lente especialmente projetado proporciona áreas de leitura mais amplas, com melhor visão periférica. Quando

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "lente especialmente projetado proporciona áreas de leitura mais amplas, com melhor visão periférica. Quando"

Transcrição

1 A A R T E & C I Ê N C I A D E A Tecnologia de Camber COMBINA CURVAS COMPLEXAS EM AMBAS AS SUPERFÍCIES da lente, fornecendo excelente correção da visão. A incomparável CURVATURA EM MUDANÇA CONTÍNUA DA SUPERFÍCIE do bloco de lente especialmente projetado proporciona áreas de leitura mais amplas, com melhor visão periférica. Quando combinadas ao SOFISTICADO DESIGN DIGITAL DA SUPERFÍCIE POSTERIOR, ambas as superfícies operam em conjunto, adequando-se a um amplo receituário, proporcionando uma estética mais atraente (mais plana) em muitas receitas e permitindo uma performance visual mais desejada pelo usuário.

2 APRESENTAMOS OS MAIS RECENTES AVANÇOS EM LENTES DIGITAIS DAVID RIPS PRESIDENTE E CEO YOUNGER OPTICS O Processo digital é talvez o mais interessante e significativo desenvolvimento tecnológico visto na nossa indústria nos últimos anos. Ao mesmo tempo em que essa tecnologia apresenta muitas vantagens, por outro lado algumas questões relativas ao design óptico precisam ser consideradas. Acredito que Camber contemple essas questões e tire proveito de toda a flexibilidade que a surfaçagem digital tenha a oferecer. Existe um velho ditado que afirma: Às vezes é necessário ir longe para encontrar o que está perto. Essa realidade certamente se aplica a Camber, que, em sua essência, revisita a importância de combinar o poder dióptrico do receituário e sua curva base correspondente e opticamente adequada. Ao utilizar o poder de curvas complexas em ambas às superfícies da lente, Camber parece oferecer algo a todos os usuários. Melhor óptica e estética, aprimorada área de visão de perto e mais ampla área de visão de longe Camber é um verdadeiro avanço para o laboratório, para o profissional de oftalmologia e, o mais importante, para o paciente. Os quase 60 anos de sucesso da Younger Optics se baseiam em verdadeiras inovações. Camber representa uma novidade ao combinar os avanços introduzidos pela tecnologia de novos equipamentos, que acarretam no processo digital, com o design óptico de ponta incorporado ao bloco Camber. David Rips, Presidente e CEO Younger Optics

3 DESCUBRA A AMPLITUDE VISUAL AVANÇADA TECNOLOGIA DE CURVAS PARA USUÁRIOS DE LENTES PROGRESSIVAS O CONCEITO DE CAMBER PÁGINAS 4-5 A VERDADE SOBRE CURVA BASE Descubra a importância da curva base e onde ela pode ser melhorada nas lentes progressivas FREE FORM. AS LENTES CAMBER PÁGINAS 8-9 UMA COMBINAÇÃO DE CURVAS COMPLEXAS Veja como o exclusivo bloco Camber combina com o complexo cálculo da superfície posterior de Camber para criar uma lente progressiva digital de ponta, como nenhuma outra. O BLOCO CAMBER PÁGINAS 6-7 INOVAÇÃO NA SUPERFÍCIE ANTERIOR PÁGINA 10 OS RESULTADOS DE CAMBER UM ESTUDO COMPARATIVO COM USUÁRIOS Veja como a tecnologia patenteada da curva base variável de Camber é melhor para as lentes progressivas FREE FORM. Veja os benefícios relatados por usuários em um teste comparativo duplo-cego.

4 O CONCEITO DE CAMBER A VERDADE SOBRE CURVA BASE Uma tecnologia que evolui rapidamente vem trazendo interessantes mudanças para a indústria. Mas às vezes avanços significativos podem ser alcançados se simplesmente voltarmos ao básico. A curva base, uma propriedade geralmente negligenciada embora essencial de um bloco, está no primeiro plano da nova e patenteada tecnologia de superfície anterior de Camber. Para entender plenamente os benefícios das lentes Camber, é necessário retornarmos a um princípio óptico fundamental: Para cada poder dióptrico, existe uma curva base ideal. Quase todos os profissionais da oftalmologia estão familiarizados com a elipse de Tscherning, abaixo, que mostra as duas curvas base da lente opticamente ideais para cada poder dióptrico. A curva superior representa o cálculo de Wollaston, de A curva inferior refere-se ao cálculo mais plano, mais viável, apresentado em 1898 por F. Ostwalt, que se tornou o modelo para as padronizadas curvas base da lente. Embora as recomendações contemporâneas para curva base sejam ligeiramente mais planas, em função de preferências estéticas, o cálculo de Ostwalt ainda é reconhecido como opticamente ideal. [FIGURA 4.1] Quando o poder dióptrico de uma lente é pareado à sua curva base ideal, o usuário obtém uma visão mais nítida, com astigmatismo oblíquo mínimo. Quando a curva base recai para além da gama ideal de dado poder dióptrico, a acuidade visual fora do eixo cai vertiginosamente. Quanto mais distante a curva base estiver do cálculo ideal, mais rápido será o declínio da acuidade fora do eixo. [FIGURA 5.1] Essa ideia tem grandes implicações em uma lente progressiva, porque a área de visão de perto pode ser acessada somente em um ângulo oblíquo. Se houver uma correspondência fraca com a curva base, a acuidade visual do paciente pode sofrer uma queda abrupta na área de visão de perto. Pacientes com receituários de alta adição são ainda mais suscetíveis a se sentirem confinados a essas limitações. A tecnologia da lente digital permitiu aos laboratórios criar as lentes progressivas a partir de um bloco de visão simples. No entanto, parear o poder dióptrico à curva base ideal nestasituaçãoécomplicado eé inevitável o comprometimento de algum benefício. A lente progressiva tem muitos poderes dióptricos, consequentemente tem muitas curvas base ideais, cuja dioptria aumenta na extensão da lente de cima para baixo. O poder dióptrico da área de visão de longe demanda uma curva base mais plana ao passo que o poder dióptrico da área de visão de perto exige uma curva base mais acentuada. [FIGURA 5.2] No entanto, quando uma lente progressiva FREE FORMéprocessadaapartirdeum bloco de visão simples, os vários poderes dióptricos devem compartilhar uma única curva base, que pode não ser a ideal para a área de visão de perto. A lente Camber oferece uma solução MODERNA, que representa o futuro da tecnologia das lentes progressivas digitais. Nas páginas a seguir, mostraremos uma nova era na tecnologia de curva frontal, que oferece aos usuários campos de visão amplos e mais confortáveis, nas áreas de visão de longe e de perto. FIGURA 4.1 ELIPSE DE TSCHERNING CURVA BASE PODER DIÓPTRICO Ostwalt CURVA BASE PODER DIÓPTRICO PARA A CURVA BASE Bases de lente padronizadas foram projetadas para cobrir toda a gama de poderes dióptricos em conformidade com a equação de Oswalt (retângulos azuis). As modernas curvas base foram deslocadas para baixo, devido a preferências estéticas, para lentes mais planas (linhas vermelhas). 4

5 FIGURA 5.1 A IMPORTÂNCIA DE PAREAR O PODER DIÓPTRICO À SUA CURVA BASE IDEAL ACUIDADE VISUAL GAMA DA CURVA BASE IDEAL DENTRO VS. FORA DA GAMA IDEAL EXEMPLO A A curva base está dentro da gama ideal do poder dióptrico Efeito: Visão clara do centro para as bordas EXEMPLO EXEMPLO B C Curva base ligeiramente para fora da gama ideal Efeito: Menor acuidade da visão fora do eixo Curva base significativamente fora da gama ideal Efeito: Pouquíssima acuidade da visão fora do eixo CURVA BASE EXEMPLO A EXEMPLO B EXEMPLO C FIGURA 5.2 LENTES PROGRESSIVAS: MUITOS PODERES DIÓPTRICOS DE LONGE E DE PERTO ACUIDADE VISUAL MÁXIMA ACUIDADE DA ÁREA DE VISÃO DE LONGE MÁXIMA ACUIDADE DA ÁREA DE VISÃO DE PERTO MÚLTIPLAS CURVAS BASE IDEAIS Uma lente progressiva tem muitos poderes dióptricos, desde a área de visão de longe até a área de perto; consequentemente, tem muitas curvas base ideais, cuja dioptria aumenta em toda a extensão da lente de cima para baixo. CURVA BASE 5

