INTELIGÊNCIA COMPETITIVA. Como agilizar a tomada de decisão na sua empresa com resultados

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INTELIGÊNCIA COMPETITIVA. Como agilizar a tomada de decisão na sua empresa com resultados"

Transcrição

1 INTELIGÊNCIA COMPETITIVA Como agilizar a tomada de decisão na sua empresa com resultados 22/07/2014

2 Agenda A diferença entre as Inteligências Empresarial e Competitiva (de Mercado) O que não é Inteligência Competitiva A diferença entre dados, informação e inteligência Entregas de Inteligência Competitiva Método REVIE Rede de Valor para Inteligência Empresarial O ciclo de Inteligência Competitiva (de Mercado) Assuntos chave para monitoramento de dados e informações Situação atual da Inteligência Competitiva (IC) no Brasil

3 INTELIGÊNCIA COMPETITIVA É INTELIGÊNCIA DE MERCADO? INTELIGÊNCIA COMPETITIVA É TECNOLOGIA? INTELIGÊNCIA COMPETITIVA (IC) É SINÔNIMO DE INTELIGÊNCIA EMPRESARIAL?

4 Inteligência Competitiva Prática empresarial com um programa coordenado e contínuo para captura, seleção, análise, gerenciamento e disseminação da informação sobre o ambiente no qual a empresa compete para a criação de conhecimento e a tomada de decisão, seja ela estratégica, tática ou operacional. Fonte: TEIXEIRA, D. R. em Inteligência Competitiva (IC) ou de Mercado (IM): parte da Inteligência Empresarial e engloba, principalmente, informações sobre o mercado e a concorrência. Criação de conhecimento e análise de informações que agreguem valor ao negócio para a tomada de decisão tática e estratégica. Fonte: TEIXEIRA, D. R. 2009, 2010.

5 Inteligência Empresarial Objetivo da Inteligência: transformar informação subjetiva e desagregada em vantagem competitiva para agregar valor aos negócios Inteligência Financeira Inteligência de Mercado/Competitiva Inteligência de Clientes Inteligência de Produtos Inteligência de Parceiros Inteligência de Logística... :: Qualquer área pode construir a sua base de Inteligência Fonte: TEIXEIRA, 2007; 2009.

6 O que NÃO é Inteligência Competitiva Informação desestruturada Matéria/ Reportagem Dados Clipping de notícias Tabelas Artigos Gráficos Fonte: TEIXEIRA, D. R

7 A DIFERENÇA ENTRE DADOS, INFORMAÇÃO E INTELIGÊNCIA

8 Principais Diferenças A Diferença entre Dados, Informação e Inteligência Dados Tabelas Gráficos Dados são basicamente números, medidas, valores Informação É mais qualitativa Descrição/comentários no gráfico Notícia que pode ou não conter dados De qualquer forma, ela continua sendo informação 8 Inteligência Cruzamentos de dados e informação de várias fontes com análises Análises com Recomendações; não apenas conclusões Insider Information Fonte: TEIXEIRA, D. R., 2010.

9 Dados, Informação e Inteligência Produção Siderúrgica Brasileira Fonte: Instituto Aço Brasil 2014.

10 Dados, Informação e Inteligência Produção Siderúrgica Brasileira :: A produção brasileira de aço bruto em 05/2014 foi de 2,9 milhões de toneladas, queda de 4,3% quando comparada com o mesmo mês em :: A produção acumulada em 2014 totalizou 14,0 milhões de toneladas de aço bruto, queda de 0,8%, sobre o mesmo período de Fonte: Instituto Aço Brasil 2014.

11 Dados, Informação e Inteligência

12 Dados, Informação e Inteligência Produção Siderúrgica Brasileira :: A produção brasileira de aço bruto em 05/2014 foi de 2,9 milhões de toneladas, queda de 4,3% quando comparada com o mesmo mês em :: A produção acumulada em 2014 totalizou 14,0 milhões de toneladas de aço bruto, queda de 0,8%, sobre o mesmo período de Comentários de Inteligência de Mercado: A redução do consumo em alguns dos principais mercados, como o setor automotivo, e o excesso de oferta global de aço são algumas das principais razões dessa queda da produção. No 1º sem. 2014, Usiminas, CSN e Gerdau estiveram entre as quatro maiores queda do Ibovespa, atrás apenas da MMX. Fonte: Instituto Aço Brasil e Valor Econômico, 2014.

13 ENTREGA DE INTELIGÊNCIA COMPETITIVA/ MERCADO

14 Produção Siderúrgica Brasileira Entrega de IC/ IM Foco Tático e Estratégico :: A produção brasileira de aço bruto em 05/2014 foi de 2,9 milhões de toneladas, queda de 4,3% quando comparada com o mesmo mês em :: A produção acumulada em 2014 totalizou 14,0 milhões de toneladas de aço bruto, queda de 0,8%, sobre o mesmo período de Comentários de Inteligência de Mercado: A redução do consumo em alguns dos principais mercados, como o setor automotivo, e o excesso de oferta global de aço são algumas das principais razões dessa queda da produção. No 1º sem. 2014, Usiminas, CSN e Gerdau estiveram entre as quatro maiores queda do Ibovespa, atrás apenas da MMX. Fonte: Instituto Aço Brasil e Valor Econômico, 2014.

15 Entrega de IC/ IM Foco Operacional: dados e informação Produção Siderúrgica Brasileira :: A produção brasileira de aço bruto em 05/2014 foi de 2,9 milhões de toneladas, queda de 4,3% quando comparada com o mesmo mês em :: A produção acumulada em 2014 totalizou 14,0 milhões de toneladas de aço bruto, queda de 0,8%, sobre o mesmo período de Fonte: Instituto Aço Brasil 2014.

16 Entrega de IC/ IM Notícia 1 Estatísticas Clipping - Foco Operacional A produção brasileira de aço bruto em maio de 2014 foi de 2,9 milhões de toneladas, queda de 4,3% quando comparada com o mesmo mês em Em relação aos laminados, a produção de maio, de 2,1 milhões de toneladas, apresentou redução de 11,2% quando comparada com maio do ano passado. Com esses resultados, a produção acumulada em 2014 totalizou 14,0 milhões de toneladas de aço bruto e 10,5 milhões de toneladas de laminados, queda de 0,8% e 2,0%, respectivamente, sobre o mesmo período de Quanto às vendas internas, o resultado de maio de 2014 foi de 1,9 milhão de toneladas de produtos, queda de 7,3% em relação a maio de As vendas acumuladas em 2014, de 9,2 milhões de toneladas, mostraram queda de 2,0% com relação ao mesmo período do ano anterior. As exportações de produtos siderúrgicos em maio atingiram 545 mil toneladas no valor de 452 milhões de dólares. Com esse resultado, as exportações até maio de 2014 totalizaram 3,2 milhões de toneladas e 2,4 bilhões de dólares, representando declínio de 18,0% em volume e de 7,9 % em valor, quando comparados ao mesmo período do ano anterior. No que se refere às importações, registrou-se em maio o volume de 416 mil toneladas (US$ 390 milhões) totalizando, desse modo, 1,7 milhão de toneladas de produtos siderúrgicos importados no ano, alta de 15,0% em relação ao mesmo período de O consumo aparente nacional de produtos siderúrgicos em maio foi de 2,3 milhões de toneladas, totalizando 10,8 milhões de toneladas no período de janeiro a maio de Esses valores representaram queda de 0,1% e alta de 0,3%, respectivamente, em relação aos mesmos períodos do ano anterior. Fonte: Instituto Aço Brasil 2014.

