Agricultura no vale do rio Nilo e na civilização Inca

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Agricultura no vale do rio Nilo e na civilização Inca"

Transcrição

1 1 Agricultura no vale do rio Nilo e na civilização Inca Magnus De Souza 1 Introdução A agricultura é a arte ou processo de usar o solo com o objetivo de cultivar plantas para o fornecimento de alimentos e matéria-prima para outros fins. A sua prática muito provavelmente teve início há aproximadamente 12 mil anos, com povos da préhistória, período neolítico, os quais passaram a enterrar sementes dos frutos que coletavam, a fim de produzir o alimento. Com esse trabalho, possibilitou uma maior oferta e regularidade no fornecimento de alimentos, não sendo mais necessária as freqüentes e arriscadas buscas. Apesar de algumas contradições sobre o local que primeiramente foi praticada a agricultura, admite-se que ela tenha surgido independentemente em diferentes lugares, como no vale do rio Nilo, Mesopotâmia e na região da América Central com a civilização Inca. Desta maneira, caracterizando o primeiro período de transição no sistema de obtenção de alimentos da humanidade, a qual passou a viver de maneira mais aglomerada e voltada para o consumo. Na primeira parte do trabalho, é possível verificar o surgimento e a evolução da agricultura no vale do rio Nilo, uma região desértica, mas com características peculiares, favorecendo o cultivo através das inundações anuais do vale em torno do rio. Com a adubação do solo através dos sedimentos trazidos pela água, foi possível garantir o alimento e favorecer a evolução das primeiras sociedades. 1 Professor de geografia e história, mestre em Desenvolvimento pela Universidade do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (Unijuí).

2 2 Será possível perceber que usando esta técnica, várias gerações obtiveram o sustento e até passaram a comercializar excedentes. Mas foi com as mudanças no meio ambiente, interferindo no sistema natural do Rio, que surgiram as principais mudanças na agricultura local, necessitando de novas culturas e meios para produzir. No segundo capítulo está sendo enfocado o desenvolvimento da agricultura em outra região da Terra. Não menos importante que no vale do Nilo, os Incas praticaram na América Central uma agricultura com padrão de desenvolvimento muito avançado para a época, trabalhando o solo e administrando a sociedade a fim de garantir a sustentabilidade através do trabalho no campo. A variedade das culturas e as técnicas usadas pelos Incas surpreendem os investigadores históricos até hoje. É possível perceber técnicas que vão desde a adubação do solo, passando pela irrigação até o armazenamento em silos comunitários, garantindo assim uma distribuição homogênea durante todo o ano e entre toda a população, evitando períodos de escassez entre as safras. Finalizando, o destaque é para a extinção da agricultura Inca, motivada pela disputa de poder entre a família imperial e principalmente com a chegada dos europeus. O golpe final na cultura local e no seu desenvolvimento econômico baseado na agricultura, vêm com a busca do ouro e da prata pelos espanhóis, destruindo não somente vidas, mas sim séculos de evolução de um povo que ficou na história. Agricultura no vale do Nilo Formado pela confluência de três outros rios, o Nilo Branco, Nilo Azul e Atbara, o Nilo esta localizado na região nordeste do continente africano, tendo sua nascente ao sul da linha do equador e desaguando no mar Mediterrâneo. Sua bacia ocupa uma área de Km, abrangendo o Uganda, Tanzânia, Ruanda, Quênia, República Democrática do Congo, Burundi, Sudão, Etiópia e Egito. Desde a sua nascente mais

3 3 distante até chegar ao Mar, o Nilo possui uma extenção de km, sendo o segundo maior rio do mundo, perdendo somente para o Amazonas. Em alguns livros é possível encontrar referências a palavra Nilo relacionada com a raíz semítica nahal, que significa vale. Já em árabe e hebraico, rio é entendido como nahrun e nehar/neharot respectivamente. Mas independente das incertezas, a palavra Nilo deriva do latin Nilus, que por sua vez deriva do grego Neilos. E os antigos Egípcios chamavam Nilo Aur ou Ar, significando negro, uma característica da terra de cor escura trazida pelo rio durante as suas cheias, as quais ocorrem anualmente entre julho e outubro. Esta é uma das regiões que a maioria dos historiadores acreditam que nasceu a agriculta no planeta a cerca de 12 mil anos antes da atualidade, período Neolítico. Em razão das chuvas tropicas na nascente do Rio, o humos trazido pelas enchentes torna o solo desta região arenosa excelente para a agricultura. Onde por milhares de séculos a população aprendeu a conviver com as regulares enchentes, edificando suas casas e celeiros nas regiões mais altas e construindo diques e drenos a fim de aproveitar melhor o solo. A frase do historiador grego Heródoto O Egito é uma dádiva do Nilo, explica que o regime de cheias do Nilo possibilitou um grande desenvolvimento da civilização egípcia, isso por garantir o alimento para as pessoas e para a criação de animais. Por tal motivo, é creditado incentivo ao desenvolvimento de técnicas de aprimoramento dos cultivos, dos instrumentos usados para preparo do solo e armazenamento da produção de cereais. As culturas de aluvião (depósito sedimentar) eram plantadas após a água voltar ao leito do Nilo e colhidas na primavera. Entre as culturas mais usadas estava o trigo, cevada, milho, ervilha e lentilha. Outras culturas foram introduzidas mais tarde em áreas mais afastadas, devido ao um sistema de diques que controlava a vazão da água em épocas de pouca chuva ou facilitava a dispersão da água quando o volume era muito alto. O trabalho praticado pela classe campesina era feito em locais concedidos pelo Estado, sendo obrigados a pagar altos tributos a fim de manter as necessidades do faraó

4 4 e financiar as obras públicas. A principal obra da época era a manutenção dos canais de irrigação para expandir a área cultivável com novas culturas, surgindo também a canade-açúcar. Sob a dependência de uma produção cada vez mais rentável foi que surgiram as primeiras vilas e cidades na região do vale do rio Nilo, produzindo excedentes agrícolas. Foi a partir desta época que nasceu a organização política e econômica dos povos locais, onde pela localização estratégica era possível atingir outras regiões, levando os excedentes para a comercialização, aproveitando outro potencial do Nilo, a navegação. A capital do Egito, Cairo, as margens do frondoso Nilo, pode ser considerada um símbolo da evolução e desenvolvimento da economia. Através dos impostos cobrados sobre o comércio dos produtos agrícolas, formou-se uma grandiosa cidade, munida de muito luxo e requinte. Na capital encontra-se boa parte dos antigos agricultores ou seus descendentes, que abandonaram o campo para tentar a vida assalariada no meio urbano. O trabalho braçal era uma das características da região, mas não raro era usada a força de animais como bois e burros para rovolver o solo e carregar a produção. Entre os instrumentos de trabalho era frequente o uso de arados, foices, cestos e semeadeiras. Também existia uma espécie de debulhadeira de grãos, armação de madeira com dentes de madeira ou pedra. O armazenamento era em silos cilindricos feitos de terra batida ou esteiras confeccionadas com fibra vegetal. Sob esse sistema de trabalho milenar, suscederam-se várias gerações de dinastias e suditos no Egito e em todo o vale do Nilo. Com o passar do tempo, a conquista de novos territórios pelas grandes navegações, contribui para a o surgimento de outros centros produtivos, usando novas técnicas de cultivo, não dependendo da fertilização do solo por enchentes. As transformações ocorridas no cenário agrícola mundial no final do século XIX e XX, não atingiram somente as civilizações ocidentais ou européias, mas também, veio moldar novos métodos de trabalho e de administração na região agrícola mais antiga que se conhece. Entre as mudanças ocorridas, esta a interferência no meio

