O DIVÓRCIO SEGUNDO CARTER &MC GOLDRICK(1995) O DIVÓRCIO É UMA CRISE DE TRANSIÇÃO;

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O DIVÓRCIO SEGUNDO CARTER &MC GOLDRICK(1995) O DIVÓRCIO É UMA CRISE DE TRANSIÇÃO;"

Transcrição

1 O DIVÓRCIO SEGUNDO CARTER &MC GOLDRICK(1995) O DIVÓRCIO É UMA CRISE DE TRANSIÇÃO; TORNA-SE MAIS COMUM EMBORA OS CÔNJUGES NÃO ESTEJAM PREPARADOS, SOFRENDO GRANDE IMPACTO FÍSICO E EMOCIONAL; AFETA OS MEMBROS DA FAMÍLIA NAS TRÊS GERAÇÕES: AVÓS PAIS FILHOS; AUMENTA AS DIFICULDADES DAS FASES DE DESENVOLVIMENTO DO CICLO DA VIDA FAMILIAR: INFÂNCIA, ADOLESCÊNCIA, VIDA ADULTA; REQUER DE 1 A 3 ANOS DA FAMÍLIA O PROCESSO DE ELABORAÇÃO PARA SEGUIR EM FRENTE; CONTEXTO SÓCIO-CULTURAL VAI INFLUÊNCIAR: ASPECTOS ÉTNICOS, RELIGIOSOS E INSTITUCIONAIS

2 COMO OCORRE O IMPACTO SOBRE A FAMÍLIA É UM DOS EVENTOS MAIS ESTRESSANTES DA VIDA, PARECIDO À MORTE FÍSICA; O ENFRENTAMENTO DEPENDERÁ DE VÁRIOS FATORES: AS CIRCUNSTÂNCIAS DA DISSOLUÇÃO DO CASAMENTO; A VIDA NO PÓS-SEPARAÇÃO; IDADE, SEXO; DURAÇÃO DO CASAMENTO; COMO A FAMÍLIA LIDA COM AS TAREFAS DA FASE DO CICLO FAMILIAR; NÍVEL DE INSTRUÇÃO E SÓCIO-ECONÔMICO; APOIO DISPONÍVEL O PROCESSO DE AJUSTAMENTO DA SEPARAÇÃO CONJUGAL COMPÕE 5 ESTÁGIOS: 1-COGNIÇÃO INDIVIDUAL: GERALMENTE UM CÔNJUGE INICIA O PROCESSO DE SEPARAÇÃO EMOCIONAL. PODE HAVER UM CASO AMOROSO.

3 2- METACOGNIÇÃO FAMILIAR: A REVELAÇÃO DO DESEJO DE SEPARAÇÃO. GERALMENTE UM QUER SAIR DO CASAMENTO MAIS DO QUE O OUTRO. 3- SEPARAÇÃO DO SISTEMA CONJUGAL: A SEPARAÇÃO CONCRETA. HÁ FORTE INSTABILIDAE EMOCIONAL. SINTOMAS FREQUENTES COMO INSÔNIA, PROBLEMAS DE SAÚDE, PESO, USO DE ÁLCOOL E OUTROS..SEMPRE EXISTE A AMBIVALÊNCIA: APEGO X RAIVA/RESSENTIMENTO;.EM GERAL HOMENS E MULHERES REAGEM DIFERENTES;.PESSOAS QUE AJUDAM NORMALMENTE OS CÔNJUGES SÃO OS FILHOS, MEMBROS DA FAMÍLIA, AMIGOS, AMANTES, NAMORADOS, ADVOGADOS E OUTROS 4- REORGANIZAÇÃO DO SISTEMA: NOVAS FRONTEIRAS, NOVAS REGRAS E PADRÕES SÃO DESENVOLVIDOS. FORMAM-SE DUAS FAMÍLIAS UNIPARENTAIS. A PATERNIDADE COOPERATIVA: DISCUSSÃO SOBRE A EDUCAÇÃO DOS FILHOS E FINANÇAS. AS CONSEQUÊNCIAS FINANCEIRAS SÃO DIFERENTES PARA O HOMEM E PARA A MULHER. 5- REDEFINIÇÃO DO SISTEMA: NOVOS PAPÉIS E FRONTEIRAS. RELACIONAMENTO COOPERATIVO ENTRE OS EX-CÔNJUGES QUANTO À PATERNIDADE;

4 MELHOR MANEJO DA VIDA QUANTO À INDIVIDUALIDADE DE CADA CÔNJUGUE. FILHOS E DIVÓRCIO EM GERAL OS FILHOS DESEJAM VER OS PAIS JUNTOS E POUCOS REVELAM QUERER O DIVÓRCIO; NÃO É O DIVÓRCIO EM SI QUE CRIA MAIORES TRANSTORNOS NA VIDA DOS FILHOS, MAS AS CIRCUNSTÂNCIAS DA SEPARAÇÃO: PERDA DA QUALIDADE DA VIDA NO PÓS- SEPARAÇÃO; MUDANÇAS ESTRESSANTES DECORRENTES DA SEPARAÇÃO. EXEMPLO DE CASO CLÍNICO: MENINO DE 8 ANOS QUE NÃO DESGRUDAVA DA MÃE..PESQUISAS MOSTRAM QUE O RELACIONAMENTO DOS EX-CÔNJUGES NO PÓS-DIVÓRCIO É O FATOR MAIS CRÍTICO NO FUNCIONAMENTO DA FAMÍLIA, ESPECIALMENTE NO AJUSTAMENTO DA VIDA DOS FILHOS;.A MAIORIA DOS FILHOS FICA INSATISFEITA COM FINS DE SEMANA ALTERNADOS COM O PAI, DESEJANDO UM CONTATO MAIOR;

5 .A GUARDA COMPARTILHADA PODE SER A SOLUÇÃO PARA MUITOS CASOS, MAS NÃO É UMA PANACÉIA PARA TODOS;.O ACESSO CONTÍNUO E OS RELACIONAMENTOS SATISFATÓRIOS COM AMBOS OS PAIS SÃO MAIS IMPORTANTES QUE A FORMA DE GUARDA. A FAMÍLIA PÓS-DIVÓRCIO AS AUTORAS CITADAS VEEM A FAMÍLIA UNIPARENTAL, GERALMENTE FORMADA PELA MÃE E OS FILHOS COMO UMA FAMÍLA GENUÍNA, UMA NOVA FORMA DE ORGANIZAÇÃO FAMILIAR. A QUESTÃO FINANCEIRA PODE SER O MAIOR DESAFIO. COM A AJUDA PSICOTERAPÊUTICA A MÃE PODE CRIAR NOVAS MANEIRAS DE SATISFAZER AS NECESSIDADES EMOCIONAIS E FINANCEIRAS DE SEUS FILHOS. TRÊS PROBLEMAS INTER-RELACIONADOS PREDOMINAM: DINHEIRO, PATERNIDADE E RELACIONAMENTO SOCIAL. PODEM PERDURAR DE 3 A 5 ANOS.

