LINGUAGEM SQL PARA CONSULTAS EM MICROSOFT ACCESS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "LINGUAGEM SQL PARA CONSULTAS EM MICROSOFT ACCESS"

Transcrição

1 LINGUAGEM SQL PARA CSULTAS EM MICROSOFT ACCESS Objetivos: Neste tutorial serão apresentados os principais elementos da linguagem SQL (Structured Query Language). Serão apresentados diversos exemplos práticos de utilização da linguagem SQL. Pré-requisitos: Para acompanhar esta lição você deve dominiar os conceitos apresentados nos seguintes treinamento: "Curso Básico de Access" e no tutorial "Consultas Avançadas no Microsoft Access". Nota: Este tutorial foi retirado da apostila da Semana 2, do Curso de Excel Avançado e VBA. Você pode adquirir os três arquivos, com todo o conteúdo deste curso, por apenas R$ 10,00. Para saber como adquirir este curso, Clique Aqui. Introdução: O SQL foi desenvolvido para ser uma linguagem padrão para operações com Banco de Dados. A linguagem SQL foi elaborada para ser independente de hardware ou do software. Ao usar o SQL, você não precisa saber a respeito do software de banco de dados ou do hardware envolvido em uma operação. Tudo o que você precisa conhecer são os comandos/instruções SQL padrão para solicitar informações, que obrigatoriamente é o mesmo em todos os sistemas que utilizam o SQL. Nota: Na prática existem pequenas diferenças entre o SQL dos diferentes bancos de dados, como o Microsoft Access, Microsoft SQL Server 2000, ORACLE, etc. Você usa operações SQL quando trabalha com o Microsoft Access, mas o programa, na verdade, oculta a linguagem SQL do usuário. Por exemplo, todas as operações de consulta são realizadas usando-se SQL, mas você vê apenas a parte gráfica (Modo Estrutura) onde a consulta é definida. Você pode ser muito produtivo no Microsoft Access sem saber nada de SQL. Um conhecimento básico de SQL, no entanto, melhora significativamente o seu uso do Microsoft Access, principalmente no uso de técnicas avançadas em Formulários e Relatórios e na criação de rotinas de programação. Quando você constrói uma consulta no modo estrutura, na verdade o Microsoft Access está definindo uma instrução SQL, a partir dos campos, critérios e opções de filtragem que você definiu na consulta. A título de exemplo, vamos acessar a instrução SQL da consulta "Totais por Pedido", fornecida com o arquivo Semana2.mdb, o qual faz parte dos arquivos de exemplos do Curso de Access Avançado. Nota: Você pode acompanhar este exemplo utilizando o arquivo Northwind.mdb, o qual faz parte do Access e acessando o SQL de qualquer uma das consultas disponíveis. Abra o banco de dados Semana2.mdb Vá para a Guia Consultas Dê um clique na consulta Totais por Pedido Dê um clique no botão Estrutura Selecione o comando Exibir -> Modo SQL. Seré exibido o comando SQL indicado a seguir: SELECT.NúmeroDoPedido, Sum(([Quantidade]*[PreçoUnitário])*(1-[Desconto])) AS TotalPorPedido INNER JOIN [Detalhes do Pedido].NúmeroDoPedido = [Detalhes do Pedido].NúmeroDoPedido GROUP BY.NúmeroDoPedido;

2 Nota: Se você não tiver disponível a consulta Totais por Pedido, utilize qualquer outra consulta disponível. Na prática é esta Instrução SQL que o Microsoft Access grava ao salvar uma consulta e também é esta Instrução SQL que é utilizada para selecionar os registros, aplicando os critérios especificados. Embora possa parecer um pouco complexa, veremos que a linguagem SQL é extremamente simples e intuitiva. Neste tópico veremos alguns aspectos básicos sobre o SQL, bem como os locais na Ajuda do Microsoft Access onde podem ser encontradas informações mais detalhadas sobre o SQL. Uma Instrução SQL descreve o conjunto de dados que você deseja recuperar (quais campos, de quais tabelas, quais critérios, classificação, expressões Calculadas, etc). Todas as instruções SQL são conduzidas com um único comando que contém uma descrição completa da informação exigida. Ao escrever uma instrução SQL, você não deve se preocupar em como os dados são recuperados, mas somente com o conteúdo do conjunto de dados. Esse é o principal benefício do método SQL. Em muitas operações do Microsoft Access, você pode usar instruções SQL, no lugar de expressões normais para inserir um conjunto de dados em um objeto. Por exemplo, todos os formulários e relatórios possuem uma propriedade RecordSource. Essa propriedade normalmente é o nome de uma tabela ou consulta, mas também pode ser uma instrução SQL. Lembre-se que o SQL é um padrão genérico para expressões de consulta em banco de dados. Embora a maior parte das versões do SQL compartilhe elementos básicos, elas não são idênticas. O Access SQL usa algumas palavras-chave que você não encontra em outras versões do SQL. Veremos através de exemplos a utilização das principais palavras chaves do SQL para a construção de expressões SQL para pesquisa em banco de dados. SELECT Esta com certeza é a instrução SQL mais importante, não existe pesquisa que não utilize esta instrução, vamos conhecêla em detalhes. A Instrução Select é utilizada para especificar "Quais os Campos" de "Quais tabelas" farão parte da consulta, quais os critérios de pesquisa que serão utilizados, qual a ordem de classificação, etc. A sintaxe da instrução está indicada a seguir: SELECT [predicado] { * tabela.* [tabela.]campo1 [AS alias1] [, [tabela.]campo2 [AS alias2] [,...]]} tabelaexpression [,...] [IN externaldatabase] [WHERE... ] [GROUP BY... ] [HAVING... ] [ORDER BY... ] [WITH OWNERACCESS OPTI] Onde nós temos os seguintes elementos: Elemento predicado * Tabela Campo1, Campo2 Alias 1, Alias2 tabelaexpression Descrição Um dos seguintes: ALL, DISTINCT, DISTINCTROW ou TOP. Você usa um predicado para restringir o número de Registros que é retornado pela consulta. Se nenhum for especificado o padrão é ALL Especifica que todos os campos de uma determinada tabela ou consulta devem ser selecionados. Por exemplo: Select * from - Retorna todos os campos da tabela. O nome da tabela ou consulta de onde são selecionados os campos. Por exemplo, Select.NúmeroDoPedido,.DataDoPedido from - Seleciona os Campos NúmeroDoPedido e DataDoPedido, da tabela. O Nome dos campos a serem selecionados. Um "apelido" para o campo. Na Folha de Dados o apelido aparece como o título da coluna. Por exemplo, Select.NúmeroDoPedido As Número from, faz com que a coluna NúmeroDoPedido tenha o nomenúmero a ela associado. O nome da tabela de onde os campos serão selecionados

3 externaldatabase where group by having order by O nome do Bando de Dados que contem a tabela, caso não seja o banco de dados atual. Utilizado para especificar critérios na consulta. Por exemplo, Where.PaísDeDestino="Brasil" O mesmo que Agrupar Por no modo estrutura da consulta, na linha Total Especifica critérios quando utilizamos Agrupar Por. Utilizado para classificação dos registros em ordem crescente ou descendente de um determinado campo. Em um ambiente multiusuários com um grupo de trabalho seguro, use esta declaração com uma consulta para conceder ao usuário que executa a consulta as mesmas permissões que as do proprietário da consulta. Sintaxe instrução sql WITH OWNERACCESS OPTI A declaração WITH OWNERACCESS OPTI é opcional. WITH OWNERACCESS OPTI O exemplo a seguir permite que o usuário visualize informações sobre salários (mesmo que, de outra forma, o usuário não tenha permissão para visualizar a tabela FolhaDePagamento), desde que o proprietário da consulta tenha essa permissão: SELECT Sobrenome, Nome, Salário Funcionários ORDER BY Sobrenome WITH OWNERACCESS OPTI; Se de alguma outra forma o usuário for impedido de criar ou adicionar a uma tabela, você pode usar WITH OWNERACCESS OPTI para permitir que ele execute uma consulta criar tabela ou consulta acréscimo. Se você deseja impor configurações de segurança de grupo de trabalho e permissões de usuários, não inclua a declaração WITH OWNERACCESS OPTI. Essa opção requer que você tenha acesso ao arquivo System.mdw associado ao banco de dados. É realmente útil somente nas implementações de multiusuários com segurança. Vejamos alguns exemplos práticos para exemplificar o uso da instrução Select: Criar uma instrução SQL que retorne o campo NúmeroDoPedido, o campo DataDoPedido, o campo Frete e o campo PaísDeDestino da tabela. SELECT.NúmeroDoPedido,.DataDoPedido,.PaísDeDestino,.Frete ; Toda Instrução SQL deve ser terminada com um ponte e vírgula (;), conforme indicado acima. Esta instrução SQL pode ser gerada a partir do modo estrutura da consulta. Basta você criar uma nova consulta baseada na tabela pedidos, adicionar os campos indicado e depois dar uma olhada no modo SQL. Um detalhe interessante é que se você fizer qualquer alteração no modo SQL, as alterações se refletem no modo estrutura e vice-versa. Isso acontece porque o modo estrutura da consulta, é simplesmente uma representação gráfica para facilitar a construção de expressões SQL. Alterar a instrução SQL anterior para que os registros sejam classificados em ordem crescente pelo valor do Frete. SELECT.NúmeroDoPedido,.DataDoPedido,.PaísDeDestino,.Frete ORDER BY.Frete; Observe a utilização da cláusula ORDER BY.Frete para classificar os registros em ordem Crescente. A classificação em ordem crescente á o padrão no Microsoft Access. Quando formos classificar em ordem decrescente, precisamos especificar a palavra DESC, conforme indicado abaixo: SELECT.NúmeroDoPedido,.DataDoPedido,.PaísDeDestino,.Frete

