Fundamentos de Fonética. Professor: Seung Hwa Lee[s h a (l)i] 이승화 ( 李承和 ) Contato:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Fundamentos de Fonética. Professor: Seung Hwa Lee[s h a (l)i] 이승화 ( 李承和 ) Contato:"

Transcrição

1 Fundamentos de Fonética Professor: Seung Hwa Lee[s h a (l)i] 이승화 ( 李承和 ) Contato:

2 Objetivo do Curso introduzir aspectos básicos da fonética articulatória Introduzir análise acústica: aspectos segmentais e supra-segmentais. Introduzir aspectos básicos da fonêmica 2

3 Programa - Parte I Fonética Articulatória: Sons Consonantais I Fonética Articulatória: Sons Consonantais II Fonética Articulatória: Sons Vogais I Fonética Articulatória: Sons Vogais II Treino de Classificação de Sons I (Transcrição Fonética) Treino de Classificação de Sons II (Transcrição Fonética) análise acústica: aspectos segmentais e suprasegmentais 3

4 Programa Parte II Fonêmica (Consoante I) Fonêmica (Vogal) Transcrição Fonêmica I Estrutura Silábica e Acento do português do Brasil 4

5 Avaliação 01 provas (40 pontos total) 06 Exercícios (60 pontos) Participação nas atividades (2 pontos) 5

6 Textos Básicos CÂMARA, Jr. J. M. Estrutura da Língua Portuguesa. Petrópolis:Vozes Análise Fonológica: Introdução a Teoria e a Prática com Especial Destaque para o Modelo Fonêmico. Edição do autor. Campinas.1997 Cristófaro Silva, T. Fonética e Fonologia do Português. Roteiro de Estudos e guias de Exercícios. São Paulo:Contexto Fiorin, Jose Luiz (Org.) Introdução a Linguística. São Paulo: Contexto, Mussalim, F & A. C. Bentes (org.) Introdução a Linguística. São Paulo:Cortez OBS) As referências complementares serão dadas ao longo do curso. 6

7 Tópicos de Hoje O que é o conhecimento linguístico? O que é Linguística? As propriedades da linguagem natural 7

8 8

9 9

10 10

11 Limites de conhecimento Problema de Indução/Generalização Sabemos fenômenos pela experiencia O sol nasce no leste e se põe no oeste Mas não garante que amanhã será igual Veja o polo norte/sul Não há direção so há sul 11

12 As Propriedades de Linguagens Naturais Dualidade: Som e significado Fome, Perigo: Não há distinção entre som e significado (animal) Os sons distintos podem ter mesmo significado e os sons parecidos/iguais podem ter significados diferentes (Ser Humano) Criatividade, Produtividade, Desdobramento Animal: Imagine situação dos animais que vivem no jardim zoológico: Eles criam palavras novas? Homem: Números de palavras são limitados, no entanto pode-se criar as frases ilimitadamente Neologismo: Vídeo 12

13 As Propriedades de Linguagens Naturais Arbitrariedade: onomatopéia Glare, gleam, glitter, gloss, glisten, glimmer, glint Clarão, vislumbre, resplendor, lustro, brilho, vislumbre, reflete => gl- : luz No entanto, glass, glide, glove, glottis, glutton, gloomy, glum copo, deslizamento, luva, glote, comilão, escuro, mal-humorado Intercomunicabilidade: falante <-> ouvinte Pavão: Macho abre pena para se comunicar com a fêmea Só os galos cantam, enquanto as galihas não 13

14 As Propriedades de Linguagens Naturais Deslocamento Humano: a linguagem descreve agora, passado, futuro, até mentira Animal: a linguagem descreve presente e situação do momento. Bertrand Russel: No matter how eloquently a dog may vary, he cannot tell you that his parents were poor but honest. Não importa como eloqüentemente um cachorro pode variar, ele não lhe pode falar que os pais dele eram pobres mas honestos. 14

15 As Propriedades de Linguagens Naturais Transmissão Cultural Transmissão da linguagem é cultural, não genética. As crianças brasileiras falam o português não pelos fatos de que são filhos de brasileiro e os pais delas falam o português sim pelo fato de viverem na cultura da língua portuguesa Animal: a comunicação de animal é genética 15

16 As Propriedades de Linguagens Naturais Não-continuidade: as unidades fonéticas podem ser categorizadas em categorias distintas, embora um falante pronuncie um som intermediário. Por exemplo, [p] vs. [b] Dualidade de padrão: as partes discretas (unidades menores) são usadas para criar uma nova forma de maneira sistemática fonema, morfema, etc. Feedback Total: O falante ouve sua própria fala e monitora seu desempenho linguístico. O sinal de transito quando a lâmpada vermelha esta queimada, ela não sabe que se quemou. Canal Vocal-Auditório => Fator Genético: FoxP2 - Mutação Genética anos atras (Homo Sapiens) 16

17 Linguística Propriedades Universais Padrões Variação dos Padrões Marcação (Markedness)

18 Hauser, M., Chomsky, N., & Fitch, W. T. (2002). The language faculty: What is it, who has it, and how did it evolve? Science, 298,

Introdução aos Estudos Linguísticos I. Professor: Seung Hwa Lee[s h a li] 이승화 ( 李承和 ) Contato:

Introdução aos Estudos Linguísticos I. Professor: Seung Hwa Lee[s h a li] 이승화 ( 李承和 ) Contato: Introdução aos Estudos Linguísticos I Professor: Seung Hwa Lee[s h a li] 이승화 ( 李承和 ) Contato: shlee@letras.ufmg.br Objetivo do Curso Apresentar os pressupostos básicos da linguística introduzir aspectos

Leia mais

Introdução à Fonologia: Traços Distintivos e Redundância

Introdução à Fonologia: Traços Distintivos e Redundância Introdução à Fonologia: Traços Distintivos e Redundância Seung Hwa Lee Fundamentos de Fonologia e Morfologia Fonologia Gerativa Morris Halle and Noam Chomsky começaram os estudos da fonologia nos anos

Leia mais

Objetivo, programa e cronograma da disciplina: Fonética e Fonologia do Português FLC0275

Objetivo, programa e cronograma da disciplina: Fonética e Fonologia do Português FLC0275 Objetivo, programa e cronograma da disciplina: Fonética e Fonologia do Português FLC0275-1 o. Semestre de 2018 1. Objetivo: Apresentar aos alunos os aspectos fundamentais da fonologia da língua portuguesa,

Leia mais

Objetivo, programa e cronograma da disciplina: Fonética e Fonologia do Português FLC0275

Objetivo, programa e cronograma da disciplina: Fonética e Fonologia do Português FLC0275 Objetivo, programa e cronograma da disciplina: - 1 o. Semestre de 2019 1. Objetivo: Apresentar aos alunos os aspectos fundamentais da fonologia da língua portuguesa, de um ponto de vista histórico e descritivo.

Leia mais

Fonêmica. CRISTÓFARO SILVA, Thaïs. Fonética e fonologia do português: roteiro de estudos e guia de exercícios. 9. ed. São Paulo: Contexto, 2009.

