GESTÃO DE PROCESSOS SM

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "GESTÃO DE PROCESSOS SM"

Transcrição

1 GESTÃO DE PROCESSOS

2 OBJETIVOS

3 OBJETIVOS Promover a percepção de negócio, a partir do Mapeamento e da Gestão de Processos, focalizando principalmente: O desenvolvimento de uma visão sistêmica e estratégica da Gestão de Processos; A apresentação de uma metodologia avançada, que possa ser desdobrada em qualquer tipo de organização, assegurando a identificação efetiva: Dos processos críticos; Das etapas críticas; Dos requisitos da qualidade de cada etapa crítica; Das formas de tratamento dos requisitos críticos de realização de cada etapa crítica.

4 REFLEXÃO INICIAL

5 REFLEXÃO INICIAL Aceleração da História A sociedade vem passando por grandes mudanças em todas as áreas do conhecimento; Impactos produzidos, primeiro pela televisão e depois pela internet, têm provocado profunda modificação de conduta, costumes e tendências; Essas transformações provocam de forma diferenciada a necessidade de valorização do conhecimento; Nesse contexto, surge o conceito do que hoje chamamos de Sociedade da Informação : Estágio de desenvolvimento social caracterizado pela capacidade de seus membros de obter e compartilhar qualquer informação, em tempo real, de qualquer lugar da maneira mais adequada.

6 REFLEXÃO INICIAL Aceleração da História Descoberta de Nova Tecnologia X Transformação em Produto de Mercado: Fotografia 112 anos Transistor 5 anos Telefone 56 anos Circuito Integrado 3 anos Rádio 35 anos AT ano Radar Televisão 15 anos 12 anos Do 486 ao Pentium Ontem 1 Século 1 mês Hoje 1 mês Aceleração = Crescimento do Conhecimento Disseminação da Informação

7 REFLEXÃO INICIAL Aceleração da História Num momento em que o grande diferencial está no fato de que não percebemos mais o tempo passar como antes, em que os dias, os meses, os anos correm numa velocidade incrível; Os principais desafios empresariais são, num cenário de excesso de informações: Velocidade na tomada das decisões; Velocidade na implementação das ações decorrentes.

8 REFLEXÃO INICIAL Aceleração da História x Práticas de Gestão HAZOP Planejamento de Carreira 5S ISO 9001 ISO OHSAS APPCC BPF Governança Corporativa Benchmarking Planejamento Estratégico Financeiros Capacitação Operacionais GMC Comerciais Gestão Por Competências Manutenção Preditiva Manutenção Preventiva Gerenciamento Seis Sigma de Projetos V e l o c i d a d e D e c i s â o A ç ã o BSC CEP BPL

9 Incompetência Hábil Insucesso REFLEXÃO INICIAL Aceleração da História x Práticas de Gestão Excesso de Informações Decisões Inconsistentes Ações Pouco Eficazes Resultados Insatisfatórios Comportamentos Automáticos, Decorrentes da Falta de Consciência, da Inexperiência e/ou do Excesso de Confiança Saturação de de Informação Informação

10 Gestão de Processos Gestão de Processos REFLEXÃO INICIAL Aceleração da História x Práticas de Gestão 5S ISO 9001 ISO OHSAS APPCC BPF Governança Corporativa Benchmarking Planejamento Estratégico Financeiros BSC CEP HAZOP Capacitação Operacionais BPL Planejamento de Carreira GMC Gestão Por Competências Manutenção Preditiva Manutenção Preventiva Comerciais Seis Sigma Gerenciamento de Projetos

11 REVISÃO CONCEITUAL

12 REVISÃO CONCEITUAL Qualidade Produto e/ou Serviço Segurança e Saúde Meio Ambiente Responsabilidade Social Preço Confiabilidade Qualidade

13 REVISÃO CONCEITUAL Competência Sucesso Comportamento da Equipe Resultados Projetados Características Pessoais Tipo de Demanda Formas de Atuação Competência

14 REVISÃO CONCEITUAL Competência Sucesso Comportamento da Equipe Resultados Projetados Características Pessoais Tipo de Demanda Gestão de Processos Competência

15 REVISÃO CONCEITUAL Gestão de Processos Todos queiram a mesma coisa... Objetivo e Metas... Da mesma forma... Padronização, Sistematização... Com a mesma intensidade... Motivação Satisfação do Cliente Valor Agregado

16 REVISÃO CONCEITUAL Gestão Estratégica Nível Estratégico Nível Tático Nível Operacional

17 REVISÃO CONCEITUAL Gestão Estratégica Nível Estratégico Nível Tático Nível Operacional

18 REVISÃO CONCEITUAL Gestão Estratégica Nível Estratégico Nível Tático Nível Operacional Gestão de Processos

19 REVISÃO CONCEITUAL Processos, Etapas e Atividades Processos Etapas Atividades Atividades que transformam entradas em saídas Atividades necessárias para a realização de um objetivo de um processo Mapeamento de Processo Tarefas necessárias para a realização de um objetivo de uma etapa

20 REVISÃO CONCEITUAL Processos, Etapas e Atividades Processos Etapas Atividades Prática de Gestão Padrão de Trabalho Atividades realizadas regularmente para facilitar a gestão Regras escritas que disciplinam as práticas de gestão, as etapas e/ou atividades

21 REVISÃO CONCEITUAL Processos, Etapas e Atividades Todo trabalho realizado faz parte de um processo; Não existe produto ou serviço sem que haja um processo; O enfoque por processos representa uma forma estruturada de visualização de qualquer trabalho; Processo envolve: Pessoas; Instalações; Equipamentos; Outros Recursos, como materiais...

22 REVISÃO CONCEITUAL Sistemas de Gestão Práticas de Gestão e Padrões de Trabalho. Objetivos; Recursos; Responsabilidades; Prazos; Política

23 REVISÃO CONCEITUAL Estrutura Organizacional: Modelo Tradicional Hierarquia de poder; Funções com valor agregado indefinido; Estrutura mais importante que os clientes; Responsabilidades mortas na interface.

24 REVISÃO CONCEITUAL Estrutura Organizacional: Modelo Avançado Hierarquia de informação; Liderança por facilitação. Gerência Técnic a Gerência de Logística Gerência Comercial Gerência de Pessoas Gerência Financeira Diretoria Gerência de Controladoria Gerência de Operações

25 REVISÃO CONCEITUAL Estrutura Tradicional: Principais Dificuldades O fluxo de trabalho horizontal, combinado à estrutura vertical, gera lacunas e superposições, impactando na eficiência do processo: Atividade Gerente I Gerente II Gerente III A X B X C D E X F X

26 REVISÃO CONCEITUAL Estrutura Tradicional: Principais Dificuldades O foco nas funções tira a visão do todo; Ninguém administra os espaços vazios; O destinatário final do produto é o chefe; Focaliza interesses da Área/Setor, não as atividades, não do fluxo dos processos.

