SISTEMA DE APOIO À DECISÃO: AVALIAÇÃO E GESTÃO DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SISTEMA DE APOIO À DECISÃO: AVALIAÇÃO E GESTÃO DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU"

Transcrição

1 SISTEMA DE APOIO À DECISÃO: AVALIAÇÃO E GESTÃO DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU Nivaldo L Coppini - Marta H. T. Bragáglia - Ivan M. da Silva - Karin A. Pereira PPGEP - Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção FEMP - Faculdade de Engenharia Mecânica e de Produção UNIMEP - Universidade Metodista de Piracicaba Km 1 da Rodovia SBO/Iracemápolis Santa Bárbara d Oeste SP Fone (0XX19) Fax (0XX19) Resumo. O presente trabalho tem por objetivo apresentar a experiência da aplicação de conceitos de Sistemas de Apoio à Decisão (SAD) na avaliação e acompanhamento do Projeto Pedagógico do Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção (PPGEP)da Unimep. Após a estruturação do (SAD), baseada em conceitos de DFD (Diagrama de Fluxo de Dados), foi desenvolvido um programa computacional em linguagem de programação estruturada, constituído de bancos de dados relacionais e um gerenciador capaz de transformar os referidos dados em informações. O (SAD) apresentou em sua estrutura a possibilidade de cadastrar dados de professores, alunos, disciplinas, turmas de disciplinas, históricos e empresas. Foi também possível desenvolver bases de informações sobre prazos, normas e conceitos existentes no projeto pedagógico do programa. Através do cruzamento dos dados e informações é possível visualizar e imprimir relatórios tais como: Diários de Classe, Históricos Escolares, Relação de Alunos Matriculados e outros tantos de relevante importância para o funcionamento ágil e eficiente de um programa de pós-graduação. Além disso, e talvez até mais importante, é que o cruzamento de dados e informações, permite realizar uma série de análises estatísticas, tais como: verificar o número de alunos por professor em cada estágio do curso (cursando disciplinas, cursando disciplinas e desenvolvendo dissertação ou tese, somente desenvolvendo dissertação ou tese); permite também, informar ao aluno o quão no prazo ou fora do prazo o mesmo se encontra, considerando como referência os prazos estabelecidos pela CAPES e as atividades que devem ser desenvolvidas desde o início até a titulação. De posse destas informações, é possível tanto ao aluno, quanto ao professor e principalmente quanto ao coordenador do programa, realizar avaliações e auto avaliações freqüentes e, com base nelas, gerenciar as atividades em busca de maior eficiência. O trabalho completo deverá apresentar o SAD e exemplificar o uso e ilustrar exemplos típicos de aplicação do sistema no gerenciamento do Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção da Unimep. Palavras Chaves: Sistema de apoio a decisão, Sistema de informações gerenciais, Programa de pós graduação em engenharia de produção APP - 77

2 I. INTRODUÇÃO Este trabalho tem por objetivo apresentar a experiência da aplicação de conceitos de Sistemas de Apoio à Decisão (SAD) na avaliação e acompanhamento do Projeto Pedagógico do Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção (PPGEP) da Unimep. Após a estruturação do (SAD), baseada em conceitos de (DFD) Diagrama de Fluxo de Dados, foi desenvolvido um programa computacional em linguagem de programação estruturada, constituído de bancos de dados relacionais e um gerenciador capaz de transformar os referidos dados em informações. Diferentemente de abordar os aspectos detalhados da construção do (GPPGEP) Gerenciador do Programa de Pós- Graduação em Engenharia de Produção, o trabalho concentrará atenção na exposição dos recursos que o mesmo dispões para o gerenciamento administrativo e acadêmico dos dados e informações nele contidos. A opção por tal abordagem foi no sentido de levar ao evento os aspectos, que por serem menos técnicos, tendem a ser mais compatíveis com as característica do mesmo. II.SISTEMAS DE APOIO À DECISÃO Dentre as diversas definições de sistemas, algumas simples outras mais complexas, tem-se em comum o conceito de que sistema é um conjunto de partes ou elementos independentes que juntos concorrem para a realização de um objetivo comum a todos [1, 2]. Este pode ser também, um subsistema que se apresenta como parte de um sistema maior. Esses conceitos acabaram por revolucionar os princípios de organizações e empresas [7][8]. A informação é a alma de todo e qualquer sistema empresarial. Como esta é sempre mutante, mutantes devem ser os sistemas, sempre em constante avanço na busca da excelência. As informações podem ser operacionais ou administrativas. Informações Operacionais são aquelas advindas das operações correntes, ou seja, provenientes das operações diárias. Informações Administrativas são provenientes do controle de operações e são as que permitem a tomada de decisões Ref.[1]. O Sistema de Informação (SI) é hoje um elemento indispensável para prover informações e auxiliar na tomada de decisões para executivos em geral. Pode-se dizer que o (SI) é aquele que melhor se adapta às características da empresa em questão. Por isso, dentro dos (SIs) tem-se sistemas específicos: Sistemas de Informação Gerencial (SIG), Sistema de Apoio às Operações (SAO) e Sistemas de Apoio à Decisão (SAD). (SIG) é aquele que engloba todos os componentes de uma organização em todos os seus níveis de decisão. As características básicas de um SIG são: dados sintéticos, comparativos, com pouco volume, com ágil tempo de resposta (on-line, real time, banco de dados) e visualização de dados. (SAOs) são tipicamente processadores de transações, ou seja, são redes de procedimentos rotineiros que servem para o processamento de transações recorrentes. (SADs) são os sistemas que tratam de assuntos específicos, estatísticas, projeções, comparações de dados referentes ao desempenho da empresa, estabelecendo parâmetros para novas ações dentro do negócio da empresa. O objetivo principal de um (SAD) é fornecer ferramentas e recursos, que funcionam como bases de sustentação a tomada de decisões do executivo à frente do seu objeto de gerenciamento. Em relação ao planejamento estratégico e controle gerencial, são identificados três classes de decisões: Decisões estruturadas: estão ligadas diretamente à gerência de controle operacional; seguem normas e estratégias bem definidas; seus procedimentos são documentados e automatizados. Decisões semi-estruturadas: estão relacionadas com alterações de uma gerência intermediária, exigindo capacidade de análise e julgamento, além de experiência de área no negocio, não são automatizadas por completo, pois necessitam de informações não estruturadas. Decisões não estruturadas: são decisões tomadas pelo escalão da empresa. Precisam de informações aleatórias e de grande complexidade. Contam quase que totalmente com a intuição. O (GPPGEP) é um gerenciador construído dentro do conceito de (SAD) com base na classe de decisões estruturadas. III.PLANEJAMENTO E PROJETO DO GPPGEP Identificada a necessidade de um (SAD) para apoiar as decisões administrativas e acadêmicas do Curso, a primeira providência foi realizar uma reunião com profissionais de informática, com a participação de dois dos co-autores deste artigo. O modelo de desenvolvimento sugerido e seguido foi o referenciado por Alves, R. e Vanalle, R. M. [3], denominado Espiral [4] (vide figura 1). Este modelo induz uma série de planejamentos, análises e avaliações [6] seguidas de replanejamentos, reanálises e reavaliações com o objetivo de depurar o Sistema. Tais procedimentos foram e ainda estão em constante utilização, visando a manutenção e aperfeiçoamento do mesmo [5]. Como segurança e facilidade foi estabelecido como regra que cada dado ou informação deveria ser digitada apenas uma vez. Desta forma, todos os documentos na forma de relatórios retirados do sistema, seriam construídos pelo próprio programa. Assim, por exemplo, a digitação do nome do aluno seria realizada no momento de sua inscrição no curso e APP - 78

