relatório de monitoramento

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "relatório de monitoramento"

Transcrição

1 relatório de monitoramento Brazilian Securities Cia Securitização (179ª série - 1ª emissão) Aurora Inv. Imobiliários Ltda. - contrato de locação - devedora: Contax S.A. Certificado de Recebíveis Imobiliários R$ ,80 BBB+ SR Global braa- equivalência br A obrigação permanecerá sob continuo monitoramento. A SR Rating poderá alterar Nota e relatório nesse período, sem aviso prévio. Consulte o site da SR (www.srrating.com.br) para atualizar informações. Lá também, o investidor poderá consultar definição e metodologia da nota global e da sua equivalência br". O horizonte das obrigações de longo prazo é de até cinco anos; nas de curto prazo, até um ano. julho 2012 Vigência da classificação: até abril de 2013 Uma classificação SR Rating constitui opinião independente sobre a segurança da obrigação em análise, não representando, em qualquer hipótese, sugestão ou recomendação de compra ou venda. Todos os tipos de obrigação, mesmo quando classificados na categoria de investimento de baixo risco, envolvem um certo nível de exposição ao default. Decisões de compra e venda dependerão sempre do cotejo entre risco e retorno esperados pelo próprio investidor. A presente classificação buscou avaliar exclusivamente o risco de default da obrigação, segundo confiáveis fontes de informação disponíveis. A SR Rating não assume qualquer responsabilidade civil ou penal por eventuais erros de avaliação atuais ou mudanças supervenientes, ou ainda, por frustração do retorno financeiro esperado.

2 2 O Comitê Executivo de Classificação da SR Rating mantém a nota braa- (duplo A menos), na escala brasileira desta Agência Classificadora, decorrente da nota global BBB+ SR (triplo B mais) também mantida, denotando padrão forte de garantias apresentadas pela 179ª série da 1ª emissão de CRI da Brazilian Securities Cia de Securitização, no cotejo com outros riscos de crédito locais. As notas ora mantidas à Emissão de Certificado de Recebíveis Imobiliários fundamentam-se, em suma em um processo de securitização de recebíveis imobiliários administrados sob regime fiduciário e patrimônio em separado, vinculando, portanto, o risco da emissão ao risco de crédito da devedora do lastro-imobiliário, representado por contratos de locação, a Contax S.A. Neste sentido, o desempenho econômico-financeiro da locatária tem se mostrado satisfatório, com geração operacional de caixa compatível com seu patamar de endividamento que sofreu forte elevação nos último ano. A empresa vivencia a fase inicial de investimentos por aquisição de empresas no exterior e incorporação da Dedic, empresa do Grupo da Portugal Telecom, que naturalmente deixou sua uma estrutura operacional mais onerosa ainda em fase de adequação, além de ter sofrido pressões decorrentes do aumento dos custos com pessoal que implicaram na redução da margem do EBITDA. A manutenção da qualidade dos seus indicadores econômico-financeiros, diante da maior exposição à dívida, depende do resultado positivo destes investimentos sobre a geração operacional de caixa, no momento compatível com o cronograma de amortização da dívida. Adicionalmente, corrobora a presente nota, o pagamento pontual das parcelas do CRI até o momento e o caráter estratégico do imóvel lastro desta operação, para a locatária. Pertencente ao Grupo OI/Telemar, caracterizado pela forte atuação no segmento de telefonia fixa e móvel, a Contax S.A. é a principal empresa do grupo a atuar na prestação de serviços de contact center e cobrança. As informações utilizadas na presente análise foram baseadas em divulgações públicas de sua controladora a Contax Participações S.A., fiadora da presente emissão.

3 3 A empresa passou por uma reorganização societária com a entrada da Portugal Telecom Brasil S.A. no quadro acionário, permanecendo a possibilidade de tomada de decisão conjunta pelos antigos acionistas (AG Telecom, Luxembrugo, LF Tel e FASS), sobretudo quanto a pontos mais relevantes conforme o aditamento do acordo de acionistas do grupo. Além da incorporação das atividades da Mobitel S.A. (Dedic) com a entrada da Portugal Telecom, a Contax vem expandindo suas atividades por meio de aquisições que possibilitaram a entrada em outros mercados como Argentina com a aquisição da Allus. O faturamento consolidado da Contax Participações manteve-se crescente atingindo R$ 3,4 bilhões nos últimos 12 meses findos em março de 2012, o EBITDA que mostrava ritmo decrescente sofreu melhora acumulando nos últimos 12 meses findos em março de 2012 R$ 269,4 milhões. Sua dívida total era de R$ 909 milhões, dos quais 20,4% no curto prazo, diante de um patrimônio líquido de R$ 515,3 milhões, ambos ao final de março de Embora com redução da dívida e o aumento do EBITDA, os índices de cobertura soft de juros e de exposição soft à dívida encontram-se em patamar confortável, 3,0 vezes e 2,7 vezes, respectivamente. Operação (CRI) Foram emitidos CRI s no montante de R$ 35,4 milhões, com prazo de 77 meses, sem prazo de carência, vencendo a última parcela em março de 2017, tendo todos os pagamentos ocorrido pontualmente até a presente data. Os CRI s são lastreados em 4 CCI s representativas de créditos imobiliários decorrentes de contratos de locação indexados ao IGPM/FGV, tendo como locatária a Contax S.A. Os recebíveis-lastro são mantidos em regime fiduciário à operação. Os imóveis locados pela Contax S.A. que compreendem 2 centros operacionais e sua interligação, localizados no Recife, foram alienados fiduciariamente como garantia à operação

4 4 e possuíam valor de liquidação forçada de R$ 76,5 milhões segundo laudo de avaliação em abril de A alienação fiduciária dos imóveis, conforme informação do agente fiduciário encontra-se regularizada. A despeito dos atrasos neste registro, a mesma foi devidamente apontada nas matriculas dos imóveis perante o 2º Oficial de Registro de Imóveis de Recife/PE ( RGI ), conforme estipulado na emissão. Ainda com relação aos imóveis, em virtude de alterações no projeto da obra o habite-se se, conforme apontado no monitoramento anterior, ainda encontra-se pendente de expedição e em trâmite junto aos órgãos competentes e, diante disto, a empresa ainda opera com licença provisória. A fim de aumentar a qualidade dos certificados, e fortalecer a segurança dos investidores, os acionistas da Aurora, emissora das CCI s e detentora dos direitos do contrato de locação, alienam fiduciariamente 100% do capital social da empresa em favor da securitizadora. A emissão conta também com cessão fiduciária de direitos creditórios de indenização e fiança da Contax Participações S.A., controladora da locatária. Os riscos avaliados pela SR Rating, em linhas gerais, recaem sobre a segurança jurídica da operação, formalizada pelos diversos contratos, e, também, na capacidade de pagamento da Contax S.A., devedora primária do crédito-lastro da operação. Assim, com exceção da expedição do habite-se das unidades, os demais contratos foram formalizados conforme determinado na operação. Além da Securitizadora, Brazilian Securities, como emitente e gestora da operação de securitização imobiliária, a emissão conta com a Oliveira Trust como agente fiduciário. As Notas atribuídas a esta operação são referentes à qualidade de crédito de obrigações em reais dos certificados emitidos pela Brazilian Securities ( emissora ), não podendo ser associadas a outras operações que envolvam os mesmos participantes. Destaca-se, ainda, que as Notas permanecem sob restrito monitoramento, cabendo ao Agente Fiduciário o pronto acionamento de seus instrumentos de intervenção em proteção aos direitos dos investidores.

5 5 Fundamentos da Nota Para fins de avaliação do risco de crédito da operação ressaltamos, em resumo, os aspectos de segurança e de garantias que fundamentam as notas classificatórias que lhe são atribuídas: Estrutura da operação, através da securitização de créditos imobiliários de locação, que conta com alienação fiduciária do domínio útil e direito de ocupação dos imóveis locados, de caráter estratégico à atividade da locatária. Qualidade de crédito da locatária, a Contax S.A, como devedora primária do crédito-lastro da presente emissão, cujo desempenho econômico-financeiro tem se mostrado satisfatório, a despeito da forte elevação de sua dívida para investimentos, cujo retorno sobre o EBITDA ainda é esperado. Alienação Fiduciária de 100% do capital social da locadora principal, a Aurora, em favor da securitizadora, em reforço de garantia do pagamento dos CRI s. Cessão fiduciária dos direitos de receber indenização da União. Fatores em Observação Além daqueles fatores, fundamentam a nota e permanecerão em observação atenta os seguintes aspectos: Exposição significativa ao risco macroeconômico e seus ciclos, em virtude da característica de longo prazo assumido pela operação, e também pelo segmento de atuação da locatária. Decisão estratégica da companhia de crescimento por meio de aquisição e investimentos, ainda em curso, com concomitante aumento de alavancagem, com perfil de dívida alongado e adequado ao atual patamar de geração operacional de caixa. Operação calcada em ativos imobiliários, para os quais importa a adequada

6 6 manutenção, incluindo as renovações periódicas de seguros, sobretudo para a continuidade da prestação de serviços, ou, por outro lado, diante de sua condição garantidora para a recuperação do crédito mesmo que condicionada a incertezas de preço e liquidez. Conclusão dos trâmites para obtenção do habite-se definitivo dos imóveis, nos quais a Contax opera atualmente com licença provisória, cujo atraso se deu em virtude de alterações nos projetos solicitadas pela própria Contax, em trâmite perante o órgão administrativo da prefeitura. CONTAX S.A. (antiga TNL Contax S.A.) Perfil Corporativo A Contax é uma das maiores empresas globais de BPO (Business Process Outsourcing), líder no mercado brasileiro de Contact Center, especializada, de forma abrangente, na gestão do relacionamento com o consumidor (Customer Relationship Management - CRM), tem como foco o desenvolvimento de Contact Center personalizados, para todo setor de atendimento ao cliente, com soluções remotas e presenciais desenvolvidas para cada necessidade e a cada cliente, com esse sistema de personalização ela agrega valor aos seus negócios. Sua atividade está concentrada nos segmentos de Atendimento ao Consumidor, Recuperação de Crédito, Televendas, Retenção, backoffice, Serviços de Tecnologia e Trade Marketing. A empresa conta com uma carteira de 185 clientes corporativos e tem como estratégia de negócios a busca do desenvolvimento das relações de longo prazo com seus clientes, com atendimento aos mais diversos setores do comercio, tais como, telecomunicações, financeiro, utilidades básicas, serviços, governo, saúde, varejo, entre outros. Além do Brasil, conta com operações na Argentina, na Colômbia, no Peru, e ainda presença comercial nos Estados Unidos da América e na Espanha, tendo um quadro de 116 mil colaboradores espalhados em todos os países onde atua.