6 OBLOCOCAMBER INOVAÇÃO NA SUPERFÍCIE ANTERIOR O bloco Camber contém uma curva base variável uma inovação na superfície anterior que proporciona uma curva base opticamente ideal em todas as áreas de visão. Cada bloco Camber ORIGINA-SE de uma seção da curva da Tromba de Elefante, criando uma incomparável superfície anterior, com uma curva base variável com dioptria aumentando continuamente, em toda a extensão da lente de cima até embaixo. [FIGURA 6.1] Esse melhorado perfil de superfície anterior proporciona a cada área de visão uma curva base bem ajustada à sua função. A curva base aumenta, da parte superior do bloco até a inferior, em até três dioptrias. Esse empilhamento de esferas é uma ideia completamente nova, exclusiva das lentes Camber. [FIGURA 7.2] Essa inovação na superfície anterior oferece aos usuários benefícios nas áreas de visão de longe e de perto. Os usuários desfrutam de uma acuidade visual sensivelmente melhor na área periférica da visão de longe, bem como de maior conforto e maior facilidade para encontrar a área de visão de perto. O design digital de lentes dá aos designers ópticos ampla liberdade para criar lentes customizadas para cada paciente. Porém, quando uma lente progressiva é criada a partir de um bloco visão simples, a curva frontal uniforme cria problemas ópticos que devem ser corrigidos digitalmente pelo designer de lentes. Em vez de focar cada decisão quanto ao design na obtenção de uma lente totalmente personalizada, alguns dos esforços relativos ao design acabam indo na direção da correção por compensação. [FIGURA 7.3] A nova tecnologia de curva base variável de Camber reduz a necessidade de correção por compensação, permitindo utilizar melhor o design digital para refinar e customizar o design das lentes para cada usuário individualmente. FIGURA 6.1 CURVA DA TROMBA DE ELEFANTE CURVA BASE VARIÁVEL O raio do bloco diminui continuamente, desde a parte superior até a inferior. 6

7 FIGURA 7.1 COMPARAÇÃO DAS SUPERFÍCIES ANTERIORES +30mm 6.5 D +15mm +0mm -15mm BLOCO DE VISÃO SIMPLES O bloco de visão simples apresenta uma curva base desde a parte superior até a inferior. -30mm 6.5 D 6.5 D 6.5 D 6.5 D BLOCO CAMBER O bloco Camber tem uma curva base patenteada, que aumenta continuamente, ideal para o perfil de crescente poder dióptrico das lentes progressivas FREE FORM. FIGURA 7.2 EMPILHAMENTO DAS ESFERAS CURVA CRESCENTE A superfície anterior de Camber apresenta uma curva base crescente de cima até embaixo: menor dioptria na área de visão de longe, e maior dioptria na área de visão de perto. Este empilhamento de esferas é uma ideia totalmente nova, exclusiva às lentes Camber. FIGURA 7.3 COMPENSAÇÃO VS. PERSONALIZAÇÃO LENTES PROGRESSIVAS TRADICIONAIS Quando o design progressivo se localizava na parte anterior, havia uma curva base variante embutida uma curva base maior na área de visão de perto em comparação com a área de visão de longe. De fato, esta é a óptica correta para se obter acuidade visual. LENTES PROGRESSIVAS POSTERIORES DIGITAIS A surfaçagem digital traz o design progressivo à superfície posterior da lente e não apresenta mais uma curva base embutida variante, já que se usa uma curva base anterior de visão simples. Isso cria problemas ópticos que precisam ser corrigidos. COMPENSAÇÃO DE CORREÇÃO DE CURVA O designer óptico deve primeiramente corrigir os problemas ópticos criados por uma curva frontal de visão simples. Infelizmente, muitos designers têm esgotado suas ferramentas de design para corrigir por compensação, em vez de incorporar melhorias para o paciente. 7

8 AS LENTES CAMBER COMBINANDO CURVAS COMPLEXAS Com as lentes Camber, o bloco inovador é só o começo. Quando a exclusiva superfície anterior é combinada ao sofisticado design digital da superfície posterior, ambas as superfícies funcionam conjuntamente e se transformam nas lentes Camber. A seguir apresentamos os três componentes essenciais de uma lente Camber. O BLOCO CAMBER COM CURVA BASE VARIÁVEL O bloco Camber melhora o bloco de visão simples, oferecendo uma curva base continuamente crescente, mais adequada para receituário de lentes progressivas. (Veja mais nas páginas 6 e 7.) O CÁLCULO DO DESIGN DE RECEITUÁRIO DE CAMBER A extraordinária superfície posterior da lente, projetada digitalmente, é calculada em harmonia mútua com a exclusiva curva base variável de Camber. O cálculo de design de receituário de Camber foi desenvolvido pela IOT, uma empresa internacional de design digital que vem ganhando firme reconhecimento da indústria. OS PARÂMETROS DE INDIVIDUALIZAÇÃO O Cálculo de Design de Receituário é aprimorado, caso assim se deseje, por um conjunto completo de parâmetros de individualização, que levam em consideração os atributos específicos da armação e as preferências do usuário. O resultado é uma lente acabada totalmente customizada para cada paciente. FIGURA 8.1 COMPONENTES DE UMA LENTE CAMBER SINERGIA EM TRÊS PARTES A lente Camber é feita de três componentes essenciais: o bloco Camber, o cálculo de Design de Receituário e os parâmetros customizados de cada usuário. 8

9 FIGURA 9.1 UMA COMBINAÇÃO DE CURVAS COMPLEXAS GERA O RECEITUÁRIO DE CAMBER PROCESSAMENTO DIGITAL DE ALTA QUALIDADE Uma vez que os Parâmetros de Individualização estão embutidos no Cálculo de Design do Receituário de Camber, o design aprimorado da superfície posterior é processado no próprio bloco Camber. A COMBINAÇÃO DAS SUPERFÍCIES ANTERIOR E POSTERIOR CRIAM UM RECEITUÁRIO DE LENTES PROGRESSIVAS A combinação da superfície anterior da curva base variável de Camber e o aprimorado design digital da superfície posterior criam a lente Camber, uma avançada lente progressiva digital que oferece notável acuidade visual em todas as áreas de visão. UMA LENTE AVANÇADA COMO NENHUMA OUTRA As lentes Camber dão aos usuários uma extraordinária experiência visual, com amplas áreas de visão de perto, melhor visão periférica, uma vasta gama de receituários, lentes mais atraentes em muitos receituários e têm a preferência dos usuários na performance da visão de perto. 9

