Língua portuguesa: ultrapassar fronteiras, juntar culturas

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Língua portuguesa: ultrapassar fronteiras, juntar culturas"

Transcrição

1 A INFLUÊNCIA DO INGLÊS NO PORTUGUÊS CONTEMPORÂNEO (EM PORTUGAL E EM MOÇAMBIQUE) Edyta JABLONKA 1 RESUMO O presente estudo tem como objectivo principal a análise da língua portuguesa contemporânea, nomeadamente, a influência do inglês no léxico português actual. Tomaremos em consideração não somente a norma europeia, mas também o português de Moçambique. Com o desenvolvimento muito rápido das novas tecnologias e da informática, com o processo da globalização fica relacionado o processo da integração acelerada dos anglicismos. Na nossa opinião, é preciso investigar em que medida o inglês influenciou o português actual. Moçambique é um país que depois da independência aceitou o português como a língua oficial, mesmo que tivessem aparecido outras possibilidades, como a introdução do inglês. Dos dados encontrados acerca do ensino superior em Moçambique resulta que grande parte das aulas é realizada em inglês. Um dos exemplos constitui a Universidade Católica em que existe o bilinguismo: as aulas realizam-se em português e em inglês. É sobretudo o caso dos cursos tais como gestão, informática e marketing. Os cursos de pós-graduação são realizados em inglês na integridade. O conhecimento desta língua é exigido por razões económicas e políticas. O léxico será analisado a base das páginas da Internet e da imprensa actual. Escolhemos estes meios de comunicação por serem os mais actuais, pois reflectem o estado da língua no momento dado, as mudanças sociais e culturais. Nas análises aproveitaremos as teorias sobre a adaptação dos estrangeirismos e sobre a sua integração no léxico português. Sem dúvida, o inglês tem sido ultimamente a língua estrangeira mais influente, por isso deviase observar quais são os resultados desta influência no português contemporâneo e quais são os novos vocábulos que vão aparecendo em português europeu e moçambicano. PALAVRAS-CHAVE: anglicismo; estrangeirismo; lexicologia; Portugal; Moçambique 1 Universidade Maria Curie Sklodowska, Departamento dos Estudos Portugueses, Instituto de Filologia Românica, Pl. M. Curie-Sklodowskiej 4 a, Lublin, Polónia, 39

2 Ao longo dos últimos anos tem-se falado muito do papel da língua inglesa e até da sua hegemonia. Na imprensa actual repara-se em várias vozes em defesa da língua portuguesa. Como exemplo, podemos citar o artigo "Perigosa" hegemonia do inglês junta hoje em Lisboa Lusofonia, Francofonia e Hispanofonia publicado a 21 de Abril de 2008, 2 que trata do encontro dos membros do grupo Três Espaços Linguísticos (3L), que pretendem coordenar acções de promoção linguística perante o perigo de hegemonia do inglês. Por isso, decidimos ver qual é a influência desta língua no português em Portugal e em Moçambique. O nosso objectivo principal é tentar responder à pergunta se realmente existem razões para se preocupar e tratar o inglês como uma ameaça para a língua portuguesa. Antes de passarmos às descrições mais detalhadas, merece a pena lembrar algumas teorias acerca dos estrangeirismos e da sua integração no léxico da língua receptora. É indiscutível que os estrangeirismos ampliam o léxico de cada língua, é um processo que dura desde que existem as línguas. Como diz Langacker (1972: 185), as línguas vivas nunca ficam estacionárias [...] Em uma sociedade altamente técnica e complexa como a nossa, há uma necessidade constante de novas unidades lexicais. Porém, há defensores das línguas modernas como Aldo Rebelo (2004), para quem o uso de estrangeirismos degrada o idioma nacional e que tentam lutar contra a introdução dos anglicismos. 3 Se se trata da situação em Portugal, nas revistas e na Internet encontrámos as vozes bem críticas quanto ao Estado, que, segundo os jornalistas ou representantes de diferentes organizações, devia defender melhor a 2 3 Cf. Rebelo, Aldo. Projecto de lei n Brasília

3 língua nacional. O português representa 1,39 por cento dos idiomas utilizados em sites e blogues, segundo o estudo das Línguas e Culturas na Web, e o inglês sempre é uma língua dominante. Este estudo analisou a presença do inglês, espanhol, francês, português, italiano, romeno e alemão na Internet e, pela primeira vez, o catalão, e foi o resultado de uma colaboração entre a Organização Intergovernamental União Latina e a Organização Não Governamental Funredes. 4 Segundo este estudo, a língua portuguesa, em 1998, contava 0,82 por cento das línguas mais utilizadas na Internet e ficava na sexta posição. Em 2007, continuava na mesma posição, portanto, com 1,39 por cento. A partir de 2003, a presença da língua portuguesa na Internet diminui constantemente, tal como a presença de outras línguas de origem latina o espanhol e o italiano. A língua inglesa pode ser considerada uma língua global e pertence à categoria de língua de comunicação mundial, é uma língua privilegiada. As pessoas em geral interessam-se pelo que vem dos Estados Unidos e por isso o inglês tem o acesso muito fácil a outras línguas. O grupo que prefere os anglicismos abundantes são com certeza os jovens. As palavras inglesas dominam também nas áreas tais como a economia, a informática, a ciência e a investigação, o jornalismo e a cultura. É conveniente que lembremos os conceitos de empréstimo e expliquemos o termo anglicismo. Podemos dizer que o anglicismo é uma palavra ou expressão proveniente da 4 Por: Redacção /JCS, , 41

4 língua inglesa, mas que é empregada em outras línguas. 5 É possível considerar o anglicismo como o fenómeno do empréstimo, que foi analisado por numerosos linguistas, entre os quais podemos destacar Haugen (1950), Guilbert (1975), Alves (1990, 1996), Lino (1990). Falando dos estrangeirismos, Alves (1990) explica que estas palavras passam por várias etapas até se integrarem à língua receptora e é possível falar da integração completa quando as palavras estrangeiras ficarem adaptadas na grafia, morfologia ou semântica. Pergnier (1989) distingue vários tipos de anglicismos: anglicismos ocasionais (que não são numerosos), anglicismos de uso frequente e habitual integrados no léxico da língua receptora, anglicismos que têm correspondentes na língua receptora e os decalques. 6 Os anglicismos importados para o português sofrem as adaptações fonéticas e ortográficas, integram-se também do ponto de vista semântico. A presença do inglês em vários aspectos é evidente, portanto, temos de reflectir se o seu uso não se tem tornado exagerado. A área típica para o uso do inglês é a linguagem relacionada com as novas tecnologias que se desenvolvem de maneira muito dinâmica. Os termos técnicos e da Internet em todas as línguas provêm da língua inglesa, o que prova que é mais fácil adaptar uma palavra estrangeira do que criar um termo correspondente. Por esta razão, para a primeira parte do nosso estudo escolhemos o artigo publicado numa revista 5 Almeida, Gladis de Barcellos, Os anglicismos e as linguagens de especialidade no português do Brasil, Universidade Federal de São Carlos, p. 2. (www.riterm.net/revista/n_2/barcellos_almeida.pdf) 6 Disponível em 42

5 portuguesa com o título significativo Eu surfo, tu digitas, eles... 7 O artigo trata das novas tecnologias e da posição dos portugueses célebres perante os novos fenómenos tecnológicos. A linguagem do artigo é muito específica e por isso decidimos analisá-lo. Em primeiro lugar, apresentaremos o vocabulário relacionado com os novos objectos. No artigo analisado, os portugueses famosos uma vocalista, os desportistas, os humoristas, uma modelo e uma escritora falam dos objectos técnicos que acompanham o seu dia-a-dia. Quase todas as pessoas mencionadas no texto falam do uso dos computadores, portanto, em geral é preferível a forma inglesa laptop à forma portuguesa computador portátil, ou simplesmente usa-se o nome da marca que substitui o nome do objecto, por isso no texto temos o meu Toshiba. A situação é bem parecida se se trata dos telemóveis porque normalmente foi usado o nome da marca, p.ex. o meu Nokia N95 ou o Nokia E95. Também o iphone se torna cada vez mais comum entre os portugueses famosos. Resumindo, podemos observar a influência das marcas mundialmente conhecidas, cujos nomes se tornaram tão populares que substituem o nome do objecto. Outros objectos relacionados com as novas tecnologias são o ipod Nano, um Blackberry, a Playstation, um LCD, a pen. Estas palavras adaptaram os artigos portugueses guardando a forma inglesa e parece-nos possível tratá-las como anglicismo ocasionais. São as palavras que entraram muito rapidamente no léxico português, mas, na nossa opinião, não são conhecidas por toda a população. As pessoas que não se interessam por novas tecnologias são 7 Revista Máxima, 43

