UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA ALAN JULIANO BARBOSA BUSINESS INTELLIGENCE APLICADO NA MEDICINA PREVENTIVA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA ALAN JULIANO BARBOSA BUSINESS INTELLIGENCE APLICADO NA MEDICINA PREVENTIVA"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA ALAN JULIANO BARBOSA BUSINESS INTELLIGENCE APLICADO NA MEDICINA PREVENTIVA Palhoça 2013

2 ALAN JULIANO BARBOSA BUSINESS INTELLIGENCE APLICADO NA MEDICINA PREVENTIVA Trabalho de Conclusão de Curso apresentado ao Curso de Graduação em Sistemas de Informação da Universidade do Sul de Santa Catarina, como requisito parcial à obtenção do título de Bacharel em Sistemas de Informação. Orientador: Prof. Aran Bey Tcholakian Morales, Dr. Palhoça 2013

3 ALAN JULIANO BARBOSA BUSINESS INTELLIGENCE APLICADO NA MEDICINA PREVENTIVA Este Trabalho de Conclusão de Curso foi julgado adequado à obtenção do título de Bacharel em Sistemas de Informação e aprovado em sua forma final pelo Curso de Graduação em Sistema de Informação da Universidade do Sul de Santa Catarina. Palhoça, 21 de novembro de 2013.

4 Dedico este trabalho com amor e gratidão a Deus, pois Ele está comigo todos os dias e me guiou nesses anos na universidade, me deu forças e sabedoria para enfrentar as dificuldades e por ser o maior mestre de todos.

5 AGRADECIMENTOS Agradeço primeiramente a Deus, pois a Ele devo tudo que sou e se não fosse sua imensa misericórdia, certamente não teria chego até aqui. Aos meus pais, Reinaldo e Kátia, e a minha família por estarem sempre ao meu lado durante todos os momentos da minha vida, pelo amor, compreensão e apoio incondicional, sem esquecer as interseções a Deus pelo meu sucesso e felicidade. A minha namorada, Taynara, por fazer parte da minha vida, pelo carinho, companheirismo, incentivo, paciência nas horas difíceis, pelas suas orações e por me fazer feliz. E também a sua família pelas orações e disposição em me ajudar. A minha irmã, Maynara, pelas orientações, incentivos, tempo a mim dedicado e por sempre estar disposta a me ajudar. Aos meus amigos que me incentivaram desde o início da caminhada e sempre torceram por mim. Ao meu professor e orientador Aran B. T. Morales, pelos conhecimentos e ensinamentos transmitidos e por seu tempo e sua atenção. Ao meu co-orientador e chefe, Jean Carlos Raduenz, por seu tempo, disposição, ensinamentos, idéias, compreensão e confiança. A minha equipe de trabalho, DVIG (Divisão de Informações Gerenciais), que sempre me ajudaram em todo o desenvolvimento e realização do Business Intelligence, com idéias e formas para alcançar de forma rápida e direta os resultados. E a todos que direta ou indiretamente fizeram ou fazem parte da minha vida e da minha história acadêmica. Muito obrigado.

6 O coração do sábio adquire o conhecimento, e o ouvido dos sábios busca a ciência. (PROVÉRBIOS 18:15).

7 RESUMO O presente trabalho foi realizado com o objetivo de desenvolver um Business Intelligence (BI) para medicina preventiva, que atua dentro da Divisão de Promoção a Saúde, de uma Cooperativa de Trabalho Médico, a fim de obter dados reais e analisá-los para auxiliar a empresa a atingir seus objetivos, visão e valores. A criação desse sistema (BI) irá gerar relatórios de forma não rotineira, fornecendo informações de modo mais rápido, claro e seguro, que irão agilizar a tomada de decisão. No trabalho será apresentado também os principais conceitos de BI, as ferramentas utilizadas para a implementação e sua aplicação para a gestão resolver os dilemas da Cooperativa. Por fim, o projeto foi estruturado com base em pesquisas literárias, conhecimento adquirido ao longo do curso e informações coletadas através da base de dados da Cooperativa e irá mostra o resultado final da análise obtida através da medicina preventiva. Palavras-chave: Business Intelligence. Medicina preventiva. Tomada de decisão.

8 ABSTRACT This study was conducted with the objective to develop a Business Intelligence (BI) for preventive medicine, which operates within the Division of Health Promotion, a Cooperative Work Medical in order to obtain real data and analyze them to help company achieve its objectives, vision and values. The creation of this system (BI) will generate reports in a nonroutine, providing information more quickly, clear and safe, which will streamline the decision making process. At work is also presented key concepts of BI tools used for implementation and its application to the management of the Cooperative solve dilemmas. Finally, the project was structured based on literary research, knowledge gained throughout the course and information collected through the database of the Cooperative and will show the final result of analysis obtained by preventive medicine. Keywords: Business Intelligence. Preventive medicine. Decision making.

9 LISTA DE ILUSTRAÇÕES Figura 1 Arquitetura de um sistema BI Figura 2 Estrutura do Modelo Estrela Figura 3 Fluxograma de Trabalho Figura 4 Proposta de Solução Figura 5 Requisitos Funcionais Figura 6 Requisitos Não Funcionais Figura 7 Caso de Uso Figura 8 Modelo Dimensional Figura 9 Modelo Entidade Relacional Figura 10 Modelo Dimensional Estrela Figura 11 TB_TIPO_TRATAMENTO Figura 12 TB_PESSOA_GRUPOS Figura 13 TB_CLIENTE Figura 14 TB_ PROCEDIMENTO Figura 15 TB_ CONTRATOS Figura 16 TB_ PLANO_MEDICO Figura 17 TB_ PRODUCAO Figura 18 Tela Inicial Figura 19 Seleção de Programas Figura 20 Filtros Figura 21 Perfil Epidemiológico Figura 22 Custo Evitado Figura 23 Relatório Analítico Figura 24 Perfil de Saúde Figura 25 Perfil de Saúde por Complexidade Figura 26 Criação de Arquivo de Dados Figura 27 Definições das Chaves do Sistema Figura 28 Definições das Chaves que tem na Tabela Figura 29 Ligação das Tabelas através das Chaves... 57

10 LISTA DE QUADROS Quadro 1 Descrição dos Requisitos Funcionais Quadro 2 Descrição dos Requisitos Não Funcionais Quadro 3 Descrição do Caso de Uso... 36

11 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO TEMA Delimitação do tema Problema OBJETIVOS Objetivo geral Objetivos específicos JUSTIFICATIVA ESTRUTURA DO TRABALHO FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA BUSINESS INTELLIGENCE Arquitetura de um BI Data Warehouse (DW) Modelo Dimensional (MD) Online Analytical Processing (OLAP) Indicadores MEDICINA PREVENTIVA Cooperativa de trabalho médico BUSINESS INTELLIGENCE APLICADO NA MEDICINA PREVENTIVA Indicadores da medicina preventiva Objetivo dos indicadores da medicina preventiva METODOLOGIA METODOLOGIA DE PESQUISA Tipo de pesquisa e técnica de coleta de dados Delimitação do universo pesquisado METODOLOGIA DE TRABALHO Proposta de solução Delimitação da proposta MODELAGEM REQUISITOS Requisitos funcinais Requisitos não funcinais... 15

12 4.2 CASO DE USO (USE CASE) MODELAGEM DIMENSIONAL MAPEAMENTO MODELO ER DESENVOLVIMENTO FERRAMENTAS UTILIZADAS QlikView Oracle PL/SQL Bizagi Enterprise Architect ARQUITETURA DO PROTÓTIPO DO BI TELAS DO PROTÓTIPO PASSOS DO DESENVOLVIMENTO VALIDAÇÃO DO BI CONCLUSÔES E TRABALHOS FUTUROS CONCLUSÃO TRABALHOS FUTUROS REFERÊNCIAS ANEXO ANEXO A Questionário de Avaliação BI aplicado na medicina preventiva ANEXO B Termo para Liberação para Utilização das Informações do Questionário 69

13 12 1 INTRODUÇÃO O cenário mundial vem sofrendo várias transformações devido à globalização e, por causa dessas mudanças, as empresas precisam redefinir suas estruturas organizacionais, reconhecendo que a informação é um bem de grande valor, pois quem detém a informação e sabe utilizá-la se torna mais competitivo e consegue enfrentar esse novo cenário, ou seja, a informação tem papel estratégico nas organizações, que precisam ser ágeis para obtê-las e precisam saber usá-las para as tomadas de decisões. Diante dessa nova realidade no mercado, o desafio no gerenciamento de qualquer processo é a análise das informações, que deve ser feita de modo que seja possível detectar tendências e tomar decisões eficientes e em tempo hábil, utilizando ferramentas e dados disponíveis, segundo Serra (2002, p. 77). Esse processo de tomada de decisões geralmente exige grandes quantidades de dados, sendo assim o processamento para utilização deles, deve ser feito de forma rápida e em tempo real, o que necessita, na maioria das vezes, de ferramentas tecnológicas (TURBAN et al. (2009, p. 21). Dentro desse contexto, um dos principais objetivos da área de sistemas de informações é desenvolver sistemas para dar suporte aos gestores no processo decisório, sendo assim, uma das mais novas ferramentas para auxiliar esse processo é o sistema Business Intelligence (BI), conhecido também por Inteligência Empresarial, ou Inteligência nos Negócios é uma evolução dos Sistemas de Apoio a Gerência (SAG), conforme Morales (2012). O BI é um conjunto de conceitos, metodologias e tecnologias, em outras palavras, é um sistema que utiliza as informações geradas a partir de dados operacionais para criar relatórios de maneira não rotineira, com ênfase a flexibilidade e a resposta rápida, para proporcionar subsídios no processo de tomada de decisão, de acordo com Laudon & Laudon (2004). O Business Intelligence tem como objetivo definir regras e técnicas para formação adequada dos dados da organização, visando converte-los em depósitos de informações e conhecimentos que atendem as necessidades dos gestores para a tomada de decisão, ou seja, o objetivo é mudar os dados em informações relevantes para os gestores tomarem as decisões, conforme diz Morales (2012). Fortulan e Gonçalves Filho (2005, p.59), afirmam que: As vantagens do uso de sistemas de BI baseados na Web quando comparados com outros sistemas tradicionais, incluem facilidades de uso, acesso universal às diversas