4 ORDER BY.Frete DESC; Alterar a instrução SQL anterior para que sejam exibidos somente os pedidos cujo PaísDeDestino seja Brasil. SELECT.NúmeroDoPedido,.DataDoPedido,.PaísDeDestino,.Frete WHERE (((.PaísDeDestino)="Brasil")) ORDER BY.Frete; Observe a utilização da Cláusula WHERE para filtrar somente os pedidos cujo PaísDeDestino seja Brasil. Como o campo PaísDeDestino é um campo do tipo texto, o valor do critério (Brasil) tem que vir entre aspas. Se fosse um campo do tipo Data, o valor do critério teria que vir delimitado pelo sinal #. Por exemplo #01/01/1995#. Vamos trabalhar um pouco mais com a cláusula WHERE. Altere a instrução SQL anterior para que sejam exibidos somente os pedidos para o Brasil ou Alemanha como PaísDeDestino. SELECT.NúmeroDoPedido,.DataDoPedido,.PaísDeDestino,.Frete WHERE (((.PaísDeDestino)="Brasil" OR (.PaísDeDestino)="Alemanha")) ORDER BY.Frete; Observe a utilização da Cláusula OR ligando os dois Critérios. Lembre que a cláusula OR retorna um registro se o PaísDeDestino atender um dos dois critérios, isto é, se for Brasil ou se for argentina, o Registro será selecionado, que é exatamente o que desejamos, ou seja, todos os para o Brasil mais os pedidos para Argentina. Altere a instrução SQL anterior, retirando o critério para PaísDeDestino. Adicione um critério para NúmeroDoPedido maior do que 10500, retire a classificação do campo Frete a classifique pelo campo NúmeroDoPedido. SELECT.NúmeroDoPedido,.DataDoPedido,.PaísDeDestino,.Frete WHERE (((.NúmeroDoPedido)>10500)) ORDER BY.NúmeroDoPedido; Observe a cláusula WHERE utilizando o operador de comparação maior do que (>) e a classificação através da cláusula ORDER BY no campo NúmeroDoPedido. Observe também, que no Microsoft Access, nas instruções SQL sempre aparece a identificação completa do campo no seguinte formato: NomeTabela.NomeCampo. Por exemplo.númerodopedido para indicar o campo NúmeroDoPedido da tabela. Podemos ver, através dos exemplos, que a linguagem SQL não é tão difícil como pode parecer a primeira vista. Observe que a sintaxe da linguagem é bastante intuitiva e orientada a extração de dados através das consultas. Vamos continuar vendo exemplos de aplicação da linguagem SQL com a utilização de recursos mais avançados. Alterar a instrução SQL anterior, e adicionar um critério de tal maneira que somente sejam exibidos os pedidos para o Ano de Tirar o critério do campo Número do Pedido. SELECT.NúmeroDoPedido,.DataDoPedido,.PaísDeDestino,.Frete WHERE ((Year([DataDoPedido])=1995)) ORDER BY.NúmeroDoPedido; Observe a utilização da função Ano (Year) para extrairmos apenas o Ano do campo DataDoPedido a fim de especificarmos como critério o Ano=1995. Também a cláusula Order By foi mantida, classificando a listagem em ordem crescente pelo número do pedido. A utilização de funções junto com os comando SQL nos fornece inúmeras possibilidades de refinamento em nossas consultas. Alterar a instrução SQL anterior, para que sejam exibidos somente os pedidos no Período de 01/01/1995 até 31/07/1995 e que tenham como PaísDeDestino Brasil, Argentina, Alemanha ou Canadá. SELECT.NúmeroDoPedido,.DataDoPedido,.PaísDeDestino,.Frete WHERE (((.DataDoPedido) Between #1/1/95# And #8/31/95#) AND (.PaísDeDestino) In ("Brasil","Argentina","Alemanha","Canadá"))) ORDER BY.NúmeroDoPedido;

5 Observe a utilização de vários critérios em diferentes campos. Colocamos critérios nos campos DataDoPedido e PaísDeDestino. Conforme descrito anteriormente os critérios de dois ou mais campos são ligados através do operador AND, indicando que um registro deve atender ambos os critérios para ser selecionado. Também temos a utilização dos operadores Between (Entre) para selecionar as datas dentre de um determinado intervalo e do operador In (Em) para selecionar o campo PaísDeDestino que seja igual a um dos valores apresentados na lista. Observe também, que os valores de data vem delimitados pelos marcadores #, conforme descrito anteriormente. Criar uma instrução SQL que retorne o campo NúmeroDoPedido, o campo DataDoPedido, o campo DataDeEntrega, o campo Frete e o campo PaísDeDestino da tabela. Criar uma coluna adicional que calcula o número de dias entre a DataDeEntrega e a DataDoPedido. Chamar esta coluna de Dias_Ped_Entr. SELECT.NúmeroDoPedido,.DataDoPedido,.DataDeEntrega,.PaísDeDestino,.Frete, [DataDeEntrega]-[DataDoPedido] AS Dias_Ped_Entr WHERE (((.DataDoPedido) Between #1/1/95# And #8/31/95#) AND ((.PaísDeDestino) In ("Brasil","Argentina","Alemanha","Canadá"))) ORDER BY.NúmeroDoPedido; Veja que a coluna calculada está junto com a listagem dos campos no início da instrução Select. Além disso foi utilizada a palavra AS para atribuir um nome (apelido) para esta coluna calculada. Este nome é o que irá aparecer como título da coluna no modo Folha de Dados. Quando você constrói uma expressão, este é o nome que vem antes dos dois pontos, por exemplo: Dias_Ped_Entr: [DataDeEntrega]-[DataDoPedido]. Você também pode classificar a listagem em ordem crescente ou decrescente de um campo calculado. Por exemplo, se você quisesse classificar a listagem do ítem anterior, em ordem crescente, do número de dias entre a DataDeEntrega e a DataDoPedido, bastaria utilizar a seguinte instrução SQL: SELECT.NúmeroDoPedido,.DataDoPedido,.DataDeEntrega,.PaísDeDestino,.Frete, [DataDeEntrega]-[DataDoPedido] AS Dias_Ped_Entr WHERE (((.DataDoPedido) Between #1/1/95# And #8/31/95#) AND ((.PaísDeDestino) In ("Brasil","Argentina","Alemanha","Canadá"))) ORDER BY [DataDeEntrega]-[DataDoPedido]; Alterar a instrução SQL anterior, eliminando os critérios para a DataDoPedido e para o PaísDeDestino. Colocar um novo critério para PaísDeDestino, onde sejam exibidos apenas os pedidos cujo PaísDeDestino tem a Primeira Letra na faixa de A até M. Utilize o operador Like. SELECT.NúmeroDoPedido,.DataDoPedido,.DataDeEntrega,.PaísDeDestino,.Frete, [DataDeEntrega]-[DataDoPedido] AS Dias_Ped_Entr WHERE (((.PaísDeDestino) Like "[A-M]*")) ORDER BY.PaísDeDestino; Observe a utilização do Operador Like ("Como") como critério de Pesquisa para esta consulta. Nunca é demais salientar que a utilização das Instruções SQL juntamente com as funções e operadores do Microsoft Access, nos fornece um amplo conjunto de possibilidades. Até agora utilizamos exemplos com Instruções que selecionam registros de uma única tabela. Porém é bastante comum criarmos Consultas baseadas em duas ou mais tabelas. Quando criamos instruções SQL que buscam dados em duas ou mais tabelas, dizemos que está sendo feito um Join entre as duas tabelas. Normalmente este "Join" (ou ligação) é feito através de um campo comum as duas tabelas. Por exemplo, NúmeroDoPedido na tabela e NúmeroDoPedido na tabela Detalhes do Pedido. Outro exemplo, CódigoDoClientena tabela e CódigoDoCliente na tabela Clientes. Pode acontecer de termos consultas que trabalham com três ou mais Tabelas, neste caso teremos diversos Joins. Agora passaremos e explorar, na Prática, através de exemplos a construção de Instruções SQL que trabalham com duas ou mais tabelas. Sempre lembrando que estas consultas podem ser construídas diretamente no modo estrutura das consultas e depois simplesmente vamos para o modo SQL e observamos o código gerado. Porém o conhecimento da linguagem SQL é útil em diversas situações, conforme veremos ao estudarmos Técnicas Avançadas em Formulários e Técnicas Avançadas em Relatórios. Criar uma instrução SQL que selecione os seguintes campos: NúmeroDoPedido da tabela DataDoPedido da tabela

