RESPONSABILIDADE MÉDICA EMPRESARIAL E DA EQUIPE CIRÚRGICA POR ERRO ANESTÉSICO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RESPONSABILIDADE MÉDICA EMPRESARIAL E DA EQUIPE CIRÚRGICA POR ERRO ANESTÉSICO"

Transcrição

1 RESPONSABILIDADE MÉDICA EMPRESARIAL E DA EQUIPE CIRÚRGICA POR ERRO ANESTÉSICO TOMÁS LIMA DE CARVALHO Em julgamento proferido no dia 22 de setembro de 2009, a Quarta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ), de forma não unânime, condenou o médico cirurgião e a clínica médica a indenizar uma mulher que ficou em estado vegetativo após cirurgia estética mal sucedida 1. Segundo laudo pericial constante no processo, a complicação cirúrgica deveu-se à imperícia do médico anestesista, afastando-se, pois, a responsabilidade do médico cirurgião. Todavia, pelo referido julgamento, foi atribuída responsabilidade solidária ao médico cirurgião e à clínica médica pelo insucesso da cirurgia decorrente do erro procedido pelo profissional anestesista. Segundo a Colenda Corte, existe uma relação de subordinação entre o cirurgião e os demais integrantes da equipe, pois o médico é responsável por todos os atos dos profissionais escolhidos por ele. Com relação à Clínica Médica, entendeu os i. Ministros tratar-se de relação que também caracteriza culpa, já que esta é de propriedade do médico cirurgião. Com efeito, a referida decisão proferida pela Quarta Turma do STJ modificou a decisão da Justiça de 1ª Instância e do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, que entenderam pela impossibilidade de se atribuir qualquer responsabilidade ao médico cirurgião e à clínica médica por erro procedido pelo médico anestesista. Todavia, o entendimento manifestado pelo i. Superior Tribunal de Justiça merece ser alvo de crítica, eis que atribuiu equivocadamente a responsabilidade pela reparação civil do dano reclamado a quem não de direito, conforme se verá a seguir. Inicialmente, há que salientar tratar-se de fato incontestável nos autos do processo em comento que as complicações cirúrgicas não ocorreram por atos ligados à cirurgia plástica, mas sim, do específico procedimento anestésico. Com efeito, a cirurgia plástica não pode ser vista como um ato único, diante das crescentes especializações desenvolvidas na moderna ciência médica e o aprimoramento das técnicas cirúrgicas, sendo inequívoca a divisão de tarefas entre os vários médicos que atuam 1 Recurso Especial nº /RJ. Disponível em <http://www.stj.jus.br/webstj/processo/justica/detalhe.asp? numreg= &pv= &tp=51>. Acesso em 09 de outubro de 2009.

2 em determinada cirurgia. Assim, os integrantes da equipe médica, embora atuem em conjunto, não devem, independentemente da verificação de culpa, responder solidariamente pelos danos causados, os quais o foram, distintamente, por determinado profissional. Ora, se atuam como profissionais autônomos, cada um em sua especialidade, a responsabilidade decorrente do procedimento cirúrgico será individualizada, cada qual respondendo pelos seus próprios atos, de acordo com as regras que disciplinam o nexo de causalidade. 2 Assim, a responsabilidade civil do médico, na qualidade de profissional liberal, será apurada mediante a verificação da culpa, nos termos elencados no art. 14, 4º, do Código de Proteção e Defesa do Consumidor (CDC), in verbis: Art. 14. O fornecedor de serviços responde, independentemente da existência de culpa, pela reparação dos danos causados aos consumidores por defeitos relativos à prestação dos serviços, bem como por informações insuficientes ou inadequadas sobre sua fruição e riscos. (...) 4 A responsabilidade pessoal dos profissionais liberais será apurada mediante a verificação de culpa. Infere-se, pois, que a responsabilidade civil do médico cirurgião é subjetiva, ou seja, impõe-se a necessidade não só da prova do dano, mas também, da conduta culposa do profissional, seja por negligência, imperícia ou imprudência, sendo certo que a prova dessa demonstração incumbe exclusivamente ao paciente, vítima do suposto incidente 3. No caso em análise, o médico anestesista foi contactado pelo cirurgião para compor a equipe médica (não é seu preposto), sendo que não há qualquer informação que desabone a vida profissional ou reputação daquele. Trata-se, pois, de profissional gabaritado. Desta feita, se o médico cirurgião, ao escolher o médico anestesista, agiu com a cautela devida, resta descaracterizado qualquer ato de precipitação, inoportunismo ou insensatez, afastando-se, pois, a configuração de sua culpa. Isso porque ter-se-ia de conduta culposa tão somente na hipótese de inobservância desse dever de cuidado em que, face às circunstâncias, poderia e deveria ter agido de outro modo. Assim, não se vislumbra a chamada culpa in eligendo, já que o profissional indicado o foi com o maior critério (feito observando-se o dever de cuidado), muito embora naquele dia, por infelicidade, tenha incidido em erro. Ademais, não há no processo qualquer conduta 2 CAVALIERI FILHO, S. Programa de responsabilidade civil. 8. ed. rev. ampl. São Paulo: Atlas, P Constituindo o erro médico responsabilidade subjetiva, para justificar o dever de indenizar impõe-se a demonstração da conduta ao menos culposa do agente, assim como o dano sofrido e o nexo que liga este àquela, numa relação de causa e consequência. (TJMG - Apelação Cível nº /000, julg. 20/10/2005).

3 perpetrada pelo médico cirurgião, no ato cirúrgico, concorrendo para o ocorrido, já que o erro ocorreu quando da aplicação de anestesia, anteriormente à cirurgia. Nesse diapasão, cumpre transcrever as palavras de Nelson Hungria, para quem: O médico não tem carta branca, mas não pode comprimir a sua atividade dentro de dogmas intratáveis. Não é ele infalível, e desde que agiu racionalmente, obediente aos preceitos fundamentais da ciência, ou ainda que desviando-se deles, mas por motivos plausíveis, não deve ser chamado a contas pela Justiça, se vem a ocorrer um acidente funesto. 4 Portanto, não ocorrendo erro durante o ato cirúrgico, ausente a responsabilidade do médico cirurgião para responder pelos danos reclamados pela paciente lesada, eis que não agiu com culpa, ou mesmo, concorreu para tanto (art. 14, 4º, CDC). Frise-se que em havendo divisão do trabalho por equipes especializadas, o erro procedido exclusivamente pelo anestesista, profissional gabaritado, engaja apenas para a responsabilidade deste pela lesão e dano que venha a sofrer o paciente, excluindo-se os demais médicos. Noutro giro, urge suscitar que a responsabilidade das clínicas médicas quanto aos serviços médicos prestados é objetiva, ou seja, a apuração de sua responsabilidade independe da verificação de culpa: Art. 14. O fornecedor de serviços responde, independentemente da existência de culpa, pela reparação dos danos causados aos consumidores por defeitos relativos à prestação dos serviços, bem como por informações insuficientes ou inadequadas sobre sua fruição e riscos. 1 O serviço é defeituoso quando não fornece a segurança que o consumidor dele pode esperar, levando-se em consideração as circunstâncias relevantes, entre as quais: I - o modo de seu fornecimento; II - o resultado e os riscos que razoavelmente dele se esperam; III - a época em que foi fornecido. 2º O serviço não é considerado defeituoso pela adoção de novas técnicas. 3 O fornecedor de serviços só não será responsabilizado quando provar: I - que, tendo prestado o serviço, o defeito inexiste; II - a culpa exclusiva do consumidor ou de terceiro. Ademais, nos termos do art. 34 do Código de Defesa do Consumidor, as clínicas médicas também são responsáveis pelos atos de seus prepostos (médicos) de maneira solidária, ou seja, respondem juntamente com o profissional. Todavia, muito embora se trate de responsabilidade objetiva e solidária, deve-se aferir, para se configurar o dever de reparação civil, uma relação direta (nexo de causalidade) entre as falhas apresentadas na prestação do serviço e o dano ocorrido, o que não se vislumbra neste caso. 4 HUNGRIA, Nelson. Comentários ao Código Penal. Rio de Janeiro: Forense, P. 186.

