1.1. Grupo: PET-SI 1.2. Home Page do Grupo: Data da Criação do Grupo: janeiro/ Natureza do Grupo:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "1.1. Grupo: PET-SI 1.2. Home Page do Grupo: http://www.petsi.facom.ufu.br 1.3. Data da Criação do Grupo: janeiro/2012 1.4. Natureza do Grupo:"

Transcrição

1 PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL INSTITUCIONAL Planejamento Anual de Atividades (1 de janeiro de 2013 a 31 de dezembro de 2013) 1. IDENTIFICAÇÃO 1.1. Grupo: PET-SI 1.2. Home Page do Grupo: Data da Criação do Grupo: janeiro/ Natureza do Grupo: (X) Curso de graduação: Curso de Bacharelado em Sistemas de Informação ( ) Multi/Inter-disciplinar... (tema) ( ) Área do Conhecimento... (cursos relacionados) ( ) Institucional... (nome do Câmpus) 1.5. Nome do (a)tutor (a) Mauricio Cunha Escarpinati do (a)tutor (a) 1.7. Titulação e área: Doutor em Engenharia Elétrica 1.8. Data de ingresso do (a) Tutor (a) (mês/ano): janeiro/ ORIENTAÇÕES GERAIS Observar atentamente as diretrizes abaixo, tomando-as como orientação para a elaboração e redação do presente planejamento, de forma a evidenciar e retratar com clareza as atividades do grupo e do tutor quanto ao atendimento dos objetivos do Programa: O programa tem como objetivo, entre outros, a formulação de novas estratégias de desenvolvimento e modernização do ensino superior no país, contribuindo para a redução da evasão escolar. As atividades do grupo devem ser orientadas pelo princípio da indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão. Desta forma, devem necessariamente contemplar, ao menos, todas estas três áreas da formação acadêmica, de forma equilibrada, contribuindo para a reflexão e autonomia intelectual do estudante; Quanto às atividades de Ensino, além do alinhamento com o Projeto Político Pedagógico Institucional, recomenda-se que as mesmas aprimorem a formação voltada ao processo ensino-aprendizagem, bem como busquem inovações metodológicas; Quanto às atividades de Extensão, recomenda-se que as mesmas aprimorem a formação voltada às demandas da sociedade, do contexto profissional e da responsabilidade social. Neste contexto, cabe lembrar que o assistencialismo não se caracteriza como atividade de Extensão;

2 Quanto às atividades de Pesquisa, recomenda-se que as mesmas aprimorem a formação voltada à reflexão sobre prioridades de pesquisa, aos métodos e metodologias de produção de conhecimento novo e análise crítica dos resultados; Sugere-se que tais atividades de Ensino, de Extensão e de Pesquisa sejam devidamente registradas nas instâncias específicas no âmbito da Instituição; O modelo adotado pelo Programa prevê atividades de natureza coletiva e interdisciplinar. Logo, o grupo deve atentar para a formação voltada para o trabalho em equipe, cuidando para o não excesso de atividades de caráter individual. Quanto à interdisciplinaridade, as atividades devem contemplar ampla abrangência de temas no contexto de atuação do grupo; Entre os objetivos do Programa estão a contribuição para a elevação da qualidade da formação acadêmica dos alunos de graduação, tendo como estratégia o efeito multiplicador do petiano sobre os seus colegas estudantes da Instituição, principalmente aqueles do primeiro ano de graduação; Quanto às estratégias para a formação diferenciada e qualificada dos estudantes estão o estímulo ao espírito crítico, a atuação profissional pautada pela cidadania e pela função social da educação superior bem como o estímulo da formação de profissionais e docentes de elevada qualificação técnica, científica, tecnológica e acadêmica. 3. ATIVIDADES PROPOSTAS No planejamento geral das atividades, considerar: A. A descrição da atividade em si; quais os objetivos da mesma; como a atividade será realizada. B. Quais os resultados que se espera com a atividade: o Resultados / produtos esperados com a atividade: melhorias para o Curso, para a Educação, para a sociedade, meios para a socialização dos resultados, publicações etc. o Resultados esperados na formação dos petianos: habilidades, competências, conhecimentos, saberes, reflexões instaladas etc. 3.1 Atividades de Ensino, Pesquisa e Extensão Atividades de Ensino Grupo de estudos nas disciplinas fundamentais do curso Devido ao alto índice de reprovação nas disciplinas fundamentais (Introdução a Programação de Computadores e Estruturas de Dados) serão criadas turmas de grupo de estudo para tais matérias com o intuito de reduzir a quantidade de alunos com dificuldades nas mesmas, ajudando assim não somente a diminuir os índices de retenção nessas disciplinas mas, indiretamente, a reduzir a evasões/desistências. Para tal serão criados grupos de estudo para revisar os assuntos dados em sala de aula e sanar dúvidas dos alunos. Os alunos do PET-SI se dividirão em duplas e se reunirão com os alunos inscritos nos grupos de estudos para auxiliá-los com dúvidas, na resolução de exercícios de forma participativa e interativa e, principalmente, auxiliá-los a criar uma rotina de estudo pró-ativo. As aulas serão distribuídas ao longo de todo semestre, não sendo somente realizadas próximas às datas de provas e acontecerão uma vez a cada quinze dias para cada disciplina, tendo o foco em tópicos já ministrados pelo professor. Acontecerão dois encontros de 2 horas cada por semana, alternando entre as disciplinas.

3 Desenvolvimento de sistema WEB para emissão de Memorando Interno da FACOM Ferramentas computacionais de auxílio ao processo administrativo do curso de Sistemas de Informação da Unidade onde o curso está inserido são importantes para o completo funcionamento de suas atividades diárias. Desta forma e com o objetivo de auxiliar na comunicação através dos processos de requisição via memorando entre os docentes e técnicos da FACOM, será desenvolvido um sistema web de emissão de MI (Memorando Interno) para maior eficiência em tais requisições. Através da construção do sistema, espera-se que os membros participantes do projeto desenvolvam habilidades em programação para plataforma web. Serão aplicados em uma situação real determinados conceitos trabalhados em sala de aula, o que contribuirá de maneira significativa na preparação dos integrantes do PET-SI para o mercado de trabalho. A primeira etapa do projeto do sistema consistirá no levantamento de requisitos do mesmo. Em seguida, será realizado o seu desenvolvimento utilizando a linguagem PHP, banco de dados MySQL e HTML, para então ser encaminhado à fase de testes. Depois de testado, o sistema será implementado no servidor da FACOM. O software trará grande contribuição para a FACOM que há muito carece de um sistema que automatize o tipo de serviço supracitado. Caso essa venha a ser uma experiência de sucesso, o sistema poderá ser replicado para as demais unidades da UFU Desenvolver sistema de apoio à coordenação do curso de Pós Graduação da FACOM O acesso aos materiais disponibilizados pelos docentes da FACOM (apresentações de slides, apostilas, documentos com exercícios e similares) e às suas informações acadêmicas em seus respectivos sítios eletrônicos é muitas vezes dificultado devido à falta de padronização dos layouts. Visando padronizar as páginas de disponibilização de conteúdos/informações dos professores, o projeto prevê o desenvolvimento de um sistema de apoio aos docentes que terá por funções facilitar a visualização de conteúdos de aulas por parte dos alunos e otimizar a integração de informações acadêmicas do docente à sua página. O sistema permitirá que o docente cadastre suas informações acadêmicas manualmente ou que ele as obtenha de seu currículo Lattes, e que tais informações tornem-se acessíveis. Além disto, a página de cada professor permitirá que este disponibilize material de aulas para download, seus projetos de pesquisa e sua produção acadêmica. O desenvolvimento do sistema permitirá que os membros participantes aprimorem suas habilidades em programação web. Conceitos vistos em sala de aula serão aplicados em uma situação real (levantamento de requisitos, modelagem de sistema, programação, implementação de sistema, dentre outros) o que auxiliará na preparação dos integrantes do

4 PET-SI para o mercado de trabalho. O cronograma de realização desta atividade contempla a análise dos requisitos, o levantamento das ferramentas a serem utilizadas, o desenvolvimento, teste e implementação do sistema. O sistema em um primeiro momento atenderá aos docentes da FACOM mas poderá ser disponibilizado para as demais unidades da UFU caso haja interesse Produção de videoaulas Tomando como base o projeto Uso de tecnologias audiovisuais no ensino de programação, de autoria do Dr. André R. Backes, professor da FACOM, e demais projetos do gênero como Khan Academy, Veduca e Coursera, o PET se coloca a disposição dos professores da FACOM como mão de obra na produção de material multimídia relacionados às disciplinas referentes à grade curricular do curso de Sistemas de Informação. Devido a grande falta de material multimídia gratuito e de qualidade, especialmente em língua portuguesa, a produção de materiais complementares às disciplinas curriculares apresenta uma alternativa de estudo, a fim de contornar os altos índices de reprovação do curso. Considerando que o projeto é de caráter aberto, o mesmo estará disponível a todo e qualquer cidadão que acesse o canal do projeto. De maneira geral, o PET atuará como mão de obra para a produção deste material, e ficará responsável por tarefas como: filmagem, edição, disponibilização e produção de material complementar ao projeto. Fica a cargo do docente parceiro, produzir o conteúdo e ministrar as aulas a serem gravadas. Como resultado, espera-se a criação um material de alta qualidade, sem que haja sobrecarga do docente. As matérias ministradas, frequência de disponibilização de material e demais detalhes, ficarão a cargo da demanda de docentes parceiros e da sua disponibilidade de tempo para o projeto. Os integrantes do PET-SI participantes irão adquirir experiência através do contato com mídias digitais e a utilização destas para a criação e propagação de conhecimento técnico e científico, além de conhecimentos acerca da manipulação de ferramentas de edição de áudio e vídeo Reuniões para discussões sobre a grade curricular do curso Uma vezes por mês serão realizadas reuniões com os membros do PET (incluindo tutor), professores e alunos de graduação interessados e representantes da coordenação para discussão e reflexão sobre a grade curricular do Curso de Bacharelado em Sistemas de Informação da UFU. O intuito das reuniões é detectar falhas e discutir melhorias no que diz respeito à grade curricular proposta para o curso. Estas reuniões propiciarão um melhoramento progressivo e iterativo ao curso, e os membros do PET poderão desenvolver uma visão mais crítica com relação a aspectos educacionais.

