QUESTÕES DE PORTUGUÊS INSTRUMENTAL RESOLVIDAS PELA BANCA DA UERJ

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "QUESTÕES DE PORTUGUÊS INSTRUMENTAL RESOLVIDAS PELA BANCA DA UERJ"

Transcrição

1 QUESTÕES DE PORTUGUÊS INSTRUMENTAL RESOLVIDAS PELA BANCA DA UERJ Exame Discursivo - Questão 1 Ano 5, n. 12, ano 2012 O texto apresenta palavras de dois especialistas Carl Honoré e James Gleick como defensores de opiniões diferentes em relação à aceleração do tempo. Explicite, sem transcrever partes do texto, a opinião de cada um deles acerca desse tema. Objetivo: Discriminar opiniões diferentes citadas no texto. Item do programa: Elementos de argumentação Subitem do programa: Opinião, fato Carl Honoré aponta o critério da qualidade como forma de superação do estilo acelerado da vida atual, sugerindo que nos movimentemos cada vez melhor, e não cada vez mais rápido. De sua parte, James Gleick considera que não se pode mais voltar a um tempo mais lento, mais tranquilo, porque a sociedade já optou por mais e mais velocidade. Os dois pontos de vista, portanto, se diferenciam na avaliação dos mesmos fatos do cotidiano, relativos à aceleração do tempo. O reconhecimento dessa diferença contribui para a compreensão da complexidade do tema Exame Discursivo - Questão 2 Ano 5, n. 12, ano 2012

2 Mais sorte têm os pedestres, que podem apertar o botão que aciona o sinal verde (l ) No fragmento, é empregada uma expressão que pode ser considerada irônica, se for relacionada ao conjunto do 2º parágrafo. Transcreva do fragmento a expressão que configura a ironia e explique por que essa expressão é irônica. Objetivo: Identificar construção de sentido irônico no contexto. Item do programa: Recursos de retórica Subitem do programa: Ironia A expressão Mais sorte pode ser considerada irônica porque os pedestres que ficam apertando repetidamente o botão que aciona o sinal verde não conseguem, em geral, acionar o sinal verde: o ato de apertar o botão, como no exemplo citado, apenas serve para descarregar a ansiedade do usuário, pois não altera o status do sinal. Logo, os pedestres não têm sorte alguma, eles apenas se deixam iludir pela suposta função do artefato Exame Discursivo - Questão 3 Ano 5, n. 12, ano 2012

3 O autor do texto I aborda uma situação que diz respeito a toda a sociedade, envolvendo tanto ele como o leitor. Nomeie a marca linguística empregada para indicar a inclusão do autor e dos seus leitores na situação. Em seguida, transcreva um trecho que exemplifique sua resposta. Objetivo: Reconhecer e exemplificar mecanismo linguístico de busca de interlocução. Item do programa: Formas de enunciação Subitem do programa: Efeito de interlocução A marca linguística que comprova a inclusão do autor e dos leitores na situação é o uso da primeira pessoa do plural e do pronome nosso/a, como nos seguintes exemplos: 1. Essas são as principais consequências de vivermos num mundo 2. O problema é que nem tudo ao nosso redor consegue atender à demanda. 3. Semáforos vermelhos continuam testando nossa paciência, obrigando-nos a frear a cada quarteirão. 4. Confesse: que raios fazemos com os dois segundos, no máximo, que economizamos ao acionar aquelas teclas que fecham a porta do elevador? 5. para conter nossa irritação Observe-se que há outras ocorrências da primeira pessoa do plural que não comprovam a inclusão do autor porque se encontram nas citações de outros autores transcritos entre aspas. Observe-se ainda, que, no exemplo (4), a marca de imperativo expressa igualmente a inclusão do autor e dos leitores na situação Exame Discursivo - Questão 4 Ano 5, n. 12, ano 2012

4 Nos quadrinhos, as duas tartarugas fazem uma crítica em relação ao casal que está no carro. Explicite essa crítica em uma frase, usando palavras diferentes daquelas utilizadas pelas tartarugas. Em seguida, justifique por que a crítica é reforçada pela imagem das próprias tartarugas. Objetivo: Identificar crítica presente no cartum e explicar a relação entre essa crítica e a imagem dos personagens. Item do programa: Elementos não verbais Subitem do programa: Relação entre o verbal e o não verbal Item do programa 2: Objetivos discursivos Subitem do programa: Opinar Quando o motorista, personagem do cartum, justifica a alta velocidade em que dirige pela necessidade de não perder tempo porque eles se dirigem para o futuro, ele estabelece uma meta completamente abstrata e genérica para o seu movimento. Na verdade, como se pode depreender da fala das tartarugas, a velocidade é um fim em si mesmo, dificultando ou impedindo que ele aproveite a viagem no caso, o presente, tão preocupado que se encontra em chegar ao destino e ao tal do futuro. A crítica das tartarugas se reforça, em termos da imagem, porque os animais, proverbialmente lentos, se opõem ao carro-esporte e sua velocidade muito alta. A associação entre os elementos verbais e não verbais permite a compreensão do conjunto dos quadrinhos, gênero, por natureza, estruturado pela combinação entre tais elementos Exame Discursivo - Questão 5 Ano 5, n. 12, ano 2012

5 Na 1ª estrofe do poema, para construir o sentido geral do texto, o poeta faz uma referência à expressão perder tempo, dando-lhe, entretanto, outro sentido, diferente do usual. Explique o sentido usual da expressão perder tempo e apresente, também, o sentido que essa mesma expressão assume no poema. Objetivo: Explicar uso corrente de expressão cristalizada e também seu uso específico na criação de novo sentido no texto poético. Item do programa: Fatores de coerência Subitem do programa: Pressuposições Subitem do programa: Intencionalidade Usualmente, a expressão perder tempo tem conotação negativa, referindo-se a ações desnecessárias ou inúteis que não levam a lugar algum. No poema, a expressão perder tempo tem conotação positiva, referindo-se à capacidade de aceitar a passagem natural do tempo, vivenciando-se o presente e assim aproveitando-o melhor. O exemplo analisado permite constatar uma importante característica do discurso literário, que é o deslocamento intencional de expressões cristalizadas, na criação de novos sentidos Exame Discursivo - Questão 6 Ano 5, n. 12, ano 2012

6 Objetivo: Apresentar conclusões, em redação em prosa de natureza argumentativa, a respeito de ideias, textos, acontecimentos e situações relacionados ao tema proposto. Item do programa: Redação Subitem do programa: Construção da argumentação Subitem do programa: Emprego de formas e estruturas linguísticas de acordo com a norma padrão Subitem do programa: Habilidade de leitura e interpretação para reconstrução de textos em diversos níveis Na organização interna da prova, a redação representa um desdobramento da tarefa de leitura e interpretação. Na construção do seu texto, portanto, o candidato deverá levar em consideração os diversos aspectos sugeridos pelos textos da prova, articulando-os às próprias reflexões. Em relação ao tema, espera-se que o candidato seja capaz de identificar os elementos que compõem a questão proposta. Dois outros textos são apresentados e discutem a expressão tempo é dinheiro : um deles é de Benjamin Franklin, autor que consagrou a expressão e essa ideia; o outro é de Maria Rita Kehl, escritora que critica a expressão. A proposta pede, então, que o candidato escolha uma das duas posições e a defenda. Na construção do texto, o domínio da norma padrão da língua e dos recursos argumentativos são ainda aspectos relevantes. A redação é avaliada em cinco grandes linhas: adequação ao tema (se o enfrenta, se foge dele ou se apenas o tangencia); tipo de texto (se o propósito dissertativo é claro ou difuso); desenvolvimento da argumentação (se argumenta com pertinência, suficiência e coerência); estruturação do período e coesão (se constrói seus períodos de maneira clara e coesiva); modalidade (se domina ou não a variedade padrão da língua) Exame Discursivo - Questão 1

7 Ano 4, n. 11, ano 2011 O texto de Hélio Schwartsman distingue fenômenos que podem ser previstos com precisão de outros que não o podem. Apresente um exemplo do texto para os fenômenos do primeiro tipo e outro para os fenômenos do segundo tipo. Depois, aponte o que, para o autor, distingue os dois tipos de fenômeno. Objetivo: Identificar, como recurso de produção de sentido no texto, a contraposição entre duas categorias de exemplificação. Item do programa: Aspectos da construção do sentido no texto Subitem do programa: Coerência textual: organização das partes do texto O autor distingue os muitos fenômenos que não podem ser previstos com precisão, como taxas de câmbio, de inflação e de crescimento, ou preços do petróleo e quaisquer dados econômicos, daqueles poucos que podem ser previstos com precisão, como marés e eclipses. No 7º parágrafo, o autor recorre a dois critérios para distinguir os dois tipos de fenômeno: a linearidade ou não dos fenômenos e a presença ou não do ser humano na produção dos fenômenos Exame Discursivo - Questão 2

8 Ano 4, n. 11, ano 2011 A fim de reforçar seu ponto de vista acerca do tema abordado, o autor emprega argumentos do tipo indutivo, ou seja, usa um fato ou dado particular para dele extrair conclusões gerais. Identifique, no texto, dois exemplos de fatos ou dados particulares empregados para reforçar a ideia geral do texto. Objetivo: Reconhecer elementos de construção de argumentos indutivos no texto. Item do programa: Enunciação e organização textual Subitem do programa: Elementos da argumentação: operações de indução O método principal da argumentação do autor é o indutivo, ou seja, ele se apoia em fatos ou dados particulares e específicos para desses dados ou fatos chegar a conclusões mais gerais. São exemplos dessa forma de argumentação a referência ao livro de Dan Gardner (que estuda exatamente os problemas de toda previsão econômica e política) e à experiência da revista britânica (que comparou previsões de diferentes pessoas com os acontecimentos que de fato aconteceram uma década depois). Com base nessas referências mais pontuais, Hélio Schwartsman sustenta uma conclusão acerca de um comportamento de todo ser humano: para o autor, procuramos nos apoiar em previsões do futuro, apesar de, com frequência, estas falharem.

