Estado de SP: Monitoramento / Qualitativo

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Estado de SP: Monitoramento / Qualitativo"

Transcrição

1 ϯϱϭ Ϭ ĞŵĂŶĚĂƉŽƌƚŝƉŽĚĞƵƐŽͲƐƚĂĚŽĚĞ^ĆŽWĂƵůŽ Fonte: SMA/CRHi / ϯϭϭ Ϭ ϮϱϬ Ϭ ϮϬϬ Ϭ ϭϱϭ Ϭ 19,9 76,4 77,3 20,2 88,1 92,0 21,2 88,9 90,5 ϭϭϭ Ϭ ϱϭ Ϭ 110,9 118,8 129,1 Ϭ Ϭ hɛžhƌďăŷž;ŵϯ Ɛ hɛž/ŷěƶɛƚƌŝăů;ŵϯ Ɛ hɛžzƶƌăů;ŵϯ Ɛ KƵƚƌŽƐhƐŽƐ;ŵϯ Ɛ 15% de aumento do volume outorgado entre 2007 a 2009

2 PERH ( em desenvolvimento ) )XQGR(VWDGXDOGH5HFXUVRV+tGULFRV $VSULRULGDGHVHVWmRHPGLVFXVVmRDSDUWLUGH(L[RV7HPiWLFRV 1. 'HVHQYROYLPHQWRLQVWLWXFLRQDOGD*HVWmR,QWHJUDGDGH 5HFXUVRV+tGULFRV 2. $UWLFXODomRIntersetorial H,QWUDH,QWHULQVWLWXFLRQDOGD*HVWmR GRV5HFXUVRV+tGULFRV 3. 'HVHQYROYLPHQWRH,PSOHPHQWDomRGH,QVWUXPHQWRVGH*HVWmR GRV5HFXUVRV+tGULFRV 4. 8VRV0~OWLSORVH*HVWmR,QWHJUDGDGH5HFXUVRV+tGULFRV 5. 3URWHomR&RQVHUYDomRH5HFXSHUDomRGH5HFXUVRV+tGULFRV 6. 'HVHQYROYLPHQWR7HFQROyJLFR&DSDFLWDomR&RPXQLFDomRH 'LIXVmRGH,QIRUPDo}HVHP*HVWmR,QWHJUDGDGH5HFXUVRV +tgulfrv Lei 7663/91 regulamento para FEHIDRO Decreto 37309, de Os recursos que FRPS}HP: 5R\DOWLHVGRVHWRUHOpWULFR DSURYHLWDPHQWRKLGURHQHUJpWLFR deduzido o percentual destinado ao IXQGRGH([SDQVmR$JURSHFXiULRHGD Pesca, nos termos da Lei 7964, de Recursos do Tesouro &REUDQoDSHORXVRGDiJXD PDC 1 Programa de Investimentos Os Programas de 'XUDomR Continuada PDCs* Base de Dados, Cadastros, Estudos e Levantamentos Plano Estadual de 5HFXUVRV+tGULFRV Plano de Bacias PCJ PDC 2 Gerenciamento dos Recursos +tgulfrv PDC 3 5HFXSHUDomR da Qualidade dos Corpos PDC 4 &RQVHUYDomR e 3URWHomR dos Corpos PDC 5 3URPRomR do Uso Racional dos Recursos +tgulfrv PDC 6 Aproveitamento 0~OWLSOR dos Recursos +tgulfrv PDC 7 PDC 8 3UHYHQomR e Defesa Contra Eventos Extremos &DSDFLWDomR 7pFQLFD, (GXFDomR Ambiental e &RPXQLFDomR Social * De acordo com a 5HVROXomR &5+Q Fonte: SMA/CRHi

3 *HVWmRGDV5HFXUVRV+tGULFRV 3URFHVVRGHDUWLFXODomRHGHSDUWLFLSDomR $SOLFDomRGRV 3ULQFtSLRVQRV CBHs: - integrada - descentralizada - participativa Meio Ambiente 3DGU}HVGH Qualidade Ambiental Zoneamento Ambiental Licenciamento,QIRUPDo}HV $YDOLDomRGH Impacto Ambiental,QVWUXPHQWRVGH*HVWmR Recursos +tgulfrv Enquadramento Planos de Bacias Outorga,QIRUPDo}HV &REUDQoD Venha participar!!! 127$2HQTXDGUDPHQWRSHUPLWHDLQWHJUDomRGDJHVWmRDPELHQWDOFRP DJHVWmRGHUHFXUVRVKtGULFRV Direitos de Uso Direitos de Uso Instrumentos de JHVWmR dos recursos KtGULFRV, p uma DXWRUL]DomR concedida pelo estado, DWUDYpV de seu yujmr UHVSRQViYHO o Departamento de ÈJXDV e Energia (OpWULFD DAEE, podendo ser concedida a qualquer pessoa ou entidade S~EOLFD ou privada. O regulamento de Outorga foi aprovado pelo Decreto Estadual n de e Portaria DAEE n. 717 de O objetivo p garantir a qualidade e a quantidade dos Recursos +tgulfrv e o efetivo H[HUFtFLR dos direitos de acesso a ijxd. A Portaria DAEE n 01 de aprova a norma e os anexos que disciplinam a ILVFDOL]DomR as LQIUDo}HV e as penalidades. Fonte: DAEE

4 ,PSODQWDomRGR Empreendimento Direitos de Uso dos Recursos +tgulfrv FDSWDomRHGH ODQoDPHQWR Outorga X Licenciamento 5HVROXomR&RQMXQWD60$- SERHS 01 / HVROXomR&RQMXQWD60$-SERHS 01/2005 I - 5HJXODRSURFHGLPHQWRSDUDR/LFHQFLDPHQWR$PELHQWDOLQWHJUDGRjV 2XWRUJDVGH5HFXUVRV+tGULFRV &ygljr)oruhvwdo DAEE SMA / CETESB DAEE,QWHUIHUrQFLDVQRV5HF+tGULFRV 2EUDVH6HUYLoRV$UW 'HULYDomRGHiJXDV /DQoDPHQWRGHHIOXHQWHVHPFRUSRV GHiJXD DUW 3RoRIRUDGH$33RX ÉUHD(VSHFLDOPHQWH3URWHJLGD DUW 3RoRHP$33RX ÉUHD(VSHFLDOPHQWH3URWHJLGD &DQDOL]DomRIHFKDGD$UW DUW 2EUDVKLGUiXOLFDV executadas em Unidade de &RQVHUYDomR CETESB Protocolo CETESB 3DUHFHU7pFQLFR Florestal 2&(7(6%HQFDPLQKDUi ao DAEE o Parecer 7pFQLFR)ORUHVWDOQRV casos onde hajam impedimentos que exijam DOWHUDo}HVQRSURMHWR DAEE Direito de Uso Lei /2009: altera os artigos 2 e 10 da Lei 118/73-1RYDGHQRPLQDomRCETESB Companhia Ambiental do (VWDGRGH6mR3DXOR - 1RYDVFRPSHWrQFLDVGD&(7(6% LQFRUSRUDDVDWULEXLo}HV DEPRN + DUSM + DAIA $SOLFDomRGD 5HVROXomR Conjunta SMA-SERHS n 1, de 23/02/2005,QWHJUDomRGRV,167580(1726 Outorga e Licenciamento FRQWLQXDomR - SDUDDUHQRYDomRGD/2 - pqhfhvviuldd DSUHVHQWDomRGD2XWRUJDGH'LUHLWRGH8VRVH o prazo de validade da Outorga apresentada originalmente tiver expirado Nota para o Licenciamento: Caso o interessado nunca tenha apresentado o GRFXPHQWRJHUDOPHQWHFRQVWDFRPRH[LJrQFLD WpFQLFDDREULJDWRULHGDGHGHDSUHVHQWDomRGD 2XWRUJDGH'LUHLWRGH8VRQDVROLFLWDomRGD SUy[LPD/2-5HQRYDomR