6 O PROCESSO DE TORNAR-SE UMA FAMÍLIA UNIPARENTAL CONSISTE EM 3 FASES DISTINTAS: CONSEQUÊNCIAS; REALINHAMENTO E ESTABILIZAÇÃO. MUITAS FAMÍLIAS NÃO CONSEGUEM PASSAR POR TODAS AS FASES, MAS AQUELAS QUE CONSEGUEM TORNAM-SE INDEPENDENTES, POSSIBILITANDO À MÃE A ESCOLHA DE CASAR DE NOVO OU NÃO. FASE 1 CONSEQUÊNCIAS. É A FASE DO PRIMEIRO ANO DA SEPARAÇÃO. O DIVÓRCIO LEGAL É DIFERENTE DO DIVÓRCIO EMOCIONAL. ESTE ÚLTIMO OCORRE QUANDO MELHORA-SE A AUTO ESTIMA INDIVIDUAL E DEFINE-SE NOVOS OBJETIVOS DE VIDA, MAS ISSO LEVA TEMPO. HÁ MUDANÇAS NOS RELACIONAMENTOS COM OS MEMBROS DA FAMÍLIA AMPLIADA. MÃES JOVENS PODEM VOLTAR A MORAR COM OS PAIS. DINHEIRO: PODE HAVER AJUDA DA FAMÍLIA E PROCURA POR TRABALHO PRÓPRIO. PATERNIDADE: O RELACIONAMENTO COM OS FILHOS PODE FICAR DIFÍCIL PORQUE MUITAS MÃES SENTEM-SE OPRIMIDAS NESSE PERÍODO. PODEM OCORRER TRIÂNGULOS FORMADOS POR MÃE- FILHA MAIS VELHA - FILHOS MENORES OU MÃE- AVÓ - FILHOS VISANDO COMPENSAR A AUSÊNCIA DO PAI. RELACIONAMENTOS SOCIAIS: PODE SER DIFÍCIL SE A MULHER ERA DEPENDENTE DAS AMIZADES DO EX-MARIDO, TAMBÉM PELA FALTA DE DINHEIRO OU PELO EXCESSO DE TAREFAS. TUDO

7 ISSO ALIADO AO SENTIMENTO DE FRACASSO PODE AFASTÁ-LA DO CONVÍVIO SOCIAL. A AJUDA PSICOTERAPÊUTICA DEVE ENFATIZAR A CAPACIDADE DA MÃE DAR CONTA DE SUA VIDA E DE SEUS FILHOS. FASE 2- O REALINHAMENTO A FAMÍLIA PASSA DA CRISE PARA UM ESTADO DE TRANSIÇÃO. PODE HAVER ALTERNÂNCIA DE SENTIMENTOS DE EUFORIA E DEPRESSÃO. DURA DE 2 A 3 ANOS OS ESFORÇOS DE REAJUSTAMENTO COM MUDANÇAS EXTERNAS E INTERNAS, POSSIBILITANDO O DIVÓRCIO EMOCIONAL. DINHEIRO: AS DIFICULDADES CONTINUAM. A VENDA DA CASA OU MUDANÇA É SIGNIFICATIVA. TAMBÉM PODE-SE CONSEGUIR UM NOVO EMPREGO. PATERNIDADE: PODE SIGNIFICAR UMA MUDANÇA IMPORTANTE NA MANEIRA PELA QUAL CADA PROGENITOR SE RELACIONA COM OS FILHOS. RELACIONAMENTO SOCIAL: OCORRE AJUSTAMENTO À CONDIÇÃO DA PESSOA SOZINHA NA VIDA SOCIAL. HOMENS E MULHERES TEM STATUS DIFERENTES NO MUNDO DOS SOLTEIROS. A QUESTÃO DA ACEITAÇÃO DOS FILHOS QUANTO A UM NOVO RELACIONAMENTO. FASE 3- ESTABILIZAÇÃO. A MÃE PODE CASAR-SE NOVAMENTE SEM TER CHEGADO AO MANEJO DAS FINANÇAS, À AUTORIDADE MATERNA

8 SOBRE OS FILHOS OU A UMA REDE SOCIAL INTERESSANTE. EXISTE MAIOR ENERGIA DA FAMÍLIA PARA LIDAR COM AS TAREFAS DO CICLO FAMILIAR. GERALMENTE, É UM PERÍODO MAIS CALMO: OS FILHOS TRANSITAM ENTRE DUAS CASAS, OS EX- CÔNJUGES LIDAM MELHOR UM COM O OUTRO E PODEM TER NOVOS RELACIONAMENTOS. O PROGENITOR SEPARADO SEM A GUARDA DOS FILHOS A MAIORIA DOS HOMENS TENDE A EXPERIENCIAR UMA PERDA DE ESTRUTURA COM O FIM DO CASAMENTO: A PERDA DO SENSO DE LAR E DE FAMÍLIA. PERMANECE COMO MEMBRO AUXIIAR ATIVO DA FAMÍLIA DIRIGIDA PELA MÃE QUE FICOU COM OS FILHOS. DINHEIRO: O SUSTENTO DE DUAS CASAS REDUZ A BASE ECONÔMICA DO PAI. A QUESTÃO FINANCEIRA PODE TORNAR-SE UM QUESTÃO EMOCIONAL. PATERNIDADE: SEM A ESTRUTURA DO CASAMENTO, OS PAIS PODEM SE DISTANCIAR DOS FILHOS. COM O TEMPO, PODE HAVER ATÉ TOTAL AFASTAMENTO PRINCIPALMENTE SE EXISTIR CONFLITO CONJUGAL. A EX-MULHER TAMBÉM PODE AFASTAR OS FILHOS DA INFLUÊNCIA DO PAI. RELACIONAMENTO SOCIAL: DEPOIS DO DIVÓRCIO, OS HOMENS SE CASAM MAIS CEDO QUE AS MULHERES, PERMANECENDO

9 GERALMENTE COM PARCEIRAS MAIS JOVENS. OUTROS EVITAM A INTIMIDADE, FICANDO COM PARCEIRAS SEXUAIS. ATUALMENTE ALGUNS PAIS BUSCAM PSICOTERAPIA COM QUESTÕES REFERENTES À PATERNIDADE. FAMÍLIA RECASADA HÁ NECESSIDADE DE UM NOVO PARADIGMA DE FAMÍLIA QUE LEVE EM CONTA A COMPLEXIDADE DE NOVOS RELACIONAMENTOS E PAPÉIS MELHOR DEFINIÇÃO DOS TERMOS MADRASTA/PADRASTO - ENTEADO. PAIS BIOLÓGICOS PAIS ATUAIS. PARENTES POR AFINIDADE. CONCEITOS QUE REVELAM TENTATIVA DE COPIAR O MODELO DE FAMÍLIA NUCLEAR: 1- FRONTEIRA DE LEALDADE, EXCLUINDO PAIS OU FILHOS BIOLÓGICOS; 2- VÍNCULO PROGENITOR FILHO, PODENDO ESTIMULAR COMPETIÇÃO PELA PRIMAZIA DO CÔNJUGE; 3- EXIGÊNCIA PELA TRADIÇÃO QUE MULHERES ASSUMAM A RESPONSABILIDADE PELO BEM- ESTAR EMOCIONAL DA FAMÍLIA

10 (MADRASTA X ENTEADA E EX-MULHER X NOVA MULHER) UM NOVO MODELO DE FAMÍLIA REQUER: 1- FRONTEIRAS PERMEÁVEIS (FILHOS IR E VIR FACILMENTE). 2- ACEITAÇÃO DAS RESPONSABILIDADES E DOS SENTIMENTOS PATERNOS DO CÔNJUGE (PADRASTOS E ENTEADOS EM RELAÇÃO AMIGÁVEL) 3- REVISÃO DOS TRADICIONAIS PAPÉIS DE GÊNERO NA FAMÍLIA (MULHERES CRIAM FILHOS E HOMENS GANHAM DINHEIRO) PARA AS AUTORAS, A TRANSIÇÃO PARA A FAMÍLIA RECASADA É UMA DAS TAREFAS MAIS DIFÍCEIS PARA AS FAMÍLIAS DEVIDO AO DESEJO DE ENCERRRAMENTO PREMATURO DA FASE ANTERIOR DA SEPARAÇÃO, VISANDO POR FIM AO SOFRIMENTO E AMBIGUIDADE. INFELIZMENTE, A INTIMIDADE INSTANTÂNEA QUE AS FAMÍLIAS RECASADAS ESPERAM DE SI MESMAS É IMPOSSÍVEL DE SE OBTER. PESQUISAS COM FAMÍLIAS RECASADAS OBTIVERAM COMO CONSELHOS DELAS: 1- VÃO DEVAGAR E TENHAM PACIÊNCIA. ENCERREM SEU ANTIGO CASAMENTO ANTES DE COMEÇAR UM NOVO. AJUDEM AS CRIANÇAS A MANTEREM CONTATO COM SEUS PAIS BIOLÓGICOS. 2- OS PADRASTOS DEVEM SER CORDIAIS, MAS NÃO ESPEREM O AMOR DE UM ENTEADO.

