Análise Gerencial da Operação e Demonstrações Contábeis Completas Setembro de 2007

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Análise Gerencial da Operação e Demonstrações Contábeis Completas Setembro de 2007"

Transcrição

1 Análise Gerencial da Operação e Demonstrações Contábeis Completas Setembro de 2007

2 Índice Sumário Executivo 03 Análise do Resultado Consolidado 12 - Margem Financeira Gerencial 13 - Resultado de Créditos de Liquidação Duvidosa 15 - Receitas de Prestação de Serviços 17 - Despesas não Decorrentes de Juros 18 - Despesas Tributárias de ISS, PIS e Cofins 20 Demonstrações Contábeis Pro Forma por Segmento 24 Demonstrações Contábeis Pro Forma por Subsegmento 26 Itaubanco - Banking 28 Itaubanco - Cartões de Crédito - Correntistas 29 Itaubanco - Seguros, Previdência e Capitalização 30 Itaubanco - Gestão de Fundos e Carteiras Administradas 34 Itaú BBA 35 Itaucred 36 Gestão de Risco 40 Balanço por Moedas 45 Negócios no Exterior 46 Estrutura Acionária 50 Desempenho no Mercado de Ações 51 Parecer dos Auditores 53 Demonstrações Contábeis Completas 55 A consolidação da operação da FAI - Financeira Americanas Itaú no segmento Itaucred foi feita de maneira proporcional à nossa participação societária, que por sua vez corresponde a 50% do capital total. As tabelas deste relatório apresentam os números em milhões. No entanto, as variações foram calculadas utilizando números em unidades. Expectativas futuras decorrentes da leitura desta análise devem considerar os riscos e incertezas que envolvem quaisquer atividades e que estão fora do controle das empresas do conglomerado (mudanças políticas e econômicas, volatilidade nas taxas de juros e câmbio, mudanças tecnológicas, inflação, desintermediação financeira, pressões competitivas sobre produtos e preços e mudanças na legislação tributária). 2 Análise Gerencial da Operação Banco Itaú Holding Financeira S.A.

3 Sumário Executivo Highlights - Critérios Gerenciais R$ Milhões (exceto onde indicado) Demonstração do Resultado do Período 3º Trim./07 2º Trim./07 3º Trim./06 Jan - Set/07 Jan - Set/06 Lucro Líquido da Controladora Lucro Líquido Recorrente Margem Financeira Gerencial (1) Resultado de Ações ( R$ ) Lucro Líquido Consolidado por Ação (2) 2,02 1,76 0,06 5,37 2,70 Lucro Líquido Recorrente Consolidado por Ação (2) 1,31 1,60 1,35 4,49 4,07 Número de Ações em Circulação - em milhares Valor Patrimonial por Ação 23,38 22,11 18,44 23,38 18,44 Dividendos/JCP Líquido (3) (R$ milhões) Dividendos/JCP Líquido (3) por Ação 0,57 0,43 0,33 1,48 1,04 Market Capitalization (4) (R$ milhões) Market Capitalization (4) (US$ milhões) Índices de Desempenho ( % ) Retorno sobre o Patrimônio Líquido Médio - anualizado (5) 35,6% 32,8% 1,4% 33,3% 22,6% Retorno Recorrente sobre o Patrimônio Líquido Médio - anualizado (5) 23,0% 29,8% 32,5% 27,9% 34,1% Retorno sobre o Ativo Médio - anualizado 3,5% 3,3% 0,1% 3,4% 2,3% Retorno Recorrente sobre o Ativo Médio - anualizado 2,3% 3,0% 3,4% 2,8% 3,7% Índice de Solvabilidade 15,3% 17,6% 16,8% 15,3% 16,8% Taxa Anualizada da Margem Financeira (6) 11,4% 11,3% 13,5% 11,4% 13,1% Índice de Inadimplência 4,7% 5,1% 5,2% 4,7% 5,2% Índice de Cobertura PDD/Nonperforming Loans 161% 162% 169% 161% 169% Índice de Eficiência 47,1% 45,8% 49,8% 45,6% 47,5% Balanço Patrimonial 30/set/07 30/jun/07 30/set/06 Ativos Totais Operações de Crédito Fianças, Avais e Garantias Depósitos Totais Patrimônio Líquido da Controladora Dados Relevantes Ativos sob Administração (AUM) Colaboradores do Conglomerado (unidades) Número de Clientes Ativos (milhões) 13,4 13,2 12,6 Número de Produtos por Cliente (unidades) 5,1 5,1 5,1 Número de Agências (unidades) Número de PABs (unidades) Número de Caixas Eletrônicos (unidades) Número de Unidades Taií (7) (1) Descrito na página 5. (2) Calculado considerando a média ponderada da quantidade de ações em circulação. (3) JCP Juros sobre Capital Próprio. Valores pagos/provisionados (Nota 15 - bii das Notas Explicativas às Demonstrações Contábeis). (4) Calculado com base na cotação média da ação preferencial no último dia de negociação do período. (5) O cálculo do Retorno sobre o Patrimônio Líquido Médio Anualizado (ROE) foi efetuado dividindo-se o Lucro Líquido da Controladora pelo Patrimônio Líquido Médio da Controladora. O quociente desta divisão foi multiplicado pelo número de períodos no ano para se obter o índice ROE anualizado. (6) Não inclui Margem Financeira de Tesouraria. (7) Inclui a presença eletrônica nas lojas da CBD. Principais Market Shares em Set/07 Asset Management 15,7% Financiamento de Veículos 24,6% Recolhimento de CPMF 15,2% Cartões de Crédito 22,7% Depósitos (*) 13,5% Prêmios de Seguros 11,6% Previdência Privada 17,5% (*) Inclui Captações no Mercado Aberto - Títulos de Emissão Própria. Fontes: Bacen, Susep, Anbid, Abel, Receita Federal e Abecs. Obs.: O Market Share de Prêmios de Seguros inclui VGBL e Seguro-Saúde. Previdência Privada considera o saldo de Provisões Técnicas. Índices Macroeconômicos 30/set/07 30/jun/07 30/set/06 Risco País (EMBI) CDI - Taxa do Trimestre 2,8% 2,9% 3,5% Dólar (Var. Trimestral) -4,5% -6,1% 0,5% Dólar (Cotação em R$) 1,8389 1,9262 2,1742 IGP-M - Taxa do Trimestre 2,6% 0,3% 0,8% Poupança (TR + 6% a.a.) 1,8% 1,9% 2,1% 3 Análise Gerencial da Operação Banco Itaú Holding Financeira S.A.

4 Demonstração de Resultado Gerencial Os eventos não recorrentes do resultado do terceiro trimestre de 2007 são apresentados no quadro abaixo. O principal impacto no lucro líquido do período está associado à (i) venda de parte de nossa participação acionária na Redecard, seguida pela (ii) constituição de provisão para perdas decorrentes de planos econômicos que vigoraram durante a década de 80 e pela (iii) amortização de ágio pago na aquisição de ações do Banco BPI, ampliando nossa participação de 17,8% para 18,5%. Desconsiderando esses eventos, alcançamos um resultado recorrente de R$ milhões no terceiro trimestre de 2007, conforme demonstrado no quadro abaixo. Demonstração de Resultado Gerencial O Relatório de Análise Gerencial da Operação baseia-se na Demonstração do Resultado Gerencial que, por sua vez, decorre de reclassificações realizadas na demonstração do resultado contábil. Os detalhes referentes a essas reclassificações podem ser obtidos nos relatórios do período de junho de 2005 a março de Abaixo, apresentamos a apuração da margem financeira gerencial da administração Saldo Inicial Resultado Bruto 3º Trim./07 Efeito Fiscal Resultado Líquido R$ Milhões Margem Financeira Gerencial de Administração de Risco Cambial dos Investimentos no Exterior Saldo Inicial Resultado Bruto 2º Trim./07 Efeito Fiscal R$ Milhões Resultado Líquido Investimentos de Capital no Exterior (A) Var. Cambial de Investimentos de Capital no Exterior (B) (323) (323) (515) (515) Efeitos de Administração de Risco Cambial de Investimentos no Exterior (C ) = (D) + (E) 766 (190) (304) 777 Posição Ativa em DI (D) Posição Passiva em Moeda Estrangeira (E) (13.718) 513 (190) 323 (13.947) 819 (304) 515 Margem Financeira Gerencial de Administração de Risco Cambial dos Investimentos no Exterior (F)= (B) + (C) 443 (190) (304) 262 Efeito do Hedge neutralizando a volatilidade cambial. 3º Trim./07 2º Trim./07 Jan - Set/07 Jan - Set/06 Lucro Líquido Margem Financeira Gerencial (645) Conta gráfica Itaú BBA Receitas e Despesas de depósitos e exigíveis (169) Venda de Títulos Disponíves para Venda (213) Reversão da provisão adicional para títulos (309) Hedge das posições BkB Resultado com Créditos de Liquidação Duvidosa PDD Excedente Cessão de operações de crédito (185) Adequação de critérios de provisão da Credicard Despesas não Decorrentes de Juros Amortização de ágio (*) Planos econômicos Despesas Tributárias de ISS, PIS e Cofins PIS e Cofins dos eventos não recorrentes Resultado não Operacional (1.552) (850) (2.402) (46) Ganho de capital Operação XL (46) Operação Redecard (1.545) - (1.545) - Venda de participação na Serasa (7) (736) (743) - Venda do imóvel do Itaubank - (114) (114) - Efeitos da Aquisição BkB Imposto de Renda e Contribuição Social IR/CSLL dos eventos não recorrentes Participações Minoritárias nas Subsidiárias (24) (77) (101) (48) Amortização de ágio (*) (24) (77) (101) (48) Efeitos não Recorrentes (859) (196) (1.055) Lucro Líquido Recorrente (*) Refere-se ao ágio na aquisição de ações do BPI no 3º trim./2007 e BkB International e BkB Trust no 2º trim./07. do risco cambial dos investimentos no exterior. Destacamos que no terceiro trimestre de 2007 o real se apreciou 4,5% em relação ao dólar, enquanto no segundo trimestre essa apreciação foi de 6,1%. Em relação ao euro, o real depreciou 0,6%, enquanto no trimestre anterior apreciou 4,8%. 4 Análise Gerencial da Operação Banco Itaú Holding Financeira S.A.

5 Demonstração de Resultado Gerencial Ajustes Gerenciais Realizados: Ajuste 1: Distribuição da Variação Cambial dos Investimentos no Exterior. Ajuste 2: Efeito Fiscal do Hedge dos Investimentos no Exterior. 3º Trim./07 Contábil Efeitos não Recorrentes Banco Itaú Holding Ajustes Gerenciais Ajuste 1 Ajuste 2 R$ Milhões Gerencial Margem Financeira Gerencial (190) Operações Bancárias Tesouraria (64) (64) Administração do Risco Cambial dos Investimentos no Exterior (190) 253 Resultado com Créditos de Liquidação Duvidosa (1.326) - (4) - (1.330) Despesa de Provisão para Créditos de Liquidação Duvidosa (1.627) - (4) - (1.631) Recuperação de Créditos Baixados como Prejuízo Resultado Bruto da Intermediação Financeira (190) Outras Receitas/(Despesas) Operacionais (1.253) (914) Receitas de Prestação de Serviços (1) Resultado de Operações com Seg., Prev. e Cap Despesas não Decorrentes de Juros (3.754) (3.447) Despesas Tributárias de ISS, PIS e Cofins (496) - (0) 29 (467) Resultado de Participações em Coligadas 40 - (4) - 36 Outras Receitas Operacionais Resultado Operacional (161) Resultado não Operacional (1.552) 1 - (9) Resultado antes da Tributação e Participações (1.249) 30 (161) Imposto de Renda e Contribuição Social (1.274) 415 (1) 161 (700) Participações no Lucro (259) (259) Participações Minoritárias nas Subsidiárias 9 (24) (29) - (44) Lucro Líquido (859) Conciliação com a Margem Financeira Gerencial da Administração do Risco Cambial dos Investimentos no Exterior (quadro da página anterior); R$ 417 milhões + R$ 26 milhões (Ajuste 1) = R$ 443 milhões. 2º Trim./07 Contábil Efeitos não Recorrentes Banco Itaú Holding Ajustes Gerenciais Ajuste 1 Ajuste 2 R$ Milhões Gerencial Margem Financeira Gerencial (304) Operações Bancárias Tesouraria Administração do Risco Cambial dos Investimentos no Exterior (304) 262 Resultado com Créditos de Liquidação Duvidosa (1.612) 400 (4) - (1.217) Despesa de Provisão para Créditos de Liquidação Duvidosa (1.872) 400 (4) - (1.476) Recuperação de Créditos Baixados como Prejuízo Resultado Bruto da Intermediação Financeira (304) Outras Receitas/(Despesas) Operacionais (1.170) (1.023) Receitas de Prestação de Serviços Resultado de Operações com Seg., Prev. e Cap Despesas não Decorrentes de Juros (3.608) 96 (12) - (3.524) Despesas Tributárias de ISS, PIS e Cofins (485) (447) Resultado de Participações em Coligadas Outras Receitas Operacionais 69 - (9) - 61 Resultado Operacional (266) Resultado não Operacional 847 (850) 1 - (2) Resultado antes da Tributação e Participações (230) 51 (266) Imposto de Renda e Contribuição Social (1.275) 111 (3) 266 (902) Participações no Lucro (150) (150) Participações Minoritárias nas Subsidiárias 87 (77) (47) 0 (37) Lucro Líquido (196) Conciliação com a Margem Financeira Gerencial da Administração do Risco Cambial dos Investimentos no Exterior (quadro da página anterior); R$ 525 milhões + R$ 41 milhões (Ajuste 1) = R$ 565 milhões. 5 Análise Gerencial da Operação Banco Itaú Holding Financeira S.A.