3 em todos os procedimentos (cadastro, matrícula em turmas de disciplinas, etc) e em todos os relatórios (diários de classe, históricos escolares, avaliações estatísticas relativas ao desempenho do aluno, etc), seu nome seria repetido por busca do programa. Figura 1. Modelo de Desenvolvimento de Sistemas Espiral IV.APRESENTAÇÃO E ANÁLISE DO (GPPGEP) Em seguida serão mostradas as telas mais relevantes para apresentar o gerenciador. Outras telas menos relevantes para o entendimento de seu funcionamento, bem como relatórios que são possíveis de serem emitidos, não serão apresentados no texto pois ultrapassaria o número de páginas limite exigido. Entretanto, os mesmos serão apresentados e discutidos oralmente durante a apresentação de acordo com a agenda do evento. O acesso ao gerenciador ocorre através de um programa executável, que antes de abrir a tela principal do gerenciador mostrada na figura 2, solicita uma senha do usuário a qual pode ser alterada a qualquer momento, visando segurança. Na tela principal tem-se as opções que o gerenciador disponibiliza ao usuário. Através dela temos acesso aos Processos, Cadastros, Relatórios, Utilitários e Ajuda. Na mesma figura é possível, através da tela das opções processos, realizar a inscrição, a matrícula e demais procedimentos relacionados com a vinculação do aluno com o (PPGEP), tais como: reingresso, transferência de um curso para outro, transferência de aluno regular para especial, etc. APP - 79

4 Figura 2. Tela Principal do Gerenciador e Janela da Opção Processos Na tela da figura 3 é mostrado um exemplo de cadastramento de um aluno para o curso de mestrado. É interessante observar que o (GPPGEP) permite o cadastramento de vários cursos. Assim, um programa de pósgraduação, pode cadastrar todos os cursos do programa, mantendo a integridade de informações de cada um, de forma independente e, paulatinamente, na medida em que os cursos forem sendo criados ou cadastrados. As características de um programa de pós-graduação novo, deverão ser imputadas no gerenciador através de procedimentos de customização do mesmo. É possível observar que nesta tela também podem ser cadastrados dados dos alunos, tais como: se foram aprovados em exame de língua estrangeira, se já foram aprovados em exame de qualificação, quem é o orientador do aluno e eventual co-orientador e se já está aprovado em exame de dissertação. Figura 3. Janelas da Opção Cadastro A opção Relatório que aparece na tela das figuras 4 e 5, é a que permite à Secretaria e Coordenação do (PPGEP) providenciar, com bastante facilidade, toda sorte de relatórios e estatísticas que permitem cumprir com as funções administrativas e de gerenciamento acadêmico de desempenho de alunos e professores. A figura 4 ilustra a possibilidade de observar, a qualquer momento, quais são os alunos orientados de um certo professor ou de todos os professores, classificado por professor. APP - 80

5 Figura 4. Relatórios de Alunos por Orientador ou Listagem de Professores com seus Respectivos Alunos Na figura 5, ilustra-se como é possível solicitar uma série de estatísticas que apresentam o estágio de progresso do aluno, em comparação com uma referência, denominada de (CRP) Cronograma Recomendado de Progresso, o qual é baseado em prazos e critérios ou restrições impostos pela CAPES, Regulamento do Curso e Regulamento e Estatuto da Universidade. De posse destas informações, a Coordenação do Curso pode interagir com os Orientadores de Dissertações e Teses, bem como com seus respectivos alunos, auxiliando-os no sentido de tomarem providências diante de eventuais dificuldades que possam estar gerando atrasos no desenvolvimento dos trabalhos de Titulação. Para tanto, são enviadas automaticamente cartas padrão (vide figura 6) para cada situação específica de comparação com os prazos do (CRP). Esta comparação informa ao aluno e professor orientador respectivo, se o mesmo se encontra adiantado, em fase, atrasado, muito atrasado ou criticamente atrasado. Como o (GPPGEP) está sempre disponível, a qualquer momento é possível disponibilizar uma informação para alunos e professores, visando responder dúvidas relativas ao status de ambos no programa, de forma dinâmica, específica ou geral e periódica. Além disso, uma série de relatórios exigidos pela Administração Superior da Universidade, pode ser gerada facilmente através da opção tabelas, disponível na tela da figura 5. Também é de grande valia no preenchimento do Relatório CAPES (COLETA), pois uma série de informações nele solicitadas, encontram-se disponibilizadas no relatório de apoio e tabelas.. APP - 81

6 Figura 5. Opção Estatísticas do Mestrado Na figura 6, diversos utilitários ou serviços podem ser empregados, tais como: mudança de senha; geração de cópias de segurança (backup); restauração de versões copiadas anteriormente; geração de etiquetas (alunos, professores, empresas cadastradas, etc) e finalmente cartas para alunos e professores, que podem ser atualizadas e enviadas para todos os alunos e professores juntamente com as estatísticas retiradas conforme discutido na figura 5 acima. V.CONCLUSÕES Os autores, através da exposição apresentada, resumem as seguintes conclusões: O (GPPGEP) é um programa amigável, ou seja, tanto a entrada de dados e informações quanto a retirada de relatório e estatísticas é de fácil operação; O cuidado na precisão da entrada de dados e informações é preservada pela integridade do sistema; O (GPPGEP) apresenta boa flexibilidade na retirada de dados e informações, pois, permite respostas em tempo real à consultas formuladas ou respostas mais abrangentes com periodicidade regida pela necessidade do gerenciamento; O (GPPGEP) agiliza o gerenciamento administrativo da Secretaria e/ou Coordenação, na emissão de todos os documentos necessários às suas atividades (histórico escolar, diários de classe, relatórios para a administração superior da universidade, etc); O (GPPGEP) agiliza o gerenciamento acadêmico pela Coordenação, apresentando ao coordenador relatórios de desempenho de alunos e professores que são úteis para o gerenciamento do curso; Figura 6. Opção Utilitários Finalmente, a experiência de utilização do (GPPGEP), foi positiva no sentido de ter possibilitado maior sinergia entre coordenação, secretaria, alunos e professores, auxiliando-os no sentido de convergência de suas metas aos objetivos traçados pelo programa de pós-graduação da Unimep. VI.REFERÊNCIAS [1] E. G. F. Polloni, Administrando Sistemas de Informação, São Paulo, Futura: 2000 [2] A. V. Mañas, Administração de Sistemas de Informação, São Paulo, Erica: 1999 [3] R. F. Alves, R. M. Vanalle, Anais V Encontro de Mestrando e I Encontro de Doutorandos em Engenharia, EME / EDE 01, pp [4] R. M. Vanalle, Anais V Encontro de Mestrando e I Encontro de Doutorandos em Engenharia, EME / EDE 01, pp [5] R. S. Pressman, Engenharia de Software. Trad. José Carlos Barbosa dos Santos, São Paulo, Makron Books: 1995 [6] R. F. Melendez, Prototipação de Sistemas de Informações, São Paulo, LTC: 1990 [7] S. R. Bio, Sistemas de Informação : um enfoque gerencial, São Paulo, Atlas: 1996 [8] D. J. Reifer, Software Management, 5 th Edition, IEEE Computer: 1998, pp APP - 82

