Estratégia: Articulação interinstitucional

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Estratégia: Articulação interinstitucional"

Transcrição

1 CGDIS/DATASUS/SE/MS

2 Antecedentes Sistemas, bases de dados e fontes de informação (saúde e outros setores) Disponibilidade na Internet Limitações: cobertura, qualidade, integração e comparabilidade Uso da informação disponível Informação no processo decisório Massa crítica de profissionais no país Iniciativa para as Américas (OPAS)

3 Bases institucionais Instituída em 1996 pelo Ministério da Saúde em cooperação com a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) 14º Termo de Cooperação (dezembro de 2005), sob a coordenação da Secretaria-Executiva do Ministério da Saúde As diretrizes atuais da RIPSA estão fixadas na Portaria 495/2006 do Ministro da Saúde 39º Termo de Cooperação (abril de 2011 ), sob coordenação da Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa

4 Estratégia: Articulação interinstitucional Órgãos intra-setoriais normativos e produtores de informação em saúde Órgãos extra-setoriais produtores de informação para uso na saúde Instituições vocacionadas para a realização de estudos e análises Entidades voltadas para a capacitação e disseminação técnica de informações Descentralização da metodologia para os Estados.

5 Iniciativa RIPSA Funcionamento de uma rede de instituições nacionais de informação, estruturada em bases condominiais de ação solidária e integrada, voltada à realização de produtos de interesse comum.

6 Operação Bases institucionais Instâncias colegiadas Instituições participantes Instrumentos de gestão

7 Instâncias colegiadas Oficina de Trabalho Interagencial (OTI): coordenação técnica da Rede Comitês de Gestão de Indicadores (CGI): revisão de dados e indicadores Comitês Temáticos Interdisciplinares (CTI): análise metodológica e operacional Secretaria Técnica: operacionalização da Rede

8 Instituições participantes (OTI) Ministério da Saúde (Secretarias, Fundações e Agências) Ministério da Previdência Social (MPAS) Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP) Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) Associação Brasileira de Pós-Graduação em Saúde Coletiva (ABRASCO) Associação Brasileira de Estudos Populacionais (ABEP) Faculdade de Saúde Pública / USP Instituto de Medicina Social / UERJ Instituto de Saúde Coletiva / UFBA Instituto de Patologia Tropical e Saúde Pública/UFG Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) Universidade de Brasília (UnB) Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) Fundação SEADE Fundação João Pinheiro (FJP) Fundação Getúlio Vargas (FGV) Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social (IPARDES) CONASS CONASEMS OPAS (Representação no Brasil e BIREME)

9 Áreas temáticas (CTI) Padronização de atributos comuns aos sistemas nacionais de informação Mortalidade infantil, perinatal e materna Formação em informações de saúde Análise de dados espaciais em saúde Desigualdades em saúde Saúde, seguro social e trabalho Sala de situação de saúde Alimentação e nutrição Saúde do idoso Comparação CNES x AMS Indicadores de RH(novo) Mapa da Saúde(novo) Saúde e ambiente Avaliação da PNS (novo)

10 Instrumentos de gestão Planejamento operacional de produtos (POP) Matriz de indicadores Base comum de dados e indicadores (Datasus)

11 Linhas de atuação (POP) Produção de Indicadores e dados básicos para a saúde (IDB) Orientação técnica sobre os indicadores: conceitos e aplicações Análises de situação e tendências Desenvolvimento de recursos metodológicos RIPSA nos Estados Divulgação e comunicação

12 Indicadores (CGI) A - Demográficos B - Socioeconômicos C - Mortalidade D - Morbidade E - Recursos F - Cobertura G - Fatores de risco Link :

13 Ficha de Qualificação de indicadores Conceituação Interpretação Usos Limitações Fonte Método de cálculo Categorias de análise Estatísticas e Comentários Link:

14 Fontes: sistemas de informação MS Mortalidade (SIM) Nascidos vivos (SINASC) Agravos de notificação (SINAN) Internações hospitalares (SIH/SUS) Atendimento ambulatorial (SIA/SUS) Atenção básica (SIAB) Programa nacional de imunizações (SI-PNI) Malária (SIVEP) Recursos humanos (CNES / Conselhos de Classe / INEP) Orçamentos públicos em saúde (SIOPS) Cadastro de beneficiários de planos privados de saúde (ANS)

15 Fontes: Outros sistemas de informação Sistema Único de Benefícios (SUB) da Previdência Social Cadastro Nacional de Informações Sociais (CNIS) /MPAS Sistema de Contas Nacionais/ IBGE

16 Fontes: Bases de dados demográficos Censo demográfico Contagem da população Registro civil Estimativas e projeções

17 Fontes: Pesquisas do IBGE Pesquisa nacional por amostra de domicílios (PNAD) Pesquisa de assistência médico-sanitária (AMS) Pesquisa nacional de saneamento básico (PNSB) Pesquisa nacional de orçamentos familiares (POF) Pesquisa sobre padrões de vida (PPV) Pesquisa mensal de emprego (PME)

18 Fontes: Outras pesquisas e inquéritos Pesquisa nacional de demografia e saúde (PNDS) Estimativas sobre neoplasias malignas Inquérito nacional: aleitamento materno Inquérito nacional: saúde bucal Inquérito nacional: diabetes Pesquisa nacional: mortalidade materna Pesquisa nacional: doenças crônicas Vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico (Vigitel) Vigilância de violências e acidentes (VIVA)

19 Descentralização da Metodologia RIPSA para os Estados Objetivos e diretrizes: Estados com a RIPSA já em funcionamento:

20 IDB Folders Violência Saúde do Idoso Saneamento básico domiciliar

21 Produtos: dados e indicadores

22 Produtos: análise de situação

23 Produtos: recursos metodológicos Sala de situação de saúde Análise de dados espaciais em saúde

A construção dos Indicadores Básicos para a Saúde (IDB)

A construção dos Indicadores Básicos para a Saúde (IDB) A construção dos Indicadores Básicos para a Saúde (IDB) Jacques Levin Departamento de Informática do SUS Secretaria Executiva/Ministério da Saúde Porto Alegre, 23 de setembro de 2008 Roteiro Origem Processo

Leia mais

INDICADORES BÁSICOS PARA A SAÚDE NO BRASIL:

INDICADORES BÁSICOS PARA A SAÚDE NO BRASIL: INDICADORES BÁSICOS PARA A SAÚDE NO BRASIL: CONCEITOS E APLICAÇÕES Brasilia, 2008 2008 Organização Pan-Americana da Saúde Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução total ou parcial desta obra,

Leia mais

Comitê de Estatísticas Sociais. Estágio Atual e Desdobramentos

Comitê de Estatísticas Sociais. Estágio Atual e Desdobramentos Comitê de Estatísticas Sociais Estágio Atual e Desdobramentos 09/07/2010 O Comitê de Estatísticas Sociais CES, e sua Composição O Comitê de Estatísticas Sociais - CES, criado através da Portaria Interministerial

Leia mais

Módulo: Indicadores de Saúde. Palestrante: Irineu Francisco Barreto Jr.

