À G.: D.: G.: A.: D.: U.: AS FERRAMENTAS DO GRAU DE COMPANHEIRO NAS VIAGENS DA ELEVAÇÃO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "À G.: D.: G.: A.: D.: U.: AS FERRAMENTAS DO GRAU DE COMPANHEIRO NAS VIAGENS DA ELEVAÇÃO"

Transcrição

1 À G.: D.: G.: A.: D.: U.: AS FERRAMENTAS DO GRAU DE COMPANHEIRO NAS VIAGENS DA ELEVAÇÃO Introdução O Aprendiz, ao completar seus três anos de trabalho, é de se supor que tenha aprendido o significado da posição vertical ou perpendicular, ou seja, a reta que ascende para o reino dos céus, e portanto aproxima-se daquele ser humano hígido, de pé e ativo. A perpendicular tem sua representação no prumo, que é a jóia do segundo vigilante e é a medida de retidão. Estar a prumo significa estar de forma correta e precisa em qualquer posição na vida, quer familiar, quer profissional ou ainda fraternal. Nessas condições, o Aprendiz deverá passar ao nível, se comprovadamente tais propósitos foram cumpridos, ou seja, se ele se considera um, homem hígido, de pé e ativo. Pois o nível, simbolicamente, nos ensina que devemos pautar nossa vida dentro do equilíbrio, a fim de que nossas ações se ajustem à perfeição do desejo, dando o equilíbrio necessário para que nossa obra seja permanente e estável, na medida justa e satisfatória. Assim, o nível e o prumo formam o dualismo perfeito e conduzem à sabedoria. No ritual de elevação, o candidato é informado pelo Venerável que irá passar do número três ao número cinco e, para tal, deverá realizar cinco viagens. Desenvolvimento Síntese da Cerimônia de Elevação: 1 - O Exp.:, chegando à porta do templo e conduzindo o candidato, bate à porta como no 1º grau. O Cobr.: Int.: comunica ao Ven.: e este manda verificar quem bate. Por sua vez, o Cobr.: Int.: informa que é o Exp.: conduzindo um Ap.: que deseja passar da Perpendicular ao Nível. À ordem do Ven:., o candidato entra como Apr.:, coloca-se entre colunas, à direita do Exp.:, faz a saudação às Luzes e permanece à ordem e com a régua ( não graduada) na mão esquerda (apoiada no ombro esquerdo que é o símbolo da Lei da Ordem e da Inteligência, que deve nortear as atividades dos Maçons e os estudos do Companheiro. Ressalte-se que a Sessão foi aberta ritualisticamente. 2 - A seguir, o Ven.: explica, ao candidato, que ele irá passar do número TRÊS ao número CINCO e que deverá realizar cinco viagens, em alusão aos cinco anos de trabalhos e de estudos, que era, primitivamente, a exigência para que os obreiros aspirassem à ascensão dentro da Ordem. Hoje não se trata de uma graça especial o fato de serdes elevado após um estágio simbólico, o que contudo não é feito indistintamente.por isso, aquele que é privilegiado, deve tornar-se digno de tal graça, trabalhando com todo zelo. O próprio Ven.: ou o Orad.: explica, a seguir, o significado da Régua de 24 polegadas que o candidato leva no ombro. - Todos os sinais maçônicos devem ser feitos com a mão e jamais com instrumento de trabalho como: malhetes, bastões, espadas, sacolas. 1

2 A RÉGUA DAS 24 POLEGADAS. A polegada é uma medida antiga que se afastou do sistema métrico francês; contudo, ainda é usada, posto que esporadicamente, é utilizada por nós brasileiros. A Maçonaria a adota porque simboliza o dia com as suas 24 horas. Assim, a régua maçônica mede 0,66 (sessenta e seis centímetros - a polegada é a 12ª parte do pé, ou, 0,0275). O tamanho da régua já sugere que é um instrumento destinado à construção. Filosoficamente, o maçom deve pautar a sua vida dentro de uma determinada medida, ou seja, deve programála corretamente e não se afastar dela. 3- A Primeira viagem; antes, a uma ordem do Ven.:, o Exp.: substitui, na mão esquerda do Aprendiz, a Régua pelo Maço e pelo Cinzel. Depois disso ele toma a mão direita do candidato, do Norte e do Sul, mas só no espaço entre as Colunas do Norte para o Sul, passando-se, depois, entre colunas e à ordem, sem fazer qualquer sinal, a não ser inclinar ligeiramente a cabeça em sinal de respeito ao Venerável. É comunicado que foi concluída a primeira viagem. O Ven.: então fala sobre o significado dessa viagem e sobre o Simbolismo do Maço e do Cinzel - É mister que ressaltar que todos os Irmãos, ao adentrarem o templo, durante a sessão, devem fazê-lo com as devidas formalidades, ou seja: deverá entrar com a marcha do grau Significado dessa viagem - palavras do Ven.: - Meu Ir.:, esta primeira viagem simboliza o período de um ano, que o Comp.: deve empregar em aperfeiçoar-se na prática de cortar e lavrar a P.: B.: que aprendeu a desbastar, quando Apr.:, com o maço e o Cinzel. Por muito perfeito que seja o Apr.: lembrai-vos que sozinho não pode terminar a sua obra, visto como os molhes (paredão, que se constrói nos portos de mar em forma de cais, para protege-lo da violência das águas; quebra-mar) de pedras do Templo que se eleva a Glória do Gr.: Arq.: do Univ.: exigem, um duro e penoso trabalho no Maço, e da firme e aplicada direção do Cinzel, não se desviando do que pelos Mestres lhe foi traçado (pequena pausa). Dai-me o Sin.: de Apr.: Simbolismo do Maço e Cinzel Maço - O maço é uma espécie de martelo, de maiores proporções, servindo para construir ou para destruir. Maçonicamente, o maço é a ampliação do malhete, instrumento empunhado pelo Venerável Mestre e pelos Vigilante, representando a força e vigor O maço sugere duas situações, uma ativa, outra passiva; a ativa é quando bate, e passiva quando o objeto batido sofre o choque. O que nos lembra o maço, senão que o usamos na iniciação apenas uma vez, dando três pancadas na pedra bruta? Podemos tirar uma boa lição desse instrumento tão contundente, usando-o em nós mesmos para retirar as arestas de nossa pedra bruta, objetivado o auto aprimoramento. A maçonaria é uma escola, mas há viabilidade de uma auto-educação, pois, ao invés de esperarmos que alguém nos bata para aparar nossas arestas, podemos fazer isso nós mesmos, em uma atitude mais suave e precisa. Reconhecer os próprios erros já é uma prática de desbastamento do espirito, ainda embrutecido da inteligência humana. Cinzel - Instrumento do grau de Aprendiz, que, com o malho, serve para desbastar simbolicamente a pedra bruta, esta um emblema da personalidade não educada e polida. Representa o intelecto. 4 - A Segunda Viagem - Inicia-se pela substituição do Maço e o Cinzel, pelo Compasse e pela Régua de 24 2

