PARECER Nº, DE RELATORA: Senadora FÁTIMA CLEIDE I RELATÓRIO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PARECER Nº, DE 2009. RELATORA: Senadora FÁTIMA CLEIDE I RELATÓRIO"

Transcrição

1 PARECER Nº, DE 2009 Da COMISSÃO DE ASSUNTOS SOCIAIS, em decisão terminativa, sobre o Projeto de Lei do Senado nº 226, de 2003, do Senador GERSON CAMATA, que altera a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), aprovada pelo Decreto-lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943, e a Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990, que dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), para regular o trabalho do adolescente. RELATORA: Senadora FÁTIMA CLEIDE I RELATÓRIO Vem à análise desta Comissão, em decisão terminativa, iniciativa do Senador Gerson Camata que altera a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), aprovada pelo Decreto-Lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943, e a Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990, que dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), para regular o trabalho do menor. Inicialmente distribuída unicamente para esta Comissão, a proposição tramitou também na Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa CDH, em face da promulgação da Resolução nº 1, de 22 de fevereiro de 2005, que criou a Comissão de Agricultura e Reforma Agrária e alterou a denominação de inúmeras Comissões desta Casa. Assim, redistribuída pela Presidência a matéria teve a oitiva preliminar da Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa CDH, onde foi aprovada na sessão de 30 de agosto de 2005 o Parecer do eminente Senador ROMEU TUMA com a adição de três emendas, que abordaremos no desenvolvimento do nosso Parecer.

2 2 As alterações do projeto, no que respeita à CLT, concentram-se no capítulo IV, referente à proteção do trabalho do menor. O projeto limita o horário de trabalho do adolescente a quatro horas diárias e vinte semanais e exige compatibilidade com o horário escolar; limita a duas horas diárias a possibilidade de prorrogação de jornada, desde que respeitado o limite de 20 horas semanais e, em casos excepcionais e por motivo de força maior, admite a prorrogação da jornada até o máximo de oito horas diárias, respeitado um descanso de, no mínimo, 15 minutos antes do início do período extraordinário (arts. 411 e 413). A CDH neste particular alterou a redação do inciso II do art. 413 da CLT para consignar que a prorrogação da jornada de trabalho para oito horas deve ter adicional de cinqüenta por cento sobre a hora normal e desde que o trabalho do menor seja imprescindível ao funcionamento do estabelecimento. Estabelece ainda o projeto, no art. 411-A, que as férias do menor deverão coincidir com o período de suas férias escolares; no art. 424-A, que os responsáveis legais de menores trabalhadores que desrespeitarem as determinações constantes na lei poderão ser destituídos do pátrio poder ou tutela; no art. 429-A, que somente poderão ser admitidos, como aprendizes, aqueles que tiverem concluído o ensino fundamental, ou tenham conhecimentos mínimos essenciais para a preparação profissional e comprovarem, em processo de seleção profissional, possuir aptidão física e mental para a atividade que pretendem exercer. No art. 429-B, estabelece o projeto a obrigatoriedade de freqüência do menor ao curso de aprendizagem em que estiver matriculado, sob pena de perda dos salários dos dias correspondentes e, no caso de absenteísmo reiterado ou falta de aproveitamento razoável, a possibilidade de dispensa do menor por justa causa. Neste artigo a CDH alterou a redação do 2º para dispor que a falta reiterada no cumprimento da obrigação prevista no art. 429-B da CLT ou a falta de aproveitamento que implique perda do ano letivo serão consideradas justa causa para a dispensa do aprendiz.

3 3 Relativamente à Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990, a proposição acrescenta três dispositivos ao denominado Estatuto da Criança e do Adolescente. Assim, temos que, nos termos do projeto, o estabelecimento, onde se realiza o trabalho educativo, não poderá ter fins lucrativos, tendo enfoque na qualificação profissional dos alunos e repassando a estes o saldo dos resultados obtidos com a produção. Define, no art. 69-A, estágio profissionalizante como o período durante o qual as qualificações assimiladas no período de formação técnica são experimentadas nas empresas, estabelecendo as condições e requisitos para a formalização do período de estágio, permitindo que seja gratuito. Estabelece, no art. 69-B, que a carga horária, duração e jornada do estágio serão definidas pela instituição de ensino, não podendo ser superior a dois anos, nem inferior a um semestre. No art. 69-C, cria a figura da cooperativa escola, formada por alunos de estabelecimento de ensino e tendo como objetivos: a educação dos alunos dentro dos princípios do cooperativismo; ser instrumento operacional dos processos de aprendizagem; a defesa econômica dos interesses comuns, visando à aquisição de material didático e insumos necessários ao exercício da vida escolar; comercialização dos produtos do processo de aprendizagem e prestação de demais serviços de interesse dos associados. Finalmente, no art. 69-D, determina que a administração e fiscalização das cooperativas fiquem a cargo de associados civilmente capazes, podendo contar com um conselho de representantes integrados por associados maiores de dezesseis anos e, caso a administração seja composta por menores de dezesseis anos, determina que o Ministério Público deve atuar como curador para o exercício dos atos civis da entidade. Ao fundamentar sua proposta, afirma o autor a necessidade de preencher lacunas na legislação que disciplina o trabalho do menor aprendiz, com vistas a obstar a exploração do trabalho juvenil, que é usada muitas vezes em substituição à força de trabalho dos adultos com o objetivo de redução de custos.

4 4 Ao projeto foram apresentadas duas emendas, de autoria do Senador Antonio Carlos Valadares. A primeira determina a exclusão do 3º do art. 69-A, o qual possibilitava a realização de estágio não remunerado. Argumenta que a retribuição pelo trabalho do jovem estagiário, ainda que não importe em contraprestação monetária, deve permitir a cobertura de despesas com alimentação, vestuário e transporte, concluindo que o estudante como qualquer trabalhador não deve pagar para trabalhar. A segunda emenda acrescenta, ao art. 69-A, dois parágrafos para determinar que o estágio somente possa ser realizado em unidades com condições de oferecer experiência na área de formação do jovem trabalhador e, também, dispor que o estágio não cria vínculo empregatício de qualquer natureza. Na CDH embora tenha ficado obscura no Parecer a menção a supressão aos arts. 68-A e 68-B é o que se depreende da sua análise, onde se inscreveu que tais dispositivos estariam prejudicados à luz da Lei nº 6.494, de 7 de dezembro de II ANÁLISE Preliminarmente, assinalamos que o projeto não apresenta vícios de constitucionalidade, nem de legalidade. A iniciativa, no âmbito do Direito do Trabalho, está em harmonia com os preceitos constitucionais, jurídicos e regimentais e foi elaborada com observância dos pressupostos relativos à iniciativa e à competência para legislar (art. 61 e caput do art. 48 da Carta Magna, respectivamente). Passemos, pois, à análise do mérito. No que importa à fixação do horário de trabalho do menor aprendiz em quatro horas diárias e vinte semanais, somada à determinação de que o horário de trabalho do menor deverá ser compatível com o horário escolar, a iniciativa deve ser muito bem sopesada. O que se propõe é uma redução de 44 horas para 20 horas como teto de jornada semanal. A aprovação de medida desta natureza poderá ter um impacto enorme, colocando para fora do mercado de trabalho um contingente enorme de trabalhadores jovens ávidos por experiência profissional, a partir dos 16 anos de idade.