7 7 A Contax em 2011 adquiriu a Allus, umas das maiores empresas de contact center da America Latina e a Decid, empresa que conta com mais de 8 mil pontos de atendimento em diversas áreas e com uma base bem diversificada de clientes. Com essa, a GPTI, empresa atuante na área de TI da Dedic também passou a fazer parte do grupo Contax. CONTAX Estrutura Societária junho/2012 CTX Participações S.A. LF Tel: 34,96% AG Part.:34,96% Portugal Telecom: 19,90% Fund. Atlântico: 10,18% Total: 100% Portugal Telecom 0,0% ON 4,3% ON + PN 72,6% ON 34,2% ON + PN 27,0% ON 61,1% ON + PN Free Float CSHG: 21,7% Skopos: 16,2% HSBC: 8,7% Outros: 14,5% CONTAX PARTICIPAÇÕES 100% 100% Ability Contax 80% 100% 100% TODO! Dedic GPTI Allus Fonte: Contax/ Elaboração: SR Rating O sistema de gestão do grupo manteve-se pautado no acordo de acionistas da CTX Participações S.A., para tanto aditado em janeiro de 2011, que prevê a tomada de decisões pelos acionistas em reunião prévia, na proporção do número de ações de cada acionista, considerando percentuais mínimos de votos de acordo com a matéria a ser votada. No caso da Portugal Telecom, para efeito de voto, são computadas adicionalmente as ações que a empresa detém indiretamente na CTX através de participação na LF Tel, AG Telecom e Luxemburgo. Considerando a condição acima, a Portugal Telecom detém direta e indiretamente 44,4% do controle acionário da CTX Participações, e o Bloco Original formado pela AG Telecom, Luxemburgo, LF Tel e FASS (já desconsiderando a participação da Portugal Telecom), os

8 8 outros 55,6%. Diante desta composição, permanece a possibilidade de decisão conjunta pelos acionistas do Bloco Original em pontos relevantes, conforme detalhado abaixo. O acordo de acionistas assinado em 2008 tem validade por 40 anos. Os acionistas do Bloco Original, em conjunto, podem indicar a maioria dos membros do Conselho de Administração da CTX e de suas controladas, desde que detenham juntos mais de 50% das ações com direito a voto. A Portugal Telecom poderá eleger 2 membros do conselho de administração da CTX e da Contax Participações se detiver 10% do capital com direito a voto ou 1 conselheiro se esta participação for reduzida para 5%. O diretor presidente da CTX e de suas controladas é escolhido pelo Bloco Original, em conjunto, enquanto detiverem 50% do capital votante da CTX, e tal bloco ficará também responsável pelo processo de indicação de 3 pessoas candidatas a tais cargos. No caso da Contax Participações, a Portugal Telecom poderá vetar o nome de um dos indicados cabendo ao bloco escolher entre os 2 restantes. Enquanto detiver 11% do capital votante da companhia, a Portugal Telecom poderá indicar um diretor da CTX. Os demais diretores da Contax Participações serão indicados exclusivamente pelo seu diretor presidente. Os diretores das demais controladas serão indicados exclusivamente pelo Diretor presidente da Contax Participações em conjunto com o diretor presidente da controlada. Visando blindar a CTX e suas controladas, o acordo dos acionistas prevê ainda a suspensão do direito a voto nas reuniões prévias, do acionista cuja companhia ou controlada esteja em processo de falência, concordata, liquidação judicial ou extrajudicial, sofra intervenção do poder público ou tenha dissolução deliberada. A suspensão do direito a voto prevalece enquanto o acionista estiver sob o efeito de um dos eventos acima. Adicionalmente, visando segregar a participação na CTX dos seus outros ativos, a AG e a LF TEL deverão criar cada uma, uma holding que irá abrigar suas respectivas participações na CTX.

9 9 Contax Participações Conselho de Administração e Diretoria Executiva jun/2012 Conselho de Administração Fernando Antonio Pimentel Melo (presidente) Pedro Jereissati Alexandre Jereissati Legey Renato Torres de Faria Shakhaf Wine Zeinal Abedin Mahomed Bava Rogério Ziviani Armando Galhardo Nunes Guerra Junior Pedro Luiz Cerize Diretoria Executiva Michel Neves Sarkis Marco Schroeder Eduardo Nunes de Noronha Cargo Diretor-Presidente Diretor Financeiro e de Relações com Invest. Diretor Conselho Fiscal Aparecido Carlos Correia Galdino José Luiz Montans Anacleto Júnior Eder Carvalho Magalhães Wancler Ferreira da Silva Sérgio Bernstein Fonte: Contax/ Elaboração: SR Rating Desempenho Operacional Pela característica das atividades da Contax, a margem do negócio está exposta ao nível de produtividade dos funcionários e dos sites, notadamente quanto ao número de atendimentos e quanto ao sucesso no desempenho de televendas ou de cobranças de dívidas vencidas, os dois últimos impactando diretamente na receita da companhia. Adicionalmente a empresa está exposta a riscos decorrentes do não cumprimento de clausulas contratuais com seus clientes, dentre as quais o descumprimento de metas de desempenho e aquelas relativas à segurança das informações, cujos efeitos negativos podem se refletir no desempenho financeiro bem como na reputação da companhia. Assim, seu negócio demanda investimentos constantes em pessoal, tecnologia e infraestrutura. Neste sentido, a Contax vem mantendo o nível de investimentos observado em anos anteriores cujos recursos foram direcionados em grande parte para a ampliação e modernização da capacidade instalada dos sites de Pernambuco, Minas Gerais e Bahia que passaram a abrigar operações que migraram principalmente de São Paulo, além de investimento em tecnologia como sistemas, discadores e gravadores. Em 2011 foi inaugurado o site de Pernambuco, com mais de posições de atendimento e capacidade para até funcionários.

10 10 A companhia optou por descontinuar as operações próprias da Contax Argentina devido, principalmente, aos custos operacionais elevados e pelo fato do único cliente atendido por esta empresa ser também atendido pela Allus. A companhia considera que a Allus possui melhores condições de abrigar o crescimento do mercado argentino e a captação de novos clientes. Ainda com relação à tecnologia, a empresa recorre a fornecedores que são players mundiais para contar com as melhores ferramentas disponíveis no mercado, além de desenvolver seus próprios sistemas que lhe permite adequar o parque tecnológico às necessidades dos clientes, e possibilitar redução de custos. A empresa opera com um sistema base para todos os clientes, composto por rede de voz, dados e microinformática básica de modo que novos componentes podem ser incluídos possibilitando à companhia oferecer ao cliente um serviço personalizado. O mercado contact center teve um crescimento de 10,25% em 2011 se comparado a 2010 quando teve um faturamento nacional de R$ 29,1 bilhões, o número de ligações foi de 1,5 bilhão por mês equivalente a sete ligações por brasileiro. O crescimento da companhia foi pautado na ampliação da base de clientes e no incremento do número de serviços contratados por seus clientes, a partir da estratégia adotada de priorizar o relacionamento de longo prazo e pelas recentes aquisições. Entre o segundo semestre de 2006 e de 2007, a empresa viveu um período de redução do volume de operações contratadas principalmente com a Telemar, o que justifica a redução no seu número de funcionários em Por outro lado, os constantes investimentos na ampliação da sua infra-estrutura e aquisição de novas empresas do setor refletiram no incremento de produtividade em anos posteriores.

11 11 Contax Número de Colaboradores, Posições de Atendimento e Sites COLABORADORES (milhares) 52 POSIÇÕES ATENDIMENTO (milhares) NÚMERO DE SITES (unidades): N/D N/D Fonte: Contax/ Elaboração: SR Rating Apesar da entrada em outras áreas de atuação como backoffice, TI através da TODO e da GPTI e mais recentemente trade marketing com a incorporação da Ability, o principal serviço prestado pela companhia tem sido o atendimento, que em 2011 foi responsável por 59% da receita líquida. Contax principais serviços na receita líquida 2011 RECUPERAÇÃO DE CRÉDITO 11,0% TRADE MARKETING 4% OUTROS SERVIÇOS 6,0% TELEVENDA/RETE NÇÃO 20,0% ATENDIMENTO 59,0% Fonte: Contax/ Elaboração: SR Rating

12 12 Desempenho Financeiro Para fins desta análise, foram consideradas as informações consolidadas da Contax Participações S.A, holding de capital aberto, fiadora da presente emissão, cujas informações englobam o desempenho das controladas Ability e Contax, a primeira pouco expressiva no momento. A Contax está descontinuando as suas operações próprias na Argentina, migradas para a Allus, cujos ativos estão disponíveis para venda e está negociando a venda do contrato das operações da Vivo/Telefônica. Para fim de análise, os efeitos destas operações na demonstração do resultado não foram considerados nos gráficos abaixo. Neste sentido nos dois últimos períodos, a Contax manteve a trajetória crescente do seu faturamento refletindo os resultados das empresas incorporadas, aumento do volume de operações com os clientes e os reajustes contratuais. As operações no Brasil representam a maior parte do faturamento, mantendo-se a Oi como o principal cliente. A empresa vinha perdendo EBITDA, sobretudo pelo aumento dos gastos com funcionários que não foram totalmente repassados nos reajustes contratuais, migração de parte das operações para o Nordeste, pela incorporação da estrutura da Dedic/GPI e de outras investidas, notadamente mais onerosa e posterior custos de rescisões. Já no primeiro trimestre de 2012, a margem do EBITDA sinaliza ligeira melhora, embora impactada negativamente pelo ajuste salarial que ocorreu no mês de janeiro e foi repassada para parte dos contratos de prestação de serviços. A empresa concluiu as negociações para ajustes nos contratos no primeiro trimestre, todavia parte será repassada nas receitas do segundo trimestre. A Contax será beneficiada com a desoneração dos custos da folha de pagamento através do Plano Brasil Maior que passou a vigorar para o segmento de Call Center a partir de abril e, com nova alíquota de 2% sobre o faturamento a partir de agosto de 2012.