Fonêmica. CRISTÓFARO SILVA, Thaïs. Fonética e fonologia do português: roteiro de estudos e guia de exercícios. 9. ed. São Paulo: Contexto, 2009. Fonêmica CRISTÓFARO SILVA, Thaïs. Fonética e fonologia do português: roteiro de estudos e guia de exercícios. 9. ed. São Paulo: Contexto, 2009. Prof. Cecília Toledo cissa.valle@hotmail. com 1) Sali 2)

Leia mais

UNIOESTE PLANO DE ENSINO ANO DE 2017

UNIOESTE PLANO DE ENSINO ANO DE 2017 UNIOESTE Criada pela Lei nº 8680, de 30/10/87; Decreto nº 2352, de 27/01/88. Reconhecida pela Portaria Ministerial nº 1784 - A, de 23/12/94. PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO NUCLEO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA /NEaDUNI

Leia mais

AULA 3: ANÁLISE FONÊMICA EM PORTUGUÊS 1. Introdução Fonêmica

AULA 3: ANÁLISE FONÊMICA EM PORTUGUÊS 1. Introdução Fonêmica AULA 3: ANÁLISE FONÊMICA EM PORTUGUÊS 1. Introdução Fonêmica o Termo reservado às análises fonológicas estruturalistas americanas cf. Pike, 1947 o Objetivo: fornecer o instrumental para a conversão da

Leia mais

Código Nome Carga horária AT. Fonética e Fonologia da Língua Portuguesa

Código Nome Carga horária AT. Fonética e Fonologia da Língua Portuguesa UNIOESTE Criada pela Lei nº 8680, de 30/10/87; Decreto nº 2352, de 27/01/88. Reconhecida pela Portaria Ministerial nº 1784 - A, de 23/12/94. PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO NÚCLEO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA /NEaDUNI

Leia mais

Fonologia Gerativa. Traços distintivos Redundância Processos fonológicos APOIO PEDAGÓGICO. Prof. Cecília Toledo

Fonologia Gerativa. Traços distintivos Redundância Processos fonológicos APOIO PEDAGÓGICO. Prof. Cecília Toledo Fonologia Gerativa Traços distintivos Redundância Processos fonológicos APOIO PEDAGÓGICO Prof. Cecília Toledo ceciliavstoledo@gmail. com PRESSUPOSTOS DA FONOLOGIA GERATIVA A gramática é concebida como

Leia mais

Fonologia. Sistemas e padrões sonoros na linguagem. Sónia Frota Universidade de Lisboa (FLUL)

Fonologia. Sistemas e padrões sonoros na linguagem. Sónia Frota Universidade de Lisboa (FLUL) Fonologia Sistemas e padrões sonoros na linguagem Sónia Frota Universidade de Lisboa (FLUL) Conteúdos Sistemas e padrões sonoros na linguagem (< propriedades fonéticas), universais e nem tanto Sistemas

Leia mais

PLANO DE ENSINO DADOS DO COMPONENTE CURRICULAR

PLANO DE ENSINO DADOS DO COMPONENTE CURRICULAR PLANO DE ENSINO DADOS DO COMPONENTE CURRICULAR Nome do COMPONENTE CURRICULAR: Fonética e Fonologia da Língua Portuguesa Curso: LICENCIATURA EM LETRAS COM HABILITAÇÃO EM LÍNGUA PORTUGUESA Período: 4 Semestre:

Leia mais

Fonêmica do português

Fonêmica do português Fonêmica do português CRISTÓFARO SILVA, Thaïs. Fonética e fonologia do português: roteiro de estudos e guia de exercícios. 9. ed. São Paulo: Contexto, 2009. Prof. Cecília Toledo cissa.valle@hotmail. com

Leia mais

Professora: Jéssica Nayra Sayão de Paula

Professora: Jéssica Nayra Sayão de Paula Professora: Jéssica Nayra Sayão de Paula Conceitos básicos e importantes a serem fixados: 1- Sincronia e Diacronia; 2- Língua e Fala 3- Significante e Significado 4- Paradigma e Sintagma 5- Fonética e

Leia mais

Plano de Ensino da Disciplina

Plano de Ensino da Disciplina Disciplina: Fonética Clínica Código da disciplina: LIN012 Classificação: Obrigatória (OB) Plano de Ensino da Disciplina Unidade/Departamento: Faculdade de Letras Período do Curso: 2º período N.º de créditos:

Leia mais

Introdução aos Estudos Linguísticos I. Professor: Seung Hwa Lee[s h a li] 이승화 ( 李 承 和 ) Contato: shlee@letras.ufmg.br

Introdução aos Estudos Linguísticos I. Professor: Seung Hwa Lee[s h a li] 이승화 ( 李 承 和 ) Contato: shlee@letras.ufmg.br Introdução aos Estudos Linguísticos I Professor: Seung Hwa Lee[s h a li] 이승화 ( 李 承 和 ) Contato: shlee@letras.ufmg.br Objetivo do Curso Apresentar os pressupostos básicos da linguística introduzir aspectos

Leia mais

Plano de Ensino. Identificação. Câmpus de Bauru. Curso 2202D - Comunicação Social: Jornalismo. Ênfase

Plano de Ensino. Identificação. Câmpus de Bauru. Curso 2202D - Comunicação Social: Jornalismo. Ênfase Curso 2202D - Comunicação Social: Jornalismo Ênfase Identificação Disciplina 0003017A - Língua Portuguesa III: Princípios de Lingüística Docente(s) Jean Cristtus Portela Unidade Faculdade de Arquitetura,

Leia mais

fonética aula 01 SAULO SANTOS APOIO PEDAÓGICO

fonética aula 01 SAULO SANTOS APOIO PEDAÓGICO fonética aula 01 SAULO SANTOS APOIO PEDAÓGICO 1. Fonéticas 2. Fonética vs. Fonologia 3. Aparelho fonador 4. Lugar de articulação 5. Modo de articulação CONTEÚDO O que estuda a Fonética? 1. FONÉTICAS 1.

Leia mais

AVALIAÇÃO DA RELAÇÃO ENTRE TONICIDADE E DISTINÇÃO DE OCLUSIVAS SURDAS E SONORAS NO PB

AVALIAÇÃO DA RELAÇÃO ENTRE TONICIDADE E DISTINÇÃO DE OCLUSIVAS SURDAS E SONORAS NO PB 3661 AVALIAÇÃO DA RELAÇÃO ENTRE TONICIDADE E DISTINÇÃO DE OCLUSIVAS SURDAS E SONORAS NO PB INTRODUÇÃO Francisco De Oliveira Meneses (UESB/ FAPESB) Vera PACHECO (UESB) As oclusivas são sons consonânticos

Leia mais

TONICIDADE E COARTICULAÇÃO: UMA ANÁLISE INSTRUMENTAL

TONICIDADE E COARTICULAÇÃO: UMA ANÁLISE INSTRUMENTAL 225 de 667 TONICIDADE E COARTICULAÇÃO: UMA ANÁLISE INSTRUMENTAL Dyuana Darck Santos Brito 61 (UESB) Vera Pacheco 62 (UESB) Marian Oliveira 63 (UESB) RESUMO considerando que a tonicidade é um aspecto importante

