FLEURY MEDICINA e SAÚDE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FLEURY MEDICINA e SAÚDE"

Transcrição

1 Novas tecnologias: O custo será absorvido pelo setor privado? Haverá espaço no setor público? FLEURY MEDICINA e SAÚDE CONFLITO DE INTERESSES WILSON PEDREIRA JR DIRETOR DE OPERAÇÕES DE ATENDIMENTO DO GRUPO FLEURY 1

2 A VIDA É BELA 1:1: Respir Med Jun;101(6): Epub 2006 Nov 21. Links Functional implications of BAL in the presence of restrictive or obstructive lung disease. Pedreira WL Jr, de Souza R, Fiks IN, Salge JM, de Carvalho CR. Pulmonary Division, University of São Paulo Medical School, Rua Bagé 163 apto 182, São Paulo , Brazil. Braz J Otorhinolaryngol Sep-Oct;73(5): Links Evaluation of airway obstruction by nasopharyngoscopy: comparison of the Müller maneuver versus induced sleep. Gregório MG, Jacomelli M, Figueiredo AC, Cahali MB, Pedreira WL Jr, Lorenzi Filho G. Respiratory Endoscopy Service, University of São Paulo Medical School. 1: Lung Cancer Mar;55(3): Epub 2006 Nov 28. Links Irradiated volume and the risk of fatal hemoptysis in patients submitted to high dose-rate endobronchial brachytherapy. Carvalho Hde A, Gonçalves SL, Pedreira W Jr, Gregório MG, de Castro I, Aisen S. Division of Oncology, Radiotherapy, Radiology Institute, Hospital das Clínicas, University of São Paulo Medical School, INRAD Radiotherapy, São Paulo, SP, Brazil. A VIDA É BELA - Novas tecnologias: O custo será absorvido pelo setor privado? - Haverá espaço no setor público? 2

3 - NÃO CENÁRIO ECONÔMICO DA SAÚDE MUNDO E BRASIL TENDÊNCIAS REGULATÓRIAS CENÁRIO DE SAÚDE PARTICULAR/COMPLEMENTAR NO BRASIL A SAÍDA... O CUSTO DA SAÚDE CRESCE, EM MÉDIA 2,5% A MAIS DO QUE O CRESCIMENTO DO PIB ENVELHECIMENTO TRATAMENTO PARA DOENÇAS ANTERIORMENTE INTRATÁVEIS COM AUMENTO DA EXPECTATIVA DE VIDA DEMANDA POR MELHOR ATENÇÃO SAÚDE ESCOPO DA MEDICINA INTERESSES ECONÔMICOS AUSÊNCIA DE ESTUDOS DE CUSTO/BENEFÍCIO RACIOCÍNIO INDIVIDUAL x COLETIVO 3

4 O CUSTO DA SAÚDE CRESCE, EM MÉDIA 2,5% A MAIS DO QUE O CRESCIMENTO DO PIB NO MOMENTO DO CONSUMO DE PRODUTOS DE SAÚDE: QUEM CONSOME NÃO PAGA (PACIENTE) QUEM PAGA NÃO DECIDE (PLANO DE SAÚDE) QUEM DECIDE NÃO CONSOME (MÉDICO) CUSTO DA SAÚDE EM % DO PIB Beneficiários de planos de saúde, por cobertura assistencial Brasil - Dezembro/2000 Dezembro/2007 4

5 Taxa de Cobertura por Município Beneficiários de planos de Assistência Médica - Brasil Fontes: Sistema de Informações de Beneficiários - ANS/MS - 09/2007 e População - IBGE/DATASUS/2006 Esboço preliminar Gasto em Saúde (em milhões de reais) AS NOVAS TECNOLOGIAS SÃO RESPONSÁVEIS POR 20 A 40% DO CRESCIMENTO DO CUSTO DA SAÚDE 5

6 A CRIAÇÃO DE NOVAS TECNOLOGIAS É INTENSIVA, ACUMULATIVA E NÃO SUBSTITUIVA ASSIMILAÇÃO RÁPIDA SEM AVALIAÇÃO RIGOROSA DE EFICÁCIA, EFEITOS COLATERAIS E CUSTO, NÃO EXISTINDO INFORMAÇÕES CLARAS DISPONÍVEIS A DEMANDA É INDUZIDA PELA OFERTA A CRIAÇÃO DE NOVAS TECNOLOGIAS É INTENSIVA, ACUMULATIVA E NÃO SUBSTITUIVA ASSIMILAÇÃO RÁPIDA SEM AVALIAÇÃO RIGOROSA DE EFICÁCIA, EFEITOS COLATERAIS E CUSTO, NÃO EXISTINDO INFORMAÇÕES CLARAS DISPONÍVEIS A DEMANDA É INDUZIDA PELA OFERTA A CRIAÇÃO DE NOVAS TECNOLOGIAS É INTENSIVA, ACUMULATIVA E NÃO SUBSTITUIVA ASSIMILAÇÃO RÁPIDA SEM AVALIAÇÃO RIGOROSA DE EFICÁCIA, EFEITOS COLATERAIS E CUSTO, NÃO EXISTINDO INFORMAÇÕES CLARAS DISPONÍVEIS A DEMANDA É INDUZIDA PELA OFERTA 6

7 CONFLITOS DE INTERESSE NA GESTÃO DO CUSTO DE TECNOLOGIA DA SAÚDE RELAÇÃO ESTREITA ENTRE FORNECEDORES DE TECNOLOGIA E PROFISSIONAIS DE SAÚDE RELAÇÃO ESTREITA ENTRE FORNECEDORES DE TECNOLOGIA E PRESTADORES DE SERVIÇO RELAÇÃO ESTREITA ENTRE FORNECEDORES DE TECNOLOGIA E PESQUISADORES Alocação de Recursos da Saúde Justiça Igualdade Equidade Universalização Priorização RECURSOS SÃO FINITOS!!!!! CRITÉRIOS, INDICADORES... QALY Quality-adjust Life Year: índice de evolução e prognóstico após uma intervenção em saúde que considera tanto tempo e qualidade de vida ajustado em um único indicador EXPECTATIVA DE VIDA (anos) X QUALIDADE DE VIDA NOS ANOS RESTANTES COMBINAÇÃO COM O CUSTO PARA GERAR UM ANO DE BOM QALY NÚMERO DE CORTE??!! 7

8 CENÁRIO ECONÔMICO DA SAÚDE MUNDO TENDÊNCIAS REGULATÓRIAS CENÁRIO DE SAÚDE PARTICULAR/COMPLEMENTAR NO BRASIL A SAÍDA... TENDÊNCIAS REGULATÓRIAS AGÊNCIAS DE AVALIAÇÃO DE TECNOLOGIAS DE SAÚDE (EQUIPAMENTOS, MEDICAMENTOS, PROCEDIMENTOS E SISTEMAS) GRUPOS MULTIDISCIPLINARES QUE AVALIAM (NOVAS) TECNOLOGIAS EM SAÚDE DANDO SUPORTE PARA OS ORGÃOS DE POLÍTICAS DE SAÚDE IDENTIFICAÇÃO DE EVIDÊNCIAS (OU FALTA) NO CUSTOS E BENEFÍCIOS DE UMA DADA INTERVENSÃO EM SAÚDE ANÁLISE DA EFETIVIDADE DOS ACHADOS DE PESQUISAS CIENTÍFICAS ANÁLISE DAS IMPLICAÇÕES ECONÔMICAS ANÁLISE DAS IMPLICAÇÕES SOCIAIS E ÉTICAS INDICAÇÃO DAS MELHORES PRÁTICAS INAHTA - The International Network of Agencies for Health Technology Assessment 8