9 Exame Discursivo - Questão 3 Ano 4, n. 11, ano 2011 As imagens positivas presentes na 1ª estrofe do poema, como Frases calmas (v. 2), opõem-se às imagens negativas da 3ª estrofe, como confusão odienta (v. 11). Explique a que se referem as imagens positivas da 1ª estrofe e a que se referem as imagens negativas da 3ª estrofe. Objetivo: Explicar contraposição essencial na construção do sentido do texto. Item do programa: Enunciação e organização textual Subitem do programa: Estratégias de leitura: relações lógico-semânticas O poema opõe os acontecimentos do presente à maneira como as pessoas do futuro vão encará-los. As imagens positivas da 1ª estrofe representam a visão idealizada que o futuro construirá acerca do presente, enquanto as imagens negativas da 3ª estrofe se referem aos acontecimentos reais vividos pelo sujeito poético nesse mesmo presente Exame Discursivo - Questão 4 Ano 4, n. 11, ano 2011

10 No poema, observa-se uma tentativa de interlocução entre o eu poético e as pessoas do futuro. Identifique a marca linguística que revela essa tentativa de interlocução. Em seguida, indique a quem o eu poético se refere com o emprego do pronome nós. Objetivo: Identificar e explicar marcas linguísticas relacionadas a efeitos de subjetividade e de interlocução. Item do programa: Enunciação e organização textual Subitem do programa: Estrutura da enunciação: ações e efeitos de elocução em 1ª e 2ª pessoas (efeito de subjetividade e de interlocução) A marca linguística que revela a tentativa de interlocução entre o eu poético e as pessoas do futuro são verbos conjugados na segunda pessoa do plural, no caso, falareis (v. 1 e 20) e sonhareis (v. 9 e 18). Em contrapartida, quando ele diz nós, refere-se às pessoas que, como ele, vivem no presente Exame Discursivo - Questão 5 Ano 4, n. 11, ano 2011 Na tira de Quino, a personagem Mafalda e o pai dela entendem a expressão o ano que vem de maneiras diferentes, a partir de pontos de vista distintos. Explicite o ponto de vista de cada personagem em relação a o ano que vem. Objetivo: Discriminar diferentes pontos de vista implícitos na enunciação das falas dos personagens. Item do programa: Enunciação e organização textual Subitem do programa: Estratégias de leitura: sentenças e textos (pressuposições explícitas e implícitas) A expressão o ano que vem é bastante usual, mas de difícil compreensão, porque se refere abstratamente a um amplo acontecimento futuro. Na tira de Quino, Mafalda e seu pai entendem a

11 expressão o ano que vem de maneiras diferentes, porque eles pensam sobre ela a partir de pontos de vista distintos. O ponto de vista de Mafalda expressa sua dúvida em relação ao mundo adulto, ao achar que não basta dizer ano que vem, é preciso comprovar que o ano que vem virá mesmo. Já o pai de Mafalda apoia-se na sua consciência de que o tempo passa naturalmente, logo, que ao ano em que estamos sempre se sucederá o ano que vem Exame Discursivo - Questão 6 Ano 4, n. 11, ano 2011 PROPOSTA DE REDAÇÃO A fala do historiador Eric Hobsbawn também apresenta uma reflexão sobre o futuro e suas possibilidades, relacionando o tema à ação da juventude, tradicionalmente considerada o futuro próximo das sociedades. A partir da leitura dos textos e de suas elaborações pessoais sobre o tema, redija um texto argumentativo em prosa, com no mínimo 20 e no máximo 30 linhas, em que discuta a seguinte questão: É possível, para a juventude de hoje, alterar o futuro? Utilize o registro padrão da língua e atribua um título ao seu texto. Objetivo: Apresentar conclusões, em redação em prosa de natureza argumentativa, a respeito de ideias, textos, acontecimentos e situações relacionados ao tema proposto. Item do programa: Produção do texto Subitem do programa: Emprego de formas e estruturas linguísticas de acordo com a norma culta; habilidades de leitura e interpretação para reconstrução de textos em diferentes níveis; construção de estrutura argumentativa Na organização interna da prova, a redação representa um desdobramento da tarefa de leitura e interpretação. Na construção de seu texto, portanto, o candidato deverá levar em consideração os diversos aspectos sugeridos pelos textos da prova, articulando-os às próprias reflexões. Em relação ao tema, espera-se que o candidato seja capaz de identificar os elementos que compõem a questão proposta. Ao acrescentar aos textos da prova a fala do historiador Eric Hobsbawn, a proposta de redação leva o candidato a, partindo das dificuldades de se prever o futuro ou de o futuro compreender o passado, especular sobre as possibilidades de a juventude de hoje alterar conscientemente o seu próprio futuro. No exercício de construção do texto, o domínio da norma padrão da língua e dos recursos argumentativos são ainda aspectos relevantes Exame Discursivo - Questão 1 Ano 3, n. 9, ano 2010

12 Os dois primeiros versos enfatizam uma ideia que será desconstruída pela leitura integral do poema, caracterizando uma ironia, expressa também no título. Transcreva o verso do texto que, em comparação com os dois primeiros, revela essa ironia. Em seguida, estabeleça a relação entre o verso transcrito e o título. Objetivo: Identificar ironia e seu sentido no conjunto do texto. Item do programa: Aspectos da construção do sentido no texto Subitem do programa: Recursos retóricos: figuras de pensamento Os dois primeiros versos enfatizam que é impossível escrever ou compor um poema nos tempos de hoje. O último verso _ (Desconfio que escrevi um poema.) _ reconhece, entretanto, que se acabou de escrever justamente um poema, caracterizando a ironia: é impossível escrever o poema que se acabou de escrever... "O sobrevivente" é exatamente o poema chamado "O sobrevivente", que sobreviveu à impossibilidade decretada ironicamente nos dois primeiros versos Exame Discursivo - Questão 2 Ano 3, n. 9, ano 2010

13 Em um dos versos do poema, observa-se uma aparente contradição entre dois termos. Identifique esse verso e explique por que, de acordo com a leitura do texto, a associação entre os termos não é contraditória. Objetivo: Reconhecer sentido específico do emprego de palavras na construção da linguagem poética. Item do programa: Aspectos da construção do sentido no texto Subitem do programa: Coerência textual: fatores de coerência (inferência) No verso "Inabitável, o mundo é cada vez mais habitado.", parece haver uma contradição entre "inabitável" e "habitado", já que ambos os adjetivos referem-se ao mundo. Entretanto, o primeiro adjetivo é qualitativo, pois se refere às condições de vida, enquanto o segundo adjetivo é quantitativo, pois se refere ao número cada vez maior de pessoas que habitam o mundo. Logo, não há contradição, ao contrário, pois o incremento na quantidade (de pessoas) pode implicar justamente o decréscimo da qualidade de vida, tornando o mundo mais inabitável Exame Discursivo - Questão 3 Ano 3, n. 9, ano 2010 A pergunta da personagem Mafalda, no segundo quadrinho, inicia-se com a palavra "então", que estabelece uma relação de sentido com a situação anterior. Identifique a relação de sentido estabelecida e reescreva a pergunta, substituindo o vocábulo "então" por outro conectivo. Objetivo: Discriminar relação de sentido estabelecida por conectivo em contexto linguístico específico. Item do programa: Aspectos da construção do sentido no texto

14 Subitem do programa: Coesão textual : ligação A relação de sentido estabelecida é de "conclusão": considerando que cada um dos personagens do primeiro quadrinho tem de fazer algo, a conclusão lógica é que eles não têm muito tempo para brincar. A reescritura da pergunta, substituindo o vocábulo "então", deve manter esta relação, como, por exemplo: "Portanto, acho que só dá tempo de brincar de guerra nuclear, não é?" Exame Discursivo - Questão 4 Ano 3, n. 9, ano 2010 A resenha do romance Fahrenheit 451 menciona dois problemas também evocados pelos personagens do texto II. Identifique um desses problemas e, em seguida, descreva a solução apontada para ele no romance, segundo a resenha.

15 Objetivo: Explicar relações de sentido entre textos de fontes diversas. Item do programa: Enunciação e organização textual Subitem do programa: Estratégia de leitura: textos (pressuposições explícitas) Tanto a aceleração da vida moderna quanto a guerra são problemas mencionados nos textos II e III. A solução para ambos os problemas reside, segundo a resenha do romance de Ray Bradbury, no restabelecimento do contato com os livros, uma vez que é um contato forçosamente calmo e paciente, logo, capaz de diminuir a aceleração da vida moderna e, ao mesmo tempo, promover uma reflexão consciente que ajudaria a acabar com a guerra, tragédia humana que sempre se opôs à razão e à reflexão Exame Discursivo - Questão 5 Ano 3, n. 9, ano 2010 No segundo parágrafo da resenha, relatam-se práticas de redução da leitura que se sucederam no romance, além de outros acontecimentos decorrentes dessas práticas. Identifique dois desses acontecimentos e explique por que eles teriam relação com o progressivo fim da leitura de livros. Objetivo: Explicar relações de sentido construídas no interior de um texto. Item do programa: Enunciação e organização textual Subitem do programa: Estratégias de leituras: sentenças (pressuposições explícitas) Na distopia _ ou utopia negativa _ de Fahrenheit 451, os livros se reduziram a breves resumos, depois a curtas emissões de rádio, por fim a curtíssimos verbetes em dicionário, tornando-se então dispensáveis. Em decorrência dessas práticas, as universidades não formavam mais professores, as pessoas passaram a escutar piadas em "juke-boxes", e não músicas, e a palavra "intelectual" se converteu em

16 um xingamento. Cada um destes acontecimentos tem relação direta com a redução da leitura: como os livros se tornaram dispensáveis, não eram mais necessários professores para estimular a leitura de livros e os leitores passaram a ser discriminados, como se o certo fosse ser analfabeto. Esses fatos constituem desdobramentos da redução das formas do conhecimento e de comunicação Exame Discursivo - Questão 6 Ano 3, n. 9, ano 2010 Objetivo: Apresentar conclusões, em redação de natureza argumentativa, a respeito de ideias, textos, acontecimento e situações relacionados ao tema proposto. Item do programa: Produção do texto Subitem do programa: Emprego de formas e estruturas linguísticas de acordo com a norma culta; habilidades de leitura e interpretação para reconstrução de textos em diferentes níveis; construção de estrutura argumentativa Na organização interna da prova, a redação representa um desdobramento da tarefa de leitura e interpretação. Na construção de seu texto, portanto, o candidato deverá levar em consideração os diversos aspectos sugeridos pelos textos da prova, articulando-os às próprias reflexões. Especificamente em relação ao tema, espera-se que o candidato seja capaz de identificar os muitos e complexos elementos que compõem a questão proposta: quando as novas formas de comunicação implicam enriquecimento ou empobrecimento desta comunicação. É importante que o candidato recorra não apenas à entrevista de José Saramago como também aos demais textos da prova. No exercício da construção do texto, o domínio da norma padrão da língua e dos recursos argumentativos são ainda aspectos relevantes Vestibular de Turismo (Exame Discursivo) - Questão 1 Ano 3, n. 8, ano 2010