Leia mais

Aula 6 Desenvolvimento da linguagem: percepção categorial

Aula 6 Desenvolvimento da linguagem: percepção categorial Aula 6 Desenvolvimento da linguagem: percepção categorial Pablo Faria HL422A Linguagem e Pensamento: teoria e prática Módulo 1: Aquisição da Linguagem IEL/UNICAMP 19 de setembro de 2016 SUMÁRIO PRELIMINARES

Leia mais

Fonética acústica: Propriedades suprassegmentais APOIO PEDAGÓGICO. KENT, Ray, READ, Charles. Análise acústica da Fala São Paulo : Cortez, 2015

Fonética acústica: Propriedades suprassegmentais APOIO PEDAGÓGICO. KENT, Ray, READ, Charles. Análise acústica da Fala São Paulo : Cortez, 2015 Fonética acústica: Propriedades suprassegmentais KENT, Ray, READ, Charles. Análise acústica da Fala São Paulo : Cortez, 2015 APOIO PEDAGÓGICO Prof. Cecília Toledo ceciliavstoledo@gmail. com Segmentos da

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA - UFU INSTITUTO DE LETRAS E LINGUÍSTICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA - UFU INSTITUTO DE LETRAS E LINGUÍSTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA - UFU INSTITUTO DE LETRAS E LINGUÍSTICA VARIAÇÃO FONÉTICA EM REGIÕES DE MINAS GERAIS Plano de Trabalho Bolsa de Iniciação Científica (PIBIC) UBERLÂNDIA Setembro, 2016

Leia mais

RELAÇÃO ENTRE DURAÇÃO SEGMENTAL E PERCEPÇÃO DE FRICATIVAS SURDAS E SONORAS

RELAÇÃO ENTRE DURAÇÃO SEGMENTAL E PERCEPÇÃO DE FRICATIVAS SURDAS E SONORAS 3378 RELAÇÃO ENTRE DURAÇÃO SEGMENTAL E PERCEPÇÃO DE FRICATIVAS SURDAS E SONORAS Audinéia Silva (UESB/ FAPESB) Vera PACHECO (UESB) 1) CONSIDERAÇÕES GERAIS 1.1) Duração segmental Em algumas línguas, como

Leia mais

REALIZAÇÕES DAS VOGAIS MÉDIAS ABERTAS NO DIALETO DE VITÓRIA DA CONQUISTA BA

REALIZAÇÕES DAS VOGAIS MÉDIAS ABERTAS NO DIALETO DE VITÓRIA DA CONQUISTA BA 19 de 107 REALIZAÇÕES DAS VOGAIS MÉDIAS ABERTAS NO DIALETO DE VITÓRIA DA CONQUISTA BA Juscélia Silva Novais Oliveira * (Uesb) Priscila de Jesus Ribeiro ** (UESB) Vera Pacheco *** (Uesb) RESUMO O PB, segundo

Leia mais

Curso: Letras Português/Espanhol. Disciplina: Linguística. Docente: Profa. Me. Viviane G. de Deus

Curso: Letras Português/Espanhol. Disciplina: Linguística. Docente: Profa. Me. Viviane G. de Deus Curso: Letras Português/Espanhol Disciplina: Linguística Docente: Profa. Me. Viviane G. de Deus AULA 2 1ª PARTE: Tema 2 - Principais teóricos e teorias da Linguística moderna Formalismo x Funcionalismo

Leia mais

INVESTIGAÇÃO ACERCA DOS PROCESSOS DE REESTRUTURAÇÃO SILÁBICA CVC NO PORTUGUÊS BRASILEIRO E NO INGLÊS: UMA ANÁLISE FONÉTICO-ACÚSTICA

INVESTIGAÇÃO ACERCA DOS PROCESSOS DE REESTRUTURAÇÃO SILÁBICA CVC NO PORTUGUÊS BRASILEIRO E NO INGLÊS: UMA ANÁLISE FONÉTICO-ACÚSTICA Página 33 de 315 INVESTIGAÇÃO ACERCA DOS PROCESSOS DE REESTRUTURAÇÃO SILÁBICA CVC NO PORTUGUÊS BRASILEIRO E NO INGLÊS: UMA ANÁLISE FONÉTICO-ACÚSTICA Michael Douglas Silva Dias 9 (UESB) Vera Pacheco 10

Leia mais

CURSO ANO LETIVO PERIODO/ANO Departamento de Letras º CÓDIGO DISCIPLINA CARGA HORÁRIA Introdução aos estudos de língua materna

CURSO ANO LETIVO PERIODO/ANO Departamento de Letras º CÓDIGO DISCIPLINA CARGA HORÁRIA Introdução aos estudos de língua materna CURSO ANO LETIVO PERIODO/ANO Departamento de Letras 2017 5º CÓDIGO DISCIPLINA CARGA HORÁRIA Introdução aos estudos de língua materna 04h/a xxx xxx 60 h/a xxx xxx EMENTA Iniciação ao estudo de problemas

Leia mais

RESENHA DA OBRA FONOLOGIA, FONÉTICA E ENSINO: GUIA INTRODUTÓRIO

RESENHA DA OBRA FONOLOGIA, FONÉTICA E ENSINO: GUIA INTRODUTÓRIO 358 RESENHA DA OBRA FONOLOGIA, FONÉTICA E ENSINO: GUIA INTRODUTÓRIO Maria Lidiane de Sousa PEREIRA (UECE) Rakel Beserra de Macedo VIANA (UECE) ROBERTO, Tânia Mikaela Garcia. Fonologia, fonética e ensino:

Leia mais

REVISANDO... Articulação de consoantes e articulação de vogais. APOIO PEDAGÓGICO Prof. Cecília Toledo com

REVISANDO... Articulação de consoantes e articulação de vogais. APOIO PEDAGÓGICO Prof. Cecília Toledo com REVISANDO... Articulação de consoantes e articulação de vogais CRISTÓFARO SILVA, Thaïs. Fonética e fonologia do português: roteiro de estudos e guia de exercícios. 9. ed. São Paulo: Contexto, 2009. APOIO

Leia mais

APOIO PEDAGÓGICO. Fonêmica Premissas e conceitos básicos. Nívia Aniele PosLin - FALE

APOIO PEDAGÓGICO. Fonêmica Premissas e conceitos básicos. Nívia Aniele PosLin - FALE APOIO PEDAGÓGICO Fonêmica Premissas e conceitos básicos Nívia Aniele PosLin - FALE A organização da cadeia sonora da fala é orientada por certos princípios. Tais princípios agrupam segmentos consonantais

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA. Professor Bernardo Augusto. Fonética e Fonologia

LÍNGUA PORTUGUESA. Professor Bernardo Augusto. Fonética e Fonologia LÍNGUA PORTUGUESA Professor Bernardo Augusto Fonética e Fonologia Fonética articulatória é um dos principais ramos da FONÉTICA, que é a ciência responsável pelo estudo dos sons utilizados na linguagem