14 13 plataformas, possibilidade de configuração para diversos níveis de usuários e capacidade de trabalho com gráficos, sons e vídeos além de textos e números. Conforme cita Barbieri (2001, p. 34): As informações vitais para tomadas de decisões estão escondidas em milhares de tabelas e arquivos inacessíveis aos mortais, ligadas por relacionamento e correlações transacionais, numa anatomia inadequada para os tomadores de decisão. Dessa forma, o conhecimento corporativo e as informações externas não estão prontamente disponíveis. O Jogo de palavras que melhor define essa situação é: Não se sabe o que se sabe e não se sabe o que não sabe. O objetivo maior das técnicas de BI neste contexto está exatamente na definição de regras e técnicas para a formatação adequada destes volumes de dados, visando transformá-los em depósitos estruturados de informações, independente de sua origem. Por fim, a proposta deste trabalho será desenvolver um sistema de BI para ser aplicado na medicina preventiva da Cooperativa de Trabalho Médico, pois é uma ferramenta de gestão que tira proveito da tecnologia da informação, tendo como vantagem a diminuição de tempo, aumento da segurança e agilidade para obter informações. O valor para a empresa é resultado de uma boa análise das necessidades de informação, da pertinência e da qualidade das fontes de coleta e da qualidade das analises e informações extraídas para gestores, segundo Morales (2012). Além disso, como sistema será aplicado na área da medicina preventiva, trará outros benefícios para a Cooperativa, como a melhoria da qualidade de vida dos seus clientes, pois através do BI será possível acompanhar cada cliente individualmente de forma mais precisa. Sendo assim, ficará mais fácil detectar se o cliente está no grupo de risco ou não, qual o grau do risco caso esteja, se já faz os exames de rotina e os de prevenção, como por exemplo: o exame de próstata, no caso dos homens e o preventivo no caso das mulheres, ou seja, facilitará o acompanhamento da rotina do cliente, fazendo com que receba toda atenção necessária para lhe trazer mais qualidade de vida. 1.1 TEMA O tema deste trabalho será sobre o desenvolvimento de Business Intelligence (BI), e análise das informações, para uma Cooperativa de Trabalho Médico, sobre a área de medicina preventiva. Essa ferramenta terá como objetivo facilitar a análise de resultados para tomada de decisões dos gestores.

15 Delimitação do tema Esse projeto não focará em melhorar os processos da medicina preventiva, somente analisará os resultados de acordo com os processos e os objetivos e vai desenvolver uma solução de Business Intelligence (BI) para facilitar a tomada de decisão dos gestores. Não discutirá, também, sobre a base de dados que empresa utiliza, apenas irá empregar as informações ali contidas Problema Muita gente sabe que com a saúde não se brinca, porém a maior parte das pessoas não realiza exames regulamente para verificar seu estado de saúde e até detectar as doenças no início, para ter mais chances de cura, além disso, manter hábitos saudáveis também é fundamental para a prevenção de qualquer doença, de acordo com Pozzer (2010). E é com o objetivo de prevenir doenças ao invés de tratá-las, que surgiu a medicina preventiva, com programas de vacinação, de atividade física e outros para proporcionar melhor qualidade de vida, conforme o site Tua Saúde. E para analisar a qualidade do programa e seus benefícios para a empresa que o utilizam são necessários indicadores, pois eles mostram a quantidade de usuários dos programas, quem são os que precisam de mais atenção, entre outros dados, sendo que o principal é apresentar quanto às empresas conseguem economizar investindo em medicina preventiva, além de mostrar uma proporção com o que seria gasto caso não fosse utilizado à medicina preventiva. Contudo, a área da Medicina Preventiva, da Cooperativa de Trabalho Médico em questão, tem muita dificuldade para obter as informações em tempo hábil, ou seja, perdem muito tempo buscando os dados para gerar informações, para conseguir desenvolver seus projetos, ocasionando assim os problemas para tomada de decisões. Há busca por dados demanda tempo, visto que muitas vezes é necessário solicitar relatórios de outras áreas, além disso, os relatórios recebidos podem ou não estarem preparados para a sua nova utilização, ou seja, voltados ao negócio da área da Medicina Preventiva. Sendo assim, para que esses dados possam ser usados no processo de tomada de decisão é preciso que sejam preparados e validados, o que demanda tempo até ficarem completos e possam ser utilizados para suprir as necessidades da área.

16 15 Como fornecer aos gestores da área de medicina preventiva, um conjunto de indicadores que os auxilie no processo de tomada de decisão? Quais são os indicadores da área de medicina preventiva necessários para auxiliar aos gestores no processo de tomada de decisão? 1.2 OBJETIVOS Adiante serão apresentados quais são os objetivos deste trabalho Objetivo geral Desenvolver um módulo de Business Intelligence (BI), que disponibilize um conjunto de indicadores da área de medicina preventiva, para auxiliar na análise de resultados e agilizar a tomada de decisão dos gestores da Cooperativa Objetivos específicos Realizar pesquisa sobre medicina preventiva para conhecer sobre o que se trata a área. Identificar um levantamento do conjunto de indicadores necessários para auxiliar os gestores no processo decisório. Analisar o que os indicadores do BI estão mostrando sobre medicina preventiva. Examinar qual o impacto dos indicadores da Medicina Preventiva para empresa. Verificar se o BI responde e auxilia a empresa na análise de resultado e a atingir seus objetivos, visão e valores. 1.3 JUSTIFICATIVA Este trabalho se justifica pelo fato de proporcionar a aplicação das teorias adquiridas ao longo do curso de Sistemas de Informação, possibilitando ao acadêmico expandir seus conhecimentos, através de pesquisas e análises, de modo que alie a teoria com a

17 16 prática, além de ter como requisito a obtenção do título de Bacharel em Sistemas de Informação. A presente proposta tem como visão fomentar o desenvolvimento de Business Intelligence (BI) aplicado na área de medicina preventiva, visando auxiliar na análise de resultados e agilizar a tomada de decisão dos gestores da Cooperativa de Trabalho Médico. Essa ferramenta tem como objetivo facilitar a análise de resultados para tomada de decisões dos gestores, visto que os dados já estarão preparados e validados para serem utilizados, ou seja, as informações estão à disposição dos gestores para selecionar os dados desejados da maneira que necessitarem, sendo que dessa forma serão supridas as necessidades da Cooperativa. E tem como foco criar uma ferramenta de gestão tirando proveito da tecnologia da informação, pois através do BI é possível obter informações estratégicas sobre o negócio com maior rapidez, retiradas dos sistemas de dados da empresa, permitindo para a Cooperativa mais agilidade na tomada de decisão, facilidade na compreensão das tendências do negócio e identificação de riscos, possibilitando um planejamento corporativo mais amplo e facilitando o acesso e a distribuição de informação (ABELLÓN, 2012). Além disso, os indicadores são fundamentais no ponto de vista financeiro para a Cooperativa, pois visam apresentar uma proporção dos gastos, caso a empresa não tivesse a área da medicina preventiva e, a partir dessa análise, mostrar quanto à empresa consegue economizar investindo nesses programas ao invés de tratamentos para cura de doenças. 1.4 ESTRUTURA DO TRABALHO Esse trabalho está estruturado em seis capítulos, sendo: O primeiro capítulo a Introdução, onde são apresentados os detalhes gerais referentes ao trabalho de pesquisa e o tema, objetivos, justificativa e a estrutura do trabalho; No segundo capítulo, Fundamentação Teórica, são apresentados conceitos, funções e outras características de Business Intelligence (BI), Data Warehouse (DW), On-line Analytical Processing (OLAP), Indicadores, Medicina Preventiva, Cooperativa de Trabalho Médico, e serão mostrados também, quais os resultados obtidos através do BI aplicado Medicina Preventiva e se ajudam a Cooperativa de Trabalho Médico a alcançar seus objetivos; O terceiro capítulo a Metodologia, onde descreve a metodologia de pesquisa e a metodologia de trabalha que serão utilizadas nesse trabalho; No quarto capítulo, Modelagem, é descrito a especificação do sistema, apresentando os requisitos que são fundamentais para desenvolver o sistema. O capítulo quinto, Desenvolvimento,

18 17 apresenta os processos, as ferramentas e as dificuldades no processo de criação do sistema. E no sexto e último capítulo, Conclusão e Trabalhos Futuros, será exposto às conclusões do acadêmico com base nos resultados obtidos e os trabalhos que serão realizados futuramente para finalização do sistema.