17 Notícia 2 Setor do aço debate excesso de oferta e desafios do mercado local 09/07/2014 Valor Econômico O setor do aço se reúne daqui a um mês para discutir as principais questões do setor. O ano tem sido difícil para as siderúrgicas, com a redução do consumo em alguns dos principais mercados, como o setor automotivo, e uma situação de excesso de oferta global de aço. Na bolsa de valores brasileira, as ações das siderúrgicas refletem o momento desfavorável. No primeiro semestre, Usiminas, CSN e Gerdau estiveram entre as quatro maiores queda do Ibovespa, atrás apenas da MMX. Com esse pano de fundo, representantes do Instituto Aço Brasil (IABr) e de companhias do setor vão debater as questões mais críticas em 12 e 13 de agosto, em São Paulo, começando pela situação de superoferta global de aço. "Grande parte de excesso é produzido por empresas estatais, principalmente na China", diz Benjamin Baptista, presidente do conselho diretor do Instituto Aço Brasil (IABr), ao ValorPRO, serviço de tempo real do Valor. "São companhias que não seguem as mesmas regras de todo o mercado. Estão muito mais vinculadas aos governos de cidades com foco em emprego e arrecadação de impostos." As consequências do excesso de produção para o mercado brasileiro serão discutidas em um outro painel do evento, que será a 25â edição do Congresso Brasileiro do Aço. O IABr pretende debater como a indústria local pode crescer num ambiente desafiador e também como inovação, melhora de produtividade e práticas mais sustentáveis podem favorecer o desempenho do setor. O evento também tem o objetivo de manifestar o que o setor espera do governo. Segundo Baptista, as siderúrgicas vão defender a necessidade de mais ações na área de defesa comercial e desonerações. "Sem uma paridade cambial, uma solução que ajudaria o setor no curto prazo seria a adoção de alíquotas maiores de importação para diversos segmentos", afirma. Entre os presentes, estarão no evento o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Mauro Borges, o governador Geraldo Alckmin e o presidente do BNDES, Luciano Coutinho. A baixa utilização da capacidade instalada no país inferior a 70% também estará entre os temas em discussão, diz Baptista, que é presidente da ArcelorMittal Tubarão. Será dedicado um tempo para os debates sobre competitividade, com análises sobre a redução das exportações do aço brasileiro, o aumento das importações, os efeitos do câmbio para o negócio siderúrgico e o fraco desempenho do consumo de aço, tanto no Brasil como no exterior. "O cenário nacional ainda é muito turbulento. O acúmulo de impostos e o custo da energia reduzem a possibilidade de as empresas locais competirem na exportação", diz. Nos cinco primeiros meses do ano, o consumo aparente nacional caiu 0,3% em comparação com o mesmo período do ano passado, para 10,8 milhões de toneladas. Cerca de 32% do total tem como origem o material importado, considerando tanto as importações diretas, como as indiretas (em automóveis, autopeças, equipamentos e máquinas, por exemplo). Fonte: Valor Econômico em Instituto Aço Brasil Entrega de IC/ IM Clipping - Foco Operacional

18 Ciclo de Inteligência Competitiva/de Mercado 6 Avaliação 1 Identificação das Necessidades 2 Planejamento/ Direção 5 Disseminação 4 Análise 3 Coleta 7 Contra-Inteligência Fonte: TEIXEIRA, D.R. adaptado de Fontana e Rodriguez em O Uso da Inteligência Competitiva no Processo de Internacionalização das Empresas Brasileiras: Algumas Recomendações. KM BRASIL Anais 1. São Paulo, 2003.

19 Método REVIE Fonte: TEIXEIRA, Daniela Ramos. Rede de Valor para Inteligência Empresarial. Revista da ESPM, vol. 16, Edição nº 1, pg , janeiro/fevereiro 2009.

20 Entrega de IC/ IM Foco Tático e Estratégico Produção Siderúrgica Brasileira :: A produção brasileira de aço bruto em 05/2014 foi de 2,9 milhões de toneladas, queda de 4,3% quando comparada com o mesmo mês em :: A produção acumulada em 2014 totalizou 14,0 milhões de toneladas de aço bruto, queda de 0,8%, sobre o mesmo período de Comentários de Inteligência de Mercado: A redução do consumo em alguns dos principais mercados, como o setor automotivo, e o excesso de oferta global de aço são algumas das principais razões dessa queda da produção. No 1º sem. 2014, Usiminas, CSN e Gerdau estiveram entre as quatro maiores queda do Ibovespa, atrás apenas da MMX. Fonte: Instituto Aço Brasil e Valor Econômico, 2014.

21 Assuntos Chave Monitoramento Mercado Panorama mundial x brasileiro Volume de Produção Preços Tecnologias emergentes Entrantes no mercado Normas e regulamentações do setor Sustentabilidade Players...

22 E A TECNOLOGIA? AJUDA?

23 Situação da IC/IM no Brasil Realidade e Desafios Popularização e Evangelização A aplicabilidade da Inteligência não deve se limitar a grandes organizações. É essencial que cada empresa construa o seu modelo de Inteligência Estágios de evolução e graus de maturidade diferentes Falta perfil visionário Desafios Evolução da Inteligência Empresarial no BR: processos, padrões e metodologias Necessidade de enxergar a cadeia de valor como um todo Integrar várias células de Inteligência dentro das empresas Integração Big Data e BI trazendo resultados e trabalhando junto com a IC Fonte: TEIXEIRA, D. R. 2007, 2009, 2014.

24 Concluindo... INTELIGÊNCIA COMPETITIVA (DE MERCADO) SERVE PARA DIRECIONAR E AGILIZAR A TOMADA DE DECISÃO DE FORMA ASSERTIVA PROCESSOS, MÉTODOS, TÉCNICAS E INDICADORES FAZEM A DIFERENÇA!

25 Copyright - direitos autorais Os direitos autorais de todos os slides e do seu conteúdo assim apresentados nesta Palestra sobre Inteligência Competitiva são propriedade da Revie Inteligência Empresarial Ltda e de Daniela Ramos Teixeira. Com exceção do conteúdo mencionado nessa Palestra cuja fonte seja outra que não as citadas acima e/ou no próximo parágrafo. Os direitos autorais aplicam-se as imagens, figuras, logotipos e textos cuja fonte seja mencionada Daniela Ramos Teixeira; TEIXEIRA, D. R.; TEIXEIRA, Daniela Ramos; Método REVIE (Rede de Valor para Inteligência Empresarial); REVIE e/ou A reprodução, adaptação, modificação, utilização e/ou divulgação na internet ou qualquer outro meio e/ou mídia (impressa ou eletrônica) desse conteúdo disponibilizado, parcial ou integralmente, é expressamente proibida sem a permissão prévia por escrito de Daniela Ramos Teixeira. Qualquer uso não autorizado de qualquer material incluído nessa Palestra pode constituir uma violação das leis de direitos autorais, das leis de marcas comerciais, das leis de privacidade e publicidade e das leis e regras de comunicações.