5 3.1.2 Atividades de Pesquisa Desenvolvimento de um sistema tutor inteligente Orientador(a): prof. Alexsandro Santos Soares Orientando: Higor Ernandes Ramos Silva Sistemas tutores e de e-learning têm sido cada vez mais comuns na internet, uma vez que facilitam o acesso ao conhecimento, tornando-o rápido e cômodo. O advento de sistemas de ensino de linguagens de programação em plataformas web tem trazido consigo excelentes formas de aprender rapidamente e sem que sejam feitos altos investimentos financeiros, além de oferecerem mobilidade e conforto. Apesar da boa comunicação com o estudante que os sistemas atuais oferecem, a capacidade de adaptação ao estudante ainda necessita de melhorias. Baseado na teoria de inteligências múltiplas, que prevê formas diferentes de obtenção de conhecimento para diferentes indivíduos, o sistema se propõe a oferecer exercícios de tipos diferentes e recursos multimídia que auxiliem o estudante em seu aprendizado. O projeto consiste na construção e implementação de um sistema tutor inteligente que agrega funções de adaptabilidade às características do estudante. O sistema é capaz de perceber a melhor forma de aprendizado do estudante, os recursos de ensino com os quais ele tem mais facilidade de aprender, como por exemplo, pela execução de exercícios de múltipla escolha, de inserção de código, pela visualização de vídeos ou pela leitura de textos. O sistema é dividido em quatro módulos, com funções específicas: O Módulo do de Comunicação, responsável pela interação do sistema com o estudante, apresentação dos dados, exercícios, vídeos e outros recursos para o mesmo (interface gráfica). O Módulo Pedagógico, responsável pela correção dos exercícios feitos e escolha da melhor forma de ensino para cada estudante (níveis de exercícios, recursos multimídia, etc.). O Módulo do Estudante, responsável por conduzir o estudante pelo curso, através do uso de Redes Bayesianas e estatísticas, aprendendo e entendendo suas preferências, como por exemplo, as melhores formas de ensinar um determinado tópico ou o melhor layout a ser utilizado (preferências visuais do usuário). O Módulo do Domínio, no qual o foco do trabalho no projeto se encontrará, cujas funções dentro do sistema são: Estruturação, armazenamento e restauração de exercícios; Estruturação, armazenamento e restauração de apresentações; Estruturação, armazenamento e restauração de recursos multimídia; Estruturação, armazenamento e restauração de erros cometidos pelo usuário (estudante que utiliza o sistema); Estruturação, armazenamento e restauração de estereótipo de estudante (estilo de aprendizagem/perfil do estudante);

6 Estruturação, armazenamento e restauração da hierarquia de subtópicos de um determinado assunto (conteúdos de uma matéria). O projeto utiliza como ferramentas principais a linguagem funcional de programação Clojure em sua versão 1.4.0, a linguagem de marcação de dados XML em sua versão 1.0 e banco de dados H2 em sua versão Sua implementação ocorrerá inicialmente nos laboratórios de informática com o objetivo de auxiliar os alunos dos cursos de Ciências da Computação e Sistemas de Informação da UFU, podendo ser posteriormente expandido para outras universidades e/ou web Análise cinemática utilizando câmeras de profundidade Orientador(a): prof. Mauricio Cunha Escarpinati Orientando: Bruno César Sales Alves Análise cinemática é uma área que visa auxiliar no aperfeiçoamento e movimento de marcha humana, que possibilita também analisar o movimento de determinados membros, músculos, articulações e forças que atuam sobre eles. A proposta de trabalho constitui-se em investigar se a câmera de profundidade (Time-of- Flight ou TOF) do Kinect proporciona contribuições significativas no desenvolvimento deste tipo de ferramenta. Em trabalhos prévios foi desenvolvido um algoritmo que realiza uma série de medidas relativas aos movimentos do corpo humano, tais como, angulação das articulações, extensão dos músculos, padrão e ritmo do movimento dos braços. Até o momento, como resultado preliminar, é possível medir as distâncias entre uma articulação do corpo e outra em tempo real, como por exemplo, a distância entre o punho direito e o cotovelo direito. Nesta nova etapa, o projeto terá continuidade, tomando como ponto de partida os métodos e estudos já desenvolvidos. A atividade proposta desse ano, será definir a metodologia a ser adotada para validar as informações fornecidas pelo sistema e atestar, ou não, sua confiabilidade Interpretador Léxico Sintático de Linguagem C para dispositivos Android Orientador(a): prof. André Ricardo Backes Orientando: Gabriel Eduardo da Silva A linguagem C foi criada na década de 70, como a linguagem de implementação para o então nascente sistema Unix. Derivada da linguagem BCPL, a mesma desenvolveu uma estrutura de tipo, sendo criada em uma pequena máquina como uma ferramenta que visava melhorar um ambiente de programação escasso. Sendo hoje a Linguagem de Programação mais popular do mundo, a meso é usada como linguagem base de diversos cursos da área da

7 computação,entre eles os cursos de Sistemas de Informação (GSI Introdução a Programação de Computadores) e Ciência da Computação (GBC 014 Programação Procedimental), da Universidade Federal de Uberlândia. Um Interpretador Léxico-Sintático tem como objetivo analisar uma sequência de entrada e determinar através da análise léxica e da análise sintática, se a entrada corresponde ao nosso alfabeto no caso a Linguagem C de Programação. A análise sintática consiste em analisar uma sequência de entrada como um arquivo texto ou entrada de um teclado para determinar sua estrutura gramatical segundo uma gramática formal qualquer. A análise léxica é o processo de analisar a entrada de linhas de caracteres e produzir uma sequência de símbolos léxicos. Sendo esta uma forma de verificar determinado alfabeto, analisando a ocorrência de caracteres pertencentes ou não ao nosso alfabeto. Nossa proposta de trabalho é construir um Interpretador Léxico - Sintático básico, capaz de interpretar um arquivo texto e distinguir se ele segue os padrões de um algoritmo em linguagem C. Ao fim do projeto, o mesmo será integrado a um aplicativo de apoio ao estudo da Linguagem supracitada. A escolha da plataforma Android se deve a dois motivos básicos: A popularidade da plataforma e seu caráter aberto. Hoje o Android tem a maior base instalada entre as plataformas móveis, chegando a um milhão de ativações por dia. A mesma é uma plataforma de código-aberto, liderada e disponibilizada pela Google criadora da plataforma. Cronograma de Atividades: Estudo de desenvolvimento para dispositivos Android. Estudo de Autômatos de Estado Finito. Estudo de Teoria dos Compiladores, Análise Léxica e Sintática, Desenvolvimento do Interpretador Léxico-Sintático Criação do aplicativo para plataforma Android. Produção do Artigo Disponibilização do Artigo e do Código-Fonte do Projeto efapp Desenvolvimento de abordagem para auxílio pedagógico no ensino de linguagens de programação em plataformas móveis. Orientador(a): prof. Fabiano Azevedo Dorça Orientandos: Vandré Leal Cândido Rafael Vieira Mendes O aprendizado de linguagens de programação constitui-se um empecilho para grande porcentagem dos estudantes da área computacional. A criação de uma ferramenta móvel de auxílio pedagógico de comportamento inteligente proporcionaria, nesse âmbito, uma nova

8 abordagem de ensino adaptável ao perfil do estudante e capaz de suprimir dúvidas comuns remotamente, ou seja, agiria como instrumento de preparação no ambiente extra-acadêmico. Propõe-se, então, o desenvolvimento de uma ferramenta, atualmente nomeada como efapp (Ferramenta eletrônica de Auxílio Pedagógico em Programação), que visa a utilização de plataformas móveis como ferramenta de auxílio no processo de aprendizagem dos alunos, com base na utilização de técnicas automáticas para modelagem do perfil do usuário e adaptação do conteúdo e teor das atividades pedagógicas a serem apresentadas. Objetiva-se também a criação de uma interface de comunicação direta entre educador e estudante que possibilite a hospedagem de conteúdo auxiliar e o desenvolvimento de atividades extras que agreguem o conteúdo contemplado em classe, aspecto que possibilitaria a identificação de pontos críticos com base em análises estatísticas acerca do desempenho geral dos alunos participantes. O sistema tutor inteligente proposto será desenvolvido aplicando conceitos das áreas de inteligência artificial e M-Learning (Mobile Learning). O objetivo inicial consiste no desenvolvimento da abordagem e construção de um modelo tutor eficaz para posterior implementação móvel da ferramenta Desenvolvimento de uma aplicação móvel para visualização de modelos 3D voltada para áreas biomédicas. Orientador(a): prof. Mauricio Cunha Escarpinati Participantes: todos do PET-SI juntamente com o PET - Medicina Nota-se certa dificuldade no processo de ensino de anatomia nos cursos da área biomédica. Tal dificuldade está intimamente ligada à complexidade de visualização de modelos corpóreos. Imagens não são suficientes, em diversas ocasiões, para completo detalhamento de certas áreas do corpo humano. Há necessidade de desenvolvimento de outras formas de demonstração que facilitem e aperfeiçoem o processo pedagógico. Devido a essa demanda por novos métodos de ensino, o PET-SI tem como objetivo desenvolver um visualizador 3D digital que possa ser executado a partir de dispositivos móveis (tablets, smartphones) de forma a possibilitar acesso fácil e remoto. A escolha da plataforma móvel é justificada pela facilidade de acesso e nível de propagação no atual cenário computacional. O aplicativo visa oferecer modelos 3D interativos do corpo humano que possibilite o detalhamento de todos os órgãos, com a presença de controles de fácil utilização para manipulação dos modelos oferecidos. Lembrando que, será possível analisar certo órgão individualmente caso necessário. O estágio atual de desenvolvimento permite a visualização de modelos geométricos e aplicação de certos métodos de manipulação como: alteração de modelo, rotação, aplicação de zoom. O software em questão será desenvolvido usando a API OpenGL (padrão comumente adotado na indústria de hardware e renderização 3D). A principio, será construído apenas para o sistema Android, podendo posteriormente ser estendido aos sistemas ios e Windows Phone.