3 Polegadas. O trajeto é o mesmo da primeira, terminando entre colunas, ficando, o candidato, à direita do Exp.:. Depois da comunicação do término da viagem, o Vem.: explica o significado dela e o do Compasso e da Régua de 24 polegadas - Arrastar os pés no chão, para as delegações de Lojas. Significado dessa viagem - palavras do Ven.: - Meu Ir.:, esta Segunda viagem nada mais é do que o símbolo do segundo ano, no qual o Apr.: deve adquirir os elementos práticos da Maçonaria, isto é, a arte de traçar linhas sobre materiais desbastados e aplainados, o que só se consegue com a Régua e o Compasso. (pequena pausa) Vem.: - Meu Ir.:, daí o sinal do Toq.: de Apr.: ao Ir.: 2º Vig.:. Simbolismo do Compasso O Compasso Filosoficamente, o homem constrói a si próprio, e para que resulte um templo apropriado a glorificar o grande arquiteto do universo torna-se indispensável saber usar cada um dos principais instrumentos da construção. Dos alicerces ao teto, todos eles são indispensáveis, e quando surgir em nosso caminho algo com aparência de incontornável, lançamos mão da alavanca. Removido o obstáculo, teremos uma edificação gloriosa que nos honrará. O compasso mede os mínimos valores até completar ao circunferência e o círculo onde fixamos uma das hastes do compasso e, girando sobre nós próprios, executaremos com facilidade o projeto perfeito. O entrelaçamento do compasso com o esquadro será o distintivo permanente da maçonaria. Nossa vida é uma prancheta onde grafamos os projetos que, estudados, calculados os seus valores resultará no caminho completo para a construção de nosso ideal. 5 - A Terceira viagem; para isso, é substituído, na mão esquerda do candidato, o Compasso pela Alavanca, continuando a Régua de 24 polegadas. A viagem é igual às anteriores e, no final o Vem.: dá as explicações sobre ela e sobre a Alavanca. - Trata-se do terceiro ano de estudos. A alavanca é o símbolo da Força, servindo para erguer os mais pesadas fardos; moralmente, ela representa a firmeza de caráter, a coragem indomável do homem independente e o poder do amor à Liberdade. Significado dessa viagem - palavras do Ven.: - Meu Ir.:, esta terceira viagem simboliza o terceiro ano, no qual se confia ao Apr.: a direção, transporte, colocação dos materiais trabalhados, o que se alcança com a Régua e a Alavanca. - A Alavanca, em lugar do Compasso, é o emblema do poder que, junto às nossas forças individuais, multiplica a potência do esforço e possibilita o desempenho de grandes tarefas. Simbolismo da Alavanca A Alavanca - Trata-se de um instrumento utilizado que representa simbolicamente a força. Seu formato, de per si, sugere essa referida força; basta-lhe um ponto de apoio para erguer um peso enorme sob a simples pressão muscular de um braço. Arquimedes dizia: " Dai-me um ponto de apoio que erguerei o mundo", manifestação filosófica no sentido de valorizar o " ponto de apoio". Em nossa vida quando no deparamos com algum obstáculo a ser removido e que exp0ressa um esforço impossível, o maçom deve evocar a alavanca e buscar esse "ponto de apoio". Às vezes, a solução está perto de nós e não visualizamos porque nossa atenção está voltada para o grande obstáculo. A lição da alavanca é que não há peso que não possa ser removido e, assim, os obstáculos serão removidos, embora ultrapassados, pois a alavanca apenas suspende e, desequilibrando o peso, faz com que este se mova. Existindo o problema, ao lado estará a solução, basta encontrá-la, o que não é tarefa ingente. O) "!ponto de apoio" é quem suporta todo o peso do obstáculo e, assim, revela-se a parte mais importante. 3

4 Numa fraternidade, cada irmão constitui um "ponto de apoio", que unidos representa a alavanca, devemos aprender a usar esse poder que só a maçonaria propicia. 6 - A Quarta Viagem - Inicia-se com a substituição da alavanca pelo Esquadro, continuando a Régua de 24 Polegadas. O trajeto é o mesmo das viagens anteriores e, no final da viagem., o Vem.: dá a explicação sobre os símbolos. - Esta viagem representa o estudo da Natureza, cujo conhecimento nos leva construção do edifício na direção de seu todo, simboliza ainda. S Explicação do Vem.: ao Candidato: - Meu Ir., nos tempos primitivos da nossa Ordem era mister que o Apr.: trabalhasse, sem interrupção durante cinco anos, para ser Elevado à Comp.:. Não quero, com isso, dizer que seja uma graça especial o fato de serdes Elevado hoje, após um estágio simbólico, o que, contudo, não é feito indistintamente. ] dizendo pelas ciências. Significado dessa viagem - palavras do Ven.: - Esta quarta viagem, meu Ir.:, simboliza o quarto ano de um Apr.:, no qual ele deve ocupar-se, principalmente, na construção do edifício, na direção de seu todo, verificando a colocação dos materiais reunidos dando continuidade da obra do Grande Arquiteto do Universo. Esse conhecimento nos traduz que com a aplicação do zelo e da inteligência mostrado no trabalho constante, comedido e aprimorado pode nos permitir orientar nossos IIr.: menos instruídos.: - Meu Ir., nos tempos primitivos da nossa Ordem era mister que o Apr.: trabalhasse, sem interrupção durante cinco anos, para ser Elevado à Comp.:. Não quero, com isso, dizer que seja uma graça especial o fato de serdes Elevado hoje, após um estágio simbólico, o que, contudo, não é feito indistintamente. Simbolismo do Esquadro O Esquadro - Somente quem souber esquadrejar poderá transformar a pedra bruta em pedra angular e devidamente desbastada, visando - num trabalho - poli-la e burila-la parta ser transformada em pedra de adorno na construção. O Esquadro que forma um ângulo reto nos ensina a retidão de nossas ações; o maçom em sua linguagem simbólica diz que pauta a sua vida "dentro do esquadro" Tudo está na dependência da retidão, tanto na horizontalidade como na verticalidade. Seguindo-se as hastes do esquadro, teremos dois caminhos que vão se afastando, quando mais distantes seguirem; isso nos ensinará que se nossa vida se pautada de forma correta, encontraremos o caminha da verticalidade espiritual e o da horizontalidade material.. Esse instrumento é imprescindível na construção; caso não for usado, teremos uma obra torcida, sem equilíbrio e pronta para ruir. 7 - A Quinta Viagem - O Exp.: retira o Esquadro e a Régua da mão do candidato, pois, nesta viagem, ele nada leva. O Exp.:, então encosta a ponta de uma espada sobre o peto ( lado esquerdo, região cordial) do Aprendiz, que com o polegar e o indicador da mão direita, segurará a ponta da arma, fixando-as. E assim é feita a circulação. - A Quinta viagem significa que, tendo, o candidato terminado a sua aprendizagem material, representada pelas quatro viagens, em que ele conduziu instrumento de trabalho, ele pode aspirar a alguma coisa além do que pode ser percebido no plano físico do Aprendiz. Ou seja, ele está pronto para a transição do plano físico ao plano espiritual, ou plano cósmico. Significado dessa viagem - palavras do Ven.: - Terminada, o Vem.: transmitirá o seu significado. Esta quinta viagem mostra que o Apr.: suficientemente instruído nas práticas manuais, deve, durante o quinto e último ano, aplicar-se ao estudo teórico. Meu Ir.:, não basta estar no caminho da Virtude, para nela nos conservamos; parta chegarmos a Perfeição, são necessários muitos esforços. Segui, pois o objetivo traçado e tornaivos digno de conhecer os altos trabalhos maçônicos. 4

