REGULAMENTO DA FEIRA VIZINHA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "REGULAMENTO DA FEIRA VIZINHA"

Transcrição

1 Artigo 1º REGULAMENTO DA FEIRA VIZINHA Objeto e âmbito da aplicação 1. A Feira Vizinha (adiante designada por feira) é organizada e gerida pelo Rés do Chão cento e dezanove associação (adiante designada RDC); 2. A Junta de Freguesia da Misericórdia, adiante designada por JFM, é parceira da feira, de acordo com o Protocolo de Parceria celebrado; 3. A RDC só poderá, em relação à organização e gestão da Feira Vizinha, celebrar outras parcerias, desde que obtenha o acordo expresso da JFM; 4. A RDC não poderá autorizar quaisquer tipo de publicidade nos locais da realização da Feira Vizinha que não a correspondente aos comerciantes presentes e seus produtos, salvo se tiver autorização expressa da JFM; 5. A feira rege-se pelo presente regulamento, pelo Protocolo de Parceria celebrado com a JFM e pelas normas legais em vigor, nomeadamente pelo disposto no DL nº 42/2008, de 10 de Março e pelo Regulamento Geral das Feiras do Concelho de Lisboa; 6. O presente regulamento destina-se a estabelecer as normas de gestão e funcionamento da feira bem como a definir o procedimento da atribuição de lugares; 7. A feira tem como principais objetivos: a) Promover o comércio local, artes e ofícios e novos negócios criativos presentes nos arruamentos compreendidos no território e arruamentos adjacentes conforme descrição do anexo 1; b) Potenciar o uso do espaço público, promover a relação de vizinhança e proximidade e proporcionar um conhecimento turístico-comercial do bairro; c) Divulgar o comércio tradicional local através da promoção da qualidade e autenticidade dos espaços de venda, lojas, oficinas de artes e ofícios e produtos de tradição e/ou modernidade (livraria, alfarrabismo, joalharia, moda, ilustração, pintura, escultura, fotografia, design, alimentação e plantas, entre outros); Artigo 2º Localização, lugares e periodicidade 1. A feira ocorre todos os meses, no primeiro sábado de cada mês, no Largo Doutor Sousa Macedo, conforme planta anexa (anexo I) que constitui parte integrante deste regulamento,

2 podendo ser alargada para a Travessa dos Poiais e/ou Travessa do Poço dos Negros, desde que autorizado pela JFM; 2. A feira dispõe de 14 lugares-bancas, podendo os mesmos serem aumentados, desde que autorizado pela JFM; 3. A configuração e área de cada um dos lugares-bancas são os que se encontram estabelecidos na Planta referida no artigo 2º ponto 1 ou os que vierem a ser estabelecidos pela organização, de acordo com a alteração do número de lugares-bancas previsto no ponto anterior; 4. A cada participante só será atribuído apenas um lugar-banca na feira. Artigo 3º Competência e Responsabilidade da Organização 1. A organização e gestão da feira é da responsabilidade da entidade RDC; 2. A organização responsabiliza-se por estabelecer as regras destinadas a assegurar o bom funcionamento do evento e tomar as medidas que entender adequadas para a melhor e mais profícua execução das mesmas; 3. A organização não se responsabiliza por eventuais furtos, extravios ou quaisquer danos causados aos participantes e aos clientes durante a feira. Artigo 4º Candidaturas, inscrições, atribuição de lugares e licenças de venda 1. As candidaturas ocorrem entre o dia 10 e 20 do mês, podendo cada participante candidatar-se exclusivamente a um lugar para a edição seguinte da feira; 2. As candidaturas para participar na feira são obrigatoriamente feitas através do O envio de um de candidatura não assegura automaticamente a inscrição e presença no evento. Só serão consideradas as candidaturas que contenham a informação indicada no formulário de inscrição - AnexoII; 3. A organização responsabiliza-se por avisar por os participantes cuja candidatura for aceite. Após recepção de de confirmação por parte da organização, o candidato tem que fazer o pagamento da inscrição e enviar comprovativo do mesmo para o Apenas o envio do comprovativo de pagamento até 5 dias úteis antes do dia da feira, assegura a inscrição e participação na feira; 4. A atribuição de lugares será gerida pela organização através de uma razão de reserva para os comerciantes e/ou artesãos localizados no território anteriormente especificado no artigo 1º ponto 4 alíena a) do presente regulamento;

3 5. Decorrendo do ponto anterior a razão de reserva de lugares consubstancia-se numa distribuição de 55% dos lugares-bancas destinadas exclusivamente ao comércio local, artes e ofícios, e outros novos negócios criativos não alimentares com loja e/ou ponto de venda e/ou exposição localizada nos arruamentos referidos no artigo 1º ponto 4, alínea a); 15% dos lugaresbancas destinadas aos espaços de pastelaria e/ou restauração com loja e/ou ponto de venda e/ou exposição nos arruamentos referidos no artigo 1º ponto 4, alínea a); 15% dos lugares-bancas destinadas a projetos que não tenham loja e/ou ponto de venda e/ou exposição no território definido no artigo 1º ponto 4 alínea a), e 5% dos lugares-bancas destinada a espaços de pastelaria e/ou restauração que não tenham ponto de venda no território mencionado no artigo 1º ponto 4 alínea a); 6. Quando não se registem inscrições válidas que completem o número de vagas indicados no ponto 5, a organização reserva-se no direito de preencher as vagas em falta com outro tipo de participantes; 7. A participação na feira dos candidatos com loja e/ou ponto de venda e/ou exposição localizada nos arruamentos definidos no artigo 1º ponto 4 alínea a), segue uma ordem de inscrição, sendo que a presença dos não participantes numa edição não assegura a automática inscrição da edição seguinte. No entanto, a organização terá sempre em consideração iguais oportunidades comerciais e de exposição a todos os inscritos interessados em diferentes edições da feira; - a ordem de inscrição só é relevante para os projectos do bairro; 8. A participação na feira dos candidatos sem loja e/ou ponto de venda e/ou exposição nos arruamentos definidos no artigo 1º ponto 4 alínea a, não segue uma ordem de inscrição. A organização reserva-se no direito de escolher os candidatos que considerar de maior interesse; 9. No que diz respeito aos participantes com lojas e/ou pontos de venda e/ou exposição localizados no território anteriormente especificado no artigo 1º ponto 4 alínea a), está autorizada a venda apenas dos produtos comercializados nestes espaços. 10. Além da obrigatoriedade do cumprimento das características dos produtos referidos no artigo 4º ponto 9, obriga o presente regulamento que os lugares de venda/exposição contem com a presença durante a feira dos responsáveis pelos negócios em feira, ou de alguém ocasionalmente em sua representação direta, de modo a proporcionar ao público a oportunidade de um contacto direto com o comerciante das peças; 11. Os participantes que não tenham loja e/ou ponto de venda e/ou exposição localizados no território anteriormente especificado no artigo 1º ponto 4 alínea a), só podem apresentar na feira os produtos que propuseram na inscrição. A organização reserva-se no direito de mandar retirar produtos que não tenham sido apreciados previamente pela mesma e que não sejam compatíveis com o âmbito da iniciativa; 12. O recibo correspondente ao comprovativo de pagamento à entidade RDC constitui uma inscrição pessoal e intransmissível, válida unicamente para cada edição da feira; 13. A razão de distribuição dos lugares dos participantes é da responsabilidade exclusiva da organização. Em cada edição da feira pretende-se uma disposição dos lugares rotativa, de forma a permitir uma equidade de oportunidades e valências das diferentes bancas na relação espaço ponto de venda/cliente; 14. Os lugares a que se referem as alíneas anteriores são atribuídos apenas pelo período correspondente a cada edição da Feira;