26 A REVIE Inteligência

27 A REVIE Inteligência A REVIE Inteligência Empresarial é uma empresa de consultoria, processos, capacitação e tecnologia em Inteligência Empresarial e Inteligência Competitiva. Transformar dados e informação em oportunidades para a sua empresa é o nosso negócio. Essas oportunidades se traduzem em estratégias, planos, ações, resultados mensurados e gerenciados para a sua empresa. Somos especialistas em informação estratégica e gerenciada para ajudar a sua empresa a responder as mais diversas questões relacionadas ao seu negócio. Ajudamos a sua empresa a ser bem sucedida com o apoio dos processos, método próprio (REVIE), tecnologia e capacitação profissional. Fazemos o diagnóstico empresarial e as recomendações, estruturamos, desenvolvemos e implementamos ações e indicadores de performance e desempenho para medir os resultados da sua empresa. Os Resultados, a Inovação, o Conhecimento e a Colaboração são alcançados com o trabalho conjunto da Inteligência, Estratégia, Marketing, Redes de Valor e Tecnologias. Mais informações em

28 REVIE Inteligência: Soluções Inteligência Empresarial Marketing Inteligência Competitiva Estratégico Educação Empresarial Redes de Valor de Negócios

29 Inovação Empresarial Inteligência Empresarial Inteligência Competitiva e Estratégica - Projetos de implementação, expansão e crescimento da área de Inteligência Competitiva Parcerias/ Canais - Mapeamento e Monitoramento - Análises Setoriais - Análises Competidores, Clientes, Cadeia de Valor Clientes - Pesquisa e Segmentação Produtos/ Serviços - Benchmarking - Drivers e Tendências - Mapas Estratégicos - Implementação e acompanhamento das Ações Mercado/ Concorrentes - Estruturação e implementação de Indicadores de Performance e Desempenho (KPIs) - Seleção e aplicabilidade das ferramentas WEB 2.0 e Redes Sociais para Inteligência Empresarial Mais informações em

30 OBRIGADA! DANIELA RAMOS TEIXEIRA linkedin.com.br/in/dteixeira twitter.com/ramos_daniela tels.:

31 tel.: twitter.com/reviebrasil

INTELIGÊNCIA COMPETITIVA NA PRÁTICA PARA TELECOM: como vencer num ambiente co-opetivo. São Paulo

INTELIGÊNCIA COMPETITIVA NA PRÁTICA PARA TELECOM: como vencer num ambiente co-opetivo. São Paulo INTELIGÊNCIA COMPETITIVA NA PRÁTICA PARA TELECOM: como vencer num ambiente co-opetivo São Paulo 01/12/2011 A REVIE Inteligência A REVIE Inteligência Empresarial é uma empresa de consultoria, processos,

Leia mais

Inteligência Organizacional, Inteligência Empresarial, Inteligência Competitiva, Infra-estrutura de BI mas qual é a diferença?

Inteligência Organizacional, Inteligência Empresarial, Inteligência Competitiva, Infra-estrutura de BI mas qual é a diferença? Inteligência Organizacional, Inteligência Empresarial, Inteligência Competitiva, Infra-estrutura de BI mas qual é a diferença? * Daniela Ramos Teixeira A Inteligência vem ganhando seguidores cada vez mais

Leia mais

Workshop de Marketing Estratégico e. Inteligência Competitiva na Prática

Workshop de Marketing Estratégico e. Inteligência Competitiva na Prática Workshop de Marketing Estratégico e Inteligência Competitiva na Prática Outubro 2009 As Inteligências Realidade, Desafios e Cenários Marketing e Vendas Método REVIE Rede de Valor para Inteligência Empresarial

Leia mais

REVIE Rede de Melhores Práticas para MKT e Vendas

REVIE Rede de Melhores Práticas para MKT e Vendas REVIE Rede de Melhores Práticas para MKT e Vendas Este artigo foi publicado originalmente em abril de 2009 por Daniela Ramos Teixeira no portal Meta Análise. Este é o 1º dos artigos da série que Daniela

Leia mais

REVIE a Rede de Valor para Inteligência Empresarial. Este é o 1º dos artigos da série sobre o Método REVIE que foi publicado no portal Meta Análise.

REVIE a Rede de Valor para Inteligência Empresarial. Este é o 1º dos artigos da série sobre o Método REVIE que foi publicado no portal Meta Análise. REVIE a Rede de Valor para Inteligência Empresarial Daniela Ramos Teixeira Este é o 1º dos artigos da série sobre o Método REVIE que foi publicado no portal Meta Análise. Vamos começar apresentando o Método

Leia mais

BALANÇO SINALIZA ANO DIFÍCIL PARA A INDÚSTRIA DO AÇO E PARA O PAÍS

BALANÇO SINALIZA ANO DIFÍCIL PARA A INDÚSTRIA DO AÇO E PARA O PAÍS Aço AÇO BRASIL SETEMBRO I N F O R M A 26ª 26EDIÇÃO SETEMBRO 2014 BALANÇO SINALIZA ANO DIFÍCIL PARA A INDÚSTRIA DO AÇO E PARA O PAÍS Realizado em São Paulo, em 12 e 13 de agosto de 2014, o 25º Congresso

Leia mais

Inteligência Competitiva e os Indicadores de Performance e Desempenho

Inteligência Competitiva e os Indicadores de Performance e Desempenho Inteligência Competitiva e os Indicadores de Performance e Desempenho Daniela Ramos Teixeira Um dos grandes desafios nas organizações é encontrar indicadores de performance e desempenho que ajudem os profissionais

Leia mais

CONSUMO APARENTE DE AÇO NO BRASIL DEVE VOLTAR AO PATAMAR DE

CONSUMO APARENTE DE AÇO NO BRASIL DEVE VOLTAR AO PATAMAR DE Aço AÇO BRASIL ABRIL I N F O R M A 28ª 28EDIÇÃO ABRIL 2015 CONSUMO APARENTE DE AÇO NO BRASIL DEVE VOLTAR AO PATAMAR DE 2007 O consumo aparente de aço no País deve fechar o ano de 2015 com queda de 7,8%

Leia mais

INTENSIVO DE INTELIGÊNCIA COMPETITIVA

INTENSIVO DE INTELIGÊNCIA COMPETITIVA INTENSIVO DE INTELIGÊNCIA COMPETITIVA Inteligência de Mercado Sobre o curso O Programa vai abordar, conceitos, implementação e prática. Hoje, um dos maiores desafios das empresas é o gerenciamento do grande

Leia mais

Workshop de Marketing Estratégico e. Inteligência Competitiva na Prática

Workshop de Marketing Estratégico e. Inteligência Competitiva na Prática Workshop de Marketing Estratégico e Inteligência Competitiva na Prática Pesquisa Inteligência Empresarial, MKT e Vendas Realidade, Desafios e Cenários Marketing e Vendas Parcerias estratégicas no setor

Leia mais

As Faces da Inteligência: como direcionar a sua organização e definir o perfil profissional

