Banco de Dados I 2007 Módulo III: Linguagens de Consulta. (Aula 9) Clodis Boscarioli

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Banco de Dados I 2007 Módulo III: Linguagens de Consulta. (Aula 9) Clodis Boscarioli"

Transcrição

1 Banco de Dados I 2007 Módulo III: Linguagens de Consulta (Aula 9) Clodis Boscarioli

2 Agenda: QBE (Query-by-Example) Histórico e Características; Notações; Exemplos da linguagem; Ferramentas que suportam QBE.

3 QBE - Breve Histórico O sistema de BD QBE foi desenvolvido pela IBM, no Centro de Pesquisa T.J. Watson, no início da década de 70; A versão experimental da linguagem de manipulação de dados Query-by-Example foi descrita formalmente (publicada) por Moshe Zloof [1977]; A versão comercial foi descrita em IBM [1978] e usada mais tarde na Query Management Facility (QMF);

4 QBE - Características Tem por base o cálculo relacional de domínio. Possui sintaxe bidimensional: as consultas parecem tabelas. Consultas são expressas por exemplo. Em vez de determinar um procedimento para obtenção da resposta desejada, o usuário dá um exemplo do que é desejado. O sistema generaliza o exemplo para o processamento da resposta da consulta.

5 QBE - Características Utiliza tabelas esqueletos. O usuário seleciona os esqueletos necessários e preenche-os com linhas de exemplo. Linha de exemplo consiste em constantes e elementos de exemplos, que são domínios de variáveis. Variáveis de domínio são precedidas por um caracter sublinhado (underscore _). Elimina duplicatas automaticamente.

6 Exemplo de Tabela Esqueleto agencia nome_agencia cidade_agencia fundos conta nome_agencia Numero_conta saldo

7 Consultas em uma Única Relação Encontrar todos os números de empréstimos da agência Perryridge. emprestimo nome_agencia nr_emprestimo total ou: emprestimo Perryridge nome_agencia P._x nr_emprestimo total Perryridge P. { < x > b, a (<b, x, a> emprestimo ^ b = Perryridge )}

8 Consultas em uma Única Relação Para mostrar uma relação completa pode-se criar uma linha única colocando P. em todos os campos, ou usar notação reduzida P.ALL. Exemplo: Encontre todos os números de empréstimos na agência Perryridge, cujo total seja maior que 700 reais. emprestimo nome_agencia nr_emprestimo total Perryridge P.ALL. > 700

9 Exemplo 1: Uso do Operador Encontre os nomes de todas as agências que não estão localizadas no Brooklyn: agencia nome_agencia cidade_agencia total P. Brooklyn equivale a not. Pode também ser lido como não existe de fato.

10 Exemplo 2: Uso do Operador AND Encontre os números de empréstimos de todos os empréstimos feitos por Jones e Smith, conjuntamente: devedor nome_cliente Jones Smith numero_emprestimo P._x _x

11 Exemplo 3: Uso do Operador OR Encontre os números de empréstimos de todos os empréstimos feitos por Jones, por Smith, ou por ambos. devedor nome_cliente Jones Smith numero_emprestimo P._x P._y

12 Consultas em Diversas Relações A QBE permite consultas em diversas relações (análogas ao produto cartesiano ou à junção natural na álgebra relacional). As conexões entre as várias relações são realizadas por meio de variáveis que fazem com que certas tuplas tenham os mesmos valores de certos atributos.

13 Consultas em Diversas Relações Exemplo: Encontrar todos os nomes de todos os clientes que possuam um empréstimo na agência Perryridge. emprestimo nome_agencia nr_emprestimo total Perryridge _x devedor nome_cliente P._y numero_emprestimo _x

14 Caixa de Condição Quando não for conveniente ou for impossível expressar todas as restrições de domínio, dentro do esqueleto das tabelas pode-se recorrer ao recurso de caixa de condição, que permite a expressão de restrições gerais sobre qualquer domínio de variável.

15 Caixa de Condição Permite: = (lê-se diferente de) & (equivale ao operador lógico and) (equivale ao operador lógico or) >, <,, e = expressões aritméticas

16 Caixa de Condição - Exemplos Encontre todos os números de conta com saldo entre e reais. conta nome_agencia Numero_conta saldo P. _x condições _x 1300 _x 1500

17 Caixa de Condição - Exemplos Encontre todas as agências que tenham fundos maiores que os das agências localizadas no Brooklyn. agencia nome_agencia cidade_agencia P._x Brooklyn condições _y > _z fundos _y _z

18 Caixa de Condição - Exemplos Encontre todos os números de conta com saldos entre e reais, exceto os que contenham exatamente reais. conta nome_agencia Numero_conta saldo P. _x condições _x = ( 1300 and 2000 and 1500)

19 Relação Resultante Quando o resultado de uma consulta englobar atributos de diversos esquemas de relações, é necessário um mecanismo para apresentar o resultado desejado em uma única tabela. Para tal, declara-se uma relação resultado que inclui todos os atributos de resultado. O resultado é impresso por meio do comando P., utilizado somente na tabela esqueleto Resultado.

20 Relação Resultante - Exemplo Encontrar o nome_cliente, numero_conta e saldo para todas as contas da agência Perryridge. Em álgebra ter-se-ía: Em QBE: 1. Junção de depositante e conta. 2. Projeção de nome_cliente, numero_conta e saldo. 1. Criação de uma tabela esqueleto com os atributos desejados. 2. A escrita da consulta.

21 O Resultado da consulta é: conta nome_agencia Numero_conta saldo Perryridge _y _z devedor nome_cliente _x numero_conta _y resultado P. nome_cliente numero_conta saldo _x _y _z

22 Ordenar Apresentação das Tuplas AO. (ordem ascendente) DO. (ordem descendente) conta nome_agencia Numero_conta saldo Perryridge P.AO(1). P.DO(2). P.AO(1). Especifica que o número da conta deverá ser intercalado primeiro; P.DO(2). indica que os saldos deverão, então, ser intercalados em ordem descrescente.

23 Operações Agregadas QBE possui os operadores agregados AVG, MAX, MIN, SUM, CNT. É preciso acrescentar no final desses operadores a palavra ALL. para a criação de um conjunto sobre o qual será aplicado o operador de agregação. O operador ALL. assegura que as repetições não serão eliminadas. Para eliminar todas as repetições usa-se UNQ. Ex.: P.CNT.UNQ.ALL.