6 capazes de ignorar o que é um ipod Nano ou um Blackberry. Encontrámos também uma expressão que podia provocar algum problema aos leitores que desconhecem a nova terminologia: ouvir música em modo shuffle. Uma pessoa que não costuma ouvir música no MP3 nem tem uma playlist (esta palavra também aparece no texto), é capaz de não perceber esta expressão. Vale a pena mencionar que alguns nomes técnicos podem causar algumas dificuldades também aos leitores não-portugueses. O artigo foi analisado nas aulas de português com duas turmas diferentes como o exemplo de um texto contemporâneo. A turma avançada de estudantes de filologia ibérica não teve dificuldades em compreender o texto, mas desconhecia o termo PDA Neo. A seguir, o artigo foi lido por uma turma composta de estudantes trabalhadores e que têm um conhecimento de inglês e de informática bastante avançado, mas também desconheciam o significado deste termo. 8 Na nossa opinião, o facto de colocar muitas palavras técnicas de proveniência inglesa até pode dificultar a leitura do texto e faz com que o artigo se torna mais monótono. Aqui apresenta-se uma questão: por que razão se usam os termos cujo significado podia ser difícil para o leitor? É antes uma moda e não uma necessidade. Ao ler este artigo nota-se a influência bem forte da língua inglesa. Esta situação é visível também no Brasil, por isso podemos citar Alves (1988) que diz: Qualquer estrangeiro recém-chegado ao Brasil, por exemplo, perceberia claramente nossa condição de colónia cultural dos Estados Unidos. Reparemos que uma situação muito parecida existe na Polónia, onde se nota o emprego excessivo de anglicismos desde há vinte anos. 8 Após a pesquisa na net verificámos que era um tipo de computador, tipo palmtop. 44

7 Na imprensa portuguesa podemos encontrar vozes bem críticas quanto à política do estado português em relação à língua, como p.ex. as palavras de Alcindo Augusto Costa, Presidente do Elos Internacional: E quanto a defesa da cultura e da língua portuguesa nos países da denominada Comunidade de Povos de Língua Portuguesa, especialmente nos africanos, as tarefas que o Estado Português vem desempenhando, são praticamente nulas e ineficazes, sendo de todos conhecida a aceitação que têm as línguas, francesa em Angola e na Guiné e a inglesa em Moçambique, em manifesto detrimento e marginalização da nossa língua e da nossa cultura. 9 A situação em Moçambique parece-nos um pouco diferente. O inglês não vai substituir o português em Portugal ou no Brasil, portanto, a questão linguística em Moçambique apresenta-se da maneira bastante distinta. Moçambique está sempre em contacto com a língua inglesa, através das fronteiras (África do Sul, Swazilândia, Zimbabwe, Tanzânia). Por isso, decidimos ver qual é a situação linguística e a posição do português neste país. A questão linguística é muito importante para os moçambicanos. Desde que foram abertas as minas de Transvaal, as relações entre o Moçambique e a África do Sul tornaram-se prioritárias, o que também se reflectiu na língua 10 os trabalhadores contratados em Moçambique tinham de comunicar em inglês. Os migrantes levaram a língua inglesa para as 9 O ELOS é uma entidade que visa difundir e defender a Língua Portuguesa e promover a integração dos países que a falam. Defendendo artes e cutura, divulgam e incentivam poetas, músicos, pintores, escultores, escritores, cineastas, folcloristas e teatrólogos portugueses (www.elosinternacional.com.br). 10 Bouene, Felizardo, Santos, Maciel, O Modus Vivendi entre Moçambique e o Transvaal ( ). Um caso de imperialismo ferroviário. Disponível em formato electrónico (www.ler.letras.up.pt/site/default.aspx?qry=id04id1183id2216&sum=sim) 45

8 suas terras. 11 Devemos ter em conta também a política linguística da FRELIMO desde 1962 até A Frente de Libertaçăo de Moçambique, com a excepção de poucos combatentes que tinham um contacto intensivo com a língua inglesa nos países vizinhos, defendia desde o princípio, o português como laço unificador - língua da unidade nacional - para não fazer surgir uma mentalidade tribal. 12 Com a independência política de Moçambique, o objectivo pretendido pela FRELIMO, era a redução do número de analfabetos. Portanto, como a maioria da população vive no campo e a rede escolar não é ainda bem desenvolvida, número de analfabetos entre os adultos é especialmente grande. Segundo a pesquisas de Fátima Helena Azevedo de Oliveira (UFRJ), em Moçambique, de acordo com os dados do Recenseamento Geral da População (1997), as línguas maternas da maior parte da população pertencem à família do grupo banto, sendo praticamente inexistentes os locutores nativos de português. Este é, assim, tipicamente uma língua segunda e constitui a língua primeira apenas para 1,2% dos cerca de 25% de falantes que, segundo a mesma fonte, conhecem o Português Andrade, Manuel Correia de Oliveira, As raízes do separatismo no Brasil, p.29, disponível em +Oliveira,+As+raízes+do+separatismo+no+Brasil&source=bl&ots=J6O9YVKq5w&sig=aQ1JKiHNtlYuM7apYdGLau Lf2XU&hl=ptPT&ei=4ZjySqrjMMuksAaFm8HgAQ&sa=X&oi=book_result&ct=result&resnum=7&ved=0CBkQ6AE wbg#v=onepage&q=&f=false Oliveira, Fátima Helena de Azevedo, A terminologia e a fixação da língua portuguesa em Moçambique. Disponível em 46

9 Se se trata do estado actual, no livro Cultura acústica e letramento em Moçambique da autoria de José de Sousa Miguel Lopes podemos ler que os estrangeiros no território moçambicano exigem a documentação tal como relatórios, inquéritos ou informes sempre em inglês. 14 O autor diz também que, segundo José Craveirinha, no Parlamento moçambicano chegou a ser apresentada uma proposta no sentido de que, nas províncias que têm fronteiras com países de língua inglesa, o português fosse substituído pelo inglês. 15 A proposta não foi aceite, mas parece inquietante o facto de esta proposta ter aparecido. Ao contrário, Mia Couto considera a situação não perigosa por o português ser a língua materna para muitos moçambicanos. Para darmos um exemplo, vejamos o caso do blog do sociólogo Carlos Serra da Universidade Eduardo Mondlane em Maputo 16, onde ele faz a pergunta sobre o futuro do país e uma das primeiras questões abordadas por ele é a questão da língua. É interessante o facto de esta pergunta ter suscitado mais interesse e mais emoções do que os assuntos económicos ou culturais mencionados pelo sociólogo, que pergunta: Como será o nosso país daqui a 30 anos? - A língua portuguesa será residual, penumbrada pela língua inglesa, tornada esta língua veicular por excelência nos meios urbanos. A língua portuguesa será especialmente uma 14 Disponível em 15 Ibid. 16 O blogue de Carlos Serra ganhou o prémio do melhor weblog em português (559 concorrentes) em 2007 e em 2008 como um dos 11 melhores (400 concorrentes). Obteve o terceiro lugar em 2007 e o segundo em 2008 na votação do público. 47

10 língua douta, falada em círculos alfarrábicos, amparada por mestiçagens linguísticas docemente malandras em zona savaneira. A proposta de Carlos Serra provocou vários comentários e reacções dos internautas moçambicanos. Uma das primeiras respostas foi: Será que Moçambique precisa da língua portuguesa para avançar? Eis a questão que parece de grande importância. Moçambique, depois de se ter tornado independente aceitou o português como língua oficial, mesmo que houvesse também a possibilidade de escolher o inglês. Portanto, actualmente, por razões económicas, o papel do inglês torna-se cada vez mais importante. Repara-se que nas universidades e nas escolas superiores a metade das aulas é realizada em inglês, sobretudo nos cursos tais como a informática ou a economia. Algumas escolas superiores propõem os cursos de licenciatura e de pós-graduação apenas em inglês. Apresentemos alguns exemplos destes cursos. A Universidade São Tomás de Moçambique (USTM), de 1 a 18 de Abril de 2009, abriu as pré-inscrições para os cursos ministrados em Língua Inglesa: Filosofia, Direito, Gestão, Contabilidade e Auditoria, Tecnologias e Sistemas de Informação, Economia Agrária, Desenvolvimento Rural, Extensão Rural e Sociologia. Na página oficial da Universidade podemos ler a informação seguinte: A USTM, em paralelo com o programa em Português, pretende introduzir cursos em Língua Inglesa que honram o princípio bilingue da Universidade e em resposta a globalização, demanda nacional e regional. O sistema de educação bilingue da USTM vai oferecer oportunidade aos nacionais e residentes de Moçambique o acesso ao Mercado global. À semelhança do actual Curso de Preparação Universitária em Língua Portuguesa, vai oferecer 48

