LEI DA CONSERVAÇÃO DE ENERGIA MECÂNICA. LEI DA VARIAÇÃO DA ENERGIA MECÂNICA.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "LEI DA CONSERVAÇÃO DE ENERGIA MECÂNICA. LEI DA VARIAÇÃO DA ENERGIA MECÂNICA."

Transcrição

1 LEI DA CONSERVAÇÃO DE ENERGIA MECÂNICA. LEI DA VARIAÇÃO DA ENERGIA MECÂNICA.

2 OTRABALHO REALIZADO PELO PESO DE UM CORPO E A VARIAÇÃO DA ENERGIA POTENCIAL GRAVÍTICA O que têm em comum estas duas situações? Só se verifica na descida ou também se verifica na subida? Nas DUAS O movimento dos corpos é devido apenas ao seu peso O trabalho realizado pelo peso, na descida, é positivo ou potente. A variação da energia potencial gravítica, na descida é negativa. O trabalho do peso é simétrico da variação da energia potencial gravítica. W Fg = - Ep g

3 OTRABALHO REALIZADO PELO PESO DE UM CORPO E A VARIAÇÃO DA ENERGIA POTENCIAL GRAVÍTICA O trabalho realizado pelo força exercida pelo homem, durante a subida, é potente. O trabalho realizado pelo peso do corpo, durante a subida, é resistente. O trabalho realizado pelo força exercida pelo homem, durante a descida, é negativo ou resistente. O trabalho realizado pelo peso do corpo, durante a descida, é positivo ou potente.

4 OTRABALHO REALIZADO PELO PESO DE UM CORPO E A VARIAÇÃO DA ENERGIA POTENCIAL GRAVÍTICA F g = mg = peso do corpo Direcção da força: vertical ou do eixo dos yy Sentido da força: sentido negativo do eixo dos yy Deslocamento: d = Δy = h W Fg = -ΔE pgrav = -mgh W Fg = -ΔE pgrav = mgh W Fg = -mgh subida W Fg = mgh descida

5 TRABALHO DA FORÇA ELÁSTICA E A VARIAÇÃO DE ENERGIA POTENCIAL ELÁSTICA F e = k Δx Δx = deformação elástica k = constante da mola W Fe = - ½ k Δx 2 1- A Ep e nunca pode ser negativa 2 - É nula para Δx = 0 ΔEp e = ½ kδx 2

6 TRABALHO POSITIVO E TRABALHO NEGATIVO W = F d cos Se a força e o deslocamento têm o mesmo sentido W > 0 Trabalho motor Se a força e o deslocamento têm sentidos opostos W < 0 Trabalho resistente Tende a aumentar a E m Tende a diminuir a E m

7 TRABALHO DA FORÇA F E A VARIAÇÃO DE ENERGIA CINÉTICA DO CORPO Força sobre a bola: F sentido da força: o mesmo do deslocamento; deslocamento: d ou Δx E faz aumentar a velocidade e portanto a energia cinética desde zero até O trabalho realizado pela força F sobre a bola é dado por W = F. Δx E c = ½ mv 2 O trabalho realizado pela força F mede a variação da energia cinética que ocorreu. Lei do trabalho energia ou teorema da energia cinética

8 TRABALHO DA RESULTANTE DAS FORÇAS E A VARIAÇÃO DE ENERGIA CINÉTICA DO CORPO Quando várias forças actuam num sistema podemos afirmar: Lei do Trabalho-Energia: A variação da energia cinética de uma partícula é igual à soma dos trabalhos ralizados por todas as forças que actuam nessa partícula: Wtotal = Ec

9 ENERGIA MECÂNICA Energia mecânica de um corpo (ou sistema de corpos) E m = E p grav + E c + E p elast Energia Potencial Gravitacional E p gravítica E p grav = mgh Energia Cinética E c E c = ½ mv 2 Energia Potencial Elástica E p elástica E p elástica = ½ k x 2

10 Atrito A acção dissipativa do atrito impede que a E m se conserve. Os egipcios, mais de A.C, molhavam a areia para facilitar o deslizamento.

11 O trabalho da força de atrito de deslizamento dissipa energia mecânica. Força de atrito de Deslizamento. v O atrito estático dá sustentação para o movimento do carro. Força de atrito Estático

12 FORÇA DE ATRITO As superfícies dos solidos apresentam rugosidades. Quando uma superfície tende a deslizar sobre a outra, forças de resistência surgem nas imperfeições em contacto. Sem tendência ao deslizamento não existe força de atrito. Quanto mais intensa a força de compressão entre as superfícies, mais intensa será a força de atrito. F atrito = μ.f N μ = coef.de atrito F N = força que comprime das superfícies

13 ATRITO ESTÁTICO E ATRITO DE DESLIZAMENTO Atrito Estático Segura o bloco. Resiste ao início do deslizamento. Intensidade: 0 < F est < Fest max = u e.n Atrito de deslizamento Oposto ao deslizamento Dissipa energia Intensidade: F desl = u d.n

14 FORÇAS DISSIPATIVAS SÃO FORÇAS QUE PROVOCAM DIMINUIÇÃO DA ENERGIA DOS SISTEMAS ONDE ACTUAM - EXEMPLO: Fa O atrito pode ser útil ou prejudicial conforme as diferentes situações em que actua. Anjo Albuquerque

15 ACÇÃO DAS FORÇAS DISSIPATIVAS O curling é uma modalidade olímpica desde Joga-se com pedras, de 19 Kg, feitas de granito muito polido que deslizam sobre uma pista de gelo. A distância e a velocidade com que as pedras deslizam é controlada pelos varredores que usando vassouras feitas de pêlo de porco ou material sintético varrem o gelo diminuindo o atrito. Anjo Albuquerque

16 ACÇÃO DAS FORÇAS DISSIPATIVAS Anjo Albuquerque

17 FORÇAS DISSIPATIVAS - FORÇAS DE ATRITO Diminuir o atrito aumenta a eficiência na transferência de energia para o sistema. Para aumentar o atrito pode-se: Aumentar a rugosidade das superfícies em contacto; Cobrir as superfícies em contacto com materiais que provoquem mais atrito. Anjo Albuquerque

18 ACÇÃO DAS FORÇAS DISSIPATIVAS - VARIAÇÃO DE ENERGIA MECÂNICA DE UM CORPO SÓLIDO E m = ½ mv 2 + mgh + ½ kδx 2 Se o corpo for indeformável: Ep e = 0 E m = ½ mv 2 + mgh ΔE m = ΔE c + ΔE P ΔE m = [½mv 2 2 ½mv 12 ] + [mgh 2 mgh 1 ]