4 15. Em nenhuma circunstância será permitida a participação de projectos e produtos não inscritos; 16. Em caso de desistência de algum participante, ou caso não tenham sido preenchidas todas as vagas durante o período de inscrição, a organização reserva-se no direito de aceitar candidaturas e o pagamento das taxas de inscrição fora do período mencionado no artigo 4º ponto 1 e ponto 3; 17. A RDC fica obrigada a enviar mensalmente à JFM, até ao máximo de quinze dias após a edição de cada feira, a listagem de inscrições correspondentes a cada um dos meses, bem como a descrição da relação dos participantes na mesma. Artigo 5º Desistências 1.O participante deverá comunicar à entidade RDC, com 5 dias de antecedência, a desistência da feira. Caso o comunique com antecedência inferior ou não compareça no dia, a devolução do valor de inscrição não é obrigatória. Artigo 6º Deveres dos participantes 1. A montagem da banca e carregamento de material tem que ser feita obrigatoriamente nos 60 minutos imediatamente anteriores à abertura da feira; 2. A desmontagem da banca e o carregamento de material tem que ser feita obrigatoriamente nos 60 minutos imediatamente posteriores ao encerramento da feira; 3. Para além dos diplomas legais e regulamentos aplicáveis, os participantes ficam especialmente obrigados ao cumprimento das regras constantes do Regulamento Geral das Feiras do Concelho de Lisboa em vigor, com particular atenção ao disposto no artigo 9º do referido Regulamento; 4. Ficam ainda obrigados a: a) Fazer com que os locais de exposição obedeçam à imagem padronizada, igual para todos os participantes. Os produtos serão expostos exclusivamente em bancas cedidas pela organização da feira. Estas bancas só serão cobertas com panos e/ou tecidos, sob autorização expressa da organização. A proteção contra intempéries das bancas com toldos e/ou acessórios como guardasóis também estão sujeitos a autorização prévia da organização, sendo que todos estes equipamentos devem encontrar-se sempre em bom estado de conservação e reger-se por um mínimo de harmonia estética devidamente enquadrada na identidade da Feira; b) Cumprir o horário da montagem e desmontagem das bancas, sob pena de se não o cumprirem, poder ser-lhes negada a oportunidade de participarem na edição em curso da feira bem como em edições futuras;

5 c) Ter a banca /expositor pronto no horário de começo da feira, tendo que acomodar o stock ou outros objetos devidamente arrumados em local não visível; d) Não fazer buracos no chão, pendurar, colocar, expor nenhum tipo de objetos fora dos limites da banca. c) Pagar antecipadamente as taxas de inscrição à entidade organizadora e gestora da Feira no prazo estipulado pela mesma; d) Ser portadores, durante a feira, do recibo do pagamento/taxa de inscrição válida e apresentálo para consulta aos representantes da entidade RDC, sempre que solicitados; e) Cumprir as disposições legais e regulamentares aplicáveis à sua atividade e aos produtos que comercializa, informando-se se necessário, junta das entidades fiscalizadoras competentes, nomeadamente Técnico Oficial de Contas, ASAE, e DGAE; f) Zelar para que os seus produtos não estejam expostos no solo, exceto em situações especiais devidamente autorizadas pela organização; g) Manter limpos os espaços utilizados na feira, durante e após o funcionamento da mesma; h) Respeitar o espaço comum, não estacionando as viaturas para carga /descarga em lugares impróprios, indevidamente ou em segunda fila; i) Colocar todo o lixo em local apropriado, devendo a limpeza e higiene do local ser preservada e devidamente mantida, sob responsabilidade individual e coletiva dos participantes; Artigo 7º Horário de funcionamento 1. A feira ocorre mensalmente, no primeiro sábado de cada mês, entre as 10h e as 18h de Outubro a Março, e entre as 10h e as 20h de Abril a Setembro; 2. Sem prejuízo do estipulado no nº anterior, pode haver lugar a alteração de horário, mediante interesse estratégico ocasional da organização, desde que tal alteração tenha o acordo expresso da JFM. Artigo 8º Pagamento de Inscrição 1. Para comerciantes/artesãos e/ou responsáveis pelos negócios criativos compreendidos no território (segundo o artigo 1º ponto 4 alínea a) do presente regulamento a participação na feira fica dependente do pagamento prévio da taxa de inscrição de 5 (cinco euros) ;

6 2. Para comerciantes/artesãos e/ou responsáveis pelos negócios criativos compreendidos fora do território (segundo o artigo 1º ponto 4 alínea a) do presente regulamento) a participação na feira fica dependente do pagamento prévio da taxa de inscrição de 10 (dez euros) ; 3. As taxas deverão ser pagas mensalmente, e por opção do participante, até 5 dias úteis antes da feira por transferência bancária para o NIB O pagamento só é considerado válido quando envio do comprovativo do mesmo para o 4.A organização enviará sempre um de confirmação da recepção; 5. Apenas em caso de cancelamento da feira por parte da organização, o valor da inscrição será devolvido na sua totalidade; 6. Pela utilização do lugar na Feira, os participantes estão isentos do pagamento de qualquer taxa de ocupação do espaço público, enquanto vigorar a isenção por parte da JFM. Artigo 9º Faltas 1.As faltas dos participantes devem ser comunicadas à entidade organizadora RDC com antecedência mínima de 5 dias; Artigo 10º Produtos Interditos e Venda de Alimentos e Géneros Alimentícios 1. A venda na feira de produtos não autorizados, ou legalmente proibidos, implica a cessação de ocupação e a apreensão dos mesmos pelas autoridades competentes; 2. A venda de alimentos e géneros alimentícios, para além do cumprimento do estabelecido noutros diplomas legais ou regulamentares, tem de respeitar escrupulosamente as exigências estabelecidas os termos de higiene, saúde e segurança alimentar conforme o disposto no Regulamento Geral das Feiras do Concelho de Lisboa. Artigo 11º Incumprimento e Sanções 1. Compete à organização zelar pelo cumprimento deste regulamento;

7 2. Sem prejuízo da responsabilidade civil ou penal aplicável, o participante que viole as normas do presente regulamento poderá ficará impedido de participar noutras edições da Feira Vizinha; 3. O não cumprimento das normas do presente regulamento, das restantes normas aplicáveis ao setor e das demais sanções nos diplomas legais e regulamentares aplicáveis, poderá originar procedimento contra-ordenacional, a instruir pelas demais entidades competentes; 4.O desrespeito pelas regras de participação e pelas instruções da organização podem levar à expulsão do participante no decorrer do evento. O participante não pode exigir, neste caso específico, qualquer tipo de indemnização ou reembolso da quantia paga. Artigo 12º Integração e lacunas e interpretação 1. Em tudo o que não estiver previsto no presente regulamento, regem as disposições legais aplicáveis do Regulamento Geral das Feiras do Concelho de Lisboa em vigor e do disposto no Decreto-Lei nº42/2008, de 10 de Março; 2. As dúvidas suscitadas na interpretação deste regulamento e a resolução de casos omissos são resolvidos, por despacho do responsável do Pelouro da Economia Local da JFM, sob audiência requerida pela organização da Feira Vizinha. Artigo 13º Entrada em vigor O presente regulamento entra em vigor imediatamente a seguir à celebração do Protocolo de Parceria entre a RDC e a JFM.

8 ANEXO I PLANTA DA FEIRA

9 ANEXO II FICHA DE CANDIDATURA FEIRA Formulário Inscrição participantes que tenham loja e/ou ponto de venda localizados no território especificado no artigo 1º ponto 4 alínea a) O de candidatura à participação na feira, será apenas considerado, caso apresente as seguintes informações: 1. Nome loja e/ou ponto de venda; 2. Morada da loja e/ou ponto de venda: 3. Responsável pela loja e/ou ponto de venda; 4. Responsável por representar a loja e/ou ponto de venda na feira; 5. Número de contribuinte (para envio de recibo); 6. Contacto telefónico do responsável por representar a loja e/ou ponto de venda na feira; 7. Descrição breve dos produtos que pretende expor e/ou vender na feira. Formulário Inscrição participantes que não tenham loja e/ou ponto de venda localizados no território especificado no artigo 1º ponto 4 alínea a) O de candidatura à participação na feira, será apenas considerado, caso apresente as seguintes informações: 1. Nome do projecto e/ou negócio; 2. Responsável pelo projecto e/ou negócio; 3. Responsável por representar o projecto e/ou negócio na feira; 4. Número de contribuinte (para envio de recibo); 5. Contacto telefónico do responsável por representar a loja e/ou ponto de venda na feira; 6. Descrição breve e clara dos produtos que pretende expor e/ou vender na feira; 7. Link de página web e/ou facebook do projecto e/ou negócio (caso exista); 8. Envio de fotografias dos produtos que pretende expor e/ou vender na feira. Caso esta informação tenha sido clara na resposta aos pontos 6 e 7, o envio de fotografias é facultativo.