27 EXEMPLOS SIMPLIFICADOS DE MAPEAMENTO DE PROCESSOS

28 EXEMPLOS DE MAPEAMENTO DE PROCESSOS Reação Industrial Preparação do Reator Verificação dos Resultados Analíticos das Matérias-Primas Digitação dos Resultados no SDCD (Computador) Etapa 1 Etapa 2 1 a Fase da Reação Etapa 3 Etapa 4

29 EXEMPLOS DE MAPEAMENTO DE PROCESSOS Reação Industrial Preparação do Reator Verificação dos Resultados Analíticos das Matérias-Primas Digitação dos Resultados no SDCD (Computador) Etapa 1 Etapa 2 1 a Fase da Reação Etapa 3 Etapa 4

30 EXEMPLOS DE MAPEAMENTO DE PROCESSOS Reação Industrial Entradas Chave Saídas Chave Temperatura Inicial Agitador do Reator Carga de Matérias-Primas 40 a 45ºC Ligado ppm H 2 O<10 Conc 99% 1ª Fase da Reação Tempo de Ciclo 20 minutos Composto Final Especificado Temperatura Final Ajustada Maior Temperatura da Reação Especificada

31 EXEMPLOS DE MAPEAMENTO DE PROCESSOS Reação Industrial Temperatura Inicial Agitador do Reator Carga de Matérias-Primas Entradas Chave 40 a 45ºC Ligado ppm H 2 O<10 Conc 99% Indicador de Processo Saídas % de Reações Iniciadas Chave Com Temperaturas Rigorosamente na Faixa Especificada 1ª Fase da Reação Tempo de Ciclo 20 minutos Composto Final Especificado Temperatura Final Ajustada Maior Temperatura da Reação Especificada

32 EXEMPLOS DE MAPEAMENTO DE PROCESSOS Reação Industrial Carga de Matérias-Primas Entradas Chave Indicador de Produto Temperatura % de Reações 40 Com a 45ºCProduto Inicial Final Rigorosamente Agitador Ligado do ReatorEspecificado ppm H 2 O<10 Conc 99% 1ª Fase da Reação Tempo de Ciclo 20 minutos Saídas Chave Composto Final Especificado Temperatura Final Ajustada Maior Temperatura da Reação Especificada

33 EXEMPLOS DE MAPEAMENTO DE PROCESSOS Comercial Entradas Chave Saídas Chave Visitas Sistemáticas à Clientes Ativos e Potenciais Processo Comercial Produtos e/ou Serviços Vendidos Rigorosamente Conforme as Necessidades dos Clientes e as Estratégias da Empresa

34 EXEMPLOS DE MAPEAMENTO DE PROCESSOS Comercial de Prestador de Serviços Entradas Chave Saídas Chave Indicador de Processo % de Atingimento do Plano de Visitação a Clientes Visitas Sistemáticas à Clientes Ativos e Potenciais Processo Comercial Produtos e/ou Serviços Vendidos Rigorosamente Conforme as Necessidades dos Clientes e as Estratégias da Empresa

35 EXEMPLOS DE MAPEAMENTO DE PROCESSOS Comercial de Prestador de Serviços Indicador de Produto Entradas % de Chave Atingimento das Metas de Vendas Saídas Chave Visitas Sistemáticas à Clientes Ativos e Potenciais Processo Comercial Produtos e/ou Serviços Vendidos Rigorosamente Conforme as Necessidades dos Clientes e as Estratégias da Empresa

36 EXEMPLOS DE MAPEAMENTO DE PROCESSOS Seleção de Pessoal Envolvimento de Lideranças da Área e de Representantes de Áreas Que Possuam Relação Cliente / Fornecedor Interno em Relação a Posição do Novo Empregado Análise da Necessidade Incluindo a Cultura da Etapa Empresa 1 Pré-Seleção dos Currículos Etapa 6 Definição do Perfil Requerido Etapa 2 Comunicação: Perfil; Atividades; Salários; Benefícios; etc,... Planejamento do Treinamento Introdutório Etapa 7 Definição da Equipe de Processo Seleção Didático e Focado em Dinâmicas Etapa 3 Processo Seletivo Etapa 8 Interno e/ou Externo Definição do Modelo de Processo Seletivo Etapa 4 Comunicação dos Resultados Planejamento de Acompanhamento do Nível de Adaptação Etapa 9 Divulgação da Vaga Também aos Não Escolhidos, Com Indicação das Oportunidades Etapa 5 Individuais Contratação Etapa 10

37 EXEMPLOS DE MAPEAMENTO DE PROCESSOS Seleção de Pessoal Análise da Necessidade Definição do Perfil Requerido Definição da Equipe de Seleção Definição do Modelo de Processo Seletivo Divulgação da Vaga Etapa 1 Etapa 2 Etapa 3 Etapa 4 Etapa 5 Pré-Seleção dos Currículos Comunicação: Perfil; Atividades; Salários; Benefícios; etc,... Processo Seletivo Comunicação dos Resultados Contratação Etapa 6 Etapa 7 Etapa 8 Etapa 9 Etapa 10

38 EXEMPLOS DE MAPEAMENTO DE PROCESSOS Seleção de Pessoal Entradas Chave Saídas Chave Informações Sobre as Atividades a Serem Realizadas; Definição dos Requisitos Mínimos de Escolaridade, Conhecimentos, Competências e de Experiências. Definição do Perfil Requerido Tempo de Ciclo 2h Perfil Especificado Formação; Conhecimentos; Competências; Experiências.

39 Cliente EXEMPLOS DE MAPEAMENTO DE PROCESSOS Conclusão Na Gestão de Processos, ocorre cruzamento de todas as funções na direção do cliente. Financeira Comercial Processos Internos Aprendizado e Crescimento Processo I Processo II

40 GESTÃO DE PROCESSOS MODELO DE IMPLEMENTAÇÃO

41 GESTÃO DE PROCESSOS Modelo de Implementação Segmentação do Alvo em Processos Segmentação dos Processos em Etapas Identificação dos Requisitos Chave de Saída das Etapas Identificação dos Requisitos Chave de Entrada Requisitos do Cliente ou da Etapa Subseqüente Requisitos Necessários Para Assegurar Requisitos de Saída Especificados Sistematização Moderna

42 GESTÃO DE PROCESSOS Modelo de Implementação: Exemplo de Lavanderia CLIENTE Á R E A Coleta da Roupa Suja Recepção, Triagem e Pesagem s Á R E A Distribuição Estocagem L Lavagem Centrifugação Secagem Seleção Calandragem Dobragem Reparo

43 GESTÃO DE PROCESSOS Modelo de Implementação: Exemplo de Lavanderia CLIENTE Á R E A Coleta da Roupa Suja Recepção, Triagem e Pesagem s Á R E A Distribuição Estocagem L Lavagem Centrifugação Secagem Seleção Calandragem Dobragem Reparo

44 GESTÃO DE PROCESSOS Modelo de Implementação: Exemplo de Lavanderia Mapeamento do Processo Recepção, Triagem e Pesagem Recepção Triagem Pesagem Etapa 1 Etapa 2 Etapa 3

45 GESTÃO DE PROCESSOS Modelo de Implementação: Exemplo de Lavanderia Mapeamento do Processo Recepção, Triagem e Pesagem Recepção Triagem Pesagem Etapa 1 Etapa 2 Etapa 3

