Implementando um sistema de Gerenciamento de Questões para alunos de Ensino Fundamental

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Implementando um sistema de Gerenciamento de Questões para alunos de Ensino Fundamental"

Transcrição

1 Implementando um sistema de Gerenciamento de Questões para alunos de Ensino Fundamental Marcelo Josué Telles Instituto de Ciências de Ciências Exatas e Tecnológicas Centro Universitário FEEVALE Licenciatura em Computação RS 239, nº 2755 CEP Novo Hamburgo RS Brasil Abstract. The proposal of the present paper is to show details of development of a system that could be used in the laboratories of computer science at schools basic and average. They will be shown topics on each phase of modeling. The objectives of the system are storage and instantaneous correction of questions that understand disciplines worked in classroom, information about answers of the student, identify the correct answers, or not and time necessary to answer each question. Resumo: A proposta do presente trabalho é apresentar detalhes referentes à desenvolvimento de um sistema que poderá ser usado nos laboratórios de informática das escolas de ensino fundamental e médio. Serão exibidos tópicos sobre cada fase de implantação. Os objetivos do sistema são armazenamento e correção instantânea de questões que compreendam conteúdo de matérias trabalhadas em sala de aula, oferecer estatísticas sobre as respostas fornecidas pelos alunos e identificar quantitativamente os acertos, erros e tempo de resposta. 1. Introdução Este artigo apresenta o desenvolvimento de um software educativo para ser instalado nos laboratórios de informática das escolas. Será configurado um computador responsável pelo sistema. Este computador armazenará as informações em um banco de dados gerenciado pelo SGBDR (Sistema de Gerenciamento de Banco de Dados Relacionais) de código fonte aberto [Suehring 2002, p. 24] MySQL versão Estes dados serão acessados por uma interface web¹ composta por páginas desenvolvidas usando a linguagem PHP [Choi et all 2001] e também recursos de HTML (HiperText Marcup Language) linguagem de marcação de hipertexto [Holzschlag 2004, p.130], JavaScript [Feather 1997], e CSS [Holzschlag 2004, p. 235]. Para hospedar as páginas será adotado o Servidor Apache 2 [Kabir 2002]. ¹ web é a tradução literal do inglês, significa teia ou rede. Termo usado para se referenciar a rede mundial de computadores, também chamado de WWW World-Wide-Web.

2 O sistema descrito neste artigo tem como objetivo proporcionar interatividade entre os alunos, uma vez que, será exibido um item de menu chamado ranking, o qual listará os alunos e suas devidas posições com relação um ao outro. A proposta de exibir um ranking dos alunos ocorre pelo seguinte motivo: alunos que estão em uma mesma faixa etária tendem a desafiar seus limites de acordo com a superação vista no outro. Atividades com caráter competitivo proporcionam momentos de socialização [Macedo et all 2003, p.147], por intermédio de regras que são impostas pelo jogo e, conseqüentemente, cobrada e fiscalizada pelos jogadores. Proporciona também progressos significativos na questão emocional e intelectual. Para apresentar as atividades dos alunos será disponibilizada uma interface intuitiva que promova a autonomia e seja de fácil compreensão, para captar a atenção de forma agradável. A solução proposta será desenvolvida usando tecnologias de fácil implementação, que conta com uma rica bibliografia, tanto em bibliotecas quanto na própria internet, onde facilmente encontram-se sites com conteúdos que explicam conceitos de uso e as novidades que em breve estarão a disposição. 2. O que será necessário? A seguir serão apresentados os recursos de hardware e software necessários. 2.1 Hardware As ferramentas usadas para criação, hospedagem e gerenciamento serão instaladas em um microcomputador convencional composto por: um processador de 1.0 GHZ, memória Ram de 512 de MB, disco rígido de 20Gb 7200 RPM, placa mãe com som e rede integrada e placa de vídeo 64 MB. Neste equipamento será instalado o sistema operacional Windows XP Professional Edition que será responsável pelos seguintes serviços: Apache , PHP 5.2.0, MySQL Os equipamentos secundários necessitam processador de 200 MHZ ou superior, memória Ram de 32 MB, placa de rede, sistema operacional, cabos para conexão em rede [Tanenbaum 2003, p. 3] e um browser¹. ¹ browser é o mesmo que navegador de páginas da internet. Programa informático utilizado para visualizar e ouvir conteúdos alojados em sites da rede mundial de computadores. Como, por exemplo, Netscape Navigator, Internet Explorer, Opera, Fire Fox entre outros.

3 2.2 Softwares O sistema será composto de páginas, que serão desenvolvidas no editor de HTML First Page da EvrSoft [EvrSoft website (2007)]. A versão usada será a First Page 2000, que é gratuita. Oferece recursos avançados de códigos em HTML 4.0 e mais de 450 exemplos de comandos em JavaScript. A figura 1 mostra a tela de desenvolvimento do FirstPage Apache Figura 1. First Page 2000 da EvrSoft ferramenta de criação da interface. O sistema Apache foi escolhido, pois oferece velocidade e simplicidade. Este Servidor de http é responsável por 60% dos sites da Internet [Kabir 2002, p.3] PHP Em 1994 [Castagnetto et all 1999, p.9] surgiu a linguagem PHP/FI (Personal Home Page Tools/Forms Interpreter) primeira nomenclatura, criada por Rasmus Lerdof. Desde seu lançamento onde tinha apenas alguns tratamentos de formulários vem ganhando adeptos e aperfeiçoando suas funcionalidades. Com a evolução ao decorrer dos anos chegou-se ao PHP 5. O PHP, por ser gratuito [Converse 2001, p5], propagou-se rapidamente e fez com que muitos livros e sites fossem criados para divulgar eficientemente a linguagem. Dentre

4 as vantagens do PHP, pode-se citar a portabilidade. Geralmente é possível usar o mesmo código em diferentes sistemas operacionais [Choi et all 2001, p.xvii]. A linguagem oferece recursos poderosos, desde acesso a banco de dados até criação de imagens, gráficos, arquivos PDF (Portable Document Format) [Adobe Acrobat website (2007)] e manipulação de arquivos. A versão cinco, que é a atual da linguagem, aborda um novo modelo orientado a objetos. Outra modificação desta versão é que não será mais dado suporte ao sistema operacional Windows 95, apesar de ser possível instalar um interpretador do PHP neste sistema operacional, não será mais estável e suportada, pelo fato da Microsoft ter oficialmente finalizado o suporte a este sistema operacional [Gutmans et all 2005, p. 8]. O site oficial do PHP, oferece uma grande fonte de explicações e exemplos dos comandos e funções da linguagem. A integração da interface apresentada para o usuário e o banco de dados será toda desenvolvida em PHP. Porém, visando uma fácil manutenção e possível migração ou mesmo acesso a outras bases de dados, o sistema adotará a biblioteca de acesso a dados ADODB [ADODB website (2007)], que é uma biblioteca de abstração de banco de dados. Fazendo uso desta biblioteca ou classe, como também é chamada, é possível projetar futuras mudanças de SGBDR sem maiores dificuldades, pois a função principal desta é dar suporte a inúmeros SGBDR s, como os seguintes: MySQL, Oracle, Microsoft SQL Server, Sybase, Sybase Anywhere, Informix, PostgreSQL, FrontBase, Interbase (Firebird e variações da Borland), Foxpro, Access, ADO e ODBC. Atualmente existem alguns instaladores PHP triad, Easy PHP entre outros, porém é altamente recomendável a instalação manual, pois garante estabilidade e integridade do ambiente. Para gerenciar o banco de dados será usada a ferramenta de código fonte aberto, PhpMyAdmin Esta foi desenvolvida, também, em PHP [PhpMyAdmin website (2007)]. O banco de dados usado nesta aplicação será criado e gerenciado pelo Software DBDesigner , uma ferramenta de uso livre [FabForce website (2007)], com suporte ao SGDBR MySQL. Também será usada a ferramenta disponibilizada pelo MySQL, a MysqlControl Center Uso Inicial do Sistema A figura 2, mostra a tela inicial do site que centralizará as atividades dos professores e dos alunos.

