História digital e jornalismo on-line por H. Guther Faggion

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "História digital e jornalismo on-line por H. Guther Faggion"

Transcrição

1 História digital e jornalismo on-line por H. Guther Faggion I - Introdução Quando falamos sobre Internet, a Rede Mundial de Computadores, rapidamente pensamos no que há de mais novo em termos de ciência, arte e tecnologia. Fonte quase inesgotável de conhecimento e pesquisa, a Internet, como a conhecemos hoje, experimenta uma expansão caracterizada por sua alta velocidade, de maneira desordenada e, até onde se sabe, anárquica, o que difere este meio de comunicação de todos os outros que já conhecemos. Embora a Internet não seja especificamente o objeto de estudo a ser desenvolvido neste trabalho, trataremos aqui de boa parte da sua história e filosofia. A existência desse novo meio de comunicação implicou e implicará uma série de mudanças no cotidiano dos seres humanos ao redor do mundo. Qual será a diferença dos nossos dias com o advento de novas tecnologias, como, por exemplo, o personal computer (computador pessoal), que atualmente pode ser encontrado em qualquer escritório, em todas as universidades e repartições públicas, em muitas casas e escolas, no supermercado e na vitrine de inúmeras lojas a preços muito acessíveis e com facilidades garantidas? Abordaremos aqui a revolução ocasionada pelas máquinas, os computadores pessoais, na vida diária das pessoas, pois a Internet só se tornou possível graças a esta invenção patrocinada pelo governo dos Estados Unidos da América e que surgiu do idealismo de visionários como os engenheiros eletrônicos Engelbert e J. C. R. Licklider (RHEINGOLD, Howard; Comunidade Virtual, Lisboa: 1996) que se empenharam, na metade do século XX, em desenvolver um computador capaz de trabalhar por interação de símbolos. Hoje, os computadores pessoais, assim como os conhecemos, estão reduzidos a pequenos chips eletrônicos e chegam a pesar menos de dois quilogramas, nas suas versões portáteis, como os notebooks, por exemplo, capazes de armazenar uma quantidade de dados surpreendente. Quais são as transformações que estas máquinas causarão daqui para frente em nossas vidas? Assim como a televisão nos anos 50, ou mesmo o rádio nos anos 30, que possibilitaram a existência da mídia eletrônica, os computadores são responsáveis por uma mudança de hábitos e conceitos quando passamos de uma cultura do cálculo na direção de uma cultura da simulação (Turkle, Sherry: Life On The Screen: The Identity Of The Internet. EUA: 1995). Se o mundo está sendo culturalmente afetado, quais serão as conseqüências dessa revolução tecno-sociológica, não apenas das máquinas, mas também da vida e do pensamento humanos? Como aderir a estas mudanças sem sermos engolidos por ela de forma voraz e, até mesmo, automaticamente inconsciente? Entender os mecanismos da Internet é imprescindível para juntarmo-nos a ela de uma maneira consciente, e não apenas levados pelos modismos e manias, ou uma sensação horrível de desatualização ou alienação. O que antes parecia apenas mais uma ilusão de um mundo criada pela ficção científica, é a realidade que podemos vivenciar, mas que não vivemos completamente. O Brasil,

2 como em todos os lugares do mundo, tem vivido a sua porção da história da Rede Mundial de Computadores, apesar de nossa realidade socioeconômica não ser tão favorável quanto nos países desenvolvidos. No entanto, como a tecnologia da informática sofre uma evolução diária e seu grande poder de atualização torna os preços acessíveis a uma camada cada vez maior da população, sem contar o desenvolvimento da telefonia e a queda no custo pelos seus serviços mais acessíveis, mas por enquanto muito distante de um preço ideal. Abrigamos aqui uma série de mentes brilhantes no desenvolvimento da Internet e um outro tanto de publicações especializadas e preocupadas com tal desenvolvimento, que só é possível graças a uma outra característica marcante da Rede, a amplitude planetária e o mais importante simultânea. Deste ponto, daremos um salto interessante dentro da pesquisa: o desenvolvimento e a revolução na informação causados pela Internet. Será este o fim do jornalismo, quando, a partir da Internet, qualquer pessoa pode se tornar um profissional ou pelo menos pretendente da informação, que são os jornalistas? (SHENK, David; Data Smog, EUA:1997) Quais serão os parâmetros para definirmos o que é ou não o verdadeiro jornalismo na Internet? Não existe nenhuma maneira de controle sobre esta revolução da informação, aliás este era o propósito inicial da Rede; sendo assim, analisaremos uma forma adequada e competente de se fazer um jornalismo online diferenciado do entretenimento ou de uma mera reprodução do que já existe. A Internet é, como já dissemos, uma nova mídia e, conseqüentemente, um novo mercado a ser explorado por outros veículos de comunicação. Quem tem acesso à Internet, pode ver justamente a expansão, por meio de uma nova formatação de outros produtos jornalísticos, como um dos principais funcionamentos da Internet. Embora a maior parte dos conteúdos da Internet entenda-se aqui conteúdo como o número de websites existentes na Rede foram desenvolvidos originalmente para estarem no ciberespaço, podemos ver ou acessar sites que têm origem pré-internet, ou seja, já existiam como um produto jornalístico e expandiram suas fronteiras para a Internet, através de uma nova formatação apropriada para o veículo. Podemos citar alguns casos aqui para ilustrar esse processo. A revista Veja e a Isto É, ambas contam com uma versão publicada na Internet, versão esta denominada on-line. Da mesma forma, o rádio também está na Rede por meio de sites como o da Jovem Pan e a televisão com os sites das emissoras e canais de televisão a cabo: Rede Globo, Record, SBT, MTV, entre outros. A Internet, este incrível e apaixonante meio de comunicação, tem causado duas revoluções: a primeira é no âmbito mundial pelo seu potencial de gerar, transportar, sugerir e disseminar a informação, numa atmosfera democrática e distante da manipulação dos outros veículos de comunicação de massa; e a segunda revolução da Internet ocorre do ponto de vista pessoal, transformando a relação homem x máquina, de uma guerra de capacidade de produtividade e inteligência em uma interatividade quase humana e quase máquina. Assim, o objetivo deste projeto irá além da proposta de uma nova formatação para um veículo de comunicação já existente, mas como penetrarmos nesse mundo virtual de uma forma pensada por essas duas revoluções do nosso tempo, tendo a consciência do poder da informação e da importância da interatividade. Na primeira parte, realizaremos a fundamentação teórica sobre Internet e, em seguida, na segunda parte, trataremos do jornalismo on-line.

3 II - A Internet 2.1. Introdução Vivemos hoje, dias em que a ficção passou a ser uma realidade. Por outro lado, no Brasil, ainda encontramos uma grande parte da população que acredita que o computador (uma ferramenta útil e prática que conduz a humanidade à Revolução Tecnológica ou Digital) seja apenas uma máquina de escrever moderna. É justamente neste ponto que precisamos parar e começar a analisar o processo de evolução da mídia na Internet. Seu surgimento se é que podemos dizer assim tem no computador o embrião tecnológico responsável pelo nascimento da Rede Mundial de Computadores. Sendo assim, resgatemos um pouco da história da informática e do computador pessoal, os PC s, que hoje estão presentes na vida diária. Será difícil encontrar alguma pessoa em uma cidade de médio a grande porte que tenha passado pelo menos um dia sem ter qualquer tipo de contato com um computador, exceto aquelas milhares de pessoas que trabalham praticamente o dia todo diante de um computador Os PC's ou Personal Computers Essas engenhocas, muitas vezes tão fabulosas, nem sempre foram pequenas ou rápidas dessa maneira. Esta afirmativa parece um tanto óbvia, mas pode não ser. Por ser uma máquina que praticamente invadiu o cotidiano do homem comum, os computadores tornaramse um artigo de primeira necessidade. Começando pelas grandes corporações até as salas ou quartos das casas de classe média, este habitante, que outrora parecia tão incomum, tornou-se quase um membro da família, ou, em casos mais extremos, um cônjuge ou até um amante. As pessoas passaram a relacionar-se com os seus computadores, só que, é claro, de uma forma intelectual, devido à possibilidade de interação que existe com os softwares cada vez mais modernos e surpreendentes e, portanto, cada vez mais vivos. Tudo o que foi citado acima a respeito dos computadores pessoais, carrega consigo uma dúvida: quando essa revolução dos computadores começou? Respondendo a esta pergunta, será possível remontar a história da Internet de uma forma menos cronológica, mais sociológica e filosófica, dentro do possível, mas acima de tudo, mais interativa. A idéia do computador, não como máquina, mas como conceito, surgiu, provavelmente, pela primeira vez em 1950, no idealismo de Douglas Engelbart, um engenheiro eletrônico norte-americano que havia sido operador de radar durante a Segunda Guerra Mundial. Segue o relato de Howard RHEINGOLD (1996:87):...enquanto guiava o automóvel para se dirigir para o emprego, Douglas Engelbart começou a matutar em quão complicada a civilização se tinha tornado. Que fariam esses seres humanos para gerirem este complexo mundo novo que a tecnologia ajudou a criar? Engelbart perguntou a si próprio que tipo de ferramentas utilizamos para nos ajudarem a pensar. Símbolos foi a resposta aquela que lhe foi ensinada durante a sua formação como engenheiro. Será que poderíamos usar máquinas para nos