Módulo: Indicadores de Saúde. Palestrante: Irineu Francisco Barreto Jr. Módulo: Indicadores de Saúde Palestrante: Irineu Francisco Barreto Jr. Sumário 1. Considerações metodológicas sobre Indicadores de Saúde 2. Organização do Sistema de Saúde no Brasil 3. Principais grupos

Leia mais

ASPECTOS GERAIS CAPÍTULO 1. Conceitos básicos 1

ASPECTOS GERAIS CAPÍTULO 1. Conceitos básicos 1 CAPÍTULO 1 ASPECTOS GERAIS Conceitos básicos 1 A disponibilidade de informação apoiada em dados válidos e confiáveis é condição essencial para a análise objetiva da situação sanitária, assim como para

Leia mais

Sistema de Informação

Sistema de Informação Sistema de Informação Conjunto de elementos inter-relacionados que coleta, processa (manipula e armazena), transmiti e dissemina dados e informações; Manual ou informatizado; Envolve pessoas, máquinas,

Leia mais

INDICADORES BÁSICOS PARA A SAÚDE NO BRASIL:

INDICADORES BÁSICOS PARA A SAÚDE NO BRASIL: INDICADORES BÁSICOS PARA A SAÚDE NO BRASIL: CONCEITOS E APLICAÇÕES Brasilia, 2008 2008 Organização Pan-Americana da Saúde Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução total ou parcial desta obra,

Leia mais

Glossário de siglas. Abep Abrasco AEAT Aids AIH AMS ANS Anvisa AOPP Apac BCG Bemfam Bireme Caged CAT CBCD

Glossário de siglas. Abep Abrasco AEAT Aids AIH AMS ANS Anvisa AOPP Apac BCG Bemfam Bireme Caged CAT CBCD de siglas Indicadores básicos para a saúde no Brasil: conceitos e aplicações Abep Abrasco AEAT Aids AIH AMS ANS Anvisa AOPP Apac BCG Bemfam Bireme Caged CAT CBCD CBO ceo-d Cenepi CGEA CGI CGPNI CGPRH-SUS

Leia mais

Bases de Dados em Saúde

Bases de Dados em Saúde Pesquisas e Fontes de Dados Administrativos para o Ciclo de políticas públicas ANIPES Dezembro - 2010 Bases de Dados em Saúde Denise Porto SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE MINISTÉRIO DA SAÚDE Transição

Leia mais

Capítulo 1. Indicadores de Saúde e a Ripsa

Capítulo 1. Indicadores de Saúde e a Ripsa Capítulo 1 Indicadores de Saúde e a Ripsa 1. Conceitos básicos 1 A disponibilidade de informação apoiada em dados válidos e confiáveis é condição essencial para a análise objetiva da situação sanitária,

Leia mais

Pacto de Atenção Básica 2002 Notas Técnicas

Pacto de Atenção Básica 2002 Notas Técnicas Pacto de Atenção Básica 2002 Notas Técnicas Estão disponíveis, nestas páginas, os indicadores do Pacto de Atenção Básica 2002, estabelecidos a partir da portaria 1.121, de 17 de junho de 2002, calculados

Leia mais

Memória de cálculo dos indicadores do Pacto de Atenção Básica 2004

Memória de cálculo dos indicadores do Pacto de Atenção Básica 2004 Memória de cálculo dos indicadores do Pacto de Atenção Básica 2004 Fontes de informação: A. População Todos os dados de população foram obtidos a partir do existente no site do Datasus www.datasus.gov.br/cgi/ibge/popmap.htm.

Leia mais

Capítulo 4. Fontes de informação

Capítulo 4. Fontes de informação Capítulo 4 Fontes de informação fontes de informação Fontes de informação São apresentadas neste capítulo informações sobre as principais fontes de informação utilizadas para a construção dos indicadores

Leia mais

Meta 1: Produção, atualização e aperfeiçoamento de indicadores e dados básicos (IDB)

Meta 1: Produção, atualização e aperfeiçoamento de indicadores e dados básicos (IDB) Meta 1: Produção, atualização e aperfeiçoamento de indicadores e dados básicos (IDB) 1. Base de dados do IDB 2011 (1.1) Disponibilizar fontes (bases atualizadas) Analisar condições iniciais e acionar os

Leia mais

ROTEIRO ESTRUTURADO PARA PESQUISA DO TRABALHO PRÁTICO

ROTEIRO ESTRUTURADO PARA PESQUISA DO TRABALHO PRÁTICO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FACULDADE DE MEDICINA DEPARTAMENTO DE MEDICINA PREVENTIVA DISCIPLINA DE EPIDEMIOLOGIA ROTEIRO ESTRUTURADO PARA PESQUISA DO TRABALHO PRÁTICO

Leia mais

BOLETIM. Fundação Seade participa de evento para disseminar conceitos e esclarecer dúvidas sobre o Catálogo de

BOLETIM. Fundação Seade participa de evento para disseminar conceitos e esclarecer dúvidas sobre o Catálogo de disseminar conceitos O desenvolvimento do aplicativo de coleta de informações, a manutenção e a atualização permanente do CSBD estão sob a responsabilidade da Fundação Seade. Aos órgãos e entidades da

Leia mais

A saúde nas Contas Nacionais do Brasil

A saúde nas Contas Nacionais do Brasil Diretoria de Pesquisa Coordenação de Contas Nacionais A saúde nas Contas Nacionais do Brasil Ricardo Montes de Moraes Data 29/06/07 Conta satélite - em elaboração - Pesquisa de bases de dados do governo

Leia mais

Indicadores básicos para a saúde no Brasil: conceitos e aplicações.

