Oliveira, MSc Quality Engineer ASQ/USA Diretor da ISOQUALITAS www.qualitas.eng.br qualitas@qualitas.eng.

Marcos Antonio Lima de Oliveira, MSc Quality Engineer ASQ/USA Diretor da ISOQUALITAS www.qualitas.eng.br qualitas@qualitas.eng. 01. O QUE SIGNIFICA A SIGLA ISO? É a federação mundial dos organismos de normalização, fundada em 1947 e contanto atualmente com 156 países membros. A ABNT é representante oficial da ISO no Brasil e participou

Leia mais

SGQ 22/10/2010. Sistema de Gestão da Qualidade. Gestão da Qualidade Qualquer atividade coordenada para dirigir e controlar uma organização para:

SGQ 22/10/2010. Sistema de Gestão da Qualidade. Gestão da Qualidade Qualquer atividade coordenada para dirigir e controlar uma organização para: PARTE 2 Sistema de Gestão da Qualidade SGQ Gestão da Qualidade Qualquer atividade coordenada para dirigir e controlar uma organização para: Possibilitar a melhoria de produtos/serviços Garantir a satisfação

Leia mais

Boas Práticas de Fabricação

Boas Práticas de Fabricação Embrapa Hortaliças II Encontro Nacional do Agronegócio Pimentas (Capsicum spp.) Boas Práticas de Fabricação Fernando Teixeira Silva Embrapa Agroindústria de Alimentos I- Introdução As Boas Práticas de

Leia mais

Regulamentação Anvisa/MS em Produtos para Saúde Aplicada a Equipamentos Terapêuticos e de Diagnóstico a Laser

Regulamentação Anvisa/MS em Produtos para Saúde Aplicada a Equipamentos Terapêuticos e de Diagnóstico a Laser Regulamentação Anvisa/MS em Produtos para Saúde Aplicada a Equipamentos Terapêuticos e de Diagnóstico a Laser Gerência Geral de Tecnologia de Produtos para Saúde GGTP Gerência de Tecnologia de Equipamentos

Leia mais

Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA - RDC N 16, DE 28 DE MARÇO DE 2013

Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA - RDC N 16, DE 28 DE MARÇO DE 2013 ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA - RDC N 16, DE 28 DE MARÇO DE 2013

Leia mais

SUMÁRIO ÍNDICE. 1 Objetivo: 3. 2 Aplicação e Alcance: 3. 3 Referências: 3. 4 Definições e Abreviaturas: 4. 5 Responsabilidades: 5.

SUMÁRIO ÍNDICE. 1 Objetivo: 3. 2 Aplicação e Alcance: 3. 3 Referências: 3. 4 Definições e Abreviaturas: 4. 5 Responsabilidades: 5. OG Procedimento de Gestão PG.SMS.014 Denominação: Auditoria Interna do Sistema de Gestão de SMS SUMÁRIO Este procedimento estabelece premissas básicas sobre os critérios de planejamento e princípios a

Leia mais

Índice. Farmácia de Manipulação Conhecendo uma farmácia de manipulação, suas vantagens e procedimentos... 2

Índice. Farmácia de Manipulação Conhecendo uma farmácia de manipulação, suas vantagens e procedimentos... 2 1 Índice Farmácia de Manipulação Conhecendo uma farmácia de manipulação, suas vantagens e procedimentos... 2 A Empresa Informações sobre a empresa, farmacêuticas responsáveis, instalações, diferenciais

Leia mais

FABR B I R CA C ÇÃO E E CONT N ROLE L DE QUALIDADE DE MEIOS DE E CU C LTURA

FABR B I R CA C ÇÃO E E CONT N ROLE L DE QUALIDADE DE MEIOS DE E CU C LTURA FABRICAÇÃO E CONTROLE DE QUALIDADE DE MEIOS DE CULTURA A Laborclin, sabendo do comprometimento e preocupação que seus clientes tem com a Qualidade de suas Análises tem investido muito na melhoria de seus

Leia mais

Cosmetovigilância. Impacto na Inspeção. Produtos de Higiene Pessoal, Cosméticos e Perfumes. Maria do Carmo Lopes Severo - UINSC