46 GESTÃO DE PROCESSOS Modelo de Implementação: Exemplo de Lavanderia Requisitos de Entrada Etapa Recepção Requisitos de Saída Mudas Coletadas Segundo a Rota Estabelecida Mudas Dispostas em Sacos Mudas Identificadas Por Cliente Procedimento Claro Pessoal Treinado no Procedimento Pessoal Utilizando EPI`s Adequados Recepção Tempo de Ciclo: xx Min Etapa 1 Sacos Dispostos na Área de Triagem, Separados Por Cliente

47 Etapa 2 Processo 1 Etapa 1 GESTÃO DE PROCESSOS Modelo de Implementação: Exemplo de Lavanderia Entradas Chave Entradas Chave Mapeamento Etapa 1 Etapa 2 = S x F x D Análise de Modo e Efeito de Falha - FMEA Modos de Falha S Causas F Controles Atuais D NPR Ações Modo A X1 Causa A1 Causa A2 Causa An YA1 YA2 YAn Controle A1 Controle A2 Controle An Z1 Z2 ZN T1 T2 Tn Ação 1 Ação 2 Ação n Modo B Modo n X2 X3 Causa B1 Causa B2 Causa Bn Causa C1 Causa C2 Causa Cn YB1 YB2 YBn YC1 YC2 YCn Controle B1 Controle B2 Controle Bn Controle C1 Controle C2 Controle Cn Z1 Z2 ZN Z1 T1 T2 Tn T1 Ação 1 Ação 2 Modo A Mét. M.O. M.A. Med. Maq. Mét. Mat. Med.

48 GESTÃO DE PROCESSOS ALINHAMENTO COM O PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO

49 GESTÃO DE PROCESSOS Alinhamento Com o Planejamento Estratégico Definição da Identidade Análise de Cenários Formulação Estratégica Desdobramento VALORES IDEOLOGIA Visão MISSÃO FUTURO IMAGINADO análise Análise externa Externa Análise Análise Interna Interna Objetivos Metas metas Todos os Níveis Administrativos e Operacionais (Processos)

50 GESTÃO DE PROCESSOS Alinhamento Com o Planejamento Estratégico Definição da Identidade Análise de Cenários Formulação Estratégica Desdobramento VALORES IDEOLOGIA Visão MISSÃO FUTURO IMAGINADO análise Análise externa Externa Análise Análise Interna Interna Objetivos Metas metas Todos os Níveis Administrativos e Operacionais (Processos)

51 GESTÃO DE PROCESSOS Alinhamento Com o Planejamento Estratégico Perspectiva de Aprendizado e Crescimento Perspectiva de Processos Internos Perspectiva Comercial Perspectiva Financeira Negócio Objetivo Capacitando a Equipe de Entrega Reduzindo o Prazo de Entrega Elevando a Satisfação dos Clientes Ampliando a Participação no Mercado xelevar os Lucros Como? Como? Como? Como? Impulsionador D Impulsionador C Impulsionador B Impulsionador A

52 GESTÃO DE PROCESSOS Alinhamento Com o Planejamento Estratégico Perspectiva de Aprendizado e Crescimento Perspectiva de Processos Internos Perspectiva Comercial Perspectiva Financeira Negócio Objetivo Objetivos Estratégicos Objetivos Operacionais

53 GESTÃO DE PROCESSOS Alinhamento Com o Planejamento Estratégico Perspectiva de Aprendizado e Crescimento Perspectiva de Processos Internos Perspectiva Comercial Perspectiva Financeira Negócio Objetivo Planejamento Estratégico Objetivos Operacionais

54 GESTÃO DE PROCESSOS Alinhamento Com o Planejamento Estratégico Processos Objetivo A Mapa Estratégico - BSC Perspectiva Financeira Objetivo A Processo A Processo B Contribuições A Perspectiva Mercado Cliente... Processo N Objetivo B Objetivo C Objetivo D Contribuições B Contribuições N Perspectiva de Processos Internos Perspectiva Aprendizado e Crescimento Objetivo E Objetivo G Objetivo H Objetivo F

55 GESTÃO DE PROCESSOS Alinhamento Com o Planejamento Estratégico Indicadores Financeiros Indicadores Comerciais Indicadores Operacionais Indicadores de Capacitação Área de Atividades A Indicadores de Processo da Área Plano de Ação A

56 GESTÃO DE PROCESSOS DIFICULDADES E BENEFÍCIOS

57 GESTÃO DE PROCESSOS: DIFICULDADES 15% Instrumento Método Recursos; Infra-Estrutura; Padrões de Trabalho; Capacitação; Mecanismos. Novas Formas de Atuação Gerencial 85% Comportamento

58 GESTÃO DE PROCESSOS: DIFICULDADES Percepção Clara da Transformação Requerida Clareza nos Objetivos Lideranças Capazes de Liberar a Energia e as Ideias de Suas Equipes Enfoque Disciplinado e Persistente

59 GESTÃO DE PROCESSOS: BENEFÍCIOS Focaliza as entradas e não as saídas ; Facilita o desdobramento do Planejamento Estratégico da organização; Permite a gestão por indicadores de desempenho; Descentraliza o foco nos resultados; Assegura simplicidade e agilidade às atividades; Confere flexibilidade organizacional; Apropria à empresa o próprio conhecimento organizacional; Aponta as competências requeridas.

60 CONTINUA!...

GESTÃO DE PROJETOS PARA A INOVAÇÃO

GESTÃO DE PROJETOS PARA A INOVAÇÃO GESTÃO DE PROJETOS PARA A INOVAÇÃO Indicadores e Diagnóstico para a Inovação Primeiro passo para implantar um sistema de gestão nas empresas é fazer um diagnóstico da organização; Diagnóstico mapa n-dimensional

Leia mais

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014 Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Histórico de elaboração Julho 2014 Motivações Boa prática de gestão Orientação para objetivos da Direção Executiva Adaptação à mudança de cenários na sociedade

Leia mais

IV WORKSHOP GESTÃO DA QUALIDADE COM FOCO EM CLÍNICA DE DIÁLISE

IV WORKSHOP GESTÃO DA QUALIDADE COM FOCO EM CLÍNICA DE DIÁLISE IV WORKSHOP GESTÃO DA QUALIDADE COM FOCO EM CLÍNICA DE DIÁLISE Como estruturar o Escritório da Qualidade Gestão da Qualidade A gestão da qualidade consiste em uma estratégia de administração orientada

Leia mais

Gestão Estratégica e o Balanced Scorecard

Gestão Estratégica e o Balanced Scorecard Tribunal Regional do Trabalho da 23ª Região (http://www.trt23.jus.br) Gestão Estratégica e o Balanced Scorecard José Silva Barbosa Assessor de Planejamento e Gestão Setembro/2009 Objetivos Apresentar a

Leia mais

Gestão da Qualidade. Evolução da Gestão da Qualidade

Gestão da Qualidade. Evolução da Gestão da Qualidade Gestão da Qualidade Evolução da Gestão da Qualidade Grau de Incerteza Grau de complexidade Adm Científica Inspeção 100% CEQ Evolução da Gestão CEP CQ IA PQN PQN PQN TQM PQN MSC GEQ PQN PQN Negócio Sistema

Leia mais

Balanced Scorecard BSC. O que não é medido não é gerenciado. Medir é importante? Também não se pode medir o que não se descreve.