5 5 natural, drenagens e construções de diques de contenção da água, transformando as características do vale do Nilo. A represa de Assuã, a quarta de uma série que foram sendo construidas desde 1902, quebrou o ciclo de cheias e vasantes do Rio, tirando a fertilidade do solo, haja vista que, não era mais possível a acumulação de humos e sedimentos no vale. Com isso, obrigou a implantação de novas culturas na região, como o cultivo de frutas tropicais. Com a remodelação dos trabalhos agrícolas, obteve-se até um acréscimo sensível nos resultados das lavouras as margens das represas, em outras regiões originou-se problemas sérios. Em consequência do não depósito de limo, perdeu-se a fertilidade do solo, sendo necessário o uso de fertilizantes químicos, os quais nunca antes tinham sido uzados e que não atingem os mesmos resultados do que a fertilização natural, feita através do depósito de sedimentos. Ao estar atrelado ao sistema de plantiu e manuseio moderno, o nativo do vale do rio Nilo perdeu suas características originais. Não podendo mais contar com as cheias e sua fertilização natural, os agricultores passaram a serem dominados pelo grande capital, o que acontece em outras regiões, com um diferencial menos gritante, nesta região a agricultura altamente mecanizada não oferece perigo, mas esta cada vez mais difícil a manutenção do modelo de agricultura secular. Desenvolvimento da agricultura Inca Originalmente os Incas habitavam a região dos Andes, na Bolívia, a uma altitude de metros. Até o século XII, os Incas eram inespressivos como mais uma das diversas tribos indígenas da região da América do Sul. Motivados pelas constantes invasões de suas terras, migraram para o inóspito vale do Cuzco, uma depressão da cordilheira andina.

6 6 No novo local, os Incas em pouco tempo se tornaram a mais importante tribo, possuindo um exército muito bem organizado, assim conquistando novas terras e subordinando os seus inimigos. Desta maneira, através de um aparato administrativo organizado, em meio a uma região montanhosa, teve início o desenvolvimento do grandioso Império Inca. Para manter uma numerosa população, necessitava-se também de uma produção variada e desenvolvida. Estima-se que no apogeu da civilização Inca, cerca de 1.400, a agricultura estava espalhada por todo o Império, desde a Colômbia até o Chile, com o cultivo de grãos na planície litorânea do Pacífico, passando pelos altiplanos andinos e adentrando na planície amazônica oriental. Também calcula-se que cultivavam cerca de setecentas espécies vegetais. Recebendo os méritos do sucesso agrícola, a existência de estradas e trilhas que possibilitavam uma boa distribuição das colheitas na vasta região. As principais culturas eram para a alimentação humana, como batata, milho, pimenta, amendoim, tomate, mandioca e um grão conhecido como o quinua. Além destes, obtinha destaque o cultivo de algodão, a fim de servir de matéria-prima para a confecção das roupas, as quais necessitavam ser resistentes ao frio característico na maior parte do ano. O plantio era feito em terraços usando uma adiantada técnica das curvas de nível, sendo os primeiros nas américas a usar sistema de irrigação. Os Incas usavam varas afiadas e arados para revolver o solo, tendo a lhama para transporte das colheitas, embora tais animais fornecessem também lã para fazer tecidos, mantas, cordas, couro e carne. Ervas aromáticas e medicinais também eram plantadas e as folhas de coca, eram reservadas para a elite. Toda a produção agrícola era fiscalizada pelos funcionários do império, os quais garantiam as três ordens dos trabalhos agrícolas: em benefício do Inca (imperador) e da família real; à subsistência da família, realizados no pedaço de terra que lhe cabia e no seio da comunidade aldeã e para responder às necessidades dos mais desfavorecidos. Apesar de viver em uma época e em uma região abundante em alimentos, os Incas tinham a preocupação de manter a regularidade na produção de alimentos. Para

7 7 além das terras coletivas, existia reservas destinadas a minimizar as carências em épocas de racionamento ou para serem usadas no momento em que a aldeia era visitada por uma delegação da nobreza. Além das reservas estratégicas, cada membro da comunidade tinha o dever de colaborar nos trabalhos coletivos, entre eles a manutenção de canais de irrigação e reforma das estradas. Percebendo a importância da agricultura, de aumentar a produtividade e a qualidade dos produtos, os Incas desenvolveram uma espécie de fertilização natural do solo. Um dos métodos utilizados era a construção de murros em volta das áreas cultivadas a fim de manter a matéria orgância no local. Outra técnica era enterrar junto com as sementes pequenos peixes, como sardinhas, onde a decomposição contribuiria para o desenvolvimento da planta. Para suprir a falta de tração animal, principalmente de bovinos para lavrar a terra, era utilizado uma espécie de arrado puchado por humanos. Tendo uma lâmina pontiaguda de metal ou pedra, a qual era introduzida no solo a fim de retirar ervas daninhas e facilitar o plantio. Tal mecaniso também facilitava o trabalho que na sua grande maioria era dificultoso, devido as ingrimes ladeiras, característica principal da região. A técnica de cultivar em terraços, ajudava no combate a erosão, haja vista que o solo perdia a fertilidade se não existisse um meio para evitar as enchurradas. Para cultivar ervas medicinais e arromaticas, era feito um trabalho semelhante ao plantiu direto, integrado a vegetação nativa as plantas que serviriam para produzir remédios e perfumes. Além do mais, a preocupação com a rotatividade de culturas era uma constante. O sistema de canais de irrigação, levando água através da queda de nível, possibilitava a formação de um ambiente favorável ao desenvolvimento da maioria das espécies vegetais, podendo controlar a época de plantiu e colheita, tendo maior agilidade e qualidade na produção. A construção de lagoas, além de servir para guardar água para a irrigação, tinha papel importante na sobrevivência dos animais domésticos, como as lhamas e algumas espécies de aves.

8 8 Os povos Incas não usavam dinheiro nas suas negociações, eles faziam trocas, nas quais mercadorias eram trocadas por outras. O trabalho de terceiros era compensado com mercadorias e comida, de acordo com o serviço prestado e com a necessidade do trabalhador. Serviam como moedas sementes de cacau e conchas coloridas, os quais eram considerados de grande valor. O lugar de trabalho e o tipo de função que cada subordinado deveria ter era incumbido pelos representantes do império. Depois da adaptação e de dar sequência as regras, tais serviçais eram bem vistos pelos dominadores, sendo protegidos e representados. Já os inválidos de exercer alguma função agrícola deveriam ser auxiliados a promover a sua subsistência através de trabalhos diferenciados. Em feiras organizadas nos centros das vilas, a população podia vender o excedente da produção em troca de utencílios para a agricultura ou artefatos de cerâmica. Além da troca de mercadorias, o excedente da produção de grãos era armazenado em celeiros públicos, sendo utilizados em épocas de crise e para fornecer sementes para a plantação seguinte, sendo este método muito aperfeiçoado para a época. O fim da avançada agricultura Inca ocorreu depois do enfraquecimento do Império e da chegada dos espanhóis. Após um período de guerras internas entre membros da nobreza, a fim de obter o comando administrativo, os súditos ficaram desmotivados e desorganizados, deixando o cultivo de lado. E após a chegada dos colonizadores sob o comando de Francisco Pizarro na década de 1.530, a organização Inca recebeu o golpe final. Na sequência das lutas pelo domínio do território, os europeus tinham olhos somente para o ouro e a prata da região, não demonstrando o mínimo interesse pela produção no campo. Com a quase extinção dos Incas e com o esgotamento dos recursos minerais, a região ficou quase que desértica, a não ser pela fundação de novas cidades como Lima. Com o fluxo de migrações de povos brancos europeus, as características culturais e econômicas mudaram drasticamente, principalmente com a implantação do catolicismo e da urbanização das cidades. Restando poucas tribos com as características originais nas regiões mais distantes.