4 ajudarem a lidar com símbolos? Por que não computadores? Poderiam os computadores automatizar as tarefas de operação com símbolos e, assim, ajudar os indivíduos a pensar mais depressa e melhor sobre os problemas mais complexos? Para a pessoa certa a linha de raciocínio era inevitável, mesmo em 1950; nunca deixe de constituir motivo de espanto para Engelbart o fato de mais ninguém o constatar. Engelbart, com a experiência que possuía com radares, e após ouvir falar sobre computadores, compreendeu que essas máquinas seriam capazes de muito mais do que condensar a informação em cartões perfurados ou em impressões no papel, elas também poderiam fazê-lo escrevendo ou desenhando numa tela. Quando vislumbrei a ligação entre um écran de raios catódicos, um processador de informação e um meio de representar símbolos humanos, tudo se encaixou em não mais de meia hora (RHEINGOLD:87-88). O computador, ou a sua concepção, entra no novo milênio completando meio século de existência, após a empreitada de Engelbart, que naquela época, convivia com menos de uma dúzia de computadores eletrônicos, que tinham dimensões tais e geravam tanto calor que ocupavam armazéns inteiros e precisavam de um enorme sistema de ar condicionado. Hoje estas máquinas já recebem a denominação de microcomputadores, e concentram uma infinidade de utilidades em espaços cada vez menores e são incalculavelmente, mais rápidos. Os notebooks, por exemplo, são os mesmos personal computers tão compactos que chegam a pesar menos de 1 Kg. Essa realidade tecnológica veio para exercer uma influência tal na vida das pessoas a ponto de hoje o computador não apenas ser o responsável pela solução de problemas mais complexos, mas também um dos responsáveis por uma nova cultura sobre a qual escreve Sherry TURKLE (1995:10) em seu livro Life on the screen: The Identity in the Age of the Internet (A Vida na Tela: A Identidade na Era da Internet): Este livro descreve como uma nascente cultura da simulação está afetando nossas idéias sobre a mente, o corpo, o ego e a máquina. Nós encontraremos sexo virtual e casamento ciberespacial, psicólogos eletrônicos, insetos eletrônicos, e pesquisadores que estão tentando construir uma inteligência artificial de uma criança de dois anos de idade. Crianças biológicas, também, estão nesta história porque sua diversão com brinquedos eletrônicos as levam especular se os computadores são inteligentes e o que realmente é estar vivo. A pretensão até aqui não é contar a história da informática ou do computador pessoal, mas traçar uma linha de conexão entre o passado mais remoto e o presente intrigante e veloz no qual vivemos, o da Internet. Por enquanto, para termos acesso à Internet, precisamos de um computador equipado com um modem que converte a informação da

5 linguagem do computador para sinais elétricos que percorrem os fios telefônicos; no outro extremo da linha; outro modem decodifica os sinais, convertendo-os em bits e bytes*(2) novamente legíveis pelo computador e uma linha telefônica, o que em breve será superado pelas novas tecnologias dos telefones celulares, televisores, microondas, aparelhos de fax etc., embora os computadores não possam ser substituídos tão facilmente Histórico da Internet A história da Internet começa por volta das década de 60 e 70, quando o mundo todo acompanhando, com respiração suspensa, o lento desenrolar da guerra fria entre EUA e a até então, União Soviética: uma guerra de forças que tinha o mundo e a humanidade como reféns. Esta guerra de superpotências, foi marcada por freqüentes ameaças mútuas de hecatombe nuclear, jogadas políticas de risco, e rosnar de dentes em cada encontro da cúpula. Logo, o jogo passou a ser sobreviver e retaliar, se necessário fosse, supondo obviamente que, dada a perspectiva clara de empate, ninguém atacaria o outro, para não ser retaliado e igualmente devastado. Como assegurar comando, controle e comunicação entre inúmeras bases e silos distribuídos pelo país, em um cenário onde o próprio quartel-general poderia virar fumaça, as rotas normais de comunicação destruídas etc.? Tecnicamente, a Internet foi criada pela Defense Advanced Research Projects Administration ou DARPA (Administração de Projetos de Pesquisa Avançados de Defesa) com o objetivo de estabelecer um modo para que computadores distantes pudessem transferir informações e dados e tornar essa comunicação de dados o mais robusta e confiável possível, conforme descreve Rick STOUT (1997): O DARPA queria criar uma rede que fosse suficientemente inteligente para se recuperar sozinha de problemas como falta de energia, interrupções em linhas de comunicação e até de ataque nuclear. O DARPA chamou a sua Rede de Darpanet. Depois de um certo tempo o Governo desistiu da idéia de que sua rede era útil apenas para projetos relacionados à defesa, e ela se tornou conhecida como Arpanet. Nesse tempo, o governo começou a conectar muitas universidades do país à Rede. A seguir, gerações de alunos estudaram, usaram e melhoraram o que hoje é a Internet. Há apenas sete, a Internet era relativamente desconhecida fora das comunidades científicas e acadêmicas. Após duas décadas de desenvolvimentos e melhoramentos, a Internet já estava pronta para se tornar a grande onda do futuro. A partir desse momento, muitos de nós começamos a resgatar em nossas memórias, lembranças sobre o passado próximo da Internet. Com uma cara nova, menos intelectualóide, a Internet atraiu as pessoas em grande quantidade, por causa da possibilidade

6 de estar conectada ao mundo inteiro. Trocas de mensagens pelo correio eletrônico, participação em listas de discussões, conversar com pessoas de diversos países simultaneamente, trocar programas e dados facilmente eram, e são até hoje, alguns dos motivos para usar os recursos de transferência da Internet. Tecnicamente, a Internet não é uma rede de computadores ela é uma rede de redes. Redes locais do mundo todo estão ligadas por fios, linhas telefônicas, cabos de fibra ótica, enlaces de microondas e satélites em órbita. Mas os detalhes de como os dados vão de um computador para o outro na Internet, são invisíveis para o usuário. Ou como define Rheingold: A Rede é o termo informal que designa as redes de computadores interligadas, empregando a tecnologia de CMC (Comunicação Mediada por Computador) para associar as pessoas de todo o mundo na forma de debates públicos. (RHEINGOLD:1997). Embora a Internet tenha começado como um projeto de pesquisa do governo norte-americano e tenha sido financiada por impostos durante anos, o governo dos E.U.A não está mais envolvido nela. Mesmo sendo um dos maiores usuários da Internet, não financia mais novos desenvolvimentos nem sustenta nenhum dos custos associados à manutenção da Rede. A Internet é completamente auto-suficiente. Então, podemos perguntar, de quem ela é, ou quem paga por ela? Não há uma pessoa ou empresa que possua a Internet. Afinal, os únicos bens a possuir são os fios e enlaces de comunicação que transportam bits e bytes de uma rede para outra. Essas linhas pertencem a alguém; só que não é uma única empresa ou indivíduo, mas muitos. Pelo menos esse sempre foi o propósito da Internet, ser um bem pertencente à humanidade, e que não possa ser controlada por um governo, um indivíduo, uma corporação. Ben Bagdikian (RHEINGOLD:28) em sua previsão em The Media Monopoly (O Monopólio da Mídia), diz que na virada do século cinco a dez gigantes empresariais controlarão a maior parte dos jornais, revistas, livros, estações de rádio e TV, filmes, discos e videocassetes mais importantes do planeta. É o que, com a virada de século, podemos constatar, quando estes novos senhores da mídia têm o poder de controlar as informações que chegam à maior parte da população, divulgando principalmente aquilo que é de seu interesse. Ideologicamente, a Internet nasce com esse objetivo de combater o monopólio da mídia construindo, para isso, uma rede de informações suficientemente grande, com dimensões planetárias, e anárquica para estar fora de um possível controle. O que se verifica é o ressurgimento de uma esperança num outro modelo de sociedade, numa democracia eletrônica (CAMARGO, Nelly de & BECKER, Brasília: 1999). Com esta nova possibilidade social, as diferenças sociais, raciais e religiosas não são tão aparentes e a Internet cresce a passos largos; CAMARGO & BECKER escrevem: É impossível falar atualmente em Internet sem usar as palavras milhões e bilhões, de usuários, de sites, de home pages, de horas de uso por mês, de hits (imagens e textos transferidos) etc. O sinal US$ pode anteceder, no entanto, números na ordem de centenas de bilhões: de vendas online, de receitas corporativas mundiais, de investimento na implantação de imensos shoppings virtuais, de capital de risco investido, de contratação de franquias virtuais ou de pagamentos em acordos de fusão de empresas do setor A World Wide Web