6 PaísDeDestino da tabela Frete da tabela CódigoDoProduto, PreçoUnitário e Quantidade da tabela Detalhes do Pedido As tabelas e Detalhes do Pedido estão relacionadas através do campo NúmeroDoPedido. Classificar a listagem em ordem crescente do campo NúmeroDoPedido. SELECT.NúmeroDoPedido,.DataDoPedido,.PaísDeDestino,.Frete, [Detalhes do Pedido].CódigoDoProduto, [Detalhes do Pedido].PreçoUnitário, [Detalhes do Pedido].Quantidade INNER JOIN [Detalhes do Pedido].NúmeroDoPedido = [Detalhes do Pedido].NúmeroDoPedido ORDER BY.NúmeroDoPedido; Observe a instrução que está em vermelho. Nela temos a utilização da cláusula INNER JOIN, ligando as tabelas e Detalhes do Pedido, através do campo NúmeroDoPedido, conforme especificado após o. UM Join deste tipo é bastante comum. Observe que está listagem irá trazer vários registros para cada Pedido, tantos quantos forem os ítens de cada pedido. Por exemplo, o Pedido Número apresenta três registros, um para cada um dos seus ítens. Um para o Produto 42, outro para o produto 72 e um para o produto cujo código é 11. Mas se ao invés do CódigoDoProduto, nos quiséssemos que fosse exibida a Descrição do Produto. Em primeiro lugar esta informação encontra-se na tabela Produtos, logo teremos que adicionar a Tabela Produtos a nossa consulta, a qual ira se ligar a tabela Detalhes Do Pedido através do campo CódigoDoProduto, logo teremos mais um Join. Após adicionar a tabela Produtos e substituir o campo CódigoDoProduto pelo campo NomeDoProduto, a nossa instrução SQL deve ficar conforme indicado abaixo: SELECT.NúmeroDoPedido,.DataDoPedido,.PaísDeDestino,.Frete, Produtos.NomeDoProduto,[Detalhes do Pedido].PreçoUnitário, [Detalhes do Pedido].Quantidade Produtos INNER JOIN ( INNER JOIN [Detalhes do Pedido].NúmeroDoPedido=[Detalhes do Pedido].NúmeroDoPedido) Produtos.CódigoDoProduto = [Detalhes do Pedido].CódigoDoProduto ORDER BY.NúmeroDoPedido; Observe que neste caso temos um INNER JOIN dentro do outro. Dentro do parênteses é feita a ligação entre as tabelas e Detalhes Do Pedido, através do campo NúmeroDoPedido, e externamente é feita a ligação entre as tabelas Produtos e Detalhes do Pedido, através do campo NúmeroDoPedido. Posso utilizar diversos níveis de INNER JOIN, embora esta não seja uma prática recomendada, pois se aumentarmos muito os níveis deinner JOIN, posso ter como resultado pesquisas mais lentas em conseqüência do aumento da complexidade das consultas. Até 3 ou 4 níveis é considerado normal, acima disso preciso repensar a maneira de construir a consulta. Alterar a instrução SQL do ítem anterior para que somente sejam exibidos os pedidos para os produtos cujo NomeDoProduto inicie com uma letra na faixa de A até J. Tirar a classificação do campo NúmeroDoPedido e classificar em ordem crescente do campo NomeDoProduto. SELECT.NúmeroDoPedido,.DataDoPedido,.PaísDeDestino,.Frete, Produtos.NomeDoProduto, [Detalhes do Pedido].PreçoUnitário, [Detalhes do Pedido].Quantidade INNER JOIN (Produtos INNER JOIN [Detalhes do Pedido] Produtos.CódigoDoProduto = [Detalhes do Pedido].CódigoDoProduto).NúmeroDoPedido = [Detalhes do Pedido].NúmeroDoPedido WHERE (((Produtos.NomeDoProduto) Like "[A-J]*")) ORDER BY Produtos.NomeDoProduto;

7 Observe, além dos dois INNER JOIN, a utilização da cláusula WHERE em conjunto com Operador LIKE para especificar o critério desejado. Até este momento estivemos construindo Instruções SQL que correspondem as consultas de Seleção. Especificamos quais campos serão exibidos, critérios de filtragem para estes campos e uma ordem de classificação. A partir de agora aprenderemos a utilizar Instruções SQL para a construção de outros tipos de Consulta : Criar Tabela, Consulta anexação, Consulta de tabela de referência cruzada, Consulta exclusão e Consulta atualização. Vamos começar criando uma consulta do tipo Criação de Tabela e observar as diferenças na instrução SQL. Construir uma instrução SQL que selecione o NúmeroDoPedido, DataDoPedido, PaísDeDestino e Frete. Colocar um critério para selecionar apenas os registros cuja DataDoPedido tenha caído no mês de Junho ou Julho de qualquer ano. A consulta deverá ser do tipo Criar tabela e o nome da tabela será " de Junho e Julho". SELECT.NúmeroDoPedido,.DataDoPedido,.PaísDeDestino,.Frete INTO [ de Junho e Julho] WHERE ((Month([DataDoPedido]) In (6,7))); Observe a utilização da instrução INTO [ de Junho e Julho]. Ao invés de utilizarmos um SELECT, utilizamos um SELECT INTO, que é a instrução SQL utilizada para criar uma nova tabela com os registros retornados pela consulta. O Nome da nova tabela vem depois da instrução INTO. Como o nome da tabela possui espaços em branco, o nome deve ser colocado entre colchetes. Também utilizamos, na cláusula WHERE, o operador In, juntamente com a função Month, para especificar que o mês da DataDoPedido deve ser um dos valores definidos na cláusula In (6=Junho, 7=Julho). A Instrução SELECT INTO, informa ao Microsoft Access que é para "pegar" os registros rertornados pela consulta e inseri-los em uma nova tabela. Caso a tabela já exista o Microsoft Access avisa que a tabela será excluída e uma nova tabela será criada. Criar uma instrução SQL que aumento o PreçoUnitário em 20% na tabela Detalhes do Pedido, devido a um ajuste na moeda e uma desvalorização em relação ao Dólar. UPDATE [Detalhes do Pedido] SET [Detalhes do Pedido].PreçoUnitário = [PreçoUnitário]*1.2; Observe a simplicidade da instrução SQL. Utilizamos uma instrução UPDATE, seguida do nome da tabela onde será feita a atualização. Em seguida uma instrução SET com a expressão de atualização para aumentar em 20% o PreçoUnitário. Importante: Se você executar mais do que uma vez, uma consulta de atualiazação, os dados serão repetidamente atualizados. Por exemplo: da primeira vez que a consulta for executada os dados do campo PreçoUnitário serão aumentados em 20% (por exemplo, um produto com preço Unitário de R$ 100,00 passará para R$120). Se você executar a consulta novamente será aplicado um novo acréscimo de 20%, sobre os novos valores - o produto de R$120,00 passará para R$144,00 e assim sucessivamente. Vamos alterar essa instrução para incluir um critério na consulta de atualização. Alterar a instrução SQL do ítem anterior para que somente sejam aumentados os registros cujo PreçoUnitário for maior ou igual a R$ 20,00. UPDATE [Detalhes do Pedido] SET [Detalhes do Pedido].PreçoUnitário = [PreçoUnitário]*1.2 WHERE ((([Detalhes do Pedido].PreçoUnitário)>=20)); Foi adicionada uma cláusula WHERE, para atualizar apenas os registros cujo PreçoUnitário seja maior do que R$ 20,00. Aqui podemos fazer alguns comentários sobre a utilização prática de Instruções SQL. Como exemplo poderíamos citar um Formulário para atualização de Preços. Poderíamos colocar um campo onde o usuário digita o valor do aumento (10%, 15%, etc) e um botão Atualizar. Esse botão Atualizar tem associado ao evento Ao Clicar, uma Instrução SQL que atualiza os registros desejados. Isso aumenta em muito a nossa flexibilidade, evitando que o usuário tenha que se deslocar para a Guia Consultas e executar uma consulta de Atualização. Juntamente com a instrução UPDATE, poderíamos utilizar Operadores e Funções do Microsoft Access. Também podemos utilizar critérios em outros campos além do campo que está sendo atualizado. A título de exemplo, vamos alterar a instrução SQL anterior. Alterar a instrução SQL do ítem anterior para que somente sejam aumentados os registros cujo PreçoUnitário for maior ou igual a R$ 20,00 E cujo NúmeroDoPedido seja menor do que UPDATE [Detalhes do Pedido] SET [Detalhes do Pedido].PreçoUnitário = [PreçoUnitário]*1.2 WHERE ((([Detalhes do Pedido].PreçoUnitário)>=20)

8 AND (([Detalhes do Pedido].NúmeroDoPedido)<10500)); Observe que utilizamos critérios em dois campos (PreçoUnitário e NúmeroDoPedido) e que estes critérios estão ligados por um operadore, o que significa que um registro, somente será atualizado se ele atender aos dois critérios ao mesmo tempo (PreçoUnitário maior ou igual a 20 e NúmeroDoPedido menor do que 10500). Se o registro atender a apenas uma das condições, o mesmo não terá o seu PreçoUnitário atualizado. Vamos refinar um pouco mais a nossa consulta de atualização. Vamos fazer com que somente sejam atualizados os para o ano da DataDoPedido igual a 1995, e ainda iremos manter os critérios adicionados até agora. Alterar a instrução SQL anterior para incluir um critério para que o Ano da DataDoPedido seja Você terá que incluir a tabela, uma vez que o campo DataDoPedido, encontra-se nesta tabela. UPDATE INNER JOIN [Detalhes do Pedido].NúmeroDoPedido = [Detalhes do Pedido].NúmeroDoPedido SET [Detalhes do Pedido].PreçoUnitário = [PreçoUnitário]*1.2 WHERE ((([Detalhes do Pedido].PreçoUnitário)>=20) AND (([Detalhes do Pedido].NúmeroDoPedido)<10500) AND (Year([DataDoPedido])=1995)); Temos diversos detalhes interessantes a observar nesta instrução SQL. Primeiro um INNER JOIN relacionando as tabelas edetalhes Do Pedido, através do campo NúmeroDoPedido. Isso mostra que é perfeitamente possível, utilizar um INNER JOIN dentro de uma consulta de atualização. Segundo: Temos a utilização da função Year para extrair apenas o ano do campo DataDoPedido e compará-lo com o critério Novamente vale a pena comentar que a utilização de Operadores e Funções, nos fornece uma grande flexibilidade em termos de construção de nossas consultas. Agora vamos passar a analisar as Instruções SQL para consultas do tipo Tabela de referência cruzada. Veremos alguns exemplos, e os detalhes a respeito de cada instrução. Criar uma instrução SQL que liste o total de compras pelo NomeDaEmpresa e por ano da DataDoPedido. Classificar a listagem em ordem crescente do NomeDaEmpresa. TRANSFORM Sum(([PreçoUnitário]*[Quantidade])*(1-[Desconto])) AS Expr2 SELECT Clientes.NomeDaEmpresa (Clientes INNER JOIN Clientes.CódigoDoCliente =.CódigoDoCliente) INNER JOIN [Detalhes do Pedido].NúmeroDoPedido = [Detalhes do Pedido].NúmeroDoPedido GROUP BY Clientes.NomeDaEmpresa ORDER BY Clientes.NomeDaEmpresa PIVOT Year([DataDoPedido]); Temos diversos detalhes a observar nesta instrução SQL. Primeiro a instrução TRANSFORM, que calcula o valor de cada ítem (usando a fórmula ([PreçoUnitário]*[Quantidade])*(1-[Desconto])) e a função Sum para somar todos os ítens de um determinado cliente. A instruçãotransform equivale ao elemento Valor da Referência Cruzada. Este valor calculado é que irá formar os valores da nossa referência cruzada. Temos também, a utilização de dois INNER JOIN, um ligando com Detalhes do Pedido, através do campo NúmeroDoPedido, e outro ligando com Clientes, através do campo CódigoDoCliente, uma vez que precisamos de informações destas três tabelas. A Cláusula GROUP BY agrupa a soma de todos os de um determinado cliente, definido pelo campo NomeDaEmpresa. Os diferentes clientes, formarão as diferentes linhas da nossa referência cruzada. E por último, a utilização da palavra PIVOT, juntamente com a função Year, indicando que os diferentes Anos da DataDoPedido irão compor as colunas da nossa referência cruzada. Veja o que diz a Ajuda do Microsoft Access sobre a instrução TRANSFORM: Cria uma consulta tabela de referência cruzada. Sintaxe TRANSFORM funçãoagrg instruçãoselect