9 9 Considerações finais Ao analisar o surgimento e evolução da agricultura nessas duas regiões, primeiramente se faz necessário relacionar a atividade agricola com o processo de evolução da humanidade. Os povos primitivos somente conseguiriam sobreviver e evoluir porque descobriram a arte de cultivar alimentos, do contrário a sobrevivência na Terra era muito custoso, levando muitos individuos a morte pela fome ou na ariscada busca por alimentos. Sobre a agricultura no vale do Nilo, é notável o sábio aproveitamento dos recursos naturais, onde através de experiências próprias, os nativos conseguiram perceber que era possível cultivar o solo estremamente arenoso utilizando-se da matéria orgânica acumulada após as enchentes. Outro fator admirável foi a percepção de edificar as casas em locais mais afastados, deixando o vale para o cultivo. O que aconteceu com a agricultura as margens do Nilo foi levada pela intervenção do meio natural. O rio que anualemte depozitava os nutrientes necessários para a terra poder produzir, foi represado, tirando sua característica e capacidade exclusiva. Não tendo mais a fertilidade no solo, a agricultura entrou em crise, mudando a paisagem da região, levando muitos a migrar para as cidades ou obrigando os que ficaram a trocar de atividade. A tentativa de implantação de novas culturas como as frutas tropicais e a adubação química não colaboram para a continuidade do processo de produção. Isso ocorreu porque o nativo não estava acostumado a mudanças, aja vista que, tinha praticado o mesmo trabalho durante séculos com resultados satisfatório. O outro motivo é que aquele solo somente é produtivo com aquela fertilização natural, não proporcionando a fertilização artificial. No caso da civilização Inca, a agricultura surgiu também como forma de sobrevivência, a necessidade de alimentar uma população que estava em crescente fez com que passasem a cultivar ao contrário de coletar ou caçar. Sua inegável sabedoria,

10 10 tanto em conhecimentos agrícolas quanto de administração fez com que formassem um grande império, muito avançado para a época. Sob um rígido comando foi possível superar todas as adversidades de relevo, solo e clima, introduzindo culturas como a do milho e algodão, algo muito a frente de sua época. Outro ítem que chama a atenção era o sistema de reservas estratégicas, o que foi desenvolvido em outras regiões, caso do Brasil, somente séculos mais tarde e que ainda não conseguiu sanar os problemas de distribuição de alimentos. Se podemos caracterizar a nossa agricultura atual como evoluída, possuindo diversos mecanismos para produzir sementes, plantar e colher, temos como base, exemplos europeus trazidos pelos colonizadores, mas talvez, se tivessemos dado continuidade ao que já vinha sendo feito pelos nativos das Américas, estaríamos muito a frente, principalmente no quesito social, sem que tanta gente passasse fome. A ganância pela riqueza mineral fez com que a agricultura na América do Sul voltasse a ser destaque depois de alguns séculos de colonização, depois de um período de abandono e desleixo, somente obtendo atenção após o esgotamento do ouro e da prata. O novo modelo de agricultura surgiu como alavanca para uma nova economia voltada para a exportação, enquanto a força de trabalho, os escravos e as famílias mais humildes passavam fome. A referência que nós, sul-americanos somos somente fornecedores de produtos terciários de baixíssima tecnologia, com pouco valor agregado e que dificilmente chegaremos ao desenvolvimento social e econômico pleno, vem da base, de onde saímos e pouco evoluímos. Se não mudar o conceito existente de agricultura, voltandose para o trabalho familiar, dificilmente a fome e o desemprego serão sanados. Um bom exemplo seria voltar as origens, ver o que os Incas e os Egípcios do vale do Nilo faziam, integrando a natureza com a agricultura e o social com o econômico, onde todos eram vencedores, meio ambiente e sociedade. No caso da não mudança, a expectativa de um futuro valoroso é incerto, sendo previsto percalços econômicos e sociais.

11 11 Referências FIGUEIRA, Divalte Garcia. História geral. São Paulo: Ática, MAZOYER, Marcel; ROUDART, Laurence. História das agriculturas do mundo. Do neolítico à crise contemporânea. Lisboa, Instituto Piaget, SCHMIDT, Mario. Nova história crítica. São Paulo: Nova Geração, VICENTINO, Cláudio. Viver a história: ensino fundamental. São Paulo: Scipione, 2002.

LISTA DE EXERCÍCIOS 01

LISTA DE EXERCÍCIOS 01 LISTA DE EXERCÍCIOS 01 01 - (Unicamp 2014) Desde o período neolítico, os povos de distintas partes do mundo desenvolveram sistemas agrários próprios aproveitando as condições naturais de seus habitats

Leia mais

Conteúdo: Aula 1: A América antes de Colombo As primeiras civilizações da Mesoamérica Aula 2: Os Maias Os Astecas Os Incas FORTALECENDO SABERES

Conteúdo: Aula 1: A América antes de Colombo As primeiras civilizações da Mesoamérica Aula 2: Os Maias Os Astecas Os Incas FORTALECENDO SABERES CONTEÚDO E HABILIDADES DESAFIO DO DIA INTERATIVA I Conteúdo: Aula 1: A América antes de Colombo As primeiras civilizações da Mesoamérica Aula 2: Os Maias Os Astecas Os Incas CONTEÚDO E HABILIDADES DESAFIO

Leia mais

Capítulo 3 A Mesopotâmia

Capítulo 3 A Mesopotâmia Capítulo 3 A Mesopotâmia Conceitos: sociedade, Estado, trabalho, desigualdade social, urbanização, escravidão, politeísmo e patriarcalismo. Professora: Marcela Guerra Durante o Neolítico: Agricultura e

Leia mais

O EGITO É UMA DÁDIVA DO NILO

O EGITO É UMA DÁDIVA DO NILO CIVILIZAÇÃO EGÍPCIA PARA O HISTORIADOR GREGO HERÓDOTO: O EGITO É UMA DÁDIVA DO NILO DÁDIVA = PRESENTE SIGNIFICADO = Sem as cheias do Nilo, o Egito seria um grande deserto PARA O HISTORIADOR FRANCÊS JEAN

Leia mais

Lista de Recuperação de Arte 6º ANO

Lista de Recuperação de Arte 6º ANO 1 Nome: nº Data: / /2012 ano bimestre Profa.: Denise Lista de Recuperação de Arte 6º ANO Nota: 1) A arte fez parte da vida do homem desde a pré-história ( período anterior ao surgimento da escrita ) que

Leia mais

Cópia autorizada. II

Cópia autorizada. II II Sugestões de avaliação História 7 o ano Unidade 5 5 Unidade 5 Nome: Data: 1. Elabore um texto utilizando as palavras do quadro. rei burguesia senhor feudal leis centralização política moeda feudos 2.

Leia mais

É o estudo do processo de produção, distribuição, circulação e consumo dos bens e serviços (riqueza).

É o estudo do processo de produção, distribuição, circulação e consumo dos bens e serviços (riqueza). GEOGRAFIA 7ª Série/Turma 75 Ensino Fundamental Prof. José Gusmão Nome: MATERIAL DE ESTUDOS PARA O EXAME FINAL A GEOGRAFIA DO MUNDO SUBDESENVOLVIDO A diferença entre os países que mais chama a atenção é

Leia mais

A Vida no Solo. A vegetação de um local é determinada pelo solo e o clima presentes naquele local;

A Vida no Solo. A vegetação de um local é determinada pelo solo e o clima presentes naquele local; A Vida no Solo A Vida no Solo A vegetação de um local é determinada pelo solo e o clima presentes naquele local; O solo é constituído por alguns componentes: os minerais, o húmus, o ar, a água e os seres

Leia mais

LUGARES E PAISAGENS DO PLANETA TERRA

LUGARES E PAISAGENS DO PLANETA TERRA LUGARES E PAISAGENS DO PLANETA TERRA AS ÁGUAS DE SUPERFÍCIE Os rios são cursos naturais de água doce. Eles podem se originar a partir do derretimento de neve e de geleiras, de um lago ou das águas das

Leia mais

CARDOSO, Ciro Flamarion S. Sociedades do antigo Oriente Próximo. São Paulo: Ática, 1986. p. 56.