Balanced Scorecard BSC. O que não é medido não é gerenciado. Medir é importante? Também não se pode medir o que não se descreve. Balanced Scorecard BSC 1 2 A metodologia (Mapas Estratégicos e Balanced Scorecard BSC) foi criada por professores de Harvard no início da década de 90, e é amplamente difundida e aplicada com sucesso em

Leia mais

Governança Corporativa e o Escritório de Projetos

Governança Corporativa e o Escritório de Projetos Governança Corporativa e o Escritório de Projetos OBJETIVOS Conhecer a Governança Corporativa Entender os tipos de estruturas organizacionais Compreender o modelo de Escritório de Projetos O que é Governança

Leia mais

Universidade de Brasília Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Ciência da Informação e Documentação Departamento de Ciência da

Universidade de Brasília Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Ciência da Informação e Documentação Departamento de Ciência da Universidade de Brasília Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Ciência da Informação e Documentação Departamento de Ciência da Informação e Documentação Prof. Lillian Alvares O Planejamento

Leia mais

FUNÇÕES MOTORAS (Produtos e Serviços)

FUNÇÕES MOTORAS (Produtos e Serviços) FUNÇÕES MOTORAS (Produtos e Serviços) 1. MÉTODO MENTOR - Modelagem Estratégica Totalmente Orientada para Resultados Figura 1: Método MENTOR da Intellectum. Fonte: autor, 2007 O método MENTOR (vide o texto

Leia mais

Estruturando o modelo de RH: da criação da estratégia de RH ao diagnóstico de sua efetividade

Estruturando o modelo de RH: da criação da estratégia de RH ao diagnóstico de sua efetividade Estruturando o modelo de RH: da criação da estratégia de RH ao diagnóstico de sua efetividade As empresas têm passado por grandes transformações, com isso, o RH também precisa inovar para suportar os negócios

Leia mais

3. Processos, o que é isto? Encontramos vários conceitos de processos, conforme observarmos abaixo:

3. Processos, o que é isto? Encontramos vários conceitos de processos, conforme observarmos abaixo: Perguntas e respostas sobre gestão por processos 1. Gestão por processos, por que usar? Num mundo globalizado com mercado extremamente competitivo, onde o cliente se encontra cada vez mais exigente e conhecedor

Leia mais

Página 1 de 19 Data 04/03/2014 Hora 09:11:49 Modelo Cerne 1.1 Sensibilização e Prospecção Envolve a manutenção de um processo sistematizado e contínuo para a sensibilização da comunidade quanto ao empreendedorismo

Leia mais

Administração Judiciária

Administração Judiciária Administração Judiciária Planejamento e Gestão Estratégica Claudio Oliveira Assessor de Planejamento e Gestão Estratégica Conselho Superior da Justiça do Trabalho Gestão Estratégica Comunicação da Estratégia

Leia mais

Módulo 2. Origem do BSC, desdobramento do BSC, estrutura e processo de criação do BSC, gestão estratégica e exercícios

Módulo 2. Origem do BSC, desdobramento do BSC, estrutura e processo de criação do BSC, gestão estratégica e exercícios Módulo 2 Origem do BSC, desdobramento do BSC, estrutura e processo de criação do BSC, gestão estratégica e exercícios Origem do BSC Cenário Competitivos CONCORRENTE A CONCORRENTE C VISÃO DE FUTURO ESTRATÉGIA

Leia mais

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS Universidade Federal do Ceará Faculdade de Economia, Administração, Atuária, Contabilidade e Secretariado Curso de Administração de Empresas GESTÃO POR COMPETÊNCIAS MAURICIO FREITAS DANILO FREITAS Disciplina

Leia mais

Gerenciamento de Serviços de TI ITIL v2 Módulo 1 Conceitos básicos

Gerenciamento de Serviços de TI ITIL v2 Módulo 1 Conceitos básicos Gerenciamento de Serviços de TI ITIL v2 Módulo 1 Conceitos básicos Referência: An Introductory Overview of ITIL v2 Livros ITIL v2 Cenário de TI nas organizações Aumento da dependência da TI para alcance

Leia mais

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS GESTÃO POR COMPETÊNCIAS STM ANALISTA/2010 ( C ) Conforme legislação específica aplicada à administração pública federal, gestão por competência e gestão da capacitação são equivalentes. Lei 5.707/2006

Leia mais

Estratégia de TI. Posicionamento Estratégico da TI: como atingir o alinhamento com o negócio. Conhecimento em Tecnologia da Informação

Estratégia de TI. Posicionamento Estratégico da TI: como atingir o alinhamento com o negócio. Conhecimento em Tecnologia da Informação Conhecimento em Tecnologia da Informação Conhecimento em Tecnologia da Informação Estratégia de TI Posicionamento Estratégico da TI: como atingir o alinhamento com o negócio 2011 Bridge Consulting Apresentação

Leia mais

Desenvolvimento Humano

Desenvolvimento Humano ASSESSORIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS Desenvolvimento Humano ADVISORY Os desafios transformam-se em fatores motivacionais quando os profissionais se sentem bem preparados para enfrentá-los. E uma equipe

Leia mais

FILOSOFIA EMPRESARIAL

FILOSOFIA EMPRESARIAL FILOSOFIA EMPRESARIAL FILOSOFIA EMPRESARIAL Bebidas S/A Troféu Prata FILOSOFIA EMPRESARIAL MISSÃO SACIAR NATURALMENTE A SEDE DOS GAÚCHOS. Bebidas S/A Troféu Prata FILOSOFIA EMPRESARIAL VISÃO QUEREMOS SER

Leia mais

Universidade de Brasília Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Ciência da Informação e Documentação Departamento de Ciência da

Universidade de Brasília Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Ciência da Informação e Documentação Departamento de Ciência da Universidade de Brasília Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Ciência da Informação e Documentação Departamento de Ciência da Informação e Documentação Disciplina: Planejamento e Gestão

Leia mais

O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações

O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações Projeto Saber Contábil O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações Alessandra Mercante Programa Apresentar a relação da Gestão de pessoas com as estratégias organizacionais,

Leia mais

4. Tendências em Gestão de Pessoas

4. Tendências em Gestão de Pessoas 4. Tendências em Gestão de Pessoas Em 2012, Gerenciar Talentos continuará sendo uma das prioridades da maioria das empresas. Mudanças nas estratégias, necessidades de novas competências, pressões nos custos

Leia mais

Desenvolvimento de Pessoas na Administração Pública. Assembléia Legislativa do Estado de Säo Paulo 14 de outubro de 2008

Desenvolvimento de Pessoas na Administração Pública. Assembléia Legislativa do Estado de Säo Paulo 14 de outubro de 2008 Desenvolvimento de Pessoas na Administração Pública Assembléia Legislativa do Estado de Säo Paulo 14 de outubro de 2008 Roteiro 1. Contexto 2. Por que é preciso desenvolvimento de capacidades no setor

Leia mais

Gestão de Pessoas. Capacidade de gerar resultados a partir das pessoas e dos processos inerentes ao negócio.