Regulamento da Feira de Artesanato e Velharias do Príncipe Real

Regulamento da Feira de Artesanato e Velharias do Príncipe Real Junta de Freguesia da Misericórdia Regulamento da Feira de Artesanato e Velharias do Príncipe Real NIF: 510 833 349 E-mail geral@jf-misericordia.pt Telefone 213 425 982 Fax: 213 477 497 R E G U L A M E

Leia mais

REGULAMENTO FEIRA DO LIVRO PORTO 2015 I ORGANIZAÇÃO

REGULAMENTO FEIRA DO LIVRO PORTO 2015 I ORGANIZAÇÃO REGULAMENTO FEIRA DO LIVRO PORTO 2015 I ORGANIZAÇÃO Artigo 1.º Âmbito 1. A Feira do Livro do Porto integra um espaço de venda de publicações cuja organização compete à Porto Lazer E.M. e um Festival Literário

Leia mais

MUNICIPIO DE ALPIARÇA ALPIAGRA 2014 FEIRA AGRÍCOLA E COMERCIAL DE ALPIARÇA NORMAS

MUNICIPIO DE ALPIARÇA ALPIAGRA 2014 FEIRA AGRÍCOLA E COMERCIAL DE ALPIARÇA NORMAS MUNICIPIO DE ALPIARÇA ALPIAGRA 2014 FEIRA AGRÍCOLA E COMERCIAL DE ALPIARÇA NORMAS A Alpiagra Feira Agrícola e Comercial de Alpiarça é uma organização da Câmara Municipal de Alpiarça. Artigo 1º (Condições

Leia mais

REGULAMENTO DA FEIRA DE VIATURAS USADAS DE AZAMBUJA

REGULAMENTO DA FEIRA DE VIATURAS USADAS DE AZAMBUJA MUNICÍPIO DE AZAMBUJA REGULAMENTO DA FEIRA DE VIATURAS USADAS DE AZAMBUJA Aprovado por deliberação da Assembleia Municipal de 28 de Junho de 2011. Publicado pelo Edital n.º 118/2011. Em vigor desde 19

Leia mais

MUNICÍPIO DE ALCANENA CÂMARA MUNICIPAL. Regulamento Cartão Sénior Municipal

MUNICÍPIO DE ALCANENA CÂMARA MUNICIPAL. Regulamento Cartão Sénior Municipal Regulamento Cartão Sénior Municipal Artigo 1º Objeto 1- O Cartão Sénior Municipal é um cartão emitido pela Câmara Municipal de Alcanena que tem como destinatários os cidadãos residentes no concelho de

Leia mais

NORMAS DE FUNCIONAMENTO DA FEIRA ANUAL DE SÃO JOÃO 2016

NORMAS DE FUNCIONAMENTO DA FEIRA ANUAL DE SÃO JOÃO 2016 NORMAS DE FUNCIONAMENTO DA FEIRA ANUAL DE SÃO JOÃO 2016 I DISPOSIÇÕES GERAIS 1.º Data e Eventos Entre os dias 22 e 26 de junho de 2016, realizar-se-á no Parque Municipal de Exposições da Lousã e ruas envolventes,

Leia mais

Regulamento da 1ª Mostra/Venda Ordem para Criar!

Regulamento da 1ª Mostra/Venda Ordem para Criar! Regulamento da 1ª Mostra/Venda Ordem para Criar! (escultura, pintura, fotografia, instalação, vídeo, joalharia, moda,...) Armazém das Artes 1,2,3 e 4 de Dezembro de 2011 quinta-feira, sexta-feira, sábado

Leia mais

CÂMARA DO COMÉRCIO E INDÚSTRIA DE PONTA DELGADA. Rua Ernesto do Canto, 13/15 9504-531 PONTA DELGADA AÇORES

CÂMARA DO COMÉRCIO E INDÚSTRIA DE PONTA DELGADA. Rua Ernesto do Canto, 13/15 9504-531 PONTA DELGADA AÇORES CÂMARA DO COMÉRCIO E INDÚSTRIA DE PONTA DELGADA Rua Ernesto do Canto, 13/15 9504-531 PONTA DELGADA AÇORES E-MAIL: ccipd@ccipd.pt TEL. 296 30 50 00 FAX 296 30 50 50/30 50 40 ASSUNTO: CHEQUE PRENDA Exmo(s).

Leia mais

Prove Viseu Dão Lafões 2014

Prove Viseu Dão Lafões 2014 Prove Viseu Dão Lafões 2014 FICHA DE INSCRIÇÃO ORGANIZAÇÃO APOIO INSTITUCIONAL CO-FINANCIAMENTO 1/3 Prove Viseu Dão Lafões 2014 1. CALENDÁRIO HORÁRIO DO EVENTO 4 julho / 18:00 24:00 5 julho / 12:00 24:00

Leia mais

Festas do Barreiro 2015. Normas de Funcionamento da Mostra Empresarial e Institucional

Festas do Barreiro 2015. Normas de Funcionamento da Mostra Empresarial e Institucional Festas do Barreiro 2015 Normas de Funcionamento da Mostra Empresarial e Institucional As presentes normas de funcionamento dispõem sobre as regras da Mostra Empresarial e Institucional 2015, adiante designada

Leia mais

PROGRAMA RESPONSABILIDADE SOCIAL EDUCAÇÃO. Regulamento do Programa de Bolsas de Educação. Introdução

PROGRAMA RESPONSABILIDADE SOCIAL EDUCAÇÃO. Regulamento do Programa de Bolsas de Educação. Introdução PROGRAMA RESPONSABILIDADE SOCIAL EDUCAÇÃO Regulamento do Programa de Bolsas de Educação Introdução Considerando a importância e oportunidade do Programa de Responsabilidade Social do Comité Olímpico de

Leia mais

REGRAS DE PARTICIPAÇÃO

REGRAS DE PARTICIPAÇÃO REGRAS DE PARTICIPAÇÃO 1. Condições de Participação 1. Realiza-se a 26, 27 e 28 de Junho de 2015 a recriação histórica designada Os Piratas ; 2. Podem participar no certame, artesãos e mercadores individuais,

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DOS CAMPOS DE FÉRIAS DA LIPOR

REGULAMENTO INTERNO DOS CAMPOS DE FÉRIAS DA LIPOR REGULAMENTO INTERNO DOS CAMPOS DE FÉRIAS DA LIPOR 1 1. Considerações Gerais A Lipor, Serviço Intermunicipalizado de Gestão de Resíduos do Grande Porto, com sede em Baguim do Monte, concelho de Gondomar,

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DOS CAMPOS DE FÉRIAS DA LIPOR

REGULAMENTO INTERNO DOS CAMPOS DE FÉRIAS DA LIPOR FÉRIAS DA LIPOR 1. Considerações Gerais A Lipor, Serviço Intermunicipalizado de Gestão de Resíduos do Grande Porto, com sede em Baguim do Monte, concelho de Gondomar, realiza atividades de promoção e organização

Leia mais

ÍNDICE. 1 Disposições Gerais...3. 2 Ensino Básico...4. 3 Ensino Secundário...5. 4 Alunos Portadores de Deficiência...7

ÍNDICE. 1 Disposições Gerais...3. 2 Ensino Básico...4. 3 Ensino Secundário...5. 4 Alunos Portadores de Deficiência...7 MUNICÍPIO DE VILA FRANCA DE XIRA TRANSPORTES ESCOLARES NORMAS DE PROCEDIMENTO CANDIDATURA AO SUBSÍDIO DE TRANSPORTE ÍNDICE 1 Disposições Gerais...3 2 Ensino Básico...4 3 Ensino Secundário...5 4 Alunos

Leia mais

A V I S O nº 3/2015 SORTEIO Nº 2/JFM/2015 LUGARES PARA VENDA DE PRODUTOS NA FEIRA DE ARTESANATO E VELHARIAS DO PRÍNCIPE REAL

