Solstício de Inverno Loja de Mesa

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Solstício de Inverno Loja de Mesa"

Transcrição

1 Solstício de Inverno Loja de Mesa Pontos telúricos na Terra

2 Revisando: A Terra leva um ano para descrever uma órbita em torno do Sol, ao longo de um plano denominado eclíptica. A Terra gira em torno de si cerca de 24 horas. A projeção desse plano na superfície da Terra recebe o nome de linha do equador, e na esfera celeste de equador celeste.

3 A LOJA DE MESA na MAÇONARIA Questões iniciais: O que é uma LOJA DE MESA na Maçonaria? Por que comemoramos o SOLSTÍCIO DE INVERNO? Qual a diferença entre o SOLSTÍCIO DE INVERNO e o SOLSTÍCIO DE VERÃO? Qual é o significado simbólico, esotérico e místico dos solstícios de inverno e de verão? Qual é a relação existente entre os SOSLTÍCIOS e as comemorações sobre SÃO JOÃO? São João, O Batista? São João, O Evangelista? Como as diversas civilizações (povos) entendiam e comemoravam os solstícios?

4 Loja de Mesa O que é? Por: Ir:.Luiz Guillaume de Saint-Victor São João Batista e São João Evangelista Loja de Mesa é a sessão ritualística em que os Maçons se confraternizam, em torno de uma mesa de refeições; É também chamada de Banquete Ritualístico. A Loja de Mesa, antigo costume maçônico, deve ser instalada pelo menos uma vez por ano, de preferência no solstício de inverno (21 de junho no hemisfério sul). Muitas oficinas o fazem a 24 de junho, aproveitando o solstício e homenageando o padroeiro de muitos ritos maçônicos, São João, o Batista. No hemisfério norte é comum realizá-lo a 27 de dezembro, unindo a festa solsticial com a homenagem a São João, o Evangelista; A primeira obediência maçônica no mundo, foi fundada em 1717, no dia de São João Batista No hemisfério sul comemora-se o NATAL, no Solstício de Verão. CRISTO é o símbolo do RENASCIMENTO. Notar que (hemisfério sul) o solstício de inverno trata as almas mortais, Enquanto que o solstício de verão trata das almas imortais.

5 Por que comemoramos o SOLSTÍCIO DE INVERNO? Qual é o significado simbólico, esotérico e místico dos SOLSTÍCIOS DE INVERNO e de VERÃO? Diversas religiões consideram os dias de Solstício e Equinócio como sendo dias mágicos, uma vez que são em tais momentos que ocorre a mudança das estações. Por ser o dia de maior noite no ano, o solstício de inverno (21 de junho) é associado à morte, ao desconhecido ou à escuridão, enquanto o dia de maior claridade (21 de dezembro) é associado à vida ou à luz (solstício de verão); Na antiguidade, as iniciações eram feitas sempre no solstício de inverno, porque, sendo o último dia de maior noite, significava a marca do início do ciclo de dias de luz cada vez maiores, a cada dia que doravante se passará; Significava ainda a saída do mundo dos mortos (a noite, a escuridão), ou a entrada no mundo dos vivos (o dia, a luz); As iniciações tinham assim o significado de renascer, ou nascer de novo para a luz; O renascimento assume o significado / símbolo da vida que se renova, após a grande noite (morte); No Egito antigo, os Faraós eram re-iniciados a cada novo solstício de inverno. As pirâmides foram construídas em alinhamento para receber o Sol de frente à porta de entrada, exatamente no dia do solstício de inverno. Em diversas outras civilizações, as grandes obras de arquitetura foram construídas com este alinhamento, e com este objetivo.

6 Qual a diferença entre o SOLSTÍCIO DE INVERNO e o SOLSTÍCIO DE VERÃO? O Solstício de Inverno marca a noite mais longa do ano: é o apogeu do inverno, o ponto culminante da escuridão e do frio que afasta a vida. Como todo apogeu, marca também o início da decadência. Se este é o apogeu da sombra, ela agora entra em decadência, e temos então o retorno da luz. Gradualmente, a noite começa a encolher, começa a durar menos, até que, no solstício de verão, os papéis se invertam na eterna gangorra que determina o equilíbrio da natureza. Vivendo no Hemisfério Sul, onde as estações do ano são invertidas com relação ao norte, estamos atravessando agora em junho os últimos momentos do outono a estação da colheita que nos leva ao inverno.

7 Estações do ano Devido ao movimento de translação da Terra em torno do Sol, o Sol aparentemente se move entre as estrelas, ao longo do ano, descrevendo uma trajetória na esfera celeste chamada Eclíptica. A Eclíptica é um círculo máximo que tem uma inclinação (23,5 o ) em relação ao Equador Celeste. É esta inclinação que causa as Estações do ano.

8 Durante o seu passeio pela eclíptica o Sol vai passando pelas 12 casas do zodíaco, cada uma correspondendo a 30 de arco sobre a esfera celeste, na qual vão se sucedendo as diversas constelações. Datas em que o Sol entra nos signos (aprox.): Aries 20/03 Touro 20/04 Gêmeos 21/05 Câncer 21/06 Leão 23/07 Virgem 23/08 Libra 23/09 Escorpião 23/10 Sagitário 22/11 Capricórnio 22/12 Aquário 20/01 Peixes 18/02

9 Equinócios Equinócio é uma palavra que deriva do latim (aequinoctium), e significa noite igual, e refere-se ao momento do ano em que a duração do dia é igual à da noite sobre toda a Terra. É o momento em que a TERRA está mais próxima do Sol. Astronomicamente isto se dá quando a Terra atinge uma posição em sua órbita onde o Sol parece estar situado exatamente na intersecção do círculo do Equador Celeste com o círculo da Eclíptica; ou seja, instante em que o Sol no seu movimento anual aparente pela Eclíptica, corta o Equador Celeste, apresentando declinação de 0º.

10 SOLSTÍCIOS DE VERÃO / INVERNO A palavra Solstício, significa parado, imobilizado e está associada à idéia de que o Sol estaria como que estacionário. É a época do ano em que o Sol atinge o máximo afastamento angular do Equador, no seu movimento aparente na esfera celeste. É o dia de menor noite/dia no ano. É considerado Solstício de Verão (21/06) no hemisfério norte e de Solstício de Inverno no hemisfério sul, quando o Sol ingressa a 0º do Signo de Câncer, quando o Sol alcança sua máxima declinação norte, 23º27'. No dia do Solstício de Inverno (22/12) no hemisfério norte e de Solstício de Verão no hemisfério sul, quando marca a entrada do Sol no Signo de Capricórnio, quando o Sol alcança sua máxima declinação sul, 23º27'. Vale lembrar que como as estações do ano são opostas nos dois hemisférios, as denominações se invertem.

11 Sobre os SOLSTÍCIOS

12 SOLSTÍCIO DE INVERNO No solstício de junho (hemisfério sul) as atividades físicas da Natureza estão no seu máximo; Por isso a "noite de São João" é um grande festival folclórico que saúda com alegria e onde homenageia a construção do universo material; É o axioma científico de que a natureza não tolera nada que não tenha seu uso; A Natureza tem serviço a fazer e exige trabalho de todos para que justifiquem sua existência e para que continuem fazendo parte dela. Isto se aplica tanto às plantas, ao planeta como um todo, como ao homem e os animais; Todos tem seu serviço a cumprir; todos são trabalhadores e suas atividades são a solução para muitos dos múltiplos mistérios da Natureza.

13 SOLSTÍCIO DE JUNHO ORDEM ROSA CRUZ (INVERNO NO HEMISFÉRIO SUL) No solstício de junho, estação durante a qual a manifestação física sobre a Terra atinge o seu máximo. Todos os anos uma onda espiritual de vitalidade penetra na Terra por ocasião do solstício para impregnar as sementes adormecidas na terra, para dar nova vida ao mundo em que vivemos Período para olhar mais para o nosso interior a fim de encontrarmos uma nova fonte de luz e regeneração. Marca o inicio de um novo ciclo, onde a Terra se regenera. É o momento para vislumbrar o futuro. O Solstício de Inverno traz para os indios americanos a mensagem do grande Búfalo Branco: voltar-se para dentro de sí, na dádiva de focalizar a luz em áreas específicas da nossa consciência, lembrando-nos de que precisamos trabalhar a limpeza, a renovação e a pureza em nosso espírito.