Indicadores básicos para a saúde no Brasil: conceitos e aplicações. Indicadores básicos para a saúde no Brasil: conceitos e aplicações. Brasília, 2002 1ª edição - 2002 É permitida a reprodução parcial ou total desta obra, desde que citada a fonte Organização Pan-Americana

Leia mais

Tutorial 02 - Bases de Dados Nacionais. Ilara Hämmerli Sozzi de Moraes Pesquisadora Titular Escola Nacional de Saúde Pública Fundação Osvaldo Cruz

Tutorial 02 - Bases de Dados Nacionais. Ilara Hämmerli Sozzi de Moraes Pesquisadora Titular Escola Nacional de Saúde Pública Fundação Osvaldo Cruz Tutorial 02 - Bases de Dados Nacionais Ilara Hämmerli Sozzi de Moraes Pesquisadora Titular Escola Nacional de Saúde Pública Fundação Osvaldo Cruz BASES DE DADOS NACIONAIS A hermenêutica representa o esforço

Leia mais

DIFERENTES SUBSISTEMAS DE INFORMAÇÃO, COM ESTUDOS DE RELATIVO BAIXO CUSTO OPERACIONAL (ALMEIDA E MELLO JORGE, 1996) E VEM SENDO EMPREGADA EM ESTUDOS

DIFERENTES SUBSISTEMAS DE INFORMAÇÃO, COM ESTUDOS DE RELATIVO BAIXO CUSTO OPERACIONAL (ALMEIDA E MELLO JORGE, 1996) E VEM SENDO EMPREGADA EM ESTUDOS OBSERVATÓRIO DE TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO EM SISTEMAS E SERVIÇOS DE SAÚDE DO ESTADO DO PARÁ: ANÁLISE E SISTEMATIZAÇÃO DE TECNOLOGIAS UTILIZADOS PARA APOIO À GESTÃO DE SISTEMAS E AO ENSINO

Leia mais

Comitê Temático Interdisciplinar : Saúde, Seguro e Trabalho. Oficina de Trabalho sobre Indicadores de Saúde do Trabalhador - Relatório

Comitê Temático Interdisciplinar : Saúde, Seguro e Trabalho. Oficina de Trabalho sobre Indicadores de Saúde do Trabalhador - Relatório Comitê Temático Interdisciplinar : Saúde, Seguro e Trabalho Oficina de Trabalho sobre Indicadores de Saúde do Trabalhador - Relatório Data: 17 e 18 de agosto de 2006 Local: Sede da Representação da OPAS/OMS,

Leia mais

Ficha Técnica dos indicadores de saúde disponibilizados por meio do aplicativo Statplanet. Mortalidade

Ficha Técnica dos indicadores de saúde disponibilizados por meio do aplicativo Statplanet. Mortalidade Secretaria Municipal da Saúde Coordenação de Epidemiologia e Informação - CEInfo Ficha Técnica dos indicadores de saúde disponibilizados por meio do aplicativo Statplanet Mortalidade Taxa ou Coeficiente

Leia mais

AGENDA PARA INTENSIFICAÇÃO DA ATENÇÃO NUTRICIONAL À DESNUTRIÇÃO INFANTIL

AGENDA PARA INTENSIFICAÇÃO DA ATENÇÃO NUTRICIONAL À DESNUTRIÇÃO INFANTIL MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA COORDENAÇÃO-GERAL DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO AGENDA PARA INTENSIFICAÇÃO DA ATENÇÃO NUTRICIONAL À DESNUTRIÇÃO INFANTIL Cenário

Leia mais

Informação em saúde no Brasil: a contribuição da Ripsa. Health information in Brazil: the Ripsa contribution

Informação em saúde no Brasil: a contribuição da Ripsa. Health information in Brazil: the Ripsa contribution 1049 Informação em saúde no Brasil: a contribuição da Ripsa Health information in Brazil: the Ripsa contribution OPINIÃO OPINION João Baptista Risi Júnior 1 Abstract The Inter-Agency Health Information

Leia mais

GUIA PROPOSTO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL DE SAÚDE

GUIA PROPOSTO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL DE SAÚDE GUIA PROPOSTO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL DE SAÚDE (Fonte: Livro 2 dos Cadernos de Planejamento do PLANEJASUS) O planejamento é uma função estratégica de gestão assegurada pela Constituição Federal

Leia mais

(Coeficiente de mortalidade infantil)

(Coeficiente de mortalidade infantil) C Taxa de mortalidade infantil C.1............................ 108 Taxa de mortalidade neonatal precoce C.1.1..................... 110 Taxa de mortalidade neonatal tardia C.1.2...................... 112

Leia mais

Painel 2 Experiências Setoriais: o Monitoramento nas Áreas da Educação e Saúde Afonso Teixeira dos Reis MS Data: 14 e 15 de abril de 2014.

Painel 2 Experiências Setoriais: o Monitoramento nas Áreas da Educação e Saúde Afonso Teixeira dos Reis MS Data: 14 e 15 de abril de 2014. Painel 2 Experiências Setoriais: o Monitoramento nas Áreas da Educação e Saúde Afonso Teixeira dos Reis MS Data: 14 e 15 de abril de 2014. Ministério da Saúde / Secretaria-Executiva Departamento de Monitoramento

Leia mais

2ª Capacitação em Análise e Planejamento da Força de Trabalho em Saúde Rio de Janeiro, 17 a 21 de setembro de 2012

2ª Capacitação em Análise e Planejamento da Força de Trabalho em Saúde Rio de Janeiro, 17 a 21 de setembro de 2012 2ª Capacitação em Análise e Planejamento da Força de Trabalho em Saúde Fixação de Médicos na Atenção Básica para Região Norte do Brasil. GRUPO 3 Problema a ser estudado- Escassez alta e severa de profissionais