5 3ROtWLFDGH0HLR$PELHQWH5HF+tGULFRV 3ROtWLFDGH0HLR$PELHQWH5HF+tGULFRV Res. Conama 01/8 + Res. SMA 54, de GLVS}HP sobre Licenciamento e EIA/Rima SEQUA Res. SMA n. 54, de : Estabelecem procedimentos para a DAIA (CETESB) solicitar e receber as UHFRPHQGDo}HV WpFQLFDVGRV&%+V HPIXQomR(,$5LPD SIGRH 'HOLEHUDomR&5+Q 87, de : Estabelece diretrizes para os CBHs se manifestarem a respeito dos EIA/Rima encaminhados pelo DAIA (CETESB) Lei Estadual 9.866, de SEQUA Exemplos: SIGRH APRM Guarapiranga Lei , de e seu regulamento Dec , de APRM Billings Objetiva: Proteger e Recuperar os Mananciais de interesse regional do (VWDGRGH6mR3DXOR APRM Adota: %DFLD+LGURJUiILFDFRPR XQLGDGHGHJHVWmR %DFLDV+LGURJUiILFDVGR$OWR7LHWr Obrigado!!! ( 11 ) ciesp.org.br Lei , de e seu regulamento Dec , de )RWR6LVWHPD&DQWDUHLUDHP%UDJDQoD3DXOLVWD

GESTÃO INTEGRADA DE RECURSOS HÍDRICOSH NO ESTADO DE SÃO PAULO

GESTÃO INTEGRADA DE RECURSOS HÍDRICOSH NO ESTADO DE SÃO PAULO II SIMPÓSIO DE HIDROGEOLOGIA DO SUDESTE Ribeirão Preto, 06/10/2005 GESTÃO INTEGRADA DE RECURSOS HÍDRICOSH NO ESTADO DE SÃO PAULO Ricardo Daruiz Borsari Superintendente Departamento de Águas e Energia Elétrica

Leia mais

13/10/2010 LICENCIAMENTO AMBIENTAL. CIESP de Indaiatuba AS IMPLICAÇÕES DO SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE RECURSOS HÍDRICOS PARA OS USUÁRIOS

13/10/2010 LICENCIAMENTO AMBIENTAL. CIESP de Indaiatuba AS IMPLICAÇÕES DO SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE RECURSOS HÍDRICOS PARA OS USUÁRIOS 13/10/ CIESP de Indaiatuba 08 de outubro de AS IMPLICAÇÕES DO SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE RECURSOS HÍDRICOS PARA OS USUÁRIOS COMITÊS DE BACIAS CIESP de Indaiatuba 08 de outubro de Organização ( Lei n 6938/81

Leia mais

Licenciamento Ambiental no Estado de São Paulo

Licenciamento Ambiental no Estado de São Paulo Licenciamento Ambiental no Estado de São Paulo LICENCIAMENTO AMBIENTAL DE SISTEMAS DE DISPOSIÇÃO FINAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS Eng. Cristiano Kenji Iwai Eng.ª Solange Takahashi Diretoria de Controle

Leia mais

Deliberação Conjunta dos Comitês PCJ n o 048/06, de 28/09/2006

Deliberação Conjunta dos Comitês PCJ n o 048/06, de 28/09/2006 Deliberação Conjunta dos Comitês PCJ n o 048/06, de 28/09/2006 Aprova a proposta para implementação da cobrança pelo uso dos recursos hídricos de domínio do Estado de São Paulo, nas bacias hidrográficas

Leia mais

Representação Institucional no SIGRH

Representação Institucional no SIGRH Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo Coordenadoria de Recursos Hídricos Representação Institucional no SIGRH Ciclo de Conferências- Sabesp Gestão de Recursos Hídricos 8/10/2008 Evolução do

Leia mais

DECRETO Nº 58.791, DE 21 DE DEZEMBRO DE

DECRETO Nº 58.791, DE 21 DE DEZEMBRO DE DECRETO Nº 58.791, DE 21 DE DEZEMBRO DE 2012 Aprova e fixa os valores a serem cobrados pelo uso dos recursos hídricos de domínio de Estado de São Paulo na Unidade de Gerenciamento de Recursos Hídricos

Leia mais

Disciplina Ciências do Ambiente Prof. Dra. Elizete A. Checon de Freitas Lima Unesp, Campus de Ilha Solteira

Disciplina Ciências do Ambiente Prof. Dra. Elizete A. Checon de Freitas Lima Unesp, Campus de Ilha Solteira Gestão Ambiental Disciplina Ciências do Ambiente Prof. Dra. Elizete A. Checon de Freitas Lima Unesp, Campus de Ilha Solteira Política Nacional do Meio Ambiente Lei 6938/81 Principais instrumentos de gestão

Leia mais

LICENCIAMENTO AMBIENTAL

LICENCIAMENTO AMBIENTAL LICENCIAMENTO AMBIENTAL 1. Contexto Geral Brasil e Mato Grosso Conservação Desenvolvimento Crescimento 2. Marco Legal Lei nº. 6.938/1981 Política Nacional do Meio Ambiente e Decreto nº. 99274/1990. Resolução

Leia mais

O licenciamento ambiental de unidades de compostagem no Estado de São Paulo

O licenciamento ambiental de unidades de compostagem no Estado de São Paulo Seminário: Compostagem na Cidade de São Paulo 10 de agosto de 2012 O licenciamento ambiental de unidades de compostagem no Estado de São Paulo Eng. Cristiano Kenji Iwai Divisão de Apoio ao Controle de

Leia mais

CARTILHA DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL

CARTILHA DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL CARTILHA DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL Realização PREFEITURA MUNICIPAL DE BAURU SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE DEPARTAMENTO DE AÇÕES E RECURSOS AMBIENTAIS Bauru, maio 2007. SUMÁRIO 01 - OBJETIVO 02 O QUE É O

Leia mais

O SEGURO AMBIENTAL COMO REQUISITO PARA O LICENCIAMENTO AMBIENTAL

O SEGURO AMBIENTAL COMO REQUISITO PARA O LICENCIAMENTO AMBIENTAL O SEGURO AMBIENTAL COMO REQUISITO PARA O LICENCIAMENTO AMBIENTAL PNRS POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS LEI N 13.577/2009 PROTEÇÃO DA QUALIDADE DO SOLO E GERENCIAMENTO DE ÁREAS CONTAMINADAS (SP) O