14 Os solsticios e a festa dos tabernáculos - ISRAEL A última festa dos judeus e a mais importante é a dos Tabernáculos, quando o Sol cruza seu nodo ocidental no outono, depois de haver dado ao homem o pão da vida com o qual podia sustentar seu ser material até a próxima volta do Sol aos céus boreais; 21 JUNHO No solstício do inverno, o Sol do ano passado que completou sua jornada e alcançou o grau máximo de declinação austral; Desde o solstício de inverno (hemisfério norte), em dezembro, até o solstício de verão, em junho, os raios solares vão crescendo e ganhando em força cada dia; O Tabernáculo

15 MITOLOGIA EGÍPCIA No solstício de inverno, a imagem de Hórus, sob forma de menino recém-nascido, era retirada do santuário para ser exposta à adoração da multidão. Olho de Hórus

16 As pirâmides e o Mistério de Órion Exatamente no dia do solstício de inverno, visto da entrada da Grande Pirâmide, o Sol nasce exatamente na cabeça da Esfinge, e ilumina DIRETAMENTE a entrada das pirâmides. Era o dia considerado ideal para as iniciações no antigo Egito, por marcar o retorno do Sol (luz).

17 Localização das pirâmides do Egito Foi Imothep (Hermes Trismesgistos, como os gregos o chamaram posteriormente) que determinou a localização onde se construiria Saqqara para as suas misteriosas finalidades. Está situada na área entre 31 e 32 graus de longitude Leste e 29 e 30 graus de latitude Norte. Foi a única área no Egito onde se construiriam pirâmides.

18 O Egito O:P> </O:P> Inicialmente, a região do Egito estava sob controle de dois reinos diferentes. Zonas agrícolas eram constituídas aos longo das margens sul e norte do rio Nilo, e conforme houve a proximidade de tais áreas, regidas

19 As pirâmides estão colocadas num lugar muito especial na face Pirâmides do Egito da Terra - estão no centro exato Longitude: 30 da superfície terrestre do planeta, Latitude : 31 dividindo a massa de terra em quadrantes aproximadamente E não se trata de defeito da foto! Nesta outra tomada, iguais. podemos notar que existe uma misteriosa triangulação Ponto Telúrico entre a Esfinge, as três grandes -pirâmides (oficialmente (Proporção áurea denominadas Queóps, Quéfren e Miquerinos) e a2/3). misteriosa estrutura esférica!

20 MAIAS EGIPCIOS Pontos telúricos da terra As pirâmides estão colocadas num lugar muito especial na face da Terra - estão no centro exato da superfície terrestre do planeta, dividindo a massa de terra em quadrantes aproximadamente iguais. (Proporção áurea 2/3).

21 Cinturão de Orion Os "respiradouros" da pirâmide de Quéops apontavam para a Constelação de Órion, aparentemente com o objetivo de mirar a alma do rei morto em direção àquela constelação.

22 Gizé é o nome do local onde estão as 3 pirâmides: A maior é a de Queóps, um pouco menor a Quéfren e a menor é a de Miquerinos.

23 Existiriam misteriosas energias geradas, e simultaneamente atraídas, pelas pirâmides ou até mesmo pelas suas simples formas geométricas? Comprovadamente fluem por intermédio dessas estruturas (mesmo que nas simples réplicas) três tipos de energias: Eletrostática, Piezoelétrica e uma terceira, desconhecida, temporariamente batizada de "Energia X".

24 Saqqara fica sobre um do nódulos principais da rede eletromagnética do planeta onde se pode melhor utilizar a energia telúrica para fazer vibrar uma grande massa de pedra. É um ponto de força (telúrico) no planeta que aumenta os efeitos da pirâmide que Imothep construiu. Esta localização era fundamental para que a pirâmide operasse como um condensador elétrico que captava, como uma antena, a energia positiva da atmosfera nos cristais de quartzo dos azulejos de granito que a revestiam externamente.

25 Saqqara era circundada por um muro com dez metros de altura, quinhentos e cinquenta metros de comprimento e duzentos e setenta e cinco metros de largura (metade do comprimento). A pirâmide foi alinhada com os pontos cardeais. Constituiu-se na primeira parte da máquina quântica construída por Imothep. ( ton de rocha com alto teor de quartzo, de efeito Piezoelétrico)

26 Alinhamentos das Pirâmides e da Esfinge Alinhadas na direção da Constelação de ORION no dia do Solstício de Inverno Vista área do complexo de Gizé Todas as construções na planície de Gizé estão espetacularmente alinhadas.

27 ... E as fotos dos satélites da NASA recentemente trouxeram à luz este outro estonteante enigma! Aqui temos uma visão geral da Esfinge, bem na extremidade esquerda. Logo atrás, a Grande Pirâmide. Veja o que a linha azul aponta... A entrada da grande pirâmide! Aqui o Sol ilumina diretamente no Solstício de Inverno! Algo que somente é possível ser visualizado a partir do ar!

28 A ESFINGE A Esfinge não foi construida com blocos quadrados, como as pirâmides e templos os quais guarda, mas esculpida na rocha bruta (monolítica). Seus escultores lhe deram a cabeça de um homem (alguns dizem ser de uma mulher) e um corpo de um leão. Tem 65 pés (20 metros) de altura e 241 pés (73.5 metros) de comprimento. Seus olhos, virados para leste, contemplam fixamente o horizonte distante. No solstício seus olhos miram o sol de frente, e as luzes e energias do sol adentram diretamente a porta de entrada das pirâmides.

29 O Enigma da Esfinge: A Esfinge é sem dúvida, uma relíquia de outro tempo. De uma cultura que possuia um conhecimento, de longe, muito maior que o nosso. Há uma tradição que diz: a Esfinge é um grande e complexo hieróglifo, que contém a totalidade do conhecimento antigo. DECIFRA-ME OU TE DEVORAREI! Este é o famoso "ENIGMA DA ESFINGE" que dos tempos mais antigos tantas almas tentaram resolver.

30 E não é somente isso! O Egito guarda outros profundos mistérios que se situam para muito além da nossa imaginação.

31 A Esfinge misteriosa de Gizé, guardiã absoluta dos mais profundos segredos da antigüidade misteriosa, como também da História.

32 Outras pirâmides ou pontos que exploraram as forças dos SOLSTÍCIOS

33 O Místico Templo de Stonehenge Durante séculos, Stonehenge foi cenário de reuniões de camponeses e nos últimos 80 anos os «druidas» modernos celebraram aqui o Solstício. Durante aproximadamente 20 anos, milhares de pessoas se reuniam neste local todos os meses de Junho para assistirem ao festival que aí tem lugar.

34 Não há ninguém que tenha assitido ao nascer do Sol por cima dos blocos de pedra no solstício de inverno que dificilmente não admita a possibilidade de Stonehenge ter tido também uma função astrológica. Tratar-se-ia de um observatório pré-histórico cujo alinhamento das pedras produz o traçado de linhas precisas que marcam o nascer e o pôr do Sol em datas chaves como são os solstícios. Os movimentos do Sol, da Lua e das estrelas podiam ser seguidos e os eclipses previstos. A figura acima mostra algumas das direções astronômicas chave centrada no grande circulo de Stonehenge. Os círculos assinalados em preto representam as pedras que ainda existem; os círculos apenas contornados de preto, o local de antigas pedras

35 Newgrange - Irlanda Perto de Drogheda, a 45 quilômetros ao norte de Dublin na costa leste da Irlanda, existe um túmulo de pedras: Newgrange, data de 3250 a.c. É um monte ovalado e de longe pôde ser definido como uma pirâmide. Tem 14 metros de altura com um diâmetro de 76 metros. Como no monte de Silbury não tem nenhum lado reto.

36 Newgrange - Irlanda Como as pirâmides egípcias, Newgrange contém uma passagem e câmaras. Trata-se de um monte artificial erguido sobre uma câmara em forma de cruz que penetra mais de 24 metros no interior do monte. A característica mais impressionante de Newgrange é o (nosso) Solstício de Inverno, fenômeno que no dia mais longo do ano no hemisfério Norte, ilumina todo o interior da câmara interna, num espetáculo maravilhoso causado por esse fenômeno.

