Sexta-feira, 13 de junho de 2014 Edição 298

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Sexta-feira, 13 de junho de 2014 Edição 298"

Transcrição

1 ICMBio Sexta-feira, 13 de junho de 2014 Edição 298 Edição Ano 8-31 de outubro de ICMBio discute construções sustentáveis Em seminário promovido em Brasília, participantes discutiram a sustentabilidade nas práticas de arquitetura e engenharia em áreas protegidas. Pág. 2 Petrechos de pesca abandonados são monitorados e retirados da Reserva Biológica Marinha do Arvoredo. Pág. 4 Reserva Extrativista Marinha de Soure mobiliza comunitários no projeto Praias de Soure: nosso paraíso Marajoara. Pág. 6 Unidade piloto de sistema agroflorestal é implantada na Área de Proteção Ambiental do Anhatomirim. Pág. 8 Reserva Extrativista Lago do Cedro realiza capacitação para desenvolvimento de produtos com frutos do Cerrado. Pág. 9

2 2 ICMBio 2 Sexta-feira, 31 de 13 outubro de junho de 2014 Edição ICMBio realiza seminário sobre construções sustentáveis com Eloy, embora a cultura da construção civil seja conservadora, as práticas sustentáveis estão ganhando cada vez mais espaço. Precisamos pensar melhor os projetos e a arquitetura bioclimática deve ser o princípio de tudo, analisou. Na visão do professor, o Estado desempenha papel fundamental na transformação da cadeira produtiva, pois tem a possibilidade de rever seus instrumentos normativos e passar a incluir nas licitações requisitos de sustentabilidade. Leonardo Milano Acaba nesta sexta-feira (31) o seminário Construções Sustentáveis Materiais e Técnicas, promovido pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), em parceria com a Agência Nacional de Águas (ANA). O evento, que acontece desde quarta-feira (29) no auditório da ANA, em Brasília, tem como objetivo discutir estratégias para incorporação de práticas sustentáveis nas obras da administração pública, em particular nas construções assentadas em Unidades de Conservação (UCs). A ideia é impulsionar o desenvolvimento de projetos que aliem viabilidade econômica, sustentabilidade e interesse social. Como órgão ambiental, o ICMBio deve assimilar diretrizes que possibilitem a construção e manutenção de edificações sustentáveis no seu âmbito de atuação, especialmente nas UCs, onde há centros de visitantes, pousadas, abrigos de montanha, alojamentos e instalações administrativas, pontuou Beatriz Gomes, coordenadora de Estruturação da Visitação e Ecoturismo (Coest/Diman). Ainda segundo Beatriz, o intuito do evento é nortear a implementação dessas diretrizes de forma homogênea, trabalhando sempre em conjunto com a Diretoria de Planejamento, Administração e Logística (Diplan). Esse seminário vai subsidiar a criação de um manual com orientações para o planejamento e execução de obras sustentáveis, que deve sair até fevereiro do ano que vem, completou. Para Fábio de Jesus, coordenador-geral de Uso Público e Negócios (CGEUP/Diman), as obras do Instituto Chico Mendes devem servir de referência para a sociedade. Nosso exemplo é muito importante. A preocupação com a sustentabilidade tem de estar presente desde a concepção dos projetos, que precisam contemplar tecnologias inovadoras, uso racional da água, eficiência energética, gestão adequada de resíduos e redução do desperdício, argumentou o coordenador, em consonância com o que defende o palestrante Eloy Casagrande, professor da Universidade Tecnológica Federal do Paraná e PhD em inovação tecnológica e sustentabilidade. De acordo Além dos palestrantes convidados e dos representantes da sede administrativa do ICMBio, o seminário contou com a presença de chefes de diversas Unidades de Conservação do país. Para Marcos Cunha, chefe do Parque Nacional das Emas (GO), a importância do encontro foi buscar estabelecer um novo direcionamento para as obras do ICMBio. Até então isso era algo disperso. Estamos vivendo um processo de mudança de paradigma dentro do órgão, avaliou. Carlos Giovanni, chefe da Reserva Biológica das Perobas (PR), também reconheceu a relevância do evento: Precisamos criar uma unidade institucional, respeitando, é claro, as peculiaridades de cada Unidade de Conservação, salientou. Cerca de 100 inscritos participaram da primeira etapa do evento, que consistiu em palestras e debates com especialistas. Os palestrantes trataram de temas como sustentabilidade nos projetos de arquitetura e engenharia, aproveitamento da água, integração da energia solar em edificações e gestão de resíduos. A segunda etapa, por sua vez, teve início na tarde de quintafeira (30), reunindo apenas 40 representantes dos órgãos envolvidos (ICMBio, ANA e Ministério do Meio Ambiente) em oficinas e grupos de trabalho, na tentativa de aprofundar as discussões e produzir subsídios para colocar em prática os temas debatidos ao longo do seminário. Seminário discutiu a incorporação de práticas sustentáveis nas obras da administração pública

3 4 ICMBio 4 Sexta-feira, 31 de 13 outubro de junho de 2014 Edição Reserva Biológica Arvoredo retira petrechos de pesca após mapeamento Peixe-boi é morto a tiros em Alagoas Diogo Nogueira A Reserva Biológica (Rebio) Marinha do Arvoredo (SC) realizou entre os dias 20 e 25 de outubro o mapeamento e a retirada de petrechos de pesca abandonados, perdidos ou descartados no interior da Unidade de Conservação (UC). A ação faz parte do projeto de pesquisa Monitoramento da ocorrência de redes fantasmas nos costões rochosos da REBIO Arvoredo, SC. O mapeamento dos petrechos de pesca foi realizado com o uso de sonares de varredura lateral (sidescan) - equipamento para obtenção de imagens de regiões submersas -, auxiliados pelo uso da asa ghost acoplada de câmera de vídeo e de um ROV (Remotely Operated Vehicle) para potencializar a captação das imagens. Foram realizados mergulhos autônomos em alguns pontos da unidade com o intuito de se confirmar a presença de petrechos de pesca no local e avaliar sua dimensão e a possibilidade de retirada do material. O trabalho foi realizado nos costões das ilhas do Arvoredo, Deserta e Galé, além da pedra Nocetti. Neste primeiro momento, aproximadamente 50kg de petrechos de pesca foram retirados do interior da unidade, incluindo redes de emalhe, âncoras e armadilhas. O material foi etiquetado e caracterizado quanto ao seu emprego, origem e situação. Essas informações serão importantes para direcionar os esforços necessários para tratar a origem do problema junto aos pescadores que atuam no entorno da unidade, explicou Dan Jacobs Pretto, analista ambiental da Rebio. Nas próximas semanas serão realizadas as análises dos dados gerados pelos sonares. Os pontos georreferenciados que apresentaram indícios da presença de petrechos serão tabelados para elaboração de um diagnóstico dos locais mais afetados na Unidade. A partir desse diagnóstico, serão realizadas campanhas de limpeza com o objetivo de retirar esse material. O projeto foi executado em parceria com Instituto de Pesca e Fundação Florestal de São Paulo; organização não governamental Instituto Comar, de Santa Catarina e Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). A operação contou ainda com o apoio do navio de pesquisa Soloncy Moura, do Centro de Pesquisa e Conservação da Biodiversidade Marinha do Sudeste e Sul (Cepsul) e da operadora de mergulho Água Viva. Equipe retirou 50kg de petrechos de pesca da Unidade, incluindo redes de emalhe, âncoras e armadilhas Monica Costa Acervo CMA Animal foi reintroduzido na natureza pela equipe do CMA em 2011 Um peixe-boi foi morto a tiros na manhã da última terça-feira (28) em Alagoas. A base do Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Mamíferos Aquáticos (CMA) do estado foi acionada por volta das 8h30 para atender a ocorrência na ilha da Crôa, município de Barra de Santo Antônio (AL). No local, a equipe descobriu que se tratava de um animal monitorado, batizado de Fontinho. Esse peixe-boi foi reintroduzido ao ambiente natural em novembro de 2011 pelo CMA. Nós considerávamos a soltura dele um sucesso. Ele já buscava alimento e água, interagia com outros animais da mesma espécie, inclusive com comportamentos reprodutivos, e conseguia se desvencilhar de ações naturais, como mudanças de maré e correnteza, salientou a coordenadora-substituta do CMA, Fernanda Löffler Niemeyer Attademo. A carcaça do peixe-boi não apresentava cheiro forte e estava em boas condições, indicando que o óbito era recente. A pele do animal também estava bem e foi possível observar a liberação de fezes, mostrando que ele tinha se alimentado pouco antes de morrer. Observamos duas perfurações cilíndricas. A primeira, de menor calibre, foi na região frontal da cabeça. A segunda, bem maior, foi na região ventral do pescoço. Nenhum outro ferimento externo foi observado, argumentou Fernanda. Devido à suspeita de caça por meio de arma de fogo, as polícias Civil, Militar e Federal foram acionadas para cuidar do caso. Um boletim de ocorrência foi registrado e, após ser periciada, a carcaça do peixe-boi foi encaminhada para a sede do CMA, em Itamaracá (PE), para exames de necrópsia. Os resultados apontaram que o animal não estava doente e que as perfurações eram compatíveis com projéteis de alto impacto, utilizados em armas. O CMA está aguardando o relatório técnico da Polícia Federal e confeccionando o relatório de necrópsia para instaurar um processo de apuração do crime, mas ninguém foi preso ainda. Todos os procedimentos legais estão sendo adotados e será dado o encaminhamento de crime ambiental conforme legislação. Um trabalho de educação ambiental está sendo reforçado junto à comunidade para esclarecer os fatos e evitar novas ocorrências, concluiu a coordenadora. O exemplar de peixe-boi marinho Fontinho foi resgatado de um encalhe em outubro de 2008 na praia das Fontes, Ceará. Identificado com código de registro S0111/220, ele passou por processo de reabilitação no Centro de Reabilitação de Animais Silvestres (CRAS) na sede do CMA, em Pernambuco. Em novembro de 2011, Fontinho foi translocado para o recinto localizado no rio Tatuamunha, Porto de Pedras (AL), para ser apresentado ao ambiente natural. Em novembro de 2012, ele foi solto na natureza e passou a ser monitorado por meio de um equipamento de GPS. O monitoramento por satélite durou dez meses. Após esse período, ele foi avistado sistematicamente no rio Santo Antônio, litoral norte de Alagoas.