5 5 A Lei 8.069, de 1990, proíbe a menores de 14 anos de idade o trabalho, salvo na condição de aprendiz. Entretanto, o art. 60 dessa Lei deverá ser entendido como a proibição do trabalho aos menores de 16 anos, por força da Emenda Constitucional nº 20, que alterou o artigo 7, XXXIII da Constituição Federal, proibindo qualquer trabalho a menores de 16 anos, salvo na condição de aprendiz, à partir dos 14 anos, pela razão de que a norma constitucional prevalece sobre as leis infra-constitucionais. Esta proibição tem em vista a filosofia da Lei 8.069, de 1990, visando à proteção integral da criança e do adolescente. Presume-se que antes dos 16 anos de idade (idade introduzida pela Emenda Constitucional nº 20) o menor há de receber a instrução e educação devida, necessitando, para trabalhador de um desenvolvimento adequado, além do necessário lazer que lhe deve ser assegurado. Por sua idade e desenvolvimento físico e mental, a Lei busca evitar futuros desgastes que irão prejudicar o futuro empregado. A Lei 8.069, de 1990, considera aprendizagem a formação técnico-profissional ministrada segundo as diretrizes e bases da legislação e educação em vigor. Saliente-se ainda que a Lei nº , de 2000, já introduziu na CLT que a jornada máxima do aprendiz não excederá seis horas diárias, senão vejamos: Art A duração do trabalho do aprendiz não excederá de seis horas diárias, sendo vedadas a prorrogação e a compensação de jornada. 1 o O limite previsto neste artigo poderá ser de até oito horas diárias para os aprendizes que já tiverem completado o ensino fundamental, se nelas forem computadas as horas destinadas à aprendizagem teórica. Por esta razão seria temerária uma alteração do limite máximo da jornada neste momento sem estudos preliminares que possam demonstrar o impacto desta medida na formação de nossos jovens e nos programas sociais em andamento envolvendo inúmeros convênios entre entidades privadas e o poder público.

6 6 Nesse cenário estaria prejudicada também a disposição que se refere à regulação da prestação de serviço extraordinário pelo menor. A determinação contida no art. 411-A, estabelecendo que as férias dos menores coincidam com as férias escolares, é desnecessária, porquanto já existe previsão expressa nesse sentido no art. 136, 2 da CLT. O art. 424-A estabelece a possibilidade de perda do pátrio poder, caso haja o descumprimento da legislação de regência, por parte dos responsáveis legais de menores trabalhadores. A disciplina desta matéria deve estar reservada a esfera do direito civil dada à natureza das questões familiares envolvidas, salientando-se que o novo Código Civil instituiu o Poder Familiar (art do CC) em substituição ao pátrio poder. Os arts. 429-A e 429-B dispõem acerca da necessidade, para admissão como aprendiz, que o menor haja concluído o ensino fundamental, ou tenha conhecimentos mínimos essenciais para a preparação profissional; da obrigatoriedade de seleção profissional para atestar a aptidão física e mental para a atividade pretendida; da obrigatoriedade de freqüência, sob pena de perda dos salários dos dias correspondentes e, no caso de absenteísmo reiterado ou falta de aproveitamento razoável, a possibilidade de dispensa do menor por justa causa. As determinações contidas nesses dispositivos são medidas que já estão em vigor na sua maioria. O exame admissional é obrigatório para qual admissão de empregado segundo a Norma Regulamentara (NR) nº 7 do Ministério do Trabalho e Emprego. A freqüência escolar é requisito intrínseco ao processo de aprendizagem, sob pena de desconsideração da condição de aprendiz. Passamos agora a analisar as alterações que o projeto propõe para a Lei nº 8.069, de 1990.

7 7 A determinação contida no art. 68-A, de que a escola-produção em que se realize trabalho educativo não poderá ter fins lucrativos, e de que privilegiará a qualificação profissional dos alunos, repassando a estes o saldo dos resultados obtidos com a produção, é alternativa que merece maior reflexão. A proposta tem todos os contornos de programa de Governo que necessitaria de aporte de recursos e formatação específica para que possa ter êxito. Uma legislação da complexidade do Estatuto da Criança e do Adolescente não seria a melhor opção para tratarmos dessa matéria, em que pese a motivação do seu autor com esta proposta. Os arts. 69-A e 69-B trazem regras relativas ao estágio profissionalizante. Todavia, a matéria já se encontra propriamente normatizada pela Lei nº de 25 de setembro de 2008 que dispõe sobre o estágio de estudantes; altera a redação do art. 428 da Consolidação das Leis do Trabalho CLT, aprovada pelo Decreto-Lei n o 5.452, de 1 o de maio de 1943, e a Lei n o 9.394, de 20 de dezembro de 1996; revoga as Leis n os 6.494, de 7 de dezembro de 1977, e 8.859, de 23 de março de 1994, o parágrafo único do art. 82 da Lei n o 9.394, de 20 de dezembro de 1996, e o art. 6 o da Medida Provisória n o , de 24 de agosto de 2001; e dá outras providências. Salientamos que o projeto não trouxe, a não ser pela previsão da possibilidade de estágio não remunerado, qualquer inovação ao tratamento legal que está atualmente em vigor. Necessário observar que, no que diz respeito à previsão do projeto relativa ao estágio sem remuneração, razão assiste ao Senador Antônio Carlos Valadares, contida na justificação de emenda que apresentou nesta proposição ao afirmar que um estudante como qualquer trabalhador não deve pagar para trabalhar, devendo a contraprestação devida pelo estágio, ainda que singela, seja suficiente para cobrir as despesas decorrentes da própria prestação de serviços, tais como transporte e alimentação.

8 8 Nesse passo, temos que as emendas apresentadas ao projeto perdem o objeto, vez que os artigos que pretendem alterar serão objeto de emenda supressiva. Finalmente, passamos à análise dos arts. 69-C e 69-D que introduzem a figura da cooperativa escola. Não vemos como acolher os referidos dispositivos, haja vista a impossibilidade de harmonização da proteção e tutela especial que se deve dar ao trabalho dos menores, com o instituto da cooperativa de mão de obra, até porque não há instrumental eficiente para obstar e punir fraudes, abrindo-se uma perigosa oportunidade para que se escamoteie, sob um verniz de legalidade, situações de exploração e abuso do trabalho juvenil. III VOTO Em razão do exposto, opinamos pela rejeição do Projeto de Lei do Senado nº 226, de Sala da Comissão, 18 de novembro de Senadora Rosalba Ciarlini, Presidente Senadora Fátima Cleide, Relatora

9 9 SENADO FEDERAL COMISSÃO DE ASSUNTOS SOCIAIS IV - DECISÃO DA COMISSÃO A Comissão de Assuntos Sociais, em reunião realizada nesta data, decide pela rejeição do Projeto de Lei do Senado nº 226 de 2003, de autoria do Senador Gerson Camata. Sala da Comissão, em 18 de novembro de Senadora ROSALBA CIARLINI Presidente

PROJETO DE LEI N.º 030/2013.