Gestão de Pessoas. Capacidade de gerar resultados a partir das pessoas e dos processos inerentes ao negócio. Gestão Corporativa Governança Corporativa é o conjunto de processos, costumes, políticas, leis que regulam a maneira como uma empresa é dirigida, administrada ou controlada. PROCESSOS PESSOAS TECNOLOGIA

Leia mais

1 Fórum de Educação a Distância do Poder Judiciário. Gestão de Projetos de EAD Conceber, Desenvolver e Entregar

1 Fórum de Educação a Distância do Poder Judiciário. Gestão de Projetos de EAD Conceber, Desenvolver e Entregar 1 Fórum de Educação a Distância do Poder Judiciário Gestão de Projetos de EAD Conceber, Desenvolver e Entregar Prof. Dr. Stavros Panagiotis Xanthopoylos stavros@fgv.br Brasília, 27 de novembro de 2009

Leia mais

ISO NAS PRAÇAS. Oficina ISO 9001-2008 Formulação da Política da Qualidade. Julho/2011

ISO NAS PRAÇAS. Oficina ISO 9001-2008 Formulação da Política da Qualidade. Julho/2011 Oficina ISO 9001-2008 Formulação da Política da Qualidade Julho/2011 GESPÚBLICA Perfil do Facilitador Servidor de carreira que tenha credibilidade Bom relacionamento interpessoal Acesso a alta administração

Leia mais

IV Encontro Nacional de Escolas de Servidores e Gestores de Pessoas do Poder Judiciário Rio de Janeiro set/2012

IV Encontro Nacional de Escolas de Servidores e Gestores de Pessoas do Poder Judiciário Rio de Janeiro set/2012 IV Encontro Nacional de Escolas de Servidores e Gestores de Pessoas do Poder Judiciário Rio de Janeiro set/2012 Rosely Vieira Consultora Organizacional Mestranda em Adm. Pública Presidente do FECJUS Educação

Leia mais

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Roberto Marcello SI Sistemas de gestão A Gestão dos Sistemas Integrados é uma forma organizada e sistemática de buscar a melhoria de resultados.

Leia mais

Acreditamos em formas criativas e inovadoras de crescimento e desenvolvimento. Elas agregam valor ao cliente

Acreditamos em formas criativas e inovadoras de crescimento e desenvolvimento. Elas agregam valor ao cliente Portfólio QUEM SOMOS Somos uma empresa de consultoria organizacional que vem desenvolvendo e implementando em diversas clientes projetos nas áreas de Gestão Recursos Humanos e Comercial/Vendas. Silmar

Leia mais

Implementação rápida do modelo Balanced Scorecard (BSC) nas empresas de seguros

Implementação rápida do modelo Balanced Scorecard (BSC) nas empresas de seguros Implementação rápida do modelo Balanced Scorecard (BSC) nas empresas de seguros Uma evolução nos sistemas de controle gerencial e de planejamento estratégico Francisco Galiza Roteiro Básico 1 SUMÁRIO:

Leia mais

Rotinas de DP- Professor: Robson Soares

Rotinas de DP- Professor: Robson Soares Rotinas de DP- Professor: Robson Soares Capítulo 2 Conceitos de Gestão de Pessoas - Conceitos de Gestão de Pessoas e seus objetivos Neste capítulo serão apresentados os conceitos básicos sobre a Gestão

Leia mais

1 LIDERANÇA. Indicador 1: Eficiência da Comunicação Organizacional

1 LIDERANÇA. Indicador 1: Eficiência da Comunicação Organizacional COMPILADO DAS SUGESTÕES DE MELHORIAS PARA O IDGP/2011 por critério e indicador 1 LIDERANÇA O critério Liderança aborda como está estruturado o sistema de liderança da organização, ou seja, o papel da liderança

Leia mais

FERRAMENTAS DA QUALIDADE BALANCED SCORECARD

FERRAMENTAS DA QUALIDADE BALANCED SCORECARD FERRAMENTAS DA QUALIDADE BALANCED SCORECARD Histórico Desenvolvimento do Balanced Scorecard: 1987, o primeiro Balanced Scorecard desenvolvido por Arthur Schneiderman na Analog Devices, uma empresa de porte

Leia mais

Aula 09 - Remuneração por competências: uma alavanca para o capital intelectual

Aula 09 - Remuneração por competências: uma alavanca para o capital intelectual Aula 09 - Remuneração por competências: uma alavanca para o capital intelectual Objetivos da aula: Estudar a remuneração por habilidades; Sistematizar habilidades e contrato de desenvolvimento contínuo.

Leia mais

Gestão Estratégica da TI. Prof. Renato Lima, PMP, ITIL, CGEIT Assunto: Governança de TI

Gestão Estratégica da TI. Prof. Renato Lima, PMP, ITIL, CGEIT Assunto: Governança de TI Gestão Estratégica da TI Prof. Renato Lima, PMP, ITIL, CGEIT Assunto: Governança de TI Introdução Motivadores Popularização das redes de computadores Avanço tecnológico Internet como veículo de comunicação

Leia mais

Gestão de Pessoas. Kassius Sipolati, Sanderson Farias, Bruno Coswsok

Gestão de Pessoas. Kassius Sipolati, Sanderson Farias, Bruno Coswsok Deve-se sempre ter em mente que um projeto de software envolve um grupo variado de pessoas, inclusive os membros de equipe, e é preciso providenciar para que o relacionamento entre essas pessoas, enquanto

Leia mais

Marcos Antonio Lima de Oliveira, MSc Quality Engineer ASQ/USA Diretor da ISOQUALITAS www.qualitas.eng.br qualitas@qualitas.eng.

Marcos Antonio Lima de Oliveira, MSc Quality Engineer ASQ/USA Diretor da ISOQUALITAS www.qualitas.eng.br qualitas@qualitas.eng. 01. O QUE SIGNIFICA A SIGLA ISO? É a federação mundial dos organismos de normalização, fundada em 1947 e contanto atualmente com 156 países membros. A ABNT é representante oficial da ISO no Brasil e participou

Leia mais

Programa de Desenvolvimento Gerencial. Conexã Gerencial

Programa de Desenvolvimento Gerencial. Conexã Gerencial Conexão Gerencial é um programa modular de Desenvolvimento Gerencial cujos principais objetivos são: Promover um choque de cultura e competência gerencial e tornar mais efetivo o papel dos Gestores. Alinhar

Leia mais

Apresentação. A Martins Guerra Consultoria é formada por gente jovem, engajada e de atitude. É feita de um trabalho dedicado e muito profissionalismo.

Apresentação. A Martins Guerra Consultoria é formada por gente jovem, engajada e de atitude. É feita de um trabalho dedicado e muito profissionalismo. Apresentação A Martins Guerra Consultoria é formada por gente jovem, engajada e de atitude. É feita de um trabalho dedicado e muito profissionalismo. Nossa missão é promover o encontro entre pessoas e

Leia mais

Difusão da Certificação ISO 9001 da Embrapa Meio Ambiente

Difusão da Certificação ISO 9001 da Embrapa Meio Ambiente Videoconferência Difusão da Certificação ISO 9001 da Embrapa Meio Ambiente Data: 22 e 24 de março de 2011 Objetivo Difundir a experiência da Embrapa Meio Ambiente com o processo de obtenção da certificação

Leia mais

ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário

ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009 Dispõe sobre o Planejamento Estratégico de TIC no âmbito do Poder Judiciário e dá outras providências. ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário Planejamento

Leia mais

Ementa e Cronograma Programático...

