MANUAL DE PROCEDIMENTOS DISCIPLINARES E DE SEGURANÇA DO TRABALHO DO LABORATORIO DE PESQUISA EM NEURANATOMIA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MANUAL DE PROCEDIMENTOS DISCIPLINARES E DE SEGURANÇA DO TRABALHO DO LABORATORIO DE PESQUISA EM NEURANATOMIA"

Transcrição

1 UFRN - UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO DE BIOCIÊNCIAS DEPARTAMENTO DE MORFOLOGIA LABORATORIO DE NEURANATOMIA MANUAL DE PROCEDIMENTOS DISCIPLINARES E DE SEGURANÇA DO TRABALHO DO LABORATORIO DE PESQUISA EM NEURANATOMIA Este documento foi preparado para servir como uma fonte de consulta sobre regras básicas de segurança e as atitudes a serem tomadas antes de fazer qualquer procedimento experimental no laboratório de pesquisa em Neuranatomia. Os acidentes e doenças adquiridas podem ser minimizados ou até mesmo evitados se tomadas às devidas precauções. 2012

2 1 INTRODUÇÃO: Os laboratórios são locais importantes dos centros de ensino, pesquisa e extensão. Pelo seu caráter prático são inúmeros os riscos de acidentes e doenças adquiridas por exposição a agentes tóxicos, corrosivos, queimaduras, incêndios e explosões. A maioria desses acidentes e doenças adquiridas em laboratório ocorre pela imperícia, negligência e até imprudência dos seus usuários. Cabe ao chefe do laboratório a responsabilidade de transmitir aos demais usuários as técnicas corretas de trabalho e procedimentos a serem tomados para evitar possíveis acidentes. Cada membro, usuário ou visitante do laboratório deve ler cuidadosamente os itens que dizem respeito ao trabalho que vai executar. Em caso de dúvida deve procurar o responsável do Laboratório para esclarecimento. 2 DAS RESPONSABILIDADES 1 Chefe do laboratório: Profa. Dra. MIRIAM STELA MARIS DE OLIVEIRA COSTA É da competência do chefe do laboratório: a) Estabelecer uma ordenação e rotina em relação ao material de alta periculosidade. b) Providenciar, quando necessário, treinamento adequado para os iniciantes no laboratório. c) Supervisionar o cumprimento das normas do Manual de Segurança. 2 Assistente de laboratório: MIRIAM REGINA CELI DE ESCALA OLIVEIRA É da competência do assistente de laboratório: a) Planejar o trabalho de apoio do laboratório; b) Manter as substâncias sempre com seu estoque atualizado; c) Participar dos procedimentos experimentais e de rotina; d) Relacionar o material e operar os equipamentos do laboratório;

3 e) Organizar e manter a limpeza das vidrarias e equipamentos; f) Manejar pequenos animais; g) Conhecer as normas básicas de segurança quanto ao uso de equipamentos, animais e proteção individual. 3 Professores Orientadores: Prof. Dr. Expedito S. Nascimento Junior, Prof. Dr. Judney C. Cavalcante, Prof. Dr. Jeferson S. Cavalcante. É da competência dos professores orientadores; a) Providenciar, quando necessário, treinamento adequado para os seus alunos iniciantes no laboratório. b) Apresentá-los aos demais usuários do laboratório. c) Orientá-los nos procedimentos e trabalhos científicos. d) Supervisionar o cumprimento das normas do Manual de Segurança.

4 3 - NORMAS DISCIPLINARES - Da sala do laboratório 1-Todo usuário, professor ou aluno admitido no laboratório deverá tomar conhecimento desta apostila com as normas de segurança. 2- É expressamente PROIBIDO FUMAR. 3 - Não é permitido brincar no laboratório 4 Não é permitido beber ou comer no laboratório. 5 Bolsas, agasalhos, notebooks, celulares ou qualquer material estranho ao trabalho não devem ser colocados sobre a bancada do laboratório. 6 - Manter a limpeza do laboratório. - Da sala dos alunos 1- É expressamente PROIBIDO FUMAR. 2- Não é permitida a utilização de equipamentos sonoros. 3- Deve-se evitar falar alto, pois se trata de um ambiente de estudo. 4- Não é permitido deixar nas bancadas objetos pessoais, garrafas de água. Utilizar a estante destinada a esse fim. 5- Manter a limpeza da sala. 4 NORMAS GERAIS DE SEGURANÇA Equipamentos de segurança: São instrumentos que tem por finalidade evitar ou amenizar os riscos de acidentes. Os equipamentos individuais (EPI s) mais usados são: óculos, máscaras, luvas, aventais, gorros, etc. Os equipamentos coletivos (EPC,s) que protegem a coletividade mais usuais são: capelas, exaustores, lava olhos, chuveiros de emergência e extintores de incêndio. As regras gerais de segurança em laboratório foram elaboradas para tornar o trabalho no laboratório uma atividade segura. Para tirar o máximo de proveito delas, é necessário que todos os usuários a conheçam e a pratiquem, desde o primeiro instante que pretenderem permanecer em um laboratório.

5 1 - Indumentária Apropriada a) Jaleco de mangas compridas, longos até os joelhos, com fios de algodão na composição do tecido. b) Calça comprida de tecido não sintético. c) Sapato fechado, de couro ou assemelhado. d) Óculos de segurança e) Luvas 2 - Indumentária Proibida a) Bermuda ou short b) Sandálias, Chinelo, Sapato aberto c) Uso de lente de contato d) Uso de braceletes, correntes ou outros adereços. e) Avental de nylon ou 100% poliéster 1 Os alunos deverão evitar trabalhar sozinho no laboratório. 2 Em caso de acidente, deve ser procurado imediatamente o professor, orientador ou pesquisador, mesmo que não haja danos pessoais ou materiais. 3 Cabelos longos devem estar sempre presos ao realizar qualquer experiência no laboratório. 4 Trabalhe sempre com calçado fechado e nunca com sandálias. 5 Luvas de proteção apropriadas devem sempre ser usadas ao manusear substâncias agressivas para a pele ou que sejam absorvidas por via cutânea. 6 Não é permitido pipetar líquidos diretamente com a boca. 7 Antes de usar qualquer reagente, deve-se ler cuidadosamente o rótulo do frasco para ter certeza de que aquele é o reagente desejado. 8 Leia sempre o manual de instruções antes de utilizar um aparelho pela primeira vez. 9 Informe sempre seus colegas quando for efetuar uma experiência potencialmente perigosa. 10 Não abandone seu experimento, principalmente à noite, sem identificá-lo e encarregar alguém qualificado pelo seu acompanhamento. 11 Avise ao chefe do laboratório quando trabalhar tarde da noite ou nos finais de semana.