9 PIVOT campocentral [IN (valor1[, valor2[,...]])] A instrução TRANSFORM possui as partes a seguir: Parte Descrição funçãoagrg Uma função agregada SQL que opera sobre os dados selecionados. instruçãoselect Uma instrução SELECT. O campo ou expressão que você quer usar para criar títulos de coluna no conjunto de campocentral resultados da consulta. valor1, valor2 Valores fixos usados para criar títulos de colunas. Comentários: Quando resume dados utilizando uma consulta tabela de referência cruzada, você seleciona valores de campos ou expressões especificadas como títulos de colunas para poder visualizar os dados em um formato mais compacto do que com uma consulta seleção. A instrução TRANSFORM é opcional, mas quando for incluída será a primeira instrução em uma seqüência SQL. Ela antecede uma instrução SELECT que especifica os campos usados como títulos de linhas e uma cláusula GROUP BY que especifica o agrupamento de linhas. Opcionalmente, você pode incluir outras cláusulas, como WHERE, que especifiquem critérios adicionais de seleção ou de classificação. Você pode também usar subconsultas como atributos especificamente, aqueles em uma cláusula WHERE em uma consulta tabela de referência cruzada. Os valores retornados em campocentral são usados como títulos de colunas no conjunto de resultados da consulta. Por exemplo, articular os números das vendas no mês da venda em uma consulta tabela de referência cruzada criaria 12 colunas. Você pode restringir campocentral para criar títulos a partir de valores fixos (valor1, valor2) relacionados na cláusula IN opcional. Você pode também incluir valores fixos para os quais não existam dados para criar colunas adicionais. Criar uma instrução SQL que gere uma Consulta de tabela de referência cruzada. As linhas deverão ser formadas pelopaísdedestino da tabela Clientes. As colunas serão formadas pelo número do mês da DataDoPedido e os valores serão formados pela contagem de pedidos. Adicionar um critério de tal forma que somente sejam exibidos os registros para Brasil ou Alemanha. TRANSFORM Count(.NúmeroDoPedido) AS ContarDeNúmeroDoPedido SELECT Clientes.PaísDeDestino Clientes INNER JOIN Clientes.CódigoDoCliente =.CódigoDoCliente WHERE (((Clientes.PaísDeDestino) In ("Brasil","Alemanha"))) GROUP BY Clientes.PaísDeDestino PIVOT Month([DataDoPedido]); Utilizamos a função Count para contar o número de por PaísDeDestino e por Mês. Também utilizamos um INNER JOIN para relacionar as tabelas Clientes e, através do campo CódigoDoCliente. A utilização da cláusula WHERE, juntamente com o operador IN para limitar o PaísDeDestino a Brasil ou Alemanha. O GROUP BY indicando que o campo PaísDeDestino formará as linhas da referência cruzada. Finalmente a utilização de PIVOT com a função Month (Mês) indicando que os meses da DataDoPedido formarão as colunas da referência cruzada. Agora vamos aprender a construir instruções SQL para consultas de exclusão. Veremos que a simplicidade da linguagem SQL facilita em muito o entendimento e a aprendizagem destas instruções. Faça uma cópia da tabela. Chame a cópia de CópiaDe. Criar uma instrução SQl que elimine todos os da tabela CópiaDe cujo PaísDeDestino seja a Alemanha DELETE CópiaDe.PaísDeDestino WHERE (((.PaísDeDestino)="Alemanha")); A instrução é tão simples, que praticamente dispensa comentários. A única recomendação importante é que não devemos utilizar uma instrução DELETE, sem a utilização de uma cláusula WHERE. Utilizar um DELETE sem uma cláusula WHERE significa que estaremos eliminando todos os registros da tabela. Vamos criar instruções SQL com parâmetros (Consultas Parametrizadas), que ao serem executadas solicitam ao usuário que seja digitado um valor para o parâmetro. Criar uma instrução SQL que selecione os campos NúmeroDoPedido, DataDoPedido, Frete e PaísDeDestino da tabela. Fazer com que ao ser executada, a consulta solicite que seja digitado o nome do País e que sejam retornados apenas os para o PaísDeDestino digitado.

10 SELECT.NúmeroDoPedido,.DataDoPedido,.Frete,.PaísDeDestino WHERE (((.PaísDeDestino)=[Digite o País:])); Na hora que esta instrução SQL é executada, o Microsoft Access localiza na cláusula WHERE, após o sinal de igual a expressão: [Digite o País:]. Como esta expressão não é o nome de um campo de uma das tabelas que fazem parte da consulta, o Microsoft Access abre uma janela pedindo que seja digitado um valor, este valor substitui a expressão. Por exemplo, ao executar esta consulta o Microsoft Access pede que seja digitado o nome do País, se você digitar Brasil, a cláusula WHERE fica da seguinte maneira: WHERE (((.PaísDeDestino="Brasil")), e somente serão listados os cujo país de Destino for igual a Brasil. As aspas são colocadas pelo Microsoft Access, porque o campo PaísDeDestino é do tipo texto. Alterar a instrução SQL do exemplo anterior para que além do PaísDeDestino, seja solicitada uma Data Inicial, uma Data Final. Somente devem ser listados os registros para o País digitado e dentro do Período especificado. SELECT.NúmeroDoPedido,.DataDoPedido,.Frete,.PaísDeDestino WHERE (((.DataDoPedido) Between [Data Inicial:] And [Data Final:]) AND ((.PaísDeDestino)=[Digite o País:])); Observe a utilização do operador Between, junto com os parâmetros [Data Inicial:] e [Data Final:]. Os parâmetros nos campos DataDoPedido e PaísDeDestino estão ligados por um AND (Operador E), conforme explicado anteriormente. Existe uma série de detalhes sobre a utilização do SQL. Existem, também, diversas situações onde podemos utilizar uma instrução SQL para retornar dados. Por exemplo, ao construir uma Caixa De Combinação em um formulário, podemos utilizar uma Instrução SQL para buscar dados em uma Tabela, dados estes que serão exibidos na Caixa de Combinação. Podemos utilizar instruções SQL, juntamente com Funções de Domínio para exibir valores em formulários, como por exemplo, a média de vendas para um determinado período, o total de vendas para um determinado cliente, e assim por diante. Uma pergunta que fica é: Onde posso encontrar mais informações sobre o SQL? Um bom ponto de partida é a Ajudo do Microsoft Access. Agora indicaremos alguns locais na Ajuda do Microsoft Access, onde você poderá encontrar informações sobre SQL. Selecione o comando Ajuda -> Ajuda do Microsoft Access ou pressione a tecla F1. Clique na guia Conteúdo. Clique no sinal de + ao lado da opção "Trabalhar com Consultas". Surgem as opções: Criar consultas SQL. Trabalhar com instruções SQL.

11 Estas opções estão indicadas na figura a seguir: Através destas duas opções você encontra muitas informações e exemplos sobre o uso da linguagem SQL no Microsoft Access. Conclusão: A linguagem SQL apresenta um padrão de comando/instruções para consultar, alterar e pesquisar tabelas de um banco de dados. A implementação do SQL utilizada no Microsoft Access segue grande parte do padrão definido pelo Ansi-92, mas apresenta algumas inconsistências, como por exemplo: Utiliza o * ao invés do % como caractere curinga Utiliza ao invés de para critérios do tipo texto Muito pode ser feito no Access, sem conhecer a linguagem SQL, mas com certeza você terá muito mais recursos à mão, conhecendo a linguagem SQL.

LINGUAGEM SQL PARA CONSULTAS EM MICROSOFT ACCESS

LINGUAGEM SQL PARA CONSULTAS EM MICROSOFT ACCESS LINGUAGEM SQL PARA CSULTAS EM MICROSOFT ACCESS Objetivos: Neste tutorial serão apresentados os principais elementos da linguagem SQL (Structured Query Language). Serão apresentados diversos exemplos práticos

Leia mais

Lição 1 - Criação de campos calculados em consultas

Lição 1 - Criação de campos calculados em consultas 1 de 5 21-08-2011 22:15 Lição 1 - Criação de campos calculados em consultas Adição de Colunas com Valores Calculados: Vamos, inicialmente, relembrar, rapidamente alguns conceitos básicos sobre Consultas

Leia mais

Principais Instruções em SQL. Contidas nesta apostila as principais instruções em SQL para a manutenção em Bancos de Dados.