17 O título do soneto se associa ao personagem mítico conhecido como Ícaro que, com a ajuda de um artefato, tentou chegar até o Sol. Essa associação se explicita em dois versos do poema. Transcreva esses dois versos. Objetivo: Identificar elementos específicos associados, no texto, ao personagem mítico descrito no enunciado. Item do programa: Aspectos da construção do sentido no texto Subitem do programa: Coerência textual: fatores de coerência (conhecimento de mundo, contexto) Ícaro, para chegar até o Sol, precisava de asas artificiais. Os versos que fazem referência a essas asas são os de número 5 e 6: "e quando levanto as asas emplumadas / para voar até um utópico lugar" Vestibular de Turismo (Exame Discursivo) - Questão 2 Ano 3, n. 8, ano 2010

18 O "eu" que fala no poema refere-se a Ícaro como "um homem que veio tentar/o mar, o ar, o sol e o fado". Ao se comparar com ele, este "eu" se apresenta como um novo Ícaro, mas diferente do primeiro. Transcreva o verso que marca essa diferença. Em seguida, explique-a. Objetivo: Identificar e explicar oposição interna ao texto produzida pela caracterização de dois personagens (Ícaro e o sujeito poético). Item do programa: Aspectos da construção do sentido no texto Subitem do programa: Coerência textual: organização das partes do texto Ícaro, de acordo com o poema, queria enfrentar e dominar "o mar, o ar, o sol e o fado", isto é, o próprio destino. Já o sujeito que fala no poema deseja apenas chegar ao outro lado do oceano, isto é, chegar ao Brasil, como fica demarcado no verso iniciado pelo conectivo "mas": "mas eu só quero chegar ao outro lado". Observa-se com essa oposição que o sujeito poético tem ambições menores do que as do outro homem Vestibular de Turismo (Exame Discursivo) - Questão 3 Ano 3, n. 8, ano 2010

19 é a prática de turismo de lazer, esportivo ou educacional, em áreas naturais, que se utiliza de forma sustentável dos patrimônios natural e cultural, incentiva a sua conservação (l. 1-3) O emprego do pronome pode acarretar ambiguidade. No trecho acima, o pronome grifado poderia se referir a mais de um vocábulo, mas esta ambiguidade é desfeita pelo contexto. Identifique a que palavra ou expressão se refere o pronome "sua" e explique por que, neste caso, o emprego do pronome não provoca ambiguidade. Objetivo: Discriminar relações sintático-semânticas relacionadas ao emprego do pronome possessivo "sua". Item do programa: Enunciação e organização textual Subitem do programa: Estratégias de leitura: relações lógico-semânticas Estruturalmente, a expressão "a sua conservação" se poderia referir às expressões substantivas anteriores: "a prática de turismo de lazer, esportivo ou educacional" e "patrimônios natural e cultural". Não se "conserva", entretanto, uma "prática de turismo" - nesse caso, o termo adequado seria "estímulo". Em contrapartida, conservam-se, sim, os "patrimônios natural e cultural", no intuito de preservá-los para as gerações futuras Vestibular de Turismo (Exame Discursivo) - Questão 4 Ano 3, n. 8, ano 2010

20 devemos ter em conta que somente teremos condições de sustentabilidade caso haja harmonia e equilíbrio no "diálogo" entre os seguintes fatores: resultado econômico, mínimos impactos ambientais e culturais, satisfação do ecoturista (visitante, cliente, usuário) e da comunidade (visitada). (l ) Explique o uso das aspas no termo "diálogo". Objetivo: Explicar uso de marca linguística no deslocamento metafórico de palavras usadas na linguagem corrente. Item do programa: Enunciação e organização textual Subitem do programa: Estratégias de leitura: relações entre marcas linguísticas e níveis de significação textual O termo "diálogo" assume uma função metafórica, sugerindo uma personificação dos "fatores". Como o texto é referencial e não poético, o autor preferiu destacar o recurso metafórico com as aspas, para que não houvesse nenhum estranhamento por parte do leitor Vestibular de Turismo (Exame Discursivo) - Questão 5 Ano 3, n. 8, ano 2010

21 Na imagem do cartunista Caulos, sai do tronco de uma árvore cortada um típico balão de pensamento das histórias em quadrinhos. Desse modo, a árvore é humanizada e parece pensar em si mesma, quando ainda não havia sido cortada pelo homem. Podemos relacionar esta imagem a uma das quatro condições básicas do ecoturismo, conforme estabelecido no último parágrafo do texto anterior. Identifique essa condição. Objetivo: Reconhecer possibilidade de apropriação, pela semelhança temática, de elementos de um texto para a compreensão de outro texto. Item do programa: Aspectos da construção do sentido no texto Subitem do programa: Intertextualidade: apropriação As quatro condições básicas do ecoturismo, segundo o texto, são: [1] "respeito às comunidades locais"; [2] "envolvimento econômico efetivo das comunidades locais"; [3] "respeito às condições naturais e conservação do meio ambiente e interação educacional"; [4] "garantia de que o turista incorpore para a sua vida o que aprende em sua visita". Ora, apenas a terceira condição atende à relação pedida com a imagem de Caulos, uma vez que com "respeito às condições naturais e conservação do meio ambiente" aquela árvore ainda estaria inteira Vestibular de Turismo (Exame Discursivo) - Questão 6 Ano 3, n. 8, ano 2010

22 Proposta de Redação Recorrendo ao mesmo tema da árvore cortada, o desenhista Caulos agora projeta como sombra dessa árvore os galhos que ela já não tem mais, atraindo um pássaro para essa sombra imaginária. A imagem, triste, sugere o desejo de uma natureza que não seja destruída pelo homem. Entretanto, o homem não corta árvores "por maldade", mas sim para conseguir a madeira que lhe permita construir casas e imprimir livros, por exemplo. A pergunta desta redação é: como conciliar as necessidades humanas com o desejo de uma natureza preservada? Redija uma dissertação respondendo a essa pergunta. A redação deve ter de 20 a 30 linhas e ser escrita em linguagem formal. Objetivo: Apresentar conclusões, em uma redação de natureza argumentativa, a respeito de ideias, textos, acontecimentos e situações relacionados ao tema proposto. Item do programa: Produção do texto Subitem do programa: Emprego de formas e estruturas linguísticas de acordo com a norma culta; habilidade de leitura e interpretação para a reconstrução do texto em diferentes níveis; construção de estrutura argumentativa Na organização interna da prova, a redação representa um desdobramento da tarefa de leitura e interpretação. Ao elaborar seu texto, portanto, o candidato deverá levar em consideração os diversos aspectos sugeridos pelos textos da prova, articulando-os às próprias reflexões. Especificamente no tratamento da questão ambiental frente às necessidades humanas, espera-se que o candidato mostre uma compreensão da complexidade do tema, evitando os lugares comuns e sugerindo soluções que equilibrem os elementos inicialmente contrapostos Exame Discursivo - Questão 1 Ano 2, n. 5, ano 2009

23 Na primeira fala, ao abordar a formação histórica da sociedade brasileira, o entrevistado aponta duas diferentes razões político-sociais responsáveis pela cultura transgressora no Brasil. Destaque-as e, em seguida, explique de que forma o entrevistado relaciona essas duas razões à cultura transgressora. Objetivo: Discriminar as razões político-sociais presentes no texto e explicar sua relação com a argumentação do autor. Item do programa: Enunciação e organização textual Subitem do programa: Estratégias de leitura As razões apontadas pelo entrevistado compreendem os dois eixos - autoritarismo e exclusão social - sobre os quais se funda a formação da cultura brasileira - uma cultura de transgressão das leis, derivada do estranhamento entre a sociedade, o Estado e suas instituições Exame Discursivo - Questão 2 Ano 2, n. 5, ano 2009

24 Explique por que, segundo o ponto de vista do entrevistado, os brasileiros ainda não teriam incorporado o conceito de civilização e, em seguida, transcreva da última fala (l ) uma frase completa em que ele mesmo exemplifique essa afirmativa. Objetivo: Explicar o ponto de vista expresso na entrevista e exemplificá-lo com uma frase do texto. Item do programa: Enunciação e organização textual Subitem do programa: Intenções comunicativas Segundo o entrevistado, os brasileiros ainda não incorporaram o conceito de civilização, por estarem centrados no domínio do privado, isto é, nos interesses pessoais e não nos interesses coletivos e sociais. A frase "O mesmo cidadão que critica a corrupção e a troca de favores no Congresso Nacional e acha que todos os políticos são corruptos por natureza, às vezes topa oferecer uma caixinha' para o policial rodoviário que o flagrou fazendo uma ultrapassagem proibida" exemplifica esse argumento Exame Discursivo - Questão 3 Ano 2, n. 5, ano 2009

25 A entrevista e o fragmento do romance - textos I e II - permitem refletir sobre o comportamento da sociedade brasileira diante dos limites impostos pelas leis. Transcreva do penúltimo parágrafo do texto II uma frase completa que possa ser associada ao que diz o entrevistado no texto I e, em seguida, explique a associação. Objetivo: Explicar a associação entre os temas desenvolvidos nos textos I e II, com base em uma frase do texto II. Item do programa: Enunciação e organização textual Subitem do programa: Estratégia de leitura Os textos I e II fundam-se sobre o mesmo argumento ou ponto de vista, ou seja, a constatação de que a cultura transgressora é um dos componentes do processo de formação da sociedade brasileira, acrescida do fato de que as relações entre o público e o privado assentam-se numa associação dialética, contraditória, com o privilégio dos interesses individuais sobre os coletivos. Os fragmentos a seguir, destacados do texto II, remetem tanto à disseminação do comportamento transgressor, quanto ao domínio do pessoal sobre o coletivo: "Tudo naquela cidade dependia da força pessoal."; "Não havia grandes assaltantes na Bahia, diziam, mas quase todos furtavam um pouquinho."; "Alguns salteadores de estradas, raros ladrões violentos ou cortadores de bolsas andavam por ali, porém uma desonestidade implícita e constante fazia parte do procedimento das pessoas." Exame Discursivo - Questão 4 Ano 2, n. 5, ano 2009

26 Identifique a relação estabelecida no contexto pela oração sublinhada. Reescreva, também, toda a frase, substituindo o vocábulo mesmo por um conectivo, de modo a manter o sentido essencial, fazendo apenas as alterações necessárias. Objetivo: Discriminar relação de sentido estabelecida entre as orações e exemplificar um conectivo com sentido semelhante a outro apresentado. Item do programa: Aspectos da construção do sentido no texto Subitem do programa: Coesão textual A relação de sentido entre as duas orações está sustentada na ideia de contraste, oposição ou concessão, definida pelo conectivo mesmo em oração reduzida de gerúndio. Exemplos de utilização de outros conectivos com o mesmo valor e função, com modificação da estrutura de gerúndio, podem ser: E, embora fosse ainda de manhã, alguns vinham trôpegos; E, apesar de ser ainda de manhã, alguns vinham trôpegos Exame Discursivo - Questão 5 Ano 2, n. 5, ano 2009

