ENERGIA DAS ONDAS: PANORÂMICA NACIONAL E INTERNACIONAL

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ENERGIA DAS ONDAS: PANORÂMICA NACIONAL E INTERNACIONAL"

Transcrição

1 Seminário sobre ENERGIA DOS OCEANOS, Peniche, 19 de Setembro de 2008 ENERGIA DAS ONDAS: PANORÂMICA NACIONAL E INTERNACIONAL António F. O. Falcão Instituto Superior Técnico

2 Uma caminhada de 35 anos : Salter & os patos 1976 Masuda & Kaimei Os teóricos pioneiros As primeiras CAO s Point absorbers na Escandinavia Meta: central de 2 GW Desde 2004 Os novos sistemas offshore 1996 WERATLAS 1991: UE apoia energia das ondas O programa 1975britânico CAOs na Europa

3 O VENTO E AS ONDAS vários km VENTO 20m ONDAS <200m O vento estende-se em altitude por vários km. Um parque eólico apenas explora uma ínfima parte do recurso. A maior parte da energia das ondas está concentrada perto da superfície. Um parque de ondas pode absorver uma grande parte do recurso. Tipicamente, o fluxo de energia por unidade de área vertical para ondas é cerca de 5 vezes maior do que para o vento. As ondas são uma forma de energia mais concentrada do que o vento.

4 TECNOLOGIAS DE ENERGIA DAS ONDAS Coluna de água oscilante (com turbina de ar) TAPCHAN Isolado: Pico, LIMPET Estrutura fixa Em quebra-mar: Sakata, Foz do Douro Estrutura flutuante: Mighty Whale, BBDB, Energetech/Oceanlinx Corpos oscilantes (com motor hidráulico, Turbina hidráulica, gerador eléctrico linear) AquaBuoy AWS Galgamento (com turbina hidráulica de baixa queda) FO3 Mighty Whale Sakata Flutuante Submerso Wavebob Estrutura fixa BBDB Essencialmente translação vertical: AquaBuoy, FO3, Wavebob, Power Buoy, Wave Star SSG Essencialmente rotação: Pelamis, SEAREV Pico Limpet Essencialmente translação vertical: AWS Energetech Power Buoy Rotação: WaveRoller, Oyster Wave Star Na costa (com concentração): TAPCHAN Pelamis Wave Dragon SEAREV Em quebramar (sem concentração): SSG Estrutura flutuante (com concentração): Wave Dragon Wave Roller Foz do Douro Oyster

5 A situação actual 1 Co-existência de diversas concepções básicas: Coluna de água oscilante (CAO) Pequenos sistemas oscilantes ( point absorbers ) Grandes sistemas oscilantes (multi-corpos) Sistemas de galgamento,... Muitos projectos (>50), de que um pequeno número ( 15?) atingiu ou está próximo da fase de protótipo. Há modos diferentes de eficazmente extrair energia das ondas. Ao contrário do eólico, não há tecnologia dominante. Convergência lenta para um pequeno número de concepções básicas?

6 Como na vida, sobreviverão os sistemas mais aptos numa luta Darwiniana pela sobrevivência no mercado. Ao fim de quanto tempo? Quais serão os vencedores? Coluna de água oscilante (com turbina de ar) Estrutura fixa Isolado: Pico, LIMPET Em quebra-mar: Sakata, Foz do Douro Estrutura flutuante: Mighty Whale, BBDB, Energetech/Oceanlinx Tempo geológico Corpos oscilantes (com motor hidráulico, Turbina hidráulica, gerador eléctrico linear) Flutuante Submerso Essencialmente translação vertical: AquaBuoy, FO3, Wavebob, Power Buoy, Wave Star Essencialmente rotação: Pelamis, SEAREV Essencialmente translação vertical: AWS Rotação: WaveRoller, Oyster Galgamento (com turbina hidráulica de baixa queda) Na costa (com concentração): TAPCHAN Estrutura fixa Em quebramar (sem concentração): SSG Estrutura flutuante (com concentração): Wave Dragon

7 Os equipamentos

8 A energia solar (período 24h) e a das marés (12h25m) são fontes intermitentes. A energia das ondas é também intermitente, com muito menor período (5-15 s). É necessária uma regularização da potência eléctrica produzida (rede, equipamentos eléctricos). Como armazenar energia? Energia cinética num volante de inércia: Rotor das turbinas de ar nos sistemas CAO. Reservatório de água em sistemas de galgamento: Tapchan, Wave Dragon, SSG. Acumulador de gás Corpos oscilantes com circuito hidráulico.

9 Efeito típico de regularização de energia num sistema com acumulador de gás, em mar com forte agitação H s = 4 m (kw) 500 Potência absorvida às ondas Potência produzida 250 t (s)

10 Sistemas de conversão de energia (produto: energia eléctrica) Gerador eléctrico linear (AWS, bóias de oscilação vertical) Conversão directa Bom rendimento global. Fase de protótipo. Não disponível no mercado? Custo elevado? Armazenamento de energia 0: necessária elevada relação potência máxima/média. Turbinas hidráulicas de baixa queda (Wave Dragon, sistemas de galgamento) Equipamento convencional. Bom rendimento. Armazenamento de energia no reservatório de água.

11 Turbinas de ar (Colunas de Água Oscilantes). Vários tipos (Wells, acção, ). Fase avançada de protótipo. Tecnologia acessível. Rendimento (50-60%?) a ser melhorado. Armazenamento de energia cinética no rotor (+ na turbina Wells). Motor hidráulico em circuito de óleo de alta pressão (corpos oscilantes) Uso convencional de equipamento convencional. Bom rendimento (menor a carga parcial). Acumuladores de gás (caros ) para armazenamento de energia. Turbinas hidráulicas de alta queda (Oyster, AquaBuoy). Uma alternativa ao óleo de alta pressão. Equipamento convencional, elevado rendimento. Circuito fechado ou aberto (água do mar).

12 A situação actual 2 A tecnologia é mais difícil que a eólica. Nos aspectos técnico e económico, a situação é semelhante ao eólico dos anos 1980s (?) Excepto em algumas Colunas de Água Oscilantes (Pico 1999, Islay 2000), a experiência quanto a manutenção, fiabilidade e sobrevivência é escassa ou nula, para além de alguns meses. Informação escassa (e pouco fiável?) sobre custos e aspectos económicos. Frequentemente, o que é publicitado pelas equipas é baseado em cenários e projecções assumindo reduções de custos.