11 3- COMUNIQUEM-SE, NEGOCIEM, COMPROMETAM-SE E ACEITEM O QUE NÃO PODE SER MUDADO. QUESTÕES EMOCIONAIS NO RECASAMENTO.BAGAGEM EMOCIONAL: DA FAMÍLIA DE ORIGEM; DO PRIMEIRO CASAMENTO; DO PROCESSO DE SEPARAÇÃO E DIVÓRCIO; DO PERÍODO ENTRE OS CASAMENTOS.. O OUTRO CÔNJUGE NÃO DEVE TER A FUNÇÃO DE ALIVIAR ESSA BAGAGEM. O NOVO RELACIONAMENTO DEVE PROSSEGUIR POR SEUS PRÓPRIOS MÉRITOS.. NOVOS PAPÉIS E RELACIONAMENTOS COMPLEXOS, CONFLITUANTES E AMBÍGUOS. FRONTEIRAS COMPLEXAS E AMBÍGUAS DO SISTEMA. PROBLEMAS AFETIVOS: RESOLUÇÃO DA AMBIGUIDADE.A TENDÊNCIA PARA A PSEUDOMUTUALIDADE SEGUNDO AS AUTORAS, OS PREDITORES DE DIFICULDADES NA TRANSIÇÃO PARA O RECASAMENTO SÃO:

12 1- GRANDE DISCREPÂNCIA ENTRE OS CICLOS DE VIDA FAMILAR; 2- NEGAÇÃO DA PERDA ANTERIOR E OU INTERVALO CURTO ENTRE OS CASAMENTOS; 3- INCAPACIDADE DE RESOLVER QUESTÕES DE RELACIONAMENTO INTENSO NA 1ª. FAMÍLIA (RAIVA INTENSA, PROCESSOS PENDENTES) 4- FALTA DE CONSCIÊNCIA DAS DIFICULDADES EMOCIONAIS DO RECASAMENTO PARA OS FILHOS; 5- INCAPACIDADE DE ABANDONAR O IDEAL DE 1ª. FAMÍLIA; 6- ESFORÇOS PARA MANTER RÍGIDA A FRONTEIRA NA FAMÍLIA. EXCLUINDO MEMBROS 7- EXCLUSÃO DE PAIS OU AVÓS BIOLÓGICOS; 8- NEGAÇÃO DAS DIFERENÇAS E DIFICULDADES PRÓPRIAS DA FAMÍLIA RECASADA 9- MUDANÇA NA GUARDA DOS FILHOS PERTO DO CASAMENTO.

13

Abordagem familiar e instrumentos para profissionais da Atenção Primária à Saúde

Abordagem familiar e instrumentos para profissionais da Atenção Primária à Saúde Abordagem familiar e instrumentos para profissionais da Atenção Primária à Saúde 5 Carmen Luiza Correa Fernandes e Lêda Chaves Dias Curra Médicas de Família e Comunidade / Terapeutas de Família e Casais

Leia mais

A ESPIRAL DAS FAMÍLIAS: As fases do ciclo de vida Claudia cacau Furia César 1 Lucimara Martins Pereira

A ESPIRAL DAS FAMÍLIAS: As fases do ciclo de vida Claudia cacau Furia César 1 Lucimara Martins Pereira A ESPIRAL DAS FAMÍLIAS: As fases do ciclo de vida Claudia cacau Furia César 1 Lucimara Martins Pereira A família é o lugar que dá origem a história de cada pessoa, é o espaço de vida privada onde se dão

Leia mais

PROJETO ONG PEDRA BRUTA Lapidando talentos: A sexualidade e a integração do grupo para adolescentes.

PROJETO ONG PEDRA BRUTA Lapidando talentos: A sexualidade e a integração do grupo para adolescentes. MARCELA GARCIA MANOCHIO PROJETO ONG PEDRA BRUTA Lapidando talentos: A sexualidade e a integração do grupo para adolescentes. Projeto de Estágio extracurricular em Processos Educativos, desenvolvido para

Leia mais

Família nuclear casal e filhos solteiros.

Família nuclear casal e filhos solteiros. Família Uma família é um conjunto de pessoas ligadas por parentesco de sangue, por casamento ou algum outro tipo de relacionamento acordado ou adoção, e que compartilha a responsabilidade básica de reprodução

Leia mais

Família. Dias, pags. 235-256

Família. Dias, pags. 235-256 Família Dias, pags. 235-256 Sobre instituições... São sistemas complexos de relações sociais dentro dos quais operam a(s) cultura(s) e a estrutura social. A família, por exemplo, inclui valores (amor,

Leia mais

I Seminário. Estadual de enfrentamento ao CRACK. O papel da família no contexto da prevenção e do enfrentamento aos problemas decorrentes do CRACK

I Seminário. Estadual de enfrentamento ao CRACK. O papel da família no contexto da prevenção e do enfrentamento aos problemas decorrentes do CRACK O papel da família no contexto da prevenção e do enfrentamento aos problemas decorrentes do CRACK Contextualização Social Economia Capitalista Transformações sociais Alterações nos padrões de comportamento

Leia mais

1. Você escolhe a pessoa errada porque você espera que ela mude após o casamento.

1. Você escolhe a pessoa errada porque você espera que ela mude após o casamento. 10 Maneiras de se Casar com a Pessoa Errada O amor cego não é uma forma de escolher um parceiro. Veja algumas ferramentas práticas para manter os seus olhos bem abertos. por Rabino Dov Heller, Mestre em

Leia mais

DEPRESSÃO. O que você precisa saber. Fênix Associação Pró-Saúde Mental

DEPRESSÃO. O que você precisa saber. Fênix Associação Pró-Saúde Mental DEPRESSÃO O que você precisa saber Fênix Associação Pró-Saúde Mental Eu admito que preciso de ajuda, pois sozinho não consigo... (Grupo Fênix: Os 6 Passos para a Recuperação) a 1 Edição São Paulo 2010

Leia mais

QUESTIONÁRIO: VIOLÊNCIA CONTRA CRIANÇAS NOME: CLASSIFIQUE EM VERDADEIRO (V) OU FALSO (F) AS SENTENÇAS ABAIXO:

QUESTIONÁRIO: VIOLÊNCIA CONTRA CRIANÇAS NOME: CLASSIFIQUE EM VERDADEIRO (V) OU FALSO (F) AS SENTENÇAS ABAIXO: QUESTIONÁRIO: VIOLÊNCIA CONTRA CRIANÇAS NOME: 1. Um tapinha no bumbum não é considerado violência devido ao baixo grau de agressão. 2. A prática sexual com indivíduos menores de 14 anos, com o consentimento

Leia mais

O Trabalho de Família de Origem

O Trabalho de Família de Origem O Trabalho de Família de Origem Autora: Vânia Bastos Fonseca de Castilho CEFAC 1994 A vida da Família de origem é uma experiência poderosa para todas as pessoas e seu impacto não fica restrito à infância.