27 No texto II, o narrador utiliza dois recursos diferentes para expor pensamentos ou emoções que podem ser atribuídos ao personagem Gregório de Matos. Aponte esses dois recursos e apresente uma frase completa que exemplifique cada um deles. Objetivo: Discriminar os recursos associados à apresentação da voz do personagem. Item do programa: Enunciação e organização textual Subitem do programa: Estrutura da enunciação No texto, a exposição dos pensamentos ou emoções atribuídos ao personagem é marcada por dois recursos conhecidos das narrativas literárias: as aspas, empregadas para assinalar os pensamentos de Gregório no início do texto; e o discurso indireto livre, precedido pela referência ao personagem, ("Gregório de Matos suspirou") que interrompe a narrativa mais distanciada e abre espaço para o tom reflexivo de Gregório, a quem se atribuem as seguintes frases: "Era muito mais difícil viver ali."; "Por que voltara?" Exame Discursivo - Questão 6 Ano 2, n. 5, ano 2009

28 Objetivo: Apresentar conclusões, em uma redação de natureza argumentativa, a respeito de ideias, textos, acontecimentos e situações relacionados ao tema proposto. Item do programa: Produção do texto Subitem do programa: Emprego de formas e estruturas linguísticas de acordo com a norma culta Subitem do programa: Habilidades de leitura e interpretação para a reconstrução do texto em diferentes níveis Subitem do programa: Construção de estrutura argumentativa Na organização interna da prova, a redação representa um desdobramento da tarefa de leitura e interpretação. Na construção de seu texto, portanto, o candidato deverá levar em consideração os diversos aspectos sugeridos pelos textos da prova, articulando-os às próprias reflexões. Especificamente em relação ao tema, espera-se que o candidato seja capaz de identificar os múltiplos e complexos elementos que compõem a questão proposta. No tratamento da "cultura de transgressão", é preciso, por isso, identificar não apenas a face mais visível do problema, mas ponderar também sobre elementos históricos e sociais (sugeridos pelos textos) que levam, por exemplo, ao estranhamento entre a sociedade e suas instituições. No exercício de construção do texto, o domínio da norma padrão da língua e dos recursos argumentativos são ainda aspectos relevantes Exame Discursivo - Questão 1 Ano 2, n. 3, ano 2009

29 O título do texto de Leonardo Boff fala do bom uso do relativismo. Pode-se inferir, então, que haveria um relativismo negativo, que o autor condenaria. Transcreva o trecho em que o autor alude ao tipo de relativismo que ele rejeita. Em seguida, justifique por que, para o autor, esse uso do relativismo seria condenável. Objetivo: Justificar opinião apresentada pelo autor do texto. Item do programa: Habilidade de leitura e interpretação como reconstrução de textos em diferentes níveis Subitem do programa: Estratégias de leitura: sentenças e textos (pressuposições explícitas e implícitas); relações entre marcas lingüísticas e níveis de significação textual; relações lógicosemânticas; relações discursivas ou pragmáticas. O trecho em que o autor alude ao tipo de relativismo que ele rejeita é: "Então não há verdade absoluta? Vale o everything goes de alguns pós-modernos? Quer dizer, o 'vale tudo'? Não é o vale tudo". Observe-se que, nesse trecho, a descrição de um relativismo condenável se encontra pressuposta nas perguntas, que são retóricas, isto é: quem as faz já sabe as respostas. As perguntas sugerem que, se não houvesse uma verdade absoluta, então valeria tudo, ou seja, não haveria mais ética nem moral. No entanto, o autor deixa claro que, para ele, há uma regra básica que se contrapõe ao "vale tudo". Existe, portanto, uma verdade, ainda que relativa às situações: é preciso manter relações com os outros e respeitá-los em sua diferença Exame Discursivo - Questão 2

30 Ano 2, n. 3, ano 2009 Eles não podem ser pensados independentemente uns dos outros, porque todos são portadores da mesma humanidade. (l ) Identifique a relação de sentido que a oração sublinhada estabelece com a parte do período que a antecede. Reescreva todo o período, substituindo o conectivo e mantendo essa mesma relação de sentido. Objetivo: Discriminar relação de sentido estabelecida entre orações. Item do programa: Conhecimento da gramática descritiva na dimensão do funcionamento textualdiscursivo dos elementos da língua Subitem do programa: Análise gramatical do sistema lingüístico: aspectos fonéticos e fonológicos, morfossintáticos, lexicais, semânticos e estilísticos na dimensão dialógica do texto e identificação de diferentes estratégias discursivas. A declaração feita na oração sublinhada constitui a causa do que é declarado na oração anterior. Três exemplos de elementos de conexão que poderiam ser empregados no lugar do "porque", para estabelecer essa mesma relação de sentido, são: "visto que", "já que" e "como". Com este último, a oração causal passa a introduzir o período.

31 A oração sublinhada também pode ser entendida como uma explicação ou justificativa para o que é declarado na oração anterior. Neste caso, o elemento de conexão que poderia substituir o "porque" seria a conjunção "pois" Exame Discursivo - Questão 3 Ano 2, n. 3, ano 2009 O penúltimo parágrafo, que faz uma crítica ao Ocidente, cumpre uma função específica na argumentação do autor. Explicite de que maneira esse parágrafo contribui para o desenvolvimento dessa argumentação. Objetivo: Discriminar função de parágrafo em texto argumentativo. Item do programa: Habilidade de leitura e interpretação como reconstrução de textos em diferentes níveis Subitem do programa: Estrutura da argumentação: fundamentação do argumento (a opinião e o fato); tipos de argumentação (retórica e demonstrativa); operações de indução e dedução; tipos de argumentos; procedimentos dialéticos (tese, antítese e síntese); avaliação de argumentos (pertinência e suficiência, validade e verdade, falácias e sofismas).

32 O penúltimo parágrafo critica o Ocidente exatamente por este não relativizar a própria verdade, considerando-a a única verdade, ou no mínimo superior à de outros povos e culturas. Esse parágrafo reforça a argumentação central do autor ao mostrar, com exemplos históricos como os das guerras religiosas e os das guerras contemporâneas, as conseqüências negativas da atitude não-relativista, isto é, dogmática e/ou absolutista Exame Discursivo - Questão 4 Ano 2, n. 3, ano 2009 Poucos dias após a Abolição da Escravatura, o escritor Machado de Assis publicou nos jornais essa crônica, na verdade um pequeno conto irônico. A ironia é uma forma de relativizar uma posição, mostrando-a sob outra perspectiva. Identifique o alvo da ironia de Machado de Assis e demonstre por que a contratação de Pancrácio como assalariado faz parte dessa ironia.

33 Objetivo: Explicar ironia presente no texto. Item do programa: Habilidade de leitura e interpretação como reconstrução de textos em diferentes níveis Subitem do programa: Recursos retóricos: figuras de som, figuras de palavra, figuras de construção e figuras de pensamento. A ironia é um recurso retórico sofisticado exatamente porque ela pode, numa única formulação, apresentar duas perspectivas, em geral antagônicas entre si. O alvo da ironia do autor é a existência de hipócritas entre os que defendiam a abolição da escravatura: pessoas que a defendiam não por princípios humanitários, mas sim por oportunismo, para seguir os outros, ou por esperteza, para continuar levando vantagem na mudança do regime econômico. A contratação de Pancrácio como assalariado faz parte dessa ironia porque ela o mantém sob o domínio e a exploração do seu ex-dono, agora patrão, inclusive com "direito" às mesmas surras da condição anterior de escravo. O autor mostra que a libertação dos escravos é relativa: em muitos casos, os escravos ficaram em situação pior do que antes Exame Discursivo - Questão 5 Ano 2, n. 3, ano 2009

34 Um ordenado pequeno, mas que há de crescer. Tudo cresce neste mundo: tu cresceste imensamente. Quando nasceste eras um pirralho deste tamanho; hoje estás mais alto que eu. (l ) A fala do senhor de Pancrácio deseja convencer e persuadir seu interlocutor. O argumento apresentado, entretanto, é intencionalmente falho, isto é, configura uma falácia. Explique em que consiste esta falácia. Objetivo: Explicar falácia presente em um argumento. Item do programa: Habilidade de leitura e interpretação como reconstrução de textos em diferentes níveis Subitem do programa: Estrutura da argumentação: fundamentação do argumento (a opinião e o fato); tipos de argumentação (retórica e demonstrativa); operações de indução e dedução; tipos de argumentos; procedimentos dialéticos (tese, antítese e síntese); avaliação de argumentos (pertinência e suficiência, validade e verdade, falácias e sofismas). O senhor de Pancrácio, para convencê-lo da evolução da sua condição, de escravo a assalariado, compara a possibilidade de crescimento do seu ordenado com o crescimento físico do próprio Pancrácio. A comparação, entretanto, é indevida, pois não sustenta de modo algum o argumento, isto é, trata-se de uma falácia: um argumento construído não para esclarecer uma verdade mas sim para enganar o

35 ouvinte ou leitor. Enquanto o crescimento do escravo é notável e independente da vontade de qualquer pessoa, o crescimento do ordenado depende da vontade e da decisão do patrão, ou seja, de quem paga o salário Exame Discursivo - Questão 6 Ano 2, n. 3, ano 2009 A gravura acima, chamada "Relatividade", é de autoria do artista holandês M. C. Escher. Ela combina, numa mesma imagem, várias maneiras de perceber o espaço. Na realidade, não se podem perceber ao mesmo tempo todas as possíveis visões de um acontecimento; é preciso, junto com o artista, fazer um esforço para imaginar outras perspectivas, ou as perspectivas dos outros. Recorrendo aos textos desta prova e à imagem, demonstre, em uma dissertação de 20 a 30 linhas, a necessidade de que todos compreendam perspectivas diferentes das suas próprias para se conviver melhor. Utilize o registro padrão da língua e estrutura argumentativa completa. Atribua um título ao seu texto. Objetivo: Apresentar conclusões, em uma redação de natureza argumentativa, a respeito de idéias, textos, acontecimentos e situações relacionadas a um dado tema. Item do programa: Competência na produção textual, comprovando capacidade de organização do pensamento e uso eficaz do registro culto Subitem do programa: Conhecimento da gramática descritiva na dimensão do funcionamento textualdiscursivo dos elementos da língua. Subitem do programa: Habilidade de leitura e interpretação como reconstrução de textos em diferentes níveis. Todos os itens do programa são, de certa maneira, cobrados na Redação, assim como todos os principais objetivos do ensino da Língua Portuguesa podem ser visados e atingidos na confecção de uma redação. Ao demonstrar competência na produção textual, o candidato comprova capacidade de organização do pensamento; ao dominar o funcionamento textual-discursivo dos elementos da língua, o candidato comprova a habilidade necessária de leitura para reconstruir o texto e o seu pensamento em diferentes níveis, como se quer nesta prova.

36 Toda a prova tem um tema central: o reconhecimento da necessidade do relativismo das opiniões e posições. Tudo o que se pensa e afirma é relativo, no mínimo, à circunstância tanto de quem faz a afirmação quanto de quem a lê. Os textos da prova convergem, portanto, para esta proposta de redação, agora auxiliados pela gravura de Escher, que visualmente apresenta múltiplas perspectivas, as quais variam conforme a posição relativa dos personagens e dos observadores envolvidos. Pede-se que o candidato demonstre, recorrendo naturalmente a argumentos e exemplos seus, a necessidade de se compreenderem perspectivas diferentes da própria para se conviver melhor. Ressalta-se que não se abriu a possibilidade de o candidato demonstrar o contrário, porque essa possibilidade quase certamente o levaria a impasses e a problemas lógicos, os quais ele poderia não resolver. Em outras palavras, as do autor do primeiro texto, não vale tudo: há limites que balizam toda a reflexão solicitada. Pode-se dizer que esta é uma redação sobre como se pode pensar melhor, ou seja: que se trata de uma redação sobre a própria Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Todos os direitos reservados

LÍNGUA PORTUGUESA INSTRUMENTAL COM REDAÇÃO

LÍNGUA PORTUGUESA INSTRUMENTAL COM REDAÇÃO 05/12/2010 LÍNGUA PORTUGUESA INSTRUMENTAL COM REDAÇÃO Caderno de prova Este caderno, com oito páginas numeradas sequencialmente, contém cinco questões de Língua Portuguesa Instrumental e a proposta de

Leia mais

Língua Portuguesa Instrumental com Redação

Língua Portuguesa Instrumental com Redação 02/12/2012 Língua Portuguesa Instrumental com Redação Caderno de prova Este caderno, com oito páginas numeradas sequencialmente, contém cinco questões de Língua Portuguesa Instrumental e a proposta de

Leia mais

4ª, 6ª e 8ª séries / 5º, 7º e 9º anos do Ensino Fundamental e 3ª série do Ensino Médio SARESP. Escala de Proficiência de Língua Portuguesa (Leitura)

4ª, 6ª e 8ª séries / 5º, 7º e 9º anos do Ensino Fundamental e 3ª série do Ensino Médio SARESP. Escala de Proficiência de Língua Portuguesa (Leitura) 4ª, 6ª e 8ª séries / 5º, 7º e 9º anos do Ensino Fundamental e 3ª série do Ensino Médio SARESP Escala de Proficiência de Língua Portuguesa (Leitura) ESCALA DE PROFICIÊNCIA DE LÍNGUA PORTUGUESA LEITURA A

Leia mais

Professora Verônica Ferreira PROVA CESGRANRIO 2012 CAIXA ECONÔMICA FEDERAL TÉCNICO BANCÁRIO

Professora Verônica Ferreira PROVA CESGRANRIO 2012 CAIXA ECONÔMICA FEDERAL TÉCNICO BANCÁRIO Professora Verônica Ferreira PROVA CESGRANRIO 2012 CAIXA ECONÔMICA FEDERAL TÉCNICO BANCÁRIO 1 Q236899 Prova: CESGRANRIO - 2012 - Caixa - Técnico Bancário Disciplina: Português Assuntos: 6. Interpretação

Leia mais

ATIVIDADES DISCURSIVAS 2 E POSSIBILIDADES DE RESPOSTAS

ATIVIDADES DISCURSIVAS 2 E POSSIBILIDADES DE RESPOSTAS ATIVIDADES DISCURSIVAS 2 E NED Núcleo de Estudos Dirigidos ED 2/ED Comunicação e Expressão /2012/2 Prof. Cleuber Cristiano de Sousa ATIVIDADE DISCURSIVA 2 Habilidade: ED 2: Compreender e expressar Temáticas

Leia mais

língua portuguesa instrumental com redação

língua portuguesa instrumental com redação 2ª fase exame discursivo 13/12/2009 língua portuguesa instrumental com redação caderno de prova Este caderno, com oito páginas numeradas sequencialmente, contém cinco questões de Língua Portuguesa Instrumental

Leia mais

Universidade Federal de Uberlândia

Universidade Federal de Uberlândia PRIMEIRA QUESTÃO A) É importante que o candidato ressalte o fato de que, na ilha, a princípio, tudo é eletivo : cabe aos indivíduos escolher os seus papéis. Esta liberdade da constituição do sujeito deve

Leia mais

ESCOLA BÁSICA FERNANDO CALDEIRA Currículo de Português. Departamento de Línguas. Currículo de Português - 7º ano

ESCOLA BÁSICA FERNANDO CALDEIRA Currículo de Português. Departamento de Línguas. Currículo de Português - 7º ano Departamento de Línguas Currículo de Português - Domínio: Oralidade Interpretar discursos orais com diferentes graus de formalidade e complexidade. Registar, tratar e reter a informação. Participar oportuna

Leia mais

REDAÇÃO DISSERTAÇÃO AULA 5. Professora Sandra Franco

REDAÇÃO DISSERTAÇÃO AULA 5. Professora Sandra Franco REDAÇÃO AULA 5 Professora Sandra Franco DISSERTAÇÃO 1. Definição de Dissertação. 2. Roteiro para dissertação. 3. Partes da dissertação. 4. Prática. 5. Recomendações Gerais. 6. Leitura Complementar. 1.

Leia mais

1. Linguagens e Códigos; 2. Raciocínio Lógico e Matemática; 3. Leitura e Interpretação de Textos; 4. Atualidades.

1. Linguagens e Códigos; 2. Raciocínio Lógico e Matemática; 3. Leitura e Interpretação de Textos; 4. Atualidades. ANEXO I - PROGRAMA DAS PROVAS DE CONHECIMENTOS GERAIS E DE REDAÇÃO Prova (Todos os Cursos) Trabalhando em consonância com as diretrizes curriculares nacionais, o UNIFEMM entende que as avaliações do processo

Leia mais

Informação Prova de Equivalência à Frequência

Informação Prova de Equivalência à Frequência Básico Informação Prova de Equivalência à Frequência INGLÊS (LE I) Prova escrita e oral Prova 21 2015 do Ensino Básico 1. Introdução O presente documento visa divulgar as características da prova de exame

Leia mais

Prova de Conhecimentos Específicos

Prova de Conhecimentos Específicos Prova de Conhecimentos Específicos Leia o texto e responda às questões seguintes: 5 10 15 20 25 30 35 40 Em 1802, o teólogo inglês William Paley propôs o seguinte argumento tentando justificar a existência

Leia mais

LEITURA EM LÍNGUA ESPANHOLA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: COMPREENSÃO E EXPRESSÃO CRIATIVA

LEITURA EM LÍNGUA ESPANHOLA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: COMPREENSÃO E EXPRESSÃO CRIATIVA LEITURA EM LÍNGUA ESPANHOLA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: COMPREENSÃO E EXPRESSÃO Instituto Federal Farroupilha Câmpus Santa Rosa ledomanski@gmail.com Introdução Ler no contexto mundial globalizado

Leia mais

Informação-Prova de Equivalência à Frequência COMPONENTE ESCRITA

Informação-Prova de Equivalência à Frequência COMPONENTE ESCRITA Agrupamento de Escolas do Viso Porto Prova de Equivalência à Frequência Espanhol (LE II) Prova 15 3º- Ciclo do Ensino Básico Informação-Prova de Equivalência à Frequência Tipo de Prova: Escrita e Oral

Leia mais

ADMISSÃO2014 Número de Inscrição Língua Portuguesa/ 1ª Série QUESTÃO 1 No texto 1, há a formulação e defesa de um ponto de vista por meio de argumentação e exemplificação. Tomando por base o fato principal

Leia mais

PROVA ESCRITA. As informações sobre a prova apresentadas neste documento não dispensam a consulta da legislação referida e do Programa da disciplina.

PROVA ESCRITA. As informações sobre a prova apresentadas neste documento não dispensam a consulta da legislação referida e do Programa da disciplina. INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA ESPANHOL (LE II) Abril de 2015 Prova 15 2015 3.º Ciclo do Ensino Básico (Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho) Tipo de Prova: Escrita e Oral Duração: 90

Leia mais

PLANO DE CURSO REFERENCIAL LÍNGUA PORTUGUESA/GESTAR 6ª SÉRIE (7º ANO)

PLANO DE CURSO REFERENCIAL LÍNGUA PORTUGUESA/GESTAR 6ª SÉRIE (7º ANO) PLANO DE CURSO REFERENCIAL LÍNGUA PORTUGUESA/GESTAR 6ª SÉRIE (7º ANO) Processo Avaliativo Unidade Didática PRIMEIRA UNIDADE Competências e Habilidades Aperfeiçoar a escuta de textos orais - Reconhecer

Leia mais

Conhecer o conteúdo programático do componente Língua Portuguesa e desenvolver habilidades de compreensão, interpretação e produção de textos orais e

Conhecer o conteúdo programático do componente Língua Portuguesa e desenvolver habilidades de compreensão, interpretação e produção de textos orais e Conhecer o conteúdo programático do componente Língua Portuguesa e desenvolver habilidades de compreensão, interpretação e produção de textos orais e escritos à maneira adequada do padrão da língua materna;

Leia mais

Resoluções Prova Anglo

Resoluções Prova Anglo Resoluções Prova Anglo TIPO F P-1 tipo D-5 Língua Portuguesa (P-1) Ensino Fundamental 5º ano DESCRITORES, RESOLUÇÕES E COMENTÁRIOS A Prova Anglo é um dos instrumentos para avaliar o desempenho dos alunos

Leia mais

DISCIPLINA DE LÍNGUA PORTUGUESA

DISCIPLINA DE LÍNGUA PORTUGUESA DISCIPLINA DE LÍNGUA PORTUGUESA OBJETIVOS: 1 ano Levar o estudante a realizar a escrita do próprio nome e outros nomes. Promover a escrita das letras do alfabeto. Utilizar a linguagem oral para conversar,

Leia mais

PROVA 358. (Dec.- Lei n.º 139/2012, de 5 de julho) 2014/2015 1.ª e 2.ª Fases

PROVA 358. (Dec.- Lei n.º 139/2012, de 5 de julho) 2014/2015 1.ª e 2.ª Fases PROVA 358 INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA INGLÊS Formação Específica Anual 12.º Ano (Dec.- Lei n.º 139/2012, de 5 de julho) 2014/2015 1.ª e 2.ª Fases Provas Escrita e Oral Cursos Científico-

Leia mais

Gabarito de Inglês. Question 6. Question 1. Question 7. Question 2. Question 8. Question 3. Question 9. Question 4. Question 10.

Gabarito de Inglês. Question 6. Question 1. Question 7. Question 2. Question 8. Question 3. Question 9. Question 4. Question 10. Question 1 Question Question LETRA: E Fácil Question 4 LETRA: A Fácil Question 5 Gabarito de Inglês Question 6 LETRA: D Difícil Question 7 LETRA: A Média Question 8 LETRA: C Difícil Question 9 Question

Leia mais

Língua Portuguesa Instrumental com Redação

Língua Portuguesa Instrumental com Redação 04/12/2011 Língua Portuguesa Instrumental com Redação Caderno de prova Este caderno, com oito páginas numeradas sequencialmente, contém cinco questões de Língua Portuguesa Instrumental e a proposta de

Leia mais

Redação: critérios de correção dos exames da Fuvest, Unicamp, Unesp e Enem. FUVEST e UNESP

Redação: critérios de correção dos exames da Fuvest, Unicamp, Unesp e Enem. FUVEST e UNESP Singular-Anglo Vestibulares Professora Natália Sanches Redação: critérios de correção dos exames da Fuvest, Unicamp, Unesp e Enem. Retirado do site oficial do vestibular. FUVEST e UNESP Na correção, três

Leia mais

Questões com textos não verbais. Prof. Bruno Augusto

Questões com textos não verbais. Prof. Bruno Augusto Questões com textos não verbais Prof. Bruno Augusto (ENEM) Em uma conversa ou leitura de um texto, corre-se o risco de atribuir um significado inadequado a um termo ou expressão, e isso pode levar a certos

Leia mais

OS CRITÉRIOS DE CORREÇÃO para a REDAÇÃO do ENEM

OS CRITÉRIOS DE CORREÇÃO para a REDAÇÃO do ENEM Disciplina Curso Profª Série REDACÃO Ensino Médio Silvia Zanutto 3º Lembre-se: ESTUDO APROVAÇÃO SUCESSO OS CRITÉRIOS DE CORREÇÃO para a REDAÇÃO do ENEM Aluno,LEIA COM ATENÇÃO! Na redação, o ENEM avalia

Leia mais

PROVA DE REDAÇÃO NO VESTIBULAR DA UFSM 2014

PROVA DE REDAÇÃO NO VESTIBULAR DA UFSM 2014 1 PROVA DE REDAÇÃO NO VESTIBULAR DA UFSM 2014 Prova de redação na perspectiva de gênero textual Com o propósito de avaliar a proficiência dos candidatos na leitura e na escrita pelo uso da língua portuguesa

Leia mais

RESPOSTAS AOS RECURSOS IMPRETADOS POR CANDIDATOS DO VESTIBULAR 2012

RESPOSTAS AOS RECURSOS IMPRETADOS POR CANDIDATOS DO VESTIBULAR 2012 RESPOSTAS AOS RECURSOS IMPRETADOS POR CANDIDATOS DO VESTIBULAR 2012 1º DIA Prova de Língua Portuguesa Questão 2 Na questão 2, o enunciado diz claramente que o que se está avaliando é o significado que

Leia mais

AGRUPAMENTO DE CLARA DE RESENDE COD. 242 937 COD. 152 870

AGRUPAMENTO DE CLARA DE RESENDE COD. 242 937 COD. 152 870 CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO (Aprovados em Conselho Pedagógico de 16 outubro de 2012) No caso específico da disciplina de PORTUGUÊS, do 3.º ano de escolaridade, a avaliação incidirá ainda ao nível

Leia mais

PROVA 367. (Dec.- Lei n.º 139/2012, de 5 de julho) 2014/2015 1.ª e 2.ª Fases

PROVA 367. (Dec.- Lei n.º 139/2012, de 5 de julho) 2014/2015 1.ª e 2.ª Fases PROVA 367 INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA INGLÊS- continuação 10.º e 11.º Anos (Dec.- Lei n.º 139/2012, de 5 de julho) 2014/2015 1.ª e 2.ª Fases Provas Escrita e Oral Cursos Científico-

Leia mais

PLANEJAMENTO ANUAL / TRIMESTRAL 2013 Conteúdos Habilidades Avaliação

PLANEJAMENTO ANUAL / TRIMESTRAL 2013 Conteúdos Habilidades Avaliação Produção textual COLÉGIO LA SALLE BRASÍLIA Disciplina: Língua Portuguesa Trimestre: 1º Tipologia textual Narração Estruturação de um texto narrativo: margens e parágrafos; Estruturação de parágrafos: início,

Leia mais

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul NÚMERO DA VAGA: 22 MOTIVO ALEGADO PELO CANDIDATO: A questão

Leia mais

Reflexões sobre a Língua Portuguesa. Kátia França

Reflexões sobre a Língua Portuguesa. Kátia França Reflexões sobre a Língua Portuguesa Kátia França Níveis de aprendizagem dos alunos Abaixo do básico: os alunos demonstram que não desenvolveram as habilidades básicas requeridas para o nível de escolaridade

Leia mais

Pedro Bandeira. Leitor em processo 2 o e 3 o anos do Ensino Fundamental

Pedro Bandeira. Leitor em processo 2 o e 3 o anos do Ensino Fundamental Pedro Bandeira Pequeno pode tudo Leitor em processo 2 o e 3 o anos do Ensino Fundamental PROJETO DE LEITURA Coordenação: Maria José Nóbrega Elaboração: Rosane Pamplona De Leitores e Asas MARIA JOSÉ NÓBREGA

Leia mais

VI Seminário de Iniciação Científica SóLetras - 2009 ISSN 1808-9216

VI Seminário de Iniciação Científica SóLetras - 2009 ISSN 1808-9216 O EMPREGO GRAMATICAL NO LIVRO DIDÁTICO Desiree Bueno TIBÚRCIO (G-UENP/campus Jac.) desiree_skotbu@hotmail.com Marilúcia dos Santos Domingos Striquer (orientadora-uenp/campus Jac.) marilucia.ss@uol.com.br

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DA EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO BÁSICA

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DA EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO BÁSICA SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DA EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO BÁSICA MOVIMENTO PARANÁ SEM CORRUPÇÃO Primeiro voto: o papel do jovem eleitor em relação ao combate à corrupção ROTEIRO

Leia mais

Qualidade ambiental. Atividade de Aprendizagem 18. Eixo(s) temático(s) Vida e ambiente

Qualidade ambiental. Atividade de Aprendizagem 18. Eixo(s) temático(s) Vida e ambiente Qualidade ambiental Eixo(s) temático(s) Vida e ambiente Tema Uso dos recursos naturais / ocupação do espaço e suas consequências / desequilíbrio ambiental e desenvolvimento sustentável Conteúdos Lixo /

Leia mais

SITUAÇÃO DE PRODUÇÃO DA RESENHA NO ENSINO SUPERIOR

SITUAÇÃO DE PRODUÇÃO DA RESENHA NO ENSINO SUPERIOR RESENHA Neste capítulo, vamos falar acerca do gênero textual denominado resenha. Talvez você já tenha lido ou elaborado resenhas de diferentes tipos de textos, nas mais diversas situações de produção.

Leia mais

As Metas Curriculares de Português, para o 3º Ciclo, apresentam cinco características essenciais:

As Metas Curriculares de Português, para o 3º Ciclo, apresentam cinco características essenciais: DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS PORTUGUÊS 9º ANO C Ano Letivo: 204 /205. Introdução / Metas Curriculares Na disciplina de Português o desenvolvimento do ensino será orientado por Metas Curriculares cuja definição

Leia mais

FACULDADE PITÁGORAS DE UBERLÂNDIA MG

FACULDADE PITÁGORAS DE UBERLÂNDIA MG FACULDADE PITÁGORAS DE UBERLÂNDIA MG T exto dissertativo: ponto de vista acerca de um tema Profa. Ketiuce Ferreira Silva ketiuce@yahoo.com.br www.ketiuce.com.br Algumas perguntas O quê? Por quê? Para quê?

Leia mais

SEE/AC - SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DO ACRE - PROFESSOR P2

SEE/AC - SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DO ACRE - PROFESSOR P2 SEE/AC - SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DO ACRE - PROFESSOR P2 RESPOSTAS AOS RECURSOS Cargo: ART - PROFESSOR P2 / ARTE Disciplina: LÍNGUA PORTUGUESA (LPO) 5 - Gab.:V B 5 - Gab.:W C 5 - Gab.:X D 8 - Gab.:V

Leia mais

Programa e Metas Curriculares de Português do Ensino Secundário Oralidade

Programa e Metas Curriculares de Português do Ensino Secundário Oralidade Programa e Metas Curriculares de Português do Ensino Secundário Oralidade Helena C. Buescu, Luís C. Maia, Maria Graciete Silva, Maria Regina Rocha 10.º Ano: Oralidade Compreensão do Oral Objetivo Compreender

Leia mais

Informação Prova de Equivalência à Frequência

Informação Prova de Equivalência à Frequência Ano letivo 2014/2015 Ensino Secundário - 1ª e 2ª Fase Disciplina de ESPANHOL (INICIAÇÃO BIENAL) - 375 Informação Prova de Equivalência à Frequência 1. Introdução O presente documento visa divulgar as características

Leia mais

Aluno(a) Nº. Série: Turma: Ensino Médio Trimestre [ ] Data: / / Disciplina: Professor: Linguagem e língua

Aluno(a) Nº. Série: Turma: Ensino Médio Trimestre [ ] Data: / / Disciplina: Professor: Linguagem e língua Aluno(a) Nº. Série: Turma: Ensino Médio Trimestre [ ] Data: / / Disciplina: Professor: Linguagem e língua É a palavra que identifica o ser humano, é ela seu substrato que possibilitou a convivência humana

Leia mais

Língua Portuguesa 1ºEM

Língua Portuguesa 1ºEM ASSESSORIA DE EDUCAÇÃO PROVÍNCIA DO PARANÁ Colégio Social Madre Clélia Língua Portuguesa 1ºEM Prof. Eliana Martens A prova de redação é extremamente importante em vestibulares e em concursos Avalia diferentes

Leia mais

Admissão de alunos 2016

Admissão de alunos 2016 Tradição em Excelência Admissão de alunos 2016 CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS 8⁰ ANO ENSINO FUNDAMENTAL II CIÊNCIAS 1. ORIGEM DA TERRA 1.1. Origem da vida no Planeta Terra (principais teorias). 1.2. Fósseis,

Leia mais

Estudo das classes de palavras Conjunções. A relação de sentido entre orações presentes em um mesmo período e o papel das

Estudo das classes de palavras Conjunções. A relação de sentido entre orações presentes em um mesmo período e o papel das Um pouco de teoria... Observe: Estudo das classes de palavras Conjunções A relação de sentido entre orações presentes em um mesmo período e o papel das I- João saiu, Maria chegou. II- João saiu, quando

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO

PROJETO PEDAGÓGICO DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO PROJETO PEDAGÓGICO DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO APRESENTAÇÃO O Projeto Político Pedagógico da Escola foi elaborado com a participação da comunidade escolar, professores e funcionários, voltada para a

Leia mais

RESENHA DE COHESION IN ENGLISH,

RESENHA DE COHESION IN ENGLISH, BORBA, Valquíria C. Machado. Resenha de Cohesion in English, de Halliday & Hassan. Revista Virtual de Estudos da Linguagem ReVEL. V. 4, n. 6, março de 2006. ISSN 1678-8931 [www.revel.inf.br]. RESENHA DE

Leia mais

Olimpíada de LP Escrevendo o futuro

Olimpíada de LP Escrevendo o futuro Olimpíada de LP Escrevendo o futuro QUATRO GÊNEROS EM CARTAZ: OS CAMINHOS DA ESCRITA Cristiane Cagnoto Mori 19/03/2012 Referências bibliográficas RANGEL, Egon de Oliveira. Caminhos da escrita: O que precisariam

Leia mais

REQUERIMENTO: O Candidato requer revisão da questão nº. 09, alegando que a mesma possui erros em sua formulação.

REQUERIMENTO: O Candidato requer revisão da questão nº. 09, alegando que a mesma possui erros em sua formulação. RECORRENTE: ANA LUCIA DE OLIVEIRA B DA SILVA INSCRIÇÃO Nº. 0360 CANDIDATO AO CARGO: AUXILIAR DE SERVICOS GERAIS QUESTÃO: 09 MATÉRIA: RACIOCÍNIO LÓGICO REQUERIMENTO: O Candidato requer revisão da questão

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL 2015/2016 PORTUGUÊS - 3ºANO

PLANIFICAÇÃO ANUAL 2015/2016 PORTUGUÊS - 3ºANO DIREÇÃO DE SERVIÇOS DA REGIÃO ALGARVE Agrupamento de Escolas José Belchior Viegas (Sede: Escola Secundária José Belchior Viegas) PLANIFICAÇÃO ANUAL 2015/2016 PORTUGUÊS - 3ºANO METAS Domínios/ Conteúdos

Leia mais

Português- Prof. Verônica Ferreira

Português- Prof. Verônica Ferreira Português- Prof. Verônica Ferreira 1 Com relação a aspectos linguísticos e aos sentidos do texto acima, julgue os itens a seguir. No trecho que podemos chamar de silenciosa (l.15-16), o termo de silenciosa

Leia mais

1ª QUESTÃO MÚLTIPLA ESCOLHA. 7,00 (sete) pontos distribuídos em 20 itens

1ª QUESTÃO MÚLTIPLA ESCOLHA. 7,00 (sete) pontos distribuídos em 20 itens PAG - 1 1ª QUESTÃO MÚLTIPLA ESCOLHA 7,00 (sete) pontos distribuídos em 20 itens Marque no cartão de respostas a única alternativa que responde de maneira correta ao pedido de cada item: PORTUGUÊS Considere

Leia mais

INSTITUTO TECNOLÓGICO DE AERONÁUTICA Orientações para a Redação

INSTITUTO TECNOLÓGICO DE AERONÁUTICA Orientações para a Redação I - Proposta de Redação INSTITUTO TECNOLÓGICO DE AERONÁUTICA Orientações para a Redação A proposta de redação do vestibular do ITA pode ser composta de textos verbais, não verbais (foto ou ilustração,

Leia mais

ENSINO FUNDAMENTAL. Sondagem 2014 6º ANO. Língua Portuguesa

ENSINO FUNDAMENTAL. Sondagem 2014 6º ANO. Língua Portuguesa ENSINO FUNDAMENTAL O processo de sondagem Colégio Sion busca detectar, no aluno, pré-requisitos que possibilitem inseri-lo adequadamente no ano pretendido. As disciplinas de Língua Portuguesa e são os

Leia mais

Colégio Internato dos Carvalhos

Colégio Internato dos Carvalhos Grupo Disciplinar de Línguas Românicas aøväxé wé XÇá ÇÉ fxvâçwöü É Matriz do Teste Intermédio de Português do 12.º ano Ano letivo 2014-2015 Objeto de avaliação INFORMAÇÃO-TESTE de Português 12.º ano (a

Leia mais

ENSINANDO A ESCREVER: O GÊNERO CARTA DO LEITOR EM QUESTÃO

ENSINANDO A ESCREVER: O GÊNERO CARTA DO LEITOR EM QUESTÃO ENSINANDO A ESCREVER: O GÊNERO CARTA DO LEITOR EM QUESTÃO Mônica Farias de Vasconcelos OLIVEIRA (UEPB) E-mail: monica06farias@gmail.com. Clara Regina Rodrigues de SOUZA (UFCG/ POSLE/ UEPB) E-mail: clararegina.r.s@gmail.com.

Leia mais

a) Dê o domínio da função f(x) = 2 + 3x Resolva a inequação: 1 x Resolução a) O domínio da função f definida por x 1 é o conjunto de todos os

a) Dê o domínio da função f(x) = 2 + 3x Resolva a inequação: 1 x Resolução a) O domínio da função f definida por x 1 é o conjunto de todos os MATEMÁTICA 1 a) Dê o domínio da função f(x) = x 1. x 7x + 1 b) + 3x Resolva a inequação: 1 x 4. a) O domínio da função f definida por f(x) = x 1 é o conjunto de todos os x 7x + 1 x 1 números reais tais

Leia mais

APRENDER A ESCREVER. Como ajudar as crianças a se alfabetizar no início da vida escola

APRENDER A ESCREVER. Como ajudar as crianças a se alfabetizar no início da vida escola http://luizsoaresdecassia.blogspot.com.br APRENDER A ESCREVER Como ajudar as crianças a se alfabetizar no início da vida escola Todos os anos, milhares de meninos e meninas do ensino fundamental de todo

Leia mais

Nada a Ver. Nunca entenderei muito bem por que os pássaros são considerados símbolos de despreocupação,

Nada a Ver. Nunca entenderei muito bem por que os pássaros são considerados símbolos de despreocupação, Parte I: Língua Portuguesa Texto I Universidade Federal Fluminense Nada a Ver 5 10 Nunca entendi muito bem por que os pássaros são considerados símbolos de despreocupação, Não conheço um passarinho que

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Médio

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Médio Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Médio Etec PROFESSOR MASSUYUKI KAWANO Código: 136 Município: TUPÃ Área de conhecimento: LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS Componente Curricular: LÍNGUA ESTRANGEIRA

Leia mais

Análise textual com o programa ALCESTE: uma aplicação em pesquisa de representações sociais no campo da política

Análise textual com o programa ALCESTE: uma aplicação em pesquisa de representações sociais no campo da política Análise textual com o programa ALCESTE: uma aplicação em pesquisa de representações sociais no campo da política Carolina Fernandes Pombo-de-Barros Este texto integra o material Caminhos para análise de

Leia mais

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA Professor, nós, da Editora Moderna, temos como propósito uma educação de qualidade, que respeita as particularidades de todo o país. Desta maneira, o apoio ao

Leia mais

MEMÓRIAS DE UM SARGENTO DE MILÍCIAS E SUAS ADAPTAÇÕES

MEMÓRIAS DE UM SARGENTO DE MILÍCIAS E SUAS ADAPTAÇÕES MEMÓRIAS DE UM SARGENTO DE MILÍCIAS E SUAS ADAPTAÇÕES Simone de Souza Burguês (PIBIC/CNPq-UEM), Mirian Hisae Yaegashi Zappone (Orientadora), e-mail: mirianzappone@gmail.com Universidade Estadual de Maringá/Departamento

Leia mais

Escola Secundária Dr. João Manuel da Costa Delgado

Escola Secundária Dr. João Manuel da Costa Delgado Escola Secundária Dr. João Manuel da Costa Delgado Informação - Prova de Equivalência à Frequência Formação: Específica Inglês (cont.) 12º Ano Código 358 2015 1 - Introdução: O presente documento visa

Leia mais

2.º Ciclo do Ensino Básico (Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho)

2.º Ciclo do Ensino Básico (Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho) AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALMANCIL (145142) Prova de equivalência à frequência de Inglês (Prova escrita e oral) 1.ª e 2.ª Fases 2.º Ciclo do Ensino Básico (Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho) As informações

Leia mais

PROJETO SALA DE REDAÇÃO

PROJETO SALA DE REDAÇÃO PROJETO SALA DE REDAÇÃO Eliane Teresinha da Silva Acadêmica do Curso de Letras Português e Literaturas UAB Restinga Seca/UFSM Gláucia Josiele Cardoso Acadêmica do Curso de Letras Português e Literaturas

Leia mais

Informação Prova de Equivalência à Frequência - 2014. Agrupamento de Escolas de ANTÓNIO NOBRE. DISCIPLINA: Inglês CÓDIGO DA PROVA: 358

Informação Prova de Equivalência à Frequência - 2014. Agrupamento de Escolas de ANTÓNIO NOBRE. DISCIPLINA: Inglês CÓDIGO DA PROVA: 358 DISCIPLINA: Inglês CÓDIGO DA PROVA: 358 CICLO: Secundário ANO DE ESCOLARIDADE: 12º Introdução O presente documento visa divulgar as características da prova de exame de equivalência à frequência da disciplina

Leia mais

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA LOGOTIPO MACMILLAN BRASIL Utilização colorido; preto/branco e negativo Professor, nós, da Editora Moderna, temos como propósito uma educação de qualidade, que

Leia mais

LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS 2º ENSINO MÉDIO

LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS 2º ENSINO MÉDIO LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS 2º ENSINO MÉDIO Leia a charge a seguir e responda as questões 01, 02 e 03 propostas. Disponível em: .

Leia mais

* Tempo = 45minutos Grupo 300 Página 1 de 8

* Tempo = 45minutos Grupo 300 Página 1 de 8 Conteúdos Objectivos/Competências a desenvolver Tempo* Estratégias Recursos Avaliação Apresentação: Turma e professor Programa Critérios de avaliação Normas de funcionamento Conhecer os elementos que constituem

Leia mais

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA LOGOTIPO MACMILLAN BRASIL Utilização colorido; preto/branco e negativo Professor, nós, da Editora Moderna, temos como propósito uma educação de qualidade, que

Leia mais

Português Abril 2015

Português Abril 2015 Direção Geral de Estabelecimentos Escolares AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PÓVOA DE LANHOSO - 150915 Informação Prova Final de ciclo a nível de escola Português Abril 2015 Prova 81/ 2015 3.º Ciclo do Ensino

Leia mais

Processo Seletivo 2015-1 RV Vestibular de Acesso aos Cursos ENGENHARIA

Processo Seletivo 2015-1 RV Vestibular de Acesso aos Cursos ENGENHARIA Processo Seletivo 2015-1 RV Vestibular de Acesso aos Cursos ENGENHARIA LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES 1 - A duração da prova é de 3 horas, já incluído o tempo de preenchimento do cartão de respostas e

Leia mais

INGLÊS cont. Código 367 abril 2015

INGLÊS cont. Código 367 abril 2015 Direção Regional de Educação do Norte AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PÓVOA DE LANHOSO - 150915 PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA INGLÊS cont. Código 367 abril 2015 11º Ano de escolaridade (Decreto Lei 139/

Leia mais

CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO 3º ANO (1º CICLO) PORTUGUÊS

CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO 3º ANO (1º CICLO) PORTUGUÊS CRTÉRO EPECÍCO DE AVALAÇÃO 3º ANO (1º CCLO) PORTUGUÊ DOMÍNO OJETVO DECRTORE DE DEEMPENHO MENÇÕE Oralidade 1. Escutar para aprender e construir conhecimentos 2. Produzir um discurso oral com correção 3.

Leia mais

Marcos de Aprendizagem de Língua Inglesa

Marcos de Aprendizagem de Língua Inglesa PREFEITURA MUNICIPAL DE SALVADOR Secretaria Municipal da Educação e Cultura SMEC Coordenação de Ensino e Apoio Pedagógico CENAP Marcos de Aprendizagem de Língua Inglesa Ciclo de Aprendizagem I e II MARCOS

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA PRODUÇÃO DE TEXTOS DO JORNAL REPORTAGEM RESENHA CRÍTICA TEXTO DE OPINIÃO CARTA DE LEITOR EDITORIAL

ORIENTAÇÕES PARA PRODUÇÃO DE TEXTOS DO JORNAL REPORTAGEM RESENHA CRÍTICA TEXTO DE OPINIÃO CARTA DE LEITOR EDITORIAL ORIENTAÇÕES PARA PRODUÇÃO DE TEXTOS DO JORNAL REPORTAGEM RESENHA CRÍTICA TEXTO DE OPINIÃO CARTA DE LEITOR EDITORIAL ORIENTAÇÕES PARA OS GRUPOS QUE ESTÃO PRODUZINDO UMA: REPORTAGEM Tipos de Textos Características

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ COORDENADORIA DE CONCURSOS CCV

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ COORDENADORIA DE CONCURSOS CCV Questão: 02 A questão 02 aborda compreensão leitora. A alternativa correta é a (C), que afirma que o SMS, apesar de barato, perde mercado para programas como Viber. No trecho Uma mensagem pode não custar

Leia mais

Gênero Textual Resumo

Gênero Textual Resumo ASSESSORIA DE EDUCAÇÃO PROVÍNCIA DO PARANÁ Gênero Textual Resumo Prof. Eliana Martens O Resumo Resumo nada mais é do que um texto reduzido a seus tópicos principais, sem a presença de comentários ou julgamentos.

Leia mais

EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM PORTUGUESA DE LÍNGUA. Anos Iniciais do Ensino Fundamental (1º ao 5º ano) MARÇO

EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM PORTUGUESA DE LÍNGUA. Anos Iniciais do Ensino Fundamental (1º ao 5º ano) MARÇO EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM DE LÍNGUA PORTUGUESA MARÇO 2013 Expectativas de Aprendizagem de Língua Portuguesa dos anos iniciais do Ensino Fundamental 1º ao 5º ano Anos Iniciais do Ensino Fundamental (1º

Leia mais

Objetivos de Aprofundamento:

Objetivos de Aprofundamento: OBJETIVOS 1 o TRIMESTRE 2013 6 os ANOS LÍNGUA PORTUGUESA Interpretar os diversos gêneros textuais (conto, poema, história em quadrinhos e anedota), identificando os mecanismos estruturais da narrativa.

Leia mais

Por uma pedagogia da juventude

Por uma pedagogia da juventude Por uma pedagogia da juventude Juarez Dayrell * Uma reflexão sobre a questão do projeto de vida no âmbito da juventude e o papel da escola nesse processo, exige primeiramente o esclarecimento do que se

Leia mais

PROVA BIMESTRAL Língua portuguesa

PROVA BIMESTRAL Língua portuguesa 9 o ano 1 o bimestre PROVA BIMESTRAL Língua portuguesa Escola: Nome: Turma: n o : Responda às questões 1, 2 e 3, após a leitura de um fragmento do texto Homem no mar, de Rubem Braga. De minha varanda vejo,

Leia mais

Cadernos do CNLF, Vol. XVII, Nº 04. Rio de Janeiro: CiFEFiL, 2013.

Cadernos do CNLF, Vol. XVII, Nº 04. Rio de Janeiro: CiFEFiL, 2013. 122 Círculo Fluminense de Estudos Filológicos e Linguísticos LER, ESCREVER E REESCREVER NO ENSINO MÉDIO POR MEIO DOS CLÁSSICOS DA LITERATURA BRASILEIRA José Enildo Elias Bezerra (IFAP) enildoelias@yahoo.com.br

Leia mais

1 A Internet e sua relação com a linguagem na atualidade: algumas informações introdutórias

1 A Internet e sua relação com a linguagem na atualidade: algumas informações introdutórias 1 A Internet e sua relação com a linguagem na atualidade: algumas informações introdutórias Objetivamos, com esse trabalho, apresentar um estudo dos processos de importação lexical do português que ocorrem

Leia mais

Content Area Grade Quarter Língua Portuguesa 6ª Serie Unidade I

Content Area Grade Quarter Língua Portuguesa 6ª Serie Unidade I Content Area Grade Quarter Língua 6ª Serie Unidade I Texto: parágrafos: descritivo/comparativo; reconto; resenha crítica, anedota, cartum, revista em quadrinhos Linguística: comunicação: elementos/códigos;

Leia mais

SIMULADO DE PORTUGUÊS

SIMULADO DE PORTUGUÊS SIMULADO DE PORTUGUÊS Professora: Fabyana Muniz Texto I O desafio da qualidade É uma conquista civilizatória para o Brasil ter a imensa maioria das crianças em idade escolar com acesso às salas de aula,

Leia mais

Como escrever um bom Relato de Experiência em Implantação de Sistema de Informações de Custos no setor público. Profa. Msc. Leila Márcia Elias

Como escrever um bom Relato de Experiência em Implantação de Sistema de Informações de Custos no setor público. Profa. Msc. Leila Márcia Elias Como escrever um bom Relato de Experiência em Implantação de Sistema de Informações de Custos no setor público O que é Relato de Experiência? Faz parte dos gêneros pertencentes ao domínio social da memorização

Leia mais

Língua Portuguesa RESOLUÇÃO

Língua Portuguesa RESOLUÇÃO PROCESSO SELETIVO/2009 CADERNO 2 Respostas da 2. a Fase Língua Portuguesa RESOLUÇÃO FGVS-2.ªFase/2.ºCad-Língua Portuguesa-Resolução-manhã 2 LÍNGUA PORTUGUESA Leia o texto para responder às questões de

Leia mais

PROPOSTA PEDAGÓGICA. Elaborada por Ana Carolina Carvalho

PROPOSTA PEDAGÓGICA. Elaborada por Ana Carolina Carvalho PROPOSTA PEDAGÓGICA Elaborada por Ana Carolina Carvalho PROPOSTA PEDAGÓGICA Crianças do Brasil Suas histórias, seus brinquedos, seus sonhos elaborada por ANA CAROLINA CARVALHO livro de JOSÉ SANTOS ilustrações

Leia mais

(Nos termos do Despacho Normativo 6-A/2015, de 5 de março)

(Nos termos do Despacho Normativo 6-A/2015, de 5 de março) Código: 345921 Escola Básica e Secundária de Melgaço Sede do Agrupamento de Escolas de Melgaço INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA 10 E 11º ANOS DE ESCOLARIDADE INGLÊS (Nos termos do Despacho

Leia mais

Trabalhando a convivência a partir da transversalidade

Trabalhando a convivência a partir da transversalidade PROGRAMA ÉTICA E CIDADANIA construindo valores na escola e na sociedade Trabalhando a convivência a partir da transversalidade Cristina Satiê de Oliveira Pátaro 1 Ricardo Fernandes Pátaro 2 Já há alguns

Leia mais

Prova Escrita + Oral de Inglês

Prova Escrita + Oral de Inglês Informação-Prova de Equivalência à Frequência Prova Escrita + Oral de Inglês Prova 367 2015 11º Ano de Escolaridade Duração da Prova: 90 minutos (sem tolerância); Oral: 25 minutos Decreto-Lei n.º 139/2012,

Leia mais

ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO: TECENDO RELAÇÕES COM O PENSAMENTO DE PAULO FREIRE

ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO: TECENDO RELAÇÕES COM O PENSAMENTO DE PAULO FREIRE ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO: TECENDO RELAÇÕES COM O PENSAMENTO DE PAULO FREIRE Marcia Aparecida Alferes 1 Resumo O presente texto pretende refletir sobre a definição dos conceitos de alfabetização e letramento,

Leia mais

O letramento a partir da oralidade e do uso de gêneros textuais no Ensino Fundamental

O letramento a partir da oralidade e do uso de gêneros textuais no Ensino Fundamental O letramento a partir da oralidade e do uso de gêneros textuais no Ensino Fundamental Rosangela Balmant; Universidade do Sagrado Coração de Jesus- Bauru-SP. rosangelabalmant@hotmail.com Gislaine Rossler

Leia mais

DISCIPLINA: LINGUA PORTUGUESA

DISCIPLINA: LINGUA PORTUGUESA DISCIPLINA: LINGUA PORTUGUESA EMENTA: A Língua Portuguesa priorizará os conteúdos estruturantes (ouvir, falar, ler e escrever) tendo como fundamentação teórica o sociointeracionismo. APRESENTAÇÃO DA DISCIPLINA

Leia mais