EVER SANTORO www.eversantoro.com.br DOCENCIA > UNIP

EVER SANTORO www.eversantoro.com.br DOCENCIA > UNIP GESTÃO DAS INFORMAÇÕES EVER SANTORO www.eversantoro.com.br DOCENCIA > UNIP CONTEÚDO PROGRAMÁTICO PROGRAMAÇÃO EXPOSIÇÃO DA DISCIPLINA Cultura da informação Informação estratégica Conceito ampliado de informação

Leia mais

CICLO DE VIDA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS - VISÃO CONCEITUAL DOS MODELOS CLÁSSICO, ESPIRAL E PROTOTIPAÇÃO

CICLO DE VIDA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS - VISÃO CONCEITUAL DOS MODELOS CLÁSSICO, ESPIRAL E PROTOTIPAÇÃO CICLO DE VIDA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS - VISÃO CONCEITUAL DOS MODELOS CLÁSSICO, ESPIRAL E PROTOTIPAÇÃO Rafael Ferreira Alves UNIMEP - Faculdade de Ciência e Tecnologia da Informação Rodovia do Açúcar,

Leia mais

Sistemas de Informações Gerenciais

Sistemas de Informações Gerenciais Sistemas de Informações Gerenciais Aula 4 Sistema de Informação SI baseado em computadores Organização, administração e estratégia Professora: Cintia Caetano INTRODUÇÃO Sistemas de Informação são parte

Leia mais

CAPES - MEC COLETA DE DADOS 9.01 MANUAL SIMPLIFICADO DO USUÁRIO 2006

CAPES - MEC COLETA DE DADOS 9.01 MANUAL SIMPLIFICADO DO USUÁRIO 2006 CAPES - MEC COLETA DE DADOS 9.01 MANUAL SIMPLIFICADO DO USUÁRIO 2006 1 APRESENTAÇÃO...2 2 INSTALAÇÃO...2 3 IMPORTAÇÃO DO ARQUIVO ESPECÍFICO...3 4 IMPORTAÇÃO DE DADOS DO CADASTRO DE DISCENTES...4 5 PREENCHIMENTO

Leia mais

Sistema de informação para controle de vendas em imobiliária

Sistema de informação para controle de vendas em imobiliária Sistema de informação para controle de vendas em imobiliária Acadêmico: Diego Vicentini Orientador: Prof. Paulo R. Dias FURB Universidade Regional de Blumenau Julho/2007 Roteiro da apresentação Introdução

Leia mais

Sistemas de Informação: tipos e características

Sistemas de Informação: tipos e características Sistemas de Informação: tipos e características Tipos de sistemas de informação. Os quatro tipos principais de sistemas de informação. Sistemas do ponto de vista de pessoal Sistemas de processamento de

Leia mais

Manual do Usuário Versão 01. Ficha de Oportunidade

Manual do Usuário Versão 01. Ficha de Oportunidade Versão 01 Ficha de Oportunidade HISTÓRICO DE REVISÕES Data Versão Descrição Autor 24/11/2011 01 Desenvolvimento do manual do usuário baseado nas informações do sistema junto com apoio dos técnicos de implantação.

Leia mais

DataDoc 4.0 Sistema de Gestão de Arquivos. Características do Sistema

DataDoc 4.0 Sistema de Gestão de Arquivos. Características do Sistema DataDoc 4.0 Sistema de Gestão de Arquivos O software DataDoc 4.0 tem como finalidade automatizar a gestão de acervos documentais, englobando todas as fases da documentação. Totalmente desenvolvido em plataforma

Leia mais

Modelagem de Sistemas de Informação

Modelagem de Sistemas de Informação Modelagem de Sistemas de Informação Professora conteudista: Gislaine Stachissini Sumário Modelagem de Sistemas de Informação Unidade I 1 SISTEMAS DE INFORMAÇÃO...1 1.1 Conceitos...2 1.2 Objetivo...3 1.3

Leia mais

Aprovados pelo Colegiado da Pós-Graduação

Aprovados pelo Colegiado da Pós-Graduação UCRITÉRIOS, REGRAS, PROCEDIMENTOS E DOCUMENTOS Aprovados pelo Colegiado da Pós-Graduação 1. Os alunos cujos orientadores tenham recebido quotas de bolsas individuais do CNPq ou da CAPES, mas que hajam

Leia mais

Manual. Objetivo: resumir as informações fornecidas durante o treinamento do SIGAA.

Manual. Objetivo: resumir as informações fornecidas durante o treinamento do SIGAA. Manual Objetivo: resumir as informações fornecidas durante o treinamento do SIGAA. Informações importantes: a) O SIGAA é um sistema desenvolvido pela UFRN e adquirido em cooperação pela UFPA. Ele visa

Leia mais

PRONIM ED - EDUCAÇÃO Financeiro

PRONIM ED - EDUCAÇÃO Financeiro PRONIM ED - EDUCAÇÃO Financeiro SUMÁRIO 1. FINANCEIRO... 5 1.1. ED - SECRETARIA... 5 1.2. ED - ESCOLA... 5 1.3. USUÁRIOS POR ENTIDADE NO ED SECRETARIA E ESCOLA... 6 2. FINANCEIRO - SECRETARIA... 7 2.1.

Leia mais

Sistemas Integrados de Gestão I

Sistemas Integrados de Gestão I Sistema Binário Faculdades Integradas Campos Salles Sistemas Integrados de Gestão I Aula - 8 Classificação dos sistemas de informação Carlos Antonio José Oliviero São Paulo - 2012 Tipos de SIs de acordo

Leia mais

CPqD Gestão Pública. Gestão Escolar Guia de treinamento. Versão do produto: 4.0.0 Edição do documento: 2.0 Abril de 2010

CPqD Gestão Pública. Gestão Escolar Guia de treinamento. Versão do produto: 4.0.0 Edição do documento: 2.0 Abril de 2010 CPqD Gestão Pública Gestão Escolar Guia de treinamento Versão do produto: 4.0.0 Edição do documento: 2.0 Abril de 2010 CPqD Gestão Pública Gestão Escolar Guia de treinamento Versão do produto: 4.0.0 Edição

Leia mais

PHC InterOp CS. O aumento da produtividade da área financeira

PHC InterOp CS. O aumento da produtividade da área financeira PHC InterOp CS O aumento da produtividade da área financeira A solução para o aumento significativo da produtividade da área financeira, através da execução simplificada e rápida de tarefas e operações

Leia mais

Projeto 4D: Gerenciamento e Simulação de projetos industriais com o Autodesk Navisworks

Projeto 4D: Gerenciamento e Simulação de projetos industriais com o Autodesk Navisworks Projeto 4D: Gerenciamento e Simulação de projetos industriais com o Autodesk Navisworks Diego de Oliveira Potapczuk teewe Serão apresentadas as soluções desenvolvidas pela teewe sobre a plataforma do Navisworks,

Leia mais

Tutorial. O Trade e a Nota Fiscal Eletrônica

Tutorial. O Trade e a Nota Fiscal Eletrônica Tutorial O Trade e a Nota Fiscal Eletrônica Este tutorial explica como configurar o Trade Solution e realizar as principais atividades relacionadas à emissão e ao gerenciamento das Notas Fiscais Eletrônicas