A V I S O nº 3/2015 SORTEIO Nº 2/JFM/2015 LUGARES PARA VENDA DE PRODUTOS NA FEIRA DE ARTESANATO E VELHARIAS DO PRÍNCIPE REAL A V I S O nº 3/2015 SORTEIO Nº 2/JFM/2015 LUGARES PARA VENDA DE PRODUTOS NA FEIRA DE ARTESANATO E VELHARIAS DO PRÍNCIPE REAL Avisam-se todos os interessados que entre os dias 30 de Março e 24 de Abril

Leia mais

PROGRAMA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES EDUCATIVAS - 2ºCICLO

PROGRAMA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES EDUCATIVAS - 2ºCICLO REGULAMENTO INTERNO PROGRAMA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES EDUCATIVAS - 2ºCICLO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. FILIPA DE LENCASTRE Artigo 1º Finalidade O presente Regulamento tem por finalidade estabelecer as

Leia mais

MANUAL EXPOSITOR Última revisão: 31 de julho de 2015

MANUAL EXPOSITOR Última revisão: 31 de julho de 2015 MANUAL EXPOSITOR Última revisão: 31 de julho de 2015 1 ORGANIZAÇÃO A administração integral do certame encontra-se a cargo da AGROS União das Cooperativas de Produtores de Leite de Entre Douro e Minho

Leia mais

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014. Série. Número 27

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014. Série. Número 27 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014 Série Sumário SECRETARIA REGIONAL DA EDUCAÇÃO E RECURSOS HUMANOS Portaria n.º 16/2014 Aprova o Regulamento do Programa Jovem

Leia mais

OCUPAÇÃO CIENTÍFICA DE JOVENS NAS FÉRIAS

OCUPAÇÃO CIENTÍFICA DE JOVENS NAS FÉRIAS OCUPAÇÃO CIENTÍFICA DE JOVENS NAS FÉRIAS 2015 REGULAMENTO Artigo 1º Âmbito e Enquadramento A Ciência Viva Agência Nacional para a Cultura Científica e Tecnológica promove o programa Ocupação Científica

Leia mais

Feira de Atividades Económicas e Produtos Locais. Normas de funcionamento 2015

Feira de Atividades Económicas e Produtos Locais. Normas de funcionamento 2015 Feira de Atividades Económicas e Produtos Locais Normas de funcionamento 2015 Feira Atividades Económicas e Produtos Locais Normas de funcionamento - 07 08 09 10 Agosto 2015 DISPOSIÇÕES GERAIS Objetivo

Leia mais

PROJETO DE REGULAMENTO DE CONCESSÃO DE INCENTIVOS AO INVESTIMENTO. Preâmbulo

PROJETO DE REGULAMENTO DE CONCESSÃO DE INCENTIVOS AO INVESTIMENTO. Preâmbulo PROJETO DE REGULAMENTO DE CONCESSÃO DE INCENTIVOS AO INVESTIMENTO Preâmbulo A elaboração do presente Regulamento tem como objetivo criar um conjunto de regras e princípios que permitam dotar o Município

Leia mais

REGULAMENTO DE CONCESSÃO DE INCENTIVOS AO INVESTIMENTO

REGULAMENTO DE CONCESSÃO DE INCENTIVOS AO INVESTIMENTO REGULAMENTO DE CONCESSÃO DE INCENTIVOS AO INVESTIMENTO Considerando que os Municípios dispõem de atribuições no domínio da promoção do desenvolvimento, de acordo com o disposto na alínea n) do n.º 1 do

Leia mais

Componente de Apoio à Família

Componente de Apoio à Família Capítulo 056 Componente de Apoio à Família MR.003.01.Vers.1.0.a Página 1 de 11 Conteúdo 1. Introdução... 3 2. Planeamento e organização... 3 3. Funcionamento... 4 3.1. Períodos da CAF... 4 3.2. Horários

Leia mais

Prémio de Jornalismo Hospital Veterinário Montenegro. Regulamento

Prémio de Jornalismo Hospital Veterinário Montenegro. Regulamento Prémio de Jornalismo Hospital Veterinário Montenegro Regulamento 2ª Edição, Novembro de 2011 Prémio de Jornalismo Hospital Veterinário Montenegro 2ª Edição Novembro de 2011 Regulamento Artigo 1º Objectivo

Leia mais

REGULAMENTO DE CONCESSÃO DE INCENTIVOS AO INVESTIMENTO. Nota Justificativa

REGULAMENTO DE CONCESSÃO DE INCENTIVOS AO INVESTIMENTO. Nota Justificativa Regulamento de Concessão de Incentivos ao Investimento REGULAMENTO DE CONCESSÃO DE INCENTIVOS AO INVESTIMENTO Nota Justificativa A elaboração do presente Regulamento tem como objetivo criar um conjunto

Leia mais

REGULAMENTO DO CARTÃO JOVEM ConVida DO MUNICÍPIO DE SANTO TIRSO. Nota Justificativa

REGULAMENTO DO CARTÃO JOVEM ConVida DO MUNICÍPIO DE SANTO TIRSO. Nota Justificativa REGULAMENTO DO CARTÃO JOVEM ConVida DO MUNICÍPIO DE SANTO TIRSO Nota Justificativa O cartão Jovem ConVida do Município de Santo Tirso é uma iniciativa desta autarquia, que visa proporcionar aos jovens

Leia mais

PROJECTO DE REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DO CARTÃO MUNICIPAL DO DEFICIENTE

PROJECTO DE REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DO CARTÃO MUNICIPAL DO DEFICIENTE PROJECTO DE REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DO CARTÃO MUNICIPAL DO DEFICIENTE NOTA JUSTIFICATIVA Art.º 1.º DEFINIÇÃO No âmbito das actividades de interesse municipal, compete às câmaras municipais prestar apoio

Leia mais

REGULAMENTO DA II CREDIART FEIRA INTEGRADA DE CRÉDITO E ARTESANATO

REGULAMENTO DA II CREDIART FEIRA INTEGRADA DE CRÉDITO E ARTESANATO REGULAMENTO DA II CREDIART FEIRA INTEGRADA DE CRÉDITO E ARTESANATO A Superintendência de Fundos, Investimentos e Incorporações (SFI), no uso de suas atribuições conferidas pelo Regimento Interno, bem como

Leia mais

ARRENDAMENTO DO RESTAURANTE-BAR, NO RAMO DE ESTABELECIMENTO DE RESTAURAÇÃO, SITO NA PISCINA MUNICIPAL, RUA DR. EDMUNDO CURVELO, EM ARRONCHES

ARRENDAMENTO DO RESTAURANTE-BAR, NO RAMO DE ESTABELECIMENTO DE RESTAURAÇÃO, SITO NA PISCINA MUNICIPAL, RUA DR. EDMUNDO CURVELO, EM ARRONCHES 1 ARRENDAMENTO DO RESTAURANTE-BAR, NO RAMO DE ESTABELECIMENTO DE RESTAURAÇÃO, SITO NA PISCINA MUNICIPAL, RUA DR. EDMUNDO CURVELO, EM ARRONCHES CADERNO DE ENCARGOS Artigo 1.º Objeto A Câmara Municipal de

Leia mais

KEY Centro de Formação, Lda. Regulamento de Funcionamento da Formação

KEY Centro de Formação, Lda. Regulamento de Funcionamento da Formação Regulamento de Funcionamento da Formação KEY Centro de Formação, Lda. Regulamento de Funcionamento da Formação Página 2 de 12 ÍNDICE 1. ENQUADRAMENTO... 3 2. REQUISITOS DE ACESSO E FORMAS DE INSCRIÇÃO...