9 INAHTA 46 MEMBROS, 26 PAÍSES, LIGADOS AOS SETORES GOVERNAMENTAIS DE SAÚDE Pacientes e Organizações de pacientes Royal Colleges Associações profissionais/sociedades Indústria NICE ORGANIZAÇÃO INDEPENDENTE QUE ATUA COMO CONSELHO DA BRITISH NATIONAL HEALTH SERVICE (NHS) SISTEMA DE SAÚDE BRITÂNICO Cobertura integral para todos os cidadãos. Acesso gratuito com algumas taxas moderadoras. Financiamento através de impostos e tributos. Sistema alicerçado no cuidado primário. GP - porta de entrada e controle do acesso ao sistema. N ENGL J MED, NOV ;19: NICE DELIBERAÇÕES LENTAS FRIOS RACIONAIS, CRUÉIS E SEM CORAÇÃO X GESTÃO IMPARCIAL DE PRIORIDADES Se nós gastarmos muito com poucos, sobrará menos para gastar com todos Sir Michael Rawlins nós não estamos sendo pouco generosos: nós estamos tentando cuidar de todos 9

10 Canadian Coordinating Office for Health Technology Assessment Canadian Coordinating Office for Health Technology Assessment Office Canadien de Coordination de L`Evaluation Des Technologies de la Santé DECIT-CGATS: (Departamento de Ciência e Tecnologia Coordenação Geral de Avaliação de Tecnologias de Saúde) Secretaria de Ciência e Tecnologia e Insumos Estratégicos MS DECIT-CGATS ANVISA ANS GEATS ROL 10

11 CENÁRIO ECONÔMICO DA SAÚDE MUNDO TENDÊNCIAS REGULATÓRIAS CENÁRIO DE SAÚDE PARTICULAR/COMPLEMENTAR NO BRASIL A SAÍDA... 11

12 CUSTEIO DAS TECNOLOGIAS NO BRASIL X CAPACIDADE/POLÍTICA DAS FONTES PAGADORAS PREMISSAS DO EXERCÍCIO NOVA TECNOLOGIA 10 EXAMES POR SEMANA NO PRIMEIRO ANO (INCREMENTAL) TICKET MÉDIO DE R$ 350,00 1 FUNCIONÁRIO + PARCIAL SECETÁRIA 30% DE RECEITA DE ALUGUEL (HOSPITAL, CLÍNICA, SOCIEDADE) EQUIPAMENTO R$ ,00 CRESCIMENTO DE RECEITA DE 10% ao ano CRESCIMENTO DE CUSTOS DE 6% ao ano CENÁRIO ECONÔMICO DA SAÚDE MUNDO TENDÊNCIAS REGULATÓRIAS CENÁRIO DE SAÚDE PARTICULAR/COMPLEMENTAR NO BRASIL A SAÍDA... 12

13 A SAÍDA (ou pelo menos a direção da saída): COMPREENSÃO E ANÁLISE NÃO É POSSÍVEL FAZER TUDO PARA TODOS: FAZER O QUE BENEFICIA MAIS GENTE ESCOLHAS (AGENTES DE ATS), IMPARCIALIDADE DAS PRESSÕES MUDANÇA RADICAL NA FORMA DE ENCARAR A SAÚDE: CADEIA INTEGRADA DE SAÚDE PRÊMIO PELO SUCESSO OBRIGADO! 13

I Fórum Nacional de Produtos para Saúde no Brasil. Cenário Atual e Perspectivas Futuras para ATS de Equipamentos Médicos e Diagnósticos.

I Fórum Nacional de Produtos para Saúde no Brasil. Cenário Atual e Perspectivas Futuras para ATS de Equipamentos Médicos e Diagnósticos. I Fórum Nacional de Produtos para Saúde no Brasil Cenário Atual e Perspectivas Futuras para ATS de Equipamentos Médicos e Diagnósticos Murilo Contó CONITEC Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias

Leia mais

A Dinâmica Competitiva das OPS e sua Interface com o Setor de Serviços e a Indústria

A Dinâmica Competitiva das OPS e sua Interface com o Setor de Serviços e a Indústria A Dinâmica Competitiva das OPS e sua Interface com o Setor de Serviços e a Indústria Rio de Janeiro, Maio de 2008 Alfredo de Almeida Cardoso Diretor de Normas e Habilitação de Operadoras ANS Boa Tarde!

Leia mais

Reformas dos sistemas nacionais de saúde: experiência brasileira 5º Congresso Internacional dos Hospitais

Reformas dos sistemas nacionais de saúde: experiência brasileira 5º Congresso Internacional dos Hospitais Reformas dos sistemas nacionais de saúde: experiência brasileira 5º Congresso Internacional dos Hospitais Carlos Figueiredo Diretor Executivo Agenda Anahp Brasil: contexto geral e econômico Brasil: contexto

Leia mais

A SAÚDE SUPLEMENTAR E A REGULAÇÃO

A SAÚDE SUPLEMENTAR E A REGULAÇÃO A SAÚDE SUPLEMENTAR E A REGULAÇÃO IBDESS Fevereiro/2010 Fausto Pereira dos Santos Diretor-Presidente Vínculos a planos privados de assistência à saúde e registros no cadastro: Brasil (2000 2009) (milhões)

Leia mais

ESTRUTURA DOS HOSPITAIS PRIVADOS...38

ESTRUTURA DOS HOSPITAIS PRIVADOS...38 APRESENTAÇÃO...13 INTRODUÇÃO...15 Breve perfil do sistema de saúde... 15 Características do SUS e da saúde suplementar... 16 Modelo de financiamento... 17 O papel central dos hospitais... 18 A necessidade

Leia mais

BOAS PRÁTICAS NO DIA A DIA DAS CLÍNICAS DE IMAGEM

BOAS PRÁTICAS NO DIA A DIA DAS CLÍNICAS DE IMAGEM BOAS PRÁTICAS NO DIA A DIA DAS CLÍNICAS DE IMAGEM Introdução ÍNDICE Boas práticas no dia a dia das clínicas de imagem A Importância de se estar conectado às tendências As melhores práticas no mercado de

Leia mais

CONTRIBUIÇÃO DA ECONOMIA DA SAÚDE PARA O SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE - SUS

CONTRIBUIÇÃO DA ECONOMIA DA SAÚDE PARA O SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE - SUS CONTRIBUIÇÃO DA ECONOMIA DA SAÚDE PARA O SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE - SUS SÉRGIO FRANCISCO PIOLA MÉDICO-SANITARISTA, CONSULTOR DO IPEA E PESQUISADOR DO NÚCLEO DE SAÚDE PÚBLICA (NESP) DA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA

Leia mais

Epidemia de Doenças Crônicas: Como enfrentar esse desafio? Rio de Janeiro, 27 de Setembro de 2010 Martha Oliveira Assessoria da Presidência- ANS