5 Figura 2. Site que centralizará as atividades do professor e do aluno. O sistema nunca exclui, definitivamente, os cadastros. São geralmente desativados. Isso se deve a consistência dos dados, uma vez que os dados se relacionam é criada uma dependência. Exemplo: existe a turma A, é feito o cadastro de 20 alunos, todos pertencem a turma A. Agora deseja-se excluir a turma A. O que acontece com os 20 alunos da turma A que foi excluída? Ficam sem turma, gerando uma inconsistência. Inicialmente a escola recebe o sistema instalado no Servidor, com um usuário, previamente cadastrado, cujo nome de acesso (login) é Admin e a senha (password) é Admin. Usando este usuário, algum professor(a) ou secretário(a) deve entrar no sistema cadastrar as turmas existentes na escola, que é importante, pois será uma informação obrigatória para realização do segundo cadastro, que é dos professores. Finalmente deve ser alterada a senha do usuário Admin, por questões de segurança. 3.1 Turmas O cadastro das turmas é composto pelos seguintes campos: Ano, Etapa, Letra, Turno, conforme a figura 3:

6 Figura 3. Cadastro das turmas. Os campos Ano, Letra e Turno são obrigatórios. A interface de cadastro obriga o preenchimento destes, não permitindo que seja efetuado o cadastro caso não sejam corretamente digitadas tais informações. Cada campo tem um controle independente que controla o que é informado pelo usuário, isso faz com que não seja possível digitar, por exemplo, um número no campo Letra. 3.2 Professores O cadastro dos professores solicita o nome completo, um nome de usuário no sistema (login) uma senha e alguma(s) turma(s). A figura 4 apresenta a tela de cadastro dos professores. A esquerda é exibida a lista das turmas, deve ser associado de uma a uma ao cadastro do professor. Todos os professores poderão fazer tudo que o usuário Admin faz. Figura 4. Cadastro do professor adicionando as turmas a que este leciona. Neste momento é aconselhável efetuar o cadastro das questões. Cada professor deve criar uma unidade de ensino e criar as questões referentes a esta unidade.

7 3.3 Questões O cadastro das questões é composto pelos seguintes campos: Unidade, Descrição, Figura da descrição, Alternativa A, figura da Alternativa A, Alternativa B, figura da Alternativa B, Alternativa C, figura da Alternativa C, Alternativa D, figura da Alternativa D, Alternativa E, figura da Alternativa E e Alternativa Correta. A figura 5 apresenta um exemplo. Figura 5. Exemplo de cadastro de uma questão. Campos Descrição, Alternativa A, Alternativa B, Alternativa Correta e Unidade são obrigatórios. Cada questão deve estar associada a uma unidade previamente ou simultaneamente cadastrada. Isso auxiliará no diagnóstico de correção. Será possível, por exemplo, avaliar todas as questões respondidas ou também apenas as questões referentes à unidade de ensino desejada. A partir deste momento cada aluno já pode fazer seu cadastro. A figura 6 mostra a tela de cadastro dos alunos:

8 Figura 6. Interface de cadastro dos alunos. O cadastro dos alunos deve, preferencialmente, ser feito pelos próprios alunos. Ele é composto pelos seguintes campos: Nome, Data de nascimento, turma, nome de usuário no sistema ou login (apelido) e senha. Campos Nome, turma, login e senha são obrigatórios. Resumindo os passos iniciais para uso do sistema: 1 entrar com login Admin, senha Admin. 2 cadastrar as turmas. 3 cadastrar os professores. 4 trocar a senha do usuário Admin. 5 cadastrar as unidades e questões. 6 cadastrar os alunos. 4. Como Funciona o Sistema O sistema permite que seja criada uma relação entre alunos e turmas, ou seja, quando o aluno se cadastra ele informa em que turma esta estudando no ano atual, é possível no ano seguinte trocar a turma, mas isso será realizado de forma automática no final do ano. Cada turma tem um ou mais professores. Quando um aluno é cadastrado em determinada turma é criada uma relação, tal relacionamento possibilita que este aluno responda todas as questões de todos os professores que lecionam para esta turma. A consulta que realiza esta operação é a seguinte: SELECT questao.id as questao_ids, questao.descricao, questao.a, questao.b, questao.c, questao.d, questao.e, questao.correta, aluno.id, aluno.turma_id, turma_has_professor.turma_id, turma_has_professor.professor_id, professor_has_questao.professor_id, professor_has_questao.questao_id, professor.nome, professor.id,

9 aluno_has_questao.questao_id, aluno_has_questao.aluno_id, aluno_has_questao.resposta_aluno, aluno_has_questao.data_respondida FROM questao, aluno, turma_has_professor, professor_has_questao LEFT JOIN professor on professor.id=professor_id LEFT JOIN aluno_has_questao on aluno_has_questao.questao_id=professor_has_questao.questao_id WHERE aluno.turma_id = turma_has_professor.turma_id AND turma_has_professor.professor_id = professor_has_questao.professor_id AND professor_has_questao.questao_id=questao.id AND questao.ativo = 1 AND aluno.id=".$aluno_id." ORDER BY descricao; Onde $aluno_id: é o aluno que esta logado atualmente no sistema Esta consulta retorna todas as questões do aluno logado, levando em consideração as questões que todos os professores da turma deste aluno tem direito de aplicar. Na interface é exibido se o aluno respondeu, se acertou ou errou a resposta. A figura 7 ilustra um exemplo desta listagem de questões. Figura 7. Lista de questões para o aluno logado. Cada aluno responde uma única vez cada questão. Porém é possível que os alunos consultem as questões já respondidas. O sistema irá indicar, caso ele tenha errado a questão, a resposta correta possibilitando assim uma forma simplificada de estudo. 4.1 Como se cadastrar no sistema Quando o professor se cadastra no sistema, ele informa para quais turmas irá lecionar. Assim todas as questões que lhe são permitidas, serão disponibilizadas para seus alunos. Um professor pode cadastrar uma questão e permitir que outros professores apliquem esta questão em suas turmas. Depois de efetuados os cadastros de turmas, professores, questões e alunos, o aluno deve responder as questões. A figura 8 mostra que a questão sobre a palavra uva deve ser disponibilizada para todos os alunos das turmas do professor Marcelo e da professora Ana Paula.

10 Figura 8. Compartilhamento de questões entre os professores. Esta tela indica o professor autor da questão. O mesmo não pode aplicar a atividade, enquanto não estiver adicionado à lista (Professores(as) que tem direito de aplicar a questão). Isso se deve ao fato de que podem existir professores que tenham desejo de criar questões, mas as mesmas não são para seus alunos. O autor da questão é definido pelo sistema. O autor será o professor que efetuou o cadastro da mesma. Para cada questão cadastrada é obrigatório o preenchimento dos seguintes campos: unidade, descrição, duas alternativas (A e B), a resposta correta e a unidade. No entanto são permitidas até cinco alternativas (A, B, C, D e E). Tanto para a descrição, quanto para cada alternativa é permitido anexar uma figura¹. A figura 9 apresenta todos os campos para cadastro das questões. ¹ figura elas apresentam tamanho e formato pré-determinado, indicado nas instruções do cadastro da questão. Para impedir o armazenamento em cachê das figuras, e proteger o sistema de informações incoerentes é usada a função md5(). [PHP.net website 2007].

11 Figura 9. Interface de cadastros das questões. Outro detalhe importante referente ao cadastro das questões é quanto ao campo alternativa correta. Assim como todos os cadastros do sistema são permitidas alterações, porém uma alteração em uma questão que os alunos já tenham respondido implica em alterações na tabela que gerencia os acertos e erros dos alunos. Como exemplo tem-se a seguinte situação: A pergunta. Qual a primeira letra da palavra uva. E as alternativas: a)letra o, b)letra u. Cadastra-se a correta como b). Em seguida os alunos respondem a questão: a aluna Beatriz marca letra b, a aluna Ana marca letra a, caso haja uma alteração no cadastro da questão e seja alterada a alternativa correta para a, resultara que a aluna Beatriz terá errado a questão e a aluna Ana terá acertado a questão. No segundo momento os alunos comparam as próprias respostas com as corretas, e os professores comparam o desempenho dos mesmos. 4.2 Informações internas Internamente o Sistema armazena outras informações. Tais informações são invisíveis para os alunos e professores, porém são de grande importância. Por exemplo, o cadastro dos professores e alunos armazena uma informação chamada id. O id serve para identificar e diferenciar cada aluno entre os demais. Tal identificação será usada para relacionar, dentre outras identificações: a turma que pertence, questão respondida por aluno, as turmas de cada professor, as questões que cada docente pode aplicar, identificar o autor da questão, verificar se o aluno já respondeu a questão.