19 TRABALHO REALIZADO PELAS FORÇAS CONSERVATIVAS O PESO É UMA FORÇA CONSERVATIVA WFg (A,B) = -WFg (B,A) Wtotal (A,A) = WFg (A,B) = +WFg (B,A) = 0

20 FORÇAS CONSERVATIVAS - CONSERVAÇÃO DE ENERGIA MECÂNICA 1. Trabalho de uma força conservativa ao longo de uma trajectória fechada é zero. 2. Trabalho é independente da trajectória. 3. Ex: Força gravítica. Num sistema em que só realizam trabalho as forças conservativas: de A até A W Fc = 0 ΔE m = 0 E m = const W Fc = - ΔE p W Fc + W Fnc = W todas forças = ΔE c Se o W Fnc = 0 W Fc = ΔE c

21 FORÇAS CONSERVATIVAS - CONSERVAÇÃO DE ENERGIA MECÂNICA ΔE c = - ΔE p Quando a E c diminui a E p aumenta. Quando a E c aumenta a E p diminui. ΔE c + ΔE p = 0 Δ(E c + E p ) = 0 E c + E p = const E m = const (E c + E p ) f = (E c + E p ) i

22 LEI DA CONSERVAÇÃO DA ENERGIA MECÂNICA W forças ext = ΔE m = ΔE c + ΔE p W forças ext = 0 ΔE m = 0 O corpo ou sistema não recebe nem cede trabalho E m não aumenta nem diminui. Permanece inalterada. A E m conserva-se. ΔE c + ΔE p = 0 A um aumento na E c corresponde uma diminuição equivalente na Ep. A E c transforma-se em E p e vice-versa

23 MOVIMENTO NA MONTANHA RUSSA - CONSERVAÇÃO DE ENERGIA Ec = 0 Ep = 100 J Se os atritos (com a calha e com o ar) forem desprezáveis W forças ext = 0 Se Ep = 20 J Ec =? Ec = 30 J Ep=? E m conserva-se Ao longo do movimento, uma diminuição na Ep corresponde a um aumento equivalente na Ec e vice-versa.

24 FORÇAS CONSERVATIVAS/ FORÇAS NÃO CONSERVATIVAS

25 FORÇAS NÃO CONSERVATIVAS E VARIAÇÃO DA ENERGIA MECÂNICA W TOTAL = ΔE c W Fc + W Fnc = W todas forças = ΔE c W Fc = -ΔE P E m = E c + E P ΔE P + W Fnc = ΔE c W Fnc = ΔE c + ΔE P W Fnc = ΔE m = E f - E i

26 TRABALHO DAS FORÇAS EXTERIORES E VARIAÇÃO DE ENERGIA MECÂNICA Wforças exteriores = E m = ΔE c + ΔEp g Peso = mg É força inerente a todos os corpos. Não é considerado força exterior O trabalho do peso está contabilizado como ΔEp g

27 Teorema da E m W forças ext = ΔEc + ΔEp Wpeso Teorema da Energia Cinética W forças ext + W peso = ΔEc W todas as forças = ΔE c

28 A ENERGIA MECÂNICA CONSERVA-SE? KE = energia cinética PE = energia potencial TME = energia mecânica total

29 A ENERGIA MECÂNICA SE CONSERVA - SE?

30 A ENERGIA MECÂNICA CONSERVA - SE? Dissipação de energia sob a forma de calor W = trabalho externo

31 A ENERGIA MECÂNICA CONSERVA-SE?

32 CONSERVAÇÃO DE ENERGIA MECÂNICA Sim ou não?

33 CONSERVAÇÃO DE ENERGIA MECÂNICA Sim ou não? Muitas vezes é dada a inclinação do plano em %. 15% de inclinação significa que por cada 100 m que anda desce 15 m.

Força atrito. Forças. dissipativas

Força atrito. Forças. dissipativas Veículo motorizado 1 Trabalho Ocorrem variações predominantes de Por ex: Forças constantes Sistema Termodinâmico Onde atuam Força atrito É simultaneamente Onde atuam Sistema Mecânico Resistente Ocorrem

Leia mais

Física 2005/2006. Capitulo 5. Trabalho e Energia

Física 2005/2006. Capitulo 5. Trabalho e Energia ísica 005/006 Capitulo 5 Trabalho e Energia Trabalho e Energia A ideia de energia está intimamente ligada à de trabalho. Intuitivamente, podemos pensar em energia como alguma coisa que se manifesta continuamente

Leia mais

Estudaremos aqui como essa transformação pode ser entendida a partir do teorema do trabalho-energia.

Estudaremos aqui como essa transformação pode ser entendida a partir do teorema do trabalho-energia. ENERGIA POTENCIAL Uma outra forma comum de energia é a energia potencial U. Para falarmos de energia potencial, vamos pensar em dois exemplos: Um praticante de bungee-jump saltando de uma plataforma. O

Leia mais

O trabalho realizado por uma força gravitacional constante sobre uma partícula é representado em termos da energia potencial U = m.

O trabalho realizado por uma força gravitacional constante sobre uma partícula é representado em termos da energia potencial U = m. Referência: Sears e Zemansky Física I Mecânica Capítulo 7: Energia Potencial e Conservação da Energia Resumo: Profas. Bárbara Winiarski Diesel Novaes. INTRODUÇÃO Neste capítulo estudaremos o conceito de

Leia mais

Questões do capítulo oito que nenhum aluno pode ficar sem fazer

Questões do capítulo oito que nenhum aluno pode ficar sem fazer Questões do capítulo oito que nenhum aluno pode ficar sem fazer 1) A bola de 2,0 kg é arremessada de A com velocidade inicial de 10 m/s, subindo pelo plano inclinado. Determine a distância do ponto D até

Leia mais

CONSERVAÇÃO DA ENERGIA MECÂNICA

CONSERVAÇÃO DA ENERGIA MECÂNICA Departamento de Física da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa T3 Física Experimental I - 2007/08 CONSERVAÇÃO DA ENERGIA MECÂNICA 1. Objectivo Verificar a conservação da energia mecânica de

Leia mais

1 m 2. Substituindo os valores numéricos dados para a análise do movimento do centro de massa, vem: Resposta: D. V = 2 10 3,2 V = 8 m/s

1 m 2. Substituindo os valores numéricos dados para a análise do movimento do centro de massa, vem: Resposta: D. V = 2 10 3,2 V = 8 m/s 01 De acordo com o enunciado, não há dissipação ou acréscimo de energia. Considerando que a energia citada seja a mecânica e que, no ponto de altura máxima, a velocidade seja nula, tem-se: ε ε = ' + 0

Leia mais

Estrategia de resolução de problemas

Estrategia de resolução de problemas Estrategia de resolução de problemas Sistemas Isolados (p. 222) Muitos problemas na física podem ser resolvidos usando-se o princípio de conservação de energia para um sistema isolado. Deve ser utilizado

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS. DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E FÍSICA Disciplina: FÍSICA GERAL E EXPERIMENTAL I (MAF 2201) Prof.