9 Espera-se que os integrantes do PET-SI obtenham e apliquem conhecimentos em computação gráfica, desenvolvimento para dispositivos móveis, biblioteca gráfica OpenGL ES, dentre outros, na construção do software Desenvolvimento de aplicação móvel de detecção e classificação de espécies de folhas utilizando métodos de análise de imagens Orientador(a): prof. André Ricardo Backes Orientandos: Renato Rodrigues da Silva Rafael Cunha de Oliveira A utilização de métodos discriminantes é de grande importância, pois permite estabelecer diferenciação qualitativa e/ou quantitativa entre amostras de dados. Principalmente nos dias de hoje onde o volume de informação é muito grande, a classificação é uma boa prática para melhoramento de processos em geral que utilize informações como base. Métodos não só discriminantes, mas estatísticos implementados em programas de computador servem de grande avanço para processos que necessitariam de muito trabalho manual ou mesmo que nem poderiam ser realizados desta forma. Alguns exemplos destes métodos são Earth Mover s Distance (EMD) e Dynamic Time Warping (DTW) que podem ser utilizados para comparações de padrões de fala e de cadeias de DNA/RNA. A classificação estatística depende da montagem de uma bem estruturada base de testes, ou seja, amostras agrupadas em determinadas classes, de modo que estas compartilhem de certas características comuns e que sirvam de base comparativa (treino) à novas amostras sem classificação (teste). No caso de análise de imagens, a extração de características estatisticamente representativas pode ser realizada através do uso de vários métodos. A análise de complexidade, por exemplo, engloba uma série de procedimentos relevantes a esse tipo de objetivo e refere-se à análise de certas características existentes na imagem através de metodologias como a dimensão fractal, a caminhada determinística, entre outras. No trabalho proposto, tem-se por objetivo desenvolver uma aplicação para dispositivo móvel que permita ao usuário capturar imagens de folhas vegetais através do dispositivo. Interativamente, o sistema irá fazer os devidos processamentos da imagem a fim de identificar a região da mesma que se trata da folha em si (por exemplo, em imagens de baixo contraste). Será possível que o usuário interaja ao sistema marcando em tela o contorno aproximado da folha como auxilio a sua detecção. Assim, através de alguns métodos matemáticos, o sistema pode chegar mais facilmente ao corte esperado. A partir daí é possível transformar o recorte relevante da imagem em dados computacionalmente legíveis e melhor trabalhados estatisticamente. Através de métodos de extração de características citados e classificação, espera-se chegar a uma possível classificação da amostra para o usuário. O trabalho também visa pesquisar combinações ou novas formas de métodos de extração de características representativas que se enquadrem especificamente ao ambiente abordado.

10 O sistema será construído utilizando a linguagem de programação Java para a plataforma Android, um sistema operacional livre para dispositivos móveis bastante conhecido e difundido entre os usuários deste tipo de dispositivo. A versão de Android utilizada será a 2.3.3, por ser a mais comum entre elas. Para a elaboração da aplicação inicialmente será feita a etapa de levantamento de requisitos do sistema e dar entrada a fase de pesquisa de operações estatísticas que melhor satisfaçam a proposta. Para o desenvolvimento da aplicação será utilizado o ambiente de desenvolvimento integrado Eclipse, com aplicação de padrões arquiteturais de projeto, visando modularização, reaproveitamento e eficiência de código. Para usuários da área biológica principalmente, este sistema será de relevante acréscimo, visto que propiciará uma melhor prática de exploração em campo, por se tratar de um aplicativo para dispositivo móvel. Os participantes do projeto poderão adquirir experiência de suma importância nas áreas de estatística multivariada, análise de imagens e metodologia matemática, e também na prática de desenvolvimento para dispositivos móveis. Além disso, os alunos terão contato com áreas diferentes e novas formas de contribuição que a computação pode trazer às mesmas. O contato com pesquisa de técnicas de análise de imagens e extração de características além de iterações humana-dispositivo são aspectos de grande enriquecimento por parte do projeto aos pesquisadores Verificação de dependências funcionais em dados XML Orientador(a): prof. Maria Adriana Vidigal de Lima Orientando: Leonardo Pimentel Ferreira As restrições de integridade no que diz respeito a banco de dados têm um importante papel na qualidade dos esquemas de dados, servindo também de base para a teoria das formas normais do modelo relacional. Da mesma forma, no contexto XML foram propostas várias definições para exprimir chaves primárias, estrangeiras e dependências de dados. Para representar uma restrição de integridade em XML não é necessário o conhecimento da estrutura completa do documento, apenas os caminhos utilizados pela restrição podem ser expressos e verificados no documento XML. Neste estudo, a validação de uma dependência funcional XML (XDF) utiliza como ponto de partida o método genérico de validação definido, que tem como entradas um documento XML e um conjunto de restrições de integridade e verifica se todas as restrições são respeitadas pelo documento, utilizando um único percurso no documento. Uma XDF é descrita por expressões de caminho, e por conseguinte, pode ser formalizada por autômatos finitos. Este trabalho tem como proposta a continuação dos trabalhos realizados no ano anterior para a criação de um ambiente computacional para verificar se um documento XML respeita um conjunto de dependências funcionais. Em particular, pretende-se: Estudar as APIs (Application Programming Interface) da linguagem Java destinadas à manipulação de dados XML: SAX e DOM; Estudar técnicas e ferramentas de programação Java/XML para Web;

11 Aprimorar o aplicativo web já iniciado usando Java, Apache Tomcat, Eclipse. Estudar as dependências funcionais no contexto XML; Estudar o algoritmo de validação de um conjunto de dependências, que deve retornar um conjunto de respostas, uma para cada dependência, já implementado em linguagem Java; Criar ambiente Web para a validação de um documento XML em relação a um conjunto de dependências funcionais; Adequar o software de modo a operar sob a licença de software LGPL; Elaborar um artigo científico mostrando os resultados Atividades de Extensão Minicurso de HTML5, CSS, JavaScript Programações para internet e design de websites formam um dos mercados mais ativos no ramo de tecnologia. As empresas cada vez mais demandam por profissionais capazes de construir websites com boa performance, estilo e boa aparência. O HTML é uma das linguagens mais populares na montagem de páginas web. Com o recente lançamento do HTML5 que permite maior controle de conteúdo multimídia, novas API S e ainda permitindo a criação de sites mais rápidos e códigos mais limpos, está se tornando popular entre os desenvolvedores. O CSS (Cascading Style Sheets) é uma linguagem de estilo utilizada para simplificar o processo de formatação das páginas, centralizando os estilos em um único arquivo, assim, quando for necessário, é feita apenas uma modificação. Neste sentido, tem-se por objetivo oferecer um mini-curso aos alunos da FACOM com o objetivo de ensinar os conceitos básicos de utilização do HTML5 e CSS de forma que os alunos sejam capazes de criar e personalizar suas próprias páginas web, assim, tendo a base para estender seus conhecimentos na linguagem. O minicurso está programado para ter 10 horas de duração e será voltado para os alunos da FACOM Minicurso de PHP orientado a objetos PHP é uma linguagem de programação altamente utilizada para o desenvolvimento de sistemas WEB, sendo que, a grande utilização deve-se a facilidade na criação de softwares, pois esta linguagem de programação possui tipagem dinâmica de variáveis. Ou seja, não é necessária a declaração explícita do tipo das variáveis durante o desenvolvimento. As variáveis não são declaradas como um mesmo tipo genérico, é que o interpretador PHP é capaz de detectar qual o tipo da variável criada e fazer a devida alocação de memória. Outro fato que influiu na disseminação desta linguagem é o fato de ela ser interpretada e não compilada, fazendo com que testes e correções sejam feitos mais rapidamente, dispensando a tradução para arquivos objetos e executáveis.

12 Um problema considerável quanto aos programadores desta linguagem, é que estes, em sua maioria, se deixam levar pela facilidade de programação da linguagem e não se preocupam com elementos básicos para uma programação bem estruturada, desconsiderando aspectos importantes como organização, modularização e reutilização de código, fazendo com que manutenções futuras sejam dificultadas. Algumas técnicas podem ser aplicadas para tornar o código fonte de um sistema em PHP melhor estruturado e eficiente. Utilizando-se de prática de orientação a objetos é possível aplicar e, principalmente, resolver o problema da modularização e reuso de código. Outra técnica considerável é a utilização de padrões de projeto estruturais que permitem fracionar partes do código do sistema, em diferentes pacotes, facilitando manutenções e correções futuras. O minicurso que será realizado como curso de extensão à comunidade, visa além de ensinar as técnicas de programação desta linguagem, ensinar as boas técnicas de estruturação de projeto supracitadas neste tópico, visando que estas sejam cada vez mais utilizadas no meio profissional. Os membros do PET que ministrarem este curso terão um considerável crescimento técnico na linguagem PHP e nas técnicas de estruturação adotadas, além de aprimorarem suas habilidades de transmissão de conhecimento. O minicurso está programado para ter 10 horas de duração e será voltado para os alunos da FACOM Curso de capacitação na suíte de edição LibreOffice e informática básica aos funcionários do HCU Diante da iniciativa do governo em consolidar a utilização de software livre em suas diversas repartições, o uso da suíte de edição LibreOffice vem se tornando, cada vez mais, a principal ferramenta para execução dos trabalhos do cotidiano de funcionários públicos. Assim, para garantir uma utilização plena desta ferramenta e um melhor aproveitamento de seus recursos, o curso de capacitação será de suma importância para os funcionários do Hospital de Cínicas de Uberlândia. O PET Sistemas de Informação, através de projetos como este, de extensão, tem como um dos principais intuitos, levar à sociedade extraacadêmica o máximo de contribuições no âmbito do aprendizado, cultura e ciência. Um projeto de metas objetivas, porém, de crescimento mútuo. Neste projeto, será ministrado aos funcionários do HCU (Hospital de Clínicas de Uberlândia), um curso de capacitação na suíte de edição LibreOffice e informática básica. O curso de LibreOffice é composto por três seções de acordo com os programas que compõem a suíte: Writer, Calc e Impress, totalizando em 90 horas de curso a cada turma, que no final totalizará 150 (cento e cinquenta) alunos. Em cada seção, os alunos receberão o respectivo material: uma apostila digital atualizada e elaborada pelo grupo PET-SI, totalmente baseada na documentação oficial LibreOffice. O curso será ministrado a 5 (cinco) turmas de 30 (trinta) alunos cada no total. Durante o ano de 2012 duas turmas já receberam o curso de LibreOffice. No decorrer do ano de 2013 o curso será ministrado a três turmas restantes (sendo uma de informática básica).