Leia mais

PROCESSOS FONOLÓGICOS NA PRODUÇÃO ORAL DE INDIVÍDUOS COM SÍNDROME DE DOWN: UMA ANÁLISE DESCRITIVA

PROCESSOS FONOLÓGICOS NA PRODUÇÃO ORAL DE INDIVÍDUOS COM SÍNDROME DE DOWN: UMA ANÁLISE DESCRITIVA PROCESSOS FONOLÓGICOS NA PRODUÇÃO ORAL DE INDIVÍDUOS COM SÍNDROME DE DOWN: UMA ANÁLISE DESCRITIVA Luana Porto Pereira Souza 1 Marian S. Oliveira 2 Vera Pacheco 3 INTRODUÇÃO A síndrome de Down (SD) é considerada

Leia mais

VI SEMINÁRIO DE PESQUISA EM ESTUDOS LINGUÍSTICOS. Luiz Carlos da Silva Souza** (UESB) Priscila de Jesus Ribeiro*** (UESB) Vera Pacheco**** (UESB)

VI SEMINÁRIO DE PESQUISA EM ESTUDOS LINGUÍSTICOS. Luiz Carlos da Silva Souza** (UESB) Priscila de Jesus Ribeiro*** (UESB) Vera Pacheco**** (UESB) 61 de 119 UMA ANÁLISE DE F0 DAS VOGAIS NASAIS E NASALIZADAS DO PORTUGUÊS BRASILEIRO 1 Luiz Carlos da Silva Souza** Priscila de Jesus Ribeiro*** Vera Pacheco**** RESUMO: Este trabalho tem por objetivo fornecer

Leia mais

QUE ESTRATÉGIAS UTILIZAM CRIANÇAS DAS SÉRIES INICIAIS PARA A EVITAÇÃO DO HIATO? GRASSI, Luísa Hernandes¹; MIRANDA, Ana Ruth Moresco 2. 1.

QUE ESTRATÉGIAS UTILIZAM CRIANÇAS DAS SÉRIES INICIAIS PARA A EVITAÇÃO DO HIATO? GRASSI, Luísa Hernandes¹; MIRANDA, Ana Ruth Moresco 2. 1. QUE ESTRATÉGIAS UTILIZAM CRIANÇAS DAS SÉRIES INICIAIS PARA A EVITAÇÃO DO HIATO? GRASSI, Luísa Hernandes¹; MIRANDA, Ana Ruth Moresco 2. ¹FaE (FAPERGS)UFPel,luisagrassi@hotmail.com;²PPGE-FaE/UFPel,ramil@ufpel.tc

Leia mais

Língua Portuguesa. (gramática, texto e redação) Professor Guga Valente

Língua Portuguesa. (gramática, texto e redação) Professor Guga Valente Língua Portuguesa (gramática, texto e redação) Professor Guga Valente Fonética e Fonologia Vambora Entre por essa porta agora E diga que me adora Você tem meia hora Prá mudar a minha vida Vem, vambora

Leia mais

AVALIAÇÃO INSTRUMENTAL DOS CORRELATOS ACÚSTICOS DE TONICIDADE DAS VOGAIS MÉDIAS BAIXAS EM POSIÇÃO PRETÔNICA E TÔNICA *

AVALIAÇÃO INSTRUMENTAL DOS CORRELATOS ACÚSTICOS DE TONICIDADE DAS VOGAIS MÉDIAS BAIXAS EM POSIÇÃO PRETÔNICA E TÔNICA * 45 de 297 AVALIAÇÃO INSTRUMENTAL DOS CORRELATOS ACÚSTICOS DE TONICIDADE DAS VOGAIS MÉDIAS BAIXAS EM POSIÇÃO PRETÔNICA E TÔNICA * Juscélia Silva Novais Oliveira ** (UESB) Marian dos Santos Oliveira ***

Leia mais

Pensamento e linguagem

Pensamento e linguagem Pensamento e linguagem Função da linguagem Comunicar o pensamento É universal (há situações que nem todos sabem fazer), mas todos se comunicam Comunicação verbal Transmissão da informação Características

Leia mais

Como identificar morfemas? Fundamentos de Fonologia e Morfologia Seung Hwa Lee

Como identificar morfemas? Fundamentos de Fonologia e Morfologia Seung Hwa Lee Como identificar morfemas? Fundamentos de Fonologia e Morfologia Seung Hwa Lee Todas as palavras são constituídas pelos morfemas. Compare formas e significados Tenta isolar possíveis distinções formas-significados.

Leia mais

1. Revisão de pontos importantes relativos a Morfologia

1. Revisão de pontos importantes relativos a Morfologia 24.900: Introdução à Lingüística Anotações da Aula: Semana de 25 de Fevereiro de 2002 MORFOLOGIA? FONOLOGIA? Conjunto de problemas # 3: Para segunda-feira, 4 de março de 2002? Não haverá aula na Quarta-feira,

Leia mais

Conceituação. Linguagem é qualquer sistema organizado de sinais que serve de meio de comunicação de ideias ou sentimentos.

Conceituação. Linguagem é qualquer sistema organizado de sinais que serve de meio de comunicação de ideias ou sentimentos. Linguagem e Cultura Conceituação Linguagem é qualquer sistema organizado de sinais que serve de meio de comunicação de ideias ou sentimentos. Cultura é todo saber humano, o cabedal de conhecimento de um

Leia mais

Processamento de texto escrito em Linguagem Natural para um Sistema Conversor Texto-fala. Acadêmico: Thiago M. Oechsler Orientadora: Joyce Martins

Processamento de texto escrito em Linguagem Natural para um Sistema Conversor Texto-fala. Acadêmico: Thiago M. Oechsler Orientadora: Joyce Martins Processamento de texto escrito em Linguagem Natural para um Sistema Conversor Texto-fala Acadêmico: Thiago M. Oechsler Orientadora: Joyce Martins Roteiro Introdução Objetivos do trabalho Fundamentação

Leia mais

RELAÇÃO DOS VERBETES. B behaviorismo bilingüismo Black English boa formação

RELAÇÃO DOS VERBETES. B behaviorismo bilingüismo Black English boa formação RELAÇÃO DOS VERBETES A abertura abordagem experimental abordagem qualitativa abordagem quantitativa acarretamento acento adjetivo advérbio afasia afixo alçamento/elevação Alfabeto Fonético Internacional

Leia mais

O ALÇAMENTO VOCÁLICO NO FALAR BALSENSE

O ALÇAMENTO VOCÁLICO NO FALAR BALSENSE O ALÇAMENTO VOCÁLICO NO FALAR BALSENSE Autora: Luciara Silva Teixeira Hellen Vitória Queiroz de Brito Isabella Divina Nunes Lazarin Universidade Estatual do Maranhão UEMA Centro de Estudos Superiores de

Leia mais

Aula 5 ESTRUTURALISMO

Aula 5 ESTRUTURALISMO Aula 5 ESTRUTURALISMO MARTELOTTA, Mário Eduardo. Manual de Linguística. São Paulo: Contexto, 2012, p. 113-126 Prof. Cecília Toledo- cissa.valle@hotmail.com Sistema, estrutura, estruturalismo SISTEMA: resultado

Leia mais

A COMPETÊNCIA LINGUÍSTICA. Felipe Venâncio Barbosa

A COMPETÊNCIA LINGUÍSTICA. Felipe Venâncio Barbosa A COMPETÊNCIA LINGUÍSTICA Felipe Venâncio Barbosa Doravante considerarei uma língua como um conjunto (finito ou infinito) de sentenças, cada uma finita em comprimento e constituída a partir de um conjunto

Leia mais

IV - AVALIAÇÃO: provas, exercícios, elaboração de fichamentos, atividades de pesquisa e participação durante as aulas.