Principais Instruções em SQL. Contidas nesta apostila as principais instruções em SQL para a manutenção em Bancos de Dados. Principais Instruções em SQL Contidas nesta apostila as principais instruções em SQL para a manutenção em Bancos de Dados. Atenção: Esta apostila foi desenvolvida com o auxílio on-line do banco MS-ACCESS,

Leia mais

SQL. Structured Query Language. Copyright 2003 2014 Prof. Edison Andrade Martins Morais http://www.edison.eti.br prof@edison.eti.

SQL. Structured Query Language. Copyright 2003 2014 Prof. Edison Andrade Martins Morais http://www.edison.eti.br prof@edison.eti. SQL Structured Query Language Copyright 2003 2014 Prof. Edison Andrade Martins Morais http://www.edison.eti.br prof@edison.eti.br Sumário 1.CREATE TABLE... 5 1.1. Sintaxe... 5 1.2. A instrução CREATE TABLE

Leia mais

1. SQL Instrumental...2 1.1 Select...3 1.2 Delete...13 1.3 Update... 1.4 Insert... 1.5 Group by... 1.6 Having... 1.7 Unnion All...

1. SQL Instrumental...2 1.1 Select...3 1.2 Delete...13 1.3 Update... 1.4 Insert... 1.5 Group by... 1.6 Having... 1.7 Unnion All... SQL 1. SQL Instrumental...2 1.1 Select...3 1.2 Delete...13 1.3 Update... 1.4 Insert... 1.5 Group by... 1.6 Having... 1.7 Unnion All... 2. Servidor... 2.1 Ativando log no Broker... 2.2 Leitura do log no

Leia mais

Principais Instruções em SQL

Principais Instruções em SQL Instrução Principais Instruções em SQL Instrui o programa principal do banco de dados para retornar a informação como um conjunto de registros. Sintaxe [predicado { * tabela.* [tabela.]campo1 [AS alias1]

Leia mais

Tutorial de Consultas no Access Parte 1

Tutorial de Consultas no Access Parte 1 Autor: Júlio Battisti www.juliobattisti.com.br Tutorial de Consultas no Access Parte 1 Direito Autoral: Esta lista de exercícios é de autoria de Júlio Battisti e não pode ser distribuído em CDs de revista

Leia mais

SQL UMA ABORDAGEM INTERESSANTE

SQL UMA ABORDAGEM INTERESSANTE SQL é uma linguagem de consulta estruturada, do inglês Structured Query Language. É uma linguagem de pesquisa declarativa para banco de dados relacional (base de dados relacional). Muitas das características

Leia mais

Treinamento sobre SQL

Treinamento sobre SQL Treinamento sobre SQL Como Usar o SQL Os dois programas que você mais utilizara no SQL Server são: Enterprise Manager e Query Analyzer. No Enterprise Manager, você pode visualizar e fazer alterações na

Leia mais

Conectando Bancos de Dados Microsoft Access no BrOffice.org Base. fornecido pelo Projeto de Documentação do BrOffice.org

Conectando Bancos de Dados Microsoft Access no BrOffice.org Base. fornecido pelo Projeto de Documentação do BrOffice.org Conectando Bancos de Dados Microsoft Access no BrOffice.org Base fornecido pelo Projeto de Documentação do BrOffice.org Índice 1 Introdução...2 1.1 Versão... 2 1.2 Licenciamento...2 1.3 Mensagem do Projeto

Leia mais

Tutorial de Consultas no Access Parte 2

Tutorial de Consultas no Access Parte 2 Autor: Júlio Battisti www.juliobattisti.com.br Tutorial de Consultas no Access Parte 2 Direito Autoral: Esta lista de exercícios é de autoria de Júlio Battisti e não pode ser distribuído em CDs de revista

Leia mais

SQL Linguagem de Manipulação de Dados. Banco de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri

SQL Linguagem de Manipulação de Dados. Banco de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri SQL Linguagem de Manipulação de Dados Banco de Dados SQL DML SELECT... FROM... WHERE... lista atributos de uma ou mais tabelas de acordo com alguma condição INSERT INTO... insere dados em uma tabela DELETE

Leia mais

Introdução aos critérios de consulta. Um critério é semelhante a uma fórmula é uma cadeia de caracteres que pode consistir em

Introdução aos critérios de consulta. Um critério é semelhante a uma fórmula é uma cadeia de caracteres que pode consistir em Material retirado do site Office online. Introdução aos critérios de consulta Um critério é semelhante a uma fórmula é uma cadeia de caracteres que pode consistir em referências de campo, operadores e

Leia mais

SQL (Structured Querie Language) Escola Secundária de Emídio Navarro 2001/2002 Estruturas, Tratamento e Organização de Dados

SQL (Structured Querie Language) Escola Secundária de Emídio Navarro 2001/2002 Estruturas, Tratamento e Organização de Dados SQL (Structured Querie Language) SQL é mais que uma linguagem de interrogação estruturada. Inclui características para a definição da estrutura de dados, para alterar os dados de uma base de dados, e para

Leia mais

Centro de Computação - Unicamp Gerência de Atendimento ao Cliente (e-mail:apoio@turing.unicamp.br) Sumário

Centro de Computação - Unicamp Gerência de Atendimento ao Cliente (e-mail:apoio@turing.unicamp.br) Sumário Sumário Conceitos Microsoft Access 97... 01 Inicialização do Access... 02 Convertendo um Banco de Dados... 03 Criando uma Tabela... 06 Estrutura da Tabela... 07 Propriedades do Campo... 08 Chave Primária...

Leia mais

Tarefa Orientada 13 Agrupamento e sumário de dados

Tarefa Orientada 13 Agrupamento e sumário de dados Tarefa Orientada 13 Agrupamento e sumário de dados Objectivos: Funções de agregação Agrupamento e sumário de dados Funções de agregação Nesta tarefa orientada iremos formular consultas que sumariam os

Leia mais

Criação de Consultas e Relatórios no Access CRIAÇÃO DE CONSULTAS E RELATÓRIOS NO ACCESS

Criação de Consultas e Relatórios no Access CRIAÇÃO DE CONSULTAS E RELATÓRIOS NO ACCESS Criação de Consultas e Relatórios no Access CRIAÇÃO DE CONSULTAS E RELATÓRIOS NO ACCESS Sumário Conceitos / Autores chave... 3 1. Introdução... 4 2. Consultas... 5 3. Relatórios... 8 4. Conclusões... 11

Leia mais

Pedro F. Carvalho OCP Oracle 2008.2 10g LINGUAGEM SQL. www.pedrofcarvalho.com.br contato@pedrofcarvalho.com.br São José do Rio Preto

Pedro F. Carvalho OCP Oracle 2008.2 10g LINGUAGEM SQL. www.pedrofcarvalho.com.br contato@pedrofcarvalho.com.br São José do Rio Preto Pedro F. Carvalho OCP Oracle 2008.2 10g LINGUAGEM SQL Objetivos Revisando a sintaxe SQL SELECT, UPDATE, INSERT, DELETE Manipulando expressões Funções matemáticas, etc Condições de Pesquisa Funções de Agregação

Leia mais

Structured Query Language (SQL)

Structured Query Language (SQL) SQL Histórico Structured Query Language (SQL) Foi desenvolvido pela IBM em meados dos anos 70 como uma linguagem de manipulação de dados (DML - Data Manipulation Language) para suas primeiras tentativas

Leia mais

Introdução. Formação Informática Para Estatísticos Na DPINE. Formação Informática Para Estatísticos Na DPINE. Usar Tabelas Dinâmicas em EXCEL

Introdução. Formação Informática Para Estatísticos Na DPINE. Formação Informática Para Estatísticos Na DPINE. Usar Tabelas Dinâmicas em EXCEL Usar Tabelas Dinâmicas em EXCEL Introdução Neste Módulo aprendemos o importante recurso de Tabelas Dinâmicas e Gráficos Dinâmicos. Aprendemos a criar tabelas dinâmicas, a aplicar filtros e a fazer análise

Leia mais

Linguagem de Consulta Estruturada SQL- DML

Linguagem de Consulta Estruturada SQL- DML Linguagem de Consulta Estruturada SQL- DML INTRODUÇÃO A SQL - Structured Query Language, foi desenvolvido pela IBM em meados dos anos 70 como uma linguagem de manipulação de dados (DML - Data Manipulation

Leia mais

Trabalhando com banco de dados

Trabalhando com banco de dados Avançado Trabalhando com Aprenda a manipular dados no Excel com a ajuda de outros aplicativos da suíte Office Armazenar e organizar informações são tarefas executadas diariamente por todos nós. Desde o

Leia mais

Centro Federal de Educação Tecnológica da Bahia Curso Excel Avançado Índice

Centro Federal de Educação Tecnológica da Bahia Curso Excel Avançado Índice Índice Apresentação...2 Barra de Título...2 Barra de Menus...2 Barra de Ferramentas Padrão...2 Barra de Ferramentas de Formatação...3 Barra de Fórmulas e Caixa de Nomes...3 Criando um atalho de teclado

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE ESCOLA AGRÍCOLA DE JUNDIAÍ EAJ - PRONATEC / REDE etec MÓDULO III DESENVOLVIMENTO PROFESSOR ADDSON COSTA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE ESCOLA AGRÍCOLA DE JUNDIAÍ EAJ - PRONATEC / REDE etec MÓDULO III DESENVOLVIMENTO PROFESSOR ADDSON COSTA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE ESCOLA AGRÍCOLA DE JUNDIAÍ EAJ - PRONATEC / REDE etec MÓDULO III DESENVOLVIMENTO PROFESSOR ADDSON COSTA RESUMO DE AULA CRIAÇÃO E MANIPULAÇÃO DO BANCO DE DADOS

Leia mais

Revisando sintaxes SQL e criando programa de pesquisa. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011

Revisando sintaxes SQL e criando programa de pesquisa. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011 Revisando sintaxes SQL e criando programa de pesquisa. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011 Edição 5 SELECT * FROM Minha_memoria Revisando Sintaxes SQL e Criando programa de Pesquisa Ano:

Leia mais

MS-Access 2.0 Avançado FUGEMSS - DEC/GSI ÍNDICE

MS-Access 2.0 Avançado FUGEMSS - DEC/GSI ÍNDICE i ÍNDICE INTRODUÇÃO AO MS-ACCESS:...1 RECAPITULAÇÃO:...1 Tabelas:...1 Consultas:...1 Formulários:...1 Relatórios:...1 SEGURANÇA:...2 ANTES DE COMEÇAR :...2 PROTEÇÃO DOS DADOS...2 CONSULTAS:...4 USANDO

Leia mais

NOME SEXO CPF NASCIMENTO SALARIO

NOME SEXO CPF NASCIMENTO SALARIO Tutorial SQL Fonte: http://www.devmedia.com.br/articles/viewcomp.asp?comp=2973 Para começar Os Sistemas Gerenciadores de Bancos de Dados Relacionais (SGBDr) são o principal mecanismo de suporte ao armazenamento

Leia mais

COMANDOS PARA CONSULTA VIA SQL NO ACCESS

COMANDOS PARA CONSULTA VIA SQL NO ACCESS COMANDOS PARA CONSULTA VIA SQL NO ACCESS 1 Introdução ao SQL: SQL (Structured Query Language Linguagem de Consulta Estruturada) é uma linguagem desenvolvida para permitir que qualquer pessoa, mesmo não

Leia mais

Bem-vindo ao tópico sobre consultas no SAP Business One.