Leia mais

LICENCIAMENTO AMBIENTAL

LICENCIAMENTO AMBIENTAL LICENCIAMENTO AMBIENTAL Página 1 / 7 O que é LICENCIAMENTO AMBIENTAL? O LICENCIAMENTO AMBIENTAL é o procedimento administrativo realizado pelo órgão ambiental competente, que pode ser federal, estadual

Leia mais

Principais Competências dos CBHs

Principais Competências dos CBHs Representação Institucional e Cobrança pelo Uso dos Recursos Hídricos 08 de outubro de 2008 REPRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL DE RECURSOS HÍDRICOS Coordenação de Gestão Institucional de Recursos Hídricos TAH

Leia mais

O Sistema Integrado de Gerenciamento de Recursos Hídricos Jaboticabal, 25 de Julho de 2008

O Sistema Integrado de Gerenciamento de Recursos Hídricos Jaboticabal, 25 de Julho de 2008 Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo Coordenadoria de Recursos Hídricos O Sistema Integrado de Gerenciamento de Recursos Hídricos Jaboticabal, 25 de Julho de 2008 Carlos Eduardo Beato cebeato@ambiente.sp.gov.br

Leia mais

Licenciamento Ambiental na CETESB IV Aquishow

Licenciamento Ambiental na CETESB IV Aquishow SECRETARIA DE AGRICULTURA E ABASTECIMENTO 120 anos Licenciamento Ambiental na CETESB IV Aquishow Pesquisadora Científica Dra. Daercy Mª M. de Rezende Ayroza Polo Regional Médio Paranapanema Regularização

Leia mais

LICENCIAMENTO AMBIENTAL NO ESTADO DE SÃO PAULO

LICENCIAMENTO AMBIENTAL NO ESTADO DE SÃO PAULO LICENCIAMENTO AMBIENTAL NO ESTADO DE SÃO PAULO APRESENTAÇÃO É com grande orgulho que a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo, Fiesp, e o Centro das Indústrias do Estado de São Paulo, Ciesp, apresentam

Leia mais

Licenciamento Ambiental

Licenciamento Ambiental Licenciamento Ambiental Art. 2º - A localização, construção, instalação, ampliação, modificação e operação de empreendimentos e atividades utilizadoras de recursos ambientais consideradas efetiva ou potencialmente

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE QUÍMICA - IV REGIÃO (SP)

CONSELHO REGIONAL DE QUÍMICA - IV REGIÃO (SP) CONSELHO REGIONAL DE QUÍMICA - IV REGIÃO (SP) Licenciamento Ambiental Sistema de meio ambiente do estado de São Paulo Ministrante: Engenheira Química Célia Regina B.P. Poeta Técnica da Companhia Ambiental

Leia mais

ASPECTOS INSTITUCIONAIS DA GESTÃO AMBIENTAL E DE RECURSOS HÍDRICOS NO ESTADO DE SÃO PAULO, BRASIL

ASPECTOS INSTITUCIONAIS DA GESTÃO AMBIENTAL E DE RECURSOS HÍDRICOS NO ESTADO DE SÃO PAULO, BRASIL ASPECTOS INSTITUCIONAIS DA GESTÃO AMBIENTAL E DE RECURSOS HÍDRICOS NO ESTADO DE SÃO PAULO, BRASIL Giuliano Marcon* Departamento de Saúde Ambiental, Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo

Leia mais

ROTEIRO PARA A ELABORAÇÃO DO RAS - Obras de Telecomunicação

ROTEIRO PARA A ELABORAÇÃO DO RAS - Obras de Telecomunicação 1 Informações iniciais Indentificação do empreendedor Responsável pelo empreendimento: Responsável pelo RAS ROTEIRO PARA A ELABORAÇÃO DO RAS - Obras de Telecomunicação Razão Social CNPJ Telefone Nome CPF

Leia mais

DELIBERAÇÃO CBH-TG Nº.203 /2012 DE 04/12/2012

DELIBERAÇÃO CBH-TG Nº.203 /2012 DE 04/12/2012 DELIBERAÇÃO CBH-TG Nº.203 /2012 DE 04/12/2012 Aprova a proposta dos mecanismos e valores para cobrança pelos usos urbano e industrial dos recursos hídricos de domínio do Estado de São Paulo, no âmbito

Leia mais

Manual para Empreendimentos (Compilação das NT.DTE.004 a 009)

Manual para Empreendimentos (Compilação das NT.DTE.004 a 009) Manual para Empreendimentos (Compilação das NT.DTE.004 a 009) Revisão de 06/03/2014 Companhia de Saneamento Ambiental de Atibaia Diretoria Técnica Gerência de Engenharia Página1 Este Manual objetiva reunir

Leia mais

Legislação Ambiental Brasileira: Entraves, Sucessos e Propostas Inovadoras no Âmbito da Pequena Propriedade

Legislação Ambiental Brasileira: Entraves, Sucessos e Propostas Inovadoras no Âmbito da Pequena Propriedade Legislação Ambiental Brasileira: Entraves, Sucessos e Propostas Inovadoras no Âmbito da Pequena Propriedade Fórum sobre Área de Preservação Permanente e Reserva Legal na Paisagem e Propriedade Rural Piracicaba,

Leia mais

Encontro Anual dos Dirigentes Municipais de Meio Ambiente

Encontro Anual dos Dirigentes Municipais de Meio Ambiente Encontro Anual dos Dirigentes Municipais de Meio Ambiente Engenheiro Ambiental Gabriel Simioni Ritter Diretor do Departamento de Biodiversidade Secretaria do Ambiente e Desenvolvimento Sustentável Porto

Leia mais

Articulação e negociação institucional na efetividade das políticas ambientais

Articulação e negociação institucional na efetividade das políticas ambientais Articulação e negociação institucional na efetividade das políticas ambientais Maria Luiza Machado Granziera Sumário 1. Introdução. 2. Medidas de efetividade da lei. 3. Articulação institucional. 3.1.