10 OS RESULTADOS DE CAMBER ESTUDO COMPARATIVO COM USUÁRIOS Em um estudo duplo-cego, usuários participantes do teste compararam blocos de visão simples convencionais aos blocos Camber, cada um processado exatamente com o mesmo design digital progressivo. PROCEDIMENTOS DO ESTUDO: Os usuários participantes do teste usaram um par de óculos por uma semana, mas não estavam cientes de quais lentes usaram durante toda a duração do estudo. Ambos os pares de lentes eram feitos de material e curva base idênticos, MONTADOS na mesma armação. Os usuários foram questionados quanto à sua experiência com as lentes, após ambas serem testadas. LENTE DE TESTE PROCESSADA A PARTIR DE BLOCOS VISÃO SIMPLES LENTE DE TESTE PROCESSADA A PARTIR DO BLOCO CAMBER ESTUDO DUPLO-CEGO Para NÃO GERAR INFLUÊNCIA, nem os usuários, nem os administradores do estudo souberam qual das lentes estavam sendo testadas em nenhuma das semanas. A B RESULTADOS DO ESTUDO COM USUÁRIOS 100% DOS USUÁRIOS RELATARAM: A ÁREA DE VISÃO DE PERTO É MAIS FACILMENTE ENCONTRADA COM AS LENTES CAMBER 83% DOS USUÁRIOS RELATARAM: ADAPTAÇÃO MAIS FÁCIL COM LENTES CAMBER 94% DOS USUÁRIOS RELATARAM: QUALIDADE DA VISÃO PARA PERTO IGUAL OU SUPERIOR COM AS LENTES CAMBER ORDEM DE IMPORTÂNCIA PARA UM RECEITUÁRIO BEM-SUCEDIDO EM LENTES PROGRESSIVAS Existe muita confusão na nossa indústria quanto aos parâmetros mais importantes na entrega de lentes progressivas de receituário bem-sucedidas. Não surpreende que os itens diretamente controlados pelo profissional da oftalmologia ainda sejam os mais importantes! A curva base e o material de índice da lente têm papel mais importante do que fatores tais como customização e individualização. MAIS IMPORTANTE IMPORTANTE DESEJÁVEL Refração Adequada Altura de Ajuste Medição da Distância Pupilar (DP) Seleção da Curva Base Design das Lentes Progressivas Altura do Corredor Índice do Material da Lente Customização Parâmetros Individuais do Usuário 10

11 AVANÇADA TECNOLOGIA DE CURVAS PARA USUÁRIOS DE LENTES PROGRESSIVAS COMO AS LENTES CAMBER BENEFICIAM ESPECIALISTAS E LABORATÓRIOS COMO AS LENTES CAMBER BENEFICIAM OS PACIENTES ÓPTICA SUPERIOR Campos de visão bem amplos PRÁTICA ESTOCAGEM Pequena quantidade de blocos em estoque, como acontece com os blocos de visão simples MELHOR VISÃO Em todas as áreas de visão, em comparação com o bloco visão simples MAIS RECENTE TECNOLOGIA O design patenteado das duas superfícies de Camber é exclusivo TECNOLOGIA PREMIUM Tenha a confiança de que o produto que você está oferecendo tem uma tecnologia extremamente avançada. PROCESSAMENTO STANDARD Processamento similar às lentes progressivas digitais standard MAIS FÁCIL SELEÇÃO DE ARMAÇÕES Receituários com maior curva base apresentam menores limitações para a escolha da armação MELHOR VISUAL Curva frontal esteticamente mais atraente para as mais altas prescrições e adições TOTALMENTE CUSTOMIZÁVEL Cada variável que afete a visão pode ser individualizada para o paciente MELHOR ÁREA DE VISÃO DE PERTO Mais ampla e mais fácil de encontrar com os olhos MAIS FÁCIL ADAPTAÇÃO Estudo mostra uma adaptação mais rápida da maioria dos usuários OS USUÁRIOS PREFEREM CAMBER Estudo mostra que mais usuários preferem as lentes feitas com os blocos Camber às lentes feitas com blocos visão simples 11

12 MATERIAIS E ESTILOS INCOLOR Lentes Orgânicas (CR39) POLICARBONATO TRIVEX TRILOGY ALTO ÍNDICE 1.60 ALTO ÍNDICE 1.67* NUPOLAR CINZA & MARROM TRANSITIONS CINZA & MARROM *DISPONÍVEL EM ALTO ÍNDICE A PARTIR DE OUTUBRO DE 2013 CURVAS BASE TODOS OS MATERIAIS E ESTILOS LISTADOS ACIMA ESTÃO DISPONÍVEIS PARA TODAS AS CURVAS BASE YOUNGER OPTICS BRASIL Fone: / Facebook: Younger Optics Brasil YOUNGER OPTICS DO BRASIL COMERCIAL DE LENTES LTDA Rua Alfredo Achcar, 970 Prédio 10 Bairro Nova Vinhedo Vinhedo SP CEP YOUNGER OPTICS WORLD HEADQUARTERS 2925 California Street Torrance, CA USA Transitions e o swirl são marcas registradas; Transitions EXTRActive e Transitions lentes adaptáveis são marcas da Transitions Optical, Inc. ; Trivex é uma marca registrada da PPG Industries Ohio, Inc.; MR-10 é uma marca da Mitsui Chemicals Inc.; Camber, Image, Adage, Drivewear, Nupolar, Trilogy e Visual Armor são marcas registradas da Younger Mfg. Co Transitions Optical, Inc. O desempenho fotossensível é influenciado pela temperatura, pela exposição aos raios UV e pelo material das lentes. O desempenho da polarização é influenciado pela temperatura, pela exposição aos raios UV e pelo material das lentes.

UM GUIA PARA LENTES DE USO DIÁRIO

UM GUIA PARA LENTES DE USO DIÁRIO Mais escolhas: UM GUIA PARA LENTES DE USO DIÁRIO E LENTES SOLARES YOUNGER OPTICS DO BRASIL COMERCIAL DE LENTES LTDA Rua Alfredo Achcar, 970 Prédio 10 Bairro Nova Vinhedo Vinhedo SP CEP 13280-000 Fone:

Leia mais

Lentes Trilogy feitas de Trivex

Lentes Trilogy feitas de Trivex Lentes Trilogy feitas de Trivex e sua aplicação para diferentes Por Ed De Gennaro, MEd, ABOM Richmond, Virginia, EUA Série de Monografias da Younger Optics Número Abril/ Com a proliferação de materiais

Leia mais

DuraVision Platinum. Veja mais. Viva mais. Lentes de alta precisão ZEISS. O tratamento antirreflexo mais resistente de todos os tempos*

DuraVision Platinum. Veja mais. Viva mais. Lentes de alta precisão ZEISS. O tratamento antirreflexo mais resistente de todos os tempos* DuraVision Platinum abril/2012 *Comparado aos atuais antirreflexos da Carl Zeiss Vision O tratamento antirreflexo mais resistente de todos os tempos* Veja mais. Viva mais. Lentes de alta precisão. Líder

Leia mais

Manual Técnico Bragal Oil e Gás. Óculos de Segurança com Grau

Manual Técnico Bragal Oil e Gás. Óculos de Segurança com Grau Manual Técnico Bragal Oil e Gás Óculos de Segurança com Grau Apresentação: A necessidade do uso de lentes corretivas, por profissionais que trabalham com óculos de segurança, é uma aplicação de 15% da

Leia mais

Projeto CAPAZ Básico Ametropias 1 Miopia e Hipermetropia

Projeto CAPAZ Básico Ametropias 1 Miopia e Hipermetropia 1 Introdução Ao assistir à aula, você teve acesso ao comportamento do olho humano, constatou quando há uma deficiência visual e como é possível corrigi-la. Vimos algumas peculiaridades, o que acontece

Leia mais

14 / 18 Progressivo Côncavo Free Form ASFÉRICO AMPLITUDE DE VISÃO LIVRE DE ABERRAÇÕES ASFÉRICO AMPLITUDE DE VISÃO. Tecnologia como você nunca viu

14 / 18 Progressivo Côncavo Free Form ASFÉRICO AMPLITUDE DE VISÃO LIVRE DE ABERRAÇÕES ASFÉRICO AMPLITUDE DE VISÃO. Tecnologia como você nunca viu Tecnologia como você nunca viu LIVRE DE ABERRAÇÕES Um sistema único e totalmente inovador, leva em consideração o desenho da armação comercializada ao efetuar os cálculos das superfícies das lentes progressivas.