6 12 Aprenda a usar e use corretamente os EPI s e EPC s (equipamentos de proteção individual e coletiva) disponíveis no laboratório: luvas, máscaras, óculos, aventais, sapatos, capacetes, capelas, etc. 5 NORMAS DE SEGURANÇA NO LABORATÓRIO Embora não seja possível enumerar aqui todas as causas prováveis de acidentes num laboratório, existem certos cuidados básicos, decorrentes do uso de bom senso, que devem ser observados: 1 Conheça as propriedades tóxicas das substâncias químicas antes de empregá-las pela primeira vez no laboratório. (v. FISPQ Ficha de informações de segurança de produtos químicos, nos anexos desse manual). Fontes de Informações: - Rótulo do produto - FISPQ - Na internet ( 2 Não é permitido deixar frascos contendo solventes inflamáveis (acetona, álcool, éter, xilol, paraformaldeido, etc.) abertos. 3 - Não é permitido deixar frascos contendo solventes inflamáveis (acetona, álcool, éter, xilol, paraformaldeido, etc.) expostos ao sol ou a chamas. 4 Não é permitido colocar nenhum material sólido dentro da pia ou ralos. 5 Não é permitido colocar resíduos solventes na pia ou ralos; siga as instruções do laboratório para descartar substâncias químicas, agentes biológicos, radioativos, resíduos e lixo; obedecendo as identificações das lixeiras. 6 Não é permitido testar um produto químico pelo sabor. 7 Não é aconselhável testar um produto químico pelo odor, porém caso seja necessário, não coloque o frasco sob o nariz. Desloque suavemente com a mão, para a sua direção, os vapores que se desprendem do frasco. 8 No caso de derramamento de algum ácido ou produto químico, limpe o local imediatamente. 9 Abra os frascos o mais longe possível do rosto e evite aspirar ar naquele exato momento Dedique especial atenção a qualquer operação que necessite aquecimento prolongado ou que liberte grande quantidade de energia.

7 11 Ao sair do laboratório, verificar se não há torneiras (água ou gás) abertas. 12 Desligue todos os aparelhos, observando os avisos quando deve deixá-los ligados, deixe todo o equipamento limpo e lave as mãos. 13 A capela deve ser utilizada sempre que efetuar uma reação ou manipular reagentes que liberem vapores. 14 Os vidros quebrados e outros materiais perfuro-cortantes deve ser acondicionados na caixa específica. 15 Frascos vazios de solventes e reagentes devem ser limpos e enviados para descarte, sob responsabilidade da assistente do laboratório. 5.1 PRIMEIROS SOCORROS PARA O CASO DE ACIDENTES QUÍMICOS 1 Contato com os olhos: Se uma substância tiver sido espirrada nos olhos, lave imediatamente os olhos e a superfície interna das pálpebras com água em abundância durante 15 minutos. Verifique se o acidentado está usando lentes de contato e remova-as de uma vez. PROCURE AJUDA MÉDICA IMEDIATAMENTE. 2 Ingestão: Consultar a Ficha de Informação de Produtos Químicos do produto ingerido ou ligue para o ABIQUIM/PRÓQUIMICA em Siga as instruções e PROCURE AJUDA MÉDICA IMEDIATAMENTE. 3 Contato com a pele: Lavar abundantemente com água, na pia ou no chuveiro de emergência, dependendo da área atingida, por pelo menos 15 minutos; Em caso de queimaduras, cobrir a área afetada com vaselina estéril; PROCURE AJUDA MÉDICA IMEDIATAMENTE. Lembre-se que, para alguns produtos químicos, como ácido fluorídrico, os efeitos resultantes da exposição podem não se aparentes até horas ou dias depois. Consulte as fichas de informação (FISPQ) para qualquer produto químico sempre que alguém for exposto, mesmo que nenhuma lesão imediata esteja aparente.

8 6 REGRAS PARA USO DE EQUIPAMENTOS 6.1 EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS 1 Verifique sempre a tensão da tomada na qual deseja o seu equipamento e a voltagem e freqüência na qual o aparelho deve operar. 2- Antes de ligar, verifique se o equipamento está realmente em condições de uso. Pode ser que ele esteja danificado. 3 Em caso de dúvida quanto ao funcionamento de um equipamento, procure o responsável pelo mesmo. Tenha sempre em mãos os procedimentos básicos de operação do aparelho. Fixe um lembrete, junto ao mesmo, com as instruções necessárias para a perfeita utilização. 4- Ao término do expediente verifique se todos os equipamentos foram desligados, inclusive luzes e aparelhos de ar condicionado. Deixe ligado somente o que for realmente necessário. 6.2 USO DA CAPELA A capela somente oferecerá proteção ao usuário se for adequadamente utilizada. 1- Nunca inicie um trabalho sem verificar se: - O sistema de exaustão está funcionando; - O piso e a janela da capela estejam limpos; - As janelas da capela estejam funcionando perfeitamente. 2- Nunca inicie um trabalho que exige aquecimento sem antes remover os produtos inflamáveis da capela. 3- Deixe na capela apenas o material (equipamentos e reagentes) que serão efetivamente utilizado, remova todo e qualquer material desnecessário, principalmente produtos químicos. Mantenha as janelas das capelas com o mínimo possível de abertura. 4- Use sempre que possível, um anteparo resistente entre você e o equipamento, para maior segurança. 5 NUNCA coloque o ROSTO dentro da capela. 6 SEMPRE instalar equipamentos ou colocar frascos de reagentes longes pelo menos 20 cm da janela da capela. 7- Em caso de PARALIZAÇÃO ou IRREGULARIDADES do exaustor, tome as seguintes providências:

9 - Interrompa o trabalho imediatamente; - Feche ao máximo a janela da capela; - Coloque máscara de proteção adequada, quando a toxidez for considerada alta; - Sinalize a capela, tipo CAPELA COM DEFEITO ; - Verifique a causa do problema, corrija-o ou procure o serviço de manutenção para que o façam; - Somente reinicie o trabalho no mínimo 5 minutos depois da normalização do sistema de exuastão. CAPELAS NÃO DEVEM SER USADAS PARA GUARDAR PRODUTOS QUIMICOS. 7 PROCEDIMENTOS PARA O USO DA VIDRARIA. 1 Não utilize material de vidro quando trincado. 2 Coloque toda vidraria inservível no local identificado para esse fim. 3 Não deposite cacos de vidro em recipiente de lixo nem na pia. 4 Proteja as mãos (com luvas de amianto) quando for necessário manipular peças de vidro que estejam quentes. 5- Use luvas grossas (de raspa de couro) e óculos de proteção sempre que: - Atravessar ou remover tubos de vidro ou termômetros em rolhas de borracha ou cortiça; - Remover tampas de vidro emperradas; - Remover cacos de vidro de superfície, neste caso usar também pá de lixo e vassoura. 6 Não pressurize recipientes de vidro sem conhecer a resistência dos mesmos. 8 PROCEDIMENTOS PARA O USO DO MATERIAL CIRURGICO (Cirurgia, Perfusão, Pós-perfusão) 1 Separar o material de acordo com o procedimento. 2 Lavar, secar, e devolver todo o material ao seu respectivo lugar. 3 Não misturar os materiais. 4 Cuidado com a manipulação de material pérfuro-cortante

10 5 Todo material pérfuro-cortante descartável deve ser descartado em local apropriado, a não que nele esteja indicada a permanência para reutilização. 9 PROCEDIMENTOS QUANDO DA COLORAÇÃO DE CORTES E MONTAGEM DE LAMÍNULAS. 1 - Verificar as condições dos reagentes. (álcool, xilol, corante) 2 - Colocar o líquido nas cubas somente na hora do procedimento marcado, nunca com antecedência superior a 10 minutos. 3- Obedecer ao nível de liquido das cubas, nunca deixar transbordar nem abaixo da linha de marcação. 4- Montar as lamínulas dentro da capela, tendo cuidado com o manuseio do xilol. 5- Devolver o corante para a geladeira. 10 REGRAS PARA MANIPULAÇÃO DE GELO SECO E NITROGENIO LIQUIDO. 1 Use para trabalhar luvas próprias para baixas temperaturas, pois gelo seco e nitrogênio liquido provocam queimaduras graves em contato com a pele. 2 Adicione lentamente o gelo seco ao liquido refrigerante, para evitar projeções; 3 Não derrame nitrogênio líquido sobre mangueiras de borracha, elas ficarão quebradiças e poderão ocasionar acidentes.