7 Além da história da Rede Mundial de Computadores, é necessário, aqui, esclarecer também o que é a World Wide Web (Grande Teia Mundial) que, muitas vezes, confunde-se com a própria Internet, que por todo o seu assombro tecnológico, teve por muitos anos, a reputação de ser difícil de aprender, difícil de usar e, simplesmente, pouco atraente, comparada às belas interfaces dos BBS s, serviços on-line*(5) e a maioria dos softwares que as pessoas usam em microcomputadores. Mas a World Wide Web mudou tudo isso. A Web tornou-se rapidamente a interface gráfica de usuário na Internet, e continua sem rival mesmo em relação aos serviços on-line norte-americanos, em termos estéticos e de flexibilidade. Para ter acesso à Web, o futuro usuário usa o browser Web*(6), programas simples capazes de recuperar páginas de textos e imagens de outros computadores da Internet. Incorporados a essas páginas estão os símbolos, chamados links (vínculos), que dizem ao seu browser onde encontrar outras páginas relacionadas na Internet. O browser apresenta os links*(7) de forma diferente do texto vizinho. Quando damos um clique em um link, ele carrega outra página de textos e desenhos. A isso se chama seguir um link, e o conceito de seguir links em páginas relacionadas de informação é chamado de hipertexto. Parte do enorme sucesso da Web, deve-se ao fato de ela ser fácil de usar: basta dar um clique com o botão do mouse, totalmente intuitivo. Outro segredo da mágica da Web é a sua simplicidade. As páginas da Web são apenas arquivos residentes nas centenas de milhares de computadores conectados à Internet. Para servir as páginas quando elas são solicitadas por um browser, basta que o computador tenha um programa simples, chamado servidor Web, essas páginas estarão armazenadas nos chamados provedores, que possivelmente são também provedores de acesso à Internet. O servidor Web fica esperando e ouve os pedidos dos browsers Web. Quando chega um pedido, ele encontra o arquivo solicitado e enviao para o browser. É claro que isso não é tão aleatório quanto pode parecer nesse ponto. Uma empresa ou organização que queira receber visitantes em seu site define uma página especial, chamada de home page (ou página de apresentação). A home page é o tapete de visitas eletrônico de uma empresa ou de uma pessoa. Ela informa aos visitantes qual é a organização e o que ela faz e pode oferecer links para outras páginas relacionadas. Por exemplo, a home page de uma empresa pode apresentar seu nome e seu logotipo, e oferecer links para outras páginas de seu computador, com informações sobre produtos, empregados, clientes da empresa etc. Como as empresas querem mostrar o melhor, elas produzem cuidadosamente seus sites, para serem atraentes e oferecem informações úteis a possíveis clientes e ao público em geral. No entanto, a Web não serve apenas para o comércio e, sendo assim, muitas páginas são dedicadas ao divertimento e outras são completamente fúteis. Porém não podemos esquecer a concepção da Web do ponto de vista tecnológico e educacional, uma vez que o embrião da Internet, e conseqüentemente da Web, está completamente ligado à comunidade acadêmica, sendo que muitas instituições educacionais, governamentais e não-governamentais dentre outras, também têm a sua presença marcada na World Wide Web. De modo geral, no entanto, as empresas e organizações levam suas páginas na Web (e seu site como um todo) muito a sério. Praticamente, todas as empresas de tecnologia (especialmente as empresas de hardware e software de computador) reconheceram isso há algum tempo, e a maioria já marcou

8 presença na Rede. Essas empresas logo perceberam as vantagens de usar a Internet ( e a Web ) e agora elas fornecem serviços valiosos e sérios por meio de seus websites. Por exemplo, muitas empresas de software e hardware oferecem suporte técnico em seus sites. Há alguns anos, todos achavam que os BBSs e a tecnologia de faxback seriam a próxima onda. (Com faxback, a pessoa disca um número de telefone e navega em um menu automatizado de seleções, para receber de volta um documento de um fax computadorizado, que explica como fazer algo). O faxback ainda existe, mas perdeu completamente seu espaço para a Web. É muito mais fácil navegar na interface visual de um website do que responder a uma voz gerada por computador. Além disso, muitas empresas de tecnologia colocam seus catálogos de produtos inteiros on-line. Seguindo menus de links de hipertexto, você pode procurar produtos de seu interesse e, em muitos casos, até solicitá-los on-line. Os clientes, em geral, podem obter especificações, conhecer produtos previamente requisitados, e até ver como são os produtos de uma empresa antes de adquiri-los. Para os clientes que já adquiriram produtos, muitas empresas oferecem atualizações de software gratuitas e novos utilitários e controladores on-line. De dois anos para cá, mesmo as empresas que nada têm a ver com a tecnologia de computador, estão correndo para ocupar o seu espaço na Rede. Floristas, lojas de autopeças, artistas gráficos, consultores, serralheiros, negócios agrícolas, bancos, financeira etc. todos estão na Web. Algumas estabeleceram sua presença para melhor servir seus clientes atuais. Algumas estão na Web para promover seu negócio e vender seus produtos. Outras ainda, simplesmente oferecem informações e recursos para o público em geral. Existem, também, aquelas que colocaram na Web uma nova formatação de seu negócio, sem saber exatamente por que, seguindo apenas uma moda. Mas os novos parâmetros da Web estão mudando esta situação. O baixo custo de se ter um site Web e as novas tecnologias de segurança desenvolvidas pelas administradoras de cartões de crédito passam a influir cada vez mais no consumo via Internet, que pode ser mais barato e até mais rápido A Internet e as mudanças sociais Para pensarmos sobre a revolução causada pela Internet de uma forma mais completa, não podemos nos limitar à história ou a números da Rede. Existe uma transformação sociocultural muito grande e muito presente na vida, até mesmo daqueles que ainda não estão efetivamente conectados à Rede. Essas mudanças podem estar implícitas. Essa impressão, por exemplo, de estarmos sempre atrasados ou desinformados, numa busca incessante por um conhecimento que, por mais inteligentes ou capacitados que sejamos, nunca conseguiremos dar conta, é uma característica da sociedade no século que se inicia. Para Pierre Lévy, um dos mais importantes pensadores do mundo cibernético, o internauta está construindo um mundo novo, uma verdadeira comunidade virtual e global, que está apenas começando a formar sua linguagem, com signos e códigos particulares e, enfim, uma nova cultura, a Cibercultura (LÉVY, Pierre. Cibercultura. Editora 34, São Paulo: 1999). Ciberespaço e cultura digital são termos que quem quiser ter acesso à Internet deve ou pelo menos deveria entender. O termo ciberespaço surgiu originalmente pela primeira vez na novela de ficção científica Neuromancer (Neuromante), de William Gibson. É o nome por vezes usado para designar o espaço conceptual onde se manifestam palavras, relações humanas, dados, riqueza e poder dos usuários da tecnologia de Comunicações Mediadas por Computador (RHEINGOLD: 1996).