Leia mais

Tipos de lentes Oftálmicas

Tipos de lentes Oftálmicas Quanto à utilização: Unifocais (ou monofocais) - Têm só uma graduação (só um centro óptico). Podem ser só para visão longe, só para visão de perto ou para uso permanente, conforme os casos. Progressivas

Leia mais

PROGRESSIVE CAFE UM NOVO CAMINHO PARA GERAR LENTES COM SUPERFICIES PROGRESSIVAS. COMES LDS Computer Aided Freeform Engineering

PROGRESSIVE CAFE UM NOVO CAMINHO PARA GERAR LENTES COM SUPERFICIES PROGRESSIVAS. COMES LDS Computer Aided Freeform Engineering PROGRESSIVE CAFE UM NOVO CAMINHO PARA GERAR LENTES COM SUPERFICIES PROGRESSIVAS COMES LDS Computer Aided Freeform Engineering DESIGN PROGRESSIVOS OEM COMES OEM COMES Totalmente livre de Royaltyes. Funciona

Leia mais

Projeto CAPAZ Básico Lentes Oftálmicas

Projeto CAPAZ Básico Lentes Oftálmicas 1 Introdução Ao assistir à aula, você teve acesso aos principais tipos de lentes oftálmicas existentes no mercado. Como se sabe, o conhecimento de lentes é essencial para o desempenho do consultor de venda.

Leia mais

Projeto CAPAZ Básico Lensometria

Projeto CAPAZ Básico Lensometria 1 Introdução Ao assistir à aula você entendeu a importância da lensometria para o profissional de óptica, percebeu que é um procedimento constante e que exige precisão e, portanto, muita atenção. Aprendeu

Leia mais

! " # $ % &! $ $! ' '"# $ "$ #( )*! "#+, OE OD POSIÇÃO DOS OLHOS, DIVERGINDO PARA ALCANÇAREM FUSÃO DE IMAGENS EM POSIÇÃO EXOFÓRICA ! Bases nasais.2,6mm. 1.8mm. O,E, O,D A LINHA DE VISÃO NÃO SOFRE DESVIOS

Leia mais

Disponibilidade das Lentes. Visão Simples

Disponibilidade das Lentes. Visão Simples Disponibilidade das Lentes Visão Simples Material: Resina NPU Índice de Refração: 1.70 Valor Abbe: 36 Peso específico: 1,41 Design: Superfícies de curvas Bi-Asféricas Tratamento: Anti-Reflexo Hi-Vision,

Leia mais

Óptica Geométrica Ocular Séries de Exercícios 2009/2010

Óptica Geométrica Ocular Séries de Exercícios 2009/2010 Óptica Geométrica Ocular Séries de Exercícios 2009/2010 2 de Junho de 2010 Série n.1 Propagação da luz 1. A velocidade da luz amarela de sódio num determinado líquido é 1, 92 10 8 m/s. Qual o índice de

Leia mais

Formação de imagens por superfícies esféricas

Formação de imagens por superfícies esféricas UNIVESIDADE FEDEAL DO AMAZONAS INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS DEPATAMENTO DE FÍSICA Laboratório de Física Geral IV Formação de imagens por superfícies esféricas.. Objetivos:. Primeira parte: Espelho Côncavo

Leia mais

Identificando as partes do equipamento

Identificando as partes do equipamento Lensometria Identificando as partes do equipamento () Ocular (2) Ajuste Ocular (3) Anel de eixo (4) Alavanca de marcação () Alavanca de fixação (6) Alavanca da mesa de armação (7) Mesa de apoio da armação

Leia mais

Mais segurança, leveza e conforto para os seus olhos em todas as situações.

Mais segurança, leveza e conforto para os seus olhos em todas as situações. L E N T E S Mais segurança, leveza e conforto para os seus olhos em todas as situações. Resistência a impactos Resistência e 100% de a impactos proteção e UV. 100% de proteção Tudo que você precisa Tudo

Leia mais

Introdução. A essas e outras questões serão respondidas durante nosso encontro.

Introdução. A essas e outras questões serão respondidas durante nosso encontro. Introdução Milhares de trabalhadores precisam exercer suas atividades utilizando óculos com lentes corretivas ao mesmo tempo que precisam usar óculos de segurança para se proteger contra os riscos inerentes

Leia mais

Detetores Analógicos

Detetores Analógicos Detetores Analógicos Certificado de qualidade Nº. 010 ISO 9001 Integridade do sistema confirmada Continuamente para operação segura Pré-alarme e verificação de níveis de alarme ajuda a reduzir falsos alarmes

Leia mais

Biofísica da visão II. Ondas eletromagnéticas, o olho humano, Funcionamento da visão, Defeitos da visão.

Biofísica da visão II. Ondas eletromagnéticas, o olho humano, Funcionamento da visão, Defeitos da visão. Biofísica da visão II Ondas eletromagnéticas, o olho humano, Funcionamento da visão, Defeitos da visão. Sistema de líquidos do olho Glaucoma: aumento da pressão intra-ocular SIMULAÇÃO DE PERDA NO GLAUCOMA

Leia mais

Prof. André Motta - mottabip@hotmail.com_

Prof. André Motta - mottabip@hotmail.com_ Exercícios Lentes Esféricas 1- Analise as afirmações a seguir e assinale a correta. A) É impossível obter uma imagem maior que o objeto com uma lente divergente. B) Quando um objeto está localizado a uma

Leia mais

3M Saúde Ocupacional. Proteção Visual. Proteção. visual. Protegendo o seu mundo.

3M Saúde Ocupacional. Proteção Visual. Proteção. visual. Protegendo o seu mundo. 3M Saúde Ocupacional Proteção Visual Proteção visual Protegendo o seu mundo. PROTEGENDO O SEU MUNDO. Bem-estar é ir além dos sorrisos. Trabalho é ir além de produtividade. E proteção é ir além de segurança.

Leia mais

Fotos Analógicas (Processo químico) e Digitais (Processo eletrônico)

Fotos Analógicas (Processo químico) e Digitais (Processo eletrônico) CÂMERA FOTOGRÁFICA Foto analógica Foto digital Fotos Analógicas (Processo químico) e Digitais (Processo eletrônico) O DIAFRAGMA OBJETO DIAFRAGMA EM IRIS OBJETO IRIS RETINA ABERTURA PUPILA LENTE CRISTANILO

Leia mais

Divinolândia, 29 de Fevereiro de 2012

Divinolândia, 29 de Fevereiro de 2012 Divinolândia, 29 de Fevereiro de 2012 Prezados senhores interessados, Esta comissão de Julgamento de Licitação do Conderg Hospital Regional de Divinolândia, esclarece através deste, alterações feita no

Leia mais

F/D Min (mm) Max (mm) 4 0,6 0,8 4,5 0,7 1,1 5 0,9 1,3 6 1,3 1,9 7 1,7 2,6 8 2,3 3,4 9 2,9 4,3 10 3,5 5,3 11 4,3 6,4 12 5,1 7,6 15 7,9 11,8

F/D Min (mm) Max (mm) 4 0,6 0,8 4,5 0,7 1,1 5 0,9 1,3 6 1,3 1,9 7 1,7 2,6 8 2,3 3,4 9 2,9 4,3 10 3,5 5,3 11 4,3 6,4 12 5,1 7,6 15 7,9 11,8 Teste de Estrela O teste de estrela é efetuado examinando as imagens das estrelas sobre grande aumento, em ambos os lados do foco (intrafocal e extrafocal). As imagens extrafocais são uma excelente maneira

Leia mais

Projeto CAPAZ Intermediário Topografia

Projeto CAPAZ Intermediário Topografia 1 Introdução Ao assistir à aula você conheceu sobre o que é uma lente progressiva a fim de auxiliálo no entendimento do que é a topografia da lente. Esse estudo tem como objetivo de revelar o que o merchandising

Leia mais

Índice de Refração. c v. n =

Índice de Refração. c v. n = Refração da Luz O que é Refração? É um fenômeno que ocorre quando a luz passa através da interface que separa dois meios, ocasionando uma mudança na direção de propagação. A refração é decorrente de uma

Leia mais

Projeto CAPAZ Básico Tirada de Medidas

Projeto CAPAZ Básico Tirada de Medidas 1 Introdução Ao assistir à aula você teve acesso ao importante procedimento denominado Tiradas de Medidas e como fazê-las. Essas medidas são imprescindíveis para a confecção de todos e quaisquer óculos.