Leia mais

Fator emocional. Fertilidade Natural: Fator emocional CAPÍTULO 8

Fator emocional. Fertilidade Natural: Fator emocional CAPÍTULO 8 CAPÍTULO 8 Fator emocional O projeto comum de ter filhos, construir a própria família, constitui um momento existencial muito importante, tanto para o homem como para a mulher. A maternidade e a paternidade

Leia mais

Cuidados paliativos e a assistência ao luto

Cuidados paliativos e a assistência ao luto Cuidados paliativos e a assistência ao luto O processo de luto tem início a partir do momento em que é recebido o diagnóstico de uma doença fatal ou potencialmente fatal. As perdas decorrentes assim se

Leia mais

A Saúde Mental dos Trabalhadores da Saúde

A Saúde Mental dos Trabalhadores da Saúde A Saúde Mental dos Trabalhadores da Saúde Tatiana Thiago Mendes Psicóloga Clínica e do Trabalho Pós-Graduação em Saúde e Trabalho pelo HC FM USP Perita Judicial em Saúde Mental Panorama da Saúde dos Trabalhadores

Leia mais

A seguir enumeramos algumas caracteristicas do TBH:

A seguir enumeramos algumas caracteristicas do TBH: OQUEÉOTRANSTORNOBIPOLARDO HUMOR(TBH)? O transtorno bipolar do humor (também conhecido como psicose ou doença maníaco-depressiva) é uma doença psiquiátrica caracterizada por oscilações ou mudanças de humor

Leia mais

Prevenção em saúde mental

Prevenção em saúde mental Prevenção em saúde mental Treinar lideranças comunitárias e equipes de saúde para prevenir, identificar e encaminhar problemas relacionados à saúde mental. Essa é a característica principal do projeto

Leia mais

A SituAção da 2015 PAternidAde no Mundo: resumo e recomendações

A SituAção da 2015 PAternidAde no Mundo: resumo e recomendações Situação a 2015 aternidade o Mundo: esumo e ecomendações ais são importantes. As relações pai-filho/a, em todas as comunidades e em todas as fases da vida de uma criança, têm impactos profundos e abrangentes

Leia mais

Características de um casamento duradouro

Características de um casamento duradouro Características de um casamento duradouro Características de um casamento duradouro Introdução: Ainda é possível ver um casal já bem idoso de mãos dadas, e que mesmo depois de tantos anos ainda se olham

Leia mais

Casamento, Divórcio e Recasamento. Prof Dra Rejane Veiga Oliveira Johann

Casamento, Divórcio e Recasamento. Prof Dra Rejane Veiga Oliveira Johann Casamento, Divórcio e Recasamento Prof Dra Rejane Veiga Oliveira Johann Casando e descasando: vicissitudes da Rede Social durante o casamento e o divórcio (Sluzki, 1997) A história da formação do casal

Leia mais

Psicose pós-parto. A psicose pós-parto é um quadro de depressão pós-parto mais grave e mais acentuado, pois na psicose pós-parto existe o

Psicose pós-parto. A psicose pós-parto é um quadro de depressão pós-parto mais grave e mais acentuado, pois na psicose pós-parto existe o Psicose pós-parto Pode ir desde uma leve tristeza que desaparece com o passar dos dias até um grau mais grave de depressão onde é necessária uma rápida intervenção médica. Este estágio é chamado de psicose

Leia mais

CURSO E COLÉGIO ESPECÍFICO

CURSO E COLÉGIO ESPECÍFICO CURSO E COLÉGIO ESPECÍFICO FAMÍLIA NA PERSPECTIVA SOCIOLÓGICA DISCIPLINA: SOCIOLOGIA PROFESSOR: WALDENIR FAMÍLIA NA PERSPECTIVA SOCIOLÓGICA Como instituição social, a família é definida pelas funções sociais

Leia mais

Como saber que meu filho é dependente químico e o que fazer. A importância de todos os familiares no processo de recuperação.

Como saber que meu filho é dependente químico e o que fazer. A importância de todos os familiares no processo de recuperação. Como saber que meu filho é dependente químico e o que fazer A importância de todos os familiares no processo de recuperação. Introdução Criar um filho é uma tarefa extremamente complexa. Além de amor,

Leia mais

Sobre a intimidade na clínica contemporânea

Sobre a intimidade na clínica contemporânea Sobre a intimidade na clínica contemporânea Flávia R. B. M. Bertão * Francisco Hashimoto** Faculdade de Ciências e Letras de Assis, UNESP. Doutorado Psicologia frbmbertao@ibest.com.br Resumo: Buscou-se

Leia mais

Terapia Comportamental de Casais

Terapia Comportamental de Casais CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA GERAL E ANÁLISE DO COMPORTAMENTO PSICOLOGIA CLÍNICA NA ANÁLISE DO COMPORTAMENTO Terapia Comportamental de Casais Ana Paula M. Carvalho Cinthia Cavalcante

Leia mais

O PAPEL DA FAMÍLIA E DA ESCOLA NA PROMOÇÃO DA APRENDIZAGEM. Profa. Dra. Maria Cecília Gasparian 1

O PAPEL DA FAMÍLIA E DA ESCOLA NA PROMOÇÃO DA APRENDIZAGEM. Profa. Dra. Maria Cecília Gasparian 1 O PAPEL DA FAMÍLIA E DA ESCOLA NA PROMOÇÃO DA APRENDIZAGEM Gasparian 1 A CAPACIDADE DE UMA CRIANÇA APRENDER A LER E ESCREVER NAS SÉRIES INICIAIS PODEM DEPENDER TANTO DE COMO ELA É ENSINADA QUANTO DA EXISTÊNCIA

Leia mais

AS RELAÇÕES AMOROSAS E OS TRAÇOS DE CARÁTER

AS RELAÇÕES AMOROSAS E OS TRAÇOS DE CARÁTER 1 AS RELAÇÕES AMOROSAS E OS TRAÇOS DE CARÁTER Eloá Andreassa Resumo: As relações amorosas continuam sendo mais que um objetivo na vida das pessoas, é uma necessidade, um sonho, até uma esperança. Porém,

Leia mais

FALANDO ABERTAMENTE SOBRE SUICÍDIO

FALANDO ABERTAMENTE SOBRE SUICÍDIO FALANDO ABERTAMENTE SOBRE SUICÍDIO MOMENTO DE DERRUBAR TABUS As razões podem ser bem diferentes, porém muito mais gente do que se imagina já teve uma intenção em comum. Segundo estudo realizado pela Unicamp,

Leia mais

IBH Transtorno de personalidade dependente. Dra. Lislie Schoenstatt

IBH Transtorno de personalidade dependente. Dra. Lislie Schoenstatt IBH Transtorno de personalidade dependente Dra. Lislie Schoenstatt Transtorno de Personalidade Dependente - TPD É uma necessidade invasiva e excessiva de ser cuidado, que leva a um comportamento submisso

Leia mais

BIBLIOTECA PARA PAIS.