19 18 2 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA Neste capítulo serão apresentadas informações sobre a Cooperativa de Trabalho Médico, Medicina Preventiva, conceitos sobre o sistema que será utilizado neste trabalho, Business Intelligence, além de conceitos sobre DW, DM, OLAP e outras ferramentas que serão utilizadas e sobre os indicadores. 2.1 BUSINESS INTELLIGENCE Business Intelligence (BI) é um sistema que gera relatórios de maneira não rotineira, com ênfase a flexibilidade e a resposta rápida, fazendo uso de tecnologias e metodologias, apoiando assim a tomada de decisão (LAUDON & LAUDON, 2004). O BI surgiu para dar suporte aos gestores na tomada de decisão, pois serve para processar quantidades consideráveis de dados de forma rápida, conforme Turban et al. (2009, p. 21). Sendo que, o Business Intelligence, de acordo com Barbieri (2001, p. 34), é o uso de várias fontes de informações de maneira a auxiliar na definição de estratégias de negócio. Dessa forma, pode-se dizer que o BI coleta e formata os dados, para proporcionar informações e conhecimentos dirigidos aos negócios e orientados aos resultados. O sistema de BI é uma evolução dos Sistemas de Apoio a Gerência (SAG) e é conhecido também por Inteligência Empresarial, ou Inteligência nos Negócios (MORALES, 2012). Segundo o mesmo autor supracitado, BI é um conjunto de conceitos, métodos e ferramentas tecnológicas que possibilitam a obtenção e a distribuição de informações que são geradas através de dados operacionais e históricos, tendo como objetivo proporcionar subsídios a toma de decisão gerencial. As vantagens do uso de sistemas de BI quando comparados com outros sistemas tradicionais, incluem facilidades de uso, acesso universal às diversas plataformas, possibilidade de configuração para diversos níveis de usuários e capacidade de trabalho com gráficos, sons e vídeos além de textos e números., afirmam Fortulan e Gonçalves Filho (2005, p.59). Sendo que, essas propostas são algumas utilizadas nesse trabalho. O principal objetivo das técnicas de Business Inteligente, como bem observa Morales (2012), é estabelecer regras e técnicas para a formação adequada dos dados da organização, com foco na transformação em depósitos de informações e conhecimento que supram as necessidades dos processos de tomada de decisão, ou seja, tem como objetivo

20 19 transformar os dados em informações e conhecimentos que sejam importantes para a tomada de decisão. Atualmente o BI é ferramenta com grande valor para organização, pois é considerada uma ferramenta estratégica, que fica disponível para auxiliar em diversas situações para a tomada de decisão, de modo que aperfeiçoa o trabalho, reduz custos e contribui para a elaboração de estratégias, de acordo com Primak (2010), ou seja, o sistema permite que a organização obtenha a informação de forma prática e com mais agilidade, fazendo com que consiga aplicar a informação de forma correta, trazendo assim melhores resultados Arquitetura de um BI A arquitetura de um sistema de BI composta de vários componentes com o objetivo de transformar dados em informações relevantes para os gestores na tomada de decisão, sendo eles: Fonte de dados, ETL, Repositório de dados e Front-end, que serão apresentados abaixo conforme descreve Morales (2012): Fonte de dados: onde se encontra as informações e todos os registros de forma bruta, que pode ser em um banco de dados, um arquivo xls e outros. A fonte de dados para o BI desenvolvido será dois sistemas que a cooperativa utiliza, Infomed e TopSaúde, e uma planilha Excel; ETL (Extração, Carga e Transformação de Dados): quando se faz a extração das informações importantes, deixando os dados conforme se deseja, assim cria o repositório de dados, sendo que, a extração é a responsável pela coleta de dados, a transformação pela mudança dos dados de acordo com as necessidades e carga por colocá-los em um repositório de dados; Repositório de dados: uma base de dados já filtrada, apenas com as informações importantes e pronto para ser usado para montar os indicadores e extrair os relatórios, ou seja, uma estrutura de armazenamento de informações, como por exemplo: Data Warehouse e um Data Marts; Front-end ou dashboard: onde mostra os indicadores, os relatórios e onde os usuários encontram as informações para tomada de decisão, isto é, a ferramenta de análise de dados, onde se vê as informações.

21 20 Figura 1: Arquitetura de um sistema BI. Fonte: Morales (2012). Na imagem acima, Figura 1, pode se visualizar a disposição de todos os componentes que fazem parte da estrutura que do BI Data Warehouse (DW) Nesta pesquisa, como repositório de dados relevantes para a organização será empregado o Data Warehouse (DW), uma vez que, utiliza dados históricos, sendo que, esses dados são sumarizados, periódicos e descritivos, condizente com Fagundes (2011), afinal de contas, com a manipulação desses dados é possível tomar as decisões baseadas em fatos e não em intuições e especulações. Como bem observa Fagundes (2011), os DW são projetados para suportar o processamento analítico online (OLAP, Online Analytical Processing), ou seja, é estruturado por assunto e tema, sendo que, o OLAP é a ferramenta utilizada para navegação nos dados contidos no DW. Serra (2002, p. 140), por sua vez, diz que é um banco de dados voltado ao suporte de decisão de usuários finais, derivado de diversos outros bancos de dados operacionais e define DW como um conjunto de diversas tecnologias, como ferramentas de extração e conversão, banco de dados voltados para consultas complexas, ferramentas inteligentes de prospecção e análise de dados e ferramentas de administração e gerenciamento. Conforme Machado (2004), o DW representa uma base dados com capacidade de disponibilizar, de forma integrada, informações que se encontram distribuídas pelos sistemas operacionais da empresa e em fontes externas que serão utilizadas pelos gestores.

22 21 O Data Warehouse é uma ferramenta de apoio a tomada de decisão com algumas características marcantes, como descreve Morales (2012): conjunto de dados baseado em assuntos, pois agrupa as informações por área de interesse da organização; integrado, já que as informações redundantes e ambíguas são integradas produzindo uma única resposta; não volátil, isto é, uma vez armazenado o dado esse não será mais alterado; e variável em relação ao tempo, visto que, como os dados são sempre acrescentados no DW, há um acúmulo de dados sobre diversos períodos, o que possibilita análises históricas do negócio, tendências etc. Na visão de Inmon (1997), o Data Warehouse é considerado o coração do ambiente projetado, visto que é o alicerce do processamento dos Sistemas de Apoio a Decisão (SADs), em virtude de haver uma única fonte de dados integrados, além disso, a tarefa do analista de SAD no ambiente de data warehouse, uma vez que os dados apresentam condições de acesso, se torna muito mais fácil do que no ambiente clássico. Por fim, o autor Inmon define Data Warehouse como sendo um conjunto de dados baseado em assuntos, integrado, não-volátil, e variável em relação ao tempo, de apoio às decisões gerenciais Modelo Dimensional (DM) Para construção de banco de dados para Data Warehouse, será utilizado o modelo dimensional (MD), pois é um tipo de modelagem que torna o Data Warehouse mais poderoso, mais precisamente, porque as informações que estão espalhadas em vários sistemas, planilhas e arquivos da empresa, são reunidos em um banco de dados de forma dimensional, tornando as informações unificadas e padronizadas em um mesmo local (MOREIRA, 2006). Além disso, um modelo dimensional é bem simples, o que torna mais rápido o acesso à informação e facilita para os usuários identificarem a localização das informações no banco de dados, além de permite que os softwares naveguem com eficiência pelo banco de dados, segundo Moreira (2006). De acordo com Barbieri (2001, p. 80): A modelagem dimensional permite que o usuário perceba os dados numa forma próxima de seu entendimento, com várias perspectivas possíveis, dentre elas o tempo e o espaço. Morales (2012) diz que, a MD é uma técnica usada especialmente para a implementação de um modelo que possibilita a visualização de dados de forma intuitiva, o que significa dizer que os usuários entendem e navegam facilmente, visualizando as informações que desejam que o DW responda, e com altos índices de desempenho na extração de dados.

23 22 O modelo dimensional possui alguns elementos, como descreve Morales (2012): Tabelas de fato: A tabela de fato é a principal tabela do modelo dimensional, pois é onde as medições numéricas de interesse da organização ficam armazenadas, sendo que o fato representa uma medida do processo, como quantidade, valores e indicadores, ou seja, uma linha da tabela de fato é uma transação ou evento do negócio modelado pela tabela. As tabelas de fato são compostas por uma chave formada de chaves estrangeiras (dados de contexto) e dados de medida do negócio (atributos numéricos e aditivos). Medidas: são características numéricas e aditivas, que representam a medida do negócio, utilizadas para quantificar um determinado fato, representando o desempenho de um indicador em relação ao contexto do fato. Tabelas de dimensão: são tabelas que contém os atributos textuais do negócio que determinam o contexto em que acontece o fato e apresentam as possibilidades analíticas dos sistemas de BI. Cada dimensão tem elementos que podem descrever o contexto em que um determinado fato ocorreu, classificando as medições ativas da organização. Em conformidade com Serra (2002, p. 47), o princípio da MD é a relação entre as tabelas de dimensão e a tabela fato, formando os esquemas de estrutura. Mais especificamente, nesse trabalho será utilizado o modelo estrela, que é um tipo de modelo dimensional de estrutura simples composto de uma grande entidade central (conhecida como tabela de fato) e de um conjunto de entidades menores (conhecidas como tabelas de dimensões), sendo que estas são organizadas ao redor desta entidade central formando uma estrela, por isso o nome de modelo estrela, segundo Morales (2012). Figura 2 Estrutura do Modelo Estrela Fonte: Morales (2012). A forma de estrela pode ser observada na ilustração, Figura 2 Estrutura do Modelo Estrela, apresentada anteriormente.