11 também um Curso de Preparação Universitária em Língua Inglesa que decorrerá de Agosto a Novembro do corrente ano. 17 A Universidade Católica de Moçambique oferece os seguintes cursos em português e inglês: Bacharelato em Administração Públicas, Licenciatura em Economia e Gestão Geral, Licenciatura em Administração, Mestrado em Economia e Gestão, Mestrado em Gestão e Administração de Empresa, Licenciatura em Planeamento Regional, Distrital e Urbano, Pós-graduação em Ciências e Sistemas de Informação Geográfica, Bacharelato em Ciências Agrárias, Bacharelato em Tecnologia de Informação, Licenciatura em Tecnologia de Informação. Alguns cursos são realizados na integridade em inglês, como: Mestrado em Planeamento e Desenvolvimento Regional com Enfoque nos Distritos, Bacharelato em Ciências Agrárias e Gestão Florestal, Licenciatura em Ciências Agrárias e Gestão Florestal, Mestrado em Gestão de Turismo, Mestrado em Ciências Agrárias Disponível em formato PDF na página 49

12 Podemos considerar que os estudos realizados em inglês e o conhecimento avançado desta língua permitem aos finalistas dos cursos encontrar emprego mais facilmente. No blogue de Carlos Serra aparecem as vozes em defesa do português tal como as vozes um pouco críticas: É com português que falamos aqui. Ou também: Nada tenho contra a língua portuguesa, pelo contrário, é a língua em que melhor me expresso. Mas sinceramente, tenho sérias dúvidas da sua utilidade prática, olhando para o contexto do nosso país! Depois da leitura das opiniões parece que o inglês se torna importante sobretudo por razões económicas: Carlos Serra diz que era bom saber que havia muitos pontos de vista sobre a questão da língua e propõe o inglês como a segunda língua em Moçambique para o país ficar mais próximo da África do Sul e desenvolver-se mais rapidamente. Outros participantes na discussão também apresentam as suas ideias quanto ao futuro da língua inglesa em Moçambique, e tratam a sua hegemonia como algo natural, sobretudo pela sua dominância na Internet. Dizem que são uma ilha de língua oficial portuguesa num mar de língua oficial inglesa. Assim, vemos a importância da política e da economia, os domínios onde o inglês desempenha um papel de grande importância. Muitos jovens moçambicanos estudam o inglês para obter bolsas ou encontrar emprego mais facilmente, também no estrangeiro. Nas páginas da Internet repara-se no bilinguismo, pois encontrámos vários textos que apresentam uma mistura de inglês e de português. Vejamos o exemplo da página que oferece o MBA em turismo (E-learning / ensino à distância). Logo vemos a informação que se propõe o Mestrado em Tourism Development, com o suporte académico: workshops, por telefone, fax, , Internet, assim como full 50

13 accreditation pela SAQA (South African Qualifications Authority). Parece-nos que mais uma vez podia ser o exemplo de emprego de anglicismos ocasionais (workshops, full accreditation). Como exemplo seguinte vejamos o plano encontrado na página da Universidade São Tomás de Moçambique, preparado em português, mas com a palavra inglesa repetida (hours). No quadro a palavra foi destacada por nós. Cursos Bacharelato (3 anos) Carga Horária em Sala de Aulas Profissionalização (Opcional) Licenciatura (4 anos) Filosofia 1605 hours hours 2085 hours Gestão 1788 hours hours Contabilidade e Auditoria 2160 hours hours Tecnologias e Sistemas de Informação 2016 hours 960 hours 2496 hours Plano Curricular 19 Nas páginas das Universidades encontramos muitas palavras em inglês, por exemplo na oferta para os estudantes aparece a expressão o teu job. Foi interessante também o exemplo seguinte: a frase Clique para baixar (download), onde o verbo português baixar

14 é explicado para as pessoas que conhecem melhor este termo em inglês, então, acompanhado pela palavra inglesa download. Esta frase prova que os termos ingleses são mais populares e mais usadas. Não nos esqueçamos que são informações destinadas para os futuros estudantes, os jovens, que se habituaram à terminologia inglesa no vocabulário relacionado com a informática. Podemos ver então que a língua portuguesa continua sendo uma das línguas mais faladas no mundo, portanto, não se pode ignorar a influência cada vez mais forte do inglês. No mundo contemporâneo, na época da Internet, dos blogues e dos chats, a comunicação é mais rápida e a adaptação das palavras inglesas resulta desta rapidez. Na nossa opinião, o uso dos anglicismos muitas vezes não é necessário. O seu número nas revistas e jornais podia ser mais reduzido. Não se pode evitar o acesso de estrangeirismos, pois enriquecem o léxico da língua receptora e contribuem para o desenvolvimento das línguas. No entanto, parece-nos imprescindível cuidar de todos os idiomas e não negligenciar o papel do inglês. A língua de Camões não desaparacerá, mas no caso de Moçambique, tem um concorrente forte a língua de Shakespeare. 52

15 Referências bibliográficas AGUALUSA, José Eduardo. A Língua Portuguesa e o seu futuro em África. Disponível em ALMEIDA, Gladis de Barcellos. Os anglicismos e as linguagens de especialidade no português do Brasil. Universidade Federal de São Carlos. Disponível em formato pdf (www.riterm.net/revista/n_2/barcellos_almeida.pdf) ALVES, Ieda Maria. Neologismo criação lexical. São Paulo: Ática, ALVES, Ieda Maria. Um projeto de política neológica para o português do Brasil. Revista Internacional de Língua Portuguesa, 15, 1996, p Disponível em ANDRADE, Manuel Correia de Oliveira. As raízes do separatismo no Brasil. Disponível em O9YVKq5w&sig=aQ1JKiHNtlYuM7apYdGLauLf2XU&hl=ptPT&ei=4ZjySqrjMMuksAaF m8hgaq&sa=x&oi=book_result&ct=result&resnum=7&ved=0cbkq6aewbg#v=onepage &q=&f=false BOUENE, Felizardo, SANTOS, Maciel. O Modus Vivendi entre Moçambique e o Transvaal ( ). Um caso de imperialismo ferroviário. Disponível em BRITO, Regina Helena Pires de, MARTINS, Moisés de Lemos. Moçambique e Timor-Leste: onde também se fala o português. Disponível em FIRMINO, Gregório. Processo de transformação do Português no contexto pós - colonial de Moçambique. Disponível em GUILBERT, Louis. La creativité lexicale. Paris: Librairie Larousse, HAUGEN, Einar. The analysis of linguistic borrowing. Language 26, 2, 1950, pp LANGACKER, Ronald W. A linguagem e a sua estrutura. Trad. Gilda Maria Corrêa de Azevedo. Petrópolis: Vozes, LOPES, José de Sousa Miguel. Cultura acústica e letramento em Moçambique. Disponível em NEVES, Maria Helena de Moura. A realidade da incorporação de anglicismos no português do Brasil vista no contexto das atuais contendas sobre o tema. Ilha do Desterro, Florianópolis, n 47, pp PERGNIER, Maurice. Les anglicismes. Paris: PUF, REBELO, Aldo. Projecto de lei n 1676, Brasília Páginas Web

ELABORAÇÃO DE CATÁLOGO DESCRITIVO DE SITES PARA O ENSINO DE ESPANHOL COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA

ELABORAÇÃO DE CATÁLOGO DESCRITIVO DE SITES PARA O ENSINO DE ESPANHOL COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA ELABORAÇÃO DE CATÁLOGO DESCRITIVO DE SITES PARA O ENSINO DE ESPANHOL COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA Dayane Ribeiro da Silva (PICV/PRPPG/ UNIOESTE), Greice da Silva Castela (Orientadora), e-mail: greicecastela@yahoo.com.br

Leia mais

Questionário: Imagens do (Ensino) Português no Estrangeiro

Questionário: Imagens do (Ensino) Português no Estrangeiro Questionário: Imagens do (Ensino) Português no Estrangeiro Pretende se com este questionário conhecer a sua opinião sobre o (Ensino do) Português no Estrangeiro. Não existem respostas certas ou erradas.