Leia mais

Regulamento da Acção Promocional Ganhe 250 para tratamentos dentários por semana

Regulamento da Acção Promocional Ganhe 250 para tratamentos dentários por semana Regulamento da Acção Promocional Ganhe 250 para tratamentos dentários por semana 1- Entidade responsável e objecto da promoção A COLGATE-PALMOLIVE UNIPESSOAL, LDA., com sede no Lagoas Park, Edifício 15,

Leia mais

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA FORMAÇÃO

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA FORMAÇÃO REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA FORMAÇÃO O presente Regulamento pretende enquadrar as principais regras e linhas de orientação pelas quais se rege a atividade formativa da LEXSEGUR, de forma a garantir

Leia mais

BIBLIOTECA MUNICIPAL DE NISA. - Normas de Funcionamento -

BIBLIOTECA MUNICIPAL DE NISA. - Normas de Funcionamento - BIBLIOTECA MUNICIPAL DE NISA - Normas de Funcionamento - 1º - Definição A Biblioteca Municipal de Nisa é um equipamento cultural da Câmara Municipal de Nisa, estando ao dispor de toda a população, sem

Leia mais

Regulamento de utilização da Biblioteca

Regulamento de utilização da Biblioteca Regulamento de utilização da Biblioteca REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DA BIBLIOTECA A Biblioteca do atmosfera m é um local dedicado à leitura e consulta de documentos e constitui uma das valências que o Montepio

Leia mais

"CONCURSO PÚBLICO PARA EXPLORAÇÃO TEMPORÁRIA DE LOJAS, LOCALIZADAS NO MERCADO MUNICIPAL DE AREIAS DE SÃO JOÃO, EM ALBUFEIRA" CADERNO DE ENCARGOS

CONCURSO PÚBLICO PARA EXPLORAÇÃO TEMPORÁRIA DE LOJAS, LOCALIZADAS NO MERCADO MUNICIPAL DE AREIAS DE SÃO JOÃO, EM ALBUFEIRA CADERNO DE ENCARGOS "CONCURSO PÚBLICO PARA EXPLORAÇÃO TEMPORÁRIA DE LOJAS, LOCALIZADAS NO MERCADO MUNICIPAL DE AREIAS DE SÃO JOÃO, EM ALBUFEIRA" CADERNO DE ENCARGOS ARTIGO 1.º OBJETO O presente Caderno de Encargos diz respeito

Leia mais

DELIBERAÇÃO. Assim, o conselho diretivo do IMT, I.P., em reunião ordinária, realizada em 22 de fevereiro de 2013, delibera o seguinte:

DELIBERAÇÃO. Assim, o conselho diretivo do IMT, I.P., em reunião ordinária, realizada em 22 de fevereiro de 2013, delibera o seguinte: DELIBERAÇÃO CONTRATO DE GESTÃO DE CENTRO DE INSPEÇÃO DE VEÍCULOS A Lei n.º 11/2011, de 26 de abril, que estabelece o regime jurídico de acesso e permanência na atividade de inspeção técnica a veículos

Leia mais

S. R. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA DIREÇÃO-GERAL DO ENSINO SUPERIOR

S. R. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA DIREÇÃO-GERAL DO ENSINO SUPERIOR Regulamento de Formação Avançada e Qualificação de Recursos Humanos da Direção-Geral do Ensino Superior (Aprovado por despacho, de 15 de junho de 2012, do Presidente do Conselho Diretivo da Fundação para

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL DE CAMPOS DE FÉRIAS DE MANTEIGAS

REGULAMENTO MUNICIPAL DE CAMPOS DE FÉRIAS DE MANTEIGAS REGULAMENTO MUNICIPAL DE CAMPOS DE FÉRIAS DE MANTEIGAS Preâmbulo Considerando: As competências previstas nos artigos 112º e 241º da Constituição da República Portuguesa; O regime previsto no Decreto-Lei

Leia mais

Regulamento de Transportes Escolares. Preâmbulo

Regulamento de Transportes Escolares. Preâmbulo Regulamento de Transportes Escolares Preâmbulo O presente regulamento tem por objectivo definir e clarificar procedimentos no âmbito dos Transportes Escolares, nomeadamente, no que concerne aos apoios

Leia mais

REGULAMENTO CAMPOS DE FÉRIAS 2015 OBJETIVO

REGULAMENTO CAMPOS DE FÉRIAS 2015 OBJETIVO REGULAMENTO CAMPOS DE FÉRIAS 2015 OBJETIVO É objetivo dos Campos de Férias do Pony Club do Porto proporcionar iniciativas exclusivamente destinadas a crianças com idades compreendidas entre os 5 e os 12

Leia mais

VENDAS Á DISTÂNCIA. Decreto-Lei n.º 7/2004 de 07 01: Comércio Electrónico. Decreto-Lei n.º 24/2014 de 14-02: Vendas à Distância

VENDAS Á DISTÂNCIA. Decreto-Lei n.º 7/2004 de 07 01: Comércio Electrónico. Decreto-Lei n.º 24/2014 de 14-02: Vendas à Distância VENDAS Á DISTÂNCIA Enquadramento Legal Decreto-Lei n.º 7/2004 de 07 01: Comércio Electrónico Decreto-Lei n.º 24/2014 de 14-02: Vendas à Distância No que respeita à forma da contratação electrónica, estipula

Leia mais

JUNTA DE FREGUESIA DE ALCABIDECHE

JUNTA DE FREGUESIA DE ALCABIDECHE PROJETO REGULAMENTO DE LICENCIAMENTO DE ATIVIDADES DIVERSAS DA FREGUESIA NOTA JUSTIFICATIVA Nos termos do Decreto-lei n.º 204/2012, de 29 de Abril, conjugado com o nº 3 do artigo 16.º da Lei nº 75/2013,

Leia mais

1) São atividades próprias das agências de viagem e turismo: e) A recepção, transferência e assistência a turistas.

1) São atividades próprias das agências de viagem e turismo: e) A recepção, transferência e assistência a turistas. O conteúdo informativo disponibilizado pela presente ficha não substitui a consulta dos diplomas legais referenciados e da entidade licenciadora. FUNCHAL CAE 79110 AGÊNCIAS DE VIAGENS ÂMBITO: São agências

Leia mais

REGULAMENTO DO CARTÃO MORTÁGUA JOVEM NOTA JUSTIFICATIVA

REGULAMENTO DO CARTÃO MORTÁGUA JOVEM NOTA JUSTIFICATIVA REGULAMENTO DO CARTÃO MORTÁGUA JOVEM NOTA JUSTIFICATIVA Um dos desígnios da Câmara Municipal de Mortágua é o de, através das suas competências, responder a necessidades reais sentidas pela camada mais

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL DE EXERCÍCIO DA ACTIVIDADE DE ARRUMADOR DE AUTOMÓVEIS

REGULAMENTO MUNICIPAL DE EXERCÍCIO DA ACTIVIDADE DE ARRUMADOR DE AUTOMÓVEIS REGULAMENTO MUNICIPAL DE EXERCÍCIO DA ACTIVIDADE DE ARRUMADOR DE AUTOMÓVEIS (Aprovado na 24ª Reunião Ordinária de Câmara Municipal realizada em 16 de Dezembro de 2003, na 2ª Reunião da 5ª Sessão Ordinária

Leia mais

FESTIVAL DA RAINHA II feira medieval de Estremoz

FESTIVAL DA RAINHA II feira medieval de Estremoz FESTIVAL DA RAINHA II feira medieval de Estremoz CONDIÇÕES GERAIS DE PARTICIPAÇÃO Artigo 1.º Organização 1. O Município de Estremoz e a Escola Secundária da Rainha Santa Isabel de Estremoz (Curso Técnico

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DE PARTICIPAÇÃO

CONDIÇÕES GERAIS DE PARTICIPAÇÃO No ano de 2015 em que o PCG PLANETÁRIO CALOUSTE GULBENKIAN celebra o seu quinquagésimo aniversário, irá decorrer a exposição 50 Anos, 50 Artistas Um olhar sobre o Planetário regulada pelo presente diploma.