6 Sumário Executivo Terceiro Trimestre de 2007 Lucro Líquido e Retorno Anualizado sobre o Patrimônio Médio ,7 37,0 Carteira de Empréstimos (*) set/07 jun/07 mar/07 dez/06 set/06 13,7 14,3 jun/06 11,1 mar/06 11,4 dez/05 10,6 set/05 9,6 22,2 19,9 19,6 34,7 37,0 57,1 52,0 63,7 60,7 Moeda Estrangeira (*) Inclui avais e fianças. 32,5 79,9 75,6 84,9 81,5 28,8 91,9 61,6 67, ,8 72,0 31,3 32,8 31,3 29,8 93,6 89,9 Moeda Local R$ Bilhões 104,8 101,1 35,6 23,0 3ºT/05 4ºT/05 1º/T06 2ºT/06 3ºT/06 4ºT/06 1ºT/07 2ºT/07 3ºT/07 ROE Recorrente Anualizado (%) Lucro Líquido Recorrente (R$ Milhões) Lucro Líquido e ROE 114,1 No terceiro trimestre de 2007, nosso resultado consolidado atingiu R$ milhões. No mesmo período obtivemos um lucro líquido recorrente consolidado de R$ milhões, o que equivale a uma redução de 18,2% em relação ao resultado do trimestre anterior. O patrimônio líquido da controladora somou R$ milhões em 30 de setembro de 2007, o que contribuiu para que o retorno recorrente anualizado sobre o patrimônio líquido médio atingisse 23,0% no terceiro trimestre do ano. R$ Milhões Variação (%) 30/set/07 30/jun/07 30/set/06 set/07- set/07- jun/07 set/06 Pessoas Físicas ,2% 31,3% Cartão de Crédito ,8% 18,7% Crédito Pessoal ,9% 3,1% Veículos ,7% 62,1% Empréstimos Empresas ,5% 11,0% Grandes ,8% 3,1% Micro, Peq. e Médias ,8% 26,4% Créditos Direcionados ,5% 2,0% Crédito Rural ,8% -0,4% Crédito Imobiliário ,5% 5,4% Argentina/Chile/Uruguai ,6% 871,1% Total ,8% 26,9% Obs. 1: Inclui as operações do BKB Chile e Uruguai a partir de Mar/07. Obs. 2:No trimestre, realizamos a reavaliação de perfil dos clientes do segmento Itaubanco (micro, pequenas e médias empresas) e do segmento Itaú BBA (grandes empresas), transferindo-os com o objetivo de reenquadrá-los nos parâmetros estabelecidos para cada uma destas áreas de atuação. Para garantir a comparabilidade das informações, o novo enquadramento de clientes foi também considerado nos períodos precedentes. O saldo das operações de crédito, incluindo avais e fianças, apresentou aumento de 8,8% em relação ao período anterior, totalizando R$ milhões. A expansão das operações de financiamento de veículos destacou-se, com um acréscimo de 14,7% em relação ao período anterior. Com esse avanço, atingimos ao final do terceiro trimestre a meta de crescimento inicialmente estipulada para o ano. Além disso, com a finalização do processo de integração do BkB ao Itaú, foram definidas novas diretrizes para a atuação comercial das equipes, o que possibilitou, entre outras coisas, a expressiva expansão das carteiras de micro, pequenas e médias empresas, com aumento de 9,8%, e de cartão de crédito, com acréscimo de 6,8%. Ainda no trimestre, observamos a expansão de 7,8% da carteira de grandes empresas. Em relação às operações de crédito no exterior (Argentina, Chile e Uruguai), observamos um crescimento de 13,6%, particularmente impulsionado pelo nosso desempenho no mercado chileno com clientes pessoa jurídica. Margem Financeira Gerencial R$ Milhões ºT/05 4ºT/05 1ºT/06 2ºT/06 3ºT/06 4ºT/06 1ºT/07 2ºT/07 3ºT/07 Operações Bancárias Tesouraria Administração do Risco Cambial dos Investimentos no Exterior (64) A margem financeira das operações bancárias foi positivamente afetada pela significativa expansão do volume das operações de empréstimo e financiamento, crescendo 5,0% em relação ao trimestre anterior. No entanto, o desempenho da tesouraria diante do cenário altamente volátil que caracterizou o período resultou em uma perda de R$ 64 milhões (ou R$ 40 milhões, considerando os efeitos fiscais) no trimestre. A margem financeira da administração do risco cambial dos investimentos no exterior situou-se em R$ 253 milhões (ou R$ 160 milhões, considerando os efeitos fiscais), apresentando pequena redução em relação ao trimestre anterior, em função da queda das taxas de juros. 6 Análise Gerencial da Operação Banco Itaú Holding Financeira S.A.

7 Sumário Executivo Terceiro Trimestre de 2007 NIM X SELIC 16,5% 15,3% 14,3% 13,3% 14,0% 13,5% 13,3% 12,8% 12,7% 12,5% 12,0% 11,3% 11,3% 11,4% Ao lado, apresentamos a evolução histórica da taxa anualizada da margem financeira gerencial, juntamente com a curva referente à evolução da taxa de juros básica (Selic). É possível notar que a alteração de mix de ativos, clientes e produtos produziu efeito positivo, reduzindo o impacto da queda dos juros sobre o nosso spread. 1º T/06 2º T/06 3º T/06 4º T/06 1º T/07 2º T/07 3º T/07 Índice NPL(*) - Pessoa Física x Jurídica (%) Total Pessoa Física (*) Nonperforming Loans: Operações de Crédito vencidas há mais de 60 dias. Receita de Serviços Análise Gerencial da Operação Pessoa Jurídica R$ Milhões Despesas não Decorrentes de Juros R$ Milhões (*) Os critérios de cálculo do índice de eficiência estão detalhados na página 19. Lucro/(Prejuízo) não Realizado no Resultado R$ Milhões 7 set/07 jun/07 mar/07 dez/06 jun/06 mar/06 dez/05 set/ set/ Controladora NIM Selic 8,3% 8,1% 7,8% 7,5% 7,3% 5,3% 5,2% 5,0% 5,1% 2,2% 2,1% 2,1% 2,3% 3ºT/07 2ºT/07 1ºT/07 4ºT/06 3ºT/06 2ºT/06 1º/T06 4ºT/05 3ºT/05 4,7% 1,7% set/06 dez/06 mar/07 jun/07 set/07 (3.246) (3.371) (3.280) (3.524) (3.447) (2.909) (2.949) (2.779) (2.606) 3ºT/05 4ºT/05 1º/T06 2ºT/06 3ºT/06 4ºT/06 1ºT/07 2ºT/07 3ºT/07 Índice de Eficiência (%) (*) 3ºT/07 2ºT/07 1ºT/07 4ºT/06 3ºT/06 2ºT/06 1º/T06 4ºT/05 3ºT/ ,1% 45,8% 44,1% 47,4% 49,8% 45,7% 47,3% 50,1% 50,5% Posição BPI (Minoritários) O terceiro trimestre de 2007 foi caracterizado pela melhora dos nossos indicadores de performance da carteira de crédito. Em particular, destacamos o índice de inadimplência (nonperforming loans), que apresentou redução no trimestre, com destaque para o índice associado aos clientes pessoa jurídica, que diminuiu 0,6 ponto percentual. Lembramos que a rápida expansão dos empréstimos e financiamentos acentuou a redução observada, uma vez que o saldo da carteira corresponde ao denominador do índice. Nossas despesas com provisão para créditos de liquidação duvidosa apresentaram aumento de 10,5% em comparação com o trimestre anterior. Esse crescimento está basicamente associado à constituição de provisões genéricas pela forte expansão da carteira no período. Tivemos ainda aumento de R$ 42 milhões na recuperação de créditos anteriormente baixados como prejuízo, em decorrência do intenso empenho de cobrança realizado ao longo do trimestre. A receita de prestação de serviços do terceiro trimestre de 2007 somou R$ milhões, com redução de R$ 21 milhões no contábil em relação ao período anterior. No entanto, lembramos que a alienação de parte da participação na Serasa e na Redecard gerou receitas menores neste trimestre, no valor de R$ 77 milhões. No total dos demais itens, temos um acréscimo de R$ 57 milhões quando comparado o terceiro trimestre com o segundo trimestre de As despesas não decorrentes de juros apresentaram redução de 2,2% em relação ao segundo trimestre de Nesse período, a Convenção Coletiva do Trabalho promoveu a elevação de 6% dos salários e benefícios dos bancários, contribuindo com R$ 51 milhões para a ampliação das despesas de pessoal. No entanto, esse aumento foi integralmente compensado por menores despesas com contribuições e doações e com a constituição de provisões para contingências (ações cíveis). Apesar da redução das despesas não decorrentes de juros no trimestre, nosso índice de eficiência passou de 45,8% para 47,1%, em decorrência do impacto do resultado de tesouraria na margem financeira. Se neste período a tesouraria tivesse tido o desempenho médio de R$ 200 milhões que caracterizou os últimos trimestres, o índice de eficiência seria de 45,2%. O lucro/(prejuízo) não realizado no resultado apresentou elevação de R$ milhões em relação ao trimestre anterior, em função da introdução do valor de mercado de nossa participação na Redecard e na Serasa, que totalizou R$ milhões em setembro de Desconsiderando esse efeito, observamos impacto no valor de nossa participação no Banco BPI, associado fundamentalmente à redução do preço das ações no mercado europeu. O saldo da provisão excedente ao mínimo requerido para fazer frente a créditos de liquidação duvidosa permaneceu estável, totalizando R$ milhões no terceiro trimestre de 2007, lembrando que essa provisão não é considerada na determinação do lucro/(prejuízo) não realizado. Banco Itaú Holding Financeira S.A.

8 Sumário Executivo Balanço Patrimonial Consolidado Pro Forma ATIVO 30/set/07 30/jun/07 30/set/06 set/07- jun/07 Variação R$ Milhões set/07- set/06 Circulante e Realizável a Longo Prazo Disponibilidades Aplicações Interfinanceiras de Liquidez Títulos Mobiliários e Inst. Financ. Derivativos Relações Interfinanceiras e Interdependências Operações de Crédito, Arrendamento e Outros Créditos (Provisão para Créditos de Liquidação Duvidosa) (7.842) (7.914) (7.052) 72 (790) Outros Ativos Carteira de Câmbio Outros Permanente Investimentos Imobilizado de Uso (40) (176) Diferido (22) 292 TOTAL DO ATIVO PASSIVO 30/set/07 30/jun/07 30/set/06 set/07- jun/07 Variação R$ Milhões set/07- set/06 Circulante e Exigível a Longo Prazo Depósitos Depósitos à Vista Depósitos de Poupança Depósitos Interfinanceiros Depósitos a Prazo (732) Captações no Mercado Aberto Recursos de Aceites e Emissão de Títulos (572) (241) Relações Interfinanceiras e Interdependências (85) (1.017) Obrigações por Empréstimos e Repasses Instrumentos Financeiros e Derivativos Provisões Técnicas de Seg., Prev. e Capitalização Outras Obrigações Carteira de Câmbio Dívida Subordinada Diversos Resultados de Exercícios Futuros (2) Participações Minoritárias nas Subsidiárias (51) 717 Patrimônio Líquido da Controladora TOTAL DO PASSIVO Depósitos Ativos sob Administração (AUM) Total de Depósitos + Ativos sob Administração (AUM) Análise Gerencial da Operação Banco Itaú Holding Financeira S.A.