13 A situação actual 3 Em geral, o factor de capacidade (rácio potência média anual / potência nominal) semelhante ao eólico ( 0.3). No actual estado de desenvolvimento tecnológico, o custo de energia eléctrica ( /kwh) compreendido entre eólico e grande fotovoltaico. Para competir com eólico, necessária redução de custo para cerca de 1/3 para os sistemas mais avançados (1/2 se comparado com eólico offshore). Os (relativamente) grandes investimentos (especialmente na Europa) por empresas privadas indicam que estas reduções de custos se crê serem possíveis (em 10+ anos?).

14 Como reduzir os custos (Fonte: Carbon Trust, UK, 2006) Desenvolvimentos ao nível do projecto conceptual Optimização detalhada do projecto Economias de escala Aprendizagem na produção, instalação, O & M

15 A SITUAÇÃO EM PORTUGAL

16 Portugal: qual o potencial de energia das ondas? Estimativas : GW (essencialmente offshore) 500km Eólico em terra ~ 6 GW (presentemente ~ 2,5 GW)

17 CRIAÇÃO DUMA ZONA PILOTO

18 Protótipos e instalações Ilha do Pico, Azores Quebra-mar, Foz do Douro, Porto WaveRoller Pelamis AWS

19 MARTIFER ENERGIA Ensaio em modelo, esc.1:25, Madrid, 2007 modelo

20 Obrigado pela vossa atenção

ENERGIA DAS ONDAS. António F. O. Falcão Instituto Superior Técnico. Seminário sobre a Física e a Energia, Lisboa, 21 de Novembro de 2005

ENERGIA DAS ONDAS. António F. O. Falcão Instituto Superior Técnico. Seminário sobre a Física e a Energia, Lisboa, 21 de Novembro de 2005 ENERGIA DAS ONDAS António F. O. Falcão Instituto Superior Técnico Seminário sobre a Física e a Energia, Lisboa, 21 de Novembro de 2005 Albufeira Marés Correntes de maré ENERGIA DOS OCEANOS Correntes marítimas

Leia mais

Potencial e estratégia de desenvolvimento da energia das ondas em Portugal

Potencial e estratégia de desenvolvimento da energia das ondas em Portugal WAVE ENERGY CENTRE Potencial e estratégia de desenvolvimento da energia das ondas em Portugal Versão 0.1 1 INDICE 11.. OO RREECCUURRSSOO EENNEERRGGÉÉTTIICCOO... 3 22.. AACCTTUUAAIISS PPRROOTTÓÓTTIIPPOOSS

Leia mais

Energia das Ondas: Estado de desenvolvimento e perspectivas antonio.sarmento@ist.utl.pt

Energia das Ondas: Estado de desenvolvimento e perspectivas antonio.sarmento@ist.utl.pt O recurso energético e o mercado potencial Estado actual da tecnologia Custos A Energia das Ondas em Portugal Conclusões Energia das Ondas: Estado de desenvolvimento e perspectivas antonio.sarmento@ist.utl.pt

Leia mais

APROVEITAMENTO DA ENERGIA DAS ONDAS: PANORAMA E PERSPECTIVAS

APROVEITAMENTO DA ENERGIA DAS ONDAS: PANORAMA E PERSPECTIVAS APROVEITAMENTO DA ENERGIA DAS ONDAS: PANORAMA E PERSPECTIVAS António F. O. Falcão ENERGIAS RENOVÁVEIS 2005-06 Aproveitamento da Energia das Ondas: Quando e onde começou? Mais de mil patentes desde o Séc.

Leia mais

Sérgio Leandro sergio.leandro@cm-peniche.pt

Sérgio Leandro sergio.leandro@cm-peniche.pt PROJECTO SURGE -energia das ondas Sérgio Leandro sergio.leandro@cm-peniche.pt PROJECTO SURGE Energia das ondas 1. O recurso Energias das Ondas 2. Tipos de Tecnologias 3. Tecnologias em fase pré-comercial

Leia mais

Geração de Energia Elétrica

Geração de Energia Elétrica Geração de Energia Elétrica Através dos Oceanos Aproveitamento Energético e Aspectos Tecnológicos Marcus Vinicius de Oliveira Engenheiro Eletricista - UFMG 29 de Maio de 2012 Energia dos Oceanos Formas

Leia mais

Produção de Energia Alternativa

Produção de Energia Alternativa Produção de Energia Alternativa Prof.Pedro Araújo Realizado por: - Diogo Fernandes nº27097 - Gonçalo Paiva nº26743 - José Silva nº27144 Introdução A produção de energias alternativas, tem vindo a ganhar

Leia mais

Wave Energy: From Demonstration to Commercialization

Wave Energy: From Demonstration to Commercialization : From Demonstration to Commercialization antonio.sarmento@ist.utl.pt Wave Centro de Energia das Ondas Recurso Situação actual da tecnologia Economia Desafios, riscos e barreiras Políticas públicas de

Leia mais

superiores da Administração Pública para as energias renováveis oceânicas 08.02.2011, Lisboa; Frank Neumann

superiores da Administração Pública para as energias renováveis oceânicas 08.02.2011, Lisboa; Frank Neumann Formação dos dirigentes e quadros superiores da Administração Pública para as energias renováveis oceânicas MÓDULO I I I Tópicos Tipos de dispositivos de energia das ondas Tecnologias específicas das ondas

Leia mais

Eco-Escolas Formação Escola da Energia 2011, 2 de Abril de 2011. Energias Renováveis. João Paulo Costa

Eco-Escolas Formação Escola da Energia 2011, 2 de Abril de 2011. Energias Renováveis. João Paulo Costa Energias Renováveis João Paulo Costa LNEG Laboratório Nacional de Energia e Geologia Estrada do Paço do Lumiar, 1649-038 Lisboa, PORTUGAL joao.costa@lneg.pt 1 Conteúdo: Resumo de consumo energético no

Leia mais

Eficiência e Inovação no sector da energia. Jorge Cruz Morais

Eficiência e Inovação no sector da energia. Jorge Cruz Morais Eficiência e Inovação no sector da energia Jorge Cruz Morais Paradigma do século XX Energia abundante Energia barata factores da alteração Preço dos combustíveis fósseis Aumento da Procura Emissões de