4 6 ICMBio 6 Sexta-feira, 31 de 13 outubro de junho de 2014 Edição Importância cultural e ambiental de Reserva Extrativista é destaque em evento no Pará A Reserva Extrativista (Resex) Marinha de Soure, localizada na ilha do Marajó (PA)m realizou a segunda edição do projeto Praias de Soure: nosso paraíso Marajoara, iniciativa que tem apoio do Projeto Manguezais do Brasil. Por meio da sensibilização e mobilização social, o objetivo é reduzir os conflitos locais e fortalecer parcerias, visando maior proteção da área e melhoria da qualidade de vida local. O projeto ocupou as praias Barra Velha e Pesqueiro com atividades lúdico-educativas e de comunicação. Elas tiveram foco na importância ecológica, social e cultural do ambiente natural local; na divulgação das regras e leis importantes para a implementação da Unidade de Conservação (UC) e, principalmente, na conservação de áreas de manguezal e do modo de vida das comunidades que dele sobrevivem. Gabriella Calixto Scelza, analista ambiental da Resex, conta que o projeto surgiu a partir das campanhas de informação desenvolvidas em apoio às ações de fiscalização. Desde 2010 estamos realizando ações específicas, sobretudo nas praias onde ocorre a entrada clandestina de veículos automotores. O projeto surgiu a partir dessas atividades, explicou Gabriella. Nesta edição, jogos, brincadeiras e oficinas foram utilizados como ferramenta para despertar a curiosidade e o cuidado com o meio ambiente. O evento contou com a participação de 28 voluntários das universidades Federal do Pará Campus Soure e Estadual do Pará Campus Salvaterra. Para exaltar as manifestações culturais e sua relação com a conservação, a programação contou ainda com oficinas de danças e ritmos tradicionais, como o carimbó e o lundum-marajoara. O Grupo Folclórico Tambores do Pacoval e a Associação de Capoeira Arte Nossa Popular (Acanp) também participaram e demonstraram a relação entre o ambiente natural e a cultura local. A conservação de mamíferos aquáticos e os impactos do descarte inadequado do lixo foram tratados pelo Instituto de Conservação Socioambiental Bicho d Água. Percebemos que ações como essas são fundamentais para divulgar a Unidade e qualificar as atividades de uso público, reduzindo impactos. Conhecer a importância da área pode ser o primeiro passo para que o turista e os próprios moradores passem a apoiar a conservação da Resex, finalizou Andrei Cardoso, chefe da UC. Evento buscou a mobilização social para proteção da Unidade e melhoria da qualidade de vida local

5 8 ICMBio 8 Sexta-feira, 31 de 13 outubro de junho de 2014 Edição Área de Proteção Ambiental Anhatomirim implanta sistemas agroflorestais Extrativistas participam de capacitação na Resex Lago do Cedro A Área de Proteção Ambiental (APA) do Anhatomirim (SC) iniciou em 22 de outubro a implantação da Unidade Piloto Agroflorestal. Essa é a principal estratégia do Grupo de Trabalho (GT) em Agroflorestas, formado por agricultores, técnicos, analistas ambientais e pesquisadores de diferentes instituições, no âmbito do Conselho Consultivo da APA. O GT foi formado em conjunto com outros grupos, visando a efetivação do manejo da APA conforme previsto em seu Plano de Manejo. Marcos César da Silva, chefe da Unidade de Conservação (UC), esclarece que o Plano, publicado em 2013, foi resultado da construção coletiva de todas as instituições que formam o Conselho. Em 2014, criamos Grupos de Trabalho para colocar o manejo definido em prática. Isso já vem acontecendo em diferentes eixos, e o trabalho com agroflorestas é um deles. Essa atividade vem ao encontro da proteção de remanescentes da Floresta Atlântica e fontes hídricas de relevante interesse para a sobrevivência das comunidades de pescadores artesanais da região, um dos objetivos da APA, definido em seu decreto de criação, afirmou Marcos. As agroflorestas são sistemas de produção de alimentos nos quais se manejam a sucessão ecológica e a produção natural de biomassa, associando aumento de fertilidade do solo e biodiversidade com a produção sustentável. A Unidade Piloto, implantada na propriedade de Martin Alexandre Galo, será utilizada como área de observação e pesquisa, agregando diferentes instituições em relação ao tema, adaptando tecnologias agroflorestais para a região e servindo como referência para sua implantação no território da APA. A área da Unidade foi selecionada a partir da disponibilidade do agricultor e de uma análise conjunta entre a APA, Fundação do Meio Ambiente de Santa Catarina (Fatma), Prefeitura de Governador Celso Ramos e Coordenação Regional (CR) 9. Participaram da implantação mais de 40 pessoas, entre agricultores, moradores, protetores ambientais mirins, técnicos da organização não governamental Instituto Çarakura e técnicos e secretários do município de Governador Celso Ramos. Também participaram analistas ambientais e bolsistas da APA e do Centro de Pesquisa e Conservação da Biodiversidade Marinha do Sudeste e Sul (Cepsul), que coordena o GT e é responsável pela sistematização das atividades de pesquisa na Unidade Piloto. Unidade Piloto do sistema agroflorestal será utilizada como área de observação, pesquisa e referência Acervo APA Anhatomirim A Reserva Extrativista (Resex) Lago do Cedro, localizada no estado de Goiás, realizou nos meses de setembro e outubro oficinas de capacitação para seus conselheiros e famílias de beneficiários identificadas no levantamento concluído recentemente. A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater) do estado de Goiás foi responsável pelo conteúdo apresentado aos extrativistas. Entre os dias 30 de setembro e 2 de outubro os membros do Conselho Deliberativo da Resex participaram de uma oficina que buscou apresentar mais informações a respeito do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e da Unidade de Conservação (UC). Como nem todos os participantes conheciam conceitos ambientais ou compreendiam o que é uma Unidade de Conservação, tivemos a oportunidade de apresentar esses temas e nivelar as informações, contou Mirtes Machado, chefe da Resex. Como resultado da oficina, foram elaborados o Plano de Ação e propostas a renovação do Conselho e a reformulação do seu Regimento Interno. As proposições serão apresentadas em reunião do Conselho para aprovação. Neste mesmo período, extrativistas da Resex aprenderam em uma oficina a produzir doces cristalizados, compotas e geleias a partir dos frutos de quintal e do Cerrado, encontrados na Unidade de Conservação (UC) e no seu entorno. Na Resex é possível encontrar, entre outros frutos, cagaita, caju, murici e baru. A necessidade de ações de capacitação foi apresentada pelos membros do Conselho Deliberativo da Unidade. Com a realização das atividades, conseguimos integrar as pessoas e obter bons resultados para a gestão da UC, afirmou Mirtes. Extrativistas aprenderam a produzir doces cristalizados, compotas e geleias com frutos de quintal e do Cerrado Acervo Resex Lago do Cedro

6 10 ICMBio 10 Sexta-feira, Sexta-feira, 31 de 13 outubro de junho de 2014 Edição Floresta Nacional de Passo Fundo realiza leilão para venda de madeiras Floresta Nacional de Passa Quatro promove curso de prevenção de acidentes e primeiros socorros A Floresta Nacional (Flona) de Passo Fundo (RS) realizou em setembro o leilão público para venda de madeiras de pinus e araucária de florestamentos implantados nas décadas de 1950 e Com o resultado divulgado e a assinatura dos contratos, a expectativa é de que as atividades de manejo comecem nas próximas semanas. Foram vendidos dez lotes de madeira, arrematados por cinco empresas da região. Cerca de metros estéreos serão vendidos, em cinquenta hectares de manejo, entre araucárias e pinus. A arrecadação será de R$ ,35. A Flona de Passo foi criada em 1947, com uma área de hectares, pelo Instituto Nacional do Pinho (INP) e destinada ao plantio de araucária para manutenção e preservação da espécie em seu bioma natural. Sua área de mata nativa foi conversada ao longo do tempo e as áreas de cultivo serviram aos projetos pioneiros de reflorestamento de araucária. Esses plantios encontram-se bem desenvolvidos e são uma experiência única na região devido ao êxito do projeto, que conseguiu reflorestar grandes extensões de terras, afirmou Adão Luiz da Costa Güllich, chefe da Unidade. O manejo madeireiro das áreas de plantios florestais é um dos programas do Plano de Manejo publicado em O documento prevê o corte gradual dos plantios de pinus, que atualmente ocupam 300 hectares da Flona. As áreas de araucária plantada, que somam 400 hectares, serão manejadas até atingirem uma condição semelhante à Floresta Ombrófila Mista característica da região, destinando-se então ao manejo não madeireiro e à conservação ambiental. A Flona de Passo Fundo é a maior e mais antiga Unidade de Conservação (UC) de toda a região do Planalto Médio Gaúcho e abriga várias espécies ameaçadas de extinção. A UC possui projetos em andamento com inserção da comunidade regional, intensa pesquisa científica sendo realizada na área, visitação e atividades de educação ambiental. Flona foi criada em 1947 visando o plantio de araucária para preservação da espécie Remi Osvino Weirich Foi realizado na Floresta Nacional (Flona) de Passa Quatro (MG) o curso de Prevenção de Acidentes e Primeiros Socorros, ministrado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) de Minas Gerais, entre os dias 21 e 24 de outubro. A capacitação é fruto da parceria entre Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Sindicato dos Produtores Rurais de Passa Quatro e Senar. A maior parte dos participantes foi composta por brigadistas da Unidade de Conservação (UC), que puderam aprimorar e conhecer melhor as medidas de prevenção de acidentes e os procedimentos para prestar os primeiros socorros às vítimas de acidentes. O curso envolveu dinâmicas em grupo, aprendizado teórico e prático, incluindo a imobilização de membros, aplicação de ataduras e reanimação cardiorrespiratória. Ao final do curso, os participantes foram orientados a elaborar uma cartilha sobre prevenção de acidentes na unidade, que foi entregue à administração da Flona como uma contribuição do curso para a UC. Participantes do curso praticam reanimação cardiorrespiratória Servidor recebe homenagem da Força Aérea Brasileira No dia 23 de outubro, Dia do Aviador, o analista ambiental Michel Omena, chefe do Parque Nacional de São Joaquim (SC), recebeu a medalha de Membro Honorário da Força Aérea Brasileira. A homenagem, entregue pelo coronel Vital, comandante do Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (Cindacta) II, em Curitiba (PR), foi um reconhecimento ao trabalho de parceria entre o Parque Nacional e o Destacamento de Controle do Espaço Aéreo, base do Cindacta que fica dentro da Unidade de Conservação (UC). O ordenamento do turismo no Morro da Igreja, de onde é avistada a Pedra Furada, tem apresentado resultados importantes na segurança e qualidade da visitação no local, que em 2013 foi de cerca de 140 mil visitantes. A homenagem reflete o trabalho de toda a equipe de servidores e terceirizados que trabalham no Parque. Independentemente do regime trabalhista, todos são pratas da casa, afirmou Michel. Coronel Vital e o analista ambiental Michel Omena Marco Aurélio M. Corrêa Ana Paula P. Godoy