4 Com efeito, inexiste qualquer conduta irregular perpetrada pela clínica médica, apta a caracterizar o eventual vício na prestação do serviço. Além do mais, repise-se, o médico anestesista fora contactado pelo médico cirurgião para compor a equipe médica, razão pela qual não é empregado da clínica, não ostentando, pois, o status de preposto. Assim sendo, ainda que tenha havido insucesso na cirurgia, não é possível apontar qualquer defeito no serviço prestado pela clínica médica, o que afasta a responsabilidade desta, conforme os termos do citado art. 14, 3º, I, do CDC. Frise-se que a atividade hospitalar em análise não foi a causa do evento, mas apenas a sua ocasião, pelo que não pode ser incluído entre os riscos do empreendimento. Neste sentido, Sérgio Cavalieri Filho assim preleciona: Não há dúvida que ao caso em exame aplica-se a disciplina do CDC e que a responsabilidade do fornecedor é objetiva pelo fato do serviço (art. 14). Essa responsabilidade, entretanto, embora objetiva, não é fundada no risco integral. O defeito do serviço é o fato gerador dessa responsabilidade, é ele que desencadeia ou detona a responsabilidade civil do fornecedor. Em razão disto, o CDC estabelece causas excludentes previstas no 3º do referido art. 14 e, dentre elas, que tendo prestado o serviço, o defeito inexiste. 5 Portanto, embora objetiva a responsabilidade da clínica médica, impende ressaltar que é indispensável a prova do nexo de causalidade entre eventual defeito na prestação de serviços desta e o dano reclamado pela paciente, para que se possa atribuir à esta qualquer responsabilidade civil e, consequentemente, o dever de indenizar. Destarte, não havendo qualquer irregularidade em relação aos serviços prestados pela clínica médica, aptos a caracterizar o eventual vício na prestação do serviço, bem como tendo em vista que o médico anestesista fora contactado pelo médico cirurgião para compor a equipe médica (não é empregado da clínica), inexiste uma relação direta entre as falhas apresentadas na prestação do serviço e o dano ocorrido, razão pela qual também não se pode atribuir qualquer dever de indenizar à clínica médica. Insta salutar esclarecer que soa equívoco atribuir a terceiros, sempre, como regra geral, a responsabilidade civil pelos fatos ocorridos. A indenização (medida reparatória ou compensatória) não se afigura como regra geral na responsabilidade civil; pelo contrário, é a exceção. 5 CAVALIERI FILHO, S. Programa de responsabilidade civil. 8. ed. rev. ampl. São Paulo: Atlas, P. 387.

5 No direito civil, assim como na legislação consumerista, a regra geral de responsabilidade é a do res perit domino 6, ou seja, incumbe à própria vítima, inicialmente, arcar com os supostos prejuízos sofridos, salvo demonstração inequívoca, na conduta de terceiros, de culpa, nexo de causalidade e dano. Com relação ao julgamento ora em análise, como visto acima, não se verifica a existência de culpa do médico cirurgião, ou mesmo, a existência de falhas na prestação do serviço deste ou da clínica médica, afastando-se, assim, com relação a ambos, também o nexo de causalidade, razão pela qual não há que imputá-los qualquer dever de indenizar. 6 A coisa perece para o dono.

RESPONSABILIDADE MÉDICA EMPRESARIAL E DA EQUIPE CIRÚRGICA POR ERRO ANESTÉSICO

RESPONSABILIDADE MÉDICA EMPRESARIAL E DA EQUIPE CIRÚRGICA POR ERRO ANESTÉSICO RESPONSABILIDADE MÉDICA EMPRESARIAL E DA EQUIPE CIRÚRGICA POR ERRO ANESTÉSICO TOMÁS LIMA DE CARVALHO 1 Em julgamento proferido no dia 22 de setembro de 2009, a Quarta Turma do Superior Tribunal de Justiça

Leia mais

Conflitos entre o Processo Penal E o Processo Administrativo sob O ponto de vista do médico. Dr. Eduardo Luiz Bin Conselheiro do CREMESP

Conflitos entre o Processo Penal E o Processo Administrativo sob O ponto de vista do médico. Dr. Eduardo Luiz Bin Conselheiro do CREMESP Conflitos entre o Processo Penal E o Processo Administrativo sob O ponto de vista do médico Dr. Eduardo Luiz Bin Conselheiro do CREMESP PRÁTICA MÉDICA A prática médica se baseia na relação médicopaciente,

Leia mais

DA RESPONSABILIDADE CIVIL DO MÉDICO por Jackson Domenico e Ana Ribeiro - RESPONSABILIDADE CIVIL OBJETIVA E SUBJETIVA

DA RESPONSABILIDADE CIVIL DO MÉDICO por Jackson Domenico e Ana Ribeiro - RESPONSABILIDADE CIVIL OBJETIVA E SUBJETIVA DA RESPONSABILIDADE CIVIL DO MÉDICO por Jackson Domenico e Ana Ribeiro - RESPONSABILIDADE CIVIL OBJETIVA E SUBJETIVA A responsabilidade civil tem como objetivo a reparação do dano causado ao paciente que

Leia mais

Responsabilidade civil médicohospitalar na jurisprudência do STJ

Responsabilidade civil médicohospitalar na jurisprudência do STJ Responsabilidade civil médicohospitalar na jurisprudência do STJ 4º Congresso Brasileiro de Aspectos Legais para Gestores e Advogados de Saúde São Paulo, 24 de maio de 2013 Ricardo Villas Bôas Cueva Ministro

Leia mais

www.cebid.com.br iara.ufop@gmail.com

www.cebid.com.br iara.ufop@gmail.com II CONJUVIR 24 de março de 2012 IARA ANTUNES DE SOUZA Doutoranda e Mestre em Direito Privado pela PUC Minas. Especialista em Direito Processual e Direito Civil. Pesquisadora do CEBID - Centro de Estudos

Leia mais

Profilaxia das alegações de erro médico. Paulo Afonso - BA

Profilaxia das alegações de erro médico. Paulo Afonso - BA Profilaxia das alegações de erro médico Paulo Afonso - BA Princípios Fundamentais do CEM I - A Medicina é uma profissão a serviço da saúde do ser humano e da coletividade e será exercida sem discriminação

Leia mais

Contrato de Prestação de Serviços. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda

Contrato de Prestação de Serviços. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda Contrato de Prestação de Serviços Contrato de Prestação de Serviços Visão Geral dos Contratos: Formação dos Contratos;e Inadimplemento Contratual. Formação dos Contratos Validade do Negócio Jurídico: Agente

Leia mais

PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA

PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Apelação Cível nº 0059871-12.2007.8.19.0001 Apelante: JONETES TERESINHA BOARETTO Apelado: GRANDE HOTEL CANADÁ LTDA. Relator: DES. CUSTÓDIO TOSTES DECISÃO MONOCRÁTICA

Leia mais

O fornecimento de senhas e caracteres de acesso à terceiros, causa negativa em indenização

O fornecimento de senhas e caracteres de acesso à terceiros, causa negativa em indenização O fornecimento de senhas e caracteres de acesso à terceiros, causa negativa em indenização Contribuição de Dr. Rodrigo Vieira 17 de dezembro de 2008 Advocacia Bueno e Costanze O fornecimento de senhas

Leia mais

ACÓRDÃO. O julgamento teve a participação dos Exmos. Desembargadores VITO GUGLIELMI (Presidente) e PAULO ALCIDES. São Paulo, 12 de julho de 2012.