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS. DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E FÍSICA Disciplina: FÍSICA GERAL E EXPERIMENTAL I (MAF 2201) Prof. 01 UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E FÍSICA Disciplina: FÍSICA GERAL E EXPERIMENTAL I (MAF 2201) Prof. EDSON VAZ NOTA DE AULA III (Capítulo 7 e 8) CAPÍTULO 7 ENERGIA CINÉTICA

Leia mais

Energia & Trabalho. Aula 3

Energia & Trabalho. Aula 3 Todo o material disponibilizado é preparado para as disciplinas que ministramos e colocado para ser acessado livremente pelos alunos ou interessados. Solicitamos que não seja colocado em sites nãolivres.

Leia mais

A figura a seguir representa um atleta durante um salto com vara, em três instantes distintos

A figura a seguir representa um atleta durante um salto com vara, em três instantes distintos Energia 1-Uma pequena bola de borracha, de massa 50g, é abandonada de um ponto A situado a uma altura de 5,0m e, depois de chocar-se com o solo, eleva-se verticalmente até um ponto B, situado a 3,6m. Considere

Leia mais

Lista de Exercícios - Unidade 6 Aprendendo sobre energia

Lista de Exercícios - Unidade 6 Aprendendo sobre energia Lista de Exercícios - Unidade 6 Aprendendo sobre energia Energia Cinética e Potencial 1. (UEM 01) Sobre a energia mecânica e a conservação de energia, assinale o que for correto. (01) Denomina-se energia

Leia mais

horizontal, se choca frontalmente contra a extremidade de uma mola ideal, cuja extremidade oposta está presa a uma parede vertical rígida.

horizontal, se choca frontalmente contra a extremidade de uma mola ideal, cuja extremidade oposta está presa a uma parede vertical rígida. Exercícios: Energia 01. (UEPI) Assinale a alternativa que preenche corretamente as lacunas das frases abaixo. O trabalho realizado por uma força conservativa, ao deslocar um corpo entre dois pontos é da

Leia mais

CONSERVAÇÃO DA ENERGIA

CONSERVAÇÃO DA ENERGIA CONSERVAÇÃO DA ENERGIA Introdução Quando um mergulhador pula de um trampolim para uma piscina, ele atinge a água com uma velocidade relativamente elevada, possuindo grande energia cinética. De onde vem

Leia mais

Unidade 10 Teoremas que relacionam trabalho e energia. Teorema da energia cinética Teorema da energia potencial Teorema da energia mecânica

Unidade 10 Teoremas que relacionam trabalho e energia. Teorema da energia cinética Teorema da energia potencial Teorema da energia mecânica Unidade 10 Teoremas que relacionam trabalho e energia Teorema da energia cinética Teorema da energia potencial Teorema da energia mecânica Teorema da nergia Cinética Quando uma força atua de forma favorável

Leia mais

Energia Cinética e Trabalho

Energia Cinética e Trabalho Energia Cinética e Trabalho Disciplina: Física Geral I Professor: Carlos Alberto Objetivos de aprendizagem Ao estudar este capítulo você aprenderá: O que significa uma força realizar um trabalho sobre

Leia mais

3) Uma mola de constante elástica k = 400 N/m é comprimida de 5 cm. Determinar a sua energia potencial elástica.

3) Uma mola de constante elástica k = 400 N/m é comprimida de 5 cm. Determinar a sua energia potencial elástica. Lista para a Terceira U.L. Trabalho e Energia 1) Um corpo de massa 4 kg encontra-se a uma altura de 16 m do solo. Admitindo o solo como nível de referência e supondo g = 10 m/s 2, calcular sua energia

Leia mais

ENERGIA POTENCIAL E CONSERVAÇÃO DE ENERGIA Física Geral I (1108030) - Capítulo 04

ENERGIA POTENCIAL E CONSERVAÇÃO DE ENERGIA Física Geral I (1108030) - Capítulo 04 ENERGIA POTENCIAL E CONSERVAÇÃO DE ENERGIA Física Geral I (1108030) - Capítulo 04 I. Paulino* *UAF/CCT/UFCG - Brasil 2012.2 1 / 15 Sumário Trabalho e EP Energia potencial Forças conservativas Calculando

Leia mais

Energia potencial e Conservação da Energia

Energia potencial e Conservação da Energia Energia potencial e Conservação da Energia Disciplina: Física Geral e Experimental Professor: Carlos Alberto Objetivos de aprendizagem Ao estudar este capítulo você aprenderá: Como usar o conceito de energia

Leia mais

Física Fácil prof. Erval Oliveira. Aluno:

Física Fácil prof. Erval Oliveira. Aluno: Física Fácil prof. Erval Oliveira Aluno: O termo trabalho utilizado na Física difere em significado do mesmo termo usado no cotidiano. Fisicamente, um trabalho só é realizado por forças aplicadas em corpos

Leia mais

Atividade extra. Fascículo 3 Física Unidade 6. Questão 1. Ciências da Natureza e suas Tecnologias Física

Atividade extra. Fascículo 3 Física Unidade 6. Questão 1. Ciências da Natureza e suas Tecnologias Física Atividade extra Fascículo 3 Física Unidade 6 Questão 1 Do ponto mais alto de uma rampa, um garoto solta sua bola de gude. Durante a descida, sua energia: a. cinética diminui; b. cinética aumenta; c. cinética

Leia mais

Energia potencial e Conservação da Energia

Energia potencial e Conservação da Energia Energia potencial e Conservação da Energia Disciplina: Física Geral I Professor: Carlos Alberto Objetivos de aprendizagem Ao estudar este capítulo você aprenderá: Como usar o conceito de energia potencial

Leia mais

ENERGIA CINÉTICA E TRABALHO

ENERGIA CINÉTICA E TRABALHO ENERGIA CINÉTICA E TRABALHO O que é energia? O termo energia é tão amplo que é diícil pensar numa deinição concisa. Teoricamente, a energia é uma grandeza escalar associada ao estado de um ou mais objetos;

Leia mais

Todas as dúvidas deste curso podem ser esclarecidas através do nosso plantão de atendimento ao cursista.