7 12 ICMBio 12 Sexta-feira, 31 de 13 outubro de junho de 2014 Edição Utilização adequada dos recursos do mar é debatida em seminário ICMBio realiza Seminário de Pesquisa sobre Reservas Extrativistas do Ceará Estão abertas as inscrições para a Jornada de Gerenciamento Costeiro e Planejamento Espacial Marinho, que acontecerá entre os dias 3 e 7 de novembro, no auditório do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), em Brasília. O evento, organizado pelo Ministério do Meio Ambiente, inclui seminários temáticos que promoverão a reflexão sobre a ocupação ordenada do espaço costeiro e o uso sustentável e compartilhado dos seus recursos naturais. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas em br/jornada-gerco/inscricoes/.. Procuramos reunir um conjunto de temas que se relacionam e complementam, abordando a complexidade e os desafios da gestão costeira no Brasil, avançando inclusive para a fronteira marinha, destacou a gerente de Projeto da Gerência Costeira do MMA, Leila Swerts. Será uma oportunidade importante para uma visão ampla e diversificada, não só pelos temas abordados, mas também pela troca de experiências entre os participantes, de segmentos distintos, nacionais e internacionais, afirmou Leila. Na segunda-feira (3/11) acontecerá o III Seminário Internacional Brasil-Espanha, com o objetivo de difundir os resultados e conhecimentos adquiridos com o Projeto Sistema de Modelagem Costeira (SMC-Brasil), no âmbito do Acordo de Cooperação Técnica entre Brasil e Espanha, que se encerra no final de Este seminário vai reunir gestores federais, estaduais e municipais; representantes da academia, do Legislativo e do Ministério Público; representantes da sociedade civil e do setor privado, além de organizações ambientalistas com interesse e atuação no tema. Serão apresentados os produtos elaborados, além de reflexões e desdobramentos no Brasil. O Projeto SMC-Brasil trabalha fundamentalmente a formação de pessoal e a instrumentalização de gestores públicos em técnicas de proteção e gestão do litoral que facilite a tomada de decisões, além de apresentar subsídios que apoiem a construção de um modelo que auxilie na dinamização e qualificação de procedimentos de licenciamento ambiental e de planejamento territorial, avaliando os impactos de obras na zona costeira. No dia 4, terça-feira, para promover a troca de experiências entre os responsáveis pelo gerenciamento costeiro nos estados e a coordenação nacional e auxiliar a orientação das ações nos próximos anos, acontecerá o Seminário Nacional de Gerenciamento Costeiro. O evento terá a presença de coordenadores e equipes estaduais do Gerenciamento Costeiro e equipes das superintendências regionais da Secretaria do Patrimônio da União (SPU). A 50ª Sessão Ordinária do Grupo de Integração do Gerenciamento Costeiro (Gi-Gerco) acontecerá na quarta-feira (5/11) com a finalidade de promover uma reflexão sobre a implantação do Plano Nacional de Gerenciamento Costeiro, apontar caminhos a seguir e desafios a superar. Este encontro tem como público-alvo prioritário os membros do grupo colegiado. Os últimos dois dias da Jornada serão dedicados ao Seminário Internacional sobre Planejamento Integrado do Espaço Marinho. Pesquisadores e beneficiários das Reservas Extrativistas (Resex) do Batoque e Prainha do Canto Verde (CE) participaram no mês de outubro do I Seminário de Pesquisa sobre as Reservas Extrativistas do Ceará: do conhecimento à gestão dos territórios tradicionais. O objetivo do evento foi nivelar entre pesquisadores, equipes do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e comunidades locais os conhecimentos obtidos com as pesquisas realizadas até então nas Unidades de Conservação (UCs). No primeiro dia do seminário, realizado de 14 a 17 de outubro, os participantes assistiram a palestras sobre o Sistema Nacional de Unidades de Conservação (SNUC) e o Sistema de Autorização e Informação em Biodiversidade (Sisbio). Houve também uma mesa redonda com a temática Direito e lutas em defesa dos territórios tradicionais pesqueiros. Nos dois dias seguintes, aconteceram as apresentações de pesquisas, agrupadas em quatro eixos principais: pesca artesanal, turismo comunitário, educação e gestão ambiental. Os participantes ainda puderam entender como são elaborados os Planos de Manejos em Reservas Extrativistas, por meio do seu fluxograma. Na oportunidade, pesquisadores e comunitários puderam esclarecer dúvidas sobre o processo. A última parte do Seminário foi dedicada às oficinas de planejamento de gestão, que foram realizadas em dois grandes grupos: um voltado para a Resex do Batoque e outro para a Resex Prainha do Canto Verde. Segundo Grasiely Tavares, analista ambiental da Resex do Batoque, o saldo do seminário foi positivo. Foi um momento de intensa troca de experiências e ideias entre representantes das comunidades, pesquisadores e analistas ambientais. A participação de todos foi fundamental nas discussões e na elaboração do planejamento, garante Grasiely Tavares. Ao longo dos quatro dias, cerca de 90 pessoas participaram do evento. O seminário foi promovido pelo ICMBio em parceria com o Departamento de Geografia da Universidade Federal do Ceará (UFC) e contou com o apoio do Instituto Terramar. Evento foi uma oportunidade para reunir os conhecimentos obtidos com as pesquisas realizadas nas duas Reservas Extrativistas Acevo Resex do Batoque

8 14 ICMBio 14 Sexta-feira, 31 de 13 outubro de junho de 2014 Edição Oficina elabora PAN da herpetofauna do Sudeste ICMBio e Ibama monitoram Unidades de Conservação de Boa Nova O Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Répteis e Anfíbios (RAN) realizou entre os dias 22 e 26 de setembro, na Academia Nacional da Biodiversidade (Acadebio), a Oficina de Elaboração do Plano de Ação Nacional (PAN) para a Conservação da Herpetofauna Ameaçada de Extinção da Mata Atlântica da Região Sudeste do Brasil. A área objeto do PAN tem a maior concentração de espécies da herpetofauna ameaçadas de extinção, com 180 registros de anfíbios e répteis contemplados pelo Plano: 41 espécies-alvo (16 da atual Lista de Espécies Ameaçadas e 25 provenientes da recente avaliação do estado de conservação da herpetofauna brasileira, realizada pelo RAN) e 139 espécies provenientes de listas estaduais de espécies ameaçadas ou classificadas como quase ameaçadas (NT) e dados insuficientes (DD), resultante da recente avaliação. A oficina foi um importante passo para elaboração do Plano de Ação, cujo principal objetivo é reduzir as ameaças sobre as espécies do PAN por meio de ações e geração de conhecimento, em cinco anos. Foram estabelecidos sete objetivos específi- Pesquisadores definiram ações para o Plano de Ação cos e 42 ações voltadas para minimizar as ameaças às espécies e aos ambientes em que vivem, em uma região tão exuberante e fragilizada como a Mata Atlântica do Sudeste brasileiro. Estiveram reunidos 40 pesquisadores, representando 22 instituições federais e estaduais, e a sociedade civil. Acervo Acadebio Equipes do Parque Nacional (Parna) e do Refúgio de Vida Silvestre (RVS) de Boa Nova (BA) realizaram nos dias 16 e 17 de outubro trabalho de monitoramento nas Unidades de Conservação (UCs). O objetivo foi verificar a conservação dos biomas Caatinga e Mata Atlântica nas áreas protegidas e coibir possíveis ilícitos ambientais. A ação foi realizada com o apoio do Escritório Regional do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) em Vitoria da Conquista. Dois importantes espaços situados no interior do Parna e do RVS foram verificados. No lajedo dos Beija-Flores, por exemplo, foi possível verificar o potencial turístico e as características que tornam o local em um excelente espaço de observação de aves. Para Josafá Almeida, observador de aves que acompanhou a atividade, a região tem um enorme potencial para esse tipo de atividade, comprovado pelo fato de diversos clubes de observadores de aves no Brasil visitarem o local para conhecer a riqueza de espécies que são encontradas no lajedo. Em área do bioma Mata Atlântica, foi verificado o estado de conservação da região conhecida como Três Cachoei- Equipe de monitoria no lajedo dos Beija-Flores ras, que constantemente atrai a atenção de turistas que buscam conhecer e interagir com o ambiente natural. Estamos verificando prováveis áreas em que serão implantadas ações de uso público. As atividades em parceria com o Ibama fortalecem a ação do Instituto Chico Mendes na região e contribuem para uma melhor sinergia de trabalho entre os dois órgãos, afirmou Johan Pereira, chefe do RVS. Acervo Parna e RVS de Boa Nova

