PARTE I DO DIREITO PRIVADO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PARTE I DO DIREITO PRIVADO"

Transcrição

1 PARTE I INTRODUÇÃO ÍNDICE SISTEMÁTICO AO ESTUDO DO DIREITO PRIVADO

2 O DIREITO ÍNDICE E AS SUAS FONTES Objecto e plano do curso PARTE I INTRODUÇÂO AO ESTUDO DO DIREITO PRIVADO TÍTULO I O DIREITO E AS SUAS FONTES CAPÍTULO 1 - NOÇÃO DE DIREITO CAPÍTULO 2 - OS RAMOS DE DIREITO Direito público e direito privado Ramos de direito público A- Direito Constitucional B- Direito Administrativo C- Direito Fiscal D- Direito Penal E- Direito Processual Ramos de Direito Privado A- O Direito Civil e os Direitos Privados Especiais B- Direito comercial C- Direito do Trabalho D- Outros ramos de direito privado CAPÍTULO 3 - AS FONTES DE DIREITO Conceito e espécies A Lei A- Noção e espécies B- A Constituição C- Lei da Assembleia da República D- Decreto-lei do Governo E- Relação entre Lei e o Decreto-Lei F- Decretos legislativos regionais G- Regulamento Publicação da lei Vigência da Lei Aplicação da Lei no Tempo A hierarquia das Leis CAPÍTULO 4 - DIREITO COMUNITÁRIO O Estado português e o direito internacional

3 INTRODUÇÃO AO ESTUDO ÍNDICE DO DIREITO PRIVADO 4.2. As fontes de direito comunitário Aplicação e interpretação do direito comunitário Primazia do direito comunitário CAPÍTULO 5. AS NORMAS JURÍDICAS Introdução Estrutura da Norma Jurídica Características das normas jurídicas Classificação das normas jurídicas A- Normas prescritivas e normas permissivas A1-Normas sancionatórias B- Normas imperativas e normas supletivas C- Normas remissivas D- Normas não autónomas Norma jurídica e sistema jurídico A- Normas gerais e normas especiais B- Norma excepcional C- Hierarquia das normas CAPÍTULO 6. INTERPRETAÇÂO E APLICAÇÂO DO DIREITO As formas de aplicação do direito Interpretação do Direito A- A necessidade da interpretação e o seu conceito B- Finalidade da interpretação C- Elementos da Interpretação D- O Resultado da Interpretação. As lacunas CAPÍTULO 7. O DIREITO COMERCIAL E AS SUAS FONTES Fontes de direito comercial A- Ideia geral B- Direito Comercial e Constituição C- Direito comercial e direito comunitário D- O Direito Comercial e a lei ordinária E- O direito comercial e o costume F-O direito comercial e a jurisprudência A Interpretação da Lei Comercial A Integração das Lacunas da Lei Comercial Aplicação da Lei Comercial O direito comercial e os outros ramos de direito A- Direito Civil B- Direito internacional privado C - Direito Penal D - Direito Processual Civil E- O direito dos consumidores F-O direito comercial na dicotomia direito público direito privado

4 O DIREITO ÍNDICE E AS SUAS FONTES TÍTULO II NOÇÕES ELEMENTARES DE DIREITO PRIVADO CAPÍTULO 8. O DIREITO PRIVADO E AS PESSOAS Conceitos fundamentais A- Pessoa, pessoas singulares e pessoas colectivas B- Personalidade e capacidade C- Capacidade civil e capacidade comercial As pessoas humanas, os consumidores e os comerciantes em nome individual As pessoas colectivas A- Natureza B- Espécies C- Aquisição da personalidade jurídica D- Capacidade da pessoa colectiva E- Representação da pessoa colectiva F- Responsabilidade da pessoa colectiva Pessoas colectivas, consumidores e comerciantes Sociedade civil, sociedade comercial e sociedade civil sob forma comercial CAPÍTULO 9. O DIREITO PRIVADO DOS BENS Conceitos fundamentais Os bens Os direitos A- Propriedade de coisas corpóreas e propriedade intelectual B- Direitos reais C- Propriedade e os direitos reais menores D- Direitos de crédito E- Participações sociais e valores mobiliários F- Direitos da personalidade O património Conceito e funções do património O património como garantia geral dos credores A- Indivisibilidade do património. A responsabilidade ilimitada B- Patrimónios separados, responsabilidade limitada e personalidade colectiva As garantias especiais das obrigações Garantias reais A- Penhor B- Hipoteca C- Privilégios creditórios D. Direito de retenção E- Consignação de rendimentos Garantias pessoais das obrigações A- Fiança CAPÍTULO 10. FACTO JURÍDICO Noção. Facto e norma

5 INTRODUÇÃO AO ESTUDO ÍNDICE DO DIREITO PRIVADO Os factos jurídicos no Código civil O sistema. Parte geral e partes especiais O Contrato, o Negócio Jurídico, o Acto Jurídico e o Facto Jurídico O Contrato A- O regime do contrato entre a espécie e o género B-Noção de contrato C- O princípio da liberdade contratual e as suas restrições D- Força vinculativa dos contratos E- Classificações de contratos a) Contratos típicos e contratos atípicos b) Contratos formais ou solenes e não formais ou consensuais c) Contratos gratuitos e onerosos d) Contratos reais e obrigacionais F- Validade e Invalidade dos Contratos Negócios unilaterais O tempo como facto jurídico A- Prescrição B- Caducidade C- Usucapião Os factos ilícitos Os actos de comércio Noção e espécies de actos de comércio Natureza jurídica dos actos de comércio O regime jurídico dos actos de comércio CAPÍTULO 11. A TRANSMISSÃO DOS BENS Noções gerais Imóveis Móveis Direitos de crédito A- Cessão de créditos B- Transmissão de dívida C- Cessão da posição contratual Propriedade industrial, estabelecimento comercial e participações sociais Direitos da personalidade PARTE II OS OPERADORES ECONÓMICOS TÍTULO I COMERCIANTE EM NOME INDIVIDUAL CAPÍTULO 12. COMERCIANTE EM NOME INDIVIDUAL COM RESPONSABILIDADE ILIMITADA Aquisição da qualidade de comerciante A - Condições Relativas à Pessoa

6 O DIREITO ÍNDICE E AS SUAS FONTES B - Condições Relativas à Actividade a) Em nome próprio b) A título profissional A Identificação de Comerciante em Nome Individual O Registo do Comerciante em Nome Individual Responsabilidade do Comerciante em Nome Individual CAPÍTULO 13. O ESTABELECIMENTO INDIVIDUAL DE RESPONSABILIDADE LIMITADA Conceito, função e natureza jurídica Constituição do E.I.R.L O Funcionamento do E.I.R.L A- Administração B- Elaboração, fiscalização e publicação das contas C- A afectação dos resultados a) Reserva legal b) Dividendo Extinção do E.I.R.L TÍTULO II AS SOCIEDADES COMERCIAIS CAPÍTULO 14. NOÇÃO DE SOCIEDADE COMERCIAL O contrato de sociedade A comercialidade da sociedade A- Objecto comercial B- Forma comercial A personalidade jurídica O protagonismo das sociedades irregulares CAPÍTULO 15. A CONSTITUIÇÃO DA SOCIEDADE COMERCIAL A formação do acordo entre os sócios fundadores As partes contratantes A- Número de sócios B- Pessoas singulares C- Pessoas colectivas Elementos ou cláusulas do contrato Cláusulas obrigatórias gerais A - Objecto social B O tipo de sociedade C- Montante, divisão e realização do capital social D Firma da sociedade E Sede da sociedade Cláusulas obrigatórias especiais

7 INTRODUÇÃO AO ESTUDO ÍNDICE DO DIREITO PRIVADO Cláusulas obrigatórias especiais da sociedade por quotas A - Valor da quota e identificação do titular B - Realização das entradas Cláusulas obrigatórias especiais da sociedade anónima A - Capital social e acções )Valor nominal e número de acções )Transmissão das acções ) Categoria de acções ) Espécies de acções ) Capital diferido B- Emissão de obrigações C- Estrutura da administração e fiscalização I- Modelo latino II - Modelo anglo-saxónico III - Modelo germânico As cláusulas facultativas O regime da sociedade e as cláusulas facultativas Cláusulas facultativas em sociedades por quotas Cláusulas facultativas em sociedades anónimas A- Obrigações e direitos dos accionistas B- Acções e obrigações C- Assembleia geral D- Conselho de administração E- Conselho fiscal F - Comissão de auditoria G- Conselho de administração executivo H- Conselho geral e de supervisão I- Alteração do contrato J- Dissolução da sociedade A forma legal do contrato O registo comercial CAPÍTULO 16. A PERSONALIDADE JURÍDICA DA SOCIEDADE COMERCIAL Os atributos da personalidade jurídica A- Identificação B- Sede social C- Nacionalidade D- Capacidade E- Património Órgãos da pessoa colectiva Tipicidade orgânica Sociedade por quotas Sociedade anónima(remissão) CAPÍTULO 17. A VIDA DA SOCIEDADE COMERCIAL As regras de vida da sociedade comercial