24 Online Analytical Processing (OLAP) O Online Analytical Processing (OLAP) é uma tecnologia de software capaz de navegar pelos dados de um DW, e possui uma estrutura que permite reconhecer aos dados de forma rápida, consistente e interativa, por meio de uma variedade de apresentações possíveis da informação, que refletem a imagem real e atual da organização, conforme objetivos definidos pelo utilizador (NUNES, 2007). O OLAP é uma ferramenta importante para atividades relacionadas à tomada de decisão, como bem descreve Thomsen (2002): Os conceitos de OLAP incluem a noção ou idéia de múltiplas dimensões hierárquicas e podem ser usados por qualquer um para que se pense mais claramente a respeito do mundo, seja o mundo material de estala atômica à escala galáctica, o mundo econômico dos micro agentes às macro economias, ou o mundo social dos relacionamentos interpessoais aos internacionais. Em outras palavras, mesmo sem qualquer tipo de linguagem formal, é útil apenas sermos capazes de pensar em termos de um mundo multidimensional e com múltiplos níveis, independente de sua posição na vida. O termo OLAP (On-line Analytical Processing), hoje muito difundido, traduzido para Processamento Analítico On-line, representa essa característica de se trabalhar os dados, como operadores dimensionais, possibilitando uma forma múltipla e combinada de análise. (THOMSEN, 2002, p.5). A importância da boa informação pode ser considerada como a diferença em valor entre decisões certas e decisões erradas, onde as decisões são tomadas baseadas nessa informação. Assim, OLAP, como qualquer outra forma de processamento de informação, precisa oferecer informações existentes, oportunas, precisas e inteligíveis. (THOMSEN, 2002, p. 8). Segundo Morales (2012), OLAP é uma ferramenta de consulta e apresentação de informações (front-end) que analisa múltiplas visões do negócio em diferentes níveis de detalhe, comparações e tendências. Essa tecnologia foi elaborada em decorrência da necessidade de análises dos dados de forma fácil e flexível, sendo assim, é possível observar que é uma ferramenta que permite aos usuários obterem, de forma rápida, consistente e interativa, acesso a uma variedade de visualizações possíveis das informações (MORALES, 2012). O OLAP permite ter uma visão multi-dimencional dos dados para melhor compreensão, por essa razão utiliza a estrutura de um cubo, isto é, de acordo com Morales (2012) as análises são associadas a um cubo, onde as arestas representam as dimensões e cada célula representa uma medida (indicador), resultado de uma determinada visão (cruzamento de uma ou mais dimensões). A seguir as operações dimensionais de ferramentas OLAP, como apresenta Morales (2012):

TÓPICOS AVANÇADOS EM ENGENHARIA DE SOFTWARE

TÓPICOS AVANÇADOS EM ENGENHARIA DE SOFTWARE TÓPICOS AVANÇADOS EM ENGENHARIA DE SOFTWARE Engenharia de Computação Professor: Rosalvo Ferreira de Oliveira Neto OLPT x OLAP Roteiro OLTP Datawarehouse OLAP Operações OLAP Exemplo com Mondrian e Jpivot

Leia mais

SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 2 2. O QUE É DATA WAREHOUSE?... 2 3. O QUE DATA WAREHOUSE NÃO É... 4 4. IMPORTANTE SABER SOBRE DATA WAREHOUSE... 5 4.

SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 2 2. O QUE É DATA WAREHOUSE?... 2 3. O QUE DATA WAREHOUSE NÃO É... 4 4. IMPORTANTE SABER SOBRE DATA WAREHOUSE... 5 4. SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 2 2. O QUE É DATA WAREHOUSE?... 2 3. O QUE DATA WAREHOUSE NÃO É... 4 4. IMPORTANTE SABER SOBRE DATA WAREHOUSE... 5 4.1 Armazenamento... 5 4.2 Modelagem... 6 4.3 Metadado... 6 4.4

Leia mais

Business Intelligence. Business Intelligence. Business Intelligence. Business Intelligence. Business Intelligence

Business Intelligence. Business Intelligence. Business Intelligence. Business Intelligence. Business Intelligence Juntamente com o desenvolvimento desses aplicativos surgiram os problemas: & Data Warehouse July Any Rizzo Oswaldo Filho Década de 70: alguns produtos de BI Intensa e exaustiva programação Informação em

Leia mais

DATA WAREHOUSE. Rafael Ervin Hass Raphael Laércio Zago

DATA WAREHOUSE. Rafael Ervin Hass Raphael Laércio Zago DATA WAREHOUSE Rafael Ervin Hass Raphael Laércio Zago Roteiro Introdução Aplicações Arquitetura Características Desenvolvimento Estudo de Caso Conclusão Introdução O conceito de "data warehousing" data

Leia mais

Aplicação A. Aplicação B. Aplicação C. Aplicação D. Aplicação E. Aplicação F. Aplicação A REL 1 REL 2. Aplicação B REL 3.

Aplicação A. Aplicação B. Aplicação C. Aplicação D. Aplicação E. Aplicação F. Aplicação A REL 1 REL 2. Aplicação B REL 3. Sumário Data Warehouse Modelagem Multidimensional. Data Mining BI - Business Inteligence. 1 2 Introdução Aplicações do negócio: constituem as aplicações que dão suporte ao dia a dia do negócio da empresa,

Leia mais

Planejamento Estratégico de TI. Prof.: Fernando Ascani

Planejamento Estratégico de TI. Prof.: Fernando Ascani Planejamento Estratégico de TI Prof.: Fernando Ascani Data Warehouse - Conceitos Hoje em dia uma organização precisa utilizar toda informação disponível para criar e manter vantagem competitiva. Sai na

Leia mais

Aplicação de Data Warehousing no Cadastro de Ficha Limpa do TSE

Aplicação de Data Warehousing no Cadastro de Ficha Limpa do TSE Aplicação de Data Warehousing no Cadastro de Ficha Limpa do TSE Mateus Ferreira Silva, Luís Gustavo Corrêa Lira, Marcelo Fernandes Antunes, Tatiana Escovedo, Rubens N. Melo mateusferreiras@gmail.com, gustavolira@ymail.com,

Leia mais

Sistemas de Apoio à Decisão (SAD) - Senado

Sistemas de Apoio à Decisão (SAD) - Senado Sistemas de Apoio à Decisão (SAD) - Senado DW OLAP BI Ilka Kawashita Material preparado :Prof. Marcio Vitorino Sumário OLAP Data Warehouse (DW/ETL) Modelagem Multidimensional Data Mining BI - Business

Leia mais

Business Intelligence e ferramentas de suporte

Business Intelligence e ferramentas de suporte O modelo apresentado na figura procura enfatizar dois aspectos: o primeiro é sobre os aplicativos que cobrem os sistemas que são executados baseados no conhecimento do negócio; sendo assim, o SCM faz o

Leia mais

Data Warehousing. Leonardo da Silva Leandro. CIn.ufpe.br

Data Warehousing. Leonardo da Silva Leandro. CIn.ufpe.br Data Warehousing Leonardo da Silva Leandro Agenda Conceito Elementos básicos de um DW Arquitetura do DW Top-Down Bottom-Up Distribuído Modelo de Dados Estrela Snowflake Aplicação Conceito Em português:

Leia mais

DATA WAREHOUSE. Introdução

DATA WAREHOUSE. Introdução DATA WAREHOUSE Introdução O grande crescimento do ambiente de negócios, médias e grandes empresas armazenam também um alto volume de informações, onde que juntamente com a tecnologia da informação, a correta

Leia mais

Data Warehouses Uma Introdução

Data Warehouses Uma Introdução Data Warehouses Uma Introdução Alex dos Santos Vieira, Renaldy Pereira Sousa, Ronaldo Ribeiro Goldschmidt 1. Motivação e Conceitos Básicos Com o advento da globalização, a competitividade entre as empresas

Leia mais

Resumo dos principais conceitos. Resumo dos principais conceitos. Business Intelligence. Business Intelligence

Resumo dos principais conceitos. Resumo dos principais conceitos. Business Intelligence. Business Intelligence É um conjunto de conceitos e metodologias que, fazem uso de acontecimentos e sistemas e apoiam a tomada de decisões. Utilização de várias fontes de informação para se definir estratégias de competividade

Leia mais

Módulo 5. Implementando Cubos OLAP

Módulo 5. Implementando Cubos OLAP Módulo 5. Implementando Cubos OLAP Objetivos Compreender a importância da manipulação correta da segurança nos dados. Conhecer as operações que podem ser realizadas na consulta de um cubo. Entender o uso