11 SIMBOLOGIA DE RISCO

12

Regras Básicas de Segurança Em Laboratórios de Química

Regras Básicas de Segurança Em Laboratórios de Química Regras Básicas de Segurança Em Laboratórios de Química O que deve ser sempre lembrado é que: A segurança depende de cada um. É importante que o pessoal se habitue a trabalhar com segurança fazendo com

Leia mais

Universidade Federal de Viçosa Campus de Rio Paranaíba - MG. Normas do Laboratório de Química e Análise de Alimentos Curso de Nutrição (UFV/CRP)

Universidade Federal de Viçosa Campus de Rio Paranaíba - MG. Normas do Laboratório de Química e Análise de Alimentos Curso de Nutrição (UFV/CRP) Universidade Federal de Viçosa Campus de Rio Paranaíba - MG Normas do Laboratório de Química e Análise de Alimentos Curso de Nutrição (UFV/CRP) Rio Paranaíba Novembro 2012 1 Apresentação O Laboratório

Leia mais

NORMAS BÁSICAS DE SEGURANÇA EM LABORATÓRIO DE QUÍMICA

NORMAS BÁSICAS DE SEGURANÇA EM LABORATÓRIO DE QUÍMICA NORMAS BÁSICAS DE SEGURANÇA EM LABORATÓRIO DE QUÍMICA NORMAS GERAIS O trabalho em laboratório exige concentração. Não converse desnecessariamente, nem distraia seus colegas. NORMAS PESSOAIS Adaptar-se

Leia mais

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica NORMAS GERAIS PARA USO DO LABORATÓRIO DIDÁTICO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS CÂMPUS GOVERNADOR

Leia mais

Química Fundamental Informações Gerais Data: 29 de Fevereiro de 2012 NORMAS DE SEGURANÇA E BOAS PRÁTICAS DE LABORATÓRIO

Química Fundamental Informações Gerais Data: 29 de Fevereiro de 2012 NORMAS DE SEGURANÇA E BOAS PRÁTICAS DE LABORATÓRIO Química Fundamental Informações Gerais Data: 29 de Fevereiro de 2012 NORMAS DE SEGURANÇA E BOAS PRÁTICAS DE LABORATÓRIO Funcionamento do Laboratório Dependendo da atividade prática, os alunos encontrarão

Leia mais

NORMAS DE SEGURANÇA EM LABORATÓRIO

NORMAS DE SEGURANÇA EM LABORATÓRIO NORMAS DE SEGURANÇA EM LABORATÓRIO 1. INTRODUÇÃO Toda e qualquer atividade prática a ser desenvolvida dentro de um laboratório apresentam riscos e estão propensas a acidentes. Devemos então utilizar normas

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA CAMPUS ANISIO TEIXEIRA-INSTITUTO MULTIDICIPLINAR EM SAÚDE COORDENAÇÃO GERAL DE LABORATÓRIOS

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA CAMPUS ANISIO TEIXEIRA-INSTITUTO MULTIDICIPLINAR EM SAÚDE COORDENAÇÃO GERAL DE LABORATÓRIOS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA CAMPUS ANISIO TEIXEIRA-INSTITUTO MULTIDICIPLINAR EM SAÚDE COORDENAÇÃO GERAL DE LABORATÓRIOS NORMAS INTERNAS DO LABORATÓRIO DE BIOTECNOLOGIA E GENÉTICA

Leia mais

Regulamento para a utilização do Laboratório de. Microbiologia

Regulamento para a utilização do Laboratório de. Microbiologia Regulamento para a utilização do Laboratório de Microbiologia 1 REGULAMENTO PARA A UTILIZAÇÃO DO LABORATÓRIO DE MICROBIOLOGIA I. DOS OBJETIVOS DO LABORATÓRIO DE MICROBIOLOGIA 1. Auxiliar o aluno na introdução

Leia mais

ROTEIRO DE AULA PRÁTICA Nº 02

ROTEIRO DE AULA PRÁTICA Nº 02 ROTEIRO DE AULA PRÁTICA Nº 02 23 INTRODUÇÃO AO TRABALHO NO LABORATÓRIO QUÍMICO 1 OBJETIVOS Apresentar ao aluno os princípios de segurança e bom funcionamento do laboratório de Química, bem como, a elaboração

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 004 CAGV/IFMG/SETEC/MEC DE 30 DE ABRIL DE 2014.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 004 CAGV/IFMG/SETEC/MEC DE 30 DE ABRIL DE 2014. SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS CAMPUS GOVERNADOR VALADARES CONSELHO ACADÊMICO Av. Minas Gerais, 5.189 - Bairro Ouro

Leia mais

REGULAMENTO DOS LABORATÓRIOS ESPECIALIZADOS DA ÁREA DE SAÚDE

REGULAMENTO DOS LABORATÓRIOS ESPECIALIZADOS DA ÁREA DE SAÚDE REGULAMENTO DOS LABORATÓRIOS ESPECIALIZADOS DA ÁREA DE SAÚDE I. Objetivos do Regulamento dos Laboratórios Especializados da Área de Saúde 1. Fornecer um guia geral e regras básicas consideradas mínimas

Leia mais

Normas de Segurança para o Instituto de Química da UFF

Normas de Segurança para o Instituto de Química da UFF Normas de Segurança para o Instituto de Química da UFF A Comissão de segurança do Instituto de Química da UFF(COSEIQ) ao elaborar essa proposta entende que sua função é vistoriar, fiscalizar as condições

Leia mais

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO LABORATÓRIO DE CIÊNCIAS DISPOSIÇÕES GERAIS CAPÍTULO I - FINALIDADE E APLICAÇÃO

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO LABORATÓRIO DE CIÊNCIAS DISPOSIÇÕES GERAIS CAPÍTULO I - FINALIDADE E APLICAÇÃO REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO DISPOSIÇÕES GERAIS CAPÍTULO I - FINALIDADE E APLICAÇÃO Art.1º. Esse regulamento aplica-se a todos os usuários do laboratório, docentes, funcionários, alunos de ensino médio/técnico,

Leia mais

04-10-2013. Sumário APL

04-10-2013. Sumário APL Sumário Módulo inicial Unidade temática 0 Segurança em laboratórios de química O laboratório de química.. Regras de segurança no laboratório. Símbolos de perigo e outros sinais. Planificação da AL 0.1

Leia mais

INDUFIX FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FISPQ 014 REVISÃO: 30/03/2014 PÁGINA 1/6 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA

INDUFIX FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FISPQ 014 REVISÃO: 30/03/2014 PÁGINA 1/6 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA FISPQ 014 REVISÃO: 30/03/2014 PÁGINA 1/6 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: Indufix Código interno: 2000 Empresa: Indutil Indústria de Tintas Ltda. e-mail: indutil@indutil.com.br

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DOS LABORATÓRIOS DE QUÍMICA E FÍSICA DO CAMPUS CAÇAPAVA DO SUL TÍTULO I DOS FINS

