JEAN PAULO DE ALMEIDA SILVA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "JEAN PAULO DE ALMEIDA SILVA"

Transcrição

1 JEAN PAULO DE ALMEIDA SILVA ESTÁGIO CURRICULAR I E II DESENVOLVIMENTO DE UM SISTEMA WEB NA EMPRESA SOFTIN SISTEMAS EMPRESA: Softin Sistemas Ltda. SETOR: Desenvolvimento SUPERVISOR: Rodrigo Rolandi Bertero ORIENTADOR: Janine Kniess CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS CCT UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC JOINVILLE SANTA CATARINA BRASIL JUNHO/2013

2 APROVADO EM.../.../... Professora Janine Kniess Doutor em Ciência da Computação Professor Orientador Professor Alexandre Gonçalves Silva Doutor em Engenharia Elétrica Professor Kariston Pereira Doutor em Engenharia e Gestão do Conhecimento Rodrigo Rolandi Bertero Bacharel em Sistemas de Informação Supervisor da Concedente

3 UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS CCT RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR FOLHA DE AVALIAÇÃO FINAL Carimbo da Empresa UNIDADE CONCEDENTE Razão Social: Softin Sistemas Ltda. CNPJ: / Endereço: Iririú, 847 Bairro: Saguaçú. CEP: Cidade: Joinville UF: SC Fone: (47) Atividade Principal: Suporte Técnico, Manutenção e Outros Serviços em Informática. Supervisor: Rodrigo Rolandi Bertero Cargo: Analista de Sistema ESTAGIÁRIO Nome: Jean Paulo de Almeida Silva Matrícula: Endereço: Farroupilha, 468 Bairro: Floresta. CEP: Cidade: Joinville UF: SC Fone (47) Curso: Ciência da Computação Título do Estágio: Estágio Curricular I e II Desenvolvimento de um Sistema Web na Empresa Softin Sistemas Período: 01/03/2013 a 28/05/2013 Carga horária: 360 horas AVALIAÇÃO FINAL DO ESTÁGIO PELO CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS Representada pelo Professor de Estágio: Janine Kniess CONCEITO FINAL Excelente (9,1 a 10) Muito Bom (8,1 a 9,0) Bom (7,1 a 8,0) Regular (5,0 a 7,0) Reprovado (0,0 a 4,9) NOTA Rubrica do Professor de Estágio Local e Data:

4 UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS CCT RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR AVALIAÇÃO DO ESTAGIÁRIO PELA EMPRESA Nome do Estagiário: Jean Paulo de Almeida Silva QUADRO I a) AVALIAÇÃO NOS ASPECTOS PROFISSIONAIS Pontos 1 - QUALIDADE DO TRABALHO Considerando o possível 2 - ENGENHOSIDADE Capacidade de sugerir, projetar, executar modificações ou inovações. 3 - CONHECIMENTO Demonstrado no desenvolvimento das atividades programadas. 4 - CUMPRIMENTO DAS TAREFAS Considerar o volume de atividades dentro do padrão razoável. 5 - ESPÍRITO INQUISITIVO Disposição demonstrada para aprender. 6 - INICIATIVA No desenvolvimento das atividades. SOMA Pontuação para o Quadro I e II: Sofrível 1 ponto, Regular 2 pontos, Bom 3 pontos, Muito Bom 4 pontos, Excelente 5 pontos. QUADRO II b) AVALIAÇÃO DOS ASPECTOS HUMANOS Pontos 1 ASSIDUIDADE Cumprimento do horário e ausência de falhas. 2 DISCIPLINA Observância das normas internas da empresa. 3 SOCIABILIDADE Facilidade de se integrar com os outros no ambiente de trabalho. 4 COOPERAÇÃO Disposição para cooperar com os demais para atender as atividades. 5 SENSO DE RESPONSABILIDADE Zelo pelo material, equipamentos e bens da empresa. SOMA c) AVALIAÇÃO FINAL Pontos SOMA do Quadro I multiplicada por 7 SOMA do Quadro II multiplicada por 3 SOMA TOTAL LIMITES PARA De 57 a 101 Sofrível De 102 a 146 Regular De 148 a 194 Bom De 195 a 240 Muito bom De 241 a 285 Excelente Nome da Empresa: Softin Sistemas Ltda. Representada pelo Supervisor: Rodrigo Rolandi Bertero CONCEITO CONFORME SOMA TOTAL Rubrica do Supervisor da Empresa Local: Data: Carimbo da Empresa

5 UNIVERSIDADE DO ESTADO DESANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS PLANO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO ESTAGIÁRIO Nome: Jean Paulo de Almeida Silva Matrícula: Endereço: Farroupilha, 468 Bairro: Floresta. CEP: Cidade: Joinville UF: SC Fone: (47) Regularmente matriculado no semestre: 1/2013 Curso: Ciência da Computação Formatura (prevista) Semestre/Ano: 2/2013 UNIDADE CONCEDENTE Razão Social: Softin Sistemas Ltda. CNPJ: / Endereço: Iririú, 847 Bairro: Saguaçú. CEP: Cidade: Joinville UF: SC Fone: (47) Atividade Principal: Suporte Técnico, Manutenção e Outros Serviços em Informática. Supervisor: Rodrigo Rolandi Bertero Cargo: Analista de Sistema DADOS DO ESTÁGIO Área de atuação: DesenvolvimentoWeb Departamento de atuação: Desenvolvimento.NET Total de horas do Estágio: 360 Horário do estágio: Segunda (07:00 12:00) Total de horas semanais: 30 Terça (07:00 12:00) Quarta (07:00 12:00) Quinta (07:00 12:00) Sexta (07:00 12:00) Sábado (07:00 12:00) Período: 01/03/2013 até 28/05/2013 Nome do Professor Orientador: Janine Kniess Departamento: Departamento de Ciência da Computação Disciplina(s) simultânea(s) com o estágio Quantas: 4 Quais: Sistemas Multimídia (SMU), Interconexão de Redes de Computadores (TOCI-09), Animação por Computador (TOCI-13) e Trabalho de Conclusão de Curso I (TCC-I). OBJETIVO GERAL Desenvolvimento de um sistema para web que tem a função de realizar o gerenciamento de assistência técnica. O sistema incluirá módulos responsáveis por realizar controle de estoque, controle de fluxo de caixa, criação de ordem de serviço e agendamento de visitas técnicas. Desenvolver novas rotinas para os sistemas já comercializados pela empresa.

6 ATIVIDADES OBJETIVO ESPECÍFICO HORAS 1. TREINAMENTO Conhecer as ferramentas a serem utilizadas para o desenvolvimento e manutenção (este inclui IDEs e sistema de controle de versão de código fonte). Conhecer as tecnologias empregadas no dia a dia da empresa para desenvolvimento de sistemas. Entender o escopo do sistema e o que deverá ser desenvolvido. 60hrs 2. DESENVOLVIMENTO DE NOVAS FUNCIONALIDADES Desenvolvimento de formulários Desenvolvimento de relatórios. Desenvolvimento de rotinas de controle. Correções de erros relatados pela área de testes da empresa. 150hrs 3. MANUTENÇÃO DOS SISTEMAS DESENVOLVIDOS PELA EMPRESA Desenvolver novas rotinas para os sistemas já comercializados pela empresa. Efetuar alterações requisitadas pelos analistas. 80hrs 4. DESENVOLVIMENTO DE FERRAMENTAS AUXILIARES Projetar e implementar aplicativos que auxiliem os programadores nas atividades de testes ou validações. Desenvolver novas funcionalidades para o framework da empresa que será utilizado no desenvolvimento do sistema de gerenciamento de assistência técnica. 70hrs Assinatura do Acadêmico Carimbo da Empresa Assinatura do Supervisor da Empresa Data: Data: Assinatura do Professor Orientador Assinatura do Membro do Comitê de Estágio Assinatura do Coordenador de Estágio Data: Data: Data:

7 LISTA DE ABREVIATURAS ANSI API CLI CLR CNPJ CPF CRUD DCL DDL DML EFD ERP HQL IBM IDE IL MSDN RIA SGBD SPED SQL TFS T-SQL UD WPF XAML XML American National Standards Institute Application Programming Interface Common Language Infrastructure Common Language Runtime Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica Cadastro de Pessoas Físicas Create, Read, Update and Delete Data Control Language Data Definition Language Data Manipulation Language Escrituração Fiscal Digital Enterprise resource planning Hibernate Query Language International Business Machines Integrated Development Environment Intermediate Language Microsoft Developer Network Rich Internet Application Sistema de Gerenciamento de Banco de Dados Sistema Público de Escrituração Digital Structured Query Language Team Foundation Server Transact - Structured Query Language Utilização diária Windows Presentation Foundation extensible Application Markup Language extensible Markup Language

8 SUMÁRIO RESUMO INTRODUÇÃO OBJETIVO GERAL OBJETIVOS ESPECÍFICOS JUSTIFICATIVA ESTRUTURA DO RELATÓRIO A EMPRESA APRESENTAÇÃO MISSÃO PRODUTOS ESTRUTURA FERRAMENTAS E LINGUAGENS UTILIZADAS NO ESTÁGIO MICROSOFT FRAMEWORK.NET LINGUAGEM C# SILVERLIGHT MICROSOFT VISUAL STUDIO FRAMEWORK NHIBERNATE MICROSOFT SQL SERVER SQL METODOLOGIA SCRUM ATIVIDADES DESENVOLVIDAS ATIVIDADES DE TREINAMENTO APRESENTAÇÃO DAS FERRAMENTAS E TECNOLOGIAS APRESENTAÇÃO DO ESCOPO DO PROJETO SIMPS TRANSFORMATION WEB APRESENTAÇÃO DO ESCOPO DO PORTAL DE FERRAMENTAS ARQUITETURA DOS SISTEMAS PRIMEIRA ATIVIDADE DE DESENVOLVIMENTO DESENVOLVIMENTO DE ROTINAS E FUNCIONALIDADES PARA O SIMPS TRANFORMATION WEB... 27

9 4.2.1 DESENVOLVIMENTO DE FORMULÁRIOS DESENVOLVIMENTO DE RELATÓRIOS DESENVOLVIMENTO DE ROTINAS DE CONTROLE CORREÇÃO DE ERROS MANUTENÇÃO DOS SISTEMAS JÁ COMERCIALIZADOS PELA EMPRESA DESENVOLVIMENTO DE NOVAS ROTINAS NO PORTAL DE FERRAMENTAS ALTERAÇÕES NO PORTAL DE FERRAMENTAS DESENVOLVIMENTO DE FERRAMENTAS AUXILIARES ALTERAÇÕES NO FRAMEWORK EVOLUTION FERRAMENTAS AUXILIARES AVALIAÇÃO DE RESULTADOS CONCLUSÕES REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS... 51

10 LISTA DE FIGURAS Figura 1 Placar de boliche em Silverlight Figura 2 Diagrama de classes do período de atendimento Figura 3 Tela de período de atendimento Figura 4 Tela de consulta de lista de preço Figura 5 Tela de roteiro de ordem de serviço Figura 6 Tela de criação de ordem de serviço Figura 7 Tela de consulta de ordem de serviço Figura 8 Tela de roteiro de ordem de serviço Figura 9 Pop-up de formação de preço Figura 10 Tela de login Figura 11 Tela de login com suporte as línguas: inglês e espanhol Figura 12 Tela de calendário da assistência técnica Figura 13 Tela de consulta de peças sem giro Figura 14 Tela de assistência técnica Figura 15 Painel de gerenciamento Visão de peças assistência técnica Figura 16 Tela de calendário da assistência técnica Figura 17 Planilha do Excel sobre o painel de gerenciamento Visão de peças Figura 18 Tela principal do QueryTester Figura 19 Tela principal do GenerateCode Figura 20 Tela para criação de classes do GenerateCode... 46

11 LISTA DE QUADROS Quadro 1 Script em HQL para a tela de consulta de lista de preço Quadro 2 Parte do método que calcula as etapas para formação de preço Quadro 3 Solução para a tradução do login Quadro 4 Script em HQL para a consulta de peças sem giro Quadro 5 Método para a validação de CNPJ Quadro 6 Parte da solução para o alinhamento do grid... 43

12 11 RESUMO Neste trabalho são descritas as atividades realizadas durante o período de 01/03/2013 até 28/05/2013 na empresa Softin Sistemas Ltda. com o objetivo de validar as disciplinas de estágio curricular obrigatório I e II pertinentes ao Curso de Ciência da Computação da Universidade do Estado de Santa Catarina. A empresa Softin Sistemas atualmente está desenvolvendo um sistema denominado Simps Transformation Web cujo escopo é uma aplicação semelhante ao sistema Simps já comercializado pela empresa. Porém o Simps Transformation Web é voltado para Web e utiliza a tecnologia Web Silverlight. O Simps é um sistema direcionado para empresas que atuam como prestadoras de serviços de assistência técnica e visa atender e aprimorar os processos e rotinas internas com eliminação de retrabalho e redução de custos. À vista disso, o foco do estágio está em desenvolver um sistema para atender as empresas prestadoras de serviço de assistência técnica nos seguintes aspectos: criação, agendamento, roteirização de ordem de serviço, controle de estoque, formação de preço, gerenciamento financeiro, emissão de nota fiscal, entre outros. Para a realização do desenvolvimento do projeto, foram utilizados conceitos aprendidos na universidade unindo a prática com a teoria. Em alguns momentos do desenvolvimento, surgiram dificuldades, como por exemplo, a implementação de sincronização de threads. O conhecimento obtido durante o curso de Ciência da Computação, serviu de base para que o estagiário encontrasse soluções para estes desafios. Durante o estágio também foram desenvolvidas novas rotinas para o Portal de Ferramentas que tem por funcionalidade proporcionar à empresa Whirlpool a opção de gerenciar a venda de peças para suas assistências técnicas autorizadas garantindo que a empresa prestadora de serviço sempre possua informações sobre as peças necessárias para realizar um serviço.

