Respostas dos alunos sobre o curso

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Respostas dos alunos sobre o curso"

Transcrição

1 Respostas dos alunos sobre o curso Aplicação INDICADOR: ENSINO QUESTÃO: EM TERMOS DE PRÁTICA PEDAGÓGICA, QUE ATIVIDADES VOCÊ CITARIA COMO UM DIFERENCIAL DO CURSO? FACULDADE: PÇL - NÚCLEO DE ARTE E TECNOLOGIA CURSO: (13) ARQUITETURA E URBANISMO RESPOSTAS Divisão da turma para determinadas aulas e mais professores para melhor atender os alunos. atividades em loco. AULAS DE ATELIER Oficinas com cursos voltados para a área. Melhor qualidade das aulas e dos professores. Ser revisado a grade curricular que está falha VOLTADO PARA BELAS ARTES O estímulo à observação e ao pensamento crítico. No curso Arquitetura e Urbanismo em cada período é desenvolvido um projeto arquitetônico na disciplina integrado, o interessante é que muitas vezes outras disciplinas integram com o de forma que o aluno colune em prática o aprendizado de uma matéria teórica. Outra atividade diferencial é a Semana de Arquitetura, pois proporciona várias palestras e oficinas aos alunos aumentando o campo do conhecimento, além de oferecer um momento de socialização de todos os alunos do curso. Atividades relacionadas a disciplina de Fotografia, teoria da cor Aula de Aulas de Maquete. um laboratório especifico para areá da Arquitetura, pois o da faculdade e uma vergonha. Não entendo de prática pedagógica, mas 90% dos professores estão deixando a desejar no quesito ensino e avaliação. Uma professora avaliar um trabalho comparando com o de outro aluno, isso é um absurdo, isso não é competição entre alunos, cada um deve ser avaliado individualmente de acordo com o proposto. Outra coisa é que todos os professores deixam os trabalhos para o final do semestre, isso deveria ser distribuído ao longo dele, não somente no final, isso faz com que façamos os trabalhos correndo e sem prestar muita atenção no que estamos fazendo, a impressão que dá é que uma matéria prejudica a outra ao invés de agregar. o altelier ter mais de dois professores, mais nenhuma! Alguns professores não têm didática, nunca deram aula e são literalmente péssimos. Quantidade absurda de aulas práticas. Palestras ministradas por profissionais da área. Na verdade, a prática pedagógica deixa muito a desejar. Somos impulsionados por objetivos nem sempre claros, que dificultam a absorção do conhecimento. Na maior parte das vezes, os alunos são surpreendidos com a realização de eventos que não foram divulgados. Aliás, a comunicação dentro da instituição é péssima. Em quatro anos de curso, nunca fomos procurados pela coordenação para que pudéssemos conversar sobre o ensino ministrado e a prática pedagógica aplicada. Somos meros executores. Nossas expectativas nunca foram questionadas. Pelo contrário, aquele que se aventura em reivindicar algo sempre se torna um indivíduo marcado. ATELIER (todos) e Matéria virtual. Um péssimo diferencial, nenhuma faculdade tem essas diciplinas e elas só dão dor de cabeça pro aluno. Não conheço NENHUM aluno que goste ou ache essas matérias necessárias. A ideia pode ser boa, mas a pratica delas, não existe pior. É desgastante e não acrescenta absolutamente NADA na formação acadêmica. Fui uma das pessoas que fundou o DAAE e conheço muita gente, eu sei do que to falando. Página 1 de 6

2 Vivências em campo faz com que possamos pensar sempre no bem estar do próximo, olhando sempre se nosso "cliente" está gostando das escolhas feitas para ele. Não somente em relação a uma residência, mas em relação ao bairro, a cidade que estamos aprendendo. VISITAS TÉCNICAS - ATELIÊ - Como prática pedagógica eu não consigo ver nenhuma. Os professores lançam trabalhos e não orientam os alunos como resolver. Se é pra pegar pratica, pra que estamos em uma universidade? Estamos em uma universidade para aprender o modo de como se faz. Como podemos chegar a um resultado se não sabemos o caminho? o professor deve mostrar o caminho. As poucas atividades externas à universidade propostas pelos professores. Nenhum, ainda nao vi nenhuma diferenca, oque aprendo osbre arquitetura eu aprendo no google e nos estagios que realizo. Precisamos de uma base antes de comecarmos a fazer projeto, nao irmos direto pra pratica! Não conheço o curso em outras instituições mas gosto muito da forma como o urbanismo é estudado no Izabela, embora tenhamos ouvido de alguns professores que o curso já foi uma referencia na áreaa e que a casa ja teve inclusive um programa de extensão de referência nacional e perdeu profissionais que capacitava e qualificava os alunos do curso. Propostas de visitas a museus e espaços públicos que muitas vezes de fácil acesso e sem custos que estão tão próximos e quase não usamos e ou conhecemos. Esse tipo de prática é um grande diferencial, pois, nos impulsiona a conhecer lugares diferentes e aguça o senso crítico. Pré TFG Ultimamaente, nenhuma. Comparado com outras faculdades o curso não apresenta nada de inovador. Pelo contrario se mostra deficiente e desatualizado. O Curso de Arquitetura e Urbanismo ainda tem muito que melhorar eu não sei dizer que atividades são um diferencial no curso sei dizer quais praticas e deficiencias estão presentes cada vez mais no curso como falta de infraestrutura adequada e a falta de compromisso de muitos professores com o curso. Minh sala tem em torno de 80 alunos o que~ e um ABSURDO pois saimos prejudicados por não conseguir ter orientação com os professores, escultar e vêr a aula com clareza, e ate mesmo sentar nas carteiras para ter aula. O Izabela é a unica faculdade que conheço que junta duas turmas para não pagar professor e faz os alunos pagarem 940 reais de mensalidade para ter aulas cada vez mais ruins. Os professores usam slides com o material, mas não são bem suceditos pois o material não é por eles, ou seja, é dado pela instuição. Sendo a maioria dos professores não sabem o que diz o material e acaba sendo uma aula perdida. Dinâmica e ensino voltado para o lado mais social e sustentável do curso. nenhuma A prática exercida na disciplina de Ateliê é um diferencial pois prepara o aluno para o TCC. Além da prática em projetos faz com que o aluno desenvolva a apresentação e a interagir com os orientadores. A diversificação nas monitorias, o fato das disciplinas serem interdisciplinares, visitas, discussões e debates, seminários, a busca em relacionar a teoria com a prática, o bom relacionamento de professores com os alunos, entre outras. aulas praticas. SS PROJETOS FEITOS NA MATERIA ATELIER As viagens em campo para o desenvolvimento de projetos. O arquiteto como um CRIADOR. Desenvolvimento artístico e criativo. Visitas tecnicas, embora raras Curso de Auto Cad, Geometrica descritiva, Maquete fisicas e eletronicas. Nenhuma, pois nossas aulas são sempre teóricas. O curso não promove visita a obras e eventos para incentivar e promover o conhecimento do aluno. com criação de projetos e estudos., Arquitetura, História as aulas de que supostamente deveriam integrar os conhecimentos adquiridos nas outras disciplinas Página 2 de 6