REGIMENTO INTERNO DOS LABORATÓRIOS DE QUÍMICA E FÍSICA DO CAMPUS CAÇAPAVA DO SUL TÍTULO I DOS FINS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA (Lei nº. 11.640, de 11 de janeiro de 2008) REGIMENTO INTERNO DOS LABORATÓRIOS DE QUÍMICA E FÍSICA DO CAMPUS CAÇAPAVA DO SUL TÍTULO I DOS FINS Art. 1º

Leia mais

NORMAS INTERNAS DA UTILIZAÇÃO DO HERBÁRIO DO CÂMPUS DE AQUIDAUANA - UFMS/CPAq

NORMAS INTERNAS DA UTILIZAÇÃO DO HERBÁRIO DO CÂMPUS DE AQUIDAUANA - UFMS/CPAq Serviço Público Federal Ministério da Educação Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul NORMAS INTERNAS DA UTILIZAÇÃO DO HERBÁRIO DO CÂMPUS DE AQUIDAUANA - UFMS/CPAq Define as normas internas

Leia mais

MANUAL DE NORMAS DE SEGURANÇA NO LABORATÓRIO DE QUÍMICA. Material organizado pelo Prof. Cristiano Alfredo. Rupp.

MANUAL DE NORMAS DE SEGURANÇA NO LABORATÓRIO DE QUÍMICA. Material organizado pelo Prof. Cristiano Alfredo. Rupp. MANUAL DE NORMAS DE SEGURANÇA NO LABORATÓRIO DE QUÍMICA Material organizado pelo Prof. Cristiano Alfredo. Rupp. NORMAS DE SEGURANÇA NO LABORATÓRIO DE QUÍMICA Para um trabalho com segurança e com menores

Leia mais

MANUAL DE NORMAS GERAIS E DE SEGURANÇA EM LABORATÓRIO

MANUAL DE NORMAS GERAIS E DE SEGURANÇA EM LABORATÓRIO FACULDADES INTEGRADAS DO EXTREMO SUL DA BAHIA Credenciada pela Portaria Ministerial nº 1.727 de 13/06/2002 D. O.U. 14/06/2002 MANUAL DE NORMAS GERAIS E DE SEGURANÇA EM LABORATÓRIO Eunápolis BA 2009 1.

Leia mais

A Diretora da Faculdade de Jaraguá, no âmbito de suas atribuições conferidas pela portaria de sua nomeação, resolve:

A Diretora da Faculdade de Jaraguá, no âmbito de suas atribuições conferidas pela portaria de sua nomeação, resolve: Portaria n. 041/2011 Esta portaria estabelece o REGULAMENTO E NORMAS ESPECÍFICAS DO LABORATÓRIO DE QUÍMICA Faculdade de Jaraguá. A Diretora da Faculdade de Jaraguá, no âmbito de suas atribuições conferidas

Leia mais

EXTRUTOP FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FISPQ 017 REVISÃO: 30/03/2014 PÁGINA 1/6 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA

EXTRUTOP FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FISPQ 017 REVISÃO: 30/03/2014 PÁGINA 1/6 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA FISPQ 017 REVISÃO: 30/03/2014 PÁGINA 1/6 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: Extrutop Código interno: AGM215 e AGM216 Empresa: Indutil Indústria de Tintas Ltda. e-mail: indutil@indutil.com.br

Leia mais

NORMAS DE SEGURANÇA E APARELHAGEM UTILIZADA EM LABORATÓRIO

NORMAS DE SEGURANÇA E APARELHAGEM UTILIZADA EM LABORATÓRIO NORMAS DE SEGURANÇA E APARELHAGEM UTILIZADA EM LABORATÓRIO Objetivo: Explicação das normas básicas de segurança no laboratório. Aula teórica com retroprojetor, transparências e demonstração de algumas

Leia mais

Noções básicas de Segurança em Laboratório. Professora Mirian Maya Sakuno

Noções básicas de Segurança em Laboratório. Professora Mirian Maya Sakuno Noções básicas de Segurança em Laboratório Professora Mirian Maya Sakuno Laboratório labor = trabalho + oratorium = lugar de concentração Uso inadequado do laboratório PERIGO!!! Regras básicas Não... não

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO SUPERIOR PROFISSIONAL FATESP MANUAL DE AULAS PRÁTICAS MULTIDISCIPLINARES DA FATESP.

FACULDADE DE TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO SUPERIOR PROFISSIONAL FATESP MANUAL DE AULAS PRÁTICAS MULTIDISCIPLINARES DA FATESP. FACULDADE DE TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO SUPERIOR PROFISSIONAL FATESP MANUAL DE AULAS PRÁTICAS MULTIDISCIPLINARES DA FATESP. SUMÁRIO 1. Introdução... 2 2. Normas de Segurança e de Higiene em Laboratório: Uso

Leia mais

Gerenciamento de Resíduos Segurança Ocupacional

Gerenciamento de Resíduos Segurança Ocupacional Gerenciamento de Resíduos Segurança Ocupacional Maio / 2016 Eng. Jose Arnaldo Acidentes envolvendo produtos químicos Em 2014, ocorreram: Mais de 83.000 óbitos e 7,4 milhões de trabalhadores feridos decorrentes

Leia mais

Normas de Segurança para os Laboratórios Didáticos da UFABC APRESENTAÇÃO

Normas de Segurança para os Laboratórios Didáticos da UFABC APRESENTAÇÃO Normas de Segurança para os Laboratórios Didáticos da UFABC APRESENTAÇÃO Este texto foi preparado pelos docentes da BC0001 - Base Experimental das Ciências Naturais. Seu objetivo é prevenir a ocorrência

Leia mais

FISPQ. FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO NBR 14725 NOME DO PRODUTO: Solução Titulante

FISPQ. FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO NBR 14725 NOME DO PRODUTO: Solução Titulante NOME DO PRODUTO: Solução Titulante 1/12 FISPQ NRº. 28 1- IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA: Nome Comercial do Produto: Solução Titulante Nome Químico: Solução Ácida a 0,1 N Nome da Empresa: Hidroazul

Leia mais

Ficha de Informação de Segurança de Produto Químico

Ficha de Informação de Segurança de Produto Químico Ficha de Informação de Segurança de Produto Químico Nome do Produto: Reticulina Código: EP-12-20021 RETICULINA Seção 1: Identificação do Produto e da Empresa Erviegas Ltda R. Lacedemônia, 268 - São Paulo

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO SECADOR DE CABELOS CADENCE IRIS SEC400

MANUAL DO USUÁRIO SECADOR DE CABELOS CADENCE IRIS SEC400 MANUAL DO USUÁRIO SECADOR DE CABELOS CADENCE IRIS SEC400 Obrigado por adquirir o Secador de Cabelos Cadence Iris, um produto de alta tecnologia, seguro e eficiente. É muito importante ler atentamente

Leia mais

NORMAS DE SEGURANÇA DOS LABORATÓRIOS DO CURSO DE ENGENHARIA DE MATERIAIS UNIFEI CAMPUS ITABIRA

NORMAS DE SEGURANÇA DOS LABORATÓRIOS DO CURSO DE ENGENHARIA DE MATERIAIS UNIFEI CAMPUS ITABIRA NORMAS DE SEGURANÇA DOS LABORATÓRIOS DO CURSO DE ENGENHARIA DE MATERIAIS UNIFEI CAMPUS ITABIRA Normas de Segurança dos laboratórios do curso de engenharia de materiais UNIFEI Campus Itabira, que determinam