Leia mais

energia das ondas - joão m. b. p. cruz - antónio j. n. a. sarmento

energia das ondas - joão m. b. p. cruz - antónio j. n. a. sarmento energia das ondas - joão m. b. p. cruz - antónio j. n. a. sarmento energia das ondas introdução aos aspectos tecnológicos, económicos e ambientais - joão m. b. p. cruz - antónio j. n. a. sarmento Instituto

Leia mais

Energias Renováveis e Limpas: Um Exemplo que Vem do Mar

Energias Renováveis e Limpas: Um Exemplo que Vem do Mar Energias Renováveis e Limpas: Um Exemplo que Vem do Mar Grupo de Oceanografia Tropical - GOAT Prof. Dr. Carlos A. D. Lentini clentini@ufba.br http://www.goat.ifis.ufba.br Simpósio Internacional Sustentabilidade

Leia mais

Impactes Económicos, Ambientais e Conflitos de Uso. Custos e Barreiras ao Desenvolvimento. Medidas de Apoio e Iniciativas em PT

Impactes Económicos, Ambientais e Conflitos de Uso. Custos e Barreiras ao Desenvolvimento. Medidas de Apoio e Iniciativas em PT O problema que se nos coloca oca Impactes Económicos, Ambientais e Conflitos de Uso Custos e Barreiras ao Desenvolvimento Medidas de Apoio e Iniciativas em PT Conclusões Módulo I Formação dirigentes e

Leia mais

Energia Eólica. História

Energia Eólica. História Energia Eólica História Com o avanço da agricultura, o homem necessitava cada vez mais de ferramentas que o auxiliassem nas diversas etapas do trabalho. Isso levou ao desenvolvimento de uma forma primitiva

Leia mais

Aspectos económicos e mecanismos de incentivo das Energias Offshore

Aspectos económicos e mecanismos de incentivo das Energias Offshore Aspectos económicos e mecanismos de incentivo das Energias Offshore Alex Raventos Wave Energy Centre (WavEC) alex@wavec.org 8 de Fevereiro 2011 Auditório ISCSP, Lisboa Formação sobre as energias renováveis

Leia mais

Construção e Energias Renováveis. Volume IV Energia das Ondas. um Guia de O Portal da Construção. www.oportaldaconstrucao.com

Construção e Energias Renováveis. Volume IV Energia das Ondas. um Guia de O Portal da Construção. www.oportaldaconstrucao.com Construção e Energias Renováveis Volume IV Energia das Ondas um Guia de Copyright, todos os direitos reservados. Este Guia Técnico não pode ser reproduzido ou distribuído sem a expressa autorização de.

Leia mais

ESTUDO APLICADO DE UMA EÓLICA

ESTUDO APLICADO DE UMA EÓLICA Temática Energias Renováveis Capítulo Energia Eólica Secção ESTUDO APLICADO DE UMA EÓLICA INTRODUÇÃO Nesta exposição apresentam-se as equações e os conhecimentos necessários para a resolução dos exercícios.

Leia mais

AS DIFERENTES TECNOLOGIAS

AS DIFERENTES TECNOLOGIAS Temática Energias Renováveis Capítulo Energia Eólica Secção AS DIFERENTES TECNOLOGIAS INTRODUÇÃO Nesta secção apresentam-se as diferentes tecnologias usadas nos sistemas eólicos, nomeadamente, na exploração

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO DAS TECNOLOGIAS PARA CONVERSÃO DE ENERGIA DAS ONDAS

CLASSIFICAÇÃO DAS TECNOLOGIAS PARA CONVERSÃO DE ENERGIA DAS ONDAS CLASSIFICAÇÃO DAS TECNOLOGIAS PARA CONVERSÃO DE ENERGIA DAS ONDAS Ronchi, F.P. 1 Schaeffer, L. ² ¹Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Minas, Metalúrgica e Materiais (PPGEM). Laboratório

Leia mais

Energia Offshore. Jorge Cruz Morais

Energia Offshore. Jorge Cruz Morais Energia Offshore Jorge Cruz Morais factores da alteração Aumento da Procura Emissões de CO2 O consumo mundial de energia primária Evolução do consumo mundial de energia primária, 1970-2009 Mtep 11.164

Leia mais

Energia das Ondas Vila do Conde, 07/Fev/2009

Energia das Ondas Vila do Conde, 07/Fev/2009 Energia das Ondas Vila do Conde, 07/Fev/2009 Agenda Recurso Tecnologia Parque de Ondas da Aguçadoura 07/Fev/2009 1 Recurso A energia das ondas pode ser vista como energia solar concentrada Recurso 07/Fev/2009

Leia mais

Aplicações eficientes com motores eléctricos de Elevado Rendimento

Aplicações eficientes com motores eléctricos de Elevado Rendimento Colégio de Engenharia Geológica e de Minas LISBOA 23-03-2011 0 Aplicações eficientes com motores eléctricos de Elevado Rendimento Carlos Ribeiro da Costa Gestor de Projectos carloscosta@weg.net Tel: 229

Leia mais

Voltar a explorar o mar

Voltar a explorar o mar Voltar a explorar o mar Voltar a explorar o mar Com uma visão de longo prazo, a EDP está constantemente a analisar as tecnologias de aproveitamento das energias renováveis, com vista à futura comercialização

Leia mais

Disciplina: Eletrificação Rural. Unidade 3 Geração, transmissão e distribuição da energia elétrica.

Disciplina: Eletrificação Rural. Unidade 3 Geração, transmissão e distribuição da energia elétrica. UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS DEPARTAMENTO DE SOLOS E ENGENHARIA AGRÍCOLA Disciplina: Eletrificação Rural Unidade 3 Geração, transmissão e distribuição da energia elétrica.

Leia mais

ENERGIAS RENOVÁVEIS Desafios para o Futuro A estratégia e perspectivas da EDP

ENERGIAS RENOVÁVEIS Desafios para o Futuro A estratégia e perspectivas da EDP ENERGIAS RENOVÁVEIS Desafios para o Futuro A estratégia e perspectivas da EDP Pedro Paes EDP/DSA Direcção de Sustentabilidade Exponor, 26 Setembro 2013 Agenda O sector energético desafios e oportunidades

Leia mais

Disciplina: Fontes Alternativas de Energia

Disciplina: Fontes Alternativas de Energia Disciplina: Fontes Alternativas de Parte 1 Fontes Renováveis de 1 Cronograma 1. Fontes renováveis 2. Fontes limpas 3. Fontes alternativas de energia 4. Exemplos de fontes renováveis 1. hidrelétrica 2.