Leia mais

Percepção de Portugal no mundo

Percepção de Portugal no mundo Percepção de Portugal no mundo Na sequência da questão levantada pelo Senhor Dr. Francisco Mantero na reunião do Grupo de Trabalho na Aicep, no passado dia 25 de Agosto, sobre a percepção da imagem de

Leia mais

PENSAMENTO E LINGUAGEM: ESTUDO DA INOVAÇÃO E REFLEXÃO DOS ANAIS E DO ENSINO/APRENDIZAGEM DO INGLÊS EM SALA DE AULA

PENSAMENTO E LINGUAGEM: ESTUDO DA INOVAÇÃO E REFLEXÃO DOS ANAIS E DO ENSINO/APRENDIZAGEM DO INGLÊS EM SALA DE AULA PENSAMENTO E LINGUAGEM: ESTUDO DA INOVAÇÃO E REFLEXÃO DOS ANAIS E DO ENSINO/APRENDIZAGEM DO INGLÊS EM SALA DE AULA Adriana Zanela Nunes (UFRJ) zannelli@bol.com.br, zannelli@ig.com.br zannelli@ibest.com.br

Leia mais

AVALIAÇÃO DO CURSO DE TURISMO

AVALIAÇÃO DO CURSO DE TURISMO AVALIAÇÃO DO CURSO DE TURISMO Outubro 2009 ÍNDICE 1. Introdução 3 2. População e Amostra 3 3. Apresentação de Resultados 4 3.1. Opinião dos alunos de Turismo sobre a ESEC 4 3.2. Opinião dos alunos sobre

Leia mais

Guia do Professor / Vozes da Cidade / Conhecendo.../ Eduardo Guimarães. Conhecendo a Cidade

Guia do Professor / Vozes da Cidade / Conhecendo.../ Eduardo Guimarães. Conhecendo a Cidade 1 Guia do Professor Episódio Conhecendo a Cidade Programa Vozes da Cidade Apresentação Como já vimos nos trabalhos desenvolvidos para o episódio 1, os trabalhos para o episódio 2 também trazem várias questões

Leia mais

A Língua Portuguesa em África: perspectivas presentes e futuras

A Língua Portuguesa em África: perspectivas presentes e futuras A Língua Portuguesa em África: perspectivas presentes e futuras Este breve texto é uma proposta de reflexão acerca de algumas das questões que, em meu entender, merecem destaque na situação actual do desenvolvimento

Leia mais

XI Encontro de Iniciação à Docência

XI Encontro de Iniciação à Docência 4CCHLADLEMPLIC04 OBSERVAÇÃO EM SALA DE AULA E/LE Bruna Mikaele Siquiera (1) María del Pilar Roca (3) Centro de Ciências Humanas, Artes e Letras/ Departamento de Letras Estrangeiras Modernas RESUMO Esse

Leia mais

Guia do Professor / Vozes da Cidade / Conhecendo.../ Eduardo Guimarães. Conhecendo a Cidade

Guia do Professor / Vozes da Cidade / Conhecendo.../ Eduardo Guimarães. Conhecendo a Cidade Guia do Professor / Vozes da Cidade / Conhecendo.../ Eduardo Guimarães 1 Guia do Professor Episódio Conhecendo a Cidade Programa Vozes da Cidade Apresentação Como já vimos nos trabalhos desenvolvidos para

Leia mais

Sete Motivos Importantes Para Usar Áudio Para Melhorar As Suas Habilidades Em Inglês

Sete Motivos Importantes Para Usar Áudio Para Melhorar As Suas Habilidades Em Inglês Sete Motivos Importantes Para Usar Áudio Para Melhorar As Suas Habilidades Em Inglês Oi! Meu nome é David. Atualmente estou em Imperatriz, Maranhão ajudando pessoas como você aprenderem inglês. Já faz

Leia mais

[Aprender Português / Portugiesisch lernen]

[Aprender Português / Portugiesisch lernen] [Aprender Português / Portugiesisch lernen] Sabias que segundo a última edição do livro The Ethnologue: languages of the world, o número de línguas faladas no mundo é de 6912. 1. Analisa o seguinte ranking

Leia mais

FÓRUM DA GESTÃO DO ENSINO SUPERIOR NOS PAÍSES E REGIÕES DE LÍNGUA PORTUGUESA UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO. Recife. 4, 5 e 6 de Dezembro de 2013

FÓRUM DA GESTÃO DO ENSINO SUPERIOR NOS PAÍSES E REGIÕES DE LÍNGUA PORTUGUESA UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO. Recife. 4, 5 e 6 de Dezembro de 2013 FÓRUM DA GESTÃO DO ENSINO SUPERIOR NOS PAÍSES E REGIÕES DE LÍNGUA PORTUGUESA UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO Recife 4, 5 e 6 de Dezembro de 2013 Irene Mendes Universidade Politécnica (A POLITÉCNICA)

Leia mais

RELATÓRIO-SÍNTESE SUL (SUB-PROJECTO 1) Capacidades e competências requeridas nas indústrias da língua e nas profissões relacionadas com as línguas

RELATÓRIO-SÍNTESE SUL (SUB-PROJECTO 1) Capacidades e competências requeridas nas indústrias da língua e nas profissões relacionadas com as línguas RELATÓRIO-SÍNTESE SUL (SUB-PROJECTO 1) Capacidades e competências requeridas nas indústrias da língua e nas profissões relacionadas com as línguas 1. Situação actual no domínio das indústrias e das profissões

Leia mais

O consumo de conteúdos noticiosos dos estudantes de Ciências da Comunicação da Faculdade de Letras da Universidade do Porto

O consumo de conteúdos noticiosos dos estudantes de Ciências da Comunicação da Faculdade de Letras da Universidade do Porto Ciências da Comunicação: Jornalismo, Assessoria e Multimédia O consumo de conteúdos noticiosos dos estudantes de Ciências da Comunicação da Faculdade de Letras da Universidade do Porto Metodologia da Investigaça

Leia mais

CONSIDERANDO que os estudos apresentados para o desdobramento desse Departamento atendem a política universitária traçada por este Conselho;

CONSIDERANDO que os estudos apresentados para o desdobramento desse Departamento atendem a política universitária traçada por este Conselho; RESOLUÇÃO N o 10/92, DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO Desdobra, com novas denominações, Departamento do Centro de Ciências Humanas e Artes. O CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA, no uso

Leia mais

R I T A FERRO RODRIGUES

R I T A FERRO RODRIGUES E N T R E V I S T A A R I T A FERRO RODRIGUES O talento e a vontade de surpreender em cada projecto deixou-me confiante no meu sexto sentido, que viu nela uma das pivôs mais simpáticas da SIC NOTÍCIAS.

Leia mais

Transcrição de Entrevista n º 24

Transcrição de Entrevista n º 24 Transcrição de Entrevista n º 24 E Entrevistador E24 Entrevistado 24 Sexo Feminino Idade 47 anos Área de Formação Engenharia Sistemas Decisionais E - Acredita que a educação de uma criança é diferente

Leia mais

DISCURSO DE SUA EXCELÊNCIA MINISTRO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA, ENSINO SUPERIOR E TÉCNICO-PROFISSIONAL

DISCURSO DE SUA EXCELÊNCIA MINISTRO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA, ENSINO SUPERIOR E TÉCNICO-PROFISSIONAL República de Moçambique Ministério da Ciência e Tecnologia, Ensino Superior e Técnico-Profissional (MCTESTP) DISCURSO DE SUA EXCELÊNCIA MINISTRO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA, ENSINO SUPERIOR E TÉCNICO-PROFISSIONAL

Leia mais

I SEMINÁRIO INTERDISCIPLINAR DAS CIÊNCIAS DA LINGUAGEM NO CARIRI DE 21 a 23 DE NOVEMBRO DE 2012 - ISSN 2318-8391

I SEMINÁRIO INTERDISCIPLINAR DAS CIÊNCIAS DA LINGUAGEM NO CARIRI DE 21 a 23 DE NOVEMBRO DE 2012 - ISSN 2318-8391 ENSINO E APRENDIZAGEM DE LATIM NA URCA: UM ESTUDO DE CASO SOUZA, Yascara Simão 1 ARRUDA, Francisco Edmar Cialdine 2 RESUMO Este trabalho tem como objetivo apresentar análises colhidas de materiais como

Leia mais

CULTURA E HISTÓRIA AFRO-BRASILEIRA NA AULA DE INGLÊS: E A CONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE NACIONAL NA ESCOLA

CULTURA E HISTÓRIA AFRO-BRASILEIRA NA AULA DE INGLÊS: E A CONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE NACIONAL NA ESCOLA CULTURA E HISTÓRIA AFRO-BRASILEIRA NA AULA DE INGLÊS: E A CONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE NACIONAL NA ESCOLA Júlio César Paula Neves Tânia Mayra Lopes de Melo Modalidade: Pôster Sessão Temática 5: Educação e

Leia mais

Đ ŕňĉòă. g esſ tã o d e r e d esſ sſo ciaisſ

Đ ŕňĉòă. g esſ tã o d e r e d esſ sſo ciaisſ Đ ŕňĉòă g esſ tã o d e r e d esſ sſo ciaisſ Em todas as empresas há um segredo Na nossa o segredo passa a ser você quem somos? Quando acabarem a licenciatura, o desemprego espera-vos. Enganaram se! Se

Leia mais

Áustria Viena. Foi uma grande surpresa o facto de todos os alunos andarem descalços ou de pantufas.