5 8 - Considerações finais Observando-se o painel do grau de companheiro vê-se as 09 seguintes ferramentas:: Alavanca, Cinzel; Compasso, Esquadro, Maço, Nível, Prumo, Régua, e a Trolha O que tem haver 6 destas 9 ferramentas quanto ao desejo do candidato passar da Perpendicular ao nível? A perpendicular representa o ser humano hígido, de pé e ativo, é a reta que ascende para o reino dos céus; é a escada de Jacó que na sua verticalidade rompe as nuvens do firmamento. Observa-se ainda outros dísticos, porem não é o caso a ser discutido no momento. Assim das ferramentas enumeradas, apenas : O maço, o cinzel, o compasso, a régua, a alavanca e o esquadro serão utilizados na cerimonia de elevação., Embora, use-se também a espada na 5ª viagem, esta não é ferramenta do grau de companheiro, mas representa a proteção do sigilo que o agora companheiro deverá conservar consigo, ou partilhar com irmãos do mesmo grau ou superior. Concluindo, de todo os conhecimentos transmitidos, entedemos, que não basta estar-mos no caminho da virtude, e nela nos conservar-mos,; para chegarmos à perfeição, são necessários ainda muitos esforços. estudo e pesquisas. A atuação do maçom não se restringe a loja, pois é seu dever é exercer a verdadeira postura maçônica no mundo profano, agindo com tolerância, prudência e respeito pelo ser humano. Bibliografia: Ritual - Rito Escocês Antigo e Aceito - 2º Grau - Companheiro - Grande Oriente do Brasil CAMINO, R - Breviário Maçônico - Para o dia-a-dia do Maçom - Madras Editora Ltda. São Paulo, CASTEZLLANI, J. Liturgia e Ritualística do Grau de Companheiro Maçom ( em todos os Ritos) A Gazeta Maçônica. S Significado dessa viagem - palavras do Ven.: - Paulo,1987. FIGUEREDO, J.G. - Dicionário de Maçonaria - Seus mistério, Seus ritos, Sua filosofia, Sua história. Editora Pensamento Ltda, São Paulo,

Aug Resp Loj Simb FRATERNIDADE JARAGUAENSE Nº 3620 Fundada em 20 de Agosto de 2004 Or de Jaraguá do Sul - SC

Aug Resp Loj Simb FRATERNIDADE JARAGUAENSE Nº 3620 Fundada em 20 de Agosto de 2004 Or de Jaraguá do Sul - SC C M - 3ª Instrução Painel do Grau de COMPANHEIRO MAÇOM do RITO ESCOCÊS ANTIGO E ACEITO 1 Meus IIr, a instrução de hoje, refere-se ao painel da Loja de Companheiro, isto é, ao traçado dos meios postos a

Leia mais

SER COMPANHEIRO MAÇOM

SER COMPANHEIRO MAÇOM SER COMPANHEIRO MAÇOM 1 Pelos IIr.: Roberto Rocha Verdini e Robson Batista Ser Companheiro Maçom é ter o sentimento de solidariedade, que nasce da sincera e íntima comunhão entre IIr.: e será a nossa eterna

Leia mais

47º Problema de Euclides

47º Problema de Euclides 47º Problema de Euclides Como esquadrejar seu esquadro 1 O 47º Problema de Euclides, também chamado de 47ª Proposição de Euclides, assim como o Teorema de Pitágoras é representado por 3 quadrados. Para

Leia mais

Fellipe Marques Teixeira

Fellipe Marques Teixeira Maçonaria Tópicos Motivação Introdução Origem Cruzadas Cavaleiros Templários Ordem De Molay Maçonaria Ritual Símbolos Segredos Bibliografia Motivação Organização ligado a fatos importantes Sociedade de

Leia mais

CERIMÔNIA DE HOMENAGEM À BANDEIRA NACIONAL

CERIMÔNIA DE HOMENAGEM À BANDEIRA NACIONAL CERIMÔNIA DE HOMENAGEM À BANDEIRA NACIONAL ORDEM DOS ESCUDEIROS DA TÁVOLA REDONDA uma cerimônia aberta emitida pelo Supremo Conselho da Ordem DeMolay para a República Federativa do Brasil Primeira Edição

Leia mais

Teorema de Pitágoras. Módulo 1 Unidade 10. Para início de conversa... Matemática e Suas Tecnologias Matemática 1

Teorema de Pitágoras. Módulo 1 Unidade 10. Para início de conversa... Matemática e Suas Tecnologias Matemática 1 Módulo 1 Unidade 10 Teorema de Pitágoras Para início de conversa... Certamente, você já deve ter ouvido falar no Teorema de Pitágoras. Pois bem, nesta unidade, ele será o centro das atenções, mas vamos

Leia mais

ENXERTOS NO RITUAL DO REAA

ENXERTOS NO RITUAL DO REAA ENXERTOS NO RITUAL DO REAA João Florindo Batista Segundo 1º Vig.. A..R..L..S.. José Rodovalho de Alencar nº 2.912 GOB-PB R.'.E.'.A.'.A.'. Cajazeiras-PB Meses antes do recesso maçônico do fim de 2013, este

Leia mais

- A ABREVIATURA NA MAÇONARIA -

- A ABREVIATURA NA MAÇONARIA - As Abreviaturas Maçônicas - A ABREVIATURA NA MAÇONARIA - Para que os rituais e os impressos maçônicos não sejam entendidos pôr profanos, é costume fazer abreviaturas, através da apócope de palavras escritas,

Leia mais

PO 19: ENSINO DE ÂNGULOS: O AUXÍLIO DA LOUSA DIGITAL COMO FERRAMENTA TECNOLÓGICA

PO 19: ENSINO DE ÂNGULOS: O AUXÍLIO DA LOUSA DIGITAL COMO FERRAMENTA TECNOLÓGICA PO 19: ENSINO DE ÂNGULOS: O AUXÍLIO DA LOUSA DIGITAL COMO FERRAMENTA TECNOLÓGICA José Erildo Lopes Júnior 1 juniormat2003@yahoo.com.br RESUMO Neste trabalho, vamos apresentar o conteúdo de ângulos, através

Leia mais

A Criança e os Mimos. "Se competir é o único caminho que nos conduz à felicidade, então, viver em paz será impossível..."

A Criança e os Mimos. Se competir é o único caminho que nos conduz à felicidade, então, viver em paz será impossível... A Criança e os Mimos "Se competir é o único caminho que nos conduz à felicidade, então, viver em paz será impossível..." Autora: Anne M. Lucille[1] "Respeito é quando ensinamos, não quando corrigimos..."

Leia mais

Copiright de todos artigos, textos, desenhos e lições. A reprodução parcial ou total desta aula só é permitida através de autorização por escrito de

Copiright de todos artigos, textos, desenhos e lições. A reprodução parcial ou total desta aula só é permitida através de autorização por escrito de 1 Nesta aula você aprenderá a diferenciar um desenhista de um ilustrador e ainda iniciará com os primeiros exercícios de desenho. (Mateus Machado) O DESENHISTA E O ILUSTRADOR Ainda que não sejam profissionais

Leia mais

Local em que fica o profano antes da sua Iniciação, para que este possa meditar e também redigir seu testamento filosófico.

Local em que fica o profano antes da sua Iniciação, para que este possa meditar e também redigir seu testamento filosófico. (Do hebraico Cabbalah = tradição oral). Sabedoria derivada das doutrinas secretas mais antigas, concernentes à cosmografia a as coisas divinas, que se combinaram para construir uma teologia baseada em

Leia mais

PRESENÇA E PARTICIPAÇÃO NA MAÇONARIA - Joaquim Monte

PRESENÇA E PARTICIPAÇÃO NA MAÇONARIA - Joaquim Monte 1 PRESENÇA E PARTICIPAÇÃO NA MAÇONARIA - Joaquim Monte INTRODUÇÃO: FAZER PARTE DA Profissão PARTICIPAR DA Profissão a mesma coisa? Ou, existe alguma diferença? Então, qual o significado de FAZER PARTE?