CARDOSO, Ciro Flamarion S. Sociedades do antigo Oriente Próximo. São Paulo: Ática, 1986. p. 56. Disciplina: HISTÓRIA Nome: Nº: Ensino Fundamental 2 Prova: P - TARDE Código da Prova: 1206205770 Data: / /2012 Ano: 6º Bimestre: 2º NOTA: Algumas dicas para fazer uma boa prova: 1 - Leia a prova na íntegra

Leia mais

Geografia/Profª Carol

Geografia/Profª Carol Geografia/Profª Carol Recebe essa denominação porque parte dos territórios dos países platinos que constituem a região é banhada por rios que compõem a bacia hidrográfica do Rio da Prata. Países: Paraguai,

Leia mais

Data: /08/2014 Bimestre: 2. Nome: 8 ANO B Nº. Disciplina: Geografia Professor: Geraldo

Data: /08/2014 Bimestre: 2. Nome: 8 ANO B Nº. Disciplina: Geografia Professor: Geraldo Data: /08/2014 Bimestre: 2 Nome: 8 ANO B Nº Disciplina: Geografia Professor: Geraldo Valor da Prova / Atividade: 2,0 (DOIS) Nota: GRUPO 3 1- (1,0) A mundialização da produção industrial é caracterizada

Leia mais

HISTÓRIA 7 O ANO FUNDAMENTAL. PROF. ARTÊMISON MONTANHO PROF. a ISABEL SARAIVA

HISTÓRIA 7 O ANO FUNDAMENTAL. PROF. ARTÊMISON MONTANHO PROF. a ISABEL SARAIVA 7 O ANO FUNDAMENTAL PROF. ARTÊMISON MONTANHO PROF. a ISABEL SARAIVA Unidade III Cidadania e Movimentos Sociais Aula 14.2 Conteúdos Os maias Os incas 2 Habilidades Conhecer as principais características

Leia mais

CURSO DE HISTÓRIA ANTIGA. Professor Sebastião Abiceu 7º ano Colégio Marista São José Montes Claros - MG

CURSO DE HISTÓRIA ANTIGA. Professor Sebastião Abiceu 7º ano Colégio Marista São José Montes Claros - MG CURSO DE HISTÓRIA ANTIGA Professor Sebastião Abiceu 7º ano Colégio Marista São José Montes Claros - MG POVOS PRÉ-COLOMBIANOS ASTECAS MAIAS INCAS Principais fontes para estudo dos povos americanos: 1º Fontes

Leia mais

OS EUROPEUS CHEGAM À AMÉRICA. Profª Regina Brito Fonseca

OS EUROPEUS CHEGAM À AMÉRICA. Profª Regina Brito Fonseca OS EUROPEUS CHEGAM À AMÉRICA Profª Regina Brito Fonseca Quando os europeus chegaram ao Continente Americano, no final do século XV, já o encontraram ocupado por vários povos. Alguns deles desenvolveram

Leia mais

Pérsia, fenícia e palestina

Pérsia, fenícia e palestina Pérsia, fenícia e palestina Região desértica Atuais estados de Israel e Palestina Vários povos (semitas) estabelecidos no curso do Rio Jordão Palestina Hebreus (Palestina) Um dos povos semitas (cananeus,

Leia mais

a) Cite o nome do estado brasileiro onde aparece a maior parte do domínio das araucárias. R:

a) Cite o nome do estado brasileiro onde aparece a maior parte do domínio das araucárias. R: Data: /08/2014 Bimestre: 2 Nome: 7 ANO A Nº Disciplina: Geografia Professor: Geraldo Valor da Prova / Atividade: 2,0 (DOIS) Nota: GRUPO 3 1-(1,0) A paisagem brasileira está dividida em domínios morfoclimáticos.

Leia mais

ENTRELAÇAMENTO DO CURRÍCULO DE CONHECIMENTOS

ENTRELAÇAMENTO DO CURRÍCULO DE CONHECIMENTOS PREFEITURA MUNICIPAL DE PAULÍNIA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO ENTRELAÇAMENTO DO CURRÍCULO DE CONHECIMENTOS O foco do trabalho com conhecimentos o é o aluno entender a sociedade em que vive. Assim,

Leia mais

A conquista do Sertão. Expedições de apresamento

A conquista do Sertão. Expedições de apresamento A conquista do Sertão Expedições de apresamento As bandeiras contribuíram para a expansão do território em direção ao interior, porém houve muitas mortes de nativos. O principal alvo era as missões dos

Leia mais

AMÉRICA PRÉ-COLOMBIANA E COLONIAL

AMÉRICA PRÉ-COLOMBIANA E COLONIAL AMÉRICA PRÉ-COLOMBIANA E COLONIAL 1 A AMÉRICA PRÉ - COLOMBIANA A) A CIVILIZAÇÃO MAIA: Os gregos da América. Atual sul do México, Guatemala e Honduras (península de Yucatán). Auge séculos IX e X (15 milhões

Leia mais

Recuperação - 1ª Etapa Ensino Fundamental II

Recuperação - 1ª Etapa Ensino Fundamental II 1 HISTÓRIA 6º ANO ENS. FUNDAMENTAL II PROFESSOR (A): SEBASTIÃO ABICEU NOME: Nº QUESTÃO 01: O que a História estuda? Responda com suas palavras. QUESTÃO 02: O que são fontes históricas? QUESTÃO 03: Dê exemplos

Leia mais

RECUPERAÇÃO 2º TRIMESTRE 7ºS ANOS. Bacia Hidrográfica é a área drenada por um rio principal e todos os seus afluentes e subafluentes.

RECUPERAÇÃO 2º TRIMESTRE 7ºS ANOS. Bacia Hidrográfica é a área drenada por um rio principal e todos os seus afluentes e subafluentes. RECUPERAÇÃO 2º TRIMESTRE 7ºS ANOS Bacia Hidrográfica é a área drenada por um rio principal e todos os seus afluentes e subafluentes. BACIAS HIDROGRÁFICAS BRASILEIRAS BACIAS INDEPENDENTES BACIAS SECUNDÁRIAS

Leia mais

https://www.youtube.com/watch?v=ejyyhuxkn8y

https://www.youtube.com/watch?v=ejyyhuxkn8y https://www.youtube.com/watch?v=ejyyhuxkn8y Definição é a camada superficial da crosta terrestre formada por quatro elementos principais: a, o, a e os. Possui importância fundamental para variadas atividades

Leia mais

REVISÃO AMÉRICA ANGLO SAXÔNICA E MÉXICO

REVISÃO AMÉRICA ANGLO SAXÔNICA E MÉXICO REVISÃO AMÉRICA ANGLO SAXÔNICA E MÉXICO DIVISÃO DO CONTINENTE AMERICANO Os países que pertencem a América do Norte são: EUA, Canadá e México. Os países que pertencem a América Anglo Saxônica são: EUA

Leia mais

RESPOSTAS DAS SUGESTÕES DE AVALIAÇÃO GEOGRAFIA 9 o ANO

RESPOSTAS DAS SUGESTÕES DE AVALIAÇÃO GEOGRAFIA 9 o ANO RESPOSTAS DAS SUGESTÕES DE AVALIAÇÃO GEOGRAFIA 9 o ANO Unidade 7 1. (V) a maior parte do relevo africano é formada de planaltos elevados, sem variações significativas em seu modelado. (F) por ter formações

Leia mais

POPULAÇÃO SUBNUTRIDA - 2006

POPULAÇÃO SUBNUTRIDA - 2006 PROFESSOR: EQUIPE DE GEOGRAFIA BANCO DE QUESTÕES - GEOGRAFIA - 8º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL ============================================================================================== 01- Observe os

Leia mais

A ÁGUA FACTOR DE CIVILIZAÇÃO

A ÁGUA FACTOR DE CIVILIZAÇÃO ÁREA ESCOLA HISTÓRIA 1992/1993 MEMÓRIAS DOS ALUNOS E PROFESSORES DO 7º ANO QUE ESTIVERAM ENVOLVIDOS NO PROJECTO A ÁGUA FACTOR DE CIVILIZAÇÃO INDICE 1 PROJECTO 2 TEXTO MOTIVAÇÃO 3 SOCIEDADES RECOLECTORAS

Leia mais

DA CONQUISTA A COLONIZAÇÃO DAS AMÉRICAS DA CONQUISTA A COLONIZAÇÃO DAS AMÉRICAS. -Atinge as Índias contornando a costa da África