Bem-vindo ao tópico sobre consultas no SAP Business One. Bem-vindo ao tópico sobre consultas no SAP Business One. 1 Neste tópico, você aprenderá a criar consultas SQL utilizando as ferramentas de consulta do SAP Business One Assistente de consultas e Gerador

Leia mais

SQL. SQL (Structured Query Language) Comando CREATE TABLE. SQL é uma linguagem de consulta que possibilita:

SQL. SQL (Structured Query Language) Comando CREATE TABLE. SQL é uma linguagem de consulta que possibilita: SQL Tópicos Especiais Modelagem de Dados Prof. Guilherme Tavares de Assis Universidade Federal de Ouro Preto UFOP Instituto de Ciências Exatas e Biológicas ICEB Mestrado Profissional em Ensino de Ciências

Leia mais

COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS Compreender e utilizar a linguagem SQL, na construção e manutenção de uma base de dados.

COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS Compreender e utilizar a linguagem SQL, na construção e manutenção de uma base de dados. PLANIFICAÇÃO DA DISCIPLINA DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 12.ºH CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO MULTIMÉDIA ANO LECTIVO 2013/2014 6. LINGUAGENS DE PROGRAMAÇÃO IV Pré-requisitos: - Planificar e estruturar bases

Leia mais

Comandos de Manipulação

Comandos de Manipulação SQL - Avançado Inserção de dados; Atualização de dados; Remoção de dados; Projeção; Seleção; Junções; Operadores: aritméticos, de comparação,de agregação e lógicos; Outros comandos relacionados. SQL SQL

Leia mais

Tela Inicial: O Banco de Dados e seus objetos:

Tela Inicial: O Banco de Dados e seus objetos: Access 1 Tela Inicial: 2 ÁREA DE TRABALHO. Nosso primeiro passo consiste em criar o arquivo do Access (Banco de Dados), para isto utilizaremos o painel de tarefas clicando na opção Banco de Dados em Branco.

Leia mais

3) Palavra-chave distinct (select-from). Obter apenas os pibs distintos entre si.

3) Palavra-chave distinct (select-from). Obter apenas os pibs distintos entre si. NOME: BRUNO BRUNELI BANCO DE DADOS - ADS create database ProducaoMinerais use ProducaoMinerais create table Mineral( nome varchar(15) primary key, preco real) create table Pais( nome varchar(30) primary

Leia mais

APOSTILA BANCO DE DADOS INTRODUÇÃO A LINGUAGEM SQL

APOSTILA BANCO DE DADOS INTRODUÇÃO A LINGUAGEM SQL 1. O que é Linguagem SQL 2. Instrução CREATE 3. CONSTRAINT 4. ALTER TABLE 5. RENAME TABLE 6. TRUCANTE TABLE 7. DROP TABLE 8. DROP DATABASE 1 1. O que é Linguagem SQL 2. O SQL (Structured Query Language)

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS

ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS ARTEFATO 02 AT02 Diversos I 1 Indice ESQUEMAS NO BANCO DE DADOS... 3 CRIANDO SCHEMA... 3 CRIANDO TABELA EM DETERMINADO ESQUEMA... 4 NOÇÕES BÁSICAS SOBRE CRIAÇÃO E MODIFICAÇÃO

Leia mais

MODELO DE DADOS VS ESQUEMA

MODELO DE DADOS VS ESQUEMA MODELO DE DADOS VS ESQUEMA Um modelo de dados é um conjunto de conceitos usados para se descrever dados. Um esquema é uma descrição de uma determinada coleção de dados, descrição essa baseada num certo

Leia mais

Introdução ao SQL Avançado

Introdução ao SQL Avançado Introdução ao SQL Avançado Introdução as consultas, manipulação e a filtragem de dados com a linguagem SQL Prof. MSc. Hugo Vieira L. Souza Este documento está sujeito a copyright. Todos os direitos estão

Leia mais

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA Manual de Utilização Google Grupos Sumário (Clique sobre a opção desejada para ir direto à página correspondente) Utilização do Google Grupos Introdução... 3 Página

Leia mais

Faça um Site PHP 5.2 com MySQL 5.0 Comércio Eletrônico

Faça um Site PHP 5.2 com MySQL 5.0 Comércio Eletrônico Editora Carlos A. J. Oliviero Faça um Site PHP 5.2 com MySQL 5.0 Comércio Eletrônico Orientado por Projeto 1a Edição 2 Reimpressão São Paulo 2011 Érica Ltda. Noções Livrarse Preparação muitas muita Sumário

Leia mais

Neste capítulo veremos como se trabalha com fórmulas e funções que são as ferramentas que mais nos ajudam nos cálculos repetitivos.

Neste capítulo veremos como se trabalha com fórmulas e funções que são as ferramentas que mais nos ajudam nos cálculos repetitivos. Fórmulas e Funções Neste capítulo veremos como se trabalha com fórmulas e funções que são as ferramentas que mais nos ajudam nos cálculos repetitivos. Operadores matemáticos O Excel usa algumas convenções

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE VARIAÁ VEL Antes de iniciarmos os comandos referentes a Banco de Dados, precisamos de uma breve descrição técnica sobre Variáveis que serão uma constante em programação seja qual for sua forma de leitura.

Leia mais

3. No painel da direita, dê um clique com o botão direito do mouse em qualquer espaço livre (área em branco).

3. No painel da direita, dê um clique com o botão direito do mouse em qualquer espaço livre (área em branco). Permissões de compartilhamento e NTFS - Parte 2 Criando e compartilhando uma pasta - Prática Autor: Júlio Battisti - Site: www.juliobattisti.com.br Neste tópico vamos criar e compartilhar uma pasta chamada

Leia mais

GERADOR DE RELATÓRIOS WINREPORT VERSÃO 2.0. Conteúdo

GERADOR DE RELATÓRIOS WINREPORT VERSÃO 2.0. Conteúdo GERADOR DE RELATÓRIOS WINREPORT VERSÃO 2.0 Este manual foi desenvolvido com o objetivo de documentar as principais funcionalidades do Gerador de Relatórios WinReport versão 2.0. Conteúdo 1. Tela Principal...

Leia mais

SQL. Jacir de Oliveira, José Alencar Philereno. Faculdade de Informática de Taquara. Igrejinha - RS Brazil

SQL. Jacir de Oliveira, José Alencar Philereno. Faculdade de Informática de Taquara. Igrejinha - RS Brazil SQL Jacir de Oliveira, José Alencar Philereno Faculdade de Informática de Taquara Igrejinha - RS Brazil jacirdeoliveira@faccat.br, alencar@philler.com.br Resumo. Este artigo irá descrever a linguagem de

Leia mais

Banco de Dados BrOffice Base

Banco de Dados BrOffice Base Banco de Dados BrOffice Base Autor: Alessandro da Silva Almeida Disponível em: www.apostilando.com 27/02/2011 CURSO TÉCNICO EM SERVIÇO PÚBLICO Apostila de Informática Aplicada - Unidade VI Índice Apresentação...

Leia mais

Introdução ao X3. Exercício 1: Criando um registro de Contato

Introdução ao X3. Exercício 1: Criando um registro de Contato Introdução ao X3 Exercício 1: Criando um registro de Contato Inicie por adicionar um novo registro de Contato. Navegue para a tabela de Contato clicando na aba de Contato no alto da página. Existem duas

Leia mais

Centro de Computação - Unicamp Gerência de Atendimento ao Cliente (e-mail:apoio@turing.unicamp.br) Sumário

Centro de Computação - Unicamp Gerência de Atendimento ao Cliente (e-mail:apoio@turing.unicamp.br) Sumário Sumário Conceitos Microsoft Access 97... 01 Inicialização do Access... 02 Convertendo um Banco de Dados... 03 Criando uma Tabela... 06 Estrutura da Tabela... 07 Propriedades do Campo... 08 Chave Primária...

Leia mais

Microsoft Access: Criar consultas para um novo banco de dados. Vitor Valerio de Souza Campos

Microsoft Access: Criar consultas para um novo banco de dados. Vitor Valerio de Souza Campos Microsoft Access: Criar consultas para um novo banco de Vitor Valerio de Souza Campos Conteúdo do curso Visão geral: consultas são essenciais Lição: inclui sete seções Tarefas práticas sugeridas Teste.