Leia mais

Data Warehouse. Debora Marrach Renata Miwa Tsuruda

Data Warehouse. Debora Marrach Renata Miwa Tsuruda Debora Marrach Renata Miwa Tsuruda Agenda Introdução Contexto corporativo Agenda Introdução Contexto corporativo Introdução O conceito de Data Warehouse surgiu da necessidade de integrar dados corporativos

Leia mais

Data Warehouse Processos e Arquitetura

Data Warehouse Processos e Arquitetura Data Warehouse - definições: Coleção de dados orientada a assunto, integrada, não volátil e variável em relação ao tempo, que tem por objetivo dar apoio aos processos de tomada de decisão (Inmon, 1997)

Leia mais

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO @ribeirord FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Rafael D. Ribeiro, M.Sc,PMP. rafaeldiasribeiro@gmail.com http://www.rafaeldiasribeiro.com.br Lembrando... Aula 4 1 Lembrando... Aula 4 Sistemas de apoio

Leia mais

Data Warehouses. Alunos: Diego Antônio Cotta Silveira Filipe Augusto Rodrigues Nepomuceno Marcos Bastos Silva Roger Rezende Ribeiro Santos

Data Warehouses. Alunos: Diego Antônio Cotta Silveira Filipe Augusto Rodrigues Nepomuceno Marcos Bastos Silva Roger Rezende Ribeiro Santos Data Warehouses Alunos: Diego Antônio Cotta Silveira Filipe Augusto Rodrigues Nepomuceno Marcos Bastos Silva Roger Rezende Ribeiro Santos Conceitos Básicos Data Warehouse(DW) Banco de Dados voltado para

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DO DW NA ANVISA

IMPLANTAÇÃO DO DW NA ANVISA IMPLANTAÇÃO DO DW NA ANVISA Bruno Nascimento de Ávila 1 Rodrigo Vitorino Moravia 2 Maria Renata Furtado 3 Viviane Rodrigues Silva 4 RESUMO A tecnologia de Business Intelligenge (BI) ou Inteligência de

Leia mais

Palavras-chave: On-line Analytical Processing, Data Warehouse, Web mining.

Palavras-chave: On-line Analytical Processing, Data Warehouse, Web mining. BUSINESS INTELLIGENCE COM DADOS EXTRAÍDOS DO FACEBOOK UTILIZANDO A SUÍTE PENTAHO Francy H. Silva de Almeida 1 ; Maycon Henrique Trindade 2 ; Everton Castelão Tetila 3 UFGD/FACET Caixa Postal 364, 79.804-970

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE PLUG-INS KETTLE PARA GERAÇÃO DE MONDRIAN SCHEMA A PARTIR DE BASES RELACIONAIS, UTILIZANDO A METODOLOGIA AGILE ROLAP.

DESENVOLVIMENTO DE PLUG-INS KETTLE PARA GERAÇÃO DE MONDRIAN SCHEMA A PARTIR DE BASES RELACIONAIS, UTILIZANDO A METODOLOGIA AGILE ROLAP. DESENVOLVIMENTO DE PLUG-INS KETTLE PARA GERAÇÃO DE MONDRIAN SCHEMA A PARTIR DE BASES RELACIONAIS, UTILIZANDO A METODOLOGIA AGILE ROLAP. Eduardo Cristovo de Freitas Aguiar (PIBIC/CNPq), André Luís Andrade

Leia mais

5 Estudo de Caso. 5.1. Material selecionado para o estudo de caso

5 Estudo de Caso. 5.1. Material selecionado para o estudo de caso 5 Estudo de Caso De modo a ilustrar a estruturação e representação de conteúdos educacionais segundo a proposta apresentada nesta tese, neste capítulo apresentamos um estudo de caso que apresenta, para

Leia mais

Módulo 2. Definindo Soluções OLAP

Módulo 2. Definindo Soluções OLAP Módulo 2. Definindo Soluções OLAP Objetivos Ao finalizar este módulo o participante: Recordará os conceitos básicos de um sistema OLTP com seus exemplos. Compreenderá as características de um Data Warehouse

Leia mais

Adriano Maranhão BUSINESS INTELLIGENCE (BI),

Adriano Maranhão BUSINESS INTELLIGENCE (BI), Adriano Maranhão BUSINESS INTELLIGENCE (BI), BUSINESS INTELLIGENCE (BI) O termo Business Intelligence (BI), popularizado por Howard Dresner do Gartner Group, é utilizado para definir sistemas orientados

Leia mais

Interatividade aliada a Análise de Negócios

Interatividade aliada a Análise de Negócios Interatividade aliada a Análise de Negócios Na era digital, a quase totalidade das organizações necessita da análise de seus negócios de forma ágil e segura - relatórios interativos, análise de gráficos,

Leia mais

Bloco Administrativo

Bloco Administrativo Bloco Administrativo BI Business Intelligence Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre o Módulo Business Intelligence, que se encontra no Bloco Administrativo. Todas informações aqui

Leia mais

Professor: Disciplina:

Professor: Disciplina: Professor: Curso: Esp. Marcos Morais de Sousa marcosmoraisdesousa@gmail.com Sistemas de informação Disciplina: Introdução a SI Noções de sistemas de informação Turma: 01º semestre Prof. Esp. Marcos Morais

Leia mais

Autor: Júlio Battisti www.juliobattisti.com.br

Autor: Júlio Battisti www.juliobattisti.com.br Autor: Júlio Battisti www.juliobattisti.com.br Livro: Aprenda com Júlio Battisti: Excel 2010 Avançado, Análise de Dados e Cenários, Tabelas e Gráficos Dinâmicos, Macros e Programação VBA - Através de Exemplos

Leia mais

Chapter 3. Análise de Negócios e Visualização de Dados

Chapter 3. Análise de Negócios e Visualização de Dados Chapter 3 Análise de Negócios e Visualização de Dados Objetivos de Aprendizado Descrever a análise de negócios (BA) e sua importância par as organizações Listar e descrever brevemente os principais métodos

Leia mais

AGILE ROLAP - UMA METODOLOGIA ÁGIL PARA IMPLEMENTAÇÃO DE AMBIENTES DE NEGÓCIOS BASEADO EM SERVIDORES OLAP.

AGILE ROLAP - UMA METODOLOGIA ÁGIL PARA IMPLEMENTAÇÃO DE AMBIENTES DE NEGÓCIOS BASEADO EM SERVIDORES OLAP. AGILE ROLAP - UMA METODOLOGIA ÁGIL PARA IMPLEMENTAÇÃO DE AMBIENTES DE NEGÓCIOS BASEADO EM SERVIDORES OLAP. Luan de Souza Melo (Fundação Araucária), André Luís Andrade Menolli (Orientador), Ricardo G. Coelho

Leia mais

PLANO DE ENSINO PRÉ-REQUISITOS: ENS

PLANO DE ENSINO PRÉ-REQUISITOS: ENS UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ CEAVI PLANO DE ENSINO DEPARTAMENTO: DSI Departamento de Sistema de Informação DISCIPLINA: Data Warehouse

Leia mais

Sistemas de Informação James A. O Brien Editora Saraiva Capítulo 5

Sistemas de Informação James A. O Brien Editora Saraiva Capítulo 5 Para entender bancos de dados, é útil ter em mente que os elementos de dados que os compõem são divididos em níveis hierárquicos. Esses elementos de dados lógicos constituem os conceitos de dados básicos

Leia mais

srbo@ufpa.br www.ufpa.br/srbo

srbo@ufpa.br www.ufpa.br/srbo CBSI Curso de Bacharelado em Sistemas de Informação BI Prof. Dr. Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira srbo@ufpa.br www.ufpa.br/srbo Tópicos Especiais em Sistemas de Informação Faculdade de Computação Instituto

Leia mais

CONSIDERAÇÕES SOBRE ATIVIDADES DE IDENTIFICAÇÃO, LOCALIZAÇÃO E TRATAMENTO DE DADOS NA CONSTRUÇÃO DE UM DATA WAREHOUSE

CONSIDERAÇÕES SOBRE ATIVIDADES DE IDENTIFICAÇÃO, LOCALIZAÇÃO E TRATAMENTO DE DADOS NA CONSTRUÇÃO DE UM DATA WAREHOUSE CONSIDERAÇÕES SOBRE ATIVIDADES DE IDENTIFICAÇÃO, LOCALIZAÇÃO E TRATAMENTO DE DADOS NA CONSTRUÇÃO DE UM DATA WAREHOUSE Fabio Favaretto Professor adjunto - Programa de Pós Graduação em Engenharia de Produção

Leia mais

UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA DANIEL LUIZ DA SILVA

UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA DANIEL LUIZ DA SILVA UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA DANIEL LUIZ DA SILVA ESTUDO DE CASO: ARQUITETURA DE BI PARA APOIAR O PROCESSO DECISÓRIO DE UMA FÁBRICA DE SOFTWARE Florianópolis 2014 DANIEL LUIZ DA SILVA ESTUDO DE