3 exercidas em forma de projeto - Visitas a canteiros de obras, para a vivência mais próxima do dia a dia de um arquiteto; - Como Belo Horizonte é uma cidade com edificações de diversos tipos, poderiam estimular os alunos a andarem mais por Belo Horizonte em visitas pedagógicas para "ver" o conteúdo teórico passado em sala de aula; introdutório sem duvidas.. ela nos permite criar, e aguçar a criatividade Aulas com mais de um professor ao mesmo tempo (ATELIER - arquitetura) A liberdade de criação, a valorização da criatividade e das idéias inovadoras. Acrdito no Arquiteto e urbanista criativo e com capacidade de projeto. Os conceitos estreuturais são bem praticos e de fácil compreensão, acho a proporção de matérias exatas e estruturais boa com relação as de projeto, desenho etc. ACESSORIA POR MAIS DE 1 PROFESSOR EM SALA DE AULA. A prárica de projetos como se realmente estivessemos fazendo para clientes e não como um simples trabalho da faculdade. As aulas do ateliê são as que mais nos ensinam na prática o que vamos trabalhar. As visitas em exposições e lojas também são muito interessantes e de conteúdo enriquecedor. Nenhum destaque para curso em vista aos concorrentes. Não percebo nenhum diferencial. aulas teóricas minuciosas, mais contato com as obras de arquitetura, desde a fundação até o acabamento, e em projetos de urbanismo que até agora foi poco visto. pois eu acredito que o contato direto com o "produto" que escolhemos trabalhar vai apurar e aguçar a percepção dos alunos para o que de fato seja a arquitetura e urbanismo. ter profissionais que tenha o total conhecimento pratico do que leciona ao invez de mandar trabalhos para o aluno se virar para aprender a materia como ex. das aulas de EMM onde vamos fazer um resumo de um livro da bibliografia básica e este sera o nosso ensinamento sobre estruturas de madeiras!! Compreender a prática pedagógica requer a utilização da categoria totalidade, entendida como a expressão das características marcantes da sociedade que influenciam a realidade educacional. Não vejo nada de diferencial, a não ser as aulas de ateliê na qual o aluno vai em um lugar para poder fazer o trabalho,mas dai os professores não orientam direito. Cada professor fala uma coisa,o aluno fica sem saber e acaba sendo reprovado por discordâncias dos próprios professores. Mal orientação. As visitas tecnicas que devemos fazer na materia Atividade Cultural - Muitas aulas praticas.... O desenvolvimento da postura critica. nenhum que fosse importante Nada. Em toda faculdade tem tudo que nós temos!!! cursos de programas cad 3D Aulas de Autocad, aulas de maquete O curso não tem um diferencial pedagógico, pois as salas de são mal planejadas, as pranchetas estão em péssimas condições, a maioria dos professores não planejam as suas aulas com isso os alunos são prejudicados com excesso de trabalhos que poderiam ser dados em sala de aula e aulas extras. Os poucos trabalhos em campo (in loco) EXERCÍCIOS PROJETIVOS EAD pelo fato de eu ter vindo de outra faculdade, não encontrei nada que eu poderia citar como um diferencial. Alguns professores como o Renato César são excelentes. Página 3 de 6

4 INDICADOR: ENSINO QUESTÃO: EM TERMOS DE PRÁTICA PEDAGÓGICA, QUE ATIVIDADES VOCÊ CITARIA COMO UM DIFERENCIAL DO CURSO? FACULDADE: PÇL - NÚCLEO DE ARTE E TECNOLOGIA CURSO: (13) ARQUITETURA E URBANISMO RESPOSTAS Divisão da turma para determinadas aulas e mais professores para melhor atender os alunos. atividades em loco. AULAS DE ATELIER Oficinas com cursos voltados para a área. Melhor qualidade das aulas e dos professores. Ser revisado a grade curricular que está falha VOLTADO PARA BELAS ARTES O estímulo à observação e ao pensamento crítico. No curso Arquitetura e Urbanismo em cada período é desenvolvido um projeto arquitetônico na disciplina integrado, o interessante é que muitas vezes outras disciplinas integram com o de forma que o aluno colune em prática o aprendizado de uma matéria teórica. Outra atividade diferencial é a Semana de Arquitetura, pois proporciona várias palestras e oficinas aos alunos aumentando o campo do conhecimento, além de oferecer um momento de socialização de todos os alunos do curso. Atividades relacionadas a disciplina de Fotografia, teoria da cor Aula de Aulas de Maquete. um laboratório especifico para areá da Arquitetura, pois o da faculdade e uma vergonha. Não entendo de prática pedagógica, mas 90% dos professores estão deixando a desejar no quesito ensino e avaliação. Uma professora avaliar um trabalho comparando com o de outro aluno, isso é um absurdo, isso não é competição entre alunos, cada um deve ser avaliado individualmente de acordo com o proposto. Outra coisa é que todos os professores deixam os trabalhos para o final do semestre, isso deveria ser distribuído ao longo dele, não somente no final, isso faz com que façamos os trabalhos correndo e sem prestar muita atenção no que estamos fazendo, a impressão que dá é que uma matéria prejudica a outra ao invés de agregar. o altelier ter mais de dois professores, mais nenhuma! Alguns professores não têm didática, nunca deram aula e são literalmente péssimos. Quantidade absurda de aulas práticas. Palestras ministradas por profissionais da área. Na verdade, a prática pedagógica deixa muito a desejar. Somos impulsionados por objetivos nem sempre claros, que dificultam a absorção do conhecimento. Na maior parte das vezes, os alunos são surpreendidos com a realização de eventos que não foram divulgados. Aliás, a comunicação dentro da instituição é péssima. Em quatro anos de curso, nunca fomos procurados pela coordenação para que pudéssemos conversar sobre o ensino ministrado e a prática pedagógica aplicada. Somos meros executores. Nossas expectativas nunca foram questionadas. Pelo contrário, aquele que se aventura em reivindicar algo sempre se torna um indivíduo marcado. ATELIER (todos) e Matéria virtual. Um péssimo diferencial, nenhuma faculdade tem essas diciplinas e elas só dão dor de cabeça pro aluno. Não conheço NENHUM aluno que goste ou ache essas matérias necessárias. A ideia pode ser boa, mas a pratica delas, não existe pior. É desgastante e não acrescenta absolutamente NADA na formação acadêmica. Fui uma das pessoas que fundou o DAAE e conheço muita gente, eu sei do que to falando. Vivências em campo faz com que possamos pensar sempre no bem estar do próximo, olhando sempre se nosso "cliente" está gostando das escolhas feitas para ele. Não somente em relação a uma residência, mas em relação ao Página 4 de 6

5 bairro, a cidade que estamos aprendendo. VISITAS TÉCNICAS - ATELIÊ - Como prática pedagógica eu não consigo ver nenhuma. Os professores lançam trabalhos e não orientam os alunos como resolver. Se é pra pegar pratica, pra que estamos em uma universidade? Estamos em uma universidade para aprender o modo de como se faz. Como podemos chegar a um resultado se não sabemos o caminho? o professor deve mostrar o caminho. As poucas atividades externas à universidade propostas pelos professores. Nenhum, ainda nao vi nenhuma diferenca, oque aprendo osbre arquitetura eu aprendo no google e nos estagios que realizo. Precisamos de uma base antes de comecarmos a fazer projeto, nao irmos direto pra pratica! Não conheço o curso em outras instituições mas gosto muito da forma como o urbanismo é estudado no Izabela, embora tenhamos ouvido de alguns professores que o curso já foi uma referencia na áreaa e que a casa ja teve inclusive um programa de extensão de referência nacional e perdeu profissionais que capacitava e qualificava os alunos do curso. Propostas de visitas a museus e espaços públicos que muitas vezes de fácil acesso e sem custos que estão tão próximos e quase não usamos e ou conhecemos. Esse tipo de prática é um grande diferencial, pois, nos impulsiona a conhecer lugares diferentes e aguça o senso crítico. Pré TFG Ultimamaente, nenhuma. Comparado com outras faculdades o curso não apresenta nada de inovador. Pelo contrario se mostra deficiente e desatualizado. O Curso de Arquitetura e Urbanismo ainda tem muito que melhorar eu não sei dizer que atividades são um diferencial no curso sei dizer quais praticas e deficiencias estão presentes cada vez mais no curso como falta de infraestrutura adequada e a falta de compromisso de muitos professores com o curso. Minh sala tem em torno de 80 alunos o que~ e um ABSURDO pois saimos prejudicados por não conseguir ter orientação com os professores, escultar e vêr a aula com clareza, e ate mesmo sentar nas carteiras para ter aula. O Izabela é a unica faculdade que conheço que junta duas turmas para não pagar professor e faz os alunos pagarem 940 reais de mensalidade para ter aulas cada vez mais ruins. Os professores usam slides com o material, mas não são bem suceditos pois o material não é por eles, ou seja, é dado pela instuição. Sendo a maioria dos professores não sabem o que diz o material e acaba sendo uma aula perdida. Dinâmica e ensino voltado para o lado mais social e sustentável do curso. nenhuma A prática exercida na disciplina de Ateliê é um diferencial pois prepara o aluno para o TCC. Além da prática em projetos faz com que o aluno desenvolva a apresentação e a interagir com os orientadores. A diversificação nas monitorias, o fato das disciplinas serem interdisciplinares, visitas, discussões e debates, seminários, a busca em relacionar a teoria com a prática, o bom relacionamento de professores com os alunos, entre outras. aulas praticas. SS PROJETOS FEITOS NA MATERIA ATELIER As viagens em campo para o desenvolvimento de projetos. O arquiteto como um CRIADOR. Desenvolvimento artístico e criativo. Visitas tecnicas, embora raras Curso de Auto Cad, Geometrica descritiva, Maquete fisicas e eletronicas. Nenhuma, pois nossas aulas são sempre teóricas. O curso não promove visita a obras e eventos para incentivar e promover o conhecimento do aluno. com criação de projetos e estudos., Arquitetura, História as aulas de que supostamente deveriam integrar os conhecimentos adquiridos nas outras disciplinas exercidas em forma de projeto - Visitas a canteiros de obras, para a vivência mais próxima do dia a dia de um arquiteto; - Como Belo Horizonte é uma cidade com edificações de diversos tipos, poderiam estimular os alunos a Página 5 de 6