Leia mais

DECRETO Nº 47.400, DE 04 DE DEZEMBRO DE 2002 (*) GERALDO ALCKMIN, Governador do Estado de São Paulo, no uso de suas atribuições legais, e

DECRETO Nº 47.400, DE 04 DE DEZEMBRO DE 2002 (*) GERALDO ALCKMIN, Governador do Estado de São Paulo, no uso de suas atribuições legais, e ALTERADA PELO DECRETO SP N 48.919/2004 DECRETO Nº 47.400, DE 04 DE DEZEMBRO DE 2002 (*) Regulamenta dispositivos da Lei Estadual nº 9.509, de 20 de março de 1997, referentes ao licenciamento ambiental,

Leia mais

RELATÓRIO R2 LEVANTAMENTO DE DADOS

RELATÓRIO R2 LEVANTAMENTO DE DADOS P r e f e i t u r a d a E s t â n c i a d e At i b a i a PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO Sistemas de Abastecimento de Água e Esgotamento Sanitário RELATÓRIO R2 LEVANTAMENTO DE DADOS Atibaia - SP P r e f

Leia mais

MANUAL DO LICENCIAMENTO AMBIENTAL DE ATIVIDADES POTENCIALMENTE POLUIDORAS Gerência de Controle da Poluição GCP : PASSO A PASSO

MANUAL DO LICENCIAMENTO AMBIENTAL DE ATIVIDADES POTENCIALMENTE POLUIDORAS Gerência de Controle da Poluição GCP : PASSO A PASSO MANUAL DO LICENCIAMENTO AMBIENTAL DE ATIVIDADES POTENCIALMENTE POLUIDORAS Gerência de Controle da Poluição GCP : PASSO A PASSO O QUE É O LICENCIAMENTO AMBIENTAL? O Licenciamento Ambiental é um procedimento

Leia mais

Comitês PCJ Comitês das Bacias Hidrográficas dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí Deliberação Conjunta dos Comitês PCJ nº 052/06, de 28/09/2006

Comitês PCJ Comitês das Bacias Hidrográficas dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí Deliberação Conjunta dos Comitês PCJ nº 052/06, de 28/09/2006 Comitês PCJ Comitês das Bacias Hidrográficas dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí (Criados e instalados segundo a Lei Estadual (SP) n o 7.663/91 e Lei Federal n o 9.433/97) Deliberação Conjunta dos

Leia mais

LICENCIAMENTO DE EMPREENDIMENTOS DE PRODUÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA A PARTIR DA BIOMASSA

LICENCIAMENTO DE EMPREENDIMENTOS DE PRODUÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA A PARTIR DA BIOMASSA LICENCIAMENTO DE EMPREENDIMENTOS DE PRODUÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA A PARTIR DA BIOMASSA Fluxograma DIRETORIA GERAL DIREG DIRETORIA DE LICENCIAMENTO DILIC DIRETORIA DE FISCALIZAÇÃO DIFIS DIRETORIA DE RECURSOS

Leia mais

ESTADO DOS CADASTROS DE USUÁRIOS NAS BACIAS PCJ NO ANO DE 2014

ESTADO DOS CADASTROS DE USUÁRIOS NAS BACIAS PCJ NO ANO DE 2014 Primeiro Termo Aditivo Contrato nº 003/ANA/2011 INDICADOR 4 OPERACIONALIZAÇÃO DA COBRANÇA Indicador 4B Cadastro de Usuários Manter atualizado o cadastro dos usos e usuários de recursos hídricos de corpos

Leia mais

Lei nº 6.938, de 31 de agosto de 1981. Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu a sanciono a seguinte Lei:

Lei nº 6.938, de 31 de agosto de 1981. Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu a sanciono a seguinte Lei: Lei nº 6.938, de 31 de agosto de 1981. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Dispõe sobre a Política Nacional do Meio Ambiente, seus fins e mecanismos de formulação e aplicação, e dá outras providências. Faço saber

Leia mais

Outorga do Sistema Cantareira Renovações de 2004 e 2014. Rui Brasil Assis Assessor do Gabinete da SSRH

Outorga do Sistema Cantareira Renovações de 2004 e 2014. Rui Brasil Assis Assessor do Gabinete da SSRH Outorga do Sistema Cantareira Renovações de 2004 e 2014 Rui Brasil Assis Assessor do Gabinete da SSRH Contexto da renovação da outorga em 2004 ATORES REGIONAIS 1. Comitê PCJ 2. Consórcio PCJ 3. Conselho

Leia mais

INSTRUÇÃO TÉCNICA DPO Nº 001, de 30/07/2007

INSTRUÇÃO TÉCNICA DPO Nº 001, de 30/07/2007 INSTRUÇÃO TÉCNICA DPO Nº 001, de 30/07/2007 Atualizada em 01/04/2013 Objeto: Esta Instrução tem por objeto complementar o item 6 da Norma da Portaria DAEE nº 717/96. Trata dos requerimentos, documentação

Leia mais

SISEMA. Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos. POLÍCIA MILITAR D E M I N A S G E R A I S Nossa profissão, sua vida.

SISEMA. Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos. POLÍCIA MILITAR D E M I N A S G E R A I S Nossa profissão, sua vida. SISEMA Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos POLÍCIA MILITAR D E M I N A S G E R A I S Nossa profissão, sua vida. CADASTRO TÉCNICO FEDERAL Atos Autorizativos/Regularização Ambiental SISEMA

Leia mais

UHE PCH. LICENCIAMENTO AMBIENTAL Federal. Roberto Huet de Salvo Souza

UHE PCH. LICENCIAMENTO AMBIENTAL Federal. Roberto Huet de Salvo Souza LICENCIAMENTO AMBIENTAL Federal UHE PCH Roberto Huet de Salvo Souza - I B A M A N Ú C L E O D E L I C E N C I A M E N T O A M B I E N T A L NLA/SUPES- RJ O que é licenciamento ambiental? Para que serve?

Leia mais

PATRIMÔNIO AMBIENTAL

PATRIMÔNIO AMBIENTAL PATRIMÔNIO AMBIENTAL PATRIMÔNIO Conjunto de direitos e obrigações de uma pessoa PATRIMÔNIO Bem ou conjunto de bens culturais ou naturais valor reconhecido para determinada localidade, região, país, ou

Leia mais

VERDADES E MENTIRAS SOBRE O PROJETO DE LEI QUE ALTERA O CÓDIGO FLORESTAL

VERDADES E MENTIRAS SOBRE O PROJETO DE LEI QUE ALTERA O CÓDIGO FLORESTAL VERDADES E MENTIRAS SOBRE O PROJETO DE LEI QUE ALTERA O CÓDIGO FLORESTAL 1. Por que o código florestal precisa ser mudado? O Código Florestal de 1965 é uma boa legislação. Aliás, caso fosse exigido o cumprimento

Leia mais

LICENCIAMENTO COM AVALIAÇÃO DE IMPACTO AMBIENTAL

LICENCIAMENTO COM AVALIAÇÃO DE IMPACTO AMBIENTAL LICENCIAMENTO AMBIENTAL NO ESTADO DE SÃO PAULO LICENCIAMENTO COM AVALIAÇÃO DE IMPACTO AMBIENTAL ANA CRISTINA PASINI DA COSTA Diretora de Tecnologia, Qualidade e Avaliação Ambiental CONTEÚDO 1. DEFINIÇÕES

Leia mais

Estabelece diretrizes e procedimentos para aplicação da compensação ambiental de empreendimentos considerados de significativo impacto ambiental.

Estabelece diretrizes e procedimentos para aplicação da compensação ambiental de empreendimentos considerados de significativo impacto ambiental. SEMMA INSTRUÇÃO NORMATIVA N 004 DE 18 DE MARÇO DE 2013 Estabelece diretrizes e procedimentos para aplicação da compensação ambiental de empreendimentos considerados de significativo impacto ambiental.