Epidemia de Doenças Crônicas: Como enfrentar esse desafio? Rio de Janeiro, 27 de Setembro de 2010 Martha Oliveira Assessoria da Presidência- ANS Epidemia de Doenças Crônicas: Como enfrentar esse desafio? Rio de Janeiro, 27 de Setembro de 2010 Martha Oliveira Assessoria da Presidência- ANS I A ANS e a Saúde Suplementar I A ANS e a Saúde Suplementar

Leia mais

O acesso a um tratamento integral e seu custo: A Experiência do ICESP. Prof. Dr. Paulo M. Hoff Diretor Clínico ICESP Faculdade de Medicina da USP

O acesso a um tratamento integral e seu custo: A Experiência do ICESP. Prof. Dr. Paulo M. Hoff Diretor Clínico ICESP Faculdade de Medicina da USP O acesso a um tratamento integral e seu custo: A Experiência do ICESP Prof. Dr. Paulo M. Hoff Diretor Clínico ICESP Faculdade de Medicina da USP Potenciais Conflitos de Interesse Resolução CFM nº 1.595/2000

Leia mais

Cobertura assistencial. Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde OPME

Cobertura assistencial. Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde OPME Cobertura assistencial Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde OPME Agência Nacional de Saúde Suplementar Marcos Regulatórios Lei 9656, de 03/06/1998 Dispõe sobre a regulamentação dos planos e seguros

Leia mais

Mercado de Saúde no Brasil. Jaqueline Castro residecoadm.hu@ufjf.edu.br 40095172

Mercado de Saúde no Brasil. Jaqueline Castro residecoadm.hu@ufjf.edu.br 40095172 Mercado de Saúde no Brasil Jaqueline Castro residecoadm.hu@ufjf.edu.br 40095172 Constituição de 1988 Implantação do SUS Universalidade, Integralidade e Participação Social As instituições privadas participam

Leia mais

Introdução à Farmacoeconomia. Joice Valentim

Introdução à Farmacoeconomia. Joice Valentim Introdução à Farmacoeconomia 2013 Joice Valentim 1 Vínculo Novartis Oncologia 2 Agenda Economia da saúde Avaliação econômica em saúde Farmacoeconomia Ca de mama avançado HER2- RH+ 3 Economia da saúde,

Leia mais

Sustentabilidade em saúde. Dr. Reynaldo A. Brandt

Sustentabilidade em saúde. Dr. Reynaldo A. Brandt Sustentabilidade em saúde Dr. Reynaldo A. Brandt Definição Sustentabilidade é prover o melhor para as pessoas e para o ambiente tanto agora como para um futuro indefinido. É suprir as necessidades da geração

Leia mais

FARMACOECONOMIA E NOVAS EXIGÊNCIAS REGULATÓRIAS. Denizar Vianna

FARMACOECONOMIA E NOVAS EXIGÊNCIAS REGULATÓRIAS. Denizar Vianna FARMACOECONOMIA E NOVAS EXIGÊNCIAS REGULATÓRIAS Denizar Vianna Estrutura da Apresentação Cenário Brasileiro Avaliação de Tecnologias em Saúde Fluxo para Incorporação de Tecnologias Evolução dos gastos

Leia mais

Mercado de Saúde no Brasil Jaqueline Castro 4009 5172 residecoadm.hu@ufjf.edu.br

Mercado de Saúde no Brasil Jaqueline Castro 4009 5172 residecoadm.hu@ufjf.edu.br Constituição de 1988 Implantação do SUS Mercado de Saúde no Brasil Jaqueline Castro 4009 5172 residecoadm.hu@ufjf.edu.br Universalidade, Integralidade e Participação Social As instituições privadas participam

Leia mais

Federação Nacional de Saúde Suplementar SENADO FEDERAL COMISSÃO DE ASSUNTOS SOCIAIS

Federação Nacional de Saúde Suplementar SENADO FEDERAL COMISSÃO DE ASSUNTOS SOCIAIS Federação Nacional de Saúde Suplementar SENADO FEDERAL COMISSÃO DE ASSUNTOS SOCIAIS Ciclo de Debates SUS O Cenário do Fornecimento de Órteses e Próteses Uma visão das Operadoras de Planos Privados 07 de

Leia mais

Impacto do Envelhecimento sobre os gastos com saúde no setor de saúde Suplementar

Impacto do Envelhecimento sobre os gastos com saúde no setor de saúde Suplementar Impacto do Envelhecimento sobre os gastos com saúde no setor de saúde Suplementar Luiz Augusto Carneiro Superintendente Executivo Instituto de Estudos de Saúde Suplementar O rápido envelhecimento populacional

Leia mais

Nota de Acompanhamento do Caderno de Informações da Saúde Suplementar - NACISS

Nota de Acompanhamento do Caderno de Informações da Saúde Suplementar - NACISS Nota de Acompanhamento do Caderno de Informações da Saúde Suplementar - NACISS 30ª Edição Outubro de 2014 SUMÁRIO EXECUTIVO Número de beneficiários de planos médico-hospitalares (jun/14): 50.930.043; Taxa

Leia mais

Entendendo a Formação do Preço de Medicamentos no Brasil

Entendendo a Formação do Preço de Medicamentos no Brasil Entendendo a Formação do Preço de Medicamentos no Brasil Perspectiva da Farmacoeconomia Vanessa Teich vanessateich@medinsight.com Em Qual Cenário São Aplicáveis Conceitos de Farmacoeconomia para Precificação

Leia mais

Painel da Saúde Suplementar no Brasil

Painel da Saúde Suplementar no Brasil Painel da Saúde Suplementar no Brasil Fundamentos da Auditoria na Saúde Suplementar 10h às 12h A ANS, a regulamentação e os Planos de Saúde. Goldete Priszkulnik (30 ) A Auditoria em Saúde assessorando

Leia mais

Em 2009, as despesas com medicamentos, público e privada, representavam 22,3% dos gastos totais com saúde.

Em 2009, as despesas com medicamentos, público e privada, representavam 22,3% dos gastos totais com saúde. Seguros para a Cobertura de Medicamentos Principais Desafios e Experiências 1. Contexto 2 No Brasil: 38,8 milhões de brasileiros (20% da população) utilizam medicamentos contínuos; desses, 12,4 milhões

Leia mais

Desafios do setor de saúde suplementar no Brasil Maílson da Nóbrega

Desafios do setor de saúde suplementar no Brasil Maílson da Nóbrega Desafios do setor de saúde suplementar no Brasil Maílson da Nóbrega Setor de grande importância Mais de 50 milhões de beneficiários no país. Níveis elevados de satisfação com os serviços. Custos hospitalares

Leia mais

8ª Congresso Brasileiro de Gestão em Laboratórios Clínicos - Hospitalar

8ª Congresso Brasileiro de Gestão em Laboratórios Clínicos - Hospitalar 8ª Congresso Brasileiro de Gestão em Laboratórios Clínicos - Hospitalar Impactos da Contratualização na Saúde Suplementar e as várias visões do Relacionamento Comercial Sandro Leal Alves 22 de maio de

Leia mais

O SUS foi instituído com base no lema de Alma Ata: O foco é o acesso à assistência não a seleção de que

O SUS foi instituído com base no lema de Alma Ata: O foco é o acesso à assistência não a seleção de que O SUS foi instituído com base no lema de Alma Ata: Saúde para todos no ano 2000 O foco é o acesso à assistência não a seleção de que produtos incorporar A redemocratização do país e a criação da Anvisa