6 andarem mais por Belo Horizonte em visitas pedagógicas para "ver" o conteúdo teórico passado em sala de aula; introdutório sem duvidas.. ela nos permite criar, e aguçar a criatividade Aulas com mais de um professor ao mesmo tempo (ATELIER - arquitetura) A liberdade de criação, a valorização da criatividade e das idéias inovadoras. Acrdito no Arquiteto e urbanista criativo e com capacidade de projeto. Os conceitos estreuturais são bem praticos e de fácil compreensão, acho a proporção de matérias exatas e estruturais boa com relação as de projeto, desenho etc. ACESSORIA POR MAIS DE 1 PROFESSOR EM SALA DE AULA. A prárica de projetos como se realmente estivessemos fazendo para clientes e não como um simples trabalho da faculdade. As aulas do ateliê são as que mais nos ensinam na prática o que vamos trabalhar. As visitas em exposições e lojas também são muito interessantes e de conteúdo enriquecedor. Nenhum destaque para curso em vista aos concorrentes. Não percebo nenhum diferencial. aulas teóricas minuciosas, mais contato com as obras de arquitetura, desde a fundação até o acabamento, e em projetos de urbanismo que até agora foi poco visto. pois eu acredito que o contato direto com o "produto" que escolhemos trabalhar vai apurar e aguçar a percepção dos alunos para o que de fato seja a arquitetura e urbanismo. ter profissionais que tenha o total conhecimento pratico do que leciona ao invez de mandar trabalhos para o aluno se virar para aprender a materia como ex. das aulas de EMM onde vamos fazer um resumo de um livro da bibliografia básica e este sera o nosso ensinamento sobre estruturas de madeiras!! Compreender a prática pedagógica requer a utilização da categoria totalidade, entendida como a expressão das características marcantes da sociedade que influenciam a realidade educacional. Não vejo nada de diferencial, a não ser as aulas de ateliê na qual o aluno vai em um lugar para poder fazer o trabalho,mas dai os professores não orientam direito. Cada professor fala uma coisa,o aluno fica sem saber e acaba sendo reprovado por discordâncias dos próprios professores. Mal orientação. As visitas tecnicas que devemos fazer na materia Atividade Cultural - Muitas aulas praticas.... O desenvolvimento da postura critica. nenhum que fosse importante Nada. Em toda faculdade tem tudo que nós temos!!! cursos de programas cad 3D Aulas de Autocad, aulas de maquete O curso não tem um diferencial pedagógico, pois as salas de são mal planejadas, as pranchetas estão em péssimas condições, a maioria dos professores não planejam as suas aulas com isso os alunos são prejudicados com excesso de trabalhos que poderiam ser dados em sala de aula e aulas extras. Os poucos trabalhos em campo (in loco) EXERCÍCIOS PROJETIVOS EAD pelo fato de eu ter vindo de outra faculdade, não encontrei nada que eu poderia citar como um diferencial. Alguns professores como o Renato César são excelentes. Página 6 de 6

ARQUITETURA E URBANISMO

ARQUITETURA E URBANISMO FEAR -Faculdade de Engenharia e Arquitetura FEAR CAMPUS Fig.1 Mapa Campus I (Adaptado pela autora) Fonte: WebSite www.upf.com.br FEAR ENSINO O curso de Arquitetura e Urbanismo da UPF, iniciou suas atividades

Leia mais

Objetivo: Relatar a experiência do desenvolvimento do software Participar. Wilson Veneziano Professor Orientador do projeto CIC/UnB

Objetivo: Relatar a experiência do desenvolvimento do software Participar. Wilson Veneziano Professor Orientador do projeto CIC/UnB Transcrição do vídeo Projeto Participar Duração: 10 minutos e 43 segundos Objetivo: Relatar a experiência do desenvolvimento do software Participar Wilson Veneziano Professor Orientador do projeto CIC/UnB

Leia mais

FACULDADE REDENTOR ITAPERUNA RJ

FACULDADE REDENTOR ITAPERUNA RJ RESULTADOS DA PESQUISA DE PERCEPÇÃO E SATISFAÇÃO DOS CURSOS DE: MBA - GESTÃO ESTRATÉGICA DOS NEGÓCIOS MBA - GESTÃO ESTRATÉGICA COM PESSOAS FACULDADE REDENTOR 2012 ITAPERUNA RJ MODELO DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 6, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 1

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 6, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 6, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 1 Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do curso de graduação em Arquitetura

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 2, DE 17 DE JUNHO DE 2010 (*)

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 2, DE 17 DE JUNHO DE 2010 (*) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 2, DE 17 DE JUNHO DE 2010 (*) Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do curso de graduação em Arquitetura

Leia mais

MODELOS ORGANIZATIVOS DE ENSINO E APRENDIZAGEM: UMA PROPOSTA PARA A FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA

MODELOS ORGANIZATIVOS DE ENSINO E APRENDIZAGEM: UMA PROPOSTA PARA A FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA MODELOS ORGANIZATIVOS DE ENSINO E APRENDIZAGEM: UMA PROPOSTA PARA A FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA Jaqueline Oliveira Silva Ribeiro SESI-SP josr2@bol.com.br Dimas Cássio Simão SESI-SP

Leia mais

INTRODUÇÃO À ENGENHARIA CIVIL POR MEIO DE ATIVIDADES ENVOLVENDO GEOMETRIA ANALÍTICA E AUTOCAD

INTRODUÇÃO À ENGENHARIA CIVIL POR MEIO DE ATIVIDADES ENVOLVENDO GEOMETRIA ANALÍTICA E AUTOCAD INTRODUÇÃO À ENGENHARIA CIVIL POR MEIO DE ATIVIDADES ENVOLVENDO GEOMETRIA ANALÍTICA E AUTOCAD Thatiana Sakate Abe 1 abe.thaty@gmail.com Bianca Serico Leite biancaserico@hotmail.com Fabiano Antonio Bessani

Leia mais

A EXTENSÃO EM MATEMÁTICA: UMA PRÁTICA DESENVOLVIDA NA COMUNIDADE ESCOLAR. GT 05 Educação Matemática: tecnologias informáticas e educação à distância

A EXTENSÃO EM MATEMÁTICA: UMA PRÁTICA DESENVOLVIDA NA COMUNIDADE ESCOLAR. GT 05 Educação Matemática: tecnologias informáticas e educação à distância A EXTENSÃO EM MATEMÁTICA: UMA PRÁTICA DESENVOLVIDA NA COMUNIDADE ESCOLAR GT 05 Educação Matemática: tecnologias informáticas e educação à distância Nilce Fátima Scheffer - URI-Campus de Erechim/RS - snilce@uri.com.br

Leia mais

CONCEPÇÕES MATEMÁTICA APRESENTADAS POR PROFESSORES DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM PSICOPEDAGOGIA

CONCEPÇÕES MATEMÁTICA APRESENTADAS POR PROFESSORES DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM PSICOPEDAGOGIA CONCEPÇÕES MATEMÁTICA APRESENTADAS POR PROFESSORES DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM PSICOPEDAGOGIA Jacqueline Oliveira de Melo Gomes Faculdade de Formação de Professores da Mata Sul / FAMASUL-PE jacomgomes@yahoo.com.br