9 16 ICMBio 16 Sexta-feira, 31 de 13 outubro de junho de 2014 Edição ICMBio promove curso de gestão para resultados Resultado do sorteio O Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) vai promover durante a próxima semana o segundo módulo do terceiro ciclo do Curso de Formação em Gestão para Resultados, com previsão de término para junho de Articulado pela Coordenação de Planejamento (Coplan/Diplan) e realizado em parceria com a Coordenação-geral de Gestão de Pessoas (CGGP/Diplan), a capacitação tem cinco módulos e consta do Plano Anual de Capacitação do ICMBio. O segundo módulo apresenta Os aspectos sociais da gestão e o processo consultivo. Nele, são abordados temas sobre gerenciamento, liderança e desenvolvimento de equipe e o papel do facilitador e as habilidades consultivas coaching. Nesta fase, o objetivo é que o participante receba informações sobre o trabalho gerencial, compreendendo sua dinâmica, seu papel no desenvolvimento de equipes e de pessoas, bem como trazer a compreensão do impacto da liderança no papel gerencial e na modelagem do comportamento organizacional, explicou Cesar Viana, coordenador de Planejamento. Aos participantes, também é apresentada a importância do facilitador interno como agente de mudança, identificando os elementos críticos que devem ser observados neste processo para garantir seus resultados. A cada ciclo de formação, a cultura da gestão por resultados se insere mais nas atividades do ICMBio, promovendo melhorias constantes tanto nos processos administrativos quanto nos finalísticos, por intermédio dos próprios servidores do Instituto, destacou Viana. Este terceiro ciclo, assim como os já realizados, busca promover a consolidação da aplicação do modelo de Gestão para Resultados no ICMBio, por meio do programa de formação continuada. Esta é uma oportunidade para agregar competências aos gestores das diversas unidades organizacionais para implantação de práticas e comportamentos inerentes à adoção do modelo, ressaltou o coordenador de Planejamento. O participante tem a oportunidade de aplicar as práticas de gestão estratégica e gestão por processos na unidade organizacional de atuação, com o auxílio do coacher, à distância. Participantes da terceira edição do Curso de Formação em Gestão para Resultados Esta edição conta com 24 participantes, dos quais 15 são do ICMBio e nove convidados externos pertencentes ao Ministério do Desenvolvimento Agrário, Centro Estadual de Unidades de Conservação da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável do Amazonas (CEUC/SDS), Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins), à Secretaria de Estado do Desenvolvimento Ambiental de Rondônia (Sedam) e Secretaria de Estado de Meio Ambiente de Mato Grosso (Sema). Além da equipe da Nexucs Consultoria, contratada pela Agência Alemã de Cooperação Técnica (GIZ/GOPA), participam do curso, como facilitadores internos, os seguintes servidores: Alexandre Cordeiro, da Floresta Nacional de Ipanema; Carlos Alberto Ferraresi de Giovanni, da Reserva Biológia das Perobas; Cesar Pereira Viana, da Coplan; Júlio Rosa da Silva, do Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha; Leandro Jerusalinsky, do Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Primatas Brasileiros; Marcelo Chassot Bresolin, do Parque Nacional do Superagui; Marina Kluppel, da Coordenação Regional 6; Ronaldo Gonçalves Morato, do Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Mamíferos Carnívoros e Rossana Evangelista Santana, do Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha. Acervo Acadebio Confira os sorteados da promoção Dia do Servidor Público e sete anos do ICMBio em Foco. Livro Parques Nacionais do Brasil: Bernardo Ferreira Alves de Brito (Cosam/Diman); Marcio Ribeiro de Mello (Cofis/Diman); Irene Capinos (UAAF Foz do Iguaçu) Livro Serra do Espinhaço: Eduardo Godoy Aires de Souza (Esec Tamoios); Fernando Francisco Xavier (CR10); Carlos Augusto de Brito Dantas (UAAF Arembepe) Livro APA Costa dos Corais: Luiz Eugenio Junqueira de Oliveira (UAAF Rio de Janeiro); Alessandro Fabiano de Oliveira (Cecav); Amanda Maria Silva Santos (CR10); Renato Lopes da Silva (Parna Tijuca); Ely Enéas Florentino de Sousa (MN Rio São Francisco) Pen-drive Rio+20: Fernando Correia Villela (Parna Serra da Bodoquena); Tiago Leão Pereira (RVS Rio dos Frades); Andrei Tiego Cunha Cardoso (Resex Marinha de Soure); Érica dos Santos (UAAF Foz do Iguaçu); Michelle Passos (UAAF Rio de Janeiro); Victor Paulo Azevedo Valente da Silva (APA Petrópolis) Atlas dos Recifes de Corais nas Unidades de Conservação Brasileiras: Patrícia Ferreira Ribeiro Dias (Rebio Jaru) Livro Parque Nacional de Brasília 50 anos: Rossana Evangelista Santana (Parna Marinho de Fernando de Noronha) Livro Águas Emendadas: Daniel Castro (CGSAM/Disat); Tainá Jardim Antunes (RVS do Rio dos Frades) Boné RVS Santa Cruz/ APA Costa das Algas: Rita de Cássia G. de Alcântara Rocha (Cepta); Rafael Pereira Pinto (Parna Cavernas do Peruaçu) Kit do Tamar: Emmanuel Costa Ramirez (CGGP/Diplan); Renata Duarte Rodrigues Ferreira (Cecav) Parabéns aos sorteados! Os brindes serão enviados na próxima semana para o local de trabalho informado.

10 ICMBio 18 Sexta-feira, 31 de 13 outubro de junho de 2014 Edição Curtas Reserva Biológica Córrego do Veado recebe visita de estudantes Simpósio de Inventário Florestal No mês de outubro, mais de 500 alunos dos ensinos Fundamental e Médio visitaram a Reserva Biológica (Rebio) do Córrego do Veado, localizada no município de Pinheiros (ES). Eles observaram alguns dos animais que vivem na Unidade de Conservação (UC), que estão empalhados no Centro de Vivência da Rebio, e participaram de uma palestra sobre a importância da Reserva para a conservação da fauna e flora da Mata Atlântica de Tabuleiro, ministrada pelo chefe da Unidade, Osvaldo Luiz Ceotto. Alunos e professores também fizeram uma caminhada pela Trilha da Anta para conhecer mais sobre a UC. Participaram das visitas escolas dos municípios São Mateus, Nova Venécia, Boa Esperança, Conceição da Barra e Pinheiros. Alunos na Trilha da Anta Osvaldo Luiz Ceotto O Serviço Florestal Brasileiro (SFB) promoverá de 10 a 12 de novembro, em Manaus (AM), o III Simpósio Nacional de Inventário Florestal. O objetivo é reunir, compartilhar e viabilizar um canal para troca de experiências sobre inventários florestais no Brasil e em outros países. A programação prevê realização de palestras, participação voluntária para submissão de trabalhos científicos sob a forma de apresentação Conselheiros recebem informações sobre concessão florestal oral e pôster, organização de sessões temáticas paralelas e exposição de fotos relacionadas ao tema. O Inventário Florestal Nacional, atualmente em fase de implementação no aís, é coordenado pelo SFB e faz parte do Sistema Nacional de Informações Florestais. Outras informações em Instrução de processos de regularização fundiária Estão abertas até 9 de novembro as inscrições para imóvel. Com 50 vagas disponíveis, o curso é destinado a servidores do Instituto Chico Mendes de Con- o Curso de Instrução de Processos de Regularização Fundiária, que será realizado de 8 a 12 de dezembro, servação da Biodiversidade que atuam em unidades na Academia Nacional da Biodiversidade (Acadebio). onde seja necessária a desapropriação de imóveis O objetivo é capacitar os servidores para promover privados. A prioridade é para aqueles que já atuam análise técnica sobre a instrução e a regularidade do nas suas unidades com processos de compensação de processo; emitir parecer; realizar vistoria e elaborar reserva legal e desapropriação administrativa. Informações em relatório técnico e a cadeia sucessória dominial do Os membros dos Conselhos Consultivos das Florestas Nacionais (Flonas) de Itaituba I e II (PA) participaram de reunião com o Serviço Florestal Brasileiro (SFB) para tratar sobre a concessão florestal das Unidades de Conservação (UC). Na oportunidade, Henrique Dolabella, gerente-executiva do SFB, apresentou as três áreas de Unidades de Manejo Florestais (UMFs) destinadas à concessão, que constam no plano de manejo das UCs, publicado em abril deste ano. Os conselheiros moradores das comunidades onde as concessões ocorrerão demonstraram preocupação com a sobreposição da UMF1 e ocupações existentes na área. O coordenador regional 3, Carlos Augusto Pinheiro, que é presidente dos dois Conselhos, ressaltou que o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) tem procurado a articulação com outros órgãos visando a melhoria da qualidade de vida nas comunidades. Contamos também com a colaboração das comunidades para a gestão participativa das Unidades, um papel do Conselho Consultivo, para assim construirmos estratégias conjuntas, afirmou Pinheiro. O coordenador aproveitou a reunião para apresentar os analistas e técnicos ambientais recém-empossados, que participaram ativamente da reunião e atuarão nas 12 UCs com sede em Itaituba.

11 ICMBio Sexta-feira, 31 de 13 outubro de junho de 2014 Edição Parque Nacional Campos Amazônicos (AM/RO/MT) Fotos: Adriano Gambarini

12 22 ICMBio ICMBio em Foco Revista eletrônica semanal Editores Gustavo Frasão Caldas - jornalista Ivanna Costa Brito Fotógrafo da DCOM Leonardo Milano Projeto Gráfico Eduardo Giovani Guimarães Diagramação Narayanne Miranda Supervisor João Freire Colaboraram nesta edição Cesar Viana Coplan; Dan Jacobs Pretto Rebio Marinha do Arvoredo; Edgard Andrade Júnior Flona Passa Quatro; Gabriel Lage Ribeiro Parna Jamanxim; Genice Vieira Santos Flona Itaituba I; Johan Silva Pereira RVS Boa Nova; Michel Omena Parna São Joaquim; Nana Brasil DCOM; Nara Souto Comunicação Nordeste; Nilvane Silva Resex Marinha Soure; Osvaldo Luiz Ceotto Rebio Córrego do Veado; Rafael Martins Valadão RAN; Rafaela Ribeiro Ascom/MMA; Remi Osvino Weirich Flona Passo Fundo. Divisão de Comunicação - DCOM Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade - ICMBio Complexo Administrativo Sudoeste - EQSW 103/104 - Bloco B - Térreo - CEP: Brasília/DF Fone +55 (61) twitter.com/icmbio

MOSAICO DE ÁREAS PROTEGIDAS DO EXTREMO SUL DA BAHIA - MAPES

MOSAICO DE ÁREAS PROTEGIDAS DO EXTREMO SUL DA BAHIA - MAPES MOSAICO DE ÁREAS PROTEGIDAS DO EXTREMO SUL DA BAHIA - MAPES ACADEBIO Agosto de 2012 Suiane Benevides Marinho Brasil /RVS Rio dos Frades / Sec. Executiva do COMAPES EXTEMO SUL DA BAHIA CORREDOR CENTRAL

Leia mais

Projeto Corredores Ecológicos: Corredor Central da Mata Atlântica Unidade de Coordenação Estadual Espírito Santo

Projeto Corredores Ecológicos: Corredor Central da Mata Atlântica Unidade de Coordenação Estadual Espírito Santo Conectando pessoas e florestas Projeto Corredores Ecológicos: Corredor Central da Mata Atlântica ti Unidade de Coordenação Estadual Espírito Santo Objetivos PCE 1. Objetivo Geral: Demonstrar a viabilidade

Leia mais

A Implementação do Cadastro Ambiental Rural (CAR) e do Programa de Regularização Ambiental (PRA) nos estados brasileiros

A Implementação do Cadastro Ambiental Rural (CAR) e do Programa de Regularização Ambiental (PRA) nos estados brasileiros A Implementação do Cadastro Ambiental Rural (CAR) e do Programa de Regularização Ambiental (PRA) nos estados brasileiros Sumário Executivo Maio de 2015 Este sumário executivo apresenta um panorama nacional

Leia mais

Plataforma Ambiental para o Brasil

Plataforma Ambiental para o Brasil Plataforma Ambiental para o Brasil A Plataforma Ambiental para o Brasil é uma iniciativa da Fundação SOS Mata Atlântica e traz os princípios básicos e alguns dos temas que deverão ser enfrentados na próxima

Leia mais

Bioindicadores Ambientais (BAM36AM) Sistema Nacional de Unidades de Conservação

Bioindicadores Ambientais (BAM36AM) Sistema Nacional de Unidades de Conservação Bioindicadores Ambientais (BAM36AM) Sistema Nacional de Unidades de Conservação Unidades de Conservação SNUC Sistema Nacional de Unidades de Conservação Sistema Nacional de Unidades de Conservação Lei

Leia mais

Semana da Mata Atlântica, em Campos do Jordão, discute proteção de remanescentes desse ecossistema

Semana da Mata Atlântica, em Campos do Jordão, discute proteção de remanescentes desse ecossistema 16/05/2005 Semana da Mata Atlântica, em Campos do Jordão, discute proteção de remanescentes desse ecossistema A Mata Atlântica, um dos mais importantes ecossistemas existentes no país, vai ser tema de

Leia mais

Sistema de Autorização e Informação em Biodiversidade. Sisbio

Sistema de Autorização e Informação em Biodiversidade. Sisbio Sistema de Autorização e Informação em Biodiversidade Sisbio Sisbio Sistema de Autorização e Informação em Biodiversidade Sistema interativo e simplificado de atendimento à distância e de informação. O

Leia mais

Consolidação Territorial de Unidades de Conservação. Eliani Maciel Lima Coordenadora Geral de Regularização Fundiária

Consolidação Territorial de Unidades de Conservação. Eliani Maciel Lima Coordenadora Geral de Regularização Fundiária Consolidação Territorial de Unidades de Conservação Eliani Maciel Lima Coordenadora Geral de Regularização Fundiária CONSOLIDAÇÃO TERRITORIAL Implantação e gestão territorial das UCs REGULARIZAÇÃO DA SITUAÇÃO

Leia mais

I - Centros com expertise técnico-científica em biomas, ecossistemas ou manejo sustentado dos recursos naturais.