DA CONQUISTA A COLONIZAÇÃO DAS AMÉRICAS DA CONQUISTA A COLONIZAÇÃO DAS AMÉRICAS. -Atinge as Índias contornando a costa da África DA CONQUISTA A COLONIZAÇÃO DAS AMÉRICAS EXPANSÃO MARÍTIMA início século XV ( 1415 ) DA CONQUISTA A COLONIZAÇÃO DAS AMÉRICAS EXPANSÃO MARÍTIMA início século XV ( 1415 ) PORTUGAL -Atinge as Índias contornando

Leia mais

- Século XVI estabeleceu o domínio inglês na costa norte da América do Norte fundam Treze Colônias Atual

- Século XVI estabeleceu o domínio inglês na costa norte da América do Norte fundam Treze Colônias Atual DA CONQUISTA A COLONIZAÇÃO DAS AMÉRICAS EXPANSÃO MARÍTIMA início século XV ( 1415 ) -Atinge as Índias contornando a costa da África PORTUGAL -1500 supera os obstáculos do Atlântico chega ao Brasil ESPANHA

Leia mais

climáticas? Como a África pode adaptar-se às mudanças GREEN WORLD RECYCLING - SÉRIE DE INFO GAIA - No. 1

climáticas? Como a África pode adaptar-se às mudanças GREEN WORLD RECYCLING - SÉRIE DE INFO GAIA - No. 1 Como a África pode adaptar-se às mudanças climáticas? Os Clubes de Agricultores de HPP alcançam dezenas de milhares ensinando sobre práticas agrícolas sustentáveis e rentáveis e de como se adaptar a uma

Leia mais

COMPLEXOS REGIONAIS A AMAZÔNIA

COMPLEXOS REGIONAIS A AMAZÔNIA COMPLEXOS REGIONAIS A AMAZÔNIA Ocupa mais de 5 milhões de km ²; Abrange quase toda a região Norte, centro-norte do Mato Grosso e oeste do Maranhão; É marcada pela presença da Floresta Amazônica; A Floresta

Leia mais

Povos americanos: Primeiros habitantes da América do SUL

Povos americanos: Primeiros habitantes da América do SUL Povos americanos: Primeiros habitantes da América do SUL Nicho Policrômico. Toca do Boqueirão da Pedra Fiurada. Serra da Capivara Piauí- Brasil Ruínas as cidade inca Machu Picchu - Peru Código de escrita

Leia mais

Complete com as principais características de cada bioma: MATA ATLÂNTICA

Complete com as principais características de cada bioma: MATA ATLÂNTICA Atividade de Ciências 5º ano Nome: ATIVIDADES DE ESTUDO Complete com as principais características de cada bioma: MATA ATLÂNTICA FLORESTA AMAZÔNICA FLORESTA ARAUCÁRIA MANGUEZAL PANTANAL CAATINGA CERRADO

Leia mais

Disciplina: HISTÓRIA Professora: ALESSANDRA PRADA

Disciplina: HISTÓRIA Professora: ALESSANDRA PRADA COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Programa de Recuperação Paralela 1ª Etapa 2013 Disciplina: HISTÓRIA Professora: ALESSANDRA PRADA Série: 1ª Turma: FG Caro aluno, você está recebendo o conteúdo de recuperação.

Leia mais

Você acredita que a opinião de Heródoto é acertada, em relação ao Rio Nilo? Explique. R.:

Você acredita que a opinião de Heródoto é acertada, em relação ao Rio Nilo? Explique. R.: PROFESSOR: EQUIPE DE HISTÓRIA BANCO DE QUESTÕES - HISTÓRIA - 6º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL ============================================================================================== 01- Os fundamentos

Leia mais

AMÉRICA: ASPECTOS NATURAIS E TERRITORIAIS

AMÉRICA: ASPECTOS NATURAIS E TERRITORIAIS AMÉRICA: ASPECTOS NATURAIS E TERRITORIAIS Tema 1: A América no mundo 1. Um continente diversificado A América possui grande extensão latitudinal e, por isso, nela encontramos diversas paisagens. 2. Fatores

Leia mais

Reinos da África Ocidental

Reinos da África Ocidental Reinos da África Ocidental A África é um continente imenso e com muita diversidade. As rotas comerciais adentraram a região oeste em busca de ouro. Com isso, as aldeias que serviam de ponto de intermediação

Leia mais

FORMAÇÃO DO TERRITÓRIO BRASILEIRO

FORMAÇÃO DO TERRITÓRIO BRASILEIRO FORMAÇÃO DO TERRITÓRIO BRASILEIRO É claro que o Brasil não brotou do chão como uma planta. O Solo que o Brasil hoje ocupa já existia, o que não existia era o seu território, a porção do espaço sob domínio,

Leia mais

Centro Educacional Juscelino Kubitschek

Centro Educacional Juscelino Kubitschek Centro Educacional Juscelino Kubitschek ALUNO: N.º: DATA: / / ENSINO: ( x ) Fundamental ( ) Médio SÉRIE: _5ª_ TURMA: TURNO: DISCIPLINA: HISTÓRIA PROFESSOR(A): Equipe de História Roteiro e Lista de recuperação

Leia mais

Palestra: História da Cana-de. de-açúcar no Centro-Oeste Professora: Ana Paula PROJETO: PRODUÇÃO DO AÇÚCAR ORGÂNICO NA JALLES MACHADO S/A

Palestra: História da Cana-de. de-açúcar no Centro-Oeste Professora: Ana Paula PROJETO: PRODUÇÃO DO AÇÚCAR ORGÂNICO NA JALLES MACHADO S/A Palestra: História da Cana-de de-açúcar no Centro-Oeste Professora: Ana Paula PROJETO: PRODUÇÃO DO AÇÚCAR ORGÂNICO NA JALLES MACHADO S/A ORIGEM DA CANA-DE-AÇÚCAR A cana-de de-açúcar é uma planta proveniente

Leia mais

O continente africano

O continente africano O continente africano ATIVIDADES Questão 04 Observe o mapa 2 MAPA 2 Continente Africano Fonte: . A região do Sahel, representada

Leia mais

A Economia da América Latina

A Economia da América Latina A Economia da América Latina adsense1 Agricultura A agricultura de subsistência era a principal atividade econômica dos povos originais da América Latina, Essa atividade era complementada pela caça, pela

Leia mais

Crescimento urbano e industrial dos anos 20 ao Estado Novo

Crescimento urbano e industrial dos anos 20 ao Estado Novo A UA UL LA MÓDULO 7 Crescimento urbano e industrial dos anos 20 ao Estado Novo Nesta aula O café foi o principal produto de exportação durante a República Velha. Os cafeicultores detinham o controle da

Leia mais

O acentuado declínio populacional dos astecas do México, no século XVI, está relacionado, entre outros, com os seguintes fatores:

O acentuado declínio populacional dos astecas do México, no século XVI, está relacionado, entre outros, com os seguintes fatores: 1. (Ufsm 2014) Analise o quadro: Evolução da população do México (em milhões de habitantes) 1519 25,3 1532 16,8 1548 6,3 1568 2,6 1580 1,9 1595 1,3 1605 1,0 VINCENT, Bernard. 1492: Descoberta ou Invasão?

Leia mais

FORMAÇÃO VEGETAL BRASILEIRA. DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS Aziz Ab`Saber. Ipê Amarelo

FORMAÇÃO VEGETAL BRASILEIRA. DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS Aziz Ab`Saber. Ipê Amarelo FORMAÇÃO VEGETAL BRASILEIRA DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS Aziz Ab`Saber Ipê Amarelo Fatores que influenciam na distribuição das formações vegetais: Clima 1. Temperatura; 2. Umidade; 3. Massas de ar; 4. Incidência

Leia mais

CADERNO DE ATIVIDADES

CADERNO DE ATIVIDADES COLÉGIO ARNALDO 2014 CADERNO DE ATIVIDADES GEOGRAFIA ATENÇÃO: Este trabalho deverá ser realizado em casa, trazendo as dúvidas para serem sanadas durante as aulas de plantão. Aluno (a): 5º ano Turma: Professora:

Leia mais

ÁGUA: COMO ECONOMIZAR PARA NÃO MORRER DE SEDE!