13 12 1. INTRODUÇÃO Neste relatório serão descritas as atividades realizadas para a disciplina de estágio obrigatório na empresa Softin Sistemas, para a conclusão do curso de Ciência da Computação. Durante o período do estágio foram desenvolvidas telas e rotinas para o Simps Transformation Web, atendendo as requisições da área de negócio da empresa. A área de negócio da Softin Sistemas é responsável por definir quais telas, rotinas e funcionalidades serão adicionadas ao novo sistema desenvolvido pela empresa. O Simps Transformation Web foi projetado para atender e aprimorar os processos e rotinas internas com eliminação de retrabalho e redução de custos de empresas que atuam como prestadoras de serviços de assistência técnica. O estagiário também ficou responsável por realizar a manutenção do Portal de Ferramentas, corrigindo erros relatados pelo cliente Whirlpool e adicionando novas funcionalidades e validações segundo requisições feitas pela área de negócios da Softin Sistemas. Neste relatório serão apresentadas as ferramentas, tecnologias e conceitos utilizados durante o período de estágio, além das atividades mencionadas a cima. 1.1 OBJETIVO GERAL Desenvolvimento de um sistema para web conhecido como Simps Transformation Web, que tem a função de realizar o gerenciamento de assistências técnicas. O sistema incluirá módulos responsáveis por realizar controle de estoque, controle de fluxo de caixa, criação de ordem de serviço e agendamento de visitas técnicas. Desenvolvimento de novas rotinas para os sistemas já comercializados pela empresa. 1.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS Os objetivos específicos que devem ser atendidos durante o estágio são descritos abaixo: Conhecer as ferramentas a serem utilizadas para o desenvolvimento e manutenção (inclui Integrated Development Environment - IDE e sistema de controle de versão de código fonte).

14 13 Conhecer as tecnologias empregadas no dia a dia da empresa para desenvolvimento de sistemas. Entender o escopo do sistema e o que deverá ser desenvolvido. Desenvolvimento de formulários. Desenvolvimento de relatórios. Desenvolvimento de rotinas de controle. Correções de erros relatados pela área de testes da empresa. Desenvolver novas rotinas para os sistemas já comercializados pela empresa. Efetuar alterações requisitadas pelos analistas no Portal de Ferramentas. Projetar e programar aplicativos que auxiliem os programadores nas atividades de testes ou validações. Desenvolver novas funcionalidades para o framework da empresa que será utilizado no desenvolvimento do sistema Simps Transformation Web. 1.3 JUSTIFICATIVA Visando atender aos objetivos específicos estabelecidos, o estágio focou no desenvolvimento de um sistema para Web denominado Simps Transformation Web que apresenta funções e rotinas que facilitam no desenvolvimento e no gerenciamento de tarefas dentro das empresas prestadoras de serviço de assistência técnica. Além disso, houve uma demanda em desenvolver novas rotinas e realizar a manutenção de telas requisitadas pela cliente Whirlpool para o Portal de Ferramentas disponibilizado pela empresa Softin Sistemas. Portanto, para a empresa houve a necessidade de contratação do estagiário para que junto de uma equipe, fosse capaz de atender a essa demanda. 1.4 ESTRUTURA DO RELATÓRIO Este relatório encontra-se divido em quatro capítulos. No segundo capítulo são apresentadas as informações sobre a empresa Softin Sistemas, unidade concedente do estágio curricular obrigatório. No terceiro capítulo, são apresentadas as tecnologias e ferramentas utilizadas durante o período de estágio.

15 14 O quarto capítulo aborda as rotinas e telas desenvolvidas para o sistema Simps Transformation Web e para o Portal de Ferramentas, além das modificalções realizadas no framework da empresa, o Evolution. Por fim, serão apresentadas as conclusões finais e as referências bibliográficas deste relatório.

16 15 2. A EMPRESA Neste capítulo será apresentada a empresa Softin Sistemas, unidade concedente do estágio curricular obrigatório relatado neste documento. 2.1 APRESENTAÇÃO O propósito da Softin Sistemas é acompanhar, ajustar-se e evoluir juntamente com as transformações dos contextos tecnológicos e econômicos, criando soluções orientadas às necessidades de seus parceiros, fazendo uso dos diversos recursos tecnológicos e humanos disponíveis e aplicáveis, compartilhando conhecimento e experiências, fornecendo soluções completas com ótima qualidade e um suporte técnico competente (SOFTIN, 2013a). 2.2 MISSÃO Desenvolver soluções em softwares que atendam as necessidades dos nossos clientes e parceiros, superando suas expectativas e inovando sempre, para que estes façam a diferença no mercado em que atuam (SOFTIN, 2013a). 2.3 PRODUTOS Os produtos comercializados pela Softin Sistemas alcançam todo o território nacional e atendem às empresas dos mais variados portes e segmentos de mercado (SOFTIN, 2013a). Para empresas que atuam como prestadores de serviços e visam atender e aprimorar os processos e rotinas internas com eliminação de retrabalho e redução de custos, a Softin apresenta a família de sistemas Simps que fornece as informações necessárias para a execução do serviço visando obter a maior produtividade possível, permitindo que a gerência da empresa monitore os resultados e providencie os ajustes necessários (SOFTIN, 2013b). O sistema Soltax comercializado pela empresa, tem como objetivo a geração do Sistema Público de Escrituração Digital (SPED) conforme a receita, reduzindo o tempo de verificação de notas, evitando possíveis erros e facilitando a correção das informações. O SPED tem como objetivo a criação da Escrituração Fiscal Digital (EFD), onde constam as informações de interesse do Fisco e da Receita Federal (SOFTIN, 2013b).

17 16 O sistema Service Master foi desenvolvido exclusivamente para integrar, padronizar, automatizar e agilizar todos os processos existentes entre a fábrica e a Rede de Serviços Autorizados, entre eles, o gerenciamento de garantias e o fornecimento de peças (SOFTIN, 2013b). Além destes sistemas, a Softin oferece um ERP denominado Agines Network que visa atender inúmeras necessidades na gestão empresarial, permitindo facilitar o uso das informações, disponibilizando um controle eficaz dos processos que integram os diversos setores da empresa como logística, financeiro, planejamento e controle da produção e faturamento. O Agines Network atende os segmentos industriais e ferramenteiros, de serviços e de comércio (SOFTIN, 2013b). O mais novo produto desenvolvido pela Softin Sistemas é o Portal de Ferramentas. Este tem por função proporcionar à empresa Whirlpool a opção de gerenciar a venda de peças para suas assistências técnicas autorizadas, garantindo que a empresa prestadora de serviço sempre possua as peças necessárias para realizar um serviço. Desta forma, a assistência técnica aumenta a qualidade do serviço prestado e reduz o tempo dos clientes na espera por peças. Consequentemente, a Whirlpool garante que suas assistências técnicas autorizadas não tenham peças desnecessárias, armazenando apenas o número suficiente que será utilizado em seus atendimentos. 2.4 ESTRUTURA Atualmente, a Softin é composta de oito setores (administrativo, recursos humanos, vendas, pós-vendas, suporte, desenvolvimento Delphi e desenvolvimento.net). O setor administrativo tem como objetivo gerenciar e conduzir o desenvolvimento da Softin. O setor de recursos humanos atua no gerenciamento de atividades de recursos humanos da empresa. O setor de vendas é responsável por contatar o usuário e comercializar os produtos desenvolvidos. O pós-venda realiza a implantação dos sistemas e fornece treinamentos aos usuários através de consultores, técnicos, livros e apostilas especializadas. O suporte técnico é responsável por realizar o serviço de atendimento ao cliente da Softin, solucionando as eventuais dificuldades encontradas pelo usuário. O desenvolvimento Delphi é responsável pela manutenção e fornecimento de melhorias em grande parte dos produtos comercializados pela Softin, exceto pelo Soltax e o Portal de Ferramentas. O setor de desenvolvimento.net fornece suporte ao sistema Soltax e ao Portal de Ferramentas e é responsável pelo projeto do Simps Transformation Web. Esse projeto será descrito com mais detalhes na Seção 4.1.

18 17 3. FERRAMENTAS E LINGUAGENS UTILIZADAS NO ESTÁGIO Neste capítulo serão apresentadas as ferramentas, tecnologias e metodologias de desenvolvimento que foram utilizadas durante o período do estágio. 3.1 MICROSOFT FRAMEWORK.NET O Microsoft Framework.NET, ou comumente denominado de.net é um framework, ou seja, é um conjunto de tecnologias desenvolvidas pela Microsoft que oferecem vários serviços que facilitam o desenvolvimento e a manutenção, além de fornecerem confiabilidade e segurança (MSDN, 2013a). Esta tecnologia fornece um ambiente de execução de aplicações que proporciona uma variedade de serviços para os aplicativos em execução, além de possibilitar que o programa gerado para o.net possa ser executado em qualquer outro dispositivo que tenha o framework correspondente de tal plataforma (MSDN, 2013a). Microsoft Framework.NET é composto por dois componentes principais: o Common Language Runtime (CLR) e a biblioteca de classes do.net Framework (MSDN, 2013b). O CLR é a implementação comercial da Microsoft da infraestrutura de linguagem comum (CLI), um padrão internacional que é a base para a criação e execução de ambientes de desenvolvimento em que as linguagens e as bibliotecas trabalham juntas, evitando problemas de incompatibilidade de código (MSDN, 2013b). A biblioteca de classes do framework.net fornece um conjunto de códigos testados, reutilizáveis que os desenvolvedores podem chamar a partir de seus próprios aplicativos. A MSDN (2013a), apresenta os serviços fornecidos em execução pelo Microsoft Framework.NET: Gerenciamento de memória: O Microsoft Framework.NET assumi a responsabilidade de alocar memória e gerenciar o tempo de vida de objetos dentro da aplicação; Biblioteca de tipo comum: No Microsoft Framework.NET, os tipos básicos são definidos pelo sistema.net Framework e são comuns a todas as linguagens que são utilizadas no.net Framework. Biblioteca de classe abrangente: Poupa o programador de escrever uma grande quantidade de códigos para lidar com operações de baixo nível através do uso de bibliotecas prontas.

19 18 Interoperabilidade de linguagem: Com esse recurso, as rotinas escritas em um idioma tornaram-se acessíveis em outros idiomas, e os desenvolvedores podem focar na criação de aplicativos em seu idioma ou idiomas preferenciais. Compatibilidade de versão: Uma aplicação desenvolvida numa versão do.net Framework poderá ser executada numa versão posterior (salvo algumas exceções). Como o Microsoft Framework.NET fornece a independência de linguagem e interoperabilidade, pode-se interagir com outros aplicativos do.net Framework e componentes independente da linguagem com a qual foram desenvolvidos (MSDN, 2013a). A utilização do Microsoft Framework.NET, dentro da empresa pelo estagiário se deu através da utilização da linguagem C# (descrita na Seção 3.1.1) e da tecnologia Silverlight (descrita na Seção 3.1.2), onde o Microsoft Framework.NET fornecia bibliotecas para a utilização do Silverlight através da linguagem C# e um ambiente de execução Web para a tecnologia Silverlight Linguagem C# Durante o período de estágio, a linguagem de programação utilizada para o desenvolvimento dos sistemas foi o C# (lê-se C Sharp). A linguagem C# é uma linguagem de tipos protegidos, orientada a objeto que permite o desenvolvimento das mais variadas aplicações, entre elas, aplicações tradicionais do Windows, Web Services baseado em XML, componentes distribuídos, aplicações clienteservidor, aplicativos com banco de dados compatíveis com o.net Framework (MSDN, 2013c). A sintaxe do C# é simples e fácil de aprender, ainda mais se o programador estiver familiarizado com C, C++ ou Java. Essa característica fez com que o estagiário se adaptasse facilmente com a sintaxe do C#, já que na Universidade foram ensinadas as linguagens C e Java respectivamente nas disciplinas de programação I e programação II. Porém, o C# simplifica muito as complexidades encontradas no C++ e fornece recursos que não são encontrados no Java, como: tipos de valor nulo, enumerações, delegações, expressões lambda e acesso à memória. Ainda pode-se citar o suporte a métodos e tipos genéricos, que fornecem uma melhor segurança de tipo e desempenho. Os conceitos da orientação objeto são preservados no C#, fornecendo os conceitos de encapsulamento, herança e polimorfismo (MSDN, 2013c).

20 19 Todo o código-fonte escrito em C# é executado em.net Framework. Isso porque, o código fonte em C# é compilado em uma linguagem intermediária (Intermediate Language - IL). Este código compilado é salvo no disco em uma arquivo executável chamado de assembly (com extensão.exe ou.dll), assim, quando o programa em C# é executado, o assembly é carregado para o CLR (MSDN, 2013c). Assim que o assembly é carregado no CLR, é realizada uma validação a fim de garantir que os requisitos de segurança foram atendidos. Ao término desta verificação o código em IL é transformado em instruções de máquinas (MSDN, 2013c). O aprendizado desta linguagem pelo estagiário foi curto, uma vez que este já possuía base em programação orientada a objeto e também, conhecia bem a sintaxe de Java que se assemelha a linguagem C# Silverlight O Silverlight foi a tecnologia para navegadores utilizada no desenvolvimento do frontend do projeto Simps Transformation Web durante o período de estágio. O Silverlight é um plugin gratuito da plataforma.net Framework compatível com múltiplos navegadores, dispositivos e sistemas operacionais, trazendo um novo nível de interatividade em qualquer lugar onde funcione a Web (SILVERLIGHT, 2013). Este plugin permite que o desenvolvedor crie aplicações de Internet RIA (Rich Internet Application), ou seja, aplicações que têm funcionalidades tradicionais do tipo desktop. O Silverlight oferece suporte tanto para aplicações pequenas e até para sofisticadas aplicações de negócios, passando por jogos casuais e reprodutores de mídia (MICROSOFT VIRTUAL ACADEMY, 2013). Para o desenvolvimento da tela de uma aplicação utilizando Silverlight, o estagiário utilizou a linguagem de interface XAML (extensible Application Markup Language), a fim de organizar os componentes e suas características. Além disso, para realizar o controle de informação e manipulação da tela, pode-se utilizar qualquer linguagem suportada pelo.net Framework. Na empresa Softin Sistemas utiliza-se C# como a linguagem de programação por traz do Silverlight.