9 Sumário Executivo Demonstração de Resultado Consolidado Pro Forma 3º Trim./07 2º Trim./07 Jan - Set/07 Jan - Set/06 3ºT/07-2ºT/07 Variação R$ Milhões Jan-Set/07 - Jan-Set/06 Margem Financeira Gerencial (425) Operações Bancárias Tesouraria (64) (635) 248 Administração do Risco Cambial dos Investimentos no Exterior (9) 343 Resultado de Créditos de Liquidação Duvidosa (1.330) (1.217) (3.813) (3.827) (113) 14 Despesa de Provisão para Créditos de Liquidação Duvidosa (1.631) (1.476) (4.612) (4.467) (155) (145) Recuperação de Créditos Baixados como Prejuízo Resultado Bruto da Intermediação Financeira (538) Outras Receitas/(Despesas) Operacionais (914) (1.023) (2.712) (2.209) 109 (503) Receitas de Prestação de Serviços (21) 859 Resultado com Operações de Seg., Prev. e Cap Despesas não Decorrentes de Juros (3.447) (3.524) (10.251) (8.975) 77 (1.277) Despesas Tributárias de ISS, PIS e Cofins (467) (447) (1.386) (1.263) (20) (123) Resultado de Participações em Coligadas (13) 1 Outras Receitas Operacionais (61) Resultado Operacional (429) Resultado não Operacional (9) (2) (7) (29) Resultado antes da Tributação e Participações (436) Imposto de Renda e Contribuição Social (700) (902) (2.488) (1.099) 202 (1.389) Participações no Lucro (259) (150) (554) (459) (109) (95) Participações Minoritárias nas Subsidiárias (44) (37) (117) (93) (7) (25) Lucro Líquido Recorrente (349) 822 Número de Ações em Circulação - em milhares (2.870) Valor Patrimonial por Ação - R$ 23,38 22,11 23,38 18,44 1,27 4,94 Lucro Líquido Recorrente por Ação - R$ 1,31 1,60 4,49 4,07 (0,29) 0,42 9 Análise Gerencial da Operação Banco Itaú Holding Financeira S.A.

10 Sumário Executivo Terceiro Trimestre de 2007 Resultado por Segmento Itaubanco No terceiro trimestre de 2007, o lucro líquido do segmento Itaubanco atingiu R$ 833 milhões, com redução de 33,7% em relação ao trimestre anterior. O desempenho da tesouraria diante do cenário altamente volátil que caracterizou o período foi o principal fator responsável pela diminuição do resultado do segmento. Já a ampliação do saldo das operações de crédito contribuiu para a expansão da margem financeira das operações bancárias em R$ 49 milhões, assim como para a elevação de R$ 70 milhões das despesas associadas ao risco de crédito, em função da constituição de provisões genéricas para créditos de liquidação duvidosa. A alienação de parte de nosso investimento na Redecard, neste trimestre, e na Serasa, no trimestre anterior, fez com que as receitas de prestação de serviços apresentassem redução na comparação dos trimestres. Desconsiderando esse impacto, verificamos a elevação de R$ 41 milhões dessas receitas, com destaque para as receitas de administração de recursos, receitas de operações de crédito e garantias prestadas e receitas de cartões de crédito. As despesas não decorrentes de juros apresentaram redução entre os trimestres, refletindo menores despesas com contribuições e doações e com a constituição de provisões para contingências (ações cíveis). Contudo, tivemos aumento das despesas de pessoal associadas à Convenção Coletiva do Trabalho. Itaú BBA A margem financeira com operações bancárias do segmento Itaú BBA apresentou um incremento de 16,5% em relação ao trimestre anterior, com destaque para a transferência de clientes do Itaú para o Itaú BBA ocorrida em setembro de 2007, a qual contribuiu com uma margem adicional de R$ 17 milhões no trimestre. A margem financeira da tesouraria apresentou redução de 29,4% em relação ao trimestre anterior, fruto da grande volatilidade dos mercados nacionais e internacionais originada pela crise do crédito hipotecário americano. A redução da margem financeira da administração do risco cambial dos investimentos no exterior foi decorrente da redução da taxa de juros que remunera esse capital. O resultado de créditos de liquidação duvidosa apresentou uma reversão de provisão de R$ 10 milhões no terceiro trimestre, basicamente, em função de reavaliações de risk rating e renegociação de créditos. As receitas de prestação de serviços apresentaram um incremento de 25,7% em relação ao trimestre anterior, basicamente, em função das receitas provenientes de operações de investment banking e do impacto de R$ 7 milhões originado pelos clientes transferidos. As despesas não decorrentes de juros apresentaram incremento de 9,1% em relação ao trimestre anterior, sendo que a transferência de clientes gerou um impacto de R$ 6 milhões nas despesas do Itaú BBA. Itaucred No terceiro trimestre de 2007, o resultado do segmento Itaucred apresentou um acréscimo de 7,6% em relação ao trimestre anterior. Mais uma vez, a expressiva expansão do saldo das operações de financiamento e leasing de veículos foi responsável pelo aumento do resultado, fazendo com que a margem financeira gerencial das operações bancárias crescesse 5,4% na comparação dos trimestres. O aumento do volume das operações contribuiu também para que as despesas associadas ao risco de crédito crescessem 7,2%. As receitas de prestação de serviços vinculadas à análise e concessão de crédito tiveram uma evolução de 8,6% em comparação com o trimestre anterior, influenciadas mais uma vez pela expansão do crédito. Com o aumento da atividade operacional do segmento, observamos a elevação de 4,6% das despesas não decorrentes de juros. Corporação O resultado da Corporação decorre basicamente do resultado financeiro associado à aplicação do excesso de capital. No terceiro trimestre de 2007, o lucro líquido da corporação totalizou R$ 83 milhões, com aumento de 59,4% em comparação com o trimestre anterior, basicamente em função de maior saldo médio de capital excedente ao longo do período. 10 Análise Gerencial da Operação Banco Itaú Holding Financeira S.A.

11 Sumário Executivo Terceiro Trimestre de 2007 As demonstrações contábeis pro forma do Itaubanco, Itaú BBA, Itaucred e Corporação apresentadas abaixo, baseiam-se em informações gerenciais e refletem de maneira mais fiel o desempenho das diversas unidades de negócio do conglomerado. Entre o terceiro e o segundo trimestre de 2007 observaram-se as seguintes variações nas demonstrações do resultado dos segmentos do Itaú. Demonstração de Resultado Pro Forma por Segmento R$ Milhões 3º Trim./07 2º Trim./07 Variação Itaubanco Margem Financeira Gerencial (554) Operações Bancárias Tesouraria (144) 457 (601) Adm. do Risco Cambial dos Inv. no Exterior (2) Resultado de Créditos de Liquidação Duvidosa (820) (751) (70) Receitas de Prestação de Serviços (37) Despesas não Decorrentes de Juros 1 (2.594) (2.712) 119 Imposto de Renda e Contribuição Social (424) (608) 183 Outros 2 (167) (102) (64) LUCRO LÍQUIDO ITAUBANCO (A) (423) Itaú BBA Margem Financeira Gerencial Operações Bancárias Tesouraria (34) Adm. do Risco Cambial dos Inv. no Exterior (7) Resultado de Créditos de Liquidação Duvidosa (8) Receitas de Prestação de Serviços Despesas não Decorrentes de Juros 1 (217) (199) (18) Imposto de Renda e Contribuição Social (99) (110) 11 Outros 2 (64) (52) (12) LUCRO LÍQUIDO ITAÚ BBA (B) Itaucred Margem Financeira Gerencial Resultado de Créditos de Liquidação Duvidosa (520) (485) (35) Receitas de Prestação de Serviços Despesas não Decorrentes de Juros 1 (595) (569) (26) Imposto de Renda e Contribuição Social (164) (162) (2) Outros 2 (90) (78) (12) LUCRO LÍQUIDO ITAUCRED (C ) Corporação Margem Financeira Gerencial Despesas não Decorrentes de Juros 1 (43) (59) 16 Imposto de Renda e Contribuição Social (13) (22) 10 Outros 3 (49) (0) (49) LUCRO LÍQUIDO CORPORAÇÃO (D) LUCRO LÍQUIDO ITAÚ (A) + (B) + (C ) + (D) (349) 1. Inclui as Despesas de Pessoal, Outras Despesas Administrativas, Despesas Tributárias de CPMF e Outros Tributos e Outras Despesas Operacionais. 2. Inclui o Resultado com Operações de Seguros, Previdência e Capitalização, Despesas Tributárias de ISS, PIS e Cofins, Outras Receitas Operacionais, Resultado não Operacional e Participações no Lucro. 3. Inclui Despesas Tributárias de ISS, PIS e Cofins, Resultado de Participação em Coligadas, Outras Receitas Operacionais, Resultado não Operacional, Participações no Lucro e Participações Minoritárias nas Subsidiárias. 11 Análise Gerencial da Operação Banco Itaú Holding Financeira S.A.

12 Análise do Resultado Consolidado sultado onsolidado Análise do Resultado

13 Análise do Resultado Consolidado Margem Financeira Gerencial No terceiro trimestre de 2007, nossa margem financeira gerencial atingiu R$ milhões, o que corresponde a uma redução de R$ 425 milhões em relação ao segundo trimestre. Os fatores abaixo foram responsáveis por esta variação. Margem Financeira das Operações Bancárias No trimestre, obtivemos uma margem financeira das operações bancárias de R$ milhões, com aumento de 5,0% em relação ao período anterior. De forma a permitir um melhor entendimento da variação do trimestre, segregamos a margem financeira das operações bancárias em duas partes: margem financeira das operações sensíveis à variação na taxa de juros e margem financeira de operações sensíveis a spreads. Margem Financeira das Operações Bancárias Sensíveis à Variação na Taxa de Juros Apuramos a parcela da margem financeira das operações bancárias que é sensível à taxa de juros, considerando que o montante obtido pela soma dos recursos não remunerados aos clientes (depósitos à vista, floatings, etc.), deduzidos dos ativos de que também não se obtêm receitas financeiras (depósitos compulsórios, ativos contingentes, etc.) e agregados ao capital de giro (patrimônio líquido, deduzido do ativo permanente e crédito fiscal - que também não tem custo financeiro), é aplicado à taxa básica de juros (taxa de oportunidade - Selic). No trimestre, o saldo médio das operações sensíveis à variação na taxa de juros cresceu 17,6%, em decorrência de um maior nível de atividade econômica, com impacto no saldo médio dos depósitos à vista, resultando em uma elevação de R$ 90 milhões na margem financeira. Margem Financeira das Operações Bancárias Sensíveis a Spreads Na apuração desta margem são considerados os recursos captados com nossos clientes (Depósitos de Poupança, Depósitos a Prazo, etc.), cuja remuneração representa uma despesa financeira para a instituição. Estes recursos são aplicados em um conjunto de ativos (Operações de Crédito, Aplicações Financeiras, etc.), e sua remuneração representa uma receita financeira. A margem financeira das operações sensíveis a spreads corresponde à diferença entre a receita financeira apurada e a despesa financeira de captação. Além disso, inclui também a margem financeira das operações de seguros, previdência e capitalização. Observamos um aumento de 1,6% no saldo médio das operações sensíveis a spreads durante o terceiro trimestre de Este crescimento se deu fundamentalmente em razão do aumento das operações de empréstimo e financiamento. Operações Sensíveis a Spreads R$ Milhões 3º Trim./07 2º Trim./07 Variação Nominal % Saldo Médio ,6% Margem Financeira ,5% Taxa anualizada 11,5% 11,3% 0,3p.p. Taxa Anualizada das Operações Sensíveis a Spreads 13,4% 12,6% 11,3% 11,5% Operações Bancárias Sensíveis à Variação na Taxa de Juros R$ Milhões 3º Trim./07 2º Trim./07 Variação Nominal % Saldo Médio ,6% Margem Financeira ,1% Taxa anualizada 11,1% 11,6% -0,7p.p. Taxa Anualizada das Operações Bancárias Sensíveis à Variação na Taxa de Juros 12,5% 12,1% 11,6% 11,1% 4º T/06 1º T/07 2º T/07 3º T/07 4º T/06 1º T/07 2º T/07 3º T/07 Margem Financeira da Tesouraria A margem financeira de tesouraria engloba os resultados advindos da atividade de negociação de ativos financeiros via posições (mesas) proprietárias, da atividade de gestão de gaps de moedas, taxas e demais fatores de riscos, de oportunidades de arbitragens nos mercados externo e doméstico e de marcação a mercado (mark to market) de ativos financeiros. A margem financeira da Tesouraria no terceiro trimestre de 2007 registrou uma perda de R$ 64 milhões (R$ 40 milhões, líquido de efeitos fiscais). A crise de confiança no setor imobiliário norteamericano, iniciada em julho de 2007, gerou alta volatilidade nos mercados de renda variável, juros e risco soberano (Embi), produzindo um impacto direto no resultado de nossas posições proprietárias de tesouraria. 13 Análise Gerencial da Operação Banco Itaú Holding Financeira S.A.