ACÓRDÃO. O julgamento teve a participação dos Exmos. Desembargadores VITO GUGLIELMI (Presidente) e PAULO ALCIDES. São Paulo, 12 de julho de 2012. ACÓRDÃO Registro: 2012.0000334706 Vistos, relatados e discutidos estes autos de Apelação nº 0009544-94.2000.8.26.0007, da Comarca de São Paulo, em que são apelantes LEOBINO COSTA FIGUEREDO (E OUTROS(AS))

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA 1 CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA EMENTA: INDAGAÇÃO ACERCA DA RESPONSABILIDADE CIVIL SOLIDÁRIA DO HOSPITAL EM CASOS DE ERRO MÉDICO PRATICADO POR PROFISSIONAL, QUE NÃO É MEMBRO DO QUADRO CLÍNICO DO NOSOCÔMIO,

Leia mais

Conceito. Responsabilidade Civil do Estado. Teorias. Risco Integral. Risco Integral. Responsabilidade Objetiva do Estado

Conceito. Responsabilidade Civil do Estado. Teorias. Risco Integral. Risco Integral. Responsabilidade Objetiva do Estado Conceito Responsabilidade Civil do Estado é a obrigação que ele tem de reparar os danos causados a terceiros em face de comportamento imputável aos seus agentes. chama-se também de responsabilidade extracontratual

Leia mais

RESPONSABILIDADE CIVIL DOS OPERADORES DE NEGÓCIOS IMOBILIÁRIOS

RESPONSABILIDADE CIVIL DOS OPERADORES DE NEGÓCIOS IMOBILIÁRIOS RESPONSABILIDADE CIVIL DOS OPERADORES DE NEGÓCIOS IMOBILIÁRIOS Atividade de intermediação de negócios imobiliários relativos à compra e venda e locação Moira de Toledo Alkessuani Mercado Imobiliário Importância

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 772.818 - RS (2005/0132229-4) RELATOR : MINISTRO CASTRO FILHO RECORRENTE : LUCIANA GHELLER LUQUE ENGEL ADVOGADO : PAULO RICARDO DUARTE DE FARIAS E OUTRO RECORRIDO : BOURBON ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

APELAÇÃO CÍVEL Nº 44528-95.2011.8.09. LUIZ EDUARDO DE SOUSA EMENTA: APELAÇÃO CÍVEL. PROVA. RESPONSABILIDADE CIVIL. ERRO MÉDICO. NEXO CAUSAL.

APELAÇÃO CÍVEL Nº 44528-95.2011.8.09. LUIZ EDUARDO DE SOUSA EMENTA: APELAÇÃO CÍVEL. PROVA. RESPONSABILIDADE CIVIL. ERRO MÉDICO. NEXO CAUSAL. APELAÇÃO CÍVEL Nº 44528-95.2011.8.09.0006 (201190445280) COMARCA DE ANÁPOLIS APELANTE : KÊNIA ESTELA BORGES DA SILVA GOMES 1º APELADO : HOSPITAL NOSSA SENHORA APARECIDA LTDA E OUTRO (S) 2º APELADO : CRISTIANO

Leia mais

Responsabilidade Civil e Criminal em Acidentes de Trabalho. M. J. Sealy

Responsabilidade Civil e Criminal em Acidentes de Trabalho. M. J. Sealy Responsabilidade Civil e Criminal em Acidentes de Trabalho O Conceito de Acidente de Trabalho (de acordo com a Lei 8.213/91 Art. 19) Acidente do trabalho é o que ocorre pelo exercício do trabalho a serviço

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO VIGÉSIMA SEXTA CÂMARA CÍVEL/CONSUMIDOR

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO VIGÉSIMA SEXTA CÂMARA CÍVEL/CONSUMIDOR APELAÇÃO Nº: 0284066-04.2012.8.19.0001 APELANTE 1: DEPIL LASER CENTRO AVANÇADO DE DEPILAÇÃO A LASER LTDA. APELANTE 2: PAULA FORTES SANCHES (RECURSO ADESIVO) APELADOS: OS MESMOS RELATORA: DES. SANDRA SANTARÉM

Leia mais

Site: www.fernandomenezes.adv.br E-mail: advogado@fernandomenezes.adv.br Celular: (71) 9917-5454 e (71) 9173-8855 Telefone: (71) 3341-5454 Av.

Site: www.fernandomenezes.adv.br E-mail: advogado@fernandomenezes.adv.br Celular: (71) 9917-5454 e (71) 9173-8855 Telefone: (71) 3341-5454 Av. Site: www.fernandomenezes.adv.br E-mail: advogado@fernandomenezes.adv.br Celular: (71) 9917-5454 e (71) 9173-8855 Telefone: (71) 3341-5454 Av. Tancredo Neves, nº 939, Sala 907, bairro Caminho das Arvores,

Leia mais

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR » Cacildo Baptista Palhares Júnior Advogado em Araçatuba (SP) Questões comentadas de direito do consumidor da prova objetiva do concurso de 2010 para Defensor da Bahia Com referência ao CDC, julgue os

Leia mais

29 a 30 de maio de 2008 RESPONSABILIDADE CIVIL E RELAÇÕES TRABALHISTAS. Fraiburgo Santa Catarina

29 a 30 de maio de 2008 RESPONSABILIDADE CIVIL E RELAÇÕES TRABALHISTAS. Fraiburgo Santa Catarina 29 a 30 de maio de 2008 RESPONSABILIDADE CIVIL E RELAÇÕES TRABALHISTAS Fraiburgo Santa Catarina A responsabilidade civil é a aplicação de medidas que obriguem uma pessoa a reparar o dano moral ou patrimonial

Leia mais

APTE: FLAVIO COELHO BARRETO (Autor) APTE: CONCESSIONÁRIA DA RODOVIA DOS LAGOS S.A. APDO: OS MESMOS

APTE: FLAVIO COELHO BARRETO (Autor) APTE: CONCESSIONÁRIA DA RODOVIA DOS LAGOS S.A. APDO: OS MESMOS APTE: FLAVIO COELHO BARRETO (Autor) APTE: CONCESSIONÁRIA DA RODOVIA DOS LAGOS S.A. APDO: OS MESMOS RELATORA: DESEMBARGADORA MARIA REGINA NOVA APELAÇÕES CÍVEIS. DIREITO ADMINISTRATIVO E DO CONSUMIDOR. ACIDENTE

Leia mais

A p s e p c e t c os o s Ju J r u ídi d co c s o s n a n V n e t n ilaç a ã ç o ã o M ec e â c n â i n ca

A p s e p c e t c os o s Ju J r u ídi d co c s o s n a n V n e t n ilaç a ã ç o ã o M ec e â c n â i n ca Aspectos Jurídicos na Ventilação Mecânica Prof. Dr. Edson Andrade Relação médico-paciente Ventilação mecânica O que é a relação médico-paciente sob a ótica jurídica? Um contrato 1 A ventilação mecânica