37 Solstício de Inverno nos Andes Os amautas de Tiwanaku afirmam que 2003 é o ano 5511 do mundo andino. O cálculo teria sido realizado nas ruínas de Cusco, no Peru, com base em pedras que determinariam o rumo das épocas andinas. Seria um ciclo de 500 anos, pois o cinco é um número espiritual na concepção andina. O dígito representa o quinto ponto, o do centro, na constelação do Cruzeiro do Sul (Pusi Wara) que rege o calendário andino. Como ocorrem todos os anos, o solstício de inverno se constitui em uma cerimônia que atrai centenas de turistas a Tiwanaku com o objetivo de observar a saída do deus Sol ao amanhecer do dia 21, com toda o simbolismo aymará que acompanha este ato...

38 Solstício de Inverno nos Andes Willka Tata, Inti Tata! Que este ano haja boa colheita, que não haja fome! As mãos do amauta elevam ao céu uma oferenda a Pachamama. Ao lado dele uma enorme fogueira dá o tom místico à cerimônia. Willka Tata, Inti Tata! (pai sol), que este ano haja boa colheita!, repete o amauta, para logo depois depositar a wajta (oferenda) sobre o fogo. Ocorrerá no amanhecer do dia 21 de junho como ocorre há uma centena de anos entre as e da manhã nas ruínas de Tiwanaku.

39 Os SOLSTÍCIOS e a Maçonaria

40 Os solstícios e a Maçonaria Teorias supõem que, posterior à sua história, as Pirâmides foram o Templo de Mistérios daquilo que mais tarde se transformou na "Maçonaria" de hoje. Nos rituais iniciáticos nas pirâmides - os chamados "Portais da Morte"- o candidato era atado a uma cruz de madeira e transportado a uma cripta subterrânea, onde permanecia em estado de transe por três dias e meio. Durante esse tempo, enquanto seu corpo denso jazia inerte, o Ego, envolto em seus veículos mais sutis, percorria conscientemente o Mundo do Desejo conduzido por um Hierofante, e era submetido às "provas de fogo, da terra, do ar e da água". Mostravam aos neófitos que, funcionando em tais veículos nenhum desses elementos podia afetá-lo; que podia atravessar uma montanha com a mesma facilidade com que atravessava o ar; De modo geral, o neófito receia de início os elementos, portanto o Iniciador se faz presente para ajudá-lo e infundir-lhe segurança. Ao raiar do quarto dia ele era transportado à plataforma da Pirâmide, onde os raios do Sol nascente despertavam-no daquele sono. Ao despertar era-lhe dada "a Palavra", e passava a chamar-se "primogênito".

41 Os solstícios e a Maçonaria Este mito ainda subsiste no terceiro grau da Maçonaria: a morte e ressurreição de Hiram Abiff, o "filho da Viúva", o grande Arquiteto do Templo de Salomão e herói da lenda maçônica. Ragon, franco-maçom francês, diz que a lenda de Hiram é uma alegoria astrológica que simboliza o Sol, partindo do solstício de inverno. O Templo de Salomão é o nosso sistema solar que constitui a grande escola da vida para a nossa humanidade em evolução. As linhas mestras de sua história passada, presente e futura, estão escritas nas estrelas onde aquele que busque poderá conhecê-la nas linhas do conhecimento. No esquema microcósmico, o Templo de Salomão é também o corpo humano em cujo interior o espírito individualizado ou o Ego está evoluindo, como Deus o está no Macrocosmos. Hiram Abiff, o Grande Mestre, é o Sol que caminha pelos doze signos do zodíaco, representando aí o drama místico da lenda Maçônica.

42 Os solstícios e a Maçonaria Durante o solstícios tudo o que respira emite cânticos de gratidão ao Sol. Hiram, que o representa, pode dar a Palavra, quer dizer, vida a tudo. Então entra os signos austrais ao decair o equinócio, que sucede ao solstício, a natureza emudece (4), e Hiram, o Sol, já não pode dar mais a palavra sagrada. Encontra os três assassinos (os signos zodiacais de Libra, Scorpio e Sagitarius), pelos quais passa o Sol em outubro, novembro e dezembro. O primeiro o golpeia com a régua de 24 polegadas (que simboliza as 24 horas que tarda a Terra em girar sobre seu eixo). O segundo o golpeia com o esquadro de ferro (que simboliza as quatro estações) e, por último, lhe é dado o golpe mortal, pelo terceiro assassino, com um martelo (que, sendo redondo, significa que o Sol completou seu círculo e morre para dar lugar ao Sol do ano novo). Os Iniciados dos templos egípcios eram chamados "phree messen", que significa "filhos da luz", porque haviam recebido a luz do conhecimento ; essas palavras se transformaram depois em "Free Mason (maçom livre ou francomaçom).

43 Os solstícios, São João Batista e a Maçonaria Ref: Luis Conceição, M.. M..(R.. L.. Convergência, n.º 501, a Oriente de Lisboa, G.. O... L...) Estabelece-se também a relação da Maçonaria com os ciclos naturais através das citações de São Jõao. Também na associação entre o movimento de translação da Terra e a fonte de luz, de vida, de energia que é o Sol. Percorremos os trilhos da inegável atribuição mítica dos momentos solsticiais. Há uma consciência mística do ciclo solar, e da essencia do mito do eterno retorno. Pretende-se com isto dizer que, na tradição ancestral, as Lojas Maçônicas não são Lojas Solsticiais, mas sim e antes de tudo, Lojas de S. João: São João Baptista é um profeta que anuncia e prepara, no sistema iniciático, a vinda da Luz. Ele ensina a humildade, a renúncia ao ego, sem as quais a iniciação e o progresso espiritual são impossíveis. São João Baptista simboliza, assim, o grande iniciador, o Mestre sábio que prepara, humildemente, o caminho ao Aprendiz. São João Evangelista, em contrapartida, representa o Irmão que recebeu a Luz e que emana na sua sabedoria, identificando-a com o Verbo e com o Amor..

44 Os solstícios, São João Batista e a Maçonaria Ref: Luis Conceição, M.. M..(R.. L.. Convergência, n.º 501, a Oriente de Lisboa, G.. O... L...) Que a força iniciática do batismo renovador que celebramos no Solstício de Verão, produza a Luz sábia e irradiante que, por intermédio do Amor, voltaremos a colher no próximo solstício de Inverno. Nota: S. João a que se referem as Lojas dos graus simbólicos do Rito Escocês Antigo e Aceito, não é nenhum dos dois S. Joões Solsticiais celebrados pelo Cristianismo: - na tradição romana: - o S.J.Baptista (24 de Junho) - e S.J. Evangelista (27 de Dezembro) - NOTA: o cipriota S. João Esmoler, também conhecido como S. João de Jerusalém, cujas ações de apoio aos cruzados e à reedificação de templos então destruídos pelos povos ditos bárbaros lhe teriam valido a eleição como patrono da Maçonaria.