Leia mais

Indicadores de Desenvolvimento Sustentável

Indicadores de Desenvolvimento Sustentável Diretoria de Geociências CREN/CGEO/Assessoria Indicadores de Desenvolvimento Sustentável Denise Kronemberger Seminário Contas Econômicas Ambientais da Água Rio de Janeiro, Nov./14 Contexto Histórico 7912

Leia mais

Sistema Integrado de Pesquisas Domiciliares. 7o. Fórum do SIPD

Sistema Integrado de Pesquisas Domiciliares. 7o. Fórum do SIPD Informes gerais Sistema Integrado de Pesquisas Domiciliares SIPD 7o. Fórum do SIPD Rio de Janeiro, 14 de dezembro de 2009 SIPD resposta para as seguintes questões Como otimizar a aplicação dos recursos,

Leia mais

Programa Nacional de Segurança do Paciente: estado da arte e perspectivas

Programa Nacional de Segurança do Paciente: estado da arte e perspectivas Programa Nacional de Segurança do Paciente: estado da arte e perspectivas Ministério da Saúde cria o Programa Nacional de Segurança do Paciente para o monitoramento e prevenção de danos na assistência

Leia mais

Institui o Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES).

Institui o Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES). MINISTÉRIO DA SAÚDE GABINETE DO MINISTRO DOU de 05/10/2015 (nº 190, Seção 1, pág. 669) Institui o Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES). O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, no uso das atribuições

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE DO HOMEM

POLÍTICA NACIONAL DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE DO HOMEM POLÍTICA NACIONAL DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE DO HOMEM COMISSÃO DE ASSUNTOS SOCIAIS SENADO FEDERAL BRASÍLIA, 16 DE MAIO DE 2013 Criação de um novo departamento dentro da SAS: DAET- Departamento de Atenção

Leia mais

Fed Estado DF O cálculo da União não X possui percentual de aplicada em saúde

Fed Estado DF O cálculo da União não X possui percentual de aplicada em saúde Anexo RELATÓRIO DE INDICADORES DE MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO DO PACTO PELA SAÚDE - 2007 A. INDICADORES PRINCIPAIS Denominação Método de Cálculo Fonte Parâmetro/Meta Nacional/ Referência Situação Local Meta

Leia mais

TÓPICOS QUE ORIENTAM A JUSTIFICATIVA PARA A DEMANDA (PROINFÂNCIA, CONSTRUÇÃO DE QUADRA COBERTA E COBERTURA DE QUADRA EXISTENTE)

TÓPICOS QUE ORIENTAM A JUSTIFICATIVA PARA A DEMANDA (PROINFÂNCIA, CONSTRUÇÃO DE QUADRA COBERTA E COBERTURA DE QUADRA EXISTENTE) TÓPICOS QUE ORIENTAM A JUSTIFICATIVA PARA A DEMANDA (PROINFÂNCIA, CONSTRUÇÃO DE QUADRA COBERTA E COBERTURA DE QUADRA EXISTENTE) 1. Conceito Trata-se de elaboração de documento que busca demonstrar a necessidade

Leia mais

Planos Municipais de Educação ORIENTAÇÕES TÉCNICAS. Um Bom Diagnóstico

Planos Municipais de Educação ORIENTAÇÕES TÉCNICAS. Um Bom Diagnóstico Planos Municipais de Educação ORIENTAÇÕES TÉCNICAS Um Bom Diagnóstico Tendo em vista o grande desafio nacional: construir planos consonantes ao PNE; as premissas de trabalho pactuadas; as cinco etapas

Leia mais

DIREITO À VIDA A GESTÃO DA QUALIDADE E DA INTEGRALIDADE DO CUIDADO EM SAÚDE PARA A MULHER E A CRIANÇA NO SUS-BH: a experiência da Comissão Perinatal

DIREITO À VIDA A GESTÃO DA QUALIDADE E DA INTEGRALIDADE DO CUIDADO EM SAÚDE PARA A MULHER E A CRIANÇA NO SUS-BH: a experiência da Comissão Perinatal DIREITO À VIDA A GESTÃO DA QUALIDADE E DA INTEGRALIDADE DO CUIDADO EM SAÚDE PARA A MULHER E A CRIANÇA NO SUS-BH: a experiência da Comissão Perinatal Grupo temático: Direito à vida, à saúde e a condições

Leia mais

Relatório Estadual de Acompanhamento - 2008. Relatório Estadual de Acompanhamento 2008 Objetivos de Desenvolvimento do Milênio

Relatório Estadual de Acompanhamento - 2008. Relatório Estadual de Acompanhamento 2008 Objetivos de Desenvolvimento do Milênio Relatório Estadual de Acompanhamento 2008 Objetivos de Desenvolvimento do Milênio 1- Erradicar a extrema pobreza e a fome Meta 1: Reduzir pela metade, entre 1990 e 2015, a proporção da população com renda

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS Sistema Nacional de Indicadores em Direitos Humanos: O que é, como está sendo desenvolvido e para que serve 1 Sistemas de Indicadores no Brasil A elaboração de indicadores sob uma perspectiva de direitos

Leia mais

Secretaria Municipal da Saúde de Ribeirão Preto sicaev.saude@ribeiraopreto.sp.gov.br

Secretaria Municipal da Saúde de Ribeirão Preto sicaev.saude@ribeiraopreto.sp.gov.br SICAEV e UM PROJETO DE APRIMORAMENTO DO SISTEMA DE INFORMAÇÃO SOBRE A MORTALIDADE e NASCIDOS VIVOS Secretaria Municipal da Saúde de Ribeirão Preto sicaev.saude@ribeiraopreto.sp.gov.br SICAEV é um serviço

Leia mais

Governança: possibilidades de arranjos institucionais para realização de contas econômico-ambientais

Governança: possibilidades de arranjos institucionais para realização de contas econômico-ambientais Governança: possibilidades de arranjos institucionais para realização de contas econômico-ambientais Wasmália Bivar Diretoria de Estatísticas Luiz Paulo Souto Fortes Diretoria de Geociências Seminário

Leia mais

ANEXO I TERMO DE COMPROMISSO DE GESTÃO MUNICIPAL

ANEXO I TERMO DE COMPROMISSO DE GESTÃO MUNICIPAL ANEXO I TERMO DE COMPROMISSO DE GESTÃO MUNICIPAL Termo de Compromisso de Gestão que firma a Secretaria Municipal de Saúde de XX, representada pelo seu Secretário Municipal de Saúde, com o objetivo de pactuar