Leia mais

ROTEIRO 20 PÊNDULO SIMPLES E PÊNDULO FÍSICO

ROTEIRO 20 PÊNDULO SIMPLES E PÊNDULO FÍSICO ROTEIRO 20 PÊNDULO SIMPLES E PÊNDULO FÍSICO INTRODUÇÃO Estamos cercados de oscilações, movimentos que se repetem. Neste roteiro vamos abordar oscilações mecânicas para uma classe de osciladores harmônicos

Leia mais

ORIENTAÇÃO SOBRE COMO DEVE SER FEITO O TCC DENTRO DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

ORIENTAÇÃO SOBRE COMO DEVE SER FEITO O TCC DENTRO DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO ORIENTAÇÃO SOBRE COMO DEVE SER FEITO O TCC DENTRO DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Ministrantes: Anita Maria da Rocha Fernandes César Albenes Zeferino Maria Cristina Kumm Pontes Rafael Luiz Cancian Itajaí,

Leia mais

TRIBUTO AOS MAÇONS. uma cerimônia aberta emitida pelo. Supremo Conselho da Ordem DeMolay para a República Federativa do Brasil

TRIBUTO AOS MAÇONS. uma cerimônia aberta emitida pelo. Supremo Conselho da Ordem DeMolay para a República Federativa do Brasil TRIBUTO AOS MAÇONS uma cerimônia aberta emitida pelo Supremo Conselho da Ordem DeMolay para a República Federativa do Brasil Segunda Edição 2008 TRIBUTO AOS MAÇONS Esta cerimônia tem por objetivo apresentar

Leia mais

AULA 02 Normatização, Formatação, Caligrafia e Introdução ao Desenho técnico instrumentado. 2013/01. Prof. Esp. Arq. José Maria

AULA 02 Normatização, Formatação, Caligrafia e Introdução ao Desenho técnico instrumentado. 2013/01. Prof. Esp. Arq. José Maria AULA 02 Normatização, Formatação, Caligrafia e Introdução ao Desenho técnico instrumentado. 2013/01 Prof. Esp. Arq. José Maria Norma: Trata-se de um princípio, previamente acordado, que deve ser tomado

Leia mais

FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA Estudo Aprofundado da Doutrina Espírita Livro III Ensinos e Parábolas de Jesus Parte 2 Módulo VI Aprendendo com Fatos

FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA Estudo Aprofundado da Doutrina Espírita Livro III Ensinos e Parábolas de Jesus Parte 2 Módulo VI Aprendendo com Fatos FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA Estudo Aprofundado da Doutrina Espírita Livro III Ensinos e Parábolas de Jesus Parte 2 Módulo VI Aprendendo com Fatos Extraordinários Objetivos Explicar o fenômeno de transfiguração,

Leia mais

Como as instruções maçônicas mudaram minha vida

Como as instruções maçônicas mudaram minha vida 1 TEMA Como as instruções maçônicas mudaram minha vida Paulo Cesar de Freitas Machado - A M CAD. Nº 8064 2 A Glória do Grande Arquiteto do Universo Como as instruções maçônicas mudaram minha vida INTRODUÇÃO:

Leia mais

O momento do gol. Parece muito fácil marcar um gol de pênalti, mas na verdade o espaço que a bola tem para entrar é pequeno. Observe na Figura 1:

O momento do gol. Parece muito fácil marcar um gol de pênalti, mas na verdade o espaço que a bola tem para entrar é pequeno. Observe na Figura 1: O momento do gol A UU L AL A Falta 1 minuto para terminar o jogo. Final de campeonato! O jogador entra na área adversária driblando, e fica de frente para o gol. A torcida entra em delírio gritando Chuta!

Leia mais

RITUAL CONSAGRAÇÃO DE GARANTE DE PAZ E AMIZADE

RITUAL CONSAGRAÇÃO DE GARANTE DE PAZ E AMIZADE RITUAL CONSAGRAÇÃO DE GARANTE DE PAZ E AMIZADE 182 INTRODUÇÃO As Lojas Maçônicas, generalizadamente consideradas, formam a base operacional da Maçonaria como Instituição Iniciática e assim sendo, são elas

Leia mais

A CRIAÇÃO DO MUNDO-PARTE II

A CRIAÇÃO DO MUNDO-PARTE II Meditação Crianças de 10 a 11 anos NOME: DATA: 03/03/2013 PROFESSORA: A CRIAÇÃO DO MUNDO-PARTE II Versículos para decorar: 1 - O Espírito de Deus me fez; o sopro do Todo-poderoso me dá vida. (Jó 33:4)

Leia mais

Copiright de todos artigos, textos, desenhos e lições. A reprodução parcial ou total desta aula só é permitida através de autorização por escrito de

Copiright de todos artigos, textos, desenhos e lições. A reprodução parcial ou total desta aula só é permitida através de autorização por escrito de 1 Nesta aula veremos a importância da coordenação motora para o desenhista e como ela pode ser desenvolvida através de exercícios específicos. (Mateus Machado) A IMPORTANCIA DA COORDENAÇÃO MOTORA Antes

Leia mais

2 A Derivada. 2.1 Velocidade Média e Velocidade Instantânea

2 A Derivada. 2.1 Velocidade Média e Velocidade Instantânea 2 O objetivo geral desse curso de Cálculo será o de estudar dois conceitos básicos: a Derivada e a Integral. No decorrer do curso esses dois conceitos, embora motivados de formas distintas, serão por mais

Leia mais

Palestra Virtual. Tema: Reuniões Mediúnicas. Palestrante: Carlos Feitosa. Promovida pelo IRC-Espiritismo http://www.irc-espiritismo.org.

Palestra Virtual. Tema: Reuniões Mediúnicas. Palestrante: Carlos Feitosa. Promovida pelo IRC-Espiritismo http://www.irc-espiritismo.org. Palestra Virtual Promovida pelo IRC-Espiritismo http://www.irc-espiritismo.org.br Tema: Reuniões Mediúnicas Palestrante: Carlos Feitosa Rio de Janeiro 04/10/2002 Organizadores da Palestra: Moderador: "_Alves_"

Leia mais

Ficha Técnica: Design e Impressão Mediana Global Communication

Ficha Técnica: Design e Impressão Mediana Global Communication Uma Cidade para Todos Ficha Técnica: Design e Impressão Mediana Global Communication Colaboração Nuno Oliveira, coordenador do Serviço de Psicologia do 1º ciclo do Ensino Básico da EMEC - Empresa Municipal

Leia mais

FORMAÇÃO DOCENTE: ASPECTOS PESSOAIS, PROFISSIONAIS E INSTITUCIONAIS

FORMAÇÃO DOCENTE: ASPECTOS PESSOAIS, PROFISSIONAIS E INSTITUCIONAIS FORMAÇÃO DOCENTE: ASPECTOS PESSOAIS, PROFISSIONAIS E INSTITUCIONAIS Daniel Silveira 1 Resumo: O objetivo desse trabalho é apresentar alguns aspectos considerados fundamentais para a formação docente, ou

Leia mais

Aug Resp Loj Simb Universitária Ordem, Luz e Amor n o 3848 Federada ao Grande Oriente do Brasil

Aug Resp Loj Simb Universitária Ordem, Luz e Amor n o 3848 Federada ao Grande Oriente do Brasil AS OBRIGAÇÕES MAÇÔNICAS DO APRENDIZ Meus queridos Irmãos da Loja Universitária Ordem, Luz e Amor, início minha fala dizendo que o Brasil está vivendo um dos mais terríveis momentos de sua história. A corrupção