Leia mais

BANCO DE DADOS DISTRIBUÍDOS e DATAWAREHOUSING

BANCO DE DADOS DISTRIBUÍDOS e DATAWAREHOUSING BANCO DE DADOS DISTRIBUÍDOS e DATAWAREHOUSING http://www.uniriotec.br/~tanaka/tin0036 tanaka@uniriotec.br Introdução a Data Warehousing e OLAP Introdução a Data Warehouse e Modelagem Dimensional Visão

Leia mais

Gerenciamento de Dados e Gestão do Conhecimento

Gerenciamento de Dados e Gestão do Conhecimento ELC1075 Introdução a Sistemas de Informação Gerenciamento de Dados e Gestão do Conhecimento Raul Ceretta Nunes CSI/UFSM Introdução Gerenciando dados A abordagem de banco de dados Sistemas de gerenciamento

Leia mais

Oracle Hyperion Essbase

Oracle Hyperion Essbase Oracle Hyperion Essbase Guia Claudio Bonel Oracle Hyperion Essbase Guia Dedicatória Este Livro é dedicado a minha família. 2 Guia Oracle Hyperion Essbase Sumário Agradecimentos Introdução Capítulo 1: OLAP

Leia mais

Modelo de dados do Data Warehouse

Modelo de dados do Data Warehouse Modelo de dados do Data Warehouse Ricardo Andreatto O modelo de dados tem um papel fundamental para o desenvolvimento interativo do data warehouse. Quando os esforços de desenvolvimentos são baseados em

Leia mais

PROPOSTA DE UMA ARQUITETURA PARA CONSTRUÇÃO DE UM DATA WAREHOUSE PARA GESTÃO DA SAÚDE PÚBLICA DE UM MUNICÍPIO DO VALE DO ITAJAÍ

PROPOSTA DE UMA ARQUITETURA PARA CONSTRUÇÃO DE UM DATA WAREHOUSE PARA GESTÃO DA SAÚDE PÚBLICA DE UM MUNICÍPIO DO VALE DO ITAJAÍ PROPOSTA DE UMA ARQUITETURA PARA CONSTRUÇÃO DE UM DATA WAREHOUSE PARA GESTÃO DA SAÚDE PÚBLICA DE UM MUNICÍPIO DO VALE DO ITAJAÍ Renan Felipe dos Santos Prof. Alexander Roberto Valdameri,Orientador ROTEIRO

Leia mais

Laudon & Laudon Essentials of MIS, 5th Edition. Pg. 1.1

Laudon & Laudon Essentials of MIS, 5th Edition. Pg. 1.1 Laudon & Laudon Essentials of MIS, 5th Edition. Pg. 1.1 SISTEMA DE APOIO À DECISÃO Grupo: Denilson Neves Diego Antônio Nelson Santiago Sabrina Dantas CONCEITO É UM SISTEMA QUE AUXILIA O PROCESSO DE DECISÃO

Leia mais

Implementação de um Data Warehouse para Analise Multidimensional de Informações da Secretária de Trânsito de Guaíba

Implementação de um Data Warehouse para Analise Multidimensional de Informações da Secretária de Trânsito de Guaíba Implementação de um Data Warehouse para Analise Multidimensional de Informações da Secretária de Trânsito de Guaíba Fernando Maganha 1, Daniel Murara Barcia 2 1 Acadêmico do Curso de Sistemas de Informação

Leia mais

Conversão de Base de Dados Relacional para Dimensional para Business Intelligence Utilizando Banco de Dados Mysql

Conversão de Base de Dados Relacional para Dimensional para Business Intelligence Utilizando Banco de Dados Mysql Conversão de Base de Dados Relacional para Dimensional para Business Intelligence Utilizando Banco de Dados Mysql Carlos H. Cardoso 1, Roberto D Nebo 1, Luis A. da Silva 1 1 Curso de Tecnologia em Banco

Leia mais

SAD orientado a DADOS

SAD orientado a DADOS Universidade do Contestado Campus Concórdia Curso de Sistemas de Informação Prof.: Maico Petry SAD orientado a DADOS DISCIPLINA: Sistemas de Apoio a Decisão SAD orientado a dados Utilizam grandes repositórios

Leia mais

Processo Decisório, OLAP e Relatórios Corporativos OLAP E RELATÓRIOS CORPORATIVOS

Processo Decisório, OLAP e Relatórios Corporativos OLAP E RELATÓRIOS CORPORATIVOS Processo Decisório, OLAP e Relatórios Corporativos OLAP E RELATÓRIOS CORPORATIVOS Sumário Conceitos/Autores chave... 3 1. Introdução... 5 2. OLAP... 6 3. Operações em OLAP... 8 4. Arquiteturas em OLAP...

Leia mais

Banco de Dados - Senado

Banco de Dados - Senado Banco de Dados - Senado Exercícios OLAP - CESPE Material preparado: Prof. Marcio Vitorino OLAP Material preparado: Prof. Marcio Vitorino Soluções MOLAP promovem maior independência de fornecedores de SGBDs

Leia mais

UNIVERSIDADE REGIONAL DE BLUMENAU CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E NATURAIS CURSO DE CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO (Bacharelado)

UNIVERSIDADE REGIONAL DE BLUMENAU CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E NATURAIS CURSO DE CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO (Bacharelado) UNIVERSIDADE REGIONAL DE BLUMENAU CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E NATURAIS CURSO DE CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO (Bacharelado) SISTEMA INTERNO INTEGRADO PARA CONTROLE DE TAREFAS INTERNAS DE UMA EMPRESA DE DESENVOLVIMENTO

Leia mais

A importância da. nas Organizações de Saúde

A importância da. nas Organizações de Saúde A importância da Gestão por Informações nas Organizações de Saúde Jorge Antônio Pinheiro Machado Filho Consultor de Negócios www.bmpro.com.br jorge@bmpro.com.br 1. Situação nas Empresas 2. A Importância

Leia mais

MANUAL BI- Business Intelligence

MANUAL BI- Business Intelligence 1. VISÃO GERAL 1.1 SISTEMA BI Business Intelligence: Segundo Gartner Group, a maior ameaça das empresas da atualidade é o desconhecimento... O Business Intelligence se empenha em eliminar as dúvidas e

Leia mais

RESUMO DA SOLUÇÃO CA ERwin Modeling. Como eu posso gerenciar a complexidade dos dados e aumentar a agilidade dos negócios?

RESUMO DA SOLUÇÃO CA ERwin Modeling. Como eu posso gerenciar a complexidade dos dados e aumentar a agilidade dos negócios? RESUMO DA SOLUÇÃO CA ERwin Modeling Como eu posso gerenciar a complexidade dos dados e aumentar a agilidade dos negócios? O CA ERwin Modeling fornece uma visão centralizada das principais definições de

Leia mais

Data Warehouse Granularidade. rogerioaraujo.wordpress.com twitter: @rgildoaraujo - rgildoaraujo@gmail.com 1

Data Warehouse Granularidade. rogerioaraujo.wordpress.com twitter: @rgildoaraujo - rgildoaraujo@gmail.com 1 Data Warehouse Granularidade rogerioaraujo.wordpress.com twitter: @rgildoaraujo - rgildoaraujo@gmail.com 1 Granularidade A granularidade de dados refere-se ao nível de sumarização dos elementos e de detalhe

Leia mais

BUSINESS INTELLIGENCE -Inteligência nos Negócios-

BUSINESS INTELLIGENCE -Inteligência nos Negócios- UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO CENTRO DE CIÊNCIAS JURÍDICAS, HUMANAS E SOCIAIS BUSINESS INTELLIGENCE -Inteligência nos Negócios- Curso: Administração Hab. Sistemas de Informações Disciplina: Gestão de Tecnologia

Leia mais

Arquitetura de Disseminação de Informações baseada em Datawarehouse 05/04/2006

Arquitetura de Disseminação de Informações baseada em Datawarehouse 05/04/2006 Arquitetura de Disseminação de Informações baseada em Datawarehouse 05/04/2006 Agenda A Informal Perspectiva Histórica Modelos de Arquitetura Benefícios para Gestão Caso de Referência Agenda A Informal

Leia mais

Integração Access-Excel para produzir um sistema de apoio a decisão que simula um Data Warehouse e OLAP

Integração Access-Excel para produzir um sistema de apoio a decisão que simula um Data Warehouse e OLAP Integração Access-Excel para produzir um sistema de apoio a decisão que simula um Data Warehouse e OLAP Wílson Luiz Vinci (Faculdades IPEP) wilson@cnptia.embrapa.br Marcelo Gonçalves Narciso (Embrapa Informática

Leia mais

Uma aplicação de Data Warehouse para análise do processo de coleta de sangue e de medula óssea

Uma aplicação de Data Warehouse para análise do processo de coleta de sangue e de medula óssea Uma aplicação de Data Warehouse para análise do processo de coleta de sangue e de medula óssea Rogério de Torres Pelito, Gleise Celeste Gonzaga Pereira, Diana Maria da Silva de Souza, André Luiz Alves

Leia mais

Persistência e Banco de Dados em Jogos Digitais

Persistência e Banco de Dados em Jogos Digitais Persistência e Banco de Dados em Jogos Digitais Prof. Marcos Francisco Pereira da Silva Especialista em Engenharia de Software Jogos Digitais - Computação Gráfica 1 Agenda Vantagens de usar a abordagem

Leia mais

Tópicos Avançados Business Intelligence. Banco de Dados Prof. Otacílio José Pereira. Unidade 10 Tópicos Avançados Business Inteligence.