9 Todos os dias surgem novos termos dentro dessa cultura do ciberespaço e, vinculados à cultura global, uma infinidade deles que, para serem citados aqui, precisariam de um estudo a parte. O que nos vale analisar dentro da cibercultura é a relação entre homem e máquina, levando a uma interatividade planetária que tem dado outro sentido à existência humana, ou até mesmo mudando conceitos do que é estar realmente vivo, como Sherry TURKLE e outros cientistas têm discutido ao longo desses anos. É impossível fugir dessa discussão para entendermos o potencial da informação e seu verdadeiro alcance nos dias de hoje. Ou se possível, tentando ser menos pretensiosos, traçar um perfil das mudanças socioculturais, de que apenas começamos a falar acima, afetando o usuário, o receptor e ao mesmo tempo, emissor desta enxurrada de informações. Segundo Howard Rheingold (RHEINGOLD, Comunidade Virtual, 1995), as CMC têm potencial para mudar as nossas vidas em três níveis distintos, mas fortemente interdependentes. Primeiramente como seres humanos individuais que somos, temos percepções, pensamentos e personalidades (já moldados por anteriores tecnologias de comunicação) que são afetados pelo modo como usamos o meio de comunicação, e vice-versa. A este nível fundamental, as CMC apelam a certas necessidades intelectuais, materiais e emocionais que sentimos enquanto organismos vivos que somos. No que diz respeito à comunicação, os jovens de hoje têm tendências diferentes relativamente à geração pré-mcluhan. Por exemplo, a MTV professa uma sensibilidade estética intimamente relacionada com a linguagem da televisão, caracterizada por seqüências rápidas, imagens atraentes e efeitos especiais. Neste momento, alguns dos indivíduos que nasceram na era da televisão e cresceram na dos telefones celulares estão a migrar para os territórios da CMC que melhor se ajustam às suas concepções modernas de vida. Como resultado de milhões e milhões de interações online, existe igualmente um vocabulário próprio das CMC, o qual reflete de certo modo as alterações da personalidade humana na era da saturação dos media. O segundo nível de possíveis alterações despelotadas pelas CMC é o nível a que se desenvolvem as relações interpessoais, as amizades e as comunidades. A tecnologia de CMC confere uma nova capacidade de comunicação multilateral, de muitos para muitos. No entanto, a concretização futura desta capacidade está nas nossas mãos porque somo os primeiros a experimentá-la; o seu futuro depende do nosso sucesso em aplicá-la. Aqueles de nós que travaram conhecimento por intermédio da tecnologia de CMC encontram-se diante de um desafio de construírem em conjunto algo semelhante a uma comunidade. O terceiro nível da alteração das nossas vidas, o nível político, deriva do nível médio, o social, pois a política é sempre uma combinação de comunicação com poder material, e o papel dos meios de comunicação é particularmente importante para a política nas sociedades democráticas. O conceito da moderna democracia representativa, como primordialmente concebido pelos filósofos do Iluminismo, incorporava o reconhecimento de uma teia viva de comunicação entre os cidadãos denominada sociedade civil ou esfera pública. Embora as eleições sejam as característica fundamentais mais visíveis nas

10 sociedades democráticas, supõe-se que as eleições se apoiaram na discussão entre os cidadãos, em todos os níveis da sociedade, sobre as questões importantes para a nação. Possivelmente, as nossas vidas, como seres humanos individuais, nunca estiveram tão individualizadas como nos dias da Internet. As maneiras de relacionarmo-nos, mesmo como indivíduos, tornou-se, aparentemente, mais fria graças ao computador e ao advento de novas tecnologias. No entanto, se procurarmos pensar de um ponto de vista diferente do tecnológico, aceitando os computadores como mais do que simples máquinas e a tecnologia não mais como um terrível monstro, será possível enxergar nestes dois instrumentos, que parecem um só, um veículo maior de interatividade entre os seres pensantes da Terra. A possibilidade de relacionarmo-nos numa dimensão interplanetária pode tirar do computador o estigma de máquina fria ou simples objeto. Se pensarmos que por trás dessas máquinas existem outros seres humanos interagindo em outras partes distantes do mundo, veremos no computador o veículo viabilizador de tal comunicação humana, infinitamente melhor e mais barato do que os próprios telefones. Ora, para ligarmos para outra pessoa em outro país, temos, como prérequisito, de conhecer tal pessoa; em seguida, temos que saber o número do telefone dela; depois precisamos saber um horário conveniente para entrarmos em contato; e, por último, o mais significante, temos de estar cientes da exorbitante quantia que teremos de pagar por essas limitadas horas de conversa que se resumem, ainda, a apenas duas pessoas. Já graças ao computador conectado à Internet, essa interação de relações interpessoais deixa de ser tão restrita e cobra apenas um pré-requisito: estar sentado à frente de um computador on line. A formação de novas comunidades, portanto, ocorre em um nível intelectual, e não mais no plano físico da concepção de comunidade. Feita esta análise, precisamos retomar a importância crescente da máquina em nossas vidas, na formação de comunidades interplanetárias através do bom uso da Internet. A influência dessa nova mídia em conferir uma capacidade de comunicação multilateral, de muitos para muitos, como define Rheingold, possibilita-nos uma reflexão sobre a sociedade que nasce neste momento de transição. A sociedade massificada volta a ter a oportunidade de assumir novamente o controle do poder, que até então, estava restrito aos formadores de opinião do mass media. Os veículos de comunicação de massa detêm o poder sobre a opinião pública, podendo manipular as políticas atuais segundo os interesses de uma pequena elite que detém o controle desses veículos de comunicação de massa. Agora, com a Internet (e a Web), voltamos a vislumbrar o modelo de uma verdadeira sociedade democrática revitalizada pelos cidadãos, desafiando, graças à CMC, o monopólio dos poderosos meios de comunicação detidos pela hierarquia política. Essa proximidade do controle da mídia por grupos cada vez mais restritos é aterrorizante, pois isso significa um governo baseado num totalitarismo mascarado de democracia, um regime ditatorial que exprime sua força na capacidade de manipular os cidadãos. A Rede surge neste momento político, portanto, com a utopia de construir uma sociedade mais civilizada, baseada em interesses mais amplos e humanitários. Até aqui, podemos entender a importância de se estabelecer os meios de CMC nesta empreitada do homem na busca de uma sociedade ironicamente, diga-se de

1 Introdução. 1.1 A Nova Era Digital

1 Introdução. 1.1 A Nova Era Digital 11 1 Introdução Com o advento da nova era da internet, conhecida com web 2.0, e o avanço das tecnologias digitais, o consumidor passa a ter maior acesso à informação bem como à facilidade de expressar

Leia mais

Tecnologia da Informação. Prof Odilon Zappe Jr

Tecnologia da Informação. Prof Odilon Zappe Jr Tecnologia da Informação Prof Odilon Zappe Jr Internet Internet Internet é o conglomerado de redes, em escala mundial de milhões de computadores interligados, que permite o acesso a informações e todo

Leia mais

PROGRAMA DE INTERIORIZAÇÃO DO TRABALHO EM SAÚDE (PITS) Curso de Internet para Profissionais de Saúde

PROGRAMA DE INTERIORIZAÇÃO DO TRABALHO EM SAÚDE (PITS) Curso de Internet para Profissionais de Saúde PROGRAMA DE INTERIORIZAÇÃO DO TRABALHO EM SAÚDE (PITS) INTRODUÇÃO UNIDADE 1 Módulo 1: Curso de Internet para Profissionais de Saúde Internet e a Ciência O papel da internet na formação dos profissionais

Leia mais

Atividade Capitulo 6 - GABARITO

Atividade Capitulo 6 - GABARITO Atividade Capitulo 6 - GABARITO 1. A Internet é uma força motriz subjacente aos progressos em telecomunicações, redes e outras tecnologias da informação. Você concorda ou discorda? Por quê? Por todos os

Leia mais

Pequena história da Internet

Pequena história da Internet Pequena história da Internet A Internet nasceu em 1969, nos Estados Unidos. Interligava originalmente laboratórios de pesquisa e se chamava ARPAnet (ARPA: Advanced Research Projects Agency). Era uma rede

Leia mais

Sistema de Gestão de Aulas

Sistema de Gestão de Aulas Sistema de Gestão de Aulas criando cultura para o Ensino a Distância e melhorando o processo ensino-aprendizagem pela internet RICARDO CREPALDE* RESUMO O objetivo deste artigo é apresentar a experiência

Leia mais

DESAFIOS DO SKYPE NA COLETA DE DADOS NA PESQUISA EM EDUCAÇÃO ONLINE

DESAFIOS DO SKYPE NA COLETA DE DADOS NA PESQUISA EM EDUCAÇÃO ONLINE DESAFIOS DO SKYPE NA COLETA DE DADOS NA PESQUISA EM EDUCAÇÃO ONLINE Mayara Teles Viveiros de Lira (UFAL) Maria Helena de Melo Aragão (UFAL) Luis Paulo Leopoldo Mercado (UFAL) Resumo Este estudo analisa

Leia mais

INTERNET -- NAVEGAÇÃO

INTERNET -- NAVEGAÇÃO Página 1 INTRODUÇÃO Parte 1 O que é a Internet? A Internet é uma rede mundial de computadores, englobando redes menores distribuídas por vários países, estados e cidades. Ao contrário do que muitos pensam,

Leia mais

Este documento provê informação atualizada, e simples de entender, para o empreendedor que precisa iniciar ou avaliar suas operações online.