Leia mais

Lentes Unifocais. Unifocais. SeeStyle. Unifocais Esféricas. SeeMax. Asféricas. Unifocais

Lentes Unifocais. Unifocais. SeeStyle. Unifocais Esféricas. SeeMax. Asféricas. Unifocais Lentes Unifocais Unifocais Unifocais Esféricas Unifocais Asféricas Superfície Frontal Asférica Estética: Superfície asférica combinada com bases planas Aberrações (astigmatismo oblíquo e defeitos de potência)

Leia mais

Estação Total GeoMax Série Zoom30

Estação Total GeoMax Série Zoom30 Estação Total GeoMax Série Zoom30 GeoMax Sobre nós Na GeoMax, nós fornecemos uma abrangente pasta de soluções integradas através do desenvolvimento, da fabricação e da distribuição de instrumentos e software

Leia mais

Projeto CAPAZ Básico Ametropias 2 Astigmatismo e Presbiopia

Projeto CAPAZ Básico Ametropias 2 Astigmatismo e Presbiopia 1 Introdução Ao assistir à aula, você teve acesso à continuidade do nosso estudo de ametropias. Nesta apostila você terá mais algumas informações para o aprofundamento dos conteúdos trabalhados e um organograma

Leia mais

dicas & estratégias desempenho da sua loja em jogo

dicas & estratégias desempenho da sua loja em jogo dicas & estratégias Amo ou odeio meus óculos novos? Artigo Palmer R. Cook Tradução Fabrizio Del Ducca Edição Andrea Tavares Colaboração técnica Eric Gozlan Ilustração Mauro Nakata Satisfação tanto com

Leia mais

LENTES DE CONTATO DESCARTÁVEIS CUIDADOS AO COMPRAR, TAMBÉM É PRECISO ADAPTAR E ACOMPANHAR O USO.

LENTES DE CONTATO DESCARTÁVEIS CUIDADOS AO COMPRAR, TAMBÉM É PRECISO ADAPTAR E ACOMPANHAR O USO. LENTES DE CONTATO DESCARTÁVEIS Por Luiz Alberto Perez Alves CUIDADOS AO COMPRAR, TAMBÉM É PRECISO ADAPTAR E ACOMPANHAR O USO. As lentes de contato descartáveis foram introduzidas no Brasil no inicio dos

Leia mais

Profa. Le:cia Veras Costa- Lotufo. Câmara superautomá:ca Posiciona- se na direção do objeto Poder de foco Regula a sensibilidade do filme

Profa. Le:cia Veras Costa- Lotufo. Câmara superautomá:ca Posiciona- se na direção do objeto Poder de foco Regula a sensibilidade do filme BIOFÍSICA DA VISÃO Profa. Le:cia Veras Costa- Lotufo VISÃO: Interação da luz com os fotorreceptores da re:na Re:na filme inteligente situado no OLHO Olho Câmara superautomá:ca Posiciona- se na direção

Leia mais

FÍSICA LISTA 3 LENTES E ÓPTICA DA VISÃO LENTES

FÍSICA LISTA 3 LENTES E ÓPTICA DA VISÃO LENTES FÍSICA Prof. Bruno Roberto LISTA 3 LENTES E ÓPTICA DA VISÃO LENTES 1. (Unicamp 2013) Um objeto é disposto em frente a uma lente convergente, conforme a figura abaixo. Os focos principais da lente são indicados

Leia mais

ÓPTICA GEOMÉTRICA MENU DE NAVEGAÇÃO. LENTES ESFÉRICAS LENTES CONVERGENTES Elementos

ÓPTICA GEOMÉTRICA MENU DE NAVEGAÇÃO. LENTES ESFÉRICAS LENTES CONVERGENTES Elementos ÓPTICA GEOMÉTRICA MENU DE NAVEGAÇÃO Clique em um item abaixo para iniciar a apresentação LENTES ESFÉRICAS LENTES CONVERGENTES Elementos Propriedades Construção Geométrica de Imagens LENTES DIVERGENTES

Leia mais

Essential para vida. Senographe Essential Sistema de mamografia digital de campo total

Essential para vida. Senographe Essential Sistema de mamografia digital de campo total Essential para vida Senographe Essential Sistema de mamografia digital de campo total A excelência em mamografia digital de campo total (FFDM) é um processo de busca contínua para o aprimoramento da tecnologia

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA ATENDIMENTO ÀS GARANTIAS E AOS PROGRAMAS DE PARCERIA SAC - 2015

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA ATENDIMENTO ÀS GARANTIAS E AOS PROGRAMAS DE PARCERIA SAC - 2015 MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA ATENDIMENTO ÀS GARANTIAS E AOS PROGRAMAS DE PARCERIA SAC - 2015 Sumário Introdução e definições Pág. 2 SAC Essilor Pág. 3 Conceitos: Garantia Legal, Garantia Contratual e

Leia mais

Introdução: Mas, todas estas lentes podem ser na verdade convergentes ou divergentes, dependendo do que acontece com a luz quando esta passa por ela.

Introdução: Mas, todas estas lentes podem ser na verdade convergentes ou divergentes, dependendo do que acontece com a luz quando esta passa por ela. Introdução: Com este trabalho experimental pretende-se observar o comportamento de feixes ao atravessar lentes e, ao mesmo tempo, verificar o comportamento dos feixes ao incidir em espelhos. Os conceitos

Leia mais

EXPERIMENTO N o 6 LENTES CONVERGENTES INTRODUÇÃO

EXPERIMENTO N o 6 LENTES CONVERGENTES INTRODUÇÃO EXPERIMENTO N o 6 LENTES CONVERGENTES INTRODUÇÃO Ao incidir em uma lente convergente, um feixe paralelo de luz, depois de passar pela lente, é concentrado em um ponto denominado foco (representado por

Leia mais

Estação Total GeoMax Série Zoom20

Estação Total GeoMax Série Zoom20 Estação Total GeoMax Série Zoom20 GeoMax Sobre nós Na GeoMax, nós fornecemos uma abrangente pasta de soluções integradas através do desenvolvimento, da fabricação e da distribuição de instrumentos e software

Leia mais

Entendendo o Astigmatismo. Introdução. Lentes especiais sem astigmatismo MAS450/854. 9 de março de 2003

Entendendo o Astigmatismo. Introdução. Lentes especiais sem astigmatismo MAS450/854. 9 de março de 2003 Entendendo o Astigmatismo MAS450/854 Primavera 2003 9 de março de 2003 Introdução Lentes especiais sem astigmatismo Lentes cilíndricas cruzadas com astigmatismo o Foco horizontal o Foco vertical o Plano

Leia mais

Lentes de bordas finas: quando as bordas são mais finas que a região central.

Lentes de bordas finas: quando as bordas são mais finas que a região central. Lentes Esféricas Uma lente é um meio transparente que tem duas faces curvas ou uma face curva e outra plana. Na figura temos os tipos usuais de lentes,sendo as faces curvas esféricas. Lentes de bordas

Leia mais

Relatório Final de Instrumentação de Ensino F809 Ótica e Problemas da Visão

Relatório Final de Instrumentação de Ensino F809 Ótica e Problemas da Visão Relatório Final de Instrumentação de Ensino F809 Ótica e Problemas da Visão Aluna: Gabriela Simone Lorite RA 008769 Orientador: Lucila Cescato Universidade Estadual de Campinas Junho/2004 Resumo O olho

Leia mais

OS PRINCIPAIS PROBLEMAS DA GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS

OS PRINCIPAIS PROBLEMAS DA GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS OS PRINCIPAIS PROBLEMAS DA GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS Esta seção apresenta alguns dos problemas da gestão da cadeia de suprimentos discutidos em mais detalhes nos próximos capítulos. Estes problemas

Leia mais

GUIA DE ADAPTAÇÃO DO MÉDICO

GUIA DE ADAPTAÇÃO DO MÉDICO Keratoconus Nipple Cone Irregular Cornea Post Graft GUIA DE ADAPTAÇÃO DO MÉDICO ROSE K2 ROSE K2 NC NIPPLE CONE CÓRNEA IRREGULAR PÓS-TRANSPLANTE APRESENTAÇÃO Fácil adaptação usando uma abordagem sistemática

Leia mais

Nosso objetivo será mostrar como obter informações qualitativas sobre a refração da luz em um sistema óptico cilíndrico.