13 13 Contax Part. - consolidado - faturamento, EBITDA, lucro líquido e margem. Faturamento (R$ bilhões) 1,9 1,5 1,3 2,3 2,6 3,2 3,4 R$ milhões EBITDA Lucro Líquido Margem EBITDA 13,9% 15,6% 13,9% 12,0% 12,4% 8,4% 8,5% mar/12 (ult.12m) mar/12 (ult.12m) Fonte: Contax/ Elaboração: SR Rating Para suportar o volume de investimentos e diante da redução da geração operacional de caixa, em 2011 a companhia aumentou seu endividamento, por meio de emissão de emissão de nota promissória e debêntures e parcela se dá pela assunção de dívidas das empresas investidas. Os recursos junto ao BNDES, principal credor, foram captados dentro dos programas BNDES PROSOFT e FINAME, indexados à TJLP e garantidos fiança bancária, recebíveis de serviços com a Oi Fixa, Oi Móvel e Telemar Internet, além de covenants que implica em manter o índice de cobertura dos juros da dívida em, no mínimo 1,65 vez. Já a captação com o BNB foi destinada à implantação do site do Recife, com taxa pré-fixada de 10% ao ano, cabendo redução por pontualidade. A dívida par capital de giro está concentrada nas empresas que compõem o Grupo Allus A exposição da dívida em moeda estrangeira representa 6%, totalizando R$ 55,5 milhões ao final de março de Apesar dos lucros auferidos, a evolução do patrimônio líquido da Contax se dá de forma moderada pela política de distribuição de dividendos da companhia. Em 2009 e 2010 o

14 14 patrimônio carrega dividendos adicionais cuja distribuição foi aprovada em 2011, justificando assim a elevação e posterior queda de patrimônio. Contax Part. consolidado endividamento R$ milhões Dívida Total % Dívida de Curto Prazo Dívida Total Patrimônio Líquido * % Dívida Total Arrendamento(CP+LP) 39,67 65,21 12,4% 243,94 29,8% 218,61 17,9% 387,14 39,9% 1.267,85 20,4% 909, ,7% 18,9% 43,2% 35,1% 47,9% 71,8% 63,8% * * março * * março Fonte: Contax/ Elaboração: SR Rating Ao final de março de 2012 o endividamento era de R$ 909,84 milhões, 20,4% com vencimento no curto prazo, apresentando uma redução de 28,2% em relação à posição de dezembro de Esta redução se explica pela amortização da Nota promissória (NP) e das debêntures privadas captadas no terceiro trimestre de 2011 no valor de R$ 347 milhões, liquidadas em janeiro de A Contax conseguiu alongar o perfil da dívida, com amortizações programadas até 2018 cujo fluxo se mostra bem distribuído e compatível com o atual patamar de geração operacional de caixa. Adicionalmente, a Contax encontra-se com menor volume de disponibilidades cujos recursos foram utilizados parcialmente para investimentos, todavia mantendo caixa significativo de modo que, a dívida líquida totalizava R$ 642,10 milhões ao final de março de 2012.

15 15 Contax Part. consolidado Dívida Liquída (R$ mil) 1T12 1t11 4t11 1t12 vs. 1t11 1t12 vs. 4t11 (-) Dívida Bruta ( ) ( ) ( ) 101,1% -28,2% Curto Prazo ( ) (84.178) ( ) 120,3% -63,3% Longo Prazo ( ) ( ) ( ) 69,8% -5,0% (+) Caixa/Aplicação Financeira ,1% -58,3% Curto Prazo ,0% -69,2% Longo Prazo ,7% 0,7% Caixa (Dívida) Líquido(a) ( ) ( ) n.m 2,5% *não considera o arrendamento financeiro e caixa restrito Cronogramade Amortizaçaõ da Dívida 144,9 139,5 175,3 154, ,9 93, Fonte: Contax / Elaboração: SR Rating Para prosseguir com os investimentos programados em 2012, em abril a Contax emitiu mais R$ 120 milhões em Nota Promissória com vencimento em outubro de 2012 e, aprovou a contratação de financiamento junto ao BNDES no valor de R$ 440 milhões dos quais R$ 253,4 por meio de debêntures e R$186,7 na modalidade de financiamento. A dívida com o BNDES será destinada a alongamento do perfil da dívida. Com a elevação da dívida e a fase inicial dos investimentos cujo resultado esperado ainda não pode ser contemplado no EBITDA e, embora os resultados das operações descontinuadas já tenham sido desconsiderados, os índices de cobertura dos juros da dívida e de exposição sofreram piora significativa, estando atualmente em patamar confortável. Por outro lado, frente ao atual patamar da dívida e à expectativa de novas captações e investimentos, a

16 16 sustentação da qualidade destes indicadores depende do reflexo positivo dos investimentos sobre a geração de caixa da companhia. Contax Part. consolidado - índice de cobertura dos juros e exposição à dívida 19,6 Índice de Cobertura Soft Índice de Exposição Básico 5,1 10,2 8,6 9,1 10,8 3,5 3,0 0,3 0,3 1,0 0,6 1,3 3, mar/12 (ult.12m) mar/12 (ult.12m) Fonte: Contax / Elaboração: SR Rating

17 17 Características da Operação Estrutura da Emissão de CRI Empresarial JFM 1 AURORA (85,621%) CONIC (14,379%) 2 Empresarial JQM 1 AURORA (86,354%) NASCENTE (13,646%) Contax S.A (antiga TNL Contax S.A.) CCIs CCIs 4 Brazilian Securities Conta Centralizadora 5 CRI Investidor Fonte: Itaú BBA/ Elaboração: SR Rating (1) Construção dos Imóveis: foi constituída uma SPE, a Aurora Investimentos Imobiliários Ltda., pertencente ao grupo AJAM, cujo propósito específico foi a construção sob demanda para a Contax de dois empreendimentos, os empresariais JFM e JQM, para posterior locação à própria Contax. Os terrenos sobre os quais foram construídos os empreendimentos possuíam domínio útil e direito de ocupação pertencentes inicialmente à Conic, pelo Lote 3C, e à Nascente, pelo Lote 3B, de modo que, via contratos assinados entre as partes foi estabelecida a obrigação da Conic de transferir por meio de permuta parte do seu terreno à Aurora. Da mesma forma, a Nascente também ficou obrigada a transferir parte do seu terreno à Aurora por meio de permuta ou ainda, via aditivo contratual, por meio de promessa de compra e venda. Assim, a Aurora e a Conic passaram a dividir inicialmente o domínio útil e o direito de ocupação de, respectivamente, 85% e 15% dos direitos e edificações do denominado Empresarial JFM e, a Aurora e a Nascente se tornaram proprietárias de, respectivamente, 85% e 15%, dos e direitos e edificações do Empresarial JQM. Por meio de solicitação pela Contax,

18 18 da ampliação das áreas a ser construídas nos terrenos, e em função da não participação da Conic e da Nascente nas respectivas obras, a Aurora passou a deter maior fração dos terrenos ficando as frações finais assim definidas: pelos direitos e edificações do Empresarial JFM, 85,621% para a Aurora e 14,379% para a Conic; pelos direitos e edificações do Empresarial JQM, a fração de 86,354% para a Aurora e 13,646% para a Nascente. Posteriormente foi construída uma interligação entre os edifícios e, a cada locadora coube a propriedade das interligações na mesma proporção que possuíam dos respectivos empreendimentos. (2) e (3) Aluguel dos Imóveis para Contax S.A: foram assinados dois contratos de locação atípicos e aditivos contratuais em 22/10/2008 e 27/04/2009, pelos quais a Aurora, Conic e Nascente, como locadoras, alugaram à Contax os terrenos e as instalações dos empreendimentos JFM e JQM e sua interligação. As obras do Empresarial JFM foram concluídas em julho/2009 e do Empresarial JQM em fevereiro/2010, os devidos termos de entrega das obras foram assinados pela locatária, a Contax ocupou o empreendimento, os aluguéis estão sendo pagos e o vencimento dos contratos de locação será em março de Os aluguéis mensais serão reajustados pelo IGPM/FGV, a cada 12 meses, e totalizam R$ ,70 atualizados monetariamente pelo IGPM/FGV entre a data de assinatura dos contratos e o efetivo início da locação e, cujo montante considera também a ampliação da área de cada empreendimento. Vale destacar que, em ambos os contratos, figura como fiadora e principal pagadora de todas as obrigações da Contax, a Contax Participações S.A.. Pela atipicidade dos contratos, as partes renunciam ao direito de pedir revisão dos valores dos aluguéis, a locatária fica obrigada a contratar seguro durante o período em que permanecer no imóvel tendo as locadoras como beneficiárias e previsão de multa equivalente ao total dos aluguéis vincendos em caso de rescisão por parte da locatária ou por falta de cumprimento de obrigações por parte da locatária.

19 19 Empreendimento Locadoras Assinatura Termo Valor Início Término Início Pgto Total Por Contrato Locação Entrega da Aluguel Locação Locação** Aluguel Contrato ou Aditivo Obra Mensal Total Empresarial JFM Empresarial JQM Aurora e Conic Aurora e Nascente 22/10/ /4/ /7/ /2/2010 1/8/2009 1/3/ /2/ /2/2017 5/9/2009 5/4/ , ,72 Interligação (Parte no JFM) Interligação (Parte no JQM) Aurora e Conic Aurora e Nascente 1/3/2010 1/3/2010 N/D N/D 1/3/2010 1/3/ /2/ /2/2017 5/7/2010 5/7/ , , , , ,70 * Reajuste a cada 12 meses ou período menor se a legislação permitir. * * após aditamentos (4) Emissão das CCI s pela Aurora, Conic e Nascente: tendo como lastro os contratos de locação, as locadoras Aurora, Conic e Nascente emitiram 4 CCI s, sendo 2 CCI s emitidas pela Aurora, 1 CCI emitida pela Conic e 1 CCI emitida pela Nascente, todas sem garantia real imobiliária, representativas da totalidade dos seus direitos creditórios remanescentes, os quais foram calculados na exata proporção da propriedade de cada uma das locadoras sobre os empreendimentos. As CCI s, foram cedidas à Brazilian Securities Companhia de Securitização para emissão de CRI s, sendo previsto no Contrato de Cessão, cláusula de retrocessão dos créditos imobiliários, com obrigatoriedade de recompra dos créditos pelas cedentes em caso de inadimplemento contratual. É previsto ainda opção de recompra pelas cedentes em caso de vencimento antecipado dos CRI s ou para cumprimento da multa indenizatória em relação a 1 imóvel visando evitar a execução das garantias. (5) Termo de Securitização, Emissão e Colocação de CRI: como cessionária das 4 CCI s, a Brazilian Securities emitiu CRI s da forma nominativa e escritural, sem garantia flutuante ou coobrigação da emissora, os quais foram integralizados à vista. Os CRI s são objeto de distribuição pública com esforços restritos de colocação, sob regime de melhores esforços de colocação, com a intermediação do Coordenador Líder, motivo pelo qual a colocação não é registrada junto à CVM. O Termo de Securitização estabeleceu o regime fiduciário sobre os créditos imobiliários.

20 20 GARANTIAS ADICIONAIS Alienação Fiduciária do Domínio Útil e Direito de Ocupação Em favor da securitizadora foram alienados fiduciariamente o domínio útil e os direitos de ocupação dos imóveis com todas as suas acessões, benfeitorias, construções e instalações presentes e futuras matrícula e Em abril de 2010, os imóveis foram avaliados pela Valor Engenharia de Avaliação e Perícia Ltda. em R$ 83,2 milhões para valor de mercado e R$ 76,5 milhões em caso de liquidação forçada, considerando seu estado futuro após conclusão das obras. O imóvel do Lote B, matrícula , encontra-se em processo de retificação junto à Prefeitura Municipal de Recife, para ampliação de sua área e posterior averbação em cartório, cuja condição consta no contrato de Alienação Fiduciária. É relevante destacar que o registro em cartório de tal garantia que se encontrava pendente em virtude do volume elevado de exigências cartorárias, foi devidamente realizado. Cessão Fiduciária de Indenização Como garantia adicional, foram cedidos fiduciariamente à securitizadora, à propriedade fiduciária, o domínio resolúvel e a posse indireta do direito de receber indenização da União Federal decorrente de qualquer hipótese de extinção do direito de ocupação titularizado pelas cedentes em relação ao Imóvel e todos os direitos decorrentes do pagamento da Indenização. Fiança da Contax Participações S.A. Garantia fidejussória prestada pela Contax Participações, controladora da Contax S.A., mediante a qual esta garante o cumprimento, na qualidade de fiadora e principal pagadora nos termos dos contratos de locação atípicos.