As Faces da Inteligência: como direcionar a sua organização e definir o perfil profissional As Faces da Inteligência: como direcionar a sua organização e definir o perfil profissional *Daniela Ramos Teixeira A aplicabilidade da Inteligência não deve se limitar a grandes organizações. É essencial

Leia mais

INTENSIVO DE INTELIGÊNCIA COMPETITIVA

INTENSIVO DE INTELIGÊNCIA COMPETITIVA INTENSIVO DE INTELIGÊNCIA COMPETITIVA Sobre o curso O Programa vai abordar, conceitos, implementação e prática. Hoje, um dos maiores desafios das empresas é o gerenciamento do grande volume de dados e

Leia mais

Pesquisa Nacional Práticas e Resultados da Educação Corporativa 2009

Pesquisa Nacional Práticas e Resultados da Educação Corporativa 2009 Pesquisa Nacional Práticas e Resultados da Educação Corporativa 2009 Apresentação e discussão dos resultados do Setor Financeiro 1º Congresso Latino-Americano de Educação Financeira São Paulo,21 de outubro

Leia mais

Produção de Commodities e Desenvolvimento Econômico O Esforço Empresarial Brasileiro Instituto de Economia UNICAMP 29 de março de 2010

Produção de Commodities e Desenvolvimento Econômico O Esforço Empresarial Brasileiro Instituto de Economia UNICAMP 29 de março de 2010 Produção de Commodities e Desenvolvimento Econômico O Esforço Empresarial Brasileiro Instituto de Economia UNICAMP 29 de março de 2010 A produção de commodities e a transformação econômica do Brasil João

Leia mais

Inteligência de Parceiros e Colaboração nos Negócios: a evolução no setor de Telecomunicações

Inteligência de Parceiros e Colaboração nos Negócios: a evolução no setor de Telecomunicações Inteligência de Parceiros e Colaboração nos Negócios: a evolução no setor de Telecomunicações Daniela Ramos Teixeira Para vencer a guerra diária num cenário co-opetivo (competitivo e cooperativo), as empresas

Leia mais

PRIORIDADES E DESAFIOS PARA POLÍTICAS EM NÍVEL SUB-NACIONAL

PRIORIDADES E DESAFIOS PARA POLÍTICAS EM NÍVEL SUB-NACIONAL Políticas de Inovação para o Crescimento Inclusivo: Tendências, Políticas e Avaliação PRIORIDADES E DESAFIOS PARA POLÍTICAS EM NÍVEL SUB-NACIONAL Rafael Lucchesi Confederação Nacional da Indústria Rio

Leia mais

Instituto Euvaldo Lodi de Santa Catarina IEL/SC

Instituto Euvaldo Lodi de Santa Catarina IEL/SC Instituto Euvaldo Lodi de Santa Catarina IEL/SC Uma estrutura de apoio à Inovação Eliza Coral, Dr. Eng., PMP Outubro, 2010 Diretrizes Organizacionais Missão Contribuir para o desenvolvimento sustentável

Leia mais

As Faces da Inteligência: como direcionar a sua organização e definir o perfil profissional

As Faces da Inteligência: como direcionar a sua organização e definir o perfil profissional As Faces da : como direcionar a sua organização e definir o perfil profissional *Daniela Ramos Teixeira A aplicabilidade da não deve se limitar a grandes organizações. É essencial que cada empresa, seja

Leia mais

Título: Pensando estrategicamente em inovação tecnológica de impacto social Categoria: Projeto Externo Temática: Segundo Setor

Título: Pensando estrategicamente em inovação tecnológica de impacto social Categoria: Projeto Externo Temática: Segundo Setor Título: Pensando estrategicamente em inovação tecnológica de impacto social Categoria: Projeto Externo Temática: Segundo Setor Resumo: A finalidade desse documento é apresentar o projeto de planejamento

Leia mais

O desenvolvimento da indústria fornecedora de bens e serviços para petróleo e gás no Brasil e o BNDES

O desenvolvimento da indústria fornecedora de bens e serviços para petróleo e gás no Brasil e o BNDES Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social O desenvolvimento da indústria fornecedora de bens e serviços para petróleo e gás no Brasil e o BNDES 20.10.2009 Luciano Coutinho Mensagem Inicial Pré-sal:

Leia mais

Internacionalização e Localização de Software AGENDA

Internacionalização e Localização de Software AGENDA Internacionalização e Localização de Software ExpoGestão - 2006 for International Software Business Ernani Ferrari AGENDA Planejando-se a Internacionalização Razões para internacionalizar Abordagens e

Leia mais

Inteligência Competitiva e a. integração com Marketing e Redes Sociais

Inteligência Competitiva e a. integração com Marketing e Redes Sociais Inteligência Competitiva e a integração com Marketing e Redes Sociais Daniela Ramos Teixeira No artigo anterior*, mostramos que a integração da Inteligência Competitiva com a área de Vendas começa a ganhar

Leia mais

SINOPSE DE CLIPPING SEMANAL SINDISIDER

SINOPSE DE CLIPPING SEMANAL SINDISIDER SINOPSE DE CLIPPING SEMANAL SINDISIDER 4ª SEMANA DE MARÇO A entrevista do presidente Carlos Loureiro para a Reuters sobre a reunião no MDIC continua recebendo destaque da mídia. Reproduções da reportagem

Leia mais

Revista Inteligência Competitiva Daniela Ramos Teixeira

Revista Inteligência Competitiva Daniela Ramos Teixeira 239 RELATO DE PESQUISA TECNOLOGIAS APLICADAS À INTELIGÊNCIA EMPRESARIAL E INTELIGÊNCIA COMPETITIVA E O BRASIL? 1 INTRODUÇÃO Esse artigo mostra uma pequena amostra das nossas conclusões sobre a evolução

Leia mais

Soluções em Tecnologia da Informação

Soluções em Tecnologia da Informação Soluções em Tecnologia da Informação Curitiba Paraná Salvador Bahia A DTS Sistemas é uma empresa familiar de Tecnologia da Informação, fundada em 1995, especializada no desenvolvimento de soluções empresariais.

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Internacionalização da Arquitetura Brasileira

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Internacionalização da Arquitetura Brasileira PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Internacionalização da Arquitetura Brasileira PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO SETORIAL PARA INTERNACIONALIZAÇÃO DA ARQUITETURA BRASILEIRA AMBIENTE EXTERNO WORKSHOP APRESENTAÇÃO PES AMBIENTE

Leia mais

PARTE III Introdução à Consultoria Empresarial

PARTE III Introdução à Consultoria Empresarial FATERN Faculdade de Excelência Educacional do RN Coordenação Tecnológica de Redes e Sistemas Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores Técnicas de Consultoria Prof. Fabio Costa Ferrer, M.Sc.