Todas as dúvidas deste curso podem ser esclarecidas através do nosso plantão de atendimento ao cursista. Caro cursista, Todas as dúvidas deste curso podem ser esclarecidas através do nosso plantão de atendimento ao cursista. Plantão de Atendimento Horário: terças e quintas-feiras das 14:00 às 16:00. MSN:

Leia mais

Ec = 3. 10 5 J. Ec = m v 2 /2

Ec = 3. 10 5 J. Ec = m v 2 /2 GOIÂNIA, / / 015 PROFESSOR: MARIO NETO DISCIPLINA:CIÊNCIA NATURAIS SÉRIE: 9º ALUNO(a): No Anhanguera você é + Enem Uma das formas de energia, que chamamos de energia mecânica, que pode ser das seguintes

Leia mais

Forças não conservativas e variação da energia mecânica

Forças não conservativas e variação da energia mecânica Quando num sistema atuam forças não conservativas que realizam trabalho: Do Teorema da Energia Cinética W fc + W fnc = E c W fc = E p E p + W fnc = E c E c + E p = E m W fnc = E m A variação da energia

Leia mais

Mecânica e FÍSICA Ondas

Mecânica e FÍSICA Ondas Mecânica e FÍSICA Ondas Energia e Trabalho; Princípios de conservação; Uma bala de massa m = 0.500 kg, viajando com velocidade 100 m/s atinge e fica incrustada num bloco de um pêndulo de massa M = 9.50

Leia mais

TRABALHO E ENERGIA PROF. JOÃO VICENTE

TRABALHO E ENERGIA PROF. JOÃO VICENTE TRABALHO E ENERGIA PRO. JOÃO VICENTE ESTAÇÃO ECOLOGICA DE PETI 1 - CONCEITO DE TRABALHO Observe a figura abaixo: d Se o corpo sofreu a ação de força durante um certo deslocamento, foi realizado no corpo

Leia mais

Centro de Formação Contínua de Professores de Cascais. Escola Secundária de S. João do Estoril

Centro de Formação Contínua de Professores de Cascais. Escola Secundária de S. João do Estoril Escola Secundária de S. João do Estoril Acção de Formação: A calculadora gráfica no ensino: aprofundamento Sob a orientação da Drª. Margarida Dias Formandos: Ana Figueiredo, Carla Curopos, Delmina Subtil

Leia mais

Exercício 1E pag 149. F x = 10cm = 0,1m. P = 37000 x 10³N

Exercício 1E pag 149. F x = 10cm = 0,1m. P = 37000 x 10³N Exercício 1E pag 149 (a) Em 1975, o telhado do Velódromo de Montreal, que pesava 37000 x 10³N, foi levantado 10 cm para ser centralizado. Qual o trabalho executado pelas máquinas que levantaram o telhado?

Leia mais

E irr = P irr T. F = m p a, F = ee, = 2 10 19 14 10 19 2 10 27 C N. C kg = 14 1027 m/s 2.

E irr = P irr T. F = m p a, F = ee, = 2 10 19 14 10 19 2 10 27 C N. C kg = 14 1027 m/s 2. FÍSICA 1 É conhecido e experimentalmente comprovado que cargas elétricas aceleradas emitem radiação eletromagnética. Este efeito é utilizado na geração de ondas de rádio, telefonia celular, nas transmissões

Leia mais

DINÂMICA. Força Resultante: É a força que produz o mesmo efeito que todas as outras aplicadas a um corpo.

DINÂMICA. Força Resultante: É a força que produz o mesmo efeito que todas as outras aplicadas a um corpo. DINÂMICA Quando se fala em dinâmica de corpos, a imagem que vem à cabeça é a clássica e mitológica de Isaac Newton, lendo seu livro sob uma macieira. Repentinamente, uma maçã cai sobre a sua cabeça. Segundo

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS 2 3ª SÉRIE FÍSICA TRABALHO/POTÊNCIA/ENERGIA

LISTA DE EXERCÍCIOS 2 3ª SÉRIE FÍSICA TRABALHO/POTÊNCIA/ENERGIA LISTA DE EXERCÍCIOS 3ª SÉRIE FÍSICA TRABALHO/POTÊNCIA/ENERGIA 1. (Upe 013) Um bloco de massa M = 1,0 kg é solto a partir do repouso no ponto A, a uma altura H = 0,8 m, conforme mostrado na figura. No trecho

Leia mais

Bacharelado Engenharia Civil

Bacharelado Engenharia Civil Bacharelado Engenharia Civil Disciplina: Física Geral e Experimental I Força e Movimento- Leis de Newton Prof.a: Msd. Érica Muniz Forças são as causas das modificações no movimento. Seu conhecimento permite

Leia mais

Exemplos de aplicação das leis de Newton e Conservação do Momento Linear

Exemplos de aplicação das leis de Newton e Conservação do Momento Linear Exemplos de aplicação das leis de Newton e Conservação do Momento Linear Cálculo de resultante I Considere um corpo sobre o qual atual três forças distintas. Calcule a força resultante. F 1 = 10 N 30 F

Leia mais

Soluções das Questões de Física do Processo Seletivo de Admissão à Escola Preparatória de Cadetes do Exército EsPCEx

Soluções das Questões de Física do Processo Seletivo de Admissão à Escola Preparatória de Cadetes do Exército EsPCEx Soluções das Questões de Física do Processo Seletivo de dmissão à Escola Preparatória de Cadetes do Exército EsPCEx Questão Concurso 009 Uma partícula O descreve um movimento retilíneo uniforme e está

Leia mais

FIS-14 Lista-09 Outubro/2013

FIS-14 Lista-09 Outubro/2013 FIS-14 Lista-09 Outubro/2013 1. Quando um projétil de 7,0 kg é disparado de um cano de canhão que tem um comprimento de 2,0 m, a força explosiva sobre o projétil, quando ele está no cano, varia da maneira

Leia mais

LISTA UERJ 2014 LEIS DE NEWTON

LISTA UERJ 2014 LEIS DE NEWTON 1. (Pucrj 2013) Sobre uma superfície sem atrito, há um bloco de massa m 1 = 4,0 kg sobre o qual está apoiado um bloco menor de massa m 2 = 1,0 kg. Uma corda puxa o bloco menor com uma força horizontal

Leia mais

Física Aplicada PROF.: MIRANDA. 2ª Lista de Exercícios DINÂMICA. Física

Física Aplicada PROF.: MIRANDA. 2ª Lista de Exercícios DINÂMICA. Física PROF.: MIRANDA 2ª Lista de Exercícios DINÂMICA Física Aplicada Física 01. Uma mola possui constante elástica de 500 N/m. Ao aplicarmos sobre esta uma força de 125 Newtons, qual será a deformação da mola?