Leia mais

Curso ISO 9001:2008 Qualidade em Serviços

Curso ISO 9001:2008 Qualidade em Serviços Curso ISO 9001:2008 Qualidade em Serviços Guia Fundamental para Gestão de Qualidade em Serviços Objetivo Capacitar os participantes a interpretarem os requisitos da Norma ISO 9001:2008, relacionados aos

Leia mais

O JORNAL EM SALA DE AULA: PARA ALÉM DO LETRAMENTO, O ALUNO COMO CENTRO DA NOTÍCIA

O JORNAL EM SALA DE AULA: PARA ALÉM DO LETRAMENTO, O ALUNO COMO CENTRO DA NOTÍCIA O JORNAL EM SALA DE AULA: PARA ALÉM DO LETRAMENTO, O ALUNO COMO CENTRO DA NOTÍCIA Ana Lhayse Feitoza Albuquerque analhayse@hotmail.com Beatriz Correia Neri de Araújo beatrizneri00@hotmail.com Thays Emanuela

Leia mais

ARTES DA INFÂNCIA 1/5 CABEÇAS

ARTES DA INFÂNCIA 1/5 CABEÇAS ARTES DA INFÂNCIA 1/5 CABEÇAS 2 3 Artes da Infância infans Do latim, infans significa aquele que ainda não teve acesso à linguagem falada. Na infância adquirimos conhecimentos, acumulamos vivências e construímos

Leia mais

MANUAL DO CURSO SUPERIOR TECNOLOGIA EM GESTÃO COMERCIAL QP EM CONTACT CENTER

MANUAL DO CURSO SUPERIOR TECNOLOGIA EM GESTÃO COMERCIAL QP EM CONTACT CENTER MANUAL DO CURSO SUPERIOR TECNOLOGIA EM GESTÃO COMERCIAL QP EM CONTACT CENTER 1) Introdução Belo Horizonte 2009/1º A proposta da elaboração do Manual para o Curso de Tecnologia em Gestão Comercial QP EM

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO BELAS ARTES DE SÃO PAULO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO

CENTRO UNIVERSITÁRIO BELAS ARTES DE SÃO PAULO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO CENTRO UNIVERSITÁRIO BELAS ARTES DE SÃO PAULO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO CACCAU Centro de Atividades Complementares do Curso de Arquitetura e Urbanismo REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES Nas

Leia mais

2.2.5. Questionário a ser Respondido Pelos Estudantes em EaD.

2.2.5. Questionário a ser Respondido Pelos Estudantes em EaD. 2.2.5. Questionário a ser Respondido Pelos Estudantes em EaD. Este questionário é um instrumento de coleta de informações para a realização da auto avaliação da UFG que tem como objetivo conhecer a opinião

Leia mais

Q1 Em relação à Disciplina

Q1 Em relação à Disciplina Avaliação Institucional - º Semestre - Curso de Administração º Período Q Em relação à Disciplina Respondidas: Ignoradas: % 8% 9,59% 96,% 85,9% 6% % %,%,%,8% % A organização dos conteúdos O conteúdo é

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID RELATÓRIO DE ATIVIDADES DO ALUNO BOLSISTA SUBPROJETO DE 2011. 2 Semestre de 2011

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID RELATÓRIO DE ATIVIDADES DO ALUNO BOLSISTA SUBPROJETO DE 2011. 2 Semestre de 2011 Ministério da Educação Secretaria de Educação Média e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em Design de Interiores e Decoração. Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix Belo Horizonte MG - Brasil

Curso Superior de Tecnologia em Design de Interiores e Decoração. Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix Belo Horizonte MG - Brasil Curso Superior de Tecnologia em Design de Interiores e Decoração Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix Belo Horizonte MG - Brasil Área de Interesse: Meio de divulgação via Internet Site na Web

Leia mais

CURSO = Administração - FIC

CURSO = Administração - FIC Sua Vez qualidade do atendimento. 23 Ausente 1 Média 4,00 Modelo padrão,953 Sua Vez qualidade do atendimento. a 1 1 4,2 4,3 4,3 3 4 16,7 17,4 21,7 4 11 45,8 47,8 69,6 5 7 29,2 30,4 100,0 Total 23 95,8

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA Pró-reitoria de Planejamento PROPLAN Comissão Própria de Avaliação CPA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA Pró-reitoria de Planejamento PROPLAN Comissão Própria de Avaliação CPA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA Pró-reitoria de Planejamento PROPLAN Comissão Própria de Avaliação CPA 1ª Avaliação do Curso de Especialização em Projetos e Obras Públicas de Edificações do Programa

Leia mais

GUIA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES. Faculdade de Engenharia Universidade do Estado de Minas Gerais

GUIA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES. Faculdade de Engenharia Universidade do Estado de Minas Gerais GUIA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES Faculdade de Engenharia Universidade do Estado de Minas Gerais Apresentação Querido (a) aluno (a) Seja bem vindo (a) à Faculdade de Engenharia da Universidade do Estado

Leia mais

ATIVIDADES EXPERIMENTAIS PARA O ESTUDO DA ASTRONOMIA: CONSTRUINDO O SISTEMA SOLAR REDUZIDO

ATIVIDADES EXPERIMENTAIS PARA O ESTUDO DA ASTRONOMIA: CONSTRUINDO O SISTEMA SOLAR REDUZIDO ATIVIDADES EXPERIMENTAIS PARA O ESTUDO DA ASTRONOMIA: CONSTRUINDO O SISTEMA SOLAR REDUZIDO José da Silva de Lima¹; José Rodolfo Neves da Silva²; Renally Gonçalves da Silva³; Alessandro Frederico da Silveira

Leia mais

RELATÓRIO FINAL - INDICADORES - ESTUDANTES. Quadro 1: Resultados dos Indicadores para o curso de Pedagogia Campus São Carlos.

RELATÓRIO FINAL - INDICADORES - ESTUDANTES. Quadro 1: Resultados dos Indicadores para o curso de Pedagogia Campus São Carlos. RELATÓRIO FINAL - INDICADORES - ESTUDANTES CURSO: PEDAGOGIA UFSCAR Quadro 1: Resultados dos Indicadores para o curso de Pedagogia Campus São Carlos. INDICADOR CLASSIFICAÇÃO ÍNDICE DE AVALIAÇÃO GERAL ALTO

Leia mais

O mundo como escola Texto Isis Lima Soares, Richele Manoel, Marcílio Ramos e Juliana Rocha Fotos Luciney Martins/Rede Rua Site 5HYLVWD9LUDomR

O mundo como escola Texto Isis Lima Soares, Richele Manoel, Marcílio Ramos e Juliana Rocha Fotos Luciney Martins/Rede Rua Site 5HYLVWD9LUDomR O mundo como escola Texto Isis Lima Soares, Richele Manoel, Marcílio Ramos e Juliana Rocha Fotos Luciney Martins/Rede Rua Site 5HYLVWD9LUDomR Já pensou um bairro inteirinho se transformando em escola a

Leia mais

(responsáveis pela Educação Ambiental)

(responsáveis pela Educação Ambiental) GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO COORDENADORIA DE ESTUDOS E NORMAS PEDAGÓGICAS Praça da Republica, 53 - São Paulo CEP 01045-903 Tel. (011) 3237-2115 - ramal 209 5.100 mil

Leia mais

Diretrizes Acadêmicas para os Cursos de Graduação

Diretrizes Acadêmicas para os Cursos de Graduação Diretrizes Acadêmicas para os Cursos de Graduação Diretrizes Acadêmicas para os Cursos de Graduação Os cursos oferecidos pela instituição de Ensino Superior IES devem ter seus projetos pedagógicos construídos

Leia mais

Polo Universitário Santo Antônio Núcleo de Tecnologia Educacional Santo Antônio da Patrulha. Planejamento para 2015

Polo Universitário Santo Antônio Núcleo de Tecnologia Educacional Santo Antônio da Patrulha. Planejamento para 2015 Polo Universitário Santo Antônio Núcleo de Tecnologia Educacional Santo Antônio da Patrulha Planejamento para 2015 Formação Aprender faz parte da vida, sendo um processo permanente de desenvolvimento humano