45 F I M

Movimento Annual do Sol, Fases da Lua e Eclipses

Movimento Annual do Sol, Fases da Lua e Eclipses Movimento Annual do Sol, Fases da Lua e Eclipses FIS02010 Professora Ana Chies Santos IF/UFRGS https://anachiessantos.wordpress.com/ensino/fis02010/ Facebook #AstroUFRGS Relembrando... Sistemas de Coordenadas

Leia mais

Movimento Anual do Sol, Fases da Lua e Eclipses

Movimento Anual do Sol, Fases da Lua e Eclipses Elementos de Astronomia Movimento Anual do Sol, Fases da Lua e Eclipses Rogemar A. Riffel Sol, Terra e Lua Movimento Diurno do Sol Relembrando a aula passada De leste para oeste; O círculo diurno do Sol

Leia mais

Introdução À Astronomia e Astrofísica 2010

Introdução À Astronomia e Astrofísica 2010 CAPÍTULO 3 ESTAÇÕES DO ANO E INSOLAÇÃO SOLAR. Movimento Anual do Sol e as Estações do Ano. Estação em diferentes latitudes. Insolação Solar. Recapitulando a aula anterior: Capítulo 2 Trigonometria Esférica

Leia mais

21/6/2014 Por Nando Guimarães Rio de Janeiro

21/6/2014 Por Nando Guimarães Rio de Janeiro 21/6/2014 Por Nando Guimarães Rio de Janeiro Na astronomia, solstício (do latim sol + sistere, que não se mexe) é o momento em que o Sol, durante seu movimento aparente na esfera celeste, atinge a maior

Leia mais

Movimentos da Terra e suas consequências

Movimentos da Terra e suas consequências Movimentos da Terra e suas consequências Movimentos da Terra A Terra descreve, como todos os outros planetas principais do Sistema Solar: Movimento de rotação movimento em torno de si própria, em volta

Leia mais

Insígnia de Competência de Astrónomo Alguns apontamentos para Exploradores

Insígnia de Competência de Astrónomo Alguns apontamentos para Exploradores Insígnia de Competência de Astrónomo Alguns apontamentos para Exploradores 1 Conhecer a influência do sol, terra e lua nas estações do ano (exs: culturas, flores, frutos, árvores, entre outros) 2 Conhecer

Leia mais

ÓRBITA ILUMINADA HU F 152/ NT4091

ÓRBITA ILUMINADA HU F 152/ NT4091 ÓRBITA ILUMINADA HU F 152/ NT4091 INTRODUÇÃO Trata-se de um modelo científico de trabalho, representando o Sol, a Terra e a Lua, e mostrando como estes se relacionam entre si. Foi concebido para mostrar

Leia mais

GABARITO PROVA DO NÍVEL 3 (Para alunos do 6 º ao 9 º ano do Ensino Fundamental) XVII OBA - 2014

GABARITO PROVA DO NÍVEL 3 (Para alunos do 6 º ao 9 º ano do Ensino Fundamental) XVII OBA - 2014 GABARITO PROVA DO NÍVEL 3 (Para alunos do 6 º ao 9 º ano do Ensino Fundamental) XVII OBA - 2014 Nota de Astronomia: Nota de Astronáutica: Nota Final: Observação: A Nota Final é a soma das notas de Astronomia

Leia mais

São João O Padroeiro da Maçonaria Introdução Bem sabemos que a Maçonaria Operativa veio ao mundo em tempo cristão. Naquela época, cada pais, província ou grupo tinha o seu padroeiro. Pois todos queriam

Leia mais

Mecânica do Sistema Solar

Mecânica do Sistema Solar Mecânica do Sistema Solar IFSP Vicente Barros Mais informações em Click to edit Masterhttp://astro.if.ufrgs.br/index.htm subtitle style Curiosidades - Posição da ISS http://spotthestation.nasa.gov/ Nosso

Leia mais

Elementos de Astronomia

Elementos de Astronomia Elementos de Astronomia Astronomia Antiga, Esfera Celeste, Coordenadas e Movimento Diurno dos Astros Rogemar A. Riffel Sala 1316 e-mail: rogemar@ufsm.br http://www.ufsm.br/rogemar/ensino.html Por que estudar

Leia mais

Figura 1 - O movimento da Lua em torno da Terra e as diferentes fases da Lua

Figura 1 - O movimento da Lua em torno da Terra e as diferentes fases da Lua Estudo do Meio Físico e Natural I Movimentos reais e aparentes dos astros J. L. G. Sobrinho Centro de Ciências Exactas e da Engenharia Universidade da Madeira A Lua e a Terra A Lua está a sempre visível

Leia mais

Iluminação Natural. Construção de Diagramas Solares. Maio de 2007

Iluminação Natural. Construção de Diagramas Solares. Maio de 2007 Iluminação Natural Construção de Diagramas Solares Maio de 2007 arquitectura e artes do espectáculo lda. Rua Julião Quintinha, 1A tel: +351 217 157 502 email: etu@etu.pt 1500-381 Lisboa fax: +351 217 157

Leia mais

ENSINO MÉDIO 01 - PLANETA TERRA FORMA E MOVIMENTO

ENSINO MÉDIO 01 - PLANETA TERRA FORMA E MOVIMENTO ENSINO MÉDIO 01 - PLANETA TERRA FORMA E MOVIMENTO QUESTÃO 01 - Sobre as características gerais dos movimentos terrestres, julgue os itens: a) É incorreto dizer que o Sol nasce a leste e se põe a oeste,

Leia mais

GABARITO DA PROVA OLÍMPICA DO NÍVEL II DA II OBA

GABARITO DA PROVA OLÍMPICA DO NÍVEL II DA II OBA 1. A astronomia estuda tudo que está fora da Terra, como por exemplo, os planetas, as estrelas, os cometas, as galáxias, as constelações, os movimentos destes corpos, etc. Para observar estes corpos basta

Leia mais

Oficina de CNII/EF Material do Aluno. Tema: Sistema Solar. Prezado Aluno,

Oficina de CNII/EF Material do Aluno. Tema: Sistema Solar. Prezado Aluno, Tema: Sistema Solar Prezado Aluno, Nesta oficina, você desenvolverá atividades que abordam a constituição do Sistema Solar, os movimentos dos astros, os fenômenos celestes e sua relação com o planeta Terra.

Leia mais

Felipe Fava Vagner Augusto

Felipe Fava Vagner Augusto Felipe Fava Vagner Augusto Introdução O que é Arqueoastronomia Equinócio e Solstícios Estruturas * Menir isolado * Menires alinhados * Cromeleques * Dolmen Construções Lendárias * Pirâmides de Gizé * Esfinge

Leia mais

ASTRONOMIA NO DIA-A-DIA Dr. André Milone

ASTRONOMIA NO DIA-A-DIA Dr. André Milone ASTRONOMIA NO DIA-A-DIA Dr. André Milone Divisão de Astrofísica (DAS) Curso de Introdução à Astronomia e Astrofísica 2009 ROTEIRO GERAL Fenômenos astronômicos no dia-a-dia Movimentos da Terra heliocentrismo

Leia mais

ASTRO 3D: UMA FERRAMENTA PARA O ENSINO DE ASTRONOMIA

ASTRO 3D: UMA FERRAMENTA PARA O ENSINO DE ASTRONOMIA 0 ASTRO 3D: UMA FERRAMENTA PARA O ENSINO DE ASTRONOMIA Eliza M. Silva 1, Rafael B. Botelho, Artur Justiniano, Paulo A. Bresan. Universidade Federal de Alfenas UNIFAL-MG Resumo O Ensino de Astronomia está

Leia mais

www.google.com.br/search?q=gabarito

www.google.com.br/search?q=gabarito COLEGIO MÓDULO ALUNO (A) série 6 ano PROFESSOR GABARITO DA REVISÃO DE GEOGRAFIA www.google.com.br/search?q=gabarito QUESTÃO 01. a) Espaço Geográfico RESPOSTA: representa aquele espaço construído ou produzido

Leia mais

A ASTRONOMIA NAS CULTURAS DA AMÉRICA PRÉ-COLOMBIANA

A ASTRONOMIA NAS CULTURAS DA AMÉRICA PRÉ-COLOMBIANA A ASTRONOMIA NAS CULTURAS DA AMÉRICA PRÉ-COLOMBIANA Astronomia Fundamental Caroline F. Dorneles Abril, 2011 Civilizações pré-colombianas MAIAS ASTECAS INCAS Civilizações pré-colombianas Estas civilizações

Leia mais

ENSINO FUNDAMENTAL - CIÊNCIAS 9ºANO- UNIDADE 3 - CAPÍTULO 1

ENSINO FUNDAMENTAL - CIÊNCIAS 9ºANO- UNIDADE 3 - CAPÍTULO 1 ENSINO FUNDAMENTAL - CIÊNCIAS 9ºANO- UNIDADE 3 - CAPÍTULO 1 questão 01. O que é Astrofísica? questão 02. O que são constelações? questão 03. Como era o calendário Lunar? questão 04. Qual era diferença

Leia mais

José Otávio e Adriano 2º ano A

José Otávio e Adriano 2º ano A José Otávio e Adriano 2º ano A Vênus é um planeta que faz parte do Sistema Solar. Está localizado entre os planetas Mercúrio e Terra. Tem esse nome em homenagem a Vênus (deusa do amor da mitologia romana).