Leia mais

Governo do Estado do Pará Secretaria de Estado da Fazenda

Governo do Estado do Pará Secretaria de Estado da Fazenda Manual do Usuário Sistema Notapará Programa Nota Fiscal Cidadã Objetivo: Estabelecer orientações aos usuários do sistema Notapará, tais como: usabilidade, funcionalidade e navegabilidade. Manual do Usuário

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO DO M3

MANUAL DO USUÁRIO DO M3 MANUAL DO USUÁRIO DO M3 1 CADASTROS 1.1 Clientes Abre uma tela de busca na qual o usuário poderá localizar o cadastro dos clientes da empresa. Preencha o campo de busca com o nome, ou parte do nome, e

Leia mais

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE Rafael D. Ribeiro, M.Sc,PMP. rafaeldiasribeiro@gmail.com http://www.rafaeldiasribeiro.com.br Princípios da Teoria de Sistemas 1 Grupos diferentes dentro de uma organização necessitam

Leia mais

REGULAMENTO DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU

REGULAMENTO DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU REGULAMENTO DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU Res. Consun nº 96/10, de 24/11/10. Art. 1º Art. 2º Art. 3º Art. 4º TÍTULO I DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU CAPÍTULO I DAS FINALIDADES

Leia mais

NAVEGANDO NA INTERNET

NAVEGANDO NA INTERNET UNIDADE 2 NAVEGANDO NA INTERNET OBJETIVOS ESPECÍFICOS DE APRENDIZAGEM Ao finalizar esta Unidade você deverá ser capaz de: Definir a forma de utilizar um software de navegação; Debater os conteúdos disponibilizados

Leia mais

MANUAL DO ALUNO DE PÓS-GRADUAÇÃO

MANUAL DO ALUNO DE PÓS-GRADUAÇÃO MANUAL DO ALUNO DE PÓS-GRADUAÇÃO EACH-USP Este manual foi desenvolvido pelo Serviço de Pós-Graduação da EACH-USP Contato do Serviço de Pós-Graduação: atendimentoposeach@usp.br Atualizado em 23 de setembro

Leia mais

Índice. Atualizado em: 01/04/2015 Página: 1

Índice. Atualizado em: 01/04/2015 Página: 1 MANUAL DO USUÁRIO Índice 1. Introdução... 3 2. Acesso ao Sistema... 4 2.1. Instalação... 4 2.1.1. Servidor - Computador Principal... 4 2.1.2. Estação - Computador na Rede... 6 2.1.3. Estação - Mapeamento

Leia mais

1.Introdução. 2. Posicionamento

1.Introdução. 2. Posicionamento 1.Introdução 1.1 Finalidade Este documento tem o objetivo de demonstrar as necessidades e problemas que a rede de clínicas de vacinação IMUNIZA encontra em seu dia a dia, propondo após um levantamento

Leia mais

GPEC FORMA Formação & Aperfeiçoamento www.gpecforma.com.br PRO JURÍDICO XE WEB SOFTWARE WEB PARA ESCRITÓRIOS DE ADVOCACIA

GPEC FORMA Formação & Aperfeiçoamento www.gpecforma.com.br PRO JURÍDICO XE WEB SOFTWARE WEB PARA ESCRITÓRIOS DE ADVOCACIA GPEC FORMA Formação & Aperfeiçoamento www.gpecforma.com.br PRO JURÍDICO XE WEB SOFTWARE WEB PARA ESCRITÓRIOS DE ADVOCACIA PRO JURÍDICO XE WEB Todo escritório de advocacia, de pequeno a grande porte necessita

Leia mais

Programa Estágio de Curta Duração. CAPES/Fundação Carolina

Programa Estágio de Curta Duração. CAPES/Fundação Carolina Programa Estágio de Curta Duração CAPES/Fundação Carolina Edital DRI/CAPES nº. 007/2010 A Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), por meio de sua Diretoria de Relações

Leia mais

SCIM 1.0. Guia Rápido. Instalando, Parametrizando e Utilizando o Sistema de Controle Interno Municipal. Introdução

SCIM 1.0. Guia Rápido. Instalando, Parametrizando e Utilizando o Sistema de Controle Interno Municipal. Introdução SCIM 1.0 Guia Rápido Instalando, Parametrizando e Utilizando o Sistema de Controle Interno Municipal Introdução Nesta Edição O sistema de Controle Interno administra o questionário que será usado no chek-list

Leia mais

Soluções em TI para Web

Soluções em TI para Web Integração do Moodle com SIGA-EUC Lino Vaz Moniz lino@badiu.net linovazmoniz@gmail.com Outubro de 2010 1 Sumário 1- Objetivo...3 3- Justificativa...3 4 Funcionalidades do Modulo...4 5- Cronograma...6 6-

Leia mais

Paciente: Pessoa física que venha a utilizar-se dos serviços da clínica quer seja uma consulta, um exame ou um procedimento.

Paciente: Pessoa física que venha a utilizar-se dos serviços da clínica quer seja uma consulta, um exame ou um procedimento. CADASTROS Efetuar Cadastros é a primeira providencia que se deve tomar ao se iniciar a operação com a plataforma clinicaonline, pois é nele que se concentrarão todos os parâmetros e informações sobre:

Leia mais

SISTEMA DE INFORMAÇÃO GERENCIAL

SISTEMA DE INFORMAÇÃO GERENCIAL COLÉGIO ESTADUAL DE CAMPO MOURÃO EFMP PROF: Edson Marcos da Silva CURSO: Técnico em Administração Subsequente TURMAS: 1º Ano APOSTILA: nº 1 SISTEMA DE INFORMAÇÃO GERENCIAL Sistemas de Informação Campo

Leia mais

versa A solução definitiva para o mercado livreiro. Aumente a eficiência de seu negócio Tenha uma solução adequada para cada segmento

versa A solução definitiva para o mercado livreiro. Aumente a eficiência de seu negócio Tenha uma solução adequada para cada segmento Aumente a eficiência de seu negócio O Versa é um poderoso software de gestão de negócios para editoras, distribuidoras e livrarias. Acessível e amigável, o sistema foi desenvolvido especificamente para

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL - UNISC REGULAMENTO DO BANCO DIGITAL DE TESES E DISSERTAÇÕES - BTD

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL - UNISC REGULAMENTO DO BANCO DIGITAL DE TESES E DISSERTAÇÕES - BTD UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL - UNISC REGULAMENTO DO BANCO DIGITAL DE TESES E DISSERTAÇÕES - BTD CAPÍTULO I DO BANCO DIGITAL DE TESES E DISSERTAÇÕES Art. 1º O Banco Digital de Teses e Dissertações

Leia mais

MANUAL UTILIZAÇÃO DO PORTAL SISTEMA TOTVS EEP

MANUAL UTILIZAÇÃO DO PORTAL SISTEMA TOTVS EEP MANUAL UTILIZAÇÃO DO PORTAL SISTEMA TOTVS EEP 1 Sumário Acesso ao Portal EEP.NET... 3 Login Portal EEP.NET... 4 Digitação de Notas... 5 Digitação de Faltas... 7 Digitação do Plano de Aula... 9 Emissão

Leia mais

DOCUMENTO DE REQUISITOS

DOCUMENTO DE REQUISITOS DOCUMENTO DE REQUISITOS ID documento: Data: / / Versão : Responsável pelo documento: ID Projeto: HISTÓRICO DE REVISÕES Data de criação/ atualização Descrição da(s) Mudança(s) Ocorrida(s) Autor Versão do

Leia mais

CRManager. CRManager. TACTIUM CRManager. Guia de Funcionalidades. Versão 5.0 TACTIUM CRManager Guia de Funcionalidades. www.softium.com.