8 O DIREITO ÍNDICE E AS SUAS FONTES A realização do objecto social A- Actos de gestão B- Actos de representação Deliberações dos sócios A- Competências B- Formas de deliberação a) Assembleia geral com convocação prévia b) Deliberações unânimes por escrito c) Assembleias universais C- Maioria D- Prova das deliberações. As actas E- Em especial, a assembleia geral previamente convocada Aprovação das contas e aplicação dos resultados Apuramento dos resultados. Aprovação das contas A- Sociedades Anónimas de modelo latino ou anglo-saxónico B- Sociedades Anónimas de modelo germânico C- Sociedades por quotas D- Recusa da aprovação E- Invalidade da deliberação Aplicação dos resultados CAPÍTULO 18. O CAPITAL SOCIAL Montante do capital social Divisão e subscrição do capital social Realização do capital A- Entradas em espécie B- Entradas em dinheiro I- Realização imediata e realização diferida II- Prova do pagamento e movimentação da conta bancária Conservação do capital social A- Princípio da intangibilidade do capital social B- Perda de metade do capital social C- Capital social e garantia dos credores Capital social e capital próprio O capital social como parte do capital próprio Prémios de emissão Reserva Legal Reservas estatutárias Reservas livres Resultados transitados Outras reservas Prestações suplementares Suprimentos e capital próprio Prestações acessórias e capital próprio O artigo 35.º e a perda de metade do capital

9 INTRODUÇÃO AO ESTUDO ÍNDICE DO DIREITO PRIVADO CAPÍTULO 19. DIREITOS E OBRIGAÇÕES DOS SÓCIOS Direitos dos sócios Direitos individuais A- Direitos individuais nas sociedades por quotas B- Direitos Individuais nas SA Direitos atribuídos apenas a accionistas titulares de certa percentagem de capital A-. Direito à informação nas sociedades anónimas B-. Direito especial na escolha de administradores C. Convocação de assembleias gerais Obrigações dos sócios Obrigações legais A- Obrigação de entrada B- Obrigação de participar nas perdas Obrigações contratuais A- Obrigação de prestações suplementares B- Suprimentos B1- Contrato de suprimento B2- Obrigação de suprimentos C- Obrigação de prestações acessórias D- Sociedade anónima e suprimentos e prestações suplementares CAPÍTULO 20. SOCIEDADES COLIGADAS Conceito Relação de simples participação Participação recíproca Relação de domínio Relação de grupo Grupo paritário Domínio total e subordinação A- Domínio total B- Contrato de subordinação CAPÍTULO 21. MODIFICAÇÕES DA SOCIEDADE Introdução.Espécies de modificações As alterações do contrato O principio da alterabilidade dos contratos de sociedade Limites à Alteração do Contrato Processo de alteração do contrato de sociedade Alterações expressamente reguladas A- aumento do capital B- redução do capital Fusão de sociedades Cisão das sociedades Transformação de sociedades

10 O DIREITO ÍNDICE E AS SUAS FONTES CAPITULO 22. A EXTINÇÃO DA SOCIEDADE O processo de extinção A dissolução da sociedade A liquidação da sociedade Partilha dos bens sociais TÍTULO III AS OBRIGAÇÕES ESPECIAIS DOS COMERCIANTES CAPÍTULO 23. REGISTO COMERCIAL Função do registo comercial Âmbito do Registo Comercial A- Sujeitos do Registo Comercial B- Actos sujeitos a registo C- Actos de Registo D- Processo de registo E- Espécies de registo. Impugnação Efeitos do registo Sanções para a falta de registo O Registo Comercial e o registo para efeitos fiscais O Registo Comercial e o Registo Nacional das Pessoas Colectivas CAPÍTULO 24. A ESCRITURAÇÃO MERCANTIL A obrigatoriedade da escrituração. Contabilidade e escrituração A contabilidade e os livros Escrituração dos livros Conservação dos livros e documentos O sigilo comercial Força probatória da escrituração mercantil Sanções para violação das regras CAPÍTULO 25. BALANÇO E CONTAS Obrigação de dar balanço Direito da contabilidade e código das sociedades comerciais Depósito e Publicação dos documentos TÍTULO IV OUTROS OPERADORES ECONÓMICOS CAPÍTULO 26. A COOPERATIVA CAPÍTULO 27. ORGANIZAÇÕES PARA A COOPERAÇÃO DE EMPRESAS Agrupamentos complementares de empresas Agrupamentos Europeus de Interesse Económico O consórcio Associação em participação

11 INTRODUÇÃO AO ESTUDO ÍNDICE DO DIREITO PRIVADO PARTE III OS BENS DO COMERCIANTE CAPÍTULO 28. INTRODUÇÃO Activo e passivo As garantias especiais das obrigações Ideia geral Da fiança comercial às garantias autónomas A função interna do património. Ordem de sequência TÍTULO I DIREITOS DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL Introdução CAPÍTULO 29. A PATENTE E OUTRAS CRIAÇÕES INDUSTRIAIS A Patente Objecto da patente Classes de patentes A- Patentes de produto, de processo e de uso B- Patente nacional, europeia e internacional Direito à patente Processo de concessão Conteúdo do direito O exercício do direito. As licenças obrigatórias A patente como objecto de negócios A- Transmissão B- Licença de exploração Extinção da patente A- Nulidade da Patente B- Anulabilidade C- Caducidade D- Renúncia E- Perda e expropriação por utilidade pública Modelos de Utilidade Modelo de utilidade e patente Objecto e requisitos Classes Processo de concessão Conteúdo do direito Exercício do direito. As licenças obrigatórias Extinção do direito Desenhos ou Modelos Noção e objecto Requisitos da concessão Direito ao desenho ou modelo Processo de registo Conteúdo do direito

12 O DIREITO ÍNDICE E AS SUAS FONTES O desenho ou modelo como objecto de negócios A-Transmissão B-Licenças contratuais Extinção do direito O desenho ou modelo comunitário CAPÍTULO 30. A MARCA E OUTROS SINAIS DISTINTIVOS Marcas Função da marca O direito à marca A aquisição do direito à marca Composição da marca Marcas proibidas A- marcas proibidas por falta de capacidade distintiva A-1. Marcas descritivas A-2. Marcas genéricas A-3. Marcas constituídas pela forma necessária A-4. Marcas constituídas exclusivamente por cores B- marcas proibidas: marca enganosa C- marca proibida por indisponibilidade do sinal C-1. Indisponibildade absoluta C-2. Indisponibilidade relativa Âmbito de protecção A- duração B- o princípio da especialidade C-o princípio do esgotamento da marca A marca como objecto de negócios A- transmissão da marca B- licenças contratuais Extinção do direito à marca A- nulidade B- anulação C- caducidade D- renúncia Recompensas Denominações de origem e indicações geográficas Noção A- Denominação de origem B-Indicações geográficas Propriedade e uso Demarcação regional Processo de registo Conteúdo e duração do direito Extinção do direito Logótipos

13 INTRODUÇÃO AO ESTUDO ÍNDICE DO DIREITO PRIVADO TÍTULO II O ESTABELECIMENTO COMERCIAL CAPÍTULO 31. O ESTABELECIMENTO COMERCIAL Noção e elementos O aviamento e a clientela Estabelecimento e realidades afins O Direito de Estabelecimento na CE Espécies de estabelecimento comercial Os Centros Comercias Regime jurídico do Estabelecimento Comercial A- Trespasse do Estabelecimento Comercial B- Cessão da Exploração de Estabelecimento Comercial Natureza jurídica do Estabelecimento A- O problema B- Doutrina da universalidade C- Doutrina do bem imaterial ou coisa incorpórea D- O Estabelecimento Comercial é um objecto de negócios TÍTULO III A MOBILIZAÇÃO DO PATRIMÓNIO CAPÍTULO 32. A CIRCULAÇÃO DOS CRÉDITOS Dos créditos aos valores mobiliários A Letra As funções da letra A Criação da letra O aceite da letra Pagamento da letra A circulação da letra. O endosso O aval Responsabilidade do sacador e dos endossantes Protesto da letra Responsabilidade solidária dos obrigados cambiários PARTE IV ACTIVIDADE COMERCIAL TÍTULO I CONTRATOS COMERCIAIS CAPÍTULO 33. INTRODUÇÃO Razão de ordem. Sistematização Elementos do Contrato Elementos comuns Elementos Específicos