Leia mais

A energia que vem do mar... CENFIM. CALDAS DA RAINHA 17 Set 2008

A energia que vem do mar... CENFIM. CALDAS DA RAINHA 17 Set 2008 A energia que vem do mar... CENFIM CALDAS DA RAINHA 17 Set 2008 Ideias Chave 3 Ideias Chave Ondas Fonte Nova de Energia Primária Renovável Ao largo da costa portuguesa poder-se-iam instalar 5 GW de parques

Leia mais

Universidade Eduardo Mondlane FACULDADE DE ENGENHARIA Departamento de Engª Mecânica

Universidade Eduardo Mondlane FACULDADE DE ENGENHARIA Departamento de Engª Mecânica Universidade Eduardo Mondlane FACULDADE DE ENGENHARIA Departamento de Engª Mecânica Tema: Dimensionamento de uma instalação combinada de energia solar e eólica Autor: Quintino, Bernardo Supervisor: Dr.

Leia mais

Energias Renováveis. Definições Básicas. Fontes de energia Convencionais Renováveis Alternativas Limpas Sustentáveis

Energias Renováveis. Definições Básicas. Fontes de energia Convencionais Renováveis Alternativas Limpas Sustentáveis Definições Básicas Fontes de energia Convencionais Renováveis Alternativas Limpas Sustentáveis Fontes de energia convencionais: São as fontes tradicionais de energia, por exemplo: Usinas hidrelétricas

Leia mais

Frezite Energia e Ambiente é uma empresa especializada em soluções autónomas para fornecimento de energia.

Frezite Energia e Ambiente é uma empresa especializada em soluções autónomas para fornecimento de energia. Frezite Energia e Ambiente é uma empresa especializada em soluções autónomas para fornecimento de energia. Áreas de actuação da Frezite Energia e Ambiente Bombagem Iluminação Energia Cercas/Cancelas Bombagem

Leia mais

FICHA TÉCNICA Energia Solar Painéis Fotovoltaicos

FICHA TÉCNICA Energia Solar Painéis Fotovoltaicos FICHA TÉCNICA Energia Solar Painéis Fotovoltaicos Nº Pág.s: 6 nº 04 20. Novembro. 2006 Painéis Fotovoltaicos 01 Uma das tecnologias renováveis mais promissoras e recentes de geração de energia eléctrica

Leia mais

Importância das sinergias para o desenvolvimento das Energias Renováveis Marinhas Frederico Pinto Ferreira

Importância das sinergias para o desenvolvimento das Energias Renováveis Marinhas Frederico Pinto Ferreira Importância das sinergias para o desenvolvimento das Energias Renováveis Marinhas Frederico Pinto Ferreira Workshop - Oportunidades de negócio em energias renováveis marinhas ATLANTIC POWER CLUSTER INEGI

Leia mais

AS ENERGIAS DO PRESENTE E DO FUTURO 21, 22 de Novembro de 2005 ENERGIA HÍDRICAH

AS ENERGIAS DO PRESENTE E DO FUTURO 21, 22 de Novembro de 2005 ENERGIA HÍDRICAH AS ENERGIAS DO PRESENTE E DO FUTURO 21, 22 de Novembro de 2005 ENERGIA HÍDRICAH ANTÓNIO NIO GONÇALVES HENRIQUES APROVEITAMENTOS HIDRO-ELÉCTRICOS EM PORTUGAL 35 médios m e grandes aproveitamentos hidroeléctricos

Leia mais

WAVE ENERGY CENTRE. Potencial e Estratégia de desenvolvimento da energia das ondas em Portugal

WAVE ENERGY CENTRE. Potencial e Estratégia de desenvolvimento da energia das ondas em Portugal WAVE ENERGY CENTRE Potencial e Estratégia de desenvolvimento da energia das ondas em Portugal Potencial e Estratégia de desenvolvimento da energia das ondas em Portugal Relatório elaborado pelo WAVE ENERGY

Leia mais

Profa. Dra. Vivian C. C. Hyodo

Profa. Dra. Vivian C. C. Hyodo Profa. Dra. Vivian C. C. Hyodo A Energia e suas Fontes Fontes de Energia Renováveis Fontes de Energia Não-Renováveis Conclusões Energia: Capacidade de realizar trabalho Primeira Lei da Termodinâmica: No

Leia mais

GERADOR DE BAIXA ROTAÇÃO PARA APROVEITAMENTO DE ENERGIA DAS ONDAS

GERADOR DE BAIXA ROTAÇÃO PARA APROVEITAMENTO DE ENERGIA DAS ONDAS Departamento de Engenharia Electrotécnica GERADOR DE BAIXA ROTAÇÃO PARA APROVEITAMENTO DE ENERGIA DAS ONDAS Por: José Alberto Oliveira Lima Dissertação apresentada na Faculdade de Ciências e Tecnologia

Leia mais

Energia Eólica Offshore

Energia Eólica Offshore Energia Eólica Offshore Levantamento do potencial do país, limitações e soluções tecnológicas Ana Estanqueiro Conferência Energia 2020, 8 de Fevereiro de 200 Co-autor - Paulo Costa Agradecimentos - T.

Leia mais

Sistemas de Armazenamento de Energia

Sistemas de Armazenamento de Energia Sistemas de Armazenamento de Energia (Storage Systems) Prof. Marcello Mezaroba Novembro 2012 Objetivos: Assegurar a confiabilidade do sistema elétrico; Melhoria da qualidade da energia fornecida; Integração

Leia mais

Edifícios. Variação de Velocidade com o PumpDrive. Eficiência em Acção.