Leia mais

A costa da África pode ser um foco da indústria no futuro próximo;

A costa da África pode ser um foco da indústria no futuro próximo; Fleury Pissaia * Entre 2011 e 2015, investimento previsto no setor industrial é de R$ 600 bilhões. Desse montante, indústria do petróleo representa 62%. No mesmo período, R$ 750 bilhões serão alocados

Leia mais

O País que Queremos Ser Os fatores de competitividade e o Plano Brasil Maior

O País que Queremos Ser Os fatores de competitividade e o Plano Brasil Maior O País que Queremos Ser Os fatores de competitividade e o Plano Brasil Maior Alessandro Golombiewski Teixeira Secretário-Executivo São Paulo, agosto de 2012 Introdução 1 Contexto Econômico Internacional;

Leia mais

Gestão Estratégica de Marketing

Gestão Estratégica de Marketing Gestão Estratégica de Marketing A Evolução do seu Marketing Slide 1 O Marketing como Vantagem Competitiva Atualmente, uma das principais dificuldades das empresas é construir vantagens competitivas sustentáveis;

Leia mais

Siderurgia Ambiente Internacional de Negócios 50 Seminário de Laminação ABM

Siderurgia Ambiente Internacional de Negócios 50 Seminário de Laminação ABM Siderurgia Ambiente Internacional de Negócios 50 Seminário de Laminação ABM O FUTURO DA SIDERURGIA Manoel Vitor de Mendonça Filho Vice-Presidente da Operação de Negócios Gerdau Brasil Novembro 2013 Sumário

Leia mais

INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE. Palestra para o Conselho Regional de Administração

INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE. Palestra para o Conselho Regional de Administração INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE Palestra para o Conselho Regional de Administração 1 O QUE É O SEBRAE? 2 O Sebrae O Serviço de Apoio às Micros e Pequenas Empresas da Bahia

Leia mais

SOLUÇÕES PARA A COMUNICAÇÃO B2B NA INDÚSTRIA AUTOMOBILÍSTICA

SOLUÇÕES PARA A COMUNICAÇÃO B2B NA INDÚSTRIA AUTOMOBILÍSTICA SOLUÇÕES PARA A COMUNICAÇÃO B2B NA INDÚSTRIA AUTOMOBILÍSTICA Automotive Business oferece respostas para estimular a comunicação B2B na indústria automobilística e segmentos relacionados. Os produtos editoriais,

Leia mais

Rio de Janeiro São Paulo Belo Horizonte Brasília Fortaleza

Rio de Janeiro São Paulo Belo Horizonte Brasília Fortaleza Rio de Janeiro São Paulo Belo Horizonte Brasília Fortaleza Rio de Janeiro São Paulo Belo Horizonte Brasília Fortaleza EVOLUÇÃO NO MODELO DE GESTÃO ATRAVÉS DA VISÃO POR PROCESSOS NA COMPANHIA SIDERÚRGICA

Leia mais

Utilizando a Inteligência Competitiva para Tomar Decisões

Utilizando a Inteligência Competitiva para Tomar Decisões Utilizando a Inteligência Competitiva para Tomar Decisões São Paulo, 9 de outubro de 2006. 0 Apresentação da MKM Consulting 1 Mauro Martins Sócio Diretor da MKM Consulting MKM Consulting Mauro Martins

Leia mais

Metodologia. Pesquisa Quantitativa Coleta de dados: Público Alvo: Amostra: 500 entrevistas realizadas. Campo: 16 a 29 de Setembro de 2010

Metodologia. Pesquisa Quantitativa Coleta de dados: Público Alvo: Amostra: 500 entrevistas realizadas. Campo: 16 a 29 de Setembro de 2010 Metodologia Pesquisa Quantitativa Coleta de dados: Através de e-survey - via web Público Alvo: Executivos de empresas associadas e não associadas à AMCHAM Amostra: 500 entrevistas realizadas Campo: 16

Leia mais

Projeto de Apoio a Inserção Internacional de. São João Batista (SC) DEZEMBRO - 2009

Projeto de Apoio a Inserção Internacional de. São João Batista (SC) DEZEMBRO - 2009 Projeto de Apoio a Inserção Internacional de MPE s Brasileiras Calçadistas do APL de São João Batista (SC) DEZEMBRO - 2009 Identificar OBJETIVOS DA AÇÃO e solucionar gargalos na gestão das empresas, principalmente

Leia mais

ANEXO 1: Formato Recomendado de Planos de Negócios - Deve ter entre 30 e 50 páginas

ANEXO 1: Formato Recomendado de Planos de Negócios - Deve ter entre 30 e 50 páginas ANEXO 1: Formato Recomendado de Planos de Negócios - Deve ter entre 30 e 50 páginas 1) Resumo Executivo Descrição dos negócios e da empresa Qual é a ideia de negócio e como a empresa se chamará? Segmento

Leia mais

ABDI A 2004 11.080) O

ABDI A 2004 11.080) O Atualizada em 28 de julho de 2010 Atualizado em 28 de julho de 2010 1 ABDI ABDI A Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial foi instituída em dezembro de 2004 com a missão de promover a execução

Leia mais

PAEX Parceiros para a Excelência

PAEX Parceiros para a Excelência PAEX Parceiros para a Excelência Estabelecer parcerias por melhores resultados: uma prática comum na natureza e nas empresas que querem se desenvolver. CONHECA A FDC Alianças Internacionais: Uma Escola

Leia mais

AÇÃO ANTIDUMPING NOS EUA VISA AÇO BRASILEIRO

AÇÃO ANTIDUMPING NOS EUA VISA AÇO BRASILEIRO Página 1 de 7 tualizado às 06:08, 3-08-2015 Pesquisar... h cib ENTRR Destaques Notícias Geral ÇÃO NTIDUMPING NOS EU VIS ÇO BRSILEIRO 03-08-2015 02:08 Escrito por CLIPPING Publicado em Geral 0 Tweetar 0

Leia mais

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey Executivos em todos os níveis consideram que a sustentabilidade tem um papel comercial importante. Porém, quando se trata

Leia mais

Agregando valor ao seu resultado!

Agregando valor ao seu resultado! Agregando valor ao seu resultado! Porto Alegre - Avenida Protásio Alves, 3332, Sala 303 Tel: +55 51 3023 4200 São Leopoldo: Rua Bento Gonçalves, 806, Sala 203, Centro A empresa A empresa foi fundada em

Leia mais

Plano BrasilMaior 2011/2014

Plano BrasilMaior 2011/2014 Plano BrasilMaior 2011/2014 Inovar para competir. Competir para crescer. Agenda de Ações para a Competitividade dos Pequenos Negócios Dimensões do Plano Brasil Maior -Quadro Síntese Dimensão Estruturante:

Leia mais

VII ENCAD - Seminário de Relações Trabalhistas

VII ENCAD - Seminário de Relações Trabalhistas VII ENCAD - Seminário de Relações Trabalhistas Painel Organizações e Inteligência competitiva: a ampliação de oportunidades no cenário global Tema "Inteligência competitiva: sua contribuição para a prospecção

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu em COMUNICAÇÃO, MERCADOS E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu em COMUNICAÇÃO, MERCADOS E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu em COMUNICAÇÃO, MERCADOS E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Inscrições Abertas: Início das aulas: 28/03/2016 Término das aulas: 10/12/2016 Dias e horários das aulas:

Leia mais

Unidade de Projetos. Grupo Temático de Comunicação e Imagem. Termo de Referência para desenvolvimento da gestão de Marcas Setoriais.