14 O DIREITO ÍNDICE E AS SUAS FONTES Formação do Contrato Efeitos jurídicos TÍTULO II CONTRATOS DE AQUSIÇÃO DE DIREITOS SOBRE COISAS CAPÍTULO 34. COMPRA E VENDA Noção e figuras afins Modalidades e regime jurídico Objecto Efeitos A reserva de propriedade Forma O registo da aquisição do direito CAPÍTULO 35. CONTRATO-PROMESSA DE COMPRA E VENDA COM EFICÁCIA REAL Noção Efeitos jurídicos Efeitos patrimoniais Forma e regime CAPÍTULO 36. LOCAÇÃO Noção, espécies e natureza Efeitos jurídicos Efeitos patrimoniais O sistema legal Forma A extinção do contrato CAPÍTULO 37. LOCAÇÃO FINANCEIRA (LEASING) TÍTULO III CONTRATOS DE FINANCIAMENTO DA ACTIVIDADE CAPÍTULO 38. CONTRATO DE EMPRÉSTIMO Mútuo civil Empréstimo mercantil CAPÍTULO 39. A CESSÃO DE CRÉDITOS CAPÍTULO 40. «O FACTORING»

15 INTRODUÇÃO AO ESTUDO ÍNDICE DO DIREITO PRIVADO TÍTULO IV CONTRATOS DE DISTRIBUIÇÃO CAPÍTULO 41. O CONTRATO DE AGÊNCIA Noção Natureza Modalidades A- com ou sem poderes de representação B- com ou sem exclusivo Cessação do contrato A- causas B- efeitos especiais CAPÍTULO 42. O CONTRATO DE CONCESSÃO COMERCIAL Noção Natureza CAPÍTULO 43. CONTRATO DE RANCHISING Noção Natureza Cláusulas típicas Extinção TÍTULO V RESPONSABILIDADE CIVIL CAPÍTULO 44. RESPONSABILIDADE CIVIL PARTE V O MERCADO E O DIREITO DA CONCORRÊNCIA TÍTULO I CONTRATOS COMERCIAIS CAPÍTULO 45. PROIBIÇÃO DAS COLIGAÇÕES DE EMPRESAS CAPÍTULO 46. A PROIBIÇÃO DO ABUSO DA POSIÇÃO DOMINANTE CAPÍTULO 47. FISCALIZAÇÃO DAS CONCENTRAÇÕES DE EMPRESAS CAPÍTULO 48. REGIME DE AJUDAS ESTATAIS CONCLUSÃO

ÍNDICE. Preâmbulo... 7 Nota à l O." edição 9 Abreviaturas TÍTULO

ÍNDICE. Preâmbulo... 7 Nota à l O. edição 9 Abreviaturas TÍTULO ÍNDICE Preâmbulo... 7 Nota à l O." edição 9 Abreviaturas 1J TÍTULO INTRODUÇÃO I GERAL l. Algumas noções sobre o objecto da disciplina 13 2. Escorço histórico do direito comercial 15 3. O presente e o futuro

Leia mais

Nota do autor, xv. 6 Nome Empresarial, 48 6.1 Conceito e função do nome empresarial, 48 6.2 O nome do empresário individual, 49

Nota do autor, xv. 6 Nome Empresarial, 48 6.1 Conceito e função do nome empresarial, 48 6.2 O nome do empresário individual, 49 Nota do autor, xv Parte I - Teoria Geral da Empresa, 1 1 Introdução ao Direito de Empresa, 3 1.1 Considerações gerais, 3 1.2 Escorço histórico: do direito comercial ao direito de empresa, 4 1.3 Fontes

Leia mais

Contrato que transmite propriedade de algo por um preço sem fins lucrativos

Contrato que transmite propriedade de algo por um preço sem fins lucrativos Acto Acto Civil Contrato que transmite propriedade de algo por um preço sem fins lucrativos Importancia do registo comercial na constituição do registo comercial Art. 874 e ss C. Civ Acto Comercial Contrato

Leia mais

Sumário APRESENTAÇÃO... 15

Sumário APRESENTAÇÃO... 15 Sumário APRESENTAÇÃO... 15 Capítulo 1 DIREITO EMPRESARIAL... 17 1. Evolução histórica... 17 2. Evolução do Direito Comercial no Brasil... 18 3. Fontes... 21 4. Conceito e autonomia... 22 5. Questões...

Leia mais

Nota do autor, xix. 5 Dissolução e liquidação, 77 1 Resolução da sociedade em relação a um sócio, 77

Nota do autor, xix. 5 Dissolução e liquidação, 77 1 Resolução da sociedade em relação a um sócio, 77 Nota do autor, xix 1 Empresa, 1 1 Empreender, 1 2 Noções históricas, 2 3 Teoria da empresa, 3 4 Registro, 8 4.1 Redesim, 10 4.2 Usos e práticas mercantis, 14 4.3 Empresário rural, 15 5 Firma individual,

Leia mais

PASSAPORTE PARA ANGOLA

PASSAPORTE PARA ANGOLA PASSAPORTE PARA ANGOLA Susana Almeida Brandão 27 de Maio 2011 VEÍCULOS DE INVESTIMENTO Veículos de Investimento Sociedade comercial angolana Sucursal de sociedade estrangeira SOCIEDADES POR QUOTAS vs SOCIEDADES

Leia mais

SUGESTÃO PARA O DESENVOLVIMENTO PROGRAMA DE ENSINO DE DIREITO COMERCIAL. Da especificação dos temas do programa proposto para o Semestre (único)

SUGESTÃO PARA O DESENVOLVIMENTO PROGRAMA DE ENSINO DE DIREITO COMERCIAL. Da especificação dos temas do programa proposto para o Semestre (único) Carga Horária Período Semestre (único) SUGESTÃO PARA O DESENVOLVIMENTO PROGRAMA DE ENSINO DE DIREITO COMERCIAL Da especificação dos temas do programa proposto para o Semestre (único) A dicotomia do Direito

Leia mais

Outros actos que têm de ser registados no Registo Comercial

Outros actos que têm de ser registados no Registo Comercial Outros actos que têm de ser registados no Registo Comercial A maior parte das alterações que ocorrem na vida de uma empresa têm de ser registadas no Registo Comercial. O registo comercial destina-se a

Leia mais

Programa da disciplina de Direito Comercial I

Programa da disciplina de Direito Comercial I Universidade de Macau Faculdade de Direito Ano lectivo 2010/2011 Programa da disciplina de Direito Comercial I Regente: Mestre Augusto Teixeira Garcia Assistente: Mestre Miguel Quental Programa da disciplina

Leia mais

Conceito de Empresário

Conceito de Empresário Conceito de Empresário Requisitos (Art. 966,caput,CC): a) Profissionalismo; b) Atividade Econômica; c) Organização; d) Produção/Circulação de bens/serviços; Não Empresário Requisitos (Art. 966, único,

Leia mais

INDICE DO VOL. I. Págs. Prefácio... 7 Nota introdutória... 9 Abreviaturas e siglas... 13

INDICE DO VOL. I. Págs. Prefácio... 7 Nota introdutória... 9 Abreviaturas e siglas... 13 INDICE DO VOL. I Prefácio... 7 Nota introdutória... 9 Abreviaturas e siglas... 13 A Abandono da obra... 19 Abertura de conta... 30 Abertura de crédito... 43 Abertura de crédito documentário... 52 Abuso

Leia mais

Assim, integram a Categoria E os rendimentos de capitais, enumerados no artigo 5.º do CIRS.

