SISTEMA DIGESTÓRIO. 3. Partes: Boca, faringe, esôfago, estômago, intestino delgado e intestino grosso.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SISTEMA DIGESTÓRIO. 3. Partes: Boca, faringe, esôfago, estômago, intestino delgado e intestino grosso."

Transcrição

1 1 SISTEMA DIGESTÓRIO 1. Função: destina-se ao aproveitamento pelo organismo de substâncias estranhas ditas alimentares, que asseguram a manutenção de seus processos vitais. 2. Aspecto: longo tubo de pouco mais de 9 metros de comprimento, irregular e aberto nas duas extremidades. Abertura superior boca e a inferior ânus. 3. Partes: Boca, faringe, esôfago, estômago, intestino delgado e intestino grosso. 4. Órgãos Anexos: glândulas salivares maiores e menores, fígado, pâncreas, dentes e peritônio. 5. Atos que se processam: a) Mastigação - desintegração parcial dos alimentos por processos físicos e químicos que se realizam na boca; b) Deglutição - condução dos alimentos através da faringe para o esôfago (ascensão da laringe); c) Ingestão - introdução dos alimentos no estômago; d) Digestão - desdobramento das substâncias alimentares em suas moléculas mais simples, realizada pela boca, estômago e 1 a porção do intestino delgado; e) Absorção - se processa no intestino delgado e de líquidos na porção do colo ascendente do intestino grosso e f) Armazenamento e eliminação dos detritos - intestino grosso. 6. Localização: A boca situa-se na região inferior da face e continua com a faringe que está no pescoço; em continuação vem o esôfago que apresenta uma pequena porção cervical, sendo a maior porção torácica e uma pequena porção abdominal onde logo em seguida termina no estômago. Do estômago parte o intestino delgado que percorre um caminho bastante sinuoso para terminar no intestino grosso, o qual vai se abrir no ânus, situado logo abaixo e por frente do cóccix. Desde a parte terminal do esôfago até o ânus, o aparelho digestório ocupa as cavidades abdominal e pélvica. FARINGE Conceito e Localização: Constitui-se em uma via de entroncamento entre os sistemas digestório e respiratório, tendo o aspecto de hemitubo afunilado, músculo membranoso, localizando-se no pescoço. Sua parte superior ocorre desobstruída facilitando a livre passagem de ar para os pulmões, enquanto que sua parte inferior ocorre achatada antero-posteriormente, expandindo-se com a passagem dos alimentos. Partes: Nasal - Nasofaringe - Epifaringe Oral - Bucofaringe - Orofaringe - Mesofaringe Laríngea - Laringofaringe - Hipofaringe Nasofaringe: Situa-se atrás da cavidade nasal com a qual se assemelha em muitas características morfológicas e acima do palato mole, suas paredes são relativamente imóveis, com exceção do palato mole, sendo que a cavidade nunca é fechada. Comunica-se com as cavidades nasais através das coanas. Comunica-se com a Orofaringe através do istmo faríngeo que durante alguns atos como a deglutição é obliterado pela elevação do palato mole. Comunica-se súpero-lateralmente com os óstios faríngeos das tubas auditivas. Um acúmulo de tecido linfóide, bastante desenvolvido na criança, situa-se na mucosa do teto da nasofaringe, são as tonsilas faríngeas. Apresentam prolongamentos laterais que ocupam o recesso faríngeo, constituindo as tonsilas tubais.

2 2 Orofaringe: Estende-se do palato mole até a margem superior da cartilagem epiglote ao nível do corpo da 2 a V.C. Comunica-se anteriormente, através do istmo das fauces com a cavidade bucal, sendo o seu teto o palato mole, o assoalho é a parte faríngea da língua e suas paredes laterais são anteriormente o arco palatoglosso e posterior e mais medialmente o arco palatofaríngeo. Entre os dois arcos que recobrem os músculos com os mesmos nomes, ínfero-lateralmente ocorre a fossa tonsilar que aloja tonsila palatina. Laringofaringe: Estende-se da margem superior da cartilagem epiglote ao nível da 3 a V.C. até a margem inferior da cartilagem cricóide ao nível da 6 a V.C.. Relaciona-se anteriormente com o ádito da laringe, cartilagem epiglótica, cartilagem aritenóidea, cartilagem cricóidea e recesso piriforme. A margem ínfero-posterior da laringofaringe é contínua com o esôfago. ESTRUTURA DA FARINGE: a) Mucosa b) Camada Fibrosa -epimísio interno da camada muscular, bastante espessado. c) Camada Muscular. d) Fáscia Bucofaríngea - epimísio externo da camada muscular, mais delgado. CAMADA FIBROSA: Espessa na parte alta, constituindo a fáscia faringo-basilar. Se continua para baixo como a rafe mediana da faringe que dá inserção aos músculos constritores da faringe. MÚSCULOS DA FARINGE: Grande parte da faringe compõe-se de 2 estratos musculares, a camada circular ou externa, formada pelos músculos: constritor superior, constritor médio e constritor inferior e a camada longitudinal ou interna, formada pelos músculos: estilofaríngeo, palatofaríngeo e salpingofaríngeo. AÇÃO GERAL DOS MÚSCULOS DA FARINGE: Os mm. constritores comprimem a parede da faringe contra o seu conteúdo, sendo que a principal ação combinada ocorre nos movimentos do palato mole com papel importante na deglutição, fala e ato de assoprar. Os mm. longitudinais elevam e encurtam a faringe. IRRIGAÇÃO DA FARINGE Aa.: faríngea ascendente e palatina ascendente, ramos tonsilares da artéria facial, aa. palatina maior, faríngea e a. do canal pterigóide, ramos da artéria lingual. DRENAGEM VENOSA DA FARINGE plexo faríngeo. DRENAGEM LINFÁTICA DA FARINGE linfonodos cervicais profundose e linfonodos retrofaríngeos. INERVAÇÃO DA FARINGE Nervos: trigêmeo, glossofaríngeo e vago. M. constritor inferior: nn. laríngeos externos e laríngeo recorrente. ESÔFAGO CONCEITO: Órgão tubular, músculo mucoso que liga a faringe ao estômago, iniciando no pescoço, na margem inferior da cartilagem cricóide ao nível da 6 a.v.c., desce em grande parte na frente e muito próximo da coluna vertebral, no mediastino superior e mediastino inferior, porção posterior atravessa o diafragma na altura da 10 a V.T. e termina na cárdia do estômago ao nível da 12 a V.T.

3 3 MEDIDAS: Com cerca de 25 cm de comprimento, é a região mais estreita do tubo digestório, sendo que seu diâmetro não é uniforme, apresentando 4 constrições: 1 a ) No seu início 2 a ) No ponto onde é cruzado pelo arco aórtico 3 a ) No ponto onde é cruzado pelo brônquio principal esquerdo 4 a ) Quando atravessa o músculo diafragma Os estreitamentos ou constrições esofágicas, não são constrições anatômicas, sendo visíveis apenas quando o esôfago está cheio e desaparecem com o esvaziamento do órgão. FIXAÇÃO: Fixado no hiato esofágico do diafragma, por uma lâmina elástica denominada ligamento frênico-esofágico. Na parte torácica atua a força de tração dos pulmões. Ainda atua na fixação do esôfago abdominal a continuidade das fibras musculares com a musculatura do estômago. ESTRATIGRAFIA DO ESÔFAGO: Túnica Fibrosa: é a camada adventícia, tendo muitas fibras elásticas que penetram e circundam os fascículos musculares das camadas mais profundas. Túnica Muscular: o extrato externo é longitudinal e o interno é circular. Entre as duas camadas ocorre o plexo mioentérico. A camada longitudinal é mais espessa. Alguns feixes acessórios de fibras musculares lisas passam algumas vezes do esôfago para a pleura esquerda, raiz do brônquio principal esquerdo, traquéia, pericárdio e a. aorta, auxiliando na fixação. As fibras circulares superiormente contínuas com as fibras do músculo constritor inferior e as fibras inferiores são contínuas com as fibras oblíquas do estômago. No 1/3 superior do esôfago a musculatura é estriada, no 1/3 médio ocorrem fibras musculares estriadas predominantemente e fibras musculares lisas e no 1/3 inferior a musculatura é lisa. Submucosa e Mucosa. IRRIGAÇÃO DO ESÔFAGO Ramos das: a. aorta torácica, a. bronquiais, a. gástrica esquerda, a. frênica inferior esquerda. DRENAGEM VENOSA DO ESÔFAGO plexo venoso submucoso, plexo venoso na superfície do órgão. parte cervical: vv. drenam para vv. tireóideas inferiores. parte torácica: vv. drenam para vv. ázigo, hemiázigo e hemiázigo acessória. parte abdominal: vv. esofágicas drenam para v. ázigo e v. gástrica esquerda. DRENAGEM LINFÁTICA DO ESÔFAGO linfonodos: cervicais profundos, mediastinais posteriores e gástricos esquerdos. INERVAÇÃO DO ESÔFAGO Fibras dos n. vagos formam: plexo esofágico. parte cervical: ramos do n. laríngeo recorrente e dos troncos simpáticos cervicais. parte torácica: ramos dos troncos vagais e do plexo esofágico, nn. esplâncnicos maiores e troncos simpáticos. parte abdominal: troncos vagais (nn. gástricos anterior e posterior) troncos simpáticos: nn. esplâncnicos maiores. Divisão - Quadrantes e Regiões PARTE ABDOMINAL DO SISTEMA DIGESTÓRIO