Leia mais

Olha pro céu! (uma brevissima introdução à astronomia para crianças de todas as idades) Helder da Rocha

Olha pro céu! (uma brevissima introdução à astronomia para crianças de todas as idades) Helder da Rocha Pedra de Sto. Antônio (Fagundes, PB) e constelações de Sagitário e Coroa Austral 20o. Encontro para a Nova Consciência Campina Grande, PB, 2011 Olha pro céu! (uma brevissima introdução à astronomia para

Leia mais

47º Problema de Euclides

47º Problema de Euclides 47º Problema de Euclides Como esquadrejar seu esquadro 1 O 47º Problema de Euclides, também chamado de 47ª Proposição de Euclides, assim como o Teorema de Pitágoras é representado por 3 quadrados. Para

Leia mais

Aula 1. O Sistema Solar e o Planeta Terra. Disciplina: Geografia A Profª.: Tamara Régis

Aula 1. O Sistema Solar e o Planeta Terra. Disciplina: Geografia A Profª.: Tamara Régis Aula 1. O Sistema Solar e o Planeta Terra. Disciplina: Geografia A Profª.: Tamara Régis A origem do Universo A teoria do Big Bang foi anunciada em 1948 pelo cientista russo naturalizado estadunidense,

Leia mais

Prof. Franco Augusto

Prof. Franco Augusto Prof. Franco Augusto Astros São corpos que giram no espaço, classificados de acordo com a luminosidade. Iluminados ou opacos não possuem luz própria, recebendo luz das estrelas. São os planetas, asteroides,

Leia mais

I Olimpíada Brasileira de Astronomia Brasil, 22 de agosto de 1998. Nível 1 GABARITO OFICIAL

I Olimpíada Brasileira de Astronomia Brasil, 22 de agosto de 1998. Nível 1 GABARITO OFICIAL I Olimpíada Brasileira de Astronomia Brasil, 22 de agosto de 1998. Nível 1 GABARITO OFICIAL Questão 1 a) (VALOR: 0,2 pts) Quais os planetas do Sistema Solar que têm sistema de anéis? R: Saturno, Júpiter,

Leia mais

Sistema Sol-Terra-Lua

Sistema Sol-Terra-Lua Sistema Sol-Terra-Lua Parte 1 As estações do ano Parte 2 As fases da Lua Parte 3 Eclipses Parte 4 - Marés 1 Parte 1 As estações do ano A latitudes medianas (como a nossa) há variações significativas de

Leia mais

Para ajudá-los nos estudos, após resolver o exercício de revisão faça a correção a partir deste documento. Bons Estudos!

Para ajudá-los nos estudos, após resolver o exercício de revisão faça a correção a partir deste documento. Bons Estudos! EXERCÍCIO DE REVISÃO - GEOGRAFIA 6º ano Profª. Ms. Graziella Fernandes de Castro Queridos alunos, Para ajudá-los nos estudos, após resolver o exercício de revisão faça a correção a partir deste documento.

Leia mais

RESUMO O trabalho apresenta resultados de um estudo sobre o texto A Geometria do Globo Terrestre

RESUMO O trabalho apresenta resultados de um estudo sobre o texto A Geometria do Globo Terrestre Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 43 O ÂNGULO DE ELEVAÇÃO DO SOL E A ENERGIA SOLAR Antonio da Silva Gomes Júnior 1, José Paulo Rodrigues da Silveira,

Leia mais

Estações do Ano e Fases da Lua

Estações do Ano e Fases da Lua ESPECIALIZAÇAO EM CIÊNCIAS E TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO Estações do Ano e Fases da Lua Prof. Nelson Luiz Reyes Marques Movimentos da Terra Quais são os movimentos da Terra? 1. Rotação 2. Revolução 3. Precessão

Leia mais

Planetário de pobre. Introdução. Materiais Necessários. Vamos simular e entender o movimento da abóbada celeste com uma montagem simples e barata.

Planetário de pobre. Introdução. Materiais Necessários. Vamos simular e entender o movimento da abóbada celeste com uma montagem simples e barata. dução Vamos simular e entender o movimento da abóbada celeste com uma montagem simples e barata. Retirado de Rodolfo Caniato, O Céu, ed. Ática, 1990. Cadastrada por Lucas Assis Material - onde encontrar

Leia mais

EFEMÉRIDES DO MÊS DE OUTUBRO DE 2014

EFEMÉRIDES DO MÊS DE OUTUBRO DE 2014 EFEMÉRIDES DO MÊS DE OUTUBRO DE 2014 POSIÇÃO GEOGRÁFICA: LATITUDE: -8.1º LONGITUDE: -34.9º LATITUDE: 8º 0 48.1 Sul LONGITUDE: 34º 51 3.4 Oeste CALENDÁRIO DO CÉU COM OS HORÁRIOS DE VISIBILIDADE DOS OBJETOS

Leia mais

EFEMÉRIDES DO MÊS DE AGOSTO DE 2014

EFEMÉRIDES DO MÊS DE AGOSTO DE 2014 EFEMÉRIDES DO MÊS DE AGOSTO DE 2014 POSIÇÃO GEOGRÁFICA: LATITUDE: -8.1º LONGITUDE: -34.9º LATITUDE: 8º 0 48.1 Sul LONGITUDE: 34º 51 3.4 Oeste CALENDÁRIO DO CÉU COM OS HORÁRIOS DE VISIBILIDADE DOS OBJETOS

Leia mais

O Q U E É U M REL Ó G I O DE S O L? Relógio de Sol é um instrumento que determina as divisões. do dia através do movimento da sombra de um objecto, o

O Q U E É U M REL Ó G I O DE S O L? Relógio de Sol é um instrumento que determina as divisões. do dia através do movimento da sombra de um objecto, o O Q U E É U M REL Ó G I O DE S O L? Relógio de Sol é um instrumento que determina as divisões do dia através do movimento da sombra de um objecto, o gnómon, sobre o qual incidem os raios solares e que

Leia mais

Introdução À Astronomia e Astrofísica 2010

Introdução À Astronomia e Astrofísica 2010 CAPÍTULO 5 LUA E SUAS FASES. ECLIPSES. Lua. Fases da Lua. Sombra de um Corpo Extenso. Linha dos Nodos. Eclipses do Sol. Eclipses da Lua. Temporada de Eclipses. Saros. Recapitulando a aula anterior: Capítulo

Leia mais

Leis de Newton e Forças Gravitacionais

Leis de Newton e Forças Gravitacionais Introdução à Astronomia Leis de Newton e Forças Gravitacionais Rogério Riffel Leis de Newton http://www.astro.ufrgs.br/bib/newton.htm Newton era adepto das ideias de Galileo. Galileo: Um corpo que se move,

Leia mais

A NAVEGAÇÃO ASTRONÔMICA É SIMPLES?