Leia mais

CONTRATUAL Obrigação de meio X Obrigação de Resultado. EXTRACONTRATUAL (ex. direito de vizinhança, passagem, águas, etc)

CONTRATUAL Obrigação de meio X Obrigação de Resultado. EXTRACONTRATUAL (ex. direito de vizinhança, passagem, águas, etc) Artigo 186, do Código Civil: Aquele que, por ação ou omissão voluntária, negligência ou imprudência, violar direito e causar dano a outrem, ainda que exclusivamente moral, comete ato ilícito. CONTRATUAL

Leia mais

GOUVÊA FRANCO ADVOGADOS

GOUVÊA FRANCO ADVOGADOS O DIREITO DE REGRESSO DO INSS: ACIDENTES DE TRABALHO E A LEI Nº 8.213/91 Introdução: Recentemente, por todo o Brasil, constata-se na Justiça Federal o crescente aumento de ações regressivas propostas pelo

Leia mais

DIREITO ADMINISTRATIVO

DIREITO ADMINISTRATIVO DIREITO ADMINISTRATIVO RESPONSABILIDADE CIVIL DO ESTADO Atualizado até 13/10/2015 RESPONSABILIDADE CIVIL DO ESTADO NOÇÕES INTRODUTÓRIAS Quando se fala em responsabilidade, quer-se dizer que alguém deverá

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO fls. 1 Registro: 2016.0000032905 232 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação nº 0027207-72.2012.8.26.0577, da Comarca de São José dos Campos, em que é apelante/apelado RENAULT DO

Leia mais

102 VIGÉSIMA SEXTA CÂMARA CÍVEL / CONSUMIDOR APELAÇÃO CÍVEL PROCESSO Nº 0008934-53.2008.8.19. ANA MARIA PEREIRA DE OLIVEIRA

102 VIGÉSIMA SEXTA CÂMARA CÍVEL / CONSUMIDOR APELAÇÃO CÍVEL PROCESSO Nº 0008934-53.2008.8.19. ANA MARIA PEREIRA DE OLIVEIRA VIGÉSIMA SEXTA CÂMARA CÍVEL / CONSUMIDOR APELAÇÃO CÍVEL APELANTE: TACIO RIBEIRO FIGUEIREDO APELADO: MED LAB CENTRO DE ANÁLISE MÉDICAS E LABORATORIAIS ME RELATOR: DES. ANA MARIA PEREIRA DE OLIVEIRA Responsabilidade

Leia mais

1) RESPONSABILIDADE CIVIL NO CÓDIGO DE DEFESA DO CONSUMIDOR

1) RESPONSABILIDADE CIVIL NO CÓDIGO DE DEFESA DO CONSUMIDOR 1) RESPONSABILIDADE CIVIL NO CÓDIGO DE DEFESA DO CONSUMIDOR Lei nº 8.078, de 11.09.90 O conceito de consumidor vem estampado no art. 2º e o de fornecedor no art. 3º, ambos do CDC. Consumidor é a pessoa

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 467.878 - RJ (2002/0127403-7) RELATOR : MINISTRO RUY ROSADO DE AGUIAR EMENTA RESPONSABILIDADE CIVIL. Hospital. Santa Casa. Consentimento informado. A Santa Casa, apesar de ser instituição

Leia mais

Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro. Responsabilidade Civil na Área de Saúde Privada. Bruno Fortunato Brasil de Carvalho

Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro. Responsabilidade Civil na Área de Saúde Privada. Bruno Fortunato Brasil de Carvalho Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro Responsabilidade Civil na Área de Saúde Privada Bruno Fortunato Brasil de Carvalho Rio de Janeiro 2012 BRUNO FORTUNATO BRASIL DE CARVALHO Responsabilidade

Leia mais

PLANO DE ENSINO 2014.1

PLANO DE ENSINO 2014.1 FUNDAÇÃO EDSON QUEIROZ UNIVERSIDADE DE FORTALEZA CENTRO DE CIENCIAS JURIDICAS PLANO DE ENSINO 2014.1 DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Disciplina/Módulo: Responsabilidade Civil Código/Turma: J774-81 Pré-requisito:J557

Leia mais

ERROS NOS PROCEDIMENTOS DE ENFERMAGEM CONTEXTO, CONDIÇÕES DE TRABALHO E RESPONSABILIDADES

ERROS NOS PROCEDIMENTOS DE ENFERMAGEM CONTEXTO, CONDIÇÕES DE TRABALHO E RESPONSABILIDADES ERROS NOS PROCEDIMENTOS DE ENFERMAGEM CONTEXTO, CONDIÇÕES DE TRABALHO E RESPONSABILIDADES Palestrante: Cláudio Márcio de Oliveira Leal Procurador Geral COREN/PI FUNDAMENTOS LEGAIS DO REGISTRO DE ENFERMAGEM.

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DÉCIMA OITAVA CÂMARA CÍVEL 1 APELAÇÃO CÍVEL 2009.001.28554 SOCIEDADE EDUCACIONAL BRUGGER MOLEDO LTDA.

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DÉCIMA OITAVA CÂMARA CÍVEL 1 APELAÇÃO CÍVEL 2009.001.28554 SOCIEDADE EDUCACIONAL BRUGGER MOLEDO LTDA. 1 APELAÇÃO CÍVEL 2009.001.28554 APELANTE: ALDAIR PEREIRA NUNES NETO APELADO: SOCIEDADE EDUCACIONAL BRUGGER MOLEDO LTDA. PROCESSO CIVIL APELAÇÃO RESPONSABILIDADE CIVIL - PEDIDO DE INDENIZAÇÃO DE DANOS MORAIS

Leia mais

DIREITO DO CONSUMIDOR II

DIREITO DO CONSUMIDOR II DIREITO DO CONSUMIDOR II RESPONSABILIDADE CIVIL Prof. Thiago Gomes Direito do Consumidor II RESPONSABILIDADE CIVIL DO FORNECEDOR 1. CONTEXTUALIZAÇÃO E agora Doutor? Direito do Consumidor II RESPONSABILIDADE

Leia mais

Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro. Responsabilidade Civil do Médico Cirurgião Plástico na Área Estética. Adriana da Silva Rangel

Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro. Responsabilidade Civil do Médico Cirurgião Plástico na Área Estética. Adriana da Silva Rangel Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro Responsabilidade Civil do Médico Cirurgião Plástico na Área Estética Adriana da Silva Rangel Rio de Janeiro 2013 ADRIANA DA SILVA RANGEL Responsabilidade

Leia mais

CONSULENTE: CONSELHO DE REPRESENTANTES DA FECOMBUSTÍVEIS ATRAVÉS DO PRESIDENTE DO SINDICATO DO PARÁ, SR. OVÍDIO GASPARETTO PARECER

CONSULENTE: CONSELHO DE REPRESENTANTES DA FECOMBUSTÍVEIS ATRAVÉS DO PRESIDENTE DO SINDICATO DO PARÁ, SR. OVÍDIO GASPARETTO PARECER CONSULTA SOBRE A RESPONSABILIDADE CIVIL DO POSTO DE COMBUSTÍVEIS POR ASSALTO A CLIENTE QUE SACOU DINHEIRO EM CAIXA ELETRÔNICO INSTALADO NA ÁREA DO EMPREENDIMENTO CONSULENTE: CONSELHO DE REPRESENTANTES

Leia mais

Aspectos Éticos da Perícia do Erro Médico

Aspectos Éticos da Perícia do Erro Médico Aspectos Éticos da Perícia do Erro Médico Prof. Dr. Hermes de Freitas Barbosa Centro de Medicina Legal Departamento de Patologia e Medicina Legal Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto Universidade de

Leia mais

Aspectos da responsabilidade civil no Código de Defesa do Consumidor e excludentes

Aspectos da responsabilidade civil no Código de Defesa do Consumidor e excludentes Aspectos da responsabilidade civil no Código de Defesa do Consumidor e excludentes Michele Oliveira Teixeira advogada e professora do Centro Universitário Franciscano em Santa Maria (RS) Simone Stabel

Leia mais

A inserção injusta causa às pessoas / consumidores danos de ordem moral e em algumas vezes patrimonial, que, reconhecida gera o direito à reparação.

