PLANO DO LAUSPERENE NA IGREJA PAROQUIAL DE CARREÇO 1 de Dezembro de 2005

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PLANO DO LAUSPERENE NA IGREJA PAROQUIAL DE CARREÇO 1 de Dezembro de 2005"

Transcrição

1 PLANO DO LAUSPERENE NA IGREJA PAROQUIAL DE CARREÇO 1 de Dezembro de 2005 CARREÇO 1 INTRODUÇÃO À CELEBRAÇÃO PÁROCO 2 - ORAÇÃO INICIAL: ESTÁS TÃO SOZINHO, SENHOR Estás tão só, Senhor, em tantos sacrários no mundo. Horas e dias sozinho, sem teres quem Te visite quem converse contigo, quem Te faça companhia. Lá estás, o divino escondido, quase desprezado, tão esquecido, tantas vezes odiado, maltratado, insultado. Perdoa, Senhor, tanta ingratidão tanto esquecimento, tanto desprezo. Ajuda-me, Senhor, a fazer-te companhia, a ir em pensamento, adorar, reparar, amar; a ir com o coração louvar- Te, fazer-te companhia em todos os sacrários em que estás sozinho. 3 CÂNTICO: Cantemos a Jesus Sacramentado (CT 470) Cantemos a Jesus sacramentado, cantemos ao Senhor. Deus está aqui dos Anjos adorado, adoremos a Cristo Redentor. No tabernáculo prisioneiro está por nosso amor; quis ficar aqui por nosso companheiro para ser-nos alivio em nossa dor. Glória a Cristo Jesus, Céus e terra, bendizei ao Senhor: louvor e glória a Ti, ó Rei da glória! Amor p'ra sempre a Ti, ó Deus de amor. 4 TERÇO (segue-se a recitação do Terço, com o auxílio de meios audiovisuais; cada Lugar rezará Mistérios diferentes: Lugar de Troviscoso Mistérios gozosos,; Lugar de Carreço Mistérios Luminosos; Lugar de Montedor Mistérios Dolorosos; Lugar de Paçô Mistérios Gloriosos). - Deus vinde em nosso auxílio. - Senhor, socorrei-nos e salvai-nos. 1

2 - Glória MISTÉRIOS LUMINOSOS (Lugar de Carreço) 1º O BAPTISMO DE JESUS NO RIO JORDÃO - Peçamos, neste mistério a graça da fidelidade ao nosso baptismo. - Ofereçamo-lo particularmente pelos recém baptizados. - Como fruto de oração, neste mistério, peçamos do Senhor a graça de vivermos fielmente a nossa condição de baptizados. «Jesus foi da Galileia para o rio Jordão, a fim de Se encontrar com João e ser baptizado por ele Depois de ser baptizado, Jesus saiu logo da água. Então, o Céu abriu-se, e Jesus viu o Espírito de Deus descer como pomba e poisar sobre Ele. E do Céu veio uma voz, que dizia: «Este é o meu Filho amado, que muito Me agrada». Mt 3,13-17 OREMOS: Deus eterno e omnipotentes que proclamastes solenemente a Cristo como vosso amado Filho, quando era baptizado nas águas do rio Jordão e o Espírito Santo descia sobre Ele, concedei aos vossos filhos adoptivos renascidos pela água e pelo Espírito Santo, a graça de permanecermos sempre no vosso amor. Por Nosso Senhor Jesus Cristo que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo. 2º. A REVELAÇÃO DE JESUS NAS BODAS DE CANÁ - Peçamos, neste mistério, por todos os casais em dificuldade. - Ofereçamo-lo pelos esposos cristãos. - Como fruto de oração, neste mistério, peçamos ao Senhor a graça de em tudo e sempre fazermos tudo aquilo que Jesus nos disser. «Transformando a água em vinho, em Caná da Galileia, Jesus realizou o primeiro dos seus sinais miraculosos, com o qual manifestou a sua glória, e os discípulos creram nele». Jo 2, 11 OREMOS: Deus todo-poderoso e eterno, dirigi a nossa vida segundo a vossa vontade, para que mereçamos produzir abundantes frutos de boas obras, em nome de Nosso Senhor Jesus Cristo que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo. 2