Leia mais

Manual de Instruções

Manual de Instruções Manual de Instruções (Party Cooler s Thermomatic) Modelo: 40 litros & 77 litros Obrigado por escolher a série dos Party Cooler s da Thermomatic. Para garantir o uso correto das operações, por favor, leia

Leia mais

Segurança no Laboratório. Eng.º Agrônomo, MsC; Eng.º de Segurança do Trabalho Especialista em Educação Ambiental

Segurança no Laboratório. Eng.º Agrônomo, MsC; Eng.º de Segurança do Trabalho Especialista em Educação Ambiental Segurança no Laboratório Prof. Ariston Alves Afonso Eng.º Agrônomo, MsC; Eng.º de Segurança do Trabalho Especialista em Educação Ambiental Itens de segurança no laboratório 1. Use sempre óculos de segurança

Leia mais

Dynatig 350 HF. Ignitor de alta frequência CÓDIGO : 0704123 MANUAL DO USUÁRIO / LISTA DE PARTES E PEÇAS

Dynatig 350 HF. Ignitor de alta frequência CÓDIGO : 0704123 MANUAL DO USUÁRIO / LISTA DE PARTES E PEÇAS Dynatig 350 HF CÓDIGO : 0704123 Ignitor de alta frequência MANUAL DO USUÁRIO / LISTA DE PARTES E PEÇAS 2 Dynatig 350 HF Página em branco Dynatig 350 HF Ignitor de alta frequência para tocha TIG MANUAL

Leia mais

FISPQ FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUIMICOS

FISPQ FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUIMICOS DATA DE APROVAÇÃO: 22/11/2011 Página 1 de 5 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto LW Impercit Nome da empresa Lwart Química Ltda. Endereço Rodovia Marechal Rondon, Km 303,5, Lençóis Paulista-SP

Leia mais

FISPQ FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUIMICOS

FISPQ FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUIMICOS DATA DE APROVAÇÃO: 31/08/2012 Página 1 de 6 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto Metrofix Fabricado por: Lwart Química Endereço Rodovia Marechal Rondon, Km 303,5, Lençóis Paulista-SP

Leia mais

FISPQ (Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos) SAPÓLIO RADIUM PÓ (Limão, Pinho, Clássico, Lavanda, Bouquet e Laranja)

FISPQ (Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos) SAPÓLIO RADIUM PÓ (Limão, Pinho, Clássico, Lavanda, Bouquet e Laranja) Página 1 de 6 1 - IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome: Sapólio Radium Pó Códigos Internos: Limão: 14001 / 14017 Pinho: 14005 / 14018 Clássico: 14033 Lavanda: 14031 Bouquet: 14030 Laranja: 14032

Leia mais

MANUAL DE NORMAS GERAIS DE SEGURANÇA DOS LABORATÓRIOS DE ENSINO

MANUAL DE NORMAS GERAIS DE SEGURANÇA DOS LABORATÓRIOS DE ENSINO PRÓ-REITORIA DE ENSINO MANUAL DE NORMAS GERAIS DE SEGURANÇA DOS LABORATÓRIOS DE ENSINO Manual de Normas Gerais de Segurança dos Laboratórios de Ensino aprovado pelo Conselho Superior do IFS através da

Leia mais

Regulamento para a utilização do Laboratório de. Técnica e Dietética

Regulamento para a utilização do Laboratório de. Técnica e Dietética Regulamento para a utilização do Laboratório de Técnica e Dietética 1 REGULAMENTO PARA A UTILIZAÇÃO DO LABORATÓRIO DE TÉCNICA E DIETÉTICA I. DOS OBJETIVOS DO LABORATÓRIO DE TÉCNICA E DIETÉTICA 1. Auxiliar

Leia mais

01 Identificação do produto e da Empresa. 02 Composição e informações sobre os ingredientes. 03 Identificação de perigos

01 Identificação do produto e da Empresa. 02 Composição e informações sobre os ingredientes. 03 Identificação de perigos Página: 01/05 01 Identificação do produto e da Empresa Natureza Química : Limpador de Uso Geral Autorização de Funcionamento / MS : nº 3.02.599-9 Registro no Ministério da Saúde : 3.2599.0103.001-4 Aceita

Leia mais

REFERÊNCIAS GERAIS DE SEGURANÇA LABORATÓRIOS QUIMICA I E II

REFERÊNCIAS GERAIS DE SEGURANÇA LABORATÓRIOS QUIMICA I E II MANUAL DE SEGURANÇA LABORATÓRIOS QUIMICA I E II O risco de acidentes é maior quando nos acostumamos a conviver com o perigo e passamos a ignorá-lo. A segurança em qualquer local está apoiada em cada um:

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ Departamento de Farmácia Laboratório de Farmacognosia

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ Departamento de Farmácia Laboratório de Farmacognosia MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ Departamento de Farmácia Laboratório de Farmacognosia REGRAS DE SEGURANÇA EM LABORATÓRIOS LABORATÓRIOS: ALGUNS LEMBRETES FUNDAMENTAIS A palavra laboratório

Leia mais

FISPQ FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUIMICOS

FISPQ FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUIMICOS DATA DE APROVAÇÃO: 31/08/2012 Página 1 de 5 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto Fabricado por Endereço Vedapac Laje Preto Lwart Química Telefone (14) 3269-5060 Fax (14) 3269-5003 email

Leia mais

FISPQ FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO NBR 14725

FISPQ FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO NBR 14725 FISPQ NRº. 005 1/7 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA: Nome do Produto: Bicarbonato de Sódio Nome Comercial : Estabilizador de ph Sinônimo: Bicarbonato Ácido de Sódio N CAS: 144-55-8 Nome da Empresa:

Leia mais

1 INSTRUÇÕES IMPORTANTES DE SEGURANÇA

1 INSTRUÇÕES IMPORTANTES DE SEGURANÇA MANUAL DO USUÁRIO Obrigado por adquirir o Espremedor Citro Plus Cadence ESP802, um produto de alta tecnologia, seguro e eficiente. É Muito importante ler atentamente este manual de instruções, as informações

Leia mais

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA PROMI FERTIL Especial Hortícolas 18-8-6 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Data de emissão: 13 / 03 / 08 Nome do produto: Promi-Fertil Especial Hortícolas 18-8-6 Uso do

Leia mais

FISPQ FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO NBR 14725 NOME DO PRODUTO: SOLUÇÃO 2 - ORTOTOLIDINA

FISPQ FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO NBR 14725 NOME DO PRODUTO: SOLUÇÃO 2 - ORTOTOLIDINA NOME DO PRODUTO: SOLUÇÃO 2 - ORTOTOLIDINA DATA DA ÚLTIMA REVISÃO: 09/08/2013 1/7 FISPQ NRº. 022 1- IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA. - Nome do Produto: Ortotolidina - Solução - Nome Comercial: Solução

Leia mais

EEEP MARLY FERREIRA MARTINS LABORATÓRIO DE CIÊNCIAS

EEEP MARLY FERREIRA MARTINS LABORATÓRIO DE CIÊNCIAS EEEP MARLY FERREIRA MARTINS LABORATÓRIO DE CIÊNCIAS I. NORMAS DE SEGURANÇA NO LABORATÓRIO 1. É aconselhável o uso da bata e de sapatos fechados. 2. Mantenha o laboratório e sua bancada sempre limpa e livre