PROJETO DE LEI N.º 030/2013. PROJETO DE LEI N.º 030/2013. Institui o Programa Menor Aprendiz no âmbito do Município de Bela Vista de Minas e dá outras providências. O Prefeito Municipal de Bela Vista de Minas, Estado de Minas Gerais,

Leia mais

E S T A D O D O M A T O G R O S S O

E S T A D O D O M A T O G R O S S O Lei n.º 1.392, de 17 de novembro de 2011. "AUTORIZA O PODER EXECUTIVO MUNICIPAL A CRIAR O PROGRAMA MUNICIPAL DE CONTRATAÇÃO DE MENOR APRENDIZ PELO MUNICIPIO DE JACIARA, NOS TERMOS DA PRESENTE LEI E DÁ

Leia mais

ASSESPRO ASSOCIAÇÃO DAS EMPRESAS BRASILEIRAS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, SOFTWARE E Internet - RS

ASSESPRO ASSOCIAÇÃO DAS EMPRESAS BRASILEIRAS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, SOFTWARE E Internet - RS ASSESPRO ASSOCIAÇÃO DAS EMPRESAS BRASILEIRAS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, SOFTWARE E Internet - RS DESTAQUE E PROPOSTAS DE ALTERAÇÃO PARA O PROJETO DE LEI 993/07. Artigo 1º, 1º constante no PL 993: CAPITULO

Leia mais

Proteção ao Trabalhador Menor

Proteção ao Trabalhador Menor Proteção ao Trabalhador Menor O trabalhador menor ganhou proteção legal para o desempenho de suas atividades, razão que lhe assiste por se encontrar num processo de amadurecimento físico, mental, moral,

Leia mais

LEI DO APRENDIZ. Art. 1 - Nas relações jurídicas pertinentes à contratação de aprendizes, será observado o disposto neste Decreto.

LEI DO APRENDIZ. Art. 1 - Nas relações jurídicas pertinentes à contratação de aprendizes, será observado o disposto neste Decreto. LEI DO APRENDIZ Regulamenta a contratação de aprendizes e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 84, inciso IV, da Constituição, e tendo em vista

Leia mais

Lei nº 11.788, de 25 de setembro de 2008

Lei nº 11.788, de 25 de setembro de 2008 UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PERNAMBUCO Curso de Comunicação Social Publicidade e Propaganda Ética e Legislação em Publicidade e Propaganda Profª. Cláudia Holder Nova Lei de Estágio (Lei nº 11.788/08) Lei

Leia mais

Contrato de Aprendizagem

Contrato de Aprendizagem COORDENAÇÃO-GERAL DE NORMAS DE CONTABILIDADE APLICADAS À FEDERAÇÃO - CCONF GERÊNCIA DE NORMAS E PROCEDIMENTOS DE GESTÃO FISCAL - GENOP Contrato de Aprendizagem GRUPO TÉCNICO DE PADRONIZAÇÃO DE RELATÓRIOS

Leia mais

APRENDIZ E ESTAGIÁRIO

APRENDIZ E ESTAGIÁRIO APRENDIZ E ESTAGIÁRIO Aprendiz é aquele que mediante contrato de aprendizagem ajustado por escrito e por prazo determinado, em que o empregador se compromete a assegurar ao maior de 14 e menor de 24 anos,

Leia mais

O CONTRATO DE APRENDIZAGEM E AS ALTERAÇÕES INTRODUZIDAS PELA LEI 10.097/2000

O CONTRATO DE APRENDIZAGEM E AS ALTERAÇÕES INTRODUZIDAS PELA LEI 10.097/2000 O CONTRATO DE APRENDIZAGEM E AS ALTERAÇÕES INTRODUZIDAS PELA LEI 10.097/2000 Grasiele Augusta Ferreira Nascimento 1 Introdução Um dos temas mais debatidos em Direito do Trabalho refere-se à proteção ao

Leia mais

LEI N o 10.097, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2000

LEI N o 10.097, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2000 LEI N o 10.097, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2000 Mensagem de veto Altera dispositivos da Consolidação das Leis do Trabalho CLT, aprovada pelo Decreto- Lei n o 5.452, de 1 o de maio de 1943. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA

Leia mais

Contratação e Modelo de Contrato

Contratação e Modelo de Contrato Contratação e Modelo de Contrato Deveres da Empresa Firmar contrato especial de aprendizagem com o adolescente e inscrevê-lo em curso de aprendizagem desenvolvido por uma entidade qualificada de ensino

Leia mais

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA PROJETO DE LEI Nº 4.302-C, DE 1998

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA PROJETO DE LEI Nº 4.302-C, DE 1998 COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA PROJETO DE LEI Nº 4.302-C, DE 1998 SUBSTITUTIVO DO SENADO FEDERAL AO PROJETO DE LEI Nº 4.302-B, DE 1998, que altera dispositivos da Lei nº 6.019, de 3

Leia mais

Manual da Aprendizagem

Manual da Aprendizagem Manual da Aprendizagem Preparado pelo Centro Social Betesda (CSB) INTRODUÇÃO Aprendizagem é uma ação promovida para incentivar a aplicação prática da Lei 10.097, que regulariza o trabalho de adolescentes

Leia mais

CONTRATAÇÃO DE APRENDIZES

CONTRATAÇÃO DE APRENDIZES CONTRATAÇÃO DE APRENDIZES OBRIGATORIEDADE DA CONTRATAÇÃO Estabelecimentos de qualquer natureza são obrigados a contratar aprendizes. Estabelecimento é todo complexo de bens organizado para o exercício

Leia mais

APRENDIZAGEM --------------------------------------------------------- REFERÊNCIAS NORMATIVAS e ORIENTAÇÕES

APRENDIZAGEM --------------------------------------------------------- REFERÊNCIAS NORMATIVAS e ORIENTAÇÕES APRENDIZAGEM --------------------------------------------------------- REFERÊNCIAS NORMATIVAS e ORIENTAÇÕES Aprendizagem Cria oportunidades tanto para o aprendiz quanto para a empresa, pois prepara o jovem

Leia mais

DIREITO NAS ORGANIZAÇÕES MÓDULO 3 OUTROS TIPOS DE CONTRATOS DE TRABALHO

DIREITO NAS ORGANIZAÇÕES MÓDULO 3 OUTROS TIPOS DE CONTRATOS DE TRABALHO DIREITO NAS ORGANIZAÇÕES MÓDULO 3 OUTROS TIPOS DE CONTRATOS DE TRABALHO Índice 1. Outros Tipos de Contratos de Trabalho...3 1.1. Trabalho Rural... 3 1.2. Estagiário... 4 1.3. Trabalho Temporário... 5 1.4.