Assim, integram a Categoria E os rendimentos de capitais, enumerados no artigo 5.º do CIRS. CATEGORIA E RENDIMENTOS DE CAPITAIS Definem-se rendimentos de capitais, todos os frutos e demais vantagens económicas, qualquer que seja a sua natureza ou denominação, pecuniários ou em espécie, procedentes,

Leia mais

ESTABELECIMENTO DE EMPRESAS EM MOÇAMBIQUE

ESTABELECIMENTO DE EMPRESAS EM MOÇAMBIQUE ESTABELECIMENTO DE EMPRESAS EM MOÇAMBIQUE Edição Online e coordenação técnica: Icep Portugal/Unidade Conhecimento de Mercado Actualização: Unidade Conhecimento de Mercado Data: Julho 2004 ÍNDICE 1. Princípios

Leia mais

o comércio e o direito regulador das atividades comerciais

o comércio e o direito regulador das atividades comerciais STJ00055854 ÍNDICE SISTEMÁTICO Sumário... Do Autor........................................................... Apresentação....................................................... XI XIII XV Capitulo Primeiro

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR DE ECONOMIA E GESTÃO DIREITO EMPRESARIAL E FINANCEIRO. 2º ANO\1º Semestre - CURSO DE FINANÇAS ANO LECTIVO 2006/2007 PROGRAMA 1

INSTITUTO SUPERIOR DE ECONOMIA E GESTÃO DIREITO EMPRESARIAL E FINANCEIRO. 2º ANO\1º Semestre - CURSO DE FINANÇAS ANO LECTIVO 2006/2007 PROGRAMA 1 1 INSTITUTO SUPERIOR DE ECONOMIA E GESTÃO DIREITO EMPRESARIAL E FINANCEIRO 2º ANO\1º Semestre - CURSO DE FINANÇAS ANO LECTIVO 2006/2007 PROGRAMA 1 A EMPRESA EM GERAL I 1ª aula 1- Considerações gerais 1.1-

Leia mais

Profa. Joseane Cauduro. Unidade I DIREITO SOCIETÁRIO

Profa. Joseane Cauduro. Unidade I DIREITO SOCIETÁRIO Profa. Joseane Cauduro Unidade I DIREITO SOCIETÁRIO Introdução A unidade I aborda: empresa e empresário; formação das sociedades; tipos de sociedades. Objetivos da disciplina: apresentar aos estudantes

Leia mais

Outubro 2013 LEGAL FLASH I ANGOLA REGIME PROVISÓRIO DE CONSTITUIÇÃO E TRANSFORMAÇÃO DE SOCIEDADES COMERCIAIS UNIPESSOAIS LEGISLAÇÃO EM DESTAQUE 4

Outubro 2013 LEGAL FLASH I ANGOLA REGIME PROVISÓRIO DE CONSTITUIÇÃO E TRANSFORMAÇÃO DE SOCIEDADES COMERCIAIS UNIPESSOAIS LEGISLAÇÃO EM DESTAQUE 4 LEGAL FLASH I ANGOLA Outubro 2013 LEGAL FLASH I ANGOLA REGIME PROVISÓRIO DE CONSTITUIÇÃO E TRANSFORMAÇÃO DE SOCIEDADES COMERCIAIS UNIPESSOAIS 2 LEGISLAÇÃO EM DESTAQUE 4 I. REGIME PROVISÓRIO DE CONSTITUIÇÃO

Leia mais

PLANO DE ENSINO EMENTA Visão teórica, e tanto quanto possível prática, dos principais temas relacionados à introdução ao estudo do Direito Comercial.

PLANO DE ENSINO EMENTA Visão teórica, e tanto quanto possível prática, dos principais temas relacionados à introdução ao estudo do Direito Comercial. Faculdade de Direito Milton Campos Disciplina: Direito Empresarial I Curso: Direito Carga Horária: 64 Departamento: Direito Empresarial Área: Privado PLANO DE ENSINO EMENTA Visão teórica, e tanto quanto

Leia mais

A APLICAÇÃO DE CAPITAIS, IMPOSTO DO SELO E IMPOSTO DE CONSUMOC

A APLICAÇÃO DE CAPITAIS, IMPOSTO DO SELO E IMPOSTO DE CONSUMOC REFORMA FISCAL: IMPOSTO SOBRE A APLICAÇÃO DE CAPITAIS, IMPOSTO DO SELO E IMPOSTO DE CONSUMOC MARÇO 2012 Integrado na reforma fiscal que está em curso, a Imprensa Nacional disponibilizou recentemente o

Leia mais

SECÇÃO PRIMEIRA ASSEMBLEIA GERAL ARTIGO QUINTO (CONSTITUIÇÃO DA ASSEMBLEIA GERAL)

SECÇÃO PRIMEIRA ASSEMBLEIA GERAL ARTIGO QUINTO (CONSTITUIÇÃO DA ASSEMBLEIA GERAL) ESTATUTOS DA ISA INTELLIGENT SENSING ANYWHERE, S.A. CAPÍTULO PRIMEIRO DENOMINAÇÃO, DURAÇÃO, SEDE E OBJECTO ARTIGO PRIMEIRO (DENOMINAÇÃO, DURAÇÃO E SEDE) A sociedade, constituída sob a forma de sociedade

Leia mais

Albufeira, 18 de abril de 2012 Formalidades para a Constituição de Empresas

Albufeira, 18 de abril de 2012 Formalidades para a Constituição de Empresas Albufeira, 18 de abril de 2012 Formalidades para a Constituição de Empresas Quem Somos O Balcão do Empreendedor, presencial e eletrónico oferece às empresas um ponto único de contacto com a Administração

Leia mais

CONSEST, promoção imobiliária, S.A.

CONSEST, promoção imobiliária, S.A. CONSEST, promoção imobiliária, S.A. CAPITULO I Denominação, objecto e sede social Artigo 1º Denominação e sede 1. A Sociedade adopta a firma CONSEST Promoção Imobiliária, S.A., e tem sede na Av. Defensores

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular DIREITO COMERCIAL DA EMPRESA Ano Lectivo 2014/2015

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular DIREITO COMERCIAL DA EMPRESA Ano Lectivo 2014/2015 Programa da Unidade Curricular DIREITO COMERCIAL DA EMPRESA Ano Lectivo 2014/2015 1. Unidade Orgânica Direito (1º Ciclo) 2. Curso Direito 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular DIREITO COMERCIAL

Leia mais

Código das Sociedades Comerciais

Código das Sociedades Comerciais Código das Sociedades Comerciais - 1 Código das Sociedades Comerciais Decreto-Lei n.º 262/86 de 2 de Setembro Actualizado de acordo com as alterações introduzidas pelos: Decreto-Lei n.º 184/87, de 21 de

Leia mais

SOCIEDADES COMERCIAIS

SOCIEDADES COMERCIAIS Legislação Societária / Direito Comercial Profª Mestre Ideli Raimundo Di Tizio p 11 SOCIEDADES COMERCIAIS Sociedade comercial é a pessoa jurídica de direito privado, nãoestatal, que tem por objeto social

Leia mais

DIREITO EMPRESARIAL PONTO I

DIREITO EMPRESARIAL PONTO I DIREITO EMPRESARIAL PONTO I a) Objeto, fontes e autonomia do Direito Empresarial. O Direito de Empresa no novo Código Civil. Perfis da empresa. A empresa e a livre iniciativa. Limites ao exercício da empresa.

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ UNIDADE VII CIÊNCIAS CONTÁBEIS TEMA: SOCIEDADE LIMITADA PROFª: PAOLA SANTOS SOCIEDADE LIMITADA

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ UNIDADE VII CIÊNCIAS CONTÁBEIS TEMA: SOCIEDADE LIMITADA PROFª: PAOLA SANTOS SOCIEDADE LIMITADA UNIDADE VII CIÊNCIAS CONTÁBEIS TEMA: SOCIEDADE LIMITADA PROFª: PAOLA SANTOS SOCIEDADE LIMITADA 1. LEGISLAÇÃO APLICÁVEL A sociedade limitada é o tipo societário de maior presença na economia brasileira.

Leia mais

ESTATUTO DA SOCIEDADE .. SOCIEDADE UNIPESOAL S.A.

ESTATUTO DA SOCIEDADE .. SOCIEDADE UNIPESOAL S.A. ESTATUTO DA SOCIEDADE.. SOCIEDADE UNIPESOAL S.A. CAPÍTULO I Da Firma, Tipo, Sede, Duração e Objecto Social ARTIGO 1.º (Natureza jurídica, denominação e duração) A sociedade adopta o tipo de sociedade anónima

Leia mais

ÍNDICE. Alguns estudos do autor... Prefácio...

ÍNDICE. Alguns estudos do autor... Prefácio... ÍNDICE Alguns estudos do autor................... Prefácio..................................... 5 11 Capítulo I - CONCEITO DE DIREITO TRIBUTÁRIO 1. Direito financeiro e direito tributário........ 23 2.

Leia mais

EMPRÉSTIMO OBRIGACIONISTA GALP ENERGIA 2013/2018 FICHA TÉCNICA. Galp Energia, SGPS, S.A. Euro. 100.000 (cem mil euros) por Obrigação.