Nosso objetivo será mostrar como obter informações qualitativas sobre a refração da luz em um sistema óptico cilíndrico. Introdução Nosso objetivo será mostrar como obter informações qualitativas sobre a refração da luz em um sistema óptico cilíndrico. A confecção do experimento permitirá também a observação da dispersão

Leia mais

Referência de cores Fiery

Referência de cores Fiery 2014 Electronics For Imaging. As informações nesta publicação estão cobertas pelos termos dos Avisos de caráter legal deste produto. 11 de junho de 2014 Conteúdo 3 Conteúdo Introdução à referência de cores

Leia mais

Como n lente = n meioa, não há refração. Ou seja, o sistema óptico não funciona como lente.

Como n lente = n meioa, não há refração. Ou seja, o sistema óptico não funciona como lente. 01 Como n lente = n meioa, não há refração. Ou seja, o sistema óptico não funciona como lente. Como n lente < n meiob, a lente de bordas finas opera como lente divergente. Resposta: A 1 02 A gota de água

Leia mais

A mais leve cadeira de rodas dobrável no mundo

A mais leve cadeira de rodas dobrável no mundo A mais leve cadeira de rodas dobrável no mundo Desenho minimalista em uma cadeira de rodas dobrável, que combina as técnicas mais inovadoras na moldagem de alumínio, com opções de alta tecnologia, e uma

Leia mais

PRINCÍPIOS BÁSICOS. Histórico:

PRINCÍPIOS BÁSICOS. Histórico: REFRAÇÃO Histórico: PRINCÍPIOS BÁSICOS Lei básica da reflexão era conhecida por Euclides, o mais famoso matemático da Antigüidade viveu entre 325 e 265 AC. De forma experimental, o princípio básico da

Leia mais

Mini Glossário. B Blefarite Inflamação das pálpebras.

Mini Glossário. B Blefarite Inflamação das pálpebras. A Acomodação Capacidade do olho em focar a várias distâncias, desde o perto ao longe, por alteração da potência dióptrica do cristalino. Acuidade Visual Capacidade de discriminar dois pontos próximos como

Leia mais

TSA/TDA DIFUSOR PARA LUMINÁRIA TROFFER

TSA/TDA DIFUSOR PARA LUMINÁRIA TROFFER TSA/TDA DIFUSOR PARA LUMINÁRIA TROFFER TSA/TODA DIFUSORES PARA LUMINÁRIAS O conjunto de difusão de ar completamente embutido, contribui para um visual leve e sem distorções. Sua flexibilidade própria,

Leia mais

Unidade IV. Aula 20.1 Conteúdo. Óptica, Ser humano e Saúde. Os defeitos da visão e as lentes corretoras. INTERATIVIDADE FINAL

Unidade IV. Aula 20.1 Conteúdo. Óptica, Ser humano e Saúde. Os defeitos da visão e as lentes corretoras. INTERATIVIDADE FINAL Unidade IV Óptica, Ser humano e Saúde Aula 20.1 Conteúdo Os defeitos da visão e as lentes corretoras. 2 Habilidade Reconhecer características ou propriedades dos instrumentos ópticos e a óptica da visão,

Leia mais

LENTES. Identificar as principais características dos raios luminosos ao atravessar uma lente. Determinar a distância focal de uma lente convergente.

LENTES. Identificar as principais características dos raios luminosos ao atravessar uma lente. Determinar a distância focal de uma lente convergente. LENTES Objetivos: Identificar as principais características dos raios luminosos ao atravessar uma lente. Determinar a distância focal de uma lente convergente. Teoria: As lentes são formadas por materiais

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA CFA Nº 469, 18 DE AGOSTO DE 2015

RESOLUÇÃO NORMATIVA CFA Nº 469, 18 DE AGOSTO DE 2015 RESOLUÇÃO NORMATIVA CFA Nº 469, 18 DE AGOSTO DE 2015 Altera dispositivos da Resolução Normativa CFA nº 450, de 15 de agosto de 2014, que estabelece os modelos da Carteira de Identidade Profissional do

Leia mais

Aula do Curso Noic de Física, feito pela parceria do Noic com o Além do Horizonte

Aula do Curso Noic de Física, feito pela parceria do Noic com o Além do Horizonte Espelhos esféricos são superfícies refletoras muito comuns e interessantes de se estudar. Eles são capazes de formar imagens maiores ou menores, inversas ou direitas, dependendo do tipo de espelho, suas

Leia mais

IDENTIFICANDO O COMPORTAMENTO INADEQUADO DOS VAGÕES SOFTWARE ESPECIALISTA PARA AUTOMATIZAÇÃO COMPLETA LYNXRAIL

IDENTIFICANDO O COMPORTAMENTO INADEQUADO DOS VAGÕES SOFTWARE ESPECIALISTA PARA AUTOMATIZAÇÃO COMPLETA LYNXRAIL IDENTIFICANDO O COMPORTAMENTO INADEQUADO DOS VAGÕES SOFTWARE ESPECIALISTA PARA AUTOMATIZAÇÃO COMPLETA LYNXRAIL Kris Kilian MESc, Monica Kilian PhD, Vladimir Mazur PhD Lynxrail, Austrália James Robeda B

Leia mais

Catálogo de Óculos Solares

Catálogo de Óculos Solares Catálogo de Óculos Solares EUROTRAVELER DW8A Índice Transitions Drivewear... 2 Aparência das Lentes Transitions Drivewear... 3 Armações Transitions Drivewear Streetpilot (DW1A e DW1B)... 4 Roadglider (DW2A

Leia mais

Desenhador de Escadas

Desenhador de Escadas Desenhador de Escadas Designsoft Desenhador de Escadas-1 Desenhador de Escadas-2 Desenhador de Escadas O Desenhador de Escadas facilita o desenho e a localização de escadas personalizadas no seu projeto.

Leia mais

TÉCNICA DE PESAGEM DA NOVA GERAÇÃO

TÉCNICA DE PESAGEM DA NOVA GERAÇÃO matéria de capa TÉCNICA DE PESAGEM DA NOVA GERAÇÃO A Sartorius prepara-se para em breve apresentar o mais moderno portfólio de balanças de laboratório no Brasil Com três novas séries de modelos, a Sartorius

Leia mais

Analisadores de Tamanho e Forma das Partículas

Analisadores de Tamanho e Forma das Partículas Experiência - Inovação - Soluções Experiência - Inovação - Soluções Analisadores de Tamanho e Forma das Partículas Fabricação Desenvolvimento e Pesquisa Controle de Qualidade Laboratório Seu sócio nas

Leia mais

remuneração para ADVOGADOS advocobrasil Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados porque a mudança é essencial

remuneração para ADVOGADOS advocobrasil Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados porque a mudança é essencial remuneração para ADVOGADOS Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados advocobrasil Não ter uma política de remuneração é péssimo, ter uma "mais ou menos" é pior ainda. Uma das

Leia mais

O que é uma lente esférica?