3 3º. O ANÚNCIO DO REINO DE DEUS COM O CONVITE À CONVERSÃO - Peçamos, neste mistério, pelos meios de comunicação social da Igreja. - Ofereçamo-lo por todos os pregadores da Boa Nova de Jesus. - Como fruto de oração, neste mistério, peçamos ao Senhor a graça da conversão, tornando-nos testemunhas do seu Evangelho. «Depois de João ter sido preso, Jesus foi para a Galileia, e proclamava o Evangelho de Deus, dizendo: Completou-se o tempo e o Reino de Deus está próximo: arrependei-vos e acreditai no Evangelho.» Mc 1, OREMOS; Despertai, Senhor, nos Vossos fiéis, a vontade firme de se prepararem, pela prática das boas obras, para ir ao encontro de Cristo, de modo que, chamados um dia à sua direita, mereçam alcançar o reino dos céus. Por Nosso Senhor Jesus Cristo que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo. 4º. A TRANSFIGURAÇÃO DE JESUS NO MONTE TABOR - Peçamos, neste mistério, um grande horror ao pecado. - Ofereçamo-lo por todos os que são vítimas das insídias da maldade dos homens. - Como fruto de oração, neste mistério, peçamos ao Senhor a graça de escutarmos o Seu Filho, transformando-nos, pela sua Palavra, em imagem de Jesus Cristo. «levando consigo Pedro, João e Tiago, Jesus subiu ao monte para orar. Enquanto orava, o aspecto do seu rosto modificou-se, e as suas vestes tornaramse de uma brancura fulgurante. E dois homens conversavam com Ele: Moisés e Elias, os quais, aparecendo rodeados de glória, falavam da sua morte, que ia acontecer em Jerusalém» Lc 9, OREMOS: Deus eterno e omnipotente, que na gloriosa transfiguração do vosso Filho Unigénito confirmastes os mistérios da fé com o testemunho da Lei e dos Profetas e de modo admirável anunciastes a adopção filial perfeita, fazei que, escutando a palavra do vosso amado Filho, mereçamos participar na sua glória. Por Nosso Senhor Jesus Cristo Vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo. 5º. ÚLTIMA CEIA E A INSTITUIÇÃO DA EUCARISTIA 3

4 - Peçamos, neste mistério um grande amor à Eucaristia. - Ofereçamo-lo pelas crianças que fazem a Primeira Comunhão e pelos sacerdotes. - Como fruto de oração, neste mistério, peçamos ao Senhor a graça de, alimentados com o Pão da vida, construirmos a unidade e a paz, e podermos um dia ser saciados na Ceia do reino eterno. «Enquanto comiam Jesus tomou um pão e, tendo pronunciado a bênção, partiu-o, distribuiu-o aos discípulos e disse: «Tomai e comei, isto é o meu corpo». Em seguida, tomou um cálice, deu graças e deu-lho, dizendo: «Bebei dele todos, pois isto é o meu sangue, o sangue da nova aliança, que é derramado por vós e por todos, para a remissão dos pecados» Mt 26, OREMOS: Senhor Jesus Cristo, que no admirável sacramento da Eucaristia nos deixastes o memorial da vossa paixão, concedei-nos a graça de venerar de tal modo os mistérios do vosso Corpo e sangue. que sintanios continuamente os frutos da vossa redenção. Vós que sois Deus com o Pai na unidade do Espírito Santo. Rezemos três Avé Maria às Lágrimas de Nossa Senhora: - Pela paz no mundo - Pela conversão dos pecadores - Pelos doentes, pelos infelizes e por todos aqueles que sofrem SALVÉ RAINHA CONSAGRAÇÃO A NOSSA SENHORA Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo! Para sempre seja louvado com Sua Mãe Maria Santíssima! 5 ORAÇÃO PESSOAL (cerca de 15 minutos) 6 1ª LEITURA: EUCARISTIA, CENTRO DA VIDA - CENTRO DE CONVERGÊNCIA - Tudo na vida da Igreja converge para o altar, para o banquete sagrado, para o sacrifício redentor. Tudo na vida de Jesus está centrado na Ceia onde Ele se dá em plenitude. Toda a teologia, toda a pastoral, toda a liturgia deve fazer convergir seus esforços para a Eucaristia, como centro da vida. Grupos de leigos, acção missionária, trabalho catequético devem tender a uma vivência mais profunda, mais plena, mais quotidiana do Mistério de Fé, celebrado no altar. 4