21 MICROSOFT VISUAL STUDIO 2010 No estágio, o Visual Studio foi a ferramenta utilizada para o desenvolvimento de telas e rotinas do projeto Simps Transformation Web e para a manutenção do Portal de Ferramentas. Microsoft Visual Studio 2010 é uma IDE (Integrated Development Environment ) ou também denominada como um pacote de programas da Microsoft que tem por objetivo auxiliar no desenvolvimento de software, principalmente quanto a tecnologia Microsoft Framework.NET utilizando as linguagens Visual Basic, C, C++, C# e J# além de fornecer otimização para o desenvolvimento de Web design em ASP.NET e Silverlight, e em WPF (Windows Presentation Foundation) e Windows Form para aplicações desktop (MSDN, 2013d). Para o desenvolvimento das ferramentas auxiliares, utilizou-se a interface de programação de aplicação gráfica (Graphical Application Programming Interface API) Windows Forms. Esta tecnologia inclusa no.net Framework fornece acesso aos elementos de interface do sistema operacional Windows para o desenvolvimento das aplicações. A empresa concedente utiliza o Visual Studio para o desenvolvimento dos códigos fontes através da linguagem C# e no design das telas em Silverlight. Além disso, é através desta IDE que se têm o acesso a plataforma de colaboração Team Fundation Service. O Team Fundation Service é uma ferramenta integrada ao Visual Studio responsável por realizar o controle de fonte, ou seja, o TFS armazena tudo que o usuário alterou e pode apontar a linha que foi modificada, além da data e hora da modificação. 3.3 FRAMEWORK NHIBERNATE Dentro do desenvolvimento.net na Softin Sistemas, existe um framework denominado NHibernate que estabelece uma abstração quanto às consultas realizadas no banco de dados. O NHibernate é uma solução para mapeamento relacional de objetos e persistência de dados voltado para o ambiente.net Framework, ou seja, as tabelas do banco de dados são gerados através de classes e os registros de cada tabela são representados como instâncias das classes correspondentes. Assim, o programador evita de se preocupar com comandos da codificação Structed Query Language (SQL) para carregar, incluir e excluir dados no banco de dados (DEV MEDIA, 2013).

22 21 A busca por informações na tabela de dados também é facilitada já que as propriedades da classe possuem um mapeamento para as colunas da tabela na base de dados. Estas consultas são realizadas através de uma poderosa linguagem para query, o HQL. Esta linguagem é totalmente orientada a objetos e por isso é capaz de compreender noções de herança, polimorfismo e associação (HIBERNATE, 2013). As uso do framework NHibernate provê independência da base de dados, redução de código e abstração da semântica SQL, query language (HQL) orientada a objetos, navegação transparente entre objetos relacionados, gestão de transações e isolamento, etc (AMORIN, 2009). Dentro do projeto Simps Transformation Web e do Portal de Ferramentas, todas as telas e rotinas desenvolvidas fazem uso do framework NHibernate. Portanto, para desenvolver rotinas que necessitem buscar informações na base de dados, é necessário projetar scripts em HQL. Quando uma rotina é executada o framework NHibernate se responsabiliza por executar a query e retornar para o sistema em execução o resultado obtido. 3.4 MICROSOFT SQL SERVER A empresa Softin Sistemas utiliza o Microsoft SQL Server como Sistema Gerenciador de Bancos de Dados (SGBD) relacional para todos os produtos comercializados por ela. O Microsoft SQL Server é um banco de dados robusto e usado por sistemas corporativos de diversos portes. Este SGBD fornece integração com o Microsoft Framework.NET, possibilitando construir rotinas utilizando as linguagens do.net como C# (OFICINA DA NET, 2007). Além da integração com o framework.net, o SQL Server fornece a possibilidade de criar e utilizar triggers (gatilhos), stored procedure (procedimentos), extended stored procedure e SQL user function (funções do usuário) (OFICINA DA NET, 2007). O SQL Server armazena e recupera dados solicitados por outras aplicações de software, sejam aqueles no mesmo computador ou em execução em outro computador através de uma rede (incluindo a Internet). Suas linguagens de consulta primárias são T-SQL e ANSI SQL (PORTAL CAD, 2013). Para todas as atividades desenvolvidas no estágio desde o desenvolvimento de uma tela no projeto Simps Transformation Web até a correção e manutenção de rotinas do Portal de Ferramentas, foi necessário a utilização do SQL Server.

23 SQL Segundo Mendes (2010), a linguagem SQL é composta por inúmeros comandos, os quais são agrupados da seguinte maneira: comando que definem dados (Data Definition Language - DDL), que manipulam dados (Data Manipulation Language - DML) e que controlam dados (Data Control Language - DCL). Como comandos DDL que definem a base de dados através de alterações na estrutura, pode-se citar os comandos create, alter ou drop. Dentro do grupo de comandos DML responsáveis por manipular os dados estão presentes os camandos select, insert, update e delete. E no grupo DCL, onde encontram-se comandos que controlam os dados de uma base de dados, como grant e revoke (MENDES, 2010). Durante o estágio na empresa Sofitn Sistemas a linguagem SQL foi utilizado para inserir, consultar, editar e deletar informações no banco de dados através do SQL Server. Ou seja, o SQL foi utilizado para consultas, conferências de informações e manutenção no banco de dados. Para o desenvolvimento de telas e rotinas no sistema Simps Transformation Web e para manutenção e desenvolvimento de novas rotinas no Portal de Ferramentas, a comunicação com a base de dados para inserir, consultar, editar e deletar dados se dá através do framework NHibernate utilizando a linguagem HQL, descrita na Seção 3.3. A linguagem SQL foi apresentada ao estagiário dentro da universidade, através das disciplinas de banco de dados I e II, portanto, não foi dedicado muito tempo de treinamento neste tópico. 3.5 METODOLOGIA SCRUM O Scrum é um modelo ágil de processo de desenvolvimento de software que foi desenvolvido por Jeff Sutherland e por sua equipe na década de 1990 (PRESSMAN, 2005). O Scrum guia as atividades de desenvolvimento dentro de um processo que incorpora as seguintes atividades: requisitos, análise, projeto, evolução e entrega. Os processos dentro do Scrum se baseiam em padrões como descritos por Pressman (2005):

24 23 Pendências ou Backlog: uma lista priorizada de requisitos ou características do projeto que fornecem valor de negócio para o cliente. O gerente de produto avalia a pendência e atualiza as prioridades quando necessário. Sprints: consiste de unidades de trabalho que são necessários para satisfazer a um requisito definido na pendência que precisa ser cumprido em um intervalo de tempo predefinido (geralmente 30 dias). Reuniões Scrum: Reunião curta (tipicamente 15 minutos) e diária, realizada sobre a liderança do Scrum Master (líder da equipe). O Scrum Master realiza três perguntas para os membros da equipe a fim de entender a que ponto está o desenvolvimento: O que você fez desde a última reunião de equipe? Que obstáculos você está encontrando? O que você planeja realizar até a próxima reunião de equipe? O objetivo dessas reuniões diárias é detectar problemas potenciais tão cedo quanto possível e promover a socialização do conhecimento. Demos: entrega do incremento de software ao cliente de modo que a funcionalidade implementada possa ser demonstrada e avaliada pelo cliente. O Scrum é utilizado na Softin Sistemas para o desenvolvimento do sistema Simps Transformation Web, onde a área de negócios da empresa atua como o cliente nesta metodologia, ou seja, a área de negócios é responsável por definir os itens do backlog a serem desenvolvidos durante uma sprint. Ao final da sprint, a equipe de desenvolvimento apresenta os itens desenvolvidos para área de negócios da empresa, e esta valida se os itens atendem as requisições ou não.

25 24 4. ATIVIDADES DESENVOLVIDAS Neste capítulo serão apresentadas as atividades desenvolvidas na empresa Softin Sistemas para o estágio obrigatório. O estágio foi organizado em quatro etapas, a saber. A primeira refere-se ao treinamento quanto às tecnologias e ferramentas utilizadas e a arquitetura do projeto Simps Transformation Web a ser desenvolvido. A segunda seção apresenta as funcionalidades implementadas no projeto, entre elas, formulários, relatórios e rotinas. A terceira seção apresenta as atividades de manutenção do Portal de Ferramentas já comercializado pela empresa. A quarta e última seção apresentará as modificações realizadas no framework Evolution, desenvolvido pela empresa e utilizado em todos os projetos que utilizam a tecnologia.net: Soltax, Portal de Ferramentas e o Simps Transformation Web. Além disso, serão apresentadas as ferramentas auxiliares projetadas e desenvolvidas pelo estagiário para ajudar no desenvolvimento do projeto Simps Transformation Web. 4.1 ATIVIDADES DE TREINAMENTO No dia 01/03/2013 iniciaram-se as atividades do estagiário dentro da empresa Softin Sistemas no setor de desenvolvimento.net. As primeiras horas foram utilizadas para treinamento das ferramentas e tecnologias Apresentação das Ferramentas e Tecnologias As primeiras cinco horas de estágio foram dedicadas a ambientar o estagiário quanto ao seu local de trabalho e quanto a configuração/instalação das ferramentas necessárias para o desenvolvimento do projeto Simps Transformantion Web e manutenção do Portal de Ferramentas, além do registro no Team Fundation Service. Com o objetivo de avaliar o conhecimento do estagiário, nas primeiras vinte horas do treinamento, foi proposta uma lista de problemas que deveriam ser solucionados utilizando orientação a objetos com a linguagem C#. Além desta, outra lista de exercícios foi proposta ao estagiário. Nesta segunda lista, exigiu-se do estagiário o conhecimento em banco de dados. O estagiário deveria desenvolver scripts em SQL para responder aos itens da lista. Esta atividade não exigiu muito tempo do

26 25 estagiário, pois o mesmo já possuía conhecimento sobre scripts de inserção, edição, consulta e remoção de dados em SQL, portanto o treinamento durou apenas cinco horas. O objetivo desses exercícios foi o de fornecer ao estagiário conhecimento sobre as ferramentas Visual Studio e SQL Server. Após a conclusão das listas de exercícios, o estagiário entrou em contato com a metodologia Scrum onde foram abordados conceitos como: Scrum, sprint, backlog, daily scrum, etc Apresentação do Escopo do Projeto Simps Transformation Web A segunda parte do treinamento consistiu na apresentação do projeto Simps Transformation Web. O Simps Transformation Web é uma nova versão para web do sistema Simps já comercializado pela empresa, sendo capaz de rodar em qualquer navegador, desde que o plugin Silverlight esteja instalado. Este sistema oferece as mesmas funcionalidades presentes no sistema Simps acrescido de melhorias e novas rotinas. Ou seja, funções como, por exemplo, criação, detalhe e roteirização de ordem de serviço, formação de preço e controle de estoque. O projeto é composto de vários módulos como: vendas, fiscal, serviços, estoque e financeiro, onde cada módulo apresenta telas e rotinas que auxiliam no gerenciamento estoquista, financeiro, fiscal e de vendas de uma empresa prestadora de serviço de assistência técnica autorizada. Esta apresentação do projeto pela área de negócio ao estagiário durou duas horas Apresentação do Escopo do Portal de Ferramentas Também foi apresentado ao estagiário o escopo do Portal de Ferramentas, e todas suas rotinas já desenvolvidas, afim de que o estagiário estivesse apto a realizar modificações neste sistema. O Portal de ferramentas tem por função proporcionar à empresa Whirlpool a opção de gerenciar algumas rotinas de suas assistências técnicas autorizadas, tendo maior controle sobre, por exemplo, o estoque da empresa prestadora de serviço, com o objetivo de aumentar qualidade do serviço. A apresentação do Portal de Ferramentas pela equipe de desenvolvimento ao estagiário durou em torno de três horas.

