SISTEMA DIGESTÓRIO. Prof. Me. Leandro Parussolo

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SISTEMA DIGESTÓRIO. Prof. Me. Leandro Parussolo"

Transcrição

1 SISTEMA DIGESTÓRIO Prof. Me. Leandro Parussolo

2 SISTEMA DIGESTÓRIO Função retirar dos alimentos as substâncias necessárias para o desenvolvimento e manutenção do organismo. Alimento é digerido e transformado em moléculas de fácil absorção: aminoácidos (digestão das proteínas) glicose (digestão dos carboidratos) ácidos graxos, colesterol e glicerol (digestão dos lipídeos)

3 3

4 Princípios gerais da função Gastrointestinal Trato alimentar abastece o corpo (suprimento contínuo de água, eletrólitos, nutrientes) requer Movimentação do alimento pelo trato alimentar; Secreção de soluções digestivas e digestão dos alimentos; Absorção de água, eletrólitos e produtos da digestão; Circulação do sangue através dos órgãos gastrintestinais (transporte de substâncias absorvidas); Controle de todas essas funções (sistemas nervoso e hormonal locais) 4

5 Princípios gerais da função Gastrointestinal Cada parte está adaptada a funções específicas: Esôfago (passagem do alimento) Estômago (armazenamento temporário do alimento) Intestino delgado (digestão e absorção) 5

6 Princípios gerais da função Gastrointestinal O tempo em que os alimentos permanecem em cada parte do trato alimentar é importante para que os alimentos possam ser processados adequadamente Múltiplos mecanismos de feedback automáticos (nervosos ou hormonais) controlam a duração de cada estágio do processamento para que ocorra adequadamente. 6

7 Cavidade Oral, Dentes e Língua Início da degradação dos alimentos cavidade oral; Dentes! projetados para mastigação Anteriores (Incisivos): Ação de cortar Posteriores (Molares) Ação de triturar Todos músculos da mandíbula em conjunto aproximam os dentes com uma força de até 25 kg nos incisivos e 91 kg nos molares 7

8 Cavidade Oral, Dentes e Língua Mastigação Importante para digestão de todos alimentos, especialmente frutas e vegetais (possuem membranas de celulose indigeríveis precisam ser quebradas para digestão do alimento) Ajuda na digestão (enzimas digestivas só agem nas superfícies das partículas dos alimentos) Tritura os alimentos (partículas pequenas) prevenindo escoriação do TG e facilitando o transporte do alimento do estômago ao intestino. 8

9 Cavidade Oral, Dentes e Língua A saliva umedece, lubrifica e inicia a digestão através da enzima amilase (ou ptialina) que atua sobre os carboidratos; A língua mistura e amassa esse fragmentos resultando no bolo alimentar; Devido ao atrito com o alimento, a cavidade oral é revestida por epitélio estratificado pavimentoso 9

10 Glândulas salivares 5% da saliva é produzida pelas glândulas salivares espalhadas no tecido conjuntivo da cavidade oral; A maior parte da saliva é produzida por 3 pares de glândulas salivares: - Parótidas: 30% - Submandibulares: 60% - Sublinguais: 5% 10

11 Saliva ajuda a evitar processos de deterioração de diversas maneiras: 1. Lavar a boca, eliminando bactérias patogênicas e partículas que provém suporte metabólico a elas; 2. Contém diversas enzimas que atacam bactérias (lisozima); ajudam os íons tiocinato a destruir as bactérias; digerem partículas de alimento; 3. Contém anticorpos protéicos que destroem bactérias orais. Na ausência de salivação: Tecidos orais podem tornar-se ulcerados e infectados; Cáries dentárias podem tornar-se frequentes. 11

12 Língua Revestida por epitélio estratificado pavimentoso; A face superior da língua é irregular, devido a saliências do epitélio e do tecido conjuntivo subjacente: as papilas línguas - papilas filiformes (doce) - papilas fungiformes (salgado, azedo) - papilas circunvaladas (amargo) 12

13 Língua Na língua há feixes de músculo estriado esquelético responsáveis pelo seu movimento 13

14 Deglutição FARINGE ESÔFAGO ESTÔMAGO Faringe: - o epitélio estratificado pavimentoso protege a faringe do atrito sofrido com a passagem do alimento; - Há glândulas mucosas que produzem MUCO lubrificante. 14

15 Deglutição Esôfago: - tubo com cerca de 25 cm comprimento transporta o alimento da faringe para o estômago; - também é formado por epitélio estratificado pavimentoso e para diminuir o atrito, o epitélio é lubrificado por MUCO produzido pelas glândulas esofágicas 15

16 Deglutição Bolo alimentar se movimenta por meio da PERISTALTISMO do músculo liso do esôfago - leva o alimento até o estômago E n t r e e s ô f a g o e estômago há o esfíncter gastroesofágico - impede o refluxo do conteúdo gástrico para o esôfago 16

17 Anatomia básica do estômago dividido em 2 partes principais: corpo e antro Estômago: Região onde o bolo alimentar é macerado e parcialmente digerido em uma pasta - QUIMO. Adultos - comporta 1,5 L Quando distendido - até 3 L 17

18 Funções do estômago - O epitélio é Simples Colunar constituído por cells mucosas superficiais que secretam MUCO, que lubrifica o epitélio e o protege dos efeitos corrosivos do suco gástrico; - Além de secretar muco que revestem toda a superfície do estômago, a mucosa estomacal possui 2 tipos de glândulas tubulares: Glândulas oxínticas (glândulas gástricas)! formadoras de ácido (clorídrico, pepsinogênio, fator intrínseco, muco) localizadas nas superfícies internas do corpo e fundo do estômago. Glândulas pilóricas! secretam principalmente muco e hormônio gastrina localizada na porção antral 18

19 GLÂNDULAS OXÍNTICAS Secreção pepsinogênio: não tem atividade digestiva quando secretado; Assim que entra em contato com ác. clorídrico, pepsinogênio é clivado para formar pepsina ativa; Pepsina atua como uma enzima proteolítica ativa em meio muito ácido (ph 1,8 3,5); Ác. Clorídrico tão necessário quanto a pepsina para a digestão das proteínas do estômago; 19

20 - A musculatura lisa do estômago promove a passagem do bolo alimentar até o intestino delgado por meio de movimentos peristálticos; - Entre o estômago e o intestino delgado existe o esfíncter pilórico - que impede a passagem do alimento até que ele seja convertido em QUIMO; 20

21 Intestino Delgado - Tubo longo (aprox. 5m) - dividido em 3 regiões: Duodeno, Jejuno e Íleo; - É no intestino que a digestão é finalizada, e a absorção de nutrientes ocorre; - A digestão é realizada pelas enzimas provenientes do pâncreas e pelas enzimas presentes nas células intestinais. 21

22 Intestino Delgado - Apresenta adaptações - para aumentar a superfície de absorção: vilosidades; - As células epiteliais são chamadas de enterócitos (devido a localização) ou células absortivas (devido a função). 22

23 Intestino Delgado - A camada muscular é constituída por 2 subcamadas de músculo liso entre essas 2 camadas há o plexo nervoso mioentérico que controla o PERISTALTISMO; - Entre o intestino delgado e o intestino grosso há uma válvula ileocecal (um esfíncter que retarda a passagem do conteúdo do íleo para o ceco até a digestão e a absorção terem ocorrido). 23

24 Intestino Grosso - Possui cerca de 1,5 m; - Subdividido em ceco (inclui apêndice); Colo (cólon) ascendente, transverso, descendente (e sigmoide) e Reto. - Função: absorção de água e eletrólitos. 24

25 Intestino Grosso Células IG - secretam muco - Além de proteger a parede intestinal contra escoriações, o MUCO proporciona um meio adesivo para o material fecal; - Protege a parede intestinal da intensa atividade bacteriana que ocorre nas fezes; - Seu ph alcalino (8,0) constitui uma barreir