O que é uma lente esférica? O que é uma lente esférica? É um sistema constituído de dois dioptros esféricos ou um dioptro esférico e um plano, nos quais a luz sofre duas refrações consecutivas. Classificação das lentes 1. Quanto

Leia mais

Lentes e formação de imagem

Lentes e formação de imagem Lentes e formação de imagem Princípio de Huygens e por quê precisamos de instrumentos de formação de imagem Um instrumento simples de formação de imagem: a câmera pinhole Princípio de formação de imagem

Leia mais

Coluna vari-direccional Propagação do som na direcção certa

Coluna vari-direccional Propagação do som na direcção certa Coluna vari-direccional Propagação do som na direcção certa 2 Coluna vari-direccional da Bosch A última novidade em desempenho sonoro para ambientes de acústica difícil Qualidade de som ímpar e inteligibilidade

Leia mais

NOVA ZONA ÓPTICA VARIÁVEL LÍDER MUNDIAL NO TRATAMENTO DO CERATOCONE

NOVA ZONA ÓPTICA VARIÁVEL LÍDER MUNDIAL NO TRATAMENTO DO CERATOCONE NOVA ZONA ÓPTICA VARIÁVEL LÍDER MUNDIAL NO TRATAMENTO DO CERATOCONE O mais completo e versátil sistema para remodelamento corneano existente no mercado mundial. Keraring, segmento de anel corneano intraestromal,

Leia mais

T-DOC CyCle RegisTRO De DaDOs De máquinas DigiTalize seus CiClOs De PROCessO

T-DOC CyCle RegisTRO De DaDOs De máquinas DigiTalize seus CiClOs De PROCessO T-DOC Cycle Registro de dados de máquinas Digitalize seus CICLOS DE PROCESSO Always with you 2 T-DOC Cycle Documentação digital monitore seus parâmetros de ciclo em tempo real Pode ser muito difícil aumentar

Leia mais

Lista de Óptica ESPELHOS ESFÉRICOS. João Paulo I

Lista de Óptica ESPELHOS ESFÉRICOS. João Paulo I Lista de Óptica ESPELHOS ESFÉRICOS 1) Assinale a alternativa que preenche corretamente as lacunas do enunciado abaixo, na ordem em que aparecem. Para que os seguranças possam controlar o movimento dos

Leia mais

XLT-17 DETECTOR DE VAZAMENTO DE LÍQUIDOS MANUAL DE OPERAÇÕES F I S H E R R E S E A R C H L A B O R A T O R Y

XLT-17 DETECTOR DE VAZAMENTO DE LÍQUIDOS MANUAL DE OPERAÇÕES F I S H E R R E S E A R C H L A B O R A T O R Y XLT-17 DETECTOR DE VAZAMENTO DE LÍQUIDOS MANUAL DE OPERAÇÕES F I S H E R R E S E A R C H L A B O R A T O R Y ÍNDICE Introdução... pg. 2 Montagem do Instrumento... pg. 3 Painel de Controle... pg. 5 Instruções

Leia mais

ISO 9001:2015 Revisão Perguntas Frequentes

ISO 9001:2015 Revisão Perguntas Frequentes Latest update New and revised ISO 9001:2015 Revisão Perguntas Frequentes Introdução A ISO 9001, a norma líder mundial em qualidade internacional, ajudou milhões de organizações a melhorar sua qualidade

Leia mais

Oficina de fotografia e tratamento de imagem. Facilitadora: Camila Silva Aula: 05

Oficina de fotografia e tratamento de imagem. Facilitadora: Camila Silva Aula: 05 Oficina de fotografia e tratamento de imagem Facilitadora: Camila Silva Aula: 05 Objetivas É uma lente óptica ou conjunto de lentes usada em conjunto com um corpo de câmera e um mecanismo para reproduzir

Leia mais

TUPER ESTRUTURAS PLANAS

TUPER ESTRUTURAS PLANAS TUPER ESTRUTURAS PLANAS LAJES MISTAS NERVURADAS Soluções estruturais e arquitetônicas em aço, traduzidas em estética, conforto, segurança e versatilidade. Catálogo destinado ao pré-lançamento do produto.

Leia mais

Óptica. Estudo da luz, como sendo a onda eletromagnética pertencentes à faixa do espectro visível (comprimento de 400 nm até 700 nm).

Óptica. Estudo da luz, como sendo a onda eletromagnética pertencentes à faixa do espectro visível (comprimento de 400 nm até 700 nm). Óptica Estudo da luz, como sendo a onda eletromagnética pertencentes à faixa do espectro visível (comprimento de 400 nm até 700 nm). Fenômenos ópticos Professor: Éder (Boto) Sobre a Luz O que emite Luz?

Leia mais

CÂMERAS. fotográficas

CÂMERAS. fotográficas CÂMERAS fotográficas Quanto ao suporte: Digital Analógico Como classificar e diferenciar os tipos de Câmeras? Quanto a automação: Automáticas Semi-automáticas Auto e manual Quanto ao visor: Visor direto

Leia mais

Fotos necessárias para a confecção da estatueta. Rosto

Fotos necessárias para a confecção da estatueta. Rosto Fotos necessárias para a confecção da estatueta Todo o trabalho é referenciado em fotos, ou seja, não nos responsabilizamos por material fotográfico que confecção, para isto criamos este guia, para atender

Leia mais

A mais leve cadeira de rodas dobrável no mundo

A mais leve cadeira de rodas dobrável no mundo A mais leve cadeira de rodas dobrável no mundo Desenho minimalista em uma cadeira de rodas dobrável, que combina as técnicas mais inovadoras na moldagem de alumínio, com opções de alta tecnologia, e uma

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS RELATÓRIO FINAL DE INSTRUMENTAÇÃO PARA ENSINO - F-809

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS RELATÓRIO FINAL DE INSTRUMENTAÇÃO PARA ENSINO - F-809 UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS 10-1 RELATÓRIO FINAL DE INSTRUMENTAÇÃO PARA ENSINO - F-809 CONSTRUÇÃO DE SISTEMA ÓTICO A PARTIR DE LENTES DE ÁGUA Aluno: Rubens Granguelli Antoniazi RA: 009849 Professor

Leia mais

Aula 01 - Formatações prontas e condicionais. Aula 01 - Formatações prontas e condicionais. Sumário. Formatar como Tabela

Aula 01 - Formatações prontas e condicionais. Aula 01 - Formatações prontas e condicionais. Sumário. Formatar como Tabela Aula 01 - Formatações prontas e Sumário Formatar como Tabela Formatar como Tabela (cont.) Alterando as formatações aplicadas e adicionando novos itens Removendo a formatação de tabela aplicada Formatação

Leia mais

GUIA VARILUX DE ADAPTAÇÃO ÓPTICA COM LENTES VARILUX REGRAS PARA O ÊXITO DA COMPENSAÇÃO

GUIA VARILUX DE ADAPTAÇÃO ÓPTICA COM LENTES VARILUX REGRAS PARA O ÊXITO DA COMPENSAÇÃO GUIA DE ADAPTAÇÃO VARILUX REGRAS PARA O ÊXITO DA COMPENSAÇÃO ÓPTICA COM LENTES VARILUX INTRODUÇÃO A Essilor elaborou especialmente para os profissionais de óptica oftálmica este guia, que reúne as regras

Leia mais

Venda em lentes de contato. Luis Alberto Perez Alves Autor dos livros digitais de lentes de contato perezalves@uol.com.br

Venda em lentes de contato. Luis Alberto Perez Alves Autor dos livros digitais de lentes de contato perezalves@uol.com.br Venda em lentes de contato Luis Alberto Perez Alves Autor dos livros digitais de lentes de contato perezalves@uol.com.br Legislação Decreto n 24.492/34 Em seus artigos 5 e 6 nos seus itens 1, 4 e 5 mais

Leia mais

Tecnologias PowerShot G1 X Mark II, PowerShot SX700 HS, IXUS 155 e PowerShot D30

Tecnologias PowerShot G1 X Mark II, PowerShot SX700 HS, IXUS 155 e PowerShot D30 Tecnologias PowerShot G1 X Mark II, PowerShot SX700 HS, IXUS 155 e PowerShot D30 EMBARGO: 12 de fevereiro de 2014, 04:00 (UCT) Este documento explica as novas tecnologias que não se encontram nos modelos

Leia mais

Todo o conjunto que compõe a visão humana é chamado globo ocular.