Leia mais

Vacas gordas & Vacas magras

Vacas gordas & Vacas magras Vacas gordas & Vacas magras Gn 41:1-16,25-37 Esta é uma história conhecida, e que tem sido muito usada no decorrer dos anos, por gerações inteiras devido ao seu riquíssimo conteúdo. Conhecemos através

Leia mais

Vencer não é tudo, mas viver em união

Vencer não é tudo, mas viver em união 14º Plano de aula 1-Citação da semana: Vencer não é tudo, mas viver em união já é uma vitória. 2-Meditação da semana: Preciso de alguém 3-História da semana: Porcos Espinhos 4-Música da semana Tente outra

Leia mais

CERIMÔNIA DO DIA DOS PAIS

CERIMÔNIA DO DIA DOS PAIS CERIMÔNIA DO DIA DOS PAIS ORDEM DOS ESCUDEIROS DA TÁVOLA REDONDA uma cerimônia aberta emitida pelo Supremo Conselho da Ordem DeMolay para a República Federativa do Brasil Primeira Edição 2011 CERIMÔNIA

Leia mais

DO DESENHO A ESCRITA E LEITURA

DO DESENHO A ESCRITA E LEITURA DO DESENHO A ESCRITA E LEITURA Cleide Nunes Miranda 1 Taís Batista 2 Thamires Sampaio 3 RESUMO: O presente estudo discute a relevância do ensino de leitura e principalmente, da escrita, trazendo em especial

Leia mais

S. Tomás de Aquino QUESTÕES SOBRE A EXISTÊNCIA E A INTERLIGAÇÃO DAS VIRTUDES INFUSAS

S. Tomás de Aquino QUESTÕES SOBRE A EXISTÊNCIA E A INTERLIGAÇÃO DAS VIRTUDES INFUSAS QUESTÕES SOBRE A EXISTÊNCIA E A INTERLIGAÇÃO DAS VIRTUDES INFUSAS: Index. S. Tomás de Aquino QUESTÕES SOBRE A EXISTÊNCIA E A INTERLIGAÇÃO DAS VIRTUDES INFUSAS Índice Geral 1. Se existem virtudes teologais.

Leia mais

Para onde vou Senhor?

Para onde vou Senhor? Para onde vou Senhor? Ex 40:33-38 "Levantou também o pátio ao redor do tabernáculo e do altar e pendurou a coberta da porta do pátio. Assim, Moisés acabou a obra. Então a nuvem cobriu a tenda da congregação,

Leia mais

MOTIVAÇÃO PESSOAL E PROFISSIONAL

MOTIVAÇÃO PESSOAL E PROFISSIONAL MOTIVAÇÃO PESSOAL E PROFISSIONAL Eduardo Bianchi MOTIVAÇÃO PESSOAL E PROFISSIONAL Primeira Edição São Paulo 2012 Sumário A Importância da Motivação...7 As Formas de Manifestação da Motivação...9 As Causas

Leia mais

Cerimônia Especial de Apresentação da Ordem DeMolay

Cerimônia Especial de Apresentação da Ordem DeMolay Partes exigidas Cerimônia Especial de Apresentação da Ordem DeMolay - Mestre Conselheiro (MC) - 1º Conselheiro (1ºC) - 2º Conselheiro (2ºC) - Mestre de Cerimônias (MCer) - Capelão (Cap) - 1º Diácono (1ºD)

Leia mais

Mantendo uma Posição Firme

Mantendo uma Posição Firme Livro 1 página 65 Lição Nove Mantendo uma Posição Firme (O Batismo e a Membresia na Igreja) Introdução: O batismo e a membresia na igreja säo coisas inteiramente diferentes. Eles estão juntos nesta lição

Leia mais

FORMAR-SE. Há em muitas de nossas falas, quando terminamos um ciclo, algo que ocorre muito

FORMAR-SE. Há em muitas de nossas falas, quando terminamos um ciclo, algo que ocorre muito FORMAR-SE Senhoras e senhores, Há em muitas de nossas falas, quando terminamos um ciclo, algo que ocorre muito na cultura, algo que tem a profunda marca antropológica dos rituais: a celebração de uma passagem,

Leia mais

SENHORAS E SENHORES RERESENTANTES DOS DIFERENTES ÓRGAOS E ENTIDADES. SENHORAS E SENHORES TRABALHADORES DE EDUCAÇÃO DESTE CENTRO.

SENHORAS E SENHORES RERESENTANTES DOS DIFERENTES ÓRGAOS E ENTIDADES. SENHORAS E SENHORES TRABALHADORES DE EDUCAÇÃO DESTE CENTRO. SENHORAS AUTORIDADES PRESENTES NESTE ATO DE POSSE. SENHORAS E SENHORES RERESENTANTES DOS DIFERENTES ÓRGAOS E ENTIDADES. SENHORAS E SENHORES TRABALHADORES DE EDUCAÇÃO DESTE CENTRO. CAROS ESTUDANTES E DEMAIS

Leia mais

Cotagens especiais. Você já aprendeu a interpretar cotas básicas

Cotagens especiais. Você já aprendeu a interpretar cotas básicas A UU L AL A Cotagens especiais Você já aprendeu a interpretar cotas básicas e cotas de alguns tipos de elementos em desenhos técnicos de modelos variados. Mas, há alguns casos especiais de cotagem que

Leia mais

O Poder do Pensamento e da Palavra Ter, 02 de Dezembro de 2008 09:04

O Poder do Pensamento e da Palavra Ter, 02 de Dezembro de 2008 09:04 Antes de pronunciar, devemos medir a palavra. O bom ou mau emprego que os homens fazem das palavras e pensamentos é a causa da maioria das misérias ou das felicidades por que passam. Na verdade, o mundo

Leia mais

Caderno de Postura. Prof. Luiz Mello

Caderno de Postura. Prof. Luiz Mello Caderno de Postura Prof. Luiz Mello CADERNO DE POSTURA Este caderno de postura tem como objetivo demonstrar os principais pontos relacionados a maneira de como tocar violão e guitarra de uma maneira saudável,

Leia mais

Lição 8 Trabalhar com Líderes

Lição 8 Trabalhar com Líderes Lição 8 Trabalhar com Líderes Já havia mais de um ano que o António se tornara membro da sua igreja. Ele tinha aprendido tanto! Começou a pensar nos líderes da igreja que o tinham ajudado. Pensava naqueles

Leia mais

Como Tratar as Crianças Tânia Mara de Matogrosso Coleção Pantanal

Como Tratar as Crianças Tânia Mara de Matogrosso Coleção Pantanal Como Tratar as Crianças Tânia Mara de Matogrosso Coleção Pantanal 1 FICHA TÉCNICA Coleção Pantanal 2010 Tânia Mara de Matogrosso Como Tratar as Crianças PREFIXO EDITORIAL: 905081 NR: 1234. 21 taniamaramt@bol.com.br

Leia mais

Projetos como alternativa de ensino e aprendizagem 1

Projetos como alternativa de ensino e aprendizagem 1 Projetos como alternativa de ensino e aprendizagem 1 Dos projetos individuais, aos projetos de grupo e aos projetos das organizações, dos projetos profissionais, aos projetos de formação; dos projetos

Leia mais

O homem e o meio ambiente

O homem e o meio ambiente A U A UL LA O homem e o meio ambiente Nesta aula, que inicia nosso aprendizado sobre o meio ambiente, vamos prestar atenção às condições ambientais dos lugares que você conhece. Veremos que em alguns bairros