IV - AVALIAÇÃO: provas, exercícios, elaboração de fichamentos, atividades de pesquisa e participação durante as aulas. NSTÉO D UNVESDDE OÁS FCULDDE DE EDUCÇÃO FEDEL DE LETS NOE D DSCPLN: Fonética e Fonologia POFESSO ESPONSÁVEL: Sinval artins de Sousa Filho C HOÁ ESTL: 64 horas C HOÁ NL: 04 horas ESTE/NO: 2/2011 EENT: Fonética

Leia mais

5 CLASSE, ESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS, 7/ Palavra e morfema, 7/ Formação de palavras, 82 Famílias de palavras, 83

5 CLASSE, ESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS, 7/ Palavra e morfema, 7/ Formação de palavras, 82 Famílias de palavras, 83 Prefácio, XIII i CONCEITOS GERAIS, / Linguagem, língua, discurso, estilo i Língua e sociedade: variação e conservação linguística, 2 Diversidade geográfica da língua: dialecto e falar, 4 A noção de correcto,

Leia mais

PADRÃO FORMÂNTICA DA VOGAL [A] REALIZADA POR CONQUISTENSES: UM ESTUDO COMPARATIVO

PADRÃO FORMÂNTICA DA VOGAL [A] REALIZADA POR CONQUISTENSES: UM ESTUDO COMPARATIVO Página 47 de 315 PADRÃO FORMÂNTICA DA VOGAL [A] REALIZADA POR CONQUISTENSES: UM ESTUDO COMPARATIVO Tássia da Silva Coelho 13 (UESB) Vera Pacheco 14 (UESB) RESUMO Este trabalho visou a avaliar a configuração

Leia mais

REDUÇÃO DAS VOGAIS ÁTONAS FINAIS NO FALAR DE UM MANEZINHO

REDUÇÃO DAS VOGAIS ÁTONAS FINAIS NO FALAR DE UM MANEZINHO Página31 REDUÇÃO DAS VOGAIS ÁTONAS FINAIS NO FALAR DE UM MANEZINHO Beatriz de Oliveira 1 Sara Farias da Silva 2 RESUMO: Neste trabalho são analisados fenômenos que envolvem vogais em posição final de vocábulos,

Leia mais

Fonética e Fonologia: modos de operacionalização

Fonética e Fonologia: modos de operacionalização Fonética e Fonologia: modos de operacionalização Encontro sobre Terminologia Linguística: das teorias às práticas Faculdade de Letras da Universidade do Porto 12 e 13 de Setembro de 2005 Sónia Valente

Leia mais

Apresentação do método sintético

Apresentação do método sintético Maria Cristina Pereira Cotta e Angela Maria Rodrigues Marques Galvão O tempo passa e, em Educação, continuam as dúvidas quanto à escolha do método ideal para alfabetizar. Para acertar nessa escolha, a

Leia mais

Variação prosódica no Português Europeu: um falar, uma identidade

Variação prosódica no Português Europeu: um falar, uma identidade Marisa Cruz Laboratório de Fonética (CLUL/FLUL) Universidade de Lisboa Compreensão e Produção do Português Oral Professora Doutora Sónia Frota 4 de Dezembro de 2012 Variação prosódica no Português Europeu:

Leia mais

Capítulo1. Capítulo2. Índice A LÍNGUA E A LINGUAGEM O PORTUGUÊS: uma língua, muitas variedades... 15

Capítulo1. Capítulo2. Índice A LÍNGUA E A LINGUAGEM O PORTUGUÊS: uma língua, muitas variedades... 15 Capítulo1 Capítulo2 A LÍNGUA E A LINGUAGEM............................................. 9 Linguagem: aptidão inata.............................................. 10 Funções.............................................................

Leia mais

Linguagem, Língua, Linguística. Apoio Pedagógico: Estudos Linguísticos I Tutor: Frederico Cavalcante (POSLIN)

Linguagem, Língua, Linguística. Apoio Pedagógico: Estudos Linguísticos I Tutor: Frederico Cavalcante (POSLIN) Linguagem, Língua, Linguística Apoio Pedagógico: Estudos Linguísticos I Tutor: Frederico Cavalcante (POSLIN) e-mail: fredericoa4@gmail.com Encontro 1 Linguagem Linguagem: a capacidade humana de utilizar

Leia mais

REVISÃO CONCEITOS BÁSICOS DE LINGUÍSTICA SAULO SANTOS

REVISÃO CONCEITOS BÁSICOS DE LINGUÍSTICA SAULO SANTOS REVISÃO CONCEITOS BÁSICOS DE LINGUÍSTICA SAULO SANTOS 06.04.18 PROGRAMA DA AULA 1. Ferdinand de Saussure 2. Langue e parole 3. A dupla articulação da linguagem 4. Abstrato vs. concreto 5. Eixo sintagmático

Leia mais

Língua, Linguagem e Variação

Língua, Linguagem e Variação Língua, Linguagem e Variação André Padilha Gramática Normativa O que é Língua? Definição Língua é um sistema de representação constituído po signos linguísticos socialmente construídos que são organizados

Leia mais

O PORTUGUÊS BRASILEIRO CANTADO

O PORTUGUÊS BRASILEIRO CANTADO O PORTUGUÊS BRASILEIRO CANTADO Prof. Dr. Flávio Carvalho Departamento de Música e Artes Cênicas/ UFU e-mail: fcarvalho@demac.ufu.br www.demac.ufu.br Resumo: Este Grupo de Trabalho pretende consolidar os

Leia mais

A grafia das consoantes biunívocas que se diferenciam pelo traço distintivo [sonoro] em textos de alunos de séries/anos iniciais

A grafia das consoantes biunívocas que se diferenciam pelo traço distintivo [sonoro] em textos de alunos de séries/anos iniciais A grafia das consoantes biunívocas que se diferenciam pelo traço distintivo [sonoro] em textos de alunos de séries/anos iniciais Rodrigues, Cristiane 1 ; Miranda, Ana Ruth 2 1 Universidade Federal de Pelotas,

Leia mais

IMPLICAÇÕES DA AMPLIAÇÃO E REDUÇÃO DO VOT NA PERCEPÇÃO DE CONSOANTES OCLUSIVAS 1

IMPLICAÇÕES DA AMPLIAÇÃO E REDUÇÃO DO VOT NA PERCEPÇÃO DE CONSOANTES OCLUSIVAS 1 31 de 368 IMPLICAÇÕES DA AMPLIAÇÃO E REDUÇÃO DO VOT NA PERCEPÇÃO DE CONSOANTES OCLUSIVAS 1 Renato Abreu Soares * (Uesb) Vera Pacheco ** (Uesb) RESUMO Modificações na constituição intrínseca dos segmentos