12 4.3 Relacionamentos A figura 10 ilustra uma proposta de relacionamentos do sistema. Figura 10. Relacionamentos do sistema. 4. Benefícios do Sistema O presente Sistema adota este tipo de exercício (optar por uma alternativa), pois é de uso muito comum em vestibulares e concursos. É possível permitir que os alunos pratiquem este tipo de atividade de uma forma ilustrada, interativa e educacional. O uso do sistema colabora na identificação das dificuldades dos alunos. Por exemplo, as questões respondidas corretamente ou incorretamente, assim sucessivamente. Esta verificação identifica a unidade com maior índice de erros, possibilitando ao docente criar estratégias de fixação e entendimento do conteúdo. 5. Conclusões Este trabalho destina-se a auxiliar o professor a fazer exercícios e avaliar os alunos. A forma que será adotada para realização dos exercícios colabora para captar a atenção. Isso se deve pelo fato de que as atividades proporcionam, como sua conseqüência, uma

13 competição saudável entre os alunos. É possível ter uma ampla analise quantitativa sobre acertos e erros das questões. Com o uso do sistema será possível identificar focos de estudos, ou seja, identificar áreas de estudo que os alunos não obtiveram índice satisfatório de acertos. Tal decisão será embasada nas respostas dadas pelos alunos para as questões de determinada unidade, que será apresentada nos relatórios estatísticos. Conclui-se que o sistema auxilia o professor, capta a atenção do aluno, promove interatividade, oferece ao aluno uma forma simplificada de estudo. 5.1 Trabalhos futuros O Sistema permite que sejam agregados inúmeros recursos a ele. Inserir sons e vídeos nas questões seria uma ramificação de grande utilidade. O recurso multimídia representa uma exigência adicional nos computadores secundários. Contudo, seria um atrativo muito eficiente. Seria conveniente disponibilizar uma interface que proporcionasse uma forma de estudo mais avançada. Para incrementar e dar continuidade a este sistema seria aconselhável adicionar um módulo de perguntas descritivas, um módulo que realize a interpretação e a correção das respostas. Outro recurso de grande importância seria um corretor ortográfico. Referencias Suehring, Steve (2002) MySQL a Bíblia, tradução Edson Furmankiewicz, Editora Elsevier 2º reimpressão, Rio de Janeiro. Choi, Wankyu e Kent, Allan e Lea, Chris e Prasad, Ganesh e Ullman, Chris (2001) Beginning PHP4 Programando, tradução Aldir José Coelho Correia da Silva / Flávia Cruz, Editora Makron Books, São Paulo. Holzschlag, Molly E. (2004) 250 Segredos para Web Designers, Tradução de Marcus Vieira, Editora Elsevier, Rio de Janeiro. Feather, Stephen (1997) JavaScript em exemplos, Tradução e revisão técnica Álvaro Rodrigues Antunes, Editora Makron Books do Brasil Editora Ltda, São Paulo-SP. Kabir, Mohammed J. (2002) Apache 2 Server, a Bíblia, Tradução Vandenberg D. Souza, Editora Campus, Rio de Janeiro. Macedo, Lino de e Petty, Ana Lúcia Sícoli e Passos, Norimar Christe (2003) 4 Cores Senha e Dominó: Oficinas de jogos em uma perspectiva construtivista e psicopedagógica, Editora Casa do Psicólogo, São Paulo, página 147. Tanenbaum, Andrew S. (2003) Redes de computadores, tradução Vandenberg O. de Souza, Editora Elsevier 9º reimpressão, Rio de Janeiro, página 3.

14 EvrSoft website 2007 [online] Disponível em: [Acessado em março de 2007]. Castagnetto, Jessus and Rawat, Harish and Schumann, Sascha and Scollo, Chris and Veliath, Deepak (1999) Professional PHP Programing, Editora Worx Press Ltd, Uk USA. Converse, Tim e Park, Joyce (2001) PHP 4 A Bíblia Editora Campus, Rio de Janeiro. Adobe Acrobat website (2007) [online] Disponível em: [Acessado em março de 2007]. Gutmans, Andi and Saether, Bakken and Rethans, Derick (2005) PHP 5 Programação Poderosa, tradução Marcelo Soares e Andreza Gonçalves, Editora Alta Books, Rio de Janeiro RJ. ADODB website (2007) [online] Disponível em: [Acessado em março de 2007]. PhpMyAdmin (2007) [online] Disponível em [Acessado em março de 2007]. FabForce website 2007 [online] Disponivel em [Acessado em março de 2007]. PHP.net website (2007) [online] Disponível em [Acessado em março de 2007].

SISTEMA DE GERENCIAMENTO E CONTROLE DE DOCUMENTOS DE TCC E ESTÁGIO

SISTEMA DE GERENCIAMENTO E CONTROLE DE DOCUMENTOS DE TCC E ESTÁGIO SISTEMA DE GERENCIAMENTO E CONTROLE DE DOCUMENTOS DE TCC E ESTÁGIO Marcelo Karpinski Brambila 1, Luiz Gustavo Galves Mahlmann 2 1 Acadêmico do Curso de Sistemas de Informação da ULBRA Guaíba < mkbrambila@terra.com.br

Leia mais

Structure Query Language SQL Guilherme Pontes lf.pontes.sites.uol.com.br

Structure Query Language SQL Guilherme Pontes lf.pontes.sites.uol.com.br 1. Abordagem geral Structure Query Language SQL Guilherme Pontes lf.pontes.sites.uol.com.br Em primeiro plano, deve-se escolher com qual banco de dados iremos trabalhar. Cada banco possui suas vantagens,

Leia mais

Documentos. ISSN 1982-5390 Dezembro, 2007. Sistema de Gestão de Licitações do Site da Embrapa Pecuária Sul Licitações 1.0 - Manual do Usuário

Documentos. ISSN 1982-5390 Dezembro, 2007. Sistema de Gestão de Licitações do Site da Embrapa Pecuária Sul Licitações 1.0 - Manual do Usuário Documentos ISSN 1982-5390 Dezembro, 2007 Sistema de Gestão de Licitações do Site da Embrapa Pecuária Sul Licitações 1.0 - Manual do Usuário 68 ISSN 1982-5390 Dezembro, 2007 Empresa Brasileira de Pesquisa

Leia mais

GBD. Introdução PROF. ANDREZA S. AREÃO

GBD. Introdução PROF. ANDREZA S. AREÃO GBD Introdução PROF. ANDREZA S. AREÃO Sistema de arquivos X Sistemas de Banco de Dados Sistema de arquivos Sistema de Banco de Dados Aplicativos Dados (arquivos) Aplicativos SGBD Dados (arquivos) O acesso/gerenciamento

Leia mais

Manual do Usuário Características e recursos básicos Enterprise Resource Planning

Manual do Usuário Características e recursos básicos Enterprise Resource Planning Manual do Usuário Características e recursos básicos Enterprise Resource Planning www.pwi.com.br 1 Volpe Enterprise Resource Planning Este manual não pode, em parte ou no seu todo, ser copiado, fotocopiado,

Leia mais

Desenvolvendo Websites com PHP

Desenvolvendo Websites com PHP Desenvolvendo Websites com PHP Aprenda a criar Websites dinâmicos e interativos com PHP e bancos de dados Juliano Niederauer 19 Capítulo 1 O que é o PHP? O PHP é uma das linguagens mais utilizadas na Web.

Leia mais

Manual de Instalação Flex

Manual de Instalação Flex Manual de Instalação Flex Sumário 1. Sobre este documento... 3 2. Suporte técnico... 3 3. Requisitos de hardware... 4 4. Instalação... 5 4.1. Instalação no servidor... 5 4.1.1. Instalação do sistema...