13 A metodologia de ensino será através de aulas totalmente presenciais de três horas, duas vezes por semana. Cada aula tem o suporte de dois instrutores, para melhor atendimento dos alunos. Um dos instrutores trabalha de forma a dar monitoria aos alunos, enquanto o outro é responsável por ministrar a aula. Os instrutores revezam nos postos. O projeto será executado no CTI (Centro de Tecnologia da Informação) da Universidade Federal de Uberlândia, Av. Pará 1720, bloco 2Y Campus Umuarama, Uberlândia MG CEP CP 592. Ao final do curso espera-se que o aluno seja capaz de entender o básico da operação de computadores e desenvolver tarefas, como técnicas para elaboração de documentos de texto, planilhas eletrônicas e apresentações de slides. Como consequência, os integrantes do PET-SI participantes do projeto aprimorarão seus conhecimentos na suíte de aplicativos LibreOffice, bem como desenvolverá habilidades de transmissão de conhecimento através da atividade de ministrar aulas Desenvolvimento de um software para cadastro de famílias atendidas pela ONG Ação Moradia O PET-SI desenvolve um trabalho de extensão com a ONG Ação Moradia do bairro Morumbi. Este trabalho prestado à ONG consiste no desenvolvimento de um sistema de gerenciamento de famílias que será vital para a evolução e continuação dos trabalhos providos pela ONG, pois o mesmo organizará os dados das famílias e facilitará o controle dos benefícios que estas famílias recebem de projetos sociais, por exemplo, na inscrição de cursos oferecidos. Este software está sendo desenvolvido na plataforma web e inicialmente funcionará em rede local. O projeto iniciou-se em 2012 e já foram feitas visitas à ONG para a análise de requisitos. O software encontra-se em fase avançada de desenvolvimento, prestes a entrar na fase de testes. Pretende-se terminar este trabalho no ano de O desenvolvimento deste sistema irá contribuir para a formação dos envolvidos, através do ganho de experiência em desenvolvimento web. Além disso, o sistema auxiliará na organização das atividades da ONG, ressaltando a importância das atividades de extensão. 3.2 Atividades de Caráter Coletivo e Integrador atividades integradas com demais estudantes / grupos, participação em eventos do Programa ou não, entre outros

14 3.2.1 Pedalada do SI Além de transmitir conhecimento científico, um dos papéis da universidade é o de promover atividades extracurriculares que agreguem valores sociais aos alunos. A pedalada do SI tem como visão integrar alunos e professores do curso de Sistemas de Informação para uma atividade descontraída e de prática esportiva, neste caso, o ciclismo e exploração de trilhas naturais. Este evento tem relevante importância, pois além da aproximação dos alunos e professores, conscientiza os participantes da importância das atividades físicas bem como da preservação do meio ambiente, uma vez que permite o contato direto com a natureza Recepção dos ingressantes Geralmente os alunos ingressantes de Sistemas de Informação ficam desconfortáveis durante os primeiros contatos com o ambiente universitário. Sendo um dos propósitos do PET-SI realizar atividades de caráter coletivo e integrador com os alunos do curso, faremos a recepção dos ingressantes do curso de SI de Uberlândia e de Monte Carmelo nas primeiras semanas dos semestres letivos de A atividade de recepcionar os alunos ingressantes tem o objetivo de deixá-los familiarizados com a universidade. Desta forma, realizaremos esta atividade principalmente para apresentar a universidade, motivar e alertar os ingressantes de seus papeis e responsabilidades como universitários. A forma como realizaremos a recepção aos alunos será por meio de uma apresentação expondo o que a universidade oferece aos alunos, incluindo o que tange o curso de Sistemas de Informação e seus componentes. Além disso, realizaremos a apresentação semelhante a uma conversa informal, exemplificando algumas experiências e dicas de organização e planejamento. Espera-se que no final da recepção, os alunos entendam o que poderão fazer durante a graduação e o quanto é importante realizá-la de maneira responsável. E ainda, que sintam integrados com os colegas do curso Happy Day Partindo do princípio de que a universidade não oferece somente ensino, mas também incentiva que atividades culturais façam parte do ambiente universitário, foi planejado para este ano o happy day. O happy day trata-se de um dia do mês (a ser definido) onde serão realizadas atividades culturais e de lazer voltadas para o PET-SI. As atividades realizadas em um mês não serão necessariamente as mesmas dos outros, pelo contrário, pretende-se diversificá-las, por

15 exemplo: atividades musicais, assistir filmes, realizar visitas em parques e/ou visitas técnicas nas empresas, dentre outros. Cada mês a atividade será definida e organizada por um membro do PET-SI Apresentação das Iniciações Científicas e Estudo de Línguas A língua inglesa é imprescindível nos dias atuais, pois a globalização faz com que se torne algo fundamental. O inglês é a língua internacional, a língua dos estudos, das viagens, dos negócios e um diferencial de grande importância para um profissional da área de TI. Cada integrante do PET deve possuir uma Iniciação Científica individual. Assim, em um determinado dia (a ser definido) cada integrante apresentará seu trabalho em língua inglesa ao restante do grupo. Além disso, os s trocados entre os membros do grupo deverão ser escritos em inglês. Assim, espera-se que estas atividades linguísticas acrescentem conhecimentos essenciais para um analista de sistemas. 4. OUTRAS AÇÕES QUE O GRUPO CONSIDERAR PERTINENTE processos seletivos, reuniões, organização de documentação, mecanismos de divulgação intra e extra Curso, entre outros Nada a mencionar. 5. DESCRIÇÃO DO PROCESSO DE TUTORIA planejamento quanto à participação/contribuição do (a) tutor (a) nas atividades e na formação dos petianos: definição das atividades e seus objetivos, acompanhamento e avaliação individual e coletiva, entre outros. 6. CRONOGRAMA PROPOSTO PARA REALIZAÇÃO DAS ATIVIDADES DO GRUPO

16 Legenda 1Q - Primeira quinzena 2Q - Segunda quinzena RE Reuniões PI - Pesquisa Individual PG - Pesquisa em Grupo MH - Minicurso de HTML5 e CSS MP - Minicurso de PHP

17 JC - Jornada da Computação PS - Pedalada do SI RI - Recepção dos Ingressantes GEL Grupo de Estudos em Línguas GL Grupo de Estudos nas disciplinas fundamentais do curso DSW - Desenvolvimento de sistema de M. I. DSM - Desenvolver sistema de apoio ao colegiado do mestrado PV - Produção de videoaulas LO - Curso de LibreOffice e informática básica ACM - Desenvolvimento de um software para ONG Ação Moradia HD - Happy Day Local e data: Uberlândia, 06 de Janeiro de Tutor (a)

Programa de Educação Tutorial - PET 2010. Edital CLA-PET 07/2012 Seleção de Tutor

Programa de Educação Tutorial - PET 2010. Edital CLA-PET 07/2012 Seleção de Tutor Programa de Educação Tutorial - PET 2010 Edital CLA-PET 07/2012 Seleção de Tutor A Universidade Federal do Pampa, através do Comitê Local de Acompanhamento do Programa de Educação Tutorial (CLA-PET), torna

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET Introdução à Computação A disciplina apresenta a área da Computação como um todo, desde a história e a evolução dos computadores

Leia mais

Planejamento Anual - 2014

Planejamento Anual - 2014 Planejamento Anual - 2014 Tutor Email SILVANA SOUZA SILVEIRA silvana.silveira@pucrs.br Informações do Planejamento Planejamento quanto à participação/contribuição do (a) tutor (a) nas atividades e na formação

Leia mais

ü Curso - Bacharelado em Sistemas de Informação

ü Curso - Bacharelado em Sistemas de Informação Curso - Bacharelado em Sistemas de Informação Nome e titulação do Coordenador: Coordenador: Prof. Wender A. Silva - Mestrado em Engenharia Elétrica (Ênfase em Processamento da Informação). Universidade

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE NIVELAMENTO. Curso: Bacharelado em Administração de Empresas

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE NIVELAMENTO. Curso: Bacharelado em Administração de Empresas PROGRAMA INSTITUCIONAL DE NIVELAMENTO Curso: Bacharelado em Administração de Empresas São Paulo 2014 Conteúdo 1. Introdução... 3 2. Objetivos... 3 3. Política de Nivelamento... 3 4. Diretrizes do Nivelamento...

