Excelentíssimo Senhor Insigne Doutor Procurador Geral da República - RODRIGO JANOT MONTEIRO DE BARROS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Excelentíssimo Senhor Insigne Doutor Procurador Geral da República - RODRIGO JANOT MONTEIRO DE BARROS"

Transcrição

1 Artur Abumansur de Carvalho OAB/SP (11) Rua Riachuelo, 326 Centro, São Paulo/SP CEP Excelentíssimo Senhor Insigne Doutor Procurador Geral da República - RODRIGO JANOT MONTEIRO DE BARROS SPPATRIM ADMINISTRAÇÃO E PARTICIPAÇÕES LTDA, pessoa jurídica de direito privado, inscrita no CNPJ sob n / , com sede na Av. Barão de Monte Mor, 50, São Paulo, CEP , representada por seu advogado, vem, mui respeitosamente, à presença de V. Exa., apresentar NOTITIA CRIMINIS, de fatos envolvendo o (i) Exmo. Sr. GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO GERALDO ALCKMIN (Av. Morumbi, nº 4.500, CEP São Paulo/SP); (ii) o Exmo. Sr. DELEGADO CORREGEDOR GERAL NESTOR SAMPAIO PENTEADO FILHO (R. da Consolação, nº Cerqueira César, São Paulo - SP, CEP ); e (iii) RICARDO DE AQUINO SALLES, (brasileiro, advogado, inscrito na OAB/SP sob o n , CPF n , com escritório dentro do GRUPO BUENO NETTO, na Av. Dr. Cardoso de Melo, 1340, cj. 92, São Paulo/SP); que eventualmente podem configurar a prática de crimes, o que faz pelos fundamentos e fins abaixo alinhados.

2 I - DO GOLPE DE R$ 500 MILHÕES QUE ABALARÁ TODO O MERCADO 1. No ano de 1998, com a cisão da Construtora RGB Comercial e Construtora Ltda 1 e decorrente separação litigiosa de Adalberto Bueno Netto e Fernando de Souza Reis Filho, nasceram as empresas Bueno Netto Empreendimentos Imobiliários Ltda e a F. Reis Engenharia e Construções Ltda. 2. Rompido o relacionamento iniciado em 1976, por cisão, Fernando de Souza Reis Filho constituiu a F. Reis Engenharia e Construções Ltda. e, por sua vez, Adalberto Bueno Netto e sua esposa, Suzana Von Nielander Bueno Netto, fundaram a Bueno Netto Empreendimentos Imobiliários Ltda. 3. Até o início do ano de 2006, a Bueno Netto Empreendimentos Imobiliários Ltda era uma sociedade limitada do casal Adalberto e Suzana, controlando todas as SPEs constituídas para a operacionalizações dos seus negócios. 4. Em 2006, ao meio da assinatura de um negócio milionário com a TECNISA, se iniciou uma série de alterações societárias, que poderiam ser legitimas, se não fossem concomitantes à falsificação de documentos para se apropriar de ativos da SPPATRIM Administração e Participações Ltda Em 2007, o golpe perpetuada pela BUENO NETTO contra a SPPATRIM foi descoberto e se iniciou, ao meio de várias reportagens e inquéritos policiais, a liquidação da sociedade entre ambas, onde, ao final de sete anos de litígio arbitral, a BUENO NETTO foi condenada ao pagamento, a valor histórico, de R$ 111,5 milhões, sendo R$ 17,5 milhões somente por indenização por violação à boa fé objetiva (leia-se fraudes). 6. Desde que falsificou documentos para desviar ativos da SPPATRIM (fato que ocorreu em 2006), a BUENO NETTO iniciou um processo fraudulento de isolamento da originária BUENO NETTO, visando blindar o patrimônio e suceder suas atividades por novas sociedades, todas com nomes praticamente homônimos e que continuam a se identificar, publicamente, como se fossem a originária BUENO NETTO ou como GRUPO BUENO NETTO. 1 Constituída em , CNPJ / e controlada por Adalberto Bueno Netto e Fernando de Sousa Reis Filho

3 7. Enfim, a BUENO NETTO deve (dívida vencida, líquida e certa, estampada em título judicial e protestada para fins de falência) R$ 164 milhões para a sociedade SPPATRIM Administração e Participações Ltda (doc. 4), estando com sua falência sub judice e sem depósito elisivo (doc. 5), além de arresto deferido com desconsideração de vinte e uma pessoas, entre físicas e jurídicas (doc. 6): Os dados fornecidos pelo laudo elaborado pelo Instituto de Criminalística são muito enfáticos e chamam a atenção pela gravidade. Nas nomeadas conclusões técnicas periciais (fls.281/287), há o relato da constituição de cerca de uma dezena de pessoas jurídicas ( empresas de fachada, com nomes praticamente homônimos, todas com sede no mesmo local, dirigidas e controladas pelas mesmas pessoas ), compondo uma operação destinada ao ocultamento de bens e a possibilitar o prosseguimento ou a sucessão das atividades da Bueno Netto Empreendimentos Imobiliários Sociedade Anônima com uma nova roupagem. O laudo indica terem se intensificado tal operação a partir de maio de 2015, afirmando estar evidenciada a associação de Adalberto Bueno Netto, Luiz Carlos Martins, Carlos Alberto Bueno Netto, Guilherme von Nielander Bueno Netto e Suzana von Nielander Bueno Netto. 3 (...) Considerados os pedidos formulados pela recorrente (fls.18), cabe: 1) o bloqueio, a título de arresto, dos fundos bancários em contas de titularidade dos recorridos, utilizado o Sistema Bacen-Jud; 2) determinar o arresto dos imóveis de propriedade dos recorridos, mediante expedição de mandado próprio e observada a necessidade ante o valor da dívida acima referida; 3) determinar seja, também, mediante mandado, averbada a existência da presente ação nas matrículas de todos os imóveis de propriedade dos recorridos, observado, inclusive, o disposto no artigo 54, inciso IV da Lei /2015; 4) ordenar, também, a título de arresto, sejam depositados os aluguéis auferidos pelos recorridos em conta judicial, expedindo-se carta cada um dos locatários identificados. (Agravo de Instrumento n , Decisão do Em. Desembargador Relator - doc. 6) 8. Malgrado todos os esforços (bacenjud, infojud, ofícios a bancos, BOVESPA, etc) só foram arrestados R$ 10,5 milhões (doc. 7). 9. Não se trata de mera insolvência, mas de fraudes gravíssimas, comprovadas por cinco pareceres independentes de Experts do mais alto renome e por um laudo oficial do Instituto de Criminalística, deixando claro o

4 processo espúrio que está sendo perpetuado para lesar todos os credores e a materialidade de diversos e graves crimes 2. PARECERES INDEPENDENTES HARMÔNICOS COM LAUDO DO IC Parecer do Desembargador aposentado ELPÍDIO DONIZETTI, um dos doze membros da Comissão que escreveu o NOVO CPC 3 ; Parecer do Professor Advogado ARMANDO LUIZ ROVAI 4, professor doutor de Direito Comercial do MACKENZIE e da PUC/SP; Parecer do Perito Judicial Contador e Economista REMO DALLA ZANNA 5, autor de livros sobre perícia e fraudes contábeis; Parecer do Perito Judicial Engenheiro ANSELMO DUEÑAS 6, perito de vários Em. Magistrados do Foro Central de São Paulo. Documento Doc. 9 Doc. 10 Doc. 11 Doc O LAUDO DO INSTITUTO DE CRIMINALÍSTICA (DOC. 8) É CONCLUSIVO NAS FRAUDES PERPETUADAS, NO PROCESSO ESPÚRIO QUE ESTÁ SENDO PERPETUADO PARA LESAR OS CREDORES E A MATERIALIDADE DE CRIMES PRATICADOS: i) quadrilha (fl. 155, item j, doc. 8); ii) estelionato (fl. 154, item e, doc. 8); iii) organização criminosa (fl. 156, item j, doc. 8); iv) fraude à execução (fls. 152/153, itens b e c; fl. 154, item f, doc. 8); v) fraude processual (fl. 152, item a; fl. 153, item d; fl. 155, item g, doc. 8) vi) ocultação de bens (fl. 155, item i, doc. 8); vii) da Lei de Falência (fl. 156, item j, doc. 8); viii) do art. 177, 1º, I, do CPB (fl. 155, item h, doc. 8); ix) art. 195, V, da Lei 9276/66 (fl. 157, item m, doc. 8). 3 ELPÍDIO DONIZETTI, Membro da Comissão de doze Juristas Brasileiros, nomeada pelo Senado Federal, com a incubência de elaborar o Anteprojeto do novo CPC, Desembargador aposentado do Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais, Bacharel em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC/MG), Mestre em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC/MG), Presidente da Associação Nacional dos Magistrados Estaduais (ANAMAGES) por três biênios, Promotor de Justiça nos Estados de Goiás e Minas Gerais nos anos de 1987/88, Professor concursado na Faculdade de Direito da Universidade Federal de Uberlândia nos anos de 1991/92, Professor de Direito Processual Civil em cursos de pós-graduação do Centro de Gestão Empreendedora (FEAD) e da Universidade do Oeste de Santa Catarina (UNOESC), Professor de Direito Processual Civil em cursos de pós-graduação do Centro Universitário Newton Paiva no período de 2003 a 2012, Ex-professor de Direito Processual Civil em cursos de pós-graduação da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC/MG), Ex-Juiz do Tribunal de Alçada do Estado de Minas Gerais, Ex-Juiz de Direito nas seguintes Comarcas do Estado de Minas Gerais: Perdizes, Frutal, Poços de Caldas, Uberlândia e Belo Horizonte, Ex-Juiz Eleitoral e membro da Comissão da Propaganda eleitoral do TRE- MG, Ex-Diretor do Foro da Comarca de Belo Horizonte, Parecerista, Palestrante e conferencista, Obras Publicadas: Curso Didático de Direito Processual Civil, São Paulo: Editora Atlas; Curso Didático de Direito Civil, em coautoria com o prof. Felipe Quintella, São Paulo: Editora Atlas; Redigindo a Sentença Cível, São Paulo: Editora Atlas; Ações Constitucionais, São Paulo: Editora Atlas; Curso de Processo Coletivo, em coautoria com o prof. Marcelo Malheiros, São Paulo: Editora Atlas; Processo de Execução, São Paulo: Editora Atlas; A última onde reformadora do Código de Processo Civil, Rio de Janeiro: Editora Lumen Juris; Para Passar em Concursos Jurídicos, São Paulo: Editora Método. 4 ARMANDO LUIZ ROVAI, PROFESSOR DOUTOR PELA PUC/SP Professor de Direito Comercial da Faculdade de Direito da Universidade Mackenzie e Professor de Direito Comercial da Puc/SP. Professor convidado da GV/Law e do Insper. Ex- Presidente da Junta Comercial do Estado de São Paulo por 04 mandatos. Ex-Presidente do Ipem/SP 5 REMO DALLA ZANNA. Economista, Contador, Especialista em Administração Empresarial com ênfase em Administração Financeira., Mestre em Administração de Negócios., Perito Judicial e Extrajudicial desde 1992, Professor de perícia em diversas instituições (FECAP - Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado, UNICID - Universidade Cidade de São Paulo, IPEC - Instituto de Pesquisa Econômicas e Contábeis da FAECC - Faculdade de Economia e Ciências Contábeis, da UFMT - Universidade Federal do Mato Grosso e AUDIBRA- Instituto dos Auditores Internos do Brasil) e autor de livros: CONTABILIDADE INSTRUMENTAL PARA PERITOS editado pela IOB Informações Objetivas Publicações Jurídicas Ltda., PRÁTICA DE PERÍCIA CONTÁBIL, editado pela IOB Informações Objetivas Publicações Jurídicas Ltda. e PERÍCIA CONTÁBIL em MATÉRIA FINANCEIRA, editado pela IOB Informações Objetivas Publicações Jurídicas Ltda. 6 ANSELMO DUEÑAS GONZALEZ. Desde 2010, Perito Judicial e extrajudicial de diversos Juízes em Propriedade Industrial (Patente de Invenção e de Processo, Desenho Industrial, Marca); Sistemas de Informação e Infraestrutura; Documentoscopia - Grafotécnica. Mestre em Engenharia Química/Mecânica - Engenharia Térmica e de Fluidos/ Biomassa - FEM/UNICAMP; Graduado em Engenharia Química, habilitado em Engenharia de Alimentos - FENVA; MBA em Gestão de Negócios - Florida Christian University; Licenciatura Plena e Pós-graduação em Matemática.