4 4 PERITÔNIO 1. Conceito: Membrana serosa que forra as paredes da cavidade abdominal e reveste as vísceras abdominopélvicas, sendo que o peritônio parietal forra as paredes abdominais e o peritônio visceral reveste os órgãos. 2. Divisão da Cavidade Peritoneal: -Cavidade Peritoneal Propriamente Dita -Bolsa Omental 3. Líquido Peritoneal: Líquido seroso com volume de aproximadamente 1,5 litro que lubrifica as superfícies peritoneais e facilita a livre movimentação das vísceras. De coloração amarelada, viscoso, contendo leucócitos e anticorpos, circula continuamente, sendo absorvido por coletores linfáticos, principalmente no espaço subfrênico. 4. Principais Formações Peritoneais a) Mesentério. b) Omento Maior c) Omento Menor d) Ligamentos: 1. Ligamento Falciforme 2. Ligamentos Coronários 3. Ligamentos Triangulares 4. Ligamento Redondo do Fígado 5. Ligamento hepatoduodenal 6. Ligamento hepatogástrico 7. Ligamento frenolienal 8. Ligamento gastrofrênico 9. Ligamento gastrolienal 10. Ligamento gastrocólico 11. Ligamento frenocólico 12. Ligamento gastropancreático 13. Ligamento Umbilical Mediano 14. Ligamentos Umbilicais laterais Inervação do Peritônio parietal: - 6 Nn. Torácicos Inferiores - 1 o N. Lombar - N. Frênico - N. Obturador *A dor que se origina do peritônio parietal pode ser localizada com precisão, sendo este extremamente sensível a distensão, constituindo o que se chama sensibilidade de rebote. O peritônio visceral não tem fibras aferentes para a dor. ESTÔMAGO CONCEITO: É a porção mais dilatada do canal alimentar que através do esôfago recebe o alimento ao qual adiciona um volume de líquidos por ele secretado, mistura essa massa por ação muscular e com sua ação química, transforma o conteúdo em massa semilíquida denominada quimo que acrescido de muco passa para o duodeno. LOCALIZAÇÃO: No abdome, andar supramesocólico, hipocôndrio esquerdo, nas regiões umbilical e epigástrica.

5 5 FORMA E CAPACIDADE: Bastante variado, sendo que em indivíduos longilíneos assemelha-se a J e em brevilíneos assemelha-se a U, tendo capacidade variável entre 1300 a 1800 ml. PARTES: Fundo, Cárdia, Óstio Cárdico, Óstio Pilórico, Curvatura Menor, Curvatura Maior, Incisura Angular, Incisura Cárdica, Corpo, Antro-Pilórico e Piloro. ANATOMIA INTERNA DO ESTÔMAGO Quando a víscera é aberta em um plano frontal, nota-se que ela é formada por dois segmentos, a porção globular a esquerda e a porção tubular a direita. ESTRUTURA DO ESTÔMAGO a) Túnica Serosa - A serosa ou peritônio visceral, reveste toda a superfície do órgão, exceto as curvaturas maior e menor e uma pequena área triangular póstero-superior. b) Túnica Muscular - Formada por 3 estratos de fibras musculares: longitudinal, circular e oblíquo. - Longitudinal - mais superficial e disposta em dois grupos, um com fibras longitudinais contínuas ao esôfago, mais desenvolvida próximo as curvaturas e outra que inicia-se no corpo do estômago e dirigemse para a direita e a medida que aproxima-se do piloro, dispõem-se em camadas cada vez mais espessas. Algumas fibras mais superficiais passam para o duodeno e as mais profundas entrelaçam-se com as fibras circulares do esfíncter pilórico. - Circular - camada uniforme em todo o estômago, ao nível do piloro se condensa constituindo o esfíncter pilórico. A camada circular é contínua com a do esôfago e separada da circular do duodeno por um septo de tecido conjuntivo. - Oblíqua - mais interna, ocorrendo principalmente no corpo do estômago, sendo mais desenvolvida próximo a cárdia. A direita as fibras apresentam margem livre e a esquerda fundem-se com as fibras circulares. c) Tela Submucosa - d) Tela Mucosa - Apresenta pregas com direção longitudinal e mais pronunciadas em direção à extremidade pilórica e ao longo da porção globular. LIGAMENTOS: Gastrolienal, Frenolienal, Hepatogástrico, Hepatoduodenal e Gastropancreático Esquerdo. IRRIGAÇÃO DO ESTÔMAGO: - a. gástrica esquerda, a. gástrica direita, a. gastromental direita, a. gastromental esquerda, a gástricas curtas.. DRENAGEM VENOSA DO ESTÔMAGO - vv. gástricas direita e esquerda, v. gastromental esquerda e vv. gástricas curtas, v. gastromental direita. DRENAGEM LINFÁTICA DO ESTÔMAGO Dispostos em 4 áreas principais. 1 a Área linfonodos gástricos esquerdos. 2 a Área - linfonodos gastromentais direitos. Linfonodos pilóricos. 3 a Área linfonodos gastromentais esquerdos em parte anastomosando-se com linfonodos pancreáticos duodenais. 4 a Área - linfonodos gástricos direitos. INERVAÇÃO DO ESTÔMAGO Tronco vagal anterior: ramo hepático, ramo celíaco e ramos gástricos anteriores.

6 6 Tronco vagal posterior: ramo hepático e ramos gástricos posteriores. DUODENO CONCEITO: Parte mais curta, larga e fixa do intestino delgado, sem Mesentério e revestido parcialmente por peritônio. LOCALIZAÇÃO, TAMANHO E FORMA: Localiza-se no abdome, andar supramesocólico, estando situado na loja duodeno pancreática, com cerca de 24 cm de comprimento, sendo que seu trajeto apresenta-se em curva, que circunda a cabeça do pâncreas. PARTES: Começa no piloro, dirige-se para trás, para cima e para a direita. Descreve uma primeira curva a flexura duodenal superior, delimitando assim a 1 a porção ou superior. Descreve uma segunda curva a flexura duodenal inferior que delimita a 2 a porção ou descendente. A 3 a porção ou horizontal apresenta uma ligeira inclinação para cima. A 4 a porção é denominada de ascendente. Na união do duodeno com o jejuno ocorre a flexura duodenojejunal. IRRIGAÇÃO DO DUODENO A pancreático duodenal superior anterior e a. pancreático duodenal superior posterior, a. supraduodenal, a. retroduodenal, a. pancreático duodenal inferior ramo posterior e ramo anterior. DRENAGEM VENOSA DO DUODENO Feita por vasos que acompanham sua irrigação e drenam para Vv. pancreáticoduodenais, gastromental direita e porta-hepática. DRENAGEM LINFÁTICA DO DUODENO É feita por vasos linfáticos que drenam para linfonodos: celíacos, mesentéricos superiores, pilóricos; linfonodos pancreáticos duodenais. INERVAÇÃO DO DUODENO ramos do plexo celíaco e mesentérico superior. FÍGADO Conceito: Maior glândula corpórea, correspondendo a 1/50 do peso corpóreo do adulto, ou seja a gramas e no recém nascido 1/20 avos do peso corpóreo. De coloração marrom avermelhada, altamente vascularizado e bastante friável. Apresenta o aspecto ovóide truncado. Funções: - Secreta Bile.- - Metabolismo das substâncias finais da digestão. - Armazenagem e liberação da glicose. - Síntese, Conjugação e transformação de substâncias. - Células de Kupffer. - Hematopoiése. Localização: Andar supramesocólico, ocupando quase toda a extensão do hipocôndrio direito, a maior parte da região epigástrica e o hipocôndrio esquerdo. No adulto é coberto pelas costelas e cartilagens costais, exceto na região epigástrica, onde entra em contato com a parede abdominal anterior, abaixo do ângulo infra-esternal.