Leia mais

1 Analise a figura a seguir, que representa o esquema de um circuito com a forma da letra U, disposto perpendicularmente à superfície da Terra.

1 Analise a figura a seguir, que representa o esquema de um circuito com a forma da letra U, disposto perpendicularmente à superfície da Terra. FÍSIC 1 nalise a figura a seguir, que representa o esquema de um circuito com a forma da letra U, disposto perpendicularmente à superfície da Terra. Esse circuito é composto por condutores ideais (sem

Leia mais

Capítulo 4 Trabalho e Energia

Capítulo 4 Trabalho e Energia Capítulo 4 Trabalho e Energia Este tema é, sem dúvidas, um dos mais importantes na Física. Na realidade, nos estudos mais avançados da Física, todo ou quase todos os problemas podem ser resolvidos através

Leia mais

Física Geral. Série de problemas. Unidade II Mecânica Aplicada. Departamento Engenharia Marítima

Física Geral. Série de problemas. Unidade II Mecânica Aplicada. Departamento Engenharia Marítima Física Geral Série de problemas Unidade II Mecânica Aplicada Departamento Engenharia Marítima 2009/2010 Módulo I As Leis de movimento. I.1 Uma esfera com uma massa de 2,8 10 4 kg está pendurada no tecto

Leia mais

Cap. 4 - Princípios da Dinâmica

Cap. 4 - Princípios da Dinâmica Universidade Federal do Rio de Janeiro Instituto de Física Física I IGM1 2014/1 Cap. 4 - Princípios da Dinâmica e suas Aplicações Prof. Elvis Soares 1 Leis de Newton Primeira Lei de Newton: Um corpo permanece

Leia mais

UNIDADE VI: Trabalho e Energia Mecânica

UNIDADE VI: Trabalho e Energia Mecânica Página 1 de 14 UNIDADE VI: Trabalho e Energia Mecânica 6.1- Introdução Embora não se tenha uma definição de energia, podemos dizer que a presença de energia implica a possibilidade de produzir movimento.

Leia mais

RESPOSTAS DAS TAREFAS 1ª SÉRIE. Física Setor A Aula 37. Aula 39. Aula 38 ENSINO MÉDIO. 1. a) e C 5 2,5? 10 5 J b) τ R 5 2,5?

RESPOSTAS DAS TAREFAS 1ª SÉRIE. Física Setor A Aula 37. Aula 39. Aula 38 ENSINO MÉDIO. 1. a) e C 5 2,5? 10 5 J b) τ R 5 2,5? ENSINO MÉDIO RESPOSTAS DAS TAREFAS 1ª SÉRIE 7 Física Setor A Aula 37 1. a) e C 5 2,5? 1 5 J b) τ R 5 2,5? 1 5 J c) τ RA 5 22,5? 1 5 J τ F 5 5? 1 5 J d) F 5 1 N 2. a) 45 J b) 1 J 1. O motorista agressor

Leia mais

Questões Exatas 1º ano

Questões Exatas 1º ano Física I Profº Roro 01) (Unitau) Quando um objeto de massa m cai de uma altura h 0 para outra h, sua energia potencial gravitacional diminui de: a) mg (h h 0 ). b) mg (h + h 0 ). c) mg (h 0 - h). d) mg

Leia mais

Leis de Conservação. Exemplo: Cubo de gelo de lado 2cm, volume V g. =8cm3, densidade ρ g. = 0,917 g/cm3. Massa do. ρ g = m g. m=ρ.

Leis de Conservação. Exemplo: Cubo de gelo de lado 2cm, volume V g. =8cm3, densidade ρ g. = 0,917 g/cm3. Massa do. ρ g = m g. m=ρ. Leis de Conservação Em um sistema isolado, se uma grandeza ou propriedade se mantém constante em um intervalo de tempo no qual ocorre um dado processo físico, diz-se que há conservação d a propriedade

Leia mais

FEP2195 - Física Geral e Experimental para Engenharia I

FEP2195 - Física Geral e Experimental para Engenharia I FEP195 - Física Geral e Experimental para Engenharia I Prova Substitutiva - Gabarito 1. Um corpo de massa m, enfiado em um aro circular de raio R situado em um plano vertical, está preso por uma mola de

Leia mais

Resumo de Física 2C13 Professor Thiago Alvarenga Ramos

Resumo de Física 2C13 Professor Thiago Alvarenga Ramos Resumo de Física 2C13 Professor Thiago Alvarenga Ramos ENERGIA Grandeza escalar que existe na natureza em diversas formas: mecânica, térmica, elétrica, nuclear, etc. Não pode ser criada nem destruída;

Leia mais

SIMULADO - Dr. ACESSO FÍSICAS M/O 18/08/2015 - RESOLUÇÃO Prof. Tadanori

SIMULADO - Dr. ACESSO FÍSICAS M/O 18/08/2015 - RESOLUÇÃO Prof. Tadanori SIMULADO - Dr. ACESSO FÍSICAS M/O 18/08/015 - RESOLUÇÃO Prof. Tadanori 10. Um jogador de futebol amortece uma bola através de seu joelho. Nessa jogada, a bola chega com direção perpendicular à superfície

Leia mais

FÍSICA. Questões de 01 a 04

FÍSICA. Questões de 01 a 04 GRUPO 1 TIPO A FÍS. 1 FÍSICA Questões de 01 a 04 01. Considere uma partícula presa a uma mola ideal de constante elástica k = 420 N / m e mergulhada em um reservatório térmico, isolado termicamente, com

Leia mais

Vestibular UFRGS 2015. Resolução da Prova de Física

Vestibular UFRGS 2015. Resolução da Prova de Física Vestibular URGS 2015 Resolução da Prova de ísica 1. Alternativa (C) O módulo da velocidade relativa de móveis em movimentos retilíneos de sentidos opostos pode ser obtido pela expressão matemática: v r

Leia mais

22-05-2015. Sumário. Energia em movimentos. A Energia de Sistemas em Mov. de Translação 20/05/2015

22-05-2015. Sumário. Energia em movimentos. A Energia de Sistemas em Mov. de Translação 20/05/2015 Sumário Unidade temática 2 A energia de sistemas em movimento de translação. - Teorema da energia cinética. A força com que a Terra atrai os corpos realiza trabalho. - Trabalho realizado pelo peso dum

Leia mais

FIS-14 Lista-05 Setembro/2012

FIS-14 Lista-05 Setembro/2012 FIS-14 Lista-05 Setembro/2012 1. A peça fundida tem massa de 3,00 Mg. Suspensa em uma posição vertical e inicialmente em repouso, recebe uma velocidade escalar para cima de 200 mm/s em 0,300 s utilizando

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Departamento de Matemática e Física Coordenador da Área de Física LISTA 03. Capítulo 07

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Departamento de Matemática e Física Coordenador da Área de Física LISTA 03. Capítulo 07 01 UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Departamento de Matemática e Física Coordenador da Área de Física Disciplina: Física Geral e Experimental I (MAF 2201) LISTA 03 Capítulo 07 1. (Pergunta 01) Classifique

Leia mais

Trabalho. a) F; b) peso c) força normal; d) força de atrito; e) resultante das forças.