Cosmetovigilância. Impacto na Inspeção. Produtos de Higiene Pessoal, Cosméticos e Perfumes. Maria do Carmo Lopes Severo - UINSC Cosmetovigilância Produtos de Higiene Pessoal, Cosméticos e Perfumes Roberto Wagner Barbirato Gerência Geral de Inspeção e Controle de Insumos, Medicamentos e Produtos - GGIMP Maria do Carmo Lopes Severo

Leia mais

Programação para 2011

Programação para 2011 Visadoc Assessoria em Vigilância Sanitária e Regulatória Curso de Assuntos Regulatórios e Registro de Produtos - Aplicados à Vigilância Sanitária Por que participar? O Curso de Assuntos Regulatórios e

Leia mais

Sistemas de Gestão Ambiental O QUE MUDOU COM A NOVA ISO 14001:2004

Sistemas de Gestão Ambiental O QUE MUDOU COM A NOVA ISO 14001:2004 QSP Informe Reservado Nº 41 Dezembro/2004 Sistemas de Gestão O QUE MUDOU COM A NOVA ISO 14001:2004 Material especialmente preparado para os Associados ao QSP. QSP Informe Reservado Nº 41 Dezembro/2004

Leia mais

Surgimento da ISO 9000 Introdução ISO 9000 ISO 9001 serviços 1. ABNT NBR ISO 9000:2000 (já na versão 2005):

Surgimento da ISO 9000 Introdução ISO 9000 ISO 9001 serviços 1. ABNT NBR ISO 9000:2000 (já na versão 2005): Surgimento da ISO 9000 Com o final do conflito, em 1946 representantes de 25 países reuniram-se em Londres e decidiram criar uma nova organização internacional, com o objetivo de "facilitar a coordenação

Leia mais

www.megacursos.com.br O QUE É ISO?

www.megacursos.com.br O QUE É ISO? 1 O QUE É ISO? ISO significa International Organization for Standardization (Organização Internacional de Normalização), seu objetivo é promover o desenvolvimento de normas, testes e certificação, com

Leia mais

CADASTRO, TREINAMENTO E QUALIFICAÇÃO DE INSPETORES BPL

CADASTRO, TREINAMENTO E QUALIFICAÇÃO DE INSPETORES BPL CADASTRO, TREINAMENTO E QUALIFICAÇÃO DE INSPETORES BPL NORMA Nº NIE-CGCRE-039 APROVADA EM NOV/2009 Nº 01/05 SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Campo de Aplicação 3 Responsabilidade 4 Documentos Complementares 5 Histórico

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA E DO ABASTECIMENTO GABINETE DO MINISTRO. Portaria Nº 40, de 20 de janeiro de 1997

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA E DO ABASTECIMENTO GABINETE DO MINISTRO. Portaria Nº 40, de 20 de janeiro de 1997 MINISTÉRIO DA AGRICULTURA E DO ABASTECIMENTO GABINETE DO MINISTRO Portaria Nº 40, de 20 de janeiro de 1997 DOU de 21/01/1997 O MINISTRO DE ESTADO DA AGRICULTURA E DO ABASTECIMENTO, no uso da atribuição

Leia mais

Oncologia. Aula 3: Legislação específica. Profa. Camila Barbosa de Carvalho

Oncologia. Aula 3: Legislação específica. Profa. Camila Barbosa de Carvalho Oncologia Aula 3: Legislação específica Profa. Camila Barbosa de Carvalho Legislações importante em oncologia - RDC n o. 220/2004 - RDC n o. 67/2007 - RDC n o. 50/2002 - RDC n o. 306/2004 - NR 32/2005

Leia mais

Capacitação em Farmácia Industrial: Sorteio de Bolsa 100%

Capacitação em Farmácia Industrial: Sorteio de Bolsa 100% Capacitação em Farmácia Industrial: Sorteio de Bolsa 100% Workshop USP-Brasil: Espectroscopia e Requerimentos USP para pesagem em laboratórios 14 e 15 de Março de 2013 Objetivos 14 de Março Espectrometria:

Leia mais

Gestão de Fornecedores

Gestão de Fornecedores Treinamento Presencial: Gestão de Fornecedores Data: 20 de Maio de 2015 Carga horária: 8 horas Local: São Paulo/ SP Procurement Business School Quem somos: Procurement Business School é a mais completa