5 Toda a vida dos fiéis, seu trabalho, suas alegrias e dores, suas orações, suas esperanças e angústias, seu agir quotidiano, deve ser levado ao altar, deve ser mergulhado no sacrifício redentor. Todas as devoções, mesmo as mais simples, todas as acções litúrgicas, mesmo o Ofício Divino ou a devoção filial mariana, devem convergir para a Eucaristia, como «centro e cume de toda a vida cristã» - assim lhe chama o Concílio Vaticano II. Todo o trabalho apostólico sacerdotal, diocesano ou paroquial, deve ter um único sentido: levar os homens a uma compreensão da Eucaristia e a uma mais plena e consciente participação. Todos os sacramentos só têm sentido na medida em que nos encaminham para a Eucaristia. Ela é o centro, o sacramento com a presença mais particular de Cristo. Nos outros temos um dom, uma graça particular específica. No baptismo a graça da filiação, na Reconciliação o dom do perdão, no Matrimónio a união de dois cônjuges no amor de Deus. Na Eucaristia temos o autor da graça, o próprio Deus feito Homem, dado em alimento, em dom de amor total, pleno, actuante. Até a nível arquitectónico, o altar e o sacrário são, devem ser o centro do templo, o lugar do sacrifício, o pólo das atenções. Tudo deve ajudar a olhar para lá, a centrar lá o coração, olhos, alma, vida. 7 MEDITAÇÃO PESSOAL 8 2ª LEITURA: FONTE DE VIDA : A Eucaristia não é só centro para o qual tudo deve convergir. É, deve ser, centro do qual tudo vem. É fonte de vida, de graça, de alimento. É força dos fracos, tesouro inesgotável de graças e dons. É origem fecunda de todo o apostolado, de todas as acções apostólicas. Verdadeira fonte de água viva, verdadeiro pão descido do céu, presença activa do Omnipotente feito vida, feito amor, feito alimento que transforma e dinamiza. Sacrifício que expia e redime, a Eucaristia é fonte de salvação, de amor misericordioso, verdadeiro banquete de pródigos que nela se alimentam e se sentem filhos revitalizados e reencontrados. Acção sagrada em que o Bom Pastor dá a vida pelas suas ovelhas. A Eucaristia é também e dum modo maravilhoso fonte de caridade, aprendizagem de amor, lição sublime de vida em sacrifício, um serviço humilde, dedicado, evangélico. 9 MEDITAÇÃO PESSOAL 10 SALMO: O Senhor é meu Pastor O Senhor é meu Pastor: nada me faltará, nada me faltará. O Senhor é meu Pastor: nada me falta. Leva-me a descansar em verdes prados: Para mim preparais a mesa à vista dos meus adversários; 5

6 conduz-me às águas refrescantes e reconforta a minha alma. 11 3ª LEITURA Com óleo me perfumais a cabeça e o meu cálice transborda. REPARAR EM EUCARISTIA: O amor não é amado. O Coração de Cristo não é correspondido pelos homens. Urge amar o Amor, é necessário corresponder ao amor. Reparar é amar, é corresponder ao amor imenso do próprio Coração de Cristo. E dar o coração Àquele que por amor nos deu o seu. Se a Eucaristia é o maior dom do Coração de Cristo, nela dum modo particular podemos dar-nos e entregar-nos ao seu amor. Nela podemos reparar, amando, dando-nos, estando presentes em amor, oferecendo-nos com Ele, louvando, glorificando o Amor eucarístico, o Coração de Cristo em Eucaristia. Primeiro na Missa, onde a vítima se oferece em holocausto. Missa que é sacrifício, que é sacramento de dom, que é Coração consumindo-se em amor no altar. Depois no tabernáculo onde o mesmo Senhor, Sacerdote e Vítima, se encontra em amor, qual Deus escondido, perpetuando o seu dom, continuando de Coração aberto. E se reparar é amar e intensificar o amor por nós próprios, pelos que não amam, pela Igreja inteira, por toda a humanidade, demos a vida já que é essa a maior prova de amor. Imolar-se com Ele, dar a Vida no altar, no sacrário, no quotidiano do nosso dia a dia. Amar, intensificar o amor, dar a vida a Cristo Eucaristia que também está presente nos homens, nos meus irmãos, quais custódias humanas que contêm o divino. 12 MEDITAÇÃO PESSOAL 13 CÂNTICO: Hóstia Santa (NCT 693) Hóstia Santa, manso Cordeiro, Amor primeiro do meu amor. Hóstia Santa, vou ter a dita Duma visita do meu Senhor. Jesus está. Eu creio assim. Jesus está na Hóstia por mim. (bis) Hóstia Santa, vem à minha alma, Vem dar-lhe a palma, vem dar-lhe a luz. Hóstia Santa, bem firme eu creio Que no teu seio está Jesus. 14 ORAÇÃO DOS FIÉIS: 6