21 21 Instrumento Particular de Alienação Fiduciária de Quotas Adicionalmente, foi alienado fiduciariamente o domínio resolúvel e a posse indireta de 100% do capital social da Aurora Investimentos Ltda. em favor da securitizadora, bem como de qualquer outra quota, valor mobiliário que venha a substituir a mesma e seus frutos, rendimentos, vantagens e dividendos, para que os mesmos sejam destinados à garantia do pagamento das obrigações assumidas, e cedidas para a emissão de CRI s. Participantes e Intervenientes Emissora: Brazilian Securities Companhia de Securitização. Originadores: Aurora Investimentos Imobiliários Ltda. Conic Construções e Incorporações Ltda. Nascente Participações Ltda.. Locatária: TNL Contax S.A.. Agente Fiduciário: Oliveira Trust Distr. Títulos e Valores Mobiliários S.A.. Instituição Custodiante: Oliveira Trust Distr. Títulos e Valores Mobiliários S.A.. Coordenador Líder: Banco Itaú BBA S.A.. Destinação dos recursos Os recursos foram destinados para pagamento às cedentes do valor da cessão dos créditos imobiliários.

22 22 Características da emissão Lastro: Recebíveis Imobiliários oriundos de contratos atípicos de locação, através de CCI. Valor de emissão: R$ 35,4 milhões Data de emissão: 4/10/2010 Vencimento: 08/03/2017 Prazo Total: 77 meses Remuneração: taxa anual de 7,30% e atualização IGPM/FGV Pagamento: juros e amortizações de principal mensais. Imóveis-Objeto: imóveis comerciais e atualmente operacionais, denominados Empresarial JFM e Empresarial JQM, cuja última avaliação aponta um valor aproximado de R$ 83,2 milhões. Fatores de Riscos Adicionais Ainda, é importante destacar os riscos adicionais, ainda que residuais. Considerando que a estrutura de garantias conta com Alienação Fiduciária de domínio útil e de direito de ocupação, O parágrafo 1 do artigo 22 da Lei n /1997 não prevê expressamente a alienação fiduciária de direito de ocupação, implicando em riscos de execução de garantia, caso esta venha a ser objeto de discussão judicial. Outro fator levado em consideração é o risco de desapropriação dos imóveis, uma vez que a União, com base nos termos do artigo 132 do Decreto-Lei nº de 05 de setembro de 1946 possui o direito de, a qualquer momento, reclamar os imóveis das cedentes, mediante indenização. Embora os direitos de receber indenização tenham sido cedidos fiduciariamente, é presente o risco de tais valores se tornarem insuficientes para a liquidação dos CRI s.

23 23 Fluxo dos Aluguéis Data Vencimento * FLUXO 1 - EMPRESARIAL JFM FLUXO 2 - EMPRESARIAL JQM Valor Aluguéis (R$) ** Atualização - IGPM Valor Aluguéis (R$) ** Atualização - IGPM Aurora Conic Total (mês ref. nº índice) Aurora Nascente Total (mês ref. nº índice) 7/10/ set jul-09 9/11/ set jul-09 8/12/ set jul-09 7/1/ set jul-09 9/2/ set jul-09 11/3/ set jul-09 7/4/ fev fev-11 9/5/ fev fev-11 8/6/ fev fev-11 7/7/ fev fev-11 9/8/ fev fev-11 8/9/ fev fev-11 7/10/ fev fev-11 9/11/ fev fev-11 7/12/ fev fev-11 9/1/ fev fev-11 8/2/ fev fev-11 7/3/ fev fev-11 10/4/ fev fev-12 9/5/ fev fev-12 8/6/ fev fev-12 9/7/ fev fev-12 8/8/ fev fev-12 10/9/ fev fev-12 9/10/ fev fev-12 7/11/ fev fev-12 7/12/ fev fev-12 9/1/ fev fev-12 7/2/ fev fev-12 7/3/ fev fev-12 9/4/ fev fev-13 8/5/ fev fev-13 9/6/ fev fev-13 9/7/ fev fev-13 7/8/ fev fev-13 9/9/ fev fev-13 9/10/ fev fev-13 7/11/ fev fev-13 9/12/ fev fev-13 8/1/ fev fev-13 7/2/ fev fev-13 7/3/ fev fev-13 9/4/ fev fev-14 7/5/ fev fev-14 9/6/ fev fev-14 9/7/ fev fev-14 7/8/ fev fev-14 9/9/ fev fev-14 8/10/ fev fev-14 7/11/ fev fev-14 9/12/ fev fev-14 7/1/ fev fev-14 9/2/ fev fev-14 9/3/ fev fev-14 8/4/ fev fev-15 7/5/ fev fev-15 9/6/ fev fev-15 8/7/ fev fev-15 7/8/ fev fev-15 10/9/ fev fev-15 7/10/ fev fev-15 9/11/ fev fev-15 9/12/ fev fev-15 7/1/ fev fev-15 11/2/ fev fev-15 9/3/ fev fev-15 7/4/ fev fev-16 9/5/ fev fev-16 8/6/ fev fev-16 7/7/ fev fev-16 9/8/ fev fev-16 8/9/ fev fev-16 7/10/ fev fev-16 9/11/ fev fev-16 7/12/ fev fev-16 9/1/ fev fev-16 8/2/ fev fev-16 8/3/ fev fev-16 * a partir de outubro de ** valores atualizados até abr/11 (IGPM) Total

24 24 Informações Financeiras Contax Participações S.A. (consolidado) Em milhares de reais mar/ (últimos 12 meses)* * Rentabilidade Receita Bruta , , , , , , , ,0 % Variação 6,8% 22,7% 10,8% 21,9% 29,9% 11,8% 16,9% N/D Giro do Ativo 1,3 1,5 2,0 2,1 2,1 2,0 2,0 N/D EBITDA , , , , , , , ,0 % Receita Líquida 8,5% 8,4% 12,4% 15,6% 13,9% 13,9% 12,0% 15,6% Resultado das Operações Descontinuadas (25.089,0) (21.421,0) Depreciação, Amortização e Exaustão , , , , , , , ,0 CAPEX , , , , , , , ,0 EBITDA/CAPEX 0,7 0,7 1,8 2,1 1,5 1,4 2,8 1,8 Lucro Líquido , , , , , , , ,0 % Receita Bruta 0,4% 0,7% 4,2% 5,6% 4,8% 3,2% 5,7% 7,1% % Patrimônio Líquido (ROAE) 2,7% 5,1% 26,5% 36,2% 30,8% 14,6% 20,9% N/D % Ativo (ROAA) 0,7% 1,2% 8,9% 12,9% 10,9% 7,0% 12,5% N/D Despesas/Receitas Financeiras Despesa Financeira Bruta (DFB) , , , , , , , ,0 Receita Financeira Bruta (RFB) , , , , , , , ,0 Capacidade de Pagar Juros - Índice de Cobertura Básico [EBITDA/(DFB)] 2,7 3,0 9,7 8,5 7,6 9,4 16,6 21,7 Soft [(EBITDA+RFB)/(DFB)] 3,0 3,5 10,8 9,1 8,6 10,2 19,6 24,6 Amplo [(EBITDA+Caixa e aplicações Disp.)/(DFB)] 4,5 9,7 22,3 17,4 18,5 21,3 42,9 52,4 Capacidade de Pagar Dívida - Índice de Exposição Básico [Dívida Total/EBITDA] 3,4 5,1 1,3 0,6 1,0 0,3 0,3 - Soft [Dívida Líquida/EBITDA] 2,7 2,9 N/D N/D N/D N/D N/D N/D Estrutura de Capital / Endividamento Dívida de Curto Prazo , , , , ,0 300,0 - - Empréstimos e Financiamentos , , , , ,0 300,0 - - Debêntures , , Arrendamento Financeiro 755,0 847, , , ,0 N/D N/D - Dívida de Longo Prazo , , , , , ,0 - - Empréstimos e Financiamentos , , , , , ,0 - - Debêntures , , Arrendamento Financeiro 530,0 613, , ,0 N/D N/D - Arrendamento Financeiro Total 1.285, , , , , , ,0 - Dívida Total , , , , , , ,0 - % Dívida de Curto Prazo 20,4% 39,9% 17,9% 29,8% 12,4% 0,5% 0,0% N/D % Dívida em Moeda Estrangeira 0,0% 0,0% 0,0% 0,0% 0,0% 0,0% 0,0% N/D Custo Médio do Endividamento 9,2% 10,0% 10,1% 17,3% 21,1% 38,5% N/D N/D Dívida Líquida , ,0 (659,0) ( ,0) ( ,0) ( ,0) ( ,0) ( ,0) Patrimônio Líquido , , , , , , , ,0 Capitalização Total , , , , , , , ,0 % Dívida Total 63,8% 71,8% 47,9% 35,1% 43,2% 18,9% 9,7% 0,0% Liquidez Caixa e Aplicações Disponíveis , , , , , , , ,0 Capital de Giro (53.829,0) (29.704,0) , , , , , ,0 Liquidez Corrente 0,9 1,0 1,2 1,1 1,3 1,3 1,6 1,5 Liquidez Seca 0,7 0,8 1,2 1,1 1,3 1,3 1,6 1,5 Liquidez Geral 0,7 0,7 0,9 1,0 0,9 0,9 1,5 1,5 Liquidity Cushion 1,6 1,4 6,9 6,6 9,6 21,0 42,9 52,4 Ativo , , , , , , , ,0 Circulante , , , , , , , ,0 Realizável a Longo Prazo , , , , , , , ,0 Permanente , , , , , , , ,0 Passivo , , , , , , , ,0 Circulante , , , , , , , ,0 Exigível a Longo Prazo , , , , , , , ,0 Patrimônio Liquido , , , , , , , ,0 * Sem Resultado Opeações Descontinuadas