CRManager. CRManager. TACTIUM CRManager. Guia de Funcionalidades. Versão 5.0 TACTIUM CRManager Guia de Funcionalidades. www.softium.com. Tactium Tactium CRManager CRManager TACTIUM CRManager Guia de Funcionalidades 1 O TACTIUM CRManager é a base para implementar a estratégia de CRM de sua empresa. Oferece todo o suporte para personalização

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA SISTEMA DE BIBLIOTECAS UNIVERSITÁRIAS TUTORIAL CATALOGO PERGAMUM

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA SISTEMA DE BIBLIOTECAS UNIVERSITÁRIAS TUTORIAL CATALOGO PERGAMUM UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA SISTEMA DE BIBLIOTECAS UNIVERSITÁRIAS TUTORIAL CATALOGO PERGAMUM Elaboração: Karyn Munyk Lehmkuhl Acadêmica da 9ª do curso de Biblioteconomia UFSC - Semestre 2003/2

Leia mais

gesacad GESTÃO ACADÊMIDA DE ESCOLAS

gesacad GESTÃO ACADÊMIDA DE ESCOLAS gesacad GESTÃO ACADÊMIDA DE ESCOLAS Mais de uma década de experiência e evolução é o que dá ao sistema uma vasta gama de funcionalidades. Esse conhecimento que faz total diferença para sua empresa. xp+

Leia mais

MIGRAÇÃO DO MÓDULO DE CIRCULAÇÃO DO BANCO DE DADOS BIBLIOGRÁFICOS DA USP - DEDALUS, DO SOFTWARE ALEPH 300 PARA O ALEPH 500: RELATO DE EXPERIÊNCIA

MIGRAÇÃO DO MÓDULO DE CIRCULAÇÃO DO BANCO DE DADOS BIBLIOGRÁFICOS DA USP - DEDALUS, DO SOFTWARE ALEPH 300 PARA O ALEPH 500: RELATO DE EXPERIÊNCIA MIGRAÇÃO DO MÓDULO DE CIRCULAÇÃO DO BANCO DE DADOS BIBLIOGRÁFICOS DA USP - DEDALUS, DO SOFTWARE ALEPH 300 PARA O ALEPH 500: RELATO DE EXPERIÊNCIA Adriana Domingos Santos 1, Ana Maria de Castro Badiali

Leia mais

Certidão Online Manual do Usuário

Certidão Online Manual do Usuário JUNTA COMERCIAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Certidão Online Manual do Usuário Versão 3.1 Lista de Tópicos - Navegação Rápida CADASTRANDO O USUÁRIO... 3 ACESSANDO O SISTEMA... 5 CERTIDAO SIMPLIFICADA NADA

Leia mais

SISTEMA DE CONTROLE FINANCEIRO. Curitiba PR www.softwar.com.br suporte@softwar.com.br

SISTEMA DE CONTROLE FINANCEIRO. Curitiba PR www.softwar.com.br suporte@softwar.com.br SISTEMA DE CONTROLE FINANCEIRO Curitiba PR www.softwar.com.br suporte@softwar.com.br Esta é a primeira tela, aonde o usuário irá colocar o código de acesso para utilizar o software. Se for a primeira vez

Leia mais

Manual de Operação do Mercanet HelpDesk

Manual de Operação do Mercanet HelpDesk Manual de Operação do Mercanet HelpDesk Preparada por: Jaime Fenner Revisada por: Kelen Turmina Versão Documento: 02 Data: 12 de Maio de 2009 Sumário Executivo Este documento visa divulgar todas as funcionalidades

Leia mais

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FACULDADE DE MEDICINA DE MARÍLIA

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FACULDADE DE MEDICINA DE MARÍLIA SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FACULDADE DE MEDICINA DE MARÍLIA Este roteiro não dispensa a leitura do Regulamento do Curso de Pós- Graduação Stricto Sensu Mestrado Acadêmico

Leia mais

GESimob GERENCIAMENTO DE IMOBILIÁRIAS

GESimob GERENCIAMENTO DE IMOBILIÁRIAS GESimob GERENCIAMENTO DE IMOBILIÁRIAS Mais de uma década de experiência e evolução é o que dá ao sistema uma vasta gama de funcionalidades. Esse conhecimento que faz total diferença para sua empresa. xp+

Leia mais

MANUAL DO GERENCIADOR ESCOLAR WEB

MANUAL DO GERENCIADOR ESCOLAR WEB CNS LEARNING MANUAL DO GERENCIADOR ESCOLAR WEB Versão Online 13 Índice ÍNDICE... 1 VISÃO GERAL... 2 CONCEITO E APRESENTAÇÃO VISUAL... 2 PRINCIPAIS MÓDULOS... 3 ESTRUTURAÇÃO... 3 CURSOS... 4 TURMAS... 4

Leia mais

Instalação Certificado Digital tipo A1

Instalação Certificado Digital tipo A1 Instalação Certificado Digital tipo A1 Sistemas operacionais compatíveis: Windows XP SP3 Windows Vista Windows 7 Sumário 1. INTRODUÇÃO... 3 2. PRÉ - REQUISITOS... 3 3. LOCALIZANDO O CERTIFICADO... 4 4.

Leia mais

Organograma do Conteúdo do Software ACADESC

Organograma do Conteúdo do Software ACADESC Organograma do Conteúdo do Software ACADESC MENUS DO ACADESC: Sistema Efetuar logon...(utilizado para fechar temporariamente o software ) Parâmetros do Sistema (dispõe as diversas opções de configurações

Leia mais

Existem três categorias básicas de processos empresariais:

Existem três categorias básicas de processos empresariais: PROCESSOS GERENCIAIS Conceito de Processos Todo trabalho importante realizado nas empresas faz parte de algum processo (Graham e LeBaron, 1994). Não existe um produto ou um serviço oferecido por uma empresa

Leia mais

Orientações Gerais para as Disciplinas de Trabalho de Conclusão do Cursos de Sistemas para Internet IFRS - Câmpus Porto Alegre

Orientações Gerais para as Disciplinas de Trabalho de Conclusão do Cursos de Sistemas para Internet IFRS - Câmpus Porto Alegre Orientações Gerais para as Disciplinas de Trabalho de Conclusão do Cursos de Sistemas para Internet IFRS - Câmpus Porto Alegre Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul -

Leia mais

Gerenciador de Imóveis

Gerenciador de Imóveis Gerenciador de Imóveis O Corretor Top é o mais completo sistema de gestão de imóveis do mercado, onde corretores terão acesso à agenda, cadastro de imóveis, carteira de clientes, atendimento, dentre muitas

Leia mais

Gestão e Tecnologia para o Controle de Vendas em uma Pequena e Média Malharia.