BIBLIOTECA PARA PAIS. Nossa sociedade mudou, temos uma inversão de papeis e valores, mais informação do que podemos absorver, a mulher trabalha fora, o avanço tecnológico foi grande, a família mudou, a criança mudou, o aluno

Leia mais

GERAÇÃO CANGURU : UMA NOVA CONFIGURAÇÃO DA FAMÍLIA CONTEMPORÂNEA

GERAÇÃO CANGURU : UMA NOVA CONFIGURAÇÃO DA FAMÍLIA CONTEMPORÂNEA GERAÇÃO CANGURU : UMA NOVA CONFIGURAÇÃO DA FAMÍLIA CONTEMPORÂNEA Bruna Gonzalez Machado 1 Juliana Carmona Predebon 2 RESUMO O presente artigo aborda o tema da Geração Canguru com o objetivo de conhecer

Leia mais

PONTA DELGADA AÇORES 08 a 10 de MAIO de 2013 Emmanuel Fortes S. Cavalcanti 3º Vice Presidente CFM - Brasil

PONTA DELGADA AÇORES 08 a 10 de MAIO de 2013 Emmanuel Fortes S. Cavalcanti 3º Vice Presidente CFM - Brasil PONTA DELGADA AÇORES 08 a 10 de MAIO de 2013 Emmanuel Fortes S. Cavalcanti 3º Vice Presidente CFM - Brasil Trabalho de educação continuada desenvolvido pelo CRM-AL em 2002. Atendimento de profissionais

Leia mais

Paternidade: Compreendendo a infância. Compreendendo o papel vital que o pai e as figuras paternas têm no desenvolvimento emocional das crianças

Paternidade: Compreendendo a infância. Compreendendo o papel vital que o pai e as figuras paternas têm no desenvolvimento emocional das crianças Compreendendo a infância Paternidade: Compreendendo o papel vital que o pai e as figuras paternas têm no desenvolvimento emocional das crianças Compreendendo a infância é uma série de pequenos textos escritos

Leia mais

Pacto Europeu. para a Saúde. Conferência de alto nível da ue. Bruxelas, 12-13 de junho de 2008

Pacto Europeu. para a Saúde. Conferência de alto nível da ue. Bruxelas, 12-13 de junho de 2008 Pacto Europeu para a Saúde Mental e o Bem-Estar Conferência de alto nível da ue JUNTOS PELA SAÚDE MENTAL E PELO BEM-ESTAR Bruxelas, 12-13 de junho de 2008 Slovensko predsedstvo EU 2008 Slovenian Presidency

Leia mais

ADOLESCÊNCIA NORMAL Tamara Santos de Souza (fonte: http://psicologiaereflexao.wordpress.com/)

ADOLESCÊNCIA NORMAL Tamara Santos de Souza (fonte: http://psicologiaereflexao.wordpress.com/) ADOLESCÊNCIA NORMAL Tamara Santos de Souza (fonte: http://psicologiaereflexao.wordpress.com/) Arminda Aberastury foi pioneira no estudo da psicanálise de crianças e adolescentes na América Latina. A autora

Leia mais

Recasamento: Novas Oportunidades para o Espaço Conjugal? 1

Recasamento: Novas Oportunidades para o Espaço Conjugal? 1 Recasamento: Novas Oportunidades para o Espaço Conjugal? 1 Letícia Hoffmann Kunrath 2 Resumo Na contemporaneidade encontramos uma diversidade de configurações familiares, entre elas um número significativo

Leia mais

Tais mudanças podem ser biológicas, psicológicas e até social, todas inerentes a nossa condição humana.

Tais mudanças podem ser biológicas, psicológicas e até social, todas inerentes a nossa condição humana. I - A PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO 1.1. Caracterização O desenvolvimento humano (DH) enquanto área de estudo, preocupa-se em investigar e interpretar todos os processos de mudanças pelos quais o ser humano

Leia mais

A CONTRIBUIÇÃO DA TERAPIA COGNITIVO- COMPORTAMENTAL COM PACIENTES EM SITUAÇÕES DE CRISE EDSON VIZZONI PSICÓLOGO IBH ABRIL 2014

A CONTRIBUIÇÃO DA TERAPIA COGNITIVO- COMPORTAMENTAL COM PACIENTES EM SITUAÇÕES DE CRISE EDSON VIZZONI PSICÓLOGO IBH ABRIL 2014 A CONTRIBUIÇÃO DA TERAPIA COGNITIVO- COMPORTAMENTAL COM PACIENTES EM SITUAÇÕES DE CRISE EDSON VIZZONI PSICÓLOGO IBH ABRIL 2014 Um estado temporário de perturbação e desorganização, caracterizado principalmente

Leia mais

CONVERSA DE PSICÓLOGO CONVERSA DE PSICÓLOGO

CONVERSA DE PSICÓLOGO CONVERSA DE PSICÓLOGO Página 1 CONVERSA DE PSICÓLOGO Volume 03 - Edição 01 Agosto - 2013 Entrevistada: Renata Trovarelli Entrevistadora: Cintia C. B. M. da Rocha TEMA: RELACIOMENTO AMOROSO Psicóloga Comportamental, atualmente

Leia mais

A Guarda Compartilhada

A Guarda Compartilhada A Guarda Compartilhada Maria Carolina Santos Massafera Aluna do curso de pós-graduação em Direito Civil e Processo Civil na Fundação Aprender Varginha, em convênio com o Centro Universitário Newton Paiva.

Leia mais

DISTÚRBIOS EMOCIONAIS NA ESCOLA: ALGUMAS CAUSAS E SINAIS

DISTÚRBIOS EMOCIONAIS NA ESCOLA: ALGUMAS CAUSAS E SINAIS DISTÚRBIOS EMOCIONAIS NA ESCOLA: ALGUMAS CAUSAS E SINAIS GISLAINE HOSANA ARAÚJO FERNANDES SAPIENS FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS exibidaboutique@gmail.com INTRODUÇÃO A escola é um ambiente onde acontecem

Leia mais

Como Ser Pai Copyright 2009 www.comoeducarosfilhos.com.br 1

Como Ser Pai Copyright 2009 www.comoeducarosfilhos.com.br 1 Como Ser Pai Copyright 2009 www.comoeducarosfilhos.com.br 1 Copyright 2009 do site www.comoeducarosfilhos.com.br Todos os direitos reservados. Este E-book não pode ser alterado no todo ou em parte sem

Leia mais

5 Considerações Finais

5 Considerações Finais 5 Considerações Finais Nosso objetivo nesse trabalho foi investigar as influências da família de origem na construção do laço conjugal no novo casal. Partimos da premissa de que toda família possui um

Leia mais

O Indivíduo em Sociedade

O Indivíduo em Sociedade O Indivíduo em Sociedade A Sociologia não trata o indivíduo como um dado da natureza isolado, livre e absoluto, mas como produto social. A individualidade é construída historicamente. Os indivíduos são

Leia mais

6 MILHÕES de casas em Portugal. O seu lar reflete-o. por APAV OS NÚMEROS NESTE CATÁLOGO PRECISAM DE DIMINUIR ATÉ 2016

6 MILHÕES de casas em Portugal. O seu lar reflete-o. por APAV OS NÚMEROS NESTE CATÁLOGO PRECISAM DE DIMINUIR ATÉ 2016 6 MILHÕES de casas em Portugal O seu lar reflete-o OS NÚMEROS NESTE CATÁLOGO PRECISAM DE DIMINUIR ATÉ 2016 por APAV 02 FAMÍLIA 03 > FAMÍLIA 1 /semana A violência doméstica foi responsável por uma morte/semana