14 Análise do Resultado Consolidado Margem Financeira da Administração do Risco Cambial dos Investimentos no Exterior A margem financeira da administração do risco cambial dos investimentos no exterior também é sensível a variações na taxa de juros. No terceiro trimestre de 2007, observamos uma pequena redução de R$ 9 milhões nesta margem, em função da queda da taxa básica de juros na comparação dos períodos, conforme destacado no quadro abaixo. Saldo Inicial Resultado Bruto 3º Trim./07 Efeito Fiscal Resultado Líquido Saldo Inicial Resultado Bruto 2º Trim.07 Efeito Fiscal R$ Milhões Resultado Líquido Investimentos de Capital no Exterior (A) Var. Cambial de Investimentos de Capital no Exterior (B) (323) (323) (515) (515) Efeitos de Administração de Risco Cambial de Investimentos no Exterior (C ) = (D) + (E) 766 (190) (304) 777 Posição Ativa em DI (D) Posição Passiva em Moeda Estrangeira (E) (13.718) 513 (190) 323 (13.947) 819 (304) 515 Margem Financeira Gerencial de Administração de Risco Cambial dos Investimentos no Exterior (F)= (B) + (C) 443 (190) (304) 262 Efeito do hedge neutralizando a volatilidade cambial. A seguir, apresentamos a análise da margem e o cálculo da taxa anualizada da margem financeira gerencial que alcançou 11,4% no período, correspondendo a uma elevação de 0,1 ponto percentual em relação ao trimestre anterior, em razão dos diversos fatores descritos acima. Análise da Margem Financeira Gerencial R$ Milhões 3º Trim./07 2º Trim./07 Saldo Médio Margem Margem Tx. (a.a.) Saldo Médio Financeira Financeira Tx. (a.a.) Depósitos à Vista + Floatings (-) Depósitos Compulsórios (8.853) (8.369) Passivos Contingentes (-) Ativos Contingentes Obrig. Fiscais e Previdenciárias (-) Depósitos em Garantia de Obrig. Fiscais e Previd (-) Créditos Tributários (8.009) (7.828) Capital de Giro (Patrimônio Líquido + Minoritários - Ativo Permanente - Capital Alocado à Tesouraria) Operações Bancárias sensíveis à variação na Taxa de Juros (A) ,1% ,6% Saldo Médio Margem Financeira Tx. (a.a.) Saldo Médio Disponibilidades + Aplicações Interfinanceiras de Liquidez + TVM. (-) Instrumentos Financeiros e Derivativos Relações Interfinanceiras e Interdependências Operações de Crédito, Arrendamento e Outros Créditos Margem Financeira (Provisão para Créditos de Liquidação Duvidosa) (7.878) (7.764) Carteira de Câmbio líquida (Ativo/Passivo) (382) (299) Operações Bancárias sensíveis a Spreads (B) ,5% ,3% Operações Bancárias (A+B) ,4% ,3% Margem Financeira da Tesouraria (C) (64) 571 Margem Financeira com Adm. do Risco Cambial (D) ,1% ,6% Total da Margem Financeira Gerencial (A+B+C+D) Tx. (a.a.) Operações Sensíveis à Variação na Taxa de Juros (A+D) ,1% ,6% Operações Sensíveis a Spreads (B) ,5% ,3% Net interest margin (A+B+D) ,4% ,3% Ao lado, apresentamos um quadro que indica o impacto associado à hipótese de redução de um ponto percentual nas taxas básicas de juros. Considerando essa hipótese, obtém-se, por trimestre, uma redução de R$ 93 milhões na margem financeira das operações sensíveis à variação da taxa básica de juros, o que representa R$ 372 milhões no ano, caso não ocorra alteração de volume ou de mix de ativos. 14 Análise Gerencial da Operação R$ milhões X 1% = R$ 372 milhões ao ano ou R$ 93 milhões ao trimestre Banco Itaú Holding Financeira S.A.

15 Análise do Resultado Consolidado Resultado de Créditos de Liquidação Duvidosa Despesa com Provisão para Créditos de Liquidação Duvidosa e Recuperação de Créditos Baixados como Prejuízo R$ Milhões 3º Trim./07 2º Trim./07 Var. (%) Despesa Recup. Despesa Recup. Total PDD Prejuízo PDD Prejuízo Total Total Itaubanco (1.039) 219 (820) (939) 188 (751) 9,3% Banking (913) 197 (716) (840) 170 (670) 6,8% Cartões de Crédito - Correntistas (127) 22 (104) (99) 19 (80) 30,3% Itaú BBA ,9% Itaucred (601) 81 (520) (555) 70 (485) 7,2% Veículos (279) 40 (239) (272) 33 (239) 0,1% Cartões de Crédito - não Correntistas (175) 11 (165) (145) 11 (134) 22,7% Taií (147) 30 (116) (138) 26 (112) 3,8% Total (1.631) 301 (1.330) (1.476) 259 (1.217) 9,3% No terceiro trimestre de 2007 observamos uma variação de 9,3% do resultado de créditos de liquidação duvidosa quando comparado ao trimestre anterior. A despesa de provisão para créditos de liquidação duvidosa cresceu 10,5% em relação ao segundo trimestre de 2007, particularmente afetada pela constituição de provisões genéricas associadas à rápida expansão da carteira de empréstimo e financiamento e pela evolução de operações em atraso. Nossa atividade de cobrança recuperou R$ 301 milhões no trimestre, o que corresponde a um aumento de R$ 42 milhões em relação ao montante recuperado no trimestre anterior. Foram mantidos no período os esforços para ampliar a qualidade do risco da carteira por meio de ações dirigidas aos processos de concessão e monitoramento das operações, o que tem permitido o contínuo crescimento do saldo das operações com melhora do seu perfil de risco. Nosso índice de inadimplência (nonperforming loans) apresentou uma redução de 0,4 p.p. em relação ao trimestre anterior, encerrando o trimestre no nível de 4,7%. Mais uma vez, a significativa ampliação do saldo total da carteira de crédito, juntamente às políticas de créditos adotadas ao longo dos últimos trimestres, permitiu este resultado. A variação observada nos indicadores de performance da carteira de crédito (índice de inadimplência) dos segmentos Itaubanco e Itau BBA está em parte associada ao processo de reavaliação de perfil e potencial dos clientes. Neste trimestre, a provisão excedente ao mínimo requerido pela autoridade bancária permaneceu estável, totalizando R$ milhões. Nonperforming Loans R$ Milhões 30/set/07 30/jun/07 31/mar/07 Total Nonperforming Loans (a) Carteira de Crédito (b) Índice NPL [ (a) / (b) ] x 100 4,7% 5,1% 5,0% (a) Operações de crédito vencidas há mais de 60 dias e que não geram apropriação de receitas no regime de competência. (b) Não inclui Avais e Fianças. Lembramos que o índice de nonperforming loans, considera o valor total (soma das parcelas vincendas e vencidas) de todas as operações de crédito com pelo menos uma parcela vencida há mais de 60 dias, independentemente da garantia. A abertura por parcela dos montantes em dia e vencidos da carteira de crédito pode ser obtida na nota explicativa nº. 7 A- II das Demonstrações Contábeis. 15 Análise Gerencial da Operação Banco Itaú Holding Financeira S.A.

16 Análise do Resultado Consolidado Apresentamos abaixo os índices de inadimplência (nonperforming loans) dos nossos segmentos e subsegmentos. Nonperforming Loans por Segmento R$ Milhões 30/set/07 30/jun/07 31/mar/07 31/dez/06 NPL Carteira Índice NPL Índice NPL Índice NPL Índice NPL Itaubanco ,1% 6,5% 6,8% 7,7% Banking ,1% 6,6% 6,9% 8,1% Cartões de Crédito - Correntistas ,6% 5,8% 5,7% 5,2% Itaú BBA ,1% 0,3% 0,1% 0,7% Itaucred ,5% 6,4% 6,1% 5,7% Veículos ,7% 5,4% 5,1% 4,8% Cartões de Crédito - não Correntistas ,3% 7,0% 6,5% 5,5% Taií - FIT/FIC/FAI ,5% 24,4% 28,7% 26,1% Taií - Créditos Consignados ,5% 0,7% 0,5% 0,4% Total ,7% 5,1% 5,0% 5,3% Nonperforming loans são as todas as operações de crédito com pelo menos uma parcela vencida há mais de 60 dias, independentemente da garantia. Carteira de Crédito por Segmento e Nível de Risco(*) R$ Milhões Nível de 30/set/07 30/jun/07 Risco Itaubanco Itaú BBA Itaucred Consolidado Itaubanco Itaú BBA Itaucred Consolidado AA A B C D E F G H Total (*) Inclui avais e fianças. Índice de Cobertura (*) 200% 192% 181% 164% 169% 168% 166% 162% 161% O índice de cobertura, derivado da divisão do saldo de provisão para créditos de liquidação duvidosa pelo saldo de operações vencidas há mais de 60 dias, permaneceu estável entre os trimestres, totalizando 161%. set/05 dez/05 mar/06 jun/06 set/06 dez/06 mar/07 jun/07 set/07 (*) Saldo de PDD/Saldo de Nonperforming Loans. Carteira de Crédito em Curso Anormal (*) R$ Milhões 30/set/07 30/jun/07 31/mar/07 31/dez/06 30/set/06 Carteira em Curso Anormal PDD Total (7.842) (7.914) (7.614) (7.431) (7.052) Folga (373) (482) (291) (*) Carteira de crédito em curso anormal é o total das operações com parcelas vencidas há mais de 15 dias. Carteira de crédito em curso anormal é a somatória de todas as parcelas de operações de crédito vencidas há mais de 15 dias, independentemente da garantia. 16 Análise Gerencial da Operação Banco Itaú Holding Financeira S.A.

17 Análise do Resultado Consolidado Receitas de Prestação de Serviços 3º Trim./07 2º Trim./07 Jan-Set/07 Jan-Set/06 3ºT/07-2ºT/07 R$ Milhões Variação Jan-Set/07 - Jan-Set/06 Administração de Recursos Receita de Administração de Fundos A Receita de Administração de Consórcios (0) (19) Serviços de Conta-Corrente B (34) 45 Operações de Crédito e Garantias Prestadas Operações de Crédito C Rendas de Garantias Prestadas Serviços de Recebimento Rendas de Cobrança Tarifa Interbancária (Títulos, Cheques e Docs) (0) 14 Serviços de Arrecadações (3) Cartões de Crédito D Outros Serviços de Câmbio (1) 24 Rendas de Corretagem E (27) 68 Rendas de Consulta à Serasa (2) (1) Rendas de Serv. de Custódia e Adm. de Carteiras Serviços de Assessoria Econômica e Financeira F Outros Serviços Subtotal Ajustes para Comparabilidade (77) (84) Participação Redecard G (35) (27) Participação Serasa H (42) (56) Total (21) 859 As principais variações foram originadas por: A) Crescimento orgânico influenciado pela maior quantidade de dias úteis; B) Efeito da campanha de redução das tarifas associado à política de fidelização de clientes, responsável pelo aumento de aproximadamente 200 mil novos clientes ativos; C) Aumento de 5,9% decorrente do crescimento no volume de operações de financiamento e leasing de veículos; D) Crescimento no volume de transações; E) Os principais responsáveis pela queda de 27,0% foram as reduções nos volumes de operações de oferta primária de ações e ADRs; e F) Maior volume nos serviços de Investment Banking. Quantidade de Clientes Ativos (*) e Contas Correntes Em Milhões 14,7 14,7 14,8 15,0 15,1 15,5 16,0 16,3 16,5 12,2 12,5 12,6 12,6 12,6 12,9 13,0 13,2 13,4 Em setembro, pelo segundo mês consecutivo, alcançamos um novo recorde na quantidade de abertura de novas contas-correntes de clientes pessoa física, com a abertura de mais de 168 mil contas. A conquista de novos clientes é um dos nossos maiores desafios, e os resultados alcançados são, em parte, decorrentes da estratégia comercial de redução de tarifas de serviços de conta-corrente. Ajustes para Comparabilidade As receitas de prestação de serviços apresentaram redução de 0,8% em relação ao trimestre anterior. Essas variações foram originadas por: G) Redução na participação do Itaú na empresa Redecard de 31,9% para 23,2%. Os 8,7 p.p. de redução representam R$ 35 milhões no segundo trimestre de H) O resultado da empresa Serasa passou a ser reconhecido por equivalência patrimonial a partir de junho de Receitas de Prestação de Serviços Ajustes para Comparabilidade R$ Milhões set/05 dez/05 mar/06 jun/06 set/06 dez/06 mar/07 jun/07 set/07 Clientes Ativos Contas-correntes (*) Conceitualmente, um cliente (representado por um CPF/CNPJ) é considerado como ativo quando realiza uma ou mais movimentações em conta corrente nos últimos seis meses ou possui saldo médio em conta não nulo ºT/05 4ºT/05 1ºT/06 2ºT/06 3ºT/06 4ºT/06 1ºT/07 2ºT/07 3ºT/07 17 Análise Gerencial da Operação Banco Itaú Holding Financeira S.A.