Este documento provê informação atualizada, e simples de entender, para o empreendedor que precisa iniciar ou avaliar suas operações online. Os segredos dos negócios online A Internet comercial está no Brasil há menos de 14 anos. É muito pouco tempo. Nesses poucos anos ela já mudou nossas vidas de muitas maneiras. Do programa de televisão que

Leia mais

Informática Aplicada. Aula 3 Internet, Browser e E-mail. Professora: Cintia Caetano

Informática Aplicada. Aula 3 Internet, Browser e E-mail. Professora: Cintia Caetano Informática Aplicada Aula 3 Internet, Browser e E-mail Professora: Cintia Caetano SURGIMENTO DA INTERNET A rede mundial de computadores, ou Internet, surgiu em plena Guerra Fria, no final da década de

Leia mais

1. AULA 1 - INTRODUÇÃO À REDES DE COMPUTADORES

1. AULA 1 - INTRODUÇÃO À REDES DE COMPUTADORES 1. AULA 1 - INTRODUÇÃO À REDES DE COMPUTADORES Objetivos da Aula Aprender os conceitos básicos para compreensão das próximas aulas. Na maioria dos casos, os conceitos apresentados serão revistos com maior

Leia mais

Aula 1: Introdução à Disciplina Fonte: Plano de Aula Oficial da Disciplina

Aula 1: Introdução à Disciplina Fonte: Plano de Aula Oficial da Disciplina Programação para Internet Rica 1 Aula 1: Introdução à Disciplina Fonte: Plano de Aula Oficial da Disciplina Objetivo: Identificar os princípios que se destacam como características da Web 2.0. INTRODUÇÃO

Leia mais

NOTAS DE AULA - TELECOMUNICAÇÕES

NOTAS DE AULA - TELECOMUNICAÇÕES NOTAS DE AULA - TELECOMUNICAÇÕES 1. Conectando a Empresa à Rede As empresas estão se tornando empresas conectadas em redes. A Internet e as redes de tipo Internet dentro da empresa (intranets), entre uma

Leia mais

ANÁLISE DE SITES EDUCACIONAIS PELO PROFESSOR E PELO ALUNO

ANÁLISE DE SITES EDUCACIONAIS PELO PROFESSOR E PELO ALUNO Análise do professor: Parâmetros para avaliação Ao navegar por Web sites é importante observar alguns tópicos para determinar se um site é bom ou não. Navegação, design, conteúdo, velocidade de acesso,

Leia mais

Programação de Computadores

Programação de Computadores Programação de Computadores Computadores: Ferramentas para a Era da Informação Material Didático do Livro: Introdução à Informática Capron,, H. L. e Johnson, J. A Pearson Education Componentes de um Sistema

Leia mais

UMA REFLEXÃO SOBRE A REDE MUNDIAL DE COMPUTADORES

UMA REFLEXÃO SOBRE A REDE MUNDIAL DE COMPUTADORES Uma reflexão sobre a rede mundial de computadores 549 UMA REFLEXÃO SOBRE A REDE MUNDIAL DE COMPUTADORES por Guilherme Paiva de Carvalho * CASTELLS, Manuel. A galáxia da Internet: reflexões sobre a Internet,

Leia mais

INTERNET -- NAVEGAÇÃO

INTERNET -- NAVEGAÇÃO Página 1 Acessando endereços simultaneamente Parte 2 Um recurso interessante e extremamente útil é o de abrir várias janelas ao mesmo tempo. Em cada janela você poderá acessar um endereço diferente na

Leia mais

Computação nas nuvens (Vantagens)

Computação nas nuvens (Vantagens) Computação em Nuvem Computação em nuvem O conceito de computação em nuvem (em inglês, cloud computing) refere-se à possibilidade de utilizarmos computadores menos potentes que podem se conectar à Web e

Leia mais

Telecomunicações, Internet e tecnologia sem fio. slide 1

Telecomunicações, Internet e tecnologia sem fio. slide 1 Telecomunicações, Internet e tecnologia sem fio slide 1 Objetivos de estudo Quais os principais componentes das redes de telecomunicações e quais as principais tecnologias de rede? Quais os principais

Leia mais

Redes de Computadores. Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com

Redes de Computadores. Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Redes de Computadores Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Introdução à tecnologia de redes Redes de Computadores Século XX - Era da Informação -> invenção do computador. No início, os

Leia mais

NAVEGANDO NA INTERNET

NAVEGANDO NA INTERNET UNIDADE 2 NAVEGANDO NA INTERNET OBJETIVOS ESPECÍFICOS DE APRENDIZAGEM Ao finalizar esta Unidade você deverá ser capaz de: Definir a forma de utilizar um software de navegação; Debater os conteúdos disponibilizados

Leia mais

IPTV UMA INOVAÇÃO PARA O VALE DO SÃO LOURENÇO RESUMO

IPTV UMA INOVAÇÃO PARA O VALE DO SÃO LOURENÇO RESUMO IPTV UMA INOVAÇÃO PARA O VALE DO SÃO LOURENÇO AMADIO Renato Arnaut 1 RESUMO A região do Vale do São Lourenço já está inserida na era digital, ela se caracteriza pela economia sustentada na agropecuária,

Leia mais

C.P.F. DOS ENVOLVIDOS: 105111179-06 085997089-29 093745209-23 KRIO. A integração entre a tecnologia e a comunicação para Jovens Aprendizes

C.P.F. DOS ENVOLVIDOS: 105111179-06 085997089-29 093745209-23 KRIO. A integração entre a tecnologia e a comunicação para Jovens Aprendizes C.P.F. DOS ENVOLVIDOS: 105111179-06 085997089-29 093745209-23 KRIO A integração entre a tecnologia e a comunicação para Jovens Aprendizes FLORIANÓPOLIS 2014 2 RESUMO: O projeto apresentado é resultado

Leia mais

INFORMÁTICA APLICADA AULA 06 INTERNET

INFORMÁTICA APLICADA AULA 06 INTERNET UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO CURSO: Bacharelado em Ciências e Tecnologia INFORMÁTICA APLICADA AULA 06 INTERNET Profª Danielle Casillo SUMÁRIO O que é Internet Conceitos básicos de internet

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS. Aula 09

SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS. Aula 09 FACULDADE CAMÕES PORTARIA 4.059 PROGRAMA DE ADAPTAÇÃO DE DISCIPLINAS AO AMBIENTE ON-LINE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAL DOCENTE: ANTONIO SIEMSEN MUNHOZ, MSC. ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO: FEVEREIRO DE 2007. Internet,

Leia mais

Introdução a Computação. A Primeira Geração. A Segunda Geração. Geração dos Computadores. Geração dos Computadores. Geração de Computadores

Introdução a Computação. A Primeira Geração. A Segunda Geração. Geração dos Computadores. Geração dos Computadores. Geração de Computadores Introdução a Computação Geração de Computadores 1ª Geração: 1950 Circuitos eletrônicos a Válvulas Operações Internas em Milissegundos Programados em Linguagem de Máquina 1 2 A Primeira Geração O UNIVAC

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores 1 Universidade Tecnológica Federal do Paraná UTFPR Campus: Campo Mourão Professor: Feitosa dos Santos E-mail: luiz_arthur@fornet.com.br Sumário: Introdução; Classificação. 2 É Praticamente impossível hoje

Leia mais

TRABALHOS TÉCNICOS Serviço de Documentação e Informação EDIÇÃO E GESTÃO DE CONTEÚDO PARA WEB

TRABALHOS TÉCNICOS Serviço de Documentação e Informação EDIÇÃO E GESTÃO DE CONTEÚDO PARA WEB TRABALHOS TÉCNICOS Serviço de Documentação e Informação EDIÇÃO E GESTÃO DE CONTEÚDO PARA WEB Gestão do Conhecimento hoje tem se materializado muitas vezes na memória organizacional da empresa. O conteúdo

Leia mais

Marcelo Ivanir Peruzzo

Marcelo Ivanir Peruzzo 5 Web Marketing Marcelo Ivanir Peruzzo É comum as pessoas utilizarem o termo marketing nas mais variadas situações, como na política: Ele está fazendo uma jogada de marketing para conquistar o cargo de

Leia mais

INTERNET CONCEITOS. Internet é a "grande rede mundial de computadores"

INTERNET CONCEITOS. Internet é a grande rede mundial de computadores INTERNET CONCEITOS O que é Internet Estamos acostumados a ouvir que Internet é a "grande rede mundial de computadores" Entretanto, essa definição não é muito simplista. Na realidade, Ela é uma coleção