24 Modificações no Banco de Dados D. (Remoção) I. (Inserção) U. (Atualização) Estes operadores devem ser colocados no nome da relação envolvida.

25 Modificações no Banco de Dados Exemplo de Inserção: Inserir um saldo de 700 reais na conta A-9732 na agência de Perryridge. conta nome_agencia Numero_conta saldo I. Perryridge A

26 Modificações no Banco de Dados Exemplos de Remoção: Remova o valor de cidade_agência das agências de nome Perryridge agência nome_agencia cidade_agência fundos Perryridge D. Remova o cliente Smith. cliente nome_cliente rua_cliente cidade D. Smith

27 Modificações no Banco de Dados Exemplo de Atualização: Atualizar para dólares o valor de fundos da agência Perryridge. agência nome_agencia cidade_agência fundos Perryridge U

28 Ferramentas Comerciais e QBE Várias são as ferramentas que incorporam recursos de QBE, como Microsoft Access, Oracle, IBM DB2 e outros aplicativos para banco de dados (exemplos a seguir); Consultas visuais a banco de dados é uma tendência; Preocupação com o usuário final, aspectos de interface e minimização de esforços em SQL.

29 Visual Open DB É um aplicativo genérico para análise de dados, permitindo consultas de várias fontes de dados. A idéia é que seja utilizado por usuários finais na análise de dados e pelos desenvolvedores em consultas a tabelas e visões de um banco de dados.

30 Navicat É uma ferramenta de administração de bancos de dados MySQL e PostgreSQL que pode converter XML, CSV, MS Excel e MS Access e outros formatos de dados populares para bancos de dados; Outros recursos incluem importar/exportar, suporte a Unicode, agendamento de tarefas, sincronização de dados, transferências, construção de consultas e relatórios.

31 Navicat

32 Microsoft Access

33 Direct Oracle Access - Query By Example Mode

34 Referências Bibliográficas Sistemas de Banco de Dados. (Cap. 5) Abraham Silberchatz, Henry F. Korth e S. Sudarshan. 3ª Edição. Makron Books, Sistemas de Banco de Dados. (Apêndice D) Ramez Elsmari, 4ª Edição. Shamkant B. Navathe. Pearson Addison Wesley, Sites e manuais de ferramentas.

Banco de Dados I 2007. Módulo III: Linguagens de Consulta. (Aula 8) Clodis Boscarioli

Banco de Dados I 2007. Módulo III: Linguagens de Consulta. (Aula 8) Clodis Boscarioli Banco de Dados I 2007 Módulo III: Linguagens de Consulta (Aula 8) Clodis Boscarioli Agenda: Cálculo Relacional de Domínio (CRD) Definições Formais; Notações; Exemplos. Definição Formal Trata-se de uma

Leia mais

Banco de Dados I 2007. Módulo III: Linguagens de Consulta. (Aula 2) Clodis Boscarioli

Banco de Dados I 2007. Módulo III: Linguagens de Consulta. (Aula 2) Clodis Boscarioli Banco de Dados I 2007 Módulo III: Linguagens de Consulta (Aula 2) Clodis Boscarioli Agenda: Álgebra Relacional; Operador Divisão; Álgebra Relacional Estendida. Operações Adicionais Divisão Operação adicional,

Leia mais

BANCO DE DADOS aula 6 álgebra relacional -

BANCO DE DADOS aula 6 álgebra relacional - INSTITUTO DE EXATAS E TECNOLÓGICAS Curso de Ciência da Computação BANCO DE DADOS aula 6 álgebra relacional - professor: Juliano Varella de Carvalho 5.1. Álgebra Relacional relações de exemplo conta agencia

Leia mais

Banco de Dados I 2007. Módulo II: Modelagem Entidade- Relacionamento versus Relacional. (Aula 3) Clodis Boscarioli

Banco de Dados I 2007. Módulo II: Modelagem Entidade- Relacionamento versus Relacional. (Aula 3) Clodis Boscarioli Banco de Dados I 2007 Módulo II: Modelagem Entidade- Relacionamento versus Relacional (Aula 3) Clodis Boscarioli Agenda: Exercícios de Mapeamento ME-R para MR; Restrições de Domínio; Restrições de Chave

Leia mais

Comandos de Manipulação

Comandos de Manipulação SQL - Avançado Inserção de dados; Atualização de dados; Remoção de dados; Projeção; Seleção; Junções; Operadores: aritméticos, de comparação,de agregação e lógicos; Outros comandos relacionados. SQL SQL

Leia mais

Modelagem de Dados. Aula 02 Arquitetura e Álgebra Relacional. Maxwell Anderson

Modelagem de Dados. Aula 02 Arquitetura e Álgebra Relacional. Maxwell Anderson Modelagem de Dados Aula 02 Arquitetura e Álgebra Relacional Maxwell Anderson Arquitetura de Sistemas de Banco de Dados São três níveis de arquitetura: Nível físico Nível lógico Nível de view Nível de view

Leia mais

Banco de Dados I 2007. Módulo V: Indexação em Banco de Dados. (Aulas 4) Clodis Boscarioli

Banco de Dados I 2007. Módulo V: Indexação em Banco de Dados. (Aulas 4) Clodis Boscarioli Banco de Dados I 2007 Módulo V: Indexação em Banco de Dados (Aulas 4) Clodis Boscarioli Agenda: Indexação em SQL; Vantagens e Custo dos Índices; Indexação no PostgreSQL; Dicas Práticas. Índice em SQL Sintaxe:

Leia mais

Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br

Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br Programação com acesso a BD Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br 1 Agenda Estrutura Básica de consultas SQL: A cláusula SELECT; A cláusula FROM; A cláusula WHERE. Operação com cadeias

Leia mais

Query-by-Example (QBE) Datalog

Query-by-Example (QBE) Datalog Capítulo 7: Outras linguagens Query-by-Example (QBE) Datalog 1 Query-by-Example (QBE) Estrutura básica Perguntas apenas numa relação Perguntas em várias relações A Condition Box Exemplo do Access 2 QBE

Leia mais

Capítulo 4 A Linguagem SQL. Murilo Silva de Camargo

Capítulo 4 A Linguagem SQL. Murilo Silva de Camargo Capítulo 4 A Linguagem SQL Murilo Silva de Camargo 1 SQL - Structured Query Language Estrutura básica Operações de conjunto Funções agregadas Valores nulos Sob consultas aninhadas Relações derivadas Visões

Leia mais

Banco de Dados I. Introdução. Fabricio Breve

Banco de Dados I. Introdução. Fabricio Breve Banco de Dados I Introdução Fabricio Breve Introdução SGBD (Sistema Gerenciador de Banco de Dados): coleção de dados interrelacionados e um conjunto de programas para acessar esses dados Coleção de dados

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO. Curso: Informática Modalidade: Bacharelado Turno: Integral.