Leia mais

1. Objecto e âmbito de aplicação

1. Objecto e âmbito de aplicação As presentes Condições Gerais de Contratação são acordadas entre a Lusodidacta Sociedade Portuguesa de Material Didáctico, Lda, com o número de pessoa colectiva e matrícula na Conservatória do Registo

Leia mais

PROTOCOLO FINANCEIRO ENTRE A CGD E O ICAM A FAVOR DO SECTOR DO CINEMA

PROTOCOLO FINANCEIRO ENTRE A CGD E O ICAM A FAVOR DO SECTOR DO CINEMA PROTOCOLO FINANCEIRO ENTRE A CGD E O ICAM A FAVOR DO SECTOR DO CINEMA Considerando: A importância do sector do Cinema como vector de dinamização das expressões artísticas e de contribuição para o desenvolvimento

Leia mais

Regulamento de Utilização dos Auditórios, Sala do Senado e Átrio

Regulamento de Utilização dos Auditórios, Sala do Senado e Átrio Regulamento de Utilização dos Auditórios, Sala do Senado e Átrio Reitoria da NOVA www.unl.pt ÍNDICE I PRINCÍPIOS GERAIS 2 II - CAPACIDADE 2 III MATERIAL DE APOIO 2 IV - ÁTRIO 4 V - CATERING 4 VI EXPOSIÇÕES

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE FIDELIZAÇÃO DO CARTÃO ZILIAN PROPRIEDADE E EMISSÃO

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE FIDELIZAÇÃO DO CARTÃO ZILIAN PROPRIEDADE E EMISSÃO REGULAMENTO DO PROGRAMA DE FIDELIZAÇÃO DO CARTÃO ZILIAN PROPRIEDADE E EMISSÃO 1. O CARTÃO ZILIAN é válido nos estabelecimentos comerciais Zilian, pertencentes ao Grupo Mar Capital, SGPS, SA, adiante designados

Leia mais

REGULAMENTO DOS CAMPOS DE FÉRIAS DO MUNICÍPIO DE VILA POUCA DE AGUIAR

REGULAMENTO DOS CAMPOS DE FÉRIAS DO MUNICÍPIO DE VILA POUCA DE AGUIAR REGULAMENTO DOS CAMPOS DE FÉRIAS DO MUNICÍPIO DE VILA POUCA DE AGUIAR MUNICÍPIO DE REGULAMENTO DOS CAMPOS DE FÉRIAS ORGANIZADOS PELO MUNICÍPIO DE VILA POUCA DE AGUIAR PREÂMBULO A organização de campos

Leia mais

REGULAMENTO DE LICENCIAMENTO DE ATIVIDADES DIVERSAS

REGULAMENTO DE LICENCIAMENTO DE ATIVIDADES DIVERSAS REGULAMENTO DE LICENCIAMENTO DE ATIVIDADES DIVERSAS Índice Preâmbulo 3 Página Capítulo I Âmbito e objeto 3 Artigo 1.º - Âmbito e objeto 3 Artigo 2.º - Acesso e exercício das atividades 3 Capítulo II -

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL CARTÃO DO IDOSO

REGULAMENTO MUNICIPAL CARTÃO DO IDOSO REGULAMENTO MUNICIPAL CARTÃO DO IDOSO ÍNDICE Preâmbulo Artigo 1.º - Âmbito Artigo 2.º - Objetivo Artigo 3.º - Condições de Atribuição Artigo 4.º - Organização Processual Artigo 5.º - Benefícios do Cartão

Leia mais

JUNTA DE FREGUESIA DE SÃO VICENTE (REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA) REGULAMENTO DE LICENCIAMENTO DE ATIVIDADES DIVERSAS DA FREGUESIA DE SÃO VICENTE

JUNTA DE FREGUESIA DE SÃO VICENTE (REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA) REGULAMENTO DE LICENCIAMENTO DE ATIVIDADES DIVERSAS DA FREGUESIA DE SÃO VICENTE JUNTA DE FREGUESIA DE SÃO VICENTE (REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA) REGULAMENTO DE LICENCIAMENTO DE ATIVIDADES DIVERSAS DA FREGUESIA DE SÃO VICENTE Nota Justificativa Com a publicação da Lei n.º 75/2013, de

Leia mais

Proposta de adesão ao Programa de Comparticipação nos Cuidados de Saúde 2012

Proposta de adesão ao Programa de Comparticipação nos Cuidados de Saúde 2012 澳 門 衛 特 別 生 行 政 局 區 政 府 Governo da Região Administrativa de Macau Serviços de Saúde Proposta de adesão ao Programa de Comparticipação nos Cuidados de Saúde 2012 (1.ª Parte) Unidades Privadas de Saúde que

Leia mais

REGULAMENTO DO AUDITÓRIO DA CASA DO ESTUDANTE DA ASSOCIAÇÃO ACADÉMICA DA UNIVERSIDADE DE AVEIRO

REGULAMENTO DO AUDITÓRIO DA CASA DO ESTUDANTE DA ASSOCIAÇÃO ACADÉMICA DA UNIVERSIDADE DE AVEIRO Regulamento do Auditório da Casa do Estudante 2012 REGULAMENTO DO AUDITÓRIO DA CASA DO ESTUDANTE DA ASSOCIAÇÃO ACADÉMICA DA UNIVERSIDADE DE AVEIRO Preâmbulo O Auditório da Casa do Estudante constitui um

Leia mais

AVISO (20/GAOA/2015)

AVISO (20/GAOA/2015) AVISO (20/GAOA/2015) Humberto Fernando Leão Pacheco de Brito, Presidente da Câmara Municipal de Paços de Ferreira, submete a consulta pública, para recolha de sugestões, por um período de 30 dias, a contar

Leia mais

REGULAMENTO DAS FEIRAS URBANAS DE ARTESANATO, COLECIONISMO E ANTIGUIDADES. Preâmbulo

REGULAMENTO DAS FEIRAS URBANAS DE ARTESANATO, COLECIONISMO E ANTIGUIDADES. Preâmbulo REGULAMENTO DAS FEIRAS URBANAS DE ARTESANATO, COLECIONISMO E ANTIGUIDADES Preâmbulo A realização das feiras urbanas, como aquelas a que respeita o objeto do presente regulamento é já uma realidade em todo

Leia mais

PROCEDIMENTO POR NEGOCIAÇÃO, COM PUBLICAÇÃO PRÉVIA DE ANÚNCIO, PARA ARRENDAMENTO PARA A ACTIVIDADE DE RESTAURAÇÃO CADERNO DE ENCARGOS

PROCEDIMENTO POR NEGOCIAÇÃO, COM PUBLICAÇÃO PRÉVIA DE ANÚNCIO, PARA ARRENDAMENTO PARA A ACTIVIDADE DE RESTAURAÇÃO CADERNO DE ENCARGOS PROCEDIMENTO POR NEGOCIAÇÃO, COM PUBLICAÇÃO PRÉVIA DE ANÚNCIO, PARA ARRENDAMENTO PARA A ACTIVIDADE DE RESTAURAÇÃO CADERNO DE ENCARGOS CAPITULO I DISPOSIÇÕES GERAIS ARTIGO 1º Objeto O presente Procedimento

Leia mais

REGULAMENTO DO CARTÃO MUNICIPAL DO IDOSO

REGULAMENTO DO CARTÃO MUNICIPAL DO IDOSO REGULAMENTO DO CARTÃO MUNICIPAL DO IDOSO REGULAMENTO DO CARTÃO MUNICIPAL DO IDOSO Preâmbulo O Concelho de Portel, à semelhança da generalidade dos Concelhos do interior do país, tem uma parte significativa

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DE VENDA ONLINE WWW.ZILIANCHOOSE.COM. Artigo 1.º. (Âmbito e Definições)

CONDIÇÕES GERAIS DE VENDA ONLINE WWW.ZILIANCHOOSE.COM. Artigo 1.º. (Âmbito e Definições) CONDIÇÕES GERAIS DE VENDA ONLINE WWW.ZILIANCHOOSE.COM Artigo 1.º (Âmbito e Definições) 1 As presentes condições gerais regulam a venda, incluindo o registo e a encomenda, de produtos através da página/sítio

Leia mais

Regulamento Geral do Projeto Hortas da Vila

Regulamento Geral do Projeto Hortas da Vila Regulamento Geral do Projeto Hortas da Vila Preâmbulo O Presente Regulamento é elaborado no âmbito de uma parceria constituída entre a ADAE Associação de Desenvolvimento da Alta Estremadura, Município

Leia mais

ESPAÇOS COMERCIAIS NO MERCADO DO BAIRRO DO CONDADO

ESPAÇOS COMERCIAIS NO MERCADO DO BAIRRO DO CONDADO JUNTA DE FREGUESIA DE MARVILA CONCURSO PÚBLICO N / 2 ESPAÇOS COMERCIAIS NO MERCADO DO BAIRRO DO CONDADO Avisam-se todos os interessados que entre os dias de março e de abril de 2 se encontra aberto Concurso

Leia mais

GABINETE DO SECRETÁRIO PARA OS ASSUNTOS SOCIAIS E CULTURA 第 309 /2005 號 行 政 長 官 批 示 社 會 文 化 司 司 長 辦 公 室 第 114 /2005 號 社 會 文 化 司 司 長 批 示.