EMPRÉSTIMO OBRIGACIONISTA GALP ENERGIA 2013/2018 FICHA TÉCNICA. Galp Energia, SGPS, S.A. Euro. 100.000 (cem mil euros) por Obrigação. EMPRÉSTIMO OBRIGACIONISTA GALP ENERGIA 2013/2018 FICHA TÉCNICA ENTIDADE EMITENTE: MODALIDADE: MOEDA: MONTANTE DA EMISSÃO: REPRESENTAÇÃO: VALOR NOMINAL: PREÇO DE SUBSCRIÇÃO: Galp Energia, SGPS, S.A. Emissão

Leia mais

EMENTA: DIREITO EMPRESARIAL: empresa, espécies, divisão. Empresário. Atos de empresário. Sociedades empresariais.

EMENTA: DIREITO EMPRESARIAL: empresa, espécies, divisão. Empresário. Atos de empresário. Sociedades empresariais. AULA XI CIÊNCIAS CONTÁBEIS TEMA: DIREITO PRIVADO: EMPRESARIAL PROFª: PAOLA JULIEN O. SANTOS CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ EMENTA: DIREITO EMPRESARIAL: empresa, espécies, divisão. Empresário. Atos

Leia mais

Publicado no Diário da República, I série nº 79, de 28 de Abril. Decreto Presidencial N.º 95/11 de 28 de Abril

Publicado no Diário da República, I série nº 79, de 28 de Abril. Decreto Presidencial N.º 95/11 de 28 de Abril Publicado no Diário da República, I série nº 79, de 28 de Abril Decreto Presidencial N.º 95/11 de 28 de Abril O quadro jurídico-legal Geral das Instituições Financeiras, aprovado pela Lei n.º 13/05, de

Leia mais

Decreto-Lei n.º 36/1992 de 28/03 - Série I-A nº74

Decreto-Lei n.º 36/1992 de 28/03 - Série I-A nº74 Alterado pelo DL 36/92 28/03 Estabelece o regime da consolidação de contas de algumas instituições financeiras A Directiva do Conselho n.º 86/635/CEE, de 8 de Dezembro de 1986, procedeu à harmonização

Leia mais

TEORIA GERAL DO DIREITO EMPRESARIAL

TEORIA GERAL DO DIREITO EMPRESARIAL Direito Societário É subárea do direito empresarial que disciplina a forma de exercício coletivo de atividade econômica empresária; Importante observação sobre as questões da primeira fase da OAB: 25%

Leia mais

Índice Geral. Índices ACTUALIZADO Índice Geral ACTUALIZADO Índice de Minutas ACTUALIZADO. Informações Actuais Links Úteis

Índice Geral. Índices ACTUALIZADO Índice Geral ACTUALIZADO Índice de Minutas ACTUALIZADO. Informações Actuais Links Úteis Índice Geral Índices ACTUALIZADO Índice Geral ACTUALIZADO Índice de Minutas ACTUALIZADO Informações Actuais Links Úteis Agência Nacional de Compras Públicas Assembleia da República Associação Portuguesa

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular OPÇÃO I - GARANTIAS CIVIS E COMERCIAIS Ano Lectivo 2013/2014

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular OPÇÃO I - GARANTIAS CIVIS E COMERCIAIS Ano Lectivo 2013/2014 Programa da Unidade Curricular OPÇÃO I - GARANTIAS CIVIS E COMERCIAIS Ano Lectivo 2013/2014 1. Unidade Orgânica Direito (2º Ciclo) 2. Curso Mestrado em Direito 3. Ciclo de Estudos 2º 4. Unidade Curricular

Leia mais

Estatutos da Sociedade de Transportes Colectivos do Porto, S.A.

Estatutos da Sociedade de Transportes Colectivos do Porto, S.A. Estatutos da Sociedade de Transportes Colectivos do Porto, S.A. CAPÍTULO I Denominação, duração, sede e objecto Artigo 1º Denominação e duração 1 - A sociedade adopta a forma de sociedade anónima e a denominação

Leia mais

CONTRATO DE SOCIEDADE DA TOMÁS TIMBANE E ASSOCIADOS ADVOGADOS SOCIEDADE UNIPESSOAL, LDA

CONTRATO DE SOCIEDADE DA TOMÁS TIMBANE E ASSOCIADOS ADVOGADOS SOCIEDADE UNIPESSOAL, LDA CONTRATO DE SOCIEDADE DA TOMÁS TIMBANE E ASSOCIADOS ADVOGADOS SOCIEDADE UNIPESSOAL, LDA CAPÍTULO I FIRMA, OBJECTO SOCIAL E SEDE ARTIGO PRIMEIRO (Firma) Um) A Sociedade é constituída sob a forma de sociedade

Leia mais

QUE OPERAÇÕES PAGAM IMPOSTO DO SELO ISENÇÕES. Quem está isento? Que operações estão isentas?

QUE OPERAÇÕES PAGAM IMPOSTO DO SELO ISENÇÕES. Quem está isento? Que operações estão isentas? QUE OPERAÇÕES PAGAM IMPOSTO DO SELO ISENÇÕES Quem está isento? Que operações estão isentas? QUEM TEM QUE PAGAR O IMPOSTO DO SELO VALOR TRIBUTÁVEL DOS IMÓVEIS QUANDO É DEVIDO O PAGAMENTO? TAXAS Verba da

Leia mais

FORMALIDADES PARA CRIAÇÃO DE EMPRESAS TIPOS DE SOCIEDADES

FORMALIDADES PARA CRIAÇÃO DE EMPRESAS TIPOS DE SOCIEDADES Associação Nacional de Jovens Empresários APOIO JURÍDICO FORMALIDADES PARA CRIAÇÃO DE EMPRESAS TIPOS DE SOCIEDADES ANJE - Associação Nacional de Jovens Empresários Casa do Farol Rua Paulo Gama s/n 4169-006

Leia mais

LISGRÁFICA, Impressão e Artes Gráficas, SA

LISGRÁFICA, Impressão e Artes Gráficas, SA LISGRÁFICA, Impressão e Artes Gráficas, SA ESTATUTOS CAPÍTULO I Denominação, Sede e Objecto Artigo 1º Denominação A sociedade continua a sua existência e actividade sob a denominação Lisgráfica-Impressão

Leia mais

DISSOLUÇÃO E LIQUIDAÇÃO DE SOCIEDADES

DISSOLUÇÃO E LIQUIDAÇÃO DE SOCIEDADES DISSOLUÇÃO E LIQUIDAÇÃO DE SOCIEDADES Perspectiva Contabilística e Fiscal Fases DISSOLUÇÃO LIQUIDAÇÃO PARTILHA Formalidades da Dissolução A dissolução deve obedecer a uma das seguintes formas: Por escritura

Leia mais

DIREITO EMPRESARIAL MANUAL TEÓRICO E PRÁTICO

DIREITO EMPRESARIAL MANUAL TEÓRICO E PRÁTICO SUHEL SARHAN JÚNIOR DIREITO EMPRESARIAL MANUAL TEÓRICO E PRÁTICO Obra para alunos da graduação, profissionais do Direito, Exame da OAB/FGV (1 9 e 2 9 fase) e Concursos Públicos. SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 1-1.,\-

Leia mais

Manuel Fonseca. constituição jurídica das sociedades

Manuel Fonseca. constituição jurídica das sociedades Manuel Fonseca constituição jurídica das sociedades José Serrano constituição jurídica das sociedades Antes de iniciar um projecto, qualquer potencial empresário deve ponderar sobre o tipo de empresa que

Leia mais

Contratos de Prestação de Serviços Minutas de Contratos Actualizado

Contratos de Prestação de Serviços Minutas de Contratos Actualizado Índice de Minutas Contratos em Especial Actualizado Contrato de Compra e Venda de Prédio Urbano Contrato de Compra e Venda de Fracção Autónoma Exemplo 1 Contrato de Compra e Venda de Fracção Autónoma Exemplo

Leia mais

Sítio de Sons Associação Cultural

Sítio de Sons Associação Cultural Sítio de Sons Associação Cultural Estatutos * CAPÍTULO PRIMEIRO (Da denominação, sede, objecto e afins) Artigo primeiro (Da denominação, natureza jurídica, lei aplicável e duração) UM A Associação adopta

Leia mais

Provas escritas individuais ou provas escritas individuais e trabalho(s)