Leia mais

OBJETIVOS. Associar o início da vida no mercado de trabalho com a conclusão de um curso profissional;

OBJETIVOS. Associar o início da vida no mercado de trabalho com a conclusão de um curso profissional; OBJETIVOS Associar o início da vida no mercado de trabalho com a conclusão de um curso profissional; Fornecer conhecimento teórico e prático; Ampliar o acesso ao mercado de trabalho antecipadamente; Permitir

Leia mais

O PREFEITO MUNICIPAL DE GUANHÃES, Estado de Minas Gerais, no uso de suas atribuições legais;

O PREFEITO MUNICIPAL DE GUANHÃES, Estado de Minas Gerais, no uso de suas atribuições legais; LEI Nº 2451 DE 24 DE NOVEMBRO DE 2011 Dispõe sobre o estágio de estudantes junto ao poder público Municipal, suas autarquias e fundações e dá outras providencias. O PREFEITO MUNICIPAL DE GUANHÃES, Estado

Leia mais

DÚVIDAS FREQÜENTES SOBRE A NOVA LEI DE ESTÁGIO (LEI 11.788/2008)

DÚVIDAS FREQÜENTES SOBRE A NOVA LEI DE ESTÁGIO (LEI 11.788/2008) DÚVIDAS FREQÜENTES SOBRE A NOVA LEI DE ESTÁGIO (LEI 11.788/2008) 1. O que é o estágio? Resposta: Estágio é ato educativo escolar supervisionado, desenvolvido no ambiente de trabalho, que visa à preparação

Leia mais

TURMA REGULAR SEMANAL Prof.: Otavio Calvet TRABALHO INFANTIL. Material disponibilizado pelo Professor:

TURMA REGULAR SEMANAL Prof.: Otavio Calvet TRABALHO INFANTIL. Material disponibilizado pelo Professor: Material disponibilizado pelo Professor: Tema: Trabalho infantil: caracterização, efeitos da contratação e penalidades. Doutrina da proteção integral da criança e do adolescente. Tratamento legal e constitucional.

Leia mais

O artigo 427, da CLT, determina que o empregador, cuja empresa ou estabelecimento ocupar menores, seja obrigado a conceder-lhes o tempo que for

O artigo 427, da CLT, determina que o empregador, cuja empresa ou estabelecimento ocupar menores, seja obrigado a conceder-lhes o tempo que for PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº, DE 2015 (Do Sr. Ricardo Izar e outros) Altera o artigo 7º, inciso XXXIII, da Constituição Federal, para dispor sobre a maioridade laboral. As Mesas da Câmara dos Deputados

Leia mais

Como é calculado o salário do aprendiz?

Como é calculado o salário do aprendiz? Como é calculado o salário do aprendiz? 1º PASSO - Cálculo da hora nua: Hora nua = salário mínimo / 150 horas (n. de horas/mês) * 150 = 30 horas semanais x 5 semanas Ex.: 424,00 / 150 = 2,826 Salário base

Leia mais

PARECER Nº, DE 2009. RELATOR: Senador CRISTOVAM BUARQUE I RELATÓRIO

PARECER Nº, DE 2009. RELATOR: Senador CRISTOVAM BUARQUE I RELATÓRIO PARECER Nº, DE 2009 Da COMISSÃO DE ASSUNTOS SOCIAIS, em decisão terminativa, sobre o Projeto de Lei do Senado nº 228, de 2009, do Senador PAULO PAIM, que altera a Lei nº 7.418, de 16 de dezembro de 1985,

Leia mais

Anexo 05 CONTRATO DE TRABALHO DE APRENDIZ

Anexo 05 CONTRATO DE TRABALHO DE APRENDIZ Anexo 05 EMPREGADOR: CONTRATO DE TRABALHO DE APRENDIZ MSMT..., pessoa jurídica de direito privado, com endereço na Av./Rua..., nº... Bairro..., cidade..., CEP..., inscrita no C.N.P.J...,, neste ato representada

Leia mais

CARTILHA - CONTRATAÇÃO APRENDIZES

CARTILHA - CONTRATAÇÃO APRENDIZES CARTILHA - CONTRATAÇÃO APRENDIZES Todas as respostas fundamentam-se em dispositivos da Consolidação das Leis do Trabalho, da Lei 10.097/00, do Decreto 5.598/05 e das Instruções Normativas nº 26/01 e 26/02

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 03, DE 1º DE SETEMBRO DE 1997. Art. 1º Baixar as seguintes instruções a serem observadas pela Fiscalização do Trabalho.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 03, DE 1º DE SETEMBRO DE 1997. Art. 1º Baixar as seguintes instruções a serem observadas pela Fiscalização do Trabalho. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 03, DE 1º DE SETEMBRO DE 1997 Dispõe sobre a fiscalização do trabalho nas empresas de prestação de serviços a terceiros e empresas de trabalho temporário. O MINISTRO DE ESTADO DE

Leia mais

A NOVA LEI DO ESTÁGIO. A atual Lei do Estágio define os parâmetros que regulamentam as contratações de Estagiários, abaixo os principais:

A NOVA LEI DO ESTÁGIO. A atual Lei do Estágio define os parâmetros que regulamentam as contratações de Estagiários, abaixo os principais: A NOVA LEI DO ESTÁGIO A atual Lei do Estágio define os parâmetros que regulamentam as contratações de Estagiários, abaixo os principais: Obs.: Contratos emitidos e assinados até 25/09/2008 permanecem regidos

Leia mais

JOVEM APRENDIZ. Resultado do Aprofundamento dos Estudos. Coordenação-Geral de Normas de Contabilidade Aplicadas à Federação

JOVEM APRENDIZ. Resultado do Aprofundamento dos Estudos. Coordenação-Geral de Normas de Contabilidade Aplicadas à Federação Resultado do Aprofundamento dos Estudos Coordenação-Geral de Normas de Contabilidade Aplicadas à Federação Introdução A formação técnico-profissional de jovens é de grande importância para sua inserção

Leia mais

PARECER Nº, DE 2009. RELATOR: Senador CRISTOVAM BUARQUE I RELATÓRIO

PARECER Nº, DE 2009. RELATOR: Senador CRISTOVAM BUARQUE I RELATÓRIO PARECER Nº, DE 2009 Da COMISSÃO DE ASSUNTOS SOCIAIS, em decisão terminativa, sobre o Projeto de Lei do Senado nº 157, de 2002, do Senador Carlos Bezerra, que acrescenta art. 392-B à Consolidação das Leis

Leia mais

PARECER Nº, DE 2013. RELATOR: Senador ARMANDO MONTEIRO

PARECER Nº, DE 2013. RELATOR: Senador ARMANDO MONTEIRO PARECER Nº, DE 2013 Da COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO, JUSTIÇA E CIDADANIA, sobre o Projeto de Lei do Senado nº 368, de 2012, da Senadora Ana Amélia, que altera a Lei nº 12.651, de 25 de maio de 2012, para dispor

Leia mais

Orientação para a confecção do Termo de Compromisso de Estágio Não- Obrigatório.