5 Parecer do Perito Judicial Contábil ELIAS FIGUEIRA LOBO 7, perito oficial de vários Ns. Juízes do Foro Central de São Paulo. Doc. 13 OUTROS DOCUMENTOS DEMONSTRANDO A GRAVIDADE DO CASO Doc. Protestos para fins de falência lavrados Doc. 4 Decisão do E. TJESP determinando a publicação de editais à praça e envio de ofícios para comunicar terceiros sobre as fraudes perpetuadas pelos Réus Doc. 14 Controle da BUENO NETTO transferido para uma OFF SHORE Doc. 15 A OFF SHORE possuí sede em uma caixa postal em um escritório de advocacia Doc O total da fraude ultrapassa a cifra de R$ 500 milhões, pois a dívida com a SPPATRIM é de R$ 160 milhões (doc. 17) e, além disto, há R$ ,56 8 (doc. 18) captados pelos envolvidos no lançamento do empreendimento Parque Global, que foi embargado e estão pingando, todas as semanas, ações de vítimas pugnando os valores pagos de volta (doc. 19). 11. A BUENO NETTO confessa que são centenas de vítimas 9 indefesas, que desconhecem esta situação grave de insolvência e de estrutura de ocultação e desvio de ativos. Somente em 2015, vinte e sete pessoas entraram na Justiça para buscar que o GRUPO BUENO NETTO devolva valores recebidos por apartamentos que foram pagos e sequer foram entregues: 5 Ação e Vara do Foro Central 21VC VC VC VC VC Valor do prejuízo Dados de algumas das vítimas do GRUPO BUENO NETTO R$ ,77 1. MANISH KUMAR NARVANIA, indiano, solteiro, diretor, R.G. nº SSP/SP, i C.P.F./MF nº , com endereço à Rua Doutor Ribeiro de Almeida, 224, bairro Barra Funda, São Paulo-SP, CEP R$ ,63 2. ROBERTO KURZWEIL NETO, brasileiro, solteiro, administrador, de empresas, RG nº , CPF/MF nº , residente e domiciliado na Rua Acarituba, 85, São Paulo SP, CEP R$ ,68 3. MARIANA LOPES DA COSTA, brasileira, casada, empresária, RG SSP/SP, CPF , Rua Coronel Evaristo de Campos, 79, ap. 13, CEP , São Paulo/SP; 4. TADEU DOS SANTOS DA SILVA, brasileiro, casado, empresário, RG SSP/SP, CPF , Rua Embaixador Regis de Oliveira, 189, casa 03, CEP , São Paulo/SP R$ ,26 5. CINTIA KIOKO INAMASSU, brasileira, solteira, farmacêutica, RG nº SSP/SP, CPF/MF nº , residente na Rua da Paz, nº 2.150, apto. 102, Bloco Bahamas, Chácara Santo Antônio, São Paulo/SP, CEP: R$ ,77 6. NICOLE MEALE, italiano, empresário, casado, RNE n. W SE/DFMAF/DPF, CPF , Av. Petroni Júnior, nº 1.083, cj. 511-CE, Cond. Morumbi Shopping, CEP: , Jd. das Acácias, São Paulo-SP. 7 ELIAS FIGUEIRA LOBO, Perito Judicial - Contador - Advogado - Perícias Contábeis - Auditoria Consultoria, Perito das 6 a. 14 a., 15a., 39 a. e 41 a. Varas Cíveis do Foro Central de São Paulo 8 9 queira ser admitido no processo para poder driblar o segredo de Justiça da relação que contém o nome e os dados das centenas de adquirentes das futuras unidades das torres residenciais que estavam sendo incorporadas pela Arconte, para poder se dirigir diretamente àquelas pessoas e lhes narrar as mais escabrosas inverdades (doc. 20)

6 42VC VC VC VC VC VC VC VC VC VC VC VC MARIA DAS DORES FELICIANO, brasileira, solteira, empresária, RG SSP- SP, CPF , Av. Petroni Júnior, nº 1.083, cj. 511-CE, Cond. Morumbi Shopping, CEP: , Jd. das Acácias, São Paulo-SP. R$ ,00 8. Fernando Carlos Alves Cerri, brasileiro, empresário, RG SSP/SP, CPF , Rua Itapaiúna, 1800, apt. 171, Ed. Palazzo, Jardim Morumbi, CEP , São Paulo/SP. 9. Lúcia Helena Silva Cerri, brasileira, empresária, RG SSP/SP, CPF , Rua Itapaiúna, 1800, apt. 171, Ed. Palazzo, Jardim Morumbi, CEP , São Paulo/SP. R$ , MARCELO JOÃO DOS REIS, brasileiro, casado, empresário, RG SS/SP, CPF , Rua Marcus Pereira, 228, apt. 182, Vila Andrade, CEP , São Paulo/SP; 11. MARIA CRISTINA BRASILIENSE GUGLIELMI REIS, brasileira, casada, empresária, RG , CPF , Rua Marcus Pereira, 228, apt. 182, Vila Andrade, CEP , São Paulo/SP. R$ , EDSON LUIZ HERCULANO, brasileiro, empresário, RG X, CPF , Av. Yervant Kissajikian, 2758, Vila Missionária, São Paulo/SP, CEP ; 13. ELIANE DOS SANTOS HERCULANO, brasileira, empresária, RG , CPF , Av. Yervant Kissajikian, 2758, V. Missionária, São Paulo, CEP ; R$ , HENRI KNOBEL ULRYCH, brasileiro, comerciante, RG n SSP/SP, CPF/MF n , Rua Monte Alegre, n 838, apto. 31, Perdizes, Cep: , São Paulo - SP 15. ALESSANDRA CHEHEBAR ULRYCH, brasileira, comerciante, RG n SSP/SP, CPF/MF n , Rua Monte Alegre, n 838, apto. 31, Perdizes, Cep: , na Cidade de São Paulo SP R$ , FERNANDO JOSÉ DA SILVA, brasileiro, empresário, RG nº SSP/SP e CPF/MF nº , Rua Santa Elvira, 149 apto 242-B, Parque São Jorge, São Paulo/SP CEP: MARA REGINA MIELI PIMENTEL SILVA, brasileira, do lar, RG nº X SSP/SP e CPF/MF nº , Rua Santa Elvira, 149 apto 242-B, Parque São Jorge, São Paulo/SP CEP: R$ , DANILO AQUINO IACOVONE, brasileiro, divorciado, engenheiro de produção, RG nº SSP/SP, CPF/MF nº , Alameda Ministro Rocha Azevedo, 619, apto. 151, Cerqueira Cesar, São Paulo SP R$ , REGINALDO MORAES DE CARLO CRUZ, brasileiro, administrador, RG no SSP/SP e CPF/MF nº , Rua Itapaiuna, nº 1800, apto. 21, Torre Z, Jardim Morumbi, CEP nº , São Paulo/SP. R$ , JOSÉ ELIAS DO CARMO SOUZA, brasileiro, casado, empresário, RG nº SSP/PR, e CPF/MF , residente e domiciliado na Rua Deputado Laércio Corte, n. 1200, apto 121 A, Bairro Paraíso do Morumbi, São Paulo/SP, CEP nº , São Paulo/SP R$ , SÉRGIO VILLAS BÔAS PEREIRA, brasileiro, casado, advogado, RG nº SSP/SP, i CPF/MF nº , Rua Joaquim Floriano, nº º andar, Itaim Bibi, São Paulo/SP, CEP , 22. EVANDRO OLIVEIRA DE SOUZA, brasileiro, em união estável, químico, RG nº SSP/SP, CPF/MF nº , Rua Peixoto Gomide, nº Apto. 61, Jardim Paulista, São Paulo/SP, CEP MARÍA SILVEIRA VILA, espanhola, em união estável, jornalista, RNE nº V SSP/SP, CPF/MF sob o nº , Rua Peixoto Gomide, nº Apto. 61, Jardim Paulista, São Paulo/SP, CEP R$ , Pedro Veras Villas Bôas Pereira, brasileiro, solteiro, RG SSP/SP, CPF , Av. Padre Pereira de Andrade, 545, apt. 164, São Paulo/SP, CEP ; 25. Ricardo Villas Boas Pereira, brasileiro, casado, engenheiro, RG SSP/SP, CPF , Al. Atenas, 391, Alphaville 1, CEP , Barueri/SP. R$ , ROSINA GALLARO DA SILVA, italiana, empresária, viúva, RG REN W CGPI/DIREX/DPF, CPF , Rua Itapaiuna, 1800, apt. 34, Amadrias, Jardim Morumbi, São Paulo/SP, CEP R$ , Alessandra Arantes Nuzzo Alves, brasileira, casada, advogada, RG x e CPF/MF , Rua Pico Della Mirandola, 101 apto 52 A, São Paulo SP; 28. Alexandre de Arruda Costa Alves, brasileiro, casado, educador físico, RG n e CPF/MF n , rua Pico Della Mirandola, 101 apto 52 A, Chácara Klabin, São Paulo SP A situação é tão grave e as provas de fraudes tão cabais, que a Em. JUÍZA JULIANA KOGA GUIMARAES, de ofício, em ação de conhecimento, inaudita altera pars e ab initio litis, impôs uma medida cautelar similar ao arresto: O receio da autora é fundado, razão pela qual, com base no poder geral de cautela, concedo liminar e incidentalmente, medida cautelar para que as requeridas depositem em juízo, no prazo de 10 dias do recebimento desta decisão, os valores já pagos pela autora para aquisição do bem descrito na inicial (R$ ,47), bem como, defiro tutela antecipada para que, até o julgamento deste feito, as requeridas suspendam a cobrança das mensalidades devidas em razão do contrato cuja rescisão se pretende. (doc. 21)

7 II DA BLINDAGEM DO ESTADO DE SÃO PAULO AOS BUENO NETTOS 13. Há dezenas de r. sentenças e v. acórdãos condenando e declarando fraudes perpetuadas pelo GRUPO BUENO NETTO e pelas pessoas que estão por atrás de suas atividades. 14. Porém, malgrado sempre se tenha requerido a instauração de inquérito criminal para apurar os atos sob a lupa do direito penal, nada anda contra o GRUPO BUENO NETTO. 15. Por exemplo: FALSIFICAÇÃO DE ATAS E ESTELIONATO: em julho de 2007, o E. TJESP deferiu tutela antecipada (doc. 22), confirmada depois por acórdão (doc. 23), para que fossem exibidas atas e documentos falsificados pelos BUENO NETTOs para vender e desviar ativos da SPPATRIM para terceiros. O inquérito policial foi instaurado em 2010 (doc. 24), tendo em 2012, o Em. Delegado subscrito manifestação de nove laudas narrando um sem número de fraudes perpetuadas pelos BUENO NETTOs para esconder tais atas e se esquivar da aplicação da lei penal (doc. 25). A ação foi julgada procedente (doc. 26), com sentença confirmada pelo E. TJESP (doc. 27), com manifestação expressa da Em. Juíza de que a BUENO NETTO estava utilizando ardis para fingir que havia juntado tais atas no processo (docs. 28 e 29) e, ainda, com condenação da BUENO NETTO em milhões por tal fraude (doc. 99). O inquérito está parado, aguardando prescrição! CORRUPÇÃO ATIVA: há sentença judicial (doc. 30) declarando que a BUENO NETTO se passou pelo Centro de Arbitragem para induzir o 8º. RTD a erro e forjar a notificação inicial da Arbitragem em endereço falso (doc. 31) e, com isto, escolher fraudulentamente como Árbitros advogados sócios da própria banca que a defendia (doc. 32). Após briga de Adalberto Bueno Netto com sua secretária (doc. 33), apreendeu-se judicialmente (doc. 34) contrato de venda de sentenças com o Árbitro (daquele Tribunal Arbitral constituído fraudulentamente), cuja autenticidade foi confirmada por dois Tabeliões (doc. 35) e pelo perito do Juiz Cível (doc. 36). O inquérito policial se encontra aguardando a prescrição. FALSIFICAÇÃO DE ATAS NOTARIAIS: o Em. Juiz da 2ª. Vara de Registros Públicos, em 2012, depois de amplo contraditório e instrução, puniu um Escrevente e um 7