Trabalho. a) F; b) peso c) força normal; d) força de atrito; e) resultante das forças. Trabalho 1- Um corpo de massa igual 20Kg deslocava-se para a direita sobre um plano horizontal rugoso. Sobre o corpo é, então, aplicada uma força F, horizontal, constante de módulo igual a 100N. O módulo

Leia mais

Código: FISAP Disciplina: Física Aplicada Preceptores: Marisa Sayuri e Rodrigo Godoi Semana: 05/11/2015 14/11/2015

Código: FISAP Disciplina: Física Aplicada Preceptores: Marisa Sayuri e Rodrigo Godoi Semana: 05/11/2015 14/11/2015 Código: FISAP Disciplina: Física Aplicada Preceptores: Marisa Sayuri e Rodrigo Godoi Semana: 05/11/2015 14/11/2015 1) Certo dia, uma escaladora de montanhas de 75 kg sobe do nível de 1500 m de um rochedo

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASQUILHOS

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASQUILHOS ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASQUILHOS FQA Ficha 3 - Forças fundamentais, leis de Newton e Lei da gravitação universal 11.º Ano Turma A e B 1 outubro 2014 NOME Nº Turma 1. Associe um número da coluna 1 a uma

Leia mais

a) os módulos das velocidades angulares ωr NOTE E ADOTE

a) os módulos das velocidades angulares ωr NOTE E ADOTE 1. Um anel condutor de raio a e resistência R é colocado em um campo magnético homogêneo no espaço e no tempo. A direção do campo de módulo B é perpendicular à superfície gerada pelo anel e o sentido está

Leia mais

4.1 MOVIMENTO UNIDIMENSIONAL COM FORÇAS CONSTANTES

4.1 MOVIMENTO UNIDIMENSIONAL COM FORÇAS CONSTANTES CAPÍTULO 4 67 4. MOVIMENTO UNIDIMENSIONAL COM FORÇAS CONSTANTES Consideremos um bloco em contato com uma superfície horizontal, conforme mostra a figura 4.. Vamos determinar o trabalho efetuado por uma

Leia mais

ALUNO(A): Nº TURMA: TURNO: DATA: / / SEDE:

ALUNO(A): Nº TURMA: TURNO: DATA: / / SEDE: Professor: Edney Melo ALUNO(A): Nº TURMA: TURNO: DATA: / / SEDE: 01. As pirâmides do Egito estão entre as construções mais conhecidas em todo o mundo, entre outras coisas pela incrível capacidade de engenharia

Leia mais

Resolução Comentada CEFET/MG - 2 semestre 2014

Resolução Comentada CEFET/MG - 2 semestre 2014 Resolução Comentada CEFET/MG - 2 semestre 2014 01 - A figura mostra um sistema massa-mola que pode oscilar livremente, sem atrito, sobre a superfície horizontal e com resistência do ar desprezível. Nesse

Leia mais

Mecânica 2007/2008. 6ª Série

Mecânica 2007/2008. 6ª Série Mecânica 2007/2008 6ª Série Questões: 1. Suponha a=b e M>m no sistema de partículas representado na figura 6.1. Em torno de que eixo (x, y ou z) é que o momento de inércia tem o menor valor? e o maior

Leia mais

UNIDADE VI: Trabalho e Energia Mecânica

UNIDADE VI: Trabalho e Energia Mecânica Colégio Santa Catarina Unidade VI: Trabalho e Energia Mecânica 74 UNIDADE VI: Trabalho e Energia Mecânica 6.1- Introdução Embora não se tenha uma definição de energia, podemos dizer que a presença de energia

Leia mais

Formulário. TESTE DE FÍSICO - QUÍMICA 10 º Ano Componente de Física A

Formulário. TESTE DE FÍSICO - QUÍMICA 10 º Ano Componente de Física A TESTE DE FÍSICO - QUÍMICA 10 º Ano Componente de Física A Duração do Teste: 90 minutos Formulário Relações entre unidades de energia Lei de Stefan-Boltzmann 1 TEP = 4,18 10 10 J I = e σ T 4 1 kw.h = 3,6

Leia mais

Trabalho e Conservação da Energia

Trabalho e Conservação da Energia Trabalho e Conservação da Energia Os problemas relacionados com a produção e consumo de energia ocupam diariamente os noticiários de TV, rádios e jornais e constituem uma constante preocupação do governo

Leia mais

FISICA. Justificativa: Taxa = 1,34 kw/m 2 Energia em uma hora = (1,34 kw/m 2 ).(600x10 4 m 2 ).(1 h) ~ 10 7 kw. v B. v A.

FISICA. Justificativa: Taxa = 1,34 kw/m 2 Energia em uma hora = (1,34 kw/m 2 ).(600x10 4 m 2 ).(1 h) ~ 10 7 kw. v B. v A. FISIC 01. Raios solares incidem verticalmente sobre um canavial com 600 hectares de área plantada. Considerando que a energia solar incide a uma taxa de 1340 W/m 2, podemos estimar a ordem de grandeza

Leia mais

Você acha que o rapaz da figura abaixo está fazendo força?