Leia mais

PORTARIA INTERMINISTERIAL No-10, DE 11 DE JULHO DE 2013

PORTARIA INTERMINISTERIAL No-10, DE 11 DE JULHO DE 2013 PORTARIA INTERMINISTERIAL No-10, DE 11 DE JULHO DE 2013 Regulamenta o Decreto nº 7.385, de 8 de dezembro de 2010, que instituiu o Sistema Universidade Aberta do Sistema Único de Saúde (UNA-SUS). Os MINISTROS

Leia mais

Super Dicas de SUS. Prof. Marcondes Mendes. SUS em exercícios comentados Prof Marcondes Mendes

Super Dicas de SUS. Prof. Marcondes Mendes. SUS em exercícios comentados Prof Marcondes Mendes Super Dicas de SUS Prof. Marcondes Mendes SUS em exercícios comentados Prof Marcondes Mendes 1. Evolução histórica da organização do sistema de saúde no Brasil Prevenção Modelo de Saúde Sanitarista Campanhismo

Leia mais

BOLETIM. Produto Interno Bruto paulista continua no patamar de um trilhão de reais

BOLETIM. Produto Interno Bruto paulista continua no patamar de um trilhão de reais patamar de um trilhão Em ano atípico, o PIB do Estado de São apresentou redução real em 2009, mas ampliou sua participação no PIB brasileiro. Em 2009, o PIB, calculado pela Fundação Seade em parceria com

Leia mais

O USO DA INTERNET NO APOIO À GERÊNCIA DOS SERVIÇOS DE SAÚDE NO BRASIL

O USO DA INTERNET NO APOIO À GERÊNCIA DOS SERVIÇOS DE SAÚDE NO BRASIL O USO DA INTERNET NO APOIO À GERÊNCIA DOS SERVIÇOS DE SAÚDE NO BRASIL R.Cerceau, A.G.Silva, F.Andrade Jr, R.T.Almeida Programa de Engenharia Biomédica do Instituto Alberto Luiz Coimbra (COPPE), Universidade

Leia mais

PLANEJAMENTO PARTICIPATIVO MATO GRANDE 17/06/2015

PLANEJAMENTO PARTICIPATIVO MATO GRANDE 17/06/2015 PLANEJAMENTO PARTICIPATIVO MATO GRANDE 17/06/2015 1 PROGRAMAÇÃO DO EVENTO 08H ÀS 09H 09H ÀS 09:H30 09H30 ÀS 10H 10H ÀS 10:15 10H15 ÀS 12H 12H ÀS 13H 13H ÀS 13H30 CREDENCIAMENTO ABERTURA DO EVENTO CARACTERIZAÇÃO

Leia mais

Seminário de Doenças Crônicas

Seminário de Doenças Crônicas Seminário de Doenças Crônicas LINHA DE CUIDADO DE HIPERTENSÃO ARTERIAL E DIABETES EXPERIÊNCIA DE DIADEMA SP Dra Lidia Tobias Silveira Assistente Gabinete SMS Diadema Linha de cuidado de HAS e DM Experiência

Leia mais

26/4/2012. Inquéritos Populacionais Informações em Saúde. Dados de Inquéritos Populacionais. Principais Características. Principais Características

26/4/2012. Inquéritos Populacionais Informações em Saúde. Dados de Inquéritos Populacionais. Principais Características. Principais Características Inquéritos Populacionais Informações em Saúde Dados de Inquéritos Populacionais Zilda Pereira da Silva Estudos de corte transversal, únicos ou periódicos, onde são coletadas informações das pessoas que

Leia mais

SUS: princípios doutrinários e Lei Orgânica da Saúde

SUS: princípios doutrinários e Lei Orgânica da Saúde Universidade de Cuiabá - UNIC Núcleo de Disciplinas Integradas Disciplina: Formação Integral em Saúde SUS: princípios doutrinários e Lei Orgânica da Saúde Profª Andressa Menegaz SUS - Conceito Ações e

Leia mais

A Importância do Planejamento na construção do SUS. Carmen Teixeira

A Importância do Planejamento na construção do SUS. Carmen Teixeira A Importância do Planejamento na construção do SUS Carmen Teixeira A importância do planejamento O planejamento está voltando à moda, depois de mais de uma década de predomínio do ideologismo neoliberal

Leia mais

Projeto Redução da Mortalidade Infantil e Materna em Minas Gerais Outubro 2013. Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais

Projeto Redução da Mortalidade Infantil e Materna em Minas Gerais Outubro 2013. Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais Projeto Redução da Mortalidade Infantil e Materna em Minas Gerais Outubro 2013 Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais Mortalidade Minas Gerais Janeiro a Outubro 2013 1 Óbitos fetais 2076 Óbitos

Leia mais

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/cit/2012/res0004_19_07_2012.html

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/cit/2012/res0004_19_07_2012.html http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/cit/2012/res0004_19_07_2012.html Página 1 de 17 ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Gabinete do Ministro Comissão Intergestores

Leia mais

Planejando a Próxima Década. Alinhando os Planos de Educação

Planejando a Próxima Década. Alinhando os Planos de Educação Planejando a Próxima Década Alinhando os Planos de Educação EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 59, DE 11 DE NOVEMBRO DE 2009 Art. 4º O caput do art. 214 da Constituição Federal passa a vigorar com a seguinte redação,

Leia mais

NOTA TÉCNICA 11/2014. Cálculo e forma de divulgação da variável idade nos resultados dos censos educacionais realizados pelo Inep

NOTA TÉCNICA 11/2014. Cálculo e forma de divulgação da variável idade nos resultados dos censos educacionais realizados pelo Inep INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA - INEP DIRETORIA DE ESTATÍSTICAS EDUCACIONAIS COORDENAÇÃO-GERAL DE CONTROLE DE QUALIDADE E DE TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL

Leia mais

Nota Técnica. Conceitos da Vigilância Socioassistencial Nº 01. Curitiba, PR. Junho de 2014. Coordenação da Gestão do SUAS

Nota Técnica. Conceitos da Vigilância Socioassistencial Nº 01. Curitiba, PR. Junho de 2014. Coordenação da Gestão do SUAS Nota Técnica Conceitos da Vigilância Socioassistencial Nº 01 Curitiba, PR. Junho de 2014 Coordenação da Gestão do SUAS Conceitos da Vigilância Socioassistencial Finalidade: Considerando a importância da

Leia mais

Amazônia Legal e infância

Amazônia Legal e infância Amazônia Legal e infância Área de Abrangência 750 Municípios distribuídos em 09 Unidades Federativas: Amazonas (62), Amapá (16), Acre (22), Roraima (15), Rondônia (52), Pará (143), Tocantins (139), Maranhão

Leia mais

IV Seminário de Promoçã e Prevençã. ção à Saúde. ção o de Riscos e Doenças na Saúde Suplementar. I Seminário de Atençã. Suplementar.