18 Análise do Resultado Consolidado Despesas não Decorrentes de Juros 3º Trim./07 2º Trim./07 Jan-Set/07 Jan-Set/06 3ºT/07-2ºT/07 R$ Milhões Variação Jan-Set/07 - Jan-Set/06 Despesas de Pessoal (1.375) (1.341) (3.968) (3.574) (35) (394) Remuneração A (794) (777) (2.292) (2.013) (17) (279) Encargos (228) (226) (661) (606) (2) (55) Benefícios Sociais B (209) (196) (591) (516) (13) (75) Treinamento (21) (25) (56) (50) 5 (6) Desligamentos e Processos Trabalhistas (124) (116) (368) (388) (8) 21 Outras Despesas Administrativas (1.570) (1.624) (4.734) (4.153) 53 (580) Processamento de Dados e Telecomunicações D (391) (380) (1.169) (975) (11) (194) Depreciação e Amortização (156) (174) (497) (459) 18 (38) Instalações (215) (220) (650) (588) 6 (61) Serviços de Terceiros (285) (297) (859) (722) 12 (137) Serviços do Sistema Financeiro (142) (139) (410) (316) (3) (94) Propaganda, Promoções e Publicações E (132) (114) (333) (336) (18) 3 Transportes (62) (63) (186) (169) 1 (18) Materiais (43) (50) (142) (152) 7 10 Segurança (52) (51) (153) (125) (1) (28) Legais e Judiciais (8) (10) (35) (50) 2 15 Viagens (18) (20) (52) (46) 2 (6) Outras C (68) (106) (247) (217) 38 (30) Outras Despesas Operacionais (388) (460) (1.225) (973) 72 (252) Provisão para Contingências F (125) (277) (506) (286) 152 (219) Fiscais e Previdenciárias (26) (54) (75) (14) 28 (61) Ações Cíveis (100) (206) (419) (271) 106 (148) Outras 1 (17) (12) (2) 17 (10) Comercialização - Cartões de Crédito G (140) (117) (351) (260) (22) (90) Sinistros (44) (38) (121) (135) (6) 14 Outras H (79) (28) (247) (291) (51) 44 Despesas Tributárias (114) (100) (325) (275) (14) (50) CPMF I (85) (55) (214) (187) (29) (26) Outros Tributos (29) (44) (112) (88) 15 (24) Total de Despesas não Decorrentes de Juros (3.447) (3.524) (10.251) (8.975) 77 (1.276) No terceiro trimestre de 2007, as despesas não decorrentes de juros apresentaram queda de 2,2% em relação ao segundo trimestre do mesmo ano devido, principalmente, à diminuição de Outras Despesas Administrativas e Operacionais. Despesas de Pessoal As despesas de pessoal subiram 2,6% em relação ao trimestre anterior. Destacam-se: A) A Convenção Coletiva do Trabalho (CCT) assinada em setembro de 2007 promoveu a correção nos salários dos bancários em 6,0%; B) Também na CCT dos bancários foi aprovada a ampliação do benefício Auxílio Alimentação com a inclusão da 13ª cesta, o que gerou impacto de aproximadamente R$ 9 milhões. Outras Despesas Administrativas As outras despesas administrativas sofreram queda de 3,3%. As mais representativas foram: C) Doações para incentivos a atividades sociais e culturais ocorridas no segundo trimestre. Atenuaram essa queda os fatores: D) Maiores despesas com postagem voltadas a clientes de cartão de crédito; E) Maior concentração de campanhas de publicidade na televisão, sobretudo campanhas institucionais, de cartões de crédito e de redução de tarifas, no terceiro trimestre. Colaboradores (*) set/05 dez/05 mar/06 jun/06 set/06 dez/06 mar/07 jun/07 set/07 (*) - Inclui colaboradores do Credicard Itaú a partir de jun/06. - Inclui colaboradores do BkB a partir de set/06. - Inclui colaboradores do Chile e do Uruguai a partir de mar/07. - Não inclui colaboradores da Facilita, por ser 50% consolidada. 18 Análise Gerencial da Operação Banco Itaú Holding Financeira S.A.

19 Análise do Resultado Consolidado Outras Despesas Operacionais A redução de 15,7% em relação ao segundo trimestre de 2007 foi ocasionada principalmente por: F) Constituição pontual de provisão de processos cíveis e tributários no segundo trimestre. E compensada por: G) Aumento referente a esforços de venda na comercialização de cartões de crédito; H) Maiores despesas no terceiro trimestre relacionadas às operações no exterior, principalmente na Europa Índice de Cobertura das Despesas não Decorrentes de Juros (*) O aumento de 1 p.p. no índice de cobertura das despesas não decorrentes de juros deveu-se à diminuição de 2,2% do total dessas despesas. Considerando-se apenas as despesas de pessoal, o índice apresentou redução de 6 p.p., reflexo do aumento de 2,6% ocorrido neste trimestre nas despesas de pessoal. 186% 203% 187% 201% 181% 196% 193% 190% 184% Despesas Tributárias com CPMF e Outros Tributos O aumento de 14,3% nesse trimestre deveu-se principalmente a: I) Maior incidência de CPMF sobre aplicações de recursos provenientes de emissões de debêntures realizadas pelas empresas de leasing. Índice de Eficiência (*) Apesar da redução das despesas não decorrentes de juros, impactos negativos do resultado de tesouraria levaram ao aumento de 1,3 p.p. no Índice de Eficiência em relação ao segundo trimestre do ano. Ainda assim, o índice manteve-se abaixo da média de % 73% 76% 79% 7,3% 8,0% 7,0% 7,0% 6,8% 6,5% 70% 73% 74% 72% 73% 3ºT/05 4ºT/05 1ºT/06 2ºT/06 3ºT/06 4ºT/06 1ºT/07 2ºT/07 3ºT/07 Despesas Não Decorrentes de Juros Despesas de Pessoal (*) Divisão das Receitas de Prestação de Serviços pelas Despesas de Pessoal e pelas Despesas não Decorrentes de Juros (Despesas de Pessoal, Outras Despesas Administrativas, Outras Despesas Operacionais e Despesas Tributárias de CPMF e Outros Tributos). Índice de Despesas não Decorrentes de Juros sobre Média do Total de Ativos (*) A contínua melhoria ao longo dos trimestres é decorrente das aquisições e do crescimento orgânico do banco. Destaca-se o fato de as despesas terem crescido em proporções inferiores ao crescimento dos ativos, reflexo da política de controle de custos e das sinergias conquistadas. 5,6% 5,5% 5,0% 100% 50,5% 50,1% 47,3% 45,7% 49,8% 47,4% 44,1% 45,8% 47,1% 3ºT/05 4ºT/05 1ºT/06 2ºT/06 3ºT/06 4ºT/06 1ºT/07 2ºT/07 3ºT/07 3ºT/05 4ºT/05 1ºT/06 2ºT/06 3ºT/06 4ºT/06 1ºT/07 2ºT/07 3ºT/07 (*) Divisão das Despesas não Decorrentes de Juros pela média aritmética do total de ativo dos últimos dois trimestres (anualizado). (*) Índice de Eficiência = Despesas não Decorrentes de Juros (Despesas de Pessoal + Outras Despesas Administrativas + Outras Despesas Operacionais + Despesas Tributárias com CPMF e Outros Tributos) (Margem Financeira Gerencial + Receitas de Prestação de Serviços + Resultado de Operações com Seguros, Capitalização e Previdência + Outras Receitas Operacionais + Despesas Tributárias de PIS/Cofins/ISS) Volume de Transações no Auto-Atendimento Período Caixas Eletrônicos Transação Warning (*) Usual Débito Automático (*) Transação efetuada através de tela de aviso nos caixas eletrônicos. Centrais de Atendimento Eletrônicas Personalizadas Home & Office Banking Compras com Cartão de Débito (Quantidade em Milhões) Trim./ Trim./ Trim./ Trim./ Trim./ Trim./ Trim./ Total 19 Análise Gerencial da Operação Banco Itaú Holding Financeira S.A.

20 Análise do Resultado Consolidado Histórico das Quantidades de Pontos de Atendimento (*) set/05 dez/05 mar/06 jun/06 set/06 dez/06 mar/07 jun/07 set/07 Caixas Eletrônicos Agências Postos de Atendimento Bancário (PAB) Taií Imposto de Renda e Contribuição Social Sobre o Lucro Líquido A redução da despesa de Imposto de Renda e Contribuição Social sobre o Lucro Líquido está fundamentalmente associada à diminuição de resultados operacionais, assim como ao impacto de R$ 57 milhões decorrente do provisionamento de R$ 169 milhões de Juros sobre o Capital Próprio. Esse valor corresponde ao montante necessário para atingirmos o limite máximo de dedução dos Juros sobre o Capital Próprio, permitido pela legislação fiscal. (*) Inclui Banco Itaú Buen Ayre e Banco Itaú BBA. A partir de set/06, estão considerados dados do BkB e a partir de mar/07 dados das empresas do Chile e do Uruguai. A rede de pontos de atendimento do Itaú aumentou neste trimestre em 382 pontos, sendo 150 novos caixas eletrônicos. A Taií passou a operar também com presença eletrônica nas lojas do Grupo Pão de Açúcar, o que justifica o aumento do número de lojas. Clientes de Internet Banking Em Milhões 4,1 4,2 4,4 4,5 4,6 4,8 4,9 5,2 5,3 1,8 1,9 1,9 1,9 1,9 1,9 2,0 2,1 2,1 set/05 dez/05 mar/06 jun/06 set/06 dez/06 mar/07 jun/07 set/07 Clientes que acessaram no mês Clientes cadastrados Resultado antes do Imposto de Renda (IR) e Contribuição Social (CSLL) (+) Resultado de efeitos não recorrentes (vide pág. 5) R$ Milhões 3º Trim./07 2º Trim/07 Variação (1.249) (230) (1.019) (=) Resultado antes do IR e CSLL Recorrente (520) Imposto de Renda e Contribuição Social às alíquotas de 25% e 9%, respectivamente (A) (919) (1.096) 177 (Inclusões) Exclusões e Outros (B) 59 (68) 128 Variação Cambial de Investimentos no Exterior (111) (163) 52 Juros sobre o Capital Próprio 57 (1) 58 Constituição de PIR ativa sobre ágio 0 Dividendos, Juros sobre Títulos da Dívida Externa e Incentivos Fiscais Outras Subtotal (C) = (A) + (B) (859) (1.164) 304 Exclusão da Variação Cambial sobre os Investimentos no Exterior (D) Exclusão do Efeito Fiscal do Hedge dos Investimentos no Exterior (E) (1) (3) (106) Imposto de Renda e Contribuição Social (C)+(D)+(E) (700) (902) 202 O número de clientes cadastrados no Internet Banking manteve o ritmo de crescimento apresentado historicamente, com aumento no número de clientes cadastrados e no número de acessos. Despesas Tributárias de ISS, PIS e Cofins No terceiro trimestre de 2007, o índice de créditos tributários sobre patrimônio líquido foi de 28,8%, mantendo tendência de redução em relação ao trimestre anterior. Créditos Tributários x Patrimônio Líquido (%) 70,0% No terceiro trimestre de 2007, nossas despesas tributárias totalizaram R$ 467 milhões, um crescimento de 4,5% em relação à despesa de R$ 447 milhões do segundo trimestre. Esse crescimento ocorreu em função, principalmente, de que nesse período não se repetiu o efeito verificado no trimestre anterior de redução de PIS e Cofins incidentes sobre resultado de derivativos tributado por regime de caixa (Lei /04). 20 Análise Gerencial da Operação 60,0% 50,0% 40,0% 30,0% 20,0% 10,0% 0,0% 57,7% 49,8% 53,3% 43,3% 47,5% 38,2% 41,9% 33,0% 34,6% 31,9% 36,4% 34,3% 34,8% 32,3% dez/02 mar/03 jun/03 set/03 dez/03 mar/04 jun/04 set/04 dez/04 mar/05 jun/05 set/05 dez/05 mar/06 35,2% 31,1% 31,2% 30,8% 30,0% jun/06 set/06 dez/06 mar/07 jun/07 set/07 Banco Itaú Holding Financeira S.A. 28,8%

4 trimestre de 2010. Sumário Executivo. Itaú Unibanco Holding S.A.

4 trimestre de 2010. Sumário Executivo. Itaú Unibanco Holding S.A. 4 trimestre de 2010 Sumário Executivo Apresentamos, abaixo, informações e indicadores financeiros do (Itaú Unibanco) do quarto trimestre de 2010 e do exercício findo em 31 de dezembro de 2010. (exceto

Leia mais

3º trimestre de 2011. Análise Gerencial da Operação e Demonstrações Contábeis Completas. Itaú Unibanco Holding S.A.