25 25 perfil da SR Rating Em 1993, a SR Rating iniciou suas operações no Brasil, tornando-se, portanto, a primeira agência de classificação de risco do País. A decisão de introduzir tais serviços no mercado brasileiro coincidiu com o fim de um longo período inflacionário, viabilizando-se assim, o principal ingrediente para a análise de riscos, que é previsibilidade. O principal objetivo da SR Rating é propiciar aos investidores brasileiros informações precisas e imparciais sobre a capacidade de pagamento ou sobre a confiabilidade da gestão de empresas. A SR Rating avalia a qualidade de crédito de títulos de dívida emitidos por sociedades em geral, companhias de serviços públicos, bancos, seguradoras, sociedades de administração de recursos (asset managers), bem como os emitidos pelo País (Risco Soberano), por Estados e por Municípios. Essas avaliações são expressas através de notas (credit ratings) que constituem probabilidades de default observadas ao longo de várias décadas de existência de análise de risco nos Estados Unidos. A escala de notas utilizada pela SR Rating segue os padrões internacionais, ou seja, reflete a probabilidade de inadimplemento quanto à pontualidade de pagamentos de principal ou juros de uma obrigação ou de um conjunto de obrigações. A idéia de se adotar na SR Rating uma escala internacional acompanha a tendência gradual à globalização do nosso mercado financeiro, exigindo uma avaliação de risco de emissores, em moeda do nosso País, que tenha como parâmetro de aferição de risco toda a possível comparação com um padrão internacional, cujos benchmarks sejam emissores localizados em países financeiramente maduros. Esta é a nossa Nota de Longo prazo, em moeda local, que é conhecida como Global Local Currency (GLC), por sua comparabilidade internacional. As escalas BR, assim como as escalas AR utilizadas na Argentina e MX no México, têm em comum o fato de terem seu uso restrito apenas aos países a que se referem e não poderem ser comparadas entre si. Estas características decorrem do fato que as escalas locais se aplicarem exclusivamente a comparações entre empresas e papéis do mesmo país, guardando relação apenas com situações de risco relativo e local.

26 26 contatos Sheila Sirota von O. Gaul (Diretora Executiva) - José Valter Martins de Almeida (Diretor Superintendente) - comitê executivo de classificação Paulo Rabello de Castro (Chairman) Sheila Sirota von O. Gaul José Valter Martins de Almeida Robson Makoto Sato conselho técnico consultivo Rubens Branco da Silva (Chairman) Amaury de Souza Carlos Alberto Protasio Claudio Roberto Contador Diogo de Figueiredo M. Neto Fernando A. Albino de Oliveira Fernando Henrique da Fonseca Hamilton Dias de Souza Ives Gandra da Silva Martins Maria Isabel Fernandes Nelson Eizirik Ney Roberto Ottoni de Brito Paulo Oscar França Walder Tavares de Góes diretoria Paulo Rabello de Castro (Diretor Presidente) Sheila Sirota von O. Gaul (Diretora Executiva) José Valter Martins de Almeida (Diretor Superintendente) Robson Makoto Sato (Diretor Técnico) Diogo de Figueiredo M. Neto (Diretor Jurídico)

relatório de monitoramento

relatório de monitoramento relatório de monitoramento Brazilian Securities Cia Securitização (179ª série - 1ª emissão) Aurora Inv. Imobiliários Ltda. - contrato de locação - devedora: Contax S.A. Certificado de Recebíveis Imobiliários

Leia mais

Expomoney São Paulo. Setembro de 2012

Expomoney São Paulo. Setembro de 2012 Expomoney São Paulo Setembro de 2012 Contax Visão Geral Contact Center Brasil Resultados Financeiros Contax Visão Geral GRUPO CONTAX Principais serviços: Atendimento, Cobrança, Televendas, Retenção, Trade

Leia mais

Apresentação de Resultados 4T11. 1º de Março de 2012

Apresentação de Resultados 4T11. 1º de Março de 2012 Apresentação de Resultados 4T11 1º de Março de 2012 Contax Visão Geral GRUPO CONTAX Operação em 4 países: Brasil, Colômbia, Argentina e Peru Líder na América Latina em serviços de relacionamento com consumidores

Leia mais

Cédula de Crédito Imobiliário - CCI

Cédula de Crédito Imobiliário - CCI Títulos Imobiliários Renda Fixa Cédula de Crédito Imobiliário - CCI Títulos Imobiliários Cédula de Crédito Imobiliário Instrumento que facilita a negociabilidade e a portabilidade do crédito imobiliário

Leia mais

relatório de monitoramento

relatório de monitoramento relatório de monitoramento FIDC Quatá Multisetorial Cotas de Fundo de Investimento em Direitos Creditórios 1ª série BBB+ SR Global braa equivalência br A obrigação permanecerá sob continuo monitoramento.

Leia mais

BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZAÇÃO

BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZAÇÃO BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZAÇÃO 1ª Emissão de Certificados de Recebíveis Imobiliários Séries: 95ª e 96ª Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2009 BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA

Leia mais

Renda Fixa Privada Certificado de Recebíveis Imobiliários CRI. Certificado de Recebíveis Imobiliários - CRI

Renda Fixa Privada Certificado de Recebíveis Imobiliários CRI. Certificado de Recebíveis Imobiliários - CRI Renda Fixa Privada Certificado de Recebíveis Imobiliários - CRI Certificado de Recebíveis Imobiliários Instrumento de captação de recursos e de investimentos no mercado imobiliário O produto O Certificado

Leia mais

BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZAÇÃO

BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZAÇÃO BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZAÇÃO 1ª Emissão de Certificados de Recebíveis Imobiliários Séries: 95ª e 96ª Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2011 BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA

Leia mais

REIT SECURITIZADORA DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS S.A. (Prata Forte) 3º Série da 2ª Emissão de Certificados de Recebíveis Imobiliários

REIT SECURITIZADORA DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS S.A. (Prata Forte) 3º Série da 2ª Emissão de Certificados de Recebíveis Imobiliários REIT SECURITIZADORA DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS S.A. (Prata Forte) 3º Série da 2ª Emissão de Certificados de Recebíveis Imobiliários ÍNDICE CARACTERÍSTICAS DOS CRI s... 3 CARACTERIZAÇÃO DA EMISSORA... 3

Leia mais

Letras Financeiras - LF

Letras Financeiras - LF Renda Fixa Privada Letras Financeiras - LF Letra Financeira Captação de recursos de longo prazo com melhor rentabilidade O produto A Letra Financeira (LF) é um título de renda fixa emitido por instituições

Leia mais

relatório de monitoramento

relatório de monitoramento relatório de monitoramento Brazilian Securities Certificado de Recebíveis Imobiliários (346ª série da 1ª emissão de CRIs) R$ 45.000.000,00 (sênior) SR Op. estruturada BBB- bra+ Global Op. estruturada equivalência

Leia mais

Corporates. Contax Participações S.A. Contact Center/Brasill. Relatório Analítico. Principais Fundamentos dos Ratings. Sensibilidade dos Ratings

Corporates. Contax Participações S.A. Contact Center/Brasill. Relatório Analítico. Principais Fundamentos dos Ratings. Sensibilidade dos Ratings Contact Center/Brasill Relatório Analítico Ratings Nacional Rating de Longo Prazo AA(bra) 1ª Emissão de Debêntures AA(bra) Perspectiva Rating Nacional de Longo Prazo Estável Dados Financeiros Contax Participacoes

Leia mais

Contax. Operação com Portugal Telecom e Dedic GPTI. Janeiro de 2011

Contax. Operação com Portugal Telecom e Dedic GPTI. Janeiro de 2011 Contax Operação com Portugal Telecom e Dedic GPTI Janeiro de 2011 SEÇÃO 1 Racional da Transação 2 A Líder no Mercado de Contact Center no Brasil A Contax Líder no mercado com ampla base de clientes Fundada

Leia mais

Apresentação Corporativa. Março de 2012

Apresentação Corporativa. Março de 2012 Apresentação Corporativa Março de 2012 Contax Visão Geral Contax - Produtos e Serviços Contax - Core Business Resultados Financeiros Contax Visão Geral GRUPO CONTAX Operação em 4 países: Brasil, Colômbia,

Leia mais

CIBRASEC - COMPANHIA BRASILEIRA DE SECURITIZAÇÃO

CIBRASEC - COMPANHIA BRASILEIRA DE SECURITIZAÇÃO CIBRASEC - COMPANHIA BRASILEIRA DE SECURITIZAÇÃO 2ª Emissão de Certificados de Recebíveis Imobiliários Série: 153ª Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2013 CIBRASEC - COMPANHIA BRASILEIRA

Leia mais

relatório de monitoramento

relatório de monitoramento relatório de monitoramento Brazilian Securities Certificado de Recebíveis Imobiliários (346ª série da 1ª emissão de CRIs) R$ 45.000.000,00 milhões (sênior) SR Op. estruturada BBB- bra+ Global Op. estruturada

Leia mais

ANÚNCIO DE INÍCIO DE DISTRIBUIÇÃO DO Fundo de Investimento Imobiliário Votorantim Securities CNPJ/MF: 10.347.505/0001-80

ANÚNCIO DE INÍCIO DE DISTRIBUIÇÃO DO Fundo de Investimento Imobiliário Votorantim Securities CNPJ/MF: 10.347.505/0001-80 ANÚNCIO DE INÍCIO DE DISTRIBUIÇÃO DO Fundo de Investimento Imobiliário Votorantim Securities CNPJ/MF: 10.347.505/0001-80 VOTORANTIM ASSET MANAGEMENT DTVM LTDA. ( Administrador ), comunica o início da distribuição

Leia mais

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL 3T12. Apresentação Corporativa. Outubro de 2012

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL 3T12. Apresentação Corporativa. Outubro de 2012 APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL 3T12 Apresentação Corporativa Outubro de 2012 Contax Visão Geral Contax - Produtos e Serviços Contax - Core Business Resultados Financeiros Contax Visão Geral GRUPO CONTAX Principais

Leia mais

Apresentação Corporativa. Bradesco BBI - Dezembro de 2011

Apresentação Corporativa. Bradesco BBI - Dezembro de 2011 Apresentação Corporativa Bradesco BBI - Dezembro de 2011 Contax Visão Geral Contax - Core Business Estratégia e Tendências de Mercado Resultados Financeiros Contax Visão Geral CONTAX OVERVIEW Companhia

Leia mais

ÁGUAS GUARIROBA S.A. EXERCÍCIO DE 2014

ÁGUAS GUARIROBA S.A. EXERCÍCIO DE 2014 ÁGUAS GUARIROBA S.A. 1ª. EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2014 Rio de Janeiro, 30 de Abril de 2015. Prezados Senhores Debenturistas, Na qualidade de Agente

Leia mais

TRX SECURITIZADORA DE CRÉDITOS IMOBILIÁRIOS S.A. 2ª SÉRIE da 1ª. EMISSÃO DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS

TRX SECURITIZADORA DE CRÉDITOS IMOBILIÁRIOS S.A. 2ª SÉRIE da 1ª. EMISSÃO DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS TRX SECURITIZADORA DE CRÉDITOS IMOBILIÁRIOS S.A. 2ª SÉRIE da 1ª. EMISSÃO DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2013 Rio de Janeiro, 30 de Abril de