Leia mais

ÓRBITA ILUMINADA HU F 152/ NT4091

ÓRBITA ILUMINADA HU F 152/ NT4091 ÓRBITA ILUMINADA HU F 152/ NT4091 INTRODUÇÃO Trata-se de um modelo científico de trabalho, representando o Sol, a Terra e a Lua, e mostrando como estes se relacionam entre si. Foi concebido para mostrar

Leia mais

Projeto Pedagógico Institucional PPI FESPSP FUNDAÇÃO ESCOLA DE SOCIOLOGIA E POLÍTICA DE SÃO PAULO PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL PPI

Projeto Pedagógico Institucional PPI FESPSP FUNDAÇÃO ESCOLA DE SOCIOLOGIA E POLÍTICA DE SÃO PAULO PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL PPI FUNDAÇÃO ESCOLA DE SOCIOLOGIA E POLÍTICA DE SÃO PAULO PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL PPI Grupo Acadêmico Pedagógico - Agosto 2010 O Projeto Pedagógico Institucional (PPI) expressa os fundamentos filosóficos,

Leia mais

MELHORES MOMENTOS. Expressão de Louvor Paulo Cezar

MELHORES MOMENTOS. Expressão de Louvor Paulo Cezar MELHORES MOMENTOS Expressão de Louvor Acordar bem cedo e ver o dia a nascer e o mato, molhado, anunciando o cuidado. Sob o brilho intenso como espelho a reluzir. Desvendando o mais profundo abismo, minha

Leia mais

LIBERTANDO OS CATIVOS

LIBERTANDO OS CATIVOS LIBERTANDO OS CATIVOS Lucas 14 : 1 24 Parábola sobre uma grande ceia Jesus veio convidar àqueles que têm fome e sede para se ajuntarem a Ele. O Senhor não obriga que as pessoas O sirvam, mas os convida

Leia mais

dim i e m nsão ã o h uma m n a a c p a ac a i c d i ad a e c m o p m etênci c a

dim i e m nsão ã o h uma m n a a c p a ac a i c d i ad a e c m o p m etênci c a Importância da Imagem Pessoal na Profissão Profa Elaine C. S. Ovalle Todo ser humano tem necessidade de se destacar naquilo que realiza. O maior responsável pelo desenvolvimento pessoal é o próprio indivíduo.

Leia mais

"Ajuntai tesouros no céu" - 2

Ajuntai tesouros no céu - 2 "Ajuntai tesouros no céu" - 2 Jesus nos ensinou a "alinharmos" os nossos valores aos valores de seu Reino, comparando em sua mensagem aquilo que é terreno e passageiro com aquilo que é espiritual e eterno.

Leia mais

Plano de aula n : 10 Data: 21/22/23/25 de janeiro 2010. Professor:

Plano de aula n : 10 Data: 21/22/23/25 de janeiro 2010. Professor: Plano de aula n : 10 Data: 21/22/23/25 de janeiro 2010. Técnica de remada inclinada Demonstrar aos alunos a maneira correta de utilização e ajustes do material em beneficio de uma maior segurança, iniciando

Leia mais

FÍSICA - 1 o ANO MÓDULO 11 EQUILÍBRIO: DO PONTO MATERIAL E CORPO EXTENSO REVISÃO

FÍSICA - 1 o ANO MÓDULO 11 EQUILÍBRIO: DO PONTO MATERIAL E CORPO EXTENSO REVISÃO FÍSICA - 1 o ANO MÓDULO 11 EQUILÍBRIO: DO PONTO MATERIAL E CORPO EXTENSO REVISÃO Fixação F 1) (CESGRANRIO) A figura a seguir mostra uma peça de madeira, no formato de uma forca, 2 utilizada para suspender

Leia mais

Décima Primeira Lição

Décima Primeira Lição 70 Décima Primeira Lição AUTORIDADE NA EDUCAÇÃO DOS FILHOS A EDUCAÇÃO DOS FILHOS NO LAR A) O lar tem suma importância na vida humana, pois é o berço de costumes, hábitos, caráter, crenças e morais de cada

Leia mais

Módulo 1 Questões Básicas da Economia. 1.1. Conceito de Economia

Módulo 1 Questões Básicas da Economia. 1.1. Conceito de Economia Módulo 1 Questões Básicas da Economia 1.1. Conceito de Economia Todos nós temos uma série de necessidades. Precisamos comer, precisamos nos vestir, precisamos estudar, precisamos nos locomover, etc. Estas

Leia mais

ENSINAR E APRENDER GEOMETRIA PLANA COM E A PARTIR DO USO DO SOFTWARE GEOGEBRA UMA VIVÊNCIA NO CONTEXTO ESCOLAR

ENSINAR E APRENDER GEOMETRIA PLANA COM E A PARTIR DO USO DO SOFTWARE GEOGEBRA UMA VIVÊNCIA NO CONTEXTO ESCOLAR ENSINAR E APRENDER GEOMETRIA PLANA COM E A PARTIR DO USO DO SOFTWARE GEOGEBRA UMA VIVÊNCIA NO CONTEXTO ESCOLAR Por: André Forlin Dosciati - UNIJUÍ Vanessa Faoro - UNIJUÍ Isabel Koltermann Battisti UNIJUÍ

Leia mais

Future School Idiomas

Future School Idiomas Future School Idiomas Sumário Quem somos... pag 2 Sobre o curso... pag 3 Sobre a aula... pag 4 Vantagens em se fazer nosso curso on line... pag 5 Objetivo do curso... pag 6 Como entrar na sala de aula...

Leia mais

Global Training. The finest automotive learning

Global Training. The finest automotive learning Global Training. The finest automotive learning Cuidar da saúde com PREFÁCIO O Manual de Ergonomia para o Motorista que você tem em agora em mãos, é parte de um programa da Mercedes-Benz do Brasil para

Leia mais

PLANEJAMENTO ANUAL DE ENSINO RELIGIOSO

PLANEJAMENTO ANUAL DE ENSINO RELIGIOSO COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150 PLANEJAMENTO ANUAL DE ENSINO RELIGIOSO SÉRIE: 9ºs anos PROFESSOR:

Leia mais

LIDERANÇA: O líder contemporâneo André Lanna 1

LIDERANÇA: O líder contemporâneo André Lanna 1 1 LIDERANÇA: O líder contemporâneo André Lanna 1 RESUMO Este artigo analisa o perfil de diferentes tipos de líderes, bem como a análise de situações encontradas do ponto de vista de gestão de pessoas.