7 7 Fixação: continuidade das veias hepáticas com a veia cava inferior. - reflexões peritoneais na superfície do fígado, formando os ligamentos: - Falciforme. - Redondo - resquício da veia umbilical da circulação fetal. - Venoso - resquício do canal venoso. - Coronários - D.E. - Triangulares - Direito - Ligamento Hepatorenal - Esquerdo - Apêndice fibroso - - Aderência da área nua do fígado ao diafragma. - Pedículo hepático inferior com a cápsula fibrosa ou de Glisson, cápsula fibrosa hepatobiliar que envolve artéria hepática, veia porta-hepática, ductos hepáticos direito e esquerdo. - Omento Menor - Ligamento Hepatoduodenal - Ligamento Hepatogástrico - Pressão intra-abdominal. Faces - - Diafragmática, é lisa e não totalmente revestida por peritônio - (área nua) - Visceral - apresenta duas fossas a da vesícula biliar e a do ducto venoso. Divisões - Pela face diafragmática - Lobo Direito e Lobo Esquerdo, tomando-se como ponto de referência o ligamento falciforme. - Pela face visceral - Lobo Direito - Lobo Quadrado - Lobo Caudado - Lobo Esquerdo Margem Inferior - separa as faces lateral direita e anterior da face visceral. CIRCULAÇÃO AFERENTE - Nutritiva (20%) através da Artéria Hepática Própria, que origina-se no tronco celíaco, corre entre lâminas de omento menor, constituindo-se numa circulação terminal. - Funcional (80%) - se dá através da Veia Porta-hepática, formada pela confluência das veias Esplênica e Mesentérica Superior, sendo ainda tributárias as Veias Gástricas Direita e Esquerda, as Veias Para Umbilicais e a Veia Mesentérica Inferior que é tributária da porção da Veia Esplênica. Portanto o sangue venoso do esôfago abdominal, estômago, intestino delgado, intestino grosso, baço e pâncreas é drenado para a veia porta-hepática. Drenagem Venosa do Fígado: É feita pelos ramos horizontal direito e dorso-caudal direito que unem-se para formar a Veia hepática direita, os ramos direito, intermédio e esquerdo, formam a veia hepática média que normalmente drena para a veia hepática esquerda que é formada pela confluência dos ramos horizontal esquerdo e dorso-caudal esquerdo. As 3 veias hepáticas drenam o sangue venoso do fígado para a veia cava inferior. Via Bilífera Principal Vias Bilíferas Extra-Hepáticas Inicia Confluência Bilífera Superior (Omento Menor) - Ducto Hepático Direito - Ducto Hepático Esquerdo Confluência Bilífera Inferior - Ducto Hepático Comum (2,5 a 7,5 cm) - Ducto Cístico

8 8 Termina Papila Maior do Duodeno a) Divisão - Ducto Hepático Comum - Ducto Colédoco b) Divisão - Sistema de Condução -Ducto Hepático -Ducto Colédoco - Sistema de Concentração e Propulsão - Vesícula Biliar - Sistema de União - Ducto Cístico Via Bilífera-Diverticular Vesícula Biliar Ducto Cístico - Fundo - Corpo - Infundíbulo - Colo - Parte Lisa - Parte Valvada PÂNCREAS Conceito - Glândula mole, lobulada de coloração rosa-acinzentada, com 12 a 14 cm de comprimento, que estende-se transversalmente na parede posterior do abdome, atrás do estômago, desde o duodeno até o baço sendo retroperitoneal. Localização - Regiões Epigástrica e Hipocôndrio Esquerdo Funções - Secreta Suco Pancreático e Hormônios. Partes Apresenta 3 faces: Anterior, Posterior e Inferior. Apresenta 3 Margens: Anterior, Posterior e Inferior (processo uncinado). Ductos Pancreáticos: Principal e Acessório. Limites - Superior - Flexura Duodenojejunal. - Inferior - Junção Íleal JEJUNO E ÍLEO Localização - Andar Infra-Mesocólico ocupando os espaços Mesentéricos Cólicos Direito e Esquerdo e Parieto-Cólico Direito e Esquerdo. Divisão - Jejuno 2/5 superiores e Íleo 3/5 inferiores - Topograficamente - considera-se como reparo o músculo psoas maior esquerdo - considerado como transição entre jejuno e íleo. - Superior - A direita e a esquerda da linha mediana Grupos de Alças Intestinais - Inferior Esquerdo - Fossa ilíaca esquerda - Inferior Direito - Fossa ilíaca direita

9 9 DIFERENÇAS ANATÔMICAS ENTRE JEJUNO E ÍLEO 1. Jejuno - abaixo e a esquerda do mesocolo transverso e o Íleo nas fossas ilíacas. 2. Jejuno - Maior diâmetro - Parede mais espessa - Coloração mais avermelhada 3. Mesentério Ileal encontra-se fixado abaixo e a direita da a. aorta. 4. Vasos jejunais formam 1 ou 2 arcadas apenas com ramos longos e inconstantes. O íleo recebe numerosos ramos terminais curtos que se originam de uma série de 3 a 4 ou mais arcadas. 5. Na extremidade final do mesentério jejunal, a gordura está depositada perto de sua raiz, no mesentério ileal, a gordura distribui-se uniformemente desde a raiz até a parede intestinal 6. Na membrana mucosa da porção inferior do íleo, ao longo de sua borda antimesentérica, estão presentes folículos linfáticos agrupados (Placas de Peyer). ESTRUTURA DO JEJUNO - ÍLEO a) Externamente a Túnica Serosa ou peritoneal - menos na inserção mesenterial. b) Túnica Muscular Própria - Externa - longitudinal - Interna - circular As duas camadas são separadas por delgada lâmina de tecido conjuntivo frouxo em que se encontram células nervosas do plexo mioentérico, responsável pela contração coordenada de ambas as camadas, em ondas peristálticas. c) Túnica Submucosa - tecido conjuntivo frouxo, com rede de vasos e o plexo submucoso de células e fibras nervosas. d) Mucosa - Pregas circulares - Vilos intestinais - Criptas (glândulas intestinais) secretam enzimas e muco - Tecido linfóide - folículos solitários ou folículos linfáticos agregados (antiga Placa de Peyer). IRRIGAÇÃO Através dos ramos (15 a 20) da artéria mesentérica superior, que percorrem o mesentério até alcançarem o intestino que são as artérias jejunais, artérias ileais, sendo que a porção terminal do íleo também é irrigada pela artéria ileocólica. As artérias jejunais e ileais se anastomosam no interior do mesentério formando arcadas, menos numerosas ao nível das primeiras alças jejunais aumentando o número no terço médio e sendo novamente pouco numerosas no terço distal, formando importante via colateral o vaso paralelo das quais originamse as artérias retas que são mais longas e calibrosas ao nível do jejuno. As artérias retas seguem por uma das faces da parede do intestino ou então bifurcam-se, dando origem a dois ramos murais, um para cada face anastomosando-se e constituindo outra circulação colateral.

10 10 DRENAGEM VENOSA Trajeto semelhante aos ramos arteriais - ocorrendo três sistemas venosos. - Proximal - veias retas - Intermédio - arcadas venosas - canal venoso paralelo - Distal - veias ileais e jejunais que por confluência diminuem o número e aumentam em calibre e comprimento e drenam para a veia mesentérica superior. INERVAÇÃO - Parasimpática - fibras do n. vago. - Simpática - plexo celíaco e mesentérico superior. INTESTINO GROSSO Localização: estende-se da fossa ilíaca direita até o períneo - andar infra-mesocólico (1,5 mt), formando uma moldura em torno das alças intestinais. Partes: O intestino grosso inicia-se na junção ileocólica, na qual ocorre o óstio da valva ileal. Apresenta o ceco, com um divertículo o apêndice vermiforme, de fundo cego; o colo ascendente, que após a flexura cólica direita, constitui o colo transverso, a esquerda efetua a flexura cólica esquerda para iniciar-se o colo descendente e continua-se inferiormente com o colo sigmóide, que transiciona com o reto, sendo suspenso na cavidade pélvica pelo seu mesocolo e em sua porção terminal desaparecem as tênias. O ceco, colo ascendente e descendente são retroperitoneais. Estrutura: a) Serosa - exceto na margem mesocólica. Colo ascendente e descendente sem meso e acolado a parede posterior do abdome. Ocorrem pingentes de gordura os apêndices omentais - Reto e Canal Anal sem serosa. b) Muscular - Interna Circular - espessando-se em certas áreas, constituindo as pregas semilunares e os haustros. Externa - longitudinal, concentrando-se em três faixas: Tênia Livre; Tênia Omental - ao nível do colo transverso (Omento Maior); Tênia Mesocólica - relaciona-se com os mesos, por onde penetram elementos vásculo-nervosos. RETO E CANAL ANAL Logo em seguida ao colo sigmóide, o intestino grosso dirige-se longitudinalmente frente ao sacro. Esta porção é denominada reto. Tem a estrutura do colo, mas as tênias não se fazem presentes, de modo que a camada muscular longitudinal espalha-se uniformemente a sua volta. Os 3 ou 4 cm terminais recebem o nome de canal anal. Esta região está localizada abaixo do diafragma pélvico e, portanto, está fora da pelve. A mucosa do canal anal forma uma série de pregas longitudinais conhecidas como colunas anais, separadas umas das outras por depressões chamadas seios anais, que terminam distalmente nas válvulas anais membranosas. Estas unem-se as extremidades inferiores das colunas anais. No canal anal, o epitélio é estratificado pavimentoso. O canal anal abre-se no exterior através do ânus. O canal anal é rodeado por músculos esfíncter externo e interno do ânus.