Leia mais

RELAÇÃO ENTRE INVENTÁRIO SEGMENTAL E TEMPLATES: ESTUDO DE CASO DE UMA CRIANÇA COM SÍNDROME DE DOWN

RELAÇÃO ENTRE INVENTÁRIO SEGMENTAL E TEMPLATES: ESTUDO DE CASO DE UMA CRIANÇA COM SÍNDROME DE DOWN Página 201 de 512 RELAÇÃO ENTRE INVENTÁRIO SEGMENTAL E TEMPLATES: ESTUDO DE CASO DE UMA CRIANÇA COM SÍNDROME DE DOWN Glaubia Ribeiro Moreira (UESB/PPGLin) Marian Oliveira (UESB/PPGLin) Maria de Fátima

Leia mais

A FONÉTICA COMO IMPORTANTE COMPONENTE COMUNICATIVO PARA O ENSINO DE LÍNGUA ESTRANGEIRA

A FONÉTICA COMO IMPORTANTE COMPONENTE COMUNICATIVO PARA O ENSINO DE LÍNGUA ESTRANGEIRA R e v i s t a P r o l í n g u a I S S N 1983-9979 P á g i n a 33 A FONÉTICA COMO IMPORTANTE COMPONENTE COMUNICATIVO PARA O ENSINO DE LÍNGUA ESTRANGEIRA Marcela Ortiz Pagoto de Souza 6 (UNESP/FCL) RESUMO

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DA ESTRUTURA SILÁBICA POR GÊMEOS DIZIGÓTICOS: ESTUDO DE CASO

DESENVOLVIMENTO DA ESTRUTURA SILÁBICA POR GÊMEOS DIZIGÓTICOS: ESTUDO DE CASO Página 195 de 511 DESENOLIMENTO DA ESTRUTURA SILÁBICA POR GÊMEOS DIZIGÓTICOS: ESTUDO DE CASO anessa Cordeiro de Souza Mattos (PPGLIN/GEDEF/UESB) Maria de Fátima de Almeida Baia (PPGLIN/GEDEF/UESB) RESUMO

Leia mais

Apresentação 11 Lista de abreviações 13. Parte I: NATUREZA, ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO DA LINGUAGEM

Apresentação 11 Lista de abreviações 13. Parte I: NATUREZA, ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO DA LINGUAGEM Sumário Apresentação 11 Lista de abreviações 13 Parte I: NATUREZA, ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO DA LINGUAGEM O homem, a linguagem e o conhecimento ( 1-6) O processo da comunicação humana ( 7-11) Funções da

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO. Alessandra de Paula (FAPERJ/UFRJ)

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO. Alessandra de Paula (FAPERJ/UFRJ) UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO ANÁLISE ACÚSTICA DAS VOGAIS MÉDIAS POSTÔNICAS NÃO FINAIS: ALTEAMENTO E VELOCIDADE DE FALA Alessandra de Paula (FAPERJ/UFRJ) anelassard@hotmail.com I TRODUÇÃO A variação

Leia mais

índice geral Prefácio, X/77

índice geral Prefácio, X/77 índice geral Prefácio, X/77 Capítulo I CONCEITOS GERAIS, / Linguagem, língua, discurso, estilo / Língua e sociedade: variação e conservação linguística, 2 Diversidade geográfica da língua: dialecto e falar,

Leia mais

Introdução à Linguística Africana

Introdução à Linguística Africana Introdução à Linguística Africana MIRANDA, Mateus Emerson de Souza. Introdução à Linguística Africana. Entrepalavras, Fortaleza, v. 7, p. 199-203, jan./jun. 2017. Resumo: Palavras-chave: Linguística Africana.

Leia mais

Aula 6 GERATIVISMO. MARTELOTTA, Mário Eduardo. Manual de Linguística. São Paulo: Contexto, 2012, p

Aula 6 GERATIVISMO. MARTELOTTA, Mário Eduardo. Manual de Linguística. São Paulo: Contexto, 2012, p Aula 6 GERATIVISMO MARTELOTTA, Mário Eduardo. Manual de Linguística. São Paulo: Contexto, 2012, p. 113-126 Prof. Cecília Toledo- cissa.valle@hotmail.com Linguística Gerativa Gerativismo Gramática Gerativa

Leia mais

Gramática e seu conceito. Mattoso Câmara Jr. (1986) 16 ed. Estrutura da língua portuguesa. Petrópolis: Vozes. p

Gramática e seu conceito. Mattoso Câmara Jr. (1986) 16 ed. Estrutura da língua portuguesa. Petrópolis: Vozes. p Gramática e seu conceito Mattoso Câmara Jr. (1986) 16 ed. Estrutura da língua portuguesa. Petrópolis: Vozes. p.11-16. Gramática descritiva ou sincrônica Estudo do mecanismo pelo qual uma dada língua funciona

Leia mais

Linguística As Dicotomias Linguísticas e a Dupla Articulação da Linguagem

Linguística As Dicotomias Linguísticas e a Dupla Articulação da Linguagem Linguística As Dicotomias Linguísticas e a Dupla Articulação da Linguagem Profª. Sandra Moreira Conteúdo Programático As Dicotomias Linguísticas Sincronia versus Diacronia Língua versus Fala Significante

Leia mais

APÓCOPE DO R EM PRODUÇÕES TEXTUAIS NARRATIVAS DO 7º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL. PALAVRAS-CHAVE: Apócope, Processos Fonológicos, Produção textual

APÓCOPE DO R EM PRODUÇÕES TEXTUAIS NARRATIVAS DO 7º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL. PALAVRAS-CHAVE: Apócope, Processos Fonológicos, Produção textual APÓCOPE DO R EM PRODUÇÕES TEXTUAIS NARRATIVAS DO 7º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL. Patrícia Tavares Cruz Oliveira Universidade de Pernambuco Campus Mata Norte patriciatavaress@gmail.com PALAVRAS-CHAVE: Apócope,

Leia mais

Informação Prova de Equivalência à Frequência de INGLÊS

Informação Prova de Equivalência à Frequência de INGLÊS CÓD 170872 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PEDRO EANES LOBATO Informação Prova de Equivalência à Frequência de INGLÊS Prova 45 2018 1.º Ciclo do Ensino Básico 1. Introdução O presente documento visa divulgar as

Leia mais

Sónia Frota, Fernando Martins & Marina Vigário

Sónia Frota, Fernando Martins & Marina Vigário Sónia Frota, Fernando Martins & Marina Vigário Laboratório de Fonética (FLUL/CLUL) O conhecimento dos sons Sons (

Leia mais

Sistema fonológico, variantes e alfabetização

Sistema fonológico, variantes e alfabetização Sistema fonológico, variantes e alfabetização..a língua escrita é uma tentativa de analisar a língua falada, e essa análise será feita, pelo usuário da escrita no momento de grafar sua mensagem, de acordo

Leia mais

Bárbara da Silva. Português. Aula 38 Preposições II

Bárbara da Silva. Português. Aula 38 Preposições II Bárbara da Silva Português Aula 38 Preposições II Locução Prepositiva É o conjunto de duas ou mais palavras que têm o valor de uma preposição. A última palavra dessas locuções é sempre uma preposição.