Leia mais

8VDQGR5HSRUW0DQDJHUFRP&ODULRQH3RVWJUH64/ -XOLR&HVDU3HGURVR 8VDQGRSDUkPHWURV

8VDQGR5HSRUW0DQDJHUFRP&ODULRQH3RVWJUH64/ -XOLR&HVDU3HGURVR 8VDQGRSDUkPHWURV 8VDQGRSDUkPHWURV O envio de parâmetros para um relatório é uma das funções mais úteis do Report Manager, com eles você pode: Permitir que o usuário final altere palavras ou sentenças de um relatório; Atribuir

Leia mais

Autor: Júlio Battisti www.juliobattisti.com.br

Autor: Júlio Battisti www.juliobattisti.com.br Autor: Júlio Battisti www.juliobattisti.com.br Livro: Aprenda com Júlio Battisti: Excel 2010 Avançado, Análise de Dados e Cenários, Tabelas e Gráficos Dinâmicos, Macros e Programação VBA - Através de Exemplos

Leia mais

Programação SQL. INTRODUÇÃO II parte

Programação SQL. INTRODUÇÃO II parte Programação SQL INTRODUÇÃO II parte Programação SQL SELECT; INSERT; UPDATE; DELETE. Este conjunto de comandos faz parte da sublinguagem denominada por DML Data Manipulation Language (Linguagem de manipulação

Leia mais

SQL é uma linguagem de consulta que implementa as operações da álgebra relacional de forma bem amigável.

SQL é uma linguagem de consulta que implementa as operações da álgebra relacional de forma bem amigável. SQL (Structured Query Language) SQL é uma linguagem de consulta que implementa as operações da álgebra relacional de forma bem amigável. Além de permitir a realização de consultas, SQL possibilita: definição

Leia mais

Banco de Dados Microsoft Access: Criar tabelas

Banco de Dados Microsoft Access: Criar tabelas Banco de Dados Microsoft Access: Criar s Vitor Valerio de Souza Campos Objetivos do curso 1. Criar uma no modo de exibição Folha de Dados. 2. Definir tipos de dados para os campos na. 3. Criar uma no modo

Leia mais

Permissão de Usuários

Permissão de Usuários Permissão de Usuários 1 Conteúdo 1. Propósito 3 2. Permissão de Usuários PrefGest 4 3. Permissão de Usuário para PrefCad 10 2 1. Propósito Este documento destina-se a explicar a ação para liberar permissões

Leia mais

Tarefa Orientada 10 Obter informação a partir de uma tabela

Tarefa Orientada 10 Obter informação a partir de uma tabela Tarefa Orientada 10 Obter informação a partir de uma tabela Objectivos: Consultar dados de uma tabela Utilizar operadores aritméticos, relacionais, lógicos, de concatenação de cadeias de caracteres, LIKE

Leia mais

Banco de Dados Microsoft Access: Criar tabelas. Vitor Valerio de Souza Campos

Banco de Dados Microsoft Access: Criar tabelas. Vitor Valerio de Souza Campos Banco de Dados Microsoft Access: Criar tabelas Vitor Valerio de Souza Campos Objetivos do curso 1. Criar uma tabela no modo de exibição Folha de Dados. 2. Definir tipos de dados para os campos na tabela.

Leia mais

Tarefa Orientada 16 Vistas

Tarefa Orientada 16 Vistas Tarefa Orientada 16 Vistas Objectivos: Vistas só de leitura Vistas de manipulação de dados Uma vista consiste numa instrução de SELECT que é armazenada como um objecto na base de dados. Deste modo, um

Leia mais

Validação de dados. Determinamos qual tipo de informação será aceita e dentro de qual intervalo.

Validação de dados. Determinamos qual tipo de informação será aceita e dentro de qual intervalo. Validação de dados Por meio do recurso de validação, podemos definir que tipo de informação gostaríamos que fosse aceita em um intervalo de células ou uma mensagem de auxílio ao usuário indicando qual

Leia mais

UFCD 787. Administração de base de dados. Elsa Marisa S. Almeida

UFCD 787. Administração de base de dados. Elsa Marisa S. Almeida UFCD 787 Administração de base de dados Elsa Marisa S. Almeida 1 Objectivos Replicação de base de dados Gestão de transacções Cópias de segurança Importação e exportação de dados Elsa Marisa S. Almeida

Leia mais

DML - SELECT Agrupando Dados

DML - SELECT Agrupando Dados DML - SELECT Agrupando Dados 1. Apresentação Já conhecemos os comandos básicos de manipulação de dados: insert; delete; update e select. O comando de consulta select utilizado até aqui era aplicado sobre

Leia mais

Banco de Dados. Prof. Antonio

Banco de Dados. Prof. Antonio Banco de Dados Prof. Antonio SQL - Structured Query Language O que é SQL? A linguagem SQL (Structure query Language - Linguagem de Consulta Estruturada) é a linguagem padrão ANSI (American National Standards

Leia mais

Tutorial do Iniciante. Excel Básico 2010

Tutorial do Iniciante. Excel Básico 2010 Tutorial do Iniciante Excel Básico 2010 O QUE HÁ DE NOVO O Microsoft Excel 2010 é um programa de edição de planilhas eletrônicas muito usado no mercado de trabalho para realizar diversas funções como;

Leia mais

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA Compartilhamento de Arquivos no Google Drive Sumário (Clique sobre a opção desejada para ir direto à página correspondente) Utilização do Google Grupos Introdução...

Leia mais

Microsoft Excel 2003

Microsoft Excel 2003 Associação Educacional Dom Bosco Faculdades de Engenharia de Resende Microsoft Excel 2003 Módulo II Macros e Tabelas Dinâmicas Professores: Eduardo Arbex Mônica Mara Tathiana da Silva Resende 2010 Macro

Leia mais

ORACLE 11 G INTRODUÇÃO AO ORACLE, SQL,PL/SQL. Carga horária: 32 Horas

ORACLE 11 G INTRODUÇÃO AO ORACLE, SQL,PL/SQL. Carga horária: 32 Horas ORACLE 11 G INTRODUÇÃO AO ORACLE, SQL,PL/SQL Carga horária: 32 Horas Pré-requisito: Para que os alunos possam aproveitar este treinamento ao máximo, é importante que eles tenham participado dos treinamentos

Leia mais

Introdução à Banco de Dados. Nathalia Sautchuk Patrício

Introdução à Banco de Dados. Nathalia Sautchuk Patrício Introdução à Banco de Dados Nathalia Sautchuk Patrício Histórico Início da computação: dados guardados em arquivos de texto Problemas nesse modelo: redundância não-controlada de dados aplicações devem

Leia mais

Ex.: INSERT INTO tmpautor (CDAUTOR, NMAUTOR) VALUES (1, Renato Araújo )

Ex.: INSERT INTO tmpautor (CDAUTOR, NMAUTOR) VALUES (1, Renato Araújo ) PRONATEC - Programador de Sistemas Banco de Dados 1) Incluindo linhas nas tabelas a. Para incluir linhas em tabelas utilize o comando INSERT INTO INSERT INTO tabela [ ( coluna [, coluna,...] ) ] VALUES

Leia mais

Descrição Tinyint[(M)] Inteiro pequeno. Varia de 128 até +127

Descrição Tinyint[(M)] Inteiro pequeno. Varia de 128 até +127 Disciplina: Tópicos Especiais em TI PHP Este material foi produzido com base nos livros e documentos citados abaixo, que possuem direitos autorais sobre o conteúdo. Favor adquiri-los para dar continuidade

Leia mais

Solução de gerenciamento de sistemas Dell KACE K1000 Versão 5.5. Guia de gerenciamento de ativos. Julho de 2013

Solução de gerenciamento de sistemas Dell KACE K1000 Versão 5.5. Guia de gerenciamento de ativos. Julho de 2013 Solução de gerenciamento de sistemas Dell KACE K1000 Versão 5.5 Guia de gerenciamento de ativos Julho de 2013 2004-2013 Dell, Inc. Todos os direitos reservados. Qualquer forma de reprodução deste material

Leia mais

BANCO DE DADOS -INTRODUÇÃO AO SQL. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. frozza@ifc-camboriu.edu.br

BANCO DE DADOS -INTRODUÇÃO AO SQL. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. frozza@ifc-camboriu.edu.br BANCO DE DADOS -INTRODUÇÃO AO SQL Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. frozza@ifc-camboriu.edu.br Os comandos SQL podem ser agrupados em 3 classes: DDL Data Definition Language Comandos para a Definição

Leia mais

15 Conceitos de Bancos de Dados com o LibreOffice Base

15 Conceitos de Bancos de Dados com o LibreOffice Base Introdução a Informática - 1º semestre AULA 14 Prof. André Moraes Objetivos desta aula: Explorar as propriedades na criação de bancos de dados no LibreOffice Base; Criar e explorar tabelas; Criar e explorar

Leia mais

Índice. Introdução 31. Tutorial 1: O Microsoft Access como Sistema de Gestão de Bases de Dados Relacionais 35

Índice. Introdução 31. Tutorial 1: O Microsoft Access como Sistema de Gestão de Bases de Dados Relacionais 35 Introdução 31 1. Bases de Dados Relacionais 31 2. Modelação de Bases de Dados 31 3. Modelo de Classes UML 32 4. Linguagem SQL 32 5. Sobre o Microsoft" Access" 32 Tutorial 1: O Microsoft Access como Sistema

Leia mais

Microsoft Excel 2003

Microsoft Excel 2003 Associação Educacional Dom Bosco Faculdades de Engenharia de Resende Microsoft Excel 2003 Professores: Eduardo Arbex Mônica Mara Tathiana da Silva Resende 2010 INICIANDO O EXCEL Para abrir o programa Excel,

Leia mais

UNIVERSIDADE VEIGA DE ALMEIDA CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSAMENTO DE DADOS BANCO DE DADOS

UNIVERSIDADE VEIGA DE ALMEIDA CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSAMENTO DE DADOS BANCO DE DADOS CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSAMENTO DE DADOS CLAUDIO RIBEIRO DA SILVA MARÇO 1997 2 1 - CONCEITOS GERAIS DE 1.1 - Conceitos Banco de Dados - Representa

Leia mais

Fórmulas e Funções - Parte I

Fórmulas e Funções - Parte I Atividade 6 Fórmulas e Funções - Parte I Referências relativas e absolutas Muito comum é a necessidade de depois de criado uma fórmula é copiá-la para outras células ao invés de fazer tudo novamente, muitas

Leia mais

1.264 Aula 7. Introdução ao SQL

1.264 Aula 7. Introdução ao SQL 1.264 Aula 7 Introdução ao SQL Linguagem Estruturada de Consulta (SQL) Aula 7 SELECT, INSERT, DELETE, UPDATE Junções Aula 8 Subconsultas Visões (tabelas virtuais) Índices Transações Segurança Desempenho

Leia mais

SQL comando SELECT. SELECT [DISTINCT] FROM [condição] [ ; ] Paulo Damico - MDK Informática Ltda.