Orientação para a confecção do Termo de Compromisso de Estágio Não- Obrigatório. UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS FACULDADE DE EDUCAÇÃO CURSO DE PEDAGOGIA Orientação para a confecção do Termo de Compromisso de Estágio Não- Obrigatório. A Faculdade de Educação/Campus de Belo Horizonte/Universidade

Leia mais

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E CIDADANIA

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E CIDADANIA COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E CIDADANIA PROJETO DE LEI N o 5.423, DE 2009 Acrescenta dispositivo à Consolidação das Leis do Trabalho, aprovada pelo Decreto-lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943, estabelecendo

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 11.180, DE 23 DE SETEMBRO DE 2005. Institui o Projeto Escola de Fábrica, autoriza a concessão de bolsas de permanência a estudantes

Leia mais

Menor Aprendiz Perguntas Frequentes

Menor Aprendiz Perguntas Frequentes Menor Aprendiz Perguntas Frequentes A aprendizagem é regulada pela CLT e passou por um processo de modernização com a promulgação das Leis nºs. 11.180/2005, 10.097/2008 e 11.788/2008. O Estatuto da Criança

Leia mais

Considerando que as Faculdades Integradas Sévigné estão em plena reforma acadêmica que será implementada a partir de 2009 e;

Considerando que as Faculdades Integradas Sévigné estão em plena reforma acadêmica que será implementada a partir de 2009 e; RESOLUÇÃO CSA 02/2009 REFERENDA A PORTARIA DG 02/2008 QUE APROVOU A INSERÇÃO DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS NÃO OBRIGATÓRIOS NOS PROJETOS PEDAGÓGICOS DOS CURSOS OFERTADOS PELAS FACULDADES INTEGRADAS SÉVIGNÉ.

Leia mais

PARECER Nº, DE 2010. RELATOR: Senador ALVARO DIAS RELATOR AD HOC: Senador ANTONIO CARLOS JÚNIOR

PARECER Nº, DE 2010. RELATOR: Senador ALVARO DIAS RELATOR AD HOC: Senador ANTONIO CARLOS JÚNIOR PARECER Nº, DE 2010 Da COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO, JUSTIÇA E CIDADANIA, sobre a Proposta de Emenda à Constituição nº 95, de 2003, primeiro signatário o Senador Paulo Paim, que dá nova redação ao inciso III,

Leia mais

Página 1 de 5 O ART. 429, CLT E A COTA APRENDIZ Márcio Archanjo Ferreira Duarte 1. INTRODUÇÃO A figura da aprendizagem adveio originalmente do Decreto nº. 13.064, de 12 de junho de 1918, que aprovava naquela

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE CONTRATO DE APRENDIZAGEM

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE CONTRATO DE APRENDIZAGEM CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE CONTRATO DE APRENDIZAGEM Termo que deverá ser assinado entre EMPRESA E APRENDIZ com a presença do responsável legal. (Delegacia Regional do Trabalho Imprimir em Papel Timbrado

Leia mais

DIREITOS DO TRABALHADOR ADOLESCENTE

DIREITOS DO TRABALHADOR ADOLESCENTE DIREITOS DO TRABALHADOR ADOLESCENTE 1 Aprendizagem 2 LEGISLAÇÃO Consolidação das Leis do Trabalho (art. 428 e seguintes da CLT) Lei 10.097/2000 Decreto 5.598, de 01/12/2005 Portarias n.ºs 615; 616/2007

Leia mais

ECA, 01/12/2005, - 21! 14 18 414 21, 5.598/05), 432 21, 1º,

ECA, 01/12/2005, - 21! 14 18 414 21, 5.598/05), 432 21, 1º, Esclarecimentos 1. Ao longo de todo o edital, é informado que o processo licitatório obedecerá integralmente a Lei Complementar nº 123/2006 (Microempresas e Empresas de Pequeno Porte). Sugerimos a exclusão

Leia mais

Aprendizagem Aspectos Legais. Kênia Propodoski Auditora-Fiscal do Trabalho Coordenadora do Projeto de Aprendizagem da SRTE/MT

Aprendizagem Aspectos Legais. Kênia Propodoski Auditora-Fiscal do Trabalho Coordenadora do Projeto de Aprendizagem da SRTE/MT Aprendizagem Aspectos Legais Kênia Propodoski Auditora-Fiscal do Trabalho Coordenadora do Projeto de Aprendizagem da SRTE/MT 2011 Base legal da aprendizagem: Art. 7, inc. XXXIII da CF; Arts. 428 a 433

Leia mais

LEI N.º 966/2006. Prefeitura Municipal de Rubinéia, 01 de março de 2006. APARECIDO GOULART Prefeito Municipal

LEI N.º 966/2006. Prefeitura Municipal de Rubinéia, 01 de março de 2006. APARECIDO GOULART Prefeito Municipal LEI N.º 966/2006 Autoriza o Poder Executivo, através da Administração direta, indireta e fundacional, a celebrar Convênio com o Centro de Referência e Apoio à Criança e ao Adolescente - CRA, para implantação

Leia mais

PARECER Nº, DE 2015. RELATOR: Senador CRISTOVAM BUARQUE

PARECER Nº, DE 2015. RELATOR: Senador CRISTOVAM BUARQUE PARECER Nº, DE 2015 Da COMISSÃO DE DIREITOS HUMANOS E LEGISLAÇÃO PARTICIPATIVA, sobre o Projeto de Lei do Senado nº 333, de 2014, do Senador Pedro Taques, que altera a Lei nº 7.853, de 24 de outubro de

Leia mais

PARECER Nº, DE 2015. RELATOR: Senador MARCELO CRIVELLA I RELATÓRIO

PARECER Nº, DE 2015. RELATOR: Senador MARCELO CRIVELLA I RELATÓRIO PARECER Nº, DE 2015 Da COMISSÃO DE ASSUNTOS SOCIAIS, em decisão terminativa, sobre o Projeto de Lei do Senado nº 533, de 2013, do Senador Sérgio Souza, que estabelece a obrigatoriedade de as farmácias

Leia mais

A NOVA LEI DE ESTÁGIO DE ESTUDANTES

A NOVA LEI DE ESTÁGIO DE ESTUDANTES A NOVA LEI DE ESTÁGIO DE ESTUDANTES (11.788, DE 25/09/2008) Definição Estágio é ato educativo escolar supervisionado, desenvolvido no ambiente de trabalho, que visa à preparação para o trabalho produtivo

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 2.942, DE 2011 (Da Sra. Flávia Morais)

PROJETO DE LEI N.º 2.942, DE 2011 (Da Sra. Flávia Morais) CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI N.º 2.942, DE 2011 (Da Sra. Flávia Morais) Cria o Programa Federal de Incentivo ao Trabalho Educativo - PROJOVEM para assegurar estágio remunerado. DESPACHO: ÀS COMISSÕES

Leia mais

EMPRESA DE TECNOLOGIA E INFORMAÇÕES DA PREVIDÊNCIA SOCIAL DATAPREV PROGRAMA JOVEM APRENDIZ EDITAL

EMPRESA DE TECNOLOGIA E INFORMAÇÕES DA PREVIDÊNCIA SOCIAL DATAPREV PROGRAMA JOVEM APRENDIZ EDITAL EMPRESA DE TECNOLOGIA E INFORMAÇÕES DA PREVIDÊNCIA SOCIAL DATAPREV PROGRAMA JOVEM APRENDIZ EDITAL CNPJ: 42.422.253/0014-18 ENDEREÇO: SETOR DE AUTARQUIAS SUL, QUADRA 01, BLOCOS E/F - BRASÍLIA-DF CEP: 70.070-931

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO RESOLUÇÃO Nº 42, DE 16 DE JUNHO DE 2009

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO RESOLUÇÃO Nº 42, DE 16 DE JUNHO DE 2009 CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO RESOLUÇÃO Nº 42, DE 16 DE JUNHO DE 2009 (Alterada pelas Resoluções nºs 52, de 11 de maio de 2010 e 62, de 31 de agosto de 2010) Dispõe sobre a concessão de estágio

Leia mais

ATO DO 1º SECRETÁRIO Nº 2, DE 2013.