8 Tabelião por forjarem atas notariais com conteúdo falso (doc. 37) para os BUENO NETTOs usarem em juízo para obter liminares, como conseguiram na 38ª. Vara Cível (doc. 38) do Foro Central, com base nas atas e causando danos. O inquérito policial se encontra aguardando a prescrição. FALSIFICAÇÃO DE LAUDOS: para forjar inquéritos e obter liminares fraudulentamente, os BUENO NETTOs contrataram um perito chamado SAMOEL REZENDE e, com os laudos subscritores por este documenteiro, obtiveram liminares e até uma sentença. Em processo na 2ª. Vara de Registros Públicos, já se descobriu que o Sr. SAMOEL REZENDE criou cartões de assinatura com dados falsos para assinar os tais laudos (doc. 39), numa ação que já tentou localizar o tal sujeito em vários Estados e até agora não se descobriu se tal pessoa existe. O Em. Perito Oficial da 39ª. Vara Cível elaborou laudo demonstrando como os Laudos do Sr. SAMOEL REZENDE são frios (doc. 40), mas foram capazes de construir várias liminares e uma sentença. O inquérito policial está aguardando a prescrição (dc. 41). 16. Há dezenas de outros exemplos, mas se optou em relacionar aqueles onde há teratologia manifesta, pois são casos onde a questão de fundo já foi julgada ou está cabalmente comprovada, até com punição administrativa ou condenação civil transita em julgado. Ou seja, são casos onde o Juiz Criminal precisaria, na prática, só sentenciar. 8 III DA POLÍCIA CIVIL À DISPOSIÇÃO DOS BUENO NETTOS 17. Os BUENO NETTOs fazem da Polícia uma extensão dos seus escritórios de advocacia, contando com policiais para os acompanhar em assembleias (doc. 42) e audiências (doc. 43). 18. Há até um TCC (doc. 44), na Academia de Polícia Civil, onde uma Escrivã, impactada pelo uso da Polícia de forma torta pelos BUENO NETTOs, registrou isto oficialmente. 19. Há situações surreais, como um Policial que lavrou uma certidão a moda da casa para instruir ações, dizendo ter presenciado o marido da representante legal da SPPATRIM ameaçar de morte o Sr. Adalberto Bueno Netto e que tal pessoa seria temida no local (doc. 45). Na Corregedoria, tal

9 Policial, cuja demissão já estava no forno (doc. 46) por outras irregularidades, confessou que nunca sequer tinha visto ou estado com o varão da representante legal da SPPATRIM (doc. 47). 20. Em outro inquérito, todos sempre sem sequer a oitiva do marido da representante da SPPATRIM (pois é assim que se constrói fraudes e se engana o Parquet), os BUENO NETTOs falsificaram um bilhete para dar azo a ação penal por ameaça e pedido de arrolamento dos bens da SPPATRIM (doc. 55). Depois de anos de constrangimento, a ação foi rejeitada pelo E. TJESP (doc. 56) e a falsidade do bilhete comprovada por exame pericial (doc. 57). 21. Em outro inquérito, com imensa repercussão na imprensa, os BUENO NETTOs forjaram um laudo do Instituto de Criminalística dizendo que a Sra. Patrícia Bueno Netto estaria inválida e gravemente lesionada em função de ameaças e coações sofridas (doc. 58). Na instrução da ação, se juntou fotos do FACEBOOK comprovando que a Sra. Patrícia Bueno Netto estava absolutamente saudável em um casamento, no da seguinte do laudo (dc. 59), provas da falsificação dos SMSs onde estariam contidas as ameaças (doc. 60), relatório de presença de Patrícia Bueno Netto na faculdade nos trinta dias subsequentes ao laudo (doc. 61) e outras provas cabais de fraude, o que resultou na excepcional retratação do recebimento da denúncia (doc. 62) Não se tratou de um laudo canhestro assinado por um Perito qualquer, mas pelo Legista Paulo Argarate Vasquez, então superintendente da Polícia Científica (doc. 63) e, logo, pessoa de confiança do alto escalação do GOVERNADOR. 23. Outro caso emblemático é do Delegado José Mariano de Araújo Filho, que era o porta-voz da BUENO NETTO em entrevistas contra o marido da diretora da SPPATRIM, em matérias compradas, julgadas ilegais pelo Judiciário (doc. 48). 24. O Delegado José Mariano de Araújo Filho chegou a escoltar a Sra. Patrícia Bueno Netto em ação de alimentos e apreender o marido da diretora da SPPATRIM, na audiência, para ser ouvida em inquérito por crimes contra a honra, em que pese jamais ter realizado intimação anterior, além de crime contra a honra se tratar de infração de menor potencial ofensivo e, o que é pior, descumprindo ordem judicial do Juiz ROBSON CANDELÓRIO, que havia deferido ordem de habeas corpus para que não fosse feito qualquer depoimento (doc. 49).

10 25. Foi o próprio Delegado José Mariano de Araújo Filho que indicou aos BUENO NETTOs o documenteiro SAMOEL REZENDE para forjar laudos para obtenção de liminares (dc. 50). 26. Em inquérito na Delegacia do Delegado José Mariano de Araújo Filho, os BUENO NETTOs forjaram depoimentos de ex-funcionários do marido da representante da SPPATRIM (doc. 51) e uma falsa lista de vítimas para induzir o Parquet ao erro e oferecer denúncia com imensa repercussão (doc. 52). Após a defesa prévia e o primeiro contraditório, houve a absolvição sumária, pois se tratava de uma fraude (docs. 53 e 54). 27. A milícia infiltrada no Estado blindado pelo Governador é tão clara, que mesmo quando o Delegado José Mariano teve sua demissão ordenada pelo Conselho da Polícia, o v. decisório foi revertido pelo Secretário de Segurança Pública, que sequer possuía competência para tal ato (doc. 64 só o Governador que pode condenar ou absolver Delegado de Polícia, máxime absolver quando os concorrentes foram condenados) e, por ter plena ciência da ilicitude do cambalacho, omitiu o nome do Delegado no Diário Oficial. 10 IV DA BLINDAGEM FEITA SECRETÁRIO PESSOAL DO GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN E NECESSÁRIA DEPURAÇÃO DA QUESTÃO DE FUNDO 28. Tudo isto só é possível pelo Governador GERALDO ALCKMIN ser supostamente o verdadeiro dono da OFF SHORE ADELTOWN INTERNATIONAL S.A, com sede no Uruguai, e que é a principal sócia dos negócios da BUENO NETTO (após a família BUENO NETTO), que inclusive é sócia desde o início do empreendimento Parque Global, com VGV de R$ 8 bilhões (dc. 65). 29. A OFF SHORE ADELTOWN INTERNATIONAL S.A é a controladora da HARTE INVESTIMENTOS, detentora de 20% do empreendimento (doc. 66), ou seja, de um VGV de R$ 1,6 bilhões. 30. Esta influência que explica como que um dos maiores empreendimentos em construção no Brasil, em uma fazenda de metros quadrados num dos locais mais nobres de São Paulo, conseguiu ser lançada, com enorme exposição (doc. 67), sem sequer as licenças e estudos ambientes.

11 31. Se não fosse uma ONG e um cidadão, por meio de ações populares (doc. 68), se teria construído um bairro novo em São Paulo, ao arrepio das mais básicas leis ambientais. 32. Isto só é possível pelo Poder do Exmo. Sr. Governador GERALDO ALCKMIN, que inclusive cumpriu sua parte e colocou uma estação de Metrô (doc. 69), das mais modernas e futuristas, na porta do empreendimento para multiplicar o seu VGV, que foi majorado de R$ 1 para R$ 8 bilhões (dc. 70). 33. A relação do Sr. BUENO NETTO com o Exmo. Sr. Governador é pública, com a eleição de obras estratégicas para aproximar o Sr. BUENO NETTO das autoridades necessárias. 11 Adalberto Bueno Netto, o Exmo. Sr. Governador e o Exmo. Sr. Procurador Geral 10 (doc. 71) 34. Como se explica que se lançou um bairro novo, no meio de São Paulo, com metros quadrados de terreno, R$ 8 bilhões de VGV, sem sequer estudo de impacto ambiental, em cima de uma área explosível e envenenada, sem que o MPE ou as autoridades estatais tenham visto nada, com aprovação dos Órgãos Estatais, que defendem veementemente o empreendimento (doc. 72)? Como que o MPE só foi a juízo barrar a fraude, quando liminares já haviam sido deferidas (doc. 73), contra o parecer ministerial (doc. 74), em ações de cidadãos 11? 35. O envolvimento do Sr. Governador é público e notório, como confessado por um dos investidores do projeto: e

12 12 Conversei com o governador Geraldo Alckmin, que me ouviu e se mostrou muito sério. Ele disse que está realmente comprometido

13 36. O nível de interesse do Exmo. Sr. Governador é tão manifesto, que o sócio de seu Secretário Pessoal (dc. 75), desde o início, atua em defesa dos BUENO NETTOs, inclusive em trabalhos ilegais, como simular uma reunião de acordo para, em seguida, ir depor dizendo que seria extorsão (doc. 76). 37. Que advogado prestaria este papel, de marcar um encontro com a parte adversa e um advogado, simulando que se trataria de uma conversa para composição, e, em seguida, ir na delegacia dizer que a proposta de acordo seria extorsão, se não tivesse convicção de estar acima da lei? 38. Enfim, tal depoimento, ao menos, comprova que o Secretário Pessoal do Governador e seus sócios na banca de advocacia atuam de forma intensa no caso desde o início, em especial na seara criminal, o que explica esta proteção. 39. Mas esta relação mais do que promiscua e suspeita, se agravou após o embargo do empreendimento pelo Judiciário e a situação de insolvência do GRUPO BUENO NETTO. 40. Ao meio de um golpe de mais de R$ 500 milhões, o Dr. RICARDO DE AQUINO SALLES, Secretário Pessoal do Governador, se mudou da antessala do Governador (doc ), para dentro da sede dos investigados (doc. 78), com o objetivo de intensificar este processo de blindagem do Estado e presença do Exmo. Governador no dia a dia deste negócio bilionário. 13 Doc. 77/79: o Secretário Particular do Governador foi trabalhar dentro da BUENO NETTO e, na véspera de julgamentos, recebe substabelecimentos em processos que nunca assinou uma petição, para ir representar o Governador junto a Magistrados Causa perplexidade que o Dr. RICARDO SALLES é fortemente atacado, publica e virulentamente, em revistas de circulação nacional, pelo próprio PSDB, mas é mantido e endossado pelo Governador. Por que? A resposta é óbvia!

14 41. Causa perplexidade que o Dr. RICARDO SALLES era fortemente atacado, publica e virulentamente, em revistas de circulação nacional, inclusive em matéria na Carta Capital (doc. 77), pelo próprio PSDB, mas era mantido e endossado pelo N. Governador. Por que? A resposta é óbvia! 42. O Dr. RICARDO AQUINO SALLES é um advogado de formação mediana e que jamais deve ter escrito uma petição, mas que enriqueceu (possuindo, aos quarenta anos de idade, barco [doc. 80] e vivendo fumando charuto [doc. 81]) pelos bastidores da Pátria Brasil, o que inclusive é objeto de expediente à Receita Federal (doc. 82). 11/06/ h04 - Atualizado em 11/06/ h04 Ricardo Salles continua se passando por Secretário de Alckmin Fabiano Portilho (...) segundo diversas fontes ouvidas pelo I9, Ricardo de Aquino Salles vive como lobista, se apresentando como Secretário de Estado de Geraldo Alckmin, inclusive se passando como secretário de estado para ser recebido por Juízes e Desembargadores. Em pesquisa no site do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, o I9 encontrou vários processos onde Ricardo de Aquino Salles, sem jamais ter sido advogado nos autos, é constituído, às vésperas do julgamento, como advogado, para ser recebido por Desembargadores como secretário de estado do Governador Geraldo Alckmin. Um advogado ouvido pelo I9, disse que isto ocorreu até em processos de outras bancas, sem qualquer relação com o escritório de advocacia CARVALHO DE AQUINO, SALLSE E MESQUITA FILHO. No processo n , por exemplo, RICARDO DE AQUINO SALLES foi constituído, semanas antes do julgamento, pelo GRUPO BUENO NETTO, de Adalberto Bueno Netto, que é citado em diversas investigações envolvendo tráfico de influência no Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul. Há pouco meses, o Juiz Juliano Rodrigues Valentim rejeitou liminarmente queixa crime ajuizada por Adalberto Bueno Netto, controlador do GRUPO BUENO NETTO e contratante de RICARDO DE AQUINO SALLES, para coibir notícias de investigações sobre sua participação em investigações sobre tráfico de influência no Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul. Segundo a decisão do Juiz Juliano Rodrigues Valentim "verifica-se da documentação apresentada (pgs. 26/66) que as notícias eletrônicas divulgadas pelos querelados são todas embasadas em investigações e notícias divulgadas por essas investigações realizadas pelo Conselho Nacional de Justiça." Segundo o Juiz "Não se tratam, pois, de informações inventadas pelos querelados e sim apenas de narrativa de denúncia que já existia, inclusive com menção de que há investigação preliminar no âmbito do Conselho Nacional de Justiça." O Magistrado ainda registrou a relevância social da matéria impugnada por Adalberto Bueno Netto, pois se trata do maior escândalo de corrupção que se tem notícias em Mato Grosso do Sul: "Logo, ainda mais quando o envolvido realmente causa um grande interesse público nas divulgações das notícias a respeito, por se tratar, talvez, do maior escândalo deste Estado." Informações extraídas da ação n (doc. 83) Em seu currículo, na internet, atualizado recentemente, o Dr. RICARDO DE AQUINO SALLES continua a se 13

15 qualificar como Secretário Pessoal do Sr. Governador (doc. 84), o que também ocorre em seu blog pessoal e em seu facebook. 15 CONTINUA SENDO SECRETÁRIO PESSOAL DO GOVERNADOS (DOC. 84)