ÁGUA: COMO ECONOMIZAR PARA NÃO MORRER DE SEDE! ÁGUA: COMO ECONOMIZAR PARA NÃO MORRER DE SEDE! Prof. Dr. Adilson Roque dos Santos Doutor em Ecologia UERJ Email: adilsonroquesantos@gmail.com adilson.roque@uol.com.br CARACTERÍSTICAS A Água Água e História

Leia mais

GEOGRAFIA BÁSICA. Características Gerais dos Continentes: África

GEOGRAFIA BÁSICA. Características Gerais dos Continentes: África GEOGRAFIA BÁSICA Características Gerais dos Continentes: África Atualmente temos seis continentes: África, América, Antártida, Europa, Ásia e Oceania. Alguns especialistas costumam dividir o planeta em

Leia mais

EGITO PA P SSADO E PR P ESENT N E T

EGITO PA P SSADO E PR P ESENT N E T EGITO PASSADO E PRESENTE VOCÊ SABE ONDE ESTÁ O EGITO? ÁFRICA O EGITO É UM PAÍS DO CONTINENTE AFRICANO NO PASSADO O EGITO ERA ASSIM... ATUALMENTE, O EGITO CHAMA-SE REPÚBLICA ÁRABE DO EGITO. SUA CAPITAL

Leia mais

COLÉGIO SANTO ANDRÉ. EXERCÍCIOS DE HISTÓRIA 6º Ano - 1º TRIMESTRE. PROFª Ms ROSANE T. PETRORÓSSI DE FIGUEIREDO

COLÉGIO SANTO ANDRÉ. EXERCÍCIOS DE HISTÓRIA 6º Ano - 1º TRIMESTRE. PROFª Ms ROSANE T. PETRORÓSSI DE FIGUEIREDO COLÉGIO SANTO ANDRÉ EXERCÍCIOS DE HISTÓRIA 6º Ano - 1º TRIMESTRE PROFª Ms ROSANE T. PETRORÓSSI DE FIGUEIREDO REFLITA A PARTIR DE ESTUDOS EM SALA DE AULA E TAREFAS DIRIGIDAS E RESPONDA ÀS SEGUINTES QUESTÕES

Leia mais

A PRÉ-HISTÓRIA. Período que vai do aparecimento dos seres humanos à invenção da escrita.

A PRÉ-HISTÓRIA. Período que vai do aparecimento dos seres humanos à invenção da escrita. A PRÉ-HISTÓRIA Período que vai do aparecimento dos seres humanos à invenção da escrita. PERÍODO PALEOLÍTICO OU IDADE DA PEDRA LASCADA No começo de sua trajetória, o homem usou sobretudo a pedra (além do

Leia mais

História. baseado nos Padrões Curriculares do Estado de São Paulo

História. baseado nos Padrões Curriculares do Estado de São Paulo História baseado nos Padrões Curriculares do Estado de São Paulo 1 PROPOSTA CURRICULAR DA DISCIPLINA DE HISTÓRIA Middle e High School 2 6 th Grade A vida na Grécia antiga: sociedade, vida cotidiana, mitos,

Leia mais

CONTEXTO HISTORICO E GEOPOLITICO ATUAL. Ciências Humanas e suas tecnologias R O C H A

CONTEXTO HISTORICO E GEOPOLITICO ATUAL. Ciências Humanas e suas tecnologias R O C H A CONTEXTO HISTORICO E GEOPOLITICO ATUAL Ciências Humanas e suas tecnologias R O C H A O capitalismo teve origem na Europa, nos séculos XV e XVI, e se expandiu para outros lugares do mundo ( Ásia, África,

Leia mais

OS CAMPONESES: Chamados no Egito de felás, constituíam a imensa maioria da população. Trabalhavam nas propriedades do faraó e dos sacerdotes e tinham

OS CAMPONESES: Chamados no Egito de felás, constituíam a imensa maioria da população. Trabalhavam nas propriedades do faraó e dos sacerdotes e tinham OS CAMPONESES: Chamados no Egito de felás, constituíam a imensa maioria da população. Trabalhavam nas propriedades do faraó e dos sacerdotes e tinham o direito de conservar para si apenas uma pequena parte

Leia mais

Ciências Humanas e Suas Tecnologias - Geografia Ensino Médio, 3º Ano Bacias Hidrográficas Brasileiras. Prof. Claudimar Fontinele

Ciências Humanas e Suas Tecnologias - Geografia Ensino Médio, 3º Ano Bacias Hidrográficas Brasileiras. Prof. Claudimar Fontinele Ciências Humanas e Suas Tecnologias - Geografia Ensino Médio, 3º Ano Bacias Hidrográficas Brasileiras Prof. Claudimar Fontinele BACIA HIDROGRÁFICA Bacia Hidrográfica é a área drenada por um rio principal

Leia mais

DINÂMICA LOCAL INTERATIVA I APRENDER A APRENDER APRENDER A APRENDER CONTEÚDO E HABILIDADES GEOGRAFIA. Aula 10.2 Conteúdo: Guianas.

DINÂMICA LOCAL INTERATIVA I APRENDER A APRENDER APRENDER A APRENDER CONTEÚDO E HABILIDADES GEOGRAFIA. Aula 10.2 Conteúdo: Guianas. Aula 10.2 Conteúdo: Guianas. 2 Habilidades: Observar as limitações das Guianas e suas ligações com o Brasil. 3 Colômbia 4 Maior população da América Andina. Possui duas saídas marítimas: Para o Atlântico

Leia mais

PROVA DE GEOGRAFIA 1 o TRIMESTRE DE 2010

PROVA DE GEOGRAFIA 1 o TRIMESTRE DE 2010 PROVA DE GEOGRAFIA 1 o TRIMESTRE DE 2010 PROF. FERNANDO NOME N o 9 o ANO A compreensão do enunciado faz parte da questão. Não faça perguntas ao examinador. A prova deve ser feita com caneta azul ou preta.

Leia mais

Século XVIII e XIX / Europa

Século XVIII e XIX / Europa 1 I REVOLUÇÃO AGRÍCOLA Século XVIII e XIX / Europa! O crescimento populacional e a queda da fertilidade dos solos utilizados após anos de sucessivas culturas no continente europeu, causaram, entre outros

Leia mais

A Uwê uptabi Marãiwatsédé buscam o bem viver no território tradicional. Palavras-Chaves: Território Sustentabilidade- Bem Viver.

A Uwê uptabi Marãiwatsédé buscam o bem viver no território tradicional. Palavras-Chaves: Território Sustentabilidade- Bem Viver. A Uwê uptabi Marãiwatsédé buscam o bem viver no território tradicional. Este trabalho tem o objetivo de discutir a sustentabilidade do território A uwe- Marãiwatsédé, mediada pelas relações econômicas,

Leia mais

3º BIMESTRE 2ª Avaliação Área de Ciências Humanas Aula 148 Revisão e avaliação de Humanas

3º BIMESTRE 2ª Avaliação Área de Ciências Humanas Aula 148 Revisão e avaliação de Humanas 3º BIMESTRE 2ª Avaliação Área de Ciências Humanas Aula 148 Revisão e avaliação de Humanas 2 Tipos de vegetação Vegetação é caracterizada como o conjunto de plantas de uma determinada região. Em razão da

Leia mais

Povos americanos: Maias, Incas e Astecas

Povos americanos: Maias, Incas e Astecas Povos americanos: Maias, Incas e Astecas Nicho Policrômico. Toca do Boqueirão da Pedra Fiurada. Serra da Capivara Piauí- Brasil Ruínas as cidade inca Machu Picchu - Peru Código de escrita dos maias, México.