Leia mais

Registro Eletrônico de Saúde para a Odontologia 9º SINPLO. Painel Tecnológico 09 de maio de 2014

Registro Eletrônico de Saúde para a Odontologia 9º SINPLO. Painel Tecnológico 09 de maio de 2014 Registro Eletrônico de Saúde para a Odontologia 9º SINPLO Painel Tecnológico 09 de maio de 2014 Registro Eletrônico de Saúde 9º SINPLO SP 09/05/2014. 1 Marizélia Leão Moreira Graduada em Ciências Sociais

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO ENTRA NUM NÍVEL SUPERIOR. 2013/2014 AVALIAÇÃO ECONÓMICA DOS MEDICAMENTOS WWW.IDEFE.PT PÁG. 1

PÓS-GRADUAÇÃO ENTRA NUM NÍVEL SUPERIOR. 2013/2014 AVALIAÇÃO ECONÓMICA DOS MEDICAMENTOS WWW.IDEFE.PT PÁG. 1 PÓS-GRADUAÇÃO AVALIAÇÃO ECONÓMICA DOS MEDICAMENTOS 2013/2014 ENTRA NUM NÍVEL SUPERIOR. WWW.IDEFE.PT PÁG. 1 AVALIAÇÃO ECONÓMICA DOS MEDICAMENTOS 8ª EDIÇÃO COORDENAÇÃO CIENTÍFICA Prof. Doutor Carlos Gouveia

Leia mais

MENSURANDO OS CUSTOS EM SAÚDE CENÁRIO ATUAL E PERSPECTIVAS NO ÂMBITO PÚBLICO E SUPLEMENTAR. Tania Moreira Grillo Pedrosa

MENSURANDO OS CUSTOS EM SAÚDE CENÁRIO ATUAL E PERSPECTIVAS NO ÂMBITO PÚBLICO E SUPLEMENTAR. Tania Moreira Grillo Pedrosa MENSURANDO OS CUSTOS EM SAÚDE CENÁRIO ATUAL E PERSPECTIVAS NO ÂMBITO PÚBLICO E SUPLEMENTAR Tania Moreira Grillo Pedrosa SISTEMA DE SAÚDE CENÁRIO MACROECONÔMICO BRASILEIRO Indicadores Econômicos Brasil

Leia mais

Web2Doctors: Saúde Fora da Caixa

Web2Doctors: Saúde Fora da Caixa Com uma interface intuitiva feita com recursos da Web 2.0, pela qual se acessa um Prontuário Eletrônico do Paciente configurável com um workflow para todos os departamentos de uma clínica ou hospital,

Leia mais

Equipamentos de Imagem e Equipes Médicas Integradas: O binômio para o pleno retorno do investimento em novas tecnologias

Equipamentos de Imagem e Equipes Médicas Integradas: O binômio para o pleno retorno do investimento em novas tecnologias Equipamentos de Imagem e Equipes Médicas Integradas: O binômio para o pleno retorno do investimento em novas tecnologias José Marcelo Amatuzzi de Oliveira Gestor do Setor de Imagem - Fleury Objetivos Investimento

Leia mais

Ciclo de Debates GV Saúde: Quais as Perspectivas para as Operadoras de Planos de Saúde? Agosto 2014

Ciclo de Debates GV Saúde: Quais as Perspectivas para as Operadoras de Planos de Saúde? Agosto 2014 Ciclo de Debates GV Saúde: Quais as Perspectivas para as Operadoras de Planos de Saúde? Agosto 2014 1 Mercado de Planos de Saúde Impactado por 5 Tendências E o Mercado? Continuará a Crescer? 5 Usuário

Leia mais

O PAPEL DOS PROFISSIONAIS MÉDICOS NA JUDICIALIZAÇÃO DA SAÚDE PÚBLICA E PRIVADA. Florentino Cardoso

O PAPEL DOS PROFISSIONAIS MÉDICOS NA JUDICIALIZAÇÃO DA SAÚDE PÚBLICA E PRIVADA. Florentino Cardoso O PAPEL DOS PROFISSIONAIS MÉDICOS NA JUDICIALIZAÇÃO DA SAÚDE PÚBLICA E PRIVADA Florentino Cardoso SUS Operadoras de Saúde SUS CF 1988 SUS 1990 Universalidade, Equidade, Integralidade Financiamento Gestão

Leia mais

Market Access e a nova modelagem de Negócios da Indústria Farmacêutica no Brasil.

Market Access e a nova modelagem de Negócios da Indústria Farmacêutica no Brasil. Market Access e a nova modelagem de Negócios da Indústria O fortalecimento do pagador institucional de medicamentos, seja ele público ou privado, estabelece uma nova dinâmica nos negócios da indústria,

Leia mais

REGULAÇÃO E QUALIDADE NO SETOR DE SAÚDE SUPLEMENTAR 18 de junho de 2013. Regulação e Qualidade no Setor de Saúde Suplementar - 18/06/2013.

REGULAÇÃO E QUALIDADE NO SETOR DE SAÚDE SUPLEMENTAR 18 de junho de 2013. Regulação e Qualidade no Setor de Saúde Suplementar - 18/06/2013. REGULAÇÃO E QUALIDADE NO SETOR DE SAÚDE SUPLEMENTAR 18 de junho de 2013 1 Informação para a Regulação da Qualidade da Saúde Suplementar Marizélia Leão Moreira Graduada em Ciências Sociais pela UNESP, Doutorado

Leia mais

Gerenciamento de Custos. Profª Karina Gomes Lourenço

Gerenciamento de Custos. Profª Karina Gomes Lourenço Gerenciamento de Custos Profª Karina Gomes Lourenço A EXPANSÃO DOS GASTOS NA SAÚDE (Nível Macroeconômico) Aumento da Demanda Incorporação de direitos universais de cobertura Mudanças na estrutura etária

Leia mais

Verticalização: Solução ou Engano?

Verticalização: Solução ou Engano? Verticalização: Solução ou Engano? Uma visão crítica sobre os modelos de assistência gerenciados e verticalizados São Paulo Junho de 2006 Modelo Público Britânico O NHS (National Health Service) foi criado

Leia mais

008/2015 DOMINGUEIRA DE 24/05/2015

008/2015 DOMINGUEIRA DE 24/05/2015 Gasto Total com Saúde no Brasil: a importância e o esforço de medi-lo Maria Luiza Levi 1 Áquilas Mendes 2 Nesta domingueira resolvemos reeditar o exercício que Gilson Carvalho teimava em fazer a cada ano,

Leia mais

Desafio da Gestão dos Planos de Saúde nas empresas. Prof. Marcos Mendes. é Realizada pelo Ministério da Saúde:

Desafio da Gestão dos Planos de Saúde nas empresas. Prof. Marcos Mendes. é Realizada pelo Ministério da Saúde: Desafio da Gestão dos Planos de Saúde nas empresas Prof. Marcos Mendes 26 de novembro de 2015 A Regulação da Saúde no Brasil é Realizada pelo Ministério da Saúde: Diretamente sobre os sistemas públicos

Leia mais

Nota de Acompanhamento do Caderno de Informações da Saúde Suplementar - NACISS

Nota de Acompanhamento do Caderno de Informações da Saúde Suplementar - NACISS Nota de Acompanhamento do Caderno de Informações da Saúde Suplementar - NACISS 29ª Edição Agosto de 214 SUMÁRIO EXECUTIVO Número de beneficiários de planos médico-hospitalares (Mar/14): 5.722.522; Taxa

Leia mais

MEDICAMENTOS DE ALTO CUSTO: QUEM PAGA A CONTA?