Leia mais

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------- GESTÃO DEMOCRÁTICA DA ESCOLA, ÉTICA E SALA DE AULAS Cipriano Carlos Luckesi 1 Nos últimos dez ou quinze anos, muito se tem escrito, falado e abordado sobre o fenômeno da gestão democrática da escola. Usualmente,

Leia mais

O significado do número 5 Boanerges B. Castro O Simbolismo dos Números na Maçonaria (negritos do Ir.'. Pucci)

O significado do número 5 Boanerges B. Castro O Simbolismo dos Números na Maçonaria (negritos do Ir.'. Pucci) Grande Loja do Paraná Ir.'. Iraci da Silva Borges Grão-Mestre Para o estudo em especial de nossos IIr.'. CComp.'.. O significado do número 5 Boanerges B. Castro O Simbolismo dos Números na Maçonaria (negritos

Leia mais

4Distribuição de. freqüência

4Distribuição de. freqüência 4Distribuição de freqüência O objetivo desta Unidade é partir dos dados brutos, isto é, desorganizados, para uma apresentação formal. Nesse percurso, seção 1, destacaremos a diferença entre tabela primitiva

Leia mais

Controlar a caligrafia 4/5 ANOS. Dos pontos à linha. Linhas e decoração. Da linha à letra. Para fazer em casa

Controlar a caligrafia 4/5 ANOS. Dos pontos à linha. Linhas e decoração. Da linha à letra. Para fazer em casa A IT R C S E E D O N R E O MEU CAD Controlar a caligrafia 4/5 ANOS Dos pontos à linha Linhas e decoração Da linha à letra Para fazer em casa 2 Da escola à casa Da escola à casa Caros pais: A aprendizagem

Leia mais

TIPOS DE BRINCADEIRAS E COMO AJUDAR A CRIANÇA BRINCAR

TIPOS DE BRINCADEIRAS E COMO AJUDAR A CRIANÇA BRINCAR TIPOS DE BRINCADEIRAS E COMO AJUDAR A CRIANÇA BRINCAR As crianças precisam atravessar diversos estágios no aprendizado de brincar em conjunto, antes de serem capazes de aproveitar as brincadeiras de grupo.

Leia mais

O interesse por atividades práticas contribuindo na alfabetização através do letramento

O interesse por atividades práticas contribuindo na alfabetização através do letramento O interesse por atividades práticas contribuindo na alfabetização através do letramento A contribuição do interesse e da curiosidade por atividades práticas em ciências, para melhorar a alfabetização de

Leia mais

Treinamento de Líderes Ministério da Mulher

Treinamento de Líderes Ministério da Mulher 1 Treinamento de Líderes Ministério da Mulher Introdução A liderança feminina sempre encontra barreiras impostas pelas tradições; é necessário que a mulher vença o seu interior, disponha-se a liderar e

Leia mais

casa. Será uma casa simples, situada em terreno plano, com sala, dois quartos, cozinha, banheiro e área de serviço.

casa. Será uma casa simples, situada em terreno plano, com sala, dois quartos, cozinha, banheiro e área de serviço. A UUL AL A A casa Nesta aula vamos examinar a planta de uma casa. Será uma casa simples, situada em terreno plano, com, dois quartos, cozinha, banheiro e área de serviço. Introdução terreno 20 m rua 30

Leia mais

UMA VIDA DE PAZ, PACIÊNCIA E AMABILIDADE EM UM MUNDO HOSTIL.

UMA VIDA DE PAZ, PACIÊNCIA E AMABILIDADE EM UM MUNDO HOSTIL. UMA VIDA DE PAZ, PACIÊNCIA E AMABILIDADE EM UM MUNDO HOSTIL. Como sabemos o crescimento espiritual não acontece automaticamente, depende das escolhas certas e na cooperação com Deus no desenvolvimento

Leia mais

Lição 9 Completar com Alegria

Lição 9 Completar com Alegria Lição 9 Completar com Alegria A igreja estava cheia. Era a época da colheita. Todos tinham trazido algo das suas hortas, para repartir com os outros. Havia muita alegria enquanto as pessoas cantavam louvores

Leia mais

Atualmente muito se tem ouvido falar e os estudos científicos. comprovam que a prática física diária é considerada um dos fatores

Atualmente muito se tem ouvido falar e os estudos científicos. comprovam que a prática física diária é considerada um dos fatores Atualmente muito se tem ouvido falar e os estudos científicos comprovam que a prática física diária é considerada um dos fatores que contribui efetivamente para uma melhor qualidade de vida do indivíduo.

Leia mais

Senior Fitness Test SFT

Senior Fitness Test SFT 1. Levantar e sentar na caira Senior Fitness Test SFT Objetivo: avaliar a força e resistência dos membros inferiores. Instrumentos: cronômetro, caira com encosto e sem braços, com altura assento aproximadamente

Leia mais

Homens. Inteligentes. Manifesto

Homens. Inteligentes. Manifesto Homens. Inteligentes. Manifesto Ser homem antigamente era algo muito simples. Você aprendia duas coisas desde cedo: lutar para se defender e caçar para se alimentar. Quem fazia isso muito bem, se dava

Leia mais

COMO INVESTIR PARA GANHAR DINHEIRO

COMO INVESTIR PARA GANHAR DINHEIRO COMO INVESTIR PARA GANHAR DINHEIRO Por que ler este livro? Você já escutou histórias de pessoas que ganharam muito dinheiro investindo, seja em imóveis ou na Bolsa de Valores? Após ter escutado todas essas

Leia mais

INVESTIDURA CRUZ DE HONRA

INVESTIDURA CRUZ DE HONRA INSTRUÇÕES GERAIS O Altar, os assentos e os postos dos Oficiais e as cadeiras para os membros devem ser arrumados de acordo com a Sala Capitular indicada no Diagrama 1. A cerimônia será apresentada toda

Leia mais

SALVAÇÃO não basta conhecer o endereço Atos 4:12

SALVAÇÃO não basta conhecer o endereço Atos 4:12 SALVAÇÃO não basta conhecer o endereço Atos 4:12 A SALVAÇÃO É A PRÓPRIA PESSOA DE JESUS CRISTO! VOCÊ SABE QUAL É O ENDEREÇO DE JESUS! MAS ISSO É SUFICIENTE? Conhecer o endereço de Jesus, não lhe garantirá

Leia mais

Aprendizes do Futuro: como incorporar conhecimento e transformar realidades Eduardo Carmello

Aprendizes do Futuro: como incorporar conhecimento e transformar realidades Eduardo Carmello Aprendizes do Futuro: como incorporar conhecimento e transformar realidades Eduardo Carmello Para suportar as intensas mudanças nos próximos 10 anos, Aprendizes do Futuro compreendem que é necessário criar

Leia mais

Updates. Updates da Pesquisa FLL WORLD CLASS. Updates do Desafio do Robô FLL WORLD CLASS

Updates. Updates da Pesquisa FLL WORLD CLASS. Updates do Desafio do Robô FLL WORLD CLASS Updates da Pesquisa FLL WORLD CLASS 2 ANIMAIS Para escrever a sua Questão da FLL WORLD CLASS, seu time precisa escolher um tópico em que uma PESSOA possa aprender. Tudo bem se há um animal envolvido em

Leia mais

O SOFTWARE EUCLIDEAN REALITY AUXILIANDO NA CONSTRUÇÃO DO TEOREMA DE PITÁGORAS

O SOFTWARE EUCLIDEAN REALITY AUXILIANDO NA CONSTRUÇÃO DO TEOREMA DE PITÁGORAS O SOFTWARE EUCLIDEAN REALITY AUXILIANDO NA CONSTRUÇÃO DO TEOREMA DE PITÁGORAS Vânia de Moura Barbosa Secretaria de Educação do Estado de Pernambuco vanibosa@terra.com.br Introdução Um dos primeiros questionamentos

Leia mais

Movimentação de Campo

Movimentação de Campo Movimentação de Campo Introdução Este tema tem relevante importância para a evolução dos nossos atletas, pois se estes não automatizarem os seus deslocamentos dentro do campo dificilmente atingiram elevadas

Leia mais

A Curva Normal Luiz Pasquali

A Curva Normal Luiz Pasquali Capítulo 3 A Curva Normal Luiz Pasquali 1 A História da Curva Normal A curva normal, também conhecida como a curva em forma de sino, tem uma história bastante longa e está ligada à história da descoberta

Leia mais

Vendas - Cursos. Curso Completo de Treinamento em Vendas com Eduardo Botelho - 15 DVDs