Leia mais

2005-2015 - A Década da ONU Água para a vida

2005-2015 - A Década da ONU Água para a vida THE GAIA-MOVEMENT TRUST LIVING EARTH GREEN WORLD ACTION O Movimento GAIA Março 2005 THE GAIA-MOVEMENT TRUST LIVING EARTH GREEN WORLD ACTION 2005-2015 - A Década da ONU Água para a vida Água para os Ecosistemas

Leia mais

Águas Continentais do Brasil. Capítulo 11

Águas Continentais do Brasil. Capítulo 11 Águas Continentais do Brasil Capítulo 11 As reservas brasileiras de água doce O Brasil é um país privilegiado pois detém cerca de 12% da água doce disponível no planeta; Há diversos problemas que preocupam:

Leia mais

Professor Sebastião Abiceu 6º ano Colégio Marista São José de Montes Claros - MG

Professor Sebastião Abiceu 6º ano Colégio Marista São José de Montes Claros - MG Professor Sebastião Abiceu 6º ano Colégio Marista São José de Montes Claros - MG MESOPOTÂMIA As primeiras cidades se formaram justamente na região onde a agricultura começou a se desenvolver: no Oriente

Leia mais

As Principais Fontes De Energia Presentes No Mundo

As Principais Fontes De Energia Presentes No Mundo As Principais Fontes De Energia Presentes No Mundo INTRODUÇÃO: Desde a pré-história o homem vem se utilizando de diversas fortes e formas de energia, para suprir suas necessidades energéticas, por isso,

Leia mais

INTRODUÇÃO A ENGENHARIA

INTRODUÇÃO A ENGENHARIA Agenda O Império Romano; Engenharia moderna x Engenharia antiga; Os marcos da Engenharia moderna; Grandes mudanças na Idade Média O Renascimento A Reforma Protestante As descobertas A América Pré-Colombiana

Leia mais

DIVERSIDADE DE CLIMAS = DIVERSIDADE DE VEGETAÇÕES

DIVERSIDADE DE CLIMAS = DIVERSIDADE DE VEGETAÇÕES FORMAÇÕES VEGETAIS - Os elementos da natureza mantém estreita relação entre si. - A essa relação, entendida como a combinação e coexistência de seres vivos (bióticos) e não vivos (abióticos) dá-se o nome

Leia mais

Pré-história prof. Emerson Guimarães. José Adolfo S. de Campos Observatório do Valongo

Pré-história prof. Emerson Guimarães. José Adolfo S. de Campos Observatório do Valongo Pré-história prof. Emerson Guimarães José Adolfo S. de Campos Observatório do Valongo Período Paleolítico (~ 2 milhões a ~ 8000 a.c.) Vivia em cavernas Fogo, Facas Tacapes Caça Segurança Habitação Alimentação

Leia mais

Equipe de Geografia GEOGRAFIA

Equipe de Geografia GEOGRAFIA Aluno (a): Série: 3ª Turma: TUTORIAL 7B Ensino Médio Equipe de Geografia Data: GEOGRAFIA 1. Agricultura no Brasil: Breve histórico - Brasil Colônia: monocultura da cana se destacava como produto principal,

Leia mais

REGIÃO NORTE: MAIOR REGIÃO BRASILIERA EM EXTENSÃO. 45% do território nacional

REGIÃO NORTE: MAIOR REGIÃO BRASILIERA EM EXTENSÃO. 45% do território nacional REGIÃO NORTE REGIÃO NORTE: MAIOR REGIÃO BRASILIERA EM EXTENSÃO. 45% do território nacional GRANDE ÁREA COM PEQUENA POPULAÇÃO, O QUE RESULTA EM UMA BAIXA DENSIDADE DEMOGRÁFICA (habitantes por quilômetro

Leia mais

PROVA BIMESTRAL História

PROVA BIMESTRAL História 7 o ano 3 o bimestre PROVA BIMESTRAL História Escola: Nome: Turma: n o : 1. Leia o texto e responda. No século XV, quando se iniciaram as navegações oceânicas, o rei de Portugal já tinha poder inquestionável,

Leia mais

Aula 3 de 4 Versão Aluno

Aula 3 de 4 Versão Aluno Aula 3 de 4 Versão Aluno As Comunidades Indígenas Agora vamos conhecer um pouco das características naturais que atraíram essas diferentes ocupações humanas ao longo dos séculos para a Região da Bacia

Leia mais

Três grandes impérios, além de dezenas de outros povos, que encontravam-se subjugados aos grandes centros populacionais, viviam nas regiões almejadas

Três grandes impérios, além de dezenas de outros povos, que encontravam-se subjugados aos grandes centros populacionais, viviam nas regiões almejadas América Espanhola O que os Espanhóis encontraram aqui na América... Três grandes impérios, além de dezenas de outros povos, que encontravam-se subjugados aos grandes centros populacionais, viviam nas regiões

Leia mais

TERCEIRÃO GEOGRAFIA FRNTE 8 A - aula 25. Profº André Tomasini

TERCEIRÃO GEOGRAFIA FRNTE 8 A - aula 25. Profº André Tomasini TERCEIRÃO GEOGRAFIA FRNTE 8 A - aula 25 Profº André Tomasini Localizado na Região Centro-Oeste. Campos inundados na estação das chuvas (verão) áreas de florestas equatorial e tropical. Nas áreas mais

Leia mais

O espaço rural brasileiro 7ºano PROF. FRANCO AUGUSTO

O espaço rural brasileiro 7ºano PROF. FRANCO AUGUSTO O espaço rural brasileiro 7ºano PROF. FRANCO AUGUSTO Agropecuária É o termo utilizado para designar as atividades da agricultura e da pecuária A agropecuária é uma das atividades mais antigas econômicas

Leia mais

A distribuição da população mundial

A distribuição da população mundial A distribuição da população mundial Trabalho que pode ser visualizado na página da Internet: www.geografiafixe.com.sapo.pt Professor: José Maia Distribuição da população Quais são as principais razões

Leia mais

Atlas Digital de MINAS GERAIS 1 de 18

Atlas Digital de MINAS GERAIS 1 de 18 Atlas Digital de MINAS GERAIS 1 de 18 Características Agropecuárias A sociedade brasileira viveu no século XX uma transformação socioeconômica e cultural passando de uma sociedade agrária para uma sociedade

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL E GESTÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS

EDUCAÇÃO AMBIENTAL E GESTÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS EDUCAÇÃO AMBIENTAL E GESTÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS EDUCANDO PARA UM AMBIENTE MELHOR Apresentação A Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos do Rio Grande do Norte SEMARH produziu esta

Leia mais

Seção 2/D Cadeia de Fornecimento

Seção 2/D Cadeia de Fornecimento Seção 2/D Cadeia de Fornecimento www.bettercotton.org Orientação Esta seção descreve como a BCI criará um fardo 100% Better Cotton e conectará a oferta de Better Cotton com sua demanda, estabelecendo um

Leia mais

CP/CAEM/2004 1ª PROVA FORMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO

CP/CAEM/2004 1ª PROVA FORMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO CP/CAEM/20 1ª PROVA FORMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA 1ª QUESTÃO ( 6,0 ) Analisar os fatores fisiográficos da América do Sul, concluindo sobre a influências destes fatores na distribuição

Leia mais

MATERIAL DE APOIO PROJETO PROGRAMA SENTINELAS DA SERRA

MATERIAL DE APOIO PROJETO PROGRAMA SENTINELAS DA SERRA MATERIAL DE APOIO PROJETO PROGRAMA SENTINELAS DA SERRA Patrocínio: Apoio: A SERRA DA BODOQUENA SURGIMENTO Entre 580 e 540 milhões de anos, havia um supercontinente na Terra chamado de Rodínia. Nos oceanos

Leia mais

História/15 6º ano Turma: 2º trimestre Nome: Data: / / RECUPERAÇÃO FINAL 2015 HISTÓRIA 6º ano

História/15 6º ano Turma: 2º trimestre Nome: Data: / / RECUPERAÇÃO FINAL 2015 HISTÓRIA 6º ano História/15 6º ano Turma: 2º trimestre Nome: Data: / / 6ºhis302r RECUPERAÇÃO FINAL 2015 HISTÓRIA 6º ano Aluno(a), Seguem os conteúdos trabalhados no 2º trimestre. Como base neles você deverá iniciar seus

Leia mais

O Mistério dos Maias. O que aconteceu com os Maias?