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA (EAD) SISTEMAS PARA INTERNET INTRODUÇÃO À COMPUTAÇÃO 68 A disciplina estuda a área da informática como um todo e os conceitos fundamentais, abrangendo

Leia mais

EMENTAS DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS

EMENTAS DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS EMENTAS DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS INTRODUÇÃO À COMPUTAÇÃO 60 h 1º Evolução histórica dos computadores. Aspectos de hardware: conceitos básicos de CPU, memórias,

Leia mais

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ. Campus Ponta Grossa ANDRÉ LUIS CORDEIRO DE FARIA RELATÓRIO DE ESTÁGIO

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ. Campus Ponta Grossa ANDRÉ LUIS CORDEIRO DE FARIA RELATÓRIO DE ESTÁGIO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Campus Ponta Grossa ANDRÉ LUIS CORDEIRO DE FARIA RELATÓRIO DE ESTÁGIO Ponta Grossa 2012 ANDRÉ LUIS CORDEIRO DE FARIA RELATÓRIO DE ESTÁGIO Trabalho elaborado pelo

Leia mais

Planejamento Anual de Atividades 2015 (01 de março de 2014 a 31 de dezembro de 2015)

Planejamento Anual de Atividades 2015 (01 de março de 2014 a 31 de dezembro de 2015) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO DA REDE IFES PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL. Planejamento Anual de Atividades 2015 (01 de março de 2014 a 31 de dezembro

Leia mais

15 Computador, projeto e manufatura

15 Computador, projeto e manufatura A U A UL LA Computador, projeto e manufatura Um problema Depois de pronto o desenho de uma peça ou objeto, de que maneira ele é utilizado na fabricação? Parte da resposta está na Aula 2, que aborda as

Leia mais

O que é o Virto ERP? Onde sua empresa quer chegar? Apresentação. Modelo de funcionamento

O que é o Virto ERP? Onde sua empresa quer chegar? Apresentação. Modelo de funcionamento HOME O QUE É TOUR MÓDULOS POR QUE SOMOS DIFERENTES METODOLOGIA CLIENTES DÚVIDAS PREÇOS FALE CONOSCO Suporte Sou Cliente Onde sua empresa quer chegar? Sistemas de gestão precisam ajudar sua empresa a atingir

Leia mais

Revista Eletrônica da FANESE ISSN 2317-3769

Revista Eletrônica da FANESE ISSN 2317-3769 FRAMEWORK PARA TREINAMENTOS NA WEB BASEADO EM VÍDEO SOBRE DEMANDA Ícaro Carlos Andrade Costa 1 Igor Antônio Andrade Costa 2 Ricardo Ariel Correa Rabelo 3 Renata Azevedo Santos Carvalho 4 RESUMO A educação

Leia mais

SAPENS - Sistema Automático de Páginas de Ensino

SAPENS - Sistema Automático de Páginas de Ensino SAPENS - Sistema Automático de Páginas de Ensino Eduardo Kokubo kokubo@inf.univali.br Fabiane Barreto Vavassori, MSc fabiane@inf.univali.br Universidade do Vale do Itajaí - UNIVALI Centro de Ensino Superior

Leia mais

A CONSTRUÇÃO DE ESPAÇOS E MATERIAIS DIGITAIS PARA A EDUCAÇÃO MATEMÁTICA: O USO DO SMARTPHONE NO ENSINO DA GEOMETRIA

A CONSTRUÇÃO DE ESPAÇOS E MATERIAIS DIGITAIS PARA A EDUCAÇÃO MATEMÁTICA: O USO DO SMARTPHONE NO ENSINO DA GEOMETRIA A CONSTRUÇÃO DE ESPAÇOS E MATERIAIS DIGITAIS PARA A EDUCAÇÃO MATEMÁTICA: O USO DO SMARTPHONE NO ENSINO DA GEOMETRIA Autores : Agata RHENIUS, Melissa MEIER. Identificação autores: Bolsista IFC-Campus Camboriú;

Leia mais

PROJETO DE PESQUISA: UTILIZAÇÃO DE CALCULADORA CIENTÍFICA MODELO CASIO fx-82ms.

PROJETO DE PESQUISA: UTILIZAÇÃO DE CALCULADORA CIENTÍFICA MODELO CASIO fx-82ms. FUNDAÇÃO UNIVERSITARIA FEDERAL DO TOCANTINS UFT CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE PALMAS PROJETO DE PESQUISA: UTILIZAÇÃO DE CALCULADORA CIENTÍFICA MODELO CASIO fx-82ms. Autores: Prof. Paulo Alexandre Oliveira Acad.

Leia mais

PROJETO Pró-INFRA/CAMPUS

PROJETO Pró-INFRA/CAMPUS INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA CAMPUS AVANÇADO DE ARACATI PROJETO Pró-INFRA/CAMPUS IMPLEMENTAÇÃO DE SOLUÇÃO PARA AUTOMATIZAR O DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE UTILIZANDO A LINGUAGEM C#.NET

Leia mais

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA DE ASSUNTOS LEGISLATIVOS EDITAL SAL/MJ Nº 03, DE 14 DE JANEIRO DE 2015 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA DE ASSUNTOS LEGISLATIVOS EDITAL SAL/MJ Nº 03, DE 14 DE JANEIRO DE 2015 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA DE ASSUNTOS LEGISLATIVOS EDITAL SAL/MJ Nº 03, DE 4 DE JANEIRO DE 205 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Projeto BRA/07/004 Seleciona: Consultor para identificação das melhores

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta. Parte 1 (solicitante)

Aprovação do curso e Autorização da oferta. Parte 1 (solicitante) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO

Leia mais

Autores/Grupo: TULIO, LUIS, FRANCISCO e JULIANO. Curso: Gestão da Tecnologia da Informação. Professor: ITAIR PEREIRA DA SILVA GESTÃO DE PESSOAS

Autores/Grupo: TULIO, LUIS, FRANCISCO e JULIANO. Curso: Gestão da Tecnologia da Informação. Professor: ITAIR PEREIRA DA SILVA GESTÃO DE PESSOAS Autores/Grupo: TULIO, LUIS, FRANCISCO e JULIANO Curso: Gestão da Tecnologia da Informação Professor: ITAIR PEREIRA DA SILVA GESTÃO DE PESSOAS ORGANOGRAMA FUNCIANOGRAMA DESENHO DE CARGO E TAREFAS DO DESENVOLVEDOR

Leia mais

CAPITULO 4 A ARQUITETURA LÓGICA PARA O AMBIENTE

CAPITULO 4 A ARQUITETURA LÓGICA PARA O AMBIENTE CAPITULO 4 A ARQUITETURA LÓGICA PARA O AMBIENTE A proposta para o ambiente apresentada neste trabalho é baseada no conjunto de requisitos levantados no capítulo anterior. Este levantamento, sugere uma

Leia mais

PROPOSTA DE UM MODELO DE SISTEMA HIPERMÍDIA PARA APRESENTAÇÃO DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

PROPOSTA DE UM MODELO DE SISTEMA HIPERMÍDIA PARA APRESENTAÇÃO DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO PROPOSTA DE UM MODELO DE SISTEMA HIPERMÍDIA PARA APRESENTAÇÃO DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Fabiana Pacheco Lopes 1 1 Universidade Presidente Antônio Carlos (UNIPAC) fabipl_21@yahoo.com.br Resumo.Este

Leia mais

Curso de Educação Profissional Técnica de Nível Médio Subseqüente ao Ensino Médio, na modalidade a distância, para:

Curso de Educação Profissional Técnica de Nível Médio Subseqüente ao Ensino Médio, na modalidade a distância, para: INSTITUIÇÃO: IFRS CAMPUS BENTO GONÇALVES CNPJ: 94728821000192 ENDEREÇO: Avenida Osvaldo Aranha, 540. Bairro Juventude. CEP: 95700-000 TELEFONE: (0xx54) 34553200 FAX: (0xx54) 34553246 Curso de Educação

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO CST ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS INTRODUÇÃO À COMPUTAÇÃO 68 A disciplina estuda a área da informática como um todo e os conceitos fundamentais, abrangendo desde a

Leia mais

Projeto Pedagógico do Curso

Projeto Pedagógico do Curso Projeto Pedagógico do Curso Fundamentação Diretrizes curriculares do MEC Diretrizes curriculares da SBC Carta de Princípios da UNICAP Projeto Pedagógico Institucional da UNICAP Diretrizes Curriculares

Leia mais

NÚCLEO DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA E ENSINO DE FÍSICA E AS NOVAS TECNOLOGIAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES

NÚCLEO DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA E ENSINO DE FÍSICA E AS NOVAS TECNOLOGIAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES NÚCLEO DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA E ENSINO DE FÍSICA E AS NOVAS TECNOLOGIAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES Edson Crisostomo dos Santos Universidade Estadual de Montes Claros - UNIMONTES edsoncrisostomo@yahoo.es

Leia mais

ÍNDICE O QUE É... 2 COMO FUNCIONA... 3. Acervo... 3. Meus Livros... 4. Livros em destaque... 7. Fórum... 7. Notícias... 8. Ajuda... 9. Suporte...