3º trimestre de 2011. Análise Gerencial da Operação e Demonstrações Contábeis Completas. Itaú Unibanco Holding S.A. 3º trimestre de 2011 Análise Gerencial da Operação e Demonstrações Contábeis Completas Itaú Unibanco Holding S.A. Índice Análise Gerencial da Operação 1 Sumário Executivo 3 Análise do Resultado 11 Margem

Leia mais

sumário executivo Itaú Unibanco Holding S.A. 3º trimestre de 2013 Análise Gerencial da Operação

sumário executivo Itaú Unibanco Holding S.A. 3º trimestre de 2013 Análise Gerencial da Operação sumário executivo 3º trimestre de 2013 (Esta página foi deixada em branco intencionalmente) 4 Apresentamos, abaixo, informações e indicadores financeiros do (Itaú Unibanco). Destaques (exceto onde indicado)

Leia mais

2º Trimestre 2005. Análise Gerencial da Operação e Demonstrações Contábeis Completas

2º Trimestre 2005. Análise Gerencial da Operação e Demonstrações Contábeis Completas 2º Trimestre 2005 Análise Gerencial da Operação e Demonstrações Contábeis Completas Índice Sumário Executivo 03 Análise do Resultado Consolidado 13 - Margem Financeira 14 - Resultado com Créditos de Liquidação

Leia mais

3T14 Análise Gerencial da Operação e Demonstrações Contábeis Completas

3T14 Análise Gerencial da Operação e Demonstrações Contábeis Completas resultados 3T14 Análise Gerencial da Operação e Demonstrações Contábeis Completas Índice Análise Gerencial da Operação 3 Sumário Executivo 5 Análise do Resultado 15 Margem Financeira Gerencial 16 Receitas

Leia mais

1T14 Análise Gerencial da Operação e Demonstrações Contábeis Completas

1T14 Análise Gerencial da Operação e Demonstrações Contábeis Completas resultados 1T14 Análise Gerencial da Operação e Demonstrações Contábeis Completas Índice Análise Gerencial da Operação 3 Sumário Executivo 5 Análise do Resultado 15 Margem Financeira Gerencial 16 Receitas

Leia mais

4T14 Análise Gerencial da Operação e Demonstrações Contábeis Completas

4T14 Análise Gerencial da Operação e Demonstrações Contábeis Completas resultados 4T14 Análise Gerencial da Operação e Demonstrações Contábeis Completas Índice Análise Gerencial da Operação 3 Sumário Executivo 5 Análise do Resultado 15 Margem Financeira Gerencial 16 Receitas

Leia mais

4T15. Análise Gerencial da Operação e Demonstrações Contábeis Completas Itaú Unibanco Holding S.A.

4T15. Análise Gerencial da Operação e Demonstrações Contábeis Completas Itaú Unibanco Holding S.A. 4T15 Análise Gerencial da Operação e Demonstrações Contábeis Completas Itaú Unibanco Holding S.A. ÍNDICE 03 Análise Gerencial da Operação 05 Sumário Executivo 15 Análise do Resultado e Balanço 16 18 22

Leia mais

Banco Santander (Brasil) S.A.

Banco Santander (Brasil) S.A. Banco Santander (Brasil) S.A. Resultados em BR GAAP 4T14 3 de Fevereiro de 2015 INFORMAÇÃO 2 Esta apresentação pode conter certas declarações prospectivas e informações relativas ao Banco Santander (Brasil)

Leia mais

Resultado da Oferta Pública Voluntária de Permuta. Novembro de 2014

Resultado da Oferta Pública Voluntária de Permuta. Novembro de 2014 Resultado da Oferta Pública Voluntária de Permuta Novembro de 2014 OFERTA VOLUNTÁRIA DE PERMUTA DE AÇÕES No dia 30 de outubro realizamos o leilão da oferta voluntária. A adesão dos minoritários do Santander

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 5 Balanço Patrimonial Passivo 9 Demonstração do Resultado 12 Demonstração do Resultado

Leia mais

Earnings Release 1s14

Earnings Release 1s14 Earnings Release 1s14 1 Belo Horizonte, 26 de agosto de 2014 O Banco Bonsucesso S.A. ( Banco Bonsucesso, Bonsucesso ou Banco ), Banco múltiplo, de capital privado, com atuação em todo o território brasileiro

Leia mais

Basiléia. Patrimônio Líquido 6.368 5.927 5.117. Jun/09 Jun/10 Jun/11 Jun/12 Jun/13. Captações (líquidas de compulsório) 58.406 52.950 42.

Basiléia. Patrimônio Líquido 6.368 5.927 5.117. Jun/09 Jun/10 Jun/11 Jun/12 Jun/13. Captações (líquidas de compulsório) 58.406 52.950 42. Avenida Paulista, 2.100 - São Paulo - SP CNPJ 58.160.7890001-28 Se escolher navegar os mares do sistema bancário, construa seu banco como construiria seu barco: sólido para enfrentar, com segurança, qualquer

Leia mais

Apresentação Bradesco

Apresentação Bradesco Apresentação Bradesco 1 Perspectivas Econômicas 2013 Bradesco 2014 * Consenso do Mercado ** 2015 * 2014 2015 PIB 2,50% 0,50% 1,50% 0,29% 1,01% Juros(SelicFinal) 10,00% 11,00% 11,00% 11,00% 11,38% Inflação(IPCA)

Leia mais

Banco Caterpillar S.A. Rua Alexandre Dumas, 1711 - Edifício Birmann 11-9º andar Setor 2 - São Paulo - SP CNPJ: 02.658.435/0001-53

Banco Caterpillar S.A. Rua Alexandre Dumas, 1711 - Edifício Birmann 11-9º andar Setor 2 - São Paulo - SP CNPJ: 02.658.435/0001-53 Rua Alexandre Dumas, 1711 - Edifício Birmann 11-9º andar Setor 2 - São Paulo - SP CNPJ: 02.658.435/0001-53 Balanço Patrimonial - Conglomerado Prudencial em 30 de Junho ATIVO 2014 CIRCULANTE 1.893.224 Disponibilidades

Leia mais

Especial Lucro dos Bancos

Especial Lucro dos Bancos Boletim Econômico Edição nº 90 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Especial Lucro dos Bancos 1 Tabela dos Lucros em 2014 Ano Banco Período Lucro 2 0 1 4 Itaú Unibanco

Leia mais

Divulgação dos Resultados 1T15

Divulgação dos Resultados 1T15 Divulgação dos Resultados 1T15 Sumário Resultado Itens Patrimoniais Índices Financeiros e Estruturais Guidance 2 Resultado Margem Financeira (em e %) * 1T15 / 1T14 1T15 / 4T14 1T15 / 1T14 21,1% 5,4% 21,1%

Leia mais

Resultados 1T07 10 de maio de 2007

Resultados 1T07 10 de maio de 2007 PUBLICIDADE CAIXA CRESCEU 102% BASE DE ASSINANTES BANDA LARGA CRESCEU 32% São Paulo, O UOL (BOVESPA: UOLL4) anuncia hoje os resultados do 1T07. As demonstrações financeiras da Companhia são elaboradas

Leia mais

Ciclo Apimec 2013 A Estratégia de Atuação do Itaú Unibanco

Ciclo Apimec 2013 A Estratégia de Atuação do Itaú Unibanco 1 Ciclo Apimec 2013 A Estratégia de Atuação do Itaú Unibanco Superintendência de Relações com Investidores Pessoa Física 2 Cenário Macroeconômico (1) 2 Economia Mundial 2010 2011 2012 2013 (2) PIB Mundo

Leia mais

Sumário do Resultado 2T09

Sumário do Resultado 2T09 Sumário do Resultado 1 BB lucra R$ 4,0 bilhões no 1º semestre de 2009 O Banco do Brasil registrou lucro líquido de R$ 4.014 milhões no 1S09, resultado que corresponde a retorno sobre Patrimônio Líquido

Leia mais

11 CIRCULANTE 111 DISPONÍVEL 1111 CAIXA 11111 CAIXA 1112 VALORES EM TRÂNSITO 11121 VALORES EM TRÂNSITO 11122 CHEQUES EMITIDOS

11 CIRCULANTE 111 DISPONÍVEL 1111 CAIXA 11111 CAIXA 1112 VALORES EM TRÂNSITO 11121 VALORES EM TRÂNSITO 11122 CHEQUES EMITIDOS 1 ATIVO 1 11 CIRCULANTE 111 DISPONÍVEL 1111 CAIXA 11111 CAIXA 1112 VALORES EM TRÂNSITO 11121 VALORES EM TRÂNSITO 11122 CHEQUES EMITIDOS 1113 BANCOS CONTA DEPÓSITOS 11131 BANCOS CONTA DEPÓSITOS - MOVIMENTO

Leia mais

Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006.

Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006. Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006. São Paulo, 28 de fevereiro de 2007 - A Porto Seguro S.A. (Bovespa: PSSA3) anuncia seu resultado

Leia mais

Release de Resultado 2T14

Release de Resultado 2T14 BANCO BMG ANUNCIA SEUS RESULTADOS CONSOLIDADOS DO 2T14 São Paulo, 07 de agosto de 2014 O Banco BMG S.A. e suas controladas ( BMG ou Banco ) divulgam seus resultados consolidados referentes ao período encerrado

Leia mais

EARNINGS RELEASE 2008 e 4T08 Cemig D

EARNINGS RELEASE 2008 e 4T08 Cemig D EARNINGS RELEASE 2008 e 4T08 Cemig D (Em milhões de reais, exceto se indicado de outra forma) --------- Lucro do Período A Cemig Distribuição apresentou, no exercício de 2008, um lucro líquido de R$709

Leia mais

Release de Resultado 3T08

Release de Resultado 3T08 PORTO SEGURO ANUNCIA LUCRO LÍQUIDO DE R$75,0 MILHÕES OU R$0,33 POR AÇÃO NO E R$211,6 MILHÕES OU R$0,92 POR AÇÃO NO 9M08. São Paulo, 7 de Novembro de 2008 Porto Seguro S.A. (BOVESPA: PSSA3), anuncia os

Leia mais

Divulgação de Resultados 1T14

Divulgação de Resultados 1T14 Divulgação de Resultados 1T14 A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private-equity ( Fundos

Leia mais

Lucro Líquido Ajustado do BB atinge R$ 2,7 bilhões no 1T13

Lucro Líquido Ajustado do BB atinge R$ 2,7 bilhões no 1T13 Sumário do Resultado Resultado Lucro Líquido Ajustado do BB atinge R$ 2,7 bilhões no O Banco do Brasil apresentou lucro líquido ajustado, sem itens extraordinários, de R$ 2,7 bilhões no trimestre, desempenho

Leia mais

ÍNDICE BANCO IBI S.A. BANCO MÚLTIPLO

ÍNDICE BANCO IBI S.A. BANCO MÚLTIPLO ÍNDICE BANCO IBI S.A. BANCO MÚLTIPLO Relatório da Administração 3 Balanços Patrimoniais 3 Demonstração de Resultados 4 Demonstração das Mutações 5 Demonstração das Origens 5 Notas Explicativas 6 Diretoria

Leia mais

Ilmos. Senhores - Diretores e Acionistas da LINK S/A CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS

Ilmos. Senhores - Diretores e Acionistas da LINK S/A CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS A-PDF MERGER DEMO PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES São Paulo,04 de agosto de 2006. Ilmos. Senhores - es e Acionistas da LINK S/A CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS 1. Examinamos os balanços

Leia mais

www.panamericano.com.br

www.panamericano.com.br www.panamericano.com.br Agenda Principais dados do Banco Histórico Divulgação das Demonstrações Financeiras Resultado e Balanço Providências e Perspectivas 2 Agenda Principais dados do Banco 3 Composição

Leia mais

Sexta-feira 14.05.2010 Divulgação do Resultado do Primeiro Trimestre de 2010

Sexta-feira 14.05.2010 Divulgação do Resultado do Primeiro Trimestre de 2010 Press Release 9 Bovespa: BRSR3, BRSR5, BRSR6 Este Press Release pode conter informações sobre eventos futuros. Tais informações não seriam apenas fatos históricos, mas refletiriam os desejos e as expectativas

Leia mais

Release de Resultados do 1T10

Release de Resultados do 1T10 Release de Resultados do 1T10 Fale com R.I Relações com Investidores Tel: (11) 3366-5323 / 3366-5378 www.portoseguro.com.br, gri@portoseguro.com.br Porto Seguro S.A. Alameda Ribeiro da Silva, 275 1º andar

Leia mais

ING. Demonstrações Financeiras

ING. Demonstrações Financeiras ING Demonstrações Financeiras 30/junho/2002 ÍNDICE ING BANK N.V. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS SEMESTRAIS DE 2002 E 2001... 3 ING CORRETORA DE CÂMBIO E TÍTULOS S.A. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS SEMESTRAIS DE

Leia mais

Análise Gerencial da Operação, Desempenho das Ações e dos ADRs e Demonstrações Contábeis 2008. Itaú Unibanco Holding S.A.