Leia mais

SEMI-PRESENCIALIDADE NO ENSINO SUPERIOR: ALGUNS RESULTADOS DESSA MODALIDADE NA FGF

SEMI-PRESENCIALIDADE NO ENSINO SUPERIOR: ALGUNS RESULTADOS DESSA MODALIDADE NA FGF 1 SEMI-PRESENCIALIDADE NO ENSINO SUPERIOR: ALGUNS RESULTADOS DESSA MODALIDADE NA FGF Fortaleza CE Junho/2009 Karla Angélica Silva do Nascimento - Faculdade Integrada da Grande Fortaleza karla@fgf.edu.br

Leia mais

MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURSO DE LETRAS

MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURSO DE LETRAS MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURSO DE LETRAS Belo Horizonte 2013 SUMÁRIO 1 Informações e procedimentos... 2 2 Atividades que irão complementar a formação... 2 4 As atividades complementares podem

Leia mais

Coordenação e Vice-coordenação do Curso de Fonoaudiologia UFF/Campus de Nova Friburgo (2014-2018)

Coordenação e Vice-coordenação do Curso de Fonoaudiologia UFF/Campus de Nova Friburgo (2014-2018) Coordenação e Vice-coordenação do Curso de Fonoaudiologia UFF/Campus de Nova Friburgo (2014-2018) FONOAUDIOLOGIA UFF: Ética, Compromisso e Competência Apresentamos a Comunidade Acadêmica a nossa Plataforma

Leia mais

OFICINA EDUCOMUNICATIVA EM FOTOGRAFIA

OFICINA EDUCOMUNICATIVA EM FOTOGRAFIA OFICINA EDUCOMUNICATIVA EM FOTOGRAFIA Uma proposta para aplicação no Programa Mais Educação Izabele Silva Gomes Universidade Federal de Campina Grande UFCG izabelesilvag@gmail.com Orientador (a): Professora

Leia mais

EDIFICAÇÕES. Há poucas atividades extracurriculares. Sugere-se reduzir a burocracia da instituição.

EDIFICAÇÕES. Há poucas atividades extracurriculares. Sugere-se reduzir a burocracia da instituição. EDIFICAÇÕES Há poucas atividades extracurriculares. Sugere-se reduzir a burocracia da instituição. Faltam disciplinas práticas e deveria haver mais aulas nos laboratórios. Deveriam ser realizadas mais

Leia mais

METODOLOGIA PARA O ENSINO DA MATEMÁTICA: UM OLHAR A PARTIR DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO

METODOLOGIA PARA O ENSINO DA MATEMÁTICA: UM OLHAR A PARTIR DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO METODOLOGIA PARA O ENSINO DA MATEMÁTICA: UM OLHAR A PARTIR DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO Flávia Nascimento de Oliveira flavinhamatematica@hotmail.com Rivânia Fernandes da Costa Dantas rivafern@hotmail.com

Leia mais

Um ensino forte e bilíngue é o passaporte do seu filho para um mundo de oportunidades. É por isso que propomos uma cultura internacional, com

Um ensino forte e bilíngue é o passaporte do seu filho para um mundo de oportunidades. É por isso que propomos uma cultura internacional, com Um ensino forte e bilíngue é o passaporte do seu filho para um mundo de oportunidades. É por isso que propomos uma cultura internacional, com disciplinas ministradas em português e inglês, e uma metodologia

Leia mais

VENHA COM A GENTE TRANSFORMAR O PAÍS PELA EDUCAÇÃO.

VENHA COM A GENTE TRANSFORMAR O PAÍS PELA EDUCAÇÃO. VENHA COM A GENTE TRANSFORMAR O PAÍS PELA EDUCAÇÃO. A ANIMA EDUCAÇÃO. A Anima é uma das maiores organizações educacionais privadas de ensino superior do país. São mais de 50 mil estudantes matriculados

Leia mais

Escola para Formação de Artistas Artes Visuais Dança Música Teatro

Escola para Formação de Artistas Artes Visuais Dança Música Teatro Fundação das Artes Escola para Formação de Artistas Artes Visuais Dança Música Teatro Inscrições Abertas Turmas 2013 Primeiro Semestre Cursos Livres e Técnicos A Fundação das Artes é uma Escola de Artes

Leia mais

O USO DAS REDES SOCIAIS NO ENSINO FUNDAMENTAL COMO AUXILIO AS METODOLOGIAS DE ENSINO

O USO DAS REDES SOCIAIS NO ENSINO FUNDAMENTAL COMO AUXILIO AS METODOLOGIAS DE ENSINO ISSN 2316-7785 O USO DAS REDES SOCIAIS NO ENSINO FUNDAMENTAL COMO AUXILIO AS METODOLOGIAS DE ENSINO Gabriel Souza Germann da Silva Universidade Federal de Pelotas germann.gabriel.mat@gmail.com Antônio

Leia mais

Encontro Nacional Jovem de Futuro 2013: conexões e troca de experiências

Encontro Nacional Jovem de Futuro 2013: conexões e troca de experiências boletim Jovem de Futuro ed. 04-13 de dezembro de 2013 Encontro Nacional Jovem de Futuro 2013: conexões e troca de experiências O Encontro Nacional Jovem de Futuro 2013 aconteceu de 26 a 28 de novembro.

Leia mais

Aprender a Distância na Previdência

Aprender a Distância na Previdência Relatório de Encerramento Aprender a Distância na Previdência (ADP-001-09) Brasília, 05 de março de 2009. 1 1. Identificação: Curso: Aprender a distância na Previdência Descrição do curso: Módulo introdutório

Leia mais

Resolução nº. 01/09. Título I Estágio Supervisionado. Capítulo I. Caracterização do Estágio:

Resolução nº. 01/09. Título I Estágio Supervisionado. Capítulo I. Caracterização do Estágio: 1 Resolução nº. 01/09 Aprovar o Regulamento do Estágio Curricular Supervisionado do Curso de Pedagogia - considerando o art.70, VII do Regimento desta Instituição; - considerando necessidade de normatizar

Leia mais

Sistemas Estruturados de Ensino e Redes Municipais do Estado de São Paulo

Sistemas Estruturados de Ensino e Redes Municipais do Estado de São Paulo Sistemas Estruturados de Ensino e Redes Municipais do Estado de São Paulo Coordenadora: Paula Louzano Marcio Kameoka Valéria Rocha Adriana Borges Avaliação pedagógica: Rosa Barros Elenita Berger Rosana

Leia mais

SABERES ADQUIRIDOS NO PIBID (PROGRAMA INSTUCIONAL DE BOLSA INICIAÇÃO À DOCÊNCIA) PARA O SUCESSO PROFISSIONAL.

SABERES ADQUIRIDOS NO PIBID (PROGRAMA INSTUCIONAL DE BOLSA INICIAÇÃO À DOCÊNCIA) PARA O SUCESSO PROFISSIONAL. SABERES ADQUIRIDOS NO PIBID (PROGRAMA INSTUCIONAL DE BOLSA INICIAÇÃO À DOCÊNCIA) PARA O SUCESSO PROFISSIONAL. TayaraCrystina P. Benigno, UERN; tayara_bbg@hotmail.com Emerson Carlos da Silva, UERN; emersoncarlos90@hotmail.com

Leia mais

FORMAÇÃO DE PROFESSORES QUE ENSINAM MATEMÁTICA

FORMAÇÃO DE PROFESSORES QUE ENSINAM MATEMÁTICA FORMAÇÃO DE PROFESSORES QUE ENSINAM MATEMÁTICA Fabiana de Jesus Oliveira União de Ensino do Sudoeste do Paraná fabiana@unisep.edu.br Diversas são as pesquisas que têm mostrado que o ensino encontra-se

Leia mais

A PESQUISA NA MUDANÇA DA SALA DE AULA DE MATEMÁTICA: UMA ANÁLISE DA EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL

A PESQUISA NA MUDANÇA DA SALA DE AULA DE MATEMÁTICA: UMA ANÁLISE DA EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL A PESQUISA NA MUDANÇA DA SALA DE AULA DE MATEMÁTICA: UMA ANÁLISE DA EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL Leandro Carlos de Souza Gomes(1); Universidade Estadual da Paraíba, leandrouepb@hotmail.com; RESUMO: Essa pesquisa

Leia mais

O papel do tutor a distância no processo de ensino e aprendizagem no âmbito do curso Planejamento e Gestão para o Desenvolvimento Rural - PLAGEDER