Unidade de Projetos. Grupo Temático de Comunicação e Imagem. Termo de Referência para desenvolvimento da gestão de Marcas Setoriais. Unidade de Projetos de Termo de Referência para desenvolvimento da gestão de Marcas Setoriais Branding Agosto de 2009 Elaborado em: 3/8/2009 Elaborado por: Apex-Brasil Versão: 09 Pág: 1 / 8 LÍDER DO GRUPO

Leia mais

Outubro 2009. Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini

Outubro 2009. Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini Outubro 2009 Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini Sustentabilidade Articulação Ampliação dos limites Sistematização Elementos do Novo Modelo Incubação

Leia mais

Programa de Inovação BE INVENTIVE

Programa de Inovação BE INVENTIVE Programa de Inovação BE INVENTIVE Por que é preciso inovar? A inovação é um dos principais fatores que diferenciam uma empresa no mercado. Empresas inovadoras são reconhecidas como mais dinâmicas e rentáveis:

Leia mais

Interact Solutions Apresentação do SA-Performance Manager. Por: Anderson Pereira Diretor de Negócios Unidade Excellence

Interact Solutions Apresentação do SA-Performance Manager. Por: Anderson Pereira Diretor de Negócios Unidade Excellence Interact Solutions Apresentação do SA-Performance Manager Por: Anderson Pereira Diretor de Negócios Unidade Excellence Interact Group Fundação: agosto / 1999 80 Colaboradores diretos 85 Colaboradores nas

Leia mais

COMERCIAL/ MARKETING

COMERCIAL/ MARKETING COMERCIAL/ MARKETING Os investimentos específicos na sua área em 2012 vs? (%) - RU Vão crescer 42 54 Média: + 4,06% Permanecer estáveis 45 5 Terão redução 1 5 2010 (%) - RU A principal estratégia comercial/

Leia mais

SINCOR-SP 2015 JUNHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2015 JUNHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS JUNHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 Sumário Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita

Leia mais

"CRM para Inteligência de Mercado

CRM para Inteligência de Mercado "CRM para Inteligência de Mercado Patricia Rozenbojm patricia@consumer-voice.com.br CONSUMER Agenda A Empresa Conceitos CRM como ferramenta para Inteligência de Mercado Benefícios Melhores Práticas A Empresa

Leia mais

Economia Móvel América Latina 2013 Sumário Executivo

Economia Móvel América Latina 2013 Sumário Executivo Economia Móvel América Latina 2013 Sumário Executivo Economia Móvel América Latina 2013 A GSMA representa os interesses da indústria mundial de comunicações móveis. Presente em mais de 220 países, a GSMA

Leia mais

Muito mais que um troféu

Muito mais que um troféu São Paulo, 08 de Julho de 2009. Circular ABISIPA Nº 28/2009 Muito mais que um troféu O Brazilian Beauty Club vai premiar o melhor planejamento estratégico de exportação com a participação em um Simpósio

Leia mais

PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO EXCELÊNCIA EM VENDAS

PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO EXCELÊNCIA EM VENDAS Apresentação Atenta aos movimentos do mercado e ao cenário competitivo vivenciado pelas empresas e profissionais, a ADVB/RS atua na área de educação corporativa e oferece conhecimentos alinhado às principais

Leia mais

21 a 23. novembro 2012. 13h00 20h30 São Paulo - Brasil www.itechfair.com.br

21 a 23. novembro 2012. 13h00 20h30 São Paulo - Brasil www.itechfair.com.br 21 a 23 novembro 2012 13h00 20h30 São Paulo - Brasil www.itechfair.com.br O Grupo Cipa Fiera Milano O Grupo A organização da itech - Feira Internacional de Tecnologia da Informação, é do Grupo Cipa Fiera

Leia mais

Estratégias Competitivas TE 4221. Orientações para desenvolvimento da disciplina no Período: Segundo Semestre de 2009

Estratégias Competitivas TE 4221. Orientações para desenvolvimento da disciplina no Período: Segundo Semestre de 2009 Estratégias Competitivas TE 4221 Orientações para desenvolvimento da disciplina no Período: Segundo Semestre de 2009 Planejamento Estratégico Prof. Nei Muchuelo Currículo do Professor Nei Muchuelo Pós

Leia mais

Fase I - Contexto e Pesquisa - Alinhamento dos conceitos de Branding, análise do contexto atual e introdução ao Design Thinking.

Fase I - Contexto e Pesquisa - Alinhamento dos conceitos de Branding, análise do contexto atual e introdução ao Design Thinking. Os programas de Pós-Graduação oferecidos pela Faculdade de Tecnologia do Istituto Europeo di Design estão em conformidade legal e atendem as Resoluções CNE/CES nº 1, de 3 de abril de 2001 e nº 1, de 8

Leia mais

Plano Brasil Maior e as Micro e Pequenas Empresas Agenda de Ações para Competitividade dos Pequenos Negócios. Curitiba, 20 de novembro de 2012

Plano Brasil Maior e as Micro e Pequenas Empresas Agenda de Ações para Competitividade dos Pequenos Negócios. Curitiba, 20 de novembro de 2012 Plano Brasil Maior e as Micro e Pequenas Empresas Agenda de Ações para Competitividade dos Pequenos Negócios Curitiba, 20 de novembro de 2012 PBM: Dimensões Dimensão Estruturante: diretrizes setoriais

Leia mais

Manual do Sistema de Gestão Ambiental - Instant Solutions. Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa

Manual do Sistema de Gestão Ambiental - Instant Solutions. Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa Data da Criação: 09/11/2012 Dara de revisão: 18/12/2012 1 - Sumário - 1. A Instant Solutions... 3 1.1. Perfil da empresa... 3 1.2. Responsabilidade ambiental...

Leia mais

Perspectivas, Desafios e Qualidade

Perspectivas, Desafios e Qualidade Perspectivas, Desafios e Qualidade 11. Encontro das Montadoras para a Qualidade Paulo Butori Presidente do Sindipeças e da Abipeças Sistemistas Tier 2 Tier 3 São Paulo, fevereiro novembro de de 2014 Agenda

Leia mais

Siderurgia no Brasil

Siderurgia no Brasil www.pwc.com.br Siderurgia no Brasil Um panorama do setor siderúrgico brasileiro SICETEL Sindicato Nacional da Indústria de Trefilação e Laminação de Metais Ferrosos IABR Instituto Aço Brasil 1 Setor de

Leia mais

PROJETO IND P&G 6.1 PROMINP. Workshop Desenvolvimento da Cadeia de Fornecedores SP 25/outubro/2011

PROJETO IND P&G 6.1 PROMINP. Workshop Desenvolvimento da Cadeia de Fornecedores SP 25/outubro/2011 PROJETO IND P&G 6.1 PROMINP Workshop Desenvolvimento da Cadeia de Fornecedores SP 25/outubro/2011 AGENDA 1 O SETOR DE PETRÓLEO E GÁS 2 O CONVÊNIO PETROBRAS-SEBRAE 3 GESTÃO E RESULTADOS DOS PROJETOS CENÁRIO

Leia mais

Sustentabilidade nas instituições financeiras Os novos horizontes da responsabilidade socioambiental

Sustentabilidade nas instituições financeiras Os novos horizontes da responsabilidade socioambiental Sustentabilidade nas instituições financeiras Os novos horizontes da responsabilidade socioambiental O momento certo para incorporar as mudanças A resolução 4.327 do Banco Central dispõe que as instituições