Edifícios. Variação de Velocidade com o PumpDrive. Eficiência em Acção. Edifícios Variação de Velocidade com o PumpDrive. Eficiência em Acção. 2 Vantagens Bombas controladas - planeamento controlado. Com o PumpDrive da KSB. Nos anos mais recentes as exigências profissionais

Leia mais

Avaliação Técnica da Energia das Ondas em Portugal. Engenharia Eletrotécnica e de Computadores

Avaliação Técnica da Energia das Ondas em Portugal. Engenharia Eletrotécnica e de Computadores Avaliação Técnica da Energia das Ondas em Portugal Renato César de Melo Veloso Dissertação para obtenção do Grau de Mestre em Engenharia Eletrotécnica e de Computadores Júri Presidente: Prof. Maria Eduarda

Leia mais

alienspresent@hotmail.com a minha central energética http://www.pbase.com/image/28867977

alienspresent@hotmail.com a minha central energética http://www.pbase.com/image/28867977 alienspresent@hotmail.com a minha central energética http://www.pbase.com/image/28867977 Quem Somos Empresa surgiu em 2007 de 1 projecto desenvolvido no ISEG Concurso ISEG / IAPMEI PME Investimentos Missão:

Leia mais

Energias Renováveis em Portugal

Energias Renováveis em Portugal Energias Renováveis em Portugal António Joyce Departamento de Energias Renováveis INETI - Instituto Nacional de Engenharia, Tecnologia e Inovação Estrada do Paço do Lumiar, 1649-038 Lisboa, PORTUGAL Antonio.Joyce@ineti.pt

Leia mais

Lista dos tópicos tecnológicos

Lista dos tópicos tecnológicos Centro de Gestão e Estudos Estratégicos Ciência, Tecnologia e Inovação Energia Anexo 1 Lista dos tópicos tecnológicos 1 2 Energia 1. Tecnologias para a geração de energia elétrica Combustíveis fósseis

Leia mais

EXERCÍCIOS CORRIGIDOS

EXERCÍCIOS CORRIGIDOS Temática Energias Renováveis Capítulo Energia Eólica Secção EXERCÍCIOS CORRIGIDOS INTRODUÇÃO Vamos testar os conhecimentos adquiridos; para o efeito, propõem-se seis exercícios de diferentes dificuldades:

Leia mais

VII Conferência Anual do Turismo

VII Conferência Anual do Turismo VII Conferência Anual do Turismo O Contributo das Actividades do Mar Sustentabilidade Antonio Vidigal CEO da EDP Inovação Funchal, 3 de Maio de 2013 1 Não há falta de Energia Renovável e o Mar é um dos

Leia mais

ENERGIAS RENOVÁVEIS NA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA PRODUÇÃO DE ENERGIA ELÉCTRICA. 15-09-2011 Agostinho Figueira

ENERGIAS RENOVÁVEIS NA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA PRODUÇÃO DE ENERGIA ELÉCTRICA. 15-09-2011 Agostinho Figueira PRODUÇÃO DE ENERGIA ELÉCTRICA 15-09-2011 Agostinho Figueira TÓPICOS: 1. Política energética 2. Integração de fontes de energia renovável 3. Sistema electroprodutor Fontes renováveis 4. Plano de acção -

Leia mais

COM SISTEMAS ACTIVOS DE ELEVADA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA

COM SISTEMAS ACTIVOS DE ELEVADA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EDIFÍCIOS DE BAIXO CONSUMO COM SISTEMAS ACTIVOS DE ELEVADA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA 20 de Maio de 2010 COMPONENTE PASSIVA DO EDIFÍCIO OPTIMIZADA COMPONENTE DOS SISTEMAS ACTIVOS OPTIMIZADA 1 COMPONENTE PASSIVA

Leia mais

GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA HIDRELÉTRICA-SISTEMA ELÉTRICO

GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA HIDRELÉTRICA-SISTEMA ELÉTRICO GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA HIDRELÉTRICA-SISTEMA ELÉTRICO HIDRELÉTRICAS Definição Originada a partir da energia solar, responsável pela evaporação da água; A água que precipita é armazenada na forma de

Leia mais

Engenharia Gerencial. A cogeração como alternativa aos desafios energéticos

Engenharia Gerencial. A cogeração como alternativa aos desafios energéticos A cogeração como alternativa aos desafios energéticos A visão corrente de que o Brasil possui um dos maiores parques de energia hidrelétrica do mundo, nos afasta de uma realidade um pouco distante disto.

Leia mais

Fontes Alternativas de Energia

Fontes Alternativas de Energia Fontes Alternativas de Energia Fontes de Energia Fontes Primárias Fontes Renováveis Fontes Não Renováveis Geotérmica Gravitacional Solar Nuclear Oceânica Eólica Hidráulica Fontes Secundárias Madeira Cana

Leia mais

Economia Azul Plataformas Offshore e Oportunidades Oportunidades de Negócio e Investimento 26 Nov. 2012

Economia Azul Plataformas Offshore e Oportunidades Oportunidades de Negócio e Investimento 26 Nov. 2012 Seminário Anual WavEC Economia Azul Plataformas Offshore e Oportunidades Oportunidades de Negócio e Investimento 26 Nov. 2012 Direção-Geral de Energia e Geologia Pedro Cabral Potencial renovável marinho

Leia mais

EMPREENDEDORISMO E INDÚSTRIAS CRIATIVAS

EMPREENDEDORISMO E INDÚSTRIAS CRIATIVAS EMPREENDEDORISMO E INDÚSTRIAS CRIATIVAS O MAR QUE NOS INSPIRA NOVAS POTENCIALIDADES NUNO MATOS 1 11 DE ABRIL DE 2014 AGENDA - Questão prévia: Empreendedorismo no Mar é junto à costa? - As Dimensões do

Leia mais

Uso da Energia Solar na Industria. Prof. Zaqueu Ernesto da Silva LES/DEER/CEAR

Uso da Energia Solar na Industria. Prof. Zaqueu Ernesto da Silva LES/DEER/CEAR Uso da Energia Solar na Industria Prof. Zaqueu Ernesto da Silva LES/DEER/CEAR Fontes de Energia no Brasil Quem usou energia no Brasil - 2012 Consumo de Energia no Setor Industria Setor Industrial % Setor

Leia mais

Uso de Energia de combustíveis fósseis como principal culpado do Aquecimento Global

Uso de Energia de combustíveis fósseis como principal culpado do Aquecimento Global Alterações Climáticas e Energia Três pontos de vista: Uso de Energia de combustíveis fósseis como principal culpado do Aquecimento Global Impactos ambientais dos sistemas de produção de Energia de origem

Leia mais

Conceito e Evolução da utilização da Energia

Conceito e Evolução da utilização da Energia Energia Limpa Agenda O que é energia limpa? Tipos de energia limpa Energia Hídrica Energia Eólica Energia Geotérmica Biomassa Energia Solar Energia do Mar O Brasil neste cenário Protocolo de Kyoto Conceito