Leia mais

Passivos ambientais e restrições no uso de ocupação do solo. M.moliterno Engenharia Preventiva e Ambiental

Passivos ambientais e restrições no uso de ocupação do solo. M.moliterno Engenharia Preventiva e Ambiental Passivos ambientais e restrições no uso de ocupação do solo M.moliterno Engenharia Preventiva e Ambiental M.moliterno Engenharia Preventiva e Ambiental Historico: 1970 / 2000: Love Canal 1988: emergências

Leia mais

Informativo de Meio Ambiente da Fiesp. Edição nº 87 Ano VIII Agosto 2013. seminário na Fiesp. Investigação e Biorremediação de Área Complexas

Informativo de Meio Ambiente da Fiesp. Edição nº 87 Ano VIII Agosto 2013. seminário na Fiesp. Investigação e Biorremediação de Área Complexas Informativo de Meio Ambiente da Fiesp Edição nº 87 Ano VIII Agosto 2013 Investigação e Biorremediação de Área Complexas Contaminadas Organizado pela Câmara de Comércio Holanda-Brasil, Seminário reuniu

Leia mais

Certificado de Movimentação de Resíduos de Interesse Ambiental (CADRI)

Certificado de Movimentação de Resíduos de Interesse Ambiental (CADRI) Certificado de Movimentação de Resíduos de Interesse Ambiental (CADRI) Página 1 / 4 O que é CADRI? O CADRI (Certificado de Movimentação de Resíduos de Interesse Ambiental) e também conhecido como certificado

Leia mais

DELIBERAÇÃO CRH Nº 052, DE 15 DE ABRIL DE 2005. O Conselho Estadual de Recursos Hídricos CRH considerando que:

DELIBERAÇÃO CRH Nº 052, DE 15 DE ABRIL DE 2005. O Conselho Estadual de Recursos Hídricos CRH considerando que: DELIBERAÇÃO CRH Nº 052, DE 15 DE ABRIL DE 2005 O Conselho Estadual de Recursos Hídricos CRH considerando que: Institui no âmbito do Sistema Integrado de Gerenciamento de Recursos Hídricos - SIGRH diretrizes

Leia mais

LICENCIAMENTO AMBIENTAL. CIESP - Centro das Indústrias do Estado de São Paulo SOROCABA-SP

LICENCIAMENTO AMBIENTAL. CIESP - Centro das Indústrias do Estado de São Paulo SOROCABA-SP LICENCIAMENTO AMBIENTAL CIESP - Centro das Indústrias do Estado de São Paulo SOROCABA-SP 19/06/2012 Estrutura organizacional da CETESB depois da unificação do licenciamento Presidência Vice Presidência

Leia mais

Palácio dos Bandeirantes Av. Morumbi, 4.500 - Morumbi - CEP 05698-900 - Fone: 3745-3344 Nº 118 DOE de 24/06/06. Saúde GABINETE DO SECRETÁRIO

Palácio dos Bandeirantes Av. Morumbi, 4.500 - Morumbi - CEP 05698-900 - Fone: 3745-3344 Nº 118 DOE de 24/06/06. Saúde GABINETE DO SECRETÁRIO Diário Oficial Estado de São Paulo Poder Executivo Seção I Palácio dos Bandeirantes Av. Morumbi, 4.500 - Morumbi - CEP 05698-900 - Fone: 3745-3344 Nº 118 DOE de 24/06/06 Saúde GABINETE DO SECRETÁRIO Resolução

Leia mais

Sr. João de Munno Júnior Coordenador do Núcleo de Licenciamento Ambiental Dos Técnicos: Tathiana Bagatini Vilson José Naliato

Sr. João de Munno Júnior Coordenador do Núcleo de Licenciamento Ambiental Dos Técnicos: Tathiana Bagatini Vilson José Naliato SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS - IBAMA INFORMAÇÃO TÉCNICA N. 04/2012 NLA/SUPES-SP/IBAMA Ao: Sr. João de Munno

Leia mais

Encontro Gestão Eficiente de Água e Energia

Encontro Gestão Eficiente de Água e Energia Encontro Gestão Eficiente de Água e Energia 26 de novembro de 2015 10h às 17h30 Sistema FIRJAN Rio de Janeiro Outorga e Cobrança de Recursos Hídricos Cátia Siqueira - INEA Encontro Gestão Eficiente de

Leia mais

3 - Legislação 3.1 - Constituicao Federal

3 - Legislação 3.1 - Constituicao Federal 3 - Legislação 3.1 - Constituicao Federal 1946 -Utilização dos recursos naturais visando a exploração econômica dos mesmos, de acordo com as idéias que vigoravam na época -Ênfase à livre iniciativa e à

Leia mais

O Estado de São Paulo dispõe do Programa Estadual de Regularização de Núcleos Habitacionais - Cidade Legal, doravante denominado de Cidade Legal.

O Estado de São Paulo dispõe do Programa Estadual de Regularização de Núcleos Habitacionais - Cidade Legal, doravante denominado de Cidade Legal. O Estado de São Paulo dispõe do Programa Estadual de Regularização de Núcleos Habitacionais - Cidade Legal, doravante denominado de Cidade Legal. Em resumo, o programa fornece, mediante convênio de cooperação

Leia mais

O retrato da água no Brasil na visão da Sociedade

O retrato da água no Brasil na visão da Sociedade O retrato da água no Brasil na visão da Sociedade Enfrentando a escassez da água O Dia da Água, instituído por resolução da assembleia das ONU em 22 de março de 1992, chama atenção da sociedade para a

Leia mais

Instrumentos Legais de Proteção Ambiental em Propriedades Rurais

Instrumentos Legais de Proteção Ambiental em Propriedades Rurais Instrumentos Legais de Proteção Ambiental em Propriedades Rurais Uberlândia Minas Gerais Abril de 2015 Índice Introdução... 2 Instrumentos de planejamento e gestão do uso do solo... 2 Zoneamento Ecológico-

Leia mais

Recursos Hídricos & Saneamento. Prof. Francisco José de Totedo Piza fmmmpiza@terra.com.br

Recursos Hídricos & Saneamento. Prof. Francisco José de Totedo Piza fmmmpiza@terra.com.br Recursos Hídricos & Saneamento Prof. Francisco José de Totedo Piza fmmmpiza@terra.com.br Gestão de Recursos Hídricos Planejamento e Estruturação Estrutura Federal Ministério do Meio Ambiente (MMA) Secretaria

Leia mais

Seminário sobre a Cobrança pelo uso dos Recursos Hídricos Urbanos e Industriais

Seminário sobre a Cobrança pelo uso dos Recursos Hídricos Urbanos e Industriais Seminário sobre a Cobrança pelo uso dos Recursos Hídricos Urbanos e Industriais Experiência das bacias hidrográficas dos rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí Cláudia Hornhardt Siqueira Fonseca Caroline

Leia mais

SANDRA RODRIGUES GASPAR

SANDRA RODRIGUES GASPAR UNIVERSIDADE MUNICIPAL DE SÃO CAETANO DO SUL PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA PROGRAMA DE MESTRADO EM ADMINISTRAÇÃO SANDRA RODRIGUES GASPAR INTEGRAÇÃO REGIONAL E GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOS: O