Gestão e Tecnologia para o Controle de Vendas em uma Pequena e Média Malharia. Gestão e Tecnologia para o Controle de Vendas em uma Pequena e Média Malharia. Alceu Antonio da Costa alceuacosta@gmail.com FAQ Claudia Cobero claudia.cobero@terra.com.br FAQ Resumo:: O trabalho apresenta

Leia mais

EXAME DE SUFICIÊNCIA DE CONHECIMENTOS PARA OS CURSOS DE TECNOLOGIA DA FATEC SÃO CAETANO DO SUL - EDITAL 001/2015 -

EXAME DE SUFICIÊNCIA DE CONHECIMENTOS PARA OS CURSOS DE TECNOLOGIA DA FATEC SÃO CAETANO DO SUL - EDITAL 001/2015 - EXAME DE SUFICIÊNCIA DE CONHECIMENTOS PARA OS CURSOS DE TECNOLOGIA DA FATEC SÃO CAETANO DO SUL - EDITAL 001/2015 - A Diretora da Unidade FATEC São Caetano do Sul, no uso de suas atribuições legais, torna

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA. Documento de Arrecadação Estadual DAE. Manual do Usuário. Versão 1.0.0 SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA

SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA. Documento de Arrecadação Estadual DAE. Manual do Usuário. Versão 1.0.0 SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA 1 SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA Documento de Arrecadação Estadual DAE Manual do Usuário Versão 1.0.0 SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA 66.053-000 Av. Visconde de Souza Franco, 110 Reduto Belém PA Tel.:(091)

Leia mais

GESTÃO DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO: UM SIG PARA APOIAR ORIENTADORES, ALUNOS, SECRETARIA E COORDENADOR.

GESTÃO DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO: UM SIG PARA APOIAR ORIENTADORES, ALUNOS, SECRETARIA E COORDENADOR. GESTÃO DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO: UM SIG PARA APOIAR ORIENTADORES, ALUNOS, SECRETARIA E COORDENADOR. Nivia Guilherme niviaguilherme@yahoo.com.br Universidade Metodista de Piracicaba, Faculdade de Engenharia,

Leia mais

Escritório Virtual Administrativo

Escritório Virtual Administrativo 1 Treinamento Módulos Escritório Virtual Administrativo Sistema Office Instruções para configuração e utilização do módulo Escritório Virtual e módulo Administrativo do sistema Office 2 3 1. Escritório

Leia mais

Manual do Usuário SUMÁRIO

Manual do Usuário SUMÁRIO SUMÁRIO VISUAL LIVRO CAIXA 1. Noções Gerais 1.1. Objetivo... 03 1.2. Sistema com Fundamento Legal Atualizado...03 1.3. Assistência Técnica... 03 1.3.1. Suporte Técnico... 03 1.3.2. Office Service... 03

Leia mais

Codificar Sistemas Tecnológicos

Codificar Sistemas Tecnológicos Codificar Sistemas Tecnológicos Especificação dos Requisitos do Software Sistema de gestão para a Empresa Cliente SlimSys Autor: Equipe Codificar Belo Horizonte MG Especificação dos Requisitos do Software

Leia mais

Manual NOV - PDV. Versão 1.0

Manual NOV - PDV. Versão 1.0 Manual NOV - PDV Versão 1.0 Sumário 01 Captura de Nota Fiscal...3 02 Remessa de Entrada...6 03 Remessa de Saída......9 04 Pedido Normal...12 05 Pedido Especial...16 06 Nota Fiscal Avulsa...18 07 Controle

Leia mais

ORIENTAÇÕES GERAIS PARA UTILIZAÇÃO DE RECURSOS DO PROEX (2015)

ORIENTAÇÕES GERAIS PARA UTILIZAÇÃO DE RECURSOS DO PROEX (2015) UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Instituto de Medicina Social Rua São Francisco Xavier, 524 / 7º andar / Bloco D - Maracanã CEP: 20550-013 - Rio de Janeiro - BRASIL TEL: 55-021- 2334-0235 FAX:

Leia mais

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL BRAVA GENTE REGIMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL BRAVA GENTE REGIMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL BRAVA GENTE REGIMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO Porto Alegre, 2011 1 Sede Pão dos Pobres Rua da República 801, Bloco P2, Sala 16 Porto Alegre

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO. ASP Consultoria e Desenvolvimento de Softwares Ltda. SISTEMA DE GESTÃO COMERCIAL. Manual de Operação do SIMPLES 1

MANUAL DE OPERAÇÃO. ASP Consultoria e Desenvolvimento de Softwares Ltda. SISTEMA DE GESTÃO COMERCIAL. Manual de Operação do SIMPLES 1 Manual de Operação do SIMPLES 1 MANUAL DE OPERAÇÃO SISTEMA DE GESTÃO COMERCIAL ASP Consultoria e Desenvolvimento de Softwares Ltda. Manual de Operação do SIMPLES 2 A Empresa A ASP Desenvolvimento de Softwares

Leia mais

FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE ENSINO DE PIRACICABA Centro de Pós-Graduação

FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE ENSINO DE PIRACICABA Centro de Pós-Graduação MANUAL DE INSCRIÇÃO Nesta primeira tela observar a inscrição referente ao CPG, que é o no primeiro quadro com descrição Abertos. Neste link é possível baixar o edital de inscrição antes de realiza-la.

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO DO SIE-SISTEMA DE INFORMAÇÃO PARA O ENSINO

MANUAL DO USUÁRIO DO SIE-SISTEMA DE INFORMAÇÃO PARA O ENSINO MANUAL DO USUÁRIO DO SIE-SISTEMA DE INFORMAÇÃO PARA O ENSINO INTRODUÇÃO Esse manual destina-se a usuários do Sistema de Informação para o Ensino -SIE Módulo Protocolo e tem por finalidade apresentar as

Leia mais

CONTACT CENTER MANUAL DE USUÁRIO

CONTACT CENTER MANUAL DE USUÁRIO ÍNDICE QUE VALORES [CONTAC CENTER] TRAZ PARA VOCÊ? UTILIZANDO O CONTACT CENTER (NOÇÕES BÁSICAS) 2 CONTAC CENTER CLIENTE 3 ABRINDO UM CHAMADO 5 ACOMPANHANDO O CHAMADO 5 CONTAC CENTER Noções básicas para

Leia mais

GERÊNCIA DE INTEGRAÇÃO DO PROJETO

GERÊNCIA DE INTEGRAÇÃO DO PROJETO GERÊNCIA DE INTEGRAÇÃO DO PROJETO Estevanir Sausen¹, Patricia Mozzaquatro² ¹Acadêmico do Curso de Ciência da Computação ²Professor(a) do Curso de Ciência da Computação Universidade de Cruz Alta (UNICRUZ)

Leia mais

Tutorial. O Trade e a Nota Fiscal Eletrônica

Tutorial. O Trade e a Nota Fiscal Eletrônica Tutorial O Trade e a Nota Fiscal Eletrônica Este tutorial explica como configurar o Trade Solution e realizar as principais atividades relacionadas à emissão e ao gerenciamento das Notas Fiscais Eletrônicas

Leia mais

Apresentação Análise Essencial Projeto Implantação do Sistema Treinamento Suporte Técnico

Apresentação Análise Essencial Projeto Implantação do Sistema Treinamento Suporte Técnico Apresentação Um projeto de informatização tem como principal função analisar as características da empresa e apontar os pontos onde são necessários controles informatizados, fazendo uma análise junto à

Leia mais

Introdução à Computação

Introdução à Computação Aspectos Importantes - Desenvolvimento de Software Motivação A economia de todos países dependem do uso de software. Cada vez mais, o controle dos processos tem sido feito por software. Atualmente, os

Leia mais

SOFTWARE PARA ADMINISTRAÇÃO DE SALÕES DE BELEZA. O seu salão já está utilizando os recursos que o sistema TEODORA oferece?