Leia mais

BOMBAS SUBMERSÍVEIS SOLARES

BOMBAS SUBMERSÍVEIS SOLARES BOMBAS SUBMERSÍVEIS SOLARES BOMBA SUBMERSÍVEL SOLAR PS As bombas submersíveis PS são produtos de alta qualidade, concebidos para um abastecimento de água potável mais elevado, água para pecuária, gestão

Leia mais

Armazenamento de energia: Tecnologias alternativas. Alberto Barbosa

Armazenamento de energia: Tecnologias alternativas. Alberto Barbosa Armazenamento de energia: Tecnologias alternativas Alberto Barbosa Crescimento da geração a partir de fontes renováveis Variabilidade da geração de electricidade das renováveis Constrangimentos de transmissão

Leia mais

ENERGIA RENOVÁVEIS E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

ENERGIA RENOVÁVEIS E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL ENERGIA RENOVÁVEIS E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Novas tendências na produção de energia a partir de fontes renováveis Grupo 520 Projecto FEUP Outubro de 2009 ENERGIA RENOVÁVEIS E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

Leia mais

ENERGIA EÓLICA : Potencial / oportunidades para aplicação turbinas eólicas de pequeno porte

ENERGIA EÓLICA : Potencial / oportunidades para aplicação turbinas eólicas de pequeno porte ENERGIA EÓLICA : Potencial / oportunidades para aplicação turbinas eólicas de pequeno porte Palestrante: Profa Dra Eliane Amaral Fadigas Instituição: USP - Universidade de São Paulo Escola Politécnica

Leia mais

Sobre a Contratação dos Parques Fotovoltaicos

Sobre a Contratação dos Parques Fotovoltaicos Sobre a Contratação dos Parques Fotovoltaicos As acusações veiculadas pela oposição no Parlamento relativas à contratação de duas centrais fotovoltaicas, para além da evidente má-fé que lhes está subjacente,

Leia mais

Sistema para Optimização da Extracção de Energia de Painéis Solares Fotovoltaicos

Sistema para Optimização da Extracção de Energia de Painéis Solares Fotovoltaicos ENER 05 Conferência sobre Energias Renováveis e Ambiente em Portugal Figueira da Foz, Portugal, 5-7 de Maio de 2005, ISBN: 972-8822-02-02, pp. 1.165-1.170 Sistema para Optimização da Extracção de Energia

Leia mais

A VISÃO do ENERGYIN Motivos da sua criação & Objectivos

A VISÃO do ENERGYIN Motivos da sua criação & Objectivos Pólo da Competitividade e Tecnologia da Energia (PCTE) O papel do PCTE na energia solar em Portugal 8 e 9 de Fevereiro de 2010 António Mano - EDP Antonio.ermidamano@edp.pt A VISÃO do ENERGYIN Motivos da

Leia mais

ENERGIAS ALTERNATIVAS E TECNOLOGIAS DE PRODUÇÃO LIMPAS: DESAFIOS E OPORTUNIDADES

ENERGIAS ALTERNATIVAS E TECNOLOGIAS DE PRODUÇÃO LIMPAS: DESAFIOS E OPORTUNIDADES ENERGIAS ALTERNATIVAS E TECNOLOGIAS DE PRODUÇÃO LIMPAS: DESAFIOS E OPORTUNIDADES FONTES DE ENERGIA Hídrica Eólica Biomassa Solar POTENCIAL HÍDRICO Fonte: Eletrobras, 2011. APROVEITAMENTO DO POTENCIAL HIDRELÉTRICO

Leia mais

República de Angola MINISTÉRIO DA ENERGIA E ÁGUAS

República de Angola MINISTÉRIO DA ENERGIA E ÁGUAS República de Angola MINISTÉRIO DA ENERGIA E ÁGUAS Conferência e exposição ipad angola 2011 Luanda, 15 de Setembro de 2011 Fontes de Energias renováveis no Contexto angolano APRESENTAÇÃO SANDRA CRISTÓVÃO

Leia mais

www.e-lee.net Temática Circuitos Eléctricos Capítulo Teoria dos Circuitos COMPONENTES INTRODUÇÃO

www.e-lee.net Temática Circuitos Eléctricos Capítulo Teoria dos Circuitos COMPONENTES INTRODUÇÃO Temática Circuitos Eléctricos Capítulo Teoria dos Circuitos COMPONENTES INTRODUÇÃO Nesta secção, estuda-se o comportamento ideal de alguns dos dipolos que mais frequentemente se podem encontrar nos circuitos

Leia mais

Eletricidade Aplicada - LOB1011. Sistemas Elétricos de Potência (SEP):

Eletricidade Aplicada - LOB1011. Sistemas Elétricos de Potência (SEP): Eletricidade Aplicada - LOB1011 Sistemas Elétricos de Potência (SEP): Sistemas Elétricos de Potência (SEP): São grandes sistemas que englobam: Geração; Transmissão; Energia Elétrica Distribuição. Energia:

Leia mais

7º Congresso do Comité Português da URSI

7º Congresso do Comité Português da URSI 7º Congresso do Comité Português da URSI Os desafios da eólica offshore flutuante Antonio Vidigal CEO da EDP Inovação Lisboa, 22 de Novembro de 2013 1 Não há falta de Energia Renovável, o Mar é um dos

Leia mais

Tipos de Energia. Gravitacional; Elétrica; Magnética; Nuclear.

Tipos de Energia. Gravitacional; Elétrica; Magnética; Nuclear. Fontes de Energia Tipos de Energia Gravitacional; Elétrica; Magnética; Nuclear. Fontes de Energia Primaria fontes que quando empregadas diretamente num trabalho ou geração de calor. Lenha, para produzir

Leia mais

SOLUÇÕES FOTOVOLTAICO ISONUFER INVISTA NO FUTURO E USUFRUA DE TODAS AS VANTAGENS. ISONUFER ENERGIAS RENOVÁVEIS + INFORMAÇÕES. www.isonufer.com.

