SEQUÊNCIA DIDÁTICA IMIGRAÇÃO Colcha de Retalhos reflexões sobre a presença de imigrantes na região sudeste no início do século XX

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SEQUÊNCIA DIDÁTICA IMIGRAÇÃO Colcha de Retalhos reflexões sobre a presença de imigrantes na região sudeste no início do século XX"

Transcrição

1 Arquivo Público do Estado de São Paulo SP O(S) USO(S) DE DOCUMENTOS DE ARQUIVO NA SALA DE AULA SEQUÊNCIA DIDÁTICA IMIGRAÇÃO Colcha de Retalhos reflexões sobre a presença de imigrantes na região sudeste no início do século XX Nilmara Cristina Perissini 02/2013 0

2 Trabalho de Conclusão do Curso O(s) U- so(s) de Documentos de Arquivo na Sala de Aula promovido pelo Núcleo de Ação Educativa do Arquivo do Estado de São Paulo. 1

3 TEMA Colcha de Retalhos reflexões sobre a presença de imigrantes na região sudeste no início do século XX JUSTIFICATIVA Tendo em vista a presença de diferentes culturas, apresentadas pelos diferentes povos que auxiliaram na formação da população brasileira, a Sequência Didática, busca através da análise de documentos, resgatar a importância de estudarmos os desafios encontrados pelos imigrantes na chegada ao Brasil, no final do século XIX e início do século XX. Através do estudo sobre a imigração na região sudeste, os alunos poderão conhecer um pouco mais dos desafios encontrados pelos imigrantes, podendo até mesmo resgatar uma parte da memória familiar, uma vez que, na região de São José do Rio Preto, a presença de descendentes de famílias de imigrantes é muito significativa, principalmente, imigrantes italianos. OBJETIVOS A partir do uso de documentos de arquivo na sala de aula: a) propor aos alunos uma melhor compreensão acerca do assunto Imigração, de forma diferenciada, através da análise de documentos. b) permitir que os alunos elaborem conhecimento a partir da análise, leitura e interpretação de documentos acerca da Imigração. c) desenvolver com os alunos temas não muito contemplados pelos livros didáticos d) compreender a importância desses imigrantes no processo de formação cultural da população brasileira. COMPONENTE CURRICULAR Geografia: A população brasileira (A formação da população brasileira / Os movimentos migratórios) 2

4 ANO/SÉRIE 7º ano do Ensino Fundamental TEMPO PREVISTO 08 aulas DESENVOLVIMENTO E CONTEÚDO DAS ATIVIDADES O desenvolvimento das atividades da SD ocorrerá através da utilização notbook, netbook ou tablet de propriedade do próprio aluno, conectados à internet na sala de aula, em todo tempo, existindo também a possibilidade do uso de alguns documentos impressos em A3. Aula 1 Nessa aula será apresentada a Sequência Didática e sua contextualização dentro do conteúdo trabalhado em sala de aula conteúdo programático esclarecendo aos alunos os motivos e os objetivos da realização dessa atividade. O início do desenvolvimento da Sequência Didática acontecerá através da leitura, realizada pelo professor e pelos alunos do Documento 1: Brasil tem 600 mil imigrantes ilegais, diz entidade. (Anexo I) Aula 2 Após breve contextualização histórica acerca da imigração de europeus para o Brasil no final do século XIX e início do século XX, realizada pelo professor, os alunos serão conduzidos a leitura e interpretação do Documento 2 : Mapa do Estado de São Paulo indicando a posição dos núcleos coloniais existentes e em projeto. Secretaria da Agricultura/SP Apesp. (Anexo II) Os alunos deverão localizar no documento as seguintes informações: 1. Título do mapa. 2. Qual (is) informação (ões) o mapa transmite? 3. Quando foi desenhado (produzido) e por quem; 3

5 4. Qual a relação existente entre as informações contidas no mapa e a imigração ocorrida no estado de São Paulo? Aula 3 Refletindo sobre a situação sociopolítica e econômica do Brasil, mais precisamente do estado de São Paulo em comparação a situação dos países europeus no final do século XIX e primeira década do século XX. * Documento 3 - SÃO PAULO. Congresso. Senado. Projeto de Lei e Ofício [s/n] que autoriza o ato do governo que abriu crédito suplementar à verba para "Introdução de Imigrante". São Paulo, 14 ago Acervo APESP. Coleção DAESP. (Anexo III) * Documento 4 - Fonte: Brasil: 500 anos de povoamento. Rio de janeiro : IBGE, Apêndice: Estatísticas de povoamento. p.225. Disponível: Acesso em: 17 jan (Anexo IV) * Documento 5 - O IMMIGRANTE. O Immigrante, São Paulo, n. 1, ano 1, p. 1, jan Apesp. (Anexo V) * Documento 6 - VANTAGENS concedidas aos immigrantes pelo governo do Estado de S. Paulo. O Immigrante, São Paulo, n. 1, ano 1, p. 1, jan Apesp. (Anexo VI) Após análise dos documentos, os alunos serão conduzidos a um debate dirigido pelo professor, levando-os a refletir a cerca das seguintes questões: 1. Quais motivos levam um trabalhador a deixar o seu pais, atualmente, e ir em busca de novas oportunidades em países distantes? 2. De que forma a propaganda oficial divulgada pelos governantes, acerca dos atrativos existentes em seu pais, influencia a entrada de imigrantes para aquele local? Aulas 4 e 5 Reflexões acerca das condições de trabalho vivenciadas pelos imigrantes no Brasil estado de São Paulo no início do século XX. 4

6 * Documento 7 (SÃO PAULO (Estado). Informação de Diretoria, de 09 de Junho de Apesp: Fundo da Secretaria de Agricultura, Comércio e Obras Públicas. Seção de Inspetoria de Colonização e Imigração.) (Anexo VII) * Documento 8 (SÃO PAULO (Estado). Carta de Frau Vorbeck ao Imperial Consulado Alemão, de 20 de Abril de Apesp: Fundo da Secretaria de Agricultura, Comércio e Obras Públicas. Seção Inspetoria de Colonização e Imigração. (Anexo VIII) * Documento 9 ( PIRES, José. Requerimento à Directoria de Terras, Colonisação e Immigração da Secretaria da Agricultura. São Paulo, 9 abr Acervo APESP. Fundo Secretaria da Agricultura, Comércio e Obras Públicas.) (Anexo IX) * Documento 10 ( PIRES, José. Requerimento à Directoria de Terras, Colonisação e Immigração da Secretaria da Agricultura. São Paulo, 9 abr Acervo APESP. Fundo Secretaria da Agricultura, Comércio e Obras Públicas.) (Anexo X) Os alunos serão divididos em três grupos. Será entregue uma cópia dos documentos acima para cada grupo e uma ficha de análise documental (Anexo XIV) a ser preenchida pelos alunos. Em seguida, cada grupo exporá oralmente a sua interpretação dos documentos e será discutido, com a turma, as conclusões de cada um. Aulas 6 e 7 Nessas aulas será proposta a leitura e a interpretação dos seguintes documentos: * Documento 11 HOSPEDARIA de Immigrantes (vista interna). São Paulo, [fins do século XIX e início do XX]. APESP. Acervo Iconográfico. Álbum Vistas de São Paulo. (Anexo IX) * Documento 12 PROFESSOR e alunos de escola alemã. Rio Claro, SP [início de 1900]. APESP. Acervo Iconográfico. Memorial do Imigrante. (Anexo XII) * Documento 13 LOJA de Sírio-Libanês. São Paulo. APESP. Acervo Iconográfico, Memorial do Imigrante. (Anexo XIII) 5