7 Senhor Jesus, feito alimento, por nosso amor, acabámos de Te receber na Eucaristia. Para que esta comunhão seja eficaz e se sinta na nossa vida, nós Te suplicamos, com fé e humildade:. - Para que a Eucaristia continue na nossa vida, e os nossos desejos, trabalhos, orações sejam sempre para louvor da Trindade, nós Te suplicamos: - Para que sejamos capazes de Te dar aos homens, através da nossa palavra, do nosso testemunho e, sobretudo, do nosso amor, nós Te suplicamos: - Porque nos sentimos fracos e muitas vezes tentados, e sem Ti nada podemos fazer, nem caminhar na fidelidade e no amor, nós Te suplicamos: - Porque no trabalho e em casa, precisamos de Ti para sabermos amar, dar a vida pelos outros, construir a unidade e a paz, nós Te suplicamos: - Porque a cruz da vida é por vezes pesada, o viver cristãmente uma exigência dolorosa, seguir-te com fidelidade um desejo difícil de realizar, nós Te suplicamos: - Porque, os outros têm o direito de Te ver em nós, têm necessidade que os sirvamos em disponibilidade do Espírito, nós Te suplicamos: - Porque nos mandaste permanecer em Ti e viver unidos como Tu vives com o Pai, na comunhão e humildade, nós Te suplicamos: - Porque desejamos ser testemunhas vivas do.teu amor, mensageiros da tua Palavra, anunciadores autênticos do teu Evangelho, nós Te suplicamos: 15 ORAÇÃO DE LOUVOR Senhor, nosso Deus, é uma alegria íntima poder louvar-vos na companhia dos irmãos e em comunhão com a Igreja. Colocastes-nos neste mundo cheio de 7

8 encantos e variegado, para que sejamos felizes e apreciemos a vida. Este foi o vosso projecto inicial, projecto esse que ainda não nos retirastes, apesar das nossas frustrações e pecados. A vossa alegria alternativa tem o nome de bemaventurança. É a dádiva do vosso nascimento prolongado, o dom pessoal do vosso próprio Filho a crescer no meio de nós e a pôr em prática as opções daquela felicidade que não falha. Sim, Pai, somos felizes quando vivemos em pobreza de espírito, quando partilhamos e repartimos as nossas coisas, quando gastamos generosamente o nosso tempo Somos felizes quando nos preocupamos com a fidelidade, mesmo quando supõe desprendimento e sofrimento. E somos felizes quando damos a conhecer o vosso Reino, porque agimos com um coração puro. Pai santo, viver convosco é sempre causa de motivação. Por isso, com todos os que em Vós vivem e Vos celebram, Vos dizemos: Pai-Nosso 16 CÂNTICO: «Jesus eu amo-te» Jesus, eu amo-te.(4 vezes) Jesus eu creio em Ti (4 vezes) Tu és o meu Senhor (4 vezes) 17 ORAÇÃO PESSOAL 18 AUDIOVISUAL SOBRE A EUCARISTIA «Fica connosco, Senhor, pois a noite vai caindo» (cf. Lc 24,29). Foi este o instante convite que os dois discípulos, directos a Emaús na tarde do próprio dia da ressurreição, dirigiram ao Viajante que se lhes tinha juntado no caminho. Carregados de tristes pensamentos, não imaginavam que aquele desconhecido fosse precisamente o seu Mestre, já ressuscitado. Mas sentiam «arder» o seu íntimo (cf. Lc 24,32), quando Ele lhes falava, «explicando» as Escrituras. A luz da Palavra ia dissipando a dureza do seu coração e «abria-lhes os olhos» (cf. Lc 24, 31). Por entre as sombras do dia que findava e a obscuridade que pairava na alma, aquele Viajante era um raio de luz que fazia despertar a esperança e abria os seus ânimos ao desejo da luz plena. «Fica connosco» suplicaram. E Ele aceitou. Pouco depois o rosto de Jesus teria desaparecido, mas o Mestre «permaneceria» sob o véu do «pão partido», à vista do qual se abriram os olhos deles. CARTA APOSTÓLICA JOÃO PAULO II MANE NOBISCUM DOMINE Paróquia de Santa Maria de Carreço, 1 de Dezembro de