Provas escritas individuais ou provas escritas individuais e trabalho(s) Programa de DIREITO CIVIL II 3º período: 80h/a Aula: Teórica EMENTA Direito das obrigações. Obrigação. Obrigações de dar. Obrigações de fazer. Obrigações de não fazer. Obrigações alternativas. Obrigações

Leia mais

DIREITO SOCIETÁRIO. Sociedades não personificadas

DIREITO SOCIETÁRIO. Sociedades não personificadas DIREITO SOCIETÁRIO As sociedades são classificadas como simples ou empresárias (art. 982, CC). As sociedades empresárias têm por objeto o exercício da empresa: as sociedades simples exercem uma atividade

Leia mais

Publicado no Diário da República n.º 22, I série, de 2 de Fevereiro. Decreto Presidencial n.º 28/11 de 2 de Fevereiro

Publicado no Diário da República n.º 22, I série, de 2 de Fevereiro. Decreto Presidencial n.º 28/11 de 2 de Fevereiro Publicado no Diário da República n.º 22, I série, de 2 de Fevereiro Decreto Presidencial n.º 28/11 de 2 de Fevereiro Considerando que o Executivo tem vindo a atribuir maior importância à renovação do sistema

Leia mais

Teoria geral do direito civil

Teoria geral do direito civil luís a. carvalho fernandes Professor Jubilado da Faculdade de Direito da Universidade Católica Portuguesa Teoria geral do direito civil VOL. II fontes, conteúdo e garantia da relação jurídica 5.ª edição

Leia mais

SIMPLIFICAÇÃO DO PROCESSO DE CONSTITUIÇÃO DE SOCIEDADES COMERCIAIS EM ANGOLA

SIMPLIFICAÇÃO DO PROCESSO DE CONSTITUIÇÃO DE SOCIEDADES COMERCIAIS EM ANGOLA SIMPLIFICAÇÃO DO PROCESSO DE CONSTITUIÇÃO DE SOCIEDADES COMERCIAIS EM ANGOLA Sofia Vale Julho de 2015 No dia 17 de Junho de 2015 foi publicada no Diário da República a Lei da Simplificação do Processo

Leia mais

LEGISLAÇÕES/2013 ÁREA BANCÁRIA

LEGISLAÇÕES/2013 ÁREA BANCÁRIA LEGISLAÇÕES/2013 ÁREA BANCÁRIA Lei nº 27/VIII/2013, de 21/01/2013- Estabelece Medidas de Natureza Preventiva e Repressiva Contra o Terrorismo e o seu Financiamento e Proceder à primeira Alteração ao Código

Leia mais

DIREITO CONTRATUAL. Uma proposta de ensino aos acadêmicos de Direito. EDITORA LTr SÃO PAULO. 347.44(81) K39d

DIREITO CONTRATUAL. Uma proposta de ensino aos acadêmicos de Direito. EDITORA LTr SÃO PAULO. 347.44(81) K39d GILBERTO KERBER Professor e advogado. Mestre em Direito pela Universidade Federal de Santa Catarina. Professor do Curso de Graduação e de Pós-Graduação de Direito da Universidade Regional Integrada do

Leia mais

ÁREA DE CONCENTRAÇÃO: DIREITO CIVIL E DIREITO PROCESSUAL CIVIL PONTOS DA PROVA ESCRITA

ÁREA DE CONCENTRAÇÃO: DIREITO CIVIL E DIREITO PROCESSUAL CIVIL PONTOS DA PROVA ESCRITA Estágio Supervisionado I (Prática Processual Civil) Processual Civil II Processual Civil I Civil VI Civil V Civil IV Civil III Civil I ÁREA DE CONCENTRAÇÃO: DIREITO CIVIL E DIREITO PROCESSUAL CIVIL Pessoa

Leia mais

Contabilidade Financeira II 2008/2009

Contabilidade Financeira II 2008/2009 Contabilidade Financeira II 2008/2009 Capital Próprio CAPITAL PRÓPRIO Conceitos Gerais Aplicação de resultados Valor nominal, contabilístico e de mercado Demonstração das Alterações do C.P. Aumentos de

Leia mais

AVISO Nº. 05/98 DE 30 DE NOVEMBRO. Havendo necessidade de se actualizarem as regras de constituição e funcionamento das Casas de Câmbio;

AVISO Nº. 05/98 DE 30 DE NOVEMBRO. Havendo necessidade de se actualizarem as regras de constituição e funcionamento das Casas de Câmbio; AVISO Nº. 05/98 DE 30 DE NOVEMBRO Havendo necessidade de se actualizarem as regras de constituição e funcionamento das Casas de Câmbio; No uso da competência que é atribuída pelo artigo 580 da Lei nº.

Leia mais

Extinção da empresa por vontade dos sócios

Extinção da empresa por vontade dos sócios Extinção da empresa por vontade dos sócios A dissolução de uma sociedade por deliberação dos sócios pode fazer-se de várias formas, designadamente de forma imediata, com liquidação simultânea, com partilha,

Leia mais

RESUMO. A responsabilidade da sociedade é sempre ilimitada, mas a responsabilidade de cada sócio é restrita ao valor de suas quotas.

RESUMO. A responsabilidade da sociedade é sempre ilimitada, mas a responsabilidade de cada sócio é restrita ao valor de suas quotas. RESUMO 1)Sociedade Limitada Continuação 1.1) Responsabilidade do sócio dentro da sociedade limitada. A responsabilidade da sociedade é sempre ilimitada, mas a responsabilidade de cada sócio é restrita

Leia mais

ZON MULTIMÉDIA SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES E MULTIMÉDIA, SGPS, S.A.

ZON MULTIMÉDIA SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES E MULTIMÉDIA, SGPS, S.A. ZON MULTIMÉDIA SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES E MULTIMÉDIA, SGPS, S.A. Assembleia Geral de Obrigacionistas de 21 de fevereiro de 2013 Emissão de 3.150 Obrigações Escriturais, ao portador, com valor nominal

Leia mais

Secção II 1* Fundos e sociedades de investimento imobiliário para arrendamento habitacional

Secção II 1* Fundos e sociedades de investimento imobiliário para arrendamento habitacional Secção II 1* Fundos e sociedades de investimento imobiliário para arrendamento habitacional Artigo 102.º Objecto É aprovado o regime especial aplicável aos fundos de investimento imobiliário para arrendamento

Leia mais

PLANO/ ACORDO DE RECUPERAÇÃO

PLANO/ ACORDO DE RECUPERAÇÃO CONFERÊNCIA PLANO/ ACORDO DE RECUPERAÇÃO A. Raposo Subtil FINALIDADE DOS PLANOS/ ACORDOS PROCESSO DE INSOLVÊNCIA Art. 1º, do CIRE - Lei nº 16/2012, de 20-04 ( ) satisfação dos credores pela forma prevista

Leia mais

1. Activos Fixos Intangíveis (IAS 38) 2. Propriedades de Investimento (IAS 40)

1. Activos Fixos Intangíveis (IAS 38) 2. Propriedades de Investimento (IAS 40) AULA 08 1. Activos Fixos Intangíveis (IAS 38) 2. Propriedades de Investimento (IAS 40) 3. Capital Próprio - Contabilidade Financeira II 2007/ 2008 2º Semestre 1 Activos Fixos Intangíveis Activo intangível:

Leia mais

EMENTÁRIO Curso: Direito Disciplina: DIREITO EMPRESARIAL II Período: 4 Período. Carga Horária: 72H/a: EMENTA

EMENTÁRIO Curso: Direito Disciplina: DIREITO EMPRESARIAL II Período: 4 Período. Carga Horária: 72H/a: EMENTA EMENTÁRIO Curso: Direito Disciplina: DIREITO EMPRESARIAL II Período: 4 Período Carga Horária: 72H/a: EMENTA A disciplina busca introduzir o aluno no âmbito do direito societário: abordando a sua evolução

Leia mais

Legislação Instrumental. Aula 1. Legislação Aplicada à Logística. Legislação Aplicada à Logística Aula 1. Contextualização. Prof.