Leia mais

Casal Intercultural: Influências na Dinâmica Familiar

Casal Intercultural: Influências na Dinâmica Familiar Casal Intercultural: Influências na Dinâmica Familiar Autoras: Florinda Esther Mizrahi Albu Lilian Rodrigues Tostes Olga Leão O atendimento em clínica social de uma família cujo casal possui diferenças

Leia mais

O CICLO DE VIDA DO CASAL *

O CICLO DE VIDA DO CASAL * O CICLO DE VIDA DO CASAL * Marli Kath Sattler Laíssa Leopardo Eschiletti Laura Afonso de Bem Márcia Schaefer Resumo O subsistema conjugal possui um ciclo de vida próprio com fases relativamente previsíveis

Leia mais

Divórcio e separação:

Divórcio e separação: Compreendendo a infância Divórcio e separação: ajudando as crianças a lidar com a situação Compreendendo a infância é uma série de pequenos textos escritos por experientes terapeutas de crianças na Inglaterra,

Leia mais

I - Desenvolvimento Humano

I - Desenvolvimento Humano I - Desenvolvimento Humano 1.1. Conceito O desenvolvimento humano se estabelece através da interação do indivíduo com o ambiente físico e social. Se caracteriza pelo desenvolvimento mental e pelo crescimento

Leia mais

Setor Pós-matrimonio. Fundamentos, Missão, Prioridades, Prática e Subsídios.

Setor Pós-matrimonio. Fundamentos, Missão, Prioridades, Prática e Subsídios. Setor Pós-matrimonio Fundamentos, Missão, Prioridades, Prática e Subsídios. Fundamentação: Familiaris Consortio Amar a família significa estimar os seus valores e possibilidades, promovendo-os sempre.

Leia mais

A contribuição da Psicologia no Tratamento Clínico e Cirúrgico da Obesidade

A contribuição da Psicologia no Tratamento Clínico e Cirúrgico da Obesidade A contribuição da Psicologia no Tratamento Clínico e Cirúrgico da Obesidade Thaís Cristina Simamoto* Thaís Silva Luiz* A obesidade mórbida é uma doença crônica metabólica que combina grandes chances de

Leia mais

REFLEXÕES CLÍNICAS SOBRE UM CASAL DE PAIS ADOTANTES

REFLEXÕES CLÍNICAS SOBRE UM CASAL DE PAIS ADOTANTES REFLEXÕES CLÍNICAS SOBRE UM CASAL DE PAIS ADOTANTES Autores: Tânia Regina Goia; José Paulo Diniz; Maria Luísa Louro de Castro Valente Instituição: Universidade Estadual Paulista Faculdade de Ciências e

Leia mais

DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIOS PARA ENTREVISTA

DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIOS PARA ENTREVISTA DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIOS PARA ENTREVISTA DOCUMENTAÇÃO DO CANDIDATO Cópia da identidade Cópia CPF Comprovante de ensino médio (histórico original e cópia) Se cursou todo ou parte do ensino médio na rede

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Especial EDUCAÇÃO INCLUSIVA A FAMÍLIA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Especial EDUCAÇÃO INCLUSIVA A FAMÍLIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Especial EDUCAÇÃO INCLUSIVA A FAMÍLIA Brasília - 2004 Série: EDUCAÇÃO INCLUSIVA 1. A Fundamentação Filosófica 2. O Município 3 A Escola 4 A Família FICHA TÉCNICA

Leia mais

CONHECENDO A PSICOTERAPIA

CONHECENDO A PSICOTERAPIA CONHECENDO A PSICOTERAPIA Psicólogo Emilson Lúcio da Silva CRP 12/11028 2015 INTRODUÇÃO Em algum momento da vida você já se sentiu incapaz de lidar com seus problemas? Se a resposta é sim, então você não

Leia mais

O QUE ESTÃO FAZENDO OS JOVENS QUE NÃO ESTUDAM, NÃO TRABALHAM E NÃO PROCURAM TRABALHO?

O QUE ESTÃO FAZENDO OS JOVENS QUE NÃO ESTUDAM, NÃO TRABALHAM E NÃO PROCURAM TRABALHO? O QUE ESTÃO FAZENDO OS JOVENS QUE NÃO ESTUDAM, NÃO TRABALHAM E NÃO PROCURAM TRABALHO? Ana Amélia Camarano* Solange Kanso** 1 INTRODUÇÃO As fases da vida são marcadas tanto por eventos biológicos, como

Leia mais

A vida das famílias e suas fases: desafios, mudanças e ajustes

A vida das famílias e suas fases: desafios, mudanças e ajustes A vida das famílias e suas fases: desafios, mudanças e ajustes Claudia cacau Furia Cesar 1 A família é o lugar que dá origem à história de cada pessoa, é o espaço privado onde se dão as relações mais espontâneas.

Leia mais

TERAPIA DE CASAIS. A Terapia Comportamental de Casais (TCC) é uma prática clínica

TERAPIA DE CASAIS. A Terapia Comportamental de Casais (TCC) é uma prática clínica CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA GERAL E ANÁLISE DO COMPORTAMENTO 5PAC016 PSICOLOGIA CLÍNICA NA ANÁLISE DO COMPORTAMENTO Prof.ª Dra. Maria Luiza Marinho Casanova 1 TERAPIA DE CASAIS

Leia mais

VIOLÊNCIA SEXUAL E ABRIGAMENTO

VIOLÊNCIA SEXUAL E ABRIGAMENTO VIOLÊNCIA SEXUAL E ABRIGAMENTO Mônica Barcellos Café Psicóloga na Aldeia Juvenil PUC Goiás Movimento de Meninos e Meninas de Rua de Goiás VIOLÊNCIA CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES Todo ato ou omissão praticado

Leia mais

Relacionamento Amoroso

Relacionamento Amoroso CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA GERAL E ANÁLISE DO COMPORTAMENTO PSICOLOGIA CLÍNICA NA ANÁLISE DO COMPORTAMENTO Relacionamento Amoroso Luisa Guedes Di Mauro Natália Gióia Cípola

Leia mais

5 ADOLESCÊNCIA. 5.1. Passagem da Infância Para a Adolescência

5 ADOLESCÊNCIA. 5.1. Passagem da Infância Para a Adolescência 43 5 ADOLESCÊNCIA O termo adolescência, tão utilizado pelas classes médias e altas, não costumam fazer parte do vocabulário das mulheres entrevistadas. Seu emprego ocorre mais entre aquelas que por trabalhar

Leia mais

Esquizofrenia. Parte 8. Instituto São José. Número 102 13 de novembro de 2009. Onde buscar ajuda. As necessidades do paciente. Quinta das Palmeiras

Esquizofrenia. Parte 8. Instituto São José. Número 102 13 de novembro de 2009. Onde buscar ajuda. As necessidades do paciente. Quinta das Palmeiras Número 102 13 de novembro de 2009 Esquizofrenia Onde buscar ajuda Parte 8 Instituto São José As necessidades do paciente Quinta das Palmeiras O ingrediente mais importante no tratamento e reabilitação

Leia mais

FAMÍLIA E DEPENDÊNCIA QUÍMICA. VERA LUCIA MORSELLI vmorselli@uol.com.br

FAMÍLIA E DEPENDÊNCIA QUÍMICA. VERA LUCIA MORSELLI vmorselli@uol.com.br FAMÍLIA E DEPENDÊNCIA QUÍMICA VERA LUCIA MORSELLI vmorselli@uol.com.br A Posição de Não-Saber Termo proposto por Anderson e Goolishian (1993) ao designar o profissional que desconhece como as pessoas da

Leia mais

De volta para vida: a inserção social e qualidade de vida de usuários de um Centro de Atenção Psicossocial

De volta para vida: a inserção social e qualidade de vida de usuários de um Centro de Atenção Psicossocial De volta para vida: a inserção social e qualidade de vida de usuários de um Centro de Atenção Psicossocial Eliane Maria Monteiro da Fonte DCS / PPGS UFPE Recife PE - Brasil Pesquisa realizada pelo NUCEM,

Leia mais

Suicídio nos pacientes com Transtorno de Personalidade Borderline.