I - Centros com expertise técnico-científica em biomas, ecossistemas ou manejo sustentado dos recursos naturais. Nº 170, sexta-feira, 4 de setembro de 2009 ISS 1677-7042 PORTARIA o- 78, DE 3 DE SETEMBRO DE 2009 O PRESIDENTE DO INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE, no uso de suas atribuições, Considerando

Leia mais

Curso de Especialização de Gestão Pública e Meio Ambiente. Disciplina de Legislação Ambiental. Professora Cibele Rosa Gracioli

Curso de Especialização de Gestão Pública e Meio Ambiente. Disciplina de Legislação Ambiental. Professora Cibele Rosa Gracioli Curso de Especialização de Gestão Pública e Meio Ambiente Disciplina de Legislação Ambiental Professora Cibele Rosa Gracioli SISTEMA NACIONAL DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO DA NATUREZA - SNUC Lei 9.985 de

Leia mais

PORTARIA ICMBIO Nº 16, DE 02 DE MARÇO DE 2015

PORTARIA ICMBIO Nº 16, DE 02 DE MARÇO DE 2015 PORTARIA ICMBIO Nº 16, DE 02 DE MARÇO DE 2015 Dispõe sobre a atualização da denominação, da localização e das atribuições dos Centros Nacionais de Pesquisa e Conservação no âmbito do Instituto Chico Mendes

Leia mais

Mosaico Litoral Sul de São Paulo e Litoral do Paraná MOSAICO LAGAMAR

Mosaico Litoral Sul de São Paulo e Litoral do Paraná MOSAICO LAGAMAR Curso de Gestão Mosaicos Acadebio, Iperó/SP, 15 de agosto de 2012 Mosaico Litoral Sul de São Paulo e Litoral do Paraná MOSAICO LAGAMAR Aroldo Correa da Fonseca Chefe da Estação Ecológica de Guaraqueçaba

Leia mais

30 anos da FLONA do Jamari História e desafios

30 anos da FLONA do Jamari História e desafios 30 anos da FLONA do Jamari História e desafios Porto Velho- RO Outubro/2014 Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade - ICMBio Autarquia Federal vinculada ao MMA Missão: Proteger o patrimônio

Leia mais

Dúvidas e Esclarecimentos sobre a Proposta de Criação da RDS do Mato Verdinho/MT

Dúvidas e Esclarecimentos sobre a Proposta de Criação da RDS do Mato Verdinho/MT Dúvidas e Esclarecimentos sobre a Proposta de Criação da RDS do Mato Verdinho/MT Setembro/2013 PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE A CRIAÇÃO DE UNIDADE DE CONSERVAÇÃO 1. O que são unidades de conservação (UC)?

Leia mais

PORTARIA MMA Nº 43, DE 31 DE JANEIRO DE 2014

PORTARIA MMA Nº 43, DE 31 DE JANEIRO DE 2014 PORTARIA MMA Nº 43, DE 31 DE JANEIRO DE 2014 A MINISTRA DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE, no uso de suas atribuições, e tendo em vista o disposto na Lei nº 10.683, de 28 de maio de 2003, e no Decreto nº 6.101,

Leia mais

ANEXO CHAMADA III DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES PARA GESTÃO E AVALIAÇÃO DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO ESTADUAIS

ANEXO CHAMADA III DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES PARA GESTÃO E AVALIAÇÃO DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO ESTADUAIS ANEXO CHAMADA III DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES PARA GESTÃO E AVALIAÇÃO DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO ESTADUAIS OBJETIVO Esta chamada tem por objetivo financiar projetos relacionados a ações de gestão e avaliação

Leia mais

RELATÓRIO DAS OFICINAS SOBRE LICENCIAMENTO AMBIENTAL DOS PROJETOS DE ASSENTAMENTO DO PROGRAMA NACIONAL DE REFORMA AGRÁRIA

RELATÓRIO DAS OFICINAS SOBRE LICENCIAMENTO AMBIENTAL DOS PROJETOS DE ASSENTAMENTO DO PROGRAMA NACIONAL DE REFORMA AGRÁRIA MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE MMA MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO MDA INSTITUTO NACIONAL DE COLONIZAÇÃO E REFORMA AGRÁRIA INCRA RELATÓRIO DAS OFICINAS SOBRE LICENCIAMENTO AMBIENTAL DOS PROJETOS DE

Leia mais

LEGISLAÇÃO AMBIENTAL E FLORESTAL

LEGISLAÇÃO AMBIENTAL E FLORESTAL LEGISLAÇÃO AMBIENTAL E FLORESTAL PROFESSORA ENG. FLORESTAL CIBELE ROSA GRACIOLI OUTUBRO, 2014. OBJETIVOS DA DISCIPLINA DISCUTIR PRINCÍPIOS ÉTICOS QUESTÃO AMBIENTAL CONHECER A POLÍTICA E A LEGISLAÇÃO VOLTADAS

Leia mais

PROCERRADO PROJETO DE REDUÇÃO DO DESMATAMENTO E DAS QUEIMADAS NO CERRADO DO PIAUÍ TERMO DE REFERÊNCIA

PROCERRADO PROJETO DE REDUÇÃO DO DESMATAMENTO E DAS QUEIMADAS NO CERRADO DO PIAUÍ TERMO DE REFERÊNCIA PROCERRADO PROJETO DE REDUÇÃO DO DESMATAMENTO E DAS QUEIMADAS NO CERRADO DO PIAUÍ Acordo de Doação Nº TF016192 TERMO DE REFERÊNCIA TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA INDIVIDUAL DE LONGO

Leia mais

O Papel do Serviço Florestal Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável

O Papel do Serviço Florestal Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável O Papel do Serviço Florestal Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável José Humberto Chaves Gerência de Planejamento Florestal Setembro, 2010-1 - Sumário 1. As florestas no Brasil. 2. O Setor Florestal

Leia mais

FICHA PROJETO - nº364-ma

FICHA PROJETO - nº364-ma FICHA PROJETO - nº364-ma Mata Atlântica Linha Nacional 1) TÍTULO: Capacitação em gestão participativa de Unidades de Conservação na Mata Atlântica do Nordeste 2) MUNICÍPIOS DE ATUAÇÃO DO PROJETO: Estados

Leia mais

Ministério do Meio Ambiente IMPLEMENTAÇÃO DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO

Ministério do Meio Ambiente IMPLEMENTAÇÃO DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO Unidade de Conservação Área geograficamente estabelecida para se alcançar um objetivo específico de conservação por meio do uso controlado dos recursos biológicos

Leia mais

Mosaicos de áreas protegidas. Gestão integrada - o desafio da articulação interinstitucional

Mosaicos de áreas protegidas. Gestão integrada - o desafio da articulação interinstitucional Mosaicos de áreas protegidas Gestão integrada - o desafio da articulação interinstitucional Curso Introdução a Gestão de UCs Rio Branco, junho 2008 SNUC Art. 26. Quando existir um conjunto de unidades

Leia mais

Monitoramento de Biodiversidade. Por Paulo Henrique Bonavigo

Monitoramento de Biodiversidade. Por Paulo Henrique Bonavigo Monitoramento de Biodiversidade Por Paulo Henrique Bonavigo CDB Convenção da Diversidade Biológica (Eco 92). Metas de Aichi 2020. 5 objetivos estratégicos A. Tratar das causas fundamentais de perda de

Leia mais

As Questões Ambientais do Brasil

As Questões Ambientais do Brasil As Questões Ambientais do Brasil Unidades de conservação de proteção integral Existem cinco tipos de unidades de conservação de proteção integral. As unidades de proteção integral não podem ser habitadas

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. Projeto Sala Verde

Mostra de Projetos 2011. Projeto Sala Verde Mostra de Projetos 2011 Projeto Sala Verde Mostra Local de: São José dos Pinhais Categoria do projeto: I - Projetos em implantação, com resultados parciais Nome da Instituição/Empresa: Pontifícia Universidade

Leia mais

SEMIPRESENCIAL DISCIPLINA: MEIO AMBIENTE E QUALIDADE DE VIDA MATERIAL COMPLEMENTAR UNIDADE I PROFESSOR: EDUARDO PACHECO

SEMIPRESENCIAL DISCIPLINA: MEIO AMBIENTE E QUALIDADE DE VIDA MATERIAL COMPLEMENTAR UNIDADE I PROFESSOR: EDUARDO PACHECO SEMIPRESENCIAL DISCIPLINA: MEIO AMBIENTE E QUALIDADE DE VIDA MATERIAL COMPLEMENTAR UNIDADE I PROFESSOR: EDUARDO PACHECO 2 - Marco político, normativo e de contexto nacional 2.1 - Marco político atual para

Leia mais

Plano de Fiscalização de Unidades de Conservação - SIM

Plano de Fiscalização de Unidades de Conservação - SIM Plano de Fiscalização de Unidades de Conservação - SIM Formação Socioambiental 4º Encontro Planejando intervenções Polo 1 P.E. Itapetinga, P.E. Itaberaba, MONA Pedra Grande Objetivos deste 4º Encontro

Leia mais

RESERVA DA BIOSFERA DA MATA ATLÂNTICA. Projeto : APOIO `A CRIACAO DE MOSAICOS

RESERVA DA BIOSFERA DA MATA ATLÂNTICA. Projeto : APOIO `A CRIACAO DE MOSAICOS RESERVA DA BIOSFERA DA MATA ATLÂNTICA Projeto : APOIO `A CRIACAO DE MOSAICOS NA SERRA DO MAR Contrato: IA-RBMA /CEPF 2005/2006 O MaB e as Reservas da Biosfera no Brasil 1991 (1992, 1993, 2000, 2002) RB

Leia mais

FUNDO DE PARCERIA PARA ECOSSISTEMAS CRÍTICOS RELATÓRIO FINAL DO PROJETO I. DADOS BÁSICOS. Nome da organização: Instituto Floresta Viva