Tópicos Avançados Business Intelligence. Banco de Dados Prof. Otacílio José Pereira. Unidade 10 Tópicos Avançados Business Inteligence. Tópicos Avançados Business Intelligence Banco de Dados Prof. Otacílio José Pereira Unidade 10 Tópicos Avançados Business Inteligence Roteiro Introdução Níveis organizacionais na empresa Visão Geral das

Leia mais

Curso de Engenharia de Sistemas e Informática - 5º Ano. Ficha T. Prática n.º 1

Curso de Engenharia de Sistemas e Informática - 5º Ano. Ficha T. Prática n.º 1 Análise Inteligente de Dados Objectivo: Curso de Engenharia de Sistemas e Informática - 5º Ano Ficha T. Prática n.º 1 Estudo do paradigma multidimensional com introdução de uma extensão ao diagrama E/R

Leia mais

Business Intelligence Um enfoque gerencial para a Inteligência do Negócio.Efrain Turban e outros.tradução. Bookman, 2009.

Business Intelligence Um enfoque gerencial para a Inteligência do Negócio.Efrain Turban e outros.tradução. Bookman, 2009. REFERÊNCIAS o o Business Intelligence Um enfoque gerencial para a Inteligência do Negócio.Efrain Turban e outros.tradução. Bookman, 2009. Competição Analítica - Vencendo Através da Nova Ciência Davenport,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Proposta de Formação Complementar: BUSINESS INTELLIGENCE E SUA APLICAÇÃO À GESTÃO Aluno: Yussif Tadeu de Barcelos Solange Teixeira

Leia mais

Instituto de Educação Tecnológica Pós-graduação Gestão e Tecnologia da Informação - Turma 25 20/03/2015. Big Data Analytics:

Instituto de Educação Tecnológica Pós-graduação Gestão e Tecnologia da Informação - Turma 25 20/03/2015. Big Data Analytics: Instituto de Educação Tecnológica Pós-graduação Gestão e Tecnologia da Informação - Turma 25 20/03/2015 Big Data Analytics: Como melhorar a experiência do seu cliente Anderson Adriano de Freitas RESUMO

Leia mais

Desenvolvimento de um Sistema de Apoio à Decisão. Thiago Rafael Zimmermann. Prof. Dr. Oscar Dalfovo

Desenvolvimento de um Sistema de Apoio à Decisão. Thiago Rafael Zimmermann. Prof. Dr. Oscar Dalfovo Desenvolvimento de um Sistema de Apoio à Decisão Acadêmico Thiago Rafael Zimmermann Orientador Prof. Dr. Oscar Dalfovo Roteiro da apresentação Introdução Objetivos Fundamentação Teórica Informação Sistemas

Leia mais

Uma Ferramenta WEB para apoio à Decisão em Ambiente Hospitalar

Uma Ferramenta WEB para apoio à Decisão em Ambiente Hospitalar Uma Ferramenta WEB para apoio à Decisão em Ambiente Hospitalar Mikael de Souza Fernandes 1, Gustavo Zanini Kantorski 12 mikael@cpd.ufsm.br, gustavoz@cpd.ufsm.br 1 Curso de Sistemas de Informação, Universidade

Leia mais

Banco de Dados Aula 1 Introdução a Banco de Dados Introdução Sistema Gerenciador de Banco de Dados

Banco de Dados Aula 1 Introdução a Banco de Dados Introdução Sistema Gerenciador de Banco de Dados Banco de Dados Aula 1 Introdução a Banco de Dados Introdução Um Sistema Gerenciador de Banco de Dados (SGBD) é constituído por um conjunto de dados associados a um conjunto de programas para acesso a esses

Leia mais

Data Warehousing Visão Geral do Processo

Data Warehousing Visão Geral do Processo Data Warehousing Visão Geral do Processo Organizações continuamente coletam dados, informações e conhecimento em níveis cada vez maiores,, e os armazenam em sistemas informatizados O número de usuários

Leia mais

Fundamentos da inteligência de negócios: gestão da informação e de bancos de dados

Fundamentos da inteligência de negócios: gestão da informação e de bancos de dados Fundamentos da inteligência de negócios: gestão da informação e de bancos de dados slide 1 1 Copyright 2011 Pearson Education, Inc. publishing as Prentice Hall Objetivos de estudo Como um banco de dados

Leia mais

Administração de Sistemas de Informação Gerenciais UNIDADE IV: Fundamentos da Inteligência de Negócios: Gestão da Informação e de Banco de Dados Um banco de dados é um conjunto de arquivos relacionados

Leia mais

Sistema de Bancos de Dados. Conceitos Gerais Sistema Gerenciador de Bancos de Dados

Sistema de Bancos de Dados. Conceitos Gerais Sistema Gerenciador de Bancos de Dados Sistema de Bancos de Dados Conceitos Gerais Sistema Gerenciador de Bancos de Dados # Definições # Motivação # Arquitetura Típica # Vantagens # Desvantagens # Evolução # Classes de Usuários 1 Nível 1 Dados

Leia mais

Para construção dos modelos físicos, será estudado o modelo Relacional como originalmente proposto por Codd.

Para construção dos modelos físicos, será estudado o modelo Relacional como originalmente proposto por Codd. Apresentação Este curso tem como objetivo, oferecer uma noção geral sobre a construção de sistemas de banco de dados. Para isto, é necessário estudar modelos para a construção de projetos lógicos de bancos

Leia mais

Aline França a de Abreu, Ph.D

Aline França a de Abreu, Ph.D Aline França a de Abreu, Ph.D igti.eps.ufsc.br 07 / 10/ 04 Núcleo de estudos Criado em 1997 - UFSC/EPS Equipe multidisciplinar, com aproximadamente 20 integrantes OBJETIVO Gerar uma competência e uma base

Leia mais

Plataforma de Business Intelligence

Plataforma de Business Intelligence Plataforma de Business Intelligence ASTEN TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO A Asten é uma empresa do ramo da tecnologia da informação (TI) que tem seu foco na busca por soluções inovadoras. Nosso slogan criando

Leia mais

Sistema. Atividades. Sistema de informações. Tipos de sistemas de informação. Everson Santos Araujo everson@everson.com.br

Sistema. Atividades. Sistema de informações. Tipos de sistemas de informação. Everson Santos Araujo everson@everson.com.br Sistema Tipos de sistemas de informação Everson Santos Araujo everson@everson.com.br Um sistema pode ser definido como um complexo de elementos em interação (Ludwig Von Bertalanffy) sistema é um conjunto

Leia mais

BUSINESS INTELLIGENCE, O ELEMENTO CHAVE PARA O SUCESSO DAS ORGANIZAÇÕES.

BUSINESS INTELLIGENCE, O ELEMENTO CHAVE PARA O SUCESSO DAS ORGANIZAÇÕES. Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 88 BUSINESS INTELLIGENCE, O ELEMENTO CHAVE PARA O SUCESSO DAS ORGANIZAÇÕES. Andrios Robert Silva Pereira, Renato Zanutto

Leia mais

Uma Arquitetura de Gestão de Dados em Ambiente Data Warehouse

Uma Arquitetura de Gestão de Dados em Ambiente Data Warehouse Uma Arquitetura de Gestão de Dados em Ambiente Data Warehouse Alcione Benacchio (UFPR) E mail: alcione@inf.ufpr.br Maria Salete Marcon Gomes Vaz (UEPG, UFPR) E mail: salete@uepg.br Resumo: O ambiente de

Leia mais

Introdução. Conceitos Básicos. Conceitos Básicos. Conceitos Básicos

Introdução. Conceitos Básicos. Conceitos Básicos. Conceitos Básicos Conceitos Básicos Introdução Banco de Dados I Prof. Guilherme Tavares de Assis Universidade Federal de Ouro Preto UFOP Instituto de Ciências Exatas e Biológicas ICEB Departamento de Computação DECOM Dados

Leia mais

PROPOSTA DE SOFTWARE DE INSTALAÇÃO PARA UM AMBIENTE INTEGRADO DE GERÊNCIA DE PROJETOS E DE PROCESSOS DE NEGÓCIOS

PROPOSTA DE SOFTWARE DE INSTALAÇÃO PARA UM AMBIENTE INTEGRADO DE GERÊNCIA DE PROJETOS E DE PROCESSOS DE NEGÓCIOS PROPOSTA DE SOFTWARE DE INSTALAÇÃO PARA UM AMBIENTE INTEGRADO DE GERÊNCIA DE PROJETOS E DE PROCESSOS DE NEGÓCIOS Élysson Mendes Rezende Bacharelando em Sistemas de Informação Bolsista de Iniciação Científica

Leia mais

Uma Ferramenta Web para BI focada no Gestor de Informação

Uma Ferramenta Web para BI focada no Gestor de Informação Uma Ferramenta Web para BI focada no Gestor de Informação Mikael de Souza Fernandes 1, Gustavo Zanini Kantorski 12 mikael@cpd.ufsm.br, gustavoz@cpd.ufsm.br 1 Curso de Sistemas de Informação, Universidade