Análise Gerencial da Operação, Desempenho das Ações e dos ADRs e Demonstrações Contábeis 2008. Itaú Unibanco Holding S.A. Análise Gerencial da Operação, Desempenho das Ações e dos ADRs e Demonstrações Contábeis 2008 Itaú Unibanco Holding S.A. Índice Análise Gerencial da Operação 2 Desempenho das Ações e dos ADRs 12 Relatório

Leia mais

Demonstrações Financeiras

Demonstrações Financeiras Demonstrações Financeiras Junho 2015 1 SUMÁRIO ANÁLISE DE DESEMPENHO... 4 SUMÁRIO EXECUTIVO 1S15... 6 MERCADO COMPETITIVO... 8 MARGEM ANALÍTICA... 9 Desempenho da Intermediação Financeira... 9 Variações

Leia mais

em números Relatório de Prestação de Contas Sicoob Norte

em números Relatório de Prestação de Contas Sicoob Norte em números Relatório de Prestação de Contas Sicoob Norte O desempenho e os resultados alcançados pelo Sicoob Norte em comprovam as vantagens do trabalho coletivo em cooperativa. Mesmo num ano de muitas

Leia mais

Luiz Carlos Angelotti. Diretor Executivo Gerente e Diretor de Relações com Investidores

Luiz Carlos Angelotti. Diretor Executivo Gerente e Diretor de Relações com Investidores 59 Luiz Carlos Angelotti Diretor Executivo Gerente e Diretor de Relações com Investidores Estratégia de Atuação 60 60 Balanço Patrimonial Tecnologia vs Eficiência operacional Basileia Desempenho Financeiro

Leia mais

Divulgação de Resultados Segundo Trimestre de 2015

Divulgação de Resultados Segundo Trimestre de 2015 Divulgação de Resultados Segundo Trimestre de 2015 Apresentação da Teleconferência 06 de agosto de 2015 Para informações adicionais, favor ler cuidadosamente o aviso ao final desta apresentação. Divulgação

Leia mais

Ciclo Apimec 2009. Itaú Unibanco Holding S.A.

Ciclo Apimec 2009. Itaú Unibanco Holding S.A. Ciclo Apimec 2009 Itaú Unibanco Holding S.A. Junho/Julho de 2009 Junho de 2009 Prezados (as), Desde 1996 o Itaú promove reuniões públicas nas regionais da Apimec, onde temos a oportunidade de discutir

Leia mais

BRB ANUNCIA RESULTADOS DO 2T15

BRB ANUNCIA RESULTADOS DO 2T15 BRB ANUNCIA RESULTADOS DO 2T15 Brasília, 26 de agosto de 2015 O BRB - Banco de Brasília S.A., sociedade de economia mista, cujo acionista majoritário é o Governo de Brasília, anuncia seus resultados do

Leia mais

Prática - desenvolvimento de sistemas Av. Assis Brasil 1800/302 - Porto Alegre - RS - CEP:91010-001. Empresa: Plano referencial 4 - Seguradoras

Prática - desenvolvimento de sistemas Av. Assis Brasil 1800/302 - Porto Alegre - RS - CEP:91010-001. Empresa: Plano referencial 4 - Seguradoras 1 ATIVO 1.01 CIRCULANTE 1.01.01 DISPONÍVEL 1.01.01.01 Caixa 1.01.01.02 Valores em Trânsito 1.01.01.03 Bancos Conta Depósitos 1.01.01.04 Aplicações no Mercado Aberto 1.01.02 APLICAÇÕES 1.01.02.01 Títulos

Leia mais

Análise Gerencial da Operação, Desempenho das Ações e dos ADRs e Demonstrações Contábeis 2011. Itaú Unibanco Holding S.A.

Análise Gerencial da Operação, Desempenho das Ações e dos ADRs e Demonstrações Contábeis 2011. Itaú Unibanco Holding S.A. Análise Gerencial da Operação, Desempenho das Ações e dos ADRs e Demonstrações Contábeis 2011 Demonstrações Financeiras 2011 Sumário 3 Análise Gerencial da Operação...................... 4 Desempenho das

Leia mais

PORTO SEGURO ANUNCIA LUCRO LÍQUIDO DE R$110,9 MILHÕES OU R$0,48

PORTO SEGURO ANUNCIA LUCRO LÍQUIDO DE R$110,9 MILHÕES OU R$0,48 PORTO SEGURO ANUNCIA LUCRO LÍQUIDO DE R$110,9 MILHÕES OU R$0,48 POR AÇÃO ATÉ MAIO DE 2008. São Paulo, 02 de julho de 2008 Porto Seguro S.A. (BOVESPA: PSSA3), anuncia os resultados dos 5M08. As informações

Leia mais

Boletim Econômico Edição nº 89 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico

Boletim Econômico Edição nº 89 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Boletim Econômico Edição nº 89 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Crise não afeta lucratividade dos principais bancos no Brasil 1 Lucro dos maiores bancos privados

Leia mais

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e 2012

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e 2012 Ourinvest Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e 2012 KPDS 82388 Ourinvest Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários S.A. Demonstrações

Leia mais

PATACÃO DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA.

PATACÃO DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. 1. CONTEXTO OPERACIONAL A Patacão Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. ( Distribuidora ) tem como objetivo atuar no mercado de títulos e valores mobiliários em seu nome ou em nome de terceiros.

Leia mais

TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas)

TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas) TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas) Para maiores informações, contatar: Daniel de Andrade Gomes TELEFÔNICA

Leia mais

Teleconferência de Resultados 1T14 8 de maio de 2014

Teleconferência de Resultados 1T14 8 de maio de 2014 Teleconferência de Resultados 8 de maio de 2014 Destaques do Expressivo crescimento em vendas mesmas lojas (25,4%) com rentabilidade Crescimento da receita líquida total: 28,5% versus 1T13 R$2,3 bilhões

Leia mais

Embratel Participações S.A. (Embratel Participações ou Embrapar ) detém 99,0 porcento da Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. ( Embratel ).

Embratel Participações S.A. (Embratel Participações ou Embrapar ) detém 99,0 porcento da Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. ( Embratel ). Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 25 de Outubro de 2005. Embratel Participações S.A. (Embratel Participações ou Embrapar ) detém 99,0 porcento da Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. ( Embratel ). (Os

Leia mais

ABCD. Banco Nossa Caixa S.A. Laudo de avaliação do patrimônio líquido contábil

ABCD. Banco Nossa Caixa S.A. Laudo de avaliação do patrimônio líquido contábil ABCD Banco Nossa Caixa S.A. Laudo de avaliação do patrimônio líquido contábil ABCD KPMG Auditores Independentes R. Dr. Renato Paes de Barros, 33 04530-904 - São Paulo, SP - Brasil Caixa Postal 2467 01060-970

Leia mais

Divulgação de Resultados 1T15

Divulgação de Resultados 1T15 São Paulo - SP, 06 de Maio de 2015. A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private equity

Leia mais

Divulgação de resultados 3T13

Divulgação de resultados 3T13 Brasil Brokers divulga seus resultados do 3º Trimestre do ano de 2013 Rio de Janeiro, 13 de novembro de 2013. A Brasil Brokers Participações S.A. (BM&FBovespa: BBRK3) uma empresa com foco e atuação no

Leia mais

Ciclo Apimec 2014. Itaú Unibanco Holding S.A. Fernando Foz de Macedo Relações com Investidores PF Vitória 25 de setembro de 2014

Ciclo Apimec 2014. Itaú Unibanco Holding S.A. Fernando Foz de Macedo Relações com Investidores PF Vitória 25 de setembro de 2014 1 Ciclo Apimec 2014 Itaú Unibanco Holding S.A. Fernando Foz de Macedo Relações com Investidores PF Vitória 25 de setembro de 2014 Ciclo Ciclo Apimec 2014 2014 Itaú Itaú Unibanco Unibanco Holding Holding

Leia mais

em números Relatório de Prestação de Contas Sicoob Sul

em números Relatório de Prestação de Contas Sicoob Sul em números Relatório de Prestação de Contas Sicoob Sul O desempenho e os resultados alcançados pelo Sicoob Sul em comprovam as vantagens do trabalho coletivo em cooperativa. Mesmo num ano de muitas incertezas

Leia mais

Circular nº 3477. Total de Créditos Tributários Decorrentes de Diferenças Temporárias Líquidos de Obrigações Fiscais 111.94.02.01.

Circular nº 3477. Total de Créditos Tributários Decorrentes de Diferenças Temporárias Líquidos de Obrigações Fiscais 111.94.02.01. Detalhamento do patrimônio de referência (PR) : 100 110 111 111.01 111.02 111.03 111.04 111.05 111.06 111.07 111.08 111.90 111.90.01 111.91 111.91.01 111.91.02 111.91.03 111.91.04 111.91.05 111.91.06 111.91.07

Leia mais

Sistema Financeiro e os Fundamentos para o Crescimento

Sistema Financeiro e os Fundamentos para o Crescimento Sistema Financeiro e os Fundamentos para o Crescimento Henrique de Campos Meirelles Novembro de 20 1 Fundamentos macroeconômicos sólidos e medidas anti-crise 2 % a.a. Inflação na meta 8 6 metas cumpridas

Leia mais

ANEND AUDITORES INDEPENDENTES S/C

ANEND AUDITORES INDEPENDENTES S/C A DD. DIRETORIA DO SOLIDÁRIA - CRESOL BASER Rua Nossa Senhora da Glória, 52ª - Cango Francisco Beltão - PR CNPJ: 01.401.771/0001-53 Balanço Patrimonial e Demonstração de Sobras ou Perdas consolidadas do

Leia mais

Divulgação de Resultados 2014

Divulgação de Resultados 2014 São Paulo - SP, 10 de Fevereiro de 2015. A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private-equity

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2012 - COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS-AMBEV Versão : 1. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2012 - COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS-AMBEV Versão : 1. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 4 Balanço Patrimonial Passivo 6 Demonstração do Resultado 9 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01896-1 MEHIR HOLDINGS S.A. 04.310.392/0001-46 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01896-1 MEHIR HOLDINGS S.A. 04.310.392/0001-46 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/9/25 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Divulgação Externa O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO

Leia mais

RELATÓRIO DE RELAÇÕES COM INVESTIDORES RESULTADOS 1T10 156.512.000,00

RELATÓRIO DE RELAÇÕES COM INVESTIDORES RESULTADOS 1T10 156.512.000,00 RELATÓRIO DE RELAÇÕES COM INVESTIDORES RESULTADOS 156.512.000,00 Resultados do RESULTADOS São Paulo, 14 de maio de 2010 A BRADESPAR [BM&FBOVESPA: BRAP3 (ON), BRAP4 (PN); LATIBEX: XBRPO (ON), XBRPP (PN)]

Leia mais

A companhia permanece com o objetivo de investir seus recursos na participação do capital de outras sociedades.

A companhia permanece com o objetivo de investir seus recursos na participação do capital de outras sociedades. RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Apresentamos as Demonstrações Financeiras da Mehir Holdings S.A. referente ao exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2004 e as respectivas Notas

Leia mais

Gerdau S.A. e Metalúrgica Gerdau S.A. Em 31 de dezembro de 2011 e 2010

Gerdau S.A. e Metalúrgica Gerdau S.A. Em 31 de dezembro de 2011 e 2010 54 RELATÓRIO ANUAL GERDAU 2011 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS RESUMIDAS Gerdau S.A. e Metalúrgica Gerdau S.A. Em 31 de dezembro de 2011 e 2010 GERDAU S.A. e empresas controladas BALANÇOS PATRIMONIAIS CONSOLIDADOS

Leia mais

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 03 DEMONSTRAÇÃO DE FLUXOS DE CAIXA

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 03 DEMONSTRAÇÃO DE FLUXOS DE CAIXA COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 03 DEMONSTRAÇÃO DE FLUXOS DE CAIXA Correlação às Normas Internacionais de Contabilidade IAS 7 (IASB) PRONUNCIAMENTO Conteúdo Item OBJETIVO

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2011 - CIA CAT. DE ÁGUAS E SANEAMENTO - CASAN Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2011 - CIA CAT. DE ÁGUAS E SANEAMENTO - CASAN Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Fluxo de Caixa 6 Demonstração das Mutações

Leia mais

Unidade II. Mercado Financeiro e de. Prof. Maurício Felippe Manzalli

Unidade II. Mercado Financeiro e de. Prof. Maurício Felippe Manzalli Unidade II Mercado Financeiro e de Capitais Prof. Maurício Felippe Manzalli Mercados Financeiros Definição do mercado financeiro Representa o Sistema Financeiro Nacional Promove o fluxo de recursos através

Leia mais

Demonstrações Contábeis

Demonstrações Contábeis Demonstrações Contábeis 31 de Dezembro de 2014 ÍNDICE GERAL Página Demonstrativos Contábeis 02 Notas Explicativas da Administração 09 Resumo do Relatório do Comitê de Auditoria 112 Relatório dos Auditores

Leia mais

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 03 (R1) DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 03 (R1) DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 03 (R1) DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA Correlação às Normas Internacionais de Contabilidade IAS 7 (IASB) PRONUNCIAMENTO Conteúdo OBJETIVO