16 44. Como visto, o próprio RICARDO SALLES confessa que continua sendo secretário do Governador, mas agora destacado para cuidar da BUENO NETTO, envolvendo bilhões. 45. Em poucos meses de atuação direta e pública no caso, o Dr. RICARDO DE AQUINO SALLES demonstra ser mágico. 46. Em uma primeira investida, o Dr. RICARDO AQUINO SALLES, através do Juiz ULYSSES DE OLIVEIRA GONÇALVES JUNIOR, forjou um encontro com o Juiz GUILHERME MADEIRA para tentar virar uma negativa de liminar na ação ordinária de anulação da sentença arbitral. O Juiz GUILHERME MADEIRA, um dos mais sérios do Brasil, ao entender o que se tentava, expulsou o Dr. RICARDO AQUINO SALLES do seu gabinete (doc. 85). 47. Em uma segunda investida, o Dr. RICARDO DE AQUINO SALLES ligou para dois dos pareceristas oferecendo dinheiro para que mudassem os pareceres. Ou seja, corrupção sem cerimônia, oferendo propina para quem sequer conhece! 48. Em uma terceira ação, o Dr. RICARDO SALLES forjou um processo administrativo na JUCESP para suspender os atos que trocavam a administradora da SPPATRIM e, com isto, alegar que a SPPATRIM estava acéfala 14 e que todas as procurações nas ações eram nulas. Com isto, se tentava extinguir o processo de falência e as execuções da dívida Pasme, Exa., o Dr. RICARDO DE AQUINO SALLES, provavelmente, que escreveu o Parecer da Procuradoria da JUCESP (um parecer teratológico, contra outros pareceres assinados em casos iguais no mesmo mês pelos Procuradores e por um Procurador que mora em uma mansão e anda de carro importado), tanto que possuía seu original (doc. 86) antes mesmo que fosse juntado no processo administrativo e antes de estar numerado, malgrado se tratasse de um processo sigiloso, onde os clientes do Dr. RICARDO SALLES não são parte 15 e onde não há qualquer pedido de cópia ou vista pelo Dr. RICARDO SALLES. 50. A SPPATRIM se voltou virulentamente contra o esquema em mais de dez foros (doc. 87) e, em seguida, dois dos 14 Problema que só foi regularizado por ordem judicial sustando tal golpe (doc. 89) 15 A SPPATRIM, para ter vistas dos autos que é parte, depois que todo o esquema já estava consumado, precisou se submeter a todo um processo de autorização (doc. 88)

17 Vogais da JUCESP eleitos na quota pessoal do Exmo. Sr. Governador, ao meio das investigações, pediram demissão. 51. Repita-se: os vogais que pediram demissão após a denúncia sobre o caso, se tratavam de dois vogais da quota pessoal do Governador, um era o próprio Presidente da JUCESP quando o processo administrativo fraudulento se iniciou e, pasme, inexplicavelmente, contra lei federal cogente, estavam sendo reconduzidos para o terceiro mandato. 52. Como ninguém viu ilegalidade tão manifesta? 53. Mostrando ainda mais seu poder e estar acima do bem e do mal, em audiência do dia , o Dr. RICARDO SALLES disse, na presença de várias testemunhas, que pararia o inquérito na Delegacia de Crimes Financeiros do DEIC, que investiga o golpe de R$ 500 milhões acima relatado, pois, segundo alegava, o inquérito estava tramitando muito rápido. Dito e feito. Em petição em processo no E. TJESP, o Dr. RICARDO SALLES e sua organização juntaram certidão comprovando que o inquérito foi para outra delegacia (da delegacia de crime financeiros [que é a competente por assunto para investigar uma fraude financeira] para, inexplicavelmente, a de crimes funcionais doc. 90), como havia sido prometido pelo Secretário do Governador e lobista oficial Como se observa, revoltado com o laudo da perícia realizada nos autos do Inquérito e com a eminência de oitiva de dezenas de vítimas no inquérito que apura as fraudes, o Secretário Pessoal do Governador conseguiu tirar o inquérito da Delegacia Competente (de fraudes financeiras) e enviar para a de crimes funcionais, o que só seria possível (pela forma e velocidade) com ordem e endosso de alguém muito poderoso. 55. Pasme, o Dr. RICARDO DE AQUINO SALLES juntou, no agravo de instrumento, até cópia de s internos trocados pelos Delegados (doc. 91). Como que os advogados dos investigados possuem até os documentos internos da Polícia? 56. Ora, estas mágicas são só possíveis por se tratar do Secretário Pessoal do Governador, tratando dos interesses pessoais do Governador, em um negócio bilionário. 57. Excelência, este inquérito policial é tratado pessoalmente pelo Exmo. Sr. Secretário de Segurança Pública

18 e o Dr. RICARDO RICAROD SALLES, tanto que a representação inicial foi assinada pelo Dr. RICARDO SALLES e despachada pessoalmente pelo N. Secretário de Segurança Pública (doc. 1). 58. Repare, Exa., que a representação assinada pelo Dr. Ricardo Salles é acompanhada de procuração onde o Dr. Ricardo Salles é constituído pelo GRUPO BUENO NETTO especialmente para tratar de assuntos na polícia, na Corregedoria de Polícia e na Corregedoria do Estado (doc. 1) Na procuração, o Dr. RICARDO SALLES declina, novamente, seu endereço dentro da sede da BUENO NETTO (dc. 1). 60. Na representação, não se imputa nada de grave contra o laudo e nem se ataca seu mérito, mas com base em tal expediente, seis dias úteis depois, o N. Delegado Geral Corregedor subscreveu portaria avocando o inquérito (doc. 1). 61. Neste ponto, o 4 o, do artigo 2º, da Lei n /2013, foi criado, pelo Congresso Nacional, para tentar colocar ordem no uso torto das policiais civis nos estados:

19 O inquérito policial ou outro procedimento previsto em lei em curso somente poderá ser avocado ou redistribuído por superior hierárquico, mediante despacho fundamentado, por motivo de interesse público ou nas hipóteses de inobservância dos procedimentos previstos em regulamento da corporação que prejudique a eficácia da investigação. 62. A v. decisão (doc. 92) que avocou o inquérito não possui uma única linha de fundamentação e muito menos de motivação específica para atender as duas únicas hipóteses autorizadoras da avocação previstas na lei federal, que revogou qualquer lei estadual anterior ou portaria policial: por motivo de interesse público ou nas hipóteses de inobservância dos procedimentos previstos em regulamento da corporação que prejudique a eficácia da investigação. 63. Qual o interesse público no caso ou o que não é observado que prejudicaria a eficácia das investigações? O interesse é a proteção do suposto negócio do Governador? 64. Dias depois da avocação do inquérito policial violando norma federal cogente, o Em. Delegado Natural que investigava o caso foi ouvido (doc. 1) e no mesmo dia o Perito do Instituto de Criminalística que assinou o laudo (doc. 1) Tudo a toque de caixa, em função de um laudo que pende acusação de ter sido feito muito rápido, em pouco mais de vinte dias (é surreal, pois o art. 160, do, CPP impõe prazo de dez dias)! 66. Após ouvir a SPPATRIM, o Delegado Corregedor Sorteado que investigava o caso, confessou as pressões mafiosas que estava sofrendo (doc. 2) e se declarou suspeito. 67. Disse, em bom tom, que sabia que se não fizesse o que seus chefes esperavam, seria afastado (doc. 2). 68. E se declarou suspeito, confessando que as pressões são muito mais fortes do que todos imaginam (doc. 3). 69. O que explica o Sr. Governador destacar seu próprio Secretário Pessoal, utilizando toda sua rede pessoal de proteção, para cuidar dos interesses de um empreendimento? 70. A proteção, ao arrepio da lei, é manifesta!

20 71. E tudo isto sem sequer uma única impugnação ao conteúdo do laudo, somente por alegar que foi rápido me seria extenso demais! Nada pode ser mais pueril e revelador! 72. Cabe, neste ponto, tecer algumas palavras sobre a regularidade do inquérito policial e do tal laudo. 73. Por meio de notitia criminis da SPPATRIM regularmente distribuída (dc. 95) no DEIC, instaurou-se o IP n para a apuração de graves fraudes financeiras, na Delegacia de Fraudes Financeiras, pois é esta delegacia que tem competência para fraudes financeiras. 74. A notitia criminis foi instruída com cinco pareceres independentes subscritos por Experts de notório conhecimento e reputação ilibada, entre eles o Desembargador Aposentado ELPÍDIO DONIZETTI, membro da Comissão que escreveu o novo CPC e um dos doutrinadores mais famosos do Brasil. Além do conclusivo parecer do Desembargador ELPÍDIO DONIZETTI, as fraudes estão comprovadas por Parecer do Prof. Dr. ARMANDO LUIZ ROVAI e por pareceres de três peritos Judiciais renomados, entre eles o autor de vários livros sobre fraudes financeiras e contábeis, Dr. REMO DALLA ZANNA. 20 PARECER-LAUDO INDEPENDENTE EM CONSONÂNCIA COM O LAUDO OFICIAL Documento Parecer do Desembargador aposentado ELPÍDIO DONIZETTI 16 ; Doc. 9 Parecer do Professor Advogado ARMANDO LUIZ ROVAI 17 ; Doc. 10 Parecer do Perito Judicial Contador e Economista REMO DALLA ZANNA 18 Doc. 11 Parecer do Perito Judicial Engenheiro ANSELMO DUEÑAS 19 Doc ELPÍDIO DONIZETTI, Membro da Comissão de doze Juristas Brasileiros, nomeada pelo Senado Federal, com a incubência de elaborar o Anteprojeto do novo CPC, Desembargador aposentado do Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais, Bacharel em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC/MG), Mestre em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC/MG), Presidente da Associação Nacional dos Magistrados Estaduais (ANAMAGES) por três biênios, Promotor de Justiça nos Estados de Goiás e Minas Gerais nos anos de 1987/88, Professor concursado na Faculdade de Direito da Universidade Federal de Uberlândia nos anos de 1991/92, Professor de Direito Processual Civil em cursos de pós-graduação do Centro de Gestão Empreendedora (FEAD) e da Universidade do Oeste de Santa Catarina (UNOESC), Professor de Direito Processual Civil em cursos de pós-graduação do Centro Universitário Newton Paiva no período de 2003 a 2012, Ex-professor de Direito Processual Civil em cursos de pós-graduação da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC/MG), Ex-Juiz do Tribunal de Alçada do Estado de Minas Gerais, Ex-Juiz de Direito nas seguintes Comarcas do Estado de Minas Gerais: Perdizes, Frutal, Poços de Caldas, Uberlândia e Belo Horizonte, Ex-Juiz Eleitoral e membro da Comissão da Propaganda eleitoral do TRE-MG, Ex-Diretor do Foro da Comarca de Belo Horizonte, Parecerista, Palestrante e conferencista, Obras Publicadas: Curso Didático de Direito Processual Civil, São Paulo: Editora Atlas; Curso Didático de Direito Civil, em coautoria com o prof. Felipe Quintella, São Paulo: Editora Atlas; Redigindo a Sentença Cível, São Paulo: Editora Atlas; Ações Constitucionais, São Paulo: Editora Atlas; Curso de Processo Coletivo, em coautoria com o prof. Marcelo Malheiros, São Paulo: Editora Atlas; Processo de Execução, São Paulo: Editora Atlas; A última onde reformadora do Código de Processo Civil, Rio de Janeiro: Editora Lumen Juris; Para Passar em Concursos Jurídicos, São Paulo: Método. 17 ARMANDO LUIZ ROVAI, PROFESSOR DOUTOR PELA PUC/SP Professor de Direito Comercial da Faculdade de Direito da Universidade Mackenzie e Professor de Direito Comercial da Puc/SP. Professor convidado da GV/Law e do Insper. Ex- Presidente da Junta Comercial do Estado de São Paulo por 04 mandatos. Ex-Presidente do Ipem/SP 18 REMO DALLA ZANNA. Economista, Contador, Especialista em Administração Empresarial com ênfase em Administração Financeira., Mestre em Administração de Negócios., Perito Judicial e Extrajudicial desde 1992, Professor de perícia em diversas instituições (FECAP - Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado, UNICID - Universidade Cidade de São Paulo, IPEC - Instituto de Pesquisa Econômicas e Contábeis da FAECC - Faculdade de Economia e Ciências Contábeis, da UFMT - Universidade Federal do Mato Grosso e AUDIBRA- Instituto dos Auditores Internos do Brasil) e autor de livros: CONTABILIDADE INSTRUMENTAL PARA PERITOS editado pela IOB Informações Objetivas Publicações Jurídicas Ltda., PRÁTICA DE PERÍCIA CONTÁBIL, editado pela IOB Informações Objetivas Publicações Jurídicas Ltda. e PERÍCIA CONTÁBIL em MATÉRIA FINANCEIRA, editado pela IOB Informações Objetivas Publicações Jurídicas Ltda. 19 ANSELMO DUEÑAS GONZALEZ. Desde 2010, Perito Judicial e extrajudicial de diversos Juízes em Propriedade Industrial (Patente de Invenção e de Processo, Desenho Industrial, Marca); Sistemas de Informação e Infraestrutura; Documentoscopia - Grafotécnica. Mestre em Engenharia