27 Arquitetura do Sistema Simps Transformation Web O sistema Simps Transformation Web foi planejado com uma arquitetura consistente e bem encapsulada. A arquitetura proposta divide-se em Client, Server e Model. A parte Client apresenta e captura as informações do usuário através de uma interface gráfica desenvolvida com a tecnologia Silverlight. Para acesso ao banco de dados é necessário acessar um serviço Web localizado em um servidor para que o Client possa estabelecer uma comunicação com o seu Server. O Server estabelece uma comunicação com banco de dados utilizando NHibernate. O Model apresenta as classes e objetos criados no projeto que contém as informações trafegadas entre o Client, o Server e as regras de negócios. Esta apresentação da arquitetura do sistema Simps Tranformation Web dos analistas para o estagiário teve duração de dez horas Primeira Atividade de Desenvolvimento Após esta etapa de apresentação do escopo dos sistemas, o estagiário entrou em treinamento prático com o objetivo de ambientar-se ao framework Evolution da empresa e a arquitetura cliente-servidor, proposta para o desenvolvimento do projeto Simps Transformation Service. Criado pela empresa, o framework Evolution foi projetado para abstrair códigos comuns entre vários projetos da empresa que utilizam a plataforma Microsoft.NET provendo uma funcionalidade genérica, abstraindo métodos e rotinas que são utilizadas no desenvolvimento, como por exemplo a funcionalidade de exportar registros salvos na base de dados para Microsoft Excel. Neste treinamento o estagiário desenvolveu uma tela de placar de boliche em um projeto fictício denominado Bowling Score. O objetivo era desenvolver um aplicativo que permitisse gerenciar uma partida de boliche, onde o usuário informava inicialmente o número de jogadores. O placar era responsável por calcular o número de pontos de cada jogador. Para isso, a cada arremesso o usuário deveria informar o número de bolas derrubadas. Quando o último jogador informar o número de pinos derrubados no último arremesso da partida o sistema informa quem foi o campeão. A lógica do sistema foi desenvolvida em cinco horas e a fim de validar se as rotinas estavam funcionando da maneira correta, foram desenvolvidos testes unitários. Testes

28 27 unitários como o nome sugere são testes realizados em uma parte específica do código, seja um método ou uma rotina. O desenvolvimento da tela de placar de boliche em Silverlight representada na Figura 1 tela levou aproximadamente quinze horas, isto por que houve uma grande dificuldade em compreender algumas funções oferecidas pelo framework Evolution da empresa, já que este framework não apresentava documentação. Outro ponto que atrasou o desenvolvimento da tela proposta deve-se ao fato de que o estagiário não possuía nenhuma base conceitual quanto a desenvolvimento Web, principalmente quanto à tecnologia Silverlight. Figura 1 Placar de boliche em Silverlight Fonte: SOFTIN SISTEMAS, DESENVOLVIMENTO DE ROTINAS E FUNCIONALIDADES PARA O SIMPS TRANSFORMATION WEB Das trezentas e sessenta horas do estágio curricular, cento e cinquenta horas foram investidas no desenvolvimento das telas, dos relatórios e das rotinas do projeto Simps Transformation Web Desenvolvimento de Formulários A primeira atividade real de desenvolvimento direcionada ao estagiário foi o desenvolvimento de uma tela CRUD (acrônimo de Create, Read, Update e Delete) de período

29 28 de atendimento. A tela permite o usuário cadastrar, consultar, editar e deletar um período de atendimento. Dentro do contexto do sistema, o período de atendimento será utilizado quando for necessário agendar uma ordem de serviço para um determinado técnico. Em outras palavras, quando o usuário for agendar as visitas técnicas que um técnico precisa fazer em um dia é necessário informar em qual o período do dia será realizado o atendimento. O período de atendimento pode ser compreendido melhor através do diagrama de classe na Figura 2. Figura 2 Diagrama de classes do período de atendimento Fonte: SOFTIN SISTEMAS, 2013 A Figura 3 apresenta a tela em questão, onde para cadastrar um novo período de atendimento é necessário informar o fabricante (representado na Figura 3 pelo número 2) em que este período estará vinculado, o código externo a qual ele é identificado fora do sistema (representado na Figura 3 pelo número 3) e o turno de atendimento em que o período de atendimento estará vinculado (representado na Figura 3 pelo número 4). No sistema existe uma tela de cadastro de turno de atendimento, ou seja, a caixa de opções (ver número 4 na Figura 3) trará todos os turnos registrados vinculados ao fabricante que o usuário escolheu na caixa de opções (ver número 2 na Figura 3). Por fim o usuário deve informar qual será a descrição para aquele período de atendimento dentro do sistema Simps Transformation Web (apresentado pelo número 5 na

30 29 Figura 3) e informar se esse registro estará ativo dentro do sistema (apresentada pelo número 6 na Figura 3). Um registro configurado como não ativo é armazenado na base de dados, porém não será exibido em outras rotinas do sistema. No caso, da tela de período de atendimento, se o registro for armazenado como não ativo, não será possível usá-lo na tela de agendamento de técnico. O código (número 1 na Figura 3) é apresentado quando salvo o registro do período de atendimento na base de dados e representa o código do período de atendimento dentro do sistema. Figura 3 Tela de período de atendimento Fonte: SOFTIN SISTEMAS, 2013 Para o desenvolvimento desta atividade foi necessário vinte horas e foram utilizadas as tecnologias Silverlight com a linguagem C# através da IDE Visual Studio Desenvolvimento de Relatórios. Um dos relatórios desenvolvidos pelo estagiário no Simps Transformation Web foi o Consulta da lista de preço. A lista de preço no sistema representa um conjunto de peças no qual se aplica o mesmo cálculo para a formação de preço de venda, ou seja, todas as peças associadas a essa lista terão seu preço formado, utilizando os mesmos valores de variáveis do

31 30 calculador, por exemplo, %IPI, %PIS, %Cofins e %Markup. O calculador é uma rotina do Simps Transformation Web responsável por realizar a formação de preço através de uma série de fórmulas inseridas pelo usuário. Assim sendo, o usuário deverá informar o valor de algumas variáveis como por exemplo, valor de custo, %IPI, %PIS entre outros e a rotina é responsável por realizar os cálculos de acordo com o valor das variáveis inseridas pelo usuário. Para que o usuário saiba quais são as peças associadas a uma lista de preço, foi desenvolvida a tela que apresenta informações sobre a peça associada, como: local de estoque da peça, quantidade disponível em estoque e o valor de venda. Figura 4 Tela de consulta de lista de preço Fonte: SOFTIN SISTEMAS, 2013 Esta tela representada na Figura 4 tem a função de apresentar todas as peças do sistema Simps Transformation Web, que estão associadas à lista de preço selecionada pelo usuário (representada na Figura 4 pelo número 1). Além disso, o usuário pode filtrar por peça (representado pelo número na Figura 4) e/ou por local de estoque da peça (o número 3 na Figura 4). Para executar a busca, basta clicar na lupa (representada na Figura 4 pelo número 4) e todas as peças correspondentes ao filtro serão apresentadas na tabela (como demonstrado na Figura 4 pelo número 5). Foram necessárias dez horas para finalizar a implementação desta tela. A utilização da ferramenta QueryTester, descrita na Seção 4.4.2, auxiliou o estagiário quanto a consulta a ser realizada para apresentar as informações na tela. O script desenvolvido pelo estágiario em HQL para a tela de consulta de lista de preço é apresentada no Quadro 1.

32 31 Quadro 1 Script em HQL para a tela de consulta de lista de preço SELECT Distinct root.id as ListPriceId, PriceListItems.MaterialId as ItemId, part.code as ItemCode, root.description as ListPriceDescription, coalesce(lang.name, langdef.name) as ItemDescription, PriceListItems.SaleValue as SaleValue FROM PriceList as root left join root.pricelistitems as PriceListItems right join PriceListItems.Material as part left join part.languages as lang with lang.languageid = :langid left join part.languages as langdef with langdef.languageid = :langdefid WHERE root.id = :pricelistid and PriceListItems.MaterialId = :partid Fonte: SOFTIN SISTEMAS, 2013 Além do QueryTester, foram utilizadas as ferramentas Visual Studio para a codificação do relatório e o projeto da tela, e SQL Server com o intuito de verificar se as informações apresentadas no relatório são condizentes com as informações salvas no banco de dados Desenvolvimento de Rotinas de Controle Outra atividade direcionada ao estagiário foi o desenvolvimento da tela de roteiro do projeto Simps Transformation Web. Esta tela, apresentada na Figura 5 mostra ao usuário, através de uma tabela (número 1 da Figura 5), todas as ordens de serviço vinculado a um técnico em determinada data e em um determinado turno (número 2 da Figura 5). Assim o usuário tem a possibilidade de alterar o período de atendimento (número 3 da Figura 5). Por exemplo, supondo que um cliente ligou para uma assistência técnica para reclamar que seu televisor não estava mais funcionando. Então a assistência técnica registra uma nova ordem de serviço e agenda um técnico para realizar a visita na casa do consumidor. Porém, no dia da visita, o consumidor liga para a assistência técnica informando que não poderá receber o atendimento técnico no período da manhã como agendado. Dessa forma o usuário do Simps Transformation Web poderá modificar o período de atendimento daquele consumidor alterando a opção de período de atendimento e clicando em Atualizar (número 4 da Figura 5).

33 32 Figura 5 Tela de roteiro de ordem de serviço Fonte: SOFTIN SISTEMAS, 2013 Não houve dificuldade por parte do estagiário no desenvolvimento da tela de roteiro. Quanto ao framework Evolution o estagiário já compreendia a maioria dos métodos utilizados no framework da empresa. O C# foi a linguagem de programação predominante no desenvolvimento da tela de roteiro da ordem de serviço e foi utilizada para obter as informações e validar dados inseridos pelo usuário no front-end do sistema. Também utilizou-se o C# para estabelecer a comunicação entre o servidor e o cliente. Incluindo desenvolvimento, testes e correções de erros relatados pela área de testes da empresa, foram utilizadas vinte e cinco horas do período de estágio nesta atividade. Durante o desenvolvimento da tela de criação da ordem de serviço, foi identificada a necessidade de informar no sistema quanto ao stress do consumidor na hora de criar uma ordem de serviço. Esta informação é relevante, por exemplo, se houver necessidade de contatar o consumidor novamente neste caso poderá ser alocado para essa função um atendente paciente caso o consumidor esteja estressado, para que não haja conflitos. Da mesma forma, caso este mesmo consumidor necessite de um atendimento técnico em sua residência, será indicado o envio de um técnico treinado para tal. Para registrar se o usuário está estressado ou não, foi adicionado um componente na tela de criação de ordem de serviço, que armazena se o usuário está estressado ou não (representado na Figura 6).

34 33 Figura 6 Tela de criação de ordem de serviço Fonte: SOFTIN SISTEMAS, 2013 Na tela de consulta de ordem de serviço (Figura 7) e na tela de roteiro (Figura 8) e é apresentada essa informação no formato de uma bandeira (verde para não estressado, vermelho para estressado). Figura 7 Tela de consulta de ordem de serviço Fonte: SOFTIN SISTEMAS, 2013

35 34 Figura 8 Tela roteiro de ordem de serviço Fonte: SOFTIN SISTEMAS, 2013 O desenvolvimento da atividade citada a cima foi relativamente fácil, pois neste período o estagiário já estava familiarizado com a tecnologia Silverlight e com o framework Evolution utilizado na empresa. Esta atividade demandou três horas do estágio curricular obrigatório. O estagiário também desenvolveu a tela de formação de preço. Hoje o sistema Simps, desenvolvido pela Softin Sistemas, possui uma tela de formação de preço de uma peça, onde através da criação de variáveis (por exemplo, custo de compra, %IPI, %Frete, margem de lucro) e inserção de fórmulas dentro do sistema é possível formar um preço final do produto de acordo com os valores configurados para cada variável. Assim, através de uma pop-up (apresentada na Figura 9) é possível modificar os valores das variáveis dentro de uma tabela de informações (representado pelo número 1 na Figura 9). Ao clicar em Calcular (ver número 2 da Figura 9) suas fórmulas são reprocessadas formando seu novo preço final para uma peça (representada pelo número 3 na Figura 9). Clicando em Salvar (ver número 4 da Figura 9) os valores das variáveis são armazenadas na base de dados, assim como o preço final da peça que é salvo na peça.

36 35 Figura 9 Pop-up de formação de preço Fonte: SOFTIN SISTEMAS, 2013 Para o desenvolvimento dessa rotina foi necessário realizar um estudo sobre um avaliador de expressão para C# denominado NCalc. Isso por que, para realizar o processamento das expressões inseridas pelo usuário para a formação de preço é necessário que, em tempo de execução, ele calcule os resultados das fórmulas, substituindo-as, pelos valores que o usuário inseriu. Após realizar o estudo e avaliar a ferramenta, iniciou-se o desenvolvimento. Devido aos novos desafios enfrentados nesta atividade, foram investidas trinta horas do estágio curricular obrigatório para a conclusão da nova rotina no Simps Transformation Web. A rotina desenvolvida para realizar a formação de preço é apresentada na Tabela 2. Quadro 2 Parte do método que calcula as etapas para formação de preço. foreach (StepCalculator step in items_steps) // Para cada etapa (fórmula do calculador) { // Criar uma variável tipo Expression (fornecido pelo avaliador de // expressão NCalc) com a fórmula correspondente a etapa Expression expr = new Expression(step.Expression); //Percorre as variáveis inseridas pelo usuário na Pop up da formação de //preço e substitui por valores aquelas variaveis que serão utilizadas na //etapa atual. foreach (CalculatorUsedVariable variable in items_variables) expr.parameters[variable.variable.code] = variable.usedvalue; //Percorre as etapas anteriomente calculadas substituinodo a //váriavel pelo valor da etapa

37 36 foreach (KeyValuePair<int, double> stepvalue in dicstepvalues) expr.parameters[stepvalue.key.tostring("000")]= stepvalue.value; //executa a formula e seta o resultado emu ma variavel step.processedvalue = (double)expr.evaluate(); //Adiciona em um dicionário, a etapa calculada e seu valor correspondente dicstepvalues.add(step.sequence, step.processedvalue); } Fonte: SOFTIN SISTEMAS, Correção de Erros O framework Evolution fornece suporte para três línguas, português, inglês e espanhol. Para utilizar qualquer um desses idiomas, na tela de login do sistema é necessário escolher um dos idiomas fornecidos para o acesso, representado na Figura 10. Figura 10 Tela de login Fonte: SOFTIN SISTEMAS, 2013 Todos os componentes de telas e consultas na base de dados deveriam ser baseados no idioma logado pelo usuário. Porém, segundo relatado pela área de testes da empresa, ao selecionar um novo idioma, nada ocorria no sistema, e nenhum dos componentes era traduzido para a linguagem que o usuário escolheu ao se logar. A resolução desse problema demandou um bom tempo, cerca de vinte horas, já que foi necessário entender a lógica por traz dos códigos do framework, identificando o que fazia e o que deveria fazer. A solução foi configurar uma propriedade denominada culture da thread principal do sistema para que este tenha seu valor atualizado assim que o usuário escolher um

38 37 idioma dentre as opções. A Figura 11 apresenta a tela de login com o idioma inglês e espanhol. A solução é apresentada no Quadro 3. Figura 11 Tela de login com suporte as línguas: inglês e espanhol. Fonte: SOFTIN SISTEMAS, 2013 Quadro 3 Solução para a tradução do login Thread.CurrentThread.CurrentCulture = new CultureInfo(e.Value.Name); Thread.CurrentThread.CurrentUICulture = new CultureInfo(e.Value.Name); Fonte: SOFTIN SISTEMAS, MANUTENÇÃO DOS SISTEMAS JÁ COMERCIALIZADOS PELA EMPRESA Dentre as responsabilidades do setor de desenvolvimento.net da empresa Softin Sistemas citam-se: a manutenção ao Portal de Ferramentas, corrigir erros relatados pela área de testes e pelos usuário Whirlpool e adicionar novas telas e rotinas dentro do sistema Desenvolvimento de Novas Rotinas no Portal de Ferramentas A Whirlpool recebe da assistência técnica, através da interface fornecida pelo Portal de Ferramentas todas as informações provenientes da assistência técnica autorizada através de um programa instalado nessas empresas prestadoras de serviço o qual é responsável por enviar essas informações. Dentre as informações enviadas, citam-se: o calendário da assistência técnica, a quantidade de peças no estoque, quantidade de peças sem giro e outras informações relevantes.