FUNDO DE PARCERIA PARA ECOSSISTEMAS CRÍTICOS RELATÓRIO FINAL DO PROJETO I. DADOS BÁSICOS. Nome da organização: Instituto Floresta Viva FUNDO DE PARCERIA PARA ECOSSISTEMAS CRÍTICOS RELATÓRIO FINAL DO PROJETO I. DADOS BÁSICOS Nome da organização: Instituto Floresta Viva Título do projeto: Creation and Implementation of Protected Areas in

Leia mais

Secretaria de Desenvolvimento Territorial - Notícias Territoriais Nº 35

Secretaria de Desenvolvimento Territorial - Notícias Territoriais Nº 35 Notícias em Destaque >> No domingo (13) teve início, no Rio de Janeiro (RJ), o seminário Construção do Sistema Nacional de Comércio Justo e Solidário. O evento foi promovido pela Articulação Nacional de

Leia mais

SISTEMA NACIONAL DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO - SNUC

SISTEMA NACIONAL DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO - SNUC - SNUC PREVISÃO LEGAL Art. 225. Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao Poder Público e àcoletividade

Leia mais

Orientações para o Apoio do Fundo Amazônia ao Cadastramento Ambiental Rural

Orientações para o Apoio do Fundo Amazônia ao Cadastramento Ambiental Rural Orientações para o Apoio do Fundo Amazônia ao Cadastramento Ambiental Rural 1. Apoio do Fundo Amazônia ao Cadastramento Ambiental Rural no bioma Amazônia... 2 2. Apoio do Fundo Amazônia ao Cadastramento

Leia mais

Política Estadual de Governança Climática e Gestão da Produção Ecossistêmica

Política Estadual de Governança Climática e Gestão da Produção Ecossistêmica Política Estadual de Governança Climática e Gestão da Produção Ecossistêmica R E A L I Z A Ç Ã O : A P O I O : A Razão Diversos estados e municípios também estão avançando com suas políticas de mudanças

Leia mais

FUNDAÇÃO TOYOTA DO BRASIL

FUNDAÇÃO TOYOTA DO BRASIL FUNDAÇÃO TOYOTA DO BRASIL Criada em 2009 Unificação dos esforços sociais da Toyota do Brasil Respeito pelo meio ambiente Contribuir com o desenvolvimento sustentável Promover a sustentabilidade, por meio

Leia mais

Política Ambiental das Empresas Eletrobras

Política Ambiental das Empresas Eletrobras Política Ambiental das Empresas Eletrobras Versão 2.0 16/05/2013 Sumário 1 Objetivo... 3 2 Princípios... 3 3 Diretrizes... 3 3.1 Diretrizes Gerais... 3 3.1.1 Articulação Interna... 3 3.1.2 Articulação

Leia mais

Políticas Públicas para as Unidades de Conservação de Santa Catarina: novos rumos e desafios

Políticas Públicas para as Unidades de Conservação de Santa Catarina: novos rumos e desafios Políticas Públicas para as Unidades de Conservação de Santa Catarina: novos rumos e desafios Resultados do Workshop Técnico Florianópolis/SC 26 de fevereiro de 2015 Relatório Executivo Projeto de Fortalecimento

Leia mais

Vista Aérea do Rio de Janeiro

Vista Aérea do Rio de Janeiro ECOTURISMO E ESTRATÉGIAS COLABORATIVAS PARA A SUSTENTABILIDADE DOS PARQUES NATURAIS DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO Marcos Cohen, D.Sc. Departamento de Administração - IAG Rio de Janeiro 30 de Outubro de 2012

Leia mais

EXO ANEXO TEMÁTICO 2: Tema Prioritário II Manejo de Paisagem Linha de Ação Temática 2.1 Manejo Florestal Sustentável

EXO ANEXO TEMÁTICO 2: Tema Prioritário II Manejo de Paisagem Linha de Ação Temática 2.1 Manejo Florestal Sustentável EXO ANEXO TEMÁTICO 2: Tema Prioritário II Manejo de Paisagem Linha de Ação Temática 2.1 Manejo Florestal Sustentável 1. Objetivos da Chamada de Projetos para esta Linha de Ação Temática O objetivo da chamada

Leia mais

Resultados, lições e desafios para o desenvolvimento sustentável na Amazônia

Resultados, lições e desafios para o desenvolvimento sustentável na Amazônia Seminário O Programa Piloto para a Proteção das Florestas Tropicais do Brasil: Resultados, lições e desafios para o desenvolvimento sustentável na Amazônia Santarém, 21 a 24 de junho de 2005 Mesa Temática

Leia mais

Reserva da Biosfera da Mata Atlântica Experiência em Gestão Territorial

Reserva da Biosfera da Mata Atlântica Experiência em Gestão Territorial Reserva da Biosfera da Mata Atlântica Experiência em Gestão Territorial João Albuquerque - Outubro/ 2009 Reservas da Biosfera-A escala dos Biomas Art. 41. A Reserva da Biosfera é um modelo, adotado internacionalmente,

Leia mais

RESERVA EXTRAVISTAS DO LITORAL PARAENSE: FERRAMENTAS PARA O ORDENAMENTO TERRITORIAL

RESERVA EXTRAVISTAS DO LITORAL PARAENSE: FERRAMENTAS PARA O ORDENAMENTO TERRITORIAL Goiânia/GO 19 a 22/11/2012 RESERVA EXTRAVISTAS DO LITORAL PARAENSE: FERRAMENTAS PARA O ORDENAMENTO TERRITORIAL Aninha Melo Moreira Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Pará Campus Bragança,

Leia mais

ESTADO DO ACRE. Estado do Acre estabelece processos de inclusão social e econômica visando ao uso sustentável dos recursos naturais

ESTADO DO ACRE. Estado do Acre estabelece processos de inclusão social e econômica visando ao uso sustentável dos recursos naturais Estado do Acre estabelece processos de inclusão social e econômica visando ao uso sustentável dos recursos naturais Através da Política de Valorização do Ativo Ambiental Florestal e do Zoneamento Ecológico

Leia mais

PROGRAMA PETROBRAS SOCIOAMBIENTAL: Desenvolvimento Sustentável e Promoção de Direitos

PROGRAMA PETROBRAS SOCIOAMBIENTAL: Desenvolvimento Sustentável e Promoção de Direitos PROGRAMA PETROBRAS SOCIOAMBIENTAL: Desenvolvimento Sustentável e Promoção de Direitos Pra começo de conversa, um video... NOVO PROGRAMA Programa Petrobras SOCIOAMBIENTAL 2014-2018 3 ELABORAÇÃO DO NOVO

Leia mais

Políticas Públicas para Operacionalizar o CAR Câmara temática de Insumos Agropecuários Brasília, 27 de maio de 2014

Políticas Públicas para Operacionalizar o CAR Câmara temática de Insumos Agropecuários Brasília, 27 de maio de 2014 Políticas Públicas para Operacionalizar o CAR Câmara temática de Insumos Agropecuários Brasília, 27 de maio de 2014 O QUE É O CAR O Cadastro Ambiental Rural - CAR, é o registro público eletrônico de âmbito

Leia mais

Compromissos com o Meio Ambiente e a Qualidade de Vida Agenda Socioambiental para o Desenvolvimento Sustentável do Amapá

Compromissos com o Meio Ambiente e a Qualidade de Vida Agenda Socioambiental para o Desenvolvimento Sustentável do Amapá Compromissos com o Meio Ambiente e a Qualidade de Vida Agenda Socioambiental para o Desenvolvimento Sustentável do Amapá Eu, ( ) (sigla do partido) me comprometo a promover os itens selecionados abaixo

Leia mais

AVALIAÇÃO DE EFETIVIDADE DE MOSAICOS DE ÁREAS PROTEGIDAS NO BRASIL

AVALIAÇÃO DE EFETIVIDADE DE MOSAICOS DE ÁREAS PROTEGIDAS NO BRASIL AVALIAÇÃO DE EFETIVIDADE DE MOSAICOS DE ÁREAS PROTEGIDAS NO BRASIL 2.º CURSO SOBRE GESTÃO E MOSAICOS DE ÁREAS PROTEGIDAS DANIELE GIDSICKI FLONA DE IPANEMA, 16 DE AGOSTO DE 2012 Fotos: Daniele Gidsicki

Leia mais

O que é a Programação? Justificativa:

O que é a Programação? Justificativa: O que é a Programação? A Programação consiste de temas a serem abordados a cada mês com caráter de evento (pequeno, médio ou de grande porte) com duração média de até 2 semanas/mês. Mesmo com cada mês

Leia mais

1.1. Fonte: Elaborado por STCP Engenharia de Projetos Ltda., 2011.

1.1. Fonte: Elaborado por STCP Engenharia de Projetos Ltda., 2011. 1 - APRESENTAÇÃO A Área de Proteção Ambiental (APA) Serra Dona Francisca, localizada no município de Joinville/SC, com área mapeada de 40.177,71 ha, foi criada através do Decreto n 8.055 de 15 de março

Leia mais

EIXO 02 Uso sustentável das áreas protegidas

EIXO 02 Uso sustentável das áreas protegidas EIXO 02 Uso sustentável das áreas protegidas 1 OBJETIVOS DA OFICINA 1. Apresentar a Estrutura da Agenda Regionais e das Agendas Municipais 2. Apresentar o Objetivo geral do Eixo 3. Apresentar as Diretrizes

Leia mais

II CURSO DE FORMAÇÃO EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA GESTÃO PÚBLICA DA BIODIVERSIDADE. Momento Presencial I. 16 a 24 de outubro de 2012 - ACADEBIO/Iperó/SP

II CURSO DE FORMAÇÃO EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA GESTÃO PÚBLICA DA BIODIVERSIDADE. Momento Presencial I. 16 a 24 de outubro de 2012 - ACADEBIO/Iperó/SP INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE DIRETORIA DE AÇÕES SOCIOAMBIENTAIS E CONSOLIDAÇÃO TERRITORIAL EM UNIDADES DE CONSERVAÇÃO COORDENAÇÃO GERAL DE GESTÃO SOCIOAMBIENTAL COORDENAÇÃO DE

Leia mais

Plano de Fiscalização de Unidades de Conservação - SIM

Plano de Fiscalização de Unidades de Conservação - SIM Plano de Fiscalização de Unidades de Conservação - SIM Formação Socioambiental 3º Encontro Planejando intervenções Polo 6 P.E. Serra do Mar Núcleo Caraguatatuba Algo que pode provocar ou, também, inspirar...