Leia mais

ALEXANDRA FACCIOLLI MARTINS Buenos Aires - 05/06/14

ALEXANDRA FACCIOLLI MARTINS Buenos Aires - 05/06/14 ALEXANDRA FACCIOLLI MARTINS Buenos Aires - 05/06/14 1 SISTEMA CANTAREIRA: LOCALIZAÇÃO 2 REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO Disponibilidade Hídrica = Regiões Áridas 7.900 km² (quase coincidente com a Bacia

Leia mais

Enquadramento dos Corpos de Água em Classes segundo os Usos Preponderantes. Correlação com Plano de Bacia, Sistema de Informação e Monitoramento

Enquadramento dos Corpos de Água em Classes segundo os Usos Preponderantes. Correlação com Plano de Bacia, Sistema de Informação e Monitoramento Enquadramento dos Corpos de Água em Classes segundo os Usos Preponderantes Correlação com Plano de Bacia, Sistema de Informação e Monitoramento Plano de Recursos Hídricos Plano diretor de longo prazo que

Leia mais

Desafios do enquadramento e Objetivos da oficina

Desafios do enquadramento e Objetivos da oficina Oficina sobre Estratégias para o Enquadramento de Corpos d Água: Aspectos Técnicos e Institucionais PARCERIA: ANA E CTPNRH/CNRH Desafios do enquadramento e Objetivos da oficina Brasília DF, 09 de Setembro

Leia mais

CONDICIONANTES NÃO VINCULADAS À VIABILIDADE AMBIENTAL. Ricardo Carneiro

CONDICIONANTES NÃO VINCULADAS À VIABILIDADE AMBIENTAL. Ricardo Carneiro CONDICIONANTES NÃO VINCULADAS À VIABILIDADE AMBIENTAL Ricardo Carneiro PROEMINÊNCIA E HIPERTROFIA DO LICENCIAMENTO AMBIENTAL COMO INSTRUMENTO DE CONTROLE DE ATIVIDADES MODIFICADORAS DO MEIO AMBIENTE CONDICIONANTES

Leia mais

RESOLUÇÃO CONAMA Nº 006, DE 16 DE SETEMBRO DE 1987

RESOLUÇÃO CONAMA Nº 006, DE 16 DE SETEMBRO DE 1987 RESOLUÇÃO CONAMA Nº 006, DE 16 DE SETEMBRO DE 1987 Estabelece regras gerais para Licenciamento Ambiental de Obras de Grande Porte, notadamente de instalações de geração de energia elétrica. O CONSELHO

Leia mais

Dimensão Ambiental GRUPO IF

Dimensão Ambiental GRUPO IF Dimensão Ambiental GRUPO IF Serviços Financeiros Instituições Financeiras, Seguradoras Dimensão Ambiental 119 GRUPO IF... 118 CRITÉRIO I - POLÍTICA... 120 INDICADOR 1. COMPROMISSO, ABRANGÊNCIA E DIVULGAÇÃO

Leia mais

Licenciamento Ambiental e Municipal

Licenciamento Ambiental e Municipal Curso de Treinamento - ABLP Licenciamento Ambiental e Municipal Simone Paschoal Nogueira 14 de outubro de 2008 Sede da ABLP Procedimento pelo qual o órgão ambiental competente permite a localização, instalação,

Leia mais

GERENCIAMENTO 12 DAS SUBTERRÂNEAS. Elcio Linhares Silveira 6 14

GERENCIAMENTO 12 DAS SUBTERRÂNEAS. Elcio Linhares Silveira 6 14 GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO EXPERIÊNCIA E CASOS PRÁTICOS NO GERENCIAMENTO DAS ÁGUAS 15 8 18 GERENCIAMENTO 12 DAS 19 SUBTERRÂNEAS 4 16 20 21 22 17 X ÁREA CONTAMINADA 13 11 5 1 10 2 Elcio Linhares Silveira

Leia mais

CHAMAMENTO PARA A ELABORAÇÃO DE ACORDO SETORIAL PARA A IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMA DE LOGÍSTICA REVERSA DE MEDICAMENTOS EDITAL Nº 02/2013

CHAMAMENTO PARA A ELABORAÇÃO DE ACORDO SETORIAL PARA A IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMA DE LOGÍSTICA REVERSA DE MEDICAMENTOS EDITAL Nº 02/2013 CHAMAMENTO PARA A ELABORAÇÃO DE ACORDO SETORIAL PARA A IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMA DE LOGÍSTICA REVERSA DE MEDICAMENTOS EDITAL Nº 02/2013 O MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE, tendo em vista o disposto na Lei nº

Leia mais

Curso de Direito Ambiental

Curso de Direito Ambiental Curso de Direito Ambiental 1. NOÇÕES PRELIMINARES 1.1 Direitos de terceira geração 1.1.1 Introdução 1.1.2 Direitos difusos 1.1.3 Direitos coletivos stricto sensu 1.1.4 Direitos individuais homogêneos 1.2

Leia mais

Instrução Normativa nº 008, de 08 de agosto de 2014.

Instrução Normativa nº 008, de 08 de agosto de 2014. Instrução Normativa nº 008, de 08 de agosto de 2014. O diretor-presidente do Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Espírito Santo - IDAF, usando das atribuições que lhe confere o artigo 48 do

Leia mais

CAPÍTULO 2: HISTÓRICO DA ATIVIDADE DE DRAGAGEM NO PORTO DE SANTOS

CAPÍTULO 2: HISTÓRICO DA ATIVIDADE DE DRAGAGEM NO PORTO DE SANTOS CAPÍTULO 2: HISTÓRICO DA ATIVIDADE DE DRAGAGEM NO PORTO DE SANTOS Capítulo II l CAPÍTULO 2: HISTÓRICO DA ATIVIDADE DE DRAGAGEM NO PORTO DE SANTOS No presente capítulo são apresentadas as informações mais

Leia mais

A RESPONSABILIDADE PÓS CONSUMO E O PAPEL DO PODER PÚBLICO E DA SOCIEDADE CIVIL SJCAMPOS 24/10/2015

A RESPONSABILIDADE PÓS CONSUMO E O PAPEL DO PODER PÚBLICO E DA SOCIEDADE CIVIL SJCAMPOS 24/10/2015 A RESPONSABILIDADE PÓS CONSUMO E O PAPEL DO PODER PÚBLICO E DA SOCIEDADE CIVIL SJCAMPOS 24/10/2015 * Dados da Abrelpe 2009 e 2010 e IBGE (Contagem da população 2009 e Censo 2010) PROBLEMAS A SEREM ENFRENTADOS

Leia mais

ROTEIRO PARA A ELABORAÇÃO DO RAS Hotel e restaurante com queima de combustível

ROTEIRO PARA A ELABORAÇÃO DO RAS Hotel e restaurante com queima de combustível ROTIRO PR LBORÇÃO DO RS 1 Informações iniciais Indentificação do empreendedor Razão Social CNPJ ndereço Telefone 2 Responsável pelo empreendimento: Responsável pelo RS Caracterização do mpreendimento Nome

Leia mais

PORTARIA Nº 199/2012*

PORTARIA Nº 199/2012* PORTARIA Nº 199/2012* Dispõe sobre a documentação necessária para abertura de processos administrativos da área de vigilância sanitária de alimentos O SECRETÁRIO DE ESTADO DA SAÚDE, no uso das atribuições

