CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS FACULDADE DE PRESIDENTE PRUDENTE - FAPEPE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS FACULDADE DE PRESIDENTE PRUDENTE - FAPEPE"

Transcrição

1 PROJETO PEDAGÓGICO CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS FACULDADE DE PRESIDENTE PRUDENTE - FAPEPE Presidente Prudente

2 1. REGIÃO ADMINISTRATIVA DE PRESIDENTE PRUDENTE 1.1. INSERÇÃO REGIONAL O Município de Presidente Prudente é sede de sua Região Administrativa (RA), sendo considerado um centro industrial e comercial da região. Segundo dados da Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo, a Região Administrativa de Presidente Prudente responde por 18% da produção estadual total de carne bovina, sendo ainda a maior exportadora nacional desse produto, e gera cerca de 28% da energia hidráulica do estado. No setor industrial, a cidade vem se destacando na fabricação de alimentos e bebidas. A presença de usinas de cana-de-açúcar contribui para a importância regional na fabricação e refino de petróleo e álcool. Por este motivo, a região vem se destacando também no agronegócio, tanto na produção de cana-de-açúcar, como também na produção de ovos e na indústria de couro. Considerando ainda a geração de empregos, dados da Fundação Seade indicam um crescimento na indústria de confecção de vestuário e acessórios INDICADORES SOCIOECONÔMICOS A RA de Presidente Prudente é formada por 53 municípios ocupando 9,6% do território do Estado de São Paulo. Possui cerca de 814 mil habitantes, o que equivale a 2,1% da população estadual, sendo o município de Presidente Prudente o mais populoso com 24,5% dos habitantes da região. As taxas de crescimento populacional da região estão em torno de 0,8% ao ano e são as menores do Estado. De acordo com dados da Fundação Seade, a RA de Presidente Prudente tem a segunda menor densidade demográfica de Estado, com 34 habitantes por quilômetro quadrado, sendo que Presidente Prudente ostenta taxas acima de 100 habitantes por quilômetro quadrado. Em relação a taxa de urbanização, apenas 86,4% da população reside em área urbana, que é a terceira menor taxa do Estado. Entretanto, no município de Presidente Prudente, esta taxa chega a cerca de 98,1%. A população de sexo feminino é predominante na região, sendo de 98,9 homens para cada grupo de 100 mulheres, embora em 70% dos municípios (cerda de 37 municípios) a população seja majoritariamente masculina. Em relação aos indicadores educacionais, a RA de Presidente Prudente tem melhorado de forma significativamente nos últimos anos, sendo a segunda melhor do Estado ficando atrás apenas da RA de Araçatuba. No que diz respeito a faixa etária da população, a RA de Presidente Prudente vem sofrendo alterações relevantes a partir de 2004, apresentando uma estrutura etária ligeiramente mais envelhecida com a seguinte estrutura: menores de 15 anos: 23,3% da população; de 15 a 24 anos: 18,1%; 25 a 59 anos: 46,5%; e idosos: 12,1%. Na região, observou-se o seguinte comportamento das variáveis que compõem a dimensão riqueza: o consumo anual de energia elétrica por ligação no comércio, na agricultura e nos serviços cresceu de 6,3 MW para 6,6 MW, sendo a média do Estado de 15,4 MW; o consumo de energia elétrica por ligação residencial aumentou de 1,7 MW para 1,8 MW, enquanto a média do Estado foi de 2,2 MW; o rendimento médio do emprego formal sofreu pequena queda, passando R$ 784 para R$ 767, e a média do Estado correspondeu a R$ 1.277;

3 o valor adicionado fiscal per capita reduziu-se, de R$6.354 para R$ 5.601, sendo a média do Estado de R$ JUSTIFICATIVA SOCIAL DO CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS Com o crescimento econômico na região, há a necessidade de profissionais capacitados em serviços de planejamento/controle contábil e financeiro, de produção e custos, escrita fiscal, contabilidade rural e, além disso, com conhecimentos relacionados aos impactos sócio-ambientais que acompanham o desenvolvimento econômico. Observando o crescimento do agronegócio na região e, consequentemente, de outros ramos de atividade, se faz necessário formar e capacitar profissionais para atender a esta nova demanda, oferecendo a população Presidente Prudente e Região ensino de qualidade, com responsabilidade social e ética. 2. A FACULDADE DE PRESIDENTE PRUDENTE - FAPEPE 2.1. A MANTENEDORA A Faculdade de Presidente Prudente FAPEPE é mantida pelo Instituto Educacional do Estado de São Paulo IESP, com sede na Rua Conselheiro Crispiniano, 116, complemento 120/124, Centro, São Paulo SP, inscrito no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica CNPJ sob o nº / , registrado no 1º Cartório Oficial de Registro de Títulos e Documentos e Civil de Pessoa Jurídica. O IESP foi fundado em 20 de setembro de 1969 e assumiu a FAPEPE em 16 de novembro de 2009, por meio de processo de transferência de mantença autorizado pela Portaria nº de 13 de novembro de FACULDADE DE PRESIDENTE PRUDENTE FAPEPE HISTÓRICO Fundada em 08 de maio de 2000, nasceu da iniciativa de contribuir para a formação de profissionais e especialistas nas diferentes áreas de conhecimento, oferecendo cursos com diferencial que agreguem dinâmica ao mercado de trabalho e atendam às necessidades da sociedade. Com essa visão, o mantenedor de outras instituições educacionais, José Fernando Pinto da Costa, vislumbrou em Presidente Prudente um pólo capaz de absorver o fortalecimento educacional. Em parceria com os empresários Sérgio do Nascimento Silva, Danilo Nascimento Silva, Silvio Camarini e Aparecida Maria Clapis de Paula constituíram o grupo de mantenedores que buscam ampliar seus horizontes através de novos desafios e conquistas. Começa assim a história da IESPP, que iniciou as suas atividades com o curso MBA Executivo em outubro de 2000, sob a coordenação do prof. e Dr.Takeshy Tachizawa (USP).

4 Em maio de 2001 foi autorizada a Faculdade de Presidente Prudente-FAPEPE, mantida pela IESPP, criada para proporcionar a formação profissional com atendimento às demandas do mercado de trabalho, objetivando um conjunto de princípios em direção à qualidade do ensino superior; hoje denominada UNIESP - Faculdade de Presidente Prudente. Em seu primeiro ano de funcionamento, a FAPEPE obteve autorização para a abertura de 05 cursos e desde então apresenta um aumento crescente de cursos e quantidade de alunos matriculados, o que levou a mantenedora a iniciar em 2005 a construção da atual sede, que atualmente oferece os seguintes cursos: CURSO Administração Ciências Biológicas Ciências Contábeis Comunicação Social Jornalismo Comunicação Social Publicidade e Propaganda Design de Moda Direito Educação Física Enfermagem Engenharia Ambiental e Sanitária Engenharia Civil Engenharia de Produção Física Letras Matemática Pedagogia Química Secretariado Executivo Serviço Social Sistemas de Informação Turismo Quadro 01 - Relação de cursos por ordem de data de autorização SITUAÇÃO Reconhecido Autorizado Reconhecido Reconhecido Reconhecido Reconhecido Reconhecido Reconhecido Autorizado Autorizado Autorizado Autorizado Autorizado Reconhecido Autorizado Reconhecido Autorizado Reconhecido Reconhecido Reconhecido Reconhecido

5 Paralelo à evolução da estrutura física e acadêmica, com ampliação da estrutura e oferecimento de novos cursos adequados à demanda regional, a faculdade investiu na criação de órgãos e departamentos com o objetivo de melhorias na qualidade do ensino, como: NUCLEOS DE APOIO Pesquisa e Extensão Apoio Didático Pedagógico Apoio Psicológico Prática Jurídica Pesquisa, Graduação em Turismo Empresa Junior Revista Saber Acadêmico Atividades Complementares e Estágio Atendimento Social Representação Estudantil Quadro 02 Relação de departamentos e órgãos de apoio acadêmico MISSÃO E VISÃO DA FAPEPE MISSÃO Formar profissionais objetivando a inserção social, com valores e princípios éticos, senso de justiça e igualdade, capazes de exercer a cidadania em sua plenitude PRINCÍPIOS E OBJETIVOS DA FAPEPE A FAPEPE, por ser uma instituição relativamente nova, em fase de desenvolvimento e estruturação, seu principal objetivo reside em alcançar um salto qualitativo necessário para se firmar como uma instituição solidamente reconhecida e posicionar-se entre as melhores instituições de ensino superior do Estado de São Paulo. Além disso, a Faculdade de Presidente Prudente tem por objetivo constante o aprimoramento da qualidade de ensino procura, através de iniciativas para incrementar sua infra-estrutura e seus espaços físicos, privilegiar o aprendizado e o fortalecimento de uma metodologia consolidada na vivência profissional, que busca habilitar o acadêmico para novos desafios e conquistas em suas carreiras DIRIGENTES DA FAPEPE Presidente: José Fernando Pinto da Costa Vice-Presidente: Claudia Aparecida Pereira

6 DEPARTAMENTO Diretoria Geral Assistente de Diretoria Pesquisadora Institucional Secretaria Acadêmica Tesouraria Projetos Sociais Biblioteca Informática Comunicação Recursos Humanos Apoio Coordenadores RESPONSÁVEL Maria Helena de Carvalho e Silva Bueno Lizete Vara de Aquino Servantes Fabiana Alessandra Sueko Tsunoda Dayara Cristina Bobatto Demarchi Junior Cesar Silva Daniele Cano das Neves Silvia Cristiane de Paiva Rodrigo Ferreira Capistano Lilian Regina Moreira Gualda Rosangela Aparecida Coelho de Oliveira Ana Lucia Ávila Augusto 3. CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS Conforma já destacado anteriormente, com o crescimento econômico na RA de Presidente Prudente, há a necessidade de profissionais capacitados em serviços de planejamento/controle contábil e financeiro, de produção e custos, escrita fiscal, contabilidade rural e, além disso, com conhecimentos relacionados aos impactos sócio-ambientais que acompanham o desenvolvimento econômico, não descuidando das características regionais HABILITAÇÃO E REGULAMENTÇÃO DA PROFISSÃO A profissão de Contador é regulamentada pelo Decreto-Lei nº de 25 de março de 1946 e pelo Conselho Federal de Contabilidade CFC através da Resolução CFC 560/83 de 28 de outubro de O Contador, para exercer a profissão, deve ter seu registro no CFC através dos Conselhos Regionais de Contabilidade CRC, conforme exigido pela Resolução CFC 1167/09 de 27 de março de DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS

7 4. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO Identificação Curso: Bacharelado em Ciências Contábeis Regime Acadêmico: Seriado Período: Semestral Total anual de vagas: 100 Tempo mínimo de integralização: 4 anos Temo máximo de integralização: 7 anos Forma de ingresso: Processo seletivo organizado 5. OBJETIVOS DO CURSO Gerais Pretende-se encarar o problema do ponto de vista da realidade existencial concreta de nossa população. O homem deverá saber tirar proveito das possibilidades da situação, a fim de nada destruir, mas que tenha competências e habilidades para usar e ampliar o que o meio ambiente lhe oferece. O Curso de Graduação em Ciências Contábeis da FAPEPE pretende imprimir ações que conduzam à modernidade, visando a uma formação especial, possibilitando a atuação dos futuros contadores nos diversos campos da vida social e produtiva. Para tanto, o curso viabiliza minimamente: A aquisição dos princípios teóricos metodológicos que estão na base da Ciência Contábil e da tecnologia contemporânea; O domínio de formas tecnológicas que permitam o exercício da função contábil; O domínio dos códigos das formas correntes de comunicação; A apropriação de conteúdos que permitam a compreensão das relações sociais. Específicos O curso de Ciências Contábeis buscará em relação ao educando: Relacionar teoria à prática voltando a teoria (Práxis); Profissionalizar o formando, técnica e eticamente, conforme teorias e práticas mais modernas, segundo os recursos da ciência contábil e tecnológica ao alcance; Desenvolver o espírito de estudo científico da Ciência Contábil que habilite o contador em formação a atuar nas mais exigentes áreas do conhecimento científico; Valorizar a diversidade cultural, proporcionando ao graduando uma visão social aprofundada; Solicitar a participação comunitária na ação educativa; Estimular a criatividade; Atender às necessidades, interesses e expectativas da comunidade. A instituição buscará formar profissionais: Com profunda consciência da realidade em que vão atuar; Com uma adequada fundamentação teórica que lhes permita uma ação coerente; Com uma satisfatória instrumentalização técnica que lhes possibilite uma ação eficaz dentro da sociedade; Com senso ético e social apurado para o encargo;

8 Com proficiência e habilidades conceituais suficientes para bem representar a classe. 6. PERFIL DO EGRESSO Fundamentalmente, o profissional das Ciências Contábeis deve estar motivado para adquirir e acumular conhecimentos e habilidades para o exercício das atividades em sua área de atuação. A motivação reflete vocação, mas a sócio-ambiência também influencia, quer por urgência existencial em ter uma profissão, quer em decorrência de uma filosofia educacional. O profissional das Ciências Contábeis precisa adquirir conhecimentos sobre a forma como se apresentam os fatos econômico-financeiros das empresas em geral. Contando com esse conhecimento, precisará de capacitação para analisar os documentos sob os quais aqueles fatos ocorrem, bem como os ordenar, reunir e tratar, graças ao acervo racional e técnico da sistemática de contas, além de uma orientação voltada para três finalidades: 1. Gerar os dados básicos para o cálculo econômico-financeiro, sem o qual todo empreendimento sequer se origina; 2. Atender às relações entre Mercado e Estado, de tal modo que, antecipadamente, cada fato econômico-financeiro interno à empresa se coaduna com a regulação vigente que lhe diz respeito; e, 3. Sinalizar, tempestivamente, tendências dos fatos econômico-financeiros internos aos empreendimentos, tendo em vista a contínua viabilização destes, inclusive em confronto com tendências do mercado. No Estado de São Paulo, as finalidades acima referenciadas, ainda costumam ocorrer dominantemente em seu conjunto, exigindo menos especialização e maior abrangência dos conhecimentos e habilidades. O perfil desejado do formando em Ciências Contábeis estará voltado para formação de um profissional com responsabilidade social e com grande capacidade de atuação técnica instrumental, sempre articulada com outros ramos do saber, para possibilitar ao egresso habilidades e competências multidisciplinares e interdisciplinares COMPETÊNCIAS E HABILIDADES Baseando-se no que dispõem as Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Graduação em Ciências Contábeis (Conselho Nacional de Educação, 2004), ao final do Curso de Graduação em Ciências Contábeis da FAPEPE, o graduado terá desenvolvido e será capaz, a partir das competências e habilidades adquiridas, de: Utilizar adequadamente a terminologia e a linguagem próprias das Ciências Contábeis e Atuariais; Demonstrar uma visão sistêmica e interdisciplinar da atividade contábil; Elaborar pareceres e relatórios que contribuam para o desempenho eficiente e eficaz de seus usuários, quaisquer que sejam os modelos organizacionais; Aplicar adequadamente a legislação inerente às funções contábeis; Desenvolver, com motivação e por meio permanente, a liderança entre equipes multidisciplinares para a captação de insumos necessários aos controles técnicos, à geração e disseminação de informações contábeis, com reconhecido nível de precisão;

9 Exercer suas funções com expressivo domínio das funções contábeis e atuarias que viabilizem aos agentes econômicos e aos administradores de qualquer segmento produtivo ou institucional o pleno cumprimento da sua responsabilidade quanto ao gerenciamento, aos controles e à prestação de contas da sua gestão perante à sociedade, gerando também informações para a tomada de decisão, organização de atitudes e construção de valores orientados para a cidadania; Desenvolver, analisar e implantar sistemas de informação contábil e de controle gerencial; Exercer com ética, proficiência e responsabilidade social e ambiental as atribuições e prerrogativas que lhe são prescritas por meio da legislação específica, revelando domínios adequados aos diferentes modelos organizacionais. 7. METODOLOGIA E CONCEPÇÃO DIDÁTICO-PEDAGÓGICA As Instituições de Educação Superior do Brasil têm sido cobradas e interpeladas a se inserir nas contradições do sistema social, sem, contudo, conseguir o amadurecimento necessário para uma atuação mais eficaz. Estando inseridas numa sociedade de desenvolvimento desigual, cresce a especulação financeira e seus ganhos e a miséria generalizada por todo o País. Carentes de recursos humanos qualificados e de lideranças capazes de atuarem como agentes de mudança, as Instituições de Educação Superior necessitam de uma análise crítica que as conduza ao diagnóstico de suas necessidades e a um projeto que estabeleça as suas prioridades estratégicas de mudanças. Uma instituição de Educação Superior deve ter, ao lado de seu caráter acadêmico, de sua procura do saber, do desejo de promover a criatividade, uma função explícita de colaboradora do desenvolvimento e da solução dos problemas nacionais. Sua preocupação deve ser a de produzir modelos de desenvolvimento baseados em valores humanos novos, voltados para problemas da realidade. Um professor, para o século XXI deve compreender os processos de globalização, as mudanças mais amplas no plano internacional dentro das quais os destinos do país são traçados. Além disso, ela precisa ter como função básica, a crítica, fazendo da sala de aula um local para o questionamento dos valores e pressupostos anteriormente adquiridos, transformando seus alunos e professores em agentes de mudança. Dessa maneira, ela assumirá um papel direto e ativo na condução de projetos que realmente transformem o espaço social em que está inserida e promovam o seu desenvolvimento. É pertinente diferenciar os conceitos de multidisciplinaridade, Pluridisciplinaridade, interdisciplinaridade e transdisciplinaridade, como o fez Ari Paulo Jantsch, apud Manoel Gomes Tubino (1997, p.33-34): Multidisciplinaridade: Conjunto de disciplinas propostas ao mesmo tempo, sem valorização das relações existentes entre eles. Pluridisciplinaridade: Justaposição de disciplinas no mesmo nível hierárquico, agrupadas por temas. Interdisciplinaridade: Axiomática comum a um grupo de disciplinas conexas e definidas no nível hierárquico imediatamente superior, introduzindo a noção de finalidade. Transdisciplinaridade: Coordenação de todas as disciplinas e interdisciplinas do sistema de ensino inovado, sobre a base de uma axiomática geral sem limites definidos.

10 Com base nessas concepções é que o projeto pedagógico do curso proposto, prima pela interdisciplinaridade e multidisciplinaridade, que se farão, primeiramente, no respeito e valorização das disciplinas não dogmáticas, que estão estrategicamente distribuídas nos dois primeiros anos do curso, de maneira a permear a formação do aluno. Na orientação para o desenvolvimento de abordagens, atividades e avaliações que devam perpassar por várias disciplinas, e principalmente a busca incessante pelo ensino não compartimentado. O nosso fazer pedagógico supõe o envolvimento do aluno pleno do aluno como coconstrutor de seu conhecimento, como elemento básico da relação ensino aprendizagem, onde a prática, o erro, o desafio serão um constante estimulo à busca do conhecimento. Aliaremos a todo conhecimento teórico à pratica, visando a integralização dos diversos ramos do saber, como constitutivos do saber global. Haverá uma atuação marcante do Assistente Pedagógico na promoção da interdisciplinaridade e da multidisciplinaridade, não só através do acompanhamento das atividades e métodos de ensino desenvolvidos em sala de aula, e atividades extra-classe, como no estabelecimento de grupos de estudos e de metodologias da administração. Serão adotadas metodologias modernas e adequadas, ainda que haja a necessidade de investimentos no preparo dos professores na aplicação dessas metodologias. O desafio da IES não será apenas quanto ao corpo docente, mas em grande parte ao corpo discente, que muitas vezes adentra à faculdade com as dificuldades não superadas no Ensino Médio, onde o aluno é apenas receptáculo de informações, e que acredita ser a função do professor a de repassador de conhecimentos. Este aluno será nosso desafio, na medida em que, no curso proposto terá que ser um parceiro do professor, que lhe proporcionará os meios para que o conhecimento teórico e prático seja desvendado. Conciliar os objetivos do perfil do profissional que queremos formar e do professor que desejamos em nossa Instituição, com o projeto pedagógico que queremos desenvolver, é nosso maior desafio. Entretanto, deve-se reconhecer que o projeto está a um passo a frente, na medida em que define claramente o que se deseja, e as formas disponíveis para conseguir. A Instituição deve planejar seu currículo de maneira coerente com os objetivos que se propõe atingir. O Curso terá um conjunto de princípios e idéias básicas que norteiem o comportamento do corpo docente, discente e administrativo. 8. CAMPO DE ATUAÇÃO PROFISSIONAL De acordo com o Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo CRCSP, o bacharel em Ciências Contábeis, que tem sua profissão regulamentada pelo Decreto-Lei n /46 e suas atribuições definidas pela Resolução n. 560/83, do Conselho Federal de Contabilidade, tem mercado de trabalho bastante amplo que oferece muitas oportunidades para uma carreira bem sucedida. Atualmente, a profissão vive um momento áureo onde o Contador pode exercer múltiplas funções como: - Autônomo; - Empresário da Contabilidade; - Auditor Independente, Auditor Interno; - Consultor Tributário; - Controller; - Auditor Fiscal; - Perito Contábil;

11 - Membro de Conselho Fiscal e de Administração; - Árbitro em câmaras especializadas; - Área acadêmica; - Comitês de auditoria; - Membro de entidade de classe; - Executivo. Além disso, é válido ressaltar que onde quer que haja uma empresa pequena, média ou de grande porte, também existirá o Contador. 9. ESTRUTURA CURRICULAR As disciplinas e seus conteúdos do Curso de Graduação em Ciências Contábeis da FAPEPE são considerados neste projeto como meio para o desdobramento do perfil esperado para o formando, e a realização dos objetivos propostos para o desenvolvimento das habilidades requeridas. Considerando a necessidade de o educador evidenciar apropriação e domínio transdisciplinar de conteúdos e informações de diversas áreas do conhecimento, foi proposta uma arquitetura curricular em que se evidencia uma articulação dos saberes Socioculturais, Ambientais e Tecnológicos, Didáticos e Pedagógicos das áreas específicas. Evidencia-se uma preocupação com a prática profissional que será privilegiada ao se intercalar atividades de observação, laboratórios de aprendizagem, trabalhos de campo, produção de materiais didáticos, simulações, etc., com as aulas ministradas pelos docentes, em disciplinas que possibilitem essa integração, sempre observando o que é preconizado pelas Diretrizes Curriculares Nacionais para o curso de graduação em Ciências Contábeis, pela Resolução CNE/CES n.10, de 16 de dezembro de Além disso, existe a integração entre a estrutura curricular do Curso de Graduação em Ciências Contábeis, com o Curso de Graduação em Administração da FAPEPE, no que diz respeito aos três primeiros termos de curso. Nesta integração, as disciplinas de primeiro até o terceiro termo são semelhantes, sendo que no quarto termo ainda existe similaridades de disciplinas, porém com carga horária distinta. Esta integração faz parte da denominada Escola de Negócios da FAPEPE, a qual favorece a possibilidade de completar uma segunda graduação, Administração ou Ciências Contábeis, ao egresso que manifestar este interesse. Assim, o aluno que concluir o Curso de Graduação em Ciências Contábeis da FAPEPE, poderá, se desejar, concluir o Curso de Graduação em Administração em quatro semestres. Outra vantagem da Escola de Negócios, é que facilita e amplia o oferecimento de disciplinas optativas e de atividades complementares, pois dessa forma, o Curso de Graduação em Ciências Contábeis da FAPEPE, oferece flexibilidade e autonomia intelectual possibilitada por um currículo contendo disciplinas optativas, atividades complementares e outras atividades teóricas e práticas, que possibilitam ao aluno trilhar sua trajetória acadêmica de acordo com seus interesses específicos e particulares e sua vocação, buscando sua formação de acordo com suas aptidões. Mais especificamente, estas atividades estão caracterizadas pelas Disciplinas Optativas e Atividades Complementares, previstas na organização curricular do curso proposto. O ensino de libras será ser oferecido como disciplina optativa, tendo em vista que será oferecida de forma obrigatória nos cursos de Pedagogia e de Letras, em atendimento ao Decreto n de 22 de dezembro de 2005.

12 9.1. COMPONENTES CURRICULARES E CARGA HORÁRIA A Matriz Curricular em vigor para Curso de Graduação em Ciências Contábeis da FAPEPE é a seguinte: CARGA HORÁRIA SEMESTRAL COMPONENTES CURRICULARES CH CH Semanal Semestral Total Hora Relógio 1 o SEMESTRE Linguagem e Interpretação de Texto Contabilidade I ,66 Economia Matemática ,66 Teoria Geral da Administração I ,66 PI: Cidadania e Responsabilidade Social 60 SUBTOTAL o SEMESTRE Contabilidade II ,66 Direito Empresarial ,66 Filosofia Sociologia Tecnologia da Informação ,66 Teoria Geral da Administração II ,66 PI: Cidadania e Responsabilidade Social 60 SUBTOTAL O SEMESTRE Contabilidade e Gestão Estratégica de Custos ,66 Organização, Sistemas e Métodos Estatística e Probabilidade ,66 66,66 Ética e Responsabilidade Social Psicologia Organizacional Matemática Financeira ,66 PI: Cidadania e Responsabilidade Social 60 SUBTOTAL o SEMESTRE Sistemas de Informação Gerencial Administração Financeira e Orçamentária I ,66 Gestão Estratégica de Marketing Legislação Tributária e Fiscal ,33 Legislação Trabalhista e Previdenciária ,33 Gestão Estratégica de Pessoas ,33 Teoria Geral da Contabilidade ,66 PI: Cidadania e Responsabilidade Social 60 SUBTOTAL o SEMESTRE Contabilidade Intermediária ,66 Contabilidade Bancária Planejamento e Orçamento Empresarial ,66 Administração Financeira e Orçamentária II ,66 Projeto Interdisciplinar: Plano de Negócios PI: Cidadania e Responsabilidade Social 60 SUBTOTAL o PERÍODO Contabilidade e Orçamento Público Contabilidade Avançada ,66

13 Contabilidade Internacional ,33 Análise das Demonstrações Contábeis ,33 Introdução à Atuária Projeto Interdisciplinar: Empreendedorismo , Optativa I ,33 PI: Cidadania e Responsabilidade Social 60 SUBTOTAL o SEMESTRE Auditoria ,66 Gestão e Análise de Projetos Laboratório Contábil I Optativa II ,33 Pesquisa em Ciências Contábeis ,33 Tópicos Especiais em Contabilidade I PI: Cidadania e Responsabilidade Social 60 SUBTOTAL o SEMESTRE Controladoria ,66 Tópicos Especiais em Contabilidade II Pericia, Avaliação e Arbitragem ,66 Laboratório Contábil II Estudo da Realidade Contemporânea ,33 PI: Cidadania e Responsabilidade Social 60 SUBTOTAL TOTAL Estágio Supervisionado 300 Atividade Complementar 200 Projeto Integrador: Cidadania e Responsabilidade 480 Social TOTAL GERAL DO CURSO Carga Horária Hora aula Hora relógio (1) CH de disciplinas presenciais (2) CH de Estágio Supervisionado 300 (3) CH de Atividades Complementares 200 (4) CH Projeto Integrador 480 Carga horária total do curso (1) + (2) + (3) + (4) Componentes Curriculares Optativos Hora aula semestral Libras 40 Formação de Novos Gestores Comportamento Organizacional 40 Contabilidade Ambiental e Social 40 Comunicação Empresarial 40 Sistemas Integrados e Comércio 40 Negociação 40

14 EMENTÁRIO E BIBLIOGRAFIA 1 SEMESTRE LINGUAGEM E INTERPRETAÇÃO DE TEXTOS Comunicação e linguagem. Comunicação na sociedade e na empresa. Correspondências comerciais. Leitura e interpretação de textos da área administrativa. Redação técnica e acadêmica. Técnicas de redação. Parágrafos narrativos, descritivos e dissertativos. A importância da dissertação e argumentação. Estudo dos recursos lingüísticos da tessitura dos diferentes discursos, com ênfase na leitura e produção de textos. Domínio da oratória, liderança de projetos, congressos e reuniões. Improvisação. Melhora da dicção. Apresentação de seminários, workshops, com didática e dinamismo. Eliminação de branco e cacoetes. Poder de persuasão. Desenvolvimento de marketing pessoal e profissional. Convencimento de públicos difíceis. Objetivos: Capacitar o aluno a ter visão ampla e crítica da sua área de atuação. Aplicar conceitos nocionais sobre texto em suas especificidades diversas e o valor do contexto para sua interpretação. Aplicar conceitos nocionais sobre os recursos lingüísticos utilizados para a composição do texto. Apresentar as tipologias textuais. Proporcionar ao aluno a capacidade de análise crítica dos diversos tipos de textos Bibliografia Básica ABREU, A. S. Curso de redação. 11.ed. São Paulo: Ática, BUIN, E. Aquisição da escrita coerência e coesão. São Paulo: Contexto, HENRIQUES, A. Língua portuguesa: noções básicas para cursos superiores. 4.ed. São Paulo: Atlas, Bibliografia Complementar KOCH, I. Argumentação e linguagem. São Paulo: Cortez, KOCH, I. O texto e a construção dos sentidos. São Paulo: Contexto, KOCH, I.; TRAVAGLIA, L. C. A coerência textual. São Paulo: Contexto, NEVES, M. H. M. A gramática: conhecimento e ensino. In: Língua portuguesa em debate: conhecimento e ensino. AZEREDO, J. C. (org). Petrópolis: Vozes, CONTABILIDADE I Definição de Contabilidade. Objeto e objetivo da contabilidade. Campo de aplicação da contabilidade Usuários da contabilidade. Técnicas contábeis. Aspectos legais e normativos da contabilidade. Estática patrimonial. Dinâmica patrimonial. Procedimentos contábeis. Balanço patrimonial e demonstração de resultados. Fatos contábeis. Operações com mercadorias. Critérios de avaliação dos estoques. Operações financeiras. Contabilidade e aspectos fiscais. Demonstrações contábeis. Análise das demonstrações contábeis (Introdução). Fatos Contábeis. Lançamentos. Relatórios/ demonstrações financeiras. Balanço patrimonial (BP). Demonstração do resultado do exercício (DRE). Objetivos: Capacitar o aluno a ter visão ampla e crítica da sua área de atuação. Bibliografia Básica FRANCO, Hilário. Contabilidade geral. São Paulo: Atlas, IUDÍCIBUS, Sérgio de (coord.) Contabilidade introdutória. 9.ed. São Paulo: Atlas, MARION, J. C. Contabilidade empresarial. 8.ed. São Paulo: Atlas, SILVA, J. P. Análise financeira das empresas. São Paulo: Atlas, Bibliografia Complementar ALBERTO, V. L. P. Perícia contábil. São Paulo: Atlas, CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE. Curso de contabilidade aplicada - 7. São Paulo: Atlas, 1994.

15 FAVERO, H. L. et al. Contabilidade: teoria e prática. 2. ed. São Paulo: Atlas, v. 1 FIPECAPI. Normas e práticas contábeis no Brasil. São Paulo: Atlas, IUDÍCIBUS, S.; MARION, J. C. Curso de contabilidade para não-contadores. 3.ed. São Paulo: Atlas, LEITE, H. P. Contabilidade para administradores. 4.ed. São Paulo: Atlas, MARION, J. C. Contabilidade básica. São Paulo: Atlas, SÁ, A. L. de. Dicionário de contabilidade. São Paulo: Atlas, Princípios fundamentais de contabilidade. São Paulo: Atlas, ECONOMIA Noções preliminares sobre a Ciência Econômica: objetivos e historia da formação dos sistemas e correntes econômicas. A economia como ciência social, conceito, fatores de produção, sistema econômico, agentes econômicos, a tríade básica dos problemas econômicos fundamentais, curvas de possibilidades de produção, sistema de trocas, fundamentos distributivos, ordenamentos institucionais, estruturas e mecanismos de mercado, sistema de trocas internacionais. Conceitos básicos de microeconomia. Introdução à microeconomia. O problema econômico. A empresa no sistema econômico. Setor público. Relações econômicas internacionais. Objetivo: Adequar a realidade da vida econômica ao interior da comunidade acadêmica fazendo o aluno refletir a necessidade de pensar a vida econômica dentro do ambiente empresarial. Fazer com que os alunos compreendam a interação existente entre produtores e consumidores no processo econômico e as variáveis que contribuem para o avanço econômico das organizações. Analisar as diversas estruturas de mercado e o comportamento dos produtores e consumidores. Bibliografia Básica LOPES, J. C., ROSSETTI, J. P. Economia monetária. São Paulo: Atlas, MANKIW, N. Gregory. Introdução à economia: princípios de micro e macroeconomia. Rio de Janeiro: Campus, ROSSETTI, José Paschoal. Introdução à economia. São Paulo: Atlas, 20.ed, VASCONCELLOS, Marco A. S. Fundamentos de economia. São Paulo: Saraiva, WONNACOTT, Paul. Economia. São Paulo: Makron Books, Bibliografia Complementar ARAÚJO, C. R. V. História do pensamento econômico: uma abordagem introdutória. São Paulo: Atlas, CRAWFORD, R. Na era do capital humano. São Paulo: Atlas, FRANCO Jr., H.; CHACON, P. P. História econômica geral. São Paulo: Atlas, FURTADO, C. Formação econômica do Brasil. São Paulo: Saraiva, Síntese da economia brasileira. Rio de Janeiro: LTC, GREMAUD, Amaury P. Economia brasileira contemporânea. São Paulo: Atlas, HUGON, Paul. História das doutrinas econômicas. São Paulo: Atlas, PINHO, Diva B. [org.] Manual de economia: equipe de professores da USP. São Paulo: Saraiva, SANDRONI, P. Dicionário de economia. São Paulo: Best Seller, MATEMÁTICA Noções básicas de cálculos numéricos. Conjuntos. Conjuntos numéricos. Relações e funções. Matrizes, determinantes e sistema linear. Princípios básicos para introdução ao limite de funções (fatoração, potenciação e radiciação). Limites de funções. Derivadas de funções. Objetivos: Desenvolver competências e habilidades matemáticas que permitam conceituar, interpretar, representar matematicamente e solucionar problemas relacionados a contextos econômicos nas mais diversas disciplinas.

16 Bibliografia Básica FLEMMING, Diva M. Cálculo A: funções, limite, derivação, integração. São Paulo: Makron Books, IEZZI, Gelson. Matemática: volume único. São Paulo: Atual, SILVA, Sebastião M. Matemática: para os cursos de Administração, Ciências Contábeis e Economia. São Paulo. Atlas, v.1. DOWLING, E. Elementos de matemática aplicada à administração. São Paulo: McGraw- Hill, ROCHA, L. M. Cálculo 2. São Paulo: Atlas, SILVA, Sebastião M. Matemática: para os cursos de Administração, Ciências Contábeis e Economia. São Paulo. Atlas, v.1. WEBER. J. E. Matemática para Economia e Administração. São Paulo: Harbra Bibliografia Complementar CYSNE, R. P. Curso de matemática para economistas. São Paulo. Atlas, HOFFMANN, L. D.; BRADLEY. G. L. Cálculo: um curso moderno e suas aplicações. Rio de Janeiro. LTC, MORETTIN, Pedro A. Cálculo de uma variável. São Paulo. Atual, ROCHA, L. M. Cálculo 1. São Paulo: Atlas, WEBER. J. E. Matemática para Economia e Administração. São Paulo. Harbra CYSNE, Rubens P. Curso de matemática para economistas. São Paulo. Atlas, FLEMMING, Diva M. Cálculo A: funções, limite, derivação, integração. São Paulo: Makron Books, GONÇALVES, Mírian B. Cálculo B: funções de várias variáveis, integrais, duplas e triplas. São Paulo: Makron Books, HOFFMANN, L. D.; BRADLEY. G. L. Cálculo: um curso moderno e suas aplicações. Rio de Janeiro. LTC, MORETTIN, Pedro A. Cálculo de uma variável. São Paulo. Atual NERY, Chico. Matemática: curso completo. São Paulo: Moderna, 1990 TEORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO I Bases históricas. Abordagens: clássica, humanista, comportamental, organizacional, sistêmica e contigencial. Formas de gestão participativa. Os princípios da administração Objetivos: Proporcionar ao futuro administrador uma ampla visão das teorias administrativas desenvolvidas ao longo da história das organizações, mostrar a utilização das técnicas administrativas, suas influências nas organizações atuais, além de desenvolver no educando a responsabilidade, o caráter e a ética profissional. Bibliografia Básica CHIAVENATO, Idalberto. Introdução à teoria geral da administração. Rio de Janeiro Campos, FAYOL, H. Administração industrial e geral: previsão, organização, comando, coordenação e controle. São Paulo: Atlas, KWASNICKA, E. L. Introdução à administração: uma síntese. São Paulo: Atlas, MAXIMILIANO, Antonio C. A. Teoria geral de administração: da revolução urbana à revolução digital. 3.ed. São Paulo: Atlas, Bibliografia Complementar LODI, J. B. Historia da administração. São Paulo: Pioneira, MAXIMIANO, Antonio C. A Introdução à administração. 5.ed. São Paulo: Atlas, MICHAEL, J. Jucius. Introdução à administração: elementos de ação administrativa. São Paulo: Atlas

17 MOTA, Fernando C. P. Teoria geral da administração: uma introdução. São Paulo: Pioneira, PLANTULLO, Vicente L. Teoria geral da administração: de Taylor às redes neurais. Rio de Janeiro: FGV, TAYLOR, F. W. Princípios de administração científica. São Paulo: Atlas, SEMESTRE CONTABILIDADE II Demonstração dos lucros e prejuízos acumulados (DLPA). Demonstrações das mutações do patrimônio líquido (DMPL). Demonstrações das origens e aplicações de recursos (DOAR). Análise das demonstrações financeiras. Folha de pagamento. Depreciação, amortização e exaustão. Demonstração do fluxo de caixa. Objetivos: Destina-se à formação de profissional que gerencie a organização, tendo oportunidade de desenvolver tarefas nos mais diversos setores econômicos e produtivos do país, bem como a preparação de novos empreendedores e docentes/pesquisadores. Bibliografia Básica FRANCO, H. Contabilidade geral. São Paulo: Atlas, IUDÍCIBUS, Sérgio; MARION, José C. Curso de contabilidade para não-contadores. São Paulo: Atlas, MARION, J. C. Contabilidade básica. 6.ed. São Paulo: Atlas, PINHO, Diva B. [org.]. Manual de economia: equipe de professores da USP. São Paulo: Saraiva, IUDÍCIBUS, Sérgio de (coord.). Contabilidade introdutória. 9.ed. São Paulo: Atlas, FAVERO, H. L. (et al.). Contabilidade: teoria e prática. 2.ed. São Paulo: Atlas, v.1 MARION, J. C. Contabilidade básica. 6.ed. São Paulo: Atlas, Bibliografia Complementar CREPALDI, S. A. Curso básico de contabilidade. São Paulo: Atlas, FIPECAFI. Manual de contabilidade das sociedades por ações: aplicáveis às demais sociedades. 5. ed. São Paulo: Atlas, FRANCO, H. Contabilidade comercial. São Paulo: Atlas, GONÇALVES, E. C, BAPTISTA, A. E. Contabilidade geral. São Paulo: Atlas, LEITE, H. de P. Contabilidade para administradores. São Paulo: Atlas, PADOVEZE, C. L. Manual de contabilidade básica. São Paulo: Atlas, SILVA, J. P. Análise financeira das empresas. São Paulo: Atlas, THEUHERZ, R. M. Análise financeira por objetivos. São Paulo: Pioneira, FIPECAFI. Manual de contabilidade das sociedades por ações: aplicáveis às demais sociedades. 5.ed. São Paulo: Atlas, IUDÍCIBUS, S.; MARION, J. C. Curso de contabilidade para não-contadores. 3.ed. São Paulo: Atlas, LEITE, H. P. Contabilidade para administradores. 4.ed. São Paulo: Atlas, MARION, J. C. Contabilidade empresarial. 8.ed. São Paulo: Atlas, PADOVEZE, C. L. Manual de contabilidade básica. São Paulo: Atlas, DIREITO EMPRESARIAL I Administrador/empresa e administração pública. Legislação básica. Aspectos teóricos e práticos. Novas tendências do direito público frente ao contexto brasileiro e internacional. Direito civil e comercial. Aspectos teóricos e práticos. Relações entre os indivíduos, organizações e nações. Direito civil, Direto Público, Direito Administrativo, Direito Comercial, Direito Internacional, etc. O comerciante e o empresário. O registro do comércio. Direito societário. Direito cambial. Direito falimentar. Direitos Humanos.

18 Objetivos: Preparar o Administrador para atuar junto aos principais problemas ocasionados em sua região, sem, contudo deixar de ter uma visão globalizada dos principais acontecimentos. Possibilitar com que os alunos adquiram conhecimentos sobre as atividades comerciais e desta forma compreendam a importância de certos instrumentos normativos para regulamentar o funcionamento das organizações como um todo. Bibliografia Básica MARTINS, Sérgio Pinto. Instituições de Direito Público e Privado. São Paulo, Editora Atlas. PINHO, Ruy Rebello & NASCIMENTO, Amauri Mascaro. Instituições de Direito Público e Privado. São Paulo, Editora Atlas. COELHO, Fábio Ulhoa. Manual do direito comercial. 17.ed. São Paulo: Saraiva, 2006, 498p. FUHRER, Maximilianus Cláudio Américo. Resumos de direito comercial e empresarial. 36.ed. São Paulo: Malheiros, p. BERTOLDI, Marcelo M. Curso avançado de direito comercial. 2.ed. São Paulo: Editora Revistas dos Tribunais, 2003, 416p. Bibliografia Complementar DINIZ, Maria Helena. Curso de Direito Civil Brasileiro. Volume 1 Teoria Geral do Direito Civil, Editora Saraiva. RODRIGUES, Silvio. Direito Civil. Volume I Parte Geral, Editora Saraiva. SILVA, José Afonso. Curso de Direito Constitucional Positivo, Editora Malheiros; JUNIOR, José Cretella. Elementos de Direito Constitucional. Editora Revista do Tribunal. QUINTANS, Luiz Cezar P. Sociedade empresarial e sociedade simples: teoria e prática empresarial. 2.ed. São Paulo: Editora Freitas Bastos, 2006, 404p. BRASIL. Constituição (1988). Constituição da Republica Federativa do Brasil. São Paulo: Saraiva, GASPARINI, D. Direito administrativo. Rio de Janeiro: Saraiva, MARTINS, Sérgio P. Instituições de direito público e privado. São Paulo: Atlas, NADER, Paulo. Filosofia do direito. Rio de Janeiro: Forense, NEGRÃO, Ricardo. Manual de direito comercial e de empresa. 4.ed. São Paulo: Saraiva, 2006, V. 1, 521p. FILOSOFIA Introdução ao curso e análise do pensamento educacional brasileiro hoje. A filosofia, a formação, valores e objetivos. Como acontecem as mudanças. Conceitos: tecnologia, escola e democracia. Teorias contemporâneas do existencialismo. Ciência e conhecimento político. Objetividade dos valores. Ética da administração, da empresa e do gerente. Cenários novos. Tendências filosóficas. Objetivos: Colocar o aluno a par das reflexões filosóficas dos tempos antigos, medievais, modernos e contemporâneos, possibilitando construir conceitos filosóficos que possam auxiliar ao administrador no que se diz respeito a: ética, conhecimento científico, raciocínio lógico e a capacidade de decisão. Bibliografia Básica ARANHA, M. L. A.; MARTINS, M. H. P. Filosofando: introdução à filosofia. São Paulo: Moderna, CHAUÍ, M., et al. Convite à filosofia. São Paulo: Ática, PRADO Junior, C. O que é filosofia. São Paulo: Brasiliense, REZENDE, A. Curso de filosofia. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, Bibliografia Complementar ABBAGNANO, N. Dicionário de filosofia. São Paulo: Martins Fontes, GAARDE, Jostein. O mundo de Sofia. São Paulo: Cia das Letras, 2002.

19 MORENTE, M. G. Fundamentos da filosofia: lições preliminares. 8.ed. São Paulo: Mestre Jou, OLIVEIRA, Armando M. (et al.). Introdução ao pensamento filosófico. 7.ed. São Paulo: Loyola, SCIACCA, M. F. História da filosofia. São Paulo: Mestre Jou, WEBER, M. A ética protestante e o espírito do capitalismo. São Paulo: Martin Claret, SOCIOLOGIA Conceito e origem da sociologia. A estruturação do mundo moderno. Os impasses da modernização. Classe social. Sociedade de massa. Alienação. Visão histórica das relações de trabalho. Tecnologias modernas e desenvolvimento sócio-econômico. As crises mundiais em função das idéias dominantes. O capitalismo: origem, difusão e impactos na sociedade moderna. A queda do comunismo: globalização. Questões urbanas: crescimento desordenado das cidades, qualidade de vida e violência. Movimentos sociais. Política e relação de poder: participação política e direitos dos cidadãos. Relações Étnico Raciais. Objetivos: Analisar os grandes pensadores sociólogos, sempre mantendo uma posição crítica sobre e sob suas teorias, idéias e sugestões, relacionadas ao trabalho sociológico, além de buscar o conceito de Bom Administrador frente às novas conjunturas políticas e econômicas, tendo como ponto de partida a história e ascensão do capitalismo Bibliografia Básica COSTA, M. C. C. Sociologia: introdução à ciência da sociedade. São Paulo: Moderna, DURKHEIM, E. As regras do método sociológico. São Paulo: Martins Fontes, LAKATOS, Eva Maria. Sociologia geral. São Paulo: Atlas, Bibliografia Complementar BARRACLOUGH, G. Introdução à história contemporânea. Rio de Janeiro: Zahar, BOTTOMORE, T. B. Introdução à sociologia. Rio de Janeiro: LTC, CHAUÍ, Marilena. O que é ideologia. São Paulo: Brasiliense, DEMO, Pedro. Sociologia: uma introdução crítica. São Paulo: Atlas, MANHEIM, K. Ideologia e utopia. Rio de Janeiro: Zahar, MARTINS, C. B. O que e sociologia. São Paulo: Brasiliense, MARX, K. Formações econômicas pré-capitalistas. Rio de Janeiro: Paz e Terra, WEBER, M. A ética protestante e o espírito do capitalismo. São Paulo: Martin Claret, TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Informática: A importância dentro das organizações. Conceitos: Informática, Informação, Computador. O Computador: origem e funcionamento, componentes básicos. Hardware: processadores, memória, dispositivos de E/S. Redes de computadores. Software: categorias, sistemas operacionais, linguagens de aplicação. Processamento de Dados, Banco de Dados. Editor de Textos. Instrumentos e Ferramentas de Trabalho; principais vantagens do uso de ferramentas de editores de texto; manutenção de dados e documentos. Conhecimento de softwares, como: software de Apresentação: criação e manuseio. Objetivos: Envolver o aluno com a área de Informática e suas aplicações no campo da Administração. Situá-lo do valor estratégico que os recursos tecnológicos existentes possuem. Dotá-lo de conhecimentos sobre o computador e como operá-lo. Bibliografia Básica CORNACHIONI Jr., E. B. Informática para as áreas de contabilidade, administração e economia. São Paulo: Atlas, KRAYBAK, Jose. Microsoft Office 2000 para leigos: passo a passo. Rio de Janeiro: Ciência Moderna, MICROSOFT PRESS. Microsoft Access 97: passo a passo. São Paulo: Makron Books, NORTON, Peter. Introdução à informática. São Paulo: Makron Books, 1996.

20 Bibliografia Complementar CLÁUDIO. D. C.; MARINS, J. M. Cálculo numérico computacional: teoria e prática. São Paulo: Atlas, HABERKORN, E. M. O computador na administração de empresas. São Paulo: Atlas, ROSSI, D. R. Microsoft Word 2000: Guia de Consulta Rápida. São Paulo: Novotec, SANTOS, Anna B. C. Treinamento rápido em Microsoft Access São Paulo: Berkely Brasil VELLOSO, F. C. Informática. Rio de Janeiro: Campus, TEORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO II Teorização organizacional. Administração e contexto brasileiro. Teoria da contingência estrutural. Ecologia organizacional. Teoria Institucional. Teoria crítica. Pós-modernismo. Ambientalismo. Abordagens feministas. Objetivos: Fornecer a fundamentação teórica dos diversos modelos administrativos das organizações, propostos pelas Teorias da Administração. Possibilitar com que o discente adquira conhecimento sobre os modelos administrativos e consiga aplicá-los nas organizações em geral. Contribuir para a formação do futuro profissional da área administrativa de modo que este seja capaz de adquirir as habilidades necessárias para a sua atuação no mercado de trabalho. Bibliografia básica CHIAVENATO, Idalberto. Introdução à teoria geral da administração. Rio de Janeiro Campus, FOGEL, S.; SOUZA, C. C. Desenvolvimento organizacional. São Paulo: Atlas, KWASNICKA, Eunice L. Teoria geral da administração: uma síntese. 2.ed. São Paulo: Atlas, Bibliografia Complementar BATEMAN, T. S.; SNELL, S. A. Administração: construindo vantagem competitiva. São Paulo: Atlas, BERGAMINI, Cecilia W. Liderança: administração do sentido. São Paulo: Atlas, CERTO, S. C.; PETER, J. P. São Paulo: Makron, CHIAVENATO, I. Administração: teoria, processo e prática. São Paulo: Atlas, DRUCKER, P. F. 50 casos reais de administração. São Paulo: Pioneira, A nova era da administração. São Paulo: Pioneira, GALBRAITH, J. K. Organizando para competir no futuro. São Paulo: Makron, HOOLEY, G. J. Posicionamento competitivo. São Paulo: Makron, OLIVEIRA, D. P. R. Excelência na administração estratégica: a competitividade para administrar o futuro das empresas. São Paulo: Atlas, SCOOTT, Cynthia D. Empowerment: um guia prático para o sucesso. Rio de Janeiro: Qualitymark, SENGE, P. A quinta disciplina: arte, teoria e prática da organização de aprendizagem. São Paulo: Best Seller, TACHIZAWA, Takeshy. Gestão de negócios: visões dimensões empresariais da organização. São Paulo: Atlas, SEMESTRE CONTABILIDADE E GESTÃO ESTRATÉGICA DE CUSTOS Custos: origem, evolução e objetivos. Terminologia de custos. Esquema básico de contabilidade de custos. Custos nos diversos segmentos econômicos. Sistemas de custos. Formação de preços. Gestão estratégica de custos. Custeio ABC. Novas formas de custeio. Análise do valor.

21 Objetivos: Fornecer embasamento teórico a fim de que os alunos compreendam o papel dos custos na formação de preços, possibilitando com que nas organizações possam utilizá-los como instrumento na tomada de decisão. Bibliografia Básica MARION, José C.; IUDÍCIBUS, S. Curso de contabilidade para não contadores. São Paulo: Atlas, MARTINS, E. Contabilidade de custos. São Paulo: Atlas, SARDINHA, José C. Formação de preço: a arte do negócio. São Paulo: Makron Books, Bibliografia Complementar DUTRA, R. G. Custos: uma abordagem prática. São Paulo: Atlas, LEONE, G. S. G. Curso de contabilidade de custos. São Paulo: Atlas, PEREZ JR, J. H.; OLIVEIRA, L. M.; COSTA, R. G. Gestão estratégica de custos. São Paulo: Atlas, RIBEIRO, Osny M. Contabilidade de custos fácil. 2.ed. São Paulo: Saraiva, ORGANIZAÇÃO, SISTEMAS E MÉTODOS A função de O.S.M. e suas relações no âmbito organizacional. A organização sob o enfoque sistêmico. Os subsistemas técnico e social. Estruturação e reestruturação organizacional. Centralização, descentralização e horizontalização. A estruturação da organização por processos e as novas tendências dos modelos de gestão empresarial. Análise da contingencialidade entre o comportamental e o instrumental. Teorias de O&M. Análise sistêmica do situacional para os processos de mudança, atualização e modernidade. Normas e políticas. Comunicações e informações. Reorganização empresarial. Métodos e práticas administrativas. O analista. Manuais. Formulários. Metodologias para levantamento, análise e prognóstico das organizações (questionário, observação direta, entrevista estudos das cores neurolinguística e grafologia). Estrutura, estratégia, tecnologia, desempenho, processos organizacionais e ambiente externo. Análise organizacional. Objetivos: Possibilitar com que o corpo discente adquira conhecimento da organização, identificando e compreendendo os diferentes métodos de trabalhos, modelos e instrumentos utilizados como mecanismos para se alcançar os objetivos organizacionais. Bibliografia Básica ARAÚJO, Luis C. G. Organização, sistemas e métodos: e as modernas ferramentas de gestão organizacional. São Paulo: Atlas, CURY, A. Organização e métodos: uma visão holística. São Paulo: Atlas, FOGUEL, Sérgio. Desenvolvimento organizacional. São Paulo: Atlas, SCAICO, O.; TACHIZAWA, T. Organização flexível. São Paulo: Atlas, Bibliografia Complementar CHIAVENATO, Idalberto. Administração: teoria, processo e prática. São Paulo: Makron Books, CLEGG, S. R.; HARDY, C.; NORD, W. R. Handbook de estudos organizacionais. São Paulo: Atlas, v.1. CRUZ, T. Sistemas, métodos e processos: administrando organizações por meio de processos de negócios. São Paulo: Atlas, FAYOL, H. Administração industrial e geral: previsão, organização, comando, coordenação. São Paulo: Atlas, MORGAN, G. Imagens das organizações. São Paulo: Atlas, OLIVEIRA, D. P. R. Sistemas, organização e métodos. São Paulo: Atlas, PORTER, M. E. Vantagem competitiva: criando e sustentando um desempenho superior. Rio de Janeiro: Campus, 1989.

Ementário do Curso de Administração Grade 2010-2 1 Administração da Produção I Fase: Carga Horária: Créditos: Ementa:

Ementário do Curso de Administração Grade 2010-2 1 Administração da Produção I Fase: Carga Horária: Créditos: Ementa: 1 da Produção I Ementário do Curso de Introdução à administração da produção; estratégias para definição do sistema de produção; estratégias para o planejamento do arranjo físico; técnicas de organização,

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO 1 CURSO DE EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2010.2 A BRUSQUE (SC) 2014 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 INFORMÁTICA APLICADA À... 4 02 MATEMÁTICA APLICADA À I... 4 03 METODOLOGIA CIENTÍFICA... 4 04 PSICOLOGIA... 5 05

Leia mais

Ementário do Curso de Administração Grade 2008-1 1 Administração da Produção I Fase: Carga Horária: Créditos: Ementa:

Ementário do Curso de Administração Grade 2008-1 1 Administração da Produção I Fase: Carga Horária: Créditos: Ementa: 1 da Produção I Ementário do Curso de Introdução à administração da produção; estratégias para definição do sistema de produção; estratégias para o planejamento do arranjo físico; técnicas de organização,

Leia mais

GRADUAÇÃO CIÊNCIAS CONTÁBEIS DENOMINAÇÃO: CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS

GRADUAÇÃO CIÊNCIAS CONTÁBEIS DENOMINAÇÃO: CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS GRADUAÇÃO CIÊNCIAS CONTÁBEIS CARACTERIZAÇÃO DO CURSO DENOMINAÇÃO: CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS DIPLOMA CONFERIDO: BACHAREL NÚMERO DE VAGAS: 100 VAGAS ANUAIS NÚMERO DE ALUNOS POR TURMA: 50 alunos

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Sem. CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS I II III IV V VI VI I Matriz Curricular válida para os acadêmicos ingressantes

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão. Objetivo Geral. Objetivos Específicos

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão. Objetivo Geral. Objetivos Específicos SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO Curso: CIÊNCIAS CONTÁBEIS Missão A missão do curso é formar profissionais em Ciências Contábeis com elevada competência técnica, crítica, ética e social, capazes de conceber

Leia mais

PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS. (Resumido)

PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS. (Resumido) FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS E ADMINISTRATIVAS DE CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM ES Curso de Administração reconhecido pelo Decreto Federal nº 78.951, publicado no D.O.U. de 16-12-1976 Curso de Ciências Contábeis

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 6, DE 10 DE MARÇO DE 2004 (*)

RESOLUÇÃO Nº 6, DE 10 DE MARÇO DE 2004 (*) RESOLUÇÃO Nº 6, DE 10 DE MARÇO DE 2004 (*) Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Ciências Contábeis, bacharelado, e dá outras providências. O Presidente da Câmara de Educação

Leia mais

PROPOSTA CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS 2012.2. Noturno

PROPOSTA CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS 2012.2. Noturno PROPOSTA CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS 2012.2 DENOMINAÇÃO: PORTARIA DE AUTORIZAÇÃO: PORTARIA DE RECONHECIMENTO: REGIME ESCOLAR: NÚMERO DE VAGAS ANUAIS: TURNOS DE FUNCIONAMENTO: NÚMERO DE ALUNOS POR TURMA:

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Concepção do Curso de Administração

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Concepção do Curso de Administração CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Concepção do Curso de Administração A organização curricular do curso oferece respostas às exigências impostas pela profissão do administrador, exigindo daqueles que integram a instituição

Leia mais

FACULDADE MORAES JÚNIOR CARGA HORÁRIA DAS DISCIPLINAS POR CURSO CIÊNCIAS CONTÁBEIS CARGA HORÁRIA SÉRIE DISCIPLINA SEMANAL ANUAL 2ª

FACULDADE MORAES JÚNIOR CARGA HORÁRIA DAS DISCIPLINAS POR CURSO CIÊNCIAS CONTÁBEIS CARGA HORÁRIA SÉRIE DISCIPLINA SEMANAL ANUAL 2ª FACULDADE MORAES JÚNIOR DAS DISCIPLINAS POR CURSO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Duração do Curso: 4 anos. Total de 3.200 horas-aula CIÊNCIAS CONTÁBEIS SÉRIE DISCIPLINA SEMANAL ANUAL 2ª Contabilidade e Análise

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO COMERCIAL

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO COMERCIAL 1 EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO SUPERIOR DE CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO COMERCIAL EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2011.1 BRUSQUE (SC) 2014 Atualizado em 6 de junho de 2014 pela Assessoria de

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 039/2004-COU/UNICENTRO

RESOLUÇÃO Nº 039/2004-COU/UNICENTRO RESOLUÇÃO Nº 039/2004-COU/UNICENTRO REVOGADA PELA RESOLUÇÃO Nº 128/2014- COU/UNICENTRO. DISPOSITIVOS DO PROJETO PEDAGÓGICO APROVADO POR ESTA RESOLUÇÃO, ESTÃO ALTERADOS PELA RESOLUÇÃO Nº 26/2009-COU/UNICENTRO.

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSOS GERENCIAIS

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSOS GERENCIAIS 1 EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO SUPERIOR DE CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSOS GERENCIAIS EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2011.1 BRUSQUE (SC) 2014 Atualizado em 6 de junho de 2014 pela Assessoria

Leia mais

ROLL DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

ROLL DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO ROLL DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DISCIPLINAS CARGA HORÁRIA Linguagem e Interpretação de Texto 80 Contabilidade I 80 Economia 80 Matemática 80 Teoria Geral da Administração

Leia mais

FACULDADE PASCHOAL DANTAS

FACULDADE PASCHOAL DANTAS FACULDADE PASCHOAL DANTAS PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO ÊNFASE GESTÃO DE PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SÃO PAULO - SP NOVEMBRO DE 2008 ÍNDICE 1. Visão e Missão da FPD...3 2. ORGANIZAÇÃO

Leia mais

BOLETIM DE SERVIÇO - FIPAR ON LINE

BOLETIM DE SERVIÇO - FIPAR ON LINE BOLETIM DE SERVIÇO - FIPAR ON LINE ANO II Nº 003 Editado pela Secretaria Geral das FIPAR Faculdades Integradas de Paranaíba FIPAR Paranaíba, 08 de agosto de 2008. AVISO DE PUBLICAÇÃO E ADEQUAÇÃO DE MATRIZ

Leia mais

FACULDADE ESTÁCIO MONTESSORI DE IBIÚNA ESTÁCIO FMI SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1

FACULDADE ESTÁCIO MONTESSORI DE IBIÚNA ESTÁCIO FMI SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: ADMINISTRAÇÃO - BACHARELADO MISSÃO DO CURSO Formar profissionais de elevado nível de consciência crítica, competência técnica empreendedora, engajamento

Leia mais

ADM002 Filosofia e Ética Empresarial - 2 36 ADM003 Contabilidade Geral - 4 72 ADM004 Metodologia Científica - 2 36 ADM005 Métodos Quantitativos - 4 72

ADM002 Filosofia e Ética Empresarial - 2 36 ADM003 Contabilidade Geral - 4 72 ADM004 Metodologia Científica - 2 36 ADM005 Métodos Quantitativos - 4 72 Matriz Curricular do Curso de Administração 2015.1 1ª Fase CÓDIGO DISCIPLINAS PRÉ- REQUISITOS CRED ADM001 Interpretação e Produção de Textos - ADM002 Filosofia e Ética Empresarial - 2 36 ADM003 Contabilidade

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: SISTEMAS DA INFORMAÇÃO MISSÃO DO CURSO Os avanços da ciência, a melhoria dos processos produtivos e a abertura de mercado, são exemplos de fatores que contribuíram

Leia mais

Ementário do Curso Superior de Tecnologia em Gestão Comercial

Ementário do Curso Superior de Tecnologia em Gestão Comercial 01 ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS I EMENTA: Introdução à administração de recursos humanos; orçamento de pessoal; processo de recrutamento e seleção de pessoal; processo de treinamento e desenvolvimento

Leia mais

1º SEMESTRE 2º SEMESTRE

1º SEMESTRE 2º SEMESTRE 1º SEMESTRE 7ECO003 ECONOMIA DE EMPRESAS I Organização econômica e problemas econômicos. Demanda, oferta e elasticidade. Teoria do consumidor. Teoria da produção e da firma, estruturas e regulamento de

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 3.609, DE 10 DE SETEMBRO DE 2007

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 3.609, DE 10 DE SETEMBRO DE 2007 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 3.9, DE 10 DE SETEMBRO DE 2007 Homologa o Parecer n. 117/06-CEG, que aprova o Projeto

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS Válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2010/1

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS Válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2010/1 Matriz Curricular aprovada pela Resolução nº 18/09-CONSUNI, de 1º de dezembro de 2009. MATRIZ CURRICULAR DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS Válida para os acadêmicos ingressantes

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2010/1

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2010/1 Matriz Curricular aprovada pela Resolução nº 16/09-CONSUNI, de 1º de dezembro de 2009. MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2010/1 Fase Cód. I

Leia mais

ANEXO AO MODELO DO PLANO DE AULA DO PROCESSO SELETIVO DOCENTE GERAL (PSD-G) 2015.1

ANEXO AO MODELO DO PLANO DE AULA DO PROCESSO SELETIVO DOCENTE GERAL (PSD-G) 2015.1 ANEXO AO MODELO DO PLANO DE AULA DO PROCESSO SELETIVO DOCENTE GERAL (PSD-G) 2015.1 ARQUITETURA E URBANISMO Graduar arquitetos e urbanistas com uma sólida formação humana, técnico-científica e profissional,

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing PROJETO PEDAGÓGICO Curso de Graduação Tecnológica em Marketing Porto alegre, 2011 1 1. Objetivos do Curso O projeto do curso, através de sua estrutura curricular, está organizado em módulos, com certificações

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Matriz Curricular vigente a partir de 2010/1 Fase Cód. Disciplina Carga Horária Prérequisitos

Leia mais

MBA Executivo Contabilidade e Finanças

MBA Executivo Contabilidade e Finanças MBA Executivo Contabilidade e Finanças Proposta do curso: O curso de MBA Executivo em Contabilidade e Finanças proporciona ao aluno o conhecimento a respeito dos fundamentos de contabilidade e finanças

Leia mais

A profissão contábil e o mercado de trabalho para os Contadores. Contabilidade: uma carreira apaixonante

A profissão contábil e o mercado de trabalho para os Contadores. Contabilidade: uma carreira apaixonante CIÊNCIAS A profissão contábil e o mercado de trabalho para os Contadores Contabilidade: uma carreira apaixonante Prof. João Matias Loch E-mail: jmperito@gmail.com CIÊNCIAS O que é a Contabilidade? CIÊNCIAS

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO Nome da disciplina Evolução do Pensamento Administrativo I Estudo da administração, suas áreas e funções, o trabalho do administrador e sua atuação;

Leia mais

CIÊNCIAS CONTÁBEIS. PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 4 anos

CIÊNCIAS CONTÁBEIS. PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 4 anos CIÊNCIAS CONTÁBEIS 1. TURNOS: Matutino ou Noturno Campus de Maringá Noturno Campus de Cianorte HABILITAÇÃO: Bacharelado em Ciências Contábeis GRAU ACADÊMICO: Bacharel em Ciências Contábeis PRAZO PARA CONCLUSÃO:

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JOINVILLE PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JOINVILLE PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JOINVILLE PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Fase Cód. Disciplina I Matriz Curricular vigente a partir de 2012/1 Prérequisito s Carga Horária

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Identificação do Curso Nome do Curso: Sistemas de Informação Titulação: Bacharelado Modalidade de ensino: Presencial

Leia mais

ENADE e CPC Como compreender seu desempenho e estratégias de melhoria de resultados. PROF. AMÉRICO DE ALMEIDA FILHO aalmeidaf@yahoo.com.

ENADE e CPC Como compreender seu desempenho e estratégias de melhoria de resultados. PROF. AMÉRICO DE ALMEIDA FILHO aalmeidaf@yahoo.com. ENADE e CPC Como compreender seu desempenho e estratégias de melhoria de resultados PROF. AMÉRICO DE ALMEIDA FILHO aalmeidaf@yahoo.com.br CPC Conceito Preliminar de Curso 1 - Nota dos Concluintes no ENADE

Leia mais

EMENTAS - MATRIZ CURRICULAR - 2016

EMENTAS - MATRIZ CURRICULAR - 2016 EMENTAS - MATRIZ CURRICULAR - 2016 901491 - EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ADMINISTRATIVO I Estudo da administração, suas áreas e funções, o trabalho do administrador e sua atuação; a evolução da teoria organizacional

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO Evolução de Pensamento Administrativo I Estudo da administração, suas áreas e funções, o trabalho do administrador e sua atuação; a evolução

Leia mais

CÓD. 104 - CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS MATRIZ CURRICULAR - Currículo nº 42

CÓD. 104 - CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS MATRIZ CURRICULAR - Currículo nº 42 Aprovado no CONGRAD: 15.09.09 Vigência: 2010/1, com efeito retroativo para os ingressos a partir 2009/1 104 - CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS MATRIZ CURRICULAR - Currículo nº 42 ÁREAS DE FORMAÇÃO I - CONTEÚDOS

Leia mais

CURRÍCULO MATRIZ CURRICULAR

CURRÍCULO MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO MATRIZ CURRICULAR Matriz em implantação a partir de 2009, publicada em 24.12.2008 em vigor para a 1ª, 2ª e 3ª Séries 1ª Série Carga/Horária Economia 72 Fundamentos de Direito Aplicado à Administração

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO COLEGIADO CES

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO COLEGIADO CES MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: Conselho Nacional de Educação / Câmara de Educação Superior ASSUNTO: Diretrizes Curriculares Nacionais dos Cursos de Engenharia RELATOR(A):

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO HOSPITALAR GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS

CURSO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO HOSPITALAR GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS Matemática I CURSO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO HOSPITALAR GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS 1º PERÍODO Matrizes e sistemas lineares. Funções: lineares, afins quadráticas, exponenciais

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS Matemática I 1º PERÍODO Matrizes e sistemas lineares. Funções: lineares, afins quadráticas,

Leia mais

CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS

CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS 1 CURSO DE EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2009.1A BRUSQUE (SC) 2014 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 ADMINISTRAÇÃO... 4 02 CONTABILIDADE INTRODUTÓRIA I... 4 03 MATEMÁTICA... 4 04 METODOLOGIA CIENTÍFICA... 4 05 NOÇÕES

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO/ 2013

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO/ 2013 MATRIZ CURRICULAR Curso: Graduação: Regime: Duração: ADMINISTRAÇÃO BACHARELADO SERIADO ANUAL - NOTURNO 4 (QUATRO) ANOS LETIVOS Integralização: A) TEMPO TOTAL - MÍNIMO = 04 (QUATRO) ANOS LETIVOS - MÁXIMO

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 OBJETIVOS DO CURSO OBJETIVO GERAL

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 OBJETIVOS DO CURSO OBJETIVO GERAL SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: DIREITO MISSÃO DO CURSO Desenvolver um ensino que propicie sólida formação ao aluno, constante aprimoramento docente e atualização curricular periódica.

Leia mais

Ciências Contábeis. Fase: II Carga Horária: 60h/a Créditos: 04

Ciências Contábeis. Fase: II Carga Horária: 60h/a Créditos: 04 01 - ADMINISTRAÇÃO Fase: II Carga Horária: 60h/a Créditos: 04 Introdução à Administração. Antecedentes históricos da Administração. Escolas de Administração. Administração e suas perspectivas. Variáveis

Leia mais

GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO APRESENTAÇÃO E GRADE CURRICULAR DOS CURSOS

GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO APRESENTAÇÃO E GRADE CURRICULAR DOS CURSOS GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO APRESENTAÇÃO E GRADE CURRICULAR DOS CURSOS Graduação PROCESSOS GERENCIAIS 1.675 HORAS Prepara os estudantes para o empreendedorismo e para a gestão empresarial. Com foco nas tendências

Leia mais

DURAÇÃO DO CURSO O Curso de Ciências Contábeis, bacharelado poderá ser integralizado em um período de no mínimo 8 (oito) semestres e no máximo 16

DURAÇÃO DO CURSO O Curso de Ciências Contábeis, bacharelado poderá ser integralizado em um período de no mínimo 8 (oito) semestres e no máximo 16 DURAÇÃO DO CURSO O Curso de Ciências Contábeis, bacharelado poderá ser integralizado em um período de no mínimo 8 (oito) semestres e no máximo 16 (dezesseis) semestres. PERFIL DO EGRESSO O perfil desejado

Leia mais

R E S O L U Ç Ã O. Artigo 2º - O Currículo, ora alterado, será implantado no início do ano 2000, para os matriculados no 1º semestre.

R E S O L U Ç Ã O. Artigo 2º - O Currículo, ora alterado, será implantado no início do ano 2000, para os matriculados no 1º semestre. RESOLUÇÃO CONSEPE 30/99 ALTERA O PLANO CURRICULAR E O REGIME DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO, DO CÂMPUS DE BRAGANÇA PAULISTA. O Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE, no uso da atribuição

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 1 CURSO: BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Dados de Identificação da Universidade de Cuiabá - UNIC Dirigente da Mantenedora Presidente: Ed. Rodrigo

Leia mais

LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO

LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO Coordenador: Duração: Carga Horária: LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO Victor Emanuel Corrêa Lima 6 semestres 2800 horas Situação Legal: Reconhecido pela Portaria MEC nº 503 de 15/02/2006 MATRIZ CURRICULAR Primeiro

Leia mais

Ementário e Bibliografia do curso de. Ciências Contábeis. Fase: II Carga Horária: 60h/a Créditos: 04

Ementário e Bibliografia do curso de. Ciências Contábeis. Fase: II Carga Horária: 60h/a Créditos: 04 01 - ADMINISTRAÇÃO Fase: II Carga Horária: 60h/a Créditos: 04 Introdução à Administração. Antecedentes históricos da Administração. Escolas de Administração. Administração e suas perspectivas. Variáveis

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO Curso: DIREITO Missão O Curso se propõe a formar profissionais conscientes da finalidade do Direito como instrumento de transformação social e construção da cidadania, capazes

Leia mais

CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO

CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM ECOTURISMO Objetivo: O Curso tem por objetivo capacitar profissionais, tendo em vista a carência de pessoas qualificadas na área do ecoturismo, para atender,

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Fase Cód. I II Matriz Curricular vigente a partir de 2010-1 Disciplina Prérequisitos Carga

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO ingressantes 2008 Semestre 1 Semestre 2

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO ingressantes 2008 Semestre 1 Semestre 2 SISTEMAS DE INFORMAÇÃO ingressantes 2008 Cálculo I 40 Cálculo II 40 Princípios Desenvolvimento de Algoritmos I 80 Princípios Desenvolvimento de Algoritmos II 80 Matemática 40 Lógica Matemática 40 Probabilidade

Leia mais

Informações sobre o Curso de Administração

Informações sobre o Curso de Administração Objetivo Geral do Curso: Informações sobre o Curso de Administração Prover a sociedade de profissional dotado de senso crítico e comportamento ético-profissional qualificado. Um Administrador criativo,

Leia mais

D I R E I T O SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR SINAES AUTORIZAÇÃO

D I R E I T O SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR SINAES AUTORIZAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Superior Sesu Departamento de Supervisão da Educação Superior - Desup Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep Diretoria

Leia mais

Resolução 038/2001 CONSEPE

Resolução 038/2001 CONSEPE Resolução 038/2001 CONSEPE Aprova as normas de funcionamento do Curso de Administração do Centro de Ciências da Administração CCA/ESAG. O Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE

Leia mais

1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO

1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO 1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO O Curso de Secretariado Executivo das Faculdades Integradas de Ciências Exatas Administrativas e Sociais da UPIS, reconhecido pelo MEC desde 1993, pela Portaria 905, de 24.06,1993,

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N 72/2009 Aprova o Projeto Político-Pedagógico do Curso de Sistemas de Informação, modalidade

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR CURRICULO PLENO 1.ª SÉRIE CÓDIGO DISCIPLINAS TEOR PRÁT CHA PRÉ-REQUISITO

MATRIZ CURRICULAR CURRICULO PLENO 1.ª SÉRIE CÓDIGO DISCIPLINAS TEOR PRÁT CHA PRÉ-REQUISITO MATRIZ CURRICULAR Curso: Graduação: Regime: Duração: ADMINISTRAÇÃO BACHARELADO SERIADO ANUAL - NOTURNO 4 (QUATRO) ANOS LETIVOS Integralização: A) TEMPO TOTAL - MÍNIMO = 04 (QUATRO) ANOS LETIVOS - MÁXIMO

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS. RECONHECIDO conforme PORTARIA nº 295, de 25 de Junho de 2008.

CURSO DE GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS. RECONHECIDO conforme PORTARIA nº 295, de 25 de Junho de 2008. CURSO DE GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS RECONHECIDO conforme PORTARIA nº 295, de 25 de Junho de 2008. Título: Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Turno: Noturno

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO COLEGIADO: CES

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO COLEGIADO: CES PARECER CNE/CES 1.302/2001 - HOMOLOGADO Despacho do Ministro em 4/3/2002, publicado no Diário Oficial da União de 5/3/2002, Seção 1, p. 15. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO:

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO 35 ANEXO II METODOLOGIAS (B) CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS 36 B) Metodologias utilizadas no Curso de Ciências Contábeis, bacharelado: a) Aulas Expositivas, Fórum de Debates, Dinâmica de Grupo, Seminários,

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR CIÊNCIAS CONTÁBEIS

MATRIZ CURRICULAR CIÊNCIAS CONTÁBEIS Curso: Graduação: Regime: Duração: CIÊNCIAS CONTÁBEIS BACHARELADO MATRIZ CURRICULAR SERIADO ANUAL - NOTURNO 4 (QUATRO) ANOS LETIVOS Integralização: A) TEMPO TOTAL - MÍNIMO = 04 (QUATRO) ANOS LETIVOS -

Leia mais

CIÊNCIAS CONTÁBEIS. Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 10/09/2012 1

CIÊNCIAS CONTÁBEIS. Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 10/09/2012 1 CIÊNCIAS CONTÁBEIS Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 10/09/2012 1 CURSO: CIÊNCIAS CONTÁBEIS Dados de identificação da Universidade de Cuiabá - UNIC Dirigente da Mantenedora Presidente: Ed. Rodrigo

Leia mais

Diretrizes Curriculares Nacionais e com a Legislação Interna, tendo como princípio a compreensão da informática em suas bases epistemológicas de

Diretrizes Curriculares Nacionais e com a Legislação Interna, tendo como princípio a compreensão da informática em suas bases epistemológicas de RESOLUÇÃO Nº 014/2010 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Informática, da Escola Superior de Tecnologia, da Universidade do Estado do Amazonas. O REITOR, EM EXERCÍCIO, DA UNIVERSIDADE

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Coordenadoria Geral de Pós-Graduação Lato Sensu

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Coordenadoria Geral de Pós-Graduação Lato Sensu PORTFÓLIO ESPECIALIZAÇÃO / MBA UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Sumário ÁREA: CIÊNCIAS DA SAÚDE... 2 CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO: PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL E DO TRABALHO... 2 ÁREA: COMUNICAÇÃO E LETRAS...

Leia mais

O MBA CONTROLLER foi lançado em 1994 e é o mais tradicional MBA do mercado brasileiro

O MBA CONTROLLER foi lançado em 1994 e é o mais tradicional MBA do mercado brasileiro MBA Controller Ao cursar o MBA CONTROLLER FIPECAFI/ANEFAC, o aluno convive com pessoas de diferentes perfis entre os mais diversos segmentos de mercado e com a experiência profissional exigida para que

Leia mais

CÓD. 1739 - CURSO DE ADMINISTRAÇÃO TURNO: NOITE Currículo nº 02 MATRIZ CURRICULAR

CÓD. 1739 - CURSO DE ADMINISTRAÇÃO TURNO: NOITE Currículo nº 02 MATRIZ CURRICULAR Aprovado no CONGRAD: 08.05.2012 Vigência: para os ingressos a partir 2012/2 CÓD. 1739 - CURSO DE ADMINISTRAÇÃO TURNO: NOITE Currículo nº 02 MATRIZ CURRICULAR CÓD. ÁREAS DE FORMAÇÃO I - CONTEÚDOS DE FORMAÇÃO

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA (EAD) CIÊNCIAS CONTÁBEIS CIÊNCIAS CONTÁBEIS COMUNICAÇÃO E EXPRESSÃO A leitura como vínculo leitor/texto, através da subjetividade contextual, de atividades

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN DE MODA

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN DE MODA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN DE MODA Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 1 Curso Superior em Tecnologia em Design de Moda Dados de identificação da Universidade de Cuiabá - UNIC Dirigente

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: ENGENHARIA ELÉTRICA MISSÃO DO CURSO O Curso de Engenharia Elétrica tem por missão a graduação de Engenheiros Eletricistas com sólida formação técnica que

Leia mais

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL SERRA DOS ÓRGÃOS CENTRO UNIVERSITÁRIO SERRA DOS ÓRGÃOS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO PROGRAMA DE DISCIPLINA

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL SERRA DOS ÓRGÃOS CENTRO UNIVERSITÁRIO SERRA DOS ÓRGÃOS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO PROGRAMA DE DISCIPLINA FUNDAÇÃO EDUCACIONAL SERRA DOS ÓRGÃOS CENTRO UNIVERSITÁRIO SERRA DOS ÓRGÃOS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO PROGRAMA DE DISCIPLINA 1. Identificação Disciplina: CONTABILIDADE COMERCIAL E INDUSTRIAL Corpo Docente:

Leia mais

Administração. Curso de Graduação Bacharelado em

Administração. Curso de Graduação Bacharelado em Curso de Graduação Bacharelado em Administração O curso de Administração está enquadrado como uma ciência social aplicada. Estuda-se em profundidade técnicas e instrumentos analíticos, além de simulações

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO. 1. TURNOS: Matutino HABILITAÇÃO: Bacharelado em Administração Noturno. PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 5 anos

ADMINISTRAÇÃO. 1. TURNOS: Matutino HABILITAÇÃO: Bacharelado em Administração Noturno. PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 5 anos ADMINISTRAÇÃO 1. TURNOS: Matutino HABILITAÇÃO: Bacharelado em Administração Noturno GRAU ACADÊMICO: Bacharel em Administração PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 5 anos Máximo = 8 anos 2. HISTÓRICO DO CURSO

Leia mais

FACULDADE DE TALENTOS HUMANOS

FACULDADE DE TALENTOS HUMANOS FACULDADE DE TALENTOS HUMANOS PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO UBERABA MG INSTITUTO EDUCACIONAL GUILHERME DORÇA PRESIDENTE: LUIZ HUMBERTO DORÇA FACULDADE DE TALENTOS HUMANOS DIRETOR

Leia mais

SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO. Missão

SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO. Missão SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO CURSO: RELAÇÕES INTERNACIONAIS Missão A principal missão do Curso de Relações Internacionais é formar, a partir de pesquisa e desenvolvimento pedagógico próprios, mediante

Leia mais

NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO

NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO PROVÍNCIA LA SALLE BRASIL - CHILE APRESENTAÇÃO O Setor de Educação Superior da Província

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO/2013 1.ª SÉRIE

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO/2013 1.ª SÉRIE Curso: Graduação: Regime: Duração: MATRIZ CURRICULAR PROCESSOS GERENCIAIS (Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios) TECNOLÓGICA SERIADO ANUAL - NOTURNO 3 (TRÊS) ANOS LETIVOS Integralização: A) TEMPO TOTAL

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO 6 ANEXO II METODOLOGIAS (A) CURSO DE ADMINISTRAÇÃO 7 A) Metodologias utilizadas no Curso de Administração, bacharelado: a) Aulas Expositivas, Fórum de Debates, Dinâmica de Grupo, Seminários, Estudos de

Leia mais

MBA Executivo - Auditoria e Finanças

MBA Executivo - Auditoria e Finanças MBA Executivo - Auditoria e Finanças Proposta do curso: O curso de MBA Executivo em Auditoria e Finanças possibilita ao profissional conhecer os fundamentos e as ferramentas de auditoria e gestão financeira.

Leia mais

a importância de formar profissionais para atuar nos campos de trabalho emergentes na área;

a importância de formar profissionais para atuar nos campos de trabalho emergentes na área; SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Resolução n. 66/ 2012 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em Computação, Licenciatura

Leia mais

MANUAL DE ESTÁGIO CIÊNCIAS CONTÁBEIS. Profa. LUCIANE ALVES FERNANDES. Coordenação de Estágio e Trabalho de Conclusão.

MANUAL DE ESTÁGIO CIÊNCIAS CONTÁBEIS. Profa. LUCIANE ALVES FERNANDES. Coordenação de Estágio e Trabalho de Conclusão. MANUAL DE ESTÁGIO CIÊNCIAS CONTÁBEIS Profa. LUCIANE ALVES FERNANDES Porto Alegre/RS 2014 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. O ESTÁGIO... 3 3. FUNDAMENTAÇÃO LEGAL DO ESTÁGIO... 3 4. OBJETIVOS DO ESTÁGIO... 3

Leia mais

CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS

CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS UNIVERSIDADE DE CRUZ ALTA CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Reconhecido pela Portaria nº 706 de 18/12/2013 D.O.U. 19/12/13 Base Curricular do Curso de Ciências Contábeis

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão Financeira e Controladoria

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão Financeira e Controladoria Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão Financeira e Controladoria Apresentação O programa de Pós-graduação Lato Sensu em Gestão Financeira e Controladoria tem por objetivo o fornecimento

Leia mais

DISCIPLINAS DE FORMAÇÃO BÁSICA GERAL

DISCIPLINAS DE FORMAÇÃO BÁSICA GERAL CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Turno: MATUTINO/NOTURNO Matutino Currículo nº 8 Noturno Currículo nº 8 Reconhecido pelo Decreto n 83.799, de 30.07.79, D.O.U. de 31.07.79 Renovação de Reconhecimento Decreto

Leia mais

Curso de Pedagogia Portaria de Autorização ME nº 2415, de 14 de Setembro de 2001- Reconhecimento -Portaria ME. 58/2007. INÍCIO-01/08/2006 1º Semestre

Curso de Pedagogia Portaria de Autorização ME nº 2415, de 14 de Setembro de 2001- Reconhecimento -Portaria ME. 58/2007. INÍCIO-01/08/2006 1º Semestre Inciso II Programa de cada curso oferecido e demais componentes curriculares, sua duração, requisitos e critérios de Avaliação: Instituto Educacional do Estado de São Paulo Autorização de Credenciamento:

Leia mais

GRADUAÇÃO APRESENTAÇÃO E GRADE CURRICULAR DOS CURSOS PROCESSOS GERENCIAIS 1.675 HORAS

GRADUAÇÃO APRESENTAÇÃO E GRADE CURRICULAR DOS CURSOS PROCESSOS GERENCIAIS 1.675 HORAS GRADUAÇÃO APRESENTAÇÃO E GRADE CURRICULAR DOS CURSOS PROCESSOS GERENCIAIS 1.675 HORAS Apresentação: Prepara os estudantes para o empreendedorismo e para a gestão empresarial. Com foco nas tendências de

Leia mais

Respeito ao meio ambiente, colocando o conhecimento científico adquirido a serviço da sociedade e permitindo o desenvolvimento sustentável.

Respeito ao meio ambiente, colocando o conhecimento científico adquirido a serviço da sociedade e permitindo o desenvolvimento sustentável. Coordenação do Curso de Engenharia Química da UFPR (CCEQ) Planejamento Estratégico 2012-2017 Apresentação: O curso de Engenharia Química da UFPR foi criado em 1954 pelo Decreto-Lei nº 6.489, assim completará

Leia mais

FACULDADE DO SUL DA BAHIA CALENDÁRIO DE PROVA FINAL CURSO: CIÊNCIAS CONTÁBEIS. Quarta-feira 17/12

FACULDADE DO SUL DA BAHIA CALENDÁRIO DE PROVA FINAL CURSO: CIÊNCIAS CONTÁBEIS. Quarta-feira 17/12 CURSO: CIÊNCIAS CONTÁBEIS 1ª aula **** Matemática Informática 2ª aula **** **** **** 1ª aula Contabilidade Comercial Psicologia Administração 2ª aula Introdução à Economia Introd. Direito Público e Privado

Leia mais

O Curso de Administração da ESAG. Prof. Dr. Nério Amboni (ESAG/UDESC) 2011.2

O Curso de Administração da ESAG. Prof. Dr. Nério Amboni (ESAG/UDESC) 2011.2 O Curso de Administração da ESAG Prof. Dr. Nério Amboni (ESAG/UDESC) 2011.2 Missão da ESAG A ESAG tem por missão realizar o ensino, a pesquisa, a extensão, de modo articulado, a fim de contribuir na formação

Leia mais

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Justificativa: As transformações ocorridas nos últimos anos têm obrigado as organizações a se modificarem constantemente e de forma

Leia mais

CIÊNCIAS CONTÁBEIS. COORDENADORA Nálbia de Araújo Santos nalbia@ufv.br

CIÊNCIAS CONTÁBEIS. COORDENADORA Nálbia de Araújo Santos nalbia@ufv.br CIÊNCIAS CONTÁBEIS COORDENADORA Nálbia de Araújo Santos nalbia@ufv.br UFV Catálogo de Graduação 2009 277 Bacharelado ATUAÇÃO O Contador, dotado de uma visão sistêmica, holística e interdisciplinar da atividade

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO COMERCIAL

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO COMERCIAL 1 CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO COMERCIAL EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2013.1 Atualizado em 7 de agosto BRUSQUE de 2013 pela Assessoria (SC) de Desenvolvimento 2013 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 3 01 INTRODUÇÃO

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO/ MÓDULO I OFERTA ESPECIAL DE DISCIPLINAS DISCIPLINAS EQUIVALENTES POR TURMA E CURSO

ADMINISTRAÇÃO/ MÓDULO I OFERTA ESPECIAL DE DISCIPLINAS DISCIPLINAS EQUIVALENTES POR TURMA E CURSO DISCIPLINAS Matemática Aplicada - ADM Teoria e Gestão das Organizações Tecnologia da Informação e Comunicação/(Tecnologias Educacionais) - ADM Metodologia da Ciência e da Pesquisa(Fundamentos do Trabalho

Leia mais

Portaria Inep nº 249, de 02 de junho de 2014. Publicada no Diário Oficial da União em 04 de junho de 2014.

Portaria Inep nº 249, de 02 de junho de 2014. Publicada no Diário Oficial da União em 04 de junho de 2014. Portaria Inep nº 249, de 02 de junho de 2014. Publicada no Diário Oficial da União em 04 de junho de 2014. O Presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep),

Leia mais

MANUAL DA MUDANÇA DA MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE DIREITO (2007 2011)

MANUAL DA MUDANÇA DA MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE DIREITO (2007 2011) MANUAL DA MUDANÇA DA MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE DIREITO (2007 2011) Aplicável a partir de 2013/1 1 SUMÁRIO 1 Apresentação... 3 2 Quais os critérios para que a Instituição de Ensino Superior altere a

Leia mais

Ementa do MBA Executivo em Gestão Empresarial com ênfase em Locação de Equipamento Turma: SINDILEQ

Ementa do MBA Executivo em Gestão Empresarial com ênfase em Locação de Equipamento Turma: SINDILEQ Um jeito Diferente, Inovador e Prático de fazer Educação Corporativa Ementa do MBA Executivo em Gestão Empresarial com ênfase em Locação de Equipamento Turma: SINDILEQ Objetivo: Auxiliar o desenvolvimento

Leia mais