O papel do tutor a distância no processo de ensino e aprendizagem no âmbito do curso Planejamento e Gestão para o Desenvolvimento Rural - PLAGEDER O papel do tutor a distância no processo de ensino e aprendizagem no âmbito do curso Planejamento e Gestão para o Desenvolvimento Rural - PLAGEDER Márcio Zamboni Neske Doutorando em Desenvolvimento Rural

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE ARTES VISUAIS BACHARELADO

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE ARTES VISUAIS BACHARELADO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE ARTES VISUAIS BACHARELADO Art. 1º. O presente

Leia mais

NURAP 2 NURAP 3. Colaboração: Aprendizes Raquel André Silva

NURAP 2 NURAP 3. Colaboração: Aprendizes Raquel André Silva EXPEDIENTE Ano 3 - Dezembro - Edição 29 NURAP em revista é uma publicação do NURAP ( Núcleo de Aprendizagem Profissional) Destinada aos seus parceiros e aprendizes. Colaboração: Aprendizes Raquel André

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB ANEXO II EDITAL Nº 001/2011/CAPES PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO

Leia mais

Projeto de Capacitação Profissional DNA TEC

Projeto de Capacitação Profissional DNA TEC Projeto de Capacitação Profissional DNA TEC Agenda O Instituto Eldorado DNA TEC: Motivação e Contexto DNA TEC: Objetivos DNA TEC: Dinâmica da Capacitação DNA TEC: O Curso EAD DNA TEC: EAD e Seleção DNA

Leia mais

A modalidade de ensino que cresce a passos largos no Brasil, ainda provoca desconfiança em muita gente. VOCÊ ESTUDARIA A DISTÂNCIA?

A modalidade de ensino que cresce a passos largos no Brasil, ainda provoca desconfiança em muita gente. VOCÊ ESTUDARIA A DISTÂNCIA? O formato é bem antigo, mas ele voltou a ganhar notoriedade na década de 90, com o avanço da tecnologia e, principalmente, devido ao alcance da internet pela população. Ainda assim, ele está longe de ser

Leia mais

RELATÓRIO PARCIAL DA AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2010/10. Curso tecnológico em Redes de Computadores

RELATÓRIO PARCIAL DA AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2010/10. Curso tecnológico em Redes de Computadores CENTRO UNIVERSITÁRIO DO ESTADO DO PARÁ COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO PARCIAL DA AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2010/10 Curso tecnológico em Redes de Computadores CATEGORIAS & DIMENSÕES AVALIADAS:

Leia mais

A EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS E AS DIFICULDADES ENFRENTADAS POR PROFESSORES DE UMA ESCOLA PÚBLICA DE FORTALEZA

A EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS E AS DIFICULDADES ENFRENTADAS POR PROFESSORES DE UMA ESCOLA PÚBLICA DE FORTALEZA A EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS E AS DIFICULDADES ENFRENTADAS POR PROFESSORES DE UMA ESCOLA PÚBLICA DE FORTALEZA Gabriela de Aguiar Carvalho, UFC Orientadora: Maria José Costa dos Santos, UFC INTRODUÇÃO

Leia mais

Como aconteceu essa escuta?

Como aconteceu essa escuta? No mês de aniversário do ECA - Estatuto da Criança e do Adolescente, nada melhor que ouvir o que acham as crianças sobre a atuação em Educação Integral realizada pela Fundação Gol de Letra!! Conheça um

Leia mais

Aprovado no CONGRAD: 25.09.2007 Vigência: ingressos a partir de 2008/1. CÓD. 243 - CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO MATRIZ CURRICULAR Currículo nº 05

Aprovado no CONGRAD: 25.09.2007 Vigência: ingressos a partir de 2008/1. CÓD. 243 - CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO MATRIZ CURRICULAR Currículo nº 05 Aprovado no CONGRAD: 25.09.2007 Vigência: ingressos a partir de 2008/1 CÓD. 243 - CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO MATRIZ CURRICULAR Currículo nº 05 I - NÚCLEO DE CONHECIMENTOS DE FUNDAMENTAÇÃO Estética,

Leia mais

Resultado da Avaliação das Disciplinas

Resultado da Avaliação das Disciplinas Avaliação Curso Direito Imobiliário Registral Aplicado aos Bens Públicos DISCIPLINAS: 1- Propriedade e demais direitos reais 2- Modos de aquisição e perda da propriedade e demais direitos reais CARGA HORÁRIA:

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO TECNOLOGIAS E APLICAÇÕES EM WEB

PÓS-GRADUAÇÃO TECNOLOGIAS E APLICAÇÕES EM WEB INSCRIÇÕES ABERTAS! GRUPO SANTA RITA PÓS-GRADUAÇÃO TECNOLOGIAS E APLICAÇÕES EM WEB FACULDADES MENSALIDADE R$ 149, 00 CAMPUS CHAPECÓ DURAÇÃO APROXIMADAMENTE 12 MESES Aulas aos Sábados DISCIPLINAS Animações

Leia mais

APRENDIZAGEM DA LINGUAGEM ORAL DA CRIANÇA COM SÍNDROME DE DOWN NA EDUCAÇÃO INFANTIL: CONCEPÇÕES DE PAIS E PROFESSORES

APRENDIZAGEM DA LINGUAGEM ORAL DA CRIANÇA COM SÍNDROME DE DOWN NA EDUCAÇÃO INFANTIL: CONCEPÇÕES DE PAIS E PROFESSORES APRENDIZAGEM DA LINGUAGEM ORAL DA CRIANÇA COM SÍNDROME DE DOWN NA EDUCAÇÃO INFANTIL: CONCEPÇÕES DE PAIS E PROFESSORES Resumo Gabriela Jeanine Fressato 1 - Universidade Positivo Mariana Gomes de Sá Amaral

Leia mais

SEÇÃO ENTREVISTA A INICIAÇÃO CIENTÍFICA E A PUBLICAÇÃO NA GRADUAÇÃO COMO MEIOS DE QUALIDADE NA FORMAÇÃO DE ENSINO SUPERIOR JOSÉ ROBERTO RUS PEREZ

SEÇÃO ENTREVISTA A INICIAÇÃO CIENTÍFICA E A PUBLICAÇÃO NA GRADUAÇÃO COMO MEIOS DE QUALIDADE NA FORMAÇÃO DE ENSINO SUPERIOR JOSÉ ROBERTO RUS PEREZ Revista Eventos Pedagógicos v.5, n.4 (13. ed.), número regular, p. 115-121, nov./dez. 2014 SEÇÃO ENTREVISTA A INICIAÇÃO CIENTÍFICA E A PUBLICAÇÃO NA GRADUAÇÃO COMO MEIOS DE QUALIDADE NA FORMAÇÃO DE ENSINO

Leia mais

Voluntariado. Cabe na sua vida. Ser voluntário #issomudaomundo NOTÍCIAS. Ação Estudar Vale a Pena mobiliza mais de 800 voluntários Itaú Unibanco

Voluntariado. Cabe na sua vida. Ser voluntário #issomudaomundo NOTÍCIAS. Ação Estudar Vale a Pena mobiliza mais de 800 voluntários Itaú Unibanco NOTÍCIAS Ação Estudar Vale a Pena mobiliza mais de 800 voluntários Itaú Unibanco Mobilizar. Colaborar. Transformar. Muitas foram as motivações que levaram você e mais 791 colaboradores Itaú Unibanco (e

Leia mais

A criança e as mídias

A criança e as mídias 34 A criança e as mídias - João, vá dormir, já está ficando tarde!!! - Pera aí, mãe, só mais um pouquinho! - Tá na hora de criança dormir! - Mas o desenho já tá acabando... só mais um pouquinho... - Tá

Leia mais

RELATO DE EXPERIÊNCIA DO PROJETO PIBID MATEMÁTICA NO COLÉGIO ESTADUAL CARLOS GOMES

RELATO DE EXPERIÊNCIA DO PROJETO PIBID MATEMÁTICA NO COLÉGIO ESTADUAL CARLOS GOMES RELATO DE EXPERIÊNCIA DO PROJETO PIBID MATEMÁTICA NO COLÉGIO ESTADUAL CARLOS GOMES Evandro Riva 1 Rafaela Pereira 2 Santos Richard Wieller Sanguino Bejarano 3 RESUMO: O presente artigo relata as experiências