Você acha que o rapaz da figura abaixo está fazendo força? Aula 04: Leis de Newton e Gravitação Tópico 02: Segunda Lei de Newton Como você acaba de ver no Tópico 1, a Primeira Lei de Newton ou Princípio da Inércia diz que todo corpo livre da ação de forças ou

Leia mais

a) O tempo total que o paraquedista permaneceu no ar, desde o salto até atingir o solo.

a) O tempo total que o paraquedista permaneceu no ar, desde o salto até atingir o solo. (MECÂNICA, ÓPTICA, ONDULATÓRIA E MECÂNICA DOS FLUIDOS) 01) Um paraquedista salta de um avião e cai livremente por uma distância vertical de 80 m, antes de abrir o paraquedas. Quando este se abre, ele passa

Leia mais

Energia Mecânica Sistema Conservativo

Energia Mecânica Sistema Conservativo Energia Mecânica Sistema Conservativo 1. (Espcex (Aman) 013) Um carrinho parte do repouso, do ponto mais alto de uma montanha-russa. Quando ele está a 10 m do solo, a sua velocidade é de 1m s. Desprezando

Leia mais

Faculdade de Administração e Negócios de Sergipe

Faculdade de Administração e Negócios de Sergipe Faculdade de Administração e Negócios de Sergipe Disciplina: Física Geral e Experimental III Curso: Engenharia de Produção Assunto: Gravitação Prof. Dr. Marcos A. P. Chagas 1. Introdução Na gravitação

Leia mais

Projecto Faraday. Textos de Apoio. Trabalho e energia. 10º Ano de Escolaridade

Projecto Faraday. Textos de Apoio. Trabalho e energia. 10º Ano de Escolaridade Projecto Faraday Textos de Apoio Trabalho e energia 10º Ano de Escolaridade Porto, Outubro de 2009 Ficha Técnica Projecto Faraday Projecto de intervenção no ensino da Física no secundário. Financiamento

Leia mais

2 - PRIMEIRA LEI DE NEWTON: PRINCÍPIO DA INÉRCIA

2 - PRIMEIRA LEI DE NEWTON: PRINCÍPIO DA INÉRCIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA F Í S I C A II - DINÂMICA ALUNO: RA: 1 - OS PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS DINÂMICA A Dinâmica é a parte da Mecânica que estuda os movimentos e as causas que os produzem ou os modificam.

Leia mais

Os princípios fundamentais da Dinâmica

Os princípios fundamentais da Dinâmica orça, Trabalho,Quantidade de Movimento e Impulso - Série Concursos Públicos M e n u orça, Exercícios Trabalho,Quantidade propostos Testes de Movimento propostos e Impulso Os princípios fundamentais da

Leia mais

a) 1200 W b) 2600 W c) 3000 W d) 4000 W e) 6000 W

a) 1200 W b) 2600 W c) 3000 W d) 4000 W e) 6000 W TRABALHO/ POTÊNCIA 01)UTFPR- No SI (Sistema Internacional de Unidades), o trabalho realizado pela força gravitacional pode ser expressa em joules ou pelo produto: a) kg.m.s 1 b)kg.m.s 2 c) kg.m 2.s 2 d)kg.m

Leia mais

4- Movimento relativo

4- Movimento relativo 4- Movimento relativo 1 Um carro dirige-se de sul para norte numa estrada retilínea, com velocidade constante de 90kmh 1. Um camião aproxima-se em sentido contrário com velocidade constante de 100kmh 1.

Leia mais

Trabalho Mecânico. A força F 2 varia de acordo com o gráfico a seguir: Dados sem 30º = cos = 60º = 1/2

Trabalho Mecânico. A força F 2 varia de acordo com o gráfico a seguir: Dados sem 30º = cos = 60º = 1/2 Trabalho Mecânico 1. (G1 - ifce 2012) Uma pessoa sobe um lance de escada, com velocidade constante, em 1,0 min. Se a mesma pessoa subisse o mesmo lance, também com velocidade constante em 2,0 min, ela

Leia mais

NTD DE FÍSICA 1 a SÉRIE ENSINO MÉDIO ALUNO(A): Nº TURMA: TURNO: DATA: / /

NTD DE FÍSICA 1 a SÉRIE ENSINO MÉDIO ALUNO(A): Nº TURMA: TURNO: DATA: / / NTD DE FÍSICA 1 a SÉRIE ENSINO MÉDIO Professor: Rodrigo Lins ALUNO(A): Nº TURMA: TURNO: DATA: / / COLÉGIO: 1) Na situação esquematizada na f igura, a mesa é plana, horizontal e perfeitamente polida. A

Leia mais

Problemas de Mecânica e Ondas 5

Problemas de Mecânica e Ondas 5 Problemas de Mecânica e Ondas 5 P 5.1. Um automóvel com uma massa total de 1000kg (incluindo ocupantes) desloca-se com uma velocidade (módulo) de 90km/h. a) Suponha que o carro sofre uma travagem que reduz

Leia mais

COMENTÁRIO DA PROVA DE FÍSICA

COMENTÁRIO DA PROVA DE FÍSICA COMENTÁRIO DA PROVA DE FÍSICA A prova de Física da UFPR 2013/2014 apresentou algumas questões fáceis, algumas difíceis e maioria de questões médias. Dessa forma, é possível afirmar que, quanto ao nível,

Leia mais

Questão 46. Questão 47. Questão 48. alternativa E. alternativa C

Questão 46. Questão 47. Questão 48. alternativa E. alternativa C Questão 46 O movimento de uma partícula é caracterizado por ter vetor velocidade e vetor aceleração não nulo de mesma direção. Nessas condições, podemos afirmar que esse movimento é a) uniforme. b) uniformemente

Leia mais

Mecânica 2007/2008. 3ª Série

Mecânica 2007/2008. 3ª Série Mecânica 2007/2008 3ª Série Questões: 1. Se o ouro fosse vendido a peso, preferia comprá-lo na serra da Estrela ou em Lisboa? Se fosse vendido pela massa em qual das duas localidades preferia comprá-lo?

Leia mais

IBM1018 Física Básica II FFCLRP USP Prof. Antônio Roque Aula 6. O trabalho feito pela força para deslocar o corpo de a para b é dado por: = =

IBM1018 Física Básica II FFCLRP USP Prof. Antônio Roque Aula 6. O trabalho feito pela força para deslocar o corpo de a para b é dado por: = = Energia Potencial Elétrica Física I revisitada 1 Seja um corpo de massa m que se move em linha reta sob ação de uma força F que atua ao longo da linha. O trabalho feito pela força para deslocar o corpo

Leia mais

Trabalho realizado por forças constantes que atuam num sistema em qualquer direção

Trabalho realizado por forças constantes que atuam num sistema em qualquer direção 1 Trabalho realizado por forças constantes que atuam num sistema em qualquer direção A noção de trabalho Trabalho potente, resistente e nulo Trabalho realizado por mais do que uma força constante Representação

Leia mais

AULA PRÁTICA DE SALA DE AULA FQA - unidade 2 - Física 10º ANO Maio 2013 / Nome: nº

AULA PRÁTICA DE SALA DE AULA FQA - unidade 2 - Física 10º ANO Maio 2013 / Nome: nº AULA PRÁTICA DE SALA DE AULA FQA - unidade 2 - Física 10º ANO Maio 2013 / Nome: nº Teste intermédio de 10º ano de 30/05/2012 GRUPO V A Figura 4 (que não está à escala) representa uma calha inclinada, montada