Leia mais

OLAP: Características, Arquitetura e Ferramentas

OLAP: Características, Arquitetura e Ferramentas INSTITUTO VIANNA JÚNIOR FACULDADES INTEGRADAS VIANNA JÚNIOR OLAP: Características, Arquitetura e Ferramentas Erika Maria Teixeira Araújo 1 Mônica de Lourdes Souza Batista 2 Teresinha Moreira de Magalhães

Leia mais

4 Aplicação da Sistemática

4 Aplicação da Sistemática 4 Aplicação da Sistemática Este capítulo descreve a aplicação da sistemática definida no Capítulo 3 utilizando dados reais de uma estatística pública e aplicando tecnologias avançadas fazendo o uso de

Leia mais

Prova INSS RJ - 2007 cargo: Fiscal de Rendas

Prova INSS RJ - 2007 cargo: Fiscal de Rendas Prova INSS RJ - 2007 cargo: Fiscal de Rendas Material de Apoio de Informática - Prof(a) Ana Lucia 53. Uma rede de microcomputadores acessa os recursos da Internet e utiliza o endereço IP 138.159.0.0/16,

Leia mais

UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA LEONARDO BRAND BIANCO PEREIRA BUSINESS INTELLIGENCE APLICADO AO TRANSPORTE COLETIVO

UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA LEONARDO BRAND BIANCO PEREIRA BUSINESS INTELLIGENCE APLICADO AO TRANSPORTE COLETIVO UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA LEONARDO BRAND BIANCO PEREIRA BUSINESS INTELLIGENCE APLICADO AO TRANSPORTE COLETIVO Palhoça 2008 LEONARDO BRAND BIANCO PEREIRA BUSINESS INTELLIGENCE APLICADO AO TRANSPORTE

Leia mais

5 A Usabilidade das Estatísticas Públicas

5 A Usabilidade das Estatísticas Públicas 5 A Usabilidade das Estatísticas Públicas O capitulo anterior descreveu as facilidades de acesso às informações estatíticas e este capítulo descreve, exemplifica e mostra a usabilidade destas informações

Leia mais

Modelagem de Sistemas de Informação

Modelagem de Sistemas de Informação Modelagem de Sistemas de Informação Professora conteudista: Gislaine Stachissini Sumário Modelagem de Sistemas de Informação Unidade I 1 SISTEMAS DE INFORMAÇÃO...1 1.1 Conceitos...2 1.2 Objetivo...3 1.3

Leia mais

Fornecendo Inteligência, para todo o mundo, a mais de 20 anos.

Fornecendo Inteligência, para todo o mundo, a mais de 20 anos. Fornecendo Inteligência, para todo o mundo, a mais de 20 anos. Fundada em 1989, a MicroStrategy é fornecedora líder Mundial de plataformas de software empresarial. A missão é fornecer as plataformas mais

Leia mais

Sistemas de Informação Aplicados a AgroIndústria Utilizando DataWarehouse/DataWebhouse

Sistemas de Informação Aplicados a AgroIndústria Utilizando DataWarehouse/DataWebhouse Sistemas de Informação Aplicados a AgroIndústria Utilizando DataWarehouse/DataWebhouse Prof. Dr. Oscar Dalfovo Universidade Regional de Blumenau - FURB, Blumenau, Brasil dalfovo@furb.br Prof. Dr. Juarez

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em Banco de Dados Disciplina: Projeto de Banco de Dados Relacional II Prof.: Fernando Hadad Zaidan

Curso Superior de Tecnologia em Banco de Dados Disciplina: Projeto de Banco de Dados Relacional II Prof.: Fernando Hadad Zaidan Faculdade INED Curso Superior de Tecnologia em Banco de Dados Disciplina: Projeto de Banco de Dados Relacional II Prof.: Fernando Hadad Zaidan 1 Unidade 4.2 2 1 BI BUSINESS INTELLIGENCE BI CARLOS BARBIERI

Leia mais

01/12/2009 BUSINESS INTELLIGENCE. Agenda. Conceito. Segurança da Informação. Histórico Conceito Diferencial Competitivo Investimento.

01/12/2009 BUSINESS INTELLIGENCE. Agenda. Conceito. Segurança da Informação. Histórico Conceito Diferencial Competitivo Investimento. BUSINESS INTELLIGENCE Agenda BI Histórico Conceito Diferencial Competitivo Investimento Segurança da Objetivo Áreas Conceito O conceito de Business Intelligencenão é recente: Fenícios, persas, egípcios

Leia mais

Índice. Business Intelligence Pentaho

Índice. Business Intelligence Pentaho Manual de Sistema Índice Introdução:... 3 Conceito:... 3 1 - Acessando o Sistema... 4 1.1 - Tela inicial... 5 2 - Analisando um Cubo... 6 2.1 Acessando o Cubo... 6 2.2 - Montando Uma Visão... 7 3 - Navegando

Leia mais

Curso Data warehouse e Business Intelligence

Curso Data warehouse e Business Intelligence Curso Data warehouse e Business Intelligence Fundamentos, Metodologia e Arquitetura Apresentação Os projetos de Data Warehouse e Business Intelligence são dos mais interessantes e complexos de desenvolver

Leia mais

Programa do Módulo 2. Processo Unificado: Visão Geral

Programa do Módulo 2. Processo Unificado: Visão Geral 9.1 Programa do Módulo 2 Orientação a Objetos Conceitos Básicos Análise Orientada a Objetos (UML) O Processo Unificado (RUP) Processo Unificado: Visão Geral 9.2 Encaixa-se na definição geral de processo:

Leia mais

MBA EM BUSINESS INTELLIGENCE

MBA EM BUSINESS INTELLIGENCE MBA EM BUSINESS INTELLIGENCE Como a sua empresa estrutura informações estratégicas? Como as decisões são tomadas? São considerados, dados, informações e tendências, de macroambientes? O quanto você conhece

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Business Intelligence (BI)

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Business Intelligence (BI) Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Business Intelligence (BI) Apresentação O programa de Pós-graduação Lato Sensu em Business Intelligence Inteligência Competitiva tem por fornecer conhecimento

Leia mais

Auto Treinamento. Versão 10.05.13

Auto Treinamento. Versão 10.05.13 Auto Treinamento Versão 10.05.13 Sumário 1. OBJETIVO... 3 2. CONCEITO DE BUSINESS INTELLIGENCE... 3 3. REALIZANDO CONSULTAS NO BI-PUBLIC... 4 3.2. Abrindo uma aplicação... 4 3.3. Seleções... 6 3.4. Combinando

Leia mais

DESMISTIFICANDO O CONCEITO DE ETL

DESMISTIFICANDO O CONCEITO DE ETL DESMISTIFICANDO O CONCEITO DE ETL Fábio Silva Gomes da Gama e Abreu- FSMA Resumo Este artigo aborda os conceitos de ETL (Extract, Transform and Load ou Extração, Transformação e Carga) com o objetivo de

Leia mais

BUSINESS INTELLIGENCE BI Aplicado à Gestão das Águas Subterrâneas. Frederico Cláudio Peixinho Flávio Luis de Mello 23 a 26 de Outubro de 2012

BUSINESS INTELLIGENCE BI Aplicado à Gestão das Águas Subterrâneas. Frederico Cláudio Peixinho Flávio Luis de Mello 23 a 26 de Outubro de 2012 XVII Congresso Brasileiro de Águas Subterrâneas Bonito - MT Serviço Geológico do Brasil CPRM BUSINESS INTELLIGENCE BI Aplicado à Gestão das Águas Subterrâneas Frederico Cláudio Peixinho Flávio Luis de

Leia mais

Uma análise multidimensional dos dados estratégicos da empresa usando o recurso OLAP do Microsoft Excel

Uma análise multidimensional dos dados estratégicos da empresa usando o recurso OLAP do Microsoft Excel Uma análise multidimensional dos dados estratégicos da empresa usando o recurso OLAP do Microsoft Excel Carlos Alberto Ferreira Bispo (AFA) cafbispo@siteplanet.com.br Daniela Gibertoni (FATECTQ) daniela@fatectq.com.br

Leia mais

Business Intelligence

Business Intelligence e-book Senior Business Intelligence 1 Índice 03 05 08 14 17 20 22 Introdução Agilize a tomada de decisão e saia à frente da concorrência Capítulo 1 O que é Business Intelligence? Capítulo 2 Quatro grandes

Leia mais

Aplicando Técnicas de Business Intelligence sobre dados de desempenho Acadêmico: Um estudo de caso

Aplicando Técnicas de Business Intelligence sobre dados de desempenho Acadêmico: Um estudo de caso Aplicando Técnicas de Business Intelligence sobre dados de desempenho Acadêmico: Um estudo de caso Ana Magela Rodriguez Almeida 1, Sandro da Silva Camargo 1 1 Curso Engenharia de Computação Universidade

Leia mais

Curso Data warehouse e Business Intelligence Fundamentos, Metodologia e Arquitetura

Curso Data warehouse e Business Intelligence Fundamentos, Metodologia e Arquitetura Curso Data warehouse e Business Intelligence Fundamentos, Metodologia e Arquitetura Apresentação Os projetos de Data Warehouse e Business Intelligence são dos mais interessantes e complexos de desenvolver

Leia mais