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO. Curso: Informática Modalidade: Bacharelado Turno: Integral. UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO PLANO DE ENSINO - PERÍODO LETIVO/ANO 2007 ANO DO CURSO 4 o Curso: Informática Modalidade: Bacharelado Turno: Integral Centro: Centro de

Leia mais

Princípio dos anos 70 IBM desenvolve a linguagem Sequel para o System R. Standards ISO e ANSI SQL-86, SQL-89, SQL-92, SQL:1999, SQL:2003

Princípio dos anos 70 IBM desenvolve a linguagem Sequel para o System R. Standards ISO e ANSI SQL-86, SQL-89, SQL-92, SQL:1999, SQL:2003 Bases de Dados Introdução à linguagem SQL História Princípio dos anos 70 IBM desenvolve a linguagem Sequel para o System R Renomeada para SQL (Structured Query Language) Standards ISO e ANSI SQL-86, SQL-89,

Leia mais

Capítulo 7: Outras linguagens! Query-by-Example (QBE)" Datalog"

Capítulo 7: Outras linguagens! Query-by-Example (QBE) Datalog Capítulo 7: Outras linguagens! Query-by-Example (QBE)" Datalog" 1! Query-by-Example (QBE)! Estrutura básica" Perguntas apenas numa relação" Perguntas em várias relações" A Condition Box! Exemplo do Access"

Leia mais

Banco de Dados I Módulo III: Linguagens de Consulta. (Aula 1) Clodis Boscarioli

Banco de Dados I Módulo III: Linguagens de Consulta. (Aula 1) Clodis Boscarioli Banco de Dados I 2007 Módulo III: Linguagens de Consulta (Aula 1) Clodis Boscarioli Conteúdo do Módulo: Linguagens de Consulta Formais Álgebra Relacional; Cálculo Relacional de Tupla; Cálculo Relacional

Leia mais

Álgebra Relacional. Conjunto de operações que usa uma ou duas relações como entrada e gera uma relação de saída. Operações básicas:

Álgebra Relacional. Conjunto de operações que usa uma ou duas relações como entrada e gera uma relação de saída. Operações básicas: Álgebra Relacional Conjunto de operações que usa uma ou duas relações como entrada e gera uma relação de saída operação (REL 1 ) REL 2 operação (REL 1,REL 2 ) REL 3 Operações básicas: seleção projeção

Leia mais

15 Conceitos de Bancos de Dados com o LibreOffice Base

15 Conceitos de Bancos de Dados com o LibreOffice Base Introdução a Informática - 1º semestre AULA 14 Prof. André Moraes Objetivos desta aula: Explorar as propriedades na criação de bancos de dados no LibreOffice Base; Criar e explorar tabelas; Criar e explorar

Leia mais

SQL Linguagem de Manipulação de Dados. Banco de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri

SQL Linguagem de Manipulação de Dados. Banco de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri SQL Linguagem de Manipulação de Dados Banco de Dados SQL DML SELECT... FROM... WHERE... lista atributos de uma ou mais tabelas de acordo com alguma condição INSERT INTO... insere dados em uma tabela DELETE

Leia mais

BANCO DE DADOS AULA 02 INTRODUÇÃO AOS BANCOS DE DADOS PROF. FELIPE TÚLIO DE CASTRO 2015

BANCO DE DADOS AULA 02 INTRODUÇÃO AOS BANCOS DE DADOS PROF. FELIPE TÚLIO DE CASTRO 2015 BANCO DE DADOS AULA 02 INTRODUÇÃO AOS BANCOS DE DADOS PROF. FELIPE TÚLIO DE CASTRO 2015 NA AULA PASSADA... 1. Apresentamos a proposta de ementa para a disciplina; 2. Discutimos quais as ferramentas computacionais

Leia mais

Persistência e Banco de Dados em Jogos Digitais

Persistência e Banco de Dados em Jogos Digitais Persistência e Banco de Dados em Jogos Digitais Prof. Marcos Francisco Pereira da Silva Especialista em Engenharia de Software Jogos Digitais - Computação Gráfica 1 Agenda Vantagens de usar a abordagem

Leia mais

Básico da Linguagem SQL. Definição de Esquemas em SQL. SQL(Structured Query Language)

Básico da Linguagem SQL. Definição de Esquemas em SQL. SQL(Structured Query Language) Básico da Linguagem SQL Definição de Esquemas em SQL SQL(Structured Query Language) Desenvolvida como a linguagem de consulta do protótipo de SGBD Sistema R (IBM, 1976). Adotada como linguagem padrão de

Leia mais

PLANO DE ENSINO. PRÉ-REQUISITO: Modelagem e Programação Orientada a Objetos. PROFESSOR RESPONSÁVEL : Josino Rodrigues Neto

PLANO DE ENSINO. PRÉ-REQUISITO: Modelagem e Programação Orientada a Objetos. PROFESSOR RESPONSÁVEL : Josino Rodrigues Neto UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO Rua Dom Manoel de Medeiros, s/n Dois Irmãos 52171-900 Recife-PE Fone: 0xx-81-332060-40 proreitor@preg.ufrpe.br PLANO DE ENSINO

Leia mais

GEE051 - Banco de Dados (BD) Plano de Curso. Ilmério Reis da Silva ilmerio@facom.ufu.br www.facom.ufu.br/~ilmerio/bd UFU/FACOM - 2011/2

GEE051 - Banco de Dados (BD) Plano de Curso. Ilmério Reis da Silva ilmerio@facom.ufu.br www.facom.ufu.br/~ilmerio/bd UFU/FACOM - 2011/2 GEE051 - Banco de Dados (BD) Plano de Curso Ilmério Reis da Silva ilmerio@facom.ufu.br www.facom.ufu.br/~ilmerio/bd UFU/FACOM - 2011/2 Motivação Problemas reais encontrados por engenheiros exigem uma visão