Leia mais

RESOLUÇÕES DA PROVA DE FÍSICA UFC 2006. PROFESSOR Célio Normando

RESOLUÇÕES DA PROVA DE FÍSICA UFC 2006. PROFESSOR Célio Normando RESOLUÇÕES DA PROVA DE FÍSICA UFC 006 Ari Duque de Caxias Ari Washington Soares Ari Aldeota Da 5ª Série ao Pré-Vestibular Sede Hildete de Sá Cavalcante (da Educação Infantil ao Pré-Vestibular) Rua Monsenhor

Leia mais

UNIDADE NO SI: F Newton (N) 1 N = 1 kg. m/s² F R = 6N + 8N = 14 N F R = 7N + 3N = 4 N F 2 = 7N

UNIDADE NO SI: F Newton (N) 1 N = 1 kg. m/s² F R = 6N + 8N = 14 N F R = 7N + 3N = 4 N F 2 = 7N Disciplina de Física Aplicada A 2012/2 Curso de Tecnólogo em Gestão Ambiental Professora Ms. Valéria Espíndola Lessa DINÂMICA FORÇA: LEIS DE NEWTON A partir de agora passaremos a estudar a Dinâmica, parte

Leia mais

Capítulo 7 Conservação de Energia

Capítulo 7 Conservação de Energia Função de mais de uma variável: Capítulo 7 Conservação de Energia Que para acréscimos pequenos escrevemos Onde usamos o símbolo da derivada parcial: significa derivar U parcialmente em relação a x, mantendo

Leia mais

Olimpíada Brasileira de Física 2001 2ª Fase

Olimpíada Brasileira de Física 2001 2ª Fase Olimpíada Brasileira de Física 2001 2ª Fase Gabarito dos Exames para o 1º e 2º Anos 1ª QUESTÃO Movimento Retilíneo Uniforme Em um MRU a posição s(t) do móvel é dada por s(t) = s 0 + vt, onde s 0 é a posição

Leia mais

TRANSFERINDO ENERGIA: MÁQUINAS E MOVIMENTO

TRANSFERINDO ENERGIA: MÁQUINAS E MOVIMENTO Escola Secundária de Odivelas Ensino Recorrente de Nível Secundário Curso Tecnológico de Informática 10º 2ª - Física e Química B Módulo 3 Transferindo energia: máquinas e movimento. TRANSFERINDO ENERGIA:

Leia mais

Aula de Véspera - Inv-2008

Aula de Véspera - Inv-2008 01. Um projétil foi lançado no vácuo formando um ângulo θ com a horizontal, conforme figura abaixo. Com base nesta figura, analise as afirmações abaixo: (001) Para ângulos complementares teremos o mesmo

Leia mais

TC 3 UECE - 2013 FASE 2 MEDICINA e REGULAR

TC 3 UECE - 2013 FASE 2 MEDICINA e REGULAR TC 3 UECE - 03 FASE MEICINA e EGULA SEMANA 0 a 5 de dezembro POF.: Célio Normando. A figura a seguir mostra um escorregador na forma de um semicírculo de raio = 5,0 m. Um garoto escorrega do topo (ponto

Leia mais

As leis de Newton e suas aplicações

As leis de Newton e suas aplicações As leis de Newton e suas aplicações Disciplina: Física Geral e Experimental Professor: Carlos Alberto Objetivos de aprendizagem Ao estudar este capítulo você aprenderá: O que significa o conceito de força

Leia mais

UNOCHAPECÓ Lista 03 de exercícios Mecânica (lançamento de projéteis) Prof: Visoli

UNOCHAPECÓ Lista 03 de exercícios Mecânica (lançamento de projéteis) Prof: Visoli UNOCHAPECÓ Lista 03 de exercícios Mecânica (lançamento de projéteis) Prof: Visoli 1. A figura abaixo mostra o mapa de uma cidade em que as ruas retilíneas se cruzam perpendicularmente e cada quarteirão

Leia mais

Física e Química A. Actividade Prático-Laboratorial 1.3 Salto para a piscina

Física e Química A. Actividade Prático-Laboratorial 1.3 Salto para a piscina Física e Química A Actividade Prático-Laboratorial 1.3 Salto para a piscina Ano lectivo de 2009/2010 Índice Sumário 3 I Relatório 1.1. Objectivos.. 4 1.2. Planeamento 5 1.3. Execução. 6 1.4. Resultados

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASQUILHOS

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASQUILHOS ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASQUILHOS FQA Ficha 3 - Forças fundamentais, leis de Newton e Lei da gravitação universal 11.º Ano Turma A e B 1 outubro 2014 NOME Nº Turma 1. Associe um número da coluna 1 a uma

Leia mais

sendo as componentes dadas em unidades arbitrárias. Determine: a) o vetor vetores, b) o produto escalar e c) o produto vetorial.

sendo as componentes dadas em unidades arbitrárias. Determine: a) o vetor vetores, b) o produto escalar e c) o produto vetorial. INSTITUTO DE FÍSICA DA UFRGS 1 a Lista de FIS01038 Prof. Thomas Braun Vetores 1. Três vetores coplanares são expressos, em relação a um sistema de referência ortogonal, como: sendo as componentes dadas

Leia mais

Física - UFRGS 2010. 02. Alternativa D Afirmativa I Um ano corresponde à distância percorrida pela luz durante um ano.

Física - UFRGS 2010. 02. Alternativa D Afirmativa I Um ano corresponde à distância percorrida pela luz durante um ano. Física - UFRGS 2010 01. Alternativa E De acordo com as leis de Kepler, a órbita de cada planeta é uma elipse com o Sol em um dos focos. A reta que une um planeta e o Sol, varre áreas iguais em tempos iguais

Leia mais

Exercício de Física para o 3º Bimestre - 2015 Série/Turma: 1º ano Professor (a): Marcos Leal NOME:

Exercício de Física para o 3º Bimestre - 2015 Série/Turma: 1º ano Professor (a): Marcos Leal NOME: Exercício de Física para o 3º Bimestre - 2015 Série/Turma: 1º ano Professor (a): Marcos Leal NOME: QUESTÃO 01 O chamado "pára-choque alicate" foi projetado e desenvolvido na Unicamp com o objetivo de minimizar

Leia mais

APOSTILA DE FÍSICA BÁSICA PARA E.J.A.

APOSTILA DE FÍSICA BÁSICA PARA E.J.A. CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL DE CURITIBA C.E.E.P CURITIBA APOSTILA DE FÍSICA BÁSICA PARA E.J.A. Modalidades: Integrado Subseqüente Proeja Autor: Ronald Wykrota (wykrota@uol.com.br) Curitiba

Leia mais