Leia mais

Definições Estratégicas

Definições Estratégicas Definições Estratégicas Comunicação 2012 Neste documento estão descritas todas as definições estratégicas para a área de comunicação da Agriness em 2012. Autores: Guilherme Antoniolli Ramos Cristina Bittencourt

Leia mais

Nome: Login: CA: Cidade: UF CARTÃO RESPOSTA QUESTÃO RESPOSTA QUESTÃO RESPOSTA

Nome: Login: CA: Cidade: UF CARTÃO RESPOSTA QUESTÃO RESPOSTA QUESTÃO RESPOSTA ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS TURMA 2008 3º PERÍODO - 6º MÓDULO AVALIAÇÃO A4 DATA 16/07/2009 SISTEMAS EMPRESARIAIS Dados de identificação do Acadêmico: Nome: Login: CA: Cidade: UF CARTÃO RESPOSTA

Leia mais

13/02/2012. Alysson Andrade Amorim

13/02/2012. Alysson Andrade Amorim Importância de um Sistema de Gestão da Inovação em uma instituição de educação 13/02/2012 Alysson Andrade Amorim ROTEIRO Unidade de Inovação e Tecnologia - UNITEC Cenário de inovação tecnológica no Brasil;

Leia mais

GESTÃO DE PROJETOS PARA A INOVAÇÃO

GESTÃO DE PROJETOS PARA A INOVAÇÃO GESTÃO DE PROJETOS PARA A INOVAÇÃO Indicadores e Diagnóstico para a Inovação Primeiro passo para implantar um sistema de gestão nas empresas é fazer um diagnóstico da organização; Diagnóstico mapa n-dimensional

Leia mais

Máquinas e Equipamentos de Qualidade

Máquinas e Equipamentos de Qualidade Máquinas e Equipamentos de Qualidade 83 A indústria brasileira de máquinas e equipamentos caracteriza-se pelo constante investimento no desenvolvimento tecnológico. A capacidade competitiva e o faturamento

Leia mais

Mídias sociais nas empresas O relacionamento online com o mercado

Mídias sociais nas empresas O relacionamento online com o mercado Mídias sociais nas empresas O relacionamento online com o mercado Maio de 2010 Conteúdo Introdução...4 Principais conclusões...5 Dados adicionais da pesquisa...14 Nossas ofertas de serviços em mídias sociais...21

Leia mais

Plano Brasil Maior 2011/2014. Inovar para competir. Competir para crescer.

Plano Brasil Maior 2011/2014. Inovar para competir. Competir para crescer. Plano Brasil Maior 2011/2014 Inovar para competir. Competir para crescer. Foco e Prioridades Contexto Dimensões do Plano Brasil Maior Estrutura de Governança Principais Medidas Objetivos Estratégicos e

Leia mais

Pesquisa de Marketing

Pesquisa de Marketing Pesquisa de Marketing A Evolução do seu Marketing Slide 1 Pesquisa de Marketing no SMG Obrigado por seu interesse na área de Pesquisa de Marketing do SMG! Este material detalha a abordagem que o SMG utiliza

Leia mais

PROJETO EXPORTAR BRASIL

PROJETO EXPORTAR BRASIL CNPJ: 10692.348/0001-40 PROJETO EXPORTAR BRASIL Apresentação da GS Educacional A GS Educacional faz parte de um grupo que trabalha há vários anos com cursos e serviços na área de comércio exterior e vem

Leia mais

Modelos, Métodos e Técnicas de Planejamento

Modelos, Métodos e Técnicas de Planejamento UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA Faculdade de Filosofia e Ciências Câmpus de Marília Departamento de Ciência da Informação Modelos, Métodos e Técnicas de Planejamento Profa. Marta Valentim Marília 2014 Modelos,

Leia mais

PPG - Programa de Profissionalização da Gestão. Pequenas e Médias Empresas

PPG - Programa de Profissionalização da Gestão. Pequenas e Médias Empresas PPG - Programa de Profissionalização da Gestão Pequenas e Médias Empresas 2010 Comunidade de interesse em Gestão Empresarial + Convidados Discutir novas idéias e estimular o uso de conceitos e práticas

Leia mais

IV. Visão Geral do Mapa Estratégico da Indústria Capixaba 2008/2015

IV. Visão Geral do Mapa Estratégico da Indústria Capixaba 2008/2015 IV. Visão Geral do Mapa Estratégico da Indústria Capixaba 2008/2015 Quem disse que nada é impossível? Tem gente que faz isso todos os dias!. Alfred E. Newman O Mapa Estratégico da Indústria Capixaba 2008/2015

Leia mais

Unidade II GESTÃO DO CONHECIMENTO. Profa. Leonor Cordeiro Brandão

Unidade II GESTÃO DO CONHECIMENTO. Profa. Leonor Cordeiro Brandão Unidade II GESTÃO DO CONHECIMENTO Profa. Leonor Cordeiro Brandão Relembrando Vimos alguns conceitos importantes: O que são dados; O que é informação; Quando uma informação se transforma em conhecimento;

Leia mais

Solução CA Technologies Garante Entrega de Novo Serviço de Notícias do Jornal Valor Econômico

Solução CA Technologies Garante Entrega de Novo Serviço de Notícias do Jornal Valor Econômico CUSTOMER SUCCESS STORY Abril 2014 Solução CA Technologies Garante Entrega de Novo Serviço de Notícias do Jornal Valor Econômico PERFIL DO CLIENTE Indústria: Mídia Companhia: Valor Econômico Funcionários:

Leia mais

RISCOS E OPORTUNIDADES PARA A INDÚSTRIA DE BENS DE CONSUMO. Junho de 2012

RISCOS E OPORTUNIDADES PARA A INDÚSTRIA DE BENS DE CONSUMO. Junho de 2012 RISCOS E OPORTUNIDADES PARA A INDÚSTRIA DE BENS DE CONSUMO Junho de 2012 Riscos e oportunidades para a indústria de bens de consumo A evolução dos últimos anos, do: Saldo da balança comercial da indústria

Leia mais

OS DESAFIOS DA COMUNICAÇÃO E DO MARKETING NA NOVA ECONOMIA

OS DESAFIOS DA COMUNICAÇÃO E DO MARKETING NA NOVA ECONOMIA OS DESAFIOS DA COMUNICAÇÃO E DO MARKETING NA NOVA ECONOMIA Agenda do Futuro Iniciativa do Grupo TV1 criada em 2008 para gerar conhecimento e incentivar a reflexão sobre as mudanças em curso na Comunicação

Leia mais

AGENDA. 5ª Edição. Hotel Staybridge. Realização:

AGENDA. 5ª Edição. Hotel Staybridge. Realização: AGENDA 5ª Edição D? 06 de Maio de 2015 Hotel Staybridge Realização: w w w.c o r p b us i n e s s.c o m.b r Patrocínio Gold Patrocínio Bronze Apoio Realização: APRESENTAÇÃO C GESTÃO DE PESSOAS: DESAFIOS