MEDICAMENTOS DE ALTO CUSTO: QUEM PAGA A CONTA? MEDICAMENTOS DE ALTO CUSTO: QUEM PAGA A CONTA? De acordo com a Constituição Federal do Brasil, no capítulo dos direitos sociais, todo cidadão tem o direito à saúde, educação, trabalho, moradia, lazer,

Leia mais

CPI da OPME 6.Abr. 2015. Dr. Eudes de Freitas Aquino Presidente da Unimed do Brasil

CPI da OPME 6.Abr. 2015. Dr. Eudes de Freitas Aquino Presidente da Unimed do Brasil CPI da OPME 6.Abr. 2015 Dr. Eudes de Freitas Aquino Presidente da Unimed do Brasil SISTEMA UNIMED 351 Cooperativas contribuindo com a interiorização dos médicos da medicina de qualidade no Brasil. SISTEMA

Leia mais

9ª edição. Em parceria com a Faculdade de Farmácia

9ª edição. Em parceria com a Faculdade de Farmácia 9ª edição Em parceria com a Faculdade de Farmácia PÓS-GRADUAÇÃO AVALIAÇÃO ECONÓMICA DOS MEDICAMENTOS 2016/17 9ª edição coordenação científica prof. doutor carlos Gouveia pinto Prof. Doutor José Cabrita

Leia mais

Avaliação de Tecnologias em Saúde: Ferramenta Ética na Minimização de Conflitos

Avaliação de Tecnologias em Saúde: Ferramenta Ética na Minimização de Conflitos Avaliação de Tecnologias em Saúde: Ferramenta Ética na Minimização de Conflitos Mário Henrique Osanai Ana Maria Simões Ribeiro Paulo Roberto Barbosa Soares Alexandre Tesheiner Bessil AVALIAÇÃO DE TECNOLOGIAS

Leia mais

A Saúde Suplementar e o Sistema Unimed frente aos seus desafios Dr. Eudes de Freitas Aquino. Presidente da Unimed do Brasil

A Saúde Suplementar e o Sistema Unimed frente aos seus desafios Dr. Eudes de Freitas Aquino. Presidente da Unimed do Brasil A Saúde Suplementar e o Sistema Unimed frente aos seus desafios Dr. Eudes de Freitas Aquino Presidente da Unimed do Brasil Cenário da Saúde Suplementar PIB gasto em saúde (2013) Gasto per capita em saúde

Leia mais

Junho 2013 1. O custo da saúde

Junho 2013 1. O custo da saúde Junho 2013 1 O custo da saúde Os custos cada vez mais crescentes no setor de saúde, decorrentes das inovações tecnológicas, do advento de novos procedimentos, do desenvolvimento de novos medicamentos,

Leia mais

Pagamento por Desempenho. Stephen Stefani Praga, 2010

Pagamento por Desempenho. Stephen Stefani Praga, 2010 ISPOR Brasil Programa 13:30. Abertura. Dr. Marilyn Dix Smith/ Dr. Stephen Stefani 14:00. Produção técnico- cienefica das operadoras: resumo de trabalhos apresentados na ISPOR. Dr. João Paulo Reis Neto

Leia mais

Publicação do Sistema Abramge-Sinamge-Sinog - Edição I - N o 01 - Setembro/2014

Publicação do Sistema Abramge-Sinamge-Sinog - Edição I - N o 01 - Setembro/2014 Publicação do Sistema Abramge-Sinamge-Sinog - Edição I - N o 01 - Setembro/2014 A saúde suplementar no Brasil cresceu consistentemente nos últimos anos e o país ocupa lugar de destaque no cenário mundial.

Leia mais

CURRICULUM VITAE. Dados Pessoais. Nome Cintia Mendonça de Abreu

CURRICULUM VITAE. Dados Pessoais. Nome Cintia Mendonça de Abreu CURRICULUM VITAE Dados Pessoais Nome Cintia Mendonça de Abreu Formação Universitária Graduação Instituição Faculdade de Medicina - Universidade Federal de Goiás Conclusão 17/11/1995 Pós-Graduação Residência

Leia mais

Avaliação dos planos de saúde no estado de São Paulo

Avaliação dos planos de saúde no estado de São Paulo Artigo original Avaliação dos pl de saúde no estado de São Paulo Jorge Carlos Machado-Curi I, Tomás Patricio Smith-Howard II, Jarbas Simas III, Marcos Eurípedes Pimenta IV, Paulo Manuel Pêgo-Fernandes

Leia mais

02 a 05 de junho de 2009. Eventos Oficiais:

02 a 05 de junho de 2009. Eventos Oficiais: 02 a 05 de junho de 2009 Expo Center Norte - SP Eventos Oficiais: 1 A Saúde Rompendo Paradigmas para o Crescimento Sustentável Saúde Suplementar : Modelo,Regulação e Intervenção Estatal Alceu Alves da

Leia mais

TEMA: Temozolomida para tratamento de glioblastoma multiforme

TEMA: Temozolomida para tratamento de glioblastoma multiforme NOTA TÉCNICA 2014 Solicitante Dr. Renato Martins Prates Juiz Federal da 8ª Vara Data: 19/02/2014 Medicamento X Material Procedimento Cobertura TEMA: Temozolomida para tratamento de glioblastoma multiforme

Leia mais

Os Desafios Assistenciais na Saúde Suplementar Martha Oliveira Gerente Geral de Regulação Assistencial- ANS

Os Desafios Assistenciais na Saúde Suplementar Martha Oliveira Gerente Geral de Regulação Assistencial- ANS Os Desafios Assistenciais na Saúde Suplementar Martha Oliveira Gerente Geral de Regulação Assistencial- ANS O Envelhecimento Populacional é um fenômeno Mundial Fonte: United Nations Department of Economic

Leia mais

VERTICALIZAÇÃO OU UNIÃO ESTRATÉGICA

VERTICALIZAÇÃO OU UNIÃO ESTRATÉGICA VERTICALIZAÇÃO OU UNIÃO ESTRATÉGICA ABRAMGE-RS Dr. Francisco Santa Helena Presidente da ABRAMGE-RS Sistema ABRAMGE 3.36 milhões de internações; 281.1 milhões de exames e procedimentos ambulatoriais; 16.8

Leia mais

Avaliação e Mensuração no contexto de Private Equity e Venture Capital

Avaliação e Mensuração no contexto de Private Equity e Venture Capital ATIVOS INTANGÍVEIS Avaliação e Mensuração no contexto de Private Equity e Venture Capital Leonardo L. Ribeiro Luis Fernando Tironi XIII REPICT Set/2010 Esta apresentação é um sumário executivo do Texto

Leia mais

GERENCIAMENTO DE MATERIAIS MÉDICOS HOSPITALARES

GERENCIAMENTO DE MATERIAIS MÉDICOS HOSPITALARES GERENCIAMENTO DE MATERIAIS MÉDICOS HOSPITALARES Jurema da Silva Herbas Palomo Diretora Coordenação de Enfermagem Instituto do Coração HC / FMUSP Enfermeiro Gestor Compete a responsabilidade da n Definição

Leia mais

SUS SINDUSFARMA. Clarice Petramale

SUS SINDUSFARMA. Clarice Petramale Seminário Incorporação de Novas Tecnologias no SUS SINDUSFARMA Clarice Petramale Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde Diretora do Departamento de Gestão e Incorporação

Leia mais

DESAFIOS PARA O ADMINISTRADOR HOSPITALAR NUM CENÁRIO DE CRESCENTE COMPLEXIDADE NO SEGMENTO DA SAÚDE. Adm. Sérgio Lopez Bento 4.10.