ATO DO 1º SECRETÁRIO Nº 2, DE 2013. ATO DO 1º SECRETÁRIO Nº 2, DE 2013. Regulamenta o controle do cumprimento da jornada e do horário de trabalho pelos servidores do Senado Federal, nos termos do Ato da Comissão Diretora nº 7, de 2010. O

Leia mais

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA PROJETO DE LEI N o 5.731, DE 2009 Altera as Leis n.ºs 8.218, de 29 de agosto de 1991, e 10.406, de 10 de janeiro de 2002 Código Civil, para permitir a

Leia mais

MINISTÉRIO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS ORIENTAÇÃO NORMATIVA Nº 7, DE 30 DE OUTUBRO DE 2008.*

MINISTÉRIO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS ORIENTAÇÃO NORMATIVA Nº 7, DE 30 DE OUTUBRO DE 2008.* MINISTÉRIO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS ORIENTAÇÃO NORMATIVA Nº 7, DE 30 DE OUTUBRO DE 2008.* Estabelece orientação sobre a aceitação de estagiários no âmbito da Administração

Leia mais

Ministério do Trabalho publica Cartilha do Estágio

Ministério do Trabalho publica Cartilha do Estágio Ministério do Trabalho publica Cartilha do Estágio O Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) torna pública esta Cartilha esclarecedora sobre a nova Lei do Estágio com o objetivo de orientar Estudantes,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA BAIANO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA BAIANO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA BAIANO REGULAMENTO PROVISÓRIO DE ESTÁGIO DOS CURSOS DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL

Leia mais

Processo PGT/CCR/ICP/Nº 7698/2014

Processo PGT/CCR/ICP/Nº 7698/2014 Processo PGT/CCR/ICP/Nº 7698/2014 Câmara de Coordenação e Revisão Origem: PRT 8ª Região Interessados: 1. MPT PRT/8ª - PTM. 2. Elite Serviços de Segurança LTDA Assunto: Exploração do Trabalho da Criança

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 285, DE 2011 (Apensado: PL nº 1.328, de 2011)

PROJETO DE LEI N.º 285, DE 2011 (Apensado: PL nº 1.328, de 2011) COMISSÃO DE EDUCAÇÃO E CULTURA PROJETO DE LEI N.º 285, DE 2011 (Apensado: PL nº 1.328, de 2011) Acrescenta 3º ao art. 23 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 3.529, DE 12 DE JUNHO DE 2007

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 3.529, DE 12 DE JUNHO DE 2007 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 3.529, DE 12 DE JUNHO DE 2007 Dispõe sobre a oferta de cursos de pósgraduação lato sensu

Leia mais

MENOR APRENDIZ - Disposições Gerais

MENOR APRENDIZ - Disposições Gerais MENOR APRENDIZ - Disposições Gerais Art. 402 - Considera-se menor para os efeitos desta Consolidação o trabalhador de 14 (quatorze) até 18 (dezoito) anos. (Nova redação dada pela Lei nº 10097, de 19.12.2000

Leia mais

CARTA DE SÃO PAULO PELA PROTEÇÃO DOS DIREITOS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES EM SITUAÇÃO DE TRABALHO INFANTIL ARTÍSTICO

CARTA DE SÃO PAULO PELA PROTEÇÃO DOS DIREITOS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES EM SITUAÇÃO DE TRABALHO INFANTIL ARTÍSTICO CARTA DE SÃO PAULO PELA PROTEÇÃO DOS DIREITOS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES EM SITUAÇÃO DE TRABALHO INFANTIL ARTÍSTICO A. PREÂMBULO I CONSIDERANDO que o Brasil é signatário da Declaração dos Direitos da Criança,

Leia mais

Regulamento. Estágio Curricular Supervisionado. Engenharia de Controle e Automação

Regulamento. Estágio Curricular Supervisionado. Engenharia de Controle e Automação Regulamento Estágio Curricular Supervisionado Engenharia de Controle e Automação Campinas SP 1 INTRODUÇÃO O Estágio Curricular Supervisionado, obrigatório e definido por legislação, deve ser vivenciado

Leia mais

Regulamentação da Questão do Trabalho do Adolescente no Município de São José dos Campos

Regulamentação da Questão do Trabalho do Adolescente no Município de São José dos Campos RESOLUÇÃO No. 12/96 O Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente - CMDCA de São José dos Campos, usando de suas atribuições, aprovou em sua Reunião Ordinária do dia 04 de junho de 1.996,

Leia mais

LEI MUNICIPAL Nº. 2.304/2010

LEI MUNICIPAL Nº. 2.304/2010 LEI MUNICIPAL Nº. 2.304/2010 SÚMULA: Institui o Programa Jovem Aprendiz no âmbito do Município de Clevelândia e dá outras providências. A Câmara Municipal de Vereadores aprovou e eu ADEMIR JOSE GHELLER,

Leia mais

CONCLUSÕES DOS GRUPOS DE TRABALHO DO ENCONTRO NACIONAL SOBRE TRABALHO INFANTIL

CONCLUSÕES DOS GRUPOS DE TRABALHO DO ENCONTRO NACIONAL SOBRE TRABALHO INFANTIL CONCLUSÕES DOS GRUPOS DE TRABALHO DO ENCONTRO NACIONAL SOBRE TRABALHO INFANTIL BRASÍLIA/DF, 22 de agosto de 2012. Grupo de Trabalho sobre Autorizações para o Trabalho Infanto-juvenil: I. Não cabe autorização

Leia mais

COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA PROJETO DE LEI Nº 3995 DE 2012 Apensados PL Nº 7.159, DE 2010 e PL Nº 3.184, DE 2012

COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA PROJETO DE LEI Nº 3995 DE 2012 Apensados PL Nº 7.159, DE 2010 e PL Nº 3.184, DE 2012 COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA PROJETO DE LEI Nº 3995 DE 2012 Apensados PL Nº 7.159, DE 2010 e PL Nº 3.184, DE 2012 Acrescenta art. 197-A à Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), aprovada pelo

Leia mais

Tire suas dúvidas sobre a Lei do Aprendiz

Tire suas dúvidas sobre a Lei do Aprendiz Tire suas dúvidas sobre a Lei do Aprendiz 1-O que é um aprendiz? É um adolescente/jovem que tem que entre 14 e 24 anos de idade e que esteja matriculado em um Programa de Aprendizagem numa ONG, Escola

Leia mais

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL CONSOLIDAÇÃO DAS LEIS DO TRABALHO