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA - UFSM COLÉGIO AGRÍCOLA DE FREDERICO WESTPHALEN BANCO DE DADOS II

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA - UFSM COLÉGIO AGRÍCOLA DE FREDERICO WESTPHALEN BANCO DE DADOS II UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA - UFSM COLÉGIO AGRÍCOLA DE FREDERICO WESTPHALEN BANCO DE DADOS II BANCO DE DADOS II AULA 1 Linguagem SQL Linguagem de definição de dados (DDL) DISCIPLINA: Banco de Dados

Leia mais

14/08/2008. Curso Superior de Tecnologia em Banco de Dados Disciplina: Projeto de Banco de Dados Relacional 1 Prof.: Fernando Hadad Zaidan

14/08/2008. Curso Superior de Tecnologia em Banco de Dados Disciplina: Projeto de Banco de Dados Relacional 1 Prof.: Fernando Hadad Zaidan Faculdade INED Curso Superior de Tecnologia em Banco de Dados Disciplina: Projeto de Banco de Dados Relacional 1 Prof.: Fernando Hadad Zaidan 1 Unidade 2 Introdução a SQL 2 Leitura Obrigatória ELMASRI,

Leia mais

Banco de Dados I 2007. Módulo I: Introdução a Sistemas de Banco de Dados. (Aula 1) Clodis Boscarioli

Banco de Dados I 2007. Módulo I: Introdução a Sistemas de Banco de Dados. (Aula 1) Clodis Boscarioli Banco de Dados I 2007 Módulo I: Introdução a Sistemas de Banco de Dados (Aula 1) Clodis Boscarioli Agenda: Apresentação do Plano de Ensino; Aspectos Históricos; Estrutura Geral de um SGBD; Profissionais

Leia mais

SQL DDL. Frederico D. Bortoloti freddb@ltc.ufes.br

SQL DDL. Frederico D. Bortoloti freddb@ltc.ufes.br Banco de Dados I SQL DDL Frederico D. Bortoloti freddb@ltc.ufes.br Introdução Modelo relacional encontra-se padronizado pela indústria de informática. Ele é chamado de padrão SQL (Structured Query Language)

Leia mais

Banco de Dados I 2007. Módulo V: Indexação em Banco de Dados. (Aulas 1, 2 e 3) Clodis Boscarioli

Banco de Dados I 2007. Módulo V: Indexação em Banco de Dados. (Aulas 1, 2 e 3) Clodis Boscarioli Banco de Dados I 2007 Módulo V: Indexação em Banco de Dados (Aulas 1, 2 e 3) Clodis Boscarioli Agenda: Estruturas de Índices; Conceitos; Tipos de Índices: Primários; Secundários; Clustering; Multiníveis;

Leia mais

f. Vocês podem selecionar todos os campos indicando-os, ou seja, sem usar * (boa prática) g. Muito relevante na manutenção de BD e de aplicações.

f. Vocês podem selecionar todos os campos indicando-os, ou seja, sem usar * (boa prática) g. Muito relevante na manutenção de BD e de aplicações. Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: B1SGB - Sistemas Gerenciadores de Banco de Dados Memória de aula Aula 11 1) Cláusulas SELECT e FROM a. Apesar de ser a primeira, ela é a

Leia mais

4.6. SQL - Structured Query Language

4.6. SQL - Structured Query Language 4.6. SQL - Structured Query Language SQL é um conjunto de declarações que é utilizado para acessar os dados utilizando gerenciadores de banco de dados. Nem todos os gerenciadores utilizam SQL. SQL não

Leia mais

Banco de Dados I. Projeto de Banco de Dados e o Modelo E-R. Fabricio Breve

Banco de Dados I. Projeto de Banco de Dados e o Modelo E-R. Fabricio Breve Banco de Dados I Projeto de Banco de Dados e o Modelo E-R Fabricio Breve O Modelo E-R Representação do mundo real por meio de Entidades e dos Relacionamentos entre as entidades Desenvolvido originalmente

Leia mais

Banco de Dados I Linguagem SQL Parte 2. Autor: Prof. Cláudio Baptista Adaptado por: Prof. Ricardo Antonello

Banco de Dados I Linguagem SQL Parte 2. Autor: Prof. Cláudio Baptista Adaptado por: Prof. Ricardo Antonello Banco de Dados I Linguagem SQL Parte 2 Autor: Prof. Cláudio Baptista Adaptado por: Prof. Ricardo Antonello Introdução Como vimos, um SGBD possui duas linguagens: DDL: Linguagem de Definição de Dados. Usada

Leia mais

Roteiro. Modelo de Dados Relacional. Processo de Projeto de Banco de Dados. BCC321 - Banco de Dados I. Ementa. Posicionamento.

Roteiro. Modelo de Dados Relacional. Processo de Projeto de Banco de Dados. BCC321 - Banco de Dados I. Ementa. Posicionamento. Roteiro Modelo de Dados Relacional Posicionamento Luiz Henrique de Campos Merschmann Departamento de Computação Universidade Federal de Ouro Preto luizhenrique@iceb.ufop.br www.decom.ufop.br/luiz Introdução

Leia mais

INF70 Gerenciamento de Banco de Dados 2 Plano de Curso e Introdução

INF70 Gerenciamento de Banco de Dados 2 Plano de Curso e Introdução INF70 Gerenciamento de Banco de Dados 2 Plano de Curso e Introdução Ilmério Reis da Silva ilmerio@facom.ufu.br www.facom.ufu.br/~ilmerio/gbd2 UFU/FACOM/BCC Plano de Curso Ementa Arquitetura de um Sistema

Leia mais

SQL Linguagem de Definição de Dados. Banco de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri

SQL Linguagem de Definição de Dados. Banco de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri SQL Linguagem de Definição de Dados Banco de Dados SQL Structured Query Language Uma das mais importantes linguagens relacionais (se não a mais importante) Exemplos de SGBD que utilizam SQL Oracle Informix

Leia mais

Introdução. Banco de dados. Por que usar BD? Por que estudar BD? Exemplo de um BD. Conceitos básicos

Introdução. Banco de dados. Por que usar BD? Por que estudar BD? Exemplo de um BD. Conceitos básicos Introdução Banco de Dados Por que usar BD? Vitor Valerio de Souza Campos Adaptado de Vania Bogorny 4 Por que estudar BD? Exemplo de um BD Os Bancos de Dados fazem parte do nosso dia-a-dia: operação bancária

Leia mais

Universidade Federal de Santa Maria Curso de Arquivologia. Disciplina de Banco de Dados Aplicados à Arquivística. Versao 1.