Leia mais

Metodologia e Amostra

Metodologia e Amostra Metodologia e Amostra Pesquisa quantitativa, com aplicação de questionário estruturado através de entrevistas pessoais. Objetivo Geral Levantar o nível de satisfação dos estudantes com relação às FATECs

Leia mais

Faculdades Integradas do Vale do Ivaí Instituto Superior de Educação - ISE

Faculdades Integradas do Vale do Ivaí Instituto Superior de Educação - ISE DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO 1 Do estágio curricular supervisionado A modalidade de Estágio Supervisionado é uma importante variável a ser considerada no contexto de perfil do egresso. A flexibilidade prevista

Leia mais

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA NÚCLEO DE EDUCAÇÃO CURSO DE PEDAGOGIA 3º PERÍODO A INCLUSÃO SOCIAL NA ESCOLA

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA NÚCLEO DE EDUCAÇÃO CURSO DE PEDAGOGIA 3º PERÍODO A INCLUSÃO SOCIAL NA ESCOLA FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA NÚCLEO DE EDUCAÇÃO CURSO DE PEDAGOGIA 3º PERÍODO A INCLUSÃO SOCIAL NA ESCOLA Adenilton Santos Moreira* RESUMO Este trabalho analisa a Inclusão social como a capacidade

Leia mais

Indicamos inicialmente os números de cada item do questionário e, em seguida, apresentamos os dados com os comentários dos alunos.

Indicamos inicialmente os números de cada item do questionário e, em seguida, apresentamos os dados com os comentários dos alunos. Os dados e resultados abaixo se referem ao preenchimento do questionário Das Práticas de Ensino na percepção de estudantes de Licenciaturas da UFSJ por dez estudantes do curso de Licenciatura Plena em

Leia mais

FORMAÇÃO PLENA PARA OS PROFESSORES

FORMAÇÃO PLENA PARA OS PROFESSORES Fundação Carlos Chagas Difusão de Idéias dezembro/2006 página 1 FORMAÇÃO PLENA PARA OS PROFESSORES Bernardete Gatti: o país enfrenta uma grande crise na formação de seus professores em especial, de alfabetizadores.

Leia mais

PROGRAMAs de. estudantil

PROGRAMAs de. estudantil PROGRAMAs de empreendedorismo e protagonismo estudantil Ciclo de Palestras MAGNUM Vale do Silício App Store Contatos Calendário Fotos Safari Cumprindo sua missão de oferecer uma educação inovadora e de

Leia mais

QUANTO É? PALAVRAS-CHAVE: Aulas investigativas, lúdico, aprendizagem. INTRODUÇÃO

QUANTO É? PALAVRAS-CHAVE: Aulas investigativas, lúdico, aprendizagem. INTRODUÇÃO QUANTO É? Danielle Ferreira do Prado - GEEM-UESB RESUMO Este trabalho trata sobre um trabalho que recebeu o nome de Quanto é? que foi desenvolvido depois de vários questionamentos a cerca de como criar

Leia mais

CURSO A DISTÂNCIA DISSEMINADORES DE EDUCAÇÃO FISCAL

CURSO A DISTÂNCIA DISSEMINADORES DE EDUCAÇÃO FISCAL CURSO A DISTÂNCIA DISSEMINADORES DE EDUCAÇÃO FISCAL 2013 1. IDENTIFICAÇÃO GRUPO DE EDUCAÇÃO FISCAL ESTADUAL DE GOIÁS GEFE/GO 2. APRESENTAÇÃO O curso a distância de Disseminadores de Educação Fiscal constitui

Leia mais

DIFICULDADES NA APRENDIZAGEM DA MATEMÁTICA NA ESCOLA OSVALDO DA COSTA E SILVA: ALGUMAS CAUSAS E POSSÍVESIS SOLUÇÕES

DIFICULDADES NA APRENDIZAGEM DA MATEMÁTICA NA ESCOLA OSVALDO DA COSTA E SILVA: ALGUMAS CAUSAS E POSSÍVESIS SOLUÇÕES DIFICULDADES NA APRENDIZAGEM DA MATEMÁTICA NA ESCOLA OSVALDO DA COSTA E SILVA: ALGUMAS CAUSAS E POSSÍVESIS SOLUÇÕES Rogério Sousa AZEVEDO (1); Iara M Cavalcante NOLETO (2) (1 e 2) Instituto Federal de

Leia mais

Entrevista da Professora Rosa Trombetta à rádio Jovem Pan.

Entrevista da Professora Rosa Trombetta à rádio Jovem Pan. Entrevista da Professora Rosa Trombetta à rádio Jovem Pan. A Professora Rosa Trombetta, Coordenadora de Cursos da FIPECAFI aborda o assunto elearning para os ouvintes da Jovem Pan Online. Você sabe o que

Leia mais

1. Você conhecia a história do bairro de Pinheiros? sim não 4 19

1. Você conhecia a história do bairro de Pinheiros? sim não 4 19 1. Você conhecia a história do bairro de Pinheiros? sim não 4 19 Você conhecia a história do bairro de Pinheiros? sim 17% não 83% 2. O que achou da transformação do Largo de Pinheiros? Diferente, muito

Leia mais

Resumo. Palavras-chave: Matemática; Geometria; Aulas Investigativas. Introdução

Resumo. Palavras-chave: Matemática; Geometria; Aulas Investigativas. Introdução III Seminário sobre Educação Matemática A desigualdade triangular em diferentes mídias Paulo César da Penha pcpenha@terra.com.br GRUCOGEO/USF/ Secretaria da Educação de Itatiba-SP Resumo O relato de experiência

Leia mais

Caro Aluno, Seja bem-vindo!

Caro Aluno, Seja bem-vindo! Manual do Aluno Caro Aluno, Seja bem-vindo! Este manual é um guia que irá orientá-lo em sua vida acadêmica. Aqui, você encontrará informações sobre as atividades educacionais, documentação, matrícula,

Leia mais

Módulo IV Bloco II 03 a 21/06

Módulo IV Bloco II 03 a 21/06 Unidade: O Estágio Curricular Supervisionado: perspectivas e diretrizes na formação do biólogo docente. Módulo IV Bloco II 03 a 21/06 Docente: Alexandra Marselha Siqueira Pitolli Algumas definições de

Leia mais

Prof. Ana Cláudia Fleck Coordenadora da Academia de Professores da ESPM-Sul

Prof. Ana Cláudia Fleck Coordenadora da Academia de Professores da ESPM-Sul PROGRAMA GUIA ESPM-Sul Programa de Acompanhamento Discente e Excelência Profissional Prof. Ana Cláudia Fleck Coordenadora da Academia de Professores da ESPM-Sul Pensamento ESPM. São Paulo, 25/04/2014.

Leia mais

ASSOCIACAO EDUCACIONAL DE ENSINO SUPERIOR UNIAO DAS FACULDADES DOS GRANDES LAGOS RELATÓRIO GERAL DE REPOSTA DE PROFESSORES. 2º SEMESTRE DE 2013

ASSOCIACAO EDUCACIONAL DE ENSINO SUPERIOR UNIAO DAS FACULDADES DOS GRANDES LAGOS RELATÓRIO GERAL DE REPOSTA DE PROFESSORES. 2º SEMESTRE DE 2013 ASSOCIACAO EDUCACIONAL DE ENSINO SUPERIOR UNIAO DAS FACULDADES DOS GRANDES LAGOS RELATÓRIO GERAL DE REPOSTA DE PROFESSORES. 2º SEMESTRE DE 2013 1.1 Organização Institucional Q1 Cumprimento da missão da

Leia mais

RELATÓRIO PARCIAL DA AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2012/01

RELATÓRIO PARCIAL DA AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2012/01 COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO Curso de Bacharelado em Odontologia RELATÓRIO PARCIAL DA AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2012/01 CATEGORIAS & DIMENSÕES AVALIADAS: Discentes: Desempenho Docente e Projeto Pedagógico

Leia mais

Relatório de Atividades Maio e Junho

Relatório de Atividades Maio e Junho Relatório de Atividades Maio e Junho ANA LISE MENSAL MAIO/JUNHO Devido a Copa do Mundo FIFA Brasil 2014 o horário do Projeto Construindo o Saber Pré Vestibular durante a semana foi modificado (16h50min

Leia mais

DIMENSÃO 2: - Política para o ensino, pesquisa, pós-graduação e extensão - Respectivas normas de operacionalização

DIMENSÃO 2: - Política para o ensino, pesquisa, pós-graduação e extensão - Respectivas normas de operacionalização DIMENSÃO 2: - Política para o ensino, pesquisa, pós-graduação e extensão - Respectivas normas de operacionalização 2.1 - GRADUAÇÃO 2.1.1. Descrição do Ensino de Graduação na UESC Cursos: 26 cursos regulares

Leia mais

CENTRO DE MEMÓRIA DO ESPORTE ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL PROJETO GARIMPANDO MEMÓRIAS.