Leia mais

O futuro do YouTube - VEJA.com

O futuro do YouTube - VEJA.com Entrevista O futuro do YouTube 29/08/2009 10:49 Por Leo Branco Nesta semana, Chad Hurley, de 32 anos, um dos criadores do YouTube, esteve no Brasil e falou a VEJA sobre o futuro do maior site de vídeos

Leia mais

Desenvolvimento em Ambiente Web. Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com

Desenvolvimento em Ambiente Web. Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Desenvolvimento em Ambiente Web Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Internet A Internet é um conjunto de redes de computadores de domínio público interligadas pelo mundo inteiro, que tem

Leia mais

Introdução à Informática

Introdução à Informática Introdução à Informática Aula 23 http://www.ic.uff.br/~bianca/introinfo/ Aula 23-07/12/2007 1 Histórico da Internet Início dos anos 60 Um professor do MIT (J.C.R. Licklider) propõe a idéia de uma Rede

Leia mais

Anderson L. S. Moreira

Anderson L. S. Moreira Tecnologia da Informação Aula 9 Telecomunicações e Rede Interconectando a Empresa Anderson L. S. Moreira anderson.moreira@ifpe.edu.br Instituto Federal de Pernambuco Recife PE Esta apresentação está sob

Leia mais

COMÉRCIO ELETRÔNICO UM BREVE HISTÓRICO

COMÉRCIO ELETRÔNICO UM BREVE HISTÓRICO UM BREVE HISTÓRICO COMÉRCIO ELETRÔNICO O comércio sempre existiu desde que surgiram as sociedades. Ele é dito como o processo de comprar, vender e trocar produtos e serviços. Inicialmente praticado pelos

Leia mais

Introdução ao Desenvolvimento e Design de Websites

Introdução ao Desenvolvimento e Design de Websites Introdução ao Desenvolvimento e Design de Websites Prof.: Salustiano Rodrigues de Oliveira Email: saluorodrigues@gmail.com Site: www.profsalu.wordpress.com Introdução ao Desenvolvimento e Design de Websites

Leia mais

CLC5 Formador: Vítor Dourado

CLC5 Formador: Vítor Dourado 1 A designação da Internet advém de Interconnected Network, ou seja, rede interligada. A Internet é uma gigantesca teia mundial de redes de computadores, em constante crescimento e evolução, oferecendo

Leia mais

AS NOVAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO NUMA SOCIEDADE EM TRANSIÇÃO

AS NOVAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO NUMA SOCIEDADE EM TRANSIÇÃO AS NOVAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO NUMA SOCIEDADE EM TRANSIÇÃO AS NOVAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO NUMA SOCIEDADE EM TRANSIÇÃO MÁRCIA MARIA PALHARES (márcia.palhares@uniube.br) RACHEL INÊS DA SILVA (bcpt2@uniube.br)

Leia mais

Administração de Sistemas de Informação Gerenciais

Administração de Sistemas de Informação Gerenciais Administração de Sistemas de Informação Gerenciais UNIDADE V: Telecomunicações, Internet e Tecnologia Sem Fio. Tendências em Redes e Comunicações No passado, haviam dois tipos de redes: telefônicas e redes

Leia mais

Peça para um amigo baixar o programa também, e você pode começar a experimentar o VoIP para ver como funciona. Um bom lugar para procurar é

Peça para um amigo baixar o programa também, e você pode começar a experimentar o VoIP para ver como funciona. Um bom lugar para procurar é VOIP Se você nunca ouviu falar do VoIP, prepare-se para mudar sua maneira de pensar sobre ligações de longa distância. VoIP, ou Voz sobre Protocolo de Internet, é um método para pegar sinais de áudio analógico,

Leia mais

Interatividade e Interação

Interatividade e Interação Faculdade Boa Viagem Interatividade e Interação Linguagem III Rodrigo Duguay Várias frentes para uma invenção Por mais que coloquemos Tim Berners Lee como o marco referencial da invenção da Internet com

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores São dois ou mais computadores ligados entre si através de um meio.a ligação pode ser feita recorrendo a tecnologias com fios ou sem fios. Os computadores devem ter um qualquer dispositivo

Leia mais

É uma rede mundial de computadores ligados entre si. INTERNET

É uma rede mundial de computadores ligados entre si. INTERNET INTERNET O QUE É A INTERNET? O QUE É NECESSÁRIO PARA ACEDER À INTERNET? QUAL A DIFERENÇA ENTRE WEB E INTERNET? HISTÓRIA DA INTERNET SERVIÇOS BÁSICOS DA INTERNET 2 1 INTERCONNECTED NETWORK INTERNET A Internet

Leia mais

Capítulo 2 Introdução à ferramenta Flash

Capítulo 2 Introdução à ferramenta Flash Capítulo 2 Introdução à ferramenta Flash Índice 1. O uso da ferramenta Flash no projeto RIVED.... 1 2. História do Flash... 4 1. O uso da ferramenta Flash no projeto RIVED. É importante, antes de iniciarmos

Leia mais

APOSTILA BÁSICA INFORMÁTICA: 1. PROCESSADOR DE TEXTOS 1.1 Conhecendo o aplicativo Word 2007 2.EDITOR DE PLANILHAS

APOSTILA BÁSICA INFORMÁTICA: 1. PROCESSADOR DE TEXTOS 1.1 Conhecendo o aplicativo Word 2007 2.EDITOR DE PLANILHAS APOSTILA BÁSICA INFORMÁTICA: 1. PROCESSADOR DE TEXTOS 1.1 Conhecendo o aplicativo Word 2007 2.EDITOR DE PLANILHAS 3.INTERNET 3.1. Internet: recursos e pesquisas 3.2. Conhecendo a Web 3.3. O que é um navegador?

Leia mais

Tópicos Especiais em Informática. Msc. Márcio Alencar

Tópicos Especiais em Informática. Msc. Márcio Alencar Tópicos Especiais em Informática Msc. Márcio Alencar Recursos Certamente, um dos atrativos do chamado e- Learning (ou ensino á distância com uso de ferramentas computacionais/eletrônicas), são os novos

Leia mais

Sinopse... 2. Saudação... 3. Internet... 6 a 11. Usenet... 12 a 13. Protocolo... 14 a 15. Navegador... 16 a 19. Web... 20

Sinopse... 2. Saudação... 3. Internet... 6 a 11. Usenet... 12 a 13. Protocolo... 14 a 15. Navegador... 16 a 19. Web... 20 ÍNDICE Sinopse... 2 Saudação... 3 Internet... 6 a 11 Usenet... 12 a 13 Protocolo... 14 a 15 Navegador... 16 a 19 Web... 20 Internet explorer... 21 a 27 Download.... 28 a 32 E-mail... 33 a 38 Exercícios...

Leia mais

Música e internet: uma expressão da Cultura Livre

Música e internet: uma expressão da Cultura Livre Música e internet: uma expressão da Cultura Livre Auta Rodrigues Moreira Irene Guerra Salles Lilian Braga Carmo Luana Roberta Salazar Resumo: Atualmente, com a presença marcante das tecnologias, torna-se

Leia mais

Integração com a Mídia Social

Integração com a Mídia Social Guia rápido sobre... Integração com a Mídia Social Neste guia... Vamos mostrar como integrar seu marketing com as mídias sociais para você tirar o maior proveito de todo esse burburinho online! Nós ajudamos

Leia mais

A utilização das redes na disseminação das informações

A utilização das redes na disseminação das informações Internet, Internet2, Intranet e Extranet 17/03/15 PSI - Profº Wilker Bueno 1 Internet: A destruição as guerras trazem avanços tecnológicos em velocidade astronômica, foi assim também com nossa internet

Leia mais

PRÁTICAS PEDAGÓGICAS E O USO INTEGRADO DE TECNOLOGIAS DIGITAIS Sérgio Abranches

PRÁTICAS PEDAGÓGICAS E O USO INTEGRADO DE TECNOLOGIAS DIGITAIS Sérgio Abranches PRÁTICAS PEDAGÓGICAS E O USO INTEGRADO DE TECNOLOGIAS DIGITAIS Sérgio Abranches A presença de tecnologias digitais no campo educacional já é facilmente percebida, seja pela introdução de equipamentos diversos,

Leia mais

Redes de Computadores II

Redes de Computadores II Redes de Computadores II INTERNET Protocolos de Aplicação Intranet Prof: Ricardo Luís R. Peres As aplicações na arquitetura Internet, são implementadas de forma independente, ou seja, não existe um padrão

Leia mais

Evolução na Comunicação de

Evolução na Comunicação de Evolução na Comunicação de Dados Invenção do telégrafo em 1838 Código Morse. 1º Telégrafo Código Morse Evolução na Comunicação de Dados A evolução da comunicação através de sinais elétricos deu origem