A inserção injusta causa às pessoas / consumidores danos de ordem moral e em algumas vezes patrimonial, que, reconhecida gera o direito à reparação. 1.1 - Introdução Infelizmente o ajuizamento de ações de indenização por danos materiais e principalmente morais em face de empresas por inclusão indevida do nome de seus clientes em órgãos de proteção

Leia mais

1 - Por fato da coisa / animal 2 - Por ato de terceiro. 7.1 - A responsabilidade civil por fato da coisa ou do animal.

1 - Por fato da coisa / animal 2 - Por ato de terceiro. 7.1 - A responsabilidade civil por fato da coisa ou do animal. 7 RESPONSABILIDADE CIVIL INDIRETA Ocorre em duas situações: 1 - Por fato da coisa / animal 2 - Por ato de terceiro 7.1 - A responsabilidade civil por fato da coisa ou do animal. Será sempre atribuída a

Leia mais

O PAPEL DA PROVA NA AFERIÇÃO DO RESPONSÁVEL POR ACIDENTE DE TRÂNSITO

O PAPEL DA PROVA NA AFERIÇÃO DO RESPONSÁVEL POR ACIDENTE DE TRÂNSITO O PAPEL DA PROVA NA AFERIÇÃO DO RESPONSÁVEL POR ACIDENTE DE TRÂNSITO Por Fernando Oliva Palma 1) Introdução Os acidentes de trânsito, hoje em dia, constituem um dos principais motivos do elevado número

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.216.424 - MT (2010/0182549-7) RECORRENTE RECORRIDO ADVOGADO : HOSPITAL E MATERNIDADE NOSSA SENHORA DE FÁTIMA LTDA : ODILON RAIMUNDO DOS SANTOS : BRUNA ERGANG DA SILVA E OUTRO(S) RELATÓRIO

Leia mais

Responsabilidade em saúde

Responsabilidade em saúde Responsabilidade em saúde Cível:obrigação de indenização indene de prejuízo Constituição Federal/Código civil/cdc Elementos de responsabilidade Autor Ato Culpa Dano Nexo causal CÓDIGO CIVIL Art. 186 Aquele

Leia mais

A Responsabilidade civil objetiva no Código Civil Brasileiro: Teoria do risco criado, prevista no parágrafo único do artigo 927

A Responsabilidade civil objetiva no Código Civil Brasileiro: Teoria do risco criado, prevista no parágrafo único do artigo 927 A Responsabilidade civil objetiva no Código Civil Brasileiro: Teoria do risco criado, prevista no parágrafo único do artigo 927 Marcela Furtado Calixto 1 Resumo: O presente artigo visa discutir a teoria

Leia mais

Responsabilidade Civil de Provedores

Responsabilidade Civil de Provedores Responsabilidade Civil de Provedores Impactos do Marco Civil da Internet (Lei Nº 12.965, de 23 abril de 2014) Fabio Ferreira Kujawski Modalidades de Provedores Provedores de backbone Entidades que transportam

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.395.254 - SC (2013/0132242-9) RECORRENTE ADVOGADO RECORRIDO ADVOGADO : ADRIANO JOSÉ TONIN : LISANDRÉIA TONIN THOMÉ : MAURÍCIO LUIZ PERTUZZATTI : JURACI JOSÉ FOLLE RELATORA: MINISTRA

Leia mais

Da Responsabilidade Civil do Profissional da Contabilidade

Da Responsabilidade Civil do Profissional da Contabilidade Da Responsabilidade Civil do Profissional da Contabilidade Prof. Roberta Schneider Westphal Prof. Odair Barros www.rsw.adv.br A responsabilização profissional surge juntamente com qualquer manifestação

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO fls. 204 ACÓRDÃO Registro: 2015.0000452090 Vistos, relatados e discutidos estes autos de Apelação nº 1004570-29.2014.8.26.0161, da Comarca de Diadema, em que é apelante ITAÚ UNIBANCO S/A ( ATUAL DENOMINAÇÃO

Leia mais

Controle Social e Controle do Estado

Controle Social e Controle do Estado Controle Social e Controle do Estado A regulação do Estado surge quando se torna insuficiente a regulação social Regulação do Estado: - Normas Administrativas - Normas Legais Normas Administrativas Normas

Leia mais

Aula 5 Pressupostos da responsabilidade civil (Culpa).

Aula 5 Pressupostos da responsabilidade civil (Culpa). Aula 5 Pressupostos da responsabilidade civil (Culpa). Pressupostos da responsabilidade civil subjetiva: 1) Ato ilícito; 2) Culpa; 3) Nexo causal; 4) Dano. Como já analisado, ato ilícito é a conduta voluntária

Leia mais

A responsabilidade civil do engenheiro eletricista na atualidade

A responsabilidade civil do engenheiro eletricista na atualidade A responsabilidade civil do engenheiro eletricista na atualidade Acimarney Correia Silva Freitas¹, Celton Ribeiro Barbosa², Rafael Santos Andrade 3, Hortência G. de Brito Souza 4 ¹Orientador deste Artigo

Leia mais

AULA 07. CONTEÚDO DA AULA: Abuso de Direito Final. Art. 927, Parágrafo único. Art. 931. Responsabilidade pelo fato de terceiro 932 até Inciso III.

AULA 07. CONTEÚDO DA AULA: Abuso de Direito Final. Art. 927, Parágrafo único. Art. 931. Responsabilidade pelo fato de terceiro 932 até Inciso III. Turma e Ano: Flex A (2014) Matéria / Aula: Responsabilidade Civil / Aula 07 Professora: Andréa Amim Monitora: Mariana Simas de Oliveira AULA 07 CONTEÚDO DA AULA: Abuso de Direito Final. Art. 927, Parágrafo

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA GABINETE DO DESEMBARGADOR JOÃO ALVES DA SILVA ACÓRDÃO APELAÇÃO CÍVEL N. 200.2011.007481-8/001 RELATORA : Vanda Elizabeth Marinho Juíza Convocada APELANTE : Adriano Damasceno

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br BuscaLegis.ccj.ufsc.Br Responsabilidade civil do cirurgião-dentista Por Ricardo Emilio Zart advogado em Santa Catarina 1. Introdução Tendo em vista a quantidade cada vez mais crescente de ações judiciais

Leia mais

357 VIGÉSIMA SEXTA CÂMARA CÍVEL/CONSUMIDOR APELAÇÃO CÍVEL PROCESSO Nº 0005263-56.2012.8.19. ANA MARIA PEREIRA DE OLIVEIRA

357 VIGÉSIMA SEXTA CÂMARA CÍVEL/CONSUMIDOR APELAÇÃO CÍVEL PROCESSO Nº 0005263-56.2012.8.19. ANA MARIA PEREIRA DE OLIVEIRA VIGÉSIMA SEXTA CÂMARA CÍVEL/CONSUMIDOR APELAÇÃO CÍVEL APELANTE: BANCO DO BRASIL S/A APELANTE: CLAUDIO FELIPE CUSTODIO LESSA APELADO: OS MESMOS RELATOR: DES. ANA MARIA PEREIRA DE OLIVEIRA Relação de consumo.