Universidade Federal de Santa Maria Curso de Arquivologia. Disciplina de Banco de Dados Aplicados à Arquivística. Versao 1. Universidade Federal de Santa Maria Curso de Arquivologia Disciplina de Banco de Dados Aplicados à Arquivística Prof. Andre Zanki Cordenonsi Versao 1.0 Março de 2008 Tópicos Abordados Conceitos sobre Banco

Leia mais

Introdução Banco de Dados

Introdução Banco de Dados Introdução Banco de Dados Vitor Valerio de Souza Campos Adaptado de Vania Bogorny Por que estudar BD? Os Bancos de Dados fazem parte do nosso dia-a-dia: operação bancária reserva de hotel matrícula em

Leia mais

SQL. SQL (Structured Query Language) Comando CREATE TABLE. SQL é uma linguagem de consulta que possibilita:

SQL. SQL (Structured Query Language) Comando CREATE TABLE. SQL é uma linguagem de consulta que possibilita: SQL Tópicos Especiais Modelagem de Dados Prof. Guilherme Tavares de Assis Universidade Federal de Ouro Preto UFOP Instituto de Ciências Exatas e Biológicas ICEB Mestrado Profissional em Ensino de Ciências

Leia mais

SQL DML. Frederico D. Bortoloti freddb@ltc.ufes.br

SQL DML. Frederico D. Bortoloti freddb@ltc.ufes.br Banco de Dados I SQL DML Frederico D. Bortoloti freddb@ltc.ufes.br SQL - DML Os exemplos da aula serão elaborados para o esquema de dados a seguir: Empregado(matricula, nome, endereco, salario, supervisor,

Leia mais

Banco de Dados I. Quantidade de informação gerada em um dia. Aula 1. 59 milhões de clientes ativos; Mais de 42 terabytes de dados; Salários na área

Banco de Dados I. Quantidade de informação gerada em um dia. Aula 1. 59 milhões de clientes ativos; Mais de 42 terabytes de dados; Salários na área Banco de Dados I Aula 1 Quantidade de informação gerada em um dia E-mails Compras Bate-papo Notícias Blogs Transações bancárias Etc... 59 milhões de clientes ativos; Mais de 42 terabytes de dados; 100

Leia mais

GBC043 Sistemas de Banco de Dados (SBD) Plano de Curso. Ilmério Reis da Silva ilmerio@facom.ufu.br www.facom.ufu.br/~ilmerio/sbd UFU/FACOM

GBC043 Sistemas de Banco de Dados (SBD) Plano de Curso. Ilmério Reis da Silva ilmerio@facom.ufu.br www.facom.ufu.br/~ilmerio/sbd UFU/FACOM GBC043 Sistemas de Banco de Dados (SBD) Plano de Curso Ilmério Reis da Silva ilmerio@facom.ufu.br www.facom.ufu.br/~ilmerio/sbd UFU/FACOM Motivação/Justificativa Conteúdo fundamental para a Formação Tecnológica

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA - UFSM COLÉGIO AGRÍCOLA DE FREDERICO WESTPHALEN BANCO DE DADOS II

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA - UFSM COLÉGIO AGRÍCOLA DE FREDERICO WESTPHALEN BANCO DE DADOS II UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA - UFSM COLÉGIO AGRÍCOLA DE FREDERICO WESTPHALEN BANCO DE DADOS II BANCO DE DADOS II AULA 3 Linguagem SQL Linguagem de manipulação de dados (DML) DISCIPLINA: Banco de

Leia mais

Engenharia de Computação / Engenharia de Produção. Banco de Dados Prof. Maria das Graças da Silva Teixeira

Engenharia de Computação / Engenharia de Produção. Banco de Dados Prof. Maria das Graças da Silva Teixeira Unidade 3 SQL Engenharia de Computação / Engenharia de Produção Banco de Dados Prof. Maria das Graças da Silva Teixeira Material base: Banco de Dados, 2009.2, prof. Otacílio José Pereira Contexto na Disciplina

Leia mais

Sistemas de Banco de Dados

Sistemas de Banco de Dados Sistemas de Banco de Dados Everson Santos Araujo everson@por.com.br Conceitos Dado - Um fato que pode ser armazenado Banco de dados (BD) - Coleção de dados interrelacionados Sistema Gerenciador de Banco

Leia mais

CICLO DE VIDA DE UM BD

CICLO DE VIDA DE UM BD BANCO DE DADOS Universidade do Estado de Santa Catarina Centro de Ciências Tecnológicas Departamento de Ciência da Computação Prof. Alexandre Veloso de Matos alexandre.matos@udesc.br CICLO DE VIDA DE UM

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO FUNDAÇÃO DE APOIO À ESCOLA TÉCNICA

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO FUNDAÇÃO DE APOIO À ESCOLA TÉCNICA 1. COMPETÊNCIAS O aluno deverá ser capaz de analisar situações e realizar todo o projeto de banco de dados. 2. HABILIDADES Conhecer o ciclo de vida de um projeto de banco de dados; Conhecer os conceitos

Leia mais

Docente: Éberton da Silva Marinho e-mail: ebertonsm@gmail.com

Docente: Éberton da Silva Marinho e-mail: ebertonsm@gmail.com INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE Introdução a Banco de Dados Docente: Éberton da Silva Marinho e-mail: ebertonsm@gmail.com 12/06/2013 Sumário Motivação da Disciplina

Leia mais

Sistema de Processamento de Arquivos

Sistema de Processamento de Arquivos Banco de Dados Banco de Dados; Sistema de Gerenciamento de Banco de Dados; Modelo Entidade-Relacionamento; Banco de Dados Relacional; Banco de Dados Distribuído; Banco de Dados Federado; Projeto de Banco

Leia mais

Linguagem de Consulta Estruturada SQL- DML

Linguagem de Consulta Estruturada SQL- DML Linguagem de Consulta Estruturada SQL- DML INTRODUÇÃO A SQL - Structured Query Language, foi desenvolvido pela IBM em meados dos anos 70 como uma linguagem de manipulação de dados (DML - Data Manipulation

Leia mais

SQL Structured Query Language

SQL Structured Query Language Janai Maciel SQL Structured Query Language (Banco de Dados) Conceitos de Linguagens de Programação 2013.2 Structured Query Language ( Linguagem de Consulta Estruturada ) Conceito: É a linguagem de pesquisa

Leia mais

Etapas da evolução rumo a tomada de decisão: Aplicações Isoladas: dados duplicados, dados inconsistentes, processos duplicados.