Leia mais

Difusão da Certificação ISO 9001 da Embrapa Meio Ambiente

Difusão da Certificação ISO 9001 da Embrapa Meio Ambiente Videoconferência Difusão da Certificação ISO 9001 da Embrapa Meio Ambiente Data: 22 e 24 de março de 2011 Objetivo Difundir a experiência da Embrapa Meio Ambiente com o processo de obtenção da certificação

Leia mais

SELEÇÃO DE ESTÁGIO 2013/02

SELEÇÃO DE ESTÁGIO 2013/02 SELEÇÃO DE ESTÁGIO 2013/02 Estão abertas as inscrições para o processo seletivo de estágio no Laboratório Teuto. Os interessados deverão enviar currículos até dia 04/06/13, para o e-mail seleção@teuto.com.br,

Leia mais

VERITAE CURSO PREPOSTO DO EMPREGADOR NA JUSTIÇA DO TRABALHO. Importância, Responsabilidades e Conduta. Rio de Janeiro, 26 de Outubro de 2012

VERITAE CURSO PREPOSTO DO EMPREGADOR NA JUSTIÇA DO TRABALHO. Importância, Responsabilidades e Conduta. Rio de Janeiro, 26 de Outubro de 2012 VERITAE Cursos/RJ/Outubro/ 2012 CURSO PREPOSTO DO EMPREGADOR NA JUSTIÇA DO TRABALHO Importância, Responsabilidades e Conduta Rio de Janeiro, 26 de Outubro de 2012 PÚBLICO ALVO Profissionais de Recursos

Leia mais

Manual de Fornecedores

Manual de Fornecedores Manual de Fornecedores Fornecedores (Responsável pela Qualidade) Carimbo, Assinatura e data. 00 2 de 10 Índice 1. MANUAL DO FORNECEDOR... 3 1.1 INTRODUÇÃO... 3 1.2 OBJETIVO... 3 2. RELAÇÃO DE FORNECEDORES...

Leia mais

Associação Brasileira dos Distribuidores de Produtos Químicos e Petroquímicos

Associação Brasileira dos Distribuidores de Produtos Químicos e Petroquímicos Associação Brasileira dos Distribuidores de Produtos Químicos e Petroquímicos Outubro/2007 PRODIR GESTÃO DA QUALIDADE NO PROCESSO DE DISTRIBUIÇÃO DE PRODUTOS QUÍMICOS Engº. Fernandes J. dos Santos outubro/07

Leia mais

O IMPORTANTE PAPEL DA GESTÃO DA QUALIDADE EM LABORATÓRIOS DE ANÁLISE CONTROLE DE EFLUENTES

O IMPORTANTE PAPEL DA GESTÃO DA QUALIDADE EM LABORATÓRIOS DE ANÁLISE CONTROLE DE EFLUENTES O IMPORTANTE PAPEL DA GESTÃO DA QUALIDADE EM LABORATÓRIOS DE ANÁLISE CONTROLE DE EFLUENTES Natália de Freitas Colesanti Perlette (1) Engenheira Ambiental formada na Universidade Estadual Paulista Júlio

Leia mais

SEGURANÇA ALIMENTAR PROGRAMA QUALIDADE PARA ÁFRICA OCIDENTAL SUPORTE A COMPETITIVIDADE E HARMONIZAÇÃO DOS ACORDOS OTC E SPS

SEGURANÇA ALIMENTAR PROGRAMA QUALIDADE PARA ÁFRICA OCIDENTAL SUPORTE A COMPETITIVIDADE E HARMONIZAÇÃO DOS ACORDOS OTC E SPS SEGURANÇA ALIMENTAR PORQUÊ UMA NORMA ISO DE GESTÃO DA SEGURNAÇA ALIMENTAR? 1,5 Bilhões de casos de toxi- infecções alimentares por ano; Uma das causas mais comuns de mortalidade em Países em desenvolvimento;

Leia mais

Grupo de Auditoria ISO 19011

Grupo de Auditoria ISO 19011 Grupo de Auditoria ISO 19011 Aplicação do processo de avaliação para um time de auditoria executar uma auditoria interna no sistema de gestão da qualidade de uma Fábrica de Chocolate Fictícia Exemplo da