O Mistério dos Maias. O que aconteceu com os Maias? O Mistério dos Maias O que aconteceu com os Maias? O que aconteceu com os Maias? A cultura dos Maias do Período Clássico era muito avançada. A sociedade Maia era muito estável. Eles desenvolveram arte,

Leia mais

Como Eu Ensino Biomas brasileiros Material de apoio

Como Eu Ensino Biomas brasileiros Material de apoio Roteiro da atividade: Jogo da Sobrevivência Como jogar 1. Cada jogador iniciará o jogo com uma população de sessenta quatis na primeira geração e, portanto, marcará na folha-região 60 indivíduos no eixo

Leia mais

América Latina: quadro natural e exploração dos recursos naturais

América Latina: quadro natural e exploração dos recursos naturais Yiannos1/ Dreamstime.com América Latina: quadro natural e exploração dos recursos naturais Imagem de satélite do continente americano. Allmaps Allmaps Divisão Política (por localização) América do Norte

Leia mais

África. Palavras amáveis não custam nada e conseguem muito. Blaise Pascal 30. www1.folha.uol.com.br

África. Palavras amáveis não custam nada e conseguem muito. Blaise Pascal 30. www1.folha.uol.com.br África Acredita-se que a situação atual da África seja resultado da maneira em que foi colonizado pelos Europeus. Por meio de colônia de exploração de recursos mineiras, separação dos territórios tribais

Leia mais

MAS O QUE É A NATUREZA DO PLANETA TERRA?

MAS O QUE É A NATUREZA DO PLANETA TERRA? MAS O QUE É A NATUREZA DO PLANETA TERRA? A UNIÃO DOS ELEMENTOS NATURAIS https://www.youtube.com/watch?v=hhrd22fwezs&list=plc294ebed8a38c9f4&index=5 Os seres humanos chamam de natureza: O Solo que é o conjunto

Leia mais

1-Em janeiro de 2011, os jornais noticiaram que os protestos contra o governo do Egito poderiam ter um efeito colateral muito sério: a destruição ou

1-Em janeiro de 2011, os jornais noticiaram que os protestos contra o governo do Egito poderiam ter um efeito colateral muito sério: a destruição ou 1-Em janeiro de 2011, os jornais noticiaram que os protestos contra o governo do Egito poderiam ter um efeito colateral muito sério: a destruição ou dano de várias relíquias, obras e sítios arqueológicos

Leia mais

COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação 2012

COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação 2012 COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação 2012 1º PROVA SUBSTITUTIVA DE HISTÓRIA Aluno(a): Nº Ano: 1º Turma: Data: Nota: Professor(a): Élida Valor da Prova: 65 pontos Orientações gerais: 1) Número de

Leia mais

De Creta a Micenas. As Origens do Mundo Grego

De Creta a Micenas. As Origens do Mundo Grego De Creta a Micenas As Origens do Mundo Grego 1 O início da História Entre os séculos XX a.c. e XVI a.c., floresceu em Creta, a maior ilha do Mediterrâneo, uma brilhante civilização, que influenciou a desenvolvida

Leia mais

ÁFRICA. Prof. Marcos

ÁFRICA. Prof. Marcos ÁFRICA Prof. Marcos REGIÕES AFRICANAS NORTE DA ÁFRICA (PREDOMÍNIO DE POVOS ÁRABES) EXPANSÃO DO ISLAMISMO, PÓS SÉC. VII Queniano (África Subsahariana) e Marroquino (Norte da África) MAGREB ( poente ) Especiarias

Leia mais

COLÉGIO MARISTA DE BRASÍLIA Educação Infantil e Ensino Fundamental Aluno(a): 8º Ano: Nº Professor(a): Data: / / Componente Curricular: HISTÓRIA

COLÉGIO MARISTA DE BRASÍLIA Educação Infantil e Ensino Fundamental Aluno(a): 8º Ano: Nº Professor(a): Data: / / Componente Curricular: HISTÓRIA COLÉGIO MARISTA DE BRASÍLIA Educação Infantil e Ensino Fundamental Aluno(a): 8º Ano: Nº Professor(a): Data: / / Componente Curricular: HISTÓRIA 2011/HIST8ANOEXE2-PARC-1ºTRI-I AVALIAÇÃO PARCIAL 1º TRIMESTRE

Leia mais

Ano de 5000 a.c. em várias localidades do território chinês, já havia grupos humanos dedicados a caça, a coleta, a pecuária e a agricultura.

Ano de 5000 a.c. em várias localidades do território chinês, já havia grupos humanos dedicados a caça, a coleta, a pecuária e a agricultura. China Ano de 5000 a.c. em várias localidades do território chinês, já havia grupos humanos dedicados a caça, a coleta, a pecuária e a agricultura. O vale do rio Amarelo (ou rio Huang-Ho), foi o berço da

Leia mais

Fonte: Rondônia Rural Disponível em: Rondônia Rural.com

Fonte: Rondônia Rural Disponível em: Rondônia Rural.com I. INTRODUÇÃO O estado de Rondônia está localizado na região Norte do Brasil, a região Norte é a maior das cinco regiões do Brasil definidas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)

Leia mais

07. Alternativa c. Seja PABC a pirâmide regular, com as medidas indicadas. Tem-se:

07. Alternativa c. Seja PABC a pirâmide regular, com as medidas indicadas. Tem-se: + + = = = + = = = = = = 07. Alternativa c. Seja PABC a pirâmide regular, com as medidas indicadas. Tem-se: (1) PP'A: 4 = cos60º = 1 = () PABC é regular P' é baricentro y = y = () ABC é equilátero + y =

Leia mais

A dinâmica do relevo terrestre e A hidrografia terrestre

A dinâmica do relevo terrestre e A hidrografia terrestre 1 O relevo terrestre é formado e modelado pela ação de diversos agentes internos (movimentos tectônicos, vulcanismo, terremoto) e externos (ação das águas, do vento e do próprio homem). Explique de que

Leia mais

Bureau de Inteligência Competitiva do. Café. Série Potenciais Concorrentes do Café Brasileiro Peru Nº. 6 28/10/2013. www.icafebr.

Bureau de Inteligência Competitiva do. Café. Série Potenciais Concorrentes do Café Brasileiro Peru Nº. 6 28/10/2013. www.icafebr. Bureau de Inteligência Competitiva do Café Série Potenciais Concorrentes do Café Brasileiro Peru Nº. 6 28/10/2013 www.icafebr.com PARA TER ACESSO AOS DEMAIS RELATÓRIOS DO BUREAU, NOTÍCIAS E COTAÇÕES, ACESSE:

Leia mais

1º Período UNIDADE 1. Exercícios; A aventura de navegar

1º Período UNIDADE 1. Exercícios; A aventura de navegar 1º Período UNIDADE 1 A aventura de navegar Produtos valiosos Navegar em busca de riquezas Viagens espanholas Viagens portuguesas Ampliação O dia a dia dos marinheiros Conhecer as primeiras especiarias

Leia mais

IMPACTOS DA TECNOLOGIA NA AGROPECUÁRIA 1 *

IMPACTOS DA TECNOLOGIA NA AGROPECUÁRIA 1 * IMPACTOS DA TECNOLOGIA NA AGROPECUÁRIA 1 * Antonio Wilson Nogueira Filgueiras UEMG Unidade Carangola Harlen Pereira Ferreira UEMG Unidade Carangola Felipe Silva Vieira UEMG Unidade Carangola Marcela Silva

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA HISTÓRIA

A IMPORTÂNCIA DA HISTÓRIA A IMPORTÂNCIA DA HISTÓRIA A IMPORTÂNCIA DAS VIAGENS NA NOSSA VIDA PARA SABERMOS VER MELHOR A VIDA PERCEBERMOS O NOSSO PAPEL NO MUNDO PARA ENTENDERMOS O PRESENTE PARA SABERMOS COMO CHEGAMOS ATÉ AQUI VINDOS

Leia mais