7 Depois de analisar os documentos indicados, os alunos deverão buscar por outras imagens no site da Hospedaria dos Imigrantes (www.museudaimigracao.org.br) e do Arquivo do Estado (www.arquivoestado.sp.gov.br) Por fim, o professor conduzirá um debate dirigido com a turma, de forma a refletir sobre as seguintes questões: 1. Os imigrantes que saíram de seus países e vieram para o Brasil encontraram o que procuravam? 2. A realidade vivida por eles era condizente com o que as propagandas ofereciam? 3. O sonho de melhorar de vida aconteceu? Aula 8. Avaliação Os alunos deverão elaborar um painel feito em papel pardo ou TNT, com imagens de imigrantes, impressas em papel A4, providenciadas por eles (três imagens de cada aluno, em tamanhos diferentes), para uma montagem semelhante a uma colcha de retalhos. 6

8 BIBLIOGRAFIA - Acervo Iconográfico, Memorial do Imigrante APESP. - APESP. Fundo da Secretaria de Agricultura, Comércio e Obras Públicas. Seção Inspetoria de Colonização e Imigração. Acervo APESP. - APESP. Fundo da Secretaria de Agricultura, Comércio e Obras Públicas. Seção de Inspetoria de Colonização e Imigração - Acervo APESP. Coleção DAESP - Acervo APESP. Secretaria da Agricultura/SP Brasil: 500 anos de povoamento. Rio de janeiro : IBGE, 2000 Apêndice: Estatísticas de povoamento. p Globo.com, 27 mar Disponível em: - O Immigrante, São Paulo, n. 1, ano 1, p. 1, jan Apesp - PIRES, José. Requerimento à Directoria de Terras, Colonisação e Immigração da Secretaria da Agricultura. São Paulo, 9 abr Acervo APESP - VEDOVATE, Fernando Carlo. Geografia (Ensino Fundamental). Projeto Araribá. Obra em 4 v. para alunos do 6º ao 9º ano. Editora Moderna

9 ANEXOS Anexo I Brasil tem 600 mil imigrantes ilegais, diz entidade A maioria é formada por imigrantes vindos de países vizinhos ao Brasil. Da BBC Atualmente, o Brasil tem, pelo menos, 600 mil imigrantes ilegais, segundo estimativas do Serviço Pastoral dos Migrantes, entidade ligada à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). "A grande maioria é formada por bolivianos, paraguaios, peruanos, chilenos, argentinos e colombianos", disse à BBC Brasil Luiz Bassegio, fundador da pastoral, que presta assistência a imigrantes em diferentes partes do Brasil. "Nós achamos que a tendência é aumentar a presença do imigrante (irregular), a partir do momento em que países do primeiro mundo que antes os recebiam, como Portugal e Espanha, passaram a fechar as portas para os latinos", acrescentou. A estimativa oficial é bem inferior à de 600 mil. Segundo o ministério do Trabalho, os ilegais no Brasil estariam em torno de 180 mil, total que representa cerca de 20% do número de estrangeiros registrados no país. "Esse é um cálculo que se aplica, normalmente, no mundo, dependendo do perfil migratório de cada país", explicou coordenador geral de Imigração do Ministério do Trabalho, Paulo Sérgio de Almeida. Os dados mais recentes do cadastro ativo da Polícia Federal (PF) mostram um acumulado, até fevereiro deste ano, de imigrantes regularizados. Condições precárias Os milhares de clandestinos que buscam no Brasil oportunidades melhores de vida e a chance de enviar recursos para seus países de origem enfrentam, em muitos casos, problemas comuns a brasileiros no exterior como preconceito, horas excessivas de trabalho e dificuldades para legalização. Segundo Bassegio, apesar do acordo assinado recentemente de regularização entre Brasil e Bolívia, por exemplo, um pequeno número dentro do universo de cerca de 75 mil ilegais bolivianos estimados pela pastoral, foi beneficiado. "Muitos dos que nos procuraram não tiveram dinheiro para pagar os gastos dessa formalização e outros não apareceram por medo de represálias diante da irregularidade", contou. Na opinião do coordenador do Centro de Apoio ao Imigrante, Paulo Iles, os imigrantes da região andina sofrem ainda com o "preconceito" de alguns setores da sociedade brasileira. "O imigrante boliviano ou peruano acha que não vai se integrar nunca à sociedade brasileira. Ele é discriminado e pensa: não sei o idioma, sou diferente, sou andino, ando diferente", disse. Iles lembra que, na semana em que o governo brasileiro reagiu contra a devolução de brasileiros que tentavam entrar na Espanha, 58 bolivianos foram barrados na fronteira por falta de documentação. "Assim como para o brasileiro, países como Estados Unidos, Japão, Alemanha e Espanha são o sonho do progresso, para muitos habitantes dos países vizinhos do Brasil, como Paraguai, Bolívia e Peru, o País é a chance para melhorar de vida", afirmou [...]. BRASIL tem 600 mil imigrantes ilegais, diz entidade. Globo.com, 27 mar Disponível em: Acesso em: Acesso em 17 jan

10 Anexo II Mapa do Estado de São Paulo indicando a posição dos núcleos coloniais existentes e em projeto. Secretaria da Agricultura/SP Apesp. 9

11 Anexo III 10

12 Anexo IV Fonte: Brasil: 500 anos de povoamento. Rio de janeiro : IBGE, Apêndice: Estatísticas de povoamento. p.225. Disponível: Acesso em: 17 jan Anexo V 11

13 O IMMIGRANTE. O Immigrante, São Paulo, n. 1, ano 1, p. 1, jan Apesp. Anexo VI VANTAGENS concedidas aos immigrantes pelo governo do Estado de S. Paulo. O Immigrante, São Paulo, n. 1, ano 1, p. 1, jan Apesp. Anexo VII 12

14 SÃO PAULO (Estado). Informação de Diretoria, de 09 de Junho de Apesp: Fundo da Secretaria de Agricultura, Comércio e Obras Públicas. Seção de Inspetoria de Colonização e Imigração. Anexo VIII 13

15 SÃO PAULO (Estado). Carta de Frau Vorbeck ao Imperial Consulado Alemão, de 20 de Abril de Apesp: Fundo da Secretária de Agricultura, Comércio e Obras Públicas. Seção Inspetoria de Colonização e Imigração. (Anexo VII). Anexo IX 14

16 PIRES, José. Requerimento à Directoria de Terras, Colonisação e Immigração da Secretaria da Agricultura. São Paulo, 9 abr Acervo APESP. Fundo Secretaria da Agricultura, Comércio e Obras Públicas. C7572 Anexo X 15

17 PIRES, José. Requerimento à Directoria de Terras, Colonisação e Immigração da Secretaria da Agricultura. São Paulo, 9 abr Acervo APESP. Fundo Secretaria da Agricultura, Comércio e Obras Públicas. C

18 Anexo XI HOSPEDARIA de Immigrantes (vista interna). São Paulo, [fins do século XIX e início do XX]. 1 fotografia. APESP, Acervo Iconográfico, Álbum Vistas de São Paulo, VSP_005. Anexo XII PROFESSOR e alunos de escola alemã. Rio Claro, SP, [início de 1900]. 18 cm x 24 cm. (Autoria não atribuída). APESP, Acervo Iconográfico, Memorial do Imigrante, MI_ICO_AMP_008_001_039_

19 Anexo XIII LOJA de Sírio-Libanês. São Paulo, [195-]. 1 fotografia, p&b, 18 cm x 24 cm. APESP, Acervo Iconográfico, Memorial do Imigrante, MI_ICO_AMP_019_001_071_

20 Anexo XIV FICHA DE TRABALHO PARA ANÁLISE DE UM DOCUMENTO TEXTUAL 1. TIPO DE DOCUMENTO (Assinale uma opção): ( ) Publicidade ( ) Carta ( ) Telegrama ( ) Relatório ( ) Memorando ( ) Ofício ( ) Artigo científico ( ) Outro 2. QUALIDADES FÍSICAS PARTICULARES DO DOCUMENTO (Assinale uma ou mais opções): ( ) Original ( ) Cópia ( ) Manuscrito ( ) Datilografado ( ) Digitado ( ) Contém anotações à mão ( ) Contém selo/carimbo/anotação Recebido ( ) Outro 3. DATA(S) DO DOCUMENTO: 4. AUTOR (OU CRIADOR) DO DOCUMENTO: a) ( ) Instituição Pública ( ) Instituição Particular ( ) Individual b)especificação: 5. PARA QUE PÚBLICO O DOCUMENTO FOI ESCRITO? JUSTIFIQUE. 19

21 6. INFORMAÇÕES SOBRE O DOCUMENTO (Há várias possibilidades de resposta de A a E.) A. Assinale três aspectos importantes do texto B. Por que você acha que este documento foi escrito? C. Quais evidências presentes no documento ajudam você saber quando e por que ele foi escrito? D. Assinale duas coisas que o documento conta sobre a vida de SÃO PAULO ou do BRASIL na época em que foi escrito: E. Quais os aspectos positivos ou negativos quanto ao uso do documento analisado na sala de aula? 20

Wendel Uhren Meira 08/11/2012

Wendel Uhren Meira 08/11/2012 Wendel Uhren Meira 08/11/2012 Sequência Didática Trabalho Concludente Tema: A Imigração no Estado de São Paulo e suas diferentes facetas. Justificativa: É fator de grande importância para esse período

Leia mais

O(S) USO(S) DE DOCUMENTOS DE ARQUIVO NA SALA DE AULA ROBERTA MARTINI IMIGRAÇÃO. Imigração ontem e hoje, semelhanças e diferenças.

O(S) USO(S) DE DOCUMENTOS DE ARQUIVO NA SALA DE AULA ROBERTA MARTINI IMIGRAÇÃO. Imigração ontem e hoje, semelhanças e diferenças. O(S) USO(S) DE DOCUMENTOS DE ARQUIVO NA SALA DE AULA ROBERTA MARTINI IMIGRAÇÃO Imigração ontem e hoje, semelhanças e diferenças. 02/2013 1. Tema: Imigração. 2. Justificativa: A Imigração é uma constante

Leia mais

CENÁRIOS DA PAISAGEM URBANA TRANSFORMAÇÕES DA PAISAGEM DA CIDADE DE SÃO PAULO

CENÁRIOS DA PAISAGEM URBANA TRANSFORMAÇÕES DA PAISAGEM DA CIDADE DE SÃO PAULO ARQUIVO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO NÚCLEO DE AÇÃO EDUCATIVA O(S) USO(S) DE DOCUMENTOS DE ARQUIVO EM SALA DE AULA BRUNA EVELIN LOPES SANTOS CENÁRIOS DA PAISAGEM URBANA TRANSFORMAÇÕES DA PAISAGEM DA

Leia mais

ARQUIVO PÚBLICO MINEIRO 1895-2009

ARQUIVO PÚBLICO MINEIRO 1895-2009 ARQUIVO PÚBLICO MINEIRO 1895-2009 Pedro de Brito de Soares Diretor de Conservação de Documentos Ana Souza Diretora de Arquivos Permanentes Márcia Alkmim Técnica em Documentação de Arquivo 1 ÁREAS DE GUARDA

Leia mais

ASSOCIAÇÃO EDUCACIONAL LATINO AMERICANA, MANTENEDORA DA FACULDADE CATÓLICA PAULISTA, NO USO DE SUAS ATRIBUIÇÕES LEGAIS, RESOLVE:

ASSOCIAÇÃO EDUCACIONAL LATINO AMERICANA, MANTENEDORA DA FACULDADE CATÓLICA PAULISTA, NO USO DE SUAS ATRIBUIÇÕES LEGAIS, RESOLVE: ASSOCIAÇÃO EDUCACIONAL LATINO AMERICANA, MANTENEDORA DA FACULDADE CATÓLICA PAULISTA, NO USO DE SUAS ATRIBUIÇÕES LEGAIS, RESOLVE: CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º - Este Regulamento tem por finalidade

Leia mais

EDITAL BOLSA FUNARTE DE INCENTIVO À PESQUISA DA ARTE CIRCENSE

EDITAL BOLSA FUNARTE DE INCENTIVO À PESQUISA DA ARTE CIRCENSE EDITAL BOLSA FUNARTE DE INCENTIVO À PESQUISA DA ARTE CIRCENSE O Presidente da Fundação Nacional de Artes - Funarte, no uso das atribuições que lhe confere o inciso V artigo 14 do Estatuto aprovado pelo

Leia mais

SEQUÊNCIA DIDÁTICA: A Publicidade na Sala de Aula

SEQUÊNCIA DIDÁTICA: A Publicidade na Sala de Aula OFICINA SEMIPRESENCIAL O(S) USO(S) DE DOCUMENTO(S) DE ARQUIVO NA SALA DE AULA ALUNA: Alcinéia Emmerick de Almeida / Núcleo de Ação Educativa - APESP SEQUÊNCIA DIDÁTICA: A Publicidade na Sala de Aula TEMA:

Leia mais

PLANEJAMENTO BIMESTRAL QUARTO BIMESTRE 2012 (01/10 a 20/12)

PLANEJAMENTO BIMESTRAL QUARTO BIMESTRE 2012 (01/10 a 20/12) PLANEJAMENTO BIMESTRAL QUARTO BIMESTRE 2012 (01/10 a 20/12) PROFESSORA: Bianca de Souza 7ª SÉRIE - TURMAS: 71 e 72 ÁREA DE CONHECIMENTO: Geografia SEQUÊNCIA DIDÁTICA: Estudo do continente americano (América

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE ALAGOAS - UNEAL

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE ALAGOAS - UNEAL REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE ALAGOAS - UNEAL Este Regulamento e a Resolução do Conselho Superior da Uneal (CONSU/UNEAL) que o aprovou foram

Leia mais

O PIBID E A FORMAÇÃO DE ALUNOS DA EJA: UMA EXPERIÊNCIA COM EDUCAÇÃO FINANCEIRA 1

O PIBID E A FORMAÇÃO DE ALUNOS DA EJA: UMA EXPERIÊNCIA COM EDUCAÇÃO FINANCEIRA 1 O PIBID E A FORMAÇÃO DE ALUNOS DA EJA: UMA EXPERIÊNCIA COM EDUCAÇÃO FINANCEIRA 1 Resumo: Delane Santos de Macedo 2 Universidade Federal do Recôncavo da Bahia delayne_ba@hotmail.coml Gilson Bispo de Jesus

Leia mais

Unicamp Universidade Estadual de Campinas. Normas para o Trabalho de Conclusão de Curso

Unicamp Universidade Estadual de Campinas. Normas para o Trabalho de Conclusão de Curso Unicamp Universidade Estadual de Campinas FT - Faculdade de Tecnologia Limeira - SP Normas para o Trabalho de Conclusão de Curso Revisão 2012 I Objetivo Artigo 1. O objetivo do Trabalho de Conclusão de

Leia mais

111 II111, Linga A/903268

111 II111, Linga A/903268 Linga-Bibliothek 111 II111, Linga A/903268 Roteiro de fontes sobre a imigração em São Paulo 1850-1950 Maria Silvia C. Beozzo Bassanezi Ana Silvia Volpi Scott Carlos de Almeida Prado Bacellar Oswaldo Mário

Leia mais

PROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA GABINETE DO PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA

PROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA GABINETE DO PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA RESOLUÇÃO N 3457 Dispõe sobre a criação do Centro de Preservação da Memória do Ministério Público do Estado do Paraná CPM e dá outras providências. O PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARANÁ, no

Leia mais

Migrações Alguns números

Migrações Alguns números Migrações Alguns números Dados gerais: Mundo» Há 232 milhões de migrantes internacionais no mundo (ONU, 2013), ou 3.2% da população mundial» Os migrantes internacionais compõem 10.8% da população das regiões

Leia mais

Etapas para a elaboração de um Pré- Projeto de Pesquisa

Etapas para a elaboração de um Pré- Projeto de Pesquisa Etapas para a elaboração de um Pré- Projeto de Pesquisa Estrutura de um projeto de pesquisa: 1. TEMA E TÍTULO DO PROJETO 2. DELIMITAÇÃO DO PROBLEMA 3. INTRODUÇÃO 4. RELEVÂNCIA E JUSTIFICATIVA 5. OBJETIVOS

Leia mais

REGULAMENTO DA ASSESSORIA DE PLANEJAMENTO

REGULAMENTO DA ASSESSORIA DE PLANEJAMENTO REGULAMENTO DA ASSESSORIA PLANEJAMENTO (RES. Nº 280/99-CAD) CAPÍTULO I DA FINALIDA Art. 1º - A Assessoria de Planejamento (ASP), órgão da reitoria, é responsável pela análise da evolução da Universidade

Leia mais

Propostas para uma Política Municipal de Migrações:

Propostas para uma Política Municipal de Migrações: Ao companheiro Fernando Haddad Novo Prefeito de São Paulo, Propostas para uma Política Municipal de Migrações: Saudamos o novo prefeito de São Paulo, por sua expressiva eleição e desde já desejamos que

Leia mais

EDITAL PROCESSO SELETIVO PARA ASSISTENTE DE SEÇÂO DE PESSOAL SORRI-BAURU - Fevereiro/2014

EDITAL PROCESSO SELETIVO PARA ASSISTENTE DE SEÇÂO DE PESSOAL SORRI-BAURU - Fevereiro/2014 EDITAL PROCESSO SELETIVO PARA ASSISTENTE DE SEÇÂO DE PESSOAL SORRI-BAURU - Fevereiro/2014 A SORRI BAURU, por meio de sua Diretoria Executiva convoca os interessados a participar do processo seletivo para

Leia mais

DINÂMICA LOCAL INTERATIVA INTERATIVIDADE FINAL CONTEÚDO E HABILIDADES. AULA 4.1 Conteúdo: Migração e Conflitos

DINÂMICA LOCAL INTERATIVA INTERATIVIDADE FINAL CONTEÚDO E HABILIDADES. AULA 4.1 Conteúdo: Migração e Conflitos 4.1 Conteúdo: Migração e Conflitos 4.1 Habilidades: Compreender o conceito de migração e os motivos que a causam, a partir de casos de migrações que ocorreram mundialmente. Revisão: Distribuição Geográfica;

Leia mais

Portal do Servidor Publico. Cartilha de Orientação Acesso ao PORTAL

Portal do Servidor Publico. Cartilha de Orientação Acesso ao PORTAL Portal do Servidor Publico Cartilha de Orientação Acesso ao PORTAL 1 Indice Apresentação do Portal... 03 Acesso ao Portal do Servidor Publico... 04 Solicitar Senha... 04 Disponibilidade do Portal... 06

Leia mais

PROJETO INTEGRADOR ENGENHARIAS 2014.2 CARTILHA DE ORIENTAÇÃO

PROJETO INTEGRADOR ENGENHARIAS 2014.2 CARTILHA DE ORIENTAÇÃO PROJETO INTEGRADOR ENGENHARIAS 2014.2 CARTILHA DE ORIENTAÇÃO SUMÁRIO 1) APRESENTAÇÃO... 3 2) REGULAMENTO... 3 3) CRITÉRIOS PARA A AVALIAÇÃO DO TRABALHO FINAL... 7 4) CRITÉRIOS DE PARTICIPAÇÃO DOS ALUNOS...

Leia mais

COLÉGIO PEDRO II DIREÇÃO GERAL DIRETORIA DE EXTENSÃO E CULTURA PROGRAMA NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO TÉCNICO E AO EMPREGO

COLÉGIO PEDRO II DIREÇÃO GERAL DIRETORIA DE EXTENSÃO E CULTURA PROGRAMA NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO TÉCNICO E AO EMPREGO COLÉGIO PEDRO II DIREÇÃO GERAL DIRETORIA DE EXTENSÃO E CULTURA PROGRAMA NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO TÉCNICO E AO EMPREGO EDITAL Nº 01 DE 23 DE JULHO DE 2012 DEC (Errata e Complemento) EDITAL INSTITUCIONAL

Leia mais

Exercícios Migrações Internacionais

Exercícios Migrações Internacionais Exercícios Migrações Internacionais Material de apoio do Extensivo 1. Nas últimas décadas do século XX, o número de migrantes internacionais aumentou de forma significativa [ ] por causa das disparidades

Leia mais

Plano de Aula 1. Nível de Ensino: Básico e Secundário. Tópico : Finanças Tema: Consumo

Plano de Aula 1. Nível de Ensino: Básico e Secundário. Tópico : Finanças Tema: Consumo Plano de Aula 1 Nível de Ensino: Básico e Secundário. Tópico : Finanças Tema: Consumo Competências - Comparar as taxas associadas aos diferenets cartões de crédito. - Comparar as taxas com a inflação.

Leia mais

A Contribuição Sírio-Libanesa para o Desenvolvimento de Anápolis 1907 a 1949.

A Contribuição Sírio-Libanesa para o Desenvolvimento de Anápolis 1907 a 1949. A Contribuição Sírio-Libanesa para o Desenvolvimento de Anápolis 1907 a 1949. Palavras-chave: Anápolis, árabe, desenvolvimento, comércio. LUPPI, Sheila Cristina Alves de Lima 1 POLONIAL, Juscelino Martins

Leia mais

Universidade de São Paulo Faculdade de Medicina. Regulamento do Programa de Pós-Graduação de Oftalmologia

Universidade de São Paulo Faculdade de Medicina. Regulamento do Programa de Pós-Graduação de Oftalmologia Regulamento do Programa de Pós-Graduação de Oftalmologia I - COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO COORDENADORA DE PROGRAMA (CCP) A CCP terá como membros titulares 3 (três) orientadores plenos credenciados no Programa,

Leia mais

CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES O presente documento destina-se a reger as normas para registro acadêmico das atividades complementares do Curso de Graduação em

Leia mais

Construção do Espaço Africano

Construção do Espaço Africano Construção do Espaço Africano Aula 2 Colonização Para melhor entender o espaço africano hoje, é necessário olhar para o passado afim de saber de que forma aconteceu a ocupação africana. E responder: O

Leia mais

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DO RESUMO EXPANDIDO DO V CONGRESSO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ITAJUBÁ - FEPI

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DO RESUMO EXPANDIDO DO V CONGRESSO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ITAJUBÁ - FEPI NORMAS PARA ELABORAÇÃO DO RESUMO EXPANDIDO DO V CONGRESSO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ITAJUBÁ - FEPI Período de submissão de resumos expandidos: 06/06/2014 a 22/08/2014 (até às 21

Leia mais

APÊNDICE I. Dificuldades Sentidas pelos EE no Acompanhamento Escolar dos Educandos. Estabelecer um horário semanal de estudo

APÊNDICE I. Dificuldades Sentidas pelos EE no Acompanhamento Escolar dos Educandos. Estabelecer um horário semanal de estudo APÊNDICE I Dificuldades Sentidas pelos EE no Acompanhamento Escolar dos Educandos Actividades Outubro Estabelecer um horário semanal de estudo Fazer cumprir o horário semanal de estudo Verificar diariamente

Leia mais

EXAME DE BOLSAS DE ESTUDO CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU 2011/A

EXAME DE BOLSAS DE ESTUDO CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU 2011/A EXAME DE BOLSAS DE ESTUDO CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU 2011/A Edital 2011 1º semestre Unidades INPG participantes: Araraquara, Blumenau, Campinas, Joinville, Limeira, Piracicaba, São João da Boa

Leia mais

PRÊMIO DE JORNALISMO FAEPA/SENAR-PB 2015 REGULAMENTO. Encerramento das inscrições. Cerimônia de premiação dos vencedores

PRÊMIO DE JORNALISMO FAEPA/SENAR-PB 2015 REGULAMENTO. Encerramento das inscrições. Cerimônia de premiação dos vencedores PRÊMIO DE JORNALISMO FAEPA/SENAR-PB 2015 REGULAMENTO Calendário ATIVIDADES DATA Lançamento no site Encerramento das inscrições Anúncio oficial dos finalistas Cerimônia de premiação dos vencedores 03 de

Leia mais

MANUAL DO ALUNO. ATIVIDADES COMPLEMENTARES.

MANUAL DO ALUNO. ATIVIDADES COMPLEMENTARES. MANUAL DO ALUNO. ATIVIDADES COMPLEMENTARES. IDENTIFICAÇÃO DO (A) DISCENTE NOME: ENDEREÇO: CURSO: PERIODO: TURMA: Trabalhar o discente para torná-lo um empreendedor e facilitar sua inclusão no mercado de

Leia mais

Iniciativas para o enfrentamento ao tráfico de migrantes

Iniciativas para o enfrentamento ao tráfico de migrantes Cooperação Internacional como ferramenta para o Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas Iniciativas para o enfrentamento ao tráfico de migrantes 1 Por meio do Decreto n. 5.017, de 12 de março de 2004, foi

Leia mais

Lista de livros FUVEST:

Lista de livros FUVEST: Nome: Nº: Ano/Série: 9 Ano Disciplina: Língua Portuguesa Professor: Aliny Horvath Barbosa Orientação de Trabalho Bimestre: 3º Data: Os grandes vestibulares do Estado de São Paulo publicam, todo ano, uma

Leia mais

EDITAL PROCESSO SELETIVO PARA ASSISTENTE SOCIAL ESF - BAURU - Outubro 2013

EDITAL PROCESSO SELETIVO PARA ASSISTENTE SOCIAL ESF - BAURU - Outubro 2013 EDITAL PROCESSO SELETIVO PARA ASSISTENTE SOCIAL ESF - BAURU - Outubro 2013 A SORRI BAURU, por meio de sua Diretoria Executiva convoca os interessados a participar do processo seletivo para a contratação

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO 001/2015

EDITAL DE SELEÇÃO 001/2015 EDITAL DE SELEÇÃO 001/2015 A Coordenação do Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e em Matemática PPGECM/UFPR, conforme decisão do Colegiado, torna pública a abertura de inscrições à seleção

Leia mais

EXAME DE BOLSAS DE ESTUDO CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU 2014/A

EXAME DE BOLSAS DE ESTUDO CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU 2014/A EXAME DE BOLSAS DE ESTUDO CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU 2014/A Edital 2014 1º semestre Unidades INPG participantes: Araraquara, Blumenau, Campinas, Joinville, Limeira, Piracicaba, São José do Rio

Leia mais

EDITAL PROCESSO SELETIVO PARA ASSISTENTE SOCIAL SORRI-BAURU - Janeiro de 2013

EDITAL PROCESSO SELETIVO PARA ASSISTENTE SOCIAL SORRI-BAURU - Janeiro de 2013 EDITAL PROCESSO SELETIVO PARA ASSISTENTE SOCIAL SORRI-BAURU - Janeiro de 2013 A SORRI BAURU, por meio de sua Diretoria Executiva convoca os interessados a participar do processo seletivo para a contratação

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO FACULDADE DE ESTUDOS SOCIAIS DO ESPÍRITO SANTO FACULDADE PIO XII REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO ( 6º PERÍODO/2013-7º PERÍODO/2014-8º PERÍODO/2014 ) Cariacica 2013/2014 FACULDADE DE ESTUDOS

Leia mais

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE PRÉ-PROJETOS DE MONOGRAFIA DO CURSO DE DIREITO/FAJ

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE PRÉ-PROJETOS DE MONOGRAFIA DO CURSO DE DIREITO/FAJ Faculdade de Jussara FAJ Curso de Direito Coordenação de Trabalho de Conclusão de Curso MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE PRÉ-PROJETOS DE MONOGRAFIA DO CURSO DE DIREITO/FAJ Jussara 2013 APRESENTAÇÃO Este manual

Leia mais

SITUAÇÕES ESPECIAIS. Formação de Voluntários em Saúde. savlita 2015/16 DURAÇÃO DO CURSO OUTUBRO

SITUAÇÕES ESPECIAIS. Formação de Voluntários em Saúde. savlita 2015/16 DURAÇÃO DO CURSO OUTUBRO Universidade Católica Portuguesa - savlita SITUAÇÕES ESPECIAIS DURAÇÃO DO CURSO OUTUBRO 2015 a JUNHO 2016 ESTRUTURA DO CURSO Módulo 1 Voluntariado e Identidade Módulo 2 A saúde e a doença Módulo 3 Questões

Leia mais

ORIENTAÇÃO PARA DEFESA DO PROJETO DE DISSERTAÇÃO

ORIENTAÇÃO PARA DEFESA DO PROJETO DE DISSERTAÇÃO ORIENTAÇÃO PARA DEFESA DO PROJETO DE DISSERTAÇÃO Orientações para elaboração e defesa do projeto O projeto de pesquisa será apresentado na disciplina de Seminário II, no seguinte formato: O projeto deverá

Leia mais

Abrasa - Ponto de Cultura, Internacional Brasileiros na Áustria.

Abrasa - Ponto de Cultura, Internacional Brasileiros na Áustria. 1 Abrasa - Ponto de Cultura, Internacional Brasileiros na Áustria. Quem somos: A Abrasa Associação Brasileiro-Afro-Brasileira para o Desenvolvimento da Dança, Cultura Educação e Arte, é uma Instituição

Leia mais

ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS. FORMATAÇÃO E MODELO PARA RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO (Estágio I e II)

ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS. FORMATAÇÃO E MODELO PARA RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO (Estágio I e II) ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS FORMATAÇÃO E MODELO PARA RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO (Estágio I e II) PROFESSOR: EDUARDO OLIVEIRA TELES 2011 FORMATAÇÃO GERAL DO TEXTO Margens:

Leia mais

VIVA ALEMANHA/SP. Realização da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo. CONCURSO DE FOTOGRAFIA Marcas da Imigração Alemã no Estado de São Paulo

VIVA ALEMANHA/SP. Realização da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo. CONCURSO DE FOTOGRAFIA Marcas da Imigração Alemã no Estado de São Paulo 1 VIVA ALEMANHA/SP Realização da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo CONCURSO DE FOTOGRAFIA Marcas da Imigração Alemã no Estado de São Paulo JUSTIFICATIVA O concurso de Fotografia Marcas da Imigração

Leia mais

Relatório para Estágio Supervisionado Nome do aluno (RA)

Relatório para Estágio Supervisionado Nome do aluno (RA) Relatório para Estágio Supervisionado Nome do aluno (RA) Campinas, 2012 Curso de Engenharia de Produção REGISTRO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Nome do aluno: Engenheiro

Leia mais

Roteiro da Biblioteca das Faculdades Coc Como Fazer Uma Pesquisa Teórica e Elaborar um Trabalho Acadêmico

Roteiro da Biblioteca das Faculdades Coc Como Fazer Uma Pesquisa Teórica e Elaborar um Trabalho Acadêmico Roteiro da Biblioteca das Faculdades Coc Como Fazer Uma Pesquisa Teórica e Elaborar um Trabalho Acadêmico Para realizar uma pesquisa que não se torne um grande sacrifício pelas dificuldades em encontrar

Leia mais

Aulas expositivas, interativas, e práticas.

Aulas expositivas, interativas, e práticas. Muito mais difícil do que aprender a manejar uma câmera é aprender a ver. Saber porque ideias e imagens não existem em separado, e como podemos produzir resultados expressivos e significativos através

Leia mais

TRÁFICO HUMANO E AS MIGRAÇÕES INTERNACIONAIS

TRÁFICO HUMANO E AS MIGRAÇÕES INTERNACIONAIS TRÁFICO HUMANO E AS MIGRAÇÕES INTERNACIONAIS MOVIMENTOS MIGRATÓRIOS INTERNACIONAIS 1. RAZÕES DAS MIGRAÇÕES FATORES ATRATIVOS X FATORES REPULSIVOS - CONDIÇÕES DE VIDA - OFERTAS DE EMPREGO - SEGURANÇA -

Leia mais

I. conhecer o Projeto Político-Pedagógico deste estabelecimento d e ensino;

I. conhecer o Projeto Político-Pedagógico deste estabelecimento d e ensino; Compete ao Secretário Escolar: I. conhecer o Projeto Político-Pedagógico deste estabelecimento d e ensino; II. cumprir a legislação em vigor e as instruções normativas emanadas da SEED, que regem o registro

Leia mais

REGIMENTO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM HISTÓRIA E HISTORIOGRAFIA DA AMAZÔNIA

REGIMENTO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM HISTÓRIA E HISTORIOGRAFIA DA AMAZÔNIA REGIMENTO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM HISTÓRIA E HISTORIOGRAFIA DA AMAZÔNIA I. DISPOSIÇÕES GERAIS 1.1. OBJETIVO O objetivo do Curso de Especialização em História e Historiografia da Amazônia

Leia mais

Da finalidade das atividades complementares

Da finalidade das atividades complementares Salvador, 28 de setembro de 2010. Da finalidade das atividades complementares Art. 1º A finalidade das atividades complementares é o enriquecimento da formação do aluno quanto ao seu curso de graduação,

Leia mais

DECRETO Nº 91.332, DE 14 DE JUNHO DE 1985

DECRETO Nº 91.332, DE 14 DE JUNHO DE 1985 PORTUGAL Acordo de Co-Produção Brasil - Portugal - 03/02/1981 Decreto Nº 91.332, de 14 de junho de 1985 DECRETO Nº 91.332, DE 14 DE JUNHO DE 1985 Promulga o Acordo de Co-Produção Cinematográfica entre

Leia mais

Passo 1: Escolha a língua que você pretende estudar

Passo 1: Escolha a língua que você pretende estudar PRÉ-MATRÍCULA NUPEL 2014.2 ORIENTAÇÕES Datas das pré-matrículas para o segundo semestre de 2014: 26 e 27/06/2014: Pré- matrícula para os alunos que já cursam o NUPEL (observe escalonamento neste documento)

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL PARA TRABALHO FINAL DE GRADUAÇÃO

REGULAMENTO INTERNO DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL PARA TRABALHO FINAL DE GRADUAÇÃO REGULAMENTO INTERNO DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL PARA TRABALHO FINAL DE GRADUAÇÃO São Borja, Janeiro de 2010. Elaboração: Dra.. Caroline Goerck Dra. Cristina Fraga Me. Eliana Godoy Me. Elisângela Maia Pessoa

Leia mais

Edital 011 VV - 2015 Programa de Iniciação Científica - PIC Faculdade Estácio Vila Velha

Edital 011 VV - 2015 Programa de Iniciação Científica - PIC Faculdade Estácio Vila Velha Edital 011 VV - 2015 Programa de Iniciação Científica - PIC Faculdade Estácio Vila Velha Artigo 1º - O Programa de Iniciação Científica - PIC tem por finalidade despertar o interesse e incentivar vocações

Leia mais

EDITAL DE OCUPAÇAO DA GALERIA JENNER AUGUSTO SALA 2

EDITAL DE OCUPAÇAO DA GALERIA JENNER AUGUSTO SALA 2 EDITAL DE OCUPAÇAO DA GALERIA JENNER AUGUSTO SALA 2 APRESENTAÇÃO A Sociedade de Estudos Múltiplos, Ecológica e de Artes Sociedade Semear, através da Diretoria de Cultura e Arte, torna público que estão

Leia mais

R E S O L U Ç Ã O. Esta resolução entra em vigor nesta data, revogando as disposições contrárias. Bragança Paulista, 12 de dezembro de 2012.

R E S O L U Ç Ã O. Esta resolução entra em vigor nesta data, revogando as disposições contrárias. Bragança Paulista, 12 de dezembro de 2012. RESOLUÇÃO CONSEPE 36/2012 APROVA O REGULAMENTO PARA REVALIDAÇÃO DE TÍTULOS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EXPEDIDOS POR INSTITUIÇÕES ESTRANGEIRAS PELA UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO USF. O Presidente do Conselho

Leia mais

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS Formulário de Requerimento de Averbação e Registro

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS Formulário de Requerimento de Averbação e Registro Formulário de Requerimento de Averbação e Registro Formulário de Requerimento de Averbação e Registro de Contratos e Faturas, em três vias, devidamente preenchido (datilografado, digitado ou manuscrito

Leia mais

Introdução. Benefícios para todos

Introdução. Benefícios para todos Introdução Esta cartilha tem a finalidade de guiar as empresas na implantação da Nota Fiscal Eletrônica e demonstrar as facilidades e vantagens do sistema para o contribuinte e para a sociedade A Nota

Leia mais

Perguntas importantes: Que tipo de trabalho desempenhará para empresa brasileira? * Definição do tipo de visto e documentos necessários

Perguntas importantes: Que tipo de trabalho desempenhará para empresa brasileira? * Definição do tipo de visto e documentos necessários Mercado de Imigração no Brasil - Tipos de vistos e correta aplicação nas diversas modalidades de contratação de estrangeiros por empresas sediadas no Brasil. Maio 2015 Vou receber um estrangeiro em minha

Leia mais

FONTES PRIMÁRIAS SOBRE A HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO NO BRASIL: BOLETINS E CIRCULARES DO APOSTOLADO POSITIVISTA (1881-1927) APRESENTAÇÃO

FONTES PRIMÁRIAS SOBRE A HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO NO BRASIL: BOLETINS E CIRCULARES DO APOSTOLADO POSITIVISTA (1881-1927) APRESENTAÇÃO FONTES PRIMÁRIAS SOBRE A HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO NO BRASIL: BOLETINS E CIRCULARES DO APOSTOLADO POSITIVISTA (1881-1927) APRESENTAÇÃO João Carlos da Silva 1 A produção da IPB reúne uma farta publicação de

Leia mais

SEQUÊNCIA DIDÁTICA PODCAST ÁREA ESTUDOS DA SOCIEDADE E DA NATUREZA ALFA Título do Deslocamento Populacional

SEQUÊNCIA DIDÁTICA PODCAST ÁREA ESTUDOS DA SOCIEDADE E DA NATUREZA ALFA Título do Deslocamento Populacional SEQUÊNCIA DIDÁTICA PODCAST ÁREA ESTUDOS DA SOCIEDADE E DA NATUREZA ALFA Título do Deslocamento Populacional Podcast Área Estudos da Sociedade e da Natureza Segmento Ensino Fundamental Programa de Alfabetização

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE O roteiro e normas abaixo discriminados foram aprovados pela Congregação da FEA em 17.8.2005. ROTEIRO E NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE UM MEMORIAL PADRÃO PARA CONCURSOS DA CARREIRA DOCENTE NA FEA SUMÁRIO (para

Leia mais

Apresentação... 19 Prefácio da primeira edição... 21 Prefácio da segunda edição... 27 Introdução... 33

Apresentação... 19 Prefácio da primeira edição... 21 Prefácio da segunda edição... 27 Introdução... 33 Sumário Apresentação... 19 Prefácio da primeira edição... 21 Prefácio da segunda edição... 27 Introdução... 33 Capítulo I CIÊNCIA, CONHECIMENTOS E PESQUISA CIENTÍFICA... 37 1. Conceito de ciência e tipos

Leia mais

RESOLUÇÃO CoPGr 6887, DE 25 DE AGOSTO DE 2014

RESOLUÇÃO CoPGr 6887, DE 25 DE AGOSTO DE 2014 D.O.E.: 28/08/2014 RESOLUÇÃO CoPGr 6887, DE 25 DE AGOSTO DE 2014 Baixa o Regulamento do Programa de Pós-Graduação em Pneumologia da Faculdade de Medicina. A Pró-Reitora de Pós-Graduação da Universidade

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SISTEMA DE BIBLIOTECAS PROCEDIMENTOS PARA COMPRA DE MATERIAL BIBLIOGRÁFICO NA UFPR

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SISTEMA DE BIBLIOTECAS PROCEDIMENTOS PARA COMPRA DE MATERIAL BIBLIOGRÁFICO NA UFPR UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SISTEMA DE BIBLIOTECAS PROCEDIMENTOS PARA COMPRA DE MATERIAL BIBLIOGRÁFICO NA UFPR Para a compra de materiais bibliográficos, primeiramente o solicitante deve possuir o recurso

Leia mais

CURSO DE DIREITO REGULAMENTO PARA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC ESPECÍFICO PARA O CURSO DE DIREITO

CURSO DE DIREITO REGULAMENTO PARA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC ESPECÍFICO PARA O CURSO DE DIREITO CURSO DE DIREITO REGULAMENTO PARA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC ESPECÍFICO PARA O CURSO DE DIREITO 2 DISPOSIÇÕES PRELIMINARES ART. 1 - O presente Regulamento tem por finalidade normatizar as atividades

Leia mais

REGULAMENTO DOS DIPLOMAS DE ESPECIALIZAÇÃO

REGULAMENTO DOS DIPLOMAS DE ESPECIALIZAÇÃO REGULAMENTO DOS DIPLOMAS DE ESPECIALIZAÇÃO Aprovado em reunião da Comissão Coordenadora do Conselho Científico em 22/11/2006 Aprovado em reunião de Plenário do Conselho Directivo em 13/12/2006 PREÂMBULO

Leia mais

PIC. Componentes da PIC 1. o bimestre. Produção Integrada ao Conteúdo

PIC. Componentes da PIC 1. o bimestre. Produção Integrada ao Conteúdo PIC VERSÃO PARA O PROFESSOR VERSÃO PARA O PROFESSOR 9. o ano Ensino Fundamental Produção Integrada ao Conteúdo Componentes da PIC 1. o bimestre Arte Ciências Geografia A nota de PIC é a média entre a nota

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DA FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO Diretora: - Profª Mayra Santos Cabral

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DA FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO Diretora: - Profª Mayra Santos Cabral FESURV UNIVERSIDADE DE RIO VERDE FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DA FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO Diretora: - Profª Mayra Santos Cabral Coordenadores de estágios: - Prof. Marcos

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA LUIZ DE QUEIROZ DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS FLORESTAIS LCF-1581

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA LUIZ DE QUEIROZ DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS FLORESTAIS LCF-1581 UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA LUIZ DE QUEIROZ DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS FLORESTAIS LCF-1581 Recursos Florestais em Propriedades Agrícolas Trabalho final: Projeto de adequação

Leia mais

EDITAL DO PROGRAMA DE RESIDÊNCIA DE TRADUTORES ESTRANGEIROS NO BRASIL N 1 / 2014

EDITAL DO PROGRAMA DE RESIDÊNCIA DE TRADUTORES ESTRANGEIROS NO BRASIL N 1 / 2014 EDITAL DO PROGRAMA DE RESIDÊNCIA DE TRADUTORES ESTRANGEIROS NO BRASIL N 1 / 2014 A Fundação Biblioteca Nacional torna público que oferecerá bolsas a tradutores estrangeiros tendo em vista períodos de residência

Leia mais

EIXOS TEMÁTICOS REFERENCIAS BIBLIOGRÁFICAS

EIXOS TEMÁTICOS REFERENCIAS BIBLIOGRÁFICAS EIXOS TEMÁTICOS 1. Cultura, saberes e práticas escolares e pedagógicas na educação profissional e tecnológica: arquivos escolares, bibliotecas e centros de documentação. Para este eixo temático espera

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO PROGRAMA DE BOLSAS IBERO-AMERICANAS 2014 FACULDADE DOS GUARARAPES PARA INTERCÂMBIO NO EXTERIOR

REGULAMENTO INTERNO PROGRAMA DE BOLSAS IBERO-AMERICANAS 2014 FACULDADE DOS GUARARAPES PARA INTERCÂMBIO NO EXTERIOR REGULAMENTO INTERNO PROGRAMA DE BOLSAS IBERO-AMERICANAS 2014 FACULDADE DOS GUARARAPES PARA INTERCÂMBIO NO EXTERIOR A Faculdade dos Guararapes abre, aos seus estudantes de graduação, o processo seletivo

Leia mais

REGULAMENTO DA MEDIATECA DO BCI FOMENTO

REGULAMENTO DA MEDIATECA DO BCI FOMENTO 1 I Natureza e Funções REGULAMENTO DA MEDIATECA DO BCI FOMENTO A Mediateca do BCI FOMENTO é um centro de documentação integrado do BCI, SARL. A sua sede funciona na cidade do Maputo, dispondo de uma antena

Leia mais

EDITAL PROCESSO SELETIVO PARA ASSISTENTE SOCIAL

EDITAL PROCESSO SELETIVO PARA ASSISTENTE SOCIAL EDITAL PROCESSO SELETIVO PARA ASSISTENTE SOCIAL A SORRI - BAURU, por meio de sua Diretoria Executiva convoca os interessados a participar de processo seletivo para a contratação de ASSISTENTE SOCIAL. Este

Leia mais

A árvore das árvores

A árvore das árvores A árvore das árvores Resumo O documentário apresenta os múltiplos usos do carvalho para as sociedades, desde tempos remotos até os dias de hoje; além de retratar lendas e histórias sobre essas árvores

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA DA FACULDADE INTEGRADA BRASIL AMAZÔNIA FIBRA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA DA FACULDADE INTEGRADA BRASIL AMAZÔNIA FIBRA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA DA FACULDADE INTEGRADA BRASIL AMAZÔNIA FIBRA Regula o funcionamento do Núcleo de Prática Jurídica NPJ do curso de Direito Bacharelado da Fibra. CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

O GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº XXXX DE XX DE XXXXXX DE 201X ALTERA A LEI Nº 6720, DE 25 DE MARÇO DE 2014, QUE INSTITUI PLANO DE CARGOS, CARREIRAS E REMUNERAÇÃO DA FUNDAÇÃO DE APOIO À ESCOLA TÉCNICA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

Leia mais

VII CENSO DOS ALUNOS DE GRADUAÇÃO DA UERJ

VII CENSO DOS ALUNOS DE GRADUAÇÃO DA UERJ UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO- UERJ NÚCLEO DE INFORMAÇÃO E ESTUDOS DE CONJUNTURA NIESC/PRODEMAN SUB-REITORIA DE GRADUAÇÃO- SR-1 DEPARTAMENTO DE ORIENTAÇÃO E SUPERVISÃO PEDAGÓGICA - DEP Prezado

Leia mais

FACULDADE MORAES JÚNIOR MACKENZIE RIO REGULAMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TÍTULO I CAPÍTULO I DO OBJETIVO, DA NATUREZA E DA FINALIDADE

FACULDADE MORAES JÚNIOR MACKENZIE RIO REGULAMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TÍTULO I CAPÍTULO I DO OBJETIVO, DA NATUREZA E DA FINALIDADE FACULDADE MORAES JÚNIOR MACKENZIE RIO REGULAMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TÍTULO I CAPÍTULO I DO OBJETIVO, DA NATUREZA E DA FINALIDADE SEÇÃO I DO OBJETIVO Art. 1º O presente Regulamento tem por

Leia mais

EDITAL DE ABERTURA PARA SELEÇÃO DE DOCENTES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FAL Nº. 01/2013

EDITAL DE ABERTURA PARA SELEÇÃO DE DOCENTES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FAL Nº. 01/2013 Página 1 de 10 EDITAL DE ABERTURA PARA SELEÇÃO DE DOCENTES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FAL Nº. 01/2013 1. DEFINIÇÃO: A FACULDADE AMÉRICA LATINA - FAL, através da Direção torna pública a abertura do

Leia mais

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO INTEGRADO DE DESIGN E ENGENHARIA DE PRODUTO - LIDEP

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO INTEGRADO DE DESIGN E ENGENHARIA DE PRODUTO - LIDEP REGULAMENTO DO LABORATÓRIO INTEGRADO DE DESIGN E ENGENHARIA DE PRODUTO - LIDEP A Coordenadora da Faculdade de Ciência e Tecnologia de Montes Claros FACIT, no uso de suas atribuições regimentais, considerando

Leia mais

CM2 Estruturação Imobiliária Ltda.

CM2 Estruturação Imobiliária Ltda. 6º CURSO CM2/ADEMI RJ Rio de Janeiro, Agosto de 2010. Montagem, Coordenação e Realização: Apoio: CM2 Estruturação Imobiliária Ltda. EMENTA Programa e Disciplina do Curso Estruturação Imobiliária Aplicada

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA PRODUÇÃO DE TEXTOS DO JORNAL REPORTAGEM RESENHA CRÍTICA TEXTO DE OPINIÃO CARTA DE LEITOR EDITORIAL

ORIENTAÇÕES PARA PRODUÇÃO DE TEXTOS DO JORNAL REPORTAGEM RESENHA CRÍTICA TEXTO DE OPINIÃO CARTA DE LEITOR EDITORIAL ORIENTAÇÕES PARA PRODUÇÃO DE TEXTOS DO JORNAL REPORTAGEM RESENHA CRÍTICA TEXTO DE OPINIÃO CARTA DE LEITOR EDITORIAL ORIENTAÇÕES PARA OS GRUPOS QUE ESTÃO PRODUZINDO UMA: REPORTAGEM Tipos de Textos Características

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE CIÊNCIAS SOCIAIS REGULAMENTO

ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE CIÊNCIAS SOCIAIS REGULAMENTO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE CIÊNCIAS SOCIAIS REGULAMENTO Guarapuava 2013 1 CAPÍTULO I DAS CONSIDERAÇÕES INICIAIS Art. 1º As atividades de Estágio Curricular Supervisionado do Curso de

Leia mais

CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL (Publicidade e Propaganda)

CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL (Publicidade e Propaganda) CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL (Publicidade e Propaganda) NÚCLEO DE TECNOLOGIA E COMUNICAÇÃO FACULDADE DA CIDADE DE MACEIÓ Regulamento de Funcionamento do Laboratório de Comunicação I INTRODUÇÃO: O Núcleo

Leia mais

Tecnologia da Informação na FG AUTO - ATENDIMENTO ALUNO

Tecnologia da Informação na FG AUTO - ATENDIMENTO ALUNO Tecnologia da Informação na FG AUTO - ATENDIMENTO ALUNO Jaboatão dos Guararapes / PE PAG.1 Tecnologia da Informação na Faculdade Guararapes A Faculdade Guararapes através do Setor de Tecnologia da Informação

Leia mais

Orientações Gerais para as Disciplinas de Trabalho de Conclusão do Cursos de Sistemas para Internet IFRS - Câmpus Porto Alegre

Orientações Gerais para as Disciplinas de Trabalho de Conclusão do Cursos de Sistemas para Internet IFRS - Câmpus Porto Alegre Orientações Gerais para as Disciplinas de Trabalho de Conclusão do Cursos de Sistemas para Internet IFRS - Câmpus Porto Alegre Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul -

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 04, DE 09 DE JUNHO DE 2015

RESOLUÇÃO Nº 04, DE 09 DE JUNHO DE 2015 RESOLUÇÃO Nº 04, DE 09 DE JUNHO DE 2015 Institui regulamento referente ao Trabalho de Conclusão de Curso para o curso de Medicina do Instituto Metropolitano de Ensino Superior. O PRESIDENTE DO CONSELHO

Leia mais

MELHEN ADAS. SERGIO ADAsExpedições Geográficas Editora mmoderna Projeto ARARIBÁ, editora Moderna.

MELHEN ADAS. SERGIO ADAsExpedições Geográficas Editora mmoderna Projeto ARARIBÁ, editora Moderna. PLANO DE TRABALHO DOCENTE (PTD) Professor (a) Osmarina Disciplina :GEOGRAFIA Ano:8 ANOB Período:2014 CONTEÚDOS ESTRUTURANTES CONTEÚDO BÁSICO CONTEÚDOS ESPECÍFICOS JUSTIFICATIVA ENCAMINHAMENTO METODOLÓGICO

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA BIOMÉDICA Regulamento do TCC

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA BIOMÉDICA Regulamento do TCC ANEXO A TERMO DE COMPROMISSO DE ORIENTAÇÃO DO TRABALHO DE Nome do Aluno: Matricula: Título do TCC CONCLUSAO DE CURSO (TCC) Solicito que seja designado como meu Orientador do Trabalho de Conclusão de Curso

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 003/99 RESOLVE: CAPÍTULO I DA EDUCAÇÃO INFANTIL

RESOLUÇÃO Nº 003/99 RESOLVE: CAPÍTULO I DA EDUCAÇÃO INFANTIL RESOLUÇÃO Nº 003/99 Fixa normas para a Educação Infantil no âmbito do Sistema Municipal de Educação de São José. O PRESIDENTE DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE SÃO JOSÉ no uso de suas atribuições, de

Leia mais

Direitos e Deveres do Pesquisado

Direitos e Deveres do Pesquisado Comitê de Ética em Pesquisa CEP- Faciplac Registrado na SIPAR- Ministério da Saúde sob o nº 147057/2007 Direitos e Deveres do Pesquisado Direitos do Pesquisado I- Em caso de danos ao pesquisado por ato

Leia mais

FACULDADE RADIAL SÃO PAULO - FARSP CURSO DE DIREITO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE DIREITO

FACULDADE RADIAL SÃO PAULO - FARSP CURSO DE DIREITO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE DIREITO FACULDADE RADIAL SÃO PAULO - FARSP CURSO DE DIREITO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE DIREITO 1 SUMÁRIO DAS DISPOSIÇÕES GERAIS...3 DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES...3 DA COORDENAÇÃO DAS

Leia mais

I CONCURSO DE ARTE IMPRESSA CONTEMPORÂNEA GOETHE-INSTITUT PORTO ALEGRE

I CONCURSO DE ARTE IMPRESSA CONTEMPORÂNEA GOETHE-INSTITUT PORTO ALEGRE I CONCURSO DE ARTE IMPRESSA CONTEMPORÂNEA GOETHE-INSTITUT PORTO ALEGRE 1.OBJETO DA SELEÇÃO 1.1. Dando destaque à gravura, campo de forte tradição no Brasil e na Alemanha, foi criado o I Concurso de Arte

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO CULTURAL E ESPORTIVA EDUCANDO PARA O FUTURO DE HARMONIA

REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO CULTURAL E ESPORTIVA EDUCANDO PARA O FUTURO DE HARMONIA REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO CULTURAL E ESPORTIVA EDUCANDO PARA O FUTURO DE HARMONIA Capítulo I - Da Instituição Art. 1.º - O presente Regimento Interno regula o funcionamento, as atividades e os cursos

Leia mais

DELIBERAÇÃO CONSUNI Nº 028/2001

DELIBERAÇÃO CONSUNI Nº 028/2001 DELIBERAÇÃO CONSUNI Nº 028/2001 Dispõe sobre a criação do Sistema Integrado de Bibliotecas SIBi e aprovação do seu regulamento. O CONSELHO UNIVERSITÁRIO, na conformidade do Processo nº PREX- 1785/2001,

Leia mais