ÍNDICE O QUE É... 2 COMO FUNCIONA... 3. Acervo... 3. Meus Livros... 4. Livros em destaque... 7. Fórum... 7. Notícias... 8. Ajuda... 9. Suporte... ÍNDICE O QUE É... 2 COMO FUNCIONA... 3 Acervo... 3 Meus Livros... 4 Livros em destaque... 7 Fórum... 7 Notícias... 8 Ajuda... 9 Suporte... 9 POR QUE USAR... 10 EQUIPE RESPONSÁVEL... 12 CONTATO... 13 O

Leia mais

a importância de formar profissionais para atuar nos campos de trabalho emergentes na área;

a importância de formar profissionais para atuar nos campos de trabalho emergentes na área; SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Resolução n. 66/ 2012 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em Computação, Licenciatura

Leia mais

Pedagogia. Objetivos deste tema. 3 Sub-temas compõem a aula. Tecnologias da informação e mídias digitais na educação. Prof. Marcos Munhoz da Costa

Pedagogia. Objetivos deste tema. 3 Sub-temas compõem a aula. Tecnologias da informação e mídias digitais na educação. Prof. Marcos Munhoz da Costa Pedagogia Prof. Marcos Munhoz da Costa Tecnologias da informação e mídias digitais na educação Objetivos deste tema Refletir sobre as mudanças de experiências do corpo com o advento das novas tecnologias;

Leia mais

11/3/2009. Software. Sistemas de Informação. Software. Software. A Construção de um programa de computador. A Construção de um programa de computador

11/3/2009. Software. Sistemas de Informação. Software. Software. A Construção de um programa de computador. A Construção de um programa de computador Sistemas de Informação Prof. Anderson D. Moura Um programa de computador é composto por uma seqüência de instruções, que é interpretada e executada por um processador ou por uma máquina virtual. Em um

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS MISSÃO DO CURSO A concepção do curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas está alinhada a essas novas demandas

Leia mais

SEMANA NACIONAL DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA 2014 FORMULÁRIO PARA SUBMISSÃO DE PROJETOS

SEMANA NACIONAL DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA 2014 FORMULÁRIO PARA SUBMISSÃO DE PROJETOS SEMANA NACIONAL DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA 2014 FORMULÁRIO PARA SUBMISSÃO DE PROJETOS Formulário para submissão de projeto Dados do Projeto e do (a) Orientador (a) do Projeto Título do Projeto: Um aplicativo

Leia mais

MELHORIA DE RECURSOS EDUCACIONAIS DAS DISCIPLINAS DE EXPERIMENTAÇÃO

MELHORIA DE RECURSOS EDUCACIONAIS DAS DISCIPLINAS DE EXPERIMENTAÇÃO MELHORIA DE RECURSOS EDUCACIONAIS DAS DISCIPLINAS DE EXPERIMENTAÇÃO 1. Identificação do proponente 1.1. Nome: Moeses Andrigo Danner 1.2. Vínculo com a instituição: Docente permanente 1.3. Coordenação /

Leia mais

Metodologia de Desenvolvimento de Sistemas

Metodologia de Desenvolvimento de Sistemas Metodologia de Desenvolvimento de Sistemas Aula 1 Ementa Fases do Ciclo de Vida do Desenvolvimento de Software, apresentando como os métodos, ferramentas e procedimentos da engenharia de software, podem

Leia mais

Sistema Gerenciador de Conteúdo OpenCms: um caso de sucesso no CEFET-MG

Sistema Gerenciador de Conteúdo OpenCms: um caso de sucesso no CEFET-MG Sistema Gerenciador de Conteúdo OpenCms: um caso de sucesso no CEFET-MG Marco T. A. Rodrigues*, Paulo E. M. de Almeida* *Departamento de Recursos em Informática Centro Federal de Educação Tecnológica de

Leia mais

Faculdade Escola Paulista de Direito

Faculdade Escola Paulista de Direito REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE DIREITO São Paulo 2014 ESCOLA PAULISTA DE DIREITO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE DIREITO ATIVIDADES COMPLEMENTARES As atividades

Leia mais

DESCRIÇÃO DA PLATAFORMA

DESCRIÇÃO DA PLATAFORMA DESCRIÇÃO DA PLATAFORMA Descrição da plataforma A efaculdade é uma plataforma de aprendizagem a distância, desenvolvida por profissionais brasileiros com o intuito de atender às necessidades de nossas

Leia mais

Introdução à Computação

Introdução à Computação Aspectos Importantes - Desenvolvimento de Software Motivação A economia de todos países dependem do uso de software. Cada vez mais, o controle dos processos tem sido feito por software. Atualmente, os

Leia mais

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 BAIXA DE CONTAS A PAGAR RELEASE 4.1

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 BAIXA DE CONTAS A PAGAR RELEASE 4.1 DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 BAIXA DE CONTAS A PAGAR RELEASE 4.1 SUMÁRIO DEFINIÇÃO DE REQUISITOS 4 1. INTRODUÇÃO 4 1.1 FINALIDADE 4 1.2 ESCOPO 4 1.3 DEFINIÇÕES, ACRÔNIMOS

Leia mais

SEPLAN. Secretaria de Estado de Planejamento e Desenvolvimento Econômico. RESOLUÇÃO Nº 003/2006 - CEPINF de 15 de agosto de 2006.

SEPLAN. Secretaria de Estado de Planejamento e Desenvolvimento Econômico. RESOLUÇÃO Nº 003/2006 - CEPINF de 15 de agosto de 2006. RESOLUÇÃO Nº 003/2006 - CEPINF de 15 de agosto de 2006. DEFINE a Política de Informática do Estado do Amazonas. O PRESIDENTE DO COMITÊ ESTADUAL DE POLÍTICA DE INFORMÁTICA, no uso de suas atribuições legais,

Leia mais

EaD como estratégia de capacitação

EaD como estratégia de capacitação EaD como estratégia de capacitação A EaD no processo Ensino Aprendizagem O desenvolvimento das tecnologias de informação e comunicação (tics) deu novo impulso a EaD, colocando-a em evidência na última

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL SENADOR FILINTO MÜLLER-EXTENSÃO CLAUDEMIR FORATINI DE OLIVEIRA. INTEGRANDO AS TICs NO ENSINO DE MATEMÁTICA

ESCOLA ESTADUAL SENADOR FILINTO MÜLLER-EXTENSÃO CLAUDEMIR FORATINI DE OLIVEIRA. INTEGRANDO AS TICs NO ENSINO DE MATEMÁTICA ESCOLA ESTADUAL SENADOR FILINTO MÜLLER-EXTENSÃO CLAUDEMIR FORATINI DE OLIVEIRA INTEGRANDO AS TICs NO ENSINO DE MATEMÁTICA IVINHEMA MS MAIO DE 2010 ESCOLA ESTADUAL SENADOR FILINTO MÜLLER-EXTENSÃO CLAUDEMIR

Leia mais

MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES PARA O CURSO DE FISIOTERAPIA

MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES PARA O CURSO DE FISIOTERAPIA MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES PARA O CURSO DE FISIOTERAPIA MONTES CLAROS - MG SUMÁRIO 1. Introdução 4 2. Obrigatoriedade das atividades complementares 5 3. Modalidades de Atividades Complementares

Leia mais

EMISSÃO DE CERTIFICADOS ELETRÔNICOS NOS EVENTOS DO INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CÂMPUS VIDEIRA

EMISSÃO DE CERTIFICADOS ELETRÔNICOS NOS EVENTOS DO INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CÂMPUS VIDEIRA EMISSÃO DE CERTIFICADOS ELETRÔNICOS NOS EVENTOS DO INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CÂMPUS VIDEIRA Jeferson Boesing 1 ; Tiago Heineck 2 ; Angela Maria Crotti da Rosa 3 ; Leila Lisiane Rossi 4 INTRODUÇÃO Alunos

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO CURSO: TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET FORMA/GRAU:( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura

Leia mais

EMISSÃO DE CERTIFICADOS ELETRÔNICOS NOS EVENTOS DO INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CÂMPUS VIDEIRA

EMISSÃO DE CERTIFICADOS ELETRÔNICOS NOS EVENTOS DO INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CÂMPUS VIDEIRA EMISSÃO DE CERTIFICADOS ELETRÔNICOS NOS EVENTOS DO INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CÂMPUS VIDEIRA Autores : Jeferson BOESING; Tiago HEINECK; Angela Maria Crotti da ROSA; Leila Lisiane ROSSI Identificação

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB ANEXO II EDITAL Nº 001/2011/CAPES PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO

Leia mais

Diretrizes Acadêmicas para os Cursos de Graduação

Diretrizes Acadêmicas para os Cursos de Graduação Diretrizes Acadêmicas para os Cursos de Graduação Diretrizes Acadêmicas para os Cursos de Graduação Os cursos oferecidos pela instituição de Ensino Superior IES devem ter seus projetos pedagógicos construídos

Leia mais

Normas das Atividades Complementares do Curso de Ciência da Computação

Normas das Atividades Complementares do Curso de Ciência da Computação Normas das Atividades Complementares do Curso de Ciência da Computação 1. Apresentação As atividades complementares são consideradas parte integrante do Currículo do Curso de Bacharelado em Ciência da

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE INFORMÁTICA

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE INFORMÁTICA REGULAMENTO DO NÚCLEO DE INFORMÁTICA Aprovado pela Resolução CONSUNI nº 31/13, de 21/08/13. CAPÍTULO I DAS CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES Art. 1º Este regulamento dispõe especificamente do Núcleo de Informática

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Identificação do Curso Nome do Curso: Sistemas de Informação Titulação: Bacharelado Modalidade de ensino: Presencial

Leia mais

apresentação oral sobre temas concernentes às especificidades do curso de Redes de Computadores;

apresentação oral sobre temas concernentes às especificidades do curso de Redes de Computadores; CENTRO DE ENSINO SUPERIOR FABRA MANTENEDOR DA ESCOLA DE ENSINO SUPERIOR FABRA Cred. Pela Portaria Ministerial nº 2787 de 12/12/2001 D.O.U. 17/12/2001 Rua Pouso Alegre, nº 49 Barcelona Serra/ES CEP 29166-160

Leia mais

AMBIENTE VIRTUAL DE APOIO AO ALUNO Pesquisa em andamento: resultados preliminares

AMBIENTE VIRTUAL DE APOIO AO ALUNO Pesquisa em andamento: resultados preliminares AMBIENTE VIRTUAL DE APOIO AO ALUNO Pesquisa em andamento: resultados preliminares Denis Lacerda Paes 1 ; Angelo Augusto Frozza 2 RESUMO O trabalho apresentado visa desenvolver uma aplicação baseada em

Leia mais

Guia de Orientação ao Aluno

Guia de Orientação ao Aluno Guia de Orientação ao Aluno Curso de Ciência da Computação Universidade Federal de Pelotas Centro de Desenvolvimento Tecnológico Março de 2012 1. Palavras iniciais Este Guia de Orientação serve para orientar

Leia mais

Portaria Inep nº 249, de 02 de junho de 2014. Publicada no Diário Oficial da União em 04 de junho de 2014.