Leia mais

Estudo das características fonético-acústicas de consoantes em coda. silábica: um estudo de caso em E/LE

Estudo das características fonético-acústicas de consoantes em coda. silábica: um estudo de caso em E/LE Estudo das características fonético-acústicas de consoantes em coda silábica: um estudo de caso em E/LE Fernanda R. P. Allegro (Universidad de Buenos Aires/ FUNCEB) Sandra Madureira (PUC-SP) Introdução

Leia mais

A harmonização vocálica nas vogais médias pretônicas dos verbos na

A harmonização vocálica nas vogais médias pretônicas dos verbos na A harmonização vocálica nas vogais médias pretônicas dos verbos na variedade do interior paulista Márcia Cristina do Carmo (FAPESP 06/59141-9) Orientadora: Profa. Dra. Luciani Ester Tenani UNESP Câmpus

Leia mais

CURSO ANO LETIVO PERIODO/ANO Departamento de Letras º CÓDIGO DISCIPLINA CARGA HORÁRIA Introdução à Ciência da Linguagem

CURSO ANO LETIVO PERIODO/ANO Departamento de Letras º CÓDIGO DISCIPLINA CARGA HORÁRIA Introdução à Ciência da Linguagem CURSO ANO LETIVO PERIODO/ANO Departamento de Letras 2017 3º CÓDIGO DISCIPLINA CARGA HORÁRIA Introdução à Ciência da Linguagem 04h/a xxx xxx 60h/a xxx xxx EMENTA História da ciência da linguagem. Objeto

Leia mais

Links com vídeos do Projeto Alfaletrar

Links com vídeos do Projeto Alfaletrar ABERTURA DA AULA 6) Musicalização. 7) Leitura de história de literatura infantil. 8) Exposição das atividades do dia e dos objetivos. 9) Desejar aos alunos: boa aula. Links com vídeos do Projeto Alfaletrar

Leia mais

UNIDADE 1: Linguística, Linguagem e Língua

UNIDADE 1: Linguística, Linguagem e Língua 7 Dedicatória 9 Nota da Autora UNIDADE 1: Linguística, Linguagem e Língua 11 Objectivos da Unidade 11 1. O que é a Linguística? 11 1.1. O que é um linguista? 12 1.2. Qual é a diferença entre a Linguística

Leia mais

Fonética e Fonologia. Prof. Veríssimo Ferreira

Fonética e Fonologia. Prof. Veríssimo Ferreira Fonética e Fonologia Prof. Veríssimo Ferreira Fonética Ocupa-se da materialidade ou substância do som, e o descreve em suas qualidades físicas: tom, intensidade, quantidade e timbre. Produção e Percepção

Leia mais

Todas as línguas do mundo têm dois tipos de estrutura: uma estrutura fonológica e uma estrutura morfossintática.

Todas as línguas do mundo têm dois tipos de estrutura: uma estrutura fonológica e uma estrutura morfossintática. Quinta semana do curso de Linguística II Aula 1 Professor Alessandro Boechat de Medeiros Departamento de Linguística e Filologia Fonologia Sobre a estrutura lingüística Todas as línguas do mundo têm dois

Leia mais

INTRODUÇÃO AO ESTUDO DAS LÍNGUAS INDÍGENAS BRASILEIRAS

INTRODUÇÃO AO ESTUDO DAS LÍNGUAS INDÍGENAS BRASILEIRAS 1 Curso: MNA-860 Línguas Indígenas Brasileiras No de créditos: 04 (60 horas-aula, 15 sessões) Período: 1 o semestre de 2007 Horário: 5 a feira das 9:30 às 12:30 h Local: Sala de Reuniões do PPGAS Professores:

Leia mais

OBSERVAÇÕES ACÚSTICAS SOBRE AS VOGAIS ORAIS DA LÍNGUA KARO

OBSERVAÇÕES ACÚSTICAS SOBRE AS VOGAIS ORAIS DA LÍNGUA KARO ARAÚJO, Fernanda Oliveira. Observações acústicas sobre as vogais orais da língua Karo. Revista Virtual de Estudos da Linguagem ReVEL. Edição especial n. 1, 2007. ISSN 1678-8931 [www.revel.inf.br]. OBSERVAÇÕES

Leia mais

Identificar e compreender as alterações introduzidas pelo Acordo Ortográfico de 1990 na expressão escrita do português europeu.

Identificar e compreender as alterações introduzidas pelo Acordo Ortográfico de 1990 na expressão escrita do português europeu. Curso EDUCAÇÃO BÁSICA Ano letivo 2015-2016 Unidade Curricular FONÉTICA e FONOLOGIA do PORTUGUÊS ECTS 6 Regime Obrigatório Ano 1º Semestre 1º semestre Horas de trabalho globais Docente Rui Manuel Formoso

Leia mais

O Tom na fala: estratégias prosódicas

O Tom na fala: estratégias prosódicas O Tom na fala: estratégias prosódicas Marígia Ana de Moura Aguiar marigia.aguiar@gmail.com Agradeço a contribuição de meus alunos e companheiros do Grupo de Prosódia da UNICAP na construção desta apresentação.

Leia mais

6LEM064 GRAMÁTICA DA LÍNGUA ESPANHOLA I Estudo de aspectos fonético-fonológicos e ortográficos e das estruturas morfossintáticas da língua espanhola.

6LEM064 GRAMÁTICA DA LÍNGUA ESPANHOLA I Estudo de aspectos fonético-fonológicos e ortográficos e das estruturas morfossintáticas da língua espanhola. HABILITAÇÃO: LICENCIATURA EM LÍNGUA ESPANHOLA 1ª Série 6LEM064 GRAMÁTICA DA LÍNGUA ESPANHOLA I Estudo de aspectos fonético-fonológicos e ortográficos e das estruturas morfossintáticas da língua espanhola.