SOLUÇÕES FOTOVOLTAICO ISONUFER INVISTA NO FUTURO E USUFRUA DE TODAS AS VANTAGENS. ISONUFER ENERGIAS RENOVÁVEIS + INFORMAÇÕES. www.isonufer.com. SOLUÇÕES FOTOVOLTAICO ISONUFER INVISTA NO FUTURO E USUFRUA DE TODAS AS VANTAGENS. ISONUFER ENERGIAS RENOVÁVEIS + INFORMAÇÕES www.isonufer.com.pt SOLUÇÕES FOTOVOLTAICO ISONUFER INVISTA NO FUTURO E USUFRUA

Leia mais

Workshop PERCH (Portugal) Sistemas Concentradores Fotovoltaicos

Workshop PERCH (Portugal) Sistemas Concentradores Fotovoltaicos Workshop PERCH (Portugal) Filipa Reis Dep. I&D, WS Energia MIT / FCUL Doctoral Program carvalho@ws-energia.com Sistemas Concentradores Fotovoltaicos 2008 Energia Fotovoltaica Energia Fotovoltaica Importância

Leia mais

Compressor Parafuso. Principais tipos: Parafuso simples. Parafuso duplo (mais empregado)

Compressor Parafuso. Principais tipos: Parafuso simples. Parafuso duplo (mais empregado) Principais tipos: Parafuso simples Parafuso duplo (mais empregado) Vantagens em relação aos alternativos: Menor tamanho Número inferior de partes móveis Desvantagens em relação aos alternativos: Menor

Leia mais

Projeto WindFloat. XIX Congresso da Ordem dos Engenheiros. Lisboa, 20 de Outubrode 2012

Projeto WindFloat. XIX Congresso da Ordem dos Engenheiros. Lisboa, 20 de Outubrode 2012 Projeto WindFloat XIX Congresso da Ordem dos Engenheiros Lisboa, 20 de Outubrode 2012 WindFloat Projeto pioneiro a nível mundial para exploração do recurso eólico em águas profundas Projeto de demonstração

Leia mais

Damos valor à sua energia

Damos valor à sua energia Damos valor à sua energia Invista em energias renováveis e eficiência energética e comece a poupar naturalmente. Energia O futuro do planeta está cada vez mais nas nossas mãos e a forma como obtemos e

Leia mais

DEMANDA GT. Arranjos alternativos para geração eólica

DEMANDA GT. Arranjos alternativos para geração eólica DEMANDA GT Arranjos alternativos para geração eólica OBJETIVOS Desenvolver uma turbina eólica de eixo vertical de pás fixas, de pequeno porte e custo reduzido. Realizar ensaios de rendimento do equipamento

Leia mais

Tecnologias de alimentação alternativas para centros de dados e salas de servidores

Tecnologias de alimentação alternativas para centros de dados e salas de servidores Tecnologias de alimentação alternativas para centros de dados e salas de servidores Aplicação técnica nº 64 Revisão 1 Sumário Executivo As células de e as micro-turbinas são novas tecnologias alternativas

Leia mais

MICROGERAÇÃO. DL 363/2007 de 2 de Novembro PRODUZA E VENDA ENERGIA ELÉCTRICA À REDE ALTA RENTABILIDADE ALTA RENTABILIDADE DO INVESTIMENTO.

MICROGERAÇÃO. DL 363/2007 de 2 de Novembro PRODUZA E VENDA ENERGIA ELÉCTRICA À REDE ALTA RENTABILIDADE ALTA RENTABILIDADE DO INVESTIMENTO. MICROGERAÇÃO DL 363/2007 de 2 de Novembro PRODUZA E VENDA ENERGIA ELÉCTRICA À REDE ALTA RENTABILIDADE ALTA RENTABILIDADE DO INVESTIMENTO. As energias renováveis constituem uma fonte de energia inesgotável

Leia mais

Universidade Eduardo Mondlane Faculdade de Engenharia

Universidade Eduardo Mondlane Faculdade de Engenharia Universidade Eduardo Mondlane Faculdade de Engenharia Departamento de Engenharia Mecânica Energias Renováveis 4 o Ano Prof. Doutor Engenheiro Jorge Nhambiu Aula 1 Recursos energéticos, situação actual

Leia mais

Protótipos: Conversão Fotovoltaica de Energia Solar

Protótipos: Conversão Fotovoltaica de Energia Solar Protótipos: Conversão Fotovoltaica de Energia Solar Susana Viana LNEG Laboratório Nacional de Energia e Geologia Estrada do Paço do Lumiar, 1649-038 Lisboa, PORTUGAL susana.viana@lneg.pt 1 O Recurso Solar

Leia mais

Central de Biomassa de Portalegre

Central de Biomassa de Portalegre Central de Biomassa de Portalegre Paulo Preto dos Santos, Sobioen Soluções de Bioenergia, SA (Março 2008) Biomassa e Energia O aproveitamento energético da biomassa é cada vez mais relevante Aproxima-se

Leia mais

RESUMO DA AVALIAÇÃO DE IMPACTO

RESUMO DA AVALIAÇÃO DE IMPACTO COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS Bruxelas, 25.6.2009 SEC(2009) 815 DOCUMENTO DE TRABALHO DOS SERVIÇOS DA COMISSÃO que acompanha a COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU E AO CONSELHO Demonstração

Leia mais

I Feira Ibérica de Sustentabilidade Urbana Ecoenergia. Roteiro Nacional das Energias Renováveis

I Feira Ibérica de Sustentabilidade Urbana Ecoenergia. Roteiro Nacional das Energias Renováveis I Feira Ibérica de Sustentabilidade Urbana Ecoenergia Aplicação da Directiva 2009/28/CE Apresentação das previsões da APREN desenvolvidas no âmbito do Projecto Europeu REPAP 2020 63% 31% 85% Enquadramento

Leia mais

Powered by. Desenvolvimento

Powered by. Desenvolvimento Desenvolvimento de Sistemas Sustentáveis 1 Urbancraft Energia, S.A. FDO INVESTIMENTOS E PARTICIPAÇÕES, SGPS, S.A. ALEXANDRE BARBOSA BORGES, SGPS, S.A. 50% 50% A URBANCRAFT ENERGIA, S.A é uma sociedade

Leia mais

Os combustíveis fósseis e as energias alternativas

Os combustíveis fósseis e as energias alternativas Os combustíveis fósseis e as energias alternativas O que são combustíveis fósseis: Os combustíveis fósseis são compostos por hidrocarbonetos e são usados por exemplo como combustível. São alguns exemplos

Leia mais

Seminário: Energia e Meio Ambiente A origem hídrica da crise de energia

Seminário: Energia e Meio Ambiente A origem hídrica da crise de energia Seminário: Energia e Meio Ambiente A origem hídrica da crise de energia José Henrique R. Cortez Câmara de Cultura José Henrique Cortez 1 Energia e Meio Ambiente Crise Energética? José Henrique Cortez 2