21 Parecer do Perito Judicial Contábil ELIAS FIGUEIRA LOBO 20. Doc Dada à necessidade de prova técnica oficial, o Em. Delegado de Polícia acolheu pedido da SPPATRIM de envio dos autos para perícia oficial no Instituto de Criminalística, bem como os trinta e um quesitos sugeridos. 76. No Instituto de Criminalística, houve a regular distribuição (doc. 96), nos termos da lei, entre os vários Peritos Contábeis e, ao final, o Em. Perito Contábil oficial ratificou e apresentou suas considerações sobre o que já estava claríssimo nos outros cinco pareceres (docs. 9/13). 77. É importante frisar que as fraudes já estavam bastante evidenciadas em várias ordens processuais (docs. 97 e 98) e na sentença arbitral (doc. 99), prolatada por um Tribunal Arbitral no Centro de Arbitragem mais renomado da América Latina 21 e composto por um Perito Judicial Contador e Auditor e presidido pelo Prof. Dr. da USP MAURO RODRIGUES PENTEADO. 78. As fraudes são tão graves, que os Árbitros, com a adesão até do co-árbitro eleito pelos investigados, impuseram a mais alta multa por violação à boa (fraudes doc. 99) dos anais forenses, no montante atualizado de R$ 32 milhões, que foi confirmada pelo Eg. TJESP, em v. acórdão (doc. 100) relatado pelo N. Desembargador CLAUDIO LUIZ BUENO DE GODOY Deveras, inconformados com o laudo oficial ter sido feito em pouco mais de trinta dias (e sem jamais impugnar uma única de suas repostas!), os investigados utilizam a velocidade de entrega do laudo, como bandeira oportunista, para alegar que haveria um conluio! Ora, conluio com o distribuidor do DEIC, com o Delegado da Delegacia de Crimes Financeiros, com o distribuidor dos Peritos Contábeis e com o Perito Contábil? 80. Conluio para que? O laudo oficial, assinado por profissional contábil com currículo de longe muito menos denso, somente ratifica cinco pareceres muito mais incisivos nas fraudes, assinados por três renomados Peritos Judiciais, Química/Mecânica - Engenharia Térmica e de Fluidos/ Biomassa - FEM/UNICAMP; Graduado em Engenharia Química, habilitado em Engenharia de Alimentos - FENVA; MBA em Gestão de Negócios - Florida Christian University; Licenciatura Plena e Pós-graduação em Matemática. 20 ELIAS FIGUEIRA LOBO, Perito Judicial - Contador - Advogado - Perícias Contábeis - Auditoria Consultoria, Perito das 6 a. 14 a., 15a., 39 a. e 41 a. Varas Cíveis do Foro Central de São Paulo 21 Centro de Arbitragem e Mediação da Câmara de Comércio Brasil-Canadá

Poder Judiciário do Estado de Mato Grosso do Sul

Poder Judiciário do Estado de Mato Grosso do Sul fls. 82 SENTENÇA Autos n. 0844615-78.2013.8.12.0001 Ação: Representação Criminal/notícia de Crime Requerente: ADALBERTO BUENO NETTO Requerido: DARIA RODRIGUES DE SOUZA e outros Vistos... Cuidam os presentes

Leia mais

Petição Inicial. OBS: todas as petições iniciais obedecem aos mesmos requisitos, seja ela de rito ordinário, sumário, cautelar procedimento especial.

Petição Inicial. OBS: todas as petições iniciais obedecem aos mesmos requisitos, seja ela de rito ordinário, sumário, cautelar procedimento especial. Petição Inicial A Petição inicial é a peça por meio da qual o autor provoca a atuação jurisdicional do Estado. A sua redação deverá obedecer a determinados requisitos estabelecidos no artigo 282 do CPC.

Leia mais

EXMO. SR. DR. JUIZ DE DIREITO DA VARA CÍVEL DO FORO CENTRAL DA COMARCA DE SÃO PAULO.

EXMO. SR. DR. JUIZ DE DIREITO DA VARA CÍVEL DO FORO CENTRAL DA COMARCA DE SÃO PAULO. EXMO. SR. DR. JUIZ DE DIREITO DA VARA CÍVEL DO FORO CENTRAL DA COMARCA DE SÃO PAULO...., brasileiro, casado, médico, portador da Cédula de Identidade RG nº... - SSP/SP, inscrito no CPF/MF sob nº... com

Leia mais

ACÓRDÃO. O julgamento teve a participação dos Exmos. Desembargadores CHRISTINE SANTINI (Presidente) e CLAUDIO GODOY.

ACÓRDÃO. O julgamento teve a participação dos Exmos. Desembargadores CHRISTINE SANTINI (Presidente) e CLAUDIO GODOY. fls. 133 ACÓRDÃO Registro: 2014.0000597809 Vistos, relatados e discutidos estes autos de Agravo de Instrumento nº 2120157-80.2014.8.26.0000, da Comarca de São Paulo, em que é agravante EMPRESA FOLHA DA

Leia mais

PROCESSO PENAL COMNENTÁRIOS RECURSOS PREZADOS, SEGUEM OS COMENTÁRIOS E RAZÕES PARA RECURSOS DAS QUESTÕES DE PROCESSO PENAL.

PROCESSO PENAL COMNENTÁRIOS RECURSOS PREZADOS, SEGUEM OS COMENTÁRIOS E RAZÕES PARA RECURSOS DAS QUESTÕES DE PROCESSO PENAL. PROCESSO PENAL COMNENTÁRIOS RECURSOS PREZADOS, SEGUEM OS COMENTÁRIOS E RAZÕES PARA RECURSOS DAS QUESTÕES DE PROCESSO PENAL. A PROVA FOI MUITO BEM ELABORADA EXIGINDO DO CANDIDATO UM CONHECIMENTO APURADO

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ DE DIREITO DA VARA CRIMINAL DA COMARCA DE GOIÂNIA - GO

EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ DE DIREITO DA VARA CRIMINAL DA COMARCA DE GOIÂNIA - GO EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ DE DIREITO DA VARA CRIMINAL DA COMARCA DE GOIÂNIA - GO Inquérito Policial n.º: 234/2005 Vítima: Administração Pública Réu: Honestino Guimarães Rosa O MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS Curso de Ciências Contábeis com Ênfase em Controladoria

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS Curso de Ciências Contábeis com Ênfase em Controladoria PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS Curso de Ciências Contábeis com Ênfase em Controladoria PERÍCIA CONTÁBIL NA APURAÇÃO DE HAVERES: ESTUDO DE CASO DE AVALIAÇÃO JUDICIAL DE UMA GRÁFICA Rodrigo

Leia mais

Tribunal de Justiça de Minas Gerais

Tribunal de Justiça de Minas Gerais Número do 1.0024.14.148142-4/001 Númeração 0807534- Relator: Relator do Acordão: Data do Julgamento: Data da Publicação: Des.(a) Mariângela Meyer Des.(a) Mariângela Meyer 24/02/2015 06/03/2015 EMENTA:

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO fls. 200 Registro: 2014.0000390320 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos de Agravo de Instrumento nº 2044896-12.2014.8.26.0000, da Comarca de Franca, em que é agravante MINISTÉRIO PÚBLICO

Leia mais

TERRAS COELHO ADVOGADOS é uma sociedade de

TERRAS COELHO ADVOGADOS é uma sociedade de TERRAS COELHO ADVOGADOS é uma sociedade de advogados devidamente registrada da Ordem dos Advogados do Brasil sob o nº 15.196, e atual nos mais variados ramos do direito, com atuação preventiva e contenciosa

Leia mais

Deontologia Jurídica. Professor Roberto Morgado rnmorgado@hotmail.com www.morgadodeontologia.blogspot.com Aula 1

Deontologia Jurídica. Professor Roberto Morgado rnmorgado@hotmail.com www.morgadodeontologia.blogspot.com Aula 1 Deontologia Jurídica Professor Roberto Morgado rnmorgado@hotmail.com www.morgadodeontologia.blogspot.com Aula 1 ATIVIDADE PRIVATIVA QUESTÃO Nº01 A empresa Consumidor Ltda., composta por contadores, despachantes,

Leia mais

Crimes praticados por militares estaduais contra civis Procedimentos a serem adotados, CPP ou CPPM?

Crimes praticados por militares estaduais contra civis Procedimentos a serem adotados, CPP ou CPPM? Crimes praticados por militares estaduais contra civis Procedimentos a serem adotados, CPP ou CPPM? A Justiça Militar Estadual por força de expressa vedação contida no art. 125, 4º, da CF/88, não tem competência

Leia mais

Estado de Goiás PREFEITURA MUNICIPAL DE ANICUNS Adm. 2013 / 2016 EDITAL 009-2015 CHAMAMENTO PÚBLICO QUALIFICAÇÃO DE ORGANIZAÇÕES SOCIAIS

Estado de Goiás PREFEITURA MUNICIPAL DE ANICUNS Adm. 2013 / 2016 EDITAL 009-2015 CHAMAMENTO PÚBLICO QUALIFICAÇÃO DE ORGANIZAÇÕES SOCIAIS EDITAL 009-2015 CHAMAMENTO PÚBLICO QUALIFICAÇÃO DE ORGANIZAÇÕES SOCIAIS A Secretaria Municipal de Educação de Anicuns, pessoa jurídica de direito público, inscrita no CNPJ: 02.262.368/0001-53, por intermédio

Leia mais

PROTOCOLO E JUSTIFICAÇÃO DE INCORPORAÇÃO DA OHL BRASIL PARTICIPAÇÕES EM INFRA-ESTRUTURA LTDA. POR OBRASCON HUARTE LAIN BRASIL S.A.

PROTOCOLO E JUSTIFICAÇÃO DE INCORPORAÇÃO DA OHL BRASIL PARTICIPAÇÕES EM INFRA-ESTRUTURA LTDA. POR OBRASCON HUARTE LAIN BRASIL S.A. PROTOCOLO E JUSTIFICAÇÃO DE INCORPORAÇÃO DA OHL BRASIL PARTICIPAÇÕES EM INFRA-ESTRUTURA LTDA. POR OBRASCON HUARTE LAIN BRASIL S.A. Por este instrumento, OBRASCON HUARTE LAIN BRASIL S.A., companhia aberta

Leia mais

AÇÃO CIVIL PÚBLICA Valor de Mercado

AÇÃO CIVIL PÚBLICA Valor de Mercado AÇÃO CIVIL PÚBLICA Valor de Mercado Resumo: Tomamos a iniciativa de relatar este caso, dado seu interesse e relevância para o segmento segurador, além do significado para os consumidores de seguros, especialmente

Leia mais

Perito em Computação Forense

Perito em Computação Forense Perito em Computação Forense Marcos Monteiro http://www.marcosmonteiro.com.br contato@marcosmonteiro.com.br Ciência Forense Criminal A ciência forense criminal traz a prática da investigação o que chamamos

Leia mais

Política Uniforme de Solução de Disputas Relativas a Nomes de Domínio

Política Uniforme de Solução de Disputas Relativas a Nomes de Domínio Política Uniforme de Solução de Disputas Relativas a Nomes de Domínio Política aprovada em 26 de agosto de 1999 Documentos de implementação aprovados em 24 de outubro de 1999 Versão em português da Organização

Leia mais

MANDADO DE SEGURANÇA PREVENTIVO E CPI ESTADUAL É cabível autorização para quebra de sigilo anteriormente ao ato?

MANDADO DE SEGURANÇA PREVENTIVO E CPI ESTADUAL É cabível autorização para quebra de sigilo anteriormente ao ato? MANDADO DE SEGURANÇA PREVENTIVO E CPI ESTADUAL É cabível autorização para quebra de sigilo anteriormente ao ato? * por Bruno Barata Magalhães (Advogado especializado em Direito Administrativo, Direito

Leia mais

Nele também são averbados atos como o reconhecimento de paternidade, a separação, o divórcio, entre outros, além de serem expedidas certidões.