Leia mais

TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas)

TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas) TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas) Para maiores informações, contatar: Daniel de Andrade Gomes TELEFÔNICA

Leia mais

OI S.A. (Atual denominação de Brasil Telecom S.A.) 8ª Emissão Pública de Debêntures

OI S.A. (Atual denominação de Brasil Telecom S.A.) 8ª Emissão Pública de Debêntures OI S.A. (Atual denominação de Brasil Telecom S.A.) 8ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2013 Oi S.A. (atual denominação de BRASIL TELECOM S.A.) 8ª Emissão

Leia mais

TRX SECURITIZADORA DE CRÉDITOS IMOBILIÁRIOS S.A. 1ª SÉRIE da 1ª. EMISSÃO DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS

TRX SECURITIZADORA DE CRÉDITOS IMOBILIÁRIOS S.A. 1ª SÉRIE da 1ª. EMISSÃO DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS TRX SECURITIZADORA DE CRÉDITOS IMOBILIÁRIOS S.A. 1ª SÉRIE da 1ª. EMISSÃO DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2013 Rio de Janeiro, 30 de Abril de

Leia mais

SECURITIZAÇÃO DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS 28/10/2014 - IBCPF

SECURITIZAÇÃO DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS 28/10/2014 - IBCPF SECURITIZAÇÃO DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS 28/10/2014 - IBCPF Conceito 1 Conceito Integração dos mercados imobiliário e de capitais, de modo a permitir a captação de recursos necessários para o desenvolvimento

Leia mais

GAIA SECURITIZADORA S.A 5ª Emissão de CRI 33º série

GAIA SECURITIZADORA S.A 5ª Emissão de CRI 33º série GAIA SECURITIZADORA S.A 5ª Emissão de CRI 33º série ÍNDICE CARACTERIZAÇÃO DA EMISSORA...3 CARACTERÍSTICAS DOS CERTIFICADOS...3 DESTINAÇÃO DE RECURSOS...5 FUNDO RESERVA...5 ASSEMBLÉIAS DOS TITULARES DOS

Leia mais

ALOG SOLUÇÕES DE TECNOLOGIA EM INFORMÁTICA S.A., sucessora por incorporação de ALOG DATA CENTERS DO BRASIL S.A. 1ª Emissão Pública de Debêntures

ALOG SOLUÇÕES DE TECNOLOGIA EM INFORMÁTICA S.A., sucessora por incorporação de ALOG DATA CENTERS DO BRASIL S.A. 1ª Emissão Pública de Debêntures ALOG SOLUÇÕES DE TECNOLOGIA EM INFORMÁTICA S.A., sucessora por incorporação de ALOG DATA CENTERS DO BRASIL S.A. 1ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2012 ALOG

Leia mais

Apresentação Preliminar. Grupo Incefra Certificados de Recebíveis Imobiliários Junho, 2014

Apresentação Preliminar. Grupo Incefra Certificados de Recebíveis Imobiliários Junho, 2014 Apresentação Preliminar Grupo Incefra Certificados de Recebíveis Imobiliários Junho, 2014 Disclaimer Esta apresentação está sendo disponibilizada para análise, em caráter personalíssimo, no âmbito da oferta

Leia mais

NOVA SECURITIZAÇÃO S.A. EXERCÍCIO DE 2014

NOVA SECURITIZAÇÃO S.A. EXERCÍCIO DE 2014 NOVA SECURITIZAÇÃO S.A. 17ª SÉRIE da 1ª. EMISSÃO DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2014 Rio de Janeiro, 30 de Abril de 2015. Prezados Senhores

Leia mais

BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZAÇÃO. 206ª SÉRIE da 1ª. EMISSÃO DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS

BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZAÇÃO. 206ª SÉRIE da 1ª. EMISSÃO DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZAÇÃO 206ª SÉRIE da 1ª. EMISSÃO DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2013 Rio de Janeiro, 30 de Abril de

Leia mais

LOG COMMERCIAL PROPERTIES E PARTICIPAÇÕES S.A. 1ª. EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2013

LOG COMMERCIAL PROPERTIES E PARTICIPAÇÕES S.A. 1ª. EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2013 LOG COMMERCIAL PROPERTIES E PARTICIPAÇÕES S.A. (atual denominação da MRV LOGÍSTICA E PARTICIPAÇÕES S.A.) 1ª. EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2013 Rio de

Leia mais

BARIGUI SECURITIZADORA S.A.

BARIGUI SECURITIZADORA S.A. BARIGUI SECURITIZADORA S.A. 1ª Emissão de Certificados de Recebíveis Imobiliários Série: 4ª Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2014 BARIGUI SECURITIZADORA S.A. 1ª Emissão de Certificados

Leia mais

CONTRATOS COM PARTES RELACIONADAS

CONTRATOS COM PARTES RELACIONADAS CONTRATOS COM PARTES RELACIONADAS ITEM 01 Em 05 de dezembro de 2007, a Companhia firmou com o Unibanco quatro cédulas de crédito bancário, nº 044.461076-2, nº 044.461077-0, nº 044.461078-2 e nº 044.461079-6,

Leia mais

Securitização De Créditos Imobiliários

Securitização De Créditos Imobiliários Securitização De Créditos Imobiliários Operações Imobiliárias A 1. O que é securitização de créditos imobiliários? Securitização é um processo estruturado, coordenado por uma instituição especializada

Leia mais

BR Towers SPE1 S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2012 e relatório dos auditores independentes

BR Towers SPE1 S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2012 e relatório dos auditores independentes Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2012 e relatório dos auditores independentes Demonstração do resultado Exercício/período findo em 31 de dezembro Receita líquida (Nota 14) 13.913 Custo

Leia mais

REIT SECURITIZADORA DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS S.A. 1ª e 2ª SÉRIES da 1ª. EMISSÃO DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS

REIT SECURITIZADORA DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS S.A. 1ª e 2ª SÉRIES da 1ª. EMISSÃO DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS REIT SECURITIZADORA DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS S.A. 1ª e 2ª SÉRIES da 1ª. EMISSÃO DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2014 Rio de Janeiro, 30 de

Leia mais

Divulgação de resultados 3T13

Divulgação de resultados 3T13 Brasil Brokers divulga seus resultados do 3º Trimestre do ano de 2013 Rio de Janeiro, 13 de novembro de 2013. A Brasil Brokers Participações S.A. (BM&FBovespa: BBRK3) uma empresa com foco e atuação no

Leia mais

Operações de Recebíveis de Royalties de Petróleo II

Operações de Recebíveis de Royalties de Petróleo II 2014 Instituto de Previdência e Assistência do Município do Rio de Janeiro Operações de Recebíveis de Royalties de Petróleo II Nota Técnica 14 Nota Técnica nº 14 Operações de Recebíveis de Royalties de

Leia mais

Certificado de Recebíveis Imobiliários - CRI

Certificado de Recebíveis Imobiliários - CRI Certificado de Recebíveis Imobiliários - CRI Diversos veículos podem ser utilizados para securitizar recebíveis imobiliários, entretanto o uso dos Certificados de Recebíveis Imobiliários -CRI- vem caminhando

Leia mais

MOVIMENTANDO OPORTUNIDADES gerando investimentos A FORTESEC. securitizadora. Home Empresa Securitização Emissões Fale Conosco

MOVIMENTANDO OPORTUNIDADES gerando investimentos A FORTESEC. securitizadora. Home Empresa Securitização Emissões Fale Conosco MOVIMENTANDO OPORTUNIDADES gerando investimentos Com credibilidade e criatividade, transformamos as novas ideias do mercado SAIBA MAIS A FORTESEC A Fortesec é uma com foco em operações estruturadas de

Leia mais

CERTIFICADO DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS CRI

CERTIFICADO DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS CRI CERTIFICADO DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS CRI Diversos veículos podem ser utilizados para securitizar recebíveis imobiliários, entretanto o uso dos Certificados de Recebíveis Imobiliários CRI vem caminhando

Leia mais

BRAZIL REALTY - COMPANHIA SECURITIZADORA DE CRÉDITOS IMOBILIÁRIOS. 1ª SÉRIE da 1ª. EMISSÃO DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS

BRAZIL REALTY - COMPANHIA SECURITIZADORA DE CRÉDITOS IMOBILIÁRIOS. 1ª SÉRIE da 1ª. EMISSÃO DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS BRAZIL REALTY - COMPANHIA SECURITIZADORA DE CRÉDITOS IMOBILIÁRIOS 1ª SÉRIE da 1ª. EMISSÃO DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2014 Rio de Janeiro,

Leia mais

Concessionária da Rodovia Osório - Porto Alegre S.A.

Concessionária da Rodovia Osório - Porto Alegre S.A. Concessionária da Rodovia Osório - Porto Alegre S.A. Relatório de Monitoramento Debêntures Simples 4ª Emissão (R$ 32.000.000,00) Classe de Risco BB SR ESCALA GLOBAL bra- EQUIVALÊNCIA Dezembro, 2007 A obrigação

Leia mais

Kinea Renda Imobiliária

Kinea Renda Imobiliária Introdução O é um fundo que busca aplicar recursos em empreendimentos corporativos e centros de distribuição de excelente padrão construtivo, de forma diversificada e preferencialmente prontos. Uma oportunidade

Leia mais

ABECIP / SECOVI / ORDEM DOS ECONOMISTAS DO BRASIL IMPLEMENTAÇÃO DO SECURITIZAÇÃO NO BRASIL 05/08/2010

ABECIP / SECOVI / ORDEM DOS ECONOMISTAS DO BRASIL IMPLEMENTAÇÃO DO SECURITIZAÇÃO NO BRASIL 05/08/2010 ABECIP / SECOVI / ORDEM DOS ECONOMISTAS DO BRASIL IMPLEMENTAÇÃO DO S.F.I. SECURITIZAÇÃO NO BRASIL 05/08/2010 A IMPORTÂNCIA DO SFI NO BRASIL LEGISLAÇÃO REGULAMENTAÇÃO ARCABOUÇO LEGAL PRONTO Base Legal Fonte

Leia mais

Renda Fixa Privada Cotas de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios FIDC. Cotas de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios FIDC

Renda Fixa Privada Cotas de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios FIDC. Cotas de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios FIDC Renda Fixa Privada Cotas de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios - FIDC Uma alternativa de investimento atrelada aos créditos das empresas O produto O Fundo de Investimento em Direitos Creditórios

Leia mais

Alterações na Poupança

Alterações na Poupança PRODUTOS E SERVIÇOS FINANCEIROS INVESTIMENTOS POUPANÇA A conta de poupança foi criada para estimular a economia popular e permite a aplicação de pequenos valores que passam a gerar rendimentos mensalmente.