IV Seminário de Promoçã e Prevençã. ção à Saúde. ção o de Riscos e Doenças na Saúde Suplementar. I Seminário de Atençã. Suplementar. IV Seminário de Promoçã ção o da Saúde e Prevençã ção o de Riscos e Doenças na Saúde Suplementar I Seminário de Atençã ção à Saúde Suplementar Dezembro 2007 Área de Atençã ção à Saúde da Mulher Marco Regulatório

Leia mais

Pactos pela Vida, em Defesa do SUS e de Gestão

Pactos pela Vida, em Defesa do SUS e de Gestão MINISTÉRIO DA SAÚDE Secretaria-Executiva Coordenação de Apoio à Gestão Descentralizada Diretrizes Operacionais para os Pactos pela Vida, em Defesa do SUS e de Gestão Série A. Normas e Manuais Técnicos

Leia mais

I. APRESENTAÇÃO... i II. CARACTERIZAÇÃO DO MUNICÍPIO DE VITÓRIA (ES)... 1

I. APRESENTAÇÃO... i II. CARACTERIZAÇÃO DO MUNICÍPIO DE VITÓRIA (ES)... 1 SUMÁRIO I. APRESENTAÇÃO... i EQUIPE... iii METODOLOGIA... v II. CARACTERIZAÇÃO DO MUNICÍPIO DE VITÓRIA (ES)... 1 1. CARACTERÍSTICAS GEOGRÁFICAS E DEMOGRÁFICAS... 1 2. CARACTERÍSTICAS ECONÔMICAS... 1 3.

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE MINAS GERAIS SECRETARIA DE ESTADO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL MANUAL DE CONSULTAS A BASE DE DADOS

GOVERNO DO ESTADO DE MINAS GERAIS SECRETARIA DE ESTADO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL MANUAL DE CONSULTAS A BASE DE DADOS GOVERNO DO ESTADO DE MINAS GERAIS SECRETARIA DE ESTADO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL MANUAL DE CONSULTAS A BASE DE DADOS Belo Horizonte Dezembro 2012 SUMÁRIO 1 - INTRODUÇÃO... 3 2 - IBGE... 5 2.1 - ENCONTRA-SE

Leia mais

REUNIÃO DO COMITE DE GESTÃO DE INDICADORES DE COBERTURA

REUNIÃO DO COMITE DE GESTÃO DE INDICADORES DE COBERTURA REUNIÃO DO COMITE DE GESTÃO DE INDICADORES DE COBERTURA Relatório Versão 1 Data e hora: 09.05.2014, de 9.00 às 14:00 Local: Rua México, 128, 8º andar, Rio de Janeiro. Participantes: RIPSA João B. Risi

Leia mais

Novos Procedimentos de Vigilância Sanitária na Tabela do SUS

Novos Procedimentos de Vigilância Sanitária na Tabela do SUS Novos Procedimentos de Vigilância Sanitária na Tabela do SUS N o 152 Abril/2015 2015 Ministério da Saúde. É permitida a reprodução parcial ou total desta obra, desde que citada a fonte e que não seja para

Leia mais

PLANEJASUS. A Importância do Planejamento na Gestão do SUS

PLANEJASUS. A Importância do Planejamento na Gestão do SUS PLANEJASUS A Importância do Planejamento na Gestão do SUS Sumário 1. A importância do planejamento 2. Antecedentes: a Saúde nos Planos de Desenvolvimento 3. Emergência do planejamento em saúde (75-79)

Leia mais

Indicadores e Dados Básicos: situando Santa Catarina

Indicadores e Dados Básicos: situando Santa Catarina Secretaria da Saúde do Estado de Santa Catarina Diretoria de Planejamento e Coordenação Gerência de Estatística e Informática Setor de Mortalidadade Indicadores e Dados Básicos: situando Santa Catarina

Leia mais

ANEXO IV INDICADORES ESTRATÉGICOS PARA A REDE CEGONHA

ANEXO IV INDICADORES ESTRATÉGICOS PARA A REDE CEGONHA ANEXO IV INDICADORES ESTRATÉGICOS PARA A REDE CEGONHA OBJETIVO: MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO DA IMPLANTAÇÃO E QUALIFICAÇÃO DA REDE CEGONHA NOME DO INDICADOR DEFINIÇÃO INTERPRETAÇÃO MÉTODO DE CÁLCULO cadastradas

Leia mais

As ações estratégicas relacionadas com a implementação do Sistema Integrado de Pesquisas Domiciliares - SIPD

As ações estratégicas relacionadas com a implementação do Sistema Integrado de Pesquisas Domiciliares - SIPD As ações estratégicas relacionadas com a implementação do Sistema Integrado de Pesquisas Domiciliares - SIPD 6o. Fórum do SIPD Rio de Janeiro, 10 de julho de 2009 SIPD - motivações O SIPD é a resposta

Leia mais

Possibilidade de Avaliação dos Sistemas de Informação: O estudo do SIM

Possibilidade de Avaliação dos Sistemas de Informação: O estudo do SIM * SES-PE ** IMIP Secretaria de Saúde do Estado de Pernambuco Secretaria Executiva de Vigilância em Saúde Diretoria Geral de Vigilância Epidemiológica e Ambiental Gerencia de Monitoramento e Vigilância

Leia mais

EVIPNet Brasil Rede para Políticas Informadas por Evidências. Brasília, 10 a 13 dezembro 2012