Leia mais

Web site Espia Amazonas 1

Web site Espia Amazonas 1 1 Web site Espia Amazonas 1 Lidiane CUNHA 2 Adália CORDEIRO 3 Breno CABRAL 4 Iara RODRIGUES 5 Marcela MORAES 7 Gabrielle NASCIMENTO 8 Faculdade Boas Novas, Manaus, AM RESUMO O web site Espia Amazonas foi

Leia mais

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E Unidade III TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO EM EDUCAÇÃO Prof. Me. Eduardo Fernando Mendes Google: um mundo de oportunidades Os conteúdos abordados neste modulo são: Google: Um mundo de oportunidades;

Leia mais

Curso de Especialização em Saúde da Família

Curso de Especialização em Saúde da Família MÓDULO: FAMILIARIZAÇÃO TECNOLÓGICA COM EAD UNIDADE 02 PROCESSO DE INTERAÇÃO EM EAD Prof. Msc Rômulo Martins 2.1 Interação em EAD A partir das novas mídias e tecnologias, tais como a televisão, o telefone

Leia mais

O Mouse. Doug Engelbart - O inventor do mouse

O Mouse. Doug Engelbart - O inventor do mouse O Mouse Mouse é um dispositivo no qual o usuário do computador desliza sobre uma superfície para apontar em um local do vídeo (monitor) e selecionar uma ou mais ações daquela posição. O mouse tornou-se

Leia mais

ESCASSEZ DE ENDEREÇOS IPV4

ESCASSEZ DE ENDEREÇOS IPV4 ATIVIDADE 1 ESCASSEZ DE ENDEREÇOS IPV4 1.1 História Apesar de este livro ter um enfoque prático, com atividades no estilo mão na massa em todas as atividades que veremos a seguir torna-se necessário, em

Leia mais

O SIGNIFICADO DA PESQUISA:

O SIGNIFICADO DA PESQUISA: O SIGNIFICADO DA PESQUISA: ESCRITO POR Clive de Freitas PUBLICADO Outubro 2013 como ela molda nossas vidas e cria marcas O RESUMO Como profissionais de marketing, é fácil reduzir a pesquisa para métricas

Leia mais

Introdução Redes de Computadores. Filipe Raulino

Introdução Redes de Computadores. Filipe Raulino <filipe.raulino@ifrn.edu.br> Introdução Redes de Computadores Filipe Raulino Introducão A comunicação sempre foi uma necessidade básica da humanidade. Como se comunicar a distância? 2 Evolução da Comunicação

Leia mais

Introdução à redes de computadores

Introdução à redes de computadores 1/8 Introdução à redes de computadores Faz todo o sentido ligar os computadores em rede. Você não precisa ter uma impressora, um HD de grande capacidade, um gravador de DVDs e conexão via ADSL para cada

Leia mais

Sumário Aspectos Básicos... 3 Como Empresas usam o Facebook... 3 Introdução ao Facebook... 4 Criando um Cadastro... 5 Confirmando E-mail...

Sumário Aspectos Básicos... 3 Como Empresas usam o Facebook... 3 Introdução ao Facebook... 4 Criando um Cadastro... 5 Confirmando E-mail... FACEBOOK Sumário Aspectos Básicos... 3 Como Empresas usam o Facebook... 3 Introdução ao Facebook... 4 Criando um Cadastro... 5 Confirmando E-mail... 8 Características do Facebook... 10 Postagens... 11

Leia mais

Projeto Blogs! Paraná. Autor: Rodrigo Asturian Jornalista da Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar).

Projeto Blogs! Paraná. Autor: Rodrigo Asturian Jornalista da Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar). Projeto Blogs! Paraná Autor: Rodrigo Asturian Jornalista da Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar). Introdução Enquanto a tecnologia avança vertiginosamente, o problema da exclusão digital persiste

Leia mais

frozza@ifc-camboriu.edu.brcamboriu.edu.br

frozza@ifc-camboriu.edu.brcamboriu.edu.br Internet Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. frozza@ifc-camboriu.edu.brcamboriu.edu.br O que é Internet? Uma rede de computadores consiste de dois ou mais computadores ligados entre si e compartilhando

Leia mais

15. OLHA QUEM ESTÁ NA WEB!

15. OLHA QUEM ESTÁ NA WEB! 7 a e 8 a SÉRIES / ENSINO MÉDIO 15. OLHA QUEM ESTÁ NA WEB! Sua home page para publicar na Internet SOFTWARES NECESSÁRIOS: MICROSOFT WORD 2000 MICROSOFT PUBLISHER 2000 SOFTWARE OPCIONAL: INTERNET EXPLORER

Leia mais

T ecnologias de I informação de C omunicação

T ecnologias de I informação de C omunicação T ecnologias de I informação de C omunicação 9º ANO Prof. Sandrina Correia TIC Prof. Sandrina Correia 1 Objectivos Aferir sobre a finalidade da Internet Identificar os componentes necessários para aceder

Leia mais

Internet. História da Internet

Internet. História da Internet Internet A rede mundial de computadores é um grande fenômeno e está ampliando os horizontes de profissionais e empresas. O acesso é feito a qualquer hora e de qualquer lugar: do escritório, em casa, na

Leia mais

Centro Digital Aula 1

Centro Digital Aula 1 Centro Digital Aula 1 A oficina de Criação de website visa capacitar o aluno a criar e hospedar uma página simples na internet, com moldes predeterminados para divulgação de seu negócio. A internet surgiu

Leia mais

SISTEMAS OPERACIONAIS LIVRES SERVICOS DE REDE LOCAL. Professor Carlos Muniz

SISTEMAS OPERACIONAIS LIVRES SERVICOS DE REDE LOCAL. Professor Carlos Muniz SISTEMAS OPERACIONAIS LIVRES SERVICOS DE REDE LOCAL Na internet, cada computador conectado à rede tem um endereço IP. Todos os endereços IPv4 possuem 32 bits. Os endereços IP são atribuídos à interface

Leia mais

INTERNET, INTRANET E EXTRANET

INTERNET, INTRANET E EXTRANET INTERNET, INTRANET E EXTRANET 1 Internet Rede de computadores que interliga milhões de usuários em todo o mundo. Não é uma rede única, mas um grupo de redes hierarquizadas. Pessoas e computadores trocando

Leia mais

Conceitos básicos de comunicação de dados e redes de computadores

Conceitos básicos de comunicação de dados e redes de computadores Conceitos básicos de comunicação de dados e redes de computadores Nesta aula vamos ver o conceito de informática e comunicação de dados, conhecer noções teleprocessamento e de rede de computadores e obter

Leia mais

Manual do Ambiente Virtual Moodle

Manual do Ambiente Virtual Moodle Manual do Ambiente Virtual Moodle versão 0.3 Prof. Cristiano Costa Argemon Vieira Prof. Hercules da Costa Sandim Outubro de 2010 Capítulo 1 Primeiros Passos 1.1 Acessando o Ambiente Acesse o Ambiente Virtual

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Introdução Redes de Computadores Marco Antonio Montebello Júnior marco.antonio@aes.edu.br Rede É um conjunto de computadores chamados de estações de trabalho que compartilham recursos de hardware (HD,

Leia mais

COMO REDUZIR O CUSTO NA COMUNICAÇÃO USANDO A INTERNET

COMO REDUZIR O CUSTO NA COMUNICAÇÃO USANDO A INTERNET COMO REDUZIR O CUSTO NA COMUNICAÇÃO USANDO A INTERNET Ao mesmo tempo em que hoje se tornou mais fácil falar a longa distância, pela multiplicidade de opções e operadoras de telefonia, também surgem as

Leia mais

PARANÁ GOVERNO DO ESTADO

PARANÁ GOVERNO DO ESTADO PARANÁ GOVERNO DO ESTADO COLÉGIO ESTADUAL DE PARANAVAÍ ENSINO FUNDAMENTAL, MÉDIO, NORMAL E PROFISSIONAL CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA DISCIPLINA: INTERNET E PROGRAMAÇÃO WEB 1º MÓDULO SUBSEQUENTE MECANISMOS

Leia mais

CONSTRUINDO UM JOGO EDUCATIVO UTILIZANDO O SOFTWARE DE AUTORIA ADOBE FLASH

CONSTRUINDO UM JOGO EDUCATIVO UTILIZANDO O SOFTWARE DE AUTORIA ADOBE FLASH CONSTRUINDO UM JOGO EDUCATIVO UTILIZANDO O SOFTWARE DE AUTORIA ADOBE FLASH Francielly Falcão da Silva¹, Samuel Carlos Romeiro Azevedo Souto², Mariel José Pimentel de Andrade³ e Alberto Einstein Pereira