Portaria Inep nº 249, de 02 de junho de 2014. Publicada no Diário Oficial da União em 04 de junho de 2014. Portaria Inep nº 249, de 02 de junho de 2014. Publicada no Diário Oficial da União em 04 de junho de 2014. O Presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep),

Leia mais

Roteiro 2 Conceitos Gerais

Roteiro 2 Conceitos Gerais Roteiro 2 Conceitos Gerais Objetivos: UC Projeto de Banco de Dados Explorar conceitos gerais de bancos de dados; o Arquitetura de bancos de dados: esquemas, categorias de modelos de dados, linguagens e

Leia mais

Como encontrar maneiras de associar um importante conteúdo didático a um software que ensine e divirta ao mesmo tempo? Estão os professores

Como encontrar maneiras de associar um importante conteúdo didático a um software que ensine e divirta ao mesmo tempo? Estão os professores Profª Levany Rogge Os softwares são considerados programas educacionais a partir do momento em que são projetados através de uma metodologia que os contextualizem no processo ensino-aprendizagem; Tajra

Leia mais

Ensino de Programação nas Escolas Públicas: Criando. Novos Gênios

Ensino de Programação nas Escolas Públicas: Criando. Novos Gênios Ensino de Programação nas Escolas Públicas: Criando Novos Gênios BELIZARIO, B. N; AFONSO JUNIOR, O. P; OLIVEIRA, J. V. S; 1 Ensino de Programação nas Escolas Públicas: Criando Novos Gênios Orlando Pereira

Leia mais

JOSÉ AUGUSTO FABRI. Uma Proposta de Modelo para a Criação e a Organização de Processos de Produção em um Contexto de Fábrica de Software

JOSÉ AUGUSTO FABRI. Uma Proposta de Modelo para a Criação e a Organização de Processos de Produção em um Contexto de Fábrica de Software JOSÉ AUGUSTO FABRI Uma Proposta de Modelo para a Criação e a Organização de Processos de Produção em um Contexto de Fábrica de Software São Paulo 2007 JOSÉ AUGUSTO FABRI Uma Proposta de Modelo para a Criação

Leia mais

Sistemas de Informação

Sistemas de Informação Atividades Complementares Sistemas de Informação 1. Introdução Nos cursos de graduação, além das atividades de aprendizagem articuladas pelas disciplinas que compõem a matriz curricular, deverão ser inseridas

Leia mais

Projeto Pedagógico do Bacharelado em Ciência da Computação. Comissão de Curso e NDE do BCC

Projeto Pedagógico do Bacharelado em Ciência da Computação. Comissão de Curso e NDE do BCC Projeto Pedagógico do Bacharelado em Ciência da Computação Comissão de Curso e NDE do BCC Fevereiro de 2015 Situação Legal do Curso Criação: Resolução CONSU no. 43, de 04/07/2007. Autorização: Portaria

Leia mais

GuiBi: Um aplicativo para plataforma Android com um guia comercial da cidade de Bambuí MG

GuiBi: Um aplicativo para plataforma Android com um guia comercial da cidade de Bambuí MG GuiBi: Um aplicativo para plataforma Android com um guia comercial da cidade de Bambuí MG Bruno Alberto Soares Oliveira 1,3 ; Lucas Vieira Murilo 1,3 ; Maik Olher Chaves 2,3 1 Estudante de Engenharia de

Leia mais

Aprenda as melhores práticas para construir um completo sistema de teste automatizado

Aprenda as melhores práticas para construir um completo sistema de teste automatizado Aprenda as melhores práticas para construir um completo sistema de teste automatizado Renan Azevedo Engenheiro de Produto de Teste e Medição -Américas Aprenda as melhores práticas para construir um completo

Leia mais

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR Cada um de nós, na vida profissional, divide com a Essilor a sua responsabilidade e a sua reputação. Portanto, devemos conhecer e respeitar os princípios que se aplicam a todos.

Leia mais

Padrões de Competências para o Cargo de Professor Alfabetizador

Padrões de Competências para o Cargo de Professor Alfabetizador Padrões de Competências para o Cargo de Professor Alfabetizador Alfabetização de Crianças O Professor Alfabetizador é o profissional responsável por planejar e implementar ações pedagógicas que propiciem,

Leia mais

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA DE ASSUNTOS LEGISLATIVOS EDITAL SAL/MJ Nº 04, DE 14 DE JANEIRO DE 2015 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA DE ASSUNTOS LEGISLATIVOS EDITAL SAL/MJ Nº 04, DE 14 DE JANEIRO DE 2015 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA DE ASSUNTOS LEGISLATIVOS EDITAL SAL/MJ Nº 04, DE 4 DE JANEIRO DE 205 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Projeto BRA/07/004 Seleciona: Consultor para identificação das melhores

Leia mais

O caminho para o sucesso. Promovendo o desenvolvimento para além da universidade

O caminho para o sucesso. Promovendo o desenvolvimento para além da universidade O caminho para o sucesso Promovendo o desenvolvimento para além da universidade Visão geral Há mais de 40 anos, a Unigranrio investe em ensino diferenciado no Brasil para cumprir com seu principal objetivo

Leia mais

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 MANTER FUNCIONÁRIO RELEASE 4.1

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 MANTER FUNCIONÁRIO RELEASE 4.1 DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 MANTER FUNCIONÁRIO RELEASE 4.1 SUMÁRIO DEFINIÇÃO DE REQUISITOS 4 1. INTRODUÇÃO 4 1.1 FINALIDADE 4 1.2 ESCOPO 4 1.3 DEFINIÇÕES, ACRÔNIMOS

Leia mais

Tipos de Sistemas Distribuídos (Cluster e Grid)

Tipos de Sistemas Distribuídos (Cluster e Grid) Tipos de Sistemas Distribuídos (Cluster e Grid) Sistemas Distribuídos Mauro Lopes Carvalho Silva Professor EBTT DAI Departamento de Informática Campus Monte Castelo Instituto Federal de Educação Ciência

Leia mais

SÉRIES INDICADAS 8.º e 9.º ano do Ensino Fundamental e Ensino Médio.

SÉRIES INDICADAS 8.º e 9.º ano do Ensino Fundamental e Ensino Médio. SÉRIES INDICADAS 8.º e 9.º ano do Ensino Fundamental e Ensino Médio. RESUMO Nós, jovens brasileiros, é uma continuidade do conhecido Este jovem brasileiro, sucesso do portal por 6 edições consecutivas.

Leia mais

Estamos muito felizes por compartilhar com você este novo serviço educacional do Centro Universitário de Patos de Minas.

Estamos muito felizes por compartilhar com você este novo serviço educacional do Centro Universitário de Patos de Minas. PALAVRA DO COORDENADOR Estimado, aluno(a): Seja muito bem-vindo aos Cursos Livres do UNIPAM. Estamos muito felizes por compartilhar com você este novo serviço educacional do Centro Universitário de Patos

Leia mais

CURSO REDES DE COMPUTADORES ALANA CAMILA ARICLÉCIO DOMINGOS EUDES JUNIOR HILDERLENE GOMES

CURSO REDES DE COMPUTADORES ALANA CAMILA ARICLÉCIO DOMINGOS EUDES JUNIOR HILDERLENE GOMES 1 CURSO REDES DE COMPUTADORES ALANA CAMILA ARICLÉCIO DOMINGOS EUDES JUNIOR HILDERLENE GOMES CANINDÉ 2013 2 ALANA CAMILA ARICLÉCIO DOMINGOS EUDES JUNIOR HILDERLENE GOMES Trabalho realizado como requisito

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE BOA VISTA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO E CULTURA NÚCLEO DE TECNOLOGIA E DIFUSÃO EDUCACIONAL

PREFEITURA MUNICIPAL DE BOA VISTA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO E CULTURA NÚCLEO DE TECNOLOGIA E DIFUSÃO EDUCACIONAL PREFEITURA MUNICIPAL DE BOA VISTA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO E CULTURA NÚCLEO DE TECNOLOGIA E DIFUSÃO EDUCACIONAL RELATO DE EXPERIENCIA DE PROJETO COLABORATIVO VIA INTERNET ENTRE ESCOLAS MUNICIPAIS

Leia mais

Softwares de Sistemas e de Aplicação

Softwares de Sistemas e de Aplicação Fundamentos dos Sistemas de Informação Softwares de Sistemas e de Aplicação Profª. Esp. Milena Resende - milenaresende@fimes.edu.br Visão Geral de Software O que é um software? Qual a função do software?