A NAVEGAÇÃO ASTRONÔMICA É SIMPLES? A NAVEGAÇÃO ASTRONÔMICA É SIMPLES? 2005 Curso de Capitão o Amador: PROGRAMA E INSTRUÇÕES GERAIS PARA O EXAME DE CAPITÃO O exame para a categoria de Capitão Amador constará de uma prova escrita, com duração

Leia mais

Níve v l e 4 Prof. Alex Samyr

Níve v l e 4 Prof. Alex Samyr Nível 4 Prof. Alex Samyr - Origem e desenvolvimento - Origem do universo - Teoria do Big-Bang É a mais antiga das ciências (desde os pré-históricos) Desde a antiguidade o céu é usado como: MAPA, RELÓGIO

Leia mais

SABEDORIA E MAGIA DOS CELTAS PRINCÍPIOS DO DRUIDISMO

SABEDORIA E MAGIA DOS CELTAS PRINCÍPIOS DO DRUIDISMO SABEDORIA E MAGIA DOS CELTAS PRINCÍPIOS DO DRUIDISMO SABEDORIA E MAGIA DOS CELTAS PRINCÍPIOS DO DRUIDISMO ANA ELIZABETH CAVALCANTI DA COSTA 3 ÍNDICE Introdução... 13 1ª Parte - O Universo Mágico Os Ciclos

Leia mais

Estudo para OBA Olimpíada Brasileira de Astronomia. Nível 1. 2º ano Água

Estudo para OBA Olimpíada Brasileira de Astronomia. Nível 1. 2º ano Água Estudo para OBA Olimpíada Brasileira de Astronomia Nível 1 2º ano Água Estrelas Cadentes Ana Beatriz e Giovanna 2º ano Água As Estrelas Cadentes na verdade são rochas. Estrelas cadentes não passam de um

Leia mais

A NUVEM. O Sétimo Anjo

A NUVEM. O Sétimo Anjo A NUVEM O Sétimo Anjo PARADO NA BRECHA 1963 - Jeffersonville - Indiana - E.U.A. - Tradução: GO 82 E agora, eu não sabia naquela época, que eles estavam tirando fotos daquilo, os cientistas que estavam

Leia mais

Aula 04 Medidas de tempo

Aula 04 Medidas de tempo Aula 04 Medidas de tempo O que é tempo? Os fenômenos astronômicos são periódicos e regulares: tornaram-se os primeiros relógios. E foram os relógios mais precisos até a construção dos relógios atômicos

Leia mais

Coleguium -3ºEM 1ª etapa

Coleguium -3ºEM 1ª etapa Coleguium -3ºEM 1ª etapa CIVILIZAÇÃO EGÍPCIA: - Desenvolvida às margens do Nilo, na África; - Organização social complexa e rica em realizações culturais; - Escrita bem estruturada; Hieróglifos na parede

Leia mais

As estações do ano acontecem por causa da inclinação do eixo da Terra em relação ao Sol. O movimento do nosso planeta em torno do Sol, dura um ano.

As estações do ano acontecem por causa da inclinação do eixo da Terra em relação ao Sol. O movimento do nosso planeta em torno do Sol, dura um ano. PROFESSORA NAIANE As estações do ano acontecem por causa da inclinação do eixo da Terra em relação ao Sol. O movimento do nosso planeta em torno do Sol, dura um ano. A este movimento dá-se o nome de movimento

Leia mais

Aula 52 Conteúdos: Artigo: definido e indefinido. Expressão numérica com adição, subtração e multiplicação. Corpos celestes. LINGUAGENS MAT., C. HUM.

Aula 52 Conteúdos: Artigo: definido e indefinido. Expressão numérica com adição, subtração e multiplicação. Corpos celestes. LINGUAGENS MAT., C. HUM. 2 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL INTERATIVA Aula 52 Conteúdos: Artigo: definido e indefinido. Expressão numérica com adição, subtração e multiplicação. Corpos

Leia mais

Relações Astronômicas Terra - Sol

Relações Astronômicas Terra - Sol Universidade de São Paulo Departamento de Geografia FLG 0253 - Climatologia I Relações Astronômicas Terra - Sol Prof. Dr. Emerson Galvani Laboratório de Climatologia e Biogeografia LCB Radiação Solar -

Leia mais

Boa tarde a todos!! Sejam bem vindos a aula de Física!! Professor Luiz Fernando

Boa tarde a todos!! Sejam bem vindos a aula de Física!! Professor Luiz Fernando Boa tarde a todos!! Sejam bem vindos a aula de Física!! Professor Luiz Fernando Minha História Nome: Luiz Fernando Casado 24 anos Naturalidade: São José dos Campos Professor de Física e Matemática Formação:

Leia mais

Óptica. Feixe de Raios Paralelos: A luz do sol que atinge a terra pode ser considerada um feixe de raios paralelos.

Óptica. Feixe de Raios Paralelos: A luz do sol que atinge a terra pode ser considerada um feixe de raios paralelos. Óptica Os fenômenos ópticos que observamos através do nosso aparelho de visão (Olho Humano) são todos devidos às propriedades da luz. Para estudarmos a óptica, ou seja, os efeitos sofridos pela luz, utilizaremos

Leia mais

Questão 01) A linha imaginária que circula a Terra a 23 27 de latitude norte denomina-se:

Questão 01) A linha imaginária que circula a Terra a 23 27 de latitude norte denomina-se: Lista de Exercícios Pré Universitário Uni-Anhanguera Aluno(a): Nº. Professor: Anderson José Soares Série: 1º Disciplina: GEOGRAFIA Data da prova: 22/02/14 Questão 01) A linha imaginária que circula a Terra

Leia mais

Encontrando o seu lugar na Terra

Encontrando o seu lugar na Terra Encontrando o seu lugar na Terra A UU L AL A Nesta aula vamos aprender que a Terra tem a forma de uma esfera, e que é possível indicar e localizar qualquer lugar em sua superfície utilizando suas coordenadas

Leia mais

Em que constelações se encontram os planetas?

Em que constelações se encontram os planetas? Complemento de informação aos leitores (Por conveniência editorial, este documento segue as regras do novo Acordo Ortográfico) Em que constelações se encontram os planetas? Guilherme de Almeida Dados para

Leia mais

A Era de Aquário. Muitas declarações sobre a Era de Aquário podem ser encontradas nas publicações atuais.

A Era de Aquário. Muitas declarações sobre a Era de Aquário podem ser encontradas nas publicações atuais. A ERA AQUARIANA 1 A Era de Aquário Muitas declarações sobre a Era de Aquário podem ser encontradas nas publicações atuais. Freqüentemente, deparamos com afirmações de que a Era de Aquário já começou, que

Leia mais

A Geometria no Globo Terrestre.

A Geometria no Globo Terrestre. A Geometria no Globo Terrestre. 1. Introdução. Neste trabalho pretendemos desenvolver o estudo da esfera e seus elementos explorando sua associação com o globo terrestre. O estudo da posição relativa de

Leia mais

Escola Estadual Jerônimo Gueiros Professor (a) Supervisor (a): Ary Pereira Bolsistas: Ana Moser e Débora Leyse

Escola Estadual Jerônimo Gueiros Professor (a) Supervisor (a): Ary Pereira Bolsistas: Ana Moser e Débora Leyse Universidade Federal do Rio Grande do Norte Centro de Ciências Humanas Letras e Artes Departamento de Geografia Programa Institucional de Iniciação à docência (PIBID) Escola Estadual Jerônimo Gueiros Professor

Leia mais

ASTRONOMIA NO DIA A DIA

ASTRONOMIA NO DIA A DIA ASTRONOMIA NO DIA A DIA Dr. André Milone Divisão de Astrofísica (DAS) Curso de Introdução à Astronomia e Astrofísica 2013 Astronomia no dia a dia Qual é a forma e movimentos da Terra? O Metro e o Segundo

Leia mais

Qual o motivo das estações do ano?

Qual o motivo das estações do ano? Qual o motivo das estações do ano? Estações do Ano: W Início da Primavera 23 set Hemisfério Sul Início do Inverno 22 jun Início do Verão 22 dez g Início do Outono 21 mar Estações do Ano: Hemisfério Norte

Leia mais

1a) Resposta: O aluno deveria ter pintado a bola maior de amarelo e a média de azul ou indicado a cor.

1a) Resposta: O aluno deveria ter pintado a bola maior de amarelo e a média de azul ou indicado a cor. Sociedade Astronômica Brasileira (SAB) - Agência Espacial Brasileira (AEB) VIII Olimpíada Brasileira de Astronomia e de Astronáutica- 2005 Gabarito da Prova do nível 1 (para alunos da 1ª à 2ª série) Questão

Leia mais

Como surgiu o universo

Como surgiu o universo Como surgiu o universo Modelos para o universo Desde os tempos remotos o ser humano observa o céu, buscando nele pistas para compreender o mundo em que vive. Nessa busca incansável, percebeu fenômenos

Leia mais

Gabarito dos exercícios do livro Ciências cap. 5 e 6

Gabarito dos exercícios do livro Ciências cap. 5 e 6 COLÉGIO MARIA IMACULADA QI 05 ch. 72 LAGO SUL BRASÍLIA DF E-MAIL: cmidf@cmidf.com.br SITE: www.cmidf.com.br 6ºano 1º PERÍODO Gabarito dos exercícios do livro Ciências cap. 5 e 6 p. 74 Respostas: 1. Lua

Leia mais

Horizonte local e Relógios de Sol

Horizonte local e Relógios de Sol Rosa M. Ros International Astronomical Union, Universidade Politécnica de Cataluña (Barcelona, Espanha) Resumo O estudo do horizonte é fundamental para promover as primeiras observações dos alunos nos

Leia mais

Numerologia. 0- Zero Representa o círculo o símbolo do universo, o infinito, o início e o fim.