39 38 Através dos dados recebidos na interface do Portal de Ferramentas a Whirlpool pode tomar decisões estratégicas como a recompra de peças sem giro de uma assistência técnica autorizada com o intuito de revender para outra assistência que possui maior fluxo de estoque. Uma nova rotina desenvolvida no Portal de Ferramentas pelo estagiário foi o desenvolvimento de um serviço Web para receber das assistências técnicas autorizadas da Whirlpool a lista de peças sem giro no estoque da autorizada. O serviço Web desenvolvido tem por função gravar as informações recebidas por uma interface na base de dados. Essa informação é utilizada no sistema em outras rotinas como, por exemplo, cálculo da curva ABC. O desenvolvimento dessa atividade necessitou que o estagiário estudasse novos conceitos como serviço Web. Além disso, para realizar testes locais a fim de validar o funcionamento deste serviço Web, foi necessário utilizar uma ferramenta denominada SoapUI, a qual o estagiário não tinha conhecimento do seu funcionamento. SoapUI é uma ferramenta open source escrita em Java cuja principal função é consumir e testar serviços Web. Serviço Web é uma tecnologia baseada em XML. O estudo de serviço Web e do funcionamento do SoapUI acrescido do tempo de desenvolvimento da atividade levou dez horas. O Portal de Ferramentas fornece uma interface que receberá o calendário de uma assistência técnica enviado pela própria. Para que a Whirlpool possa consultar os calendários recebidos por essa interface foi requisitado ao estagiário que desenvolve uma tela para consulta desta informação. A Figura 12 apresenta a tela de calendário da assistência técnica. Figura 12 Tela de calendário da assistência técnica Fonte: SOFTIN SISTEMAS, 2013

40 39 Para o desenvolvimento desta tela não foi encontrado nenhum desafio de programação, e sua implementação foi rápida levando apenas quinze horas para a conclusão da atividade pelo estagiário. Outro relatório implementado no período de estágio, foi o de peças sem giro. Como a informação de peça sem giro também é recebida através de uma interface, há necessidade de apresentar as informações para que a Whirlpool possa conferir e tomar uma decisão quanto aos dados apresentados. A tela é representada pela Figura 13. Figura 13 Tela de consulta de peças sem giro Fonte: SOFTIN SISTEMAS, 2013 A diferença técnica desta tela para a tela de consulta de calendário apresentada anteriormente é a possibilidade de exportar as informações sobre peça sem giro para Excel. Porém, o fato de poder exportar para o Excel não dificultou a atividade, pois o framework Evolution da empresa, já possui um algoritmo responsável pela exportação. O script em HQL (apresentado no Quadro 4) foi desenvolvido com o auxilio da ferramenta desenvolvida QueryTester (abordada na Seção 4.4.2) Quadro 4 Script em HQL para a consulta de peças sem giro SELECT root.id as Id, root.nousepartreportid as NoUsePartReportId, root.code as Code, root.description as Description, root.manufacturername as ManufacturerName, root.lastusemoviment as LastUseMoviment, root.minpacklenght as MinPackLenght, root.type as Type, root.stockquantity as StockQuantity, ta.cnpj as CNPJ,

41 40 FROM ta.name as TechnicalAssistanceName, report.createddate as LastUpdate, ta.codesap as TechnicalAssistanceCodeSAP NoUsePartReport as report left join report.nouseparts as root left join report.technicalassistance as ta WHERE 1=1 and report.islast = :True Fonte: SOFTIN SISTEMAS, Alterações no Portal de Ferramentas No Portal de Ferramentas, o cadastro de assistência técnica exige que o usuário informe o CNPJ da empresa. Porém, para evitar inconsistência de dados causados por informações inseridas de forma incorreta, a área de negócios da Softin Sistemas viu a necessidade de validar o CNPJ, não permitindo inserir uma assistência técnica até que o mesmo seja válido. Anteriormente o sistema não realizava essa validação. A Figura 14 apresenta a tela de assistência técnica que valida o CNPJ inserido pelo usuário. Figura 14 Tela de assistência técnica Fonte: SOFTIN SISTEMAS, 2013 Na disciplina de linguagem de programação I foi implementado um algoritmo na linguagem C que realizava a validação de CNPJ. Portanto o estagiário já possuía uma noção de como funciona o algoritmo de verificação de CNPJ e para implementar este em C# não foi uma tarefa difícil. Ao final de três horas a atividade estava concluída. O Quadro 5 apresenta o método responsável por realizar esta validação, implementado pelo estagiário.

42 41 Quadro 5 Método para a validação de CNPJ public bool VerifyCNPJ(char[] text) { int counter = 0, total = 0; bool first = true; for (int i = 5; i > 1; i--) { total += Convert.ToInt32(text[counter].ToString()) * i; counter++; if (first && i == 2) { i = 10; first = false; } } if (total % 11 >= 2) if (11 - (total % 11)!= Convert.ToInt32(text[12].ToString())) return false; else if (Convert.ToInt32(text[12].ToString())!= 0) return false; counter = 0; total = 0; first = true; for (int i = 6; i > 1; i--) { total += Convert.ToInt32(text[counter].ToString()) * i; counter++; if (first && i == 2) { i = 10; first = false; } } if (total % 11 >= 2) if (11 - (total % 11)!= Convert.ToInt32(text[13].ToString())) return false; else if (Convert.ToInt32(text[13].ToString())!= 0) return false; return true; } Fonte: SOFTIN SISTEMAS, DESENVOLVIMENTO DE FERRAMENTAS AUXILIARES Após alguns meses de estágio na empresa Softin Sistemas foram identificados alguns pontos a serem melhorados no framework Evolution desenvolvido para a empresa utilizado nos projetos Simps Transformation Web, Portal Softin e Soltax Sped Alterações no Framework Evolution O objetivo desta atividade era implementar algumas rotinas que acontecem repetidas vezes no framework Evolution para assim evitar o trabalho de codificar a mesma rotina em outras partes do sistema.

43 42 Além disso, houve a necessidade de melhorar a forma de apresentação da informação nos sistemas. Essa alteração foi realizada no framework onde o layout dos sistemas Simps Transformation Web e Portal de Ferramentas são definidos. Uma das modificações realizadas no framework Evolution foi a forma como a informação era representada na tabela que apresenta o resultado de uma consulta. Esta tabela é implementada no framework Evolution, incumbindo ao programador apenas descrever quais informações devem ser apresentados ao usuário. Porém toda a informação que esta tabela exibia era transformada no tipo string da linguagem C# e como consequência, não era realizado o alinhamento à direita, caso se tratasse de uma informação do tipo valor ou data, assim como é feito, por exemplo, no Microsoft Excel. A solução foi identificar o tipo da informação que será apresentado em cada coluna. Caso esta informação fosse do tipo valor ou data, receberia uma alinhamento para a direita. Caso não fosse do tipo citado, tratava-se do tipo string e o alinhamento era a esquerda. A Figura 15 apresenta a tela do Portal de Ferramentas que apresenta colunas que apresentam informações de dois tipos na mesma tabela de consulta: do tipo string (representada pelo número 1 na Figura 15) e do tipo numérico (representada pelo número 2 na Figura 15). Figura 15 Painel de gerenciamento Visão de peças assistência técnica Fonte: SOFTIN SISTEMAS, 2013 O tempo para o desenvolvimento dessa atividade foi de vinte horas. Isso porque esta atividade exigiu do estagiário a compreensão na modelagem do sistema no framework Evolution a fim de identificar qual era o ponto a ser modificado. Além disso, por se tratar de um framework utilizado em três projetos diferentes (sendo dois desses já comercializados pela

44 43 empresa), o estagiário precisou ter cautela e testar bem as modificações antes de finalizar o desenvolvimento. O Quadro 6 apresenta parte da solução para este problema. Quadro 06 Parte da solução para o alinhamento do grid //ALINHAMENTO À DIREITA var rightcellstyle = new Style(typeof(DataGridCell)); rightcellstyle.setters.add(new Setter( Control.HorizontalContentAlignmentProperty, HorizontalAlignment.Right)); Fonte: SOFTIN SISTEMAS, 2013 O framework Evolution desenvolvido pela empresa tem a capacidade de exportar um conjunto de registros para o formato XML (extensible Markup Language) que pode ser visualizado no Microsoft Excel. Porém, foi requisitado pelos usuários do Portal de Ferramentas que ao exportar valores que contenham mais de duas casas decimais, estes valores não fossem truncados. Por exemplo, uma peça apresenta uma UD Utilização diária de 4,89 de acordo com a tabela de informações utilizadas na busca (representada na Figura 16), mas após a exportação para o Microsoft Excel, deveria salvar o valor completo, sem realizar o truncamento da informação (representado na Figura 17). Essa modificação demandou quinze horas para ser concluída. Figura 16 Tela de calendário da assistência técnica Fonte: SOFTIN SISTEMAS, 2013

45 44 Figura 17 Planilha do Excel sobre o painel de gerenciamento Visão de peças Fonte: SOFTIN SISTEMAS, 2013 Realizar a manutenção de código elaborado por outros programadores requereu que o estagiário se familiariza-se primeiramente com o que o outro programador fez. Depois disso foi necessário identificar uma nova forma de trabalhar com essa informação, levando em conta que uma modificação deve funcionar nos três sistemas que utilizam o framework Evolution. Para concluir a atividade o estagiário ainda tem que garantir que esta solução não colocará em risco os dois sistemas que já estão sendo comercializados: Soltax e Portal de Ferramentas Ferramentas Auxiliares Além das alterações realizadas no framework, foram avaliadas novas ferramentas a fim de auxiliar o desenvolvimento do projeto Simps Transformation Web. As duas soluções propostas para aumentar a eficiência e qualidade do sistema proposto foram: o QueryTester e o GenerateCode Assim como o Microsoft SQL Server fornece um campo para composição e execução de scripts em SQL, identificou-se a necessidade de ter o mesmo para consultas em HQL. Isso porque o desenvolvimento de novos relatórios e rotinas ou a manutenção dos mesmos exigiam muito o uso de scripts de busca em HQL. A Figura 18 apresenta a tela principal do QueryTester.