Leia mais

NOÇÕES DE LEGISLAÇÃO AMBIENTAL CURSO: ENGENHARIA CIVIL DISCIPLINA: CIÊNCIA DO AMBIENTE PROFESSOR: RAMON LAMAR PARTE III 05/11/2015

NOÇÕES DE LEGISLAÇÃO AMBIENTAL CURSO: ENGENHARIA CIVIL DISCIPLINA: CIÊNCIA DO AMBIENTE PROFESSOR: RAMON LAMAR PARTE III 05/11/2015 CURSO: ENGENHARIA CIVIL DISCIPLINA: CIÊNCIA DO AMBIENTE PROFESSOR: RAMON LAMAR PARTE III LEGISLAÇÃO AMBIENTAL NOÇÕES DE LEGISLAÇÃO AMBIENTAL Lei nº 6.938, de 31 de agosto de 1981, conhecida como Política

Leia mais

Diagnóstico de unidades de conservação no Nordeste brasileiro - presente e futuro: Pernambuco

Diagnóstico de unidades de conservação no Nordeste brasileiro - presente e futuro: Pernambuco 22 Diagnóstico de unidades de conservação no Nordeste brasileiro - presente e futuro: Pernambuco Josué Francisco da Silva Junior 1 1 Pesquisador da Embrapa Tabuleiros Costeiros, Unidade de Execução de

Leia mais

FICHA PROJETO - nº 045-MA

FICHA PROJETO - nº 045-MA FICHA PROJETO - nº 045-MA Mata Atlântica Grande Projeto 1) TÍTULO: Floresta Legal corredores florestais conectando habitats e envolvendo pessoas 2) MUNICÍPIOS DE ATUAÇÃO DO PROJETO: Silva Jardim, Rio Bonito,

Leia mais

Nosso Território: Ecossistemas

Nosso Território: Ecossistemas Nosso Território: Ecossistemas - O Brasil no Mundo - Divisão Territorial - Relevo e Clima - Fauna e Flora - Ecossistemas - Recursos Minerais Um ecossistema é um conjunto de regiões com características

Leia mais

As unidades de conservação do bioma Caatinga

As unidades de conservação do bioma Caatinga As unidades de conservação do bioma Caatinga The Nature Conservancy do Brasil Associação Caatinga 295 André Pessoa INTRODUÇÃO Parque Nacional da Serra da Capivara, PI A Caatinga, região semi-árida única

Leia mais

RESERVA DA BIOSFERA DO CINTURÃO VERDE DA CIDADE DE SÃO PAULO

RESERVA DA BIOSFERA DO CINTURÃO VERDE DA CIDADE DE SÃO PAULO RESERVA DA BIOSFERA DO CINTURÃO VERDE DA CIDADE DE SÃO PAULO O QUE SÃO Reservas da Biosfera? - Reservas da Biosfera são áreas de ecossistemas terrestres ou aquáticos estabelecidas para promoverem soluções

Leia mais

Gisele Garcia Alarcon, Marta Tresinari Wallauer & Cláudio Henschel de Matos

Gisele Garcia Alarcon, Marta Tresinari Wallauer & Cláudio Henschel de Matos MOBILIZAÇÃO COMUNITÁRIA E EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO PARQUE ESTADUAL DA SERRA DO TABULEIRO: DESAFIOS PARA O ENVOLVIMENTO DE PROFESSORES DA REDE PÚBLICA DE ENSINO NA IMPLEMENTAÇÃO DO PARQUE Gisele Garcia Alarcon,

Leia mais

O MEIO AMBIENTE E A AGROPECUÁRIA BRASILEIRA. Restrições x Oportunidades

O MEIO AMBIENTE E A AGROPECUÁRIA BRASILEIRA. Restrições x Oportunidades O MEIO AMBIENTE E A AGROPECUÁRIA BRASILEIRA Restrições x Oportunidades Secretaria de Políticas para o Desenvolvimento Sustentável SDS Dr. Gilney Amorim Viana ASPECTOS REGULATÓRIOS RELEVANTES Código Florestal:

Leia mais

Consolidação Territorial de Unidades de Conservação Federais no Cerrado

Consolidação Territorial de Unidades de Conservação Federais no Cerrado Consolidação Territorial de Unidades de Conservação Federais no Cerrado Eliani Maciel Lima Coordenadora Geral de Consolidação Territorial Brasília Setembro de 2011 CONSOLIDAÇÃO TERRITORIAL Conjunto de

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE ÁREA DE PROTEÇÃO AMBIENTAL COSTA DOS CORAIS APACC

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE ÁREA DE PROTEÇÃO AMBIENTAL COSTA DOS CORAIS APACC TAMANDARÉ - 2013 - CONTEXTUALIZAÇÃO; - PRINCIPAIS ESTRATÉGIAS; - PROBLEMAS; - AVANÇOS RESULTADOS; - DESAFIOSEMETAS2013. CONTEXTUALIZAÇÃO - Área de Proteção Ambiental: Fragilidade Legislação; Ordenamento,

Leia mais

O que é a Convenção de Ramsar? Convenção de Zonas Úmidas de Importância Internacional

O que é a Convenção de Ramsar? Convenção de Zonas Úmidas de Importância Internacional O que é a Convenção de Ramsar? Convenção de Zonas Úmidas de Importância Internacional (Ramsar, Irã, 1971) Missão: a conservação e o uso racional de todas as zonas úmidas por meio de ação local, regional

Leia mais

ESTRUTURA DO ICMBio 387 UNIDADES ORGANIZACIONAIS SEDE (1) UNIDADES DE CONSERVAÇÃO (312) COORDENAÇÕES REGIONAIS (11) CENTROS DE PESQUISA (15)

ESTRUTURA DO ICMBio 387 UNIDADES ORGANIZACIONAIS SEDE (1) UNIDADES DE CONSERVAÇÃO (312) COORDENAÇÕES REGIONAIS (11) CENTROS DE PESQUISA (15) ESTRUTURA DO ICMBio 387 UNIDADES ORGANIZACIONAIS COORDENAÇÕES REGIONAIS (11) SEDE (1) UNIDADES DE CONSERVAÇÃO (312) CENTROS DE PESQUISA (15) ACADEBio (1) BASES AVANÇADAS DOS CENTROS (38) UNIDADES AVANÇADAS

Leia mais

Proteção e Uso Sustentável das Florestas Tropicais

Proteção e Uso Sustentável das Florestas Tropicais Proteção e Uso Sustentável das Florestas Tropicais Estado Atual e perspectivas Cooperação Alemã para o Desenvolvimento Sustentável Contribuições para políticas públicas Seminário Nacional Diálogos sobre

Leia mais

Rede Brasileira de Sementes Florestais

Rede Brasileira de Sementes Florestais PLANO NACIONAL DE PRODUÇÃO DE SEMENTES E MUDAS FLORESTAIS NATIVAS Rede Brasileira de Sementes Florestais Adriana Dias Trevisan Dra. Gestão Ambiental Redes Regionais de Sementes Rede Semente Sul Rede de

Leia mais

O papel do engenheiro agrônomo no desenvolvimento das plantas medicinais

O papel do engenheiro agrônomo no desenvolvimento das plantas medicinais O papel do engenheiro agrônomo no desenvolvimento das plantas medicinais Alexandre Sylvio Vieira da Costa 1 1.Engenheiro Agrônomo. Professor Universidade Vale do Rio Doce/Coordenador Adjunto da Câmara

Leia mais

sobre cartilha N 1 abrindo os caminhos... critérios plano de MaNeJo Área de amortecimento comunidade

sobre cartilha N 1 abrindo os caminhos... critérios plano de MaNeJo Área de amortecimento comunidade a sobre s a d de dúvi eps e ar suas p e o r i d T o cip ntaçã par ti impla cê pode vo nte como ositivame p cartilha N 1 abrindo os caminhos... critérios plano de MaNeJo Área de amortecimento comunidade

Leia mais

FAUEPG - FUNDAÇÃO DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL, CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA EDITAL Nº 05 /2014

FAUEPG - FUNDAÇÃO DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL, CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA EDITAL Nº 05 /2014 FAUEPG - FUNDAÇÃO DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL, CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA EDITAL Nº 05 /2014 UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA LAMA - LABORATÓRIO

Leia mais

Projeto de Assistência Técnica para a Agenda da Sustentabilidade Ambiental TAL Ambiental

Projeto de Assistência Técnica para a Agenda da Sustentabilidade Ambiental TAL Ambiental Ministério do Meio Ambiente Secretaria Executiva Projeto de Assistência Técnica para a Agenda da Sustentabilidade Ambiental TAL Ambiental Março de 2010 TAL Ambiental (Technical Assistance to the Environmental

Leia mais

ACORDO DE DOAÇÃO TF 91.515. TERMO DE REFERÊNCIA nº 009/2009

ACORDO DE DOAÇÃO TF 91.515. TERMO DE REFERÊNCIA nº 009/2009 PROJETO NACIONAL DE AÇÕES INTEGRADAS PÚBLICO-PRIVADAS PARA BIODIVERSIDADE PROBIO II FUNDO NACIONAL PARA O MEIO AMBIENTE (Global Environmental Facility - GEF) ACORDO DE DOAÇÃO TF 91.515 TERMO DE REFERÊNCIA

Leia mais

Ministério do Meio Ambiente

Ministério do Meio Ambiente Ministério do Meio Ambiente Secretaria de Políticas para o Desenvolvimento Sustentável Política Nacional de Pagamento por Serviços Ambientais: uma proposta em discussão. Shigeo Shiki Mata Atlântica e Serviços

Leia mais

Reserva da Biosfera da Mata Atlântica Experiências e Aspectos Conceituais. Clayton F. Lino - Maio/ 2009

Reserva da Biosfera da Mata Atlântica Experiências e Aspectos Conceituais. Clayton F. Lino - Maio/ 2009 Mosaicos de Áreas Protegidas na Reserva da Biosfera da Mata Atlântica Experiências e Aspectos Conceituais Clayton F. Lino - Maio/ 2009 SNUC MOSAICOS LEI FEDERAL Nº 9.985-00 Art. 26. Quando existir um conjunto

Leia mais

FICHA PROJETO - nº 075-MA

FICHA PROJETO - nº 075-MA FICHA PROJETO - nº 075-MA Mata Atlântica Grande Projeto 1) TÍTULO: CENTRO DE REFERÊNCIA EM BIODIVERSIDADE DA SERRA DOS ÓRGÃOS: UMA ALIANÇA ENTRE EDUCAÇÃO, TURISMO E CONSERVAÇÃO. 2) MUNICÍPIOS DE ATUAÇÃO

Leia mais

03 de Dezembro de 2015

03 de Dezembro de 2015 Página 1 de 9 Marco Legal pertinente à área florestal no Brasil (1965 ao presente) Data de publicação Ato ou Lei Função 1 1965 Código Florestal Brasileiro Define diretrizes gerais para o uso e conservação

Leia mais

PLANO DE AÇÃO NACIONAL DO PATO MERGULHÃO

PLANO DE AÇÃO NACIONAL DO PATO MERGULHÃO OBJETIVO GERAL O objetivo deste plano de ação é assegurar permanentemente a manutenção das populações e da distribuição geográfica de Mergus octosetaceus, no médio e longo prazo; promover o aumento do

Leia mais

FICHA PROJETO - nº 172 MA

FICHA PROJETO - nº 172 MA FICHA PROJETO - nº 172 MA Mata Atlântica Pequeno Projeto 1) TÍTULO: Morro do Caçador Uma Proposta de Unidade de Conservação. 2) MUNICÍPIOS DE ATUAÇÃO DO PROJETO: Florianópolis, Ilha de Santa Catarina.