Numerologia. 0- Zero Representa o círculo o símbolo do universo, o infinito, o início e o fim. Numerologia Números- Nume ou Númen, s. m. (latim númen) Divindade, poder celestial. Cada um dos deuses do paganismo, Gênio. Inspiração. Nume tutelar espírito protetor. Na astronomia já se fazia referencia

Leia mais

Introdução À Astronomia e Astrofísica 2010

Introdução À Astronomia e Astrofísica 2010 CAPÍTULO 1 ESFERA CELESTE E O SISTEMA DE COORDENADAS Esfera Celeste. Sistema de Coordenadas. Coordenadas Astronómicas. Sistema Horizontal. Sistema Equatorial Celeste. Sistema Equatorial Horário. Tempo

Leia mais

Plataforma Equatorial

Plataforma Equatorial Projecto Com a Cabeça na Lua OASA - Observatório Astronómico de Santana Açores Plataforma Equatorial Princípios fundamentais Utilização das Coordenadas Astronómicas Em geometria, sabemos que um sistema

Leia mais

REPRESE TAÇÃO SIMPLIFICADA DAS FASES DA LUA

REPRESE TAÇÃO SIMPLIFICADA DAS FASES DA LUA FASES DA LUA O ASPECTO DA LUA SE MODIFICA DIARIAMENTE. Mas isso se deve tão somente a posição relativa da Lua, Terra e Sol. A cada dia o Sol ilumina a Lua sob um ângulo diferente, à medida que ela se desloca

Leia mais

Extensivo noite - Aulas 01 e 02

Extensivo noite - Aulas 01 e 02 1. (Unesp 2011) A figura 1 mostra um quadro de Georges Seurat, grande expressão do pontilhismo. De forma grosseira podemos dizer que a pintura consiste de uma enorme quantidade de pontos de cores puras,

Leia mais

02- Agrupamento de estrelas que juntas formam figuras imaginárias. R.: 03- Ciência que estudo os corpos celestes. R.:

02- Agrupamento de estrelas que juntas formam figuras imaginárias. R.: 03- Ciência que estudo os corpos celestes. R.: PROFESSOR: EQUIPE DE CIÊNCIAS BANCO DE QUESTÕES - CIÊNCIAS 5º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL ========================================================================== De acordo com as dicas, responda: 01- Foi

Leia mais

UNIDADE 2: ASTRONOMIA

UNIDADE 2: ASTRONOMIA UNIDADE 2: ASTRONOMIA ARISTÓTELES (384-322 a.c.) Afirmou que a Terra era redonda devido à sombra esférica deixada por ela durante o eclipse lunar. ERATÓSTENES (273-194 a.c.) Mediu a circunferência da Terra

Leia mais

CALENDÁRIO DO CÉU PARA O MÊS DE JUNHO DE 2014

CALENDÁRIO DO CÉU PARA O MÊS DE JUNHO DE 2014 CALENDÁRIO DO CÉU PARA O MÊS DE JUNHO DE 2014 POSIÇÃO GEOGRÁFICA: LATITUDE: -8.1º LONGITUDE: -34.9º LATITUDE: 8º 0 48.1 Sul LONGITUDE: 34º 51 3.4 Oeste CALENDÁRIO DO CÉU COM OS HORÁRIOS DE VISIBILIDADE

Leia mais

EFEMÉRIDES DO MÊS DE ABRIL DE 2014

EFEMÉRIDES DO MÊS DE ABRIL DE 2014 EFEMÉRIDES DO MÊS DE ABRIL DE 2014 POSIÇÃO GEOGRÁFICA: LATITUDE: -8.1º LONGITUDE: -34.9º LATITUDE: 8º 0 48.1 Sul LONGITUDE: 34º 51 3.4 Oeste CALENDÁRIO DO CÉU COM OS HORÁRIOS DE VISIBILIDADE DOS OBJETOS

Leia mais

Aula 11. O objetivo desta aula é criar condições para que os alunos:

Aula 11. O objetivo desta aula é criar condições para que os alunos: Aula 11 Nesta aula Os alunos trabalham com a escala de distâncias às estrelas, constatando que elas são imensamente maiores que as distâncias no interior do Sistema Solar. Também realizam uma montagem

Leia mais

Teorema de Pitágoras. Módulo 1 Unidade 10. Para início de conversa... Matemática e Suas Tecnologias Matemática 1

Teorema de Pitágoras. Módulo 1 Unidade 10. Para início de conversa... Matemática e Suas Tecnologias Matemática 1 Módulo 1 Unidade 10 Teorema de Pitágoras Para início de conversa... Certamente, você já deve ter ouvido falar no Teorema de Pitágoras. Pois bem, nesta unidade, ele será o centro das atenções, mas vamos

Leia mais

ORIENTAÇÃO E LOCALIZAÇÃO

ORIENTAÇÃO E LOCALIZAÇÃO ORIENTAÇÃO E LOCALIZAÇÃO Para se orientar o homem teve de desenvolver sua capacidade de observação. Observando a natureza o homem percebeu que o Sol aparece todas as manhãs aproximadamente, num mesmo lado

Leia mais

Centro Educacional Juscelino Kubitschek

Centro Educacional Juscelino Kubitschek Centro Educacional Juscelino Kubitschek ALUNO: N.º: DATA: / /2011 ENSINO FUNDAMENTAL SÉRIE: 5ª SÉRIE / 6º ANO DISCIPLINA: GEOGRAFIA PROFESSOR: Equipe de Geografia CAROS ALUNOS (AS): Roteiro de Estudos

Leia mais

A PÁSCOA, O COELHO E OS OVOS DE CHOCOLATES

A PÁSCOA, O COELHO E OS OVOS DE CHOCOLATES A PÁSCOA, O COELHO E OS OVOS DE CHOCOLATES O sincretismo A Páscoa, é uma festa cristã que celebra a ressurreição de Jesus Cristo. É a data mais importante da religião cristã. A Páscoa e seus símbolos tem

Leia mais

DESCRIÇÃO DOS ROTEIROS. Roteiro 1. Roteiro 2

DESCRIÇÃO DOS ROTEIROS. Roteiro 1. Roteiro 2 DESCRIÇÃO DOS ROTEIROS Roteiro 1 Indicação de faixa etária: para todos os públicos Sessão de Planetário: Pode ser escolhida qualquer uma das sessões disponíveis em nossa programação. Exposição: Será realizada

Leia mais

Insígnia de Competência de Astrónomo Alguns apontamentos para Exploradores

Insígnia de Competência de Astrónomo Alguns apontamentos para Exploradores Insígnia de Competência de Astrónomo Alguns apontamentos para Exploradores 1 Conhecer a influência do sol, terra e lua nas estações do ano (exs: culturas, flores, frutos, árvores, entre outros) 2 Conhecer

Leia mais

Geografia Fascículo 12 Fernanda Zuquim Guilherme De Benedictis

Geografia Fascículo 12 Fernanda Zuquim Guilherme De Benedictis Geografia Fascículo 12 Fernanda Zuquim Guilherme De Benedictis Índice Noções de Cartografia e Astronomia Resumo Teórico...1 Exercícios...6 Gabarito...9 Noções de Cartografia e Astronomia Resumo Teórico

Leia mais

GUIA DO PROFESSOR ATIVIDADE: RAIO DA TERRA

GUIA DO PROFESSOR ATIVIDADE: RAIO DA TERRA GUIA DO PROFESSOR ATIVIDADE: RAIO DA TERRA 1 - RESUMO DA ATIVIDADE Como exemplo de um método de medida, vamos mostrar como há três séculos antes de Cristo, Eratóstenes mediu o raio da Terra, utilizando