Etapas da evolução rumo a tomada de decisão: Aplicações Isoladas: dados duplicados, dados inconsistentes, processos duplicados. Histórico Etapas da evolução rumo a tomada de decisão: Aplicações Isoladas: dados duplicados, dados inconsistentes, processos duplicados. Sistemas Integrados: racionalização de processos, manutenção dos

Leia mais

FACULDADE INTEGRADAS DE PARANAÍBA ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS. Bancos de Dados Conceitos Fundamentais

FACULDADE INTEGRADAS DE PARANAÍBA ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS. Bancos de Dados Conceitos Fundamentais FACULDADE INTEGRADAS DE PARANAÍBA ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS Bancos de Dados Conceitos Fundamentais Tópicos Conceitos Básicos Bancos de Dados Sistemas de Bancos de Dados Sistemas de Gerenciamento de Bancos

Leia mais

IF685 Gerenciamento de Dados e Informação - Prof. Robson Fidalgo 1

IF685 Gerenciamento de Dados e Informação - Prof. Robson Fidalgo 1 IF685 Gerenciamento de Dados e Informação - Prof. Robson Fidalgo 1 Banco de Dados Fundamentos de SQL Structured Query Language Aula2 Apresentado por: Robson do Nascimento Fidalgo rdnf@cin.ufpe.br IF685

Leia mais

Banco de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri. Banco de Dados Processamento e Otimização de Consultas

Banco de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri. Banco de Dados Processamento e Otimização de Consultas Processamento e Otimização de Consultas Banco de Dados Motivação Consulta pode ter sua resposta computada por uma variedade de métodos (geralmente) Usuário (programador) sugere uma estratégia para achar

Leia mais

Banco de dados 1. Linguagem SQL DDL e DML. Professor: Victor Hugo L. Lopes

Banco de dados 1. Linguagem SQL DDL e DML. Professor: Victor Hugo L. Lopes Banco de dados 1 Linguagem SQL DDL e DML Professor: Victor Hugo L. Lopes Agenda: Introdução à linguagem de dados; DDL; DML; CRUD; Introdução à linguagem SQL. 2 Por que precisamos da linguagem SQL? A algebra

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec: Rodrigues de Abreu Código: 135 Município: Bauru Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação Habilitação Profissional: Técnica de nível médio de técnico

Leia mais

Prof. Daniela Barreiro Claro

Prof. Daniela Barreiro Claro Prof. Daniela Barreiro Claro SQL, SQL3 e OQL são linguagens declarativas O SGBD deve processar e otimizar estas consultas antes delas serem efetivamente executadas Uma consulta possui muitas estratégias

Leia mais

Uma expressão básica em SQL consiste em três cláusulas: select, from e where.

Uma expressão básica em SQL consiste em três cláusulas: select, from e where. Introdução a Banco de Dados O.K. Takai; I.C.Italiano; J.E. Ferreira. 67 8 A Linguagem SQL A linguagem SQL é um padrão de linguagem de consulta comercial que usa uma combinação de construtores em Álgebra

Leia mais

Structured Query Language (SQL)

Structured Query Language (SQL) SQL Histórico Structured Query Language (SQL) Foi desenvolvido pela IBM em meados dos anos 70 como uma linguagem de manipulação de dados (DML - Data Manipulation Language) para suas primeiras tentativas

Leia mais

Banco de Dados I. Introdução Conceitos

Banco de Dados I. Introdução Conceitos Banco de Dados I Introdução Conceitos Prof. Rodrigo Rocha prof.rodrigorocha@yahoo.com Apresentação Prof. Rodrigo Rocha prof.rodrigorocha@yahoo.com Ementa Conceitos Fundamentais de Banco de Dados; Características

Leia mais

Introdução ao SQL. Aécio Costa

Introdução ao SQL. Aécio Costa Aécio Costa A linguagem SQL é um padrão de linguagem de consulta comercial e possui as seguintes partes: Linguagem de definição de dados (DDL) Linguagem interativa de manipulação de dados (DML) Definição

Leia mais

Ex.: INSERT INTO tmpautor (CDAUTOR, NMAUTOR) VALUES (1, Renato Araújo )

Ex.: INSERT INTO tmpautor (CDAUTOR, NMAUTOR) VALUES (1, Renato Araújo ) Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: B1SGB - Sistemas Gerenciadores de Banco de Dados Memória de aula Aula 10 1) Incluindo linhas nas tabelas a. Para incluir linhas em tabelas

Leia mais

Fundamentos dos Sistemas de Informação Organização de Dados e Informações

Fundamentos dos Sistemas de Informação Organização de Dados e Informações Fundamentos dos Sistemas de Informação Organização de Dados e Informações http://professor.fimes.edu.br/milena milenaresende@fimes.edu.br Sistema de Gerenciamento de Bases de Dados (DBMS) A implementação

Leia mais

Revisão de Banco de Dados

Revisão de Banco de Dados Revisão de Banco de Dados Fabiano Baldo 1 Sistema de Processamento de Arquivos Antes da concepção dos BDs o registro das informações eram feitos através de arquivos. Desvantagens: Redundância e Inconsistência

Leia mais

SQL. Jacir de Oliveira, José Alencar Philereno. Faculdade de Informática de Taquara. Igrejinha - RS Brazil

SQL. Jacir de Oliveira, José Alencar Philereno. Faculdade de Informática de Taquara. Igrejinha - RS Brazil SQL Jacir de Oliveira, José Alencar Philereno Faculdade de Informática de Taquara Igrejinha - RS Brazil jacirdeoliveira@faccat.br, alencar@philler.com.br Resumo. Este artigo irá descrever a linguagem de

Leia mais

Banco de Dados. Aula 1 - Prof. Bruno Moreno 16/08/2011

Banco de Dados. Aula 1 - Prof. Bruno Moreno 16/08/2011 Banco de Dados Aula 1 - Prof. Bruno Moreno 16/08/2011 Roteiro Apresentação do professor e disciplina Definição de Banco de Dados Sistema de BD vs Tradicional Principais características de BD Natureza autodescritiva