Leia mais

DE COMBUSTÍVEIS POST

DE COMBUSTÍVEIS POST POSTOS E SISTEMAS RET ETALHIST ALHISTAS AS DE COMBUSTÍVEIS ROTEIRO PARA POST OSTOS JÁ EXISTENTES PROCEDIMENTOS PARA LICENCIAMENTO AMBIENTAL DE POSTOS E SISTEMAS RETALHISTAS DE COMBUSTÍVEIS CADASTRO 2001

Leia mais

AGÊNCIA DE ÁGUA PCJ PARECER TÉCNICO Nº: 01/2007. Assunto: SOLICITAÇÃO DE ABATIMENTO DO VALOR DBO - 2006 1. IDENTIFICAÇÃO

AGÊNCIA DE ÁGUA PCJ PARECER TÉCNICO Nº: 01/2007. Assunto: SOLICITAÇÃO DE ABATIMENTO DO VALOR DBO - 2006 1. IDENTIFICAÇÃO AGÊNCIA DE ÁGUA PCJ CONSÓRCIO PCJ COMITÊS PCJ PARECER TÉCNICO Nº: 01/2007 Assunto: SOLICITAÇÃO DE ABATIMENTO DO VALOR DBO - 2006 1. IDENTIFICAÇÃO Tomador: Companhia de Saneamento Básico do Estado de São

Leia mais

EMPREENDIMENTOS HIDRELÉTRICOS INSTRUÇÕES PARA CADASTRAMENTO E HABILITAÇÃO TÉCNICA COM VISTAS À PARTICIPAÇÃO NOS LEILÕES DE ENERGIA

EMPREENDIMENTOS HIDRELÉTRICOS INSTRUÇÕES PARA CADASTRAMENTO E HABILITAÇÃO TÉCNICA COM VISTAS À PARTICIPAÇÃO NOS LEILÕES DE ENERGIA EMPREENDIMENTOS HIDRELÉTRICOS INSTRUÇÕES PARA CADASTRAMENTO E HABILITAÇÃO TÉCNICA COM VISTAS À PARTICIPAÇÃO NOS LEILÕES DE ENERGIA Governo Federal Ministério de Minas e Energia Ministro Silas Rondeau Cavalcante

Leia mais

Portaria IEF nº 30, de 03 de fevereiro de 2015.

Portaria IEF nº 30, de 03 de fevereiro de 2015. Portaria IEF nº 30, de 03 de fevereiro de 2015. Estabelece diretrizes e procedimentos para o cumprimento da compensação ambiental decorrente do corte e da supressão de vegetação nativa pertencente ao bioma

Leia mais

COMPENSAÇÃO AMBIENTAL NO PROCESSO DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL

COMPENSAÇÃO AMBIENTAL NO PROCESSO DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL COMPENSAÇÃO AMBIENTAL NO PROCESSO DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL O instrumento da Compensação Ambiental está contido expressamente no Art. 36 da Lei N o 9985 de 18 Julho de 2000 que institui o Sistema Nacional

Leia mais

RESOLUÇÃO CNRH N o 140, DE 21 DE MARÇO 2012

RESOLUÇÃO CNRH N o 140, DE 21 DE MARÇO 2012 MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DE RECURSOS HÍDRICOS RESOLUÇÃO CNRH N o 140, DE 21 DE MARÇO 2012 (Publicada no D.O.U em 22/08/2012) Estabelece critérios gerais para outorga de lançamento

Leia mais

Visões Ambientais para o Financiamento de Biocombustíveis no Brasil

Visões Ambientais para o Financiamento de Biocombustíveis no Brasil A expansão da agroenergia e seus impactos sobre os ecossistemas brasileiros Rio de Janeiro, 26-27 março 2007 Visões Ambientais para o Financiamento de Biocombustíveis no Brasil Eduardo Bandeira de Mello

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ARARAQUARA UNIARA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO REGIONAL E MEIO AMBIENTE

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ARARAQUARA UNIARA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO REGIONAL E MEIO AMBIENTE CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ARARAQUARA UNIARA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO REGIONAL E MEIO AMBIENTE A TRAJETÓRIA DO COMITÊ DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO MOGI GUAÇU E SUAS CONTRIBUIÇÕES PARA

Leia mais

Para as categorias e subcategorias assim definidas, o PERH/PB propõe um total de 24 programas, cujos perfis são apresentados a seguir.

Para as categorias e subcategorias assim definidas, o PERH/PB propõe um total de 24 programas, cujos perfis são apresentados a seguir. 10.2 Perfis dos Programas Para as categorias e subcategorias assim definidas, o PERH/PB propõe um total de 24 programas, cujos perfis são apresentados a seguir. PERH/PB Categoria I Desenvolvimento e Articulação

Leia mais

Oficina Preparatória para Captação FEHIDRO. Cronograma e Anexos

Oficina Preparatória para Captação FEHIDRO. Cronograma e Anexos Oficina Preparatória para Captação de Recursos das Cobranças PCJ e FEHIDRO Cronograma e Anexos Comitês PCJ 14/12/2012 Itapeva -MG Deliberação dos Comitês PCJ nº 164/12 Cronograma Relação das Ações Financiáveis

Leia mais

DELIBERAÇÃO CBH-AT nº 04 de 31/03/2008

DELIBERAÇÃO CBH-AT nº 04 de 31/03/2008 Dispõe sobre a hierarquização e indicação de empreendimentos para financiamento com recursos oriundos do Fundo Estadual de Recursos Hídricos FEHIDRO, referentes ao exercício de 2007/2008, e dá outras providências.

Leia mais

NOVO CÓDIGO FLORESTAL: ASPECTOS LEGAIS AMBIENTAIS RELEVANTES

NOVO CÓDIGO FLORESTAL: ASPECTOS LEGAIS AMBIENTAIS RELEVANTES NOVO CÓDIGO FLORESTAL: ASPECTOS LEGAIS AMBIENTAIS RELEVANTES 25 de Setembro de 2012 ESPAÇOS TERRITORIAIS ESPECIALMENTE PROTEGIDOS Cabe ao Poder Público definir, em todas as unidades da Federação, espaços

Leia mais

Gestão de Recursos Hídricos no Estado de São Paulo

Gestão de Recursos Hídricos no Estado de São Paulo COORDENADORIA DE PLANEJAMENTO AMBIENTAL ESTRATÉGICO E EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA SMA CURSO DE GESTÃO AMBIENTAL - 18 DE MAIO DE 2006 Gestão de Recursos Hídricos no Estado de São Paulo Rui Brasil Assis Coordenador

Leia mais

Órgão de Coordenação: Secretaria de Estado da Ciência e Tecnologia e do Meio Ambiente SECTMA

Órgão de Coordenação: Secretaria de Estado da Ciência e Tecnologia e do Meio Ambiente SECTMA 12.4 SISTEMA DE GESTÃO PROPOSTO 12.4.1 ASPECTOS GERAIS O Sistema de Gestão proposto para o PERH-PB inclui órgãos da Administração Estadual, Administração Federal, Sociedade Civil e Usuários de Água, entre

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DO MEIO AMBIENTE Lei No. 6.938/81

POLÍTICA NACIONAL DO MEIO AMBIENTE Lei No. 6.938/81 POLÍTICA NACIONAL DO MEIO AMBIENTE Lei No. 6.938/81 ANTECEDENTES HISTÓRICOS CONCEITOS PRINCÍPIOS OBJETIVOS DIRETRIZES INSTRUMENTOS SISNAMA CONAMA PENALIDADES GENERALIDADES ANTECEDENTES HISTÓRICOS Liga

Leia mais

XXI Conferência Nacional dos Advogados

XXI Conferência Nacional dos Advogados DIFICULDADES RELACIONADAS AO E À AVALIAÇÃO DE IMPACTOS AMBIENTAIS. XXI Conferência Nacional dos Advogados Eng. Florestal MSc. Dr. Joesio D. P. Siqueira Vice-Presidente da STCP Engenharia de Projetos Ltda.