Ementa e Cronograma Programático... Prof. Fabrício Rogério Parrilla Ementa e Cronograma Programático... AULA 01 Estratégia de Operações e Planejamento Agregado AULA 02 Planejamento e Controle de Operações AULA 03 Gestão da Demanda e da Capacidade

Leia mais

Governança AMIGA. Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti

Governança AMIGA. Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti e d a id 4 m IN r fo a n m Co co M a n ua l Governança AMIGA Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti Um dos grandes desafios atuais da administração

Leia mais

EXECUTIVE GESTÃO ESTRATÉGICA. www.executivebc.com.br. 071 3341-4243 cursos@executivebc.com.br

EXECUTIVE GESTÃO ESTRATÉGICA. www.executivebc.com.br. 071 3341-4243 cursos@executivebc.com.br EXECUTIVE GESTÃO ESTRATÉGICA www.executivebc.com.br 071 3341-4243 cursos@executivebc.com.br GESTÃO ESTRATÉGICA O presente documento apresenta o modelo de implantação do sistema de gestão estratégica da

Leia mais

PARTE IV Consolidação do Profissional como Consultor. Técnicas de Consultoria Prof. Fabio Costa Ferrer, M.Sc.

PARTE IV Consolidação do Profissional como Consultor. Técnicas de Consultoria Prof. Fabio Costa Ferrer, M.Sc. FATERN Faculdade de Excelência Educacional do RN Coordenação Tecnológica de Redes e Sistemas Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet Técnicas de Consultoria Prof. Fabio Costa Ferrer, M.Sc.

Leia mais

Portfolio de cursos TSP2

Portfolio de cursos TSP2 2013 Portfolio de cursos TSP2 J. Purcino TSP2 Treinamentos e Sistemas de Performance 01/07/2013 Como encantar e fidelizar clientes Visa mostrar aos participantes a importância do conhecimento do cliente,

Leia mais

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE Modelo de Otimização de SAM Controle, otimize, cresça Em um mercado internacional em constante mudança, as empresas buscam oportunidades de ganhar vantagem competitiva

Leia mais

biblioteca Cultura de Inovação Dr. José Cláudio C. Terra & Caspar Bart Van Rijnbach, M Gestão da Inovação

biblioteca Cultura de Inovação Dr. José Cláudio C. Terra & Caspar Bart Van Rijnbach, M Gestão da Inovação O artigo fala sobre os vários aspectos e desafios que devem ser levados em consideração quando se deseja transformar ou fortalecer uma cultura organizacional, visando a implementação de uma cultura duradoura

Leia mais

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014 Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014 Grupos de trabalho: formação Objetivo: elaborar atividades e

Leia mais

GESTÃO ESTRATÉGICA DE NEGÓCIOS NÚCLEO COMUM

GESTÃO ESTRATÉGICA DE NEGÓCIOS NÚCLEO COMUM GESTÃO ESTRATÉGICA DE NEGÓCIOS NÚCLEO COMUM DISCIPLINA: Gestão de Pessoas EMENTA: O sistema clássico de estruturação da gestão de recursos humanos e suas limitações: recrutamento e seleção, treinamento

Leia mais

GRADUAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING DENOMINAÇÃO: CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING / ÁREA PROFISSIONAL: GESTÃO E NEGÓCIOS.

GRADUAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING DENOMINAÇÃO: CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING / ÁREA PROFISSIONAL: GESTÃO E NEGÓCIOS. GRADUAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING CARACTERIZAÇÃO DO CURSO DENOMINAÇÃO: CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING / ÁREA PROFISSIONAL: GESTÃO E NEGÓCIOS. DIPLOMA CONFERIDO: TECNÓLOGO DE

Leia mais

Sociedade da Informação

Sociedade da Informação Sociedade da Informação Universidade de Brasília Departamento de Ciência da Informação e Documentação Brasília, Abril de 2008 Profa.: Lillian Alvares Sociedade da Informação Intangibilidade Conectividade

Leia mais

Luiz Ildebrando Pierry Porto Alegre, Maio de 2006

Luiz Ildebrando Pierry Porto Alegre, Maio de 2006 Luiz Ildebrando Pierry Porto Alegre, Maio de 2006 Evolução Estratégica do Movimento Qualidade RS 13 anos de atividade Instalação do Programa Cumulativo Consolidação do Programa como Promotor da Causa Evolução

Leia mais

Business Intelligence. BI CEOsoftware Partner YellowFin

Business Intelligence. BI CEOsoftware Partner YellowFin Business Intelligence BI CEOsoftware Partner YellowFin O que é Business Intelligence Business Intelligence (BI) é a utilização de uma série de ferramentas para coletar, analisar e extrair informações,

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO PARTICIPATIVA (GESTÃO PARTICIPATIVA)

ADMINISTRAÇÃO PARTICIPATIVA (GESTÃO PARTICIPATIVA) ADMINISTRAÇÃO PARTICIPATIVA (GESTÃO PARTICIPATIVA) A administração participativa é uma filosofia ou política de administração de pessoas, que valoriza sua capacidade de tomar decisões e resolver problemas,

Leia mais

O desafio da liderança: Avaliação, Desenvolvimento e Sucessão

O desafio da liderança: Avaliação, Desenvolvimento e Sucessão O desafio da liderança: Avaliação, Desenvolvimento e Sucessão Esse artigo tem como objetivo apresentar estratégias para assegurar uma equipe eficiente em cargos de liderança, mantendo um ciclo virtuoso

Leia mais

Prêmio Nacional da Qualidade em Saneamento. 26 Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental

Prêmio Nacional da Qualidade em Saneamento. 26 Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental Prêmio Nacional da Qualidade em Saneamento 26 Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental Da gestão da qualidade à excelência em gestão Gestão Operação Ao longo dos anos 90, as experiências

Leia mais

COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS QUALIDADE

COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS QUALIDADE COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS QUALIDADE DESCRIÇÕES DOS NÍVEIS APRENDIZ SABER Aprende para adquirir conhecimento básico. É capaz de pôr este conhecimento em prática sob circunstâncias normais, buscando assistência

Leia mais

Fábrica de Software 29/04/2015

Fábrica de Software 29/04/2015 Fábrica de Software 29/04/2015 Crise do Software Fábrica de Software Analogias costumam ser usadas para tentar entender melhor algo ou alguma coisa. A idéia é simples: compara-se o conceito que não se

Leia mais

Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 12

Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 12 Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 12 Questões sobre o tópico Desenvolvimento e treinamento de pessoal: levantamento de necessidades, programação, execução e avaliação. Olá Pessoal, hoje veremos outro

Leia mais

Pronta para se tornar uma das 20 maiores produtoras de cimento do mundo

Pronta para se tornar uma das 20 maiores produtoras de cimento do mundo 06 Governança TRANSPARÊNCIA 23 Corporativa e Gestão Conselho de Administração O Conselho de Administração da Camargo Corrêa Cimentos é composto de até seis membros, sendo um presidente, três vice-presidentes

Leia mais

SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL SGA MANUAL CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS

SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL SGA MANUAL CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL MANUAL Elaborado por Comitê de Gestão de Aprovado por Paulo Fernando G.Habitzreuter Código: MA..01 Pag.: 2/12 Sumário Pag. 1. Objetivo...