Leia mais

18/03/2012. Formação. E-mail: alunos@ecivaldo.com

18/03/2012. Formação. E-mail: alunos@ecivaldo.com Formação Bacharelado em Ciência da Computação (UFBA) Especialização avançada em Sistemas Distribuídos (UFBA) Mestrado em Ciência da Computação (UFCG) Doutorado em Educação (USP) 1a. Aula 2012.1 2 Empresa

Leia mais

Definida pelo American National Standard Institute (ANSI) em 1986

Definida pelo American National Standard Institute (ANSI) em 1986 2.3. Linguagens Relacionais SQL Structured Query Language Linguagem para o modelo relacional: Definida pelo American National Standard Institute (ANSI) em 1986 Adoptada em 1987 como um standard internacional

Leia mais

Ferramentas de Administração. PostgreSQL

Ferramentas de Administração. PostgreSQL Ferramentas de Administração ao SGBD PostgreSQL Diego Rivera Tavares de Araújo diegoriverata@gmail.com Introdução Mas o que é PostgreSQL? Introdução as ferramentas O PostgreSQL pode ser acessado a partir

Leia mais

Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br

Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br Programação com acesso a BD Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br 1 Agenda Introdução Conceitos do Modelo Relacional Restrições de Integridade Básicas Esquema do BD Relacional Restrições

Leia mais

Projeto e Implementação

Projeto e Implementação Felipe Nery Rodrigues Machado Banco de Dados Projeto e Implementação 2 Edição 4 Reimpressão São Paulo 2011 Editora Érica Ltda. 3 Projeto Sumário Capítulo 1 O Que É Projeto de Banco de Dados 15 Modelagem

Leia mais

Programação SQL. INTRODUÇÃO II parte

Programação SQL. INTRODUÇÃO II parte Programação SQL INTRODUÇÃO II parte Programação SQL SELECT; INSERT; UPDATE; DELETE. Este conjunto de comandos faz parte da sublinguagem denominada por DML Data Manipulation Language (Linguagem de manipulação

Leia mais

Disciplina: Tecnologias de Banco de Dados para SI s

Disciplina: Tecnologias de Banco de Dados para SI s Curso de Gestão em SI Disciplina: Tecnologias de Banco de Dados para SI s Rodrigo da Silva Gomes (Extraído do material do prof. Ronaldo Melo - UFSC) Banco de Dados (BD) BD fazem parte do nosso dia-a-dia!

Leia mais

Bases de Dados. O que é uma Base de Dados? Pós-Grduação em SIG

Bases de Dados. O que é uma Base de Dados? Pós-Grduação em SIG Bases de Dados O que é uma Base de Dados? Dados Pode-se começar por tentar dar uma definição do que são Dados. Os dados são factos em bruto, que não são necessáriamente relevantes para qualquer coisa que

Leia mais

CEFET.PHB - PI. Plano de Ensino. Banco de Dados. Plano de Ensino. Plano de Ensino. Plano de Ensino - Conteúdo. Plano de Ensino - Conteúdo

CEFET.PHB - PI. Plano de Ensino. Banco de Dados. Plano de Ensino. Plano de Ensino. Plano de Ensino - Conteúdo. Plano de Ensino - Conteúdo CEFET.PHB - PI Plano de Ensino Banco de Dados Prof. Jefferson Silva Sistema de Banco de Dados Objetivos Vantagens e Desvantagens Conceitos básicos de BD e de SGBD Abstração de Dados Linguagem de Definição

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec: PAULINO BOTELHO Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Habilitação Profissional: TÉCNICO EM INFORMÁTICA Qualificação:

Leia mais

Capítulo 1 INTRODUÇÃO A BANCO DE DADOS

Capítulo 1 INTRODUÇÃO A BANCO DE DADOS Capítulo 1 INTRODUÇÃO A BANCO DE DADOS 1.1 - BANCO DE DADOS - INTRODUÇÃO...2 1.1.1- Dados...2 1.1.2- Hardware...3 1.1.3- Software...3 1.1.4- Usuários...4 1.2 - SISTEMAS DE ARQUIVOS CONVENCIONAIS...5 1.3

Leia mais

Banco de Dados I. SQL SELECT Parte 1 - Básico. Prof. Moser Fagundes. Curso TSI Instituto Federal Sul-Rio-Grandense (IFSul) Campus Charqueadas

Banco de Dados I. SQL SELECT Parte 1 - Básico. Prof. Moser Fagundes. Curso TSI Instituto Federal Sul-Rio-Grandense (IFSul) Campus Charqueadas Banco de Dados I SQL SELECT Parte 1 - Básico Prof. Moser Fagundes Curso TSI Instituto Federal Sul-Rio-Grandense (IFSul) Campus Charqueadas Sumário da aula Notas sobre prioridade de restrições de integridade

Leia mais

O Termo SIG é aplicado para sistemas que realizam o tratamento computacional de dados geográficos

O Termo SIG é aplicado para sistemas que realizam o tratamento computacional de dados geográficos Prof. Herondino O Termo SIG é aplicado para sistemas que realizam o tratamento computacional de dados geográficos Inserir e integrar, numa única base de dados informações espaciais provenientes de: meio

Leia mais

Etapas da Elaboração de um Projeto de Banco de Dados

Etapas da Elaboração de um Projeto de Banco de Dados Etapas da Elaboração de um Projeto de Banco de Dados Apresentar os modelos de dados em rede, hierárquicos, relacionais e orientados a objetos. Demonstrar as etapas de desenvolvimento de um projeto de banco

Leia mais

Plano de Ensino. Apresentação da Unidade Curricular

Plano de Ensino. Apresentação da Unidade Curricular Plano de Ensino Plano de Ensino Apresentação da Unidade Curricular o Funcionamento, arquitetura e conceitos fundamentais dos bancos de dados relacionais e objeto relacionais. Utilização de linguagem DDL

Leia mais

Ex.: INSERT INTO tmpautor (CDAUTOR, NMAUTOR) VALUES (1, Renato Araújo )

Ex.: INSERT INTO tmpautor (CDAUTOR, NMAUTOR) VALUES (1, Renato Araújo ) PRONATEC - Programador de Sistemas Banco de Dados 1) Incluindo linhas nas tabelas a. Para incluir linhas em tabelas utilize o comando INSERT INTO INSERT INTO tabela [ ( coluna [, coluna,...] ) ] VALUES