SOFTWARE PARA ADMINISTRAÇÃO DE SALÕES DE BELEZA. O seu salão já está utilizando os recursos que o sistema TEODORA oferece? SOFTWARE PARA ADMINISTRAÇÃO DE SALÕES DE BELEZA O seu salão já está utilizando os recursos que o sistema TEODORA oferece? Não? Então conheça o sistema que é a maior inovação tecnológica voltada para o

Leia mais

PHC InterOp CS. O aumento da produtividade da área financeira

PHC InterOp CS. O aumento da produtividade da área financeira PHC InterOp CS O aumento da produtividade da área financeira A solução para o aumento significativo da produtividade da área financeira, através da execução simplificada e rápida de tarefas e operações

Leia mais

CURSOS DE MESTRADO ACADÊMICO E DOUTORADO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA REGULAMENTO

CURSOS DE MESTRADO ACADÊMICO E DOUTORADO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA REGULAMENTO CURSOS DE MESTRADO ACADÊMICO E DOUTORADO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA REGULAMENTO 2013 CURSOS DE MESTRADO ACADÊMICO E DOUTORADO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA REGULAMENTO

Leia mais

1.INDÍCE... ERROR! BOOKMARK NOT DEFINED. 3.CONSULTA CIRCULARES... 6 5.PROMOÇÕES E EVENTOS... 8. Consultando Promoções e Eventos 8.

1.INDÍCE... ERROR! BOOKMARK NOT DEFINED. 3.CONSULTA CIRCULARES... 6 5.PROMOÇÕES E EVENTOS... 8. Consultando Promoções e Eventos 8. Indíce 1.INDÍCE... ERROR! BOOKMARK NOT DEFINED. 2.QUADRO DE AVISOS... 4 3.CONSULTA CIRCULARES... 6 4.CONSULTA NOTÍCIAS... 7 5.PROMOÇÕES E EVENTOS... 8 Consultando Promoções e Eventos 8 6.CONSULTAS GERAIS...

Leia mais

www.projetode redes.co m.br www.redesde com p uta dores. com. br

www.projetode redes.co m.br www.redesde com p uta dores. com. br Outras Apostilas em: www.projetode redes.co m.br www.redesde com p uta dores. com. br Centro Universitário Geraldo di Biase 1. Sistemas, Processos e Informações Ao observarmos o funcionamento de um setor

Leia mais

Sistemas e Sistemas de Informação

Sistemas e Sistemas de Informação Sistemas e Sistemas de Informação 1) Defina pensamento sistêmico. É pensar na empresa como um sistema. A empresa não é vista como um conjunto de partes independentes, buscando alcançar objetivos isolados,

Leia mais

Planejamento operacional e sistemas automatizados de gestão de recursos organizacionais. Prof. Gilberto Porto porto@gilbertoporto.com.

Planejamento operacional e sistemas automatizados de gestão de recursos organizacionais. Prof. Gilberto Porto porto@gilbertoporto.com. Planejamento operacional e sistemas automatizados de gestão de recursos organizacionais Prof. Gilberto Porto porto@gilbertoporto.com.br Sistemas de Informação SE SSD/ SAE Estratégico Tipos de decisão Não

Leia mais

Banco Volkswagen Manual do Sistema CCO CESSÃO DE DIREITOS - PF CCO CESSÃO DE DIREITOS CENTRAL DE CRÉDITO ON-LINE

Banco Volkswagen Manual do Sistema CCO CESSÃO DE DIREITOS - PF CCO CESSÃO DE DIREITOS CENTRAL DE CRÉDITO ON-LINE Banco Volkswagen Manual do Sistema CCO CESSÃO DE DIREITOS - PF CCO CESSÃO DE DIREITOS CENTRAL DE CRÉDITO ON-LINE Histórico do Documento Tipo de Norma: Manual Operacional Número: 19 Departamento Responsável:

Leia mais

GUIA PRA TICO DO ALUNO

GUIA PRA TICO DO ALUNO GUIA PRA TICO DO ALUNO Sistema de Avaliação, Ambiente Virtual de Aprendizagem AVA e Portal ÚNICO Guia prático e de conhecimento do Sistema de Avaliação, utilização das ferramentas tecnológicas Ambiente

Leia mais

com diferentes relatórios de acompanhamento.

com diferentes relatórios de acompanhamento. 1 O PVANet é o ambiente virtual de aprendizado (AVA) desenvolvido e utilizado pela UFV para apoiar as disciplinas de cursos regulares, nas modalidades presenciais ou a distância, bem como nos cursos de

Leia mais

MANUAL DE EMISSÃO DA CL-e

MANUAL DE EMISSÃO DA CL-e CAPA DE LOTE ELETRÔNICA (CL-e) MANUAL DE EMISSÃO DA CL-e Versão 1.00 Manaus/AM - Janeiro de 2009 1 SUMÁRIO Informações Gerais... 3 Acessando o Módulo Emissor da CL-e... 4 Registrando uma CL-e... 6 Consultando

Leia mais

-Entre no menu Cadastros / Sacados -Insira os dados do sacado / clique em Gravar

-Entre no menu Cadastros / Sacados -Insira os dados do sacado / clique em Gravar Acesso ao Sistema -Dê dois cliques no ícone do programa. -Digite o Usuário: MASTER -Digite a Senha: MASTER -Clique em Acessar -Para selecionar o Cedente: - Entre no menu Cadastros - Clique em Selecionar

Leia mais

www.siteware.com.br Versão 2.6

www.siteware.com.br Versão 2.6 www.siteware.com.br Versão 2.6 Sumário Apresentação... 4 Login no PortalSIM... 4 Manutenção... 5 Unidades... 5 Unidades... 5 Grupos de CCQ... 5 Grupos de unidades... 6 Tipos de unidades... 6 Sistema de

Leia mais

10º FÓRUM DE EXTENSÃO E CULTURA DA UEM. IMPLEMENTAÇÃO DE BANCO DE TRABALHOS CONCLUSÃO CURSO TCCs WEBSITE DO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO UEM-DEP

10º FÓRUM DE EXTENSÃO E CULTURA DA UEM. IMPLEMENTAÇÃO DE BANCO DE TRABALHOS CONCLUSÃO CURSO TCCs WEBSITE DO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO UEM-DEP 10º FÓRUM DE EXTENSÃO E CULTURA DA UEM IMPLEMENTAÇÃO DE BANCO DE TRABALHOS CONCLUSÃO CURSO TCCs WEBSITE DO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO UEM-DEP Manoel Francisco Carreira 1 Gislaine Camila Lapasini Leal

Leia mais

Manual de Utilização. Sistema. Recibo Provisório de Serviço

Manual de Utilização. Sistema. Recibo Provisório de Serviço Manual de Utilização Sistema Recibo Provisório de Serviço Versão 1.0 17/08/2011 Sumário Introdução... 5 1. Primeiro Acesso... 7 2. Funções do e-rps... 8 2.1 Menu Superior... 8 2.1.1 Arquivo......8 2.1.2

Leia mais

Criação de Consultas e Relatórios no Access CRIAÇÃO DE CONSULTAS E RELATÓRIOS NO ACCESS

Criação de Consultas e Relatórios no Access CRIAÇÃO DE CONSULTAS E RELATÓRIOS NO ACCESS Criação de Consultas e Relatórios no Access CRIAÇÃO DE CONSULTAS E RELATÓRIOS NO ACCESS Sumário Conceitos / Autores chave... 3 1. Introdução... 4 2. Consultas... 5 3. Relatórios... 8 4. Conclusões... 11