Vendas - Cursos. Curso Completo de Treinamento em Vendas com Eduardo Botelho - 15 DVDs Vendas - Cursos Curso Completo de Treinamento em Vendas com - 15 DVDs O DA VENDA Esta palestra mostra de maneira simples e direta como planejar o seu trabalho e, também, os seus objetivos pessoais. Através

Leia mais

Leone Alves. O fim da cegueira intelectual. 1ª Edição. São Paulo - Brasil

Leone Alves. O fim da cegueira intelectual. 1ª Edição. São Paulo - Brasil Leone Alves O fim da cegueira intelectual 1ª Edição São Paulo - Brasil 2015 1 Apresentação O fim da cegueira intelectual é um livro filosófico que tem como objetivo despertar na sociedade a capacidade

Leia mais

O Maçom Invisível. Jairo da Costa. edições

O Maçom Invisível. Jairo da Costa. edições O Maçom Invisível O Maçom Invisível Jairo da Costa edições zzagg Copyright 2013 by Jairo da Costa Todos os direitos desta edição reservados. Ne nhuma parte desta obra poderá ser reproduzida ou transmitida,

Leia mais

ADEQUAÇÃO DAS EDIFICAÇÕES E DO MOBILIÁRIO URBANO À PESSOA DEFICIENTE

ADEQUAÇÃO DAS EDIFICAÇÕES E DO MOBILIÁRIO URBANO À PESSOA DEFICIENTE Esta norma aplica-se atodas as edificações de uso público e/ou mobiliário urbano, tanto em condições temporárias como em condições permanentes. É sempre necessário consultar o REGULAMENTO DO CÓDIGO NACIONAL

Leia mais

JOGO DE PALAVRAS OU RELAÇÕES DE SENTIDOS? DISCURSOS DE LICENCIANDOS SOBRE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA PRODUÇÃO DE TEXTOS EM UMA AVALIAÇÃO

JOGO DE PALAVRAS OU RELAÇÕES DE SENTIDOS? DISCURSOS DE LICENCIANDOS SOBRE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA PRODUÇÃO DE TEXTOS EM UMA AVALIAÇÃO JOGO DE PALAVRAS OU RELAÇÕES DE SENTIDOS? DISCURSOS DE LICENCIANDOS SOBRE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA PRODUÇÃO DE TEXTOS EM UMA AVALIAÇÃO Tatiana Galieta (Universidade do Estado do Rio de Janeiro) Introdução

Leia mais

EXPLORANDO OS CONTEÚDOS MATEMÁTICOS ENVOLVIDOS NA CONSTRUÇÃO DE UMA CASA

EXPLORANDO OS CONTEÚDOS MATEMÁTICOS ENVOLVIDOS NA CONSTRUÇÃO DE UMA CASA EXPLORANDO OS CONTEÚDOS MATEMÁTICOS ENVOLVIDOS NA CONSTRUÇÃO DE UMA CASA Sergio da Silva Cambiriba 1 Dante Alves Medeiros Filho 2 RESUMO Nosso trabalho consistiu em explorar alguns conteúdos matemáticos

Leia mais

CRISTO EM TI A MANIFESTAÇÃO DA GLÓRIA

CRISTO EM TI A MANIFESTAÇÃO DA GLÓRIA CRISTO EM TI A MANIFESTAÇÃO DA GLÓRIA INTRODUÇÃO Irmãos! A bíblia nos ensina que Deus nos chama a realizar, a ser, a conhecer e a alcançar muitas coisas, tais como, realizar a obra de Deus, a ser santos,

Leia mais

2010 - Programação Capítulo

2010 - Programação Capítulo 12.03.10 Sessão Econômica: Atividades de Estudos e de Instruções: graus 15 e 18. Os irmãos do grau 18 entregarão uma Atividade de Estudos sobre a sua Elevação ao grau 18 Os irmãos do grau 15 entregarão

Leia mais

RELÓGIOS COMPARADORES

RELÓGIOS COMPARADORES RELÓGIOS COMPARADORES Os Relógios comparadores, também chamados de Comparador de quadrante ou Amplificador, são instrumentos largamente utilizados com a finalidade de se fazer medidas lineares por meio

Leia mais

Quiz: Expedito Extremista ou Marcelo Moderado

Quiz: Expedito Extremista ou Marcelo Moderado Quiz: Expedito Extremista ou Marcelo Moderado A vida pode ser caótica e desequilibrada se a gente não souber quando algo já teve seu tempo ou é demais. Sendo assim, qual o meio termo entre muito e DEMAIS?

Leia mais

5. Autoconsciência e conhecimento humano de Jesus

5. Autoconsciência e conhecimento humano de Jesus 5. Autoconsciência e conhecimento humano de Jesus Através do estudo dos evangelhos é possível captar elementos importantes da psicologia de Jesus. É possível conjeturar como Jesus se autocompreendia. Especialmente

Leia mais

T O U R O : R E V E L A Ç Ã O D A N O VA L U Z E M E R G E N T E

T O U R O : R E V E L A Ç Ã O D A N O VA L U Z E M E R G E N T E PLENILÚNIO DE TOURO (Lua Cheia 14/5/2014 às 16h16 hora local de Argentina e Brasil) T O U R O : R E V E L A Ç Ã O D A N O VA L U Z E M E R G E N T E Desenvolvimento e revelação ou (se preferirem) uma revelação

Leia mais

GRUPOS. são como indivíduos, cada um deles, tem sua maneira específica de funcionar.

GRUPOS. são como indivíduos, cada um deles, tem sua maneira específica de funcionar. GRUPOS são como indivíduos, cada um deles, tem sua maneira específica de funcionar. QUANTOS ADOLESCENTES A SUA CLASSE TEM? Pequenos (de 6 a 10 pessoas) Médios ( de 11 pessoa a 25 pessoas) Grandes ( acima

Leia mais

O INTELECTUAL/PROFESSOR DE EDUCAÇÃO FÍSICA E SUA FUNÇÃO SOCIAL 1

O INTELECTUAL/PROFESSOR DE EDUCAÇÃO FÍSICA E SUA FUNÇÃO SOCIAL 1 O INTELECTUAL/PROFESSOR DE EDUCAÇÃO FÍSICA E SUA FUNÇÃO SOCIAL 1 Efrain Maciel e Silva 2 Resumo: Estudando um dos referenciais do Grupo de Estudo e Pesquisa em História da Educação Física e do Esporte,

Leia mais

Mostrar os Objetos 10 Contar a história seguindo os slides (anexo1) 40

Mostrar os Objetos 10 Contar a história seguindo os slides (anexo1) 40 Aula 1: A história do banheiro Tema Mostrar ao aluno como era a vida das pessoas que não possuíam os recursos sanitários conhecidos hoje, a história de como surgiu à necessidade dos mesmos, sua origem

Leia mais

Caminhando Com as Estrelas

Caminhando Com as Estrelas Caminhando Com as Estrelas Espiritualidade que Liberta Com Alessandra França e Jaqueline Salles Caminhando Com as Estrelas Espiritualidade que Liberta Aula 1 Com Alessandra França Temas: O Reino dos Céus

Leia mais

Philippe Perrenoud Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação Universidade de Genebra 2009

Philippe Perrenoud Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação Universidade de Genebra 2009 EDUCAÇÃO PARA A CIDADANIA: Passar do Discurso para a Ação Philippe Perrenoud Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação Universidade de Genebra 2009 1º Fórum de Ideias - Cambridge University Press

Leia mais