Suicídio nos pacientes com Transtorno de Personalidade Borderline. Suicídio nos pacientes com Transtorno de Personalidade Borderline. Instituto José Frota Messiano Ladislau Nogueira de Sousa Médico Psiquiatra - Formação no Hospital das Clínicas ( HUWC Fortaleza ) Maio

Leia mais

ADOLESCÊNCIA SEXUALIDADE

ADOLESCÊNCIA SEXUALIDADE ADOLESCÊNCIA E SEXUALIDADE Adolescência É o período de transição entre a infância e a idade adulta. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS),o período da adolescência situa-se entre os 10 e os 20 anos.

Leia mais

Universidade do Estado do Rio de Janeiro Vice-Reitoria Curso de Abordagem da Violência na Atenção Domiciliar Unidade 2 Violência de gênero

Universidade do Estado do Rio de Janeiro Vice-Reitoria Curso de Abordagem da Violência na Atenção Domiciliar Unidade 2 Violência de gênero Universidade do Estado do Rio de Janeiro Vice-Reitoria Curso de Abordagem da Violência na Atenção Domiciliar Unidade 2 Violência de gênero Nesta unidade, analisaremos os aspectos específicos referentes

Leia mais

DOCUMENTO DE POSICIONAMENTO DA IBIS SOBRE A JUVENTUDE

DOCUMENTO DE POSICIONAMENTO DA IBIS SOBRE A JUVENTUDE DOCUMENTO DE POSICIONAMENTO DA IBIS SOBRE A JUVENTUDE A IBIS visa contribuir para o empoderamento dos jovens como cidadãos activos da sociedade, com igual usufruto de direitos, responsabilidades e participação

Leia mais

Laura Meyer da Silva SEXO: MUITO PRAZER 2. Como ter uma vida sexual plena e feliz. www.lpm.com.br L&PM POCKET

Laura Meyer da Silva SEXO: MUITO PRAZER 2. Como ter uma vida sexual plena e feliz. www.lpm.com.br L&PM POCKET Laura Meyer da Silva SEXO: MUITO PRAZER 2 Como ter uma vida sexual plena e feliz www.lpm.com.br L&PM POCKET 3 3 Quando a ejaculação prematura reforça a angústia Ejaculação rápida, ejaculação prematura

Leia mais

AUTORES RESUMO PALAVRAS-CHAVE

AUTORES RESUMO PALAVRAS-CHAVE MANIFESTAÇÕES DA VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER UM ESTUDO DO SERVIÇO SOCIAL NO NÚCLEO DE PRÁTI- CA JURÍDICA DA UNIÃO DAS FACULDADES DOS GRANDES LAGOS AUTORES Danieli Cristina Oliveira VELANI Érika Cristina

Leia mais

A violência doméstica é um problema universal que atinge milhares de pessoas, em grande número de vezes de forma silenciosa e dissimuladamente.

A violência doméstica é um problema universal que atinge milhares de pessoas, em grande número de vezes de forma silenciosa e dissimuladamente. A violência doméstica é um problema universal que atinge milhares de pessoas, em grande número de vezes de forma silenciosa e dissimuladamente. Trata-se de um problema que acontece em ambos os sexos e

Leia mais

DOCUMENTAÇÃO DO CANDIDATO

DOCUMENTAÇÃO DO CANDIDATO DOCUMENTAÇÃO DO CANDIDATO Cópia da identidade Cópia CPF Comprovante de ensino médio (histórico original e cópia) Se cursou todo ou parte do ensino médio na rede privada, apresentar documento fornecido

Leia mais

SUPERANDO A DEPRESSÃO RESUMO

SUPERANDO A DEPRESSÃO RESUMO SUPERANDO A DEPRESSÃO Andreza do Ouro Corrêa - andreza.correa@ymail.com Mayara Cristina Costa Mariângela Pinto da Silva Gislaine Lima da Silva - gilisilva@ig.com.br Curso de Psicologia Unisalesiano/ Lins

Leia mais

A GUARDA COMPARTILHADA COMO FONTE ASSEGURADORA DO EXERCÍCIO DO PODER FAMILIAR

A GUARDA COMPARTILHADA COMO FONTE ASSEGURADORA DO EXERCÍCIO DO PODER FAMILIAR A GUARDA COMPARTILHADA COMO FONTE ASSEGURADORA DO EXERCÍCIO DO PODER FAMILIAR ALINE ESQUARCIO SOBRINHO 1 ROSANA MOREIRA 2 RESUMO: Este trabalho almeja demonstrar uma visão inovadora do instituto da Guarda

Leia mais

Dr. Eduardo Henrique Teixeira

Dr. Eduardo Henrique Teixeira Dr. Eduardo Henrique Teixeira CONCEITO Personalidade normal: Maneira (única) de cada indivíduo de reagir e de se relacionar com outros e com o ambiente. CONCEITO Personalidade anormal: Disposição, inata,

Leia mais

INOVAÇÃO SOCIAL A importância do associativismo desportivo.

INOVAÇÃO SOCIAL A importância do associativismo desportivo. INOVAÇÃO SOCIAL A importância do associativismo desportivo. Seminário de Gestão do Desporto A redefinição do associativismo desportivo em tempo de crise Loulé, 9 de Novembro de 2012 Gastão Sousa Gastão

Leia mais

SERVIÇO DE ESCUTA PSICOLÓGICA: UMA ESCUTA PROFUNDA DE CARÁTER EMERGENCIAL

SERVIÇO DE ESCUTA PSICOLÓGICA: UMA ESCUTA PROFUNDA DE CARÁTER EMERGENCIAL SERVIÇO DE ESCUTA PSICOLÓGICA: UMA ESCUTA PROFUNDA DE CARÁTER EMERGENCIAL MORAIS 1, Alexsandra Dias LIMA 2, Aline Cristine da Silva GOMES 3, Inalígia Figueiredo FRANCA 4, Juliana Monteiro da OLIVEIRA 5,

Leia mais

determinam o comportamento e as consequências do comportamento no contexto de interação, ou seja, na relação funcional dos comportamentos.

determinam o comportamento e as consequências do comportamento no contexto de interação, ou seja, na relação funcional dos comportamentos. Psicoterapia comportamental infantil Eliane Belloni 1 A psicoterapia comportamental infantil é uma modalidade de atendimento clínico que visa propiciar mudanças no comportamento da criança a partir de

Leia mais

www.juliofurtado.com.br

www.juliofurtado.com.br Limites sem traumas: construindo cidadãos Júlio Furtado www.juliofurtado.com.br www.juliofurtado.com.br 1 23/05/2014 Da disciplina do medo ao medo da disciplina. O medo de ser rígido Crianças não devem

Leia mais

3. SERVIÇOS ATENDIMENTO JURISDICIONAL

3. SERVIÇOS ATENDIMENTO JURISDICIONAL ATENDIMENTO JURISDICIONAL DOCUMENTOS PARA O ATENDIMENTO Documento de identificação pessoal (identidade ou certidão de nascimento) Certidão de casamento (se for casado) CPF Comprovante de renda de até 3