Leia mais

LOG COMMERCIAL PROPERTIES E PARTICIPAÇÕES S.A. 4ª. EMISSÃO (PÚBLICA) DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2014

LOG COMMERCIAL PROPERTIES E PARTICIPAÇÕES S.A. 4ª. EMISSÃO (PÚBLICA) DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2014 LOG COMMERCIAL PROPERTIES E PARTICIPAÇÕES S.A. 4ª. EMISSÃO (PÚBLICA) DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2014 Rio de Janeiro, 30 de Abril de 2015. Prezados Senhores Debenturistas,

Leia mais

4 - POLÍTICAS DE RISCO DE CRÉDITO

4 - POLÍTICAS DE RISCO DE CRÉDITO 1. INTRODUÇÃO Este documento objetiva esclarecer as normas, políticas e procedimentos de controle utilizados pelo Banco Tricury S/A no processo de gestão de Risco de Crédito das operações, consoante a

Leia mais

INVESTIMENTOS EM INFRAESTRUTURA NO BRASIL

INVESTIMENTOS EM INFRAESTRUTURA NO BRASIL JANEO 2013 INVESTIMENTOS EM INFRAESTRUTURA NO BRASIL MEDIDA PROVISÓRIA 601/2012: BENEFÍCIOS FISCAIS DE FIDCS DE PROJETOS DE INVESTIMENTO (INCLUSIVE INFRAESTRUTURA) A. Introdução 1. A fim de aprimorar os

Leia mais

FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO COM FOCO EM TÍTULOS DE CRÉDITO IMOBILIÁRIO ESTRUTURADO REIT RIVIERA FII

FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO COM FOCO EM TÍTULOS DE CRÉDITO IMOBILIÁRIO ESTRUTURADO REIT RIVIERA FII FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO COM FOCO EM TÍTULOS DE CRÉDITO IMOBILIÁRIO ESTRUTURADO REIT RIVIERA FII Crédito lastreado em imóveis, alta rentabilidade e fluxo de caixa constante, com a solidez do concreto.

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta Interna nº 12 - Data 29 de junho de 2012 Origem SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL DA 4ª REGIÃO FISCAL, DIVISÃO DE TRIBUTAÇÃO

Leia mais

CEMIG GERAÇÃO E TRANSMISSÃO S.A. 3ª. EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2013

CEMIG GERAÇÃO E TRANSMISSÃO S.A. 3ª. EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2013 CEMIG GERAÇÃO E TRANSMISSÃO S.A. 3ª. EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2013 Rio de Janeiro, 30 de Abril de 2014. Prezados Senhores Debenturistas, Na qualidade

Leia mais

VIVER INCORPORADORA E CONSTRUTORA S.A. 2ª. EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2014

VIVER INCORPORADORA E CONSTRUTORA S.A. 2ª. EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2014 VIVER INCORPORADORA E CONSTRUTORA S.A. (atual denominação da INPAR S.A.) 2ª. EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2014 Rio de Janeiro, 30 de Abril de 2015. Prezados

Leia mais

2. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS E INFORMAÇÕES

2. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS E INFORMAÇÕES 1. INTRODUÇÃO Referente à elaboração e divulgação de informações pelas instituições administradoras dos Fundos de Investimento Imobiliário, para o mercado de valores mobiliários e encaminhamento à Comissão

Leia mais

COMPANHIA DE GÁS DE MINAS GERAIS - GASMIG 2ª. EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO

COMPANHIA DE GÁS DE MINAS GERAIS - GASMIG 2ª. EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO COMPANHIA DE GÁS DE MINAS GERAIS - GASMIG 2ª. EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2014 Rio de Janeiro, 30 de Abril de 2015. Prezados Senhores Debenturistas,

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Hospital da Criança (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e

Fundo de Investimento Imobiliário Hospital da Criança (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e Fundo de Investimento Imobiliário Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e parecer dos auditores independentes 2 Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo 2009 2008 Passivo e patrimônio

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.)

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo 2008 2007 Passivo e patrimônio líquido 2008 2007 Circulante Circulante Bancos 3 14 Rendimentos a distribuir 3.599 2.190 Aplicações financeiras de renda fixa

Leia mais

Política de Exercício de Direito de Voto. (Versão 4.0 - Março/2015)

Política de Exercício de Direito de Voto. (Versão 4.0 - Março/2015) Política de Exercício de Direito de Voto (Versão 4.0 - Março/2015) 1. Objeto e Aplicação 1.1. Esta Política de Exercício de Direito de Voto ( Política de Voto ), em conformidade com as disposições do Código

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e Fundo de Investimento Imobiliário Península Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e parecer dos auditores independentes 2 3 Balanços patrimoniais em 31 de dezembro Ativo 2009 2008

Leia mais

ASCENTY DATA CENTERS LOCAÇÃO E SERVIÇOS S.A. 2ª. EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2014

ASCENTY DATA CENTERS LOCAÇÃO E SERVIÇOS S.A. 2ª. EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2014 ASCENTY DATA CENTERS LOCAÇÃO E SERVIÇOS S.A. 2ª. EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2014 Rio de Janeiro, 30 de Abril de 2015. Prezados Senhores Debenturistas,

Leia mais

Estrutura do Mercado Financeiro e de Capitais

Estrutura do Mercado Financeiro e de Capitais Estrutura do Mercado Financeiro e de Capitais Prof. Paulo Berger SIMULADO ATIVOS FINANCEIROS E ATIVOS REAIS. Ativo real, é algo que satisfaz uma necessidade ou desejo, sendo em geral fruto de trabalho

Leia mais

Securitização de Recebíveis Imobiliários (Emissão de CRIs) Vladimir Miranda Abreu

Securitização de Recebíveis Imobiliários (Emissão de CRIs) Vladimir Miranda Abreu Securitização de Recebíveis Imobiliários (Emissão de CRIs) Vladimir Miranda Abreu vabreu@tozzini.com.br Sistema Financeiro Imobiliário - SFI Lei 9.514/97: Promover o financiamento imobiliário em geral,

Leia mais

BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZAÇÃO. CRI CERTIFICADO DE RECEBÍVEL IMOBILIÁRIO Lastro Pulverizado

BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZAÇÃO. CRI CERTIFICADO DE RECEBÍVEL IMOBILIÁRIO Lastro Pulverizado BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZAÇÃO CRI CERTIFICADO DE RECEBÍVEL IMOBILIÁRIO Lastro Pulverizado 1 Brazilian Securities 8 Emissões de CRI s 8 Estrutura da Operação 8 Empresas envolvidas na Operação

Leia mais

I. AMBIENTE DE MERCADO II. RESULTADOS III. NOVOS PROJETOS UTVM IV. NOVOS PROJETOS UF

I. AMBIENTE DE MERCADO II. RESULTADOS III. NOVOS PROJETOS UTVM IV. NOVOS PROJETOS UF 1 I. AMBIENTE DE MERCADO II. RESULTADOS III. NOVOS PROJETOS UTVM IV. NOVOS PROJETOS UF 2 Crédito ainda em Expansão, mas Desacelerando 30,7% Crescimento do Crédito 15,1% 20,6% 18,8% 16,4% 14,7% 11,7% 2008

Leia mais

Anexo à Política de Investimentos 2010 a 2014

Anexo à Política de Investimentos 2010 a 2014 Anexo à Política de Investimentos 2010 a 2014 Diretrizes para Investimentos em Imóveis (aprovadas pelo CDE em sua 18ª reunião realizada nos dias 14 a 16 de dezembro de 2009 Índice Anexo à Política de Investimentos...1

Leia mais

2º Congresso Internacional Gestão de Riscos FEBRABAN 23/10/2012

2º Congresso Internacional Gestão de Riscos FEBRABAN 23/10/2012 2º Congresso Internacional Gestão de Riscos FEBRABAN 23/10/2012 1. Certificados de Recebíveis Imobiliários 2. Mercado de CRI 3. Principais Investidores Conceito de Securitização Imobiliária Operação pela

Leia mais

S E M I N Á R I O NOVOS INSTRUMENTOS PRIVADOS PARA FINANCIAMENTO DO AGRONEGÓCIO

S E M I N Á R I O NOVOS INSTRUMENTOS PRIVADOS PARA FINANCIAMENTO DO AGRONEGÓCIO S E M I N Á R I O NOVOS INSTRUMENTOS PRIVADOS PARA FINANCIAMENTO DO AGRONEGÓCIO OS NOVOS INSTRUMENTOS C D C A L C A C R A MOTIVOS DA CRIAÇÃO Essencialmente 3: 1º Falta de recursos 2º Insuficiência de credibilidade

Leia mais

PDG COMPANHIA SECURITIZADORA. 7ª SÉRIE da 3ª. EMISSÃO DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO

PDG COMPANHIA SECURITIZADORA. 7ª SÉRIE da 3ª. EMISSÃO DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO PDG COMPANHIA SECURITIZADORA 7ª SÉRIE da 3ª. EMISSÃO DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2013 Rio de Janeiro, 30 de Abril de 2014. Prezados Senhores

Leia mais

Cotas de Fundos de Investimento Imobiliário - FII

Cotas de Fundos de Investimento Imobiliário - FII Renda Variável Cotas de Fundos de Investimento Imobiliário - FII Fundo de Investimento Imobiliário Aplicação no mercado imobiliário sem investir diretamente em imóveis O produto O Fundo de Investimento

Leia mais

SNB PARTICIPAÇÕES S.A.

SNB PARTICIPAÇÕES S.A. SNB PARTICIPAÇÕES S.A. 1ª Emissão de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2004 SNB PARTICIPAÇÕES S.A. 1ª Emissão de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de

Leia mais

ENERGISA S.A. EXERCÍCIO DE 2013

ENERGISA S.A. EXERCÍCIO DE 2013 ENERGISA S.A. 3ª. EMISSÃO sendo a 2ª. EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2013 Rio de Janeiro, 30 de Abril de 2014. Prezados Senhores Debenturistas, Na qualidade

Leia mais

LOCALIZA RENT A CAR S.A. 5ª Emissão Pública de Debêntures

LOCALIZA RENT A CAR S.A. 5ª Emissão Pública de Debêntures LOCALIZA RENT A CAR S.A. 5ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2013 LOCALIZA RENT A CAR S.A. 5ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário

Leia mais

Relatório Inicial. Leme Investimentos Ltda.

Relatório Inicial. Leme Investimentos Ltda. Relatório Inicial Leme Investimentos Ltda. bra+ equivalência br risco de gestão BBB- SR Global SEGURANÇA BOA. FATORES DE PROTEÇÃO ADEQUADOS. RISCOS POR FATORES INTERNOS OU AMBIENTAIS, EM GERAL, BAIXOS.