Legislação Instrumental. Aula 1. Legislação Aplicada à Logística. Legislação Aplicada à Logística Aula 1. Contextualização. Prof. Legislação Instrumental Aula 1 Prof. Guilherme Amintas Legislação Aplicada à Logística Tópicos desta disciplina por aula Aula 1 noções de Direito Aula 2 Direito Constitucional Aula 3 Direito Empresarial

Leia mais

UFRJ/FND Monitoria 2013/2014 CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DE DISCIPLINAS DO DEPARTAMENTO DE DIREITO CIVIL. Direito Internacional Privado I

UFRJ/FND Monitoria 2013/2014 CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DE DISCIPLINAS DO DEPARTAMENTO DE DIREITO CIVIL. Direito Internacional Privado I UFRJ/FND Monitoria 2013/2014 CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DE DISCIPLINAS DO DEPARTAMENTO DE DIREITO CIVIL Direito Internacional Privado I PONTOS: 1. Introdução ao direito internacional privado: objeto, denominação

Leia mais

Contabilidade Plano de Contas do Sistema Compensação Página : 001 Governo Municipal de Aquiraz

Contabilidade Plano de Contas do Sistema Compensação Página : 001 Governo Municipal de Aquiraz Plano de Contas do Sistema Compensação Página : 001 4 SISTEMA COMPENSADO 41 ATIVO COMPENSADO 419 ATIVO COMPENSADO 419.90 COMPENSAÇÕES ATIVAS DIVERSAS Funcionamento.: REPRESENTA O SOMATÓRIO DO VALOR DOS

Leia mais

Noções de Contabilidade

Noções de Contabilidade Noções de Contabilidade 1 1. Noção de Contabilidade A contabilidade é uma técnica utilizada para: registar toda a actividade de uma empresa (anotação sistemática e ordenada da qualidade e quantidade de

Leia mais

SOCIEDADE LIMITADA. Sociedade Limitada. I - responsável integralmente e ilimitadamente pelas dívidas assumidas em seu próprio nome

SOCIEDADE LIMITADA. Sociedade Limitada. I - responsável integralmente e ilimitadamente pelas dívidas assumidas em seu próprio nome Sociedade Limitada I - responsável integralmente e ilimitadamente pelas dívidas assumidas em seu próprio nome II a limitação refere-se aos sócios 2. Responsabilidade dos Sócios I - Decreto 3.708/19 (sociedade

Leia mais

Decreto-Lei n.º 15/83/M. de 26 de Fevereiro

Decreto-Lei n.º 15/83/M. de 26 de Fevereiro Decreto-Lei n.º 15/83/M de 26 de Fevereiro O Decreto-Lei n.º 35/82/M, de 3 de Agosto, ao regular o sistema de crédito e a estrutura financeira do Território, introduziu modificações importantes na organização

Leia mais

CONTRATO SOCIAL ARTIGO PRIMEIRO

CONTRATO SOCIAL ARTIGO PRIMEIRO MINUTA DE PACTO SOCIAL DE SOCIEDADE DE ADVOGADOS CONTRATO SOCIAL ARTIGO PRIMEIRO Denominação, Sede Social e Duração Um A Sociedade adopta a denominação M., sociedade de advogados & associados, RL, e tem

Leia mais

PLANO DE ENSINO. TEORIA GERAL DO DIREITO PRIVADO - Noturno Código 50010 Créditos: 4 Pré-requisitos --

PLANO DE ENSINO. TEORIA GERAL DO DIREITO PRIVADO - Noturno Código 50010 Créditos: 4 Pré-requisitos -- PLANO DE ENSINO 1. IDENTIFICAÇÃO: Faculdade: FACITEC Curso: DIREITO Disciplina: TEORIA GERAL DO DIREITO PRIVADO - Noturno Código 50010 Créditos: 4 Pré-requisitos -- 2. EMENTA: Princípios fundamentais:

Leia mais

Curso. Engenharia. Código GH2

Curso. Engenharia. Código GH2 Departamento Curso Formação Geral Engenharia Disciplina Código Engenharia Legal GH2 Docentes Alexandre Belmonte Siphone (Prof. Responsável) Leonardo Henriques da Silva Matéria Ciências Humanas Carga Horária

Leia mais

AULA 04 QUAL O MELHOR TIPO SOCIETÁRIO PARA SEGURANÇA DOS SÓCIOS? SOCIEDADES PERSONIFICADAS EMPRESÁRIAS SOCIEDADES PERSONIFICADAS OBJETO

AULA 04 QUAL O MELHOR TIPO SOCIETÁRIO PARA SEGURANÇA DOS SÓCIOS? SOCIEDADES PERSONIFICADAS EMPRESÁRIAS SOCIEDADES PERSONIFICADAS OBJETO SOCIEDADES PERSONIFICADAS AULA 04 4.1 TIPOS SOCIETÁRIOS REGISTRO CIVIL DE PESSOAS JURÍDICAS OBJETO REGISTRO PÚBLICO EMPRESAS MERCANTIS SOCIEDADES PERSONIFICADAS EMPRESÁRIAS QUAL O MELHOR TIPO SOCIETÁRIO

Leia mais

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM CONTABILIDADE E FISCALIDADE COM OPÇÃO DE SIMULAÇÃO EMPRESARIAL

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM CONTABILIDADE E FISCALIDADE COM OPÇÃO DE SIMULAÇÃO EMPRESARIAL CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM CONTABILIDADE E FISCALIDADE COM OPÇÃO DE SIMULAÇÃO EMPRESARIAL As exigências e complexidade crescentes com que se deparam as empresas e organizações em geral, requerem da parte

Leia mais

1. Aproximação descritiva ao sistema mobiliário

1. Aproximação descritiva ao sistema mobiliário Mestrado: Forense Disciplina: Mercado de Capitais Docente: Fátima Gomes Ano lectivo: 2009-2010 Semestre: 1º semestre (1ª parte) 1. Programa da disciplina: 1. INTRODUÇÃO O MERCADO DE CAPITAIS E O DIREITO

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE ENGENHARIA QUÍMICA CURSO DE ENGENHARIA QUÍMICA FICHA DE DISCIPLINA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE ENGENHARIA QUÍMICA CURSO DE ENGENHARIA QUÍMICA FICHA DE DISCIPLINA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE ENGENHARIA QUÍMICA CURSO DE ENGENHARIA QUÍMICA FICHA DE DISCIPLINA DISCIPLINA: TÓPICOS ESPECIAIS EM LEGISLAÇÃO AMBIENTAL: Engenharia Química CÓDIGO: GEQ

Leia mais

Questão 1. Sobre a ação de responsabilidade prevista no art. 159 da Lei das Sociedades Anônimas e sobre a Teoria da Aparência:

Questão 1. Sobre a ação de responsabilidade prevista no art. 159 da Lei das Sociedades Anônimas e sobre a Teoria da Aparência: PROVA DAS DISCIPLINAS CORRELATAS DIREITO EMPRESARIAL P á g i n a 1 Questão 1. Sobre a ação de responsabilidade prevista no art. 159 da Lei das Sociedades Anônimas e sobre a Teoria da Aparência: I. A ação

Leia mais

PLANO DE ENSINO. 5. RELAÇÕES INTERDISCIPLINARES Direito constitucional, civil, processual civil, penal, processual penal.

PLANO DE ENSINO. 5. RELAÇÕES INTERDISCIPLINARES Direito constitucional, civil, processual civil, penal, processual penal. PLANO DE ENSINO 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Instituição: Universidade Alto Vale do Rio do Peixe Curso: Direito Professores: Evandro Muniz Período/ Fase: 9ª Semestre: 2º Ano: 2013 Disciplina: Direito empresarial

Leia mais

DIREITO COMERCIAL I (DIREITO COMERCIAL GERAL)

DIREITO COMERCIAL I (DIREITO COMERCIAL GERAL) DIREITO COMERCIAL I (DIREITO COMERCIAL GERAL) PROGRAMA * 2014-2015 [Turma N.] [Versão setembro 2014] Coordenação e Regência: Prof. Doutor Manuel Januário da Costa Gomes Assistentes: Mestre Catarina Monteiro

Leia mais

Decreto-Lei nº 495/88, de 30 de Dezembro

Decreto-Lei nº 495/88, de 30 de Dezembro Decreto-Lei nº 495/88, de 30 de Dezembro Com a publicação do Código das Sociedades Comerciais, aprovado pelo Decreto-Lei nº 262/86, de 2 de Setembro, e do Decreto-Lei nº 414/87, de 31 de Dezembro, foram

Leia mais

INSTRUÇÕES N.º 2 /00 2.ª SECÇÃO 1.ª. Âmbito

INSTRUÇÕES N.º 2 /00 2.ª SECÇÃO 1.ª. Âmbito INSTRUÇÕES N.º 2 /00 2.ª SECÇÃO De acordo com o disposto na alínea c) do n.º 1 do artigo 41.º da Lei n.º 98/97, de 26 de Agosto, compete ao Tribunal de Contas, no âmbito do parecer sobre a Conta Geral