Leia mais

e-mail: ebertonsm@gmail.com eberton.marinho@gmail.com

e-mail: ebertonsm@gmail.com eberton.marinho@gmail.com INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE Ambientes de Programação e Banco de Dados Docente: Éberton da Sl Silva Marinho e-mail: ebertonsm@gmail.com eberton.marinho@gmail.com

Leia mais

UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E NATURAIS CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO BANCO DE DADOS RELACIONAL ESTENDIDO

UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E NATURAIS CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO BANCO DE DADOS RELACIONAL ESTENDIDO UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E NATURAIS CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO BANCO DE DADOS RELACIONAL ESTENDIDO MAURICIO VOLKWEIS ASTIAZARA IGOR CASA NOVA DOS SANTOS Banco de Dados

Leia mais

MODELO RELACIONAL - UFMA

MODELO RELACIONAL - UFMA MODELO RELACIONAL Universidade Federal do Maranhão - UFMA Departamento de Informática Projeto de Banco de Dados Profª.MSc Simara Rocha simararocha@gmail.com/simara@deinf.ufma.br www.deinf.ufma.br/~simara

Leia mais

Banco de Dados Capítulo 2: Modelo Relacional. Bach. em Ciência da Computação UFPB/CCT Cláudio Baptista, PhD baptista@dsc.ufpb.br

Banco de Dados Capítulo 2: Modelo Relacional. Bach. em Ciência da Computação UFPB/CCT Cláudio Baptista, PhD baptista@dsc.ufpb.br Banco de Dados Capítulo 2: Modelo Relacional Bach. em Ciência da Computação UFPB/CCT Cláudio Baptista, PhD baptista@dsc.ufpb.br 2.1 Histórico Modelo Relacional Foi introduzido por Codd (1970) Tornou-se

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO - UFMA. Banco de Dados II. Integridade. Carlos Eduardo Portela Serra de Castro

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO - UFMA. Banco de Dados II. Integridade. Carlos Eduardo Portela Serra de Castro UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO - UFMA Banco de Dados II Integridade Carlos Eduardo Portela Serra de Castro * Integridade Introdução Restrições de Integridade de Domínio de Relação Asserções Procedimentos-gatilho

Leia mais

LINGUAGEM SQL. DML - Linguagem de Manipulação de Dados

LINGUAGEM SQL. DML - Linguagem de Manipulação de Dados LINGUAGEM SQL Structured Query Language, ou Linguagem de Consulta Estruturada ou SQL, é uma linguagem de pesquisa declarativa para banco de dados relacional (base de dados relacional). Muitas das características

Leia mais

SQL. Prof. Márcio Bueno. {bd2tarde,bd2noite}@marciobueno.com

SQL. Prof. Márcio Bueno. {bd2tarde,bd2noite}@marciobueno.com SQL Prof. Márcio Bueno {bd2tarde,bd2noite}@marciobueno.com Material dos professores Ana Carolina Salgado, Fernando Foncesa e Valéria Times (CIn/UFPE) SQL SQL - Structured Query Language Linguagem de Consulta

Leia mais

1. Introdução 2. Conceitos 3. Gerenciador de Banco de Dados (SGBD) 3.1. Arquitetura ANSI/SPARC 32 3.2. Regras básicas 3.3.

1. Introdução 2. Conceitos 3. Gerenciador de Banco de Dados (SGBD) 3.1. Arquitetura ANSI/SPARC 32 3.2. Regras básicas 3.3. UNIDADE I - AMBIENTE DE BANCO DE DADOS 1. Introdução 2. Conceitos 3. Gerenciador de Banco de Dados (SGBD) 3.1. Arquitetura ANSI/SPARC 32 3.2. Regras básicas 3.3. Usuários 3.4. Linguagem de Banco de Dados

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2013. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2013. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico ETEC PAULINO BOTELHO Código: 091 Município: São Carlos - SP Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação Habilitação Profissional: Técnico em Informática Qualificação:

Leia mais

Principal: construir uma base de dados para produção de informações sobre internações hospitalares;

Principal: construir uma base de dados para produção de informações sobre internações hospitalares; Principal: construir uma base de dados para produção de informações sobre internações hospitalares; Específicos: - criar um banco de dados para armazenar registros sobre internações hospitalares; - produzir

Leia mais

Aula 1: Noção Básica e Criação de Tabelas.

Aula 1: Noção Básica e Criação de Tabelas. Aula 1: Noção Básica e Criação de Tabelas. Introdução Olá! Seja bem-vindo a apostila de Microsoft Access 2010. Access 2010 é um Sistema de Gerenciamento de Banco de Dados da Microsoft, distribuído no pacote

Leia mais

Banco de Dados I. Projeto de Banco de Dados e o Modelo E-R Parte 2. Fabricio Breve

Banco de Dados I. Projeto de Banco de Dados e o Modelo E-R Parte 2. Fabricio Breve Banco de Dados I Projeto de Banco de Dados e o Modelo E-R Parte 2 Fabricio Breve Aspectos de projeto de entidaderelacionamento As noções de um conjunto de entidades e um conjunto de relacionamento não

Leia mais

Introdução. Motivação. Sistema Gerenciador de Banco de Dados (SGBD) Banco de Dados (BD) Sistema de Banco de Dados (SBD)

Introdução. Motivação. Sistema Gerenciador de Banco de Dados (SGBD) Banco de Dados (BD) Sistema de Banco de Dados (SBD) Pós-graduação em Ciência da Computação CCM-202 Sistemas de Banco de Dados Introdução Profa. Maria Camila Nardini Barioni camila.barioni@ufabc.edu.br Bloco B - sala 937 2 quadrimestre de 2011 Motivação

Leia mais

SQL APOSTILA INTRODUÇÃO A LINGUAGEM SQL

SQL APOSTILA INTRODUÇÃO A LINGUAGEM SQL SQL APOSTILA INTRODUÇÃO Uma linguagem de consulta é a linguagem por meio da qual os usuários obtêm informações do banco de dados. Essas linguagens são, tipicamente, de nível mais alto que as linguagens

Leia mais

Banco de Dados. Prof. Antonio

Banco de Dados. Prof. Antonio Banco de Dados Prof. Antonio SQL - Structured Query Language O que é SQL? A linguagem SQL (Structure query Language - Linguagem de Consulta Estruturada) é a linguagem padrão ANSI (American National Standards

Leia mais