GABINETE DO SECRETÁRIO PARA OS ASSUNTOS SOCIAIS E CULTURA 第 309 /2005 號 行 政 長 官 批 示 社 會 文 化 司 司 長 辦 公 室 第 114 /2005 號 社 會 文 化 司 司 長 批 示. 956 澳 門 特 別 行 政 區 公 報 第 一 組 第 40 期 2005 年 10 月 3 日 獨 一 條 許 可 透 過 三 月 二 十 二 日 第 89/99/M 號 訓 令 而 獲 授 許 可 於 澳 門 設 立 分 支 公 司 以 經 營 一 般 保 險 業 務 的 Companhia de Seguros Fidelidade S.A., 中 文 名 稱 為 忠 誠 保 險 公 司,

Leia mais

Regulamento para a Concessão de Subsídios a Entidades e Organismos que Prossigam Fins de Interesse Público da Freguesia de Areeiro CAPÍTULO I

Regulamento para a Concessão de Subsídios a Entidades e Organismos que Prossigam Fins de Interesse Público da Freguesia de Areeiro CAPÍTULO I Regulamento para a Concessão de Subsídios a Entidades e Organismos que Prossigam Fins de Interesse Público da Freguesia de Areeiro CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1º Objecto O presente regulamento

Leia mais

Regulamento dos Cursos de Língua Estrangeira da Universidade de Trásos-Montes

Regulamento dos Cursos de Língua Estrangeira da Universidade de Trásos-Montes Regulamento dos Cursos de Língua Estrangeira da Universidade de Trásos-Montes e Alto Douro Artigo 1º Objeto O presente regulamento define um conjunto de normas e orientações dos Cursos de Língua Estrangeira

Leia mais

REGULAMENTO DOS TRANSPORTES ESCOLARES

REGULAMENTO DOS TRANSPORTES ESCOLARES REGULAMENTO DOS TRANSPORTES ESCOLARES A Câmara Municipal de Alpiarça, com a criação do presente Regulamento, pretende definir e clarificar procedimentos no âmbito dos Transportes Escolares, nomeadamente

Leia mais

Condições Gerais de Prestação do Serviço Telefónico Acessível ao Público num Local Fixo através de Cartão Virtual de Chamadas 1.

Condições Gerais de Prestação do Serviço Telefónico Acessível ao Público num Local Fixo através de Cartão Virtual de Chamadas 1. Condições Gerais de Prestação do Serviço Telefónico Acessível ao Público num Local Fixo através de Cartão Virtual de Chamadas da MEO - Serviços de Comunicações e Multimédia, S.A., com sede na Av. Fontes

Leia mais

MUNICÍPIO DO BARREIRO ASSEMBLEIA MUNICIPAL

MUNICÍPIO DO BARREIRO ASSEMBLEIA MUNICIPAL MUNICÍPIO DO BARREIRO ASSEMBLEIA MUNICIPAL EDITAL Nº 11/10 - - - Frederico Fernandes Pereira, Presidente da Assembleia Municipal do Barreiro, torna pública que, por deliberação deste órgão autárquico na

Leia mais

TASQUINHAS. Critérios de Atribuição ÂMBITO OBJECTIVOS LOCAL E HORÁRIO

TASQUINHAS. Critérios de Atribuição ÂMBITO OBJECTIVOS LOCAL E HORÁRIO TASQUINHAS Critérios de Atribuição ÂMBITO 1. A Câmara Municipal de Moura em colaboração com diversas entidades locais, pretende realizar a XI Feira Empresarial de Moura / IV Fórum das Energias Renováveis

Leia mais

REGULAMENTO. Fundação Porto Social. 12ª FEIRA DO MUNDO RURAL Na Quinta de Bonjóia. 5, 6 e 7 de junho de 2015

REGULAMENTO. Fundação Porto Social. 12ª FEIRA DO MUNDO RURAL Na Quinta de Bonjóia. 5, 6 e 7 de junho de 2015 REGULAMENTO 5, 6 e 7 de junho de 2015 12ª FEIRA DO MUNDO RURAL Na Fundação Porto Social Índice Capitulo I DISPOSIÇÕES GERAIS 1. OBJETO... 3 2. ORGANIZAÇÃO... 3 3. LOCALIZAÇÃO... 3 4. FUNCIONAMENTO... 3

Leia mais

2ª CORRIDINHA TURÍSTICA DE PIRACICABA

2ª CORRIDINHA TURÍSTICA DE PIRACICABA REGULAMENTO 2ª CORRIDINHA TURÍSTICA DE PIRACICABA O evento é uma realização da Construtora Cataguá, organizado pela Chelso Sports, com o apoio da Prefeitura Municipal de Piracicaba. 1. REGULAMENTO A largada

Leia mais

REGULAMENTO DE APOIO A INICIATIVAS EMPRESARIAIS ECONÓMICAS DE INTERESSE MUNICIPAL

REGULAMENTO DE APOIO A INICIATIVAS EMPRESARIAIS ECONÓMICAS DE INTERESSE MUNICIPAL REGULAMENTO DE APOIO A INICIATIVAS EMPRESARIAIS ECONÓMICAS DE INTERESSE MUNICIPAL Nota Justificativa O Município de Mirandela tem entendido como de interesse municipal as iniciativas empresariais de natureza

Leia mais

Como Vender em Alemanha Uma acção à medida dos seus interesses

Como Vender em Alemanha Uma acção à medida dos seus interesses Como Vender em Alemanha Uma acção à medida dos seus interesses Ficha de Inscrição Encontre a resposta às suas dúvidas! Identifique a sessão pretendida: Porto AICEP (Rua António Bessa Leite, 1430-2.º andar)

Leia mais

União das Freguesias de Real, Dume e Semelhe

União das Freguesias de Real, Dume e Semelhe REGULAMENTO DE PUBLICIDADE DE NATUREZA COMERCIAL EM EQUIPAMENTOS DESPORTIVOS DE ÂMBITO LOCAL Artigo 1.º Enquadramento jurídico O presente Regulamento rege-se pelo disposto no artigo 241º da Constituição

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO GOVERNO Resolução do Conselho do Governo n.º 14/2015 de 23 de Janeiro de 2015

PRESIDÊNCIA DO GOVERNO Resolução do Conselho do Governo n.º 14/2015 de 23 de Janeiro de 2015 PRESIDÊNCIA DO GOVERNO Resolução do Conselho do Governo n.º 14/2015 de 23 de Janeiro de 2015 Considerando os objetivos do Governo dos Açores em promover, na Região, um conhecimento especializado de temáticas

Leia mais

REGULAMENTO. Presenteador: É a pessoa física ou jurídica que adquire o VALE-VIAGEM CVC, mediante a compra direta de cargas de valores.