DESAFIOS PARA O ADMINISTRADOR HOSPITALAR NUM CENÁRIO DE CRESCENTE COMPLEXIDADE NO SEGMENTO DA SAÚDE. Adm. Sérgio Lopez Bento 4.10. DESAFIOS PARA O ADMINISTRADOR HOSPITALAR NUM CENÁRIO DE CRESCENTE COMPLEXIDADE NO SEGMENTO DA SAÚDE Adm. Sérgio Lopez Bento 4.10.2012 A G E N D A 1. Cenário da saúde no Brasil 2. Um setor cada vez mais

Leia mais

Inovação em serviços de saúde: experiência da Unimed-BH. CISS Congresso Internacional de Serviços de Saúde

Inovação em serviços de saúde: experiência da Unimed-BH. CISS Congresso Internacional de Serviços de Saúde Inovação em serviços de saúde: experiência da Unimed-BH CISS Congresso Internacional de Serviços de Saúde Quem somos Por que inovar Qualificação da rede Adoção do DRG Acreditação da Operadora Inovação

Leia mais

Seminário O Público e o Privado na Saúde. Mesa: Políticas e Estratégias Governamentais de Regulação

Seminário O Público e o Privado na Saúde. Mesa: Políticas e Estratégias Governamentais de Regulação Seminário O Público e o Privado na Saúde Mesa: Políticas e Estratégias Governamentais de Regulação Tema: O Mais Saúde (PAC Saúde) e as Políticas Sistêmicas de Investimentos Setoriais Pedro Ribeiro Barbosa

Leia mais

Seminário: Caminhos para o financiamento e acesso à saúde

Seminário: Caminhos para o financiamento e acesso à saúde Seminário: Caminhos para o financiamento e acesso à saúde Painel: Como construir programas de acesso aos medicamentos Dirceu Barbano Diretor São Paulo, 07 de junho de 2010. Acesso a medicamentos: definição...relação

Leia mais

2014 DEZEMBRO. Caderno de Informação da Saúde Suplementar. Beneficiários, Operadoras e Planos

2014 DEZEMBRO. Caderno de Informação da Saúde Suplementar. Beneficiários, Operadoras e Planos 2014 DEZEMBRO Caderno de Informação da Saúde Suplementar Beneficiários, Operadoras e Planos Elaboração, distribuição e informações: MINISTÉRIO DA SAÚDE Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) Diretoria

Leia mais

Panorama dos gastos com cuidados em saúde

Panorama dos gastos com cuidados em saúde Panorama dos gastos com cuidados em saúde Os custos da saúde sobem mais que a inflação em todo o mundo: EUA Inflação geral de 27% em dez anos, a inflação médica superou 100%; Brasil Inflação geral 150%

Leia mais

Avaliação Econômica de Tecnologias em Saúde

Avaliação Econômica de Tecnologias em Saúde Palestra 3: Avaliação Econômica de Tecnologias em Saúde Everton Nunes da Silva everton@ppge.ufrgs.br Maio/2008 CONTEXTO MUNDIAL: GASTO EM SAÚDE Total Health Expenditure % of GDP Public Expenditure % of

Leia mais

Seminário de Residência Médica de Cancerologia Clínica Seminar of Residence in Clinical Oncology

Seminário de Residência Médica de Cancerologia Clínica Seminar of Residence in Clinical Oncology RESIDÊNCIA MÉDICA Seminário de Residência Médica de Cancerologia Clínica Seminar of Residence in Clinical Oncology José Luiz Miranda Guimarães* Neste número estamos divulgando o resultado parcial do Seminário

Leia mais

RELATÓRIO EIXO TEMÁTICO: INCLUSÃO SOCIAL E POLÍTICAS PÚBLICAS GRUPO DE TRABALHO 2: SAÚDE

RELATÓRIO EIXO TEMÁTICO: INCLUSÃO SOCIAL E POLÍTICAS PÚBLICAS GRUPO DE TRABALHO 2: SAÚDE RELATÓRIO EIXO TEMÁTICO: INCLUSÃO SOCIAL E POLÍTICAS PÚBLICAS GRUPO DE TRABALHO 2: SAÚDE 1. NOME COMPLETO DO RELATOR 2. E-MAIL MOACIR DE FREITAS JUNIOR moacirfreitasjr@yahoo.com.br 1. INÍCIO O grupo de

Leia mais

AÇÕES DE PREVENÇÃO E PROMOÇÃO DA SAÚDE: A VISÃO DO ÓRGÃO REGULADOR

AÇÕES DE PREVENÇÃO E PROMOÇÃO DA SAÚDE: A VISÃO DO ÓRGÃO REGULADOR AÇÕES DE PREVENÇÃO E PROMOÇÃO DA SAÚDE: A VISÃO DO ÓRGÃO REGULADOR Saúde e Produtividade: o valor de uma força de trabalho saudável para o sucesso dos negócios Towers Watson São Paulo, 28 de maio de 2014

Leia mais

Nota de Acompanhamento do Caderno de Informação da Saúde Suplementar

Nota de Acompanhamento do Caderno de Informação da Saúde Suplementar Nota de Acompanhamento do Caderno de Informação da Saúde Suplementar 1. Informações Gerais No segundo trimestre de 2010, o número de beneficiários de planos de saúde cresceu 1,9%, totalizando 44.012.558

Leia mais

Everton Nunes Sabino da Silva Pôrto Junior www.ufrgs.br/economiadasaude. Abril/2008

Everton Nunes Sabino da Silva Pôrto Junior www.ufrgs.br/economiadasaude. Abril/2008 Introdução à Economia da Saúde Everton Nunes Sabino da Silva Pôrto Junior www.ufrgs.br/economiadasaude Abril/2008 Tópicos Introdução à Economia da Saúde : Definição de Economia da Saúde; Gasto em Saúde;

Leia mais

ESCOLA DO SERVIÇO DE SAÚDE MILITAR NEWSLETTER. Junho de 2013 ARTIGO. Sistemas de Saúde versus Serviço Nacional de Saúde

ESCOLA DO SERVIÇO DE SAÚDE MILITAR NEWSLETTER. Junho de 2013 ARTIGO. Sistemas de Saúde versus Serviço Nacional de Saúde ARTIGO CAP Luís Pereira Sistemas de Saúde versus Serviço Nacional de Saúde Cada país da Europa desenvolveu, ao longo de décadas ou de séculos, um modelo de sistemas de saúde que assenta em características