Leia mais

Banco de Dados. Professor: Rômulo César. romulodandrade@gmail.com www.romulocesar.com.br

Banco de Dados. Professor: Rômulo César. romulodandrade@gmail.com www.romulocesar.com.br Banco de Dados Professor: Rômulo César romulodandrade@gmail.com www.romulocesar.com.br Sistema de arquivos X Sistemas de Banco de Dados Sistema de arquivos Sistema de Banco de Dados Aplicativos Dados (arquivos)

Leia mais

Introdução a Informática. Prof.: Roberto Franciscatto

Introdução a Informática. Prof.: Roberto Franciscatto Introdução a Informática Prof.: Roberto Franciscatto 6.1 ARQUIVOS E REGISTROS De um modo geral os dados estão organizados em arquivos. Define-se arquivo como um conjunto de informações referentes aos elementos

Leia mais

Documentos IMAGEM. Sistema Web para Cadastro de Funcionários da Embrapa Pecuária Sul: Manual do Usuário. ISSN 1982-5390 Agosto, 2009

Documentos IMAGEM. Sistema Web para Cadastro de Funcionários da Embrapa Pecuária Sul: Manual do Usuário. ISSN 1982-5390 Agosto, 2009 Documentos ISSN 1982-5390 Agosto, 2009 82 Sistema Web para Cadastro de Funcionários da Embrapa Pecuária Sul: Manual do Usuário IMAGEM ISSN 1982-5390 Agosto, 2009 Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária

Leia mais

Manual de Instalação

Manual de Instalação Manual de Instalação Sumário 1. Sobre este documento... 3 2. Suporte técnico... 3 3. Requisitos de hardware... 4 3.1. Estação... 4 3.2. Servidor... 4 4. Instalação... 5 4.1. Instalação no servidor... 5

Leia mais

TCM Informática Rua Senador Ivo D'Aquino, 121 Bairro: Lagoa da Conceição 88062-050 Florianópolis, SC Brasil Fone +55 48 3334-8877 Fax +55 48

TCM Informática Rua Senador Ivo D'Aquino, 121 Bairro: Lagoa da Conceição 88062-050 Florianópolis, SC Brasil Fone +55 48 3334-8877 Fax +55 48 1.1 Roteiro para Instalação do Software 1.1.1 Servidor 1.1.1.1 Requisitos de Hardware Servidor de pequeno porte Servidor dedicado: Processador: 500Mhz Memória RAM: 256MB Hard Disk: 20 ou 40GB (7.500rpm)

Leia mais

SISTEMA DE CONTROLE INTERNO DE FLUXO DE CAIXA DO SETOR DE APOIO FINANCEIRO (ULBRA GUAÍBA)

SISTEMA DE CONTROLE INTERNO DE FLUXO DE CAIXA DO SETOR DE APOIO FINANCEIRO (ULBRA GUAÍBA) SISTEMA DE CONTROLE INTERNO DE FLUXO DE CAIXA DO SETOR DE APOIO FINANCEIRO (ULBRA GUAÍBA) Alessandra Lubbe 1 Alexandre Evangelista 2 Jeandro Perceval 3 José Ramiro Pereira 4 Luiz Gustavo Mahlmann 5 RESUMO

Leia mais

LEI DE ACESSO A INFORMAÇÃO DIREITO DO CIDADÃO

LEI DE ACESSO A INFORMAÇÃO DIREITO DO CIDADÃO DESCRIÇÃO DO SIGAI O SIGAI (Sistema Integrado de Gestão do Acesso à Informação) é uma solução de software que foi desenvolvida para automatizar os processos administrativos e operacionais visando a atender

Leia mais

Conteúdo Programático de PHP

Conteúdo Programático de PHP Conteúdo Programático de PHP 1 Por que PHP? No mercado atual existem diversas tecnologias especializadas na integração de banco de dados com a WEB, sendo o PHP a linguagem que mais se desenvolve, tendo

Leia mais

Faculdade de Tecnologia Senac (Pelotas) Análise e desenvolvimento de Sistemas Sistemas de Informação

Faculdade de Tecnologia Senac (Pelotas) Análise e desenvolvimento de Sistemas Sistemas de Informação Faculdade de Tecnologia Senac (Pelotas) Análise e desenvolvimento de Sistemas Sistemas de Informação Investigando Sistemas de Informação PHP-Nuke Maxwell Rodrigues Laner Sumário 1. Introdução...3 2. 1

Leia mais

Uma poderosa ferramenta de monitoramento. Madson Santos - madson@pop-pi.rnp.br Técnico de Operação e Manutenção do PoP-PI/RNP

Uma poderosa ferramenta de monitoramento. Madson Santos - madson@pop-pi.rnp.br Técnico de Operação e Manutenção do PoP-PI/RNP Uma poderosa ferramenta de monitoramento Madson Santos - madson@pop-pi.rnp.br Técnico de Operação e Manutenção do PoP-PI/RNP Abril de 2008 O que é? Características Requisitos Componentes Visual O que é?

Leia mais

CRÉDITO CARGA DISTRIBUIÇÃO DA CARGA HORÁRIA HORÁRIA TEÓRIC PRÁTICA TEO/PRA T OUTRAS TEOR/PRÁTICAS 20 20 20

CRÉDITO CARGA DISTRIBUIÇÃO DA CARGA HORÁRIA HORÁRIA TEÓRIC PRÁTICA TEO/PRA T OUTRAS TEOR/PRÁTICAS 20 20 20 UNIDADE UNIVERSITÁRIA: FCT - Faculdade de Ciências e Tecnologia/UNESP CURSO: Ciência da Computação Noturno HABILITAÇÃO: Bacharelado OPÇÃO: DEPARTAMENTO RESPONSÁVEL: DMC Departamento de Matemática e Computação

Leia mais

Desenvolvendo Websites com PHP

Desenvolvendo Websites com PHP Desenvolvendo Websites com PHP 2ª Edição Juliano Niederauer Novatec Copyright 2009, 2011 da Novatec Editora Ltda. Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei 9.610 de 19/02/1998. É proibida a reprodução

Leia mais

Guia De Utilização Do Ambiente LMS

Guia De Utilização Do Ambiente LMS Conteúdo Introdução... 2 1. O que é o ambiente LMS... 3 2. Acesso ao ambiente LMS (Learning Management System)... 3 3. Localização e visualização dos cursos disponíveis... 4 4. Navegação entre categorias...

Leia mais

Banco de Dados I 2007. Módulo I: Introdução a Sistemas de Banco de Dados. (Aula 1) Clodis Boscarioli

Banco de Dados I 2007. Módulo I: Introdução a Sistemas de Banco de Dados. (Aula 1) Clodis Boscarioli Banco de Dados I 2007 Módulo I: Introdução a Sistemas de Banco de Dados (Aula 1) Clodis Boscarioli Agenda: Apresentação do Plano de Ensino; Aspectos Históricos; Estrutura Geral de um SGBD; Profissionais

Leia mais

SISTEMA INTEGRADO DE ADMINISTRAÇÃO DA RECEITA PED MANUAL INTERNET

SISTEMA INTEGRADO DE ADMINISTRAÇÃO DA RECEITA PED MANUAL INTERNET SISTEMA INTEGRADO DE ADMINISTRAÇÃO DA RECEITA MANUAL INTERNET ÍNDICE Sistema Integrado de Administração da Receita 1 INTRODUÇÃO GERAL... 4 2 INTRODUÇÃO AO... 4 2.1 OBJETIVOS... 4 2.2 BENEFÍCIOS... 4 2.3

Leia mais

AULA 1 PHP O QUE É APACHE FRIENDS

AULA 1 PHP O QUE É APACHE FRIENDS O QUE É PHP Se você já programa PHP, aconselho que pule para o capítulo 7 desse livro. Pois até esse capitulo iremos abordar algoritmos em PHP até a construção de uma classe com seus métodos e atributos

Leia mais

Software Web para: Empresas, Governo, Organizações, Entidades de Classe, Sindicatos, ONG's e Profissionais Liberais

Software Web para: Empresas, Governo, Organizações, Entidades de Classe, Sindicatos, ONG's e Profissionais Liberais MANUAL DO USUÁRIO BITÁVEL GERENCIADOR ONLINE DE NEWSLETTERS (GOLNEWS) Software Web para: Empresas, Governo, Organizações, Entidades de Classe, Sindicatos, ONG's e Profissionais Liberais Versão 1.0 1 Índice