Leia mais

Biossegurança RISCOS BIOLOGICOS. UNISC Departamento de Biologia e Farmácia Prof. Jane Renner

Biossegurança RISCOS BIOLOGICOS. UNISC Departamento de Biologia e Farmácia Prof. Jane Renner Biossegurança RISCOS BIOLOGICOS UNISC Departamento de Biologia e Farmácia Prof. Jane Renner Risco biológico Definição Agente de origem biológica que possui a capacidade de produzir efeitos deletérios em

Leia mais

1 INSTRUÇÕES IMPORTANTES DE SEGURANÇA

1 INSTRUÇÕES IMPORTANTES DE SEGURANÇA [ REV04 24112011 ] 1 INSTRUÇÕES IMPORTANTES DE SEGURANÇA É muito importante que você leia atentamente todas as instruções contidas neste manual antes de utilizar o produto, pois elas garantirão sua segurança

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO BEBEDOURO REFRIGERADO CADENCE PURE VITÀ BEB100

MANUAL DO USUÁRIO BEBEDOURO REFRIGERADO CADENCE PURE VITÀ BEB100 MANUAL DO USUÁRIO BEBEDOURO REFRIGERADO CADENCE PURE VITÀ BEB100 Obrigado por adquirir o Bebedouro Pure Vità Cadence, um produto de alta tecnologia, seguro e eficiente. É Muito importante ler atentamente

Leia mais

RESOLUÇÃO CONSEPE 004/2005

RESOLUÇÃO CONSEPE 004/2005 RESOLUÇÃO CONSEPE 004/2005 Aprova o Manual de Segurança em Laboratórios do Centro Universitário de Maringá. O PRESIDENTE DO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO E REITOR DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DE MARINGÁ,

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA PRODUTO QUIMICO

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA PRODUTO QUIMICO SEÇÃO I Identificação do Produto Químico e da Empresa Nome do Produto: Nome da Empresa: IMPERCOTEPRIMER CITIMAT MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO LTDA. RUA COMENDADOR SOUZA 72/82 AGUA BRANCA SÃO PAULO SP CEP: 05037-090

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA Instituto Multidisciplinar em Saúde Campus Anísio Teixeira

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA Instituto Multidisciplinar em Saúde Campus Anísio Teixeira UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA Instituto Multidisciplinar em Saúde Campus Anísio Teixeira LABORATÓRIOS DE MICROBIOLOGIA DE ALIMENTOS, ENZIMOLOGIA & MICROBIOLOGIA INDUSTRIAL (LMA & LEMI) Professores Responsáveis:

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES

MANUAL DE INSTRUÇÕES MANUAL DE INSTRUÇÕES ASPIRADOR DE PÓ 800 W COM CABO TELESCÓPICO Equipamento somente para uso doméstico. Obrigado por escolher um produto com a marca Tramontina. Por favor, leia o Manual de Instruções por

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA PRODUTO QUÍMICO

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA PRODUTO QUÍMICO Nome do Produto: Nome da Empresa: SEÇÃO I Identificação do Produto Químico e da Empresa CITIMANTA CITIMAT MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO LTDA. RUA COMENDADOR SOUZA 72/82 AGUA BRANCA SÃO PAULO SP CEP: 05037-090

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO (FISPQ) NOME DO PRODUTO: BIOFLOC 1601

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO (FISPQ) NOME DO PRODUTO: BIOFLOC 1601 NOME DO PRODUTO: BIOFLOC 1601 1- IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: BIOFLOC 1601 Escritório: Nome da empresa: Biofloc Comercio e Representação de Produtos Químicos. Endereço: Av. Francisco

Leia mais

Manual de Segurança do Laboratório de Química

Manual de Segurança do Laboratório de Química Manual de Segurança do Laboratório de Química Universidade Federal do Pampa Campus Caçapava do Sul 1 INTRODUÇÃO O Manual de Segurança do Laboratório de Química foi elaborado com o objetivo de fornecer

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO PRANCHA DE CABELOS LA BELLE PAC900

MANUAL DO USUÁRIO PRANCHA DE CABELOS LA BELLE PAC900 MANUAL DO USUÁRIO PRANCHA DE CABELOS LA BELLE PAC900 Obrigado por adquirir a Prancha de Cabelos PAC900. Um produto de alta tecnologia, seguro, eficiente, barato e econômico. É muito importante ler atentamente

Leia mais

FISPQ - FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA SOBRE PRODUTO QUÍMICO. Preparado: Este produto é uma composição de cargas minerais.

FISPQ - FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA SOBRE PRODUTO QUÍMICO. Preparado: Este produto é uma composição de cargas minerais. FISPQ - FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA SOBRE PRODUTO QUÍMICO UT-X FE POWDER CÓDIGO FISPQ-1616 REVISÃO 0 EMISSÃO 14/08/2012 APROVAÇÃO 14/08/2012 Page 1 of 5 1 - IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES DEPILADOR ELÉTRICO AT-3184

MANUAL DE INSTRUÇÕES DEPILADOR ELÉTRICO AT-3184 MANUAL DE INSTRUÇÕES DEPILADOR ELÉTRICO AT-3184 POR FAVOR, LEIA ESTE MANUAL ATENTAMENTE ANTES DE UTILIZAR O PRODUTO Você acabou de adquirir um produto ETERNY, da mais alta qualidade. Agradecemos a sua

Leia mais

FISPQ (FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS.) LIMPA VIDROS MARANSO 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA:

FISPQ (FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS.) LIMPA VIDROS MARANSO 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA: 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA: 1.1 Nome Comercial: Limpa Vidros Maranso 1.2 Código de Venda: 016 1.3 Nome do Fabricante: QOB MATERIAIS DOMISSANEANTES LTDA EPP Rua Ministro Joaquim Antunes, S/N

Leia mais

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI Equipamento De Proteção Individual - EPI Definição: EPI é todo dispositivo de uso individual, destinado a proteger a integridade física do trabalhador. EPI (s)

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FIS 00001 1/6 1) IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: Empresa: Endereço: Água sanitária Super Cândida Indústrias Anhembi S/A Matriz: Rua André Rovai, 481 Centro Osasco SP Telefone: Matriz:

Leia mais

Ficha de Informação de Segurança de Produtos Químicos (MSDS)

Ficha de Informação de Segurança de Produtos Químicos (MSDS) Página: 1/5 1 - Identificação do produto e da empresa - Nome do produto: TEMED (N,N,N,N -Tetramethylenediamine) - Código de identificação do produto: 161-0800N - Nome da Empresa: BioAgency Biotecnologia

Leia mais

Manual de Instruções. Escova rotativa Red Hot. Leia atentamente antes de usar. www.lizz.com.br 11 5660 2600 TY3000A (127V) TY3000B (220V)

Manual de Instruções. Escova rotativa Red Hot. Leia atentamente antes de usar. www.lizz.com.br 11 5660 2600 TY3000A (127V) TY3000B (220V) Manual de Instruções Escova rotativa Red Hot TY3000A (127V) TY3000B (220V) Leia atentamente antes de usar www.lizz.com.br 11 5660 2600 2 Manual de Instruções Manual de Instruções (Leia atentamente antes

Leia mais

Comércio de Produtos Químicos

Comércio de Produtos Químicos Ficha de Informação de Segurança de Produtos Químicos FISPQ 1.) Identificação do Produto Nome do Produto: Pombo Código do Produto: Pr 295307 2.) Composição e Informação sobre os Ingredientes Substância:

Leia mais

Suprimark Brasil Com de tintas e Papeis ltda

Suprimark Brasil Com de tintas e Papeis ltda Produto: Sistema Escrita Prima Amarelo FISPQ: 0005 1 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Sistema Escrita PDVmais Prima amarela Suprimark Brasil de Com. De tintas e Papeis Ltda Rua : Augusto Tolle,

Leia mais

FISPQ (Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos) SAPÓLIO RADIUM CREMOSO (Bouquet, Clássico, Laranja, Lavanda, Limão e Pinho)

FISPQ (Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos) SAPÓLIO RADIUM CREMOSO (Bouquet, Clássico, Laranja, Lavanda, Limão e Pinho) Página 1 de 6 1 - IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Produto: Sapólio Radium Cremoso Códigos Internos: Bouquet 14015 (24/300ml) Clássico 14007 (24/300ml) Laranja 14025 (12/300ml) Lavanda 14014 (24/300ml)

Leia mais

FICHA TÉCNICA DE SEGURANÇA DO PRODUTO QUÍMICO - FISPQ Data da Revisão: 06.03.06

FICHA TÉCNICA DE SEGURANÇA DO PRODUTO QUÍMICO - FISPQ Data da Revisão: 06.03.06 01. Identificação do Produto e da Empresa. Nome do Produto: Rotosafe Bro 700 001 OR 0050 nº Material: 110319 Nome da Empresa: Domingos Araújo Neto Endereço: Av. Francisco Sá, 3405 Monte Castelo Fortaleza

Leia mais

RELATÓRIO TÉCNICO. ph (Solução 0,2%) Aproximadamente 2,00. Ponto de Ebulição 110ºC Densidade 1,150 ( 20ºC ) Completamente solúvel em água.

RELATÓRIO TÉCNICO. ph (Solução 0,2%) Aproximadamente 2,00. Ponto de Ebulição 110ºC Densidade 1,150 ( 20ºC ) Completamente solúvel em água. RELATÓRIO TÉCNICO I - DADOS GERAIS: Nome do Produto: ÁCIDO MURIÁTICO Composição: Água e Ácido Clorídrico Estado Físico: Líquido Cuidados para conservação: Conservar o produto na embalagem original. Proteger

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO CLIMATIZADOR CADENCE VENTILAR CLIMATIZE 505 CLI505

MANUAL DO USUÁRIO CLIMATIZADOR CADENCE VENTILAR CLIMATIZE 505 CLI505 MANUAL DO USUÁRIO CLIMATIZADOR CADENCE VENTILAR CLIMATIZE 505 CLI505 Obrigado por adquirir o Climatizador Ventilar Climatize 505 Cadence, um produto de alta tecnologia, seguro e eficiente. É muito importante

Leia mais

NOÇÕES GERAIS DE SEGURANÇA NUM LABORATÓRIO

NOÇÕES GERAIS DE SEGURANÇA NUM LABORATÓRIO NOÇÕES GERAIS DE SEGURANÇA NUM LABORATÓRIO O trabalho desenvolvido num laboratório químico envolve o manuseamento de materiais, que pelas suas características, podem vir a constituir um risco para os que

Leia mais

Tensoativos aniônicos, Tripolifosfato de Sódio, Sequestrante, Amida de ácido graxo, Espessante, Corante, Essência e Àgua.

Tensoativos aniônicos, Tripolifosfato de Sódio, Sequestrante, Amida de ácido graxo, Espessante, Corante, Essência e Àgua. FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: Hidrosan Limpa Bordas Aplicação: Limpa Bordas Nome da Empresa: Hidroall do Brasil Ltda Endereço:

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FISPQ

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FISPQ FISQP n o 24 15/11/10 Página 1 de 5 FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FISPQ Contato/emergência: Centro de Atendimento Toxicológico do Espírito Santo (Toxcen-ES) Telefone: 0800-283-9904

Leia mais

H A R V A R D U N I V E R S I T Y EH&S Awarenss Training SEGURANÇA ELÉTRICA

H A R V A R D U N I V E R S I T Y EH&S Awarenss Training SEGURANÇA ELÉTRICA EH&S Awarenss Training SEGURANÇA ELÉTRICA As informações de segurança a seguir podem ajudá-lo a evitar perigos e choques elétricos. Mantenha sua área de trabalho limpa e seca. Nunca trabalhe ao redor de

Leia mais

ROBERT BOSCH LIMITADA

ROBERT BOSCH LIMITADA F0LHA...: 1 de 5 1 _ Identificação do Produto e Fabricante Nome do Produto: Acumulador elétrico de energia Nome do Fabricante sob licença da Robert Bosch Ltda.: Enertec do Brasil Ltda. Endereço: Av. Independência,

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO (FISPQ) NOME DO PRODUTO: BIOFLOC A 5030

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO (FISPQ) NOME DO PRODUTO: BIOFLOC A 5030 NOME DO PRODUTO: BIOFLOC A 5030 1- IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: BIOFLOC A 5030 Escritório: Nome da empresa: Biofloc Comercio e Representação de Produtos Químicos. Endereço: Av.

Leia mais

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA DO PRODUTO Data: 01.12.98

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA DO PRODUTO Data: 01.12.98 FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA DO PRODUTO Data: 01.12.98 1. Identificação do Produto / Reagente e da empresa Nome Comercial do Produto: Microalbumin Standard Series Número do Catálogo: MAL/STS-5X1 Fabricante:

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES ABRIDOR DE VINHOS ELÉTRICO SEM FIO BIVOLT

MANUAL DE INSTRUÇÕES ABRIDOR DE VINHOS ELÉTRICO SEM FIO BIVOLT MANUAL DE INSTRUÇÕES ABRIDOR DE VINHOS ELÉTRICO SEM FIO BIVOLT WO-50DBR INFORMAÇÕES IMPORTANTES Ao usar aparelhos elétricos, seguir sempre precauções básicas de segurança, incluindo o seguinte: AVISO 1.

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES MANUAL DE INSTRUÇÕES Steam Power

MANUAL DE INSTRUÇÕES MANUAL DE INSTRUÇÕES Steam Power MANUALDE DE INSTRUÇÕES MANUAL INSTRUÇÕES Steam Power INTRODUÇÃO Parabéns pela escolha de um produto da linha Philco. Para garantir o melhor desempenho do produto, ler atentamente as instruções a seguir.