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL CONSOLIDAÇÃO DAS LEIS DO TRABALHO CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL DOS DIREITOS SOCIAIS Art. 7 São direitos dos trabalhadores urbanos e rurais, além de outros que visem à melhoria de sua condição social:... XXXIII proibição

Leia mais

RESOLUÇÃO CNE/CEB Nº 1, DE 21 DE JANEIRO DE 2004.(*) CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO BÁSICA

RESOLUÇÃO CNE/CEB Nº 1, DE 21 DE JANEIRO DE 2004.(*) CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO BÁSICA RESOLUÇÃO CNE/CEB Nº 1, DE 21 DE JANEIRO DE 2004.(*) CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO BÁSICA RESOLUÇÃO CNE/CEB Nº 1, DE 21 DE JANEIRO DE 2004.(*) Estabelece Diretrizes Nacionais para a

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS DA SAÚDE COORDENAÇÃO DO CURSO DE ENFERMAGEM

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS DA SAÚDE COORDENAÇÃO DO CURSO DE ENFERMAGEM MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS DA SAÚDE COORDENAÇÃO DO CURSO DE ENFERMAGEM REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO DE ENFERMAGEM O Curso de Enfermagem do Setor de Ciências

Leia mais

I RELATÓRIO CÂMARA DOS DEPUTADOS COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO

I RELATÓRIO CÂMARA DOS DEPUTADOS COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO PROJETO DE LEI Nº 5.337, de 2013 (Apensos: PL n.º 3.853/2004, 4.388/2004, PL n.º 4.995/2005, PL n.º 7.175/2006, PL n.º 7.516/2010, PL n.º 7.970/2010,

Leia mais

Dispõe sobre a oferta de cursos de pós-graduação lato sensu pela Universidade Federal do Pará

Dispõe sobre a oferta de cursos de pós-graduação lato sensu pela Universidade Federal do Pará Dispõe sobre a oferta de cursos de pós-graduação lato sensu pela Universidade Federal do Pará O REITOR DA, no uso das atribuições que lhe conferem o Estatuto e o Regimento Geral, obedecidas a legislação

Leia mais

CAPÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS

CAPÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO NÃO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DA FACULDADE ARTHUR THOMAS CAPÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS Art. 1º. O presente Regulamento estabelece as políticas

Leia mais

http://www.lgncontabil.com.br/

http://www.lgncontabil.com.br/ 1. INTRODUÇÃO ADMISSÃO DE EMPREGADOS PROCEDIMENTOS Para cada admissão a empresa deve observar, além dos itens descritos nesta matéria, as normas relativas à Segurança do Trabalho, conforme Portaria MTb

Leia mais

R E S O L U Ç Ã O Nº 1, DE 2002-CN(*)

R E S O L U Ç Ã O Nº 1, DE 2002-CN(*) REPUBLICAÇÃO ATOS DO CONGRESSO NACIONAL R E S O L U Ç Ã O Nº 1, DE 2002-CN(*) Faço saber que o Congresso Nacional aprovou, e eu, Ramez Tebet, Presidente do Senado Federal, nos termos do parágrafo único

Leia mais

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 391-A, DE 2014

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 391-A, DE 2014 COMISSÃO ESPECIAL DESTINADA A PROFERIR PARECER À PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 391-A, DE 2014 PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 391-A, DE 2014 Fixa parâmetros para a remuneração da Carreira de

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 11.350, DE 5 DE OUTUBRO DE 2006. Regulamenta o 5 o do art. 198 da Constituição, dispõe sobre o aproveitamento de pessoal amparado

Leia mais

Superintendência Regional do Trabalho e Emprego do Rio de Janeiro

Superintendência Regional do Trabalho e Emprego do Rio de Janeiro Superintendência Regional do Trabalho e Emprego do Rio de Janeiro COORDENAÇÃO GFIPATI Aprendizagem, Legislação e Prática: I - Cotas de Aprendizagem; II Cadastro Nacional de Aprendizagem; III Fiscalização

Leia mais

COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO

COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO PROJETO DE LEI N o 2.865, DE 2011 Altera o caput do art. 193 da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), aprovada pelo Decreto-Lei nº 5452, de 1º

Leia mais

PARECER Nº, DE 2007. RELATOR: Senador JOÃO VICENTE CLAUDINO

PARECER Nº, DE 2007. RELATOR: Senador JOÃO VICENTE CLAUDINO SENADO FEDERAL Gabinete do Senador JOÃO VICENTE CLAUDINO PARECER Nº, DE 2007 Da COMISSÃO DE ASSUNTOS ECONÔMICOS, sobre o Projeto de Lei do Senado nº 320, de 2006, que dispõe sobre a concessão de isenções

Leia mais

PARECER Nº, DE 2009. RELATOR: Senador CÉSAR BORGES

PARECER Nº, DE 2009. RELATOR: Senador CÉSAR BORGES PARECER Nº, DE 2009 Da COMISSÃO DE MEIO AMBIENTE, CONSUMIDOR E FISCALIZAÇÃO E CONTROLE, sobre o Projeto de Lei do Senado (PLS) nº 121, de 2008, que proíbe as empresas de cartões de pagamento de autorizarem

Leia mais

RESOLUÇÃO N. 176/04-CEE/MT.

RESOLUÇÃO N. 176/04-CEE/MT. RESOLUÇÃO N. 176/04-CEE/MT. Estabelece Diretrizes para a organização e a realização de Estágio de alunos da Educação Profissional de Nível Técnico e do Ensino Médio, inclusive nas modalidades de Educação

Leia mais

PARECER N, DE 2011. RELATOR: Senador SÉRGIO SOUZA

PARECER N, DE 2011. RELATOR: Senador SÉRGIO SOUZA PARECER N, DE 2011 Da COMISSÃO DE MEIO AMBIENTE, DEFESA DO CONSUMIDOR E FISCALIZAÇÃO E CONTROLE, em decisão terminativa, sobre o Projeto de Lei do Senado nº 452, de 2011, da Senadora Angela Portela, que

Leia mais

SUBCHEFIA DE ASSUNTOS PARLAMENTARES

SUBCHEFIA DE ASSUNTOS PARLAMENTARES SUBCHEFIA DE ASSUNTOS PARLAMENTARES PROJETO DE LEI Institui o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego - PRONATEC; altera as Leis n os 7.998, de 11 de janeiro de 1990, que regula o Programa

Leia mais

A CÂMARA MUNICIPAL DE GOIATUBA, Estado de Goiás, APROVA e eu, PREFEITO MUNICIPAL, SANCIONO a seguinte lei

A CÂMARA MUNICIPAL DE GOIATUBA, Estado de Goiás, APROVA e eu, PREFEITO MUNICIPAL, SANCIONO a seguinte lei PROJETO DE LEI N 0 1.971/06, de 21 de novembro de 2006. Cria cargos que especifica, fixa quantitativos, atribuições, vencimentos e regime jurídico, adequando-a a Emenda Constitucional Federal nº 51/06

Leia mais

PL 4330 Reunião realizada no dia

PL 4330 Reunião realizada no dia PL 4330 Reunião realizada no dia PL 4330 Propostas de alteração Observações das Centrais Sindicais Dispõe sobre o contrato de prestação de serviço a terceiros e as relações de trabalho dele decorrentes.