Leia mais

FRAUDE PRATICADA PELA PARTE NO MOMENTO DA IDENTIFICAÇÃO E REPRESENTAÇÃO NA REALIZAÇÃO DOS ATOS NOTARIAIS

FRAUDE PRATICADA PELA PARTE NO MOMENTO DA IDENTIFICAÇÃO E REPRESENTAÇÃO NA REALIZAÇÃO DOS ATOS NOTARIAIS CENÁRIO ATUAL DA RESPONSABILIDADE CIVIL DO NOTÁRIO (LEI 8.935/94) FRAUDE PRATICADA PELA PARTE NO MOMENTO DA IDENTIFICAÇÃO E REPRESENTAÇÃO NA REALIZAÇÃO DOS ATOS NOTARIAIS RODRIGO TOSCANO DE BRITO COMO

Leia mais

EMBARGOS INFRINGENTES EM APELAÇÃO CÍVEL nº 551137/RN (2007.84.02.000434-2/01)

EMBARGOS INFRINGENTES EM APELAÇÃO CÍVEL nº 551137/RN (2007.84.02.000434-2/01) EMBTE : DNIT - DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRA-ESTRUTURA DE TRANSPORTES REPTE : PROCURADORIA REGIONAL FEDERAL - 5ª REGIÃO EMBDO : SILDILON MAIA THOMAZ DO NASCIMENTO ADV/PROC : SILDILON MAIA THOMAZ DO NASCIMENTO

Leia mais

Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro Terceira Câmara Cível

Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro Terceira Câmara Cível APELANTE 1: APELANTE 2: APELADOS: RELATOR: HYNOVE IMPLANTES DENTÁRIOS LTDA. JOANA D ARC DE OLIVEIRA SOUZA OS MESMOS Desembargador MARIO ASSIS GONÇALVES Responsabilidade civil objetiva. Teoria do risco

Leia mais

QUINTA CÂMARA CÍVEL DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

QUINTA CÂMARA CÍVEL DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO QUINTA CÂMARA CÍVEL DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO APELAÇÃO CÍVEL Nº 0004150-49.2007.8.19.0042 APELANTE: MERCADOLIVRE.COM ATIVIDADES DE INTERNET LTDA. APELADA: LÍVIA SANTUX ANDRADE

Leia mais

: MIN. DIAS TOFFOLI GRANDE

: MIN. DIAS TOFFOLI GRANDE RECURSO EXTRAORDINÁRIO COM AGRAVO 686.721 SÃO PAULO RELATOR RECTE.(S) PROC.(A/S)(ES) RECDO.(A/S) ADV.(A/S) INTDO.(A/S) ADV.(A/S) : MIN. DIAS TOFFOLI :MUNICÍPIO ESTÂNCIA BALNEÁRIA DE PRAIA GRANDE :PROCURADOR-GERAL

Leia mais

A RESPONSABILIDADE CIVIL DO MÉDICO, ANESTESISTA, HOSPITAL (privado e público) E EQUIPE MÉDICA I - A RESPONSABILIDADE SUBJETIVA E OBJETIVA DO MÉDICO

A RESPONSABILIDADE CIVIL DO MÉDICO, ANESTESISTA, HOSPITAL (privado e público) E EQUIPE MÉDICA I - A RESPONSABILIDADE SUBJETIVA E OBJETIVA DO MÉDICO A RESPONSABILIDADE CIVIL DO MÉDICO, ANESTESISTA, HOSPITAL (privado e público) E EQUIPE MÉDICA Rénan Kfuri Lopes Sumário: I - A RESPONSABILIDADE SUBJETIVA E OBJETIVA DO MÉDICO II - O ANESTESISTA III - O

Leia mais

ACÓRDÃO. O julgamento teve a participação dos Exmos. Desembargadores MIGUEL BRANDI (Presidente) e LUIZ ANTONIO COSTA.

ACÓRDÃO. O julgamento teve a participação dos Exmos. Desembargadores MIGUEL BRANDI (Presidente) e LUIZ ANTONIO COSTA. Registro: 2012.0000597661 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação nº 9100978-51.2008.8.26.0000, da Comarca de São Paulo, em que é apelante ANDREIA PAULA CARNEIRO, são apelados FUAD

Leia mais

O CONSUMIDOR POR EQUIPARAÇÃO E O DIREITO DE AÇÃO EM FACE DE TERCEIROS

O CONSUMIDOR POR EQUIPARAÇÃO E O DIREITO DE AÇÃO EM FACE DE TERCEIROS O CONSUMIDOR POR EQUIPARAÇÃO E O DIREITO DE AÇÃO EM FACE DE TERCEIROS Elaborado em 08.2006 Vitor Vilela Guglinski Assessor de juiz, especialista em Direito do Consumidor em Juiz de Fora (MG). A elaboração

Leia mais

RESPONSABILIDADE CIVIL NO DIREITO AMBIENTAL

RESPONSABILIDADE CIVIL NO DIREITO AMBIENTAL RESPONSABILIDADE CIVIL NO DIREITO AMBIENTAL O ordenamento jurídico pátrio, em matéria ambiental, adota a teoria da responsabilidade civil objetiva, prevista tanto no art. 14, parágrafo 1º da Lei 6.938/81

Leia mais

ESTADO DO ESPÍRITO SANTO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DESEMB - CARLOS SIMÕES FONSECA 11 de dezembro de 2012

ESTADO DO ESPÍRITO SANTO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DESEMB - CARLOS SIMÕES FONSECA 11 de dezembro de 2012 ESTADO DO ESPÍRITO SANTO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DESEMB - CARLOS SIMÕES FONSECA 11 de dezembro de 2012 AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 0902402-16.2012.8.08.0000 (048129002084) - SERRA - 4ª VARA

Leia mais

SERGIO CAVALIERI FILHO Desembargador do TJ/RJ e Professor da Universidade Estácio de Sá

SERGIO CAVALIERI FILHO Desembargador do TJ/RJ e Professor da Universidade Estácio de Sá SERGIO CAVALIERI FILHO Desembargador do TJ/RJ e Professor da Universidade Estácio de Sá 1. Casos Ilustrativos - As ações de indenização decorrentes de responsabilidade médica e hospitalar, que antes eram

Leia mais

Orientações Jurídicas

Orientações Jurídicas São Paulo, 24 de outubro de 2014. OJ-GER/043/14 Orientações Jurídicas Resolução Normativa - RN nº 357, de 16 de outubro de 2014 Altera a Resolução Normativa - RN nº 48, de 19 de setembro de 2003, que dispõe,

Leia mais

itmint, Poder Judiciário do Estado da Paraíba Tribunal de Justiça Gabinete da Desembargadora Maria das Neves do Egito de A. D.