Leia mais

O PAPEL DA FAMÍLIA E DA ESCOLA NA APRENDIZAGEM ESCOLAR:

O PAPEL DA FAMÍLIA E DA ESCOLA NA APRENDIZAGEM ESCOLAR: O PAPEL DA FAMÍLIA E DA ESCOLA NA APRENDIZAGEM ESCOLAR: Uma análise na Escola Municipal José Teobaldo de Azevedo no Município de Limoeiro-PE Autores: ELIANE GONÇALVES LEITE HAYDÊ MORGANA GONZAGA GOMES

Leia mais

Maria Beatriz, 12ºA, nº23

Maria Beatriz, 12ºA, nº23 Estes dois irmãos sofrem, obviamente, com os acontecimentos do passado, uma nãoinfância : duas crianças que tiveram de crescer sozinhos, cuidar um do outro e, juntos do irmão mais novo, lidar com uma mãe

Leia mais

Aplicação da terapia cognitiva na depressão: análise de caso clínico

Aplicação da terapia cognitiva na depressão: análise de caso clínico Aplicação da terapia cognitiva na depressão: análise de caso clínico * Ana Carolina Diethelm Kley Introdução O objetivo do tratamento em terapia cognitiva no caso dos transtornos afetivos, grupo que engloba

Leia mais

RESOLUÇÃO DE QUESTÕES DE PROVA FGV TJ/SC. RAFAEL TREVIZOLI NEVES PSICÓLOGO CRP 06/107847 COLABORADOR EducaPsico

RESOLUÇÃO DE QUESTÕES DE PROVA FGV TJ/SC. RAFAEL TREVIZOLI NEVES PSICÓLOGO CRP 06/107847 COLABORADOR EducaPsico RESOLUÇÃO DE QUESTÕES DE PROVA FGV TJ/SC RAFAEL TREVIZOLI NEVES PSICÓLOGO CRP 06/107847 COLABORADOR EducaPsico Janeiro/2015 RESOLUÇÃO DE QUESTÕES DE PROVA - FGV Tribunal de Justiça de Santa Catarina Psicólogo

Leia mais

Equipe: Ronaldo Laranjeira Helena Sakiyama Maria de Fátima Rato Padin Sandro Mitsuhiro Clarice Sandi Madruga

Equipe: Ronaldo Laranjeira Helena Sakiyama Maria de Fátima Rato Padin Sandro Mitsuhiro Clarice Sandi Madruga Equipe: Ronaldo Laranjeira Helena Sakiyama Maria de Fátima Rato Padin Sandro Mitsuhiro Clarice Sandi Madruga 1. Por que este estudo é relevante? Segundo o relatório sobre a Carga Global das Doenças (Global

Leia mais

O papel da mulher na construção de uma sociedade sustentável

O papel da mulher na construção de uma sociedade sustentável O papel da mulher na construção de uma sociedade sustentável Sustentabilidade Socioambiental Resistência à pobreza Desenvolvimento Saúde/Segurança alimentar Saneamento básico Educação Habitação Lazer Trabalho/

Leia mais

E-mail: cbottoli@hotmai.com ; aline_1252@yahoo.com.br; marianantoniazzi@hotmail.com; letimeller@yahoo.com.br; RESUMO

E-mail: cbottoli@hotmai.com ; aline_1252@yahoo.com.br; marianantoniazzi@hotmail.com; letimeller@yahoo.com.br; RESUMO SEPARAÇÃO CONJUGAL: SUAS IMPLICAÇÕES E OS DESAFIOS PARA PSICOLOGIA BOTTOLI, Cristiane, ANTONIAZZI, Marina Peripolli; DENARDI, Aline Tomazetti, SILVA, Letícia Meller. 1 Projeto de extensão, UNIFRA 2 Curso

Leia mais

Prefácio... 9. A mulher do pai... 14. A mulher do pai faz parte da família?... 17. A mulher do pai é parente?... 29. Visita ou da casa?...

Prefácio... 9. A mulher do pai... 14. A mulher do pai faz parte da família?... 17. A mulher do pai é parente?... 29. Visita ou da casa?... Sumário Prefácio... 9 A mulher do pai... 14 A mulher do pai faz parte da família?... 17 A mulher do pai é parente?... 29 Visita ou da casa?... 37 A mulher do pai é madrasta?... 43 Relação civilizada?...

Leia mais

Educar filhos: cuidar mais do que proteger. Júlio Furtado www.juliofurtado.com.br

Educar filhos: cuidar mais do que proteger. Júlio Furtado www.juliofurtado.com.br Educar filhos: cuidar mais do que proteger Júlio Furtado www.juliofurtado.com.br As 4 principais tarefas dos pais DESENVOLVER: 1. Independência emocional 2. Autodisciplina 3. Capacidades 4. Moral Educar

Leia mais

Associação Lar do Neném

Associação Lar do Neném Criança Esperança 80 Associação Lar do Neném Recife-PE Marília Lordsleem de Mendonça Abraço solidário Todas as crianças são de todos : esse é o lema do Lar do Neném, uma instituição criada há 26 anos em

Leia mais

Análise sobre a vida de John Lennon. Trajetória da vida de John Lennon

Análise sobre a vida de John Lennon. Trajetória da vida de John Lennon Análise sobre a vida de John Lennon A relação existente pode ser subentendida entre as figuras de vinculação da infância de John Lennon, como o abandono pelo pai e a perda da mãe na infância. Estes fatores

Leia mais

SEPARAÇÃO CONJUGAL E A ALIENAÇÃO PARENTAL: DESDOBRAMENTO NO ESTADO EMOCIONAL DOS FILHOS

SEPARAÇÃO CONJUGAL E A ALIENAÇÃO PARENTAL: DESDOBRAMENTO NO ESTADO EMOCIONAL DOS FILHOS 1 SEPARAÇÃO CONJUGAL E A ALIENAÇÃO PARENTAL: DESDOBRAMENTO NO ESTADO EMOCIONAL DOS FILHOS FREITAS, Carlos David 1 RESUMO Este artigo tem por finalidade propor reflexão sobre o estado emocional dos filhos

Leia mais

Acupuntura: a escuta das dores subjetivas

Acupuntura: a escuta das dores subjetivas 38 Acupuntura: a escuta das dores subjetivas Simone Spadafora A maior longevidade expõe os seres vivos por mais tempo aos fatores de risco, resultando em maior possibilidade de desencadeamento de doenças

Leia mais

OS EFEITOS DO DIVÓRCIO NA FAMÍLIA COM FILHOS PEQUENOS

OS EFEITOS DO DIVÓRCIO NA FAMÍLIA COM FILHOS PEQUENOS OS EFEITOS DO DIVÓRCIO NA FAMÍLIA COM FILHOS PEQUENOS 2013 Mariana Monteiro Silva Santos Aluna da Universidade Jorge Amado - UNIJORGE (Salvador, Brasil) E-mail de contato: marimssantos@gmail.com RESUMO

Leia mais

Edson Vizzoni Psicólogo Especialista em TCC IBH Julho de 2014

Edson Vizzoni Psicólogo Especialista em TCC IBH Julho de 2014 Edson Vizzoni Psicólogo Especialista em TCC IBH Julho de 2014 "Personalidade é a organização dinâmica dos traços no interior do eu, formados a partir dos genes particulares que herdamos, das existências

Leia mais