Leia mais

Conservação das Espécies Ameaçadas de Extinção

Conservação das Espécies Ameaçadas de Extinção Programa 0508 Biodiversidade e Recursos Genéticos - BIOVIDA Objetivo Promover o conhecimento, a conservação e o uso sustentável da biodiversidade e dos recursos genéticos e a repartição justa e eqüitativa

Leia mais

Referenciais de Atuação do Programa Desperdício Zero Fórum Resíduos - Suinocultura

Referenciais de Atuação do Programa Desperdício Zero Fórum Resíduos - Suinocultura Relatório/Documentação Fóruns Setoriais do Programa Desperdício Zero Referenciais de Atuação do Programa Desperdício Zero Fórum Resíduos - Suinocultura Curitiba - PR 17 e 18 de Março de 2004 GOVERNO DO

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE MMA INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE - ICMBIO CONSELHO CONSULTIVO DO PARNA DE SÃO JOAQUIM

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE MMA INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE - ICMBIO CONSELHO CONSULTIVO DO PARNA DE SÃO JOAQUIM 5 MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE MMA INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE - ICMBIO CONSELHO CONSULTIVO DO PARNA DE SÃO JOAQUIM PARQUE NACIONAL DE SÃO JOAQUIM - PNSJ 10 15 20 25 30 35 40

Leia mais

Reserva da Biosfera da Amazônia Central

Reserva da Biosfera da Amazônia Central Reserva da Biosfera da Amazônia Central Estudo de caso da Reserva de Desenvolvimento Sustentável do Uatumã Seminário Internacional sobre Mineração e Sustentabilidade Socioambiental em Reservas da Biosfera

Leia mais

Compilar, organizar e disponibilizar os resultados das pesquisas científicas sobre a Unidade de Conservação;

Compilar, organizar e disponibilizar os resultados das pesquisas científicas sobre a Unidade de Conservação; 4. PROGRAMAS DE MANEJO 4.1 PROGRAMA DE PESQUISA Objetivo Geral Visa dar suporte, estimular a geração e o aprofundamento dos conhecimentos científicos sobre os aspectos bióticos, abióticos, sócio-econômicos,

Leia mais

SUMÁRIO EXECUTIVO DO PLANO DE AÇÃO NACIONAL PARA A CONSERVAÇÃO DO MORCEGUINHO-DO-CERRADO

SUMÁRIO EXECUTIVO DO PLANO DE AÇÃO NACIONAL PARA A CONSERVAÇÃO DO MORCEGUINHO-DO-CERRADO SUMÁRIO EXECUTIVO DO PLANO DE AÇÃO NACIONAL PARA A CONSERVAÇÃO DO MORCEGUINHO-DO-CERRADO O Brasil como país megadiverso é responsável pela gestão do maior patrimônio natural do mundo. São mais de 120 mil

Leia mais

Análise de Viabilidade

Análise de Viabilidade Análise de Viabilidade 1. Identificação Município: Itaúna Localização: Região de Tabuões Bacia Hidrográfica: Rio São Francisco 2. Resultados: Considerando as especulações que estão sendo levantadas com

Leia mais

PROGRAMA EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA SAMARCO. Programa de Educação Ambiental Interno

PROGRAMA EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA SAMARCO. Programa de Educação Ambiental Interno PROGRAMA EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA SAMARCO Programa de Educação Ambiental Interno Condicionante 57 LO 417/2010 SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO 04 2. IDENTIFICAÇÃO DA EMPRESA 05 3. REGULAMENTO APLICÁVEL 06 3.1. FEDERAL

Leia mais

Legislação Pesqueira e Ambiental. Prof.: Thiago Pereira Alves

Legislação Pesqueira e Ambiental. Prof.: Thiago Pereira Alves Técnico em Aquicultura Legislação Pesqueira e Ambiental Prof.: Thiago Pereira Alves SNUC Conceito É o conjunto organizado de unidades de conservação protegidas (federais, estaduais, municipais) que, planejado,

Leia mais

O QUE É O CAR? Lei 12.651/2012 Novo Código Florestal

O QUE É O CAR? Lei 12.651/2012 Novo Código Florestal 1 MARCO LEGAL MARCO LEGAL O QUE É O CAR? Lei 12.651/2012 Novo Código Florestal Cadastro Ambiental Rural CAR: Âmbito Nacional Natureza declaratória Obrigatório para todas as propriedades e posses Base de

Leia mais

Antônia Lucia Monteiro/CGEUC/DIREC/IBAMA

Antônia Lucia Monteiro/CGEUC/DIREC/IBAMA Antônia Lucia Monteiro/CGEUC/DIREC/IBAMA IBAMA O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis/IBAMA é uma Autarquia, vinculada ao Ministério do Meio Ambiente/MMA, responsável

Leia mais

Unidade de Conservação marinha passa a ser o 11º sítio Ramsar brasileiro e o primeiro na Bahia

Unidade de Conservação marinha passa a ser o 11º sítio Ramsar brasileiro e o primeiro na Bahia Unidade de Conservação marinha passa a ser o 11º sítio Ramsar brasileiro e o primeiro na Bahia Ao anunciar o título de "Sítio Ramsar" ao Parque Nacional Marinho de Abrolhos, o ministro do Meio Ambiente

Leia mais

Estratégias para evitar o desmatamento na Amazônia brasileira. Antônio Carlos Hummel Diretor Geral Serviço Florestal Brasileiro

Estratégias para evitar o desmatamento na Amazônia brasileira. Antônio Carlos Hummel Diretor Geral Serviço Florestal Brasileiro Estratégias para evitar o desmatamento na Amazônia brasileira Antônio Carlos Hummel Diretor Geral Serviço Florestal Brasileiro Perfil - 2-1. Fatos sobre Brasil 2. Contexto Florestal 3. Estratégias para

Leia mais

FORTALECIMENTO DOS MOSAICOS DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO DO CORREDOR DA SERRA DO MAR

FORTALECIMENTO DOS MOSAICOS DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO DO CORREDOR DA SERRA DO MAR FORTALECIMENTO DOS MOSAICOS DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO DO CORREDOR DA SERRA DO MAR PROJETO DE APOIO AO RECONHECIMENTO E IMPLEMENTAÇÃO DO MOSAICO MICO-LEÃO-DOURADO 6º RELATÓRIO TÉCNICO Projeto CPFY 10/001

Leia mais

Diretrizes i para formação e. mosaicos na Amazônia

Diretrizes i para formação e. mosaicos na Amazônia Diretrizes i para formação e implementação de mosaicos na Amazônia Márcia Lederman (GTZ): marcialederman@yahoo.com.br Marcos Pinheiro (WWF-Brasil): marcos@wwf.org.br Mosaico de Unidades de Conservação

Leia mais

CIDADANIA AMBIENTAL PROJETO ARBORETO

CIDADANIA AMBIENTAL PROJETO ARBORETO CIDADANIA AMBIENTAL A resposta da sociedade de Araxá aos problemas ambientais se dá através das ações de educação ambiental. Destacam-se as atividades de educação ambiental promovidas por escolas, organizações

Leia mais

TF096767 Projeto Políticas para o Cerrado e Monitoramento do Bioma - Iniciativa Cerrado Sustentável - MMA TERMO DE REFERÊNCIA Nº 2013.0122.

TF096767 Projeto Políticas para o Cerrado e Monitoramento do Bioma - Iniciativa Cerrado Sustentável - MMA TERMO DE REFERÊNCIA Nº 2013.0122. TF096767 Projeto Políticas para o Cerrado e Monitoramento do Bioma - Iniciativa Cerrado Sustentável - MMA TERMO DE REFERÊNCIA Nº 2013.0122.00028-2 OBJETO: CONTRAÇÃO DE CONSULTORIA INDIVIDUAL PARA DIAGNÓSTICO,

Leia mais

Em busca da sustentabilidade na gestão do saneamento: instrumentos de planejamento

Em busca da sustentabilidade na gestão do saneamento: instrumentos de planejamento Em busca da sustentabilidade na gestão do saneamento: instrumentos de planejamento Marcelo de Paula Neves Lelis Gerente de Projetos Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental Ministério das Cidades Planejamento

Leia mais

COMISSÃO DE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

COMISSÃO DE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL COMISSÃO DE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL REQUERIMENTO DE AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº, DE 2014 (Do Sr. Reinaldo Azambuja e Sr. Raimundo Gomes de Matos) Requer que seja realizada reunião de Audiência

Leia mais

Diagnóstico de oportunidades de quebra de barreiras para acesso às políticas públicas da Agricultura Familiar em São Félix do Xingu, Pará.

Diagnóstico de oportunidades de quebra de barreiras para acesso às políticas públicas da Agricultura Familiar em São Félix do Xingu, Pará. TERMO DE REFERÊNCIA Diagnóstico de oportunidades de quebra de barreiras para acesso às políticas públicas da Agricultura Familiar em São Félix do Xingu, Pará. 1. Título: Diagnóstico de oportunidades para

Leia mais

Curso de Especialização de Gestão Pública e Meio Ambiente. Disciplina de Legislação Ambiental. Professora Cibele Rosa Gracioli

Curso de Especialização de Gestão Pública e Meio Ambiente. Disciplina de Legislação Ambiental. Professora Cibele Rosa Gracioli Curso de Especialização de Gestão Pública e Meio Ambiente Disciplina de Legislação Ambiental Professora Cibele Rosa Gracioli LEI 11.284/2006 LEI DA CONCESSÃO DE FLORESTAS SUMÁRIO 1 Introdução 2 Serviço

Leia mais

Ministério do Meio Ambiente Secretaria de Mudanças Climáticas e Qualidade Ambiental. Projeto Cerrado Federal Acordo de Doação nº TF0A0093

Ministério do Meio Ambiente Secretaria de Mudanças Climáticas e Qualidade Ambiental. Projeto Cerrado Federal Acordo de Doação nº TF0A0093 Ministério do Meio Ambiente Secretaria de Mudanças Climáticas e Qualidade Ambiental Projeto Cerrado Federal Acordo de Doação nº TF0A0093 TERMO DE REFERÊNCIA Chefe de Brigada de Prevenção e Combate a Incêndios

Leia mais