itmint, Poder Judiciário do Estado da Paraíba Tribunal de Justiça Gabinete da Desembargadora Maria das Neves do Egito de A. D. AC no 001.2005.000.540-2/001 1 itmint, Poder Judiciário do Estado da Paraíba Tribunal de Justiça Gabinete da Desembargadora Maria das Neves do Egito de A. D. Ferreira ACÓRDÃO APELAÇÃO CÍVEL No 001.2005.000.540-2/001

Leia mais

A nova responsabilidade civil escolar

A nova responsabilidade civil escolar A nova responsabilidade civil escolar Introdução Atualmente, constata-se enorme dificuldade em relação à busca e à definição dos reais limites da responsabilidade civil das escolas particulares e públicas

Leia mais

RESPONSABILIDADE CIVIL DO ESTADO

RESPONSABILIDADE CIVIL DO ESTADO Introdução. - O Estado é o sujeito responsável. - Na responsabilidade civil do Estado os princípios próprios são mais rigorosos (atuação Estatal é uma imposição, devendo o Estado ser responsabilizado de

Leia mais

PRÓTESES PIP E RÓFIL DIREITO MÉDICO

PRÓTESES PIP E RÓFIL DIREITO MÉDICO O caso das PRÓTESES PIP E RÓFIL O Ingracio Advogados Associados vem por meio desta apresentar breves considerações acerca do tema esperando contribuir com o esclarecimento da classe médica. 1. A ANVISA,

Leia mais

APELAÇÃO CÍVEL COM REVISÃO n 283.044-4/0-00, da Comarca de. SÃO PAULO, em que são apelar t es CLODOALDO HUGO DE

APELAÇÃO CÍVEL COM REVISÃO n 283.044-4/0-00, da Comarca de. SÃO PAULO, em que são apelar t es CLODOALDO HUGO DE 13^ 2 «-> - 1 - ACÓRDÃO I TRIBUNAL DE'JUSTIÇA DE. 2 Vistos, relatados e discutidos estes autos de ^ APELAÇÃO CÍVEL COM REVISÃO n 283.044-4/0-00, da Comarca de, em que são apelar t es CLODOALDO HUGO DE

Leia mais

Introdução ao Estudo da Responsabilidade Civil

Introdução ao Estudo da Responsabilidade Civil Introdução ao Estudo da Responsabilidade Civil Material didático destinado à sistematização do conteúdo da disciplina Direito Civil IVI Publicação no semestre 2014.1 no curso de Direito. Autor: Vital Borba

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA SEGUNDA CÂMARA CÍVEL

TRIBUNAL DE JUSTIÇA SEGUNDA CÂMARA CÍVEL TRIBUNAL DE JUSTIÇA SEGUNDA CÂMARA CÍVEL Agravo Inominado na Apelação Cível nº. 0335220-03.2008.8.19.0001 Agravante: GOLDEN CROSS ASSISTÊNCIA INTERNACIONAL DE SAÚDE LTDA Agravado: JORGE MEDEIROS FREITAS

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA VIGÉSIMA QUINTA CÂMARA CÍVEL/CONSUMIDOR

TRIBUNAL DE JUSTIÇA VIGÉSIMA QUINTA CÂMARA CÍVEL/CONSUMIDOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA VIGÉSIMA QUINTA CÂMARA CÍVEL/CONSUMIDOR APELAÇÃO CÍVEL Nº 0489078-15.2012.8.19.0001 APELANTE: SKY BRASIL SERVIÇOS LTDA. APELADO: MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO RELATORA:

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO COMARCA DE FERNANDÓPOLIS FORO DISTRITAL DE OUROESTE JUIZADO ESPECIAL CÍVEL E CRIMINAL

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO COMARCA DE FERNANDÓPOLIS FORO DISTRITAL DE OUROESTE JUIZADO ESPECIAL CÍVEL E CRIMINAL fls. 1 CONCLUSÃO Aos 12 de julho de 2013, faço os presentes autos conclusos ao MM. Juiz de Direito Dr. LUIZ GUSTAVO ROCHA MALHEIROS. Eu (Daniela Dacyszyn Leme Macedo), Escrivã Judicial II Substituta, digitei.

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DÉCIMA NONA CÂMARA CÍVEL RELATOR: DES. MARCOS ALCINO DE AZEVEDO TORRES

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DÉCIMA NONA CÂMARA CÍVEL RELATOR: DES. MARCOS ALCINO DE AZEVEDO TORRES TRIBUNAL DE JUSTIÇA DÉCIMA NONA CÂMARA CÍVEL RELATOR: DES. MARCOS ALCINO DE AZEVEDO TORRES APELAÇÃO CÍVEL Nº. 0002183.65.2008.8.19.0001 APTE: CRISTOVÃO JERONIMO SOARES LOPES APDO: ITAU SEGUROS S.A. Apelação

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO Registro: 2013.0000209289 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação nº 0017770-14.2003.8.26.0224, da Comarca de Guarulhos, em que é apelante/apelado HSBC SEGUROS ( BRASIL ) S/A, são

Leia mais

Responsabilidade Civil dos Administradores das Sociedades. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda

Responsabilidade Civil dos Administradores das Sociedades. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda Responsabilidade Civil dos Administradores das Sociedades Administrador Administrador é a pessoa a quem se comete a direção ou gerência de qualquer negócio ou serviço, seja de caráter público ou privado,

Leia mais

336 TRIBUNAL DE JUSTIÇA

336 TRIBUNAL DE JUSTIÇA TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO RIO DE JANEIRO 2ª CÂMARA CRIMINAL AGRAVO Nº 0009049-46.2012.8.19.0000 AGRAVANTE: MINISTÉRIO PÚBLICO AGRAVADO: RAFAEL BEZERRA LEANDRO RELATORA: DES. KATIA MARIA AMARAL JANGUTTA AGRAVO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.117.258 - PR (2009/0008836-2) RELATOR RECORRENTE PROCURADOR RECORRIDO ADVOGADO : MINISTRO HERMAN BENJAMIN : INSTITUTO NACIONAL DE COLONIZAÇÃO E REFORMA AGRÁRIA - INCRA : VALDEZ ADRIANI

Leia mais

ACÓRDÃO PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA PARAÍBA 'TRIBUNAL DE JUSTIÇA

ACÓRDÃO PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA PARAÍBA 'TRIBUNAL DE JUSTIÇA ACÓRDÃO PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA PARAÍBA 'TRIBUNAL DE JUSTIÇA Apelação Cível n2 200.2009.027892-61001 Origem : 13 2 Vara Cível da Comarca da Capital Relator : Desembargador Frederico Martinho da Nóbrega

Leia mais

Contrato de Facção não é Terceirização

Contrato de Facção não é Terceirização Contrato de Facção não é Terceirização A jurisprudência do Tribunal Superior do Trabalho tem distinguindo com bastante clareza o contrato de facção (que fragmenta a produção delegando a sua execução a

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO NONA CÂMARA CÍVEL Apelação nº 0006551-75.2006.8.19.0003 Apelante: DULCINÉIA TEODORO SERENO Apelante: MUNICÍPIO DE ANGRA DOS REIS Apelante: MINISTÉRIO PÚBLICO Apelados: OS MESMOS Relator: DES. CARLOS EDUARDO

Leia mais

RESPONSABILIDADE CIVIL DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

RESPONSABILIDADE CIVIL DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA RESPONSABILIDADE CIVIL DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA 1 Suponha se que Maria estivesse conduzindo o seu veículo quando sofreu um acidente de trânsito causado por um ônibus da concessionária do serviço público

Leia mais

ACÓRDÃO. apelante CAMARGO CORREA - RODOBENS EMPREENDIMENTOS. IMOBILIARIOS SPE LTDA., são apelados ISAAC (Omitido) e outra.