REGULAMENTO. Presenteador: É a pessoa física ou jurídica que adquire o VALE-VIAGEM CVC, mediante a compra direta de cargas de valores. REGULAMENTO A CVC BRASIL OPERADORA E AGÊNCIA DE VIAGENS S.A., o Presenteador e o Presenteado do VALE-VIAGEM CVC, a primeira, na qualidade de prestadora de serviços de turismo, e o segundo, aderindo às

Leia mais

MUNICÍPIO DE PALMELA CÂMARA MUNICIPAL

MUNICÍPIO DE PALMELA CÂMARA MUNICIPAL MUNICÍPIO DE PALMELA CÂMARA MUNICIPAL EDITAL Nº 09/DAF-DAG/2009 ----- ANA TERESA VICENTE CUSTÓDIO DE SÁ, na qualidade de Presidente da Câmara Municipal de Palmela: --------------------------------------------------------------------------

Leia mais

3 Direito de revogação do utilizador final no que diz respeito a contratos de venda à distância - Política de cancelamento

3 Direito de revogação do utilizador final no que diz respeito a contratos de venda à distância - Política de cancelamento I. Termos e Condições Gerais de Venda da MAGIX Software GmbH Estado: junho 2014 1 Âmbito de aplicação 1. Todas as entregas, serviços e ofertas da MAGIX Software GmbH (de ora avante denominada MAGIX ) são

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DE VENDA

CONDIÇÕES GERAIS DE VENDA CONDIÇÕES GERAIS DE VENDA As presentes Condições Gerais de Venda particularizadas abaixo (aqui designadas "condições gerais") determinam exclusivamente as relações contratuais entre todo cliente utilizador

Leia mais

Artigo 2º Cedência de instalações

Artigo 2º Cedência de instalações MANUAL INTERNO UTILIZAÇÃO DAS INSTALAÇÕES DESPORTIVAS Artigo 1º Disposições gerais 1. As Instalações Desportivas da escola EB André Soares têm como finalidade, para além da atividade letiva, a prestação

Leia mais

REGULAMENTO. Artigo 1º. Objeto e âmbito

REGULAMENTO. Artigo 1º. Objeto e âmbito REGULAMENTO O presente regulamento estabelece os procedimentos associados à medida «Passaporte para o Empreendedorismo», regulamentada pela Portaria n.º 370-A/2012, de 15 de novembro de 2012, estabelecida

Leia mais

REGULAMENTO OFICIAL 2º SÃO JOAQUIM RUN KIDS 2015

REGULAMENTO OFICIAL 2º SÃO JOAQUIM RUN KIDS 2015 REGULAMENTO OFICIAL 2º SÃO JOAQUIM RUN KIDS 2015 Capítulo I PROVA Artigo 1º. A 2º São Joaquim Run Kids 2015 Franca-SP ( CORRIDA ) será realizada no sábado, dia 25 de abril de 2015. Artigo 2º. A largada

Leia mais

ÍNDICE. 1 - Disposições Gerais...3. 2 - Ensino Básico...4. 3 - Ensino Secundário...4. 4 - Alunos com Necessidades Educativas Especiais...

ÍNDICE. 1 - Disposições Gerais...3. 2 - Ensino Básico...4. 3 - Ensino Secundário...4. 4 - Alunos com Necessidades Educativas Especiais... MUNICÍPIO DE VILA FRANCA DE XIRA NORMAS DE PROCEDIMENTO DE CANDIDATURA AO SUBSÍDIO DE TRANSPORTE ÍNDICE 1 - Disposições Gerais...3 2 - Ensino Básico...4 3 - Ensino Secundário...4 4 - Alunos com Necessidades

Leia mais

M U N I C Í P I O D E V A L E N Ç A C ÂM ARA MUNIC I PAL

M U N I C Í P I O D E V A L E N Ç A C ÂM ARA MUNIC I PAL REGULAMENTO MUNICIPAL DE ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO Nota justificativa Os municípios são autarquias locais que têm como objetivo primordial a prossecução dos interesses próprios e comuns dos respetivos

Leia mais

PROGRAMA NORMAS DE PARTICIPAÇÃO 2015

PROGRAMA NORMAS DE PARTICIPAÇÃO 2015 PROGRAMA NORMAS DE PARTICIPAÇÃO 2015 I DESTINATÁRIOS O Programa de Ocupação de Jovens, promovido pela Câmara Municipal de Cascais, através da Divisão de Promoção de Emprego (DPRE), destina-se a jovens

Leia mais

MUNICÍPIO DE MIRANDA DO DOURO. Férias ativas. Regulamento interno

MUNICÍPIO DE MIRANDA DO DOURO. Férias ativas. Regulamento interno MUNICÍPIO DE MIRANDA DO DOURO Férias ativas Regulamento interno PREÂMBULO No uso da competência prevista pelos artigos 112º, n.º 8, e 241º da Constituição da República Portuguesa, e conferida pela alínea

Leia mais

Gouvijovem. Programa de Apoio à Fixação de Jovens no Concelho de Gouveia. Regulamento

Gouvijovem. Programa de Apoio à Fixação de Jovens no Concelho de Gouveia. Regulamento Gouvijovem Programa de Apoio à Fixação de Jovens no Concelho de Gouveia Regulamento Gouvijovem Programa de Apoio à Fixação de Jovens no Concelho de Gouveia Regulamento Preâmbulo O Concelho de Gouveia vem

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTACIONAMENTO DO MUNÍCIPIO DE VILA NOVA DE GAIA

REGULAMENTO DE ESTACIONAMENTO DO MUNÍCIPIO DE VILA NOVA DE GAIA REGULAMENTO DE ESTACIONAMENTO DO MUNÍCIPIO DE VILA NOVA DE GAIA 2 Preâmbulo Considerando que o progressivo aumento do parque automóvel e, consequentemente, da procura de estacionamento para satisfação

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS E TERMOS DE UTILIZAÇÃO

CONDIÇÕES GERAIS E TERMOS DE UTILIZAÇÃO CONDIÇÕES GERAIS E TERMOS DE UTILIZAÇÃO AVISO AO UTILIZADOR Leia cuidadosamente este contrato. O acesso e uso desta plataforma implica, da sua parte uma aceitação expressa e sem reservas de todos os termos

Leia mais

Normas para aluguer de espaços na Mata Nacional do Buçaco Sumário

Normas para aluguer de espaços na Mata Nacional do Buçaco Sumário Normas para aluguer de espaços na Mata Nacional do Buçaco Sumário Introdução Reserva de Espaços Catering, decoração e animação musical Registo Fotográfico/Vídeo Danos/ Incidentes Cancelamentos / Preçários

Leia mais

REGULAMENTO FJC PORTO DE EMPREGO 2016

REGULAMENTO FJC PORTO DE EMPREGO 2016 1 2 REGULAMENTO FJC PORTO DE EMPREGO 2016 1 Data, Local e Horário O FJC Porto de Emprego realiza-se nos dias 1, 2 e 3 de março de 2016, na Faculdade de Economia da Universidade do Porto, localizada no

Leia mais

50 the International Paris Air Show

50 the International Paris Air Show Cluster Aeroespacial Nacional Pavilhão de Portugal 50 the International Paris Air Show Paris - Le Bourget 17 a 23 de Junho de 2013 www.salon-du-bourget.fr ENQUADRAMENTO e OBJECTIVO Na continuidade das

Leia mais

M A. Projeto Exposições 2010. Museu Universitário de Arte

M A. Projeto Exposições 2010. Museu Universitário de Arte M A Museu Universitário de Arte Projeto Exposições 2010 Termos para inscrições de artistas, curadores e demais interessados em participar do calendário de exposições do ano de 2010/2011 do Museu Universitário

Leia mais

Regulamento de Formação Inicial, Especializada, Contínua e Pós-Graduada

Regulamento de Formação Inicial, Especializada, Contínua e Pós-Graduada 1. Missão, Política e Estratégia da Entidade Num mundo em permanente mutação onde a investigação científica e o desenvolvimento das ciências ocupa um lugar determinante, a formação contínua ao longo da

Leia mais

ESCOLA DAS ARTES PROGRAMA ERASMUS ESTÁGIO REGULAMENTO

ESCOLA DAS ARTES PROGRAMA ERASMUS ESTÁGIO REGULAMENTO ESCOLA DAS ARTES PROGRAMA ERASMUS ESTÁGIO REGULAMENTO CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1º (Objeto) O presente regulamento rege a mobilidade internacional para estágio dos estudantes de Licenciatura

Leia mais

Normas Internas Lourinhã, maio de 2015

Normas Internas Lourinhã, maio de 2015 Normas Internas Lourinhã, maio de 2015 1 Introdução 1.1 A Incubadora Startup Lourinhã é uma iniciativa da Câmara Municipal da Lourinhã e localiza-se no, na Lourinhã. 1.2 As presentes Normas Internas destinam-se

Leia mais

Regulamento do Fórum Municipal da Juventude

Regulamento do Fórum Municipal da Juventude Regulamento do Fórum Municipal da Juventude Capitulo I Âmbito e Estrutura Artigo 1.º Lei habilitante O presente Regulamento do Fórum Municipal da Juventude, adiante também designado apenas por Regulamento,

Leia mais