CENTRO DE MEMÓRIA DO ESPORTE ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL PROJETO GARIMPANDO MEMÓRIAS. CENTRO DE MEMÓRIA DO ESPORTE ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL PROJETO GARIMPANDO MEMÓRIAS DAURIMAR PINHEIRO LEÃO (depoimento) 2014 CEME-ESEF-UFRGS FICHA TÉCNICA Projeto:

Leia mais

Programa de Pós-Graduação em Educação

Programa de Pós-Graduação em Educação 52 URIARTE, Mônica Zewe. 33 Programa de Pós-Graduação em Educação Resumo: Este artigo apresenta informações sobre a experiência da UNIVALI quanto ao ensino de artes no Curso de Pedagogia, preparado para

Leia mais

Rio de Janeiro, 5 de junho de 2008

Rio de Janeiro, 5 de junho de 2008 Rio de Janeiro, 5 de junho de 2008 IDENTIFICAÇÃO Meu nome é Alexandre da Silva França. Eu nasci em 17 do sete de 1958, no Rio de Janeiro. FORMAÇÃO Eu sou tecnólogo em processamento de dados. PRIMEIRO DIA

Leia mais

3. Os erros têm sido cometidos exatamente onde há maior dificuldade...

3. Os erros têm sido cometidos exatamente onde há maior dificuldade... Entrevista com PEDRO MANDELLI Consultor na área de mudança organizacional, Pedro Mandelli é um dos maiores especialistas em desenho e condução de processos de mudança em organizações. É professor da Fundação

Leia mais

Curso de Publicidade e Propaganda NORMAS DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES

Curso de Publicidade e Propaganda NORMAS DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES Curso de Publicidade e Propaganda NORMAS DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES Viçosa, Minas Gerais 2015 1 INTRODUÇÃO As atividades complementares, inseridas no projeto pedagógico, têm por finalidade proporcionar

Leia mais

crítica na resolução de questões, a rejeitar simplificações e buscar efetivamente informações novas por meio da pesquisa, desde o primeiro período do

crítica na resolução de questões, a rejeitar simplificações e buscar efetivamente informações novas por meio da pesquisa, desde o primeiro período do Dimensão 2 As políticas para o ensino, a pesquisa, a pós-graduação, a extensão e as respectivas normas de operacionalização, incluídos os procedimentos para estímulo à produção acadêmica, as bolsas de

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CENTRAL PAULISTA CURSO DE NUTRIÇÃO MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES

CENTRO UNIVERSITÁRIO CENTRAL PAULISTA CURSO DE NUTRIÇÃO MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES CENTRO UNIVERSITÁRIO CENTRAL PAULISTA CURSO DE NUTRIÇÃO MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES 1 1 Introdução Com base na Resolução CNE/CES nº 5, de 07 de novembro de 2001, as atividades complementares são

Leia mais

ENSINO DE ÁREA E PERÍMETRO DE FIGURAS PLANAS COM O AUXÍLIO DO GEOPLANO

ENSINO DE ÁREA E PERÍMETRO DE FIGURAS PLANAS COM O AUXÍLIO DO GEOPLANO ENSINO DE ÁREA E PERÍMETRO DE FIGURAS PLANAS COM O AUXÍLIO DO GEOPLANO Lindomar Reco¹; Rodrigo Macedo da Silva²; UFGD/FACET- C. Postal 364, 79.804-970 Dourados-MS, E-mail: recocpo@hotmail.com/ macedo_rdo@hotmail.com.¹acadêmico

Leia mais

GUIA DO PÓS-GRADUANDO ON-LINE

GUIA DO PÓS-GRADUANDO ON-LINE GUIA DO PÓS-GRADUANDO ON-LINE UNIASSELVI-PÓS Programa de Pós-Graduação APRESENTAÇÃO Seja bem-vindo ao programa de pós-graduação UNIASSELVI-PÓS! Aqui você encontra, de forma simples e ágil, todas as orientações

Leia mais

Resultado na ótica discente. Comissão Própria de Avaliação Dezembro/2014

Resultado na ótica discente. Comissão Própria de Avaliação Dezembro/2014 Resultado na ótica discente Comissão Própria de Avaliação Dezembro/2014 Metodologia PÚBLICO-ALVO: Discentes dos cursos de graduação da FAESA. METODOLOGIA DA PESQUISA: A metodologia utilizada por meio de

Leia mais

O ESPAÇO E O TEMPO DE FORA DA SALA DE AULA OBSERVAÇÕES PRELIMINARES

O ESPAÇO E O TEMPO DE FORA DA SALA DE AULA OBSERVAÇÕES PRELIMINARES 1 Trabalho apresentado no II EREBIO Encontro Regional de Ensino de Biologia. Niterói, Rio de Janeiro. Referência: DIB-FERREIRA, Declev Reynier. O espaço e o tempo de fora da sala de aula observações preliminares.

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO EM TURISMO (BACHARELADO)

CURSO DE GRADUAÇÃO EM TURISMO (BACHARELADO) CURSO DE GRADUAÇÃO EM TURISMO (BACHARELADO) O Curso de Graduação em Turismo da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ibitinga foi reformulado no ano de 2008, tendo a proposta de adaptação do seu

Leia mais

CONSELHO DE CLASSE. A visão dos professores sobre educação no Brasil

CONSELHO DE CLASSE. A visão dos professores sobre educação no Brasil CONSELHO DE CLASSE A visão dos professores sobre educação no Brasil INTRODUÇÃO Especificações Técnicas Data do Campo 19/06 a 14/10 de 2014 Metodologia Técnica de coleta de dados Abrangência geográfica

Leia mais

Regulamenta a validação e registro das Atividades Complementares dos cursos de Graduação das Faculdades Projeção.

Regulamenta a validação e registro das Atividades Complementares dos cursos de Graduação das Faculdades Projeção. RESOLUÇÃO Nº 01/2011 Regulamenta a validação e registro das Atividades Complementares dos cursos de Graduação das Faculdades Projeção. O Conselho Superior da Faculdade Projeção, com base nas suas competências

Leia mais

Transcriça o da Entrevista

Transcriça o da Entrevista Transcriça o da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Ex praticante Clarice Local: Núcleo de Arte Grécia Data: 08.10.2013 Horário: 14h Duração da entrevista: 1h COR PRETA

Leia mais

INFORMATIVO Nº 1 / 2014. Senhores pais

INFORMATIVO Nº 1 / 2014. Senhores pais INFORMATIVO Nº 1 / 2014 Senhores pais Mais um ano se inicia... Não temos palavras para agradecer a confiança que depositam em nosso trabalho ao matricularem seus filhos na Premier. Após um período de alguns

Leia mais

Curso de Educação Profissional Técnica de Nível Médio Subseqüente ao Ensino Médio, na modalidade a distância, para:

Curso de Educação Profissional Técnica de Nível Médio Subseqüente ao Ensino Médio, na modalidade a distância, para: Curso de Educação Profissional Técnica de Nível Médio Subseqüente ao Ensino Médio, na modalidade a distância, para: Técnico em Informática na Formação de Instrutores Carga Horária: 1000 horas Estágio Curricular:

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO COLEGIADO: CES

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO COLEGIADO: CES MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: Secretaria de Educação Superior/ Câmara de Educação UF: DF Superior ASSUNTO: Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em

Leia mais

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Justificativa: As transformações ocorridas nos últimos anos têm obrigado as organizações a se modificarem constantemente e de forma

Leia mais