Leia mais

GERENCIAMENTO DE SERVIÇOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DESAFIOS E TENDÊNCIAS NO BRASIL

GERENCIAMENTO DE SERVIÇOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DESAFIOS E TENDÊNCIAS NO BRASIL GERENCIAMENTO DE SERVIÇOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DESAFIOS E TENDÊNCIAS NO BRASIL Centro de Tecnologia da Informação Aplicada -GVcia Programa de Excelência em Negócios na Era Digital FGV/EAESP www.fgvsp.br/cia/ned

Leia mais

A POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO DO GOVERNO FEDERAL E A MACROMETA DE

A POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO DO GOVERNO FEDERAL E A MACROMETA DE A POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO DO GOVERNO FEDERAL E A MACROMETA DE AUMENTAR O INVESTIMENTO PRIVADO EM P&D ------------------------------------------------------- 3 1. O QUE É A PDP? ----------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

PROGRAMA DE SUSTENTABILIDADE

PROGRAMA DE SUSTENTABILIDADE PROGRAMA DE SUSTENTABILIDADE CONTEXTO DO PROGRAMA O Texbrasil, Programa de Internacionalização da Indústria da Moda Brasileira, foi criado em 2000 pela Abit (Associação Brasileira da Indústria Têxtil e

Leia mais

No que diz respeito à siderurgia em nível mundial, podemos destacar como principais pontos:

No que diz respeito à siderurgia em nível mundial, podemos destacar como principais pontos: Setor Siderúrgico 1 O setor siderúrgico brasileiro passou por profundas transformações na década de 90, tendo como principal elemento de mudança o processo de privatização do setor, que desencadeou, num

Leia mais

ArcelorMittal Brasil: Preparando o cenário para Transformação de Negócios com uma Força de Vendas Integrada

ArcelorMittal Brasil: Preparando o cenário para Transformação de Negócios com uma Força de Vendas Integrada SAP Business Transformation Study Produtos de Usina ArcelorMittal Brasil ArcelorMittal Brasil: Preparando o cenário para Transformação de Negócios com uma Força de Vendas Integrada A ArcelorMittal Brasil

Leia mais

Índice. 03 A Empresa. 04 Missão Visão Valores 05 Nossos Eventos 23 Corpbusiness - Patrocínio 24 Divulgação 25 Expediente

Índice. 03 A Empresa. 04 Missão Visão Valores 05 Nossos Eventos 23 Corpbusiness - Patrocínio 24 Divulgação 25 Expediente MÍDIA KIT 2014 Índice 03 A Empresa 04 Missão Visão Valores 05 Nossos Eventos 23 Corpbusiness - Patrocínio 24 Divulgação 25 Expediente A empresa Fundada em 2007, a empresa possui uma grade anual com diversos

Leia mais

O MELHOR DA CONSTRUÇÃO EM UM SÓ LUGAR. 01 a 04 de OUTUBRO RIOCENTRO. www.feiraconstruir.com.br/rio

O MELHOR DA CONSTRUÇÃO EM UM SÓ LUGAR. 01 a 04 de OUTUBRO RIOCENTRO. www.feiraconstruir.com.br/rio O MELHOR DA CONSTRUÇÃO EM UM SÓ LUGAR RIOCENTRO 01 a 04 de OUTUBRO www.feiraconstruir.com.br/rio UM RIO EM PLENO VAPOR Grandes projetos e investimentos desenvolvendo nosso estado PRINCIPAIS EIXOS DE CRESCIMENTO

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS CURSO TECNOLOGIA EM GESTÃO COMERCIAL Série do Curso: 4ª SÉRIE Nome da Disciplina: PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO A atividade prática supervisionada (ATPS) é um método de ensinoaprendizagem

Leia mais

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Justificativa: As transformações ocorridas nos últimos anos têm obrigado as organizações a se modificarem constantemente e de forma

Leia mais

Página 1 de 19 Data 04/03/2014 Hora 09:11:49 Modelo Cerne 1.1 Sensibilização e Prospecção Envolve a manutenção de um processo sistematizado e contínuo para a sensibilização da comunidade quanto ao empreendedorismo

Leia mais

Otimismo desenvolvedoras de softwares

Otimismo desenvolvedoras de softwares Otimismo nas nuvens Ambiente favorável alavanca negócios das empresas desenvolvedoras de softwares, que investem em soluções criativas de mobilidade e computação em nuvem para agilizar e agregar flexibilidade

Leia mais

DIFERENTES INTERPRETAÇÕES DO CONCEITO DE SUPPLY CHAIN MANAGEMENT

DIFERENTES INTERPRETAÇÕES DO CONCEITO DE SUPPLY CHAIN MANAGEMENT Artigo para a Revista Global Fevereiro de 2007 DIFERENTES INTERPRETAÇÕES DO CONCEITO DE SUPPLY CHAIN MANAGEMENT O conceito de Supply Chain Management (SCM), denominado Administração da Cadeia de Abastecimento

Leia mais

Pós-Graduação em Gestão de Negócios e Marketing do Vinho ESPM

Pós-Graduação em Gestão de Negócios e Marketing do Vinho ESPM Pós-Graduação em Gestão de Negócios e Marketing do Vinho ESPM Apoio institucional Agosto/2014 Pós-Graduação em Gestão de Negócios e Marketing do Vinho ESPM Desenvolver o pensamento estratégico e visão

Leia mais

CURSO: CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO COMERCIAL. Missão

CURSO: CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO COMERCIAL. Missão CURSO: CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO COMERCIAL Missão Formar profissionais de visão crítica e com conhecimentos e habilidades relativas às atividades comerciais, dotados de base para a atualização

Leia mais

A importância das exportações de serviços e da internacionalização das empresas brasileiras

A importância das exportações de serviços e da internacionalização das empresas brasileiras A importância das exportações de serviços e da internacionalização das empresas brasileiras Guido Mantega Presidente - BNDES 25 o ENAEX- Novembro/2005 www.bndes.gov.br 1 Inserção do Brasil na Globalização

Leia mais

Uma plataforma inovadora que agrega. valor às análises econômicas e ao acesso a dados públicos

Uma plataforma inovadora que agrega. valor às análises econômicas e ao acesso a dados públicos Uma plataforma inovadora que agrega valor às análises econômicas e ao acesso a dados públicos Projeto surge de relações estabelecidas pelo Governo de Minas e o MIT Media Lab Interação entre Minas Gerais

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA. MEMÓRIA: Reunião Preparatória do Comitê Temático de Inovação e Crédito GT Rede de Disseminação, Informação e Capacitação

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA. MEMÓRIA: Reunião Preparatória do Comitê Temático de Inovação e Crédito GT Rede de Disseminação, Informação e Capacitação PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Secretaria da Micro e Pequena Empresa Fórum Permanente de Microempresas e Empresas de Pequeno Porte MEMÓRIA: Reunião Preparatória do Comitê Temático de Inovação e Crédito GT Rede

Leia mais

As informações foram coletadas por meio de uma pesquisa aplicada aos profissionais que estiveram presentes no 6º Fórum de Gestão Fiscal e Sped.

As informações foram coletadas por meio de uma pesquisa aplicada aos profissionais que estiveram presentes no 6º Fórum de Gestão Fiscal e Sped. Panorama da área fiscal e tributária A área fiscal no Brasil recebe constantemente mudanças e atualizações ligadas aos processos de fiscalização, tributação, contribuição, regulamentação entre outros.

Leia mais