11 11 Irrigação - a. Apendicular - a. Cecais Anterior e Posterior a. Mesentérica Superior a. Ileocólica - a. Cólica Direita - a. Cólica Média arco justacólico - ramo ascendente a. Mesentérica Inferior a. cólica esquerda - aa sigmoideias - a. retal superior a. Ilíaca interna - a. retal média a. pudenda interna - a. retal inferior Drenagem Venosa Vv. Retais Inferiores Vv. Sigmóideas V. Cólica Esquerda V. Apendicular V. Cólica Direita V. Cólica Média Inervação Simpáticas - plexo mesentérico inferior e vagais - Reto, sigmóide e colo ascendente e plexo mesentérico superior (só fibras simpáticas) REFERÊNCIAS AUMULLER, G.; AUST, G.; DOLL, A.; ENGELE, J,; KIRSCH, J. MENSE, S.; REIBIG, D.; SALVETTER, J.; SCHMIDT, W.; SCHMITZ, F.; SCHULTE, E.; SPANEL-BOROWSKI, K.; WURZINGER, L. J.; ZILCH, H. G. Anatomia. 1 a ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, DRAKE, R.L.; VOGL, W. & MITCHELL, A.W.M. GRAY S anatomia para estudantes. 2ª ed. Rio de Janeiro: Elsevier, GRAY, H. & GOSS, C.M. Anatomia. 29ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan HOLLINSHEAD, W.H. Livro texto de anatomia humana. São Paulo: Harper e Row do Brasil KÖPF-MAIER, P. Wolf-Heidegger Atlas de anatomia humana. 6 a ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, MOORE, K. L. & DALLEY, A. F. Anatomia orientada para a clínica. 5 a ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, PUTZ, R. & PABST, R. Sobotta Atlas de anatomia humana. 22 a ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, SBA Terminologia anatômica. São Paulo: Manole, SNELL, R. S. Anatomia. 2ª ed. Rio de Janeiro: Médica e Científica SPENCE, A. P. Anatomia humana básica. 2ª ed. São Paulo: Manole TANK, P. & THOMAS, G. Atlas de anatomia humana. 1 a ed. Porto Alegre: Artmed, WILLIAM, P.; WARWICK, R.; DYSON, M.; BANNISTER, L.H. GRAY Anatomia. 37ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan

SISTEMA DIGESTÓRIO DEFINIÇÃO:

SISTEMA DIGESTÓRIO DEFINIÇÃO: SISTEMA DIGESTÓRIO DEFINIÇÃO: CONJUNTO DE ÓRGÃOS FORMANDO UM CANAL ALIMENTAR COM A FINALIDADE DE NUTRIÇÃO DO ORGANISMO. FUNÇÕES: Sistema Digestório INSERÇÃO MASTIGAÇÃO DEGLUTIÇÃO DIGESTÃO ABSORÇÃO EXCREÇÃO

Leia mais

SISTEMA DIGESTÓRIO CONCEITO SISTEMA DIGESTÓRIO SISTEMA DIGESTÓRIO FUNÇÕES SISTEMA DIGESTÓRIO DIVISÃO

SISTEMA DIGESTÓRIO CONCEITO SISTEMA DIGESTÓRIO SISTEMA DIGESTÓRIO FUNÇÕES SISTEMA DIGESTÓRIO DIVISÃO SISTEMA DIGESTÓRIO Universidade Federal do Ceará Departamento de Morfologia Prof. Erivan Façanha SISTEMA DIGESTÓRIO CONCEITO Órgãos que no conjunto cumprem a função de tornar os alimentos solúveis, sofrendo

Leia mais

ANATOMIA HUMANA. Faculdade Anísio Teixeira Curso de Férias Prof. João Ronaldo Tavares de Vasconcellos Neto

ANATOMIA HUMANA. Faculdade Anísio Teixeira Curso de Férias Prof. João Ronaldo Tavares de Vasconcellos Neto ANATOMIA HUMANA Faculdade Anísio Teixeira Curso de Férias Prof. João Ronaldo Tavares de Vasconcellos Neto Sistema responsável pelo processamento (transformações químicas) de nutrientes, para que possam

Leia mais

ROTEIRO DE ESTUDO Abdome

ROTEIRO DE ESTUDO Abdome ROTEIRO DE ESTUDO Abdome ARTÉRIAS O suprimento arterial do abdome é todo proveniente da aorta, que torna-se aorta abdominal após passar pelo hiato aórtico do diafragma ao nível de T12, e termina dividindose

Leia mais

ANATOMIA E FISIOLOGIA

ANATOMIA E FISIOLOGIA ANATOMIA E FISIOLOGIA SITEMA DIGESTÓRIO Enfª Renata Loretti Ribeiro 2 3 SISTEMA DIGESTÓRIO Introdução O trato digestório e os órgãos anexos constituem o sistema digestório. O trato digestório é um tubo

Leia mais

Roteiro de aulas teórico-práticas

Roteiro de aulas teórico-práticas Roteiro de aulas teórico-práticas Sistema digestório O sistema digestório humano é formado por um longo tubo musculoso, ao qual estão associados órgãos e glândulas que participam da digestão. Apresenta

Leia mais

SISTEMA DIGESTÓRIO CONCEITO: DIVISÃO DO SISTEMA DIGESTÓRIO 05/10/2013

SISTEMA DIGESTÓRIO CONCEITO: DIVISÃO DO SISTEMA DIGESTÓRIO 05/10/2013 CONCEITO: SISTEMA DIGESTÓRIO Conjunto de órgãos responsáveis pela preensão, mastigação, transformação química e absorção dos alimentos, e a expulsão dos resíduos, eliminados sob a forma de fezes. Prof.Msc.MoisésMendes

Leia mais

ESTUDO DIRIGIDO EMBRIOLOGIA E ANATOMIA DO SISTEMA DIGESTÓRIO

ESTUDO DIRIGIDO EMBRIOLOGIA E ANATOMIA DO SISTEMA DIGESTÓRIO DISCIPLINA: SISTEMA GASTROINTESTINAL Área do conhecimento: Anatomia Professora: Jákina Guimarães Vieira ESTUDO DIRIGIDO EMBRIOLOGIA E ANATOMIA DO SISTEMA DIGESTÓRIO 1. Qual (is) o (s) folheto (s) embrionário

Leia mais

AORTA ABDOMINAL IRRIGAÇÃO E DRENAGEM DA REGIÃO ABDOMINAL. Tronco celíaco (ímpar e visceral) (2) Artérias frênicas inferiores (1)

AORTA ABDOMINAL IRRIGAÇÃO E DRENAGEM DA REGIÃO ABDOMINAL. Tronco celíaco (ímpar e visceral) (2) Artérias frênicas inferiores (1) AORTA ABDOMINAL IRRIGAÇÃO E DRENAGEM DA REGIÃO ABDOMINAL Prof. Erivan Façanha Tem início no hiato aórtico do diafragma (T12). Trajeto descendente, anterior aos corpos vertebrais e à esquerda da veia cava

Leia mais

ANATOMIA HUMANA I. Sistema Digestório. Prof. Me. Fabio Milioni. Função: - Preensão - Mastigação - Deglutição - Digestão - Absorção - Defecação

ANATOMIA HUMANA I. Sistema Digestório. Prof. Me. Fabio Milioni. Função: - Preensão - Mastigação - Deglutição - Digestão - Absorção - Defecação ANATOMIA HUMANA I Sistema Digestório Prof. Me. Fabio Milioni Função: - Preensão - Mastigação - Deglutição - Digestão - Absorção - Defecação Sistema Digestório 1 Órgãos Canal alimentar: - Cavidade oral

Leia mais

Abordagem. Fisiologia Histologia. Aspectos Clínicos. ANATOMIA -Partes constituintes -Vascularização e Inervação -Relações

Abordagem. Fisiologia Histologia. Aspectos Clínicos. ANATOMIA -Partes constituintes -Vascularização e Inervação -Relações Intestino Delgado Abordagem ANATOMIA -Partes constituintes -Vascularização e Inervação -Relações Fisiologia Histologia Aspectos Clínicos Anatomia Do estômago ao intestino grosso Maior porção do trato digestivo

Leia mais

Apostila de Anatomia e Fisiologia humana Sistema Digestório-Prof. Raphael Garcia. Sistema Digestório

Apostila de Anatomia e Fisiologia humana Sistema Digestório-Prof. Raphael Garcia. Sistema Digestório Introdução Apostila de Anatomia e Fisiologia humana Sistema Digestório-Prof. Raphael Garcia Sistema Digestório O sistema digestório se resume em um longo tubo muscular que tem início nos lábios e termina

Leia mais

Prof. Dr. José Gomes Pereira

Prof. Dr. José Gomes Pereira Prof. Dr. José Gomes Pereira 1. Considerações preliminares Série: órgãos tubulares e glandulares 1.1. Funções estruturas modificadas e especializadas Ingestão Mastigação Deglutição Digestão Absorção Eliminação

Leia mais

Generalidades: Porção de Condução I Nariz Externo:

Generalidades: Porção de Condução I Nariz Externo: SISTEMA RESPIRATÓRIO Generalidades: Porção de Condução I Nariz Externo: Respiração é definida como a absorção do oxigênio pelo organismo, com liberação subseqüente de energia para o trabalho, calor e a

Leia mais

Introdução. Renata Loretti Ribeiro - Enfermeira

Introdução. Renata Loretti Ribeiro - Enfermeira Introdução A função do sistema respiratório é facilitar ao organismo uma troca de gases com o ar atmosférico, assegurando permanente concentração de oxigênio no sangue, necessária para as reações metabólicas,

Leia mais

SISTEMA DIGESTÓRIO HUMANO. Definição Nutrição Alimentos Anatomia Fisiologia www.infopedia.pt/$sistema-digestivo,2

SISTEMA DIGESTÓRIO HUMANO. Definição Nutrição Alimentos Anatomia Fisiologia www.infopedia.pt/$sistema-digestivo,2 SISTEMA DIGESTÓRIO HUMANO Definição Nutrição Alimentos Anatomia Fisiologia www.infopedia.pt/$sistema-digestivo,2 Digestão É o conjunto de transformações fisioquímicas ou físico-químicas que os alimentos

Leia mais

SISTEMA DIGESTÓRIO INTRODUÇÃO

SISTEMA DIGESTÓRIO INTRODUÇÃO SISTEMA DIGESTÓRIO INTRODUÇÃO O trato digestório e os órgãos anexos constituem o sistema digestório. O trato digestório é um tubo oco que se estende da cavidade bucal ao ânus, sendo também chamado de canal

Leia mais

Sistemas do Corpo Humano

Sistemas do Corpo Humano Sistemas do Corpo Humano Sistema Digestório consegue energia e matéria prima. Cada órgão tem uma função específica no processo de transformação dos alimentos O QUE É UM SISTEMA????? Sistema Digestório

Leia mais

Aula 4: Sistema digestório

Aula 4: Sistema digestório Aula 4: Sistema digestório Sistema digestório As proteínas, lípideos e a maioria dos carboidratos contidos nos alimentos são formados por moléculas grandes demais para passar pela membrana plasmática e

Leia mais

Professora: Edilene biologolena@yahoo.com.br O SISTEMA DIGESTÓRIO

Professora: Edilene biologolena@yahoo.com.br O SISTEMA DIGESTÓRIO Professora: Edilene biologolena@yahoo.com.br O SISTEMA DIGESTÓRIO O SISTEMA DIGESTÓRIO A DIGESTÃO A digestão é o conjunto das transformações, mecânicos e químicos, que os alimentos orgânicos sofrem ao

Leia mais

Para quê precisamos comer?

Para quê precisamos comer? Para quê precisamos comer? Para a reposição de água, substratos energéticos, vitaminas e sais minerais. O TUBO DIGESTIVO E SUAS PRINCIPAIS ESTRUTURAS O Trato Gastrointestinal (TGI) Digestive System (Vander,

Leia mais

Para viver, crescer e manter o nosso organismo, precisamos consumir alimentos. Mas o que acontece com os alimentos que ingerimos? Como os nutrientes

Para viver, crescer e manter o nosso organismo, precisamos consumir alimentos. Mas o que acontece com os alimentos que ingerimos? Como os nutrientes PROFESSORA NAIANE Para viver, crescer e manter o nosso organismo, precisamos consumir alimentos. Mas o que acontece com os alimentos que ingerimos? Como os nutrientes dos alimentos, chegam às células do

Leia mais

Sistema circulatório. Coração e generalidades

Sistema circulatório. Coração e generalidades Sistema circulatório Coração e generalidades Sistema Circulatório Coração propulsão do sangue Vasos centrípetos veias e linfáticos: condução Vasos centífugos artérias: condução Capilares: trocas Função:

Leia mais

Co C mo m o é cons n tituído o aparel e ho di d ge g sti e vo v? Sistema Digestivo - Helena Carreiro 2010 1

Co C mo m o é cons n tituído o aparel e ho di d ge g sti e vo v? Sistema Digestivo - Helena Carreiro 2010 1 Como é constituído o aparelho digestivo? 1 Morfologia do aparelho digestivo Glândulas salivares Boca Faringe Esófago Fígado Vesícula biliar Estômago Intestino delgado pâncreas Apêndice Recto Intestino

Leia mais

17/02/2012. Diafragma

17/02/2012. Diafragma Diafragma Topografia Repouso - linha retilínea da 7º costela à 13º costela. Inspiração - linha ligeiramente convexa da 7º costela à 3º vértebra lombar. Expiração - linha convexidade cranial da 7º costela

Leia mais

Anatomia do abdome superior DEPARTAMENTO DE DIAGNÓSTICO POR IMAGEM(H.U. H.U.-UNOESTE) UNOESTE) DR.FÁBIO VINICIUS DAVOLI BIANCO ESTÔMAGO CÁRDIA FUNDO CORPO CANAL PILÓRICO Relações anatômicas Fundo hemicúpula

Leia mais

SISTEMA RESPIRATÓRIO. Prof.: Lazaro Antonio dos Santos

SISTEMA RESPIRATÓRIO. Prof.: Lazaro Antonio dos Santos SISTEMA RESPIRATÓRIO Prof.: Lazaro Antonio dos Santos SISTEMA RESPIRATÓRIO CONCEITO Conjunto de órgãos que nutrem o organismo por meio de alimentos no estado gasoso, completando a função do Sistema Digestório.

Leia mais

Protocolo abdome. Profº Cláudio Souza

Protocolo abdome. Profº Cláudio Souza Protocolo abdome Profº Cláudio Souza Abdome Quando falamos em abdome dentro da tomografia computadorizada por uma questão de radioproteção e também financeira o exame é dividido em, abdome superior e inferior

Leia mais

Prof Weber Ciências 7ºANO

Prof Weber Ciências 7ºANO Prof Weber Ciências 7ºANO O que é a digestão? É a transformação dos alimentos em moléculas menores para que possam ser absorvidos pelo nosso corpo. Acontece em um tubo chamado TUBO DIGESTÓRIO. O tubo digestório

Leia mais

Sistema Respiratório

Sistema Respiratório Sistema Respiratório A função do sistema respiratório é facultar ao organismo uma troca de gases com o ar atmosférico, assegurando permanente concentração de oxigênio no sangue, necessária para as reações

Leia mais

Pâncreas: Vascularização e Inervação

Pâncreas: Vascularização e Inervação Universidade de Rio Verde UniRV Faculdade de Medicina de Rio Verde Famerv Liga de Acadêmica de Anatomia Humana - LiAAna Pâncreas: Vascularização e Inervação Ligantes: Janayna Matumoto Mota Thiago Huei

Leia mais

Anatomia e Fisiologia Humana SISTEMA DIGESTÓRIO. DEMONSTRAÇÃO (páginas iniciais)

Anatomia e Fisiologia Humana SISTEMA DIGESTÓRIO. DEMONSTRAÇÃO (páginas iniciais) Anatomia e Fisiologia Humana SISTEMA DIGESTÓRIO DEMONSTRAÇÃO (páginas iniciais) 1ª edição janeiro/2007 SISTEMA DIGESTÓRIO SUMÁRIO Sobre a Bio Aulas... 03 Sistema Digestório... 04 Boca... 05 Características

Leia mais

SISTEMA RESPIRATÓRIO

SISTEMA RESPIRATÓRIO ANATOMIA HUMANA I SISTEMA RESPIRATÓRIO Prof. Me. Fabio Milioni Roteiro Sistema Respiratório Conceito Função Divisão Estruturas Nariz Faringe Laringe Traquéia e Brônquios Pulmão Bronquíolos e Alvéolos 1

Leia mais

Sistema Digestório. Destina-se. se à retirada dos

Sistema Digestório. Destina-se. se à retirada dos SISTEMA DIGESTIVO OU DIGESTÓRIO Sistema Digestório Destina-se se à retirada dos nutrientes (carboidratos, açucares, lipides, gorduras, proteínas, vitaminas, sais minerais e água) dos alimentos para assegurar

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS PROGRAMA DE ENSINO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS PROGRAMA DE ENSINO Curso: Biomedicina (17) Ano: 2013 Semestre: 2 Período: 2 Disciplina: Anatomia Humana (Human Anatomy) Carga Horária Total: 90 Teórica: 60 Atividade Prática: 30 Prática Pedagógica: 0 Aulas Compl. Tutorial:

Leia mais

SISTEMA DIGESTIVO. Ciências Naturais 9º ano

SISTEMA DIGESTIVO. Ciências Naturais 9º ano SISTEMA DIGESTIVO Ciências Naturais 9º ano Digestão e Sistema Digestivo A digestão é o processo através do qual moléculas complexas dos alimentos são desdobradas, em moléculas mais simples que podem ser

Leia mais

A respiração ocorre dia e noite, sem parar. Nós podemos sobreviver determinado tempo sem alimentação, mas não conseguimos ficar sem respirar por mais

A respiração ocorre dia e noite, sem parar. Nós podemos sobreviver determinado tempo sem alimentação, mas não conseguimos ficar sem respirar por mais PROFESSORA NAIANE A respiração ocorre dia e noite, sem parar. Nós podemos sobreviver determinado tempo sem alimentação, mas não conseguimos ficar sem respirar por mais de alguns poucos minutos. Você sabe

Leia mais

Anatomia e Fisiologia Humana SISTEMA URINÁRIO. DEMONSTRAÇÃO (páginas iniciais)

Anatomia e Fisiologia Humana SISTEMA URINÁRIO. DEMONSTRAÇÃO (páginas iniciais) Anatomia e Fisiologia Humana SISTEMA URINÁRIO DEMONSTRAÇÃO (páginas iniciais) 1ª edição janeiro/2007 SISTEMA URINÁRIO SUMÁRIO Sobre a Bio Aulas... 03 Rins... 04 Localização... 04 Anatomia macroscópica...