Nele também são averbados atos como o reconhecimento de paternidade, a separação, o divórcio, entre outros, além de serem expedidas certidões. No Cartório de Registro Civil das Pessoas Naturais são regis- trados os atos mais importantes da vida de uma pessoa, como o nascimento, o casamento e o óbito, além da emancipação, da interdição, da ausência

Leia mais

CASUÍSTICA DE GRAFOTECNIA

CASUÍSTICA DE GRAFOTECNIA FLS. 1 CASUÍSTICA DE GRAFOTECNIA D-511 No mês de março deste ano de 2015, foram encaminhados ao Instituto de Criminalística do Paraná, por uma Delegacia de Polícia do interior do Estado, três livros de

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ FEDERAL DA VARA DA SEÇÃO JUDICIÁRIA DO ESTADO DE GOIÁS

EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ FEDERAL DA VARA DA SEÇÃO JUDICIÁRIA DO ESTADO DE GOIÁS EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ FEDERAL DA VARA DA SEÇÃO JUDICIÁRIA DO ESTADO DE GOIÁS ICP nº 1.18.000.002374/2011-31 O MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL, com fundamento no art. 17 da Lei nº 8.429/92 e com base nas

Leia mais

USUÁRIO CONTA SUA HISTÓRIA

USUÁRIO CONTA SUA HISTÓRIA NOME ESTADO MUNICÍPIO INSTITUIÇÃO GUILHERME SÃO PAULO (SP) GUARUJÁ CENTRO DE DETENÇÃO PROVISÓRIA DE SÃO VICENTE NOME SEXO GUILHERME MASCULINO IDADE 22 25 COR GRAU DE INSTRUÇÃO RELIGIÃO RENDA ESTADO CIVIL

Leia mais

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA PROJETO DE LEI Nº 215, DE 2015 (EM APENSO OS PLS NºS 1.547 E 1.589, DE 2015)

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA PROJETO DE LEI Nº 215, DE 2015 (EM APENSO OS PLS NºS 1.547 E 1.589, DE 2015) COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA PROJETO DE LEI Nº 215, DE 2015 (EM APENSO OS PLS NºS 1.547 E 1.589, DE 2015) Acrescenta inciso V ao art. 141 do Decreto- Lei nº 2.848, de 7 de dezembro

Leia mais

Apresentação Dutra Advocacia

Apresentação Dutra Advocacia Apresentação Dutra Advocacia iniciou suas atividades em 2012 e tem aprimorado a consultoria jurídica prestada a seus clientes, ampliando ano a ano seu campo de atuação. Hoje tem como ênfase as seguintes

Leia mais

UNESC Faculdades Integradas de Cacoal Mantidas pela Associação Educacional de Rondônia E-mail: unesc@unescnet.br - Internet: www.unescnet.

UNESC Faculdades Integradas de Cacoal Mantidas pela Associação Educacional de Rondônia E-mail: unesc@unescnet.br - Internet: www.unescnet. NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA (NPJ) ANEXO VI (Edital n. 02/2014-2) CRONOGRAMA SEMESTRAL 9.º PERÍODO DEPENDÊNCIA N. DATAS ATIVIDADES EQUIVALÊNCIA Disponibilização do Cronograma Semestral de atividades no átrio

Leia mais

Art. 22 NCPC. Compete, ainda, à autoridade judiciária brasileira processar e julgar as ações:

Art. 22 NCPC. Compete, ainda, à autoridade judiciária brasileira processar e julgar as ações: 1. Jurisdição internacional concorrente Art. 22 NCPC. Compete, ainda, à autoridade judiciária brasileira processar e julgar as ações: I de alimentos, quando: a) o credor tiver domicílio ou residência no

Leia mais

Curso de Defesa da Concorrência para a Imprensa Aspectos Processuais. Dra. Patrícia Agra de Araujo, assessora da presidência do Cade

Curso de Defesa da Concorrência para a Imprensa Aspectos Processuais. Dra. Patrícia Agra de Araujo, assessora da presidência do Cade Curso de Defesa da Concorrência para a Imprensa Aspectos Processuais Dra. Patrícia Agra de Araujo, assessora da presidência do Cade 1 O Sistema Brasileiro de Defesa da Concorrência - SBDC Conselho Administrativo

Leia mais

11/29/13 Folha de S.Paulo - Mercado - Credores do Banco Santos querem quadros de ex-banqueiro Edemar Cid Ferreira - 24/11/2013

11/29/13 Folha de S.Paulo - Mercado - Credores do Banco Santos querem quadros de ex-banqueiro Edemar Cid Ferreira - 24/11/2013 24/11/2013-01h55 Credores do Banco Santos querem quadros de ex-banqueiro Edemar Cid Ferreira JULIO WIZIACK DE SÃO PAULO Os credores do Banco Santos pediram à Justiça brasileira que sequestre no exterior

Leia mais

ACÓRDÃO. O julgamento teve a participação dos Exmos. Desembargadores VICE PRESIDENTE (Presidente sem voto), MARIA OLÍVIA ALVES E MARTINS PINTO.

ACÓRDÃO. O julgamento teve a participação dos Exmos. Desembargadores VICE PRESIDENTE (Presidente sem voto), MARIA OLÍVIA ALVES E MARTINS PINTO. Registro: 2011.0000086162 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação nº 0403953-58.2010.8.26.0000, da Comarca de Fernandópolis, em que é apelante PROMOTOR JUSTIÇA VARA INFANCIA E JUVENTUDE

Leia mais

Excelentíssimo Senhor Juiz de Direito da Vara Cível da Comarca do Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro.

Excelentíssimo Senhor Juiz de Direito da Vara Cível da Comarca do Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro. Excelentíssimo Senhor Juiz de Direito da Vara Cível da Comarca do Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro. GRERJ Eletrônica n.º 80805541222-90 VIP SPORTS ASSESSORIA E EVENTOS ESPORTIVOS LTDA., pessoa

Leia mais

CONCLUSÃO Em 04/05/2015, faço conclusão destes autos a MM. Juíza de Direito, Dra. Fernanda Gomes Camacho. Eu,, Escrevente, subscrevi.

CONCLUSÃO Em 04/05/2015, faço conclusão destes autos a MM. Juíza de Direito, Dra. Fernanda Gomes Camacho. Eu,, Escrevente, subscrevi. fls. 1075 CONCLUSÃO Em 04/05/2015, faço conclusão destes autos a MM. Juíza de Direito, Dra. Fernanda Gomes Camacho. Eu,, Escrevente, subscrevi. SENTENÇA Processo nº: 1040391-49.2015.8.26.0100 Classe -

Leia mais

MANUAL DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA MNPJ

MANUAL DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA MNPJ 1 MANUAL DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA MNPJ INTRODUÇÃO Destina-se o Núcleo de Prática Jurídica (NPJ) a organizar, coordenar e supervisionar o estágio obrigatório para os quatro últimos semestres do curso,

Leia mais

EXMO. SR. JUIZ DA 13ª VARA FEDERAL CRIMINAL DE CURITIBA DA SEÇÃO JUDICIÁRIA DO PARANÁ DR. SERGIO FERNANDO MORO

EXMO. SR. JUIZ DA 13ª VARA FEDERAL CRIMINAL DE CURITIBA DA SEÇÃO JUDICIÁRIA DO PARANÁ DR. SERGIO FERNANDO MORO EXMO. SR. JUIZ DA 13ª VARA FEDERAL CRIMINAL DE CURITIBA DA SEÇÃO JUDICIÁRIA DO PARANÁ DR. SERGIO FERNANDO MORO Ref. Proc. nº 5028308-36.2015.4.04.7000 ANA CRISTINA DA SILVA TONIOLO vem, por sua advogada,

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO fls. 5 ACÓRDÃO Registro: 2014.0000429851 Vistos, relatados e discutidos estes autos do Mandado de Segurança nº 0226204-83.2012.8.26.0000, da Comarca de São Paulo, em que é impetrante EDEMAR CID FERREIRA,

Leia mais

CONCLUSÃO. Em 18 de junho de 2015, estes autos são conclusos ao MM. Juiz de Direito Titular II, Dr. Marco Antonio Botto Muscari.

CONCLUSÃO. Em 18 de junho de 2015, estes autos são conclusos ao MM. Juiz de Direito Titular II, Dr. Marco Antonio Botto Muscari. fls. 452 CONCLUSÃO Em 18 de junho de 2015, estes autos são conclusos ao MM. Juiz de Direito Titular II, Dr. Marco Antonio Botto Muscari. Processo nº: 1000819-86.2015.8.26.0003 Classe - Assunto Procedimento

Leia mais

Peça prático-profissional

Peça prático-profissional Peça prático-profissional Marilza assinou 5 notas promissórias, no valor de R$ 1.000,00 cada uma, para garantir o pagamento de um empréstimo tomado de uma factoring chamada GBO Ltda. Recebeu na data de

Leia mais

ARNOBWALVESTEU. Poder Judiciário Tribunal de Justiça da Paraíba Gabinete do Des. ARNÓBIO ALVES TEODÓSIO ACÓRDÃO

ARNOBWALVESTEU. Poder Judiciário Tribunal de Justiça da Paraíba Gabinete do Des. ARNÓBIO ALVES TEODÓSIO ACÓRDÃO 1 Poder Judiciário Tribunal de Justiça da Paraíba Gabinete do Des. ARNÓBIO ALVES TEODÓSIO ACÓRDÃO HABEAS CORPUS n 200.2004.020117-61003 Auditoria da Justiça Militar RELATOR : O Exmo. Des. Arnóbio Alves

Leia mais

EXMº SR. DR. JUÍZ DE DIREITO DO 12º JUIZADO ESPECIAL CIVEL DO MEIER DA COMARCA DA CAPITAL.

EXMº SR. DR. JUÍZ DE DIREITO DO 12º JUIZADO ESPECIAL CIVEL DO MEIER DA COMARCA DA CAPITAL. 223 EXMº SR. DR. JUÍZ DE DIREITO DO 12º JUIZADO ESPECIAL CIVEL DO MEIER DA COMARCA DA CAPITAL. PROC.0011163-42-2014-8-19-0208 I. CONDOMÍNIO DO EDIFICIO FANY, por seu advogado, nos autos da AÇÃO INDENIZATORIA

Leia mais

Fernando Viana de Oliveira Filho Diretor Executivo de Perícias

Fernando Viana de Oliveira Filho Diretor Executivo de Perícias 03/12/2012 Fernando Viana de Oliveira Filho Diretor Executivo de Perícias ASPECTOS INTRODUTÓRIOS E PRÁTICOS DA PERÍCIA As características e caminhos percorridos pelo profissional na condição de perito

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO Registro: 2013.0000209289 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação nº 0017770-14.2003.8.26.0224, da Comarca de Guarulhos, em que é apelante/apelado HSBC SEGUROS ( BRASIL ) S/A, são

Leia mais

QUINTA CÂMARA CÍVEL APELAÇÃO Nº 22290/2010 - CLASSE CNJ - 198 - COMARCA CAPITAL WANIA APARECIDA OLIVEIRA BRAGA - ME APELADO: BANCO ITAÚ S. A.

QUINTA CÂMARA CÍVEL APELAÇÃO Nº 22290/2010 - CLASSE CNJ - 198 - COMARCA CAPITAL WANIA APARECIDA OLIVEIRA BRAGA - ME APELADO: BANCO ITAÚ S. A. APELANTE: WANIA APARECIDA OLIVEIRA BRAGA - ME APELADO: BANCO ITAÚ S. A. Número do Protocolo: 22290/2010 Data de Julgamento: 9-6-2010 EMENTA APELAÇÃO CÍVEL - AÇÃO DECLARATÓRIA - CONSIGNAÇÃO EXTRAJUDICIAL

Leia mais

CÂMARA DE SOLUÇÃO DE DISPUTAS RELATIVAS A NOMES DE DOMÍNIO (CASD-ND) CENTRO DE SOLUÇÃO DE DISPUTAS EM PROPRIEDADE INTELECTUAL (CSD-PI) DA ABPI

CÂMARA DE SOLUÇÃO DE DISPUTAS RELATIVAS A NOMES DE DOMÍNIO (CASD-ND) CENTRO DE SOLUÇÃO DE DISPUTAS EM PROPRIEDADE INTELECTUAL (CSD-PI) DA ABPI CÂMARA DE SOLUÇÃO DE DISPUTAS RELATIVAS A NOMES DE DOMÍNIO (CASD-ND) CENTRO DE SOLUÇÃO DE DISPUTAS EM PROPRIEDADE INTELECTUAL (CSD-PI) DA ABPI NATURA COSMÉTICOS S/A. E INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE COSMÉTICOS

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO fls. 1 ACÓRDÃO Registro: 2013.0000216806 Vistos, relatados e discutidos estes autos de Agravo de Instrumento nº 0196471-72.2012.8.26.0000, da Comarca de São Paulo, em que é agravante SOCIORTHO COMERCIO

Leia mais

Classificação dos Créditos. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda

Classificação dos Créditos. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda Classificação dos Créditos Declarações de Crédito A falência, é um processo de execução coletiva. A sentença declaratória da falência instaura um verdadeiro concurso de credores, por força da vis attractiva

Leia mais

Vistos, relatados e discutidos estes autos de. AGRAVO DE INSTRUMENTO n 501.512-4/4-00, da Comarca de SÃO

Vistos, relatados e discutidos estes autos de. AGRAVO DE INSTRUMENTO n 501.512-4/4-00, da Comarca de SÃO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO ACÓRDÃO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO ACÓRDÃO/DECISÃO MONOCRATICA REGISTRADO(A) SOB N *01319002* Vistos, relatados e discutidos estes autos de AGRAVO DE INSTRUMENTO

Leia mais

Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Paraná 13ª Vara Federal de Curitiba

Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Paraná 13ª Vara Federal de Curitiba Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Paraná 13ª Vara Federal de Curitiba Av. Anita Garibaldi, 888, 2º andar - Bairro: Ahu - CEP: 80540-180 - Fone: (41)3210-1681 - www.jfpr.jus.br - Email:

Leia mais

PROCURADORIA-GERAL DO TRABALHO CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO

PROCURADORIA-GERAL DO TRABALHO CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO ORIGEM: PRT 12ª Região ORGÃO OFICIANTE: Cristiane Kraemer Gehlen Caravieri INTERESSADO 1: 1ª Vara do Trabalho de Florianópolis INTERESSADO 2: ACS S/A Eletrônica e Comunicações e outros ASSUNTO: 3.2.3.