EVIPNet Brasil Rede para Políticas Informadas por Evidências. Brasília, 10 a 13 dezembro 2012 EVIPNet Brasil Rede para Políticas Informadas por Evidências Brasília, 10 a 13 dezembro 2012 EVIPNet - Brasil Objetivo Geral da Rede EVIPNet Estabelecer mecanismos para facilitar a utilização de produção

Leia mais

Assistência Suplementar à Saúde no Brasil Segmento Odontológico

Assistência Suplementar à Saúde no Brasil Segmento Odontológico Assistência Suplementar à Saúde no Brasil Segmento Odontológico Sindicato Nacional das Empresas de Odontologia de Grupo Sinog Março / 2011 Press Kit para Imprensa Sinog Sindicato Nacional das Empresas

Leia mais

Relatório Metodológico da Tipologia dos Colegiados de Gestão Regional CGR. O presente relatório tem por objetivo apresentar uma tipologia dos CGR

Relatório Metodológico da Tipologia dos Colegiados de Gestão Regional CGR. O presente relatório tem por objetivo apresentar uma tipologia dos CGR Relatório Metodológico da Tipologia dos Colegiados de Gestão Regional CGR Apresentação O presente relatório tem por objetivo apresentar uma tipologia dos CGR Colegiados de Gestão Regional do Brasil segundo

Leia mais

Mapeamento de Experiências Municipais e Estaduais no campo do Envelhecimento e Saúde da Pessoa Idosa

Mapeamento de Experiências Municipais e Estaduais no campo do Envelhecimento e Saúde da Pessoa Idosa COMEMORAÇÃO DOS 29 ANOS DO ICICT/FIOCRUZ Mapeamento de Experiências Municipais e Estaduais no campo do Envelhecimento e Saúde da Pessoa Idosa O papel da COSAPI no incentivo de experiências exitosas de

Leia mais

VIGILÂNCIA SOCIAL E A GESTÃO DA INFORMAÇÃO: A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO, MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO

VIGILÂNCIA SOCIAL E A GESTÃO DA INFORMAÇÃO: A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO, MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO VIGILÂNCIA SOCIAL E A GESTÃO DA INFORMAÇÃO: A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO, MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO CONCEITUANDO... Vigilância Social : Produção e sistematização de informações territorializadas sobre

Leia mais

SECRETARIA EXECUTIVA DEPARTAMENTO DE ECONOMIA DA SAÚDE, INVESTIMENTOS E DESENVOLVIMENTO INFORME CIT

SECRETARIA EXECUTIVA DEPARTAMENTO DE ECONOMIA DA SAÚDE, INVESTIMENTOS E DESENVOLVIMENTO INFORME CIT SECRETARIA EXECUTIVA DEPARTAMENTO DE ECONOMIA DA SAÚDE, INVESTIMENTOS E DESENVOLVIMENTO INFORME CIT PROJETO DE FORMAÇÃO E MELHORIA DA QUALIDADE DA REDE DE SAÚDE QUALISUS-REDE O Projeto de Formação e Melhoria

Leia mais

ESTIMATIVA DA COBERTURA DO REGISTRO DE ÓBITOS ATRAVÉS DO SIM/MS PARA OS ESTADOS DO NORDESTE, 1991

ESTIMATIVA DA COBERTURA DO REGISTRO DE ÓBITOS ATRAVÉS DO SIM/MS PARA OS ESTADOS DO NORDESTE, 1991 ESTIMATIVA DA COBERTURA DO REGISTRO DE ÓBITOS ATRAVÉS DO SIM/MS PARA OS ESTADOS DO NORDESTE, 1991 Sandra Valongueiro 1 Marta Vaz de Aguiar 2 1 INTRODUÇÃO No mundo menos desenvolvido costuma-se conviver

Leia mais

reduzir a mortalidade infantil

reduzir a mortalidade infantil objetivo 4. reduzir a mortalidade infantil A mortalidade infantil reflete as condições socioeconômicas e ambientais de uma região assim como a condição de acesso a um sistema de saúde de qualidade. Além

Leia mais

Estudo de Caso: Geocodificando dados do Ministério da Saúde.

Estudo de Caso: Geocodificando dados do Ministério da Saúde. Estudo de Caso: Geocodificando dados do Ministério da Saúde. José Eduardo Deboni deboni@sisgraph.com.br Marcos Alberto Stanischesk Molnar malberto@sisgraph.com.br Estudo de Caso Geocodificação de Dados

Leia mais

ANEXO. Relatório de Indicadores de Monitoramento e Avaliação do Pacto pela Saúde

ANEXO. Relatório de Indicadores de Monitoramento e Avaliação do Pacto pela Saúde ANEXO Relatório de Indicadores de Monitoramento e Avaliação do Pacto pela Saúde PACTO PELA VIDA 2008. PRIORIDADE OBJETIVO META FÓRMULA DE CÁLCULO FONTE I. Atenção à Saúde do Idoso. i. Identificar pessoas

Leia mais

Fica autorizada a remuneração por parte das OS (Organizações Sociais) de acordo com tabela e instruções contidas em anexo - Orientações

Fica autorizada a remuneração por parte das OS (Organizações Sociais) de acordo com tabela e instruções contidas em anexo - Orientações Circular S/SUBPAV/SAP n.º 10/2011. Aos Coordenadores das A.P.s com vistas às Unidades Primárias de Saúde Assunto: Pagamento de gratificações Rio de Janeiro, 15 de abril de 2011. CONSIDERANDO a necessidade

Leia mais

Sistema Integrado de Pesquisas Domiciliares SIPD. Oitavo fórum com usuários Rio de Janeiro, 09 de julho de 2010

Sistema Integrado de Pesquisas Domiciliares SIPD. Oitavo fórum com usuários Rio de Janeiro, 09 de julho de 2010 Sistema Integrado de Pesquisas Domiciliares SIPD Oitavo fórum com usuários Rio de Janeiro, 09 de julho de 2010 SIPD resposta para as seguintes questões Otimizar recursos frente à demanda crescente Assegurar

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO MBA ADMINISTRAÇÃO EM SAÚDE PROGRAMA GERAL. Módulo I Sociologia da saúde 30 h. Módulo IV Epidemiologia e Estatística vital 30 h