Leia mais

Sociedade Educacional da Paraíba - SEDUP Faculdades de Ensino Supeior da Paraíba - FESP

Sociedade Educacional da Paraíba - SEDUP Faculdades de Ensino Supeior da Paraíba - FESP Sociedade Educacional da Paraíba - SEDUP Faculdades de Ensino Supeior da Paraíba - FESP REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO TCC CURSO DE DIREITO DA FESP FACULDADES Ultima versão 21/08/2012 CAPÍTULO

Leia mais

RESUMO DE CATALOGAÇÃO

RESUMO DE CATALOGAÇÃO RESUMO DE CATALOGAÇÃO CLASSIFICAÇÃO DISTINTA Contatos: Cirineo Zenere (c.zenere@pucpr.br) Eulália M. Soares (eulalia.soares@pucpr.br) Josilaine O. Cezar (josilaine.cezar@pucpr.br) SUMÁRIO INICIANDO A CATALOGAÇÃO...2

Leia mais

Sumário. Apresentação O que é o Centro de Gerenciamento de Serviços (CGS) NTI? Terminologia Status do seu chamado Utilização do Portal Web

Sumário. Apresentação O que é o Centro de Gerenciamento de Serviços (CGS) NTI? Terminologia Status do seu chamado Utilização do Portal Web Sumário Apresentação O que é o Centro de Gerenciamento de Serviços (CGS) NTI? Terminologia Status do seu chamado Utilização do Portal Web Fazendo Login no Sistema Tela inicial do Portal WEB Criando um

Leia mais

SISTEMA DE INFORMAÇÃO APLICADO NA ÁREA DE ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS BASEADO EM DATA WAREHOUSE

SISTEMA DE INFORMAÇÃO APLICADO NA ÁREA DE ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS BASEADO EM DATA WAREHOUSE SISTEMA DE INFORMAÇÃO APLICADO NA ÁREA DE ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS BASEADO EM DATA WAREHOUSE OSCAR DALFOVO, M.A. dalfovo@furb.rct-sc.br Professor da Universidade Regional de Blumenau Rua: Antônio da

Leia mais

As cotas institucionais do ano de 2015 serão distribuídas conforme os critérios a seguir: Capes. Mestrado 3 e 4 03 (três) Bolsas

As cotas institucionais do ano de 2015 serão distribuídas conforme os critérios a seguir: Capes. Mestrado 3 e 4 03 (três) Bolsas PROGRAMA DE BOLSAS FAPESB - COTAS INSTITUCIONAIS MESTRADO PROFISSIONAL, MESTRADO E DOUTORADO 1. INTRODUÇÃO Com o objetivo de apoiar a formação científica através da concessão de bolsas de Doutorado, Mestrado

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE O FUNCIONAMENTO DO EAD I-UMA SOBRE O EAD

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE O FUNCIONAMENTO DO EAD I-UMA SOBRE O EAD PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE O FUNCIONAMENTO DO EAD I-UMA SOBRE O EAD 1. O que é EAD? EAD é a sigla para Ensino a Distância, ou Educação a Distância, uma modalidade de ensino que acontece a partir da união

Leia mais

Sumário. Ambiente de Trabalho... Erro! Indicador não definido.

Sumário. Ambiente de Trabalho... Erro! Indicador não definido. Sumário Ambiente de Trabalho... Erro! Indicador não definido. Introdução ao Project Um projeto é uma seqüência bem definida de eventos, com um início e um final identificável. O foco de um projeto é obter

Leia mais

Sistema de Controle. Como entrar no sistema. Tela inicial. Funcionalidades do sistema. Controle de permissões. Menu Aplicativo

Sistema de Controle. Como entrar no sistema. Tela inicial. Funcionalidades do sistema. Controle de permissões. Menu Aplicativo Sistema de Controle Logístico de Medicamentos Como entrar no sistema 1 Tela inicial Funcionalidades do sistema Controle de permissões Menu Aplicativo Gerenciador de relatórios 0800 61 2439 siclom@aids.gov.br

Leia mais

MBA em Marketing Estratégico

MBA em Marketing Estratégico MBA em Marketing Estratégico Público - alvo O MBA em Marketing Estratégico é indicado para profissionais com experiência profissional mínima de três anos, com formação universitária em qualquer área e

Leia mais

Ministério da Educação - MEC Universidade Federal de Santa Maria UFSM Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa PRPGP

Ministério da Educação - MEC Universidade Federal de Santa Maria UFSM Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa PRPGP Ministério da Educação - MEC Universidade Federal de Santa Maria UFSM Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa PRPGP Tutorial de preenchimento do Plano de Estudos On-line NOVEMBRO DE 2013 2 Índice 1 Tutorial

Leia mais

MANUAL UTILIZAÇÃO. Emuntech Software Solutions Página 1

MANUAL UTILIZAÇÃO. Emuntech Software Solutions Página 1 MANUAL DE UTILIZAÇÃO Emuntech Software Solutions Página 1 Acesso ao sistema Definições para acesso ao CRM Interatell. Acessando o CRM Interatell Utilizando o browser de internet acesse o endereço interatell.net

Leia mais

R E G U L A M E N T O* PRÊMIO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS SOBRE INFORMAÇÃO DE CUSTOS E QUALIDADE DO GASTO NO SETOR PÚBLICO

R E G U L A M E N T O* PRÊMIO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS SOBRE INFORMAÇÃO DE CUSTOS E QUALIDADE DO GASTO NO SETOR PÚBLICO R E G U L A M E N T O* PRÊMIO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS SOBRE INFORMAÇÃO DE CUSTOS E QUALIDADE DO GASTO NO SETOR PÚBLICO DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º Idealizado pela Secretaria Executiva do Ministério da Fazenda

Leia mais

SIMPLES INFORMÁTICA E CONSULTORIA LTDA

SIMPLES INFORMÁTICA E CONSULTORIA LTDA GERANDO BACKUP NO SISTEMA DE CONTABILIDADE PÚBLICA- SCP14H É interessante para a segurança de seus dados sempre fazer uma cópia de segurança, ou backup, periodicamente. Há casos também em que precisamos

Leia mais

Índice Manual MySuite

Índice Manual MySuite Manual do Cliente Índice Manual MySuite 1) Introdução: O MySuite e este Manual... 3 2) Módulo Help Desk... 4 2.1) Abrindo um novo Ticket... 4 2.2) Cliente lendo e interagindo no ticket... 5 2.3) Cliente

Leia mais

Manual do Sistema "Vida Controle de Contatos" Editorial Brazil Informatica

Manual do Sistema Vida Controle de Contatos Editorial Brazil Informatica Manual do Sistema "Vida Controle de Contatos" Editorial Brazil Informatica I Vida Controle de Contatos Conteúdo Part I Introdução 2 1 Vida Controle... de Contatos Pessoais 2 Part II Configuração 2 1 Configuração...

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CONTÁBIL COMO FONTE DE TOMADA DE DECISÕES GERENCIAS

A IMPORTÂNCIA DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CONTÁBIL COMO FONTE DE TOMADA DE DECISÕES GERENCIAS A IMPORTÂNCIA DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CONTÁBIL COMO FONTE DE TOMADA DE DECISÕES GERENCIAS Linha de pesquisa: Sistema de informação gerencial Pâmela Adrielle da Silva Reis Graduanda do Curso de Ciências

Leia mais