Leia mais

PROTOCOLO DE INCORPORAÇÃO E JUSTIFICAÇÃO

PROTOCOLO DE INCORPORAÇÃO E JUSTIFICAÇÃO 1 PROTOCOLO DE INCORPORAÇÃO E JUSTIFICAÇÃO O presente protocolo firmado entre: - COMPANHIA BRASILEIRA DE DISTRIBUIÇÃO, sociedade com sede na Capital do Estado de São Paulo, na Av. Brigadeiro Luiz Antonio

Leia mais

Laudo Pericial Judicial

Laudo Pericial Judicial Laudo Pericial Judicial Disponível em: Acesso em: 06 jun. 2009 O Laudo é o parecer técnico resultante do trabalho realizado pelo Perito, via

Leia mais

Modelo esquemático de ação direta de inconstitucionalidade genérica EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR MINISTRO PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL

Modelo esquemático de ação direta de inconstitucionalidade genérica EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR MINISTRO PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL Modelo esquemático de ação direta de inconstitucionalidade genérica EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR MINISTRO PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL Legitimidade ativa (Pessoas relacionadas no art. 103 da

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO. (Alterada pelas Resoluções nº 65/2011 e 98/2013) RESOLUÇÃO Nº 20, DE 28 DE MAIO DE 2007.

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO. (Alterada pelas Resoluções nº 65/2011 e 98/2013) RESOLUÇÃO Nº 20, DE 28 DE MAIO DE 2007. CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO (Alterada pelas Resoluções nº 65/2011 e 98/2013) RESOLUÇÃO Nº 20, DE 28 DE MAIO DE 2007. Regulamenta o art. 9º da Lei Complementar nº 75, de 20 de maio de 1993 e

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5.ª REGIÃO Gabinete da Desembargadora Federal Margarida Cantarelli

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5.ª REGIÃO Gabinete da Desembargadora Federal Margarida Cantarelli R E L A T Ó R I O A Exmª Des. Federal MARGARIDA CANTARELLI (Relatora): Cuida-se de mandado de segurança impetrado pelo MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL contra decisão do Juízo da 8ª Vara Federal do Rio Grande

Leia mais

LEI DOS PARTIDOS POLÍTICOS (Lei n. 9.096/95)

LEI DOS PARTIDOS POLÍTICOS (Lei n. 9.096/95) - Partido Político: pessoa jurídica de direito privado, destinada a assegurar, no interesse democrático, a autenticidade do sistema representativo e a defender os direitos fundamentais definidos na CF.

Leia mais

PROVIMENTO Nº 20, DE 09 DE OUTUBRO DE 2013. O CORREGEDOR GERAL DA JUSTIÇA DO ESTADO DE ALAGOAS, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

PROVIMENTO Nº 20, DE 09 DE OUTUBRO DE 2013. O CORREGEDOR GERAL DA JUSTIÇA DO ESTADO DE ALAGOAS, no uso de suas atribuições legais e regimentais, PROVIMENTO Nº 20, DE 09 DE OUTUBRO DE 2013. Institui a emissão de Certidões Judiciais Cíveis e Criminais, inclusive por meio eletrônico, no âmbito da 1ª Instância do Poder Judiciário do Estado de Alagoas

Leia mais

MODELO QUEIXA-CRIME. (especificar a Vara de acordo com o problema)

MODELO QUEIXA-CRIME. (especificar a Vara de acordo com o problema) Disciplina Processo Penal Aula 10 Professora Beatriz Abraão MODELO DE PETIÇÃO DE INTERPOSIÇÃO E RAZÕES DE APELAÇÃO EM CASO DE CONDENAÇÃO POR CRIME COMUM Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz de Direito da...

Leia mais

1. PETIÇÃO INICIAL RECLAMAÇÃO TRABALHISTA.

1. PETIÇÃO INICIAL RECLAMAÇÃO TRABALHISTA. 1. PETIÇÃO INICIAL RECLAMAÇÃO TRABALHISTA. Fundamento legal: Art. 840 CLT Subsidiariamente: 282 do CPC. Partes: Reclamante (autor), Reclamada (ré). Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz do Trabalho da ª Vara

Leia mais

MANUAL PARA PARTICIPAÇÃO DE ACIONISTAS EM ASSEMBLÉIA ORDINÁRIA

MANUAL PARA PARTICIPAÇÃO DE ACIONISTAS EM ASSEMBLÉIA ORDINÁRIA MANUAL PARA PARTICIPAÇÃO DE ACIONISTAS EM ASSEMBLÉIA ORDINÁRIA AGO DE 30 DE ABRIL DE 2010 1 ÍNDICE Mensagem da Administração 03 Local, data e hora da Assembléia Geral Órdinária 04 Disponibilização de documentos

Leia mais

EB-5 GREEN CARD PARA INVESTIDORES

EB-5 GREEN CARD PARA INVESTIDORES Mude-se para os EUA Hoje! PORT EB-5 GREEN CARD PARA INVESTIDORES Todas as pessoas conhecem clientes, amigos ou parentes que possuem o desejo de se mudar para os Estados Unidos, especialmente para a Flórida.

Leia mais

243 Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro Terceira Câmara Criminal

243 Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro Terceira Câmara Criminal Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro Terceira Câmara Criminal Recurso em Sentido Estrito Nº 0036963-85.2012.8.19.0000 Recorrente: Arinaldo Alves Ferraz Recorrido: Ministério Público Relator:

Leia mais

RESPONSABILIDADE CIVIL DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

RESPONSABILIDADE CIVIL DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA RESPONSABILIDADE CIVIL DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA 1 Suponha se que Maria estivesse conduzindo o seu veículo quando sofreu um acidente de trânsito causado por um ônibus da concessionária do serviço público

Leia mais

COMO ABRIR SUA EMPRESA

COMO ABRIR SUA EMPRESA COMO ABRIR SUA EMPRESA Hoje, ter o próprio negócio é algo muito comum. Flexibilidade, possibilidade de aumentar a renda e instabilidade como funcionário são os principais motivos para se empreender. É

Leia mais

EDITAL DE RETIFICAÇÃO Nº 01/2014 A Defensora Pública-Geral do Estado de Minas Gerais, Presidente da Comissão de Concurso, no uso de suas atribuições,

EDITAL DE RETIFICAÇÃO Nº 01/2014 A Defensora Pública-Geral do Estado de Minas Gerais, Presidente da Comissão de Concurso, no uso de suas atribuições, EDITAL DE RETIFICAÇÃO Nº 01/2014 A Defensora Pública-Geral do Estado de Minas Gerais, Presidente da Comissão de Concurso, no uso de suas atribuições, informa que em virtude da publicação da Emenda Constitucional

Leia mais

PROTOCOLO E JUSTIFICAÇÃO DE INCORPORAÇÃO DAS SOCIEDADES MARTHI COMÉRCIO DO VESTUÁRIO LTDA. CF COMÉRCIO DE ROUPAS LTDA.

PROTOCOLO E JUSTIFICAÇÃO DE INCORPORAÇÃO DAS SOCIEDADES MARTHI COMÉRCIO DO VESTUÁRIO LTDA. CF COMÉRCIO DE ROUPAS LTDA. PROTOCOLO E JUSTIFICAÇÃO DE INCORPORAÇÃO DAS SOCIEDADES MARTHI COMÉRCIO DO VESTUÁRIO LTDA. CF COMÉRCIO DE ROUPAS LTDA. SH RECIFE COMÉRCIO DE ROUPAS LTDA. por LE LIS BLANC DEUX COMÉRCIO E CONFECÇÕES DE

Leia mais

QUINTA CÂMARA CÍVEL DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA 0037321-84.2011.8.19.0000 1ª

QUINTA CÂMARA CÍVEL DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA 0037321-84.2011.8.19.0000 1ª 1ª Vara Cível de Nova Iguaçu Agravante: Sindicato dos Empregados no Comércio de Duque de Caxias São João de Meriti Magé e Guapimirim Agravado: Supermercados Alto da Posse Ltda. Relator: DES. MILTON FERNANDES

Leia mais

TUTELAS PROVISÓRIAS: TUTELA DE URGÊNCIA E TUTELA DA EVIDÊNCIA.

TUTELAS PROVISÓRIAS: TUTELA DE URGÊNCIA E TUTELA DA EVIDÊNCIA. PALESTRA TUTELAS PROVISÓRIAS: TUTELA DE URGÊNCIA E TUTELA DA EVIDÊNCIA. Professor: Dr. Francisco Ferreira Jorge Neto Desembargador do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região. Professor Universitário

Leia mais

ACÓRDÃO. O julgamento teve a participação dos Exmos. Desembargadores DONEGÁ MORANDINI (Presidente) e EGIDIO GIACOIA.

ACÓRDÃO. O julgamento teve a participação dos Exmos. Desembargadores DONEGÁ MORANDINI (Presidente) e EGIDIO GIACOIA. ACÓRDÃO Registro: 2015.0000723861 Vistos, relatados e discutidos estes autos do Agravo de Instrumento nº 2173891-09.2015.8.26.0000, da Comarca de São Paulo, em que é agravante RICARDO MORAND DE LIMA, é

Leia mais

PORTARIA N 003/2009 CONSIDERANDO

PORTARIA N 003/2009 CONSIDERANDO PORTARIA N 003/2009 Dispensa a representação por Advogado ou assistência por Defensor Público, no procedimento para requerimento de autorização judicial para entrada e permanência de crianças e adolescentes

Leia mais

autoridade consular brasileira competente, quando homologação de sentença estrangeira: (...) IV - estar autenticada pelo cônsul brasileiro e

autoridade consular brasileira competente, quando homologação de sentença estrangeira: (...) IV - estar autenticada pelo cônsul brasileiro e COMPARATIVO ENTRE A RESOLUÇÃO N. 9 E A EMENDA REGIMENTAL N. 18 DO STJ EMENDA REGIMENTAL N. 18 (2014) RESOLUÇÃO N. 9 (2005) Art. 1º O Regimento Interno do Superior Tribunal de Justiça passa a vigorar acrescido

Leia mais

AO PRESIDENTE DA COMISSÃO ESPECIAL DE LICITAÇÃO DO BANCO DO NORDESTE DO BRASIL BNB

AO PRESIDENTE DA COMISSÃO ESPECIAL DE LICITAÇÃO DO BANCO DO NORDESTE DO BRASIL BNB AO PRESIDENTE DA COMISSÃO ESPECIAL DE LICITAÇÃO DO BANCO DO NORDESTE DO BRASIL BNB Ref. Edital da Concorrência 2014/43 NELSON WILIANS & ADVOGADOS ASSOCIADOS, Pessoa Jurídica de direito privado, inscrita

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo fls. 142 Registro: 2014.0000196662 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Agravo de Instrumento nº 2032279-20.2014.8.26.0000, da Comarca de, em que é agravante ENGELUX CONSTRUTORA LTDA.

Leia mais

Copyright Proibida Reprodução.