Leia mais

Saúde Coletiva: ciência e politica

Saúde Coletiva: ciência e politica Saúde Coletiva: ciência e politica Unicamp Março 2015 Ana Maria Costa: docente ESCS/DF, Presidentes do Cebes. Coordenadora Geral Alames Policia medica Higienismo Saude publica Medicina preventiva Medicina

Leia mais

Incorporação de Tecnologias na Saúde Suplementar Revisão do Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde 2015-2016. Janeiro de 2015

Incorporação de Tecnologias na Saúde Suplementar Revisão do Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde 2015-2016. Janeiro de 2015 Incorporação de Tecnologias na Saúde Suplementar Revisão do Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde 2015-2016 Janeiro de 2015 1 Agência Nacional de Saúde Suplementar É a agência reguladora do Governo Federal,

Leia mais

Economia da Saúde: a inovação e seu impacto no Sistema de Saúde. Erika Aragâo Fiocruz BA e UFBA

Economia da Saúde: a inovação e seu impacto no Sistema de Saúde. Erika Aragâo Fiocruz BA e UFBA Economia da Saúde: a inovação e seu impacto no Sistema de Saúde Erika Aragâo Fiocruz BA e UFBA Ciência: "Refere-se a um sistema de aquisição de conhecimento. Tradicionalmente relacionado a observação e

Leia mais

Auditoria de Enfermagem. Enfª MSc. Débora Soares de Oliveira

Auditoria de Enfermagem. Enfª MSc. Débora Soares de Oliveira Auditoria de Enfermagem Enfª MSc. Débora Soares de Oliveira A palestrante Enfermeira Especialista em Administração em Saúde pela PUC-PR e Metodologia do Ensino Superior pela FESP Mestre em Tecnologia

Leia mais

Gerenciamento da Desospitalizaçãode Pacientes Crônicos. Palestrante: Enfª Patricia Silveira Rodrigues

Gerenciamento da Desospitalizaçãode Pacientes Crônicos. Palestrante: Enfª Patricia Silveira Rodrigues Gerenciamento da Desospitalizaçãode Pacientes Crônicos Palestrante: Enfª Patricia Silveira Rodrigues WHO Agence de Santé Publique du Canada Preventing Chronic Diseases a vital investment. As doenças crônicas

Leia mais

2013 Março. Caderno de Informação da Saúde Suplementar. Beneficiários, Operadoras e Planos

2013 Março. Caderno de Informação da Saúde Suplementar. Beneficiários, Operadoras e Planos 2013 Março Caderno de Informação da Saúde Suplementar Beneficiários, Operadoras e Planos MINISTÉRIO DA SAÚDE Agência Nacional de Saúde Suplementar Caderno de Informação da Saúde Suplementar Beneficiários,

Leia mais

A redução do parto cesáreo: o papel do SUS e da saúde suplementar. Agência Nacional de Saúde Suplementar

A redução do parto cesáreo: o papel do SUS e da saúde suplementar. Agência Nacional de Saúde Suplementar A redução do parto cesáreo: o papel do SUS e da saúde suplementar Agência Nacional de Saúde Suplementar Jacqueline Alves Torres CONASEMS Belém, 2008 O Setor Suplementar de Saúde Antes da Regulamentação:

Leia mais

São Paulo, 04 de setembro de 2015. OFÍCIO Nº 23/2015

São Paulo, 04 de setembro de 2015. OFÍCIO Nº 23/2015 São Paulo, 04 de setembro de 2015. OFÍCIO Nº 23/2015 Ao Ministério Público Federal Procuradoria da Republica do Rio Grande do Sul Núcleo da Seguridade Social - NSS REF: Oficio nº 5354/2015 - Inquérito

Leia mais

A experiência da Engenharia Clínica no Brasil

A experiência da Engenharia Clínica no Brasil Página 1 de 5 Sobre a Revista Ed 24 - fev 04 Home Medical Infocenter Med Atual Edição Atual Serviços Global Home Brasil Home Busca Mapa do Site Fale Conosco Edição Atual Edição Atual Matéria de Capa Artigo

Leia mais

Longo caminho. Acontece no mundo inteiro. Os doentes crônicos

Longo caminho. Acontece no mundo inteiro. Os doentes crônicos Gestão Foto: dreamstime.com Longo caminho Medida da ANS inicia discussão sobre a oferta de medicamentos ambulatoriais para doentes crônicos pelas operadoras de saúde Por Danylo Martins Acontece no mundo

Leia mais

Saúde Ativa Gestão de Saúde: Bem Estar, Doenças / Alto Risco e Casos Complexos

Saúde Ativa Gestão de Saúde: Bem Estar, Doenças / Alto Risco e Casos Complexos 1 Saúde Ativa Gestão de Saúde: Bem Estar, Doenças / Alto Risco e Casos Complexos Resultados A SulAmérica e o Saúde Ativa Ações para Adesão Nova fase Adesão e Engajamento Experiência da SulAmérica Programas

Leia mais

TEMA: OXIGENOTERAPIA HIPERBÁRICA (OHB) NO TRATAMENTO DE ÚLCERA CRÔNICA INFECTADA EM PÉ DIABÉTICO

TEMA: OXIGENOTERAPIA HIPERBÁRICA (OHB) NO TRATAMENTO DE ÚLCERA CRÔNICA INFECTADA EM PÉ DIABÉTICO NT 19 /2014 Solicitante: Des. Vanessa Verdolim Hudson Andrade Numeração: 1.0701.13.032021-4/001 Data: 03/02/2014 Medicamento Material Procedimento X Cobertura TEMA: OXIGENOTERAPIA HIPERBÁRICA (OHB) NO

Leia mais

Assistência Suplementar à Saúde no Brasil Segmento Odontológico

Assistência Suplementar à Saúde no Brasil Segmento Odontológico Assistência Suplementar à Saúde no Brasil Segmento Odontológico Sindicato Nacional das Empresas de Odontologia de Grupo Sinog Dezembro/ 2011 Press Kit para Imprensa Sinog Sindicato Nacional das Empresas

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 3.998, de 2012

PROJETO DE LEI N.º 3.998, de 2012 1 COMISSÃO DE DEFESA DO CONSUMIDOR PROJETO DE LEI N.º 3.998, de 2012 Altera a Lei nº 9.656, de 3 de junho de 1998, que "dispõe sobre os planos e seguros privados de assistência à saúde", para incluir os

Leia mais

Incorporação de Tecnologias no SUS

Incorporação de Tecnologias no SUS Incorporação de Tecnologias no SUS Seminário Inovação Tecnológica em Saúde no SUS IS SES/SP Fernanda Laranjeira Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde Departamento de

Leia mais

GT-SAÚDE ATUALIZAÇÃO MINISTÉRIO DASAÚDE E ANVISA 19 DE MAIO DE 2015

GT-SAÚDE ATUALIZAÇÃO MINISTÉRIO DASAÚDE E ANVISA 19 DE MAIO DE 2015 GT-SAÚDE ATUALIZAÇÃO MINISTÉRIO DASAÚDE E ANVISA 19 DE MAIO DE 2015 EVENTOS-TESTE PRIORITÁRIOS GT-SAÚDE Esporte Datas Nome do Evento Localização Estimativa de público Remo Hipismo Saltos ornamentais Ginástica

Leia mais

Sustentabilidade do Setor de Saúde Suplementar. Leandro Fonseca Diretor Adjunto de Normas e Habilitação de Operadoras - DIOPE

Sustentabilidade do Setor de Saúde Suplementar. Leandro Fonseca Diretor Adjunto de Normas e Habilitação de Operadoras - DIOPE Seminário Anual de Saúde 2013 Sustentabilidade dos programas de saúde: desafios e oportunidades Leandro Fonseca ANS Agência Nacional de Saúde Suplementar 16 de maio de 2013 2013 Towers Watson. Todos os

Leia mais

Ministério da Saúde Secretaria Executiva Departamento de Economia da Saúde e Desenvolvimento

Ministério da Saúde Secretaria Executiva Departamento de Economia da Saúde e Desenvolvimento 1 Ministério da Saúde Secretaria Executiva Departamento de Economia da Saúde e Desenvolvimento I Congresso Informação de Custos e Qualidade do Gasto no Setor Público Oficina II Informação de Custo para

Leia mais

I Jornada Científica Outubro de 2012. Planos de saúde no Brasil: Uma análise da regulação econômica.