Leia mais

Sinalização. Catálogo de Placas EXTINTOR DE INCÊNDIO 164,2/21,3-2.329-K-W/ 10.513.146/0001-94

Sinalização. Catálogo de Placas EXTINTOR DE INCÊNDIO 164,2/21,3-2.329-K-W/ 10.513.146/0001-94 Sinalização Catálogo de Placas EXTINTOR DE INCÊNDIO 164,2/21,3-2.329-K-W/ 10.513.146/0001-94 Materiais VINIL AUTO-ADESIVO PVC / PS Utilizado em ambientes internos e externos. Pode ser confeccionado com

Leia mais

SEGURANÇA EM LABORATÓRIOS DE ENSAIOS

SEGURANÇA EM LABORATÓRIOS DE ENSAIOS SEGURANÇA EM LABORATÓRIOS DE ENSAIOS Junho de 2012 Pedro Boareto Goicoechea Nenhum trabalho é tão importante e tão urgente, que não possa ser planejado e executado com segurança! Pedro Boareto Goicoechea

Leia mais

Cozinha Industrial. Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho

Cozinha Industrial. Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho Cozinha Industrial Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho Serviços de alimentação Este tipo de trabalho aparenta não ter riscos, mas não é bem assim, veja alguns exemplos: Cortes

Leia mais

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE ANÁLISE EXPERIMENTAL DO COMPORTAMENTO - AEC

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE ANÁLISE EXPERIMENTAL DO COMPORTAMENTO - AEC REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE ANÁLISE EXPERIMENTAL DO COMPORTAMENTO - AEC 1 REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE ANÁLISE EXPERIMENTAL DO COMPORTAMENTO - AEC CAPÍTULO I Das Finalidades deste Regulamento Art. 1

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO CLIMATIZADOR DE AR VENTILAR CLIMATIZE 300 CLI300

MANUAL DO USUÁRIO CLIMATIZADOR DE AR VENTILAR CLIMATIZE 300 CLI300 MANUAL DO USUÁRIO CLIMATIZADOR DE AR VENTILAR CLIMATIZE 300 CLI300 Obrigado por adquirir o Climatizador Cadence Ventilar Climatize 300, um produto de alta tecnologia, seguro e eficiente. É muito importante

Leia mais

Regulamento da Sala de Necropsia do Centro de Diagnóstico e Pesquisa em Patologia Veterinária (CDPPV)

Regulamento da Sala de Necropsia do Centro de Diagnóstico e Pesquisa em Patologia Veterinária (CDPPV) INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CÂMPUS CONCÓRDIA CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA CENTRO DE DIAGNÓSTICO E PESQUISA EM PATOLOGIA VETERINÁRIA Regulamento da Sala de Necropsia do Centro de Diagnóstico e Pesquisa

Leia mais

O laboratório de pesquisa e seus riscos. Disciplina SFI5878 Biossegurançae Biocontençãoem Laboratórios

O laboratório de pesquisa e seus riscos. Disciplina SFI5878 Biossegurançae Biocontençãoem Laboratórios O laboratório de pesquisa e seus riscos. Disciplina SFI5878 Biossegurançae Biocontençãoem Laboratórios Risco em laboratório de pesquisa O laboratório de pesquisa apresenta diversos riscos derivados da

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA PARA PRODUTOS QUÍMICOS

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA PARA PRODUTOS QUÍMICOS FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA PARA PRODUTOS QUÍMICOS 1 - IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome Comercial do produto: CJI MASTER HARD SS Nome da empresa: Endereço: Rua Hermínio Poltroniere, 198

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUIÍMICO ( FISPQ )

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUIÍMICO ( FISPQ ) 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: Anti Ruído Tradicional Aplicação: Reparação e emborrachamento de veículos. Fornecedor: Nome: Mastiflex Indústria e Comércio Ltda Endereço : Rua

Leia mais

ISO 9001:2000 Certificate Nº FM37608 INJETORAS MANUAL DE SEGURANÇA

ISO 9001:2000 Certificate Nº FM37608 INJETORAS MANUAL DE SEGURANÇA ISO 9001:2000 Certificate Nº FM37608 INJETORAS MANUAL DE SEGURANÇA ISO 9001:2008 capítulo 3 segurança e procedimentos Seção Conteúdo Pag. 3.1 3.2 3.3 3.4 3.5 3.6 3.7 Segurança Geral Sinais de aviso Sinais

Leia mais

Manual de segurança no laboratório

Manual de segurança no laboratório 1 - Para iniciar os trabalhos! Deves ler atentamente as instruções das actividades experimentais antes de as relizares. Sempre que tiveres dúvidas sobre as actividades experimentais deves consultar o teu

Leia mais

1. Usar o equipamento de segurança recomendado para cada prática. Algumas podem exigir uso de luvas, máscaras, óculos de segurança etc.

1. Usar o equipamento de segurança recomendado para cada prática. Algumas podem exigir uso de luvas, máscaras, óculos de segurança etc. AULA PRÁTICA DE QUÍMICA GERAL Procedimentos e normas de segurança em laboratórios escolares parte 2 9º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL - 3º ANO DO ENSINO MÉDIO INTRODUÇÃO Como vimos na parte 1, é importante

Leia mais

Revisão 15 Abril/13 FISPQ N o 0002-13 Página 1 de 5

Revisão 15 Abril/13 FISPQ N o 0002-13 Página 1 de 5 FISPQ N o 0002-13 Página 1 de 5 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA NOME COMERCIAL Thinner 2750 NOME DO FABRICANTE ANJO QUIMICA DO BRASIL LTDA Rodovia SC, 447 Km 02 Criciúma Santa Catarina CEP: 88.817-440

Leia mais

ARMAZENAGEM DE PRODUTOS QUÍMICOS

ARMAZENAGEM DE PRODUTOS QUÍMICOS ARMAZENAGEM DE PRODUTOS QUÍMICOS 2011 Índice 1. Sinalização... 3 2. Organização do Armazém... 3 3. Estabelecer um esquema de armazenamento para:... 4 4. Manter em local visível... 6 5. Deveres do Responsável

Leia mais

EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO COLETIVA (EPCs) E EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (EPIs)

EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO COLETIVA (EPCs) E EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (EPIs) EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO COLETIVA (EPCs) E EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (EPIs) EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL O que são? Para que usá-los? - Proteção do contato com agentes infecciosos e substâncias

Leia mais

Produtos químicos PERIGOSOS

Produtos químicos PERIGOSOS Produtos químicos PERIGOSOS Como podemos identificar os produtos químicos perigosos? Os produtos químicos estão presentes em todo o lado, quer em nossas casas, quer nos locais de trabalho. Mesmo em nossas

Leia mais

EVAPORADOR ELIMINADOR DE GOTEJAMENTO

EVAPORADOR ELIMINADOR DE GOTEJAMENTO EVAPORADOR ELIMINADOR DE GOTEJAMENTO Aparelho Bivolt 110v 220v ATENÇÃO: INSTALAR EXTERNAMENTE * Capacidade total em 220v. Em 110v, redução de 50% a 60% na capacidade de evaporação. *Não testar com água

Leia mais

Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico CHEMFOS 700 A Código do produto: CF700A Página 1 de 5

Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico CHEMFOS 700 A Código do produto: CF700A Página 1 de 5 Código do produto: CF700A Página 1 de 5 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: Código do produto: Aplicação: Fornecedor: CF700A Telefone de emergência: (19) 3864-6000 FOSFATO ÁCIDO DE

Leia mais

Rua Manoel Joaquim Filho, 303, cep.13140-000 Paulínia / SP E-mail: ceva@cevabrasil.com.br

Rua Manoel Joaquim Filho, 303, cep.13140-000 Paulínia / SP E-mail: ceva@cevabrasil.com.br Produto: TILDREN Página 1 de 5 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: Nome do Fabricante: Nome do Distribuidor: Endereço: TILDREN La Ballastiere BP 126-33501 Libourne. Ceva Saúde Animal

Leia mais

CAS Nome Químico Concentração (%) Solvente de Petróleo < 50,00 Gás Propelente < 50,00

CAS Nome Químico Concentração (%) Solvente de Petróleo < 50,00 Gás Propelente < 50,00 Nome do Produto: Limpa Contato GT2000 Gold Inflamável 306ml/200g Página 1 de 7 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA 1.1 Nome Comercial: Limpa Contato GT2000 Gold Inflamável 306ml / 200g 1.2 Código de

Leia mais