Todo o conjunto que compõe a visão humana é chamado globo ocular. Olho humano O olho humano é um sistema óptico complexo, formado por vários meios transparentes além de um sistema fisiológico com inúmeros componentes. Olho humano Todo o conjunto que compõe a visão humana

Leia mais

3B SCIENTIFIC PHYSICS

3B SCIENTIFIC PHYSICS 3B SCIENTIFIC PHYSICS Kit de ótica laser de demonstração U17300 e kit complementar Manual de instruções 1/05 ALF Índice de conteúdo Página Exp - N Experiência Kit de aparelhos 1 Introdução 2 Fornecimento

Leia mais

Espelhos Esféricos. Definições e Elementos:

Espelhos Esféricos. Definições e Elementos: Definições e Elementos: Calota Esférica. Espelho Esférico é uma calota esférica na qual uma das faces é refletora. Espelho Côncavo Superfície refletora interna. Espelho Convexo Superfície refletora externa.

Leia mais

Explicação, Vantagens e Comparação com Sistemas de Prova Tradicionais

Explicação, Vantagens e Comparação com Sistemas de Prova Tradicionais Livro branco: PROVA DIGITAL Explicação, Vantagens e Comparação com Sistemas de Prova Tradicionais O presente livro branco introduz a prova digital e explica o seu valor para a obtenção de cores consistentes

Leia mais

A empresa PFERD. Tradição, Progresso, Inovação. O nome PFERD. PFERD faz a diferença

A empresa PFERD. Tradição, Progresso, Inovação. O nome PFERD. PFERD faz a diferença PFERD A marca A empresa PFERD Sob a marca PFERD, a August Rüggeberg desenvolve, produz e comercializa ferramentas para acabamentos de superfície e ferramentas de corte. Tradição, Progresso, Inovação Tudo

Leia mais

Guia de Codificação para Livros

Guia de Codificação para Livros Guia de Codificação para Livros 1. Introdução A GS1 e as Agências Internacionais do ISBN e ISSN elaboraram diretrizes para ajudar os editores na compreensão das funcionalidades do Sistema GS1 para o setor

Leia mais

MICROSCÓPIO ESPECULAR VOROCELL. Duvidas freqüentes a respeito do microscópio Vorocell, mitos e verdades.

MICROSCÓPIO ESPECULAR VOROCELL. Duvidas freqüentes a respeito do microscópio Vorocell, mitos e verdades. MICROSCÓPIO ESPECULAR VOROCELL Duvidas freqüentes a respeito do microscópio Vorocell, mitos e verdades. Porque o Microscópio Especular da Eyetec chama-se Vorocell? Vorocell é uma homenagem ao pesquisador

Leia mais

Atividade O olho humano e os defeitos da visão

Atividade O olho humano e os defeitos da visão Atividade O olho humano e os defeitos da visão A atividade proposta pode ser desenvolvida para aprimorar seus conhecimentos sobre o olho humano e os defeitos da visão. Sugere-se que seja desenvolvida em

Leia mais

Tecnologia em Fechaduras e Cilindros

Tecnologia em Fechaduras e Cilindros 1 Tecnologia em Fechaduras e Cilindros A NENEF garante um extenso e contínuo crescimento da sua gama de fechaduras e ferragens para portas. Estes produtos de alta qualidade saem da fábrica da NEMEF em

Leia mais

www.suldistrib.com.br TABELA DE PREÇOS SUL DISTRIBUIDORA 07/04/2014

www.suldistrib.com.br TABELA DE PREÇOS SUL DISTRIBUIDORA 07/04/2014 LENTES ESSILOR OPTIFOG FORTE Lente Stylis 1.67 R$ 245.00 R$ 208.00 Lente Airwear Transitions 1.59 R$ 239.00 Lente Airwear 1.59 R$ 215.00 R$ 195.00 Lente Sharp 1.61 R$ 98,00 Lente Orma Transitions /Marrom

Leia mais

Perguntas e Respostas sobre Telescópios. Telescopio Refrator. tub o Bandeja porta oculares Haste de micro ajuste Tripé. Buscador Ajuste de foco

Perguntas e Respostas sobre Telescópios. Telescopio Refrator. tub o Bandeja porta oculares Haste de micro ajuste Tripé. Buscador Ajuste de foco Perguntas e Respostas sobre Telescópios A palavra telescópio é de origem grega e significa ver ao longe (Tele Skopen). Os telescópios têm dois tipos básicos: refratores, regidos pelo princípio físico da

Leia mais

Instruçoes para fotos biométricas - República da Eslovênia

Instruçoes para fotos biométricas - República da Eslovênia Instruçoes para fotos biométricas - República da Eslovênia Recomendações do Ministério das Relações Exteriores da República da Eslovênia para as fotos biométricas: o o tamanho da foto: 3,5 x 4,5 cm o o

Leia mais

Protocolo em Rampa Manual de Referência Rápida

Protocolo em Rampa Manual de Referência Rápida Protocolo em Rampa Manual de Referência Rápida 1 O que é o Protocolo em Rampa O protocolo em rampa é um protocolo para testes de esforço que não possui estágios. Nele o incremento da carga se dá de maneira

Leia mais

Visão Subnormal. Guia do Apresentador

Visão Subnormal. Guia do Apresentador Visão Subnormal Guia do Apresentador SLIDE 1 Introdução do apresentador. O propósito desta apresentação é oferecer informações sobre o que é a visão subnormal, o que pode ser feito sobre ela e onde se

Leia mais

30 cm, determine o raio da esfera.

30 cm, determine o raio da esfera. 1. (Ufes 015) Enche-se uma fina esfera, feita de vidro transparente, com um líquido, até completar-se exatamente a metade de seu volume. O resto do volume da esfera contém ar (índice de refração n 1).

Leia mais

Medição a Laser Remota Exata e Modelagem 3D no. Smartphone com Spike da IKEGPS

Medição a Laser Remota Exata e Modelagem 3D no. Smartphone com Spike da IKEGPS Apresentando: Spike. Capture. Meça. Modele. Compartilhe. Medição a Laser Remota Exata e Modelagem 3D no Smartphone com Spike da IKEGPS Spike é o primeiro acessório a laser exato para smartphones, capacitando-lhe

Leia mais

Óptica geométrica, óptica física e o olho humano. 1 Foco na retina 2 Difração da luz na pupila 3 Sensibilidade do olho humano e a Muralha da China

Óptica geométrica, óptica física e o olho humano. 1 Foco na retina 2 Difração da luz na pupila 3 Sensibilidade do olho humano e a Muralha da China Óptica geométrica, óptica física e o olho humano 1 Foco na retina 2 Difração da luz na pupila 3 Sensibilidade do olho humano e a Muralha da China Otaviano Helene, IFUSP, 2010 1 1 Foco na retina Evolução

Leia mais

Programa de Retomada de Conteúdo 1º Bimestre

Programa de Retomada de Conteúdo 1º Bimestre Educação Infantil, Ensino Fundamental e Ensino Médio Regular. Rua Cantagalo 313, 325, 337 e339 Tatuapé Fones: 2293-9393 e 2293-9166 Diretoria de Ensino Região LESTE 5 Programa de Retomada de Conteúdo 1º

Leia mais

www.fisicanaveia.com.br

www.fisicanaveia.com.br www.fisicanaveia.com.br Lentes Esféricas Lentes Esféricas: construção Biconvexa Lentes Esféricas: construção PLANO-CONVEXA Lentes Esféricas: construção CÔNCAVO-CONVEXA Lentes Esféricas: construção BICÔNCAVA

Leia mais