ACÓRDÃO. apelante CAMARGO CORREA - RODOBENS EMPREENDIMENTOS. IMOBILIARIOS SPE LTDA., são apelados ISAAC (Omitido) e outra. Registro: 2014.0000707XXX ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação nº XXXXXXX-55.2013.8.26.0405, da Comarca de Osasco, em que é apelante CAMARGO CORREA - RODOBENS EMPREENDIMENTOS

Leia mais

Saúde Complementar. Empresas de Seguro Saúde. Responsabilidade Civil. Algumas Considerações Relevantes

Saúde Complementar. Empresas de Seguro Saúde. Responsabilidade Civil. Algumas Considerações Relevantes Série Aperfeiçoamento de Magistrados 6 Judicialização da Saúde - Parte I Saúde Complementar. Empresas de Seguro Saúde. Responsabilidade Civil. Algumas Considerações Relevantes 25 Alexandre Guimarães Gavião

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO EM HABEAS CORPUS Nº 21.628 - SP (2007/0158779-3) RELATORA : MINISTRA LAURITA VAZ RECORRENTE : AGOSTINHO FERRAMENTA DA SILVA JÚNIOR ADVOGADO : JULIANA FERRAMENTA DA SILVA RECORRIDO : TRIBUNAL DE

Leia mais

DA RESPONSABILIDADE CIVIL EM ODONTOLOGIA

DA RESPONSABILIDADE CIVIL EM ODONTOLOGIA DA RESPONSABILIDADE CIVIL EM ODONTOLOGIA Autor: Neri Tadeu Camara Souza Para se responsabilizar juridicamente um cirurgião-dentista por um fato danoso a um paciente, deve-se concluir pela presença dos

Leia mais

ACÓRDÃO. Rio de Janeiro, 05 de outubro de 2010. Desembargador ROBERTO FELINTO Relator

ACÓRDÃO. Rio de Janeiro, 05 de outubro de 2010. Desembargador ROBERTO FELINTO Relator DÉCIMA OITAVA CÂMARA CÍVEL Apelação Cível nº 0355516-46.2008.8.19.0001 Apelante 1 : AZZURRA PARIS VEÍCULOS LTDA. Apelante 2 : SUL AMÉRICA COMPANHIA NACIONAL DE SEGUROS Apelados 1 : OS MESMOS Apelado 2

Leia mais

Plano de Ensino. Meses Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Aulas Regulares 08 18 14 18 14 08 Aulas de

Plano de Ensino. Meses Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Aulas Regulares 08 18 14 18 14 08 Aulas de Identificação Plano de Ensino Curso: Direito Disciplina: Responsabilidade Civil Ano/semestre: 2012-1 Carga horária: Total: 80 horas Semanal: 4 horas Professor: Renzo Gama Soares Período/turno: Matutino

Leia mais

EMENDA AO PROJETO DE QUALIDADE/AGILIDADE DO CONTROLE EXTERNO

EMENDA AO PROJETO DE QUALIDADE/AGILIDADE DO CONTROLE EXTERNO EMENDA AO PROJETO DE QUALIDADE/AGILIDADE DO CONTROLE EXTERNO Referência - Of. Circular nº 21-SSA/2014/ATRICON, de 16/06/2014 - Of. nº 325-SSA/2014/ATRICON, de 02/07/2014 Em atenção aos oficios em referência,

Leia mais

RESPONSABILIDADE CIVIL DO MÉDICO

RESPONSABILIDADE CIVIL DO MÉDICO RESPONSABILIDADE CIVIL DO MÉDICO Mara Regina Teixeira de Andrade Acadêmica do 5º ano do Curso de Direito das Faculdades Integradas de Bauru RESUMO Palavra Chave: Médico. Paciente. Responsabilidade Civil.

Leia mais

Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro. A Responsabilidade Subsidiária das Concessionárias de Veículos. Marcos Antonio Borges Pereira

Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro. A Responsabilidade Subsidiária das Concessionárias de Veículos. Marcos Antonio Borges Pereira Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro A Responsabilidade Subsidiária das Concessionárias de Veículos Marcos Antonio Borges Pereira Rio de Janeiro 2012 MARCOS ANTONIO BORGES PEREIRA A Responsabilidade

Leia mais

AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 5021054-60.2015.4.04.0000/SC CÂNDIDO ALFREDO SILVA LEAL JUNIOR AGRAVANTE : FILIPI BUENO DA SILVA ADVOGADO : ELIANE EMÍLIA

AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 5021054-60.2015.4.04.0000/SC CÂNDIDO ALFREDO SILVA LEAL JUNIOR AGRAVANTE : FILIPI BUENO DA SILVA ADVOGADO : ELIANE EMÍLIA AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 5021054-60.2015.4.04.0000/SC RELATOR : CÂNDIDO ALFREDO SILVA LEAL JUNIOR AGRAVANTE : FILIPI BUENO DA SILVA ADVOGADO : ELIANE EMÍLIA MACHADO PACHECO AGRAVADO : UNIÃO - ADVOCACIA

Leia mais

Estado do Rio de Janeiro Poder Judiciário Segunda Câmara Cível

Estado do Rio de Janeiro Poder Judiciário Segunda Câmara Cível APELAÇÃO CÍVEL N.º 0141148-89.2003.8.19.0001 APELANTE: ESPÓLIO DE GENÉSIA FRANCISCO DE SOUZA PINTO, representado por seu inventariante JORGE DE OLIVEIRA PINTO. APELADO 1: POLICLÍNICA DE BOTAFOGO APELADO

Leia mais

Excludentes de Responsabilidade Civil e sua aplicação no fornecimento de energia elétrica.

Excludentes de Responsabilidade Civil e sua aplicação no fornecimento de energia elétrica. Excludentes de Responsabilidade Civil e sua aplicação no fornecimento de energia elétrica. Art. 14, parágrafo 3º, II do Código de Defesa do Consumidor e art. 5º da Resolução ANEEL nº 61. Responsabilidade

Leia mais

Defesa do consumidor: responsabilidade do fornecedor por vício e por defeito do produto ou serviço

Defesa do consumidor: responsabilidade do fornecedor por vício e por defeito do produto ou serviço Defesa do consumidor: responsabilidade do fornecedor por vício e por defeito do produto ou serviço Por André Motoharu Yoshino Formado em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP).

Leia mais

Área de conhecimento: Direito Eixo Temático: Direito Civil, Processo Civil e Tutela dos interesses coletivos, difusos e transindividuais

Área de conhecimento: Direito Eixo Temático: Direito Civil, Processo Civil e Tutela dos interesses coletivos, difusos e transindividuais 1 ASPECTOS GERAIS DA RESPONSABILIDADE CIVIL NA (NÃO) APLICABILIDADE DA RESPONSABILIDADE OBJETIVA NOS HOSPITAIS NO CASO DE INFECÇÃO HOSPITALAR Luana da Silva Kanieski 1 Área de conhecimento: Direito Eixo

Leia mais

RESPONSABILIDADE CIVIL E AS RELAÇÕES DE CONSUMO

RESPONSABILIDADE CIVIL E AS RELAÇÕES DE CONSUMO RESPONSABILIDADE CIVIL E AS RELAÇÕES DE CONSUMO Material didático destinado à sistematização do conteúdo da disciplina Direito Civil IVI Publicação no semestre 2014.1 no curso de Direito. Autor: Vital

Leia mais