Leia mais

Fisiologia da Digestão. Deise Maria Furtado de Mendonça

Fisiologia da Digestão. Deise Maria Furtado de Mendonça Fisiologia da Digestão Deise Maria Furtado de Mendonça Função Geral O sistema ou aparelho gastrintestinal é a porta de entrada do organismo a todos os nutrientes necessários: carboidratos, lipídios, proteínas,

Leia mais

Aparelho Respiratório

Aparelho Respiratório Função Permite que o oxigénio do ar entre para o sangue nos pulmões; Permite a passagem do dióxido de carbono do sangue para o ar. Associação Trabalha em conjunto com o Sistema Cardiovascular Fornecer

Leia mais

ANATOMIA DO TÓRAX POR IMAGEM. Prof. Dante L. Escuissato

ANATOMIA DO TÓRAX POR IMAGEM. Prof. Dante L. Escuissato ANATOMIA DO TÓRAX POR IMAGEM Prof. Dante L. Escuissato Figura 1. O tórax é composto por um conjunto de estruturas que pode ser dividido em parede torácica, espaços pleurais, pulmões, hilos pulmonares e

Leia mais

Sistema Respiratório

Sistema Respiratório Sistema Respiratório Introdução O termo respiração pode ser entendido como a união do oxigênio com o alimento (substâncias dissolvidas) nas células e a liberação de energia, calor, gás carbônico e água.

Leia mais

Universidade Federal do Acre Curso de Medicina Veterinária

Universidade Federal do Acre Curso de Medicina Veterinária Universidade Federal do Acre Curso de Medicina Veterinária Sistema Circulatório I Coração e Circulação Prof. Adj. Dr. Yuri Karaccas de Carvalho Anatomia Descritiva Animal I Objetivos da Aula Definição

Leia mais

Sistema Digestivo - Função

Sistema Digestivo - Função Sistema Digestivo Fome Saciedade Sistema Digestivo - Função O organismo humano recebe os nutrientes através dos alimentos. Estes alimentos têm de ser transformados em substâncias utilizáveis, envolvendo

Leia mais

ANATOMIA. Sistema Respiratório. Órgãos da Respiração PROF. MUSSE JEREISSATI

ANATOMIA. Sistema Respiratório. Órgãos da Respiração PROF. MUSSE JEREISSATI ANATOMIA HUMANA Sistema Respiratório Órgãos da Respiração PROF. MUSSE JEREISSATI mussejereissati@hotmail.com website: www.mussejereissati.com Feito com Apple Keynote AGORA, NÃO! 3 Organização e Funções

Leia mais

ANATOMIA DO ABDOME. Campinas. Professora do departamento de anatomia da Universidade Federal do Paraná.

ANATOMIA DO ABDOME. Campinas. Professora do departamento de anatomia da Universidade Federal do Paraná. ANATOMIA DO ABDOME Djanira Aparecida da Luz Veronez 1 Michele Patrícia Müller Mansur Vieira 2 INTRODUÇÃO O abdome é uma região corporal que contém a maior cavidade, servindo como um recipiente dinâmico

Leia mais

BIOLOGIA 7B-AULA 19 E 20. Sistema Digestório

BIOLOGIA 7B-AULA 19 E 20. Sistema Digestório BIOLOGIA 7B-AULA 19 E 20 Sistema Digestório DIGESTÃO Processos mecânicos e químicos sofridos pelos alimentos para serem convertidos em moléculas muito pequenas possíveis de serem absorvidas e transportadas

Leia mais

FÍGADO. Veia cava inferior. Lobo direito. Lobo esquerdo. Ligamento (separa o lobo direito do esquerdo) Vesícula biliar

FÍGADO. Veia cava inferior. Lobo direito. Lobo esquerdo. Ligamento (separa o lobo direito do esquerdo) Vesícula biliar FÍGADO É o maior órgão interno È a maior glândula É a mais volumosa de todas as vísceras, pesa cerca de 1,5 kg no homem adulto, e na mulher adulta entre 1,2 e 1,4 kg Possui a coloração arroxeada, superfície

Leia mais

SISTEMA CARDIOVASCULAR

SISTEMA CARDIOVASCULAR SISTEMA CARDIOVASCULAR Anatomia Prof.a Dra. Karina A. Neves Vasos sangüíneos Artérias: conceito, características, situação, ramos, circulação colateral Veias: conceito, características, situação Capilares:

Leia mais

Sistema Circulatório. Prof. Dr.Thiago Cabral

Sistema Circulatório. Prof. Dr.Thiago Cabral Funções: Transportar Nutrientes e oxigênio as células; Retirar resíduos do metabolismo; Defender o organismo contra substâncias estranhas e microorganismos. Características Sistema fechado; Constituído

Leia mais

TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA DO ABDOME

TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA DO ABDOME TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA DO ABDOME PROTOCOLO DE ABDOME TOTAL POSIÇÃO DORSAL: Paciente em decúbito dorsal, entrando primeiro com a cabeça, apoiada sobre o suporte reto, braços elevados acima da cabeça.

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS PROGRAMA DE ENSINO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS PROGRAMA DE ENSINO Curso: Nutrição (04) Ano: 2013 Semestre: 1 Período: 1 Disciplina: Anatomia Humana (Human Anatomy) Carga Horária Total: 90 Teórica: 60 Atividade Prática: 30 Prática Pedagógica: 0 Aulas Compl. Tutorial:

Leia mais

componentes Sistema digestório Pré-diafragmáticos: boca, língua, dentes, faringe, esôfago

componentes Sistema digestório Pré-diafragmáticos: boca, língua, dentes, faringe, esôfago Mecanismos para Obtenção de Alimentos Ingestão de Grandes Quantidades de Alimento Absorção de nutrientes diretamente do meio Parasitas do sangue Adaptações mais interessantes Aquelas evoluíram p/ obtenção

Leia mais

HISTOLOGIA DO SISTEMA DIGESTIVO. Profa MARIA ELISA CARNEIRO

HISTOLOGIA DO SISTEMA DIGESTIVO. Profa MARIA ELISA CARNEIRO HISTOLOGIA DO SISTEMA DIGESTIVO Profa MARIA ELISA CARNEIRO INTRODUÇÃO Função: - Obter nutrientes necessários para manutenção, crescimento e demandas energéticas do organismo. Composição: - Cavidade oral

Leia mais

Palato duro. Palato, SOE. Palato, lesão sobreposta do

Palato duro. Palato, SOE. Palato, lesão sobreposta do C00 C000 C001 C002 C003 C004 C005 C006 C008 C009 C01 C019 C02 C020 C021 C022 C023 C024 C028 C029 C03 C030 C031 C039 C04 C040 C041 C048 C049 C05 C050 C051 C052 C058 C059 C06 C060 C061 C062 C068 C069 C07

Leia mais

Anatomia e Fisiologia Humana

Anatomia e Fisiologia Humana Componentes Vias Respiratórias A) Cavidades ou Fossas Nasais; B) Boca; C) Faringe; D) Laringe; E) Traqueia; F) Brônquios; G) Bronquíolos; H) Pulmões Cavidades ou Fossas Nasais; São duas cavidades paralelas

Leia mais

FISIOLOGIA DO SANGUE HEMATÓCRITO 08/10/2008 ERITRÓCITOS OU HEMÁCIAS HEMATÓCRITO PLASMA: CELULAR:

FISIOLOGIA DO SANGUE HEMATÓCRITO 08/10/2008 ERITRÓCITOS OU HEMÁCIAS HEMATÓCRITO PLASMA: CELULAR: FISIOLOGIA DO SANGUE Sistema Circulatório PLASMA: semelhante ao líquido intersticial PROTEÍNAS PLASMÁTICAS Albumina pressão coloidosmótica Globulinas transporte e substrato imunidade, anticorpos Fibrinogênio

Leia mais

Sistema Cardiovascular Vasos e Sangue

Sistema Cardiovascular Vasos e Sangue Sistema Cardiovascular Vasos e Sangue Objetivo da Aula Compreender os tipos e funções dos vasos sanguíneos. Adquirir a capacidade de aplicar este conhecimento na prática acadêmica e profissional da Educação