Leia mais

Entender a concepção de alfabetização na perspectiva do letramento(sistema de notação e não a aquisição de um código) Analisar as contribuições da

Entender a concepção de alfabetização na perspectiva do letramento(sistema de notação e não a aquisição de um código) Analisar as contribuições da ANO 1 UNIDADE 03 Entender a concepção de alfabetização na perspectiva do letramento(sistema de notação e não a aquisição de um código) Analisar as contribuições da teoria da psicogênese na apropriação

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA BENEDITA. Perfil de aprendizagens específicas 1.º ano. Disciplina: PORTUGUÊS

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA BENEDITA. Perfil de aprendizagens específicas 1.º ano. Disciplina: PORTUGUÊS Perfil de aprendizagens específicas 1.º ano Respeita regras da interação discursiva. Escuta discursos breves para aprender e construir conhecimentos. Produz discursos com diferentes finalidades, tendo

Leia mais

MOVIMENTOS FACIAIS E CORPORAIS E PERCEPÇÃO DE ÊNFASE E ATENUAÇÃO 1

MOVIMENTOS FACIAIS E CORPORAIS E PERCEPÇÃO DE ÊNFASE E ATENUAÇÃO 1 MOVIMENTOS FACIAIS E CORPORAIS E PERCEPÇÃO DE ÊNFASE E ATENUAÇÃO 1 Vera PACHECO (Laboratório de Pesquisa e Estudos em Fonética e Fonologia/UESB) vera.pacheco@gmail.com Durante uma conversa, os falantes

Leia mais

A PESQUISA EM FONÉTICA ARTICULATÓRIA, ACÚSTICA E AUDITIVA: NOÇÕES ELEMENTARES

A PESQUISA EM FONÉTICA ARTICULATÓRIA, ACÚSTICA E AUDITIVA: NOÇÕES ELEMENTARES CDD:414 A PESQUISA EM FONÉTICA ARTICULATÓRIA, ACÚSTICA E AUDITIVA: NOÇÕES ELEMENTARES Letícia Fraga * Abstract: This research presents a discussion about some important Phonetical and Phonological concepts,

Leia mais

MARCELA ORTIZ PAGOTO DE SOUZA PRODUÇÃO E PERCEPÇÃO DAS VOGAIS E DAS FRICATIVAS / /

MARCELA ORTIZ PAGOTO DE SOUZA PRODUÇÃO E PERCEPÇÃO DAS VOGAIS E DAS FRICATIVAS / / MARCELA ORTIZ PAGOTO DE SOUZA PRODUÇÃO E PERCEPÇÃO DAS VOGAIS E DAS FRICATIVAS / / E / / DA LÍNGUA INGLESA POR ALUNOS DE UM CURSO DE LETRAS Tese apresentada à Faculdade de Ciências e Letras da Universidade

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS HUMANAS, LETRAS E ARTES DEPARTAMENTO DE LETRAS ESTRANGEIRAS MODERNAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS HUMANAS, LETRAS E ARTES DEPARTAMENTO DE LETRAS ESTRANGEIRAS MODERNAS UFPR UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS HUMANAS, LETRAS E ARTES DEPARTAMENTO DE LETRAS ESTRANGEIRAS MODERNAS PLANO DE ENSINO Ficha N 2 2 (parte variável) Disciplina: Língua Inglesa Oral I

Leia mais

Análise fonológica da entoação: estudo constrastivo entre o português e. o espanhol

Análise fonológica da entoação: estudo constrastivo entre o português e. o espanhol Análise fonológica da entoação: estudo constrastivo entre o português e o espanhol Kelly Cristiane Henschel Pobbe de Carvalho (FCL/ UNESP-Assis) Introdução Este trabalho consiste na apresentação de um

Leia mais

REVISTA VEREDAS AMAZÔNICAS JANEIRO/JUNHO VOL. 3, Nº 1, ISSN:

REVISTA VEREDAS AMAZÔNICAS JANEIRO/JUNHO VOL. 3, Nº 1, ISSN: OS TEXTOS DE CRIANÇAS NO INÍCIO DA ESCOLARIZAÇÃO E A INFLUÊNCIA DA ORALIDADE NA PRODUÇÃO ESCRITA DE ALUNOS ALFABETIZANDOS 1 Aeolane Coelho Sousa (UFAC) 2 aeolane@hotmail.com Universidade Federal do Acre

Leia mais

PADRÕES ENTOACIONAIS NA AQUISIÇÃO DO INGLÊS COM LÍNGUA ESTRANGEIRA E A INFLUÊNCIA DO PORTUGUÊS DO BRASIL

PADRÕES ENTOACIONAIS NA AQUISIÇÃO DO INGLÊS COM LÍNGUA ESTRANGEIRA E A INFLUÊNCIA DO PORTUGUÊS DO BRASIL PADRÕES ENTOACIONAIS NA AQUISIÇÃO DO INGLÊS COM LÍNGUA ESTRANGEIRA E A INFLUÊNCIA DO PORTUGUÊS DO BRASIL Luan Roney Alves dos Santos; Leônidas José da Silva Jr. Universidade Estadual da Paraíba roneyluan@outlook.com

Leia mais

Análise das vibrantes e líquidas laterais da língua portuguesa na fala de uma informante nativa do japonês

Análise das vibrantes e líquidas laterais da língua portuguesa na fala de uma informante nativa do japonês Análise das vibrantes e líquidas laterais da língua portuguesa na fala de uma informante nativa do japonês Alessandra DUTRA 1, Cláudia SORDI-ICHIKAWA 2 1 Departamento de Letras Faculdade Paranaense FACCAR

Leia mais

A RELEVÂNCIA DA FONÉTICA/ FONOLOGIA NA APROPRIAÇÃO DA ESCRITA: ANÁLISE DE UMA ATIVIDADE DO LIVRO DIDÁTICO

A RELEVÂNCIA DA FONÉTICA/ FONOLOGIA NA APROPRIAÇÃO DA ESCRITA: ANÁLISE DE UMA ATIVIDADE DO LIVRO DIDÁTICO A RELEVÂNCIA DA FONÉTICA/ FONOLOGIA NA APROPRIAÇÃO DA ESCRITA: ANÁLISE DE UMA ATIVIDADE DO LIVRO DIDÁTICO Alexsandra Morais Maia (Autor) 1 ; Adriana Carneiro Miranda Nunes (Coautor) 2 Universidade Federal

Leia mais

Surge um clássico em fonologia

Surge um clássico em fonologia RESENHA Letrônica v. 2, n. 2, p. 311-318, dezembro 2009 Resenha de HAYES, Bruce. Introdutory Phonology. Blackwell Textbooks in Linguistics, Oxford: Wiley-Blackwell, 2009 Surge um clássico em fonologia

Leia mais

O PAPEL DOS CONTEXTOS FONÉTICOS NA DELIMITAÇÃO DA TONICIDADE DE FALA ATÍPICA

O PAPEL DOS CONTEXTOS FONÉTICOS NA DELIMITAÇÃO DA TONICIDADE DE FALA ATÍPICA Página 51 de 510 O PAPEL DOS CONTEXTOS FONÉTICOS NA DELIMITAÇÃO DA TONICIDADE DE FALA ATÍPICA Flávia de A. Conceição (UESB/UESB) Letícia M. S. da Silva (UESB/FAPESB) Luana A. Ferraz (UESB/CNPq) Marian

Leia mais

AULA 8: A PROSÓDIA DO PORTUGUÊS: ELEMENTOS CONSTITUTIVOS, ORGANIZAÇÃO RÍTMICA E DOMÍNIOS PROSÓDICOS

AULA 8: A PROSÓDIA DO PORTUGUÊS: ELEMENTOS CONSTITUTIVOS, ORGANIZAÇÃO RÍTMICA E DOMÍNIOS PROSÓDICOS AULA 8: A PROSÓDIA DO PORTUGUÊS: ELEMENTOS CONSTITUTIVOS, ORGANIZAÇÃO RÍTMICA E DOMÍNIOS PROSÓDICOS...os latinos pártem a sua Grammatica em quátro partes: em Ortografia, que tráta da letera; em Prosodia,

Leia mais