Leia mais

TRANSFORMANDO PESSOAS E NEGÓCIOS

TRANSFORMANDO PESSOAS E NEGÓCIOS TRANSFORMANDO PESSOAS E NEGÓCIOS PROGRAMAÇÃO DE TREINAMENTOS 1 SEMESTRE 2013 TRANSFORMANDO PESSOAS E NEGÓCIOS TREINAMENTO: ELEMENTO- CHAVE PARA O CRESCIMENTO DA ORGANIZAÇÃO SOLUÇÕES PARA TODOS OS NÍVEIS

Leia mais

Art. 1º - O artigo 104 do Decreto Estadual nº 31.455, de 20 de fevereiro de 1987, passa a vigorar com a seguinte redação:

Art. 1º - O artigo 104 do Decreto Estadual nº 31.455, de 20 de fevereiro de 1987, passa a vigorar com a seguinte redação: DECRETO Nº 2, DE 8 DE JANEIRO DE 2015. Altera e acresce dispositivos ao Decreto nº 31.455, de 1987, que regulamenta os arts. 30 e 31 da Lei nº 6.320, de 20 de dezembro de 1983, que dispõem sobre alimentos

Leia mais

adota a seguinte Resolução de Diretoria Colegiada e eu, Diretor-Presidente, determino a sua publicação:

adota a seguinte Resolução de Diretoria Colegiada e eu, Diretor-Presidente, determino a sua publicação: Resolução - RDC nº 275, de 21 de outubro de 2002(*) Republicada no D.O.U de 06/11/2002 Dispõe sobre o Regulamento Técnico de Procedimentos Operacionais Padronizados aplicados aos Estabelecimentos Produtores/Industrializadores

Leia mais

COBIT Foundation v. 4.1

COBIT Foundation v. 4.1 COBIT Foundation v. 4.1 Versão 1 Ago 2010 Preparatório RFS para o exame de certificação Programa: Menos Papel, Mais Árvores Nós devemos ser a mudança que queremos ver no mundo (Gandhi) Qual é o mundo que

Leia mais

laboratórios clínicos e vigilância sanitária

laboratórios clínicos e vigilância sanitária laboratórios clínicos e vigilância sanitária Corina Charlotte Keller Farm. Industrial / Bioquímica Curitiba, Agosto 2014 Laboratórios de análises clínicas Regulamentos aplicáveis Lei federal nº 6437/77

Leia mais

Manual de Gestão da Qualidade MGQ Elaborado por: Representante da Direção (RD)

Manual de Gestão da Qualidade MGQ Elaborado por: Representante da Direção (RD) 1/22 Nº revisão Descrição da Revisão 00 Emissão do documento baseado nos requisitos da ISO 9001:2008 Vendas Gestão de Contratos Service Demais envolvidos na análise e aprovação Área / Processo Responsável

Leia mais

Treinamento ISO 9001:2008 e Selo de Qualificação ONA. Ubiara Marfinati Janeiro/2013

Treinamento ISO 9001:2008 e Selo de Qualificação ONA. Ubiara Marfinati Janeiro/2013 Treinamento ISO 9001:2008 e Selo de Qualificação ONA. Ubiara Marfinati Janeiro/2013 ISO 9001: 2008 Princípios Básicos 4.2 Controle de Documentos e Registros 5.2 Foco no Cliente 5.3 Política da Qualidade

Leia mais

TRANSQUALIT. Sistema de Gestão da Qualificação para Empresas de Transporte de Cargas PRODUTOS FARMACÊUTICOS

TRANSQUALIT. Sistema de Gestão da Qualificação para Empresas de Transporte de Cargas PRODUTOS FARMACÊUTICOS TRANSQUALIT Sistema de Gestão da Qualificação para Empresas de Transporte de Cargas PRODUTOS FARMACÊUTICOS Sumário Prefácio 1 Objetivo 2 Referência normativa 3 Definições 4 Sistema de qualificação 5 Responsabilidade

Leia mais

Correlação entre os requisitos do Sistema de Gestão do Programa Atuação Responsável e o Responsible Care Management System Requirements - ACC

Correlação entre os requisitos do Sistema de Gestão do Programa Atuação Responsável e o Responsible Care Management System Requirements - ACC Correlação entre os requisitos do Sistema de Gestão do Programa Atuação Responsável e o Responsible Care Management System Requirements - ACC Sistema de Gestão do AR 2012 - ABIQUIM Responsible Care Management

Leia mais