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE DE VOTAÇÃO WEB UTILIZANDO TECNOLOGIA TOUCHSCREEN

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE DE VOTAÇÃO WEB UTILIZANDO TECNOLOGIA TOUCHSCREEN DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE DE VOTAÇÃO WEB UTILIZANDO TECNOLOGIA TOUCHSCREEN José Agostinho Petry Filho 1 ; Rodrigo de Moraes 2 ; Silvio Regis da Silva Junior 3 ; Yuri Jean Fabris 4 ; Fernando Augusto

Leia mais

Prof. Marcelo Machado Cunha www.marcelomachado.com mcelobr@yahoo.com.br

Prof. Marcelo Machado Cunha www.marcelomachado.com mcelobr@yahoo.com.br Prof. Marcelo Machado Cunha www.marcelomachado.com mcelobr@yahoo.com.br Ementa Introdução a Banco de Dados (Conceito, propriedades), Arquivos de dados x Bancos de dados, Profissionais de Banco de dados,

Leia mais

SISTEMA DE CONTROLE DE ORDENS DE SERVIÇO DE MANUTENÇÃO DE EQUIPAMENTOS DE INFORMÁTICA VIA INTERNET

SISTEMA DE CONTROLE DE ORDENS DE SERVIÇO DE MANUTENÇÃO DE EQUIPAMENTOS DE INFORMÁTICA VIA INTERNET SISTEMA DE CONTROLE DE ORDENS DE SERVIÇO DE MANUTENÇÃO DE EQUIPAMENTOS DE INFORMÁTICA VIA INTERNET FONSECA, Alexei Boncewicz, acadêmico de Engenheira Elétrica Centro Federal de Educação Tecnológica do

Leia mais

DESENVOLVENDO SOLUÇÕES COM VISUAL FOXPRO 8 E 9

DESENVOLVENDO SOLUÇÕES COM VISUAL FOXPRO 8 E 9 DESENVOLVENDO SOLUÇÕES COM VISUAL FOXPRO 8 E 9 Í N D I C E Capítulo 1 - O Início de Tudo 1 Reunindo todas as informações necessárias 2 Instalando o Visual FoxPro 2 Configurando o Visual FoxPro 7 Capítulo

Leia mais

Manual STCP Web Admin 27/07/2009, Riversoft Integração e Desenvolvimento

Manual STCP Web Admin 27/07/2009, Riversoft Integração e Desenvolvimento STCP OFTP Web Admin Versão 4.0.0 Riversoft Integração e Desenvolvimento de Software Ltda Av.Dr.Delfim Moreira, 537 Centro Santa Rita do Sapucaí, Minas Gerais CEP 37540 000 Tel/Fax: 35 3471 0282 E-mail:

Leia mais

www.neteye.com.br NetEye Guia de Instalação

www.neteye.com.br NetEye Guia de Instalação www.neteye.com.br NetEye Guia de Instalação Índice 1. Introdução... 3 2. Funcionamento básico dos componentes do NetEye...... 3 3. Requisitos mínimos para a instalação dos componentes do NetEye... 4 4.

Leia mais

Ferramenta: Spider-CL. Manual do Usuário. Versão da Ferramenta: 1.1. www.ufpa.br/spider

Ferramenta: Spider-CL. Manual do Usuário. Versão da Ferramenta: 1.1. www.ufpa.br/spider Ferramenta: Spider-CL Manual do Usuário Versão da Ferramenta: 1.1 www.ufpa.br/spider Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 14/07/2009 1.0 15/07/2009 1.1 16/07/2009 1.2 20/05/2010 1.3 Preenchimento

Leia mais

Faça um Site PHP 5.2 com MySQL 5.0 Comércio Eletrônico

Faça um Site PHP 5.2 com MySQL 5.0 Comércio Eletrônico Editora Carlos A. J. Oliviero Faça um Site PHP 5.2 com MySQL 5.0 Comércio Eletrônico Orientado por Projeto 1a Edição 2 Reimpressão São Paulo 2011 Érica Ltda. Noções Livrarse Preparação muitas muita Sumário

Leia mais

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 BAIXA DE CONTAS A PAGAR RELEASE 4.1

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 BAIXA DE CONTAS A PAGAR RELEASE 4.1 DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 BAIXA DE CONTAS A PAGAR RELEASE 4.1 SUMÁRIO DEFINIÇÃO DE REQUISITOS 4 1. INTRODUÇÃO 4 1.1 FINALIDADE 4 1.2 ESCOPO 4 1.3 DEFINIÇÕES, ACRÔNIMOS

Leia mais

Desenvolvimento de Sistema Bibliotecário Simplificado Usando PHP

Desenvolvimento de Sistema Bibliotecário Simplificado Usando PHP Desenvolvimento de Sistema Bibliotecário Simplificado Usando PHP Rafael Keller Tesser 1, Patrick Pivotto Viera 1 1 Acadêmico do Curso de Ciência da Computação Universidade Federal de Santa Maria (UFSM),

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL ESTRELA TÉCNICO EM INFORMÁTICA SISTEMA DE LOCADORA. Rodrigo Luiz da Rosa

ESCOLA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL ESTRELA TÉCNICO EM INFORMÁTICA SISTEMA DE LOCADORA. Rodrigo Luiz da Rosa ESCOLA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL ESTRELA TÉCNICO EM INFORMÁTICA SISTEMA DE LOCADORA Rodrigo Luiz da Rosa Estrela 2012 EIXO TECNOLÓGICO: Informação e Comunicação TÍTULO: SISTEMA DE LOCADORA AUTOR:

Leia mais

Curso de PHP. FATEC - Jundiaí. Conteúdo do Curso. 40% de aula teórica 60% de aula prática. O que veremos neste semestre?

Curso de PHP. FATEC - Jundiaí. Conteúdo do Curso. 40% de aula teórica 60% de aula prática. O que veremos neste semestre? Curso de PHP FATEC - Jundiaí Conteúdo do Curso 40% de aula teórica 60% de aula prática O que veremos neste semestre? Linguagem PHP Banco de Dados - PostgreSQL PHP - Introdução ao PHP - Estrutura de um

Leia mais

Banco de Dados de Músicas. Andre Lima Rocha Campos Osório Pereira Carvalho

Banco de Dados de Músicas. Andre Lima Rocha Campos Osório Pereira Carvalho Banco de Dados de Músicas Andre Lima Rocha Campos Osório Pereira Carvalho Definição Aplicação Web que oferece ao usuário um serviço de busca de músicas e informações relacionadas, como compositor, interprete,

Leia mais

Ferramentas desenvolvidas internamente não atendem às necessidades de crescimento, pois precisam estar sendo permanentemente aperfeiçoadas;

Ferramentas desenvolvidas internamente não atendem às necessidades de crescimento, pois precisam estar sendo permanentemente aperfeiçoadas; APRESENTAÇÃO O Myself é um sistema de gerenciamento de conteúdo para websites desenvolvido pela Genial Box Propaganda. Seu grande diferencial é permitir que o conteúdo de seu website possa ser modificado

Leia mais

GESTÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS II

GESTÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS II GESTÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS II Servidores Definição Servidores História Servidores Tipos Servidores Hardware Servidores Software Evolução do Windows Server Windows Server 2003 Introdução Windows Server

Leia mais

Módulo 6: Linguagem de Programação IV 6.1. Introdução 6.2. Bases de Dados 6.2.1. Visão Estrutural 6.2.2. SGBD: Sistema de Gestão de Bases de Dados

Módulo 6: Linguagem de Programação IV 6.1. Introdução 6.2. Bases de Dados 6.2.1. Visão Estrutural 6.2.2. SGBD: Sistema de Gestão de Bases de Dados Curso Profissional de Técnico de Multimédia 12ºAno Disciplina: Sistemas de Informação Módulo 6: Linguagem de Programação IV 6.1. Introdução 6.2. Bases de Dados 6.2.1. Visão Estrutural 6.2.2. SGBD: Sistema

Leia mais

INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial

INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial 2 1. O Sistema PrinterTux O Printertux é um sistema para gerenciamento e controle de impressões. O Produto consiste em uma interface web onde o administrador efetua o cadastro

Leia mais

MANUAL DO ADMINISTRADOR DO MÓDULO

MANUAL DO ADMINISTRADOR DO MÓDULO MANUAL DO ADMINISTRADOR DO MÓDULO ÍNDICE Relatórios Dinâmicos... 3 Requisitos de Sistema... 4 Estrutura de Dados... 5 Operadores... 6 Tabelas... 7 Tabelas x Campos... 9 Temas... 13 Hierarquia Relacionamento...