SQL comando SELECT. SELECT [DISTINCT] <campos> FROM <tabela> [condição] [ ; ] Paulo Damico - MDK Informática Ltda. SQL comando SELECT Uma das tarefas mais requisitadas em qualquer banco de dados é obter uma listagem de registros armazenados. Estas tarefas são executadas pelo comando SELECT Sintaxe: SELECT [DISTINCT]

Leia mais

Para iniciar um Inventário, clique no botão Inserir ( primeiramente os campos solicitados na aba Identificação.

Para iniciar um Inventário, clique no botão Inserir ( primeiramente os campos solicitados na aba Identificação. Incluir um Inventário Para iniciar um Inventário, clique no botão Inserir ( primeiramente os campos solicitados na aba Identificação. ) e preencha Clique na aba Itens e depois no botão Carregar Produtos

Leia mais

MICROSOFT EXCEL AVANÇADO

MICROSOFT EXCEL AVANÇADO MICROSOFT EXCEL AVANÇADO SE Retorna um valor se teste_lógico avaliar como VERDADEIRO e um outro valor se for avaliado como FALSO. Use SE para conduzir testes condicionais sobre valores e fórmulas e para

Leia mais

Use a mala direta para criar e imprimir cartas e outros

Use a mala direta para criar e imprimir cartas e outros Página 1 de 19 Word > Mala direta Use a mala direta para criar e imprimir cartas e outros documentos Ocultar tudo É possível usar a mala direta quando deseja criar um conjunto de documentos, como uma carta

Leia mais

1998-2015 Domínio Sistemas Ltda. Todos os direitos reservados.

1998-2015 Domínio Sistemas Ltda. Todos os direitos reservados. Versão 8.1A-13 Saiba que este documento não poderá ser reproduzido, seja por meio eletrônico ou mecânico, sem a permissão expressa por escrito da Domínio Sistemas Ltda. Nesse caso, somente a Domínio Sistemas

Leia mais

Planilha Eletrônica Excel

Planilha Eletrônica Excel COLÉGIO LA SALLE CANOAS Técnico em Informática Planilha Eletrônica Excel Excel Prof. Valter N. Silva Colégio La Salle Canoas Página 2 1. NOÇÕES BÁSICAS O Microsoft Excel 7.0 é um programa de planilha eletrônica,

Leia mais

Histórico de revisões

Histórico de revisões Apostila 3 Histórico de revisões Data Versão Descrição Autor 30/09/2011 1.0 Criação da primeira versão HEngholmJr CONTEÚDO Exclusão de registros Consultas por Dados de Resumo Group by / Having Funções

Leia mais

SQL. Prof. Márcio Bueno. {bd2tarde,bd2noite}@marciobueno.com

SQL. Prof. Márcio Bueno. {bd2tarde,bd2noite}@marciobueno.com SQL Prof. Márcio Bueno {bd2tarde,bd2noite}@marciobueno.com Material dos professores Ana Carolina Salgado, Fernando Foncesa e Valéria Times (CIn/UFPE) SQL SQL - Structured Query Language Linguagem de Consulta

Leia mais

Microsoft Excel 2010

Microsoft Excel 2010 Microsoft Excel 2010 Feito por Gustavo Stor com base na apostila desenvolvida por Marcos Paulo Furlan para o capacitação promovido pelo PET. 1 2 O Excel é uma das melhores planilhas existentes no mercado.

Leia mais

PRONATEC IFPA. Cursos Mulheres Mil: Operador de Computador. Disciplina: Informática Avançada Parte III. Professore: Adil Daou

PRONATEC IFPA. Cursos Mulheres Mil: Operador de Computador. Disciplina: Informática Avançada Parte III. Professore: Adil Daou PRONATEC IFPA Cursos Mulheres Mil: Operador de Computador Disciplina: Informática Avançada Parte III Professore: Adil Daou Belém 2014 01 Algumas outras funções Vamos inicialmente montar a seguinte planilha

Leia mais

Fluxo de trabalho do Capture Pro Software: Indexação de OCR e separação de documentos de código de correção

Fluxo de trabalho do Capture Pro Software: Indexação de OCR e separação de documentos de código de correção Este procedimento corresponde ao fluxo de trabalho de Indexação de OCR com separação de código de correção no programa de treinamento do Capture Pro Software. As etapas do procedimento encontram-se na

Leia mais

Novell. Novell Teaming 1.0. novdocx (pt-br) 6 April 2007 EXPLORAR O PORTLET BEM-VINDO DESCUBRA SEU CAMINHO USANDO O NOVELL TEAMING NAVIGATOR

Novell. Novell Teaming 1.0. novdocx (pt-br) 6 April 2007 EXPLORAR O PORTLET BEM-VINDO DESCUBRA SEU CAMINHO USANDO O NOVELL TEAMING NAVIGATOR Novell Teaming - Guia de início rápido Novell Teaming 1.0 Julho de 2007 INTRODUÇÃO RÁPIDA www.novell.com Novell Teaming O termo Novell Teaming neste documento se aplica a todas as versões do Novell Teaming,

Leia mais

Manual do Usuário. Sistema Financeiro e Caixa

Manual do Usuário. Sistema Financeiro e Caixa Manual do Usuário Sistema Financeiro e Caixa - Lançamento de receitas, despesas, gastos, depósitos. - Contas a pagar e receber. - Emissão de cheque e Autorização de pagamentos/recibos. - Controla um ou

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA - SC. MICROSOFT OFFICE - EXCEL 2007 Pág.: 1

TRIBUNAL DE JUSTIÇA - SC. MICROSOFT OFFICE - EXCEL 2007 Pág.: 1 EXCEL 2007 O Excel 2007 faz parte do pacote de produtividade Microsoft Office System de 2007, que sucede ao Office 2003. Relativamente à versão anterior (Excel 2003), o novo programa introduz inúmeras

Leia mais

ÍNDICE. Sobre o SabeTelemarketing 03. Contato. Ícones comuns à várias telas de gerenciamento. Verificar registros 09. Tela de relatórios 09

ÍNDICE. Sobre o SabeTelemarketing 03. Contato. Ícones comuns à várias telas de gerenciamento. Verificar registros 09. Tela de relatórios 09 ÍNDICE Sobre o SabeTelemarketing 03 Ícones comuns à várias telas de gerenciamento Contato Verificar registros 09 Telas de cadastro e consultas 03 Menu Atalho Nova pessoa Incluir um novo cliente 06 Novo

Leia mais

Para pesquisar o código do cliente, caso não saiba, aperte o botão ao lado do campo Cliente.

Para pesquisar o código do cliente, caso não saiba, aperte o botão ao lado do campo Cliente. Procedimento de Lançamento de Vendas Sistema SVC 1 Para lançar um bilhete de venda ou lançar uma venda e emitir um bilhete pelo Sistema, abra a tela de vendas e pressione o botão inserir no menu superior.

Leia mais

MySQL - Operações com SQL básico

MySQL - Operações com SQL básico MySQL - Operações com SQL básico Para testar se o MySQL esta instalado corretamente, execute a seguinte linha no prompt do DOS: c:\mysql\bin\mysql Se tudo estiver nos seus devidos lugares você vai receber

Leia mais

EXERCÍCIOS PRÁTICOS. Banco de Dados

EXERCÍCIOS PRÁTICOS. Banco de Dados EXERCÍCIOS PRÁTICOS Banco de Dados Introdução ao uso do SQL Structured Query Language, considerando tanto DDL Data Definition Language quanto DML Data Manipulation Language. Banco de Dados selecionado:

Leia mais

SQL Structured Query Language

SQL Structured Query Language Janai Maciel SQL Structured Query Language (Banco de Dados) Conceitos de Linguagens de Programação 2013.2 Structured Query Language ( Linguagem de Consulta Estruturada ) Conceito: É a linguagem de pesquisa

Leia mais

AULA 3 Ferramentas de Análise Básicas

AULA 3 Ferramentas de Análise Básicas 3.1 AULA 3 Ferramentas de Análise Básicas Neste capítulo serão apresentadas algumas ferramentas de análise de dados com representação vetorial disponíveis no TerraView. Para isso será usado o banco de

Leia mais

Este tutorial está publicado originalmente em http://www.baboo.com.br/absolutenm/anmviewer.asp?a=30405&z=300

Este tutorial está publicado originalmente em http://www.baboo.com.br/absolutenm/anmviewer.asp?a=30405&z=300 WinRAR: Conheça este excelente compactador de arquivos Introdução: É fato que a Internet está mais rápida com a popularização da banda larga, mas os compactadores de arquivos ainda apresentam muita utilidade

Leia mais

Basicão de Estatística no EXCEL

Basicão de Estatística no EXCEL Basicão de Estatística no EXCEL Bertolo, Luiz A. Agosto 2008 2 I. Introdução II. Ferramentas III. Planilha de dados 3.1 Introdução 3.2 Formatação de células 3.3 Inserir ou excluir linhas e colunas 3.4

Leia mais