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO MBA ADMINISTRAÇÃO EM SAÚDE PROGRAMA GERAL. Módulo I Sociologia da saúde 30 h. Módulo IV Epidemiologia e Estatística vital 30 h CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO MBA ADMINISTRAÇÃO EM SAÚDE PROGRAMA GERAL Módulos Disciplinas Carga Horária Módulo I Sociologia da saúde 30 h Módulo II Economia da saúde 30 h Módulo III Legislação em saúde 30 h

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE DO HOMEM - PNAISH

POLÍTICA NACIONAL DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE DO HOMEM - PNAISH POLÍTICA NACIONAL DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE DO HOMEM - PNAISH Brasília, outubro de 2015 População Masculina 99 milhões (48.7%) População alvo: 20 a 59 anos População Total do Brasil 202,7 milhões de

Leia mais

PLANO DE AÇÃO - EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS PARA A EDUCAÇÃO BÁSICA DO ESTADO DO PARANÁ

PLANO DE AÇÃO - EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS PARA A EDUCAÇÃO BÁSICA DO ESTADO DO PARANÁ SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUPERIENTENDENCIA DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE POLITICAS E PROGRAMAS EDUCACIONAIS COORDENAÇÃO DE DESAFIOS EDUCACIONAIS CONTEMPORÂNEOS PLANO DE AÇÃO - EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS

Leia mais

Situação do Domicílio Abs. % Abs. % Total 16.938 100 10.444.526 100 Urbano 4.808 28,39 8.912.692 85,33 Rural 12.130 71,61 1.531.

Situação do Domicílio Abs. % Abs. % Total 16.938 100 10.444.526 100 Urbano 4.808 28,39 8.912.692 85,33 Rural 12.130 71,61 1.531. População segundo a Distribuição de Domicílios 2010 Situação do Domicílio Abs. % Abs. % Total 16.938 100 10.444.526 100 Urbano 4.808 28,39 8.912.692 85,33 Rural 12.130 71,61 1.531.834 14,66 FONTE: IPARDES/IBGE

Leia mais

SISTEMA DE INFORMAÇÃO EM SAÚDE

SISTEMA DE INFORMAÇÃO EM SAÚDE 1 SISTEMA DE INFORMAÇÃO EM SAÚDE Conceito: Como em qualquer outra atividade, no setor saúde a informação deve ser entendida como um redutor de incertezas, um instrumento para detectar focos prioritários,

Leia mais

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA COMPROVAÇÃO DOS ITENS DE VERIFICAÇÃO - UPA

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA COMPROVAÇÃO DOS ITENS DE VERIFICAÇÃO - UPA RELAÇÃO DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA COMPROVAÇÃO DOS ITENS DE VERIFICAÇÃO - UPA Quando da apresentação de protocolos, manual de normas e rotinas, procedimento operacional padrão (POP) e/ou outros documentos,

Leia mais

O QUE É O ÍNDICE PAULISTA DA PRIMEIRA INFÂNCIA IPPI

O QUE É O ÍNDICE PAULISTA DA PRIMEIRA INFÂNCIA IPPI 1 O QUE É O ÍNDICE PAULISTA DA PRIMEIRA INFÂNCIA IPPI O Índice Paulista da Primeira Infância IPPI reflete a capacidade dos municípios do Estado de São Paulo de promover o desenvolvimento infantil por meio

Leia mais

Política Nacional de Educação Permanente em Saúde

Política Nacional de Educação Permanente em Saúde Política Nacional de Educação Permanente em Saúde Portaria GM/MS nº 1.996, de 20 de agosto de 2007 substitui a Portaria GM/MS nº 198, de 13 de fevereiro de 2004 e Proposta de Alteração Pesquisa de Avaliação

Leia mais

O Mapa de Porto Alegre e a Tuberculose : Distribuição Espacial e Determinantes Sociais

O Mapa de Porto Alegre e a Tuberculose : Distribuição Espacial e Determinantes Sociais O Mapa de Porto Alegre e a Tuberculose : Distribuição Espacial e Determinantes Sociais Enf. Ms. Lisiane Morélia Weide Acosta Enf. Márcia Calixto Prof. Dr. Sérgio Luiz Bassanesi INTRODUÇÃO A cidade de Porto

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. Combatendo a Mortalidade Materna e Infantil: Maximizando a Atuação das Agentes de Saúde do Município de Altônia

Mostra de Projetos 2011. Combatendo a Mortalidade Materna e Infantil: Maximizando a Atuação das Agentes de Saúde do Município de Altônia Mostra de Projetos 2011 Combatendo a Mortalidade Materna e Infantil: Maximizando a Atuação das Agentes de Saúde do Município de Altônia Mostra Local de: Umuarama Categoria do projeto: I - Projetos em implantação,

Leia mais

AVALIAÇÃO PARA MELHORIA DA QUALIDADE DA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA. Apresentação Geral, Objetivos e Diretrizes

AVALIAÇÃO PARA MELHORIA DA QUALIDADE DA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA. Apresentação Geral, Objetivos e Diretrizes AVALIAÇÃO DA ATENÇÃO BÁSICA PROJETO AVALIAÇÃO PARA MELHORIA DA QUALIDADE DA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA Apresentação Geral, Objetivos e Diretrizes Outubro de 2005 Justificativa A grande expansão da estratégia

Leia mais

A SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE-SVS e o DECRETO n 7.508/2011

A SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE-SVS e o DECRETO n 7.508/2011 A SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE-SVS e o DECRETO n 7.508/2011 Departamento de Gestão da Vigilância em Saúde-DAGVS Secretaria de Vigilância em Saúde dagvs@saude.gov.br 06/03/2012 IMPLEMENTAÇÃO DO DECRETO

Leia mais

Vigilância Epidemiológica. Meio Ambiente e Saúde Pública Prof. Adriano Silva

Vigilância Epidemiológica. Meio Ambiente e Saúde Pública Prof. Adriano Silva Vigilância Epidemiológica Meio Ambiente e Saúde Pública Prof. Adriano Silva EPIDEMIOLOGIA Epidemiologia é o estudo da frequência, da distribuição e dos condicionantes e determinantes dos estados ou eventos

Leia mais