Leia mais

- CAPÍTULO 3 - O SISTEMA CARDIOVASCULAR. 3) ANATOMIA DO CORAÇÃO HUMANO - O coração é um órgão oco localizado no meio do peito, na cavidade torácica;

- CAPÍTULO 3 - O SISTEMA CARDIOVASCULAR. 3) ANATOMIA DO CORAÇÃO HUMANO - O coração é um órgão oco localizado no meio do peito, na cavidade torácica; - CAPÍTULO 3 - O SISTEMA CARDIOVASCULAR 1) FUNÇÕES DO SISTEMA CARDIOVASCULAR - Propulsão do sangue por todo o organismo; - Transporte de substâncias como o oxigênio (O 2 ), dióxido de carbono ou gás carbônico

Leia mais

Aparelho Respiratório

Aparelho Respiratório Aparelho Respiratório Organização Geral Pulmões: órgãos de troca gasosa. Órgão auxiliares: apenas passagem de ar. o Nariz: nariz externo, cavidade nasal e seios paranasais. o Faringe (nasofaringe) o Laringe

Leia mais

Tema 05: Sistema Digestório

Tema 05: Sistema Digestório Universidade Federal do Amazonas ICB Dep. Morfologia Disciplina: Tópicos Especiais para Biotecnologia Tema 05: Sistema Digestório Constituição Boca, esôfago, estômago, intestino delgado, intestino grosso,

Leia mais

O Nosso Corpo Volume XXVI Sistema circulatório Parte 2

O Nosso Corpo Volume XXVI Sistema circulatório Parte 2 O Nosso Corpo Volume XXVI Sistema circulatório Parte 2 um Guia de O Portal Saúde Dezembro 2010 / Janeiro 2011 O Portal Saúde Rua Braancamp, 52-4º 1250-051 Lisboa Tel. 212476500 geral@oportalsaude.com Copyright

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS DE PALOTINA HOSPITAL VETERINÁRIO RELATÓRIO DE EXAME NECROSCÓPICO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS DE PALOTINA HOSPITAL VETERINÁRIO RELATÓRIO DE EXAME NECROSCÓPICO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS DE PALOTINA HOSPITAL VETERINÁRIO RELATÓRIO DE EXAME NECROSCÓPICO Identificação do animal Nome/número RG do HV Espécie: Raça: Idade: Sexo: Peso: Cor: Data e hora do

Leia mais

ANATOMIA CARDIOVASCULAR

ANATOMIA CARDIOVASCULAR ANATOMIA CARDIOVASCULAR Acadêmico: Vitor Montanholi Medicina - Universidade Federal Mato Grosso do Sul Liga de Cardiologia e Cirurgia Cardiovascular. Coração: Localização Tórax é dividido em 3 compartimentos,

Leia mais

CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA INTERATIVIDADE FINAL. Aula 1.2 Conteúdo: Sistema Digestório

CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA INTERATIVIDADE FINAL. Aula 1.2 Conteúdo: Sistema Digestório Aula 1.2 Conteúdo: Sistema Digestório 2 Habilidades: Conhecer o sistema digestório humano, compreendendo o papel de cada um de seus órgãos e glândulas anexas no processo de digestão. 3 4 Comendo insetos

Leia mais

Você saberia responder aos questionamentos de forma cientificamente correta?

Você saberia responder aos questionamentos de forma cientificamente correta? Você saberia responder aos questionamentos de forma cientificamente correta? Como as fezes são formadas? Como a urina é formada no nosso corpo? Sistema Cardiovascular Funções Gerais: Transporte de nutrientes,

Leia mais

ANATOMIA E FISIOLOGIA. Renata Loretti Ribeiro Enfermeira Coren/SP 42883

ANATOMIA E FISIOLOGIA. Renata Loretti Ribeiro Enfermeira Coren/SP 42883 ANATOMIA E FISIOLOGIA Renata Loretti Ribeiro Enfermeira Coren/SP 42883 Renata Loretti Ribeiro - Enfermeira 2 DEFINIÇÕES Anatomia é a ciência que estuda, macro e microscopicamente, a constituição e o desenvolvimento

Leia mais

ANATOMIA HUMANA II. Roteiro Sistema Circulatório

ANATOMIA HUMANA II. Roteiro Sistema Circulatório ANATOMIA HUMANA II Sistema Circulatório Prof. Me. Fabio Milioni Roteiro Sistema Circulatório Conceito Função Divisão Sistemacardiovascular Sistemalinfático 1 CONCEITO O sistema cardiovascular é responsável

Leia mais

SISTEMA RESPIRATÓRIO INTRODUCÃO NARIZ

SISTEMA RESPIRATÓRIO INTRODUCÃO NARIZ INTRODUCÃO Nossas células necessitam, para exercerem suas funções, de um suprimento contínuo de oxigênio para que, num processo químico de respiração celular, possam gerar a energia necessária para seu

Leia mais

CURSINHO PRÉ VESTIBULAR BIOLOGIA PROFº EDUARDO Aula 15 Fisiologia humana Sistema respiratório

CURSINHO PRÉ VESTIBULAR BIOLOGIA PROFº EDUARDO Aula 15 Fisiologia humana Sistema respiratório CURSINHO PRÉ VESTIBULAR BIOLOGIA PROFº EDUARDO Aula 15 Fisiologia humana Sistema respiratório SISTEMA RESPIRATÓRIO O sistema respiratório humano é constituído por um par de pulmões e por vários órgãos

Leia mais

Corpo Humano. A Menor Unidade Viva do Corpo Humano: Célula

Corpo Humano. A Menor Unidade Viva do Corpo Humano: Célula : Estuda a Estrutura Estática do Corpo Humano É Utilizada para Classificar e Descrever as Lesões de acordo com Sua Localização Prever Lesões de Órgãos Internos, baseando-se na Localização Externa da Lesão

Leia mais

SISTEMA DIGESTÓRIO. Introdução

SISTEMA DIGESTÓRIO. Introdução SISTEMA DIGESTÓRIO Introdução Os animais não encontram no meio, em forma imediatamente utilizável, todos os alimentos ou nutrientes de que necessitam. A absorção direta de nutrientes ocorre, excepcionalmente,

Leia mais

O Nosso Corpo Volume XV Sistema Linfático

O Nosso Corpo Volume XV Sistema Linfático O Nosso Corpo Volume XV um Guia de O Portal Saúde Novembro de 2009 O Portal Saúde Rua Braancamp, 52-4º 1250-051 Lisboa Tel. 212476500 geral@oportalsaude.com Copyright O Portal Saúde, todos os direitos

Leia mais

Sistema Digestório - Estômago

Sistema Digestório - Estômago Sistema Digestório - Estômago Profa Juliana Normando Pinheiro Morfofuncional III juliana.pinheiro@kroton.com.br O Estômago é um alargamento do canal alimentar em forma de saco entre o esôfago e o duodeno

Leia mais

Seleção para Monitoria em Histologia / GABARITO

Seleção para Monitoria em Histologia / GABARITO FEPECS Fundação de Ensino e Pesquisa em Ciências da Saúde ESCS - Escola Superior de Ciências da Saúde Seleção para Monitoria em Histologia / GABARITO Data: 14 de abril de 2015 Estudante / matrícula: 1.

Leia mais

Sistema Digestivo dos Peixes

Sistema Digestivo dos Peixes Sistema Digestivo dos Peixes Seminário Histologia SISTEMA DIGESTIVO DOS PEIXES Camila Bedulli Do Carmo Gabriel Cohen Guilherme G. Da Silva Miranda Izabela Franca Marcela C. Biondo Patricia Mayumi Bellete

Leia mais

1. O esquema ao lado representa uma seção do tubo digestivo humano com alguns anexos. Observe as indicações e resolva os itens

1. O esquema ao lado representa uma seção do tubo digestivo humano com alguns anexos. Observe as indicações e resolva os itens Biologia - revisão 301 1. O esquema ao lado representa uma seção do tubo digestivo humano com alguns anexos. Observe as indicações e resolva os itens a) Cite o nome do substrato digerido pela principal

Leia mais

ORIGEM EMBRIONÁRIA. A zigoto; B clivagem; C mórula; D blástula; E corte de blástula; F gástrula inicial; G - gástrula

ORIGEM EMBRIONÁRIA. A zigoto; B clivagem; C mórula; D blástula; E corte de blástula; F gástrula inicial; G - gástrula ORIGEM EMBRIONÁRIA A zigoto; B clivagem; C mórula; D blástula; E corte de blástula; F gástrula inicial; G - gástrula A- Radiata Mesoderme se forma a partir de células invasoras da endoderme (Equinodermatas)

Leia mais

Sistema Digestório Características Saliva e peristaltismo GLÂNDULAS SALIVARES Saliva ptialina amilase salivar Glândula parótida

Sistema Digestório Características Saliva e peristaltismo GLÂNDULAS SALIVARES Saliva ptialina amilase salivar Glândula parótida Sistema Digestório O tubo digestivo apresenta as seguintes regiões; boca, faringe, esôfago, estômago, intestino delgado, intestino grosso e ânus. A parede do tubo digestivo tem a mesma estrutura da boca

Leia mais

Aparelho respiratório

Aparelho respiratório Sistema respiratório Aparelho respiratório Divisão do aparelho respiratório: Porção condutora Constituído de dois pulmões e de estruturas ocas com a função de proporcionar a troca gasosa. Fossas nasais,

Leia mais

ANATOMIA HUMANA. Faculdade Anísio Teixeira Curso de Férias Prof. João Ronaldo Tavares de Vasconcellos Neto

ANATOMIA HUMANA. Faculdade Anísio Teixeira Curso de Férias Prof. João Ronaldo Tavares de Vasconcellos Neto ANATOMIA HUMANA Faculdade Anísio Teixeira Curso de Férias Prof. João Ronaldo Tavares de Vasconcellos Neto Sistema Circulatório A função básica do sistema circulatório é a de levar material nutritivo e

Leia mais

O Portal Saúde www.oportalsaude.com O Nosso Corpo Volume XVIII Aparelho Genital Feminino Parte 1 O Portal Saúde www.oportalsaude.