Leia mais

Rede ECOS. www.projecto-ecos.blogspot.com. Peniche

Rede ECOS. www.projecto-ecos.blogspot.com. Peniche www.projecto-ecos.blogspot.com 25 de Fevereiro de 2008 Objectivo Central do Programa Criar Cidades e Redes de Cidades Competitivas e Inovadoras a Nível Internacional Rede ECOS TEMÁTICA Eficiência energética

Leia mais

Esta radiação que atinge o solo é constituída por três componentes:

Esta radiação que atinge o solo é constituída por três componentes: Energia Solar O Sol é a nossa principal fonte de energia, responsável pela manutenção das várias formas de vida existentes na Terra. Trata-se de um recurso praticamente inesgotável e constante, quando

Leia mais

Conhecer as características de conjugado mecânico

Conhecer as características de conjugado mecânico H4- Conhecer as características da velocidade síncrona e do escorregamento em um motor trifásico; H5- Conhecer as características do fator de potência de um motor de indução; Conhecer as características

Leia mais

Água Quente Solar para Portugal

Água Quente Solar para Portugal INICIATIVA PÚBLICA AQSpP Água Quente Solar para Portugal J. Farinha Mendes Presidente da SPES www.spes.pt Portugal - um dos países da Europa com maior disponibilidade de recurso solar Eficiência Energética

Leia mais

Energia e Desenvolvimento A situação de Cabo Verde: Evolução, Ganhos e Perspectivas

Energia e Desenvolvimento A situação de Cabo Verde: Evolução, Ganhos e Perspectivas Energia e Desenvolvimento A situação de Cabo Verde: Evolução, Ganhos e Perspectivas Indicadores Socioeconómicos Rendimento per capita de 2010 foi de US$3.215, sendo que em 1975 era de US$190 Taxa de alfabetização:

Leia mais

Agência Regional de Energia e Ambiente do Oeste Fontes de Energia Renovável em Portugal. 31 de Janeiro 2011 1

Agência Regional de Energia e Ambiente do Oeste Fontes de Energia Renovável em Portugal. 31 de Janeiro 2011 1 Agência Regional de Energia e Ambiente do Oeste Fontes de Energia Renovável em Portugal 31 de Janeiro 2011 1 Agenda 1. A Agência Oeste Sustentável 2. Os projectos em curso 3. A importância das FER no combate

Leia mais

Banco de questões n.º1

Banco de questões n.º1 Banco de questões n.º1 Tema Terra em transformação Energia Lê o texto seguinte 1 : Introdução A grande diferença entre a nossa civilização e as anteriores é a capacidade de transformar e utilizar energia

Leia mais

A integração da produção sustentável em Portugal do planeamento à operação Seminário - Energia Eléctrica Universidade Agostinho Neto Luanda 8 de

A integração da produção sustentável em Portugal do planeamento à operação Seminário - Energia Eléctrica Universidade Agostinho Neto Luanda 8 de A integração da produção sustentável em Portugal do planeamento à operação Seminário - Energia Eléctrica Universidade Agostinho Neto Luanda 8 de Setembro de 2011 Rui Pestana REN Redes Energéticas Nacionais,

Leia mais

GRUPO ROLEAR. Porque há coisas que não podem parar!

GRUPO ROLEAR. Porque há coisas que não podem parar! GRUPO ROLEAR Porque há coisas que não podem parar! INOVAÇÃO COMO CHAVE DO SUCESSO Desde 1979, com sede no Algarve, a Rolear resulta da oportunidade identificada pelo espírito empreendedor do nosso fundador

Leia mais

TRABALHO LABORATORIAL Nº 3

TRABALHO LABORATORIAL Nº 3 ESCOLA SUPERIOR NÁUTICA INFANTE D. HENRIQUE DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MARÍTIMA M422 - SISTEMAS E INSTALAÇÕES ELÉCTRICAS DE NAVIOS TRABALHO LABORATORIAL Nº 3 ENSAIO DE UMA MÁQUINA ASSÍNCRONA TRIFÁSICA

Leia mais

Tecnologias de Energias Renováveis e uso sustentável da energia - Caso das Escolas Secundárias em Moçambique

Tecnologias de Energias Renováveis e uso sustentável da energia - Caso das Escolas Secundárias em Moçambique CENTRO DE TECNOLOGIAS EDUCATIVAS(CTE) NÚCLEO DE ELECTRÓNICA E ENERGIAS RENOVÁVEIS Campus de Lhanguene, Av. de Moçambique, km1; Telefone +258 21401078; Fax: +258 21401082; Maputo - Moçambique Tecnologias

Leia mais

Prof. Dr. Luiz Antonio Rossi UNICAMP - Brasil. GEFES Grupo de Estudos em Fontes Eólica e Solar. São Carlos, 22 de Maio de 2015.

Prof. Dr. Luiz Antonio Rossi UNICAMP - Brasil. GEFES Grupo de Estudos em Fontes Eólica e Solar. São Carlos, 22 de Maio de 2015. Geração de Energia Elétrica por Meio de Fonte Eólica: Simulação do desempenho de dois aerogeradores de pequeno porte com perfis aerodinâmicos diferentes Prof. Dr. Luiz Antonio Rossi UNICAMP - Brasil São

Leia mais

ENERGIA RENOVÁVEL OFFSHORE

ENERGIA RENOVÁVEL OFFSHORE ENERGIA RENOVÁVEL OFFSHORE ESTADO DA ARTE, DESAFIOS E OPORTUNIDADES ANTÓNIO SARMENTO Antonio.sarmento@ist.utl.pt 1 22-05-2013 SUMÁRIO O IST INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO O WavEC Offshore Renewables PORQUÊ

Leia mais

Completação Inteligente

Completação Inteligente Petróleo Orientador: Profº Robson Dourado Completação Inteligente Grupo de trabalho: Bruno Luiz Dias dos Santos José Maria Soares Luis Carlos Laranjeira Petroleum - petra = pedra - oleium = óleo Resultado

Leia mais

WWW.RENOVAVEIS.TECNOPT.COM

WWW.RENOVAVEIS.TECNOPT.COM Como funciona um aerogerador Componentes de um aerogerador Gôndola:contém os componentes chaves do aerogerador. Pás do rotor:captura o vento e transmite sua potência até o cubo que está acoplado ao eixo

Leia mais