Áustria Viena. Foi uma grande surpresa o facto de todos os alunos andarem descalços ou de pantufas. Áustria Viena Foi uma grande surpresa o facto de todos os alunos andarem descalços ou de pantufas. Apenas fui assistir a uma aula, que acabou por não ser dada devido à presença dos alunos estrangeiros

Leia mais

Recensão Crítica. Língua Portuguesa e Tecnologias de Informação e Comunicação. Docente: Prof. Fernanda Botelho. Teresa Cardim Nº 070142074

Recensão Crítica. Língua Portuguesa e Tecnologias de Informação e Comunicação. Docente: Prof. Fernanda Botelho. Teresa Cardim Nº 070142074 Recensão Crítica Língua Portuguesa e Tecnologias de Informação e Comunicação Docente: Prof. Fernanda Botelho Teresa Cardim Nº 070142074 Raquel Mendes Nº 070142032 Setúbal, Outubro de 2009 Referências Bibliográficas

Leia mais

Bilinguismo, aprendizagem do Português L2 e sucesso educativo na Escola Portuguesa

Bilinguismo, aprendizagem do Português L2 e sucesso educativo na Escola Portuguesa Bilinguismo, aprendizagem do Português L2 e sucesso educativo na Escola Portuguesa Projecto-piloto em desenvolvimento no ILTEC (Instituto de Linguística Teórica e Computacional) com financiamento e apoio

Leia mais

Apresentação do GIS - Grupo Imigração e Saúde / Parte 2: a utilidade do GIS para os imigrantes

Apresentação do GIS - Grupo Imigração e Saúde / Parte 2: a utilidade do GIS para os imigrantes Iolanda Évora Apresentação do GIS - Grupo Imigração e Saúde / Parte 2: a utilidade do GIS para os imigrantes Apresentado no II Fórum Rede Portuguesa de Cidades Saudáveis Viana do Castelo25-26 de Outubro

Leia mais

Assessoria de Comunicação & Marketing Assessoria de Imprensa e Divulgação Científica

Assessoria de Comunicação & Marketing Assessoria de Imprensa e Divulgação Científica Assessoria de Comunicação & Marketing Assessoria de Imprensa e Divulgação Científica Monitoramento das Notícias da UNISUL Dia 27 de Fevereiro de 2013 JORNAIS Sobre a saúde e a doença no Mundo Diário Catarinense

Leia mais

CURSOS INGLÊS RÁPIDO Liberdade de Escolha

CURSOS INGLÊS RÁPIDO Liberdade de Escolha 1 Nossos cursos são dirigidos a adolescentes, jovens e adultos que querem aprender inglês de forma rápida e eficiente. Pessoas que já tentaram estudar inglês e tiveram dificuldades vão se surpreender com

Leia mais

DIVULGAÇÃO DE TERMINOLOGIAS EM PORTUGÊS E POLÍTICAS LINGUÍSTICAS

DIVULGAÇÃO DE TERMINOLOGIAS EM PORTUGÊS E POLÍTICAS LINGUÍSTICAS VIII Jornada Científica REALITER Terminologia e Políticas linguísticas DIVULGAÇÃO DE TERMINOLOGIAS EM PORTUGÊS E POLÍTICAS LINGUÍSTICAS Maria da Graça Krieger (kriegermg@gmail.com) Universidade do Vale

Leia mais

Ensino Superior Particular e Cooperativo - Universidades

Ensino Superior Particular e Cooperativo - Universidades Ensino Superior Particular e Cooperativo - Universidades Universidade Atlântica Universidade Autónoma de Lisboa Luís de Camões Universidade Fernando Pessoa Universidade Independente Universidade Internacional

Leia mais

Entrevista com Clínica Maló. Paulo Maló CEO. www.clinicamalo.pt. Com quality media press para LA VANGUARDIA

Entrevista com Clínica Maló. Paulo Maló CEO. www.clinicamalo.pt. Com quality media press para LA VANGUARDIA Entrevista com Clínica Maló Paulo Maló CEO www.clinicamalo.pt Com quality media press para LA VANGUARDIA Esta transcrição reproduz fiel e integralmente a entrevista. As respostas que aqui figuram em linguagem

Leia mais

Barómetro das Profissões

Barómetro das Profissões Número 1T/2011 Período: 1 de Janeiro a 31 de Março Abril 2011 Realizado por Isabel Machado para IPAM Carreiras INTRODUÇÃO O presente Barómetro trimestral inserido na investigação do IPAM Carreiras pretende

Leia mais

Entrevista com Magda Becker Soares Prof. Universidade Federal de Minas Gerais

Entrevista com Magda Becker Soares Prof. Universidade Federal de Minas Gerais "LETRAR É MAIS QUE ALFABETIZAR" Entrevista com Magda Becker Soares Prof. Universidade Federal de Minas Gerais Nos dias de hoje, em que as sociedades do mundo inteiro estão cada vez mais centradas na escrita,

Leia mais

[Ano] Língua Portuguesa. Campus Virtual Cruzeiro do Sul www.cruzeirodovirtual.com.br

[Ano] Língua Portuguesa. Campus Virtual Cruzeiro do Sul www.cruzeirodovirtual.com.br [Ano] Língua Portuguesa Unidade: Níveis de Linguagem MATERIAL TEÓRICO Responsável pelo Conteúdo: Núcleo de professores e tutores do Campus Virtual 2 Conteúdos gramaticais: Ortografia e Acentuação Ao tratar

Leia mais

Pobreza e Exclusão Social

Pobreza e Exclusão Social Pobreza e Exclusão Social Fontes de Informação Sociológica Carlos Ramos Coimbra, 2010 Ficha Técnica Titulo: Pobreza, Exclusão Social e Integração Este trabalho foi elaborado por Carlos Miguel Pereira Ramos,

Leia mais

Introdução à História do Português

Introdução à História do Português Ivo Castro Introdução à História do Português Segunda edição revista e muito ampliada Edições Colibri Índice Síntese Introdutória... 7 Capítulo I TERRITÓRIOS E COMUNIDADES LINGUÍSTICAS 1. Introdução. Conceitos

Leia mais

MANIFESTO. A voz dos adultos aprendentes nas acções de alfabetização na Europa

MANIFESTO. A voz dos adultos aprendentes nas acções de alfabetização na Europa QUEM SOMOS NÓS? MANIFESTO A voz dos adultos aprendentes nas acções de alfabetização na Europa Somos adultos que participam em acções de alfabetização oriundos da Bélgica, França, Alemanha, Irlanda, Holanda,

Leia mais

Os 3 Passos da Fluência - Prático e Fácil!

Os 3 Passos da Fluência - Prático e Fácil! Os 3 Passos da Fluência - Prático e Fácil! Implemente esses 3 passos para obter resultados fantásticos no Inglês! The Meridian, 4 Copthall House, Station Square, Coventry, Este material pode ser redistribuído,

Leia mais

Desfazendo Mitos e Mentiras Sobre Línguas de Sinais

Desfazendo Mitos e Mentiras Sobre Línguas de Sinais Desfazendo Mitos e Mentiras Sobre Línguas de Sinais Renê Forster 1 Resumo: Este artigo apresenta uma das cartilhas desenvolvidas pelo Programa Surdez com informações sobre a LIBRAS e as línguas de sinais

Leia mais

LEITURA DA ENTREVISTA 2. E Boa tarde. Desde já quero agradecer-lhe a sua disponibilidade para colaborar neste

LEITURA DA ENTREVISTA 2. E Boa tarde. Desde já quero agradecer-lhe a sua disponibilidade para colaborar neste LEITURA DA ENTREVISTA 2 E Boa tarde. Desde já quero agradecer-lhe a sua disponibilidade para colaborar neste trabalho que estou a desenvolver. Como lhe foi explicado inicialmente, esta entrevista está

Leia mais

Esterofoto Geoengenharia SA. Álvaro Pombo. Administrtador. (www.estereofoto.pt)

Esterofoto Geoengenharia SA. Álvaro Pombo. Administrtador. (www.estereofoto.pt) Esterofoto Geoengenharia SA Álvaro Pombo Administrtador (www.estereofoto.pt) Q. Conte-nos um pouco da historia da empresa, que já tem mais de 30 anos. R. A Esterofoto é uma empresa de raiz, a base da empresa

Leia mais

PORTUGUÊS LÍNGUA NÃO MATERNA

PORTUGUÊS LÍNGUA NÃO MATERNA PORTUGUÊS LÍNGUA NÃO MATERNA Sílvia Faim EB 2,3 Monte de Caparica Em Portugal, ao longo dos anos, tem vindo a crescer e a disseminar-se o número de jovens provenientes dos mais variados lugares do mundo,

Leia mais

Relatório Final de Avaliação. Acção n.º 8B/2010. Quadros Interactivos Multimédia no Ensino/ Aprendizagem das Línguas Estrangeiras Francês/Inglês

Relatório Final de Avaliação. Acção n.º 8B/2010. Quadros Interactivos Multimédia no Ensino/ Aprendizagem das Línguas Estrangeiras Francês/Inglês Centro de Formação de Escolas dos Concelhos de Benavente, Coruche e Salvaterra de Magos Relatório Final de Avaliação Acção n.º 8B/2010 Quadros Interactivos Multimédia no Ensino/ Aprendizagem das Línguas

Leia mais

1 A Internet e sua relação com a linguagem na atualidade: algumas informações introdutórias

1 A Internet e sua relação com a linguagem na atualidade: algumas informações introdutórias 1 A Internet e sua relação com a linguagem na atualidade: algumas informações introdutórias Objetivamos, com esse trabalho, apresentar um estudo dos processos de importação lexical do português que ocorrem

Leia mais

SOUSA GALITO, Maria (2010). Entrevista ao Embaixador Miguel Costa Mkaima. CI-CPRI, E T-CPLP, º8, pp. 1-6.