O Portal Saúde www.oportalsaude.com O Nosso Corpo Volume XVIII Aparelho Genital Feminino Parte 1 O Portal Saúde www.oportalsaude. O Nosso Corpo Volume XVIII Aparelho Genital Feminino Parte 1 um Guia de O Portal Saúde Fevereiro de 2010 O Portal Saúde Rua Braancamp, 52-4º 1250-051 Lisboa Tel. 212476500 geral@oportalsaude.com Copyright

Leia mais

Fazendo a digestão. A voz do professor. A voz do professor. De onde provém a energia necessária para o movimento dos automóveis?...

Fazendo a digestão. A voz do professor. A voz do professor. De onde provém a energia necessária para o movimento dos automóveis?... A U A UL LA Fazendo a digestão Atenção De onde provém a energia necessária para o movimento dos automóveis? Nosso corpo é semelhante a um carro. Como você acha que conseguimos energia para viver? Um corpo

Leia mais

Sistema Nervoso Autônomo

Sistema Nervoso Autônomo FACULDADE DE MEDICINA/UFC-SOBRAL MÓDULO SISTEMA NERVOSO NEUROANATOMIA FUNCIONAL Sistema Nervoso Autônomo Prof. Gerardo Cristino Aula disponível em: www.gerardocristino.com.br Objetivos de Aprendizagem

Leia mais

Ingestão; Secreção; Mistura e propulsão; Digestão; Absorção; Defecação; Ingestão de Alimento. Processo Digestivo. Processo Absortivo.

Ingestão; Secreção; Mistura e propulsão; Digestão; Absorção; Defecação; Ingestão de Alimento. Processo Digestivo. Processo Absortivo. Ingestão; Secreção; Mistura e propulsão; Digestão; Absorção; Defecação; Ingestão de Alimento Processo Digestivo Processo Absortivo Defecação Grandes moléculas Moléculas menores Utilização Resíduos Trato

Leia mais

É um sistema fechado, sem comunicação com o exterior, constituído por tubos (os vasos), no interior dos quais circulam humores (o sangue e a linfa).

É um sistema fechado, sem comunicação com o exterior, constituído por tubos (os vasos), no interior dos quais circulam humores (o sangue e a linfa). 1 SISTEMA CARDIOVASCULAR É um sistema fechado, sem comunicação com o exterior, constituído por tubos (os vasos), no interior dos quais circulam humores (o sangue e a linfa). Para que estes humores possam

Leia mais

Embriogênese do Aparelho. as Adaptações. Profa. Dra. Maria Angélica Spadella Disciplina Embriologia Humana FAMEMA

Embriogênese do Aparelho. as Adaptações. Profa. Dra. Maria Angélica Spadella Disciplina Embriologia Humana FAMEMA Embriogênese do Aparelho Respiratório rio e sua relação com as Adaptações à Vida Pós-NatalP Profa. Dra. Maria Angélica Spadella Disciplina Embriologia Humana FAMEMA PERÍODOS DO DESENVOLVIMENTO HUMANO 1)

Leia mais

Sistema Respiratório Capítulo 9

Sistema Respiratório Capítulo 9 Sistema Respiratório Capítulo 9 1 FUNÇÕES O sistema respiratório permite o transporte do O 2 para o sangue, a fim de ser distribuído para as células, e a retirada do CO 2, dejeto do metabolismo celular,

Leia mais

SISTEMA CARDIO-RESPIRATÓRIO. O Organismo Humano em Equilíbrio

SISTEMA CARDIO-RESPIRATÓRIO. O Organismo Humano em Equilíbrio SISTEMA CARDIO-RESPIRATÓRIO O Organismo Humano em Equilíbrio SISTEMA CARDIO-RESPIRATÓRIO As nossas células necessitam de: Oxigénio; Nutrientes; Eliminar Dióxido de Carbono; Entre outros. O nosso organismo

Leia mais

Sistema Circulatório

Sistema Circulatório Sistema Circulatório O coração Localização: O coração está situado na cavidade torácica, entre a 2ª e 5ª costelas, entre os pulmões, com 2/3 para a esquerda, ápice para baixo e para esquerda e base para

Leia mais

Níveis de. Organização do. Corpo Humano

Níveis de. Organização do. Corpo Humano Níveis de Organização do Corpo Humano No corpo humano existem vários grupos de células semelhantes entre si. Cada grupo constitui um TECIDO Semelhança de forma: todas destinam-se a uma função específica.

Leia mais

Sistema Respiratório I - INTRODUÇÃO. O que é respiração? Respiração celular. Respiração pulmonar III - ESTRUTURA II - FUNÇÃO. Ventilação Pulmonar

Sistema Respiratório I - INTRODUÇÃO. O que é respiração? Respiração celular. Respiração pulmonar III - ESTRUTURA II - FUNÇÃO. Ventilação Pulmonar I - INTRODUÇÃO O que é respiração? Respiração celular Ocorre no interior das mitocôndrias subs orgânicas + O2 energia + CO2 + H2O Respiração pulmonar Trocas gasosas entre o ar atmosférico e o sangue Hemerson

Leia mais

Estudo Morfofuncional do Sistema Urinário Unidade III Material de Apoio

Estudo Morfofuncional do Sistema Urinário Unidade III Material de Apoio Estudo Morfofuncional do Sistema Urinário Unidade III Material de Apoio 1 Generalidades As células corporais quando desempenham suas funções: Consome O 2 e nutrientes, Bem como produzem substâncias como

Leia mais

Esôfago e Estômago. Anatomia Aplicada à Medicina IV Prof. Sérvulo Luiz Borges

Esôfago e Estômago. Anatomia Aplicada à Medicina IV Prof. Sérvulo Luiz Borges Esôfago e Estômago Anatomia Aplicada à Medicina IV Prof. Sérvulo Luiz Borges Esôfago Grego: oisophagos, de oisein, levar, e phagein, comer, signifigando o tubo por onde passa o alimento para ser digerido.

Leia mais

INTRODUÇÃO Á ANATOMIA HUMANA. Instituto Long Tao

INTRODUÇÃO Á ANATOMIA HUMANA. Instituto Long Tao INTRODUÇÃO Á ANATOMIA HUMANA Instituto Long Tao SISTEMA RESPIRATÓRIO A função do sistema respiratório é facultar ao organismo uma troca de gases com o ar atmosférico, assegurando permanente concentração

Leia mais

Sistema reprodutor masculino

Sistema reprodutor masculino Sistema reprodutor masculino O sistema reprodutor masculino é composto por: Testículos Vias espermáticas Glândulas anexas Pênis Saco escrotal Assim como o pênis está localizado externamente ao corpo,

Leia mais

SISTEMA CIRCULATÓRIO. Prof. Dr. José Gomes Pereira

SISTEMA CIRCULATÓRIO. Prof. Dr. José Gomes Pereira SISTEMA CIRCULATÓRIO Prof. Dr. José Gomes Pereira SISTEMA CIRCULATÓRIO 1. CONSIDERAÇÕES GERAIS Sistema cardiovascular transporte sangue - Circuitos pulmonar pulmões sistêmico tecidos do corpo constituídos

Leia mais

Sistema Digestório. Prof. Sérvulo Luiz Borges UFJF

Sistema Digestório. Prof. Sérvulo Luiz Borges UFJF Sistema Digestório Prof. Sérvulo Luiz Borges UFJF Sistema Digestório Digestão: suprimento de nutrientes para o corpo Funções do Sistema digestório: Preensão e Mastigação do alimentos Transformação química

Leia mais

ANATOMIA RADIOLÓGICA DA REGIÃO CERVICAL

ANATOMIA RADIOLÓGICA DA REGIÃO CERVICAL ANATOMIA RADIOLÓGICA DA REGIÃO CERVICAL INTRODUÇÃO A Anatomia da região cervical, divide-se em duas partes, coluna vertebral segmento cervical e ou pescoço. Esta região pode ser bem estudada pelos métodos

Leia mais