Leia mais

Rede de Computadores. Arquitetura Cliente-Servidor

Rede de Computadores. Arquitetura Cliente-Servidor Rede de Computadores Arquitetura ClienteServidor Coleção de dispositivos de computação interconectados que permitem a um grupo de pessoas compartilhar informações e recursos É a conexão de dois ou mais

Leia mais

Módulo 3: Redes e Telecomunicações

Módulo 3: Redes e Telecomunicações Módulo 3: Redes e Telecomunicações Objetivos do Capítulo 1. Identificar os principais tipos de aplicações e o valor comercial da Internet e outras redes de Telecomunicações para as empresas. 2. Identificar

Leia mais

INTRODUÇÃO A REDES DE COMPUTADORES (DEFINIÇÕES) Prof. Msc. Hélio Esperidião

INTRODUÇÃO A REDES DE COMPUTADORES (DEFINIÇÕES) Prof. Msc. Hélio Esperidião INTRODUÇÃO A REDES DE COMPUTADORES (DEFINIÇÕES) Prof. Msc. Hélio Esperidião O QUE É? Uma Rede de Computadores é formada por um conjunto de equipamentos(módulos processadores - MPs) capazes de trocar informações

Leia mais

Comunicação Comunicação é o ato de transmissão de informações de uma pessoa à outra. Emissor: Receptor: Meio de transmissão Sinal:

Comunicação Comunicação é o ato de transmissão de informações de uma pessoa à outra. Emissor: Receptor: Meio de transmissão Sinal: Redes - Comunicação Comunicação é o ato de transmissão de informações de uma pessoa à outra. Comunicação sempre foi, desde o início dos tempos, uma necessidade humana buscando aproximar comunidades distantes.

Leia mais

TECNOLOGIA WEB Aula 1 Evolução da Internet Profa. Rosemary Melo

TECNOLOGIA WEB Aula 1 Evolução da Internet Profa. Rosemary Melo TECNOLOGIA WEB Aula 1 Evolução da Internet Profa. Rosemary Melo Tópicos abordados Surgimento da internet Expansão x Popularização da internet A World Wide Web e a Internet Funcionamento e personagens da

Leia mais

A Intel espera uma redução de 20% nos custos de audioconferências com solução de comunicações unificadas

A Intel espera uma redução de 20% nos custos de audioconferências com solução de comunicações unificadas Microsoft Office System Estudo de caso da solução do cliente A espera uma redução de 20% nos custos de audioconferências com solução de comunicações unificadas Visão geral País ou região: Estados Unidos

Leia mais

RC e a Internet: noções gerais. Prof. Eduardo

RC e a Internet: noções gerais. Prof. Eduardo RC e a Internet: noções gerais Prof. Eduardo Conceitos A Internet é a rede mundial de computadores (rede de redes) Interliga milhares de dispositivos computacionais espalhados ao redor do mundo. A maioria

Leia mais

Sumário O Computador... 3 Desligando o computador... 5 Cuidados com o computador... 5 O Windows e as janelas... 6 O que é o Windows?...

Sumário O Computador... 3 Desligando o computador... 5 Cuidados com o computador... 5 O Windows e as janelas... 6 O que é o Windows?... 1 Sumário O Computador... 3 Desligando o computador... 5 Cuidados com o computador... 5 O Windows e as janelas... 6 O que é o Windows?... 6 Usando os programas... 7 Partes da janela:... 7 Fechando as janelas...

Leia mais

4/4/2007 5:09 PM. SEMANA DE 02/04 a 08/04 de 2007 NOTÍCIAS ROTEIROS PRODUTOS E SERVIÇOS PODCASTS BUSCA OK

4/4/2007 5:09 PM. SEMANA DE 02/04 a 08/04 de 2007 NOTÍCIAS ROTEIROS PRODUTOS E SERVIÇOS PODCASTS BUSCA OK SEMANA DE 02/04 a 08/04 de 2007 NOTÍCIAS ROTEIROS PRODUTOS E SERVIÇOS PODCASTS BUSCA OK ESTA SEMANA SAIBA COMO Solte o som no seu celular musical Memória, um item fundamental na hora da compra Lojas virtuais

Leia mais

Estudo de Web Marketing para a Prova NP1 Dia da prova: 07/10/2011

Estudo de Web Marketing para a Prova NP1 Dia da prova: 07/10/2011 Curso de Marketing Disciplina: Web Marketing Professor: Roberto Marcello Estudo de Web Marketing para a Prova NP1 Dia da prova: 07/10/2011 Web Marketing Web Marketing é qualquer esforço promocional realizado

Leia mais

USE O PODER DA NUVEM. VEJA COMO A NUVEM PODE TRANSFORMAR SEUS NEGÓCIOS.

USE O PODER DA NUVEM. VEJA COMO A NUVEM PODE TRANSFORMAR SEUS NEGÓCIOS. USE O PODER DA NUVEM. VEJA COMO A NUVEM PODE TRANSFORMAR SEUS NEGÓCIOS. A computação em nuvem é uma mudança de paradigma no gerenciamento de TI e de datacenters, além de representar a capacidade da TI

Leia mais

Arquitetura de Sistemas Distribuídos. Introdução a Sistemas Distribuídos

Arquitetura de Sistemas Distribuídos. Introdução a Sistemas Distribuídos Introdução a Sistemas Distribuídos Definição: "Um sistema distribuído é uma coleção de computadores autônomos conectados por uma rede e equipados com um sistema de software distribuído." "Um sistema distribuído

Leia mais

LW1. Como a internet funciona? PROF. ANDREZA S. AREÃO

LW1. Como a internet funciona? PROF. ANDREZA S. AREÃO LW1 Como a internet funciona? PROF. ANDREZA S. AREÃO O que é a Internet? Rede de Computadores: Consiste de dois ou mais computadores ligados entre si e compartilhando dados, impressoras, trocando mensagens

Leia mais

ATIVIDADE 1. Definição de redes de computadores

ATIVIDADE 1. Definição de redes de computadores ATIVIDADE 1 Definição de redes de computadores As redes de computadores são criadas para permitir a troca de dados entre diversos dispositivos estações de trabalho, impressoras, redes externas etc. dentro

Leia mais

1.Quem é e o que faz o ícone. musical de nossa era: o DJ?

1.Quem é e o que faz o ícone. musical de nossa era: o DJ? 1.Quem é e o que faz o ícone musical de nossa era: o DJ? Quem é e o que faz o ícone musical de nossa era: o DJ? Nos dias de hoje, quando você pensa em um artista descolado e muito poderoso, esse cara pode

Leia mais

Fundamentos da Informática

Fundamentos da Informática 1 PROCESSAMENTO DE DADOS I - FUNDAMENTOS A) CONCEITO DE INFORMÁTICA - é a ciência que estuda o tratamento automático e racional da informação. B) PROCESSAMENTO DE DADOS 1) Conceito Processamento de dados

Leia mais

Princípios de Internet e Termos mais Utilizados. Internet

Princípios de Internet e Termos mais Utilizados. Internet Princípios de Internet e Termos mais Utilizados Internet A Comunicação é a melhor palavra para descrever a Internet. São serviços e facilidades que, para algumas pessoas, é o lugar onde elas encontram

Leia mais

maior tempo médio de navegação 48h 26m 2º estados unidos 42h 19m 3º reino unido 36h 30m o país mais sociável da internet

maior tempo médio de navegação 48h 26m 2º estados unidos 42h 19m 3º reino unido 36h 30m o país mais sociável da internet ferramentas web 2.0 para profissionais de informação leonardo simonini 13/08/2013 internet no brasil 190 de habitantes milhões 381,3 de usuários horas por dia milhões fontes: Censo 2010 e Ibope Net Rakings

Leia mais

Análise e Projeto de. Aula 01. Profa Cristiane Koehler cristiane.koehler@canoas.ifrs.edu.br

Análise e Projeto de. Aula 01. Profa Cristiane Koehler cristiane.koehler@canoas.ifrs.edu.br Análise e Projeto de Sistemas I Aula 01 Profa Cristiane Koehler cristiane.koehler@canoas.ifrs.edu.br Análise e Projeto de Sistemas I Horário das Aulas: 2as feiras das 10h10 às 11h40 e 5as feiras das 08h25

Leia mais

// Questões para estudo

// Questões para estudo // Questões para estudo 2 // Ferramentas Básicas de Internet e Web 2.0 1. Sobre a internet, marque a opção correta: A) A internet poder ser definida como uma rede mundial, composta por mihões e milhões

Leia mais