Leia mais

Direito Societário. Centro de Informática UFPE Disciplina: Gestão de Negócios Bruno Suassuna Carvalho Monteiro

Direito Societário. Centro de Informática UFPE Disciplina: Gestão de Negócios Bruno Suassuna Carvalho Monteiro Direito Societário Centro de Informática UFPE Disciplina: Gestão de Negócios Bruno Suassuna Carvalho Monteiro Importância do Direito Societário Conhecimento Jurídico como ferramenta para a gestão de negócios

Leia mais

UNIDADE VI Tributação sobre a transmissão de bens e direitos e operações financeiras. 1.1.1. Constituição (art. 156, inciso II e parágrafo segundo)

UNIDADE VI Tributação sobre a transmissão de bens e direitos e operações financeiras. 1.1.1. Constituição (art. 156, inciso II e parágrafo segundo) UNIDADE VI Tributação sobre a transmissão de bens e direitos e operações financeiras 1. Imposto sobre a transmissão de bens imóveis 1.1. Legislação 1.1.1. Constituição (art. 156, inciso II e parágrafo

Leia mais

Apresentação do curso Objetivos gerais Objetivos específicos

Apresentação do curso Objetivos gerais Objetivos específicos Apresentação do curso O Curso de Especialização Direito das Empresas para Executivos (CEDEE) visa satisfazer a necessidade existente no mercado dos gestores e executivos das empresas conhecerem o direito

Leia mais

Prof. Marcelo Thimoti. Legislação Comercial

Prof. Marcelo Thimoti. Legislação Comercial Prof. Marcelo Thimoti Legislação Comercial 1 DIREITO COMERCIAL Sociedades Anônimas. 2 Sociedade Anônima (S/A) Sociedade com capital dividido em ações, livremente negociáveis, que limitam a responsabilidade

Leia mais

Índice Sistemático do Código Civil

Índice Sistemático do Código Civil 9 Índice Sistemático do Código Civil P A R T E G E R A L LIVRO I DAS PESSOAS Das Pessoas Naturais CAPÍTULO I - Da Personalidade e da Capacidade (arts. 1º ao 10) CAPÍTULO II - Dos Direitos da Personalidade

Leia mais

MINISTÉRIO DAS FINANÇAS E DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

MINISTÉRIO DAS FINANÇAS E DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA 2100 Diário da República, 1.ª série N.º 117 18 de Junho de 2010 MINISTÉRIO DAS FINANÇAS E DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Decreto-Lei n.º 71/2010 de 18 de Junho O presente decreto -lei vem possibilitar a constituição

Leia mais

EMENTA / PROGRAMA DE DISCIPLINA. ANO / SEMESTRE LETIVO Administração 2015.2. Direito Empresarial ADM 065. 36h 5º

EMENTA / PROGRAMA DE DISCIPLINA. ANO / SEMESTRE LETIVO Administração 2015.2. Direito Empresarial ADM 065. 36h 5º Faculdade Anísio Teixeira de Feira de Santana Autorizada pela Portaria Ministerial nº 552 de 22 de março de 2001 e publicada no Diário Oficial da União de 26 de março de 2001. Endereço: Rua Juracy Magalhães,

Leia mais

REGULAMENTO FINANCEIRO DO CDS/PP

REGULAMENTO FINANCEIRO DO CDS/PP DO CDS/PP (APROVADO EM CONSELHO NACIONAL A 24 DE NOVEMBRO DE 2007) Capítulo I Disposições Gerais Artigo 1º (Âmbito de aplicação) 1. O presente Regulamento aplica-se a todos os órgãos nacionais, regionais

Leia mais

AULA 03. Estrutura do Sistema Financeiro Nacional. Subsistema Operativo II

AULA 03. Estrutura do Sistema Financeiro Nacional. Subsistema Operativo II AULA 03 Estrutura do Sistema Financeiro Nacional Subsistema Operativo II BNDES No subsistema operativo, existem instituições que não captam depósitos à vista, como o BNDES. O Banco Nacional de Desenvolvimento

Leia mais

ANEXO AO BALANÇO E À DEMONSTRAÇÃO DOS RESULTADOS EM 2009.12.31

ANEXO AO BALANÇO E À DEMONSTRAÇÃO DOS RESULTADOS EM 2009.12.31 00 - Introdução a) Objecto social e identificação da Empresa HABECE Cooperativa de Habitação e Construção de Cedofeita, Crl., tem por objecto a construção ou a sua promoção e a aquisição de fogos para

Leia mais

PONTÍFICIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS CURSO DE DIREITO

PONTÍFICIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS CURSO DE DIREITO PONTÍFICIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS CURSO DE DIREITO Disciplina: Direito Empresarial II JUR 1022 Turma: C02 Prof.: Luiz Fernando Capítulo VI SOCIEDADES ANÔNIMAS 1. Evolução Legal: a) Decreto n. 575/49;

Leia mais

ESTATUTOS. Artigo 1º (Nome e Sede)

ESTATUTOS. Artigo 1º (Nome e Sede) ESTATUTOS Artigo 1º (Nome e Sede) O nome da associação é A Rocha Associação Cristã de Estudos e Defesa do Ambiente e a sua sede é na Cruzinha, Mexilhoeira Grande, em Portimão. Artigo 2º (Natureza e Fins)

Leia mais

Título IV Ofertas públicas de transacção. CAPÍTULO I D isposições Gerais. Artigo 98 (Autoridade fiscalizadora)

Título IV Ofertas públicas de transacção. CAPÍTULO I D isposições Gerais. Artigo 98 (Autoridade fiscalizadora) (Código do Mercado de Valores Mobiliários) Título IV Ofertas públicas de transacção CAPÍTULO I D isposições Gerais Artigo 98 (Autoridade fiscalizadora) Compete ao Banco de Cabo Verde, através da Auditoria

Leia mais

REGISTO COMERCIAL. Isabel Quinteiro. Adjunta da Conservadora na Conservatória do Registo Predial e Comercial de Montemor-o-Velho

REGISTO COMERCIAL. Isabel Quinteiro. Adjunta da Conservadora na Conservatória do Registo Predial e Comercial de Montemor-o-Velho REGISTO COMERCIAL Isabel Quinteiro Adjunta da Conservadora na Conservatória do Registo Predial e Comercial de Montemor-o-Velho Outubro de 2010 Introdução IRN, IP É um instituto público integrado na administração

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 11.638, DE 28 DEZEMBRO DE 2007. Mensagem de veto Altera e revoga dispositivos da Lei n o 6.404, de 15 de dezembro de 1976, e

Leia mais

CÓDIGO DAS SOCIEDADES COMERCIAIS

CÓDIGO DAS SOCIEDADES COMERCIAIS CÓDIGO DAS SOCIEDADES COMERCIAIS Edição de Bolso 8.ª EDIÇÃO ACTUALIZAÇÃO N. 1 1 CÓDIGO DAS SOCIEDADES COMERCIAIS EDIÇÃO DE BOLSO Actualização n. 1 ORGANIZAÇÃO BDJUR BASE DE DADOS JURÍDICA EDITOR EDIÇÕES

Leia mais

ESTATUTOS DA COMPANHIA DAS LEZÍRIAS, S.A.

ESTATUTOS DA COMPANHIA DAS LEZÍRIAS, S.A. ESTATUTOS DA COMPANHIA DAS LEZÍRIAS, S.A. CAPÍTULO I Denominação, sede, duração e objecto Artigo 1.º A sociedade adopta a forma de sociedade anónima e a denominação de Companhia das Lezírias, S.A., abreviadamente

Leia mais

Decreto-Lei n.º 255/99 de 7 de Julho- Versão27-08-2013. Texto consolidado com as alterações introduzidas pela Lei 5/2013 (texto sublinhado a amarelo)

Decreto-Lei n.º 255/99 de 7 de Julho- Versão27-08-2013. Texto consolidado com as alterações introduzidas pela Lei 5/2013 (texto sublinhado a amarelo) Decreto-Lei n.º 255/99 de 7 de Julho- Versão27-08-2013 Texto consolidado com as alterações introduzidas pela Lei 5/2013 (texto sublinhado a amarelo) Capítulo I Disposições Gerais Artigo 1º Âmbito 1. O

Leia mais

Decreto n.º 63/99, de 2 de Novembro

Decreto n.º 63/99, de 2 de Novembro Decreto n.º 63/99, de 2 de Novembro Cria um instrumento financeiro denominado obrigações hipotecárias. B.O. n.º 40 - I Série Decreto n.º 63/99 de 2 de Novembro O presente diploma, dando sequência à reforma

Leia mais