Leia mais

Movimento real e aparente das estrelas e dos planetas

Movimento real e aparente das estrelas e dos planetas José Laurindo Sobrinho Grupo de Astronomia da Universidade da Madeira Fevereiro 2014 Movimento real e aparente das estrelas e dos planetas 1 O Movimento da Lua A Lua apresenta sempre a mesma face virada

Leia mais

A Terra gira... Nesta aula vamos aprender um pouco mais. sobre o movimento que a Terra realiza em torno do seu eixo: o movimento de

A Terra gira... Nesta aula vamos aprender um pouco mais. sobre o movimento que a Terra realiza em torno do seu eixo: o movimento de A U A U L L A A Terra gira... Nesta aula vamos aprender um pouco mais sobre o movimento que a Terra realiza em torno do seu eixo: o movimento de rotação. É esse movimento que dá origem à sucessão dos dias

Leia mais

O EGITO É UMA DÁDIVA DO NILO

O EGITO É UMA DÁDIVA DO NILO CIVILIZAÇÃO EGÍPCIA PARA O HISTORIADOR GREGO HERÓDOTO: O EGITO É UMA DÁDIVA DO NILO DÁDIVA = PRESENTE SIGNIFICADO = Sem as cheias do Nilo, o Egito seria um grande deserto PARA O HISTORIADOR FRANCÊS JEAN

Leia mais

A Geometria e as distâncias astronômicas na Grécia Antiga

A Geometria e as distâncias astronômicas na Grécia Antiga A Geometria e as distâncias astronômicas na Grécia Antiga Geraldo Ávila Qual é o mais distante: o Sol ou a Lua? Quais os tamanhos da Terra, Sol e Lua? A busca das respostas à essas perguntas intrigantes

Leia mais

INTRODUÇÃO À ASTRONOMIA SANDRO FERNANDES

INTRODUÇÃO À ASTRONOMIA SANDRO FERNANDES INTRODUÇÃO À ASTRONOMIA SANDRO FERNANDES O que é a Astronomia? É a ciência que estuda o universo, numa tentativa de perceber a sua estrutura e evolução. Histórico É a ciência mais antiga. Os registros

Leia mais

GEOGRAFIA 1. Cartografia 1 Aulas 1 e 2

GEOGRAFIA 1. Cartografia 1 Aulas 1 e 2 GEOGRAFIA 1 Cartografia 1 Aulas 1 e 2 O QUE É CARTOGRAFIA Cartografia é a área do conhecimento que se preocupa em produzir, analisar e interpretar as diversas formas de se representar a superfície, como

Leia mais

SUMÁRIO VOLUME 1 CIÊNCIAS

SUMÁRIO VOLUME 1 CIÊNCIAS SUMÁRIO VOLUME 1 "Dentro de você existe um universo em permanente construção" Paulo Roberto Gaefte Capítulo 1 Astronomia 05 (Eclipses lunar e solar; Constelações; Relógio estelar; Relógio solar; Asteroides,

Leia mais

A ÚNICA EXPLICAÇÃO PARA A NUVEM

A ÚNICA EXPLICAÇÃO PARA A NUVEM No dia 28 de Fevereiro de 1963 um estranho fenômeno aconteceu no estado do Arizona E.U.A que deixou os cientistas sem palavras. Antes do por do sol, no estado do Arizona um SINAL apareceu nas nuvens. Uma

Leia mais

Aula 1. Atividades. V. A cartografia é a arte que tem o interesse de explicar a origem do planeta Terra. Estão corretas: e) II, IV e V.

Aula 1. Atividades. V. A cartografia é a arte que tem o interesse de explicar a origem do planeta Terra. Estão corretas: e) II, IV e V. Aula 1 1. Atividades A palavra cartografia é relativamente nova, sendo utilizada pela primeira vez em 8 de dezembro de 1839. Seu uso aconteceu na carta escrita em Paris, enviada pelo português Visconde

Leia mais

Os mistérios de Stonehenge

Os mistérios de Stonehenge Os mistérios de Stonehenge Nenhum lugar tem gerado tanta especulação e teorias extravagantes como as enormes e solitárias pedras que permanecem eretas na planície de Salisbury, em Wiltshire, Inglaterra,

Leia mais

A Magia do final do ano

A Magia do final do ano A Magia do final do ano O tempo é circular. Tudo o que ocorre ao longo dele é cíclico. Cada final traz um novo começo, e o modo como terminamos um ano das nossas vidas ajuda a definir como será, para nós,

Leia mais

O Sistema Solar 11/12/2014. Unidade 2 O SISTEMA SOLAR. 1. Astros do Sistema Solar 2. Os planetas do Sistema Solar

O Sistema Solar 11/12/2014. Unidade 2 O SISTEMA SOLAR. 1. Astros do Sistema Solar 2. Os planetas do Sistema Solar Ciências Físico-químicas - 7º ano de escolaridade Unidade 2 O SISTEMA SOLAR O Sistema Solar 1. Astros do Sistema Solar 2. Os planetas do Sistema Solar 2 1 Competências a desenvolver: Caracterização do

Leia mais

Movimentos da Terra. 4) Número de aulas: São seis etapas que serão divididas em aulas a critério do professor.

Movimentos da Terra. 4) Número de aulas: São seis etapas que serão divididas em aulas a critério do professor. Movimentos da Terra 1) Objetivo Geral Aplicar os conhecimentos sobre os movimentos da Terra e da Lua para o cotidiano, e mais especificamente, para a economia de energia elétrica como o horário de verão

Leia mais

A arte na Grécia. Capítulo 3

A arte na Grécia. Capítulo 3 A arte na Grécia Capítulo 3 Por volta do século X a. C, os habitantes da Grécia continental e das ilhas do mar Egeu formavam pequenas comunidades, distantes umas das outras, e falavam diversos dialetos.

Leia mais

O Ensino da Astronomia

O Ensino da Astronomia O Ensino da Astronomia Os Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN) indicam o estudo da Astronomia no 3o e 4o ciclos do Ensino Fundamental, na área de Ciências Naturais, no eixo temático "Terra e Universo"

Leia mais

AUTORES: NANCY MARTINS DE SÁ STOIANOV

AUTORES: NANCY MARTINS DE SÁ STOIANOV Ciências AUTORES: NANCY MARTINS DE SÁ STOIANOV Graduada em História e Pedagogia, Doutora em Filosofia e Metodologia de Ensino, Autora da Metodologia ACRESCER. REGINALDO STOIANOV Licenciatura Plena em Biologia,

Leia mais

Unidade 5 O Universo e seus astros

Unidade 5 O Universo e seus astros Sugestões de atividades Unidade 5 O Universo e seus astros 6 CIÊNCIAS 1 Céu e constelações A Constelação do Cruzeiro de Sul é representada na bandeira do Brasil e na bandeira de outros países, como Austrália,

Leia mais

A Escola e o Relógio de Sol Resumo

A Escola e o Relógio de Sol Resumo Universidade Federal de São Carlos Centro de Ciências Exatas e de Tecnologia Departamento de Matemática A Escola e o Relógio de Sol Resumo Autora: Raquel Duarte de Souza Orientador: Prof. Dr. José Antônio

Leia mais

1- Durante o dia conseguimos ver apenas o brilho do Sol e não conseguimos ver o brilho de outras estrelas. Explique por que isso acontece.

1- Durante o dia conseguimos ver apenas o brilho do Sol e não conseguimos ver o brilho de outras estrelas. Explique por que isso acontece. Atividade de Estudo - Ciências 5º ano Nome: 1- Durante o dia conseguimos ver apenas o brilho do Sol e não conseguimos ver o brilho de outras estrelas. Explique por que isso acontece. 2- Cite uma semelhança

Leia mais

Para explicar o equilíbrio existente nesse conjunto organizado de astros a Astrofísica propôs:

Para explicar o equilíbrio existente nesse conjunto organizado de astros a Astrofísica propôs: O SISTEMA SOLAR Para entendermos o mecanismo do "SISTEMA TERRA" temos que ter noções básicas de um contexto mais amplo: o espaço cósmico, onde se processam, entre outros milhares, o "SISTEMA SOLAR". UNIVERSO

Leia mais