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 067, DE 2011

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 067, DE 2011 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 067, DE 2011 Regulamenta o exercício das profissões de transcritor e de revisor de textos em braille. O CONGRESSO NACIONAL decreta: Art. 1º Na produção de textos no sistema

Leia mais

LEI Nº 1 2 6 9. Capítulo I DAS RESPONSABILIDADES

LEI Nº 1 2 6 9. Capítulo I DAS RESPONSABILIDADES LEI Nº 1 2 6 9 SÚMULA: Institui o Programa Jovem Aprendiz no âmbito do Município de Renascença e dá outras providências. JOSÉ KRESTENIUK, Prefeito do Município de Renascença Estado Paraná, no uso das atribuições

Leia mais

LEI Nº 9.601, DE 21 DE JANEIRO DE 1998. Dispõe sobre o contrato de trabalho por prazo determinado e dá outras providências

LEI Nº 9.601, DE 21 DE JANEIRO DE 1998. Dispõe sobre o contrato de trabalho por prazo determinado e dá outras providências LEI Nº 9.601, DE 21 DE JANEIRO DE 1998 Dispõe sobre o contrato de trabalho por prazo determinado e dá outras providências (Alterada pela MP Nº 2.076-35/27.03.2001, MP Nº 2.164-41/24.08.2001 já inserida

Leia mais

MATERIAL DE APOIO MONITORIA

MATERIAL DE APOIO MONITORIA INTENSIVO I DE TRABALHO SEMANAL Disciplina: ECA Prof. Guilherme Bassi Data: 23.02.2010 Aula nº. 02 MATERIAL DE APOIO MONITORIA Índice 1. Artigos Correlatos 1.1Limitações ao trabalho do menor frente ao

Leia mais

COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO PROJETO DE LEI Nº 3.118, DE 2004

COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO PROJETO DE LEI Nº 3.118, DE 2004 COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO PROJETO DE LEI Nº 3.118, DE 2004 Altera a Lei nº 7.998, de 11 de janeiro de 1990, que Regula o Programa do Seguro- Desemprego, o Abono Salarial,

Leia mais

O CONGRESSO NACIONAL decreta:

O CONGRESSO NACIONAL decreta: REDAÇÃO FINAL MEDIDA PROVISÓRIA Nº 238-B, DE 2005 PROJETO DE LEI DE CONVERSÃO Nº 9, DE 2005 Institui o Programa Nacional de Inclusão de Jovens ProJovem; cria o Conselho Nacional da Juventude CNJ e a Secretaria

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br Nova Lei dos estágios: as novas regras do estágio em nível superior Bruno Minoru Takii* Introdução. O presente artigo tem como objetivo elucidar as novas regras trazidas pelo Projeto

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 5.963, DE 2001 (Do Sr. Milton Monti)

PROJETO DE LEI Nº 5.963, DE 2001 (Do Sr. Milton Monti) COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA PROJETO DE LEI Nº 5.963, DE 2001 (Do Sr. Milton Monti) Que torna obrigatório o exame de acuidade visual em todos os alunos matriculados no ensino fundamental

Leia mais

Excelentíssimo Senhor Presidente da República,

Excelentíssimo Senhor Presidente da República, EM Interministerial nº 113/2006 - MF/MEC Brasília, 11 de outubro de 2006. Excelentíssimo Senhor Presidente da República, Temos a honra de submeter à apreciação de Vossa Excelência o presente Projeto de

Leia mais

Assim, caso a União não decretar feriado, existem as seguintes possibilidades:

Assim, caso a União não decretar feriado, existem as seguintes possibilidades: INFORMATIVO SOBRE A COMPENSAÇÃO DE JORNADA DE TRABALHO JOGOS DA COPA DO MUNDO 2014 BRASIL ESTATÍSTICAS Levantamento realizado pela Robert Half com 100 diretores de Recursos Humanos no Brasil revela que:

Leia mais

MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS DEPARTAMENTO DE PESSOAL

MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS DEPARTAMENTO DE PESSOAL Copia Controlada nº Código: RHP07 V05 Emissão: 30/05/2012 Folha: 1/18 MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS Registro de Ponto Copia Controlada nº Código: RHP07 V05 Emissão: 30/05/2012 Folha: 2/18 1 Conteúdo

Leia mais

PARECER Nº, DE 2015. RELATOR: Senador PAULO PAIM I RELATÓRIO

PARECER Nº, DE 2015. RELATOR: Senador PAULO PAIM I RELATÓRIO PARECER Nº, DE 2015 Da COMISSÃO DE ASSUNTOS SOCIAIS, em decisão terminativa, sobre o Projeto de Lei da Câmara nº 42, de 2013 (PL nº 2.766, de 2008, na origem), do Deputado Nelson Pellegrino, que regulamenta

Leia mais

RESPOSTA A QUESTÃO DE ORDEM SOBRE A INCLUSÃO DE MATÉRIA ESTRANHA À MEDIDA PROVISÓRIA EM PROJETO DE LEI DE CONVERSÃO ENVIADO À APRECIAÇÃO DO SENADO

RESPOSTA A QUESTÃO DE ORDEM SOBRE A INCLUSÃO DE MATÉRIA ESTRANHA À MEDIDA PROVISÓRIA EM PROJETO DE LEI DE CONVERSÃO ENVIADO À APRECIAÇÃO DO SENADO RESPOSTA A QUESTÃO DE ORDEM SOBRE A INCLUSÃO DE MATÉRIA ESTRANHA À MEDIDA PROVISÓRIA EM PROJETO DE LEI DE CONVERSÃO ENVIADO À APRECIAÇÃO DO SENADO Em resposta à questão de ordem apresentada pelo Senador

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 04, DE 20 DE OUTUBRO DE 2014.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 04, DE 20 DE OUTUBRO DE 2014. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 04, DE 20 DE OUTUBRO DE 2014. Estabelece orientações acerca do registro eletrônico de frequência dos servidores do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande

Leia mais

FACULDADE MORAES JÚNIOR MACKENZIE RIO REGULAMENTO DE ESTÁGIOS

FACULDADE MORAES JÚNIOR MACKENZIE RIO REGULAMENTO DE ESTÁGIOS FACULDADE MORAES JÚNIOR MACKENZIE RIO REGULAMENTO DE ESTÁGIOS TÍTULO I CAPÍTULO I DA NATUREZA E DA FINALIDADE Seção I Da Natureza Art. 1º. Estágio é atividade educativa escolar supervisionada, desenvolvida

Leia mais

PARECER Nº, DE 2009. RELATORA: Senadora ROSALBA CIARLINI

PARECER Nº, DE 2009. RELATORA: Senadora ROSALBA CIARLINI PARECER Nº, DE 2009 Da COMISSÃO DE ASSUNTOS SOCIAIS, sobre o Substitutivo da Câmara dos Deputados ao Projeto de Lei do Senado nº 203, de 2001 (PL. nº 06302, de 2002, na Câmara), que regulamenta o exercício

Leia mais