Copyright Proibida Reprodução. PROCEDIMENTO PADRÃO PERÍCIA AMBIENTAL Prof. Éder Responsabilidade Clementino dos civil Santos INTRODUÇÃO BRASIL: Perícia Ambiental É um procedimento utilizado como meio de prova; Fornecimento de subsídios

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DÉCIMA NONA CÂMARA CÍVEL RELATOR: DES. MARCOS ALCINO DE AZEVEDO TORRES

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DÉCIMA NONA CÂMARA CÍVEL RELATOR: DES. MARCOS ALCINO DE AZEVEDO TORRES TRIBUNAL DE JUSTIÇA DÉCIMA NONA CÂMARA CÍVEL RELATOR: DES. MARCOS ALCINO DE AZEVEDO TORRES APELAÇÃO CÍVEL Nº. 0002183.65.2008.8.19.0001 APTE: CRISTOVÃO JERONIMO SOARES LOPES APDO: ITAU SEGUROS S.A. Apelação

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA DENÚNCIAS

INSTRUÇÕES PARA DENÚNCIAS CONSELHO REGIONAL DE CORRETORES DE IMÓVEIS DA 2 REGIÃO INSTRUÇÕES PARA DENÚNCIAS IMPRIMIR E PREENCHER COM LETRA LEGÍVEL (OU COMPLETAR NO PRÓPRIO SITE) O FORMULÁRIO ANEXO EM TRÊS VIAS DEVIDAMENTE ASSINADAS,

Leia mais

EXERCÍCIO MODELO QUEIXA-CRIME

EXERCÍCIO MODELO QUEIXA-CRIME 2ª Fase OAB/FGV Direito Processual Penal Monitoria Penal Karina Velasco EXERCÍCIO 1 O juiz, ao proferir sentença condenando João por furto qualificado, admitiu, expressamente, na fundamentação, que se

Leia mais

JUSTIÇA ELEITORAL TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO GRANDE DO SUL

JUSTIÇA ELEITORAL TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO GRANDE DO SUL PROCESSO: RP 1351-29.2014.6.21.0000 PROCEDÊNCIA: PORTO ALEGRE REPRESENTANTE: MINISTÉRIO PÚBLICO ELEITORAL REPRESENTADO: FACEBOOK SERVIÇOS ON LINE DO BRASIL LTDA JUIZ AUXILIAR: DES. FEDERAL OTÁVIO ROBERTO

Leia mais

AUTOS N. 2008.61.81.002808-6

AUTOS N. 2008.61.81.002808-6 EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ FEDERAL DA 6ªVARA CRIMINAL FEDERAL DA 1ª SUBSEÇÃO JUDICIÁRIA DE SÃO PAULO AUTOS N. 2008.61.81.002808-6 O MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL, por sua Procuradora da República que

Leia mais

REGULAMENTO DE CONCILIAÇÃO

REGULAMENTO DE CONCILIAÇÃO REGULAMENTO DE CONCILIAÇÃO Regulamento de Conciliação da Câmara de Mediação e Arbitragem do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Minas Gerais CREA-MG. A Câmara de Mediação e Arbitragem do Conselho

Leia mais

CARTILHA JUSTIÇA E FAMÍLIA

CARTILHA JUSTIÇA E FAMÍLIA CARTILHA JUSTIÇA E FAMÍLIA Orientação aos acadêmicos que atuarão em ações comunitárias relacionadas ao Direito da Família. Em caso de dúvida sobre a orientação jurídica e ser repassada, o aluno deverá

Leia mais

CAPÍTULO I - FUNÇÃO E CARREIRA DO ADVOGADO...

CAPÍTULO I - FUNÇÃO E CARREIRA DO ADVOGADO... APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO...19 DEDICATÓRIA...21 CAPÍTULO I - FUNÇÃO E CARREIRA DO ADVOGADO... 23 1. Antecedentes históricos da função de advogado...23 2. O advogado na Constituição Federal...24 3. Lei de

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO (A) SENHOR (A) DOUTOR (A) JUIZ (A) DE DIREITO DE UMA DAS VARAS CRIMINAIS DA COMARCA DE DIADEMA - SP

EXCELENTÍSSIMO (A) SENHOR (A) DOUTOR (A) JUIZ (A) DE DIREITO DE UMA DAS VARAS CRIMINAIS DA COMARCA DE DIADEMA - SP EXCELENTÍSSIMO (A) SENHOR (A) DOUTOR (A) JUIZ (A) DE DIREITO DE UMA DAS VARAS CRIMINAIS DA COMARCA DE DIADEMA - SP QUEIXA CRIME (DIFAMAÇÃO) RAGI REFRIGERANTES LTDA., atual denominação de DOLLY DO BRASIL

Leia mais

PETIÇÃO INICIAL (CPC 282)

PETIÇÃO INICIAL (CPC 282) 1 PETIÇÃO INICIAL (CPC 282) 1. Requisitos do 282 do CPC 1.1. Endereçamento (inciso I): Ligado a competência, ou seja, é imprescindível que se conheça as normas constitucionais de distribuição de competência,

Leia mais

33. Ação contra compensação bancária

33. Ação contra compensação bancária 33. Ação contra compensação bancária Tribunal Judicial da Comarca de M. mo Juiz de Direito (nome completo), NIF, com domicílio em (morada completa), em (localidade) e mulher (nome completo), NIF, com domicílio

Leia mais

1.3. Em quais casos é possível solicitar o parcelamento? 1.4. Como saberei se minha empresa possui débitos junto à Anvisa?

1.3. Em quais casos é possível solicitar o parcelamento? 1.4. Como saberei se minha empresa possui débitos junto à Anvisa? Atualizado: 07 / 10 / 2011 - FAQ AI 1. Parcelamento de débitos em cobrança administrativa não inscritos em dívida ativa 1.1. Tipos de parcelamento de débito 1.2. Parcelamento de débito de AFE / AE 1.3.

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL X EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL X EXAME DE ORDEM UNIFICADO Enunciado PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL José Afonso, engenheiro, solteiro, adquiriu de Lúcia Maria, enfermeira, solteira, residente na Avenida dos Bandeirantes, 555, São Paulo/SP, pelo valor de

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br Competência da Justiça Militar Paulo Tadeu Rodrigues Rosa* A Justiça Militar é um dos órgãos do Poder Judiciário, com previsão constitucional e Lei de Organização Judiciária que

Leia mais

ACÓRDÃO/DECISÃO MONOCRÁTICA 267 REGISTRADO(A) SOB N

ACÓRDÃO/DECISÃO MONOCRÁTICA 267 REGISTRADO(A) SOB N TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO > TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO ACÓRDÃO/DECISÃO MONOCRÁTICA 267 REGISTRADO(A) SOB N Apelação n 2 ACÓRDÃO IIIIIIIIIIIIIIIIIM *03715825* Vistos, relatados e discutidos

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ DE DIREITO DA COMARCA DE

EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ DE DIREITO DA COMARCA DE 1 EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ DE DIREITO DA COMARCA DE O MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO MARANHÃO, por seu representante legal infra-assinado, com fundamento nos art. 129, inciso III e 1º, da Carta Magna,

Leia mais

A CÓRDÃO CÍVEL Nº 71001878719 COMARCA DE PORTO ALEGRE. Vistos, relatados e discutidos os autos. EFN Nº 71001878719 2008/CÍVEL

A CÓRDÃO CÍVEL Nº 71001878719 COMARCA DE PORTO ALEGRE. Vistos, relatados e discutidos os autos. EFN Nº 71001878719 2008/CÍVEL CONSUMIDOR. RESCISÃO DE CONTRATO. SERVIÇO DE INTERNET BANDA LARGA (3G). CONEXÃO DISPONIBILIZADA EM VELOCIDADE MUITO INFERIOR À CONTRATADA. INOBSERVÂNCIA DO DEVER DE INFORMAR POR PARTE DA FORNECEDORA. DIREITO

Leia mais

PROTOCOLO DE INCORPORAÇÃO DO PATRIMÔNIO DAS SOCIEDADES VIVAX LTDA., NET INDAIATUBA LTDA., NET

PROTOCOLO DE INCORPORAÇÃO DO PATRIMÔNIO DAS SOCIEDADES VIVAX LTDA., NET INDAIATUBA LTDA., NET PROTOCOLO DE INCORPORAÇÃO DO PATRIMÔNIO DAS SOCIEDADES VIVAX LTDA., NET INDAIATUBA LTDA., NET FRANCA LTDA., NET ANÁPOLIS LTDA., TV JACARANDÁ LTDA., TV A CABO GUARAPUAVA LTDA. E TV A CABO CASCAVEL LTDA.

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº, DE DE 2010.

RESOLUÇÃO Nº, DE DE 2010. RESOLUÇÃO Nº, DE DE 2010. Dispõe sobre a divulgação de dados processuais eletrônicos na rede mundial de computadores, expedição de certidões judiciais e dá outras providências. O PRESIDENTE DO CONSELHO

Leia mais

DECRETO-LEI Nº 3.689, DE 3 DE OUTUBRO DE 1941

DECRETO-LEI Nº 3.689, DE 3 DE OUTUBRO DE 1941 DECRETO-LEI Nº 3.689, DE 3 DE OUTUBRO DE 1941 Código de Processo Penal. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, usando da atribuição que lhe confere o art. 180 da Constituição, decreta a seguinte Lei: LIVRO II DOS

Leia mais

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO DA MARFRIG FRIGORÍFICOS E COMÉRCIO DE ALIMENTOS S.A.

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO DA MARFRIG FRIGORÍFICOS E COMÉRCIO DE ALIMENTOS S.A. POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO DA MARFRIG FRIGORÍFICOS E COMÉRCIO DE ALIMENTOS S.A. APROVADA NA RCA DE 18/03/2009 SUMÁRIO I OBJETIVO... 3 II - ADMINISTRAÇÃO DA POLÍTICA... 3 II.1

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº DE 2011

PROJETO DE LEI Nº DE 2011 PROJETO DE LEI Nº DE 2011 Altera a Lei nº 8.137, de 27 de dezembro de 1990, a Lei 8.666, de 21 de junho de 1993 e a Lei nº 8.884, de 11 de junho de 1994. O CONGRESSO NACIONAL decreta: Art. 1º O art. 4º

Leia mais

Recurso nº 795/2010 Data: 17 de Fevereiro de 2011. Assuntos: - Incerteza jurídica - Nome romanizado - Rectificação - Nova prova.

Recurso nº 795/2010 Data: 17 de Fevereiro de 2011. Assuntos: - Incerteza jurídica - Nome romanizado - Rectificação - Nova prova. Recurso nº 795/2010 Data: 17 de Fevereiro de 2011 Assuntos: - Incerteza jurídica - Nome romanizado - Rectificação - Nova prova Sumário 1. Quando o Tribunal estiver perante uma situação em que o arresto

Leia mais

AÇÃO CORREÇÃO DO FUNDO DE GARANTIA

AÇÃO CORREÇÃO DO FUNDO DE GARANTIA AÇÃO CORREÇÃO DO FUNDO DE GARANTIA O objeto da ação é o reconhecimento judicial da correta aplicação dos índices de correção aplicados, desde 1999, sobre os valores das contas de Fundo de Garantia Por

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DÉCIMA NONA CÂMARA CÍVEL

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DÉCIMA NONA CÂMARA CÍVEL AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 0012063-04.2013.8.19.0000 AGRAVANTE: MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO AGRAVADO: JULIANA SILVA DE OLIVEIRA RELATOR: Des. EDUARDO DE AZEVEDO PAIVA EMENTA AGRAVO DE INSTRUMENTO. FAZENDA

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SENHOR, DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA PRIMEIRA VARA CÍVEL DE COMPETÊNCIA RESIDUAL DA COMARCA DE CAMPO GRANDE (MS) PARECER TÉCNICO JUDICIAL

EXCELENTÍSSIMO SENHOR, DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA PRIMEIRA VARA CÍVEL DE COMPETÊNCIA RESIDUAL DA COMARCA DE CAMPO GRANDE (MS) PARECER TÉCNICO JUDICIAL EXCELENTÍSSIMO SENHOR, DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA PRIMEIRA VARA CÍVEL DE COMPETÊNCIA RESIDUAL DA COMARCA DE CAMPO GRANDE (MS) PARECER TÉCNICO JUDICIAL Campo Grande/MS, 12 de julho de 2015 Processo: 0016219-61.2012.8.12.0001

Leia mais

CONTRATO DE EMPRÉSTIMO PESSOAL. Empresa: Matrícula: Telefone: ( ) Renegociação? ( ) NÃO ( ) SIM Novo Contrato:

CONTRATO DE EMPRÉSTIMO PESSOAL. Empresa: Matrícula: Telefone: ( ) Renegociação? ( ) NÃO ( ) SIM Novo Contrato: CONTRATO DE EMPRÉSTIMO PESSOAL Nome do Participante/Assistido: Empresa: Matrícula: Telefone: ( ) Valor do Empréstimo: Quantidade de Prestações: Renegociação? ( ) NÃO ( ) SIM Novo Contrato: Valor liquido

Leia mais

A Perícia contábil e sua importância.

A Perícia contábil e sua importância. A Perícia contábil e sua importância. Prof. MSc. Wilson Alberto Zappa Hoog i Resumo: Apresentamos uma breve análise sobre a importância da perícia contábil, abordando, resumidamente, os aspectos de elaboração

Leia mais

PARECER Nº, DE 2011. RELATOR: Senador LUIZ HENRIQUE

PARECER Nº, DE 2011. RELATOR: Senador LUIZ HENRIQUE PARECER Nº, DE 2011 Da COMISSÃO DE ASSUNTOS ECONÔMICOS, sobre o Projeto de Lei do Senado nº 244, de 2011, do Senador Armando Monteiro, que acrescenta os arts. 15-A, 15-B e 15-C à Lei nº 6.830, de 22 de

Leia mais