Leia mais

PROJETO 7. 1. Identificação do projeto

PROJETO 7. 1. Identificação do projeto PROJETO 7 1. Identificação do projeto Título:Cinema, vídeo e tridimensionalidade: o AVA-AV na integração do ensino presencial e a distância. Responsável:Dra. Ana Zeferina Ferreira Maio Vínculo institucional:professora

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS. EDITAL 93/2010 de 31 de agosto de 2010

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS. EDITAL 93/2010 de 31 de agosto de 2010 1. OBJETIVOS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS EDITAL 93/2010 de 31 de agosto de 2010 A Diretora de Graduação do Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas

Leia mais

Relatório da ListEx02 Aplicação da Heurística do objetivo na definição das propostas do meu aplicativo de banco de dados e dissertação de mestrado

Relatório da ListEx02 Aplicação da Heurística do objetivo na definição das propostas do meu aplicativo de banco de dados e dissertação de mestrado ITA Instituto Tecnológico da Aeronáutica IEC Divisão de Ciência da Computação Pós-Graduação em Engenharia Eletrônica e Computação Relatório da ListEx02 Aplicação da Heurística do objetivo na definição

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA

UNIVERSIDADE PAULISTA UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA Projeto Integrado Multidisciplinar III e IV Marketing Manual de orientações - PIM Curso Superior de Tecnologia em Marketing. 1. Introdução Os Projetos

Leia mais

Desenvolvimento de um software de gerenciamento de projetos para utilização na Web

Desenvolvimento de um software de gerenciamento de projetos para utilização na Web Resumo. Desenvolvimento de um software de gerenciamento de projetos para utilização na Web Autor: Danilo Humberto Dias Santos Orientador: Walteno Martins Parreira Júnior Bacharelado em Engenharia da Computação

Leia mais

Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Computação Bacharelado em Sistemas de Informação

Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Computação Bacharelado em Sistemas de Informação EDITAL PARA O TERCEIRO PROCESSO SELETIVO DE 2015 PARA INGRESSO DE DISCENTES NO PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL DO CURSO DE BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO O tutor do Programa de Educação Tutorial Institucional

Leia mais

Sistema Tutor Inteligente baseado em Agentes. Pedagógicas da Universidade Aberta do Piauí. Prof. Dr. Vinicius Ponte Machado

Sistema Tutor Inteligente baseado em Agentes. Pedagógicas da Universidade Aberta do Piauí. Prof. Dr. Vinicius Ponte Machado Sistema Tutor Inteligente baseado em Agentes na Plataforma MOODLE para Apoio às Atividades Pedagógicas da Universidade Aberta do Piauí Prof. Dr. Vinicius Ponte Machado Parnaíba, 14 de Novembro de 2012

Leia mais

Projeto Escola com Celular

Projeto Escola com Celular Projeto Escola com Celular Rede Social de Sustentabilidade Autores: Beatriz Scavazza, Fernando Silva, Ghisleine Trigo, Luis Marcio Barbosa e Renata Simões 1 Resumo: O projeto ESCOLA COM CELULAR propõe

Leia mais

Edital para publicação no site período de 23 a 30 de junho de 2013. PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* CÓD.

Edital para publicação no site período de 23 a 30 de junho de 2013. PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* CÓD. Edital para publicação no site período de 23 a 30 de junho de 203. PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* CÓD. GESTÃO EAD Os currículos deverão ser encaminhados para o endereço eletrônico

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET MATRIZ CURRICULAR

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET MATRIZ CURRICULAR CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET MATRIZ CURRICULAR 1º SEMESTRE P101 Desenvolvimento Web 80 CE05 CE06 P102 Língua Portuguesa 40 CG08 CG13 P103 Algoritmos e Lógica de Programação 80

Leia mais

TECNOLOGIAS E FRAMEWORKS PARA O DESENVOLMENTO DE INTERFACES WEB

TECNOLOGIAS E FRAMEWORKS PARA O DESENVOLMENTO DE INTERFACES WEB TECNOLOGIAS E FRAMEWORKS PARA O DESENVOLMENTO DE INTERFACES WEB Marcelo Rodrigo da Silva Ribeiro 1, Ricardo Ribeiro Rufino 1 1 Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil marcelo.rodrigo@live.com,

Leia mais

CENTRO DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA VISCONDE DE CAIRU CEPPEV CURSO: GESTÃO DE DATACENTER E COMPUTAÇÃO EM NUVEM 2013.2

CENTRO DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA VISCONDE DE CAIRU CEPPEV CURSO: GESTÃO DE DATACENTER E COMPUTAÇÃO EM NUVEM 2013.2 NÚMERO DE VAGAS: 25 (Vinte e Cinco) Vagas. PREVISÃO DE INÍCIO DAS AULAS 01 de Novembro de 2013 CENTRO DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA VISCONDE DE CAIRU CEPPEV APRESENTAÇÃO / JUSTIFICATIVA A Fundação Visconde

Leia mais

Aplicativo web para definição do modelo lógico no projeto de banco de dados relacional

Aplicativo web para definição do modelo lógico no projeto de banco de dados relacional Aplicativo web para definição do modelo lógico no projeto de banco de dados relacional Juarez Bachmann Orientador: Alexander Roberto Valdameri Roteiro Introdução Objetivos Fundamentação teórica Desenvolvimento

Leia mais

POLÍTICAS DE EDUCAÇÃO CORPORATIVA - NOR 350

POLÍTICAS DE EDUCAÇÃO CORPORATIVA - NOR 350 MANUAL DE GESTÃO DE PESSOAS COD. 300 ASSUNTO: POLÍTICAS DE EDUCAÇÃO CORPORATIVA APROVAÇÃO: Resolução DIREX nº 462, de 10/09/2012. VIGÊNCIA: 10/09/2012 POLÍTICAS DE EDUCAÇÃO CORPORATIVA - NOR 350 1/6 ÍNDICE

Leia mais

APOSTILA BÁSICA INFORMÁTICA: 1. PROCESSADOR DE TEXTOS 1.1 Conhecendo o aplicativo Word 2007 2.EDITOR DE PLANILHAS

APOSTILA BÁSICA INFORMÁTICA: 1. PROCESSADOR DE TEXTOS 1.1 Conhecendo o aplicativo Word 2007 2.EDITOR DE PLANILHAS APOSTILA BÁSICA INFORMÁTICA: 1. PROCESSADOR DE TEXTOS 1.1 Conhecendo o aplicativo Word 2007 2.EDITOR DE PLANILHAS 3.INTERNET 3.1. Internet: recursos e pesquisas 3.2. Conhecendo a Web 3.3. O que é um navegador?

Leia mais

WEB-RÁDIO MÓDULO 2: RÁDIO

WEB-RÁDIO MÓDULO 2: RÁDIO WEB-RÁDIO MÓDULO 2: RÁDIO NOME DO PROJETO Web Rádio: Escola César Cals- Disseminando novas tecnologias via web ENDREÇO ELETRÔNICO www.eccalsofqx.seduc.ce.gov.br PERÍODO DE EXECUÇÃO Março a Dezembro de

Leia mais

LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO

LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO Coordenador: Duração: Carga Horária: LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO Victor Emanuel Corrêa Lima 6 semestres 2800 horas Situação Legal: Reconhecido pela Portaria MEC nº 503 de 15/02/2006 MATRIZ CURRICULAR Primeiro

Leia mais

Sistema de Informação Integrado

Sistema de Informação Integrado Sistema de Informação Integrado Relatório de Atividades Centro de Referência em Informação Ambiental, CRIA Novembro, 2005 Trabalho Realizado As atividades básicas previstas para o primeiro trimestre do

Leia mais

O PAPEL DO TUTOR A DISTÂNCIA NO ENSINO DE INFORMÁTICA: A EXPERIÊNCIA DO CURSO DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET UAB/IFSUL

O PAPEL DO TUTOR A DISTÂNCIA NO ENSINO DE INFORMÁTICA: A EXPERIÊNCIA DO CURSO DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET UAB/IFSUL O PAPEL DO TUTOR A DISTÂNCIA NO ENSINO DE INFORMÁTICA: A EXPERIÊNCIA DO CURSO DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET UAB/IFSUL Pelotas RS Maio 2010 Letícia Marques Vargas IFSul le.mvargas@gmail.com Gabriela

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. SEMESTRE ou ANO DA TURMA: 1º semestre EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. SEMESTRE ou ANO DA TURMA: 1º semestre EMENTA EIXO TECNOLÓGICO: Gestão e Negócios Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Bacharelado em Administração FORMA/GRAU:( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( x ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo

Leia mais

REGULAMENTO INSTITUCIONAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES NORMAS OPERACIONAIS PARA ACOMPANHAMENTO E REGISTRO DOS ESTUDOS COMPLEMENTARES

REGULAMENTO INSTITUCIONAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES NORMAS OPERACIONAIS PARA ACOMPANHAMENTO E REGISTRO DOS ESTUDOS COMPLEMENTARES REGULAMENTO INSTITUCIONAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES NORMAS OPERACIONAIS PARA ACOMPANHAMENTO E REGISTRO DOS ESTUDOS COMPLEMENTARES O Parecer do CNE/CES nº 492/2001, assim define as atividades complementares:

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: Redes de Computadores MISSÃO DO CURSO Com a modernização tecnológica e com o surgimento destes novos serviços e produtos, fica clara a necessidade de profissionais

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA 1. Projeto: OEI/BRA/09/004 - Aprimoramento da sistemática de gestão do Ministério da Educação (MEC) em seus processos de formulação, implantação e

Leia mais

Edital 02/2015 Projeto UNA-SUS. Chamada para o Programa de Bolsas Acadêmicas

Edital 02/2015 Projeto UNA-SUS. Chamada para o Programa de Bolsas Acadêmicas Edital 02/2015 Projeto UNA-SUS Chamada para o Programa de Bolsas Acadêmicas A Pró-reitoria de Pesquisa e Pós-graduação torna público o presente Edital de chamada para o Programa de Bolsas Acadêmicas do

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA Diretoria de Políticas de Formação, Materiais Didáticos e Tecnologias para a Educação Básica Coordenação Geral de Materiais Didáticos PARA NÃO ESQUECER:

Leia mais

Módulo 4: Gerenciamento de Dados

Módulo 4: Gerenciamento de Dados Módulo 4: Gerenciamento de Dados 1 1. CONCEITOS Os dados são um recurso organizacional decisivo que precisa ser administrado como outros importantes ativos das empresas. A maioria das organizações não

Leia mais

SOLICITAÇÃO PARA APRESENTAÇÃO DE MANIFESTAÇÕES DE INTERESSE Nº 003/2014 PROGRAMA IPEA PESQUISA SELEÇÃO DE CONSULTOR INDIVIDUAL

SOLICITAÇÃO PARA APRESENTAÇÃO DE MANIFESTAÇÕES DE INTERESSE Nº 003/2014 PROGRAMA IPEA PESQUISA SELEÇÃO DE CONSULTOR INDIVIDUAL SOLICITAÇÃO PARA APRESENTAÇÃO DE MANIFESTAÇÕES DE INTERESSE Nº 003/2014 PROGRAMA IPEA PESQUISA SELEÇÃO DE CONSULTOR INDIVIDUAL Contrato de Empréstimo de Cooperação Técnica nº 1841/OC-BR Projeto: Aperfeiçoamento

Leia mais