Leia mais

Instrumentos de Financiamento Imobiliário no Brasil Jorge Sant Anna

Instrumentos de Financiamento Imobiliário no Brasil Jorge Sant Anna Instrumentos de Financiamento Imobiliário no Brasil Jorge Sant Anna 1 Março /2010 Evolução do Financiamento Imobiliário 1964 Base Legal Sistema Financeiro de Habitação Lei 4.328 /64 Lei 5.170/66 1997 Base

Leia mais

RESULTADOS 2T15 Teleconferência 10 de agosto de 2015

RESULTADOS 2T15 Teleconferência 10 de agosto de 2015 RESULTADOS 2T15 Teleconferência 10 de agosto de 2015 AVISO Nesta apresentação nós fazemos declarações prospectivas que estão sujeitas a riscos e incertezas. Tais declarações têm como base crenças e suposições

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário - FII Top Center (Administrado pela Pentágono Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários S.A.

Fundo de Investimento Imobiliário - FII Top Center (Administrado pela Pentágono Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários S.A. Fundo de Investimento Imobiliário - FII Top Center (Administrado pela Pentágono Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários S.A.) Demonstrações Financeiras Referentes ao Período de 19 de Maio (Data

Leia mais

COORDENADOR LÍDER EMISSOR CEDENTE / DEVEDOR ASSESSOR LEGAL

COORDENADOR LÍDER EMISSOR CEDENTE / DEVEDOR ASSESSOR LEGAL CRI Socicam Emissão de séries sênior e subordinada da REIT Securitizadora S/A CONFIDENCIAL Agosto/2012 COORDENADOR LÍDER EMISSOR CEDENTE / DEVEDOR ASSESSOR LEGAL Termo de Responsabilidade: Esta apresentação

Leia mais

Ao final de 2008, a Contax contava com 74.499 colaboradores, sendo uma das maiores empregadoras do país.

Ao final de 2008, a Contax contava com 74.499 colaboradores, sendo uma das maiores empregadoras do país. Senhores Acionistas, A Administração da Contax Participações S.A. ( Contax Participações ) submete, em conjunto com as demonstrações financeiras e o parecer dos auditores independentes, o Relatório da

Leia mais

BROOKFIELD SÃO PAULO EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS S.A. (nova denominação de COMPANY S.A.)

BROOKFIELD SÃO PAULO EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS S.A. (nova denominação de COMPANY S.A.) BROOKFIELD SÃO PAULO EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS S.A. (nova denominação de COMPANY S.A.) 3ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2010 Brookfield Empreendimentos

Leia mais

DECLARAÇÃO DO ADQUIRENTE NOME DO INVESTIDOR ADQUIRENTE: ENDEREÇO: Nº INSCRIÇÃO NO CPF/CNPJ:

DECLARAÇÃO DO ADQUIRENTE NOME DO INVESTIDOR ADQUIRENTE: ENDEREÇO: Nº INSCRIÇÃO NO CPF/CNPJ: OFERTA PÚBLICA DE UNIDADES AUTÔNOMAS IMOBILIÁRIAS HOTELEIRAS OBJETO DE CONTRATOS DE INVESTIMENTO COLETIVO ( CIC ) NO EMPREENDIMENTO WISE HOTEL ( OFERTA ) DECLARAÇÃO DO ADQUIRENTE NOME DO INVESTIDOR ADQUIRENTE:

Leia mais

1 - BTG Pactual Corporate Office Fund BRCR11

1 - BTG Pactual Corporate Office Fund BRCR11 1 - BTG Pactual Corporate Office Fund BRCR11 O FII BTG Pactual Corporate Office Fund é um fundo de investimento imobiliário do tipo corporativo, ou seja, tem como objetivo investir em ativos imobiliários

Leia mais

FUNDO DE INVESTIMENTO EM DIREITOS CREDITÓRIOS DA INDÚSTRIA EXODUS INSTITUCIONAL. 1 - Nome do Cotista 2 - Identificação do Cotista

FUNDO DE INVESTIMENTO EM DIREITOS CREDITÓRIOS DA INDÚSTRIA EXODUS INSTITUCIONAL. 1 - Nome do Cotista 2 - Identificação do Cotista TERMO DE ADESÃO AO REGULAMENTO E CIÊNCIA DE RISCO FUNDO DE INVESTIMENTO EM DIREITOS CREDITÓRIOS DA INDÚSTRIA EXODUS INSTITUCIONAL 1 - Nome do Cotista 2 - Identificação do Cotista 3 - Agência N 4 - Conta

Leia mais

INVESTCO S.A. PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO

INVESTCO S.A. PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO INVESTCO S.A. PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO Aos Srs. Acionistas Investco S.A. Anexo I - Comentários dos Diretores da Companhia Contas dos Administradores referentes ao exercício social encerrado em 31.12.2012.

Leia mais

Renda Fixa Certificado de Direitos Creditórios do Agronegócio - CDCA. Renda Fixa. Certificado de Direitos Creditórios do Agronegócio - CDCA

Renda Fixa Certificado de Direitos Creditórios do Agronegócio - CDCA. Renda Fixa. Certificado de Direitos Creditórios do Agronegócio - CDCA Renda Fixa Certificado de Direitos Creditórios do Agronegócio - CDCA Certificado de Direitos Creditórios do Agronegócio Viabiliza o financiamento da cadeia do agronegócio com recursos privados O produto

Leia mais

MUDAR MASTER EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS S/A 1ª Emissão de Debêntures Simples

MUDAR MASTER EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS S/A 1ª Emissão de Debêntures Simples MUDAR MASTER EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS S/A 1ª Emissão de Debêntures Simples ÍNDICE CARACTERIZAÇÃO DA EMISSORA...3 CARACTERÍSTICAS DAS DEBÊNTURES...3 DESTINAÇÃO DE RECURSOS...5 ASSEMBLÉIAS DE DEBENTURISTAS...6

Leia mais

Relatório de Resultados 2T 2015

Relatório de Resultados 2T 2015 MMX - Resultados Referentes ao 2º trimestre de 2015 Rio de Janeiro, 14 de agosto de 2015 A MMX Mineração e Metálicos S.A. ( Companhia ou MMX ) (Bovespa: MMXM3) anuncia seus resultados referentes ao 2º

Leia mais

Renda Fixa Privada Notas Promissórias NP. Notas Promissórias - NP

Renda Fixa Privada Notas Promissórias NP. Notas Promissórias - NP Renda Fixa Privada Notas Promissórias - NP Uma alternativa para o financiamento do capital de giro das empresas O produto A Nota Promissória (NP), também conhecida como nota comercial ou commercial paper,

Leia mais

ALLPARK EMPREENDIMENTOS, PARTICIPAÇÕES E SERVIÇOS S.A. 5ª. EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2012

ALLPARK EMPREENDIMENTOS, PARTICIPAÇÕES E SERVIÇOS S.A. 5ª. EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2012 ALLPARK EMPREENDIMENTOS, PARTICIPAÇÕES E SERVIÇOS S.A. 5ª. EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2012 Rio de Janeiro, 30 de Abril, 2013. Prezados Senhores Debenturistas,

Leia mais

CEMEPE INVESTIMENTOS S/A

CEMEPE INVESTIMENTOS S/A CEMEPE INVESTIMENTOS S/A RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Em cumprimento às disposições legais e estatutárias, submetemos à apreciação de V.Sas. as demonstrações contábeis do exercício encerrado

Leia mais

Empresa Energética de Mato Grosso do Sul S.A. - ENERSUL

Empresa Energética de Mato Grosso do Sul S.A. - ENERSUL Empresa Energética de Mato Grosso do Sul S.A. - ENERSUL 6ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2007 Empresa Energética de Mato Grosso do Sul S.A. - ENERSUL 6ª

Leia mais

HTL SP Participações S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e relatório dos auditores independentes

HTL SP Participações S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e relatório dos auditores independentes Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e relatório dos auditores independentes Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras Aos Administradores e Acionistas HTL

Leia mais

REGULAMENTO DE REGISTRO DE EMISSORES E DE VALORES MOBILIÁRIOS CAPÍTULO I REGISTRO PARA NEGOCIAÇÃO EM BOLSA SEÇÃO I REGISTRO DE COMPANHIAS ABERTAS

REGULAMENTO DE REGISTRO DE EMISSORES E DE VALORES MOBILIÁRIOS CAPÍTULO I REGISTRO PARA NEGOCIAÇÃO EM BOLSA SEÇÃO I REGISTRO DE COMPANHIAS ABERTAS REGULAMENTO DE REGISTRO DE EMISSORES E DE VALORES MOBILIÁRIOS CAPÍTULO I REGISTRO PARA NEGOCIAÇÃO EM BOLSA SEÇÃO I REGISTRO DE COMPANHIAS ABERTAS Artigo 1º O Diretor Presidente poderá conceder o registro

Leia mais

Caixa TRX Logística Renda FII - CXTL11. Relatório Trimestral 1º Trimestre de 2014

Caixa TRX Logística Renda FII - CXTL11. Relatório Trimestral 1º Trimestre de 2014 Caixa TRX Logística Renda FII CXTL11 Relatório Trimestral 1º Trimestre de 2014 índice Caixa TRX Logística Renda FII CXTL11 Relatório Trimestral 1º Trimestre de 2014 DADOS DO FUNDO 3 RENTABILIDADE 10 OBJETIVO

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 5 Balanço Patrimonial Passivo 9 Demonstração do Resultado 12 Demonstração do Resultado

Leia mais

BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZAÇÃO

BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZAÇÃO BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZAÇÃO 1ª Emissão de Certificados de Recebíveis Imobiliários Série: 190ª Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2011 BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE

Leia mais

Divulgações sobre o envolvimento em entidades estruturadas

Divulgações sobre o envolvimento em entidades estruturadas CONTABILIDADE EM DESTAQUE Outubro de 2015 Edição: 001/15 Divulgações sobre o envolvimento em entidades estruturadas Esta edição da Contabilidade em Destaque tem como objetivo explicar mais profundamente

Leia mais

Kinea Rendimentos Imobiliários - FII. Relatório de Gestão

Kinea Rendimentos Imobiliários - FII. Relatório de Gestão Kinea Rendimentos Imobiliários - FII Relatório de Gestão Maio de 2013 Palavra do Gestor Prezado investidor, O Kinea Rendimentos Imobiliários FII ( Fundo ) é dedicado ao investimento em Ativos de renda

Leia mais

relatório de monitoramento

relatório de monitoramento relatório de monitoramento Aggrega Investimentos bra- equivalência br risco de gestão BB SR Global SEGURANÇA MEDIANA. FATORES DE PROTEÇÃO MINIMAMENTE RAZOÁVEIS. FATORES DE RISCO, INTERNOS OU DO AMBIENTE,

Leia mais

Banco Santander (Brasil) S.A.

Banco Santander (Brasil) S.A. Banco Santander (Brasil) S.A. Resultados em BR GAAP 4T14 3 de Fevereiro de 2015 INFORMAÇÃO 2 Esta apresentação pode conter certas declarações prospectivas e informações relativas ao Banco Santander (Brasil)

Leia mais