I Jornada Científica Outubro de 2012. Planos de saúde no Brasil: Uma análise da regulação econômica. I Jornada Científica Outubro de 2012 Planos de saúde no Brasil: Uma análise da regulação econômica. Doutorando do PPED/IE/UFRJ: Rodrigo Mendes Leal (RMendesleal@gmail.com) Orientadora: Dra. Maria Lucia

Leia mais

ANÁLISE CUSTO-UTILIDADE DE ALTERNATIVAS PARA O PROBLEMA DAS FRATURAS DE FÊMUR OSTEOPORÓTICAS NO BRASIL

ANÁLISE CUSTO-UTILIDADE DE ALTERNATIVAS PARA O PROBLEMA DAS FRATURAS DE FÊMUR OSTEOPORÓTICAS NO BRASIL ANÁLISE CUSTO-UTILIDADE DE ALTERNATIVAS PARA O PROBLEMA DAS FRATURAS DE FÊMUR OSTEOPORÓTICAS NO BRASIL Letícia Krauss Silva ENSP/FIOCRUZ Introdução Atualmente vista como um dos problemas de saúde mais

Leia mais

Farmacoeconomia: Introdução, conceitos basicos, métodos e aplicações

Farmacoeconomia: Introdução, conceitos basicos, métodos e aplicações 2A SEMANA DA FARMACIA ANGOLANA HCTA-Luanda, 06-07 DE SET 2015 Farmacoeconomia: Introdução, conceitos basicos, métodos e aplicações Dr. Gaparayi Patrick Farmacêutico, Mestre em Economia de Saúde e Farmacoeconomia

Leia mais

Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato. Mesa da Assembleia-geral. Não Aplicável. Conselho de Administração

Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato. Mesa da Assembleia-geral. Não Aplicável. Conselho de Administração Modelo de Governo Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato Presidente Vice-Presidente Secretário Mesa da Assembleia-geral Não Aplicável Presidente Conselho de Administração Izabel Maria Nunes Rodrigues Daniel

Leia mais

ESPECÍFICO DE ENFERMAGEM PROF. CARLOS ALBERTO

ESPECÍFICO DE ENFERMAGEM PROF. CARLOS ALBERTO ESPECÍFICO DE ENFERMAGEM PROF. CARLOS ALBERTO 1. A comunicação durante o processo de enfermagem nem sempre é efetiva como deveria ser para melhorar isto, o enfermeiro precisa desenvolver estratégias de

Leia mais

Debates GVsaúde. Perspectivas da Assistência para a População de Idosos Visão das Autogestões. Denise Eloi Maio/2014

Debates GVsaúde. Perspectivas da Assistência para a População de Idosos Visão das Autogestões. Denise Eloi Maio/2014 Debates GVsaúde Perspectivas da Assistência para a População de Idosos Visão das Autogestões Denise Eloi Maio/2014 Sistema de Saúde Suplementar 1.274 operadoras de planos de saúde com beneficiários Mais

Leia mais

SEMINÁRIO NOVA LEI GERAL DE SEGUROS

SEMINÁRIO NOVA LEI GERAL DE SEGUROS SEMINÁRIO NOVA LEI GERAL DE SEGUROS Marco Antonio Rossi Presidente da Fenaprevi Presidente da Bradesco Seguros Agenda Mercado Segurador Nacional Os direitos dos Segurados e Participantes Legislação O Brasil

Leia mais

Eletros-Saúde: O desafio da segregação

Eletros-Saúde: O desafio da segregação Eletros-Saúde: O desafio da segregação Na última edição do Eletros em Foco, a Diretoria Executiva da ELETROS, em sua entrevista, antecipou os motivos e as ações previstas para a segregação das atividades

Leia mais

Associação Médica Brasileira AMB Conselho Federal de Medicina - CFM

Associação Médica Brasileira AMB Conselho Federal de Medicina - CFM Associação Médica Brasileira AMB Conselho Federal de Medicina - CFM Comissão de Assuntos Políticos CAP José Luiz Mestrinho PEC 01/2015 Dep. Vanderlei Macris e outros COMISSÃO ESPECIAL DESTINADA A PROFERIR

Leia mais

Reunião Pública com Analistas Abril, 2009

Reunião Pública com Analistas Abril, 2009 Reunião Pública com Analistas Abril, 2009 Profarma Overview Profarma: Overview da Companhia Desde 1961, a Profarma distribui produtos farmacêuticos, higiene pessoal e cosméticos para farmácias e hospitais

Leia mais

Tatiana Accioly Fayad Gerente Jurídica

Tatiana Accioly Fayad Gerente Jurídica Tatiana Accioly Fayad Gerente Jurídica UNIMED GOIÂNIA COOPERATIVA MÉDICA (Lei 5.764/71) e OPERADORA DE PLANOS DE SAÚDE (Lei 9.656/98) Lei 9656/98 Lei dos Planos de Saúde Lei nova (14 anos) 36 artigos e

Leia mais

Envelhecimento Populacional X Assistência em Saúde X Qualidade de Vida Saúde & Lazer 09-Set-2010

Envelhecimento Populacional X Assistência em Saúde X Qualidade de Vida Saúde & Lazer 09-Set-2010 http://www.saudelazer.com/ Envelhecimento Populacional X Assistência em Saúde X Qualidade de Vida Saúde & Lazer 09-Set-2010 Especialistas que participarão de jornada sobre envelhecimento analisam o cenário

Leia mais

Cumulatividade e Sinergia: Conceitos e Desafios para Avaliações de Impactos e elaboração de Planos de Gestão no Brasil Andressa Spata

Cumulatividade e Sinergia: Conceitos e Desafios para Avaliações de Impactos e elaboração de Planos de Gestão no Brasil Andressa Spata Cumulatividade e Sinergia: Conceitos e Desafios para Avaliações de Impactos e elaboração de Planos de Gestão no Brasil Andressa Spata Problema Questionamentos no Brasil a respeito dos conceitos de cumulatividade

Leia mais

O QUE É UMA PROJEÇÃO DE DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS - PARTE II

O QUE É UMA PROJEÇÃO DE DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS - PARTE II O QUE É UMA PROJEÇÃO DE DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS -! Para que serve a análise retrospectiva?! Projeção em moeda constante ou moeda corrente?! Projeções detalhadas versus projeções compactadas. Fábio Vianna(f_c_a@uol.com.br)

Leia mais