Leia mais

Desenvolve Minas. Modelo de Excelência da Gestão

Desenvolve Minas. Modelo de Excelência da Gestão Desenvolve Minas Modelo de Excelência da Gestão O que é o MEG? O Modelo de Excelência da Gestão (MEG) possibilita a avaliação do grau de maturidade da gestão, pontuando processos gerenciais e resultados

Leia mais

ASSET 55. Como a gestão por meio da PAS 55 promove a excelência operacional e aumenta a rentabilidade da empresa?

ASSET 55. Como a gestão por meio da PAS 55 promove a excelência operacional e aumenta a rentabilidade da empresa? Como a gestão por meio da PAS 55 promove a excelência operacional e aumenta a rentabilidade da empresa? Conselho de Administração / Alta Direção Nós estamos extraindo o maior valor possível dos nossos

Leia mais

Prof Elly Astrid Vedam

Prof Elly Astrid Vedam Prof Elly Astrid Vedam Despertar e saber lidar com os mecanismos de liderança e se preparar para a gestão de pequenos e médios negócios; Identificar conflitos no ambiente de seu negócio, calculando e avaliando

Leia mais

GESTÃO DE T.I. José Luís Padovan jlpadovan@gmail.com

GESTÃO DE T.I. José Luís Padovan jlpadovan@gmail.com GESTÃO DE T.I. José Luís Padovan jlpadovan@gmail.com Conceito Com base nas definições podemos concluir que: Governança de de TI TI busca o compartilhamento de de decisões de de TI TI com os os demais dirigentes

Leia mais

Planejamento de sistemas de informação.

Planejamento de sistemas de informação. Planejamento de sistemas de informação. O planejamento de sistemas de informação e da tecnologia da informação é o processo de identificação das aplicações baseadas em computadores para apoiar a organização

Leia mais

FIB- Faculdades Integradas de Bauru DISCIPLINA: FUNDAMENTOS E EVOLUÇÃO DA ADMINISTRAÇÃO MODERNA. Profº MS. Carlos Henrique Carobino

FIB- Faculdades Integradas de Bauru DISCIPLINA: FUNDAMENTOS E EVOLUÇÃO DA ADMINISTRAÇÃO MODERNA. Profº MS. Carlos Henrique Carobino FIB- Faculdades Integradas de Bauru DISCIPLINA: FUNDAMENTOS E EVOLUÇÃO DA ADMINISTRAÇÃO MODERNA Profº MS. Carlos Henrique Carobino E-mail: carobino@bol.com.br 1 Pressões Externas MEGATENDÊNCIAS Competição

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL: ISO 14001. Material Didático: IBB 254 Gestão Ambiental / 2015 Curso: Ciências Biológicas - UFAM

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL: ISO 14001. Material Didático: IBB 254 Gestão Ambiental / 2015 Curso: Ciências Biológicas - UFAM SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL: ISO 14001 Material Didático: IBB 254 Gestão Ambiental / 2015 Conceitos Gerais A gestão ambiental abrange uma vasta gama de questões, inclusive aquelas com implicações estratégicas

Leia mais

Curso Balanced Scorecard como ferramenta de Gestão por Indicadores

Curso Balanced Scorecard como ferramenta de Gestão por Indicadores Curso Balanced Scorecard como ferramenta de Gestão por Indicadores O Planejamento Estratégico deve ser visto como um meio empreendedor de gestão, onde são moldadas e inseridas decisões antecipadas no processo

Leia mais

Gestão de Sistemas de Informação II Introdução ao COBIT

Gestão de Sistemas de Informação II Introdução ao COBIT Gestão de Sistemas de Informação II Introdução ao COBIT Professor Samuel Graeff prof.samuel@uniuv.edu.br COBIT O que e? COBIT significa Control Objectives for Information and related Technology - Objetivos

Leia mais

E FOLDER INSTITUCIONAL

E FOLDER INSTITUCIONAL E FOLDER INSTITUCIONAL Tel. 55 11 3862 1421 atendimento@bird.com.br www.bird.com.br A MEDIDA CERTA PARA EXECUTAR SUA ESTRATÉGIA DE T&D EM IDIOMAS benchmarking indicadores de resultados diagnósticos & desenvolvimento

Leia mais

A Terceirização da Manutenção como Estratégia Competitiva nas Organizações

A Terceirização da Manutenção como Estratégia Competitiva nas Organizações A Terceirização da Manutenção como Estratégia Competitiva nas Organizações Alessandro Trombeta Supervisor de Manutenção Valdemar Roberto Cremoneis Gerente Industrial Cocamar Cooperativa Agroindustrial

Leia mais

Service Level Management SLM. Gerenciamento de Níveis de Serviço

Service Level Management SLM. Gerenciamento de Níveis de Serviço Service Level Management SLM Gerenciamento de Níveis de Serviço 1 É o balanço o entre... Qualidade dos serviços entregues Expectativa do cliente 2 Processo: Definições Service Level Management (SLM) Têm

Leia mais

Política de Recursos Humanos do Grupo Schindler

Política de Recursos Humanos do Grupo Schindler Política de Recursos Humanos do Grupo Schindler 2 Introdução A política corporativa de RH da Schindler define as estratégias relacionadas às ações para com seus colaboradores; baseia-se na Missão e nos

Leia mais

Manual do Sistema de Gestão Ambiental - Instant Solutions. Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa

Manual do Sistema de Gestão Ambiental - Instant Solutions. Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa Data da Criação: 09/11/2012 Dara de revisão: 18/12/2012 1 - Sumário - 1. A Instant Solutions... 3 1.1. Perfil da empresa... 3 1.2. Responsabilidade ambiental...

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU (ESPECIALIZAÇÃO) MBA em Gestão de Pessoas Coordenação Acadêmica: Drª. Ana Maria Viegas Reis

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU (ESPECIALIZAÇÃO) MBA em Gestão de Pessoas Coordenação Acadêmica: Drª. Ana Maria Viegas Reis CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU (ESPECIALIZAÇÃO) MBA em Gestão de Pessoas Coordenação Acadêmica: Drª. Ana Maria Viegas Reis APRESENTAÇÃO A FGV é uma instituição privada sem fins lucrativos, fundada em

Leia mais

II FÓRUM DE COACHING Um Olhar sobre o Processo e Resultados OBJETIVO

II FÓRUM DE COACHING Um Olhar sobre o Processo e Resultados OBJETIVO 02 de dezembro de 2014 13:00 às 19:00 São Salvador Hotéis e Convenções, Salvador - Ba II FÓRUM DE COACHING Um Olhar sobre o Processo e Resultados II Fórum de Coaching OBJETIVO Apresentar uma visão panorâmica

Leia mais

MECANISMOS PARA GOVERNANÇA DE T.I. IMPLEMENTAÇÃO DA. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza

MECANISMOS PARA GOVERNANÇA DE T.I. IMPLEMENTAÇÃO DA. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza MECANISMOS PARA IMPLEMENTAÇÃO DA GOVERNANÇA DE T.I. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza CICLO DA GOVERNANÇA DE TI O CICLO DA GOVERNANÇA DE TI O Ciclo da Governança de T.I. ALINHAMENTO

Leia mais

Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Profa. Lillian Alvares

Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Profa. Lillian Alvares Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Profa. Lillian Alvares O Planejamento Estratégico é um processo gerencial que permite que se estabeleça um: Direcionamento a ser seguido pela

Leia mais

www.jrsantiago.com.br

www.jrsantiago.com.br www.jrsantiago.com.br Gestão do Conhecimento em Projetos José Renato Santiago Cenário Corporativo Muitas empresas gastam parte significativa de seu tempo no planejamento e desenvolvimento de atividades,

Leia mais

PMI-SP PMI-SC PMI-RS PMI PMI-PR PMI-PE

PMI-SP PMI-SC PMI-RS PMI PMI-PR PMI-PE ESTUDO DE BENCHMARKING EM GERENCIAMENTO DE PROJETOS 2009 Brasil Uma realização dos Chapters Brasileiros do PMI - Project Management Institute PMI-SP PMI-RJ PMI-AM PMI-SC PMI-BA ANEXO 1 PMI-RS PMI PMI-CE

Leia mais

Pessoas e Negócios em Evolução

Pessoas e Negócios em Evolução Empresa: Atuamos desde 2001 nos diversos segmentos de Gestão de Pessoas, desenvolvendo serviços diferenciados para empresas privadas, associações e cooperativas. Prestamos serviços em mais de 40 cidades

Leia mais

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado Professora Débora Dado Prof.ª Débora Dado Planejamento das aulas 7 Encontros 19/05 Contextualizando o Séc. XXI: Equipes e Competências 26/05 Competências e Processo de Comunicação 02/06 Processo de Comunicação

Leia mais

PMI-SP PMI-SC PMI-RS PMI PMI-PR PMI-PE

PMI-SP PMI-SC PMI-RS PMI PMI-PR PMI-PE ESTUDO DE BENCHMARKING EM GERENCIAMENTO DE PROJETOS 2009 Brasil Uma realização dos Chapters Brasileiros do PMI - Project Management Institute PMI-SP PMI-RJ PMI-AM PMI-SC PMI-BA ANEXO 2 PMI-RS PMI PMI-CE

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA 1 OBJETIVOS 1. Quais são as principais aplicações de sistemas na empresa? Que papel eles desempenham? 2. Como os sistemas de informação apóiam as principais funções empresariais:

Leia mais

www.pwc.com.br Como melhorar a gestão da sua empresa?

www.pwc.com.br Como melhorar a gestão da sua empresa? www.pwc.com.br Como melhorar a gestão da sua empresa? Como melhorar a gestão da sua empresa? Melhorar a gestão significa aumentar a capacidade das empresas de solucionar problemas. Acreditamos que, para

Leia mais

Quais são os objetivos dessa Política?

Quais são os objetivos dessa Política? A Conab possui uma Política de Gestão de Desempenho que define procedimentos e regulamenta a prática de avaliação de desempenho dos seus empregados, baseada num Sistema de Gestão de Competências. Esse

Leia mais

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS Versão 2.0 09/02/2015 Sumário 1 Objetivo... 3 1.1 Objetivos Específicos... 3 2 Conceitos... 4 3 Princípios... 5 4 Diretrizes... 5 4.1

Leia mais

Prof. Marcelo Mello. Unidade III DISTRIBUIÇÃO E

Prof. Marcelo Mello. Unidade III DISTRIBUIÇÃO E Prof. Marcelo Mello Unidade III DISTRIBUIÇÃO E TRADE MARKETING Canais de distribuição Canal vertical: Antigamente, os canais de distribuição eram estruturas mercadológicas verticais, em que a responsabilidade

Leia mais

A FUNÇÃO CONTROLE. Orientação do controle

A FUNÇÃO CONTROLE. Orientação do controle A FUNÇÃO CONTROLE O controle é a ultima função da administração a ser analisadas e diz respeito aos esforços exercidos para gerar e usar informações relativas a execução das atividades nas organizações

Leia mais

G P - AMPLITUDE DE CONTROLE E NÍVEIS HIERÁRQUICOS

G P - AMPLITUDE DE CONTROLE E NÍVEIS HIERÁRQUICOS G P - AMPLITUDE DE CONTROLE E NÍVEIS HIERÁRQUICOS Amplitude de Controle Conceito Também denominada amplitude administrativa ou ainda amplitude de supervisão, refere-se ao número de subordinados que um

Leia mais

Balanced Scorecard. Planejamento Estratégico através do. Curso e- Learning

Balanced Scorecard. Planejamento Estratégico através do. Curso e- Learning Curso e- Learning Planejamento Estratégico através do Balanced Scorecard Todos os direitos de cópia reservados. Não é permitida a distribuição física ou eletrônica deste material sem a permissão expressa

Leia mais

GESTÃO DA MANUTENÇÃO

GESTÃO DA MANUTENÇÃO GESTÃO DA MANUTENÇÃO EVOLUÇÃO DA MANUTENÇÃO Mudanças sofridas nos últimos 20 anos Nas Organizações Aumento e diversificação das instalações e equipamentos; projetos mais complexos; surgimento de novas

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO SISTEMA DE INFORMAÇÃO GERENCIAL PARA AS EMPRESAS

A IMPORTÂNCIA DO SISTEMA DE INFORMAÇÃO GERENCIAL PARA AS EMPRESAS A IMPORTÂNCIA DO SISTEMA DE INFORMAÇÃO GERENCIAL PARA AS EMPRESAS Gilmar da Silva, Tatiane Serrano dos Santos * Professora: Adriana Toledo * RESUMO: Este artigo avalia o Sistema de Informação Gerencial

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 3ª REGIÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 3ª REGIÃO Controle de Versões Autor da Solicitação: Subseção de Governança de TIC Email:dtic.governanca@trt3.jus.br Ramal: 7966 Versão Data Notas da Revisão 1 03.02.2015 Versão atualizada de acordo com os novos

Leia mais

EMENTAS - MATRIZ CURRICULAR - 2016

EMENTAS - MATRIZ CURRICULAR - 2016 EMENTAS - MATRIZ CURRICULAR - 2016 901491 - EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ADMINISTRATIVO I Estudo da administração, suas áreas e funções, o trabalho do administrador e sua atuação; a evolução da teoria organizacional

Leia mais

Política de Gestão de Riscos

Política de Gestão de Riscos Política de Gestão de Riscos 1 OBJETIVO Fornecer as diretrizes para a Gestão de Riscos da Fibria, assim como conceituar, detalhar e documentar as atividades a ela relacionadas. 2 ABRANGÊNCIA Abrange todas

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO. MBA em Gestão de Pessoas com Ênfase em Estratégias

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO. MBA em Gestão de Pessoas com Ênfase em Estratégias CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA em Gestão de Pessoas com Ênfase em Estratégias Coordenação Acadêmica: Maria Elizabeth Pupe Johann 1 OBJETIVOS: Objetivo Geral: - Promover o desenvolvimento

Leia mais