FERRAMENTAS NECESSÁRIAS PARA O DESENVOLVIMENTO EM C#

FERRAMENTAS NECESSÁRIAS PARA O DESENVOLVIMENTO EM C# FERRAMENTAS NECESSÁRIAS PARA O DESENVOLVIMENTO EM C# Camila Sanches Navarro 1,2, Willian Magalhães 2 ¹Universidade paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil sanchesnavarro@gmail.com wmagalhaes@unipar.br

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR II DESENVOLVIMENTO E ADMINISTRAÇÃO DO BANCO DE DADOS

ESTÁGIO CURRICULAR II DESENVOLVIMENTO E ADMINISTRAÇÃO DO BANCO DE DADOS Bruno Luiz Corbani Garcia ESTÁGIO CURRICULAR II DESENVOLVIMENTO E ADMINISTRAÇÃO DO BANCO DE DADOS EMPRESA: Conceito W SETOR: Banco de Dados SUPERVISOR: Ademir da Cunha Junior ORIENTADOR: Edino Mariano

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR I e II CUSTOMIZAÇÃO MNT FROTA

ESTÁGIO CURRICULAR I e II CUSTOMIZAÇÃO MNT FROTA RAFAEL REINERT ESTÁGIO CURRICULAR I e II CUSTOMIZAÇÃO DO MNT FROTA EMPRESA: NG Informática SETOR: Desenvolvimento SUPERVISOR: Rafael Diogo Richter ORIENTADOR: Carlos Norberto Vetorazzi Júnior CURSO DE

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR I e II SISTEMA DE MONITORAMENTO DE TI EM SOFTWARE LIVRE

ESTÁGIO CURRICULAR I e II SISTEMA DE MONITORAMENTO DE TI EM SOFTWARE LIVRE FERNANDO RODRIGO NASCIMENTO GUSE i ESTÁGIO CURRICULAR I e II SISTEMA DE MONITORAMENTO DE TI EM SOFTWARE LIVRE EMPRESA: Globalmind Serviços em Tecnologia da Informação LTDA. SETOR: Infra Estrutura SUPERVISOR:

Leia mais

19/05/2009. Módulo 1

19/05/2009. Módulo 1 ASP.NET Módulo 1 Objetivo Mostrar os conceitos fundamentais da plataforma Microsoft.Net e suas ferramentas; Apresentar os conceitos fundamentais de aplicações web e seus elementos; Demonstrar de forma

Leia mais

GILMAR ARAUJO ESTÁGIO CURRICULAR I SUPORTE TI HOSPITALAR

GILMAR ARAUJO ESTÁGIO CURRICULAR I SUPORTE TI HOSPITALAR GILMAR ARAUJO ESTÁGIO CURRICULAR I SUPORTE TI HOSPITALAR EMPRESA: TRÍPLICE CONSULTORIA E SERVIÇOS LTDA. SETOR: INFORMÁTICA SUPERVISOR: RONALDO GUIZARDI ORIENTADOR: VILSON VIEIRA CURSO DE BACHARELADO EM

Leia mais

Introdução ao C# . Visão geral do.net Framework

Introdução ao C# . Visão geral do.net Framework Introdução ao C# Microsoft.NET (comumente conhecido por.net Framework - em inglês: dotnet) é uma iniciativa da empresa Microsoft, que visa uma plataforma única para desenvolvimento e execução de sistemas

Leia mais

Principais características

Principais características .Net Framework O que é.net? Proprietário da Microsoft Versão simplificada para Linux Versão compacta para dispositivos móveis Plataforma de desenvolvimento e execução Interface com usuário, conectividade

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR I e II APRIMORAMENTO E MANUTENÇÃO DO SOFTWARE DE NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇO

ESTÁGIO CURRICULAR I e II APRIMORAMENTO E MANUTENÇÃO DO SOFTWARE DE NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇO EDUARDO KONESKI WESTPHAL ESTÁGIO CURRICULAR I e II APRIMORAMENTO E MANUTENÇÃO DO SOFTWARE DE NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇO EMPRESA: Conceito W SETOR: Desenvolvimento SUPERVISOR: José Alberto Nishi

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR I E II INTEGRAÇÃO DE DADOS ENTRE SISTEMA ERP INFOSALFER E SAGA WMS

ESTÁGIO CURRICULAR I E II INTEGRAÇÃO DE DADOS ENTRE SISTEMA ERP INFOSALFER E SAGA WMS MURILO CARLOS CARDOSO ESTÁGIO CURRICULAR I E II INTEGRAÇÃO DE DADOS ENTRE SISTEMA ERP INFOSALFER E SAGA WMS EMPRESA: LOJAS SALFER S.A SETOR: TI SUPERVISOR: FABIO ADRIANO DACORREGIO MEIER. ORIENTADOR: VALMOR

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR II SUPORTE E MONITORAMENTO

ESTÁGIO CURRICULAR II SUPORTE E MONITORAMENTO THALLES GRESCHECHEN ESTÁGIO CURRICULAR II SUPORTE E MONITORAMENTO EMPRESA: NEOGRID INFORMÁTICA S/A SETOR: SUPORTE E MONITORAMENTO SUPERVISOR: FÁBIO ROBERTO MENDES ORIENTADOR: PROF. GERSON VOLNEY LAGEMANN

Leia mais

CURSO DESENVOLVEDOR JAVA Edição 2009

CURSO DESENVOLVEDOR JAVA Edição 2009 CURSO DESENVOLVEDOR JAVA Edição 2009 O curso foi especialmente planejado para os profissionais que desejam trabalhar com desenvolvimento de sistemas seguindo o paradigma Orientado a Objetos e com o uso

Leia mais

Capítulo 2 Introdução à ferramenta Flash

Capítulo 2 Introdução à ferramenta Flash Capítulo 2 Introdução à ferramenta Flash Índice 1. O uso da ferramenta Flash no projeto RIVED.... 1 2. História do Flash... 4 1. O uso da ferramenta Flash no projeto RIVED. É importante, antes de iniciarmos

Leia mais

PAV - PORTAL DO AGENTE DE VENDAS AGL Versão 2.0.6. Manual de Instalação e Demonstração AGL Sistemas Corporativos

PAV - PORTAL DO AGENTE DE VENDAS AGL Versão 2.0.6. Manual de Instalação e Demonstração AGL Sistemas Corporativos PAV - PORTAL DO AGENTE DE VENDAS AGL Versão 2.0.6 Manual de Instalação e Demonstração AGL Sistemas Corporativos Add-on responsável pela integração do SAP Business One com o setor comercial através da internet.

Leia mais

CURSO DESENVOLVEDOR JAVA Edição Intensiva de Férias

CURSO DESENVOLVEDOR JAVA Edição Intensiva de Férias CURSO DESENVOLVEDOR JAVA Edição Intensiva de Férias O curso foi especialmente planejado para os profissionais que desejam trabalhar com desenvolvimento de sistemas seguindo o paradigma Orientado a Objetos

Leia mais

A & F Consultoria em Sistemas e Treinamentos 2014 af.tecnoserv@gmail.com. A linguagem SQL. Autor: Hélio de Almeida Fonte: Wikipédia

A & F Consultoria em Sistemas e Treinamentos 2014 af.tecnoserv@gmail.com. A linguagem SQL. Autor: Hélio de Almeida Fonte: Wikipédia A linguagem SQL Autor: Hélio de Almeida Fonte: Wikipédia 1 Structure Query Language O SQL foi desenvolvido originalmente no início dos anos 70 nos laboratórios da IBM em San Jose, dentro do projeto System

Leia mais

Fundament n os s da platafo f rm r a. NE N T André Menegassi

Fundament n os s da platafo f rm r a. NE N T André Menegassi Fundamentos da plataforma.net André Menegassi O que é o.net Framework?.NET é uma plataforma de software para desenvolvimento de aplicações que conecta informações, sistemas, pessoas e dispositivos através

Leia mais

Administração de Banco de Dados

Administração de Banco de Dados Administração de Banco de Dados Professora conteudista: Cida Atum Sumário Administração de Banco de Dados Unidade I 1 INTRODUÇÃO A BANCO DE DADOS...1 1.1 Histórico...1 1.2 Definições...2 1.3 Importância

Leia mais

Desenvolvimento de Aplicação Windows Mobile Acessando um WebService

Desenvolvimento de Aplicação Windows Mobile Acessando um WebService Faculdade de Negócios e Administração de Sergipe Disciplina: Integração Web Banco de Dados Professor: Fábio Coriolano Desenvolvimento de Aplicação Windows Mobile Acessando um WebService Professor: Fabio

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE AULA 1

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE AULA 1 DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE AULA 1 CAMPUS SANTO ANDRÉ CELSO CANDIDO SEMESTRE 2014 1 Características da Plataforma.NET A plataforma.net Framework 4.0 (.NET 4.0) é uma plataforma de softwares que fornece

Leia mais

FERRAMENTAS PARA DESENVOLVIMENTO EM C#

FERRAMENTAS PARA DESENVOLVIMENTO EM C# FERRAMENTAS PARA DESENVOLVIMENTO EM C# Camila Sanches Navarro 1,2, Wyllian Fressatti 2 ¹Universidade paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil sanchesnavarro@gmail.com wyllian@unipar.br Resumo. Este artigo

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR II. Desenvolvimento de Websites com o. Framework.NET

ESTÁGIO CURRICULAR II. Desenvolvimento de Websites com o. Framework.NET FÁBIO RICARDO ROMAN ESTÁGIO CURRICULAR II Desenvolvimento de Websites com o Framework.NET EMPRESA: Easy Desenvolvimento de Softwares LTDA ME. SETOR: Desenvolvimento SUPERVISOR: Fernando Alves Michalak

Leia mais

INTEGRE Diversas fontes de informações em uma interface intuitiva que exibe exatamente o que você precisa

INTEGRE Diversas fontes de informações em uma interface intuitiva que exibe exatamente o que você precisa INTEGRE Diversas fontes de informações em uma interface intuitiva que exibe exatamente o que você precisa ACESSE Informações corporativas a partir de qualquer ponto de Internet baseado na configuração

Leia mais

Ambientes Visuais. Ambientes Visuais

Ambientes Visuais. Ambientes Visuais Ambientes Visuais Inicialmente, apenas especialistas utilizavam os computadores, sendo que os primeiros desenvolvidos ocupavam grandes áreas e tinham um poder de processamento reduzido. Porém, a contínua

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR INTEGRAÇÃO DE BANCO DE DADOS MICROVIXERP

ESTÁGIO CURRICULAR INTEGRAÇÃO DE BANCO DE DADOS MICROVIXERP Bruno Luiz Corbani Garcia ESTÁGIO CURRICULAR INTEGRAÇÃO DE BANCO DE DADOS MICROVIXERP EMPRESA: Microvix SETOR: Banco de Dados SUPERVISOR: Dalton Dhiergo Fernandes ORIENTADOR: Alexandre Parra Silva Carneiro

Leia mais

Softwares de Sistemas e de Aplicação

Softwares de Sistemas e de Aplicação Fundamentos dos Sistemas de Informação Softwares de Sistemas e de Aplicação Profª. Esp. Milena Resende - milenaresende@fimes.edu.br Visão Geral de Software O que é um software? Qual a função do software?

Leia mais

Faculdade Pitágoras 16/08/2011. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet

Faculdade Pitágoras 16/08/2011. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet Faculdade Pitágoras Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL A linguagem SQL é responsável por garantir um bom nível

Leia mais

Faculdade Pitágoras. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados. Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL

Faculdade Pitágoras. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados. Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL Faculdade Pitágoras Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL A linguagem SQL é responsável por garantir um bom nível de independência do

Leia mais

ANEXO 9 DO PROJETO BÁSICO DA FERRAMENTA DE MONITORAMENTO, SEGURANÇA E AUDITORIA DE BANCO DE DADOS

ANEXO 9 DO PROJETO BÁSICO DA FERRAMENTA DE MONITORAMENTO, SEGURANÇA E AUDITORIA DE BANCO DE DADOS ANEXO 9 DO PROJETO BÁSICO DA FERRAMENTA DE MONITORAMENTO, SEGURANÇA E AUDITORIA DE BANCO DE DADOS Sumário 1. Finalidade... 2 2. Justificativa para contratação... 2 3. Premissas para fornecimento e operação

Leia mais

INDICE 3.APLICAÇÕES QUE PODEM SER DESENVOLVIDAS COM O USO DO SAXES

INDICE 3.APLICAÇÕES QUE PODEM SER DESENVOLVIDAS COM O USO DO SAXES w w w. i d e a l o g i c. c o m. b r INDICE 1.APRESENTAÇÃO 2.ESPECIFICAÇÃO DOS RECURSOS DO SOFTWARE SAXES 2.1. Funcionalidades comuns a outras ferramentas similares 2.2. Funcionalidades próprias do software

Leia mais

01 Analista de TI sênior. Local de trabalho: Campinas (disponibilidade para viagens)

01 Analista de TI sênior. Local de trabalho: Campinas (disponibilidade para viagens) Oportunidades de trabalho na CCM7 01 Analista de TI sênior (disponibilidade para viagens) Responsável pela manutenção e controle dos hardwares e softwares da organização; Projetar e prestar manutenção

Leia mais

QUESTINAMENTOS AO EDITAL DE CONCORRÊNCIA 01/2013

QUESTINAMENTOS AO EDITAL DE CONCORRÊNCIA 01/2013 QUESTINAMENTOS AO EDITAL DE CONCORRÊNCIA 01/2013 Prezados Senhores da comissão de licitação da UENF, seguem alguns questionamentos acerca do edital de concorrência 01/2013 para esclarecimentos: 1. ANEXO

Leia mais

GILMAR ARAUJO ESTÁGIO CURRICULAR II ANÁLISE E SUPORTE EM TI HOSPITALAR

GILMAR ARAUJO ESTÁGIO CURRICULAR II ANÁLISE E SUPORTE EM TI HOSPITALAR GILMAR ARAUJO ESTÁGIO CURRICULAR II ANÁLISE E SUPORTE EM TI HOSPITALAR EMPRESA: TRÍPLICE CONSULTORIA E SERVIÇOS LTDA. SETOR: INFORMÁTICA SUPERVISOR: RONALDO GUIZARDI ORIENTADOR: VILSON VIEIRA CURSO DE

Leia mais

Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br

Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br Programação com acesso a BD Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br 1 Modelos de Dados, Esquemas e Instâncias 2 Modelos de Dados, Esquemas e Instâncias Modelo de dados: Conjunto de conceitos

Leia mais

SQL. Curso Prático. Celso Henrique Poderoso de Oliveira. Novatec

SQL. Curso Prático. Celso Henrique Poderoso de Oliveira. Novatec SQL Curso Prático Celso Henrique Poderoso de Oliveira Novatec 1 Introdução Desde o início da utilização dos computadores, sabemos que um sistema é feito para aceitar entrada de dados, realizar processamentos

Leia mais

Sistema de Automação Comercial de Pedidos

Sistema de Automação Comercial de Pedidos Termo de Abertura Sistema de Automação Comercial de Pedidos Cabana - Versão 1.0 Iteração 1.0- Release 1.0 Versão do Documento: 1.5 Histórico de Revisão Data Versão do Documento Descrição Autor 18/03/2011

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE VARIAÁ VEL Antes de iniciarmos os comandos referentes a Banco de Dados, precisamos de uma breve descrição técnica sobre Variáveis que serão uma constante em programação seja qual for sua forma de leitura.