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA

DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA CAPÍTULO 33 Este Capítulo é parte integrante do Livro Contabilidade Básica - Finalmente Você Vai Entender a Contabilidade. 33.1 CONCEITOS A demonstração dos fluxos de caixa evidencia as modificações ocorridas

Leia mais

Teleconferência de Resultados 1T15. 8 de maio de 2015. Magazine Luiza

Teleconferência de Resultados 1T15. 8 de maio de 2015. Magazine Luiza Teleconferência de Resultados 8 de maio de 2015 Magazine Luiza Destaques do Vendas E-commerce Despesas Operacionais EBITDA Luizacred Lucro Líquido Ganhos de market share, principalmente em tecnologia Receita

Leia mais

CEMEPE INVESTIMENTOS S/A

CEMEPE INVESTIMENTOS S/A CEMEPE INVESTIMENTOS S/A RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Em cumprimento às disposições legais e estatutárias, submetemos à apreciação de V.Sas. as demonstrações contábeis do exercício encerrado

Leia mais

DILLON S.A. DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS. CNPJ -33.851.064/0001-55

DILLON S.A. DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS. CNPJ -33.851.064/0001-55 DILLON S.A. DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS. BALANÇO PATRIMONIAL FINDO EM 31/12/2011 E 2010 EM R$ Mil A T I V O 31/12/2011 31/12/2010 ATIVO CIRCULANTE 2.888 3.606 DISPONIBILIDADE 1.105 1.213

Leia mais

Informações Financeiras Consolidadas

Informações Financeiras Consolidadas Informações Financeiras Consolidadas 3º trimestre 2007 Dados Cadastrais Denominação Comercial: Banrisul S/A Natureza Jurídica: Banco Múltiplo Público Estadual. Sociedade de Economia Mista, sob forma de

Leia mais

Abril Educação S.A. Informações Proforma em 30 de junho de 2011

Abril Educação S.A. Informações Proforma em 30 de junho de 2011 Abril Educação S.A. Informações Proforma em 30 de junho de 2011 RESULTADOS PRO FORMA NÃO AUDITADOS CONSOLIDADOS DA ABRIL EDUCAÇÃO As informações financeiras consolidadas pro forma não auditadas para 30

Leia mais

Destaques Operacionais. Desempenho Financeiro

Destaques Operacionais. Desempenho Financeiro Press Release Destaques Operacionais O Banrisul apresentou, nos nove meses de 2011, trajetória ascendente de crescimento no crédito. Os indicadores de inadimplência e de qualidade da carteira mantiveram-se

Leia mais

Reunião Pública de Analistas 2T10

Reunião Pública de Analistas 2T10 Reunião Pública de Analistas 2T10 Porto Seguro Inicio das atividades Mudança de Controle Líder nacional em seguro de automóvel Maior seguradora do Brasil Posição Companhia `Principal Produto 1 Bradesco

Leia mais

RELEASE DE RESULTADOS

RELEASE DE RESULTADOS RELEASE DE RESULTADOS BANCO PAULISTA SOCOPA Corretora Resultados 4 Trimestre de 2011 1 O BANCO PAULISTA e a SOCOPA - CORRETORA PAULISTA anunciam os resultados do quarto trimestre de 2011. O BANCO PAULISTA

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 998, DE 21 DE MAIO DE 2004

RESOLUÇÃO Nº 998, DE 21 DE MAIO DE 2004 CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE RESOLUÇÃO Nº 998, DE 21 DE MAIO DE 2004 Aprova a NBC T 19.2 - Tributos sobre Lucros. O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais,

Leia mais

DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS CONGLOMERADO PRUDENCIAL. 31 de dezembro de 2014

DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS CONGLOMERADO PRUDENCIAL. 31 de dezembro de 2014 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS CONGLOMERADO PRUDENCIAL 31 de dezembro de 2014 Sumário BALANÇO PATRIMONIAL... 4 DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO... 8 FLUXO DE CAIXA... 9 DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO...

Leia mais

CRITÉRIOS / Indicadores

CRITÉRIOS / Indicadores CRITÉRIOS / Indicadores A lista de conceitos desta MELHORES E MAIORES Os valores usados nesta edição são expressos em reais de dezembro de 2014. A conversão para dólares foi feita, excepcionalmente, com

Leia mais

Brito Amoedo Imobiliária S/A. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes

Brito Amoedo Imobiliária S/A. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes Brito Amoedo Imobiliária S/A Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes Em 30 de Junho de 2007 e em 31 de Dezembro de 2006, 2005 e 2004 Parecer dos auditores independentes

Leia mais

A Geradora Aluguel de Máquinas S.A.

A Geradora Aluguel de Máquinas S.A. Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo Passivo e patrimônio líquido Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa 17.488 25.888 Fornecedores e outras obrigações 17.561 5.153 Contas a receber

Leia mais

Relatório FEBRABAN - Evolução do Crédito do Sistema Financeiro

Relatório FEBRABAN - Evolução do Crédito do Sistema Financeiro Relatório FEBRABAN - Evolução do Crédito do Sistema Financeiro (com base na Nota do Banco Central do Brasil de 22-10-08) Edição de 27 de Outubro de 08 Crise não teve impacto significativo nas operações

Leia mais

INSTITUIÇÃO FINANCEIRA CREDIALIANÇA COOPERATIVA DE CRÉDITO RURAL Av. Castro Alves, 1579 - Rolândia - PR CNPJ: 78.157.146/0001-32

INSTITUIÇÃO FINANCEIRA CREDIALIANÇA COOPERATIVA DE CRÉDITO RURAL Av. Castro Alves, 1579 - Rolândia - PR CNPJ: 78.157.146/0001-32 INSTITUIÇÃO FINANCEIRA CREDIALIANÇA COOPERATIVA DE CRÉDITO RURAL Av. Castro Alves, 1579 - Rolândia - PR CNPJ: 78.157.146/0001-32 BALANCETE PATRIMONIAL EM 30 DE NOVEMBRO DE 2015 (valores expressos em milhares

Leia mais

Teleconferência Resultados 1T10

Teleconferência Resultados 1T10 Teleconferência Resultados 1T10 18 de maio de 2010 Visão Geral da Administração Venda da estrutura de Varejo + Foco no segmento de crédito a Empresas Transferência das atividades de originação e crédito

Leia mais

HENCORP COMMCOR DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. Parecer dos auditores independentes

HENCORP COMMCOR DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. Parecer dos auditores independentes HENCORP COMMCOR DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. Parecer dos auditores independentes Demonstrações contábeis Em 31 de dezembro de 2009 e 2008 HENCORP COMMCOR DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS

Leia mais

Teleconferência Resultados 3T10

Teleconferência Resultados 3T10 Teleconferência Resultados 3T10 Sexta-feira, 5 de Novembro de 2010 Horário: 14:00 (horário de Brasília) 12:00 (horário US EDT) Tel: + 55 (11) 4688-6361 Código: LASA Replay: + 55 (11) 4688-6312 Código:

Leia mais

Evolução do lucro líquido (em milhões de reais) - jan fev mar abr mai jun jul ago set

Evolução do lucro líquido (em milhões de reais) - jan fev mar abr mai jun jul ago set DISCUSSÃO E ANÁLISE PELA ADMINISTRAÇÃO DO RESULTADO NÃO CONSOLIDADO DAS OPERACÕES: PERÍODO DE JANEIRO A SETEMBRO DE 2001 COMPARATIVO AO PERÍODO DE JANEIRO A SETEMBRO DE 2000 (em milhões de reais, exceto

Leia mais

MBK Securitizadora S.A. Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de

MBK Securitizadora S.A. Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de MBK Securitizadora S.A. Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de dezembro de 2012 MBK Securitizadora S.A. Demonstrações Financeiras

Leia mais

Conta Descrição (em R$ mil) 31/03/2011 31/12/2010. 1 Ativo Total 13.623.774 13.422.948. 1.01 Ativo Circulante 1.403.533 1.180.328

Conta Descrição (em R$ mil) 31/03/2011 31/12/2010. 1 Ativo Total 13.623.774 13.422.948. 1.01 Ativo Circulante 1.403.533 1.180.328 Conta Descrição (em R$ mil) /0/0 //00 Ativo Total.6.77..98.0 Ativo Circulante.0.5.80.8.0.0 Caixa e Equivalentes de Caixa 69.7 8.657.0.0.0 Bens Numerários.0 05.0.0.0 Depósitos Bancários.07.57.0.0.0 Aplicações

Leia mais

DILLON S.A. DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS CNPJ -33.851.064/0001-55. BALANÇO PATRIMONIAL FINDO EM 30/06/11 E 30/06/10 R$ Mil

DILLON S.A. DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS CNPJ -33.851.064/0001-55. BALANÇO PATRIMONIAL FINDO EM 30/06/11 E 30/06/10 R$ Mil MOBILIÁRIOS BALANÇO PATRIMONIAL FINDO EM 30/06/11 E 30/06/10 ATIVO CIRCULANTE 4.101 4.314 DISPONIBILIDADES 555 624 APLICAÇÕES INTERFINANCEIRAS DE LIQUIDEZ - 77 Aplicações em Operações Compromissadas -

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Julgue os itens a seguir, a respeito da Lei n.º 6.404/197 e suas alterações, da legislação complementar e dos pronunciamentos do Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC). 71 Os gastos incorridos com pesquisa

Leia mais

CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2013

CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2013 CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2013 INFORMAÇÕES GERAIS Pessoa Jurídica Lucro Real Tributação com base no lucro efetivo demonstrado através do livro diário de contabilidade (obrigatório) 1. Empresas obrigadas à apuração

Leia mais

Demonstrações Contábeis

Demonstrações Contábeis Demonstrações Contábeis 12.1. Introdução O artigo 176 da Lei nº 6.404/1976 estabelece que, ao fim de cada exercício social, a diretoria da empresa deve elaborar, com base na escrituração mercantil, as

Leia mais

Enquadramento Page 1. Objectivo. Estrutura do documento. Observações. Limitações

Enquadramento Page 1. Objectivo. Estrutura do documento. Observações. Limitações Objectivo No âmbito do processo de adopção plena das Normas Internacionais de Contabilidade e de Relato Financeiro ("IAS/IFRS") e de modo a apoiar as instituições financeiras bancárias ("instituições")

Leia mais

DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS MARÇO/2015

DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS MARÇO/2015 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS MARÇO/2015 1 SUMÁRIO PRESS RELEASE... 6 FATO RELEVANTE... 8 DESTAQUES FINANCEIROS... 8 DESTAQUES OPERACIONAIS... 10 GUIDANCE... 12 RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO... 13 CENÁRIO ECONÔMICO...

Leia mais

ÍNDICE. Eventos 2009 8. Resumo balanço e demonstrações financeiras 22. Conta de Resultados 11 Balanço Patrimonial 15

ÍNDICE. Eventos 2009 8. Resumo balanço e demonstrações financeiras 22. Conta de Resultados 11 Balanço Patrimonial 15 Banco Santander (Brasil) S.A. Resultados 2009 Pro Forma IFRS 04 de fevereiro de 2010 1 ÍNDICE Resumo Dados do Período 3 Destaques do Período 4 Ratings 6 Ambiente Macroeconômico 7 Eventos 2009 8 Sumário

Leia mais

Ciclo Apimec 2014. Itaú Unibanco Holding S.A. Fernando Foz de Macedo Relações com Investidores PF Goiânia 28 de outubro de 2014

Ciclo Apimec 2014. Itaú Unibanco Holding S.A. Fernando Foz de Macedo Relações com Investidores PF Goiânia 28 de outubro de 2014 1 Ciclo Apimec 2014 Itaú Unibanco Holding S.A. Fernando Foz de Macedo Relações com Investidores PF Goiânia 28 de outubro de 2014 Ciclo Ciclo Apimec 2014 2014 Itaú Itaú Unibanco Unibanco Holding Holding

Leia mais

Teleconferência de Resultados 2T15. 31 de julho de 2015. Magazine Luiza

Teleconferência de Resultados 2T15. 31 de julho de 2015. Magazine Luiza Teleconferência de Resultados 2T15 31 de julho de 2015 Magazine Luiza Destaques do 2T15 Vendas E-commerce Ganho consistente de participação de mercado Redução na receita líquida de 10,1% para R$2,1 bilhões

Leia mais

Relatório dos auditores independentes sobre revisão especial das Informações Financeiras Trimestrais (IFTs) Trimestre findo em 30 de setembro de 2002

Relatório dos auditores independentes sobre revisão especial das Informações Financeiras Trimestrais (IFTs) Trimestre findo em 30 de setembro de 2002 kpmg Caixa Econômica Federal Relatório dos auditores independentes sobre revisão especial das Informações Financeiras Trimestrais (IFTs) Trimestre findo em 30 de setembro de 2002 KPMG Auditores Independentes

Leia mais