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA No- 184, DE 17 DE JULHO DE 2008

INSTRUÇÃO NORMATIVA No- 184, DE 17 DE JULHO DE 2008 INSTRUÇÃO NORMATIVA No- 184, DE 17 DE JULHO DE 2008 O PRESIDENTE DO INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS - IBAMA, nomeado pela Portaria No- 383, de 02 de junho de 2008,

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 066 CONSUPER/2013

RESOLUÇÃO Nº. 066 CONSUPER/2013 RESOLUÇÃO Nº. 066 CONSUPER/2013 Dispõe sobre o Regulamento sobre Movimentação de servidores no âmbito do Instituto Federal Catarinense. O Presidente do do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia

Leia mais

2ª Seminário Internacional de Biotecnologia Bacia Hidrográfica: Unidade de Gerenciamento para Ações Descentralizadas

2ª Seminário Internacional de Biotecnologia Bacia Hidrográfica: Unidade de Gerenciamento para Ações Descentralizadas 2ª Seminário Internacional de Biotecnologia Bacia Hidrográfica: Unidade de Gerenciamento para Ações Descentralizadas Mesa Redonda Cobrança pelo Uso da Água e Aplicação Recursos Arrecadados Cláudia Hornhardt

Leia mais

Articulação e operacionalização do sistema de alerta de cheias da Bacia Hidrográfica do rio Itajaí

Articulação e operacionalização do sistema de alerta de cheias da Bacia Hidrográfica do rio Itajaí Articulação e operacionalização do sistema de alerta de cheias da Bacia Hidrográfica do rio Itajaí Competências dos atores intervenientes Dra. Noemia Bohn (FURB) Lei nº 9.433/97 Política Nacional de Recursos

Leia mais

Área de restrição e controle de capacitação e uso de águas subterrâneas PROJETO JURUBATUBA. INSTITUTO DE ENGENHARIA 29 Junho de 2011

Área de restrição e controle de capacitação e uso de águas subterrâneas PROJETO JURUBATUBA. INSTITUTO DE ENGENHARIA 29 Junho de 2011 Área de restrição e controle de capacitação e uso de águas subterrâneas PROJETO JURUBATUBA INSTITUTO DE ENGENHARIA 29 Junho de 2011 Câmara Técnica de Águas Subterrâneas do CRH Coordenador Gerôncio Rocha

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE ÁGUA

AGÊNCIA NACIONAL DE ÁGUA AGÊNCIA NACIONAL DE ÁGUA SUPERINTENDÊNCIA DE COBRANÇA E CONSERVAÇÃO JOAQUIM GABRIEL MACHADO NETO 29.11.2001 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Secretaria Especial de Desenvolvimento Urbano Programa de Modernização

Leia mais

A IMPLEMENTAÇÃO DAS POLÍTICAS NACIONAL E ESTADUAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS. Nelson R. Bugalho

A IMPLEMENTAÇÃO DAS POLÍTICAS NACIONAL E ESTADUAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS. Nelson R. Bugalho A IMPLEMENTAÇÃO DAS POLÍTICAS NACIONAL E ESTADUAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS Nelson R. Bugalho Vice-Presidente da CETESB Promotor de Justiça do Meio Ambiente e Urbanismo Mestre em Direito Penal Supraindividual

Leia mais

PLANEJAMENTO AMBIENTAL ESTRATÉGICO: Desafios para as Pequenas Empresas

PLANEJAMENTO AMBIENTAL ESTRATÉGICO: Desafios para as Pequenas Empresas PLANEJAMENTO AMBIENTAL ESTRATÉGICO: Desafios para as Pequenas Empresas Prof. Dr. Eduardo Trani Faculdade SENAC de Educação Ambiental Seminário de Resultados do Programa de Gestão Ambiental do SEBRAE-SP

Leia mais

Legislação Pesqueira e Ambiental. Prof.: Thiago Pereira Alves

Legislação Pesqueira e Ambiental. Prof.: Thiago Pereira Alves Técnico em Aquicultura Legislação Pesqueira e Ambiental Prof.: Thiago Pereira Alves DIREITO AMBIENTAL NO BRASIL Política Nacional do Meio Ambiente Direito Ambiental Constitucional Direito Ambiental Constitucional

Leia mais

Lei n. 3.245, de 17 de junho de 2014.

Lei n. 3.245, de 17 de junho de 2014. Dispõe sobre o Licenciamento Ambiental no Município de Serafina Corrêa e sobre a regulamentação das Taxas de Licenciamento Ambiental e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE SERAFINA CORREA, seguinte

Leia mais

Versão: 3 Início de Vigência: 01.10.2008 Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nº 3.042, de 14 de agosto de 2008

Versão: 3 Início de Vigência: 01.10.2008 Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nº 3.042, de 14 de agosto de 2008 Procedimento de Comercialização MANUTENÇÃO DE CADASTRO DE AGENTES DA CCEE E USUÁRIOS DO SCL Versão: 3 Início de Vigência: Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nº 3.042, de 14 de agosto de 2008 ÍNDICE

Leia mais

M e m o r a n d o a o s C l i e n t e s

M e m o r a n d o a o s C l i e n t e s M e m o r a n d o a o s C l i e n t e s DIREITO AMBIENTAL Data 29/7/2005 Nesta Edição: Áreas Especialmente Protegidas intervenções em área de preservação permanente / unidades de conservação Gestão Ambiental

Leia mais

4º CONGRESSO SIMEPETRO

4º CONGRESSO SIMEPETRO 4º CONGRESSO SIMEPETRO POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS E LOGÍSTICA REVERSA Walter Françolin SINDIRREFINO - Agosto 2011 LEI nº 12.305 de 02 de Agosto de 2.010. institui a Política Nacional de Resíduos

Leia mais

INCENTIVO À QUALIFICAÇÃO SERVIDORES TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS

INCENTIVO À QUALIFICAÇÃO SERVIDORES TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS INCENTIVO À QUALIFICAÇÃO SERVIDORES TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS O Incentivo à Qualificação é um benefício, na forma de retribuição financeira, calculado sobre o padrão de vencimento percebido pelo servidor,

Leia mais