Leia mais

Sistema de Acompanhamento ao Desempenho do Aluno

Sistema de Acompanhamento ao Desempenho do Aluno Sistema de Acompanhamento ao Desempenho do Aluno Manoel Cardoso da Silveira Neto 1, Luciana Vescia Lourega 1 1 Instituto Federal Farroupilha Campus Júlio de Castilhos RS - Brasil Caixa Postal 38 98.130-000

Leia mais

FTIN FORMAÇÃO TÉCNICA EM INFORMÁTICA. Módulo de Programação Prof. Bruno Maciel

FTIN FORMAÇÃO TÉCNICA EM INFORMÁTICA. Módulo de Programação Prof. Bruno Maciel FTIN FORMAÇÃO TÉCNICA EM INFORMÁTICA Módulo de Programação Prof. Bruno Maciel Competências a serem trabalhadas nessa aula Criação da Base de Dados (MySQL) Criação de Tabelas Tipo de Dados Chave Primária

Leia mais

Sistema de Ordens de Serviço HDA Soluções em Informática

Sistema de Ordens de Serviço HDA Soluções em Informática UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS CENTRO POLITÉCNICO Curso Superior de Graduação em ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS Sistema de Ordens de Serviço HDA Soluções em Informática Por AUGUSTO CARRICONDE

Leia mais

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 MANTER FUNCIONÁRIO RELEASE 4.1

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 MANTER FUNCIONÁRIO RELEASE 4.1 DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 MANTER FUNCIONÁRIO RELEASE 4.1 SUMÁRIO DEFINIÇÃO DE REQUISITOS 4 1. INTRODUÇÃO 4 1.1 FINALIDADE 4 1.2 ESCOPO 4 1.3 DEFINIÇÕES, ACRÔNIMOS

Leia mais

Prefeitura de Belo Horizonte. Sistema de Controle de Protocolo

Prefeitura de Belo Horizonte. Sistema de Controle de Protocolo Prefeitura de Belo Horizonte Sistema de Controle de Protocolo Relatório apresentado para concorrer ao 2º Prêmio Inovar BH conforme Edital SMARH nº 001/2014 Belo Horizonte Julho de 2014 Resumo Sendo grande

Leia mais

Sua mais nova e completa ferramenta

Sua mais nova e completa ferramenta TUTORIAL PORTAL CLIENTE LUCIOS Sua mais nova e completa ferramenta SOLICITE SEU ACESSO PRÉ-REQUISITO NAVEGADOR IE MICROSOFT O Navegador IE - Internet Explore, vem instalado como padrão em qualquer distribuição

Leia mais

MANUAL PARA USO DO SISTEMA GCO Gerenciador Clínico Odontológico

MANUAL PARA USO DO SISTEMA GCO Gerenciador Clínico Odontológico MANUAL PARA USO DO SISTEMA GCO Gerenciador Clínico Odontológico O GCO é um sistema de controle de clínicas odontológicas, onde dentistas terão acesso a agendas, fichas de pacientes, controle de estoque,

Leia mais

Symantec Backup Exec 12.5 for Windows Servers. Guia de Instalação Rápida

Symantec Backup Exec 12.5 for Windows Servers. Guia de Instalação Rápida Symantec Backup Exec 12.5 for Windows Servers Guia de Instalação Rápida 13897290 Instalação do Backup Exec Este documento contém os seguintes tópicos: Requisitos do sistema Antes de instalar Sobre a conta

Leia mais

Manual do Usuário Janeiro de 2016

Manual do Usuário Janeiro de 2016 Manual do Usuário Janeiro de 2016 SOBRE CMX CMX é uma interface que dá acesso aos estudantes a milhares de atividades, exercícios e recursos todos posicionados com os padrões e conceitos curriculares.

Leia mais

Tecnologia da Informação. Prof. Esp. Lucas Cruz

Tecnologia da Informação. Prof. Esp. Lucas Cruz Tecnologia da Informação Prof. Esp. Lucas Cruz Componentes da Infraestrutura de TI Software A utilização comercial da informática nas empresas iniciou-se por volta dos anos 1960. O software era um item

Leia mais

Aula 01: Apresentação da Disciplina e Introdução a Conceitos Relacionados a Internet e WEB

Aula 01: Apresentação da Disciplina e Introdução a Conceitos Relacionados a Internet e WEB Aula 01: Apresentação da Disciplina e Introdução a Conceitos Relacionados a Internet e WEB Regilan Meira Silva Professor de Informática do Campus Ilhéus Formação em Ciência da Computação com Especialização

Leia mais

Introdução à Informática

Introdução à Informática Introdução à Informática Aula 23 http://www.ic.uff.br/~bianca/introinfo/ Aula 23-07/12/2007 1 Histórico da Internet Início dos anos 60 Um professor do MIT (J.C.R. Licklider) propõe a idéia de uma Rede

Leia mais

Manual de Instalação

Manual de Instalação Manual de Instalação Sumário 1. Sobre este documento...3 2. Suporte técnico...3 3. Requisitos de hardware...3 3.1. Estação...3 3.2. Servidor...4 4. Instalação...4 4.1. Instalação do Group Folha no servidor...6

Leia mais

Manual de Instalação ProJuris8

Manual de Instalação ProJuris8 Manual de Instalação ProJuris8 Sumário 1 - Requisitos para a Instalação... 3 2 - Instalação do Firebird.... 4 3 - Instalação do Aplicativo ProJuris 8.... 8 4 - Conexão com o banco de dados.... 12 5 - Ativação

Leia mais

MODULO DE GESTÃO MANUTENÇÃO DE MATRÍCULA. O módulo de Gestão tem por objetivo gerenciar as atividades que ocorrem durante um ano letivo.

MODULO DE GESTÃO MANUTENÇÃO DE MATRÍCULA. O módulo de Gestão tem por objetivo gerenciar as atividades que ocorrem durante um ano letivo. MANUTENÇÃO DE MATRÍCULA 1. Informações Gerais. O módulo de Gestão tem por objetivo gerenciar as atividades que ocorrem durante um ano letivo. O item do menu Manutenção de Matrícula tem por objetivo manter

Leia mais

Pós-Graduação em Educação: Novos Paradigmas GUIA DO ALUNO

Pós-Graduação em Educação: Novos Paradigmas GUIA DO ALUNO GUIA DO ALUNO Prezado(a) Aluno(a), O Guia do Aluno é um instrumento normativo que descreve os padrões de qualidade dos processos acadêmicos e administrativos necessários ao desenvolvimento dos cursos de

Leia mais

Manual de Instalação Corporate

Manual de Instalação Corporate Manual de Instalação Corporate Sumário 1. Sobre este documento...3 2. Suporte técnico...3 3. Requisitos de hardware...3 3.1. Estação...3 3.2. Servidor...4 4. Instalação...4 4.1. Instalação do Imobiliária21

Leia mais

MODULO DE GESTÃO MANUTENÇÃO DE MATRÍCULA. O módulo de Gestão tem por objetivo gerenciar as atividades que ocorrem durante um ano letivo.

MODULO DE GESTÃO MANUTENÇÃO DE MATRÍCULA. O módulo de Gestão tem por objetivo gerenciar as atividades que ocorrem durante um ano letivo. MANUTENÇÃO DE MATRÍCULA 1. Informações Gerais. O módulo de Gestão tem por objetivo gerenciar as atividades que ocorrem durante um ano letivo. O item do menu Manutenção de Matrícula tem por objetivo manter

Leia mais

Secullum Acesso.Net ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS. Secullum Acesso.Net. Ficha Técnica. Serviço de Comunicação. Módulo. Estacionamento.

Secullum Acesso.Net ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS. Secullum Acesso.Net. Ficha Técnica. Serviço de Comunicação. Módulo. Estacionamento. ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS Serviço de Comunicação Secullum Acesso.Net Estacionamento Gerencial Integração CFTV Pessoal Recepção Refeitório Automação Sistema Operacional: compatível com Windows XP ou superior

Leia mais

CRM GESTÃO DOS SERVIÇOS AOS CLIENTES

CRM GESTÃO DOS SERVIÇOS AOS CLIENTES Página 1 de 6 Este sistema automatiza todos os contatos com os clientes, ajuda as companhias a criar e manter um bom relacionamento com seus clientes armazenando e inter-relacionando atendimentos com informações

Leia mais

SISTEMAS OPERACIONAIS

SISTEMAS OPERACIONAIS Universidade do Contestado Campus Concórdia Curso de Engenharia Ambiental Prof.: Maico Petry SISTEMAS OPERACIONAIS DISCIPLINA: Informática Aplicada DEFINIÇÃO É um programa de controle do computador. O

Leia mais

Requisitos do Sistema

Requisitos do Sistema PJ8D - 017 ProJuris 8 Desktop Requisitos do Sistema PJ8D - 017 P á g i n a 1 Sumario Sumario... 1 Capítulo I - Introdução... 2 1.1 - Objetivo... 2 1.2 - Quem deve ler esse documento... 2 Capítulo II -

Leia mais

Requisitos Mínimos para Navegar no Portal Progredir

Requisitos Mínimos para Navegar no Portal Progredir Requisitos Mínimos para Navegar no Portal MT-411-00001-4 Última Atualização : 04/07/2013 Requisitos Mínimos para Navegar no Portal Objetivo: Este documento tem como objetivo disponibilizar informações

Leia mais

Manual do Usuário Sistema Podológico 2007 AFA Assessoria e Informática Ltda. www.afa.inf.br

Manual do Usuário Sistema Podológico 2007 AFA Assessoria e Informática Ltda. www.afa.inf.br AFA Assessoria e Informática Ltda. www.afa.inf.br Índice INTRODUCAO SISTEMA PODOLOGICO 2007... 4 REQUISITOS DE HARDWARE E SOFTWARE... 5 MSDE vs. SQL SERVER... 5 PADRÕES E CARACTERISTICAS NAS TELAS DO SISTEMA...

Leia mais

Sumário. Capítulo 1 O que é o PHP?... 19. Capítulo 2 Instalação do PHP... 23. Capítulo 3 Noções básicas de programação... 25

Sumário. Capítulo 1 O que é o PHP?... 19. Capítulo 2 Instalação do PHP... 23. Capítulo 3 Noções básicas de programação... 25 9 Sobre o autor... 8 Introdução... 15 Capítulo 1 O que é o PHP?... 19 Características do PHP...20 Gratuito e com código aberto...20 Embutido no HTML...20 Baseado no servidor...21 Bancos de dados...22 Portabilidade...22

Leia mais

Programação WEB Introdução

Programação WEB Introdução Programação WEB Introdução Rafael Vieira Coelho IFRS Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Campus Farroupilha rafael.coelho@farroupilha.ifrs.edu.br Roteiro 1) Conceitos

Leia mais

Microsoft Internet Explorer. Browser/navegador/paginador

Microsoft Internet Explorer. Browser/navegador/paginador Microsoft Internet Explorer Browser/navegador/paginador Browser (Navegador) É um programa que habilita seus usuários a interagir com documentos HTML hospedados em um servidor web. São programas para navegar.

Leia mais

Tecnologia WEB III. Prof. Erwin Alexander Uhlmann. PHP e MySQL. UHLMANN, Erwin Alexander. Introdução ao PHP. Instituto Siegen. Guarulhos, 2012.

Tecnologia WEB III. Prof. Erwin Alexander Uhlmann. PHP e MySQL. UHLMANN, Erwin Alexander. Introdução ao PHP. Instituto Siegen. Guarulhos, 2012. Tecnologia WEB III Prof. Erwin Alexander Uhlmann PHP e MySQL UHLMANN, Erwin Alexander. Introdução ao PHP. Instituto Siegen. Guarulhos, 2012. Agradecimentos Agradeço à minha esposa Kátia por entender minha

Leia mais

ANDERSON CELECINO BRITO DE SOUZA CASSIANO MACHADO INÁCIO JACKSON BRUTKOWSKI VIEIRA DA COSTA LOJA VIRTUAL

ANDERSON CELECINO BRITO DE SOUZA CASSIANO MACHADO INÁCIO JACKSON BRUTKOWSKI VIEIRA DA COSTA LOJA VIRTUAL ANDERSON CELECINO BRITO DE SOUZA CASSIANO MACHADO INÁCIO JACKSON BRUTKOWSKI VIEIRA DA COSTA LOJA VIRTUAL CURITIBA 2004 ANDERSON CELECINO BRITO DE SOUZA CASSIANO MACHADO INÁCIO JACKSON BRUTKOWSKI VIEIRA

Leia mais

TNT Radar Manual do Usuário Versão 2.1 Fevereiro 2015.

TNT Radar Manual do Usuário Versão 2.1 Fevereiro 2015. TNT Radar Manual do Usuário Versão 2.1 Fevereiro 2015. Sumário 1 - Objetivo deste manual.... 3 2 - Bem vindo ao TNT Radar.... 4 3 - Perguntas e respostas sobre a ferramenta TNT Radar.... 5 4 - Acesso a

Leia mais

SISTEMA PARA CONTROLE DE RESERVA DE EQUIPAMENTOS MULTIMEIOS E AMBIENTES DE APRENDIZAGEM

SISTEMA PARA CONTROLE DE RESERVA DE EQUIPAMENTOS MULTIMEIOS E AMBIENTES DE APRENDIZAGEM SISTEMA PARA CONTROLE DE RESERVA DE EQUIPAMENTOS MULTIMEIOS E AMBIENTES DE APRENDIZAGEM Marcelo Karpinski Brambila Acadêmico em Sistemas de Informação Universidade Luterana do Brasil Guaíba mkbrambila@connect-rs.com.br

Leia mais

PROVA BRASIL NO VISUAL CLASS

PROVA BRASIL NO VISUAL CLASS PROVA BRASIL NO VISUAL CLASS A Caltech Informática desenvolveu 2 soluções alternativas para simulação da Prova Brasil utilizando o Software de Autoria Visual Class: A) Utilizando o pacote Visual Class

Leia mais

O programa Mysql acompanha o pacote de instalação padrão e será instalado juntamente com a execução do instalador.

O programa Mysql acompanha o pacote de instalação padrão e será instalado juntamente com a execução do instalador. INTRODUÇÃO O Programa pode ser instalado em qualquer equipamento que utilize o sistema operacional Windows 95 ou superior, e seu banco de dados foi desenvolvido em MySQL, sendo necessário sua pré-instalação

Leia mais

Construindo Aplicações Web com. PHPe MySQL. André Milani. Novatec

Construindo Aplicações Web com. PHPe MySQL. André Milani. Novatec Construindo Aplicações Web com PHPe MySQL André Milani Novatec Capítulo 1 Bem-vindo ao PHP Seja bem-vindo ao PHP! O primeiro capítulo deste livro aborda como obter, instalar e configurar corretamente o

Leia mais

Portal Petronect. Objetivo. Requisitos Mínimos - Hardware

Portal Petronect. Objetivo. Requisitos Mínimos - Hardware Requisitos Mínimos Objetivo Este documento tem como objetivo disponibilizar informações ao fornecedor de modo a auxiliar a utilização do Portal Petronect, tornando a Navegação mais rápida e eficiente Requisitos

Leia mais

Kaspersky Endpoint Security e o gerenciamento. Migração e novidades

Kaspersky Endpoint Security e o gerenciamento. Migração e novidades Kaspersky Endpoint Security e o gerenciamento. Migração e novidades Treinamento técnico KL 202.10 Treinamento técnico KL 202.10 Kaspersky Endpoint Security e o gerenciamento. Migração e novidades Migração

Leia mais

Manual de Instalação

Manual de Instalação Manual de Instalação Produto: n-server Versão: 4.5 Versão do Doc.: 1.0 Autor: César Dehmer Trevisol Data: 13/12/2010 Aplica-se à: Clientes e Revendas Alterado por: Release Note: Detalhamento de Alteração

Leia mais

Afinal o que é HTML?

Afinal o que é HTML? Aluno : Jakson Nunes Tavares Gestão e tecnologia da informacão Afinal o que é HTML? HTML é a sigla de HyperText Markup Language, expressão inglesa que significa "Linguagem de Marcação de Hipertexto". Consiste

Leia mais

SMART Sync 2010 Guia prático

SMART Sync 2010 Guia prático SMART Sync 2010 Guia prático Simplificando o extraordinário Registro do produto Se você registrar o seu produto SMART, receberá notificações sobre novos recursos e atualizações de software. Registre-se

Leia mais

Nexcode Systems, todos os direitos reservados. Documento versão 15.1.1 1

Nexcode Systems, todos os direitos reservados. Documento versão 15.1.1 1 Nexcode Systems, todos os direitos reservados. Documento versão 15.1.1 1 1 - INTRODUÇÃO NEXCODE NOTE, também conhecido como NEXNOTE, é um conjunto de soluções de software desenvolvidas sob a plataforma

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Informação e Comunicação CURSO: Técnico em Informática FORMA/GRAU:( X ) Integrado ( ) Subsequente ( ) Concomitante ( ) Bacharelado ( ) Licenciatura ( ) Tecnólogo

Leia mais

AFRE. a. ( ) Instalando um programa gerenciador de carregamento, como o LILO ou o GRUB. a. ( ) Data Werehouse ; Internet ; Linux

AFRE. a. ( ) Instalando um programa gerenciador de carregamento, como o LILO ou o GRUB. a. ( ) Data Werehouse ; Internet ; Linux 1. De que forma é possível alterar a ordem dos dispositivos nos quais o computador procura, ao ser ligado, pelo sistema operacional para ser carregado? a. ( ) Instalando um programa gerenciador de carregamento,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO CURSO DE BIBLIOTECONOMIA DÉBORA DE MEIRA PADILHA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO CURSO DE BIBLIOTECONOMIA DÉBORA DE MEIRA PADILHA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO CURSO DE BIBLIOTECONOMIA DÉBORA DE MEIRA PADILHA PROPOSTA DE IMPLANTAÇÃO DO SOFTWARE PERGAMUM NA ESCOLA BÁSICA DR. PAULO FONTES Florianópolis

Leia mais

TOTVS Série 1 Saúde. CASE Hospital do Círculo. Diego Tatsch TOTVS Saúde / Maio- 2011

TOTVS Série 1 Saúde. CASE Hospital do Círculo. Diego Tatsch TOTVS Saúde / Maio- 2011 1 TOTVS Série 1 Saúde CASE Hospital do Círculo Diego Tatsch TOTVS Saúde / Maio- 2011 2 TOTVS Série 1 Saúde Apresentação I) Produto Série 1 Saúde II) Especialidades específicas III) TISS IV) Segurança I)

Leia mais

O curso aborda como criar sistemas com php e mysql utilizando a integração do Dreamweaver, sem a necessidade de programação.

O curso aborda como criar sistemas com php e mysql utilizando a integração do Dreamweaver, sem a necessidade de programação. Descrição do curso O curso aborda como criar sistemas com php e mysql utilizando a integração do Dreamweaver, sem a necessidade de programação. O aluno aprenderá a criar sistemas de cadastro, alteração,

Leia mais

Guia de instalação do Sugar CRM versão open source no Microsoft Windows XP

Guia de instalação do Sugar CRM versão open source no Microsoft Windows XP Guia de instalação do Sugar CRM versão open source no Microsoft Windows XP Noilson Caio Teixeira de Araújo Sugar CRM é um software de código fonte aberto (open source) que permite uma organização para

Leia mais

Desenvolvendo Websites com PHP

Desenvolvendo Websites com PHP Desenvolvendo Websites com PHP 2ª Edição Juliano Niederauer Novatec Copyright 2009, 2011 da Novatec Editora Ltda. Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei 9.610 de 19/02/1998. É proibida a reprodução

Leia mais

UniFOA Centro Universitário de Volta Redonda Prof. Érick de S. Carvalho LabBD2Aula01A 1

UniFOA Centro Universitário de Volta Redonda Prof. Érick de S. Carvalho LabBD2Aula01A 1 Aula 01 (Aula Inicial) Esta é a primeira aula do semestre e o primeiro contato entre: os alunos, o professor e a disciplina. Vamos conhecer o Professor, sua experiência e capacitação em lecionar esta disciplina;

Leia mais

ACESSO PARA OS CURSOS DO DIGITAL BASIC INFORMÁTICA POR 6 MESES

ACESSO PARA OS CURSOS DO DIGITAL BASIC INFORMÁTICA POR 6 MESES ACESSO PARA OS CURSOS DO DIGITAL BASIC INFORMÁTICA POR 6 MESES Para ter acesso às aulas interativas do Digital Basic Informática por 6 meses, siga os passos abaixo: A contagem do prazo de acesso de 6 meses

Leia mais

APOSTILA DE LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO IV

APOSTILA DE LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO IV APOSTILA DE LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO IV CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO PROF. ERWIN ALEXANDER UHLMANN Universidade Guarulhos Página 1 Agradecimentos Agradeço a todos os alunos que com suas dúvidas me ajudaram a

Leia mais

Biblioteca de Laboratórios Virtuais Uma Proposta para o Colégio Militar de Salvador

Biblioteca de Laboratórios Virtuais Uma Proposta para o Colégio Militar de Salvador Biblioteca de Laboratórios Virtuais Uma Proposta para o Colégio Militar de Salvador EDSON CORREA PESSOA + 1 WELLINGTON GOMES BORGES + 2 GUSTAVO HENRIQUE DOS SANTOS + 3 Resumo. Este artigo trata sobre a

Leia mais

Manual de Utilização Portal Petronect MT-212-00061-3

Manual de Utilização Portal Petronect MT-212-00061-3 Manual de Utilização Portal Petronect MT-212-00061-3 Última Atualização 26/05/2015 Portal Petronect Objetivo: Este documento tem como objetivo disponibilizar informações ao fornecedor de modo a auxiliar

Leia mais

FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DE SERGIPE

FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DE SERGIPE FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DE SERGIPE Manual de Configuração da conta Live@Edu Aracaju/SE 2009 Sumário Apresentação... 3 1. Solicitando ativação no Live@Edu... 4 2. Efetuando o primeiro acesso...

Leia mais

TUTORIAIS COMO ABRIR UM DNS. Prof. Celso Masotti

TUTORIAIS COMO ABRIR UM DNS. Prof. Celso Masotti TUTORIAIS COMO ABRIR UM DNS Prof. Celso Masotti São Paulo - 2009 A estrutura completa de um nome para navegação é: www.dns.dpn.cctld Não entendeu? E se eu colocar dessa forma? www.parafusos.com.br I -

Leia mais

PHP AULA1. Prof. Msc. Hélio Esperidião

PHP AULA1. Prof. Msc. Hélio Esperidião PHP AULA1 Prof. Msc. Hélio Esperidião NAVEGADOR O navegador também conhecido como web browseré um programa que habilita seus usuários a interagirem com documentos hospedados em um servidor Web. SERVIDOR

Leia mais

Guia de Consulta Rápida. PHP com XML. Juliano Niederauer. Terceira Edição. Novatec

Guia de Consulta Rápida. PHP com XML. Juliano Niederauer. Terceira Edição. Novatec Guia de Consulta Rápida PHP com XML Juliano Niederauer Terceira Edição Novatec Copyright 2002 da Novatec Editora Ltda. Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei 9.610 de 19/02/1998. É proibida

Leia mais

APRESENTAÇÃO DO SOFTWARE. Secullum Sistemas de Ponto e Acesso. Secullum Mini Academia.net

APRESENTAÇÃO DO SOFTWARE. Secullum Sistemas de Ponto e Acesso. Secullum Mini Academia.net APRESENTAÇÃO DO SOFTWARE Objetivo Controle o acesso de alunos, instrutores e funcionários em sua academia, bloqueando inadimplentes e mantendo o cadastro completo. Através de uma interface amigável ele

Leia mais