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR I DETALHAMENTO DAS ATIVIDADES REALIZADAS DURANTE O ESTÁGIO CURRICULAR NA OPENCORE TECNOLOGIA EM SOFTWARE

ESTÁGIO CURRICULAR I DETALHAMENTO DAS ATIVIDADES REALIZADAS DURANTE O ESTÁGIO CURRICULAR NA OPENCORE TECNOLOGIA EM SOFTWARE BRUNO PEREIRA DAMASCENO ESTÁGIO CURRICULAR I DETALHAMENTO DAS ATIVIDADES REALIZADAS DURANTE O ESTÁGIO CURRICULAR NA OPENCORE TECNOLOGIA EM SOFTWARE EMPRESA: OPENCORE TECNOLOGIA EM SOFTWARE SETOR: DESENVOLVIMENTO

Leia mais

Manual do Usuário Características e recursos básicos Enterprise Resource Planning

Manual do Usuário Características e recursos básicos Enterprise Resource Planning Manual do Usuário Características e recursos básicos Enterprise Resource Planning www.pwi.com.br 1 Volpe Enterprise Resource Planning Este manual não pode, em parte ou no seu todo, ser copiado, fotocopiado,

Leia mais

Figura 1 - Arquitetura multi-camadas do SIE

Figura 1 - Arquitetura multi-camadas do SIE Um estudo sobre os aspectos de desenvolvimento e distribuição do SIE Fernando Pires Barbosa¹, Equipe Técnica do SIE¹ ¹Centro de Processamento de Dados, Universidade Federal de Santa Maria fernando.barbosa@cpd.ufsm.br

Leia mais

MURILO TONELLI DE OLIVEIRA RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR I E II JOINVILLE - SC

MURILO TONELLI DE OLIVEIRA RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR I E II JOINVILLE - SC MURILO TONELLI DE OLIVEIRA RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR I E II JOINVILLE - SC 2011 UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS CCT DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO

Leia mais

Manual. EFD Contribuições

Manual. EFD Contribuições Treinamento Escrita Fiscal Material desenvolvido por: Saiba que este documento não poderá ser reproduzido, seja por meio eletrônico ou mecânico, sem a permissão expressa por escrito da Implantta Serviços

Leia mais

14/08/2008. Curso Superior de Tecnologia em Banco de Dados Disciplina: Projeto de Banco de Dados Relacional 1 Prof.: Fernando Hadad Zaidan

14/08/2008. Curso Superior de Tecnologia em Banco de Dados Disciplina: Projeto de Banco de Dados Relacional 1 Prof.: Fernando Hadad Zaidan Faculdade INED Curso Superior de Tecnologia em Banco de Dados Disciplina: Projeto de Banco de Dados Relacional 1 Prof.: Fernando Hadad Zaidan 1 Unidade 2 Introdução a SQL 2 Leitura Obrigatória ELMASRI,

Leia mais

PARTE I A Linguagem C#

PARTE I A Linguagem C# PARTE I A Linguagem C# Capítulo 1, C# 3.0 e o.net 3.5 Capítulo 2, Iniciando: Hello World Capítulo 3, Fundamentos da Linguagem C# Capítulo 4, Classes e Objetos Capítulo 5, Herança e Polimorfismo Capítulo

Leia mais

CURSO DESENVOLVEDOR JAVA WEB E FLEX Setembro de 2010 à Janeiro de 2011

CURSO DESENVOLVEDOR JAVA WEB E FLEX Setembro de 2010 à Janeiro de 2011 CURSO DESENVOLVEDOR JAVA WEB E FLEX Setembro de 2010 à Janeiro de 2011 O curso foi especialmente planejado para os profissionais que desejam trabalhar com desenvolvimento de sistemas seguindo o paradigma

Leia mais

Infracontrol versão 1.0

Infracontrol versão 1.0 Infracontrol versão 1.0 ¹Rafael Victória Chevarria ¹Tecnologia em Redes de Computadores - Faculdade de Tecnologia SENAC (Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial) Rua Gonçalves Chaves 602-A Centro 96015-560

Leia mais

FELIPE NUNES ESTÁGIO CURRICULAR II DESENVOLVIMENTO DE SISTEMA ERP VIA WEB

FELIPE NUNES ESTÁGIO CURRICULAR II DESENVOLVIMENTO DE SISTEMA ERP VIA WEB i FELIPE NUNES ESTÁGIO CURRICULAR II DESENVOLVIMENTO DE SISTEMA ERP VIA WEB EMPRESA: P&P INFORMÁTICA LTDA. SETOR: DESENVOLVIMENTO SUPERVISOR: MAURÍCIO PENSKY ORIENTADOR: FABIANO BALDO CURSO: BACHARELADO

Leia mais

Bem-vindo à apresentação do SAP Business One.

Bem-vindo à apresentação do SAP Business One. Bem-vindo à apresentação do SAP Business One. Neste tópico, responderemos à pergunta: O que é o Business One? Definiremos o SAP Business One e discutiremos as opções e as plataformas disponíveis para executar

Leia mais

Impressão e Fotolito Oficina Gráfica da EDITORA VIENA. Todos os direitos reservados pela EDITORA VIENA LTDA

Impressão e Fotolito Oficina Gráfica da EDITORA VIENA. Todos os direitos reservados pela EDITORA VIENA LTDA Autores Karina de Oliveira Wellington da Silva Rehder Consultores em Informática Editora Viena Rua Regente Feijó, 621 - Centro - Santa Cruz do Rio Pardo - SP CEP 18.900-000 Central de Atendimento (0XX14)

Leia mais

ShoeSystem 1.0 Sistema para loja de calçados

ShoeSystem 1.0 Sistema para loja de calçados Artigo apresentado ao UNIS, como parte dos requisitos para obtenção do título de tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas 1 ShoeSystem 1.0 Sistema para loja de calçados André Luis dos Reis Revair,

Leia mais

Dados do Projeto. Nome do Projeto. Fingerprint Access Users. Data de Inicialização 14/04/2012

Dados do Projeto. Nome do Projeto. Fingerprint Access Users. Data de Inicialização 14/04/2012 Fábrica de Software Dados do Projeto Nome do Projeto Data de Inicialização Responsáveis Autores Fingerprint Access Users 14/04/2012 Adriana Lima de Almeida, Espedito Alves Leal, Jaciel Dias de Souza, Samuel

Leia mais

COMPARAÇÃO ENTRE OS FRAMEWORKS DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE ENTITY FRAMEWORK E NHIBERNATE : ESTUDO DE CASO EM UM SISTEMA

COMPARAÇÃO ENTRE OS FRAMEWORKS DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE ENTITY FRAMEWORK E NHIBERNATE : ESTUDO DE CASO EM UM SISTEMA 73 COMPARAÇÃO ENTRE OS FRAMEWORKS DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE ENTITY FRAMEWORK E NHIBERNATE : ESTUDO DE CASO EM UM SISTEMA Daniel José Angotti Analista de Negócio, Repom S/A djangotti@gmail.com Carlos

Leia mais

SISTEMA DE WORKFLOW PARA MODELAGEM E EXECUÇÃO DE PROCESSOS DE SOFTWARE. Aluno: Roberto Reinert Orientador: Everaldo A. Grahl

SISTEMA DE WORKFLOW PARA MODELAGEM E EXECUÇÃO DE PROCESSOS DE SOFTWARE. Aluno: Roberto Reinert Orientador: Everaldo A. Grahl SISTEMA DE WORKFLOW PARA MODELAGEM E EXECUÇÃO DE PROCESSOS DE SOFTWARE Aluno: Roberto Reinert Orientador: Everaldo A. Grahl Roteiro de apresentação Introdução Objetivos Fundamentação Teórica Workflow Processo

Leia mais

Banco de Dados. Prof. Antonio

Banco de Dados. Prof. Antonio Banco de Dados Prof. Antonio SQL - Structured Query Language O que é SQL? A linguagem SQL (Structure query Language - Linguagem de Consulta Estruturada) é a linguagem padrão ANSI (American National Standards

Leia mais

Noções de. Microsoft SQL Server. Microsoft SQL Server

Noções de. Microsoft SQL Server. Microsoft SQL Server Noções de 1 Considerações Iniciais Basicamente existem dois tipos de usuários do SQL Server: Implementadores Administradores 2 1 Implementadores Utilizam o SQL Server para criar e alterar base de dados

Leia mais

Introdução a Sistemas de Bancos de Dados

Introdução a Sistemas de Bancos de Dados Introdução a Sistemas de Bancos de Dados Prof. UFES - Universidade Federal do Espírito Santo rapchan@inf.ufes.br http://www.inf.ufes.br/~rapchan Roteiro da Apresentação Introdução Características de um

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE HARDWARE E SOFTWARE

ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE HARDWARE E SOFTWARE Capítulo 6 ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE HARDWARE E SOFTWARE 6.1 2003 by Prentice Hall OBJETIVOS Qual é a capacidade de processamento e armazenagem que sua organização precisa para administrar suas informações

Leia mais

Informática para Gestão de Negócios Linguagem de Programação III. Prof. Me. Henrique Dezani dezani@fatecriopreto.edu.br. Agenda

Informática para Gestão de Negócios Linguagem de Programação III. Prof. Me. Henrique Dezani dezani@fatecriopreto.edu.br. Agenda Informática para Gestão de Negócios Linguagem de Programação III Prof. Me. Henrique Dezani dezani@fatecriopreto.edu.br Professor Apresentação Agenda Ementa, Objetivo, Conteúdo Programático, Bibliografia,

Leia mais

PROVA DE NÍVEL SUPERIOR. CARGO: Técnico de Nível Superior Júnior II - TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

PROVA DE NÍVEL SUPERIOR. CARGO: Técnico de Nível Superior Júnior II - TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO PROVA DE NÍVEL SUPERIOR CARGO: Técnico de Nível Superior Júnior II - TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 1. O ambiente Delphi suporta o desenvolvimento de aplicações orientadas a objetos por meio da linguagem Object

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR I e II PESQUISA E DESENVOLVIMENTO DE FERRAMENTA QUE PERMITE VERIFICAR A RELAÇÃO ENTRE PERFIL DE EMPRESA E

ESTÁGIO CURRICULAR I e II PESQUISA E DESENVOLVIMENTO DE FERRAMENTA QUE PERMITE VERIFICAR A RELAÇÃO ENTRE PERFIL DE EMPRESA E Guilherme Alexandre Sant'Ana ESTÁGIO CURRICULAR I e II PESQUISA E DESENVOLVIMENTO DE FERRAMENTA QUE PERMITE VERIFICAR A RELAÇÃO ENTRE PERFIL DE EMPRESA E MODELO DE PROCESSO DE SOFTWARE EMPRESA: UNIVERSIDADE

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE HARDWARE E SOFTWARE

ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE HARDWARE E SOFTWARE ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE HARDWARE E SOFTWARE 1 OBJETIVOS 1. Qual é a capacidade de processamento e armazenagem que sua organização precisa para administrar suas informações e transações empresariais?

Leia mais

Parte I Introdução ActionScript_30_01.indd 1 5/11/2010 08:29:29

Parte I Introdução ActionScript_30_01.indd 1 5/11/2010 08:29:29 Parte I Introdução ActionScript_30_01.indd 1 5/11/2010 08:29:29 ActionScript_30_01.indd 2 5/11/2010 08:29:34 Aprendendo uma nova linguagem... ActionScript é uma linguagem e, como um novo idioma ou a linguagem

Leia mais

BANCO DE DADOS E BUSINESS INTELIGENCE. C/H: 20 horas (20/02, 25/02, 27/02, 04/03, 06/03)

BANCO DE DADOS E BUSINESS INTELIGENCE. C/H: 20 horas (20/02, 25/02, 27/02, 04/03, 06/03) MBA em Gestão de TI MÓDULO: BANCO DE DADOS E BUSINESS INTELIGENCE C/H: 20 horas (20/02, 25/02, 27/02, 04/03, 06/03) PROFESSOR: Edison Andrade Martins Morais prof@edison.eti.br http://www.edison.eti.br

Leia mais

Laudon & Laudon Essentials of MIS, 5th Edition. Pg. 6.1

Laudon & Laudon Essentials of MIS, 5th Edition. Pg. 6.1 Laudon & Laudon Essentials of MIS, 5th Edition. Pg. 6.1 6 OBJETIVOS OBJETIVOS ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE HARDWARE E SOFTWARE 6.1 2003 by Prentice Hall Qual é a capacidade de processamento e armazenagem

Leia mais

ASP.NET 2.0 e PHP. Autor: Glauber de Almeida e Juarez Fernandes

ASP.NET 2.0 e PHP. Autor: Glauber de Almeida e Juarez Fernandes ASP.NET 2.0 e PHP Autor: Glauber de Almeida e Juarez Fernandes Linguagens pesquisadas ASP.NET 2.0 e PHP. 1 - ASP.NET 2.0 ASP.NET não é nem uma linguagem de programação como VBScript, php, nem um servidor

Leia mais

PROPOSTA DE SOFTWARE DE INSTALAÇÃO PARA UM AMBIENTE INTEGRADO DE GERÊNCIA DE PROJETOS E DE PROCESSOS DE NEGÓCIOS

PROPOSTA DE SOFTWARE DE INSTALAÇÃO PARA UM AMBIENTE INTEGRADO DE GERÊNCIA DE PROJETOS E DE PROCESSOS DE NEGÓCIOS PROPOSTA DE SOFTWARE DE INSTALAÇÃO PARA UM AMBIENTE INTEGRADO DE GERÊNCIA DE PROJETOS E DE PROCESSOS DE NEGÓCIOS Élysson Mendes Rezende Bacharelando em Sistemas de Informação Bolsista de Iniciação Científica

Leia mais

Volpe Enterprise Resource Planning

Volpe Enterprise Resource Planning Volpe Enterprise Resource Planning Este manual não pode, em parte ou no seu todo, ser copiado, fotocopiado, reproduzido, traduzido ou reduzido a qualquer mídia eletrônica ou máquina de leitura, sem a expressa

Leia mais

Plano de Ensino. Apresentação da Unidade Curricular

Plano de Ensino. Apresentação da Unidade Curricular Plano de Ensino Plano de Ensino Apresentação da Unidade Curricular o Funcionamento, arquitetura e conceitos fundamentais dos bancos de dados relacionais e objeto relacionais. Utilização de linguagem DDL

Leia mais

Prof. Omero, pág. 63. Banco de Dados InterBase.

Prof. Omero, pág. 63. Banco de Dados InterBase. Prof. Omero, pág. 63 O que é o InterBase? O InterBase é um SGBDR - Sistema Gerenciador de Banco de Dados Cliente/Servidor Relacional 1 que está baseado no padrão SQL ANSI-9, de alta performance, independente

Leia mais

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 MANTER FUNCIONÁRIO RELEASE 4.1

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 MANTER FUNCIONÁRIO RELEASE 4.1 DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 MANTER FUNCIONÁRIO RELEASE 4.1 SUMÁRIO DEFINIÇÃO DE REQUISITOS 4 1. INTRODUÇÃO 4 1.1 FINALIDADE 4 1.2 ESCOPO 4 1.3 DEFINIÇÕES, ACRÔNIMOS

Leia mais

Automação do Processo de Instalação de Softwares

Automação do Processo de Instalação de Softwares Automação do Processo de Instalação de Softwares Aislan Nogueira Diogo Avelino João Rafael Azevedo Milene Moreira Companhia Siderúrgica Nacional - CSN RESUMO Este artigo tem como finalidade apresentar

Leia mais

1 Manual do Candidato

1 Manual do Candidato Manual do Candidato 1 Sumário 1. APRESENTAÇÃO... 3 2. OBJETIVO... 3 3. PÚBLICO ALVO... 3 4. SISTEMÁTICA DO PROGRAMA... 4 5. INSCRIÇÕES... 4 6. CRITÉRIOS DE CLASSIFICAÇÃO... 5 7. DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS...

Leia mais

Sistemas de Informação James A. O Brien Editora Saraiva Capítulo 5

Sistemas de Informação James A. O Brien Editora Saraiva Capítulo 5 Para entender bancos de dados, é útil ter em mente que os elementos de dados que os compõem são divididos em níveis hierárquicos. Esses elementos de dados lógicos constituem os conceitos de dados básicos

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR I e II DESENVOLVIMENTO E ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS

ESTÁGIO CURRICULAR I e II DESENVOLVIMENTO E ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS THAYZE MAINKA NAIZER ESTÁGIO CURRICULAR I e II DESENVOLVIMENTO E ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS EMPRESA: Linx Sistemas e Consultoria Ltda (Unidade Microvix) SETOR: Banco de Dados SUPERVISOR: Dalton Dhiergo

Leia mais

SISTEMAS DE BANCO DE DADOS. Prof. Adriano Pereira Maranhão

SISTEMAS DE BANCO DE DADOS. Prof. Adriano Pereira Maranhão SISTEMAS DE BANCO DE DADOS Prof. Adriano Pereira Maranhão 1 REVISÃO BANCO DE DADOS I O que é banco de dados? Ou seja afinal o que é um SGBD? REVISÃO BD I REVISÃO DE BD I Um Sistema de Gerenciamento de

Leia mais

Partner Network. www.scriptcase.com.br

Partner Network. www.scriptcase.com.br www.scriptcase.com.br A Rede de Parceiros ScriptCase é uma comunidade que fortalece os nossos representantes em âmbito nacional, possibilitando o acesso a recursos e competências necessários à efetivação

Leia mais

Proposta de treinamento

Proposta de treinamento Proposta de treinamento SQL15 SQL Server 2012: Programando com o Transact-SQL Brasília, Março/2013 Brasília, 05 de dezembro de 2012 Ref.: 12-063 Esta proposta é válida até o dia 08 de Março de 2013. Sr.

Leia mais

Programando em C# Orientado a Objetos. By: Maromo

Programando em C# Orientado a Objetos. By: Maromo Programando em C# Orientado a Objetos By: Maromo Agenda Módulo 1 Plataforma.Net. Linguagem de Programação C#. Tipos primitivos, comandos de controle. Exercícios de Fixação. Introdução O modelo de programação

Leia mais

UNIVERSIDADE VEIGA DE ALMEIDA CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSAMENTO DE DADOS BANCO DE DADOS

UNIVERSIDADE VEIGA DE ALMEIDA CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSAMENTO DE DADOS BANCO DE DADOS CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSAMENTO DE DADOS CLAUDIO RIBEIRO DA SILVA MARÇO 1997 2 1 - CONCEITOS GERAIS DE 1.1 - Conceitos Banco de Dados - Representa

Leia mais

Microsoft Visual Studio Express 2012 for Windows Desktop

Microsoft Visual Studio Express 2012 for Windows Desktop Microsoft Visual Studio Express 2012 for Windows Desktop Apresentação da ferramenta Professor: Danilo Giacobo Página pessoal: www.danilogiacobo.eti.br E-mail: danilogiacobo@gmail.com 1 Introdução Visual

Leia mais

Diretrizes para criação de um padrão de desenvolvimento de sistemas de informação baseados em cots

Diretrizes para criação de um padrão de desenvolvimento de sistemas de informação baseados em cots Diretrizes para criação de um padrão de desenvolvimento de sistemas de informação baseados em cots Roosewelt Sanie Da Silva¹ 1 Ciência da Computação Universidade Presidente Antônio Carlos (UNIPAC) Rodovia

Leia mais

Dado: Fatos conhecidos que podem ser registrados e têm um significado implícito. Banco de Dados:

Dado: Fatos conhecidos que podem ser registrados e têm um significado implícito. Banco de Dados: MC536 Introdução Sumário Conceitos preliminares Funcionalidades Características principais Usuários Vantagens do uso de BDs Tendências mais recentes em SGBDs Algumas desvantagens Modelos de dados Classificação

Leia mais

Centro de Agricultura Alternativa CAA Manual do Usuário do Portal Ypadê Balaio Digital Tecnologia em Gestão Ltda ME. Manual do Usuário Portal Ypadê

Centro de Agricultura Alternativa CAA Manual do Usuário do Portal Ypadê Balaio Digital Tecnologia em Gestão Ltda ME. Manual do Usuário Portal Ypadê Centro de Agricultura Alternativa CAA Manual do Usuário Portal Ypadê Montes Claros, 16 de Julho de 2011 Revisão 3 Sumário 1. Apresentação do portal e escopo deste documento... 2 2. Acessando o Portal Ypadê...

Leia mais

DOCUMENTO DE REQUISITOS

DOCUMENTO DE REQUISITOS DOCUMENTO DE REQUISITOS ID documento: Data: / / Versão : Responsável pelo documento: ID Projeto: HISTÓRICO DE REVISÕES Data de criação/ atualização Descrição da(s) Mudança(s) Ocorrida(s) Autor Versão do

Leia mais

Framework.NET, Microsoft Visual C# 2010 Express e Elementos da Linguagem C#

Framework.NET, Microsoft Visual C# 2010 Express e Elementos da Linguagem C# Linguagem de Programação 3 Framework.NET, Microsoft Visual C# 2010 Express e Elementos da Linguagem C# Prof. Mauro Lopes 1-31 35 Objetivos Nesta aula iremos apresentar a tecnologia.net, o ambiente de desenvolvimento

Leia mais

SISTEMA DE BANCO DE DADOS. Banco e Modelagem de dados

SISTEMA DE BANCO DE DADOS. Banco e Modelagem de dados SISTEMA DE BANCO DE DADOS Banco e Modelagem de dados Sumário Conceitos/Autores chave... 3 1. Introdução... 4 2. Arquiteturas de um Sistema Gerenciador... 5 3. Componentes de um Sistema... 8 4. Vantagens

Leia mais

OPORTUNIDADES CWI: Principais atividades: - Análise e desenvolvimento de sites Cross-plataform (IE/Firefox/Chrome/Safari).

OPORTUNIDADES CWI: Principais atividades: - Análise e desenvolvimento de sites Cross-plataform (IE/Firefox/Chrome/Safari). OPORTUNIDADES CWI: Analista - Experiência mínima de 2 anos com ASP.NET (C Sharp). - Experiência com atendimento a usuários na resolução de problemas com sistemas já existentes. - Experiência em desenvolvimento

Leia mais

Sumário Agradecimentos... 19 Sobre.o.autor... 20 Prefácio... 21 Capítulo.1..Bem-vindo.ao.MySQL... 22

Sumário Agradecimentos... 19 Sobre.o.autor... 20 Prefácio... 21 Capítulo.1..Bem-vindo.ao.MySQL... 22 Sumário Agradecimentos... 19 Sobre o autor... 20 Prefácio... 21 Capítulo 1 Bem-vindo ao MySQL... 22 1.1 O que é o MySQL?...22 1.1.1 História do MySQL...23 1.1.2 Licença de uso...23 1.2 Utilizações recomendadas...24

Leia mais

08/04/2013. Agenda. O Sistema CACHÉ. O Sistema CACHÉ. O Sistema CACHÉ. O Sistema CACHÉ

08/04/2013. Agenda. O Sistema CACHÉ. O Sistema CACHÉ. O Sistema CACHÉ. O Sistema CACHÉ Agenda Caché Server Pages Uma Aplicação Banco de Dados Fernando Fonseca Ana Carolina Salgado Mestrado Profissional 2 SGBD de alto desempenho e escalabilidade Servidor de dados multidimensional Arquitetura

Leia mais

Roteiro 2 Conceitos Gerais

Roteiro 2 Conceitos Gerais Roteiro 2 Conceitos Gerais Objetivos: UC Projeto de Banco de Dados Explorar conceitos gerais de bancos de dados; o Arquitetura de bancos de dados: esquemas, categorias de modelos de dados, linguagens e

Leia mais

LINGUAGEM SQL. DML - Linguagem de Manipulação de Dados

LINGUAGEM SQL. DML - Linguagem de Manipulação de Dados LINGUAGEM SQL Structured Query Language, ou Linguagem de Consulta Estruturada ou SQL, é uma linguagem de pesquisa declarativa para banco de dados relacional (base de dados relacional). Muitas das características

Leia mais

FAI CENTRO DE ENSINO SUPERIOR EM GESTÃO, TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. Manual do Estágio Supervisionado

FAI CENTRO DE ENSINO SUPERIOR EM GESTÃO, TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. Manual do Estágio Supervisionado FAI CENTRO DE ENSINO SUPERIOR EM GESTÃO, TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Manual do Estágio Supervisionado Santa Rita do Sapucaí-MG Janeiro/2011 Sumário 1. Introdução 3 2. O que é

Leia mais

Curso de Aprendizado Industrial Desenvolvedor WEB

Curso de Aprendizado Industrial Desenvolvedor WEB Curso de Aprendizado Industrial Desenvolvedor WEB Disciplina: Programação Orientada a Objetos II Professor: Cheli dos S. Mendes da Costa Modelo Cliente- Servidor Modelo de Aplicação Cliente-servidor Os

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE HARDWARE E SOFTWARE

ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE HARDWARE E SOFTWARE 6 ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE HARDWARE E SOFTWARE OBJETIVOS Qual é a capacidade de processamento e armazenagem que sua organização precisa para administrar suas informações e transações empresariais?

Leia mais

M a n u a l d o R e c u r s o Q m o n i t o r

M a n u a l d o R e c u r s o Q m o n i t o r M a n u a l d o R e c u r s o Q m o n i t o r i t i l advanced Todos os direitos reservados à Constat. Uso autorizado mediante licenciamento Qualitor Porto Alegre RS Av. Ceará, 1652 São João 90240-512

Leia mais

Banco de Dados I 2007. Módulo I: Introdução a Sistemas de Banco de Dados. (Aula 1) Clodis Boscarioli

Banco de Dados I 2007. Módulo I: Introdução a Sistemas de Banco de Dados. (Aula 1) Clodis Boscarioli Banco de Dados I 2007 Módulo I: Introdução a Sistemas de Banco de Dados (Aula 1) Clodis Boscarioli Agenda: Apresentação do Plano de Ensino; Aspectos Históricos; Estrutura Geral de um SGBD; Profissionais

Leia mais

FAQ PERGUNTAS FREQUENTES

FAQ PERGUNTAS FREQUENTES FAQ PERGUNTAS FREQUENTES 1 SUMÁRIO SUMÁRIO...2 1.Quais são as características do Programa?...4 2.Quais são os pré-requisitos para instalação do Sigep Web?...4 3.Como obter o aplicativo para instalação?...4

Leia mais

Outlook XML Reader Versão 8.0.0. Manual de Instalação e Demonstração UNE Tecnologia

Outlook XML Reader Versão 8.0.0. Manual de Instalação e Demonstração UNE Tecnologia Outlook XML Reader Versão 8.0.0 Manual de Instalação e Demonstração UNE Tecnologia Add-in para o Outlook 2003, 2007 e 2010 responsável pela validação e armazenamento de notas fiscais eletrônicas. Atenção,

Leia mais

Aluna: Vanessa de Mello Orientador: Everaldo Artur Grahl

Aluna: Vanessa de Mello Orientador: Everaldo Artur Grahl Ferramenta web para gerenciamento de projetos de software baseado no Scrum Aluna: Vanessa de Mello Orientador: Everaldo Artur Grahl Introdução Roteiro da apresentação Objetivos do trabalho Fundamentação

Leia mais