SOUSA GALITO, Maria (2010). Entrevista ao Embaixador Miguel Costa Mkaima. CI-CPRI, E T-CPLP, º8, pp. 1-6. SOUSA GALITO, Maria (2010). Entrevista ao Embaixador Miguel Costa Mkaima. CI-CPRI, E T-CPLP, º8, pp. 1-6. E T-CPLP: Entrevistas sobre a CPLP CI-CPRI Entrevistado: Embaixador Miguel Costa Mkaima Entrevistador:

Leia mais

EUROPA. Uma Grande. Família

EUROPA. Uma Grande. Família EUROPA Uma Grande Família Europa - Uma grande família Porque viver na Europa é sinónimo de união, oportunidades, pertença e harmonia, esta publicação apresenta os cidadãos europeus como elementos de uma

Leia mais

O interesse por atividades práticas contribuindo na alfabetização através do letramento

O interesse por atividades práticas contribuindo na alfabetização através do letramento O interesse por atividades práticas contribuindo na alfabetização através do letramento A contribuição do interesse e da curiosidade por atividades práticas em ciências, para melhorar a alfabetização de

Leia mais

Relatório Final de Avaliação. Acção n.º 8A/2010. Quadros Interactivos Multimédia no Ensino/ Aprendizagem das Línguas Estrangeiras Francês/Inglês

Relatório Final de Avaliação. Acção n.º 8A/2010. Quadros Interactivos Multimédia no Ensino/ Aprendizagem das Línguas Estrangeiras Francês/Inglês Centro de Formação de Escolas dos Concelhos de Benavente, Coruche e Salvaterra de Magos Relatório Final de Avaliação Acção n.º 8A/2010 Quadros Interactivos Multimédia no Ensino/ Aprendizagem das Línguas

Leia mais

NOS@EUROPE. O Desafio da Recuperação Económica e Financeira. Prova de Texto. Nome da Equipa GMR2012

NOS@EUROPE. O Desafio da Recuperação Económica e Financeira. Prova de Texto. Nome da Equipa GMR2012 NOS@EUROPE O Desafio da Recuperação Económica e Financeira Prova de Texto Nome da Equipa GMR2012 Alexandre Sousa Diogo Vicente José Silva Diana Almeida Dezembro de 2011 1 A crise vista pelos nossos avós

Leia mais

INQUÉRITO - PROJECTO DE TUTORIA A ESTUDANTES ERAMUS OUT

INQUÉRITO - PROJECTO DE TUTORIA A ESTUDANTES ERAMUS OUT INQUÉRITO - PROJECTO DE TUTORIA A ETUDANTE ERAMU OUT Desde já, agradecemos a sua participação nesta nova etapa do Projecto de Tutoria a Estudantes ERAMU versão OUT. Com este inquérito, pretendemos dar

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE LiteraRádio. Rádio. Literatura. Introdução

PALAVRAS-CHAVE LiteraRádio. Rádio. Literatura. Introdução 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( x ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO

Leia mais

PROVA de HISTÓRIA 2ª ETAPA do VESTIBULAR 2006. Questão 01 II) Leia, atentamente, o trecho abaixo e responda ao que se pede:

PROVA de HISTÓRIA 2ª ETAPA do VESTIBULAR 2006. Questão 01 II) Leia, atentamente, o trecho abaixo e responda ao que se pede: PROVA de HISTÓRIA 2ª ETAPA do VESTIBULAR 2006 (cada questão desta prova vale até cinco pontos) Questão 01 Leia, atentamente, o trecho abaixo e responda ao que se pede: Para o filósofo grego Platão, nenhuma

Leia mais

Anexo A - A UTILIZAÇÃO DAS TIC PELOS ALUNOS (Questionário)

Anexo A - A UTILIZAÇÃO DAS TIC PELOS ALUNOS (Questionário) ANEXOS Anexo A - A UTILIZAÇÃO DAS TIC PELOS ALUNOS (Questionário) 153 A UTILIZAÇÃO DAS TIC PELOS ALUNOS (ESCOLA E.B. 2,3 DE SOURE 7.º Ano de Escolaridade) QUESTIONÁRIO A tua colaboração no preenchimento

Leia mais

Dinâmicas de rede e valor económico da língua portuguesa

Dinâmicas de rede e valor económico da língua portuguesa 1 Jornada de Diplomacia Económica ISEG 5.12.2012 Dinâmicas de rede e valor económico da língua portuguesa jose.esperanca@iscte.pt 2 As línguas no mundo Ecologia da Língua (Calvet) 3 Hipercentral Inglês

Leia mais

As Políticas de Divulgação e Internacionalização da Língua Portuguesa O Exemplo do Mercosul. Edgard Fernando Viana da Cruz

As Políticas de Divulgação e Internacionalização da Língua Portuguesa O Exemplo do Mercosul. Edgard Fernando Viana da Cruz As Políticas de Divulgação e Internacionalização da Língua Portuguesa O Exemplo do Mercosul Edgard Fernando Viana da Cruz Dissertação de Mestrado em Ensino do Português como Língua Segunda e Estrangeira

Leia mais

LEITURA E LÍNGUA ESTRANGEIRA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS

LEITURA E LÍNGUA ESTRANGEIRA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS LEITURA E LÍNGUA ESTRANGEIRA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS Luziana de Magalhães Catta Preta PG/ UFF Nesta comunicação, conforme já dito no título, desejamos apresentar os resultados parciais de uma pesquisa

Leia mais

CÁTEDRA DE PORTUGUÊS LÍNGUA SEGUNDA E ESTRANGEIRA. FACULDADE DE LETRAS E CIÊNCIAS SOCIAIS (UEM) e INSTITUTO CAMÕES

CÁTEDRA DE PORTUGUÊS LÍNGUA SEGUNDA E ESTRANGEIRA. FACULDADE DE LETRAS E CIÊNCIAS SOCIAIS (UEM) e INSTITUTO CAMÕES CÁTEDRA DE PORTUGUÊS LÍNGUA SEGUNDA E ESTRANGEIRA FACULDADE DE LETRAS E CIÊNCIAS SOCIAIS (UEM) e INSTITUTO CAMÕES COLÓQUIO PORTUGUÊS EM CONTEXTO AFRICANO MULTILINGUE: EM BUSCA DE CONSENSOS SESSÃO DE ABERTURA

Leia mais

O estudante de Pedagogia deve gostar muito de ler e possuir boa capacidade de concentração porque receberá muitos textos teóricos para estudar.

O estudante de Pedagogia deve gostar muito de ler e possuir boa capacidade de concentração porque receberá muitos textos teóricos para estudar. PEDAGOGIA Você já deve ter ouvido alguém falar que o nível educacional de um povo é muito importante para o seu desenvolvimento e que a educação faz muita diferença na vida das pessoas, não é mesmo? Por

Leia mais

EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL Na Escola Superior de Educação

EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL Na Escola Superior de Educação IDENTIFICAÇÃO PESSOAL Maria Luísa de Solla Mendes da Fonseca Data de nascimento: 7 de Novembro de 1950 BI nº 6065179 Lisboa Rua Sacadura Cabral, 76, 1ºEsq.- Cruz Quebrada 1495-713 Lisboa Telefone: 965009978

Leia mais

O ensino e a cooperação na investigação para o turismo entre os países lusófonos: uma reflexão

O ensino e a cooperação na investigação para o turismo entre os países lusófonos: uma reflexão O ensino e a cooperação na investigação para o turismo entre os países lusófonos: uma reflexão Alexandre Panosso Netto Escola de Artes, Ciências e Humanidades Universidade de São Paulo Fábia Trentin Departamento

Leia mais

REVISTA TRIADES: Transversalidade - Design - Linguagens UM INCENTIVO À PESQUISA NA GRADUAÇÃO

REVISTA TRIADES: Transversalidade - Design - Linguagens UM INCENTIVO À PESQUISA NA GRADUAÇÃO REVISTA TRIADES: Transversalidade - Design - Linguagens UM INCENTIVO À PESQUISA NA GRADUAÇÃO Aluno: Rozeani Pricila Ferreira de Araújo Orientador: Vera Lúcia Moreira dos Santos Nojima Introdução Uma revista

Leia mais

Bate-papo: Uso do Scratch, uma nova linguagem de programação, no ensino fundamental - Web Currículo (25/05/2010)

Bate-papo: Uso do Scratch, uma nova linguagem de programação, no ensino fundamental - Web Currículo (25/05/2010) 1 of 6 02/12/2011 16:14 Bate-papo: Uso do Scratch, uma nova linguagem de programação, no ensino fundamental - Web Currículo (25/05/2010) 13:58:20 Bem-vindos ao Bate-papo Educarede! 14:00:54 II Seminário

Leia mais

2ª SEMANA NACIONAL DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA MARÇO

2ª SEMANA NACIONAL DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA MARÇO Design & Saúde Financeira para maiores de 50 anos Vera Damazio Laboratório Design Memória Emoção :) labmemo (: O que Design tem a ver com Saúde Financeira para maiores de 50 anos? E o que faz um Laboratório

Leia mais

Revista Eletrônica Acolhendo a Alfabetização nos Países de Língua Portuguesa ISSN: 1980-7686 suporte@mocambras.org Universidade de São Paulo Brasil

Revista Eletrônica Acolhendo a Alfabetização nos Países de Língua Portuguesa ISSN: 1980-7686 suporte@mocambras.org Universidade de São Paulo Brasil Revista Eletrônica Acolhendo a Alfabetização nos Países de Língua Portuguesa ISSN: 1980-7686 suporte@mocambras.org Universidade de São Paulo Brasil SIMÕES, Jacqueline; GENOVESE, Paulo; DARÉ, Vânia; CASTRO,

Leia mais

Ada Merritt: um exemplo de escola de excelência Beatriz Cariello Florida International University

Ada Merritt: um exemplo de escola de excelência Beatriz Cariello Florida International University Ada Merritt: um exemplo de escola de excelência Beatriz Cariello Florida International University As instituições de ensino hoje têm um enorme desafio: formar cidadãos que saibam ler o mundo, alunos que

Leia mais

XIX CONGRESSO NACIONAL DE LINGUÍSTICA E FILOLOGIA

XIX CONGRESSO NACIONAL DE LINGUÍSTICA E FILOLOGIA XIX CONGRESSO NACIONAL DE LINGUÍSTICA E FILOLOGIA IMPACTOS DO PIBID/INGLÊS SUSTENTABILIDADE NOS ALUNOS André Henrique Gonçalves (UESC) henriqueios@live.com Laura de Almeida (UESC) prismaxe@gmail.com RESUMO

Leia mais

Deutsche Welle Learning By Ear Aprender de Ouvido Empregos 03: Engenheiro TI

Deutsche Welle Learning By Ear Aprender de Ouvido Empregos 03: Engenheiro TI Deutsche Welle Learning By Ear Aprender de Ouvido Empregos 03: Engenheiro TI Texto: Richard Lough [pronuncia-se Loque] Redacção: Ulrich Neumann, Maja Dreyer Tradução: Madalena Sampaio 1 Voz para Intro

Leia mais

USANDO A REDE SOCIAL (FACEBOOK) COMO FERRAMENTA DE APRENDIZAGEM

USANDO A REDE SOCIAL (FACEBOOK) COMO FERRAMENTA DE APRENDIZAGEM Introdução USANDO A REDE SOCIAL (FACEBOOK) COMO FERRAMENTA DE APRENDIZAGEM Paula Priscila Gomes do Nascimento Pina EEEFM José Soares de Carvalho EEEFM Agenor Clemente dos Santos paulapgnascimento@yahoo.com.br

Leia mais

Como elaborar um relatório de pesquisa

Como elaborar um relatório de pesquisa Como elaborar um relatório de pesquisa Profa. Dra. Maria José B. Finatto - UFRGS - Instituto de Letras www.ufrgs.br/textecc Seminários Temáticos PROPESQ - 2012 Preâmbulo - sério! O Programa Institucional

Leia mais

2º Fórum Lusófono de Mulheres em Postos de Tomada de Decisão Luanda, 17-18 de Julho 2002

2º Fórum Lusófono de Mulheres em Postos de Tomada de Decisão Luanda, 17-18 de Julho 2002 2º Fórum Lusófono de Mulheres em Postos de Tomada de Decisão Luanda, 17-18 de Julho 2002 Tema: A Situação Actual da Educação das Jovens e Mulheres Leontina Virgínia Sarmento dos Muchangos Direcção Nacional

Leia mais

DIFICULDADES DE LEITURA E ESCRITA: REFLEXÕES A PARTIR DA EXPERIÊNCIA DO PIBID

DIFICULDADES DE LEITURA E ESCRITA: REFLEXÕES A PARTIR DA EXPERIÊNCIA DO PIBID DIFICULDADES DE LEITURA E ESCRITA: REFLEXÕES A PARTIR DA EXPERIÊNCIA DO PIBID BARROS, Raquel Pirangi. SANTOS, Ana Maria Felipe. SOUZA, Edilene Marinho de. MATA, Luana da Mata.. VALE, Elisabete Carlos do.

Leia mais

INQUÉRITO - PROJECTO DE TUTORIA A ESTUDANTES ERAMUS OUT

INQUÉRITO - PROJECTO DE TUTORIA A ESTUDANTES ERAMUS OUT INQUÉRITO - PROJECTO DE TUTORIA A ESTUDANTES ERAMUS OUT Desde já, agradecemos a sua participação nesta nova etapa do Projecto de Tutoria a Estudantes ERASMUS versão OUT. Com este inquérito, pretendemos

Leia mais

Antes de tudo... Obrigado!

Antes de tudo... Obrigado! Antes de tudo... Obrigado! Eu, Luiz Felipe S. Cristofari, agradeço por ter baixado esse PDF. Criei esse material para ajudar você a ter mais sucesso com suas ideias na internet e fico muito feliz quando

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA RELAÇÃO DE RESUMOS DE MONOGRAFIAS E ARTIGOS DE PÓS- GRADUAÇÃO Lato sensu Curso: Língua Inglesa/2003 - Érika Nunes Martins Simões Formação do Professor de - Sheila Andrade

Leia mais

Filme: O Lobisomem e o Coronel

Filme: O Lobisomem e o Coronel Filme: O Lobisomem e o Coronel Gênero: Animação Diretor: Elvis K. Figueiredo, Ítalo Cajueiro Ano: 2002 Duração: 10 min Cor: Colorido Bitola: 35mm País: Brasil Disponível no Porta Curtas: www.portacurtas.com.br/curtanaescola/filme.asp?cod=1518

Leia mais

1» A revolução educacional e a educação em valores 11

1» A revolução educacional e a educação em valores 11 Sumário Introdução 9 1» A revolução educacional e a educação em valores 11 Introdução 12 As causas da revolução educacional 12 O triplo desafio pedagógico 14 Da transmissão à educação 15 O que pretende

Leia mais

CURRICULUM VITAE HÉLDER PESTANA

CURRICULUM VITAE HÉLDER PESTANA CURRICULUM VITAE HÉLDER PESTANA Julho de 11 ELEMENTOS BIOGRÁFICOS Nome: Hélder da Corte Pestana Filiação: José Armindo Pereira Pestana, Lúcia Faria da Corte Pestana Data de nascimento: 06/08/1978 Naturalidade:

Leia mais

Richard Lough [pronuncia-se Loque] Konstanze von Kotze Madalena Sampaio Maja Dreyer Madalena Sampaio

Richard Lough [pronuncia-se Loque] Konstanze von Kotze Madalena Sampaio Maja Dreyer Madalena Sampaio Learning by Ear Aprender de Ouvido Computadores e Internet Episódio 6 Texto: Redacção: Tradução: Richard Lough [pronuncia-se Loque] Konstanze von Kotze Madalena Sampaio Maja Dreyer Madalena Sampaio PERSONAGENS:

Leia mais

Dia do Voluntário da U.Porto: Formar para o voluntariado Conclusões dos Workshops

Dia do Voluntário da U.Porto: Formar para o voluntariado Conclusões dos Workshops Dia do Voluntário da U.Porto: Formar para o voluntariado Conclusões dos Workshops Workshop1 Voluntariado na área social e humanitária nacional Dinamizadores: Vo.U Associação de Voluntariado Universitário

Leia mais

Imagem corporativa e as novas mídias

Imagem corporativa e as novas mídias Imagem corporativa e as novas mídias Ellen Silva de Souza 1 Resumo: Este artigo irá analisar a imagem corporativa, mediante as novas e variadas formas de tecnologias, visando entender e estudar a melhor

Leia mais

produtos que antes só circulavam na Grande Florianópolis, agora são vistos em todo o Estado e em alguns municípios do Paraná.

produtos que antes só circulavam na Grande Florianópolis, agora são vistos em todo o Estado e em alguns municípios do Paraná. SABOR, TRADIÇÃO E PUREZA Uma marca conhecida por sua tradicionalidade, reconhecimento no mercado e sabor irresistível, a empresa Bebidas Leonardo Sell, completa 106 anos em 2011 sendo a primeira empresa

Leia mais

A IMIGRAÇÃO EM PORTUGAL E NO ALENTEJO. A SINGULARIDADE DO CONCELHO DE ODEMIRA.

A IMIGRAÇÃO EM PORTUGAL E NO ALENTEJO. A SINGULARIDADE DO CONCELHO DE ODEMIRA. A IMIGRAÇÃO EM PORTUGAL E NO ALENTEJO. A SINGULARIDADE DO CONCELHO DE ODEMIRA. - RESULTADOS PRELIMINARES - Alina Esteves Ana Estevens Jornadas de Reflexão 29 de Maio A Realidade da Imigração em Odemira

Leia mais

A importância da participação de crianças e jovens nas práticas de cinema e educação

A importância da participação de crianças e jovens nas práticas de cinema e educação A importância da participação de crianças e jovens nas práticas de cinema e educação POR RAQUEL PACHECO 1 Há muitos anos que o investigador David Buckingham (2009) aborda e baseia seu trabalho na Convenção

Leia mais

R E L A T Ó R I O D E E N G E N H A R I A D E S O F T W A R E ( 2 0 0 5 / 2 0 0 6 )

R E L A T Ó R I O D E E N G E N H A R I A D E S O F T W A R E ( 2 0 0 5 / 2 0 0 6 ) R E L A T Ó R I O D E E N G E N H A R I A D E S O F T W A R E ( 2 0 0 5 / 2 0 0 6 ) Tendo iniciado no presente ano lectivo 2005/2006 o funcionamento da plataforma Moodle na Universidade Aberta, considerou-se

Leia mais

RELATÓRIO CHEFE DE MISSÃO AOS JOGOS OLÍMPICOS

RELATÓRIO CHEFE DE MISSÃO AOS JOGOS OLÍMPICOS RELATÓRIO DO CHEFE DE MISSÃO Missão Portuguesa aos Jogos Olímpicos de Inverno - Sochi 2014 RELATÓRIO CHEFE DE MISSÃO AOS JOGOS OLÍMPICOS SOCHI 2014 2 INTRODUÇÃO A vigésima segunda edição dos Jogos Olímpicos

Leia mais

SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL: SENSIBILIZANDO ALUNOS DO ENSINO FUNDAMENTAL

SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL: SENSIBILIZANDO ALUNOS DO ENSINO FUNDAMENTAL SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL: SENSIBILIZANDO ALUNOS DO ENSINO FUNDAMENTAL Paloma Rodrigues Cunha¹, Larissa Costa Pereira¹, Luã Carvalho Resplandes², Renata Fonseca Bezerra³, Francisco Cleiton da Rocha 4

Leia mais

Cursos de Licenciatura

Cursos de Licenciatura DLLM Cursos de Licenciatura 2009-2010 1 Cursos de Licenciatura 2009/2010 1º Ciclo Bolonha DLLM Departamento de Línguas e Literaturas Modernas 2 Cursos de Licenciatura 2009-2010 DLLM DLLM Cursos de Licenciatura

Leia mais

OS CONHECIMENTOS DE ACADÊMICOS DE EDUCAÇÃO FÍSICA E SUA IMPLICAÇÃO PARA A PRÁTICA DOCENTE

OS CONHECIMENTOS DE ACADÊMICOS DE EDUCAÇÃO FÍSICA E SUA IMPLICAÇÃO PARA A PRÁTICA DOCENTE OS CONHECIMENTOS DE ACADÊMICOS DE EDUCAÇÃO FÍSICA E SUA IMPLICAÇÃO PARA A PRÁTICA DOCENTE Maria Cristina Kogut - PUCPR RESUMO Há uma preocupação por parte da sociedade com a atuação da escola e do professor,

Leia mais

DINÂMICA CURRICULAR DO CURSO DE PEDAGOGIA - 2008. Disciplinas Teórica Prática Estágio Total. 1º Período

DINÂMICA CURRICULAR DO CURSO DE PEDAGOGIA - 2008. Disciplinas Teórica Prática Estágio Total. 1º Período MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas. UNIFAL-MG Rua Gabriel Monteiro da Silva, 700. Alfenas/MG. CEP 37130-000 Fone: (35) 3299-1000. Fax: (35) 3299-1063 DINÂMICA CURRICULAR DO CURSO DE

Leia mais

RESENHA. SANTAELLA, L. Por que as comunicações e as artes estão convergindo? São Paulo: Paulus, 2005.

RESENHA. SANTAELLA, L. Por que as comunicações e as artes estão convergindo? São Paulo: Paulus, 2005. 1 RESENHA Mónica Santos Pereira Defreitas 1 SANTAELLA, L. Por que as comunicações e as artes estão convergindo? São Paulo: Paulus, 2005. O livro de Lúcia Santaella, Por que as comunicações e as artes estão

Leia mais

Comunicação social Jornalismo, Relações Públicas, Assessoria e Comunicação de Marketing.

Comunicação social Jornalismo, Relações Públicas, Assessoria e Comunicação de Marketing. Comunicação social Comunicação social A Comunicação Social é um campo de conhecimento académico que estuda a comunicação humana e as questões que envolvem a interação entre os sujeitos em sociedade. Os

Leia mais

Diálogo 5 + 5. Quinta Conferência Ministerial. sobre a "Migração no Mediterrâneo Ocidental" Algeciras, 12 e 13 de Dezembro de 2006

Diálogo 5 + 5. Quinta Conferência Ministerial. sobre a Migração no Mediterrâneo Ocidental Algeciras, 12 e 13 de Dezembro de 2006 Diálogo 5 + 5 Quinta Conferência Ministerial sobre a "Migração no Mediterrâneo Ocidental" Algeciras, 12 e 13 de Dezembro de 2006 Conclusões da Presidência Nos dias 12 e 13 de Dezembro de 2006 teve lugar

Leia mais

Resultados dos inquéritos aos novos alunos da ESCS

Resultados dos inquéritos aos novos alunos da ESCS Resultados dos inquéritos aos novos alunos da ESCS No prosseguimento da política de qualidade da ESCS, foram realizados, no início do ano lectivo 2011/2012 e à semelhança do que aconteceu no ano anterior,

Leia mais

III Semana de Ciência e Tecnologia IFMG - campus Bambuí III Jornada Científica 19 a 23 de Outubro de 2010

III Semana de Ciência e Tecnologia IFMG - campus Bambuí III Jornada Científica 19 a 23 de Outubro de 2010 Empregabilidade: uma análise das competências e habilidades pessoais e acadêmicas desenvolvidas pelos graduandos do IFMG - Campus Bambuí, necessárias ao ingresso no mercado de trabalho FRANCIELE CLÁUDIA

Leia mais

M ODELO EUROPEU DE CURRICULUM VITAE

M ODELO EUROPEU DE CURRICULUM VITAE M ODELO EUROPEU DE CURRICULUM VITAE INFORMAÇÃO PESSOAL Formador Profissional / Coordenador Pedagógico / Consultor de Formação Nome POEIRAS, VITOR JOAQUIM GALRITO Naturalidade Sumbe, Quanza Sul, Angola

Leia mais

Entrevista com BPN Imofundos. António Coutinho Rebelo. Presidente. www.bpnimofundos.pt. Com quality media press para LA VANGUARDIA

Entrevista com BPN Imofundos. António Coutinho Rebelo. Presidente. www.bpnimofundos.pt. Com quality media press para LA VANGUARDIA Entrevista com BPN Imofundos António Coutinho Rebelo Presidente www.bpnimofundos.pt Com quality media press para LA VANGUARDIA Esta transcrição reproduz fiel e integralmente a entrevista. As respostas

Leia mais

Género e Actividades com as TIC

Género e Actividades com as TIC Género, Cidadania e Intervenção Educativa: Sugestões Práticas q Actividade Género e Actividades com as TIC Objectivos Sugestões Reconhecer que a interpretação da realidade é influenciada por expectativas

Leia mais

ÍNDICE GERAL. INTRODUÇÃO Capítulo 1

ÍNDICE GERAL. INTRODUÇÃO Capítulo 1 ÍNDICE GERAL PRESENTACIÓN 33 PREÂMBULO 39 LISTA DE SÍMBOLOS 49 1. Símbolos utilizados na transcrição de textos escritos 49 2. Alfabeto fonético 49 2.1. Vogais simples 49 2.2. Vogais longas 50 2.3. Ditongos

Leia mais

ENTREVISTA. Clara Araújo

ENTREVISTA. Clara Araújo ENTREVISTA Clara Araújo RE - Inicio de suas atividades acadêmicas? CA - Iniciei minhas atividades acadêmicas como professora de uma Faculdade que não mais existe, aqui no Rio, em 1985. Depois comecei a

Leia mais

Diversidade e Inclusão na Escola: Necessidades Especiais

Diversidade e Inclusão na Escola: Necessidades Especiais Diversidade e Inclusão na Escola: Necessidades Especiais Ex ore parvulorum veritas A A verdade sai da boca das crianças as. Ditado Latino Inclusão a qualquer custo? Má Inclusão Inferiorização + Aprendizado

Leia mais

O Público dos Blogues

O Público dos Blogues O Público dos Blogues em Portugal Universidade Católica Portuguesa Comunicação Social e Cultural Variante Digital Interactiva Públicos e Audiências